PÓS-GRADUAÇÃO DE DIREITO DO TRABALHO E PROCESSO DO TRABALHO

MÓDULO: NOVAS FRONTEIRAS DO PROCESSO DO TRABALHO
Professor: João Sabino
1.

Material pré-aula

a.

Tema
Organização do Ministério Público do Trabalho. Atuação Judicial e
Extrajudicial do Parquet Laboral. Ação Civil Pública Trabalhista. Ações
Civis

Coletivas.

Ação

Anulatória.

Tutela

dos

Interesses

Transindividuais, Metaindividuais ou Supraindividuais Trabalhistas
(Difusos, Coletivos e Individuais Homogêneos).
b.

Noções Gerais
b.1. Organização do Ministério Público do Trabalho:
A palavra “ministério” provém do latim ministerium, no sentido amplo
de ofício, cargo ou função que se exerce. Nesta acepção, equivale a
mister ou mester. Os latinos distinguiam manus, que era o exercício
do cargo público, do qual surgiram as expressões ministrar, ministro,
administrar, de ministerium, utilizadas no sentido de exercício de
trabalho manual1.
LEITE (2016) explica que, no início, a figura do Ministério Público
relacionava-se à dos agentes do rei (les gens du roi), isto é, a “mão do
rei” e, atualmente, para manter a metáfora, a “mão da lei”. A
expressão parquet, bastante utilizada com referência ao Ministério
Público, advém da tradição francesa, assim como “magistratura de pé”
e les gens du roi.
O douto Carlos Henrique Bezerra 2 Leite aduz que, com efeito, os
procuradores do rei, antes de adquirirem a condição de magistrados e
terem assento ao lado dos juízes, ficavam, inicialmente, sobre o

LEITE, Carlos Henrique Bezerra. Curso de Direito Processual do Trabalho. 14ªed. São Paulo:
Saraiva, 2016, p. 191.
2 Idem.
1

A Câmara de Coordenação e Revisão do Ministério Público do Trabalho. e das Procuradorias Regionais do Trabalho em cada unidade da Federação. p. 2016. 2 . 3 SCHIAVI. lado a lado com a “magistratura sentada”. na França. 4 .Os Subprocuradores. facultativo e secreto. que revogou tacitamente os artigos 736 a 757 da CLT. foi no Egito. constituem-se como órgãos do MPT: 1 . pelo Colégio de Procuradores para mandato de 2 anos permitida uma recondução. localizada em Brasília. 8 – Os Procuradores do Trabalho. com mais de 35 (trinta e cinco) anos de idade e 5 (cinco) anos na carreira.O Procurador-Geral do Trabalho.Os Procuradores Regionais do Trabalho. São Paulo: LTr. 5 . 3 . Mauro. O Procurador-Geral do trabalho: É o chefe do MPT e nomeado pelo Procurador-Geral da República.Gerais do Trabalho. Para alguns. 10ª ed. O MPT é regido pela CF e pela lei complementar n° 75/93 (Lei Orgânica do Ministério Público da União). O artigo 128 da Constituição Federal estabelece que o Ministério Público do Trabalho integra o Ministério Público da União. O MPT é organizado por meio da Procuradoria-Geral do Trabalho.O Conselho Superior do Ministério Público do Trabalho. para outros. integrante da lista tríplice escolhida mediante voto plurinominal. e não sobre o estrado. 7 . Mauro Schiavi 3 explica que não há uniformidade na doutrina sobre quando surgiu o Ministério Público.A Corregedoria do Ministério Público do Trabalho. 200.O Colégio de Procuradores do Trabalho. Manual de Direito Processual do Trabalho. dos direitos indisponíveis e do Estado Democrático de Direito. dentre integrantes da instituição. mas o certo é que ao longo dos anos a instituição foi crescendo e adquirindo importância vital na defesa da ordem jurídica.assoalho (parquet) da sala de audiências. . 6 . Conforme o artigo 86 da LC n° 75/93.

