Geografia dos Continentes

Aula III– Dinâmica das Paisagens: Proterozoico
Larissa Rafael
CG626

PRÉ-CAMBRIANO
Formação do supercontinente Rodínia, Glaciação
Global, início da fragmentação do supercontinente ,
desenvolvimento da fauna Ediacarana (Eucariota)

Resfriamento de rochas superficiais, condensação do
vapor de água, formação de mares e oceano;
deposição do dióxido de carbono no fundo dos
mares como calcário; geodínamo ativo formando
ilhas; acreção das ilhas; querogênio (organismos
procariontes - cianobactérias), estromatólitos,
assimilação de dióxido de carbono e liberação de
oxigênio
Início da formação da Terra; oceano de rochas em
ebulição e enxofre líquido; atmosfera quente, densa e
carregada de poeira e cinza; colisão com asteroide,
consolidação da Terra e formação da Lua

PRÉ-CAMBRIANO
Primeiros 4 bi de anos
Rochas Idades Era

Observação

Grupo 1 3,6 –
3,8 bi

Arqueano

Rochas mais
antigas, início dos
continentes

Grupo 2 2,6 –
2,9 bi

Arqueano

Final da era

Grupo 3 1,7 –
1,9 bi

Proterozoico

Final do Paleop.

Grupo 4 0,9 –
1,1 bi

Proterozoico

Inicio do Neoprot.

Grupo 5 0,6 bi

Proterozoico

Final da era, Início
da formação da
Pangeia

Ciclo de crescimento dos continentes; ação tectônica
intensa e períodos de inatividade

PROTEROZOICO

2,5 bi – 541 milhões anos

Idade do Ferro

Grande quantidade de depósitos decorrente da forte atividade
magmática desenvolvida nos megacilos orogênicos;
Sua disseminação no ambiente deve-se a oxidação do Ferro em
função do aumento de oxigênio na atmosfera (Formação
Ferrífera Bandada)

Calcula-se que somente após o aparecimento de
elementos oxidantes é que houve uma acumulação do O
na atmosfera;

2

PROTEROZOICO

Os fósseis do Proterozóico estão localizados
principalmente em cherts (sílica) e calcário (por ex.: em
MG);

Expansão das bactérias e cianobactérias, além de fungos e
clorofíceas (algas verdes) no Proterozoico tardio –
proporcionando o aparecimento dos eucariontes

PROTEROZOICO

PROTEROZOICO

Microorganismos do Proterozoico

Ao final do Éon há o desenvolvimento de organismos
eucariontes (clorofíceas)
A ocorrência mais antiga de animais multicelulares
corresponde à fauna Ediacarana

marcas deixadas em arenitos; invertebrados semelhantes aos
modernos anelídeos e celenterados

Flinders Ranges, Sul da Austrália

PROTEROZOICO

Microorganismos do Proterozoico

Corumbella werneri – Corumbá (MS)

PROTEROZOICO

Microorganismos
Proterozoico

do

PROTEROZOICO

Os primeiros continentes

Há 2bi existiam três microcontinentes: Ártica, Atlântica e Ur,
contendo partes do que seria a futura América do Sul contida
no continente Atlântica (modelo)

PROTEROZOICO

PROTEROZOICO

Os primeiros continentes

Rifteamentos e orogênese

Formação de um supercontinente: Rodínia (+/- 1,1bi inicia a formação)

PROTEROZOICO

Rodínia

A América do Sul teria sua composição verificada no bloco
Amazônico, Rio da Prata e São Francisco

PROTEROZOICO

Rodínia

A América do Sul teria sua
composição verificada no
bloco Amazônico, Rio da
Prata e São Francisco

PROTEROZOICO

Rodínia

As informações obtidas conduziram, a interpretação de que, durante
o Neoproterozóico, as massas continentais estiveram reunidas por
duas vezes: no início e outra ao final da Era, próximo da transição
com o Fanerozoico

A fragmentação desse supercontinentes dará origem à Pangeia

Neoproterozoico forma cadeias de montanhas no Brasil (Escudo
Atlântico)

PROTEROZOICO

PROTEROZOICO

REFERÊNCIAS

SALGADO-LABOURIAU, M. L. História ecológica da Terra. São Paulo: Editora
Edgard Blücher LTDA, 1994. 307 pg.