You are on page 1of 32

UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO – UFES

CENTRO UNIVERSITÁRIO NORTE DO ESPÍRITO SANTO - CEUNES
DEPARTAMENTO DE ENGENHARIAS E TECNOLOGIA
ENGENHARIA QUÍMICA

Equilíbrio líquido-vapor e
líquido-líquido
PROFESSORA: Ana Beatriz Neves Brito

Bárbara Zon Nascimento (2013101554)
Diego Rocha Lozer (2010204393)
Fernanda Brito dos Santos (2011204518)
Naiara dos Santos Chagas (2012100449)
Thiago Pavesi Guignone Santos (2013101266)
Vinícius Molini Benedito (2013101121)

São Mateus – ES, 2015

Bárbara Zon Nascimento (2013101554)
Diego Rocha Lozer (2010204393)
Fernanda Brito dos Santos (2011204518)
Naiara dos Santos Chagas (2012100449)
Thiago Pavesi Guignone Santos (2013101266)
Vinícius Molini Benedito (2013101121)

Equilíbrio líquido-vapor e
líquido-líquido

Relatório apresentado como requisito
parcial para obtenção de aprovação
na disciplina de Termodinâmica II, no
Curso de Engenharia Química, na
Universidade Federal do Espírito
Santo, Campus São Mateus.
Prof. Dr. Ana Beatriz Neves Brito

São Mateus – ES, 2015
RESUMO

Os dados do equilíbrio líquido-vapor (ELV) isobárico foram medidos para o sistema
metanol + 1-(metóximetóxi)-propano e 1-propanol + 1-(metóximetóxi)-propano a 101,33 kPa.
Os dois sistemas binários apresentaram duas temperaturas azeotrópicas mínimas a 101,33
kPa. A pressão de vapor saturada para o componente 1-(metóximetóxi)-propano puro nos
cálculos do equilíbrio líquido-vapor foi medida. As medições feitas no ELV para os dois
sistemas binários acima foram correlacionadas pelos modelos de Van Laar, Wilson, e NonRandom Two Liquids (NTRL). Os parâmetros de interação binária correspondentes para os
três modelos também foram obtidos. Pela comparação do valor experimental com o valor
calculado, os resultados mostrados dos dados medidos nos dois sistemas binários foram bem
relacionados com os modelos de Wilson e NRTL, respectivamente.

SUMÁRIO
1. Objetivos.........................................................................................................................................3

...8 5.............Resultados e Discussões................................20 .......... Materiais e métodos 6 4..................2.............................. Anexos..................................................... Referências bibliográficas 20 7.......................................... Conclusão 19 6....................................................... Revisão bibliográfica 3 3......

os potenciais químicos não são variáveis mensuráveis nem fáceis de manipular. UNICAMP): pV = p L Equilíbrio mecânico T V =T L Equilíbrio térmico μV =μ L Equilíbrio termodinâmico Equação(s) (1) Porém. são dadas pela igualdade das pressões. ou de coeficientes de atividade (g). a taxa média de passagem das moléculas é a mesma nas duas direções. comparando os dados obtidos com os calculados pelos modelos de Van Laar. UNICAMP): . Contudo. … C Equação (2) As fugacidades podem ser expressas através de coeficientes de fugacidade (f). mais usados para a fase líquida. preferentemente para a fase vapor. 2. a equação de isofugacidade pode ser escrita como (Reservatório digital.OBJETIVOS Tem-se como objetivo analisar os dados experimentais obtidos do equilíbrio líquido-vapor isobárico de dois sistemas binários (metanol + 1-(metóximetóxi)-propano e 1-propanol + 1(metóximetóxi)-propano) a 101. as condições não são estáticas. A temperatura. numa abordagem gamma-phi. contendo C componentes. a pressão e a composição das fases atingem valores finais que a partir daí permanecem fixos. das temperaturas e dos potenciais químicos para todos os componentes em ambas as fases (Reservatório digital. 2007). no nível microscópico. REVISÃO BIBLIOGRÁFICA Um sistema isolado. não havendo então transferência líquida de matéria entre as fases (VAN NESS et al. Moléculas com velocidades suficientemente altas posicionadas na proximidade da interface superam as forças superficiais e passam para outra fase. constituído das fases líquido e vapor em contato direto. 2. No entanto. As equações de equilíbrio líquido-vapor para um sistema fechado à temperatura (T) e pressão (P) constantes.33 kPa. As moléculas que constituem uma fase em um dado instante não são as mesmas que mais tarde ocuparão essa mesma fase.1.. É preferível expressar o equilíbrio termodinâmico em função das fugacidades (Reservatório digital. Então. O sistema está em equilíbrio. após certo tempo atinge um estado final no qual não há tendência para ocorrerem mudanças em seu interior. UNICAMP): f Vi =f Li i=1.