Partem dele as orientações normativas que pautam as ações do MPT e cabe ao Conselho avaliar a atuação dos Membros e tomar providências. será elaborado pelo Conselho Superior e composta por três membros do Ministério Público do Trabalho. Compete à Câmara de Coordenação e Revisão do Ministério Público do Trabalho: . É o Colégio quem elabora a lista tríplice para a escolha do Procurador-Geral.O Colégio de Procuradores do MPT: É presidido pelo Procurador-Geral do Trabalho e é integrado por todos os membros da carreira em atividade no MPT. para um mandato de dois anos. Será organizada por ato normativo. todos Subprocuradores-Gerais. de integração e de revisão do exercício funcional na Instituição. e o Regimento Interno. O Conselho Superior do MPT: É o órgão máximo de deliberação do MPT. sendo um indicado pelo Procurador-Geral do Trabalho e dois pelo Conselho Superior do Ministério Público do Trabalho. dentre integrantes do último grau da carreira. É constituído por 10 Membros. O Corregedor-geral do MPT participa das sessões sem direito de voto. Dentre os integrantes da Câmara de Coordenação e Revisão. A Câmara de Coordenação e Revisão do MPT: É um órgão de coordenação. um deles será designado pelo Procurador-Geral para a função executiva de Coordenador. que disporá sobre seu funcionamento. a lista sêxtupla para a composição do TST e TRT e elege os membros do Conselho Superior do MPT. sob a presidência do Procurador-Geral do Trabalho. quando necessário. juntamente com seus suplentes. sempre que possível.

na ordem em que os designar o Procurador-Geral. A Corregedoria do Ministério Público do Trabalho: É o órgão fiscalizador das atividades funcionais e da conduta dos membros do Ministério Público e é dirigida pelo Corregedor-Geral. integrantes de lista tríplice elaborada pelo Conselho Superior. II . Não poderão integrar a lista tríplice os membros do Conselho Superior e serão suplentes do Corregedor-Geral os demais integrantes da lista tríplice. que por sua contínua reiteração. por iniciativa do ProcuradorGeral. acompanhar o estágio probatório dos membros do Ministério Público . III - encaminhar informações técnico-jurídicas aos órgãos institucionais do Ministério Público do Trabalho. A competência fixada nos incisos IV e V será exercida segundo critérios objetivos previamente estabelecidos pelo Conselho Superior. O Corregedor-Geral será nomeado pelo Procurador-Geral do Trabalho dentre os Subprocuradores-Gerais do Trabalho. Ao Corregedor-Geral do Ministério Público. sem direito a voto. assim o exigir. VI . das reuniões do Conselho Superior.promover a integração e a coordenação dos órgãos institucionais do Ministério Público do Trabalho. incumbe. V . IV .resolver sobre a distribuição especial de feitos. devam receber tratamento uniforme. por sua natureza ou relevância. pelo voto de dois terços dos membros do Conselho Superior.resolver sobre a distribuição especial de feitos e procedimentos.manter intercâmbio com órgãos ou entidades que atuem em áreas afins. realizar. correições e sindicâncias. instaurar inquérito contra integrante da carreira e propor ao Conselho Superior a instauração do processo administrativo consequente. antes do término do mandato.decidir os conflitos de atribuição entre os órgãos do Ministério Público do Trabalho. para mandato de dois anos. O Corregedor-Geral poderá ser destituído. quando a matéria. participar. renovável uma vez. apresentando os respectivos relatórios.I . de ofício ou por determinação do Procurador-Geral ou do Conselho Superior. observado o princípio da independência funcional.

