You are on page 1of 14

Guia do síndico

Boas práticas da gestão de sucesso

contribuições e taxas 12 União Social Administração de Condomínios 14 2 .Guia do síndico – Boas práticas da gestão de sucesso Índice Introdução 3 Sobre a atuação do Conselho Fiscal 4 Sobre os pagamentos 5 Orientações ao síndico 6 Sobre impostos e retenções na fonte 7 Sobre os documentos para a contabilidade 9 Seguro obrigatório 11 Extintores de incêndio 11 Sindicatos – impostos.

br. Errar menos e acertar mais é boa marca. Se você for síndico experiente. Como nunca sabemos de tudo. resumidamente. Aproveite o material e se desejar. 3 . faça sugestões ou críticas através do email: ebook@us. este guia será essencial para evitar erros comuns nas ações da sindicatura. mas para isto precisa contar com assessoria profissional. práticas que o síndico deve realizar para alcançar sucesso em sua gestão.Guia do síndico – Boas práticas da gestão de sucesso Introdução Este guia tem o propósito de elencar. ainda se pode encontrar algumas novidades a aprender. Esta é a visão administrativa com pitadas jurídicas e contábeis. terá neste material um bom resumo que poderá ser consultado a todo momento.com. Se você for síndico em primeira gestão.

e é péssima notícia. . ao invés de individualmente.Guia do síndico – Boas práticas da gestão de sucesso Sobre a atuação do Conselho Fiscal O Conselho é o preposto da comunidade para fiscalizar os atos do síndico. O relatório de análise não é necessário divulgar. O Parecer do Conselho deve ser divulgado. Estes documentos devem ser redigidos formalmente. possui função previamente declarada na Convenção e consequentemente assume responsabilidades. Como preposto. Quando a comunidade não percebe a atuação do Conselho. começam a solicitar fiscalização pessoal. indicar as situações encontradas que merecem esclarecimento. e todos devem colaborar para isto. os condôminos. Não há necessidade de um condômino individual fiscalizar. Deve indicar a aprovação ou desaprovação das contas mensais. Devem ser produzidos em conjunto pelos membros do Conselho. ou no caso de aprovação parcial. ele deve ser compelido a realizar suas funções para beneficiar a todos. ele atua em nome de todos. A divulgação do Parecer permite que a comunidade compreenda a importância deste trabalho e que ele vem sendo realizado. Isto significa que o Conselho não funciona . 4 O produto do trabalho do Conselho Fiscal é o Parecer do Conselho Fiscal e o Relatório de análise dos balancetes. A omissão do Conselho provoca situações extremas e negativas. individualmente. Nas omissões do Conselho. A existência de um Conselho atuante é essencial para a tranquilidade da comunidade.

Guia do síndico – Boas práticas da gestão de sucesso Sobre os pagamentos Ao efetuar pagamentos: 1. 4. 7. com data. 2. descrição da despesa / receita e valor. 3. Sobre todas as atividades econômicas incidem impostos. faça com cheque ou através do Internet Banking para ficar documentado pelo banco. Na necessidade de movimentar dinheiro. Em algumas ocasiões. Preferencialmente. evitando multas e encargos. faça um movimento de caixa documentado. ou recibo (na ausência do outro). Solicite a nota fiscal (preferencialmente). Ao pagar salário. mesmo sem nota fiscal. há impostos na fonte a reter do prestador de serviços ou fornecedor (veja “Sobre retenções de impostos / contribuições na fonte”) 5 . 6. solicite ao funcionário para assinar e datar o documento (o limite para pagar salário é o 5º dia útil do mês – Pagamento em atraso fica sujeito a multa em dobro) 5. Pague as contas em dia.