Se a pressão de trabalho é baixa ou próxima da pressão de vapor. a lei de Henry enuncia que a pressão parcial da espécie na fase vapor é diretamente proporcional à sua fração molar na fase líquida (VAN NESS et al. e expressa os desvios da fase líquida devido aos efeitos da pressão. Nada disso pode ser conseguido sem modelos para o comportamento de sistemas em equilíbrio líquido/vapor. O termo exponencial é conhecido como correção de Poynting. Dessa forma: . a avaliação. ф Vi fugacidade na fase vapor do componente na fase líquida. O comportamento de solução ideal é frequentemente aproximado por fases líquidas nas quais as espécies moleculares não são diferentes em tamanho e são da mesma natureza química (VAN NESS et al. V Li é o volume do líquido saturado do i puro. Para uma espécie presente na fase líquida como um soluto muito diluído. o objetivo é encontrar. Quando a termodinâmica é aplicada para o equilíbrio líquido/vapor. Na verdade.. à pressão de vapor do solvente puro. xi é a fração molar do componente i é a pressão de vapor do componente i puro. UNICAMP). as temperaturas. a termodinâmica fornece a base matemática para a correlação. a extensão. pela fração molar do solvente na solução (Reservatório digital. UALG). a generalização. 2007). ф sat é o coeficiente de Psat I i fugacidade do vapor do componente componente i . Além disso. e R é a constante universal dos gases.. y i P=xi Psat i Equação (4) Assim como o gás ideal serve como padrão. Os dois mais simples são a lei de Raoult e a lei de Henry (VAN NESS et al.[ V iL ( P−P sat I ) y i ф P=xi γ i ф exp RT V i sat i ] Equação (3) Onde y i é a fração molar do componente i na fase vapor.. é o coeficiente de i puro. 2007). ou seja. ela é o meio pela qual predições de várias teorias da física molecular e da mecânica estatística podem ser usadas para objetivos práticos. e a interpretação sistemática de dados. as pressões e as composições de fase em equilíbrio. a solução ideal representa um padrão em relação ao qual o comportamento de soluções reais pode ser comparado. 2007). através de cálculos. em relação ao qual o comportamento de gás ideal pode ser comparado. este termo é usualmente desprezado (Reservatório digital. A lei de Raoult pode ser definida como o produto da pressão de vapor do solvente de uma solução diluída.