privativamente. interesses de menores e incapazes.do Trabalho. Os Procuradores Regionais do Trabalho: Serão designados para oficiar junto aos Tribunais Regionais do Trabalho. Cabe aos Subprocuradores-Gerais do Trabalho. o exercício das funções de: I . . A designação de Subprocurador-Geral do Trabalho para oficiar em órgãos jurisdicionais diferentes do previsto para a categoria dependerá de autorização do Conselho Superior. nos litígios trabalhistas que envolvam. Os Procuradores do Trabalho: Serão designados para funcionar junto aos Tribunais Regionais do Trabalho e. poderá ser convocado pelo Procurador-Geral. especialmente. Os Subprocuradores-Gerais do Trabalho serão lotados nos ofícios na Procuradoria-Geral do Trabalho. mediante aprovação do Conselho Superior. propor ao Conselho Superior a exoneração de membro do Ministério Público do Trabalho que não cumprir as condições do estágio probatório. Os Subprocuradores-Gerais do Trabalho: Serão designados para oficiar junto ao Tribunal Superior do Trabalho e nos ofícios na Câmara de Coordenação e Revisão.Corregedor-Geral do Ministério Público do Trabalho.Coordenador da Câmara de Coordenação e Revisão do Ministério Público do Trabalho. Procurador Regional do Trabalho para substituição. II . Os Procuradores Regionais do Trabalho serão lotados nos ofícios nas Procuradorias Regionais do Trabalho nos Estados e no Distrito Federal. na forma das leis processuais. Em caso de vaga ou de afastamento de Subprocurador-Geral do Trabalho por prazo superior a trinta dias.

b. Leone.2. 83 da LC 75/93.propor as ações necessárias à defesa dos direitos e interesses dos menores. e . à luz do que dispõe o art. como naqueles em que oficiar como fiscal da lei. tendo as seguintes atribuições: a . c . quando desrespeitados os direitos sociais constitucionalmente garantidos.propor as ações cabíveis para declaração de nulidade de cláusula de contrato. 4 PEREIRA.promover a ação civil pública no âmbito da Justiça do Trabalho. decorrentes das relações de trabalho. d . para defesa de interesses coletivos. g .A designação de Procurador do Trabalho para oficiar em órgãos jurisdicionais diferentes dos previstos para a categoria dependerá de autorização do Conselho Superior. São Paulo: Saraiva. Manual de Processo do Trabalho. a atuação judicial do MPT deve ser estudada sob dois planos: 1º . Meios de Atuação: Atuação Judicial: O Ilustre Professor Leone Pereira 4 ensina que.promover as ações que lhe sejam atribuídas pela Constituição Federal e pelas leis trabalhistas. 2014 . quando a competência for da Justiça do Trabalho. incapazes e índios.recorrer das decisões da Justiça do Trabalho. 3ª ed.Como parte ou agente. tanto nos processos em que for parte. b . bem como pedir revisão dos Enunciados da Súmula de Jurisprudência do Tribunal Superior do Trabalho. Os Procuradores do Trabalho serão lotados nos ofícios nas Procuradorias Regionais do Trabalho nos Estados e no Distrito Federal. f .promover Mandado de Injunção. acordo coletivo ou convenção coletiva que viole as liberdades individuais ou coletivas ou os direitos individuais indisponíveis dos trabalhadores. quando a defesa da ordem jurídica ou o interesse público assim o exigir. quando entender necessário.instaurar instância em caso de greve.

83. a ação rescisória (NCPC. VIII e X da LC n. Carlos Henrique Bezerra.Como Fiscal da Lei (custos legis) ou interveniente: Justifica-se essa atuação para o cumprimento do ordenamento jurídico vigente e do interesse público. Curso de Direito Processual do Trabalho. representa o grande exemplo de atuação judicial do Ministério Público do Trabalho.Leite5 aduz que. coletivos e individuais homogêneos) Outros exemplos de atuação judicial do MPT na qualidade de órgão agente: . mas. bem como requerrimentos e recursos. é mais comum a atuação do MPT como autor da ação (órgão agente) tal como ocorre nas hipóteses previstas no art. . o MPT age. IV.Representação de menores em juízo (art. 75/93. Ilustram essa mencionado atuação e emissão de pareceres nos autos. fiscal da ordem jurídica. art. 2º . 75/93. ou seja. . podemos dizer que o LEITE. 793 da CLT). 6 Idem. III. 83 da LC n. como órgão interveniente. 14ªed. não como parte. Debruçando-nos sobre o art.Ação Anulatória de cláusula convencional. . O art. 202. o acordo coletivo ou convenção coletiva.Mandado de Segurança etc. 967. incisos I. como parte.Dissídio Coletivo de greve. III) e o dissídio coletivo nos casos de greve em atividades essenciais ou que atentam contra o interesse público6.Ação Rescisória. 2016. 5 . A Ação Civil Pública. . p. Na condição de custos juris. pode ser conceituada como a ação constitucionalmente prevista para a tutela dos interesses Transindividuais ou Metaindividuais de terceira dimensão (difusos. 177 do NCPC dispõe que o “Ministério Público exercerá o direito de ação em conformidade com suas atribuições constitucionais”. a ação anulatória de cláusulas de contrato individual. sim. V. é óbvio. São Paulo: Saraiva. Dentre as principais ações utilizadas pelo MPT. destacamos a ação civil pública.