devolva para os ajustes necessários. e o Condomínio perde uma grande oportunidade de integração e aprendizado. verifique o material entregue. Documente os atos de pagamento e recebimento. Informe se o pagamento é feito com recursos ordinários ou extraordinários. É mais rápido apresentar.Guia do síndico – Boas práticas da gestão de sucesso Orientações ao Síndico Estude a convenção e o regimento interno. Só convoque o Conselho para análise quando o balancete estiver ajustado. siga a lei. Mensalmente. Havendo imperfeições. 6 Ao receber o balancete da contabilidade. Estes documentos estabelecem regras que devem ser rigorosamente cumpridas. do que separadamente. reúna o Conselho e apresente o balancete mensal. Separadamente. fiscalizar e produzir o parecer em reunião. Anote o número do cheque emitido na nota fiscal ou recibo correspondente. Não deixe para documentar depois. Contribua para que o Conselho realize seu trabalho de fiscalização. elucidando no ato todas as dúvidas apresentadas. os membros não funcionam em Conselho. Mantenha a organização dos documentos contábeis e das atividades diárias. . analisar. Não quebre regras. isto induz esquecimentos. A sindicatura será coberta de êxito na medida da organização estabelecida.

Atenção para: 1. Nome: indicar o nome do condomínio c. razão mais que suficiente para que o próprio prestador do serviço entregue a nota fiscal acompanhada do DARF e GPS das retenções. As contribuições (PIS. Identificador: CNPJ do prestador de serviço d. As alíquotas variam conforme a atividade da empresa fornecedora do serviço ou produto. O imposto de renda deve ser retido sempre. Solicite a GPS da retenção do INSS: a. Código: 2631 (Contribuição Retida na NF) c. vencimento 7 . CSLL) devem ser retidas de notas com valor maior que R$ 5. 1708 (IRRF) b. CNPJ do contribuinte: deve constar o CNPJ do Condomínio d. Atenção para os seguintes campos: a. Competência e vencimento 2.00 (cinco mil reais). INSS sobre notas de cessão de mão-de-obra ou empreitada. Nome: indicar o nome do prestador de serviço b. Solicite o DARF das retenções de impostos e contribuições na fonte ao prestador de serviço ou fornecedor. Confis.000.65%). Código da Receita: 5952 (CSLL/COFINS/PIS – 4.Guia do síndico – Boas práticas da gestão de sucesso Sobre retenções de impostos e contribuições na fonte É preciso reter impostos e contribuições sobre notas fiscais.

Exceção à regra: Empresas cadastradas no SIMPLES e empresas que prestam o serviço diretamente pelo proprietário também são isentas não possuem retenção na fonte. Para tanto. na forma do Anexo I da Instrução Normativa SRF nº 459/2004. No entanto. em duas vias. 8 . elas deve assinar um termo declarando a sua isenção. a pessoa jurídica optante pelo Simples deverá apresentar à pessoa jurídica tomadora dos serviços declaração. assinadas pelo seu representante legal.Guia do síndico – Boas práticas da gestão de sucesso 3.

independente da data do fato. faça um movimento de caixa). classificar e contabilizar adequadamente os fatos. anote o número do cheque utilizado para efetuar o pagamento. O contador somente terá contato com os fatos no mínimo 30 dias após o acontecimento. Contabilidade é história dos fatos patrimoniais ocorridos. pois não é possível efetuar contabilidade sem precisão. a contabilidade comercial é baseada no regime de competência. quando for o caso. 9 . Ao utilizar recursos da taxa extra para efetuar pagamentos. recibos e outros que comprovam os créditos e débitos.Guia do síndico – Boas práticas da gestão de sucesso Sobre os documentos para a contabilidade A contabilidade realizada para condomínios é baseada no regime de caixa (implica dizer que ela é registrada nas datas em que acontecem os fatos. 2. indique a origem do recurso. Os itens abaixo são da competência estrita do síndico ou tesoureiro. 1. Acrescente informações sobre as receitas/despesas realizadas e que permitirão identificar. independente do mês de competência do crédito ou débito). por isto é imprescindível o registro escrito dos fatos e a organização dos documentos. ao pagar em dinheiro. 2. Exemplo: 1. o contador não compreenderá adequadamente os acontecimentos. nas notas fiscais e recibos. Organize os documentos que comprovam os fatos: notas fiscais. e não há e não pode haver advinhações. Apenas para registro. Sem documentos e explicações escritas. sendo da maior relevância o mês de competência dos créditos e débitos. A contabilização dos fatos patrimoniais exige alguns pré-requisitos para ser produzida. 3.