Os parâmetros a estão relacionados à interação entre as moléculas das espécies 1 e 2 (Reservatório digital. q e a. UFSCAR): . quando existem pressões baixas e moderadas. Seu índice define a qual espécie o parâmetro se refere. UFSCAR). UFSCAR). Os parâmetros são o volume efetivo ou seção transversal das moléculas. Wohl expressa a energia livre de Gibbs em excesso para um sistema binário através de uma série em z 1 e z2 e fração volumétrica efetiva de ambos os componentes: gk =2 a12 z 1 z 2 +3 a112 z12 z 2+ 4 a 1112 z31 z 2+ 4 a1222 z 1 z32 K RT (xi q i+ x 2 q2 ) Equação (8) Onde: z 1= x 1 q1 x 1 q1 + x 2 q 2 z 1= x2 2 x 1 q1 + x 2 q 2 e A equação proposta por Wohl contém dois tipos de parâmetros. Pode-se aplicar a equação de Wohl para uma solução binária que não sejam tão díspares quimicamente. e transformando-a na lei de Raoult modificada (Reservatório digital SBMAC): y i P=xi γ i Pisat Equação (6) A equação de Antoine pode ser empregada para o cálculo de saturação de componentes puros: ln Pi= A+ B G + ElnT ( K ) + F T ( K) T ( K ) +C Equação (7) Wonh (1946) propôs um modelo genérico para expressar a energia livre de Gibbs molar em excesso. O parâmetro q é uma medida do tamanho da molécula. Uma das vantagens desse modelo é que algum significado físico pode ser atribuído as constantes que aparecem nessa expressão. mas apresentem diferentes tamanhos moleculares (Reservatório digital. Após alguns arranjos matemáticos tem-se a equação de Van Laar para um sistema binário (Reservatório digital.y i P=X i H i Equação (5) Uma equação mais realista. pode ser obtida reescrevendo a lei de Raoult. ou da sua esfera de influência na solução.

pelos pontos de ebulição a 101. com precisão de ± 0. Além disso.15 K de acordo com os valores correspondentes da literatura.33 kPa e pelas densidades a 293. .Metanol. Materiais e Reagentes .1-Propanol. os índices de refração para cada composto puro a 298. 1-propanol e formaldeído.15 K. Métodos Sintetizou-se o 1-(metóximetóxi)-propano por meio de uma catálise ácida usando metanol. preferencialmente líquidos apolares.15 K pelo método do picnômetro.33 kPa usando um aparelho de destilação modificado Rose com uma incerteza de ± 0. Os pontos de ebulição também foram investigados a 101.05 K. A purificação do produto foi feita por extração e destilação. empiricamente é possível demonstrar que essa equação pode ser utilizada com êxito na representação do coeficiente de atividade de misturas complexas (Reservatório digital. . Entretanto. MATERIAIS E MÉTODOS 3.1.Aparelho de destilação de Rose.ln γ 1= ln γ 2= A [ A x 1+ B (1−x ) 2 ] B [ 1+ B x A (1−x ) 2 ] Equação (s) (9) A derivação da equação de Van Laar sugere que ela deve ser utilizada para soluções relativamente simples. Comparou-se os produtos químicos pela análise dos índices de refração a 298. Ao mesmo tempo. .Picnômetro. .Formaldeído. 3. .Cromatógrafo a gás (Agilent GC6820).2. mediu-se a densidade de cada composto puro a 293. . UFSCAR).0001. 3.Refratômetro Abbe.15 K foram determinados com o uso de um refratômetro Abbe. .

e Gij – Parâmetros de energia de interação binária T – Temperatura absoluta Tb – Temperatura de ebulição p – Pressão ps – Pressão de saturação aij e bij – Parâmetros de interação binária τ ij – Parâmetro de dependência da temperatura do modelo NRTL x – Fração molar do líquido y – Fração molar do vapor nD – Índice de refração → Letras gregas: α – Parâmetro de não aleatoriedade para NRTL γ – Coeficiente de atividade ρ – Densidade ∆ . o equilíbrio entre as fases líquida e vapor foi assumido quando a temperatura se mantinha constante por aproximadamente 60 minutos ou mais. ambas as fases de líquido e vapor estavam em contínua circulação para assegurar que o equilíbrio poderia ser atingido. Em cada experimento. Os dados experimentais do equilíbrio líquido-vapor e da pressão de vapor saturado foram analisados por um aparelho de destilação modificado de Rose.j – Componentes k – Número de dados símbolos. Aji. B. G – Parâmetros da equação de Antoine estendida Aij. Figura 1: Estrutura molecular do 1-(metóximetóxi)-propano Figura 2: Lista A.Desvio padrão → Sub-índices: cal – Valor calculado exp – Valor experimental i. E.A pureza dos reagentes químicos e as composições de vapor ou líquida das amostras foram analisadas usando o Agilent CG6820 com a TCD. letras gregas e sub-índices utilizados. Durante o processo de equilíbrio. com . C. F.