2 .integrar os órgãos colegiados previstos no § 1º do art. IX. 3 . 8 SCHIAVI. 4 .Termo de Ajuste de Conduta. nas causas em que o órgão tenha intervido ou emitido parecer escrito.exercer outras atribuições que lhe forem conferidas por lei. 6º.instaurar inquérito civil e outros procedimentos administrativos. Carlos Henrique Bezerra. coletivos ou individuais homogêneos e. 14ªed. XII e XIII7.ser cientificado pessoalmente das decisões proferidas pela Justiça do Trabalho. . Manual de Direito Processual do Trabalho. A atuação extrajudicial do MPT é representada por dois importantes instrumentos: . São Paulo: Saraiva. VI (quando não for parte). p. 10ª ed. p. verificada a existência de tais lesões. 2016. Mauro. 5 . para assegurar a observância dos direitos sociais dos trabalhadores. a instauração de procedimentos administrativos. podendo acompanhá-los e produzir provas. Curso de Direito Processual do Trabalho. VII. O inquérito civil público consiste num procedimento extrajudicial de natureza inquisitória. que lhes sejam pertinentes. desde que compatíveis com sua finalidade. em que o Ministério Público do Trabalho busca provas e dados para propor eventual ação civil pública ou tentar firmar um termo de ajuste de conduta. 203. 2016. empolgar a promoção de Ação Civil Pública em defesa desses LEITE.Inquérito Judicial. dos órgãos de proteção ao trabalho. 209.requisitar à autoridade administrativa federal competente.MPT atua como custos juris nas hipóteses dos incisos II. 84 da LC 75/93. São Paulo: LTr. sempre que cabíveis. de forma exemplificativa: 1 .8 O objetivo do Inquérito Civil reside na colheita de elementos que poderão formar o convencimento do órgão ministerial acerca de eventuais lesões perpetradas a interesses difusos. 7 . Atuação Extrajudicial: As hipóteses de atuação extrajudicial estão previstas no art.

normalmente uma empresa. pactuam um prazo e condições para que a conduta do ofensor seja adequada ao que dispõe a lei. Carlos Henrique Bezerra. pois o MP não pode dispor do interesse público. p. destinada à tutela dos interesses transindividuais . 81. Mauro. 14ªed. Curso de Direito Processual do Trabalho. 12 SCHIAVI. Se o órgão ministerial se convencer da inexistência de fundamento para a propositura da ação civil. mas.3. 12 Conforme já mencionado. LEITE. p. 11 Idem. 9 . há algumas concessões por parte do órgão ministerial. fundamentadamente. Schiavi10 aduz que o Termo de Ajustamento de Conduta consiste num instrumento por meio do qual o Ministério Público do Trabalho e a pessoa. 8. Pode ser conceituada como a ação constitucionalmente prevista para a tutela dos interesses Transindividuais ou Metaindividuais de terceira dimensão (difusos. 210. b. da Lei n. 10ª ed. inegavelmente. São Paulo: LTr. o arquivamento dos autos do inquérito civil ou das peças informativas (LACP. que está descumprindo direitos metaindividuais de natureza trabalhista (difusos. O Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) deve vir acompanhada de multa pecuniária pelo descumprimento (“astreintes”) e tem a qualidade de título executivo extrajudicial (art. Mauro. São Paulo: LTr. 876 da CLT). 2016. O jurista11 explica ainda que não se trata de transação. Manual de Direito Processual do Trabalho. 207. a Ação Civil Pública. 2016.078/90). Manual de Direito Processual do Trabalho. as regras previstas nos §§ 1º e 4º do mesmo artigo9. art. observando-se. a fim de que a conduta do agente que está descumprindo o ordenamento jurídico possa passar a cumprilo com maior facilidade. 1397. Ação Civil Pública Trabalhista: A Ação Civil Pública consiste numa ação prevista em lei especial. promoverá.interesses. caput). São Paulo: Saraiva. a partir daí. representa o grande exemplo de atuação judicial do Ministério Público do Trabalho. 10ª ed. 2016. coletivos e individuais homogêneos — art. coletivos e individuais homogêneos). 10 SCHIAVI. 9º. p. de natureza condenatória. como a concessão de prazo ou o perdão de eventuais multas.