prolongando a entrega do balancete. e não termina enquanto não elucida todos os fatos. O trabalho de contabilidade não tem início enquanto não há extrato. Entregue a documentação completa ao contador. nem auditor (função exclusiva do Conselho Fiscal) . 10 . o balancete é essencial e indispensável. Saiba distinguir que a função do contador é registrar fatos patrimoniais já ocorridos no passado. 4. Em caso de prestação de contas. A ausência de documentos/informações atrapalha o bom andamento do trabalho. Tenha em mente que o balancete é documento técnico que deve ser produzido sem açodamento para ser produzido correto.Guia do síndico – Boas práticas da gestão de sucesso 3. O extrato bancário é imprescindível para realizar a conciliação bancária e o Balancete. Contador não é gestor financeiro (função exclusiva do síndico ou tesoureiro). 5. Nunca entregue a documentação sem o extrato. Não deixe faltar documentos.

11 . Ao negociar a apólice. sem manutenção o extintor pode fazer falta. verifique o valor venal do imóvel declarado no carnê do IPTU. No momento necessário.Guia do síndico – Boas práticas da gestão de sucesso Seguro Obrigatório Atenção para a renovação anual do Seguro Obrigatório do Condomínio. A não renovação gera responsabilidade civil para o síndico. Extintores de incêndio Atenção para a recarga dos extintores.

Contribuições e taxas Existem dois sindicatos a considerar: O laboral (do empregado) e o patronal (do condomínio). e deve ser pago em guia própria no mês subseqüente. O sindicato laboral é o SEICON (Sindicato dos Trabalhadores em Condomínios Residenciais. Verticais e Horizontais de Habitações em áreas isoladas. venda. Edifícios. trabalhadores em prefeitura de setores. e pago em guia própria até o final de abril. É descontado sobre o salário dos funcionários. condomínios de Shopping Center. O Sindicato patronal é o SINDCONDOMÍNIO (Sindicato dos condomínios residenciais e comerciais do DF). locação e administração de Imóveis residenciais e comerciais. Ascensorista de condomínios. Taxa Assistencial: É descontado sobre a remuneração do funcionário. Rurais. em março de cada ano. 12 Imposto Sindical: obrigatório. quadras do DF). Comerciais. trabalhadores em empresa de compra. em maio e novembro de cada ano . Mistos. .Guia do síndico – Boas práticas da gestão de sucesso Sindicatos – Impostos. Contribuição Sindical: Destina-se ao custeio das atividades essenciais do sindicato. o condomínio pode ser isento. Dependendo do cumprimento de exigências da Portaria 1012/03 do Ministério do Trabalho e Emprego.

Ellen Gracie. no julgamento do (RE 224. esse artigo não foi recepcionado pela CF/88. principalmente no curso de negociações coletivas (Art. Rel. 513. julgamento em 8-6-04. 13 Contribuição Publicitária: Não é obrigatória.885AgR. . Contribuição Associativa: visa custear as atividades assistenciais dos sindicatos. alínea ‘e’ da CLT). 8º. só é exigível dos filiados ao sindicato respectivo.Guia do síndico – Boas práticas da gestão de sucesso Contribuição Confederativa: destina-se ao custeio do sistema confederativo de representação sindical de empregadores e empregados A contribuição confederativa de que trata o art. Trata-se de contribuição para propaganda realizado pelo Sindicato. da Constituição. Pelo que se abstrai do entendimento do STF. Min. IV. DJ de 6-8-04).

boletos. Jurídicos (ações. atendimento) 2. Assessoria ao síndico e conselheiros Visite nosso site em http://us. cobrança) 3.com.União Social Administração de Condomínios SCLN 113 Bloco D Subloja 28 Brasília /DF 70763-540 (61) 3201-5060 Prestamos serviços a mais de duas décadas nas seguintes áreas: 1.br/uniaosocial/servicos/ e veja uma descrição detalhada dos nossos serviços . Contábeis e Folha de Pagamento 4. Administrativos (cadastro.