Figura 3: Diagrama de ln ( γ1 ) em função γ2 Figura 4: Diagrama de ln ( γ1 ) por x1 para o γ2 de x1 para o sistema metanol (1) e 1- sistema 1-propanol (1) e 1-(metóximetóxi). (2).4. Vale ressaltar que as tabelas. RESULTADOS E DISCUSSÕES 4. . os parâmetros de algumas equações. e as constantes físicas utilizadas pelo artigo estão disponíveis em anexo no final do trabalho.propano (metóximetóxi) – propano (2).1 Resultados experimentais obtidos pelo artigo Neste item serão colocadas as figuras dos quais o autor do artigo obteve através de experimentos.

x . Estes valores podem ser comparados com os obtidos pela equação de Antoine estendida (equação 7): ln Pi= A+ B G + ElnT ( K ) + F T ( K) T ( K ) +C Os parâmetros para a equação estendida de Antoine estão disponíveis na tabela 5 (a tabela 5 encontra-se em anexo no final deste trabalho).50099 .12 303.y para o sistema metanol (1) e 1-(metóximetóxi)- sistema 1-propanol (1) e 1-(metóximetóxi)- propano (2) a 101. 4.77778− ln P1=9.91012 0 + 0 ×ln 303.33 kPa. T = 303.01 P1=8.12 K ln Pi=18.Figura 5: Diagrama T.33 kPa. propano (2) a 101.y para o Figura 6: Diagrama T .12+121.2.19 KPa 1773. O procedimento para obtenção do primeiro dado encontra-se nas alíneas abaixo.2 Tratamento de dados experimentais 4.1 Análise da tabela 2 Os dados de pressão de vapor saturado do 1-(metóximetóxi)-propano são mostrados na tabela 2 (em anexo).x .12+0 ×303.

também em anexo. Salienta-se a possibilidade de colocar os dados da tabela 2 (em anexo) associado aos dados da tabela 4. em anexo no trabalho. Figura 7: Gráfico da temperatura pela pressão obtida teoricamente pela fórmula de Antoine estendida. .Os demais resultados encontram-se na tabela 4.

A figura 9 evidencia que. embora. os dados obtidos teoricamente e experimentalmente sejam diferentes. quando plotados em um gráfico observa-se continuidade em ambos.Figura 8: Gráfico da temperatura pela pressão obtida experimentalmente É possível plotar um gráfico em que haja a sobreposição das figuras 7 e 8. Figura 9: Gráfico da sobreposição das figuras 1 e 2. a fim de verificar a proximidade de ambos. .

Propanol + 1.(metoximetoxi) – propano. portanto.x.4. mostrando.(metoximetoxi) – propano a 101. . coerência tanto nos dados apresentados pelo autor como na interpretação realizada sobre os mesmos.y diagrama para o sistema binário metanol + 1.33KPa. Este valor é aproximadamente igual ao apresentado pela figura 5.(metoximetoxi) – propano e 1.85. Na figura 10 é possível visualizar o azeótropo (mínimo). ou seja. sendo igual a aproximadamente x 1= y1= 0.1. o ponto onde a composição do líquido se iguala a composição do vapor. Com os mesmos foi possível construir gráficos. Figura 10: T.1 Análise da tabela 3 Os dados avaliados de ELV isobárico para os sistemas metanol + 1-(metóximetóxi)propano e 1-propanol + 1-(metóximetóxi)-propano estão dispostos na Tabela 4 (em anexo). através dos quais poderam ser obtidos os azeótropos para os sistemas binários: metanol + 1.