1397. não fazer e pecuniárias ao causador do dano. é destinada à tutela dos direitos individuais homogêneos. ao consumidor e aos bens e direitos de valor artístico. 2016. Mauro. não difere ontologicamente da Ação Civil Pública. São Paulo: LTr. mas também para “a proteção do patrimônio público e social” e “de outros interesses difusos e coletivos” (CF. 1416. turístico e paisagístico. Manual de Direito Processual do Trabalho. III). 129. Não obstante. 14ªed. segundo Mauro Schiavi.347/85: “A ação civil poderá ter por objeto a condenação em dinheiro ou o cumprimento de obrigação de fazer ou não fazer. em 5 de outubro de 1988. p. a ação civil pública foi guindada à categoria de garantia fundamental. São Paulo: Saraiva. 10ª ed. 15 SCHIAVI.Com a promulgação da Constituição Federal. p. 7. Carlos Henrique Bezerra. ampliando-se consideravelmente o seu objeto não apenas para a reparação de danos causados ao meio ambiente. tendo por objeto ressarcir as vítimas dos danos sofridos que têm origem comum. destinado especificamente à tutela dos interesses individuais homogêneos”. . b. Mauro. por meio de imposições de obrigação de fazer. p. “a ação coletiva. da Lei 8. São Paulo: LTr. 2016. Manual de Direito Processual do Trabalho. estético. dispõe o art. 13 A natureza jurídica da ação civil pública é condenatória. 91. 1704. Seu objeto é a condenação do ofensor em importância pecuniário. 2015.5. art. Esta ação. é instrumento novo de defesa dos interesses Metaindividuais. 8ª ed. pois tem por objeto reparar a lesão dos interesses que transcendem aspecto individual. Nesse diapasão.” 14 b. por força do que dispõe o art.4. 14 SCHIAVI. histórico. Curso de Direito Processual do Trabalho. Ação Anulatória na Justiça do Trabalho: 13 LEITE. 3º da Lei n. como espécie do gênero ação civil pública.078/90. O ilustre doutrinador ensina ainda que trata-se de uma ação de natureza condenatória. Ação Civil Coletiva: Segundo Raimundo Simão de Mello apud Mauro Schiavi 15 .