(metoximetoxi) – propano o azeótropo de mínimo tem composição de aproximadamente x1 = y1 = 0. mostrando.x. O artigo que permitiu a construção do respectivo trabalho ilustrou graficamente γ2 γ 1/ ¿ ln ⁡¿ por x1 para as duas misturas binárias apresentas (figuras 3 e 4). lnγ= Equação 9 Onde x representa a fração molar do líquido. coerência tanto nos dados apresentados pelo autor como na interpretação realizada sobre os mesmos.(metoximetoxi) – propano a 101.Figura 11: Diagrama T.35. A fim de comprovar a veracidade dos dados apresentados serão descritos nas alíneas abaixo o processo matemático para obtenção do coeficiente de atividade � utilizando a lei de Rault modificada associado a equação de Van Laar (equação 9) (correlação) seguido da construção dos gráficos constantes nas figuras 3 e 4. portanto.y para o sistema binário propanol + 1. A [ 1+ A x B (1−x ) 2 ] . Este valor é aproximadamente igual ao apresentado pela figura 6. Para o sistema binário composto por propanol + 1.33KPa.

nos anexos.A fim de encontrar os parâmetros A e B descritos na equação 9. nas tabelas 5. 6.22. 6 .98x^2 . 7 e 8 foi possível construir quatro gráficos que estão expostos nas figuras abaixo. foi necessário linearizar a equação de Van Laar concomitante a utilização do programa computacional Excel. Parâmetros corrigidos de Van Laar para metanol(1) 200 180 160 140 f(x) = 9. y= 1 2 ' A + X + 2 X '2 A B B Equação 10 Onde: y= ' 1 lng X= x (1−x) As tabelas 5 e 6 (em anexo) exibem todos os valores de y e X’ para as três substâncias utilizadas referente a cada sistema binário.61 R² = 0.9 120 100 80 60 40 20 0 0 1 2 3 4 5 Figura 12: Gráfico obtido com os dados da tabela 5 (em anexo).89x + 6. Com os dados expostos.

Parâmetros corrigidos de Van Laar propanol(1) 1200 f(x) = 0. 60 .94x + 2.7.99 120 100 80 60 40 20 0 0 2 4 6 8 10 12 14 Figura 13: Gráfico obtido com os dados da tabela 6.2.18x^2 + 13.93x .propano(2) 180 160 f(x) = 1.54 R² = 1 1000 800 600 400 200 0 0 10 20 30 40 50 Figura 14: Gráfico obtido com os dados da tabela 7.58 140 R² = 0.27x^2 .Parâmetros corrigidos de Van Laar 1 metoximetoxi .

0.99 80 60 40 20 0 0 5 10 15 20 25 30 35 40 Figura 15: Gráfico obtido com os dados da tabela 8. Os parâmetros encontrados em cada gráfico foram reunidos e exibidos na tabela 9.0.14355 0.00375 0.33 R² = 0. Gráfico 1 2 3 4 A 0.00915 B 0. Tabela 9: Parâmetros A e B da equação de Van Laar linearizada.12x^2 + 7.15x .55325 0.15120 0. O algoritmo utilizado na construção dos gráficos encontra-se como anexo no final do respectivo trabalho. utilizou-se o programa computacional Matlab a fim de construir gráficos semelhantes (em termos de ordenadas e abscissas) aos apresentados nas figuras 5 e 6.12343 0.Parâmetros corrigidos de Van Laar 1-metoximetoxi propano(2) 120 100 f(x) = . .38796 0.27970 Após a obtenção dos parâmetros da equação de Van Laar.

A composição do azeótropo é de aproximadamente x1 = y1 = 0. evidenciando uma boa correlação entra a equação 9 e os dados da tabela 4. A figura 16 exibe valores experimentais (azul) como também valores obtidos pela equação de Van Laar (vermelho).Figura 16: Gráfico comparativo da temperatura (K) pela variação de x1 e y1 para o sistema binário metanol + 1. o que não é observado na curvas inferiores. valor próximo ao apresentado em parágrafos anteriores. Observa-se nesta figura que as curvas superiores apresentam-se sobrepostas.(metóximetóxi) – propano. .86.

Figura 18: Diagrama de ln ( γ1 ¿ γ2 para o sistema binário propanol + 1. Utilizando a lei de Raoult modificada criou-se um algoritmo no matlab que permitiu a reconstrução dos gráficos exibidos nas figuras 3 e 4. As curvas apresentadas abaixo (figura 18 e 19) mostraram-se similares as curvas visualizadas nas figuras 3 e 4. .(metóximetóxi) – propano. A figura 17 apresenta desvios consideráveis entre as curvas em vermelho e azul. A possível causa para este problema pode está associada a falta de correlação entre a equação 9 e dados exibidos na tabela 3 (em anexo).Figura 17: Gráfico comparativo da temperatura (K) pela variação de x1 e y1 para o sistema binário propanol + 1. A solução para esta incoerência incide na adoção de novas equações de correlação com dados termodinâmicos empíricos.(metoximetoxi) – propano.

verificou-se a importância dos programas computacionais para construção dos gráficos e para os cálculos de pressão. obtiveram-se os parâmetros da equação de Van Laar e utilizou-se o programa computacional Matlab a fim de construir gráficos semelhantes. obtendo. em que as composições de líquido e vapor se igualam. resultados satisfatórios. Os diagramas de equilíbrio para os dois sistemas binários apresentaram um azeótropo (mínimo). . Para análise dos dados experimentais. obtendo resultados graficamente coerentes. 5. permitindo a utilização dos resultados obtidos para montagem e simulação de processos de separação. também. foi possível plotar gráficos de temperatura em função da pressão de vapor. temperatura e frações molares.(metóximetóxi) – γ2 propano. para as mesmas variáveis. Pela comparação entre os dados de pressão de experimentalmente do 1-(metóxi-metóxi)-propano com os vapor saturado obtidos dados calculados. CONCLUSÃO Por meio do presente trabalho.Figura 19: Diagrama de ln ( γ1 ¿ para o sistema binário metanol + 1. a partir da equação de Antoine.33 kPa utilizando um aparelho de destilação de Rose modificado foram satisfatórios. O estudo realizado no equilíbrio líquido-vapor para os dois sistemas binários de metanol (1) + 1-(metóximetóxi)-propano (2) e 1-propanol (1) + 1-(metóximetóxi)-propano (2) a 101.

Nos gráficos de temperatura pela variação das composições de líquido e vapor para os sistemas binários utilizando a correlação de Van Laar.org.pdf>. M.ufscar. Gustavo Dias.pt/~cfonseca/Quim_Geral/PDF/Solucoes. 2015.pdf>. H. e o algoritmo obtido através do Matlab. Acesso em: 30 de nov. Van Ness. Contribuição ao Estudo Termodinâmico das Soluções de Ácido Acetilsalicílico – 2007. . 6. 7 ed. Em geral. 2015.. 7. 2015. o artigo de estudo. J.ualg.bdtd. conclui-se que os resultados obtidos podem ser considerados coerentes e satisfatórios.br/eventos/cnmac/xxxiii_cnmac/pdf/266. ANEXOS Em anexo seguem as tabelas utilizadas. Acesso em: 30 nov. C. Disponivel em: <http://w3. e Abbott. que podem ser melhorados pela utilização de outro modelo para correlação dos dados.pdf>. Disponível em: <http://www. Rio de Janeiro: LTC – Livros Técnicos e Científicos Editora. M. Propriedades Físicas das Soluções. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS Smith. foram verificados alguns desvios. Introdução à Termodinâmica da Engenharia Química..br/htdocs/tedeSimplificado/tde_arquivos/10/TDE-2007-1123T16:07:10Z-1642/Publico/TeseGDM. Lima Cláudio T.sbmac. MAIA. 252-267 p. Estimação de Parâmetros em Modelos de Energia Livre de Gibbs em Excesso. 2007. Acesso em: 30 nov. Platt Gustavo M. Disponível em: <http://www. M.