6.É a ação prevista para desconstituir os atos jurídicos em geral. Coletivos e Individuais Homogêneos): Interesses e direitos Metaindividuais tutelados: O MPT até 1988 atuava apenas como órgão interveniente junto ao TST e TRTs. da CF/88). na defesa dos direitos difusos e coletivos (art. Tutela dos Interesses Transindividuais. Tanto os atos nulos (art. combate a todas as formas de discriminação no trabalho. Curso de Direito Processual do Trabalho. como bem adverte Nelson Nery Junior. 2016. b. preservação da saúde e segurança do trabalhador e regularização dos contratos de trabalho. p. 129. Manual de Direito Processual do Trabalho. 10ª ed. . 17 LEITE. combate ao trabalho escravo e regularização do trabalho indígena. 166 do CC) como os anuláveis (art. Metaindividuais ou Supraindividuais Trabalhistas (Difusos. 1422. 966 do NCPC. 2016. Carlos Henrique Bezerra. 14ªed. p. Mauro. São Paulo: Saraiva. Atua na defesa dos interesses difusos. o MPT elegeu cinco áreas prioritárias de atuação: erradicação do trabalho infantil e regularização do trabalho do adolescente. coletivos e individuais indisponíveis. retroagindo à data da celebração do negócio nulo”16 Leite17 aduz que trata-se de uma ação de conhecimento. mas. onde não há intervenção do judiciário. emitindo pareceres nos processos judiciais. na condição de fiscal da Lei. São Paulo: LTr. III. A partir da nova Carta Magna passou a atuar também como órgão agente. também. o reconhecimento judicial dessa nulidade retira esses efeitos. A ação anulatória lato sensu se destina à anulação de um ato jurídico que não preenche os requisitos de validade previstos no art. pois esse reconhecimento tem eficácia ex tunc. 104 do CC. retroativa. Embora o ato nulo não possa produzir efeito e cuja nulidade pode ser declarada de ofício. ou quando a decisão for meramente homologatória. Desde 1999. que tem por objeto a declaração de nulidade de cláusula constante não só de convenções e acordos coletivos. 16 SCHIAVI. Está prevista no art. de natureza coletiva. isto é. de contrato individual de trabalho. 1727. “caso tenha produzido efeitos no mundo fático. 171 do CC) podem ser desfeitos por meio de ação anulatória.

Lei n.0104 (TRT-18) Data de publicação: 14/07/2016 Ementa: EMENTA: MINISTÉRIO AÇÃO PÚBLICO. Associação Nacional do Procuradores do Trabalho. Julgados/Informativos Reclamação.2016.395-MC. por meios de convênios. Ação Civil Pública Proposta na Justiça do Trabalho. Disponível em: http://fs1. Higiene e Segurança no Trabalho (STF Rcl.078/90 – Art. 3º.5. Lei Complementar 75/93.A atuação do MPT como órgão agente envolve o recebimento de denúncias. 177. ADI n. 128. 3. d. sociedade civil organizada. Revista 36. Código Civil – Arts. para Impor ao Poder Público a Observância das Normas de Saúde. protocolos ou pela participação em Conselhos e Fóruns. Legislação CF – Art.anpt. CIVIL DIREITOS PÚBLICA. III. 104. Novo CPC – Arts.org. reuniões setoriais e outros eventos semelhantes.347/85 – Art. quando comprovada a irregularidade. palestras. O MPT dispõe da Ação Civil Pública (ACP) e Ação Coletiva Pública. Ação Anulatória Trabalhista para controle de cláusulas de ACT e CCT. 129. além de parcerias com órgãos nacionais e internacionais. 166. 91. Também orienta a sociedade através de audiências públicas. outras medidas administrativas ou mesmo ajuizamento de ações.br/site/images/stories/revista_mpt_36. Lei n. LEGITIMIDADE INDIVIDUAIS DO HOMOGÊNEOS. inquéritos civis públicos. c. que prevê multa no caso de descumprimento pode ser executado perante as Varas do Trabalho (título executivo extrajudicial).3303/PI — PIAUÍ).pdf TRT-18 - RECURSO ORDINARIO TRABALHISTA RO 00101859420165180104 GO 0010185-94. a instauração de procedimentos investigatórios. . 8. 966 e 967. Na atuação administrativa o Termo de Compromisso de Ajustamento de Conduta (TAC).18. 171. 7. oficinas.

0104.RECURSO ORDINARIO TRABALHISTA RO 4260320135120000 (TST) Data de publicação: 17/06/2016 Ementa: RECURSO ORDINÁRIO EM AÇÃO RESCISÓRIA INTERPOSTO ANTERIORMENTE À VIGÊNCIA DO NOVO CÓDIGO DE PROCESSO CIVIL. mas apenas de trabalhadores que laboram ou venham a laborar para a empresa acionada.2016.18. sejam coletivos ou individuais homogêneos.Embora a providência solicitada na ação civil pública não vise à proteção da sociedade como um todo. "b" e "d".18. é competente para tutelar direitos sociais constitucionalmente assegurados. 14/07/2016) Encontrado em: 1ª TURMA RECURSO ORDINARIO TRABALHISTA RO 00101859420165180104 GO 0010185-94.2016. 1ª TURMA.0008.2016.2016. 83 e 84. II .5.0008 (TRT-18) Data de publicação: 23/06/2016 Ementa: AÇÃO COLETIVA E AÇÃO TRABALHISTA INDIVIDUAL. no incidente de uniformização instaurado nos autos da RT 0000235-86. (TRT18.0141: "não há litispendência entre a ação individual e a ação coletiva que visa tutelar direitos individuais homogêneos". Recurso obreiro provido. 1ª TURMA. Entendimento exarado por este Eg. APLICABILIDADE DO CPC DE 1973.18. RO 0010185-94. Preliminar de ilegitimidade rejeitada. Rel. GERALDO RODRIGUES DO NASCIMENTO. Regional. consoante interpretação sistêmica e harmônica dos artigos 6º.Não obstante a vigência do novo Código de Processo Civil tenha iniciado no dia 18/03/2016.5. NÃO CONFIGURAÇÃO. A ação coletiva intentada pelo sindicado representativo da categoria da reclamante e a ação por ela promovida individualmente não ensejam litispendência. RO .2016.2012.5. que. no particular. I . Rel. não há como negar a legitimidade do Ministério Público do Trabalho.18.0008 (TRT-18 TST . LITISPENDÊNCIA. conforme definido pelo plenário do Superior Tribunal de Justiça e do Conselho Nacional de Justiça.0010074-10.18.5. (TRT18. 23/06/2016) Encontrado em: 1ª TURMA RECURSO ORDINARIO TRABALHISTA RO 00100741020165180008 GO 0010074-10.18. letras "a".5.Isso porque. aplicam-se ao presente feito as disposições contidas no CPC de 1973. da Lei Complementar 75/93.0104 (TRT-18 TRT-18 - RECURSO ORDINARIO TRABALHISTA RO 00100741020165180008 GO 0010074-10. embora as normas processuais tenham aplicação imediata aos processos .5. sejam eles difusos. pois não configurada a tríplice identidade que a caracteriza. VII. GERALDO RODRIGUES DO NASCIMENTO.