791 0.7915 0.34 1 9 -- 1.3271 Tb Este 6 1 337.8036 7 370.70 1 – Propanol 370.7913 o 1. Componente Metanol Literatur �(g/cm3) Este Literatur nD Este Literatur artig a artig a artig a o 337.Tabela 1: Comparação de densidade (�) a 293.1 2 0.383 6 0.3833 1.Propano 366.15K.3 370.3837 -- 1.85 o 0.375 7 -- .15K e temperatura de ebulição de componentes puros com a literatura.326 1.3265 1.8 337.34 5 0. índice de refração (nD) a 298.8034 0.841 4 1.803 (MetoxiMeto xi) .

33 346. Experimento P (KPa) Tb (K) 1 8.33 366.96 5 36.32 8 59.4 335.Tabela 2: Pressão de vapor de saturação para o 1.29 Tabela 3: Dados experimentais do VLE para os sistemas binários metanol + 1(metóximetóxi) – propano e propanol + 1.15 3 18.9 363.18 4 26.48 12 94.11 319.65 354.22 10 79.33 349.9 361.(metóximetóxi) – propano Y1exp Texp (K) .41 311.4 11 87.12 2 12.67 327.17 303.82 6 44.26 7 53.9 358. Experimento X1exp metanol + 1.4 9 69.97 13 101.(metóximetóxi)-propano para diferentes temperaturas.6 341.12 14 112 369.(metóximetóxi) – propano.

4267 0.5981 343.77 14 0.1724 0.9968 0.9 5 0.1 0 0 366.8135 337 19 0.75 10 0.8168 0.24 6 0.7801 0.6534 0.03 15 0.7948 337.009 0.3611 354.9587 337.01 24 0.41 26 0.9123 0.1865 359.9308 337.6381 341.8558 0.121 362.34 8 0.12 2 0.8395 336.0168 0.65 3 0.59 13 0.91 20 0.669 340.9681 0.6941 339.0649 363.2686 357.85 Experimento X1exp Y1exp Texp (K) 1 0 0 366.91 23 0.9944 337.66 27 0.44 9 0.8309 336.0292 0.9522 337.83 28 1 1 337.3634 0.7438 338.5349 346.55 16 0.12 .2351 0.537 0.4505 350.7175 338.3013 0.21 25 0.4889 0.873 336.14 18 0.9866 0.5806 0.893 337.0754 0.7646 337.8531 336.15 4 0.8328 0.38 17 0.0468 0.1129 0.9 11 0.62 12 0.88 21 0.8863 0.07 7 0.6906 0.87 22 0.7785 337.9505 0.

9914 0.1726 363.86 13 0.3982 362.05 14 0.9659 0.68 19 0.4947 363.1021 0.3644 362.4648 363.0955 364.2096 363.9799 0.3038 362.27 3 0.2764 0.71 10 0.11 23 0.8812 0.3195 0.4128 0.47 22 0.59 4 0.6 6 0.9802 370.56 16 0.81 24 0.99 5 0.1302 0.16 20 0.73 12 0.6182 364.75 9 0.5587 0.9275 369.2216 0.6885 365.7 11 0.5235 363.8481 0.2599 363 8 0.9126 0.7302 0.939 0.1697 0.639 0.6889 0.5523 363.6007 0.0271 0.4333 362.66 21 0.6542 365.3353 362.8348 367.1424 363.48 25 0.35 .5869 364.3622 0.27 26 0.5155 0.9547 369.25 7 0.7887 367.12 28 1 1 370.29 15 0.7667 0.86 17 0.27 18 0.4679 0.71 27 0.0645 0.8774 368.802 0.7466 366.0424 365.2 0.

01 13 366.67 26.11 4 327.33 59. Temperatura .15 9 354.33 101.00 111.32 53.12 8.32 14 369.33 53.38 3 319.26 44.96 26.90 80.17 Experimento .17 8.93 10 358.Tabela 4: Pressão de vapor do 1 – (metóximetóxi) – propano teórico e experimental a diferentes temperaturas.61 7 346.40 79.48 87.65 69.50 8 349.34 6 341.29 112.40 36.82 36.12 101.52 5 335.06 12 363.19 2 311.18 18.15 12.41 12.40 59.60 44.00 11 361.11 18.97 94.22 69.T b Pressão (KPa) - Pressão (KPa) - (K) experimental teórico 1 303.90 88.90 95.

5475 73.5708 2.1141 4.202 -25.0983 30.1684 0.3074 1.9956 5.4911 0.5 .15 0.0895 0.3748 4.3128 0.2321 15.7443 3.5049 0.9809 -199.8852 10.0491 1.0022 1. Y X’ 1.9348 -53.7951 -34.0301 1.9977 0.26 73.706 5.0091 0.676 19.3844 7.(metoximetoxi) – propano a 101.4312 2.348 -24.4025 -26.649 0.7921 1.8023 28.0034 0.Tabela 5: Parâmetros para linearização (y e X’) do metanol para o sistema binário metanol + 1.33KPa.1273 1.6269 -23.646 3.7287 10.2339 2.0815 1.4585 173.8913 2.0171 0.6339 311.8855 7.2083 1.9561 0.8121 0.0129 0.

3675 161 12.448 1 0.8005 12 3.8574 17 4.2535 7 2.0521 1 0.5305 2 0.319 5 1.2243 1 0.3436 3 1.1685 1 0.(metoximetoxi) – propano para o sistema binário metanol + 1.0961 1 0.1283 1 0.2466 119 20.5238 80 33.0032 .111 130 58.5751 -- Tabela 6: Parâmetros para linearização ( y e X’) do 1.(metoximetoxi) – propano a 101.2008 1 0.2626 47 7.3569 1 0.7518 4 1.2819 1 0.7224 2 0. Y X’ 11884 -- 63 110.0044 2 0.033 1 0.33KPa.0136 1 0.-24.

(metóximetóxi) – propano a 101.5039 56 8.7943 39 6.1372 .8928 23 3.4225 6 1.6805 27 4.33KPa.9004 83 14.1299 10 1. Y X’ 11884 -- 105 35.7609 8 1.5126 16 2.6179 13 2.-- 0 Tabela 7: Parâmetros para linearização ( y e X’) do 1.(metóximetóxi) – propano para o sistema binário propanol+ 1.

382 3.8 0.7 0.4516 3 0.0689 1.9 0.5679 .7899 4 0.3043 2 0.0279 1.6 0.2847 2.33KPa y X’ 1.5 0.5649 3 0.1137 2 0.1348 2 0.9399 5 0.2044 2.5 0.0087 -- 0 Tabela 8: Parâmetros para linearização ( y e X’) do propanol para o sistema binário propanol+ 1.8 0.0958 2 0.4695 3.1791 2 0.3 0.2 0.3695 2 0.(metóximetóxi) – propano a 101.6647 4 0.0205 1 0.0353 1 0.2469 2 0.5 0 1.065 2 0.1497 2.

2863 40.5 0 .8793 6.4.5833 88.7701 17.7512 279.8 1.2144 22.4 5.266 9.9 15.8 115.4 4.2 7.703 5.3934 565.4 1.9 2.5044 12.4416 250.0505 60.5 0.6 0.7064 32 3.064 7.4175 145.3255 1094.4 2.8 1.2 1.2791 1.5 10.4 48.9 28.