III . por conta da regra de direito intertemporal. segundo a qual tempus regit actum . a interposição de recurso intempestivo ou a interposição de recurso incabível não protrai o termo inicial do prazo decadencial". na ação rescisória.Aqui vem a calhar o que escreve Humberto Theodoro Júnior. "o prazo de decadência. embora as normas processuais tenham aplicação imediata aos processos pendentes. não têm efeito retroativo. conforme definido pelo plenário do Superior Tribunal de Justiça e do Conselho Nacional de Justiça.Como não há dúvida razoável de que a decisão rescindenda. CAUSA DE RESCINDIBILIDADE DOS INCISOS III E IV DO ART. do seu Processo de Conhecimento. 26/27. AÇÃO RESCISÓRIA AJUIZADA PELO MINISTÉRIO PÚBLICO DO TRABALHO. mas respeita os efeitos dos atos já praticados. que as preside. mas não são retroativas. págs. por conta da regra de direito intertemporal. APLICABILIDADE DO CPC DE 1973.Isso porque. DECADÊNCIA. salientando. 485 DO CPC..E conclui.. III . Alcança o processo no estado em que se achava no momento de sua entrada em vigor. no sentido de que "mesmo quando a lei nova atinge um processo em andamento. contase do dia imediatamente subsequente ao trânsito em julgado da última decisão proferida na causa. que "as leis processuais são de efeito imediato frente aos feitos pendentes. do seu Processo de Conhecimento.17/6/2016 RECURSO ORDINARIO TST . Tempus regit actum" . segundo a qual tempus regit actum . nenhum efeito tem sobre os fatos ou atos ocorridos sob o império da lei revogada. no sentido de . não têm efeito retroativo. I . aplicam-se ao presente feito as disposições contidas no CPC de 1973.Na forma do item I da Súmula 100 do TST.Não obstante a vigência do novo Código de Processo Civil tenha iniciado no dia 18/03/2016. pois só os atos posteriores à sua entrada em vigor é que se regularão por seus preceitos. Encontrado em: Subseção II Especializada em Dissídios Individuais DEJT 17/06/2016 . que continuam regulados pela lei do tempo em que foram consumados".pendentes. I. págs.RECURSO ORDINARIO TRABALHISTA RO 4260320135120000 (TST) Data de publicação: 17/06/2016 Ementa: RECURSO ORDINÁRIO EM AÇÃO RESCISÓRIA INTERPOSTO ANTERIORMENTE À VIGÊNCIA DO NOVO CÓDIGO DE PROCESSO CIVIL. seja de mérito ou não". II . ACORDO JUDICIAL. IV . Vol. I. Vol. que as preside. III .Aqui vem a calhar o que escreve Humberto Theodoro Júnior. I .Já o seu item III dispõe que "salvo se houver dúvida razoável. 26/27. com propriedade. II .

0104.18. 83 e 84.2016. VII. RO 0010185-94. Encontrado em: Subseção II Especializada em Dissídios Individuais DEJT 17/06/2016 .0104 (TRT-18 . que "as leis processuais são de efeito imediato frente aos feitos pendentes. salientando. IV . "o prazo de decadência. DIREITOS LEGITIMIDADE INDIVIDUAIS DO HOMOGÊNEOS. III . que continuam regulados pela lei do tempo em que foram consumados".. da Lei Complementar 75/93. sejam eles difusos. com propriedade.5.0104 (TRT-18) Data de publicação: 14/07/2016 Ementa: EMENTA: MINISTÉRIO AÇÃO PÚBLICO.18. ACORDO JUDICIAL. sejam coletivos ou individuais homogêneos. a interposição de recurso intempestivo ou a interposição de recurso incabível não protrai o termo inicial do prazo decadencial".2016.5.Na forma do item I da Súmula 100 do TST. não há como negar a legitimidade do Ministério Público do Trabalho.18. II . mas respeita os efeitos dos atos já praticados. 14/07/2016) Encontrado em: 1ª TURMA RECURSO ORDINARIO TRABALHISTA RO 00101859420165180104 GO 0010185-94. CAUSA DE RESCINDIBILIDADE DOS INCISOS III E IV DO ART. consoante interpretação sistêmica e harmônica dos artigos 6º.17/6/2016 RECURSO ORDINARIO TRT-18 - RECURSO ORDINARIO TRABALHISTA RO 00101859420165180104 GO 0010185-94. Alcança o processo no estado em que se achava no momento de sua entrada em vigor. pois só os atos posteriores à sua entrada em vigor é que se regularão por seus preceitos.. I . Tempus regit actum" . Preliminar de ilegitimidade rejeitada.2016.Já o seu item III dispõe que "salvo se houver dúvida razoável. Embora a providência solicitada na ação civil pública não vise à proteção da sociedade como um todo. é competente para tutelar direitos sociais constitucionalmente assegurados. mas apenas de trabalhadores que laboram ou venham a laborar para a empresa acionada. seja de mérito ou não". na ação rescisória.E conclui. nenhum efeito tem sobre os fatos ou atos ocorridos sob o império da lei revogada. mas não são retroativas. 1ª TURMA.que "mesmo quando a lei nova atinge um processo em andamento. "b" e "d". que. GERALDO RODRIGUES DO NASCIMENTO. DECADÊNCIA. Rel. 485 DO CPC. (TRT18. contase do dia imediatamente subsequente ao trânsito em julgado da última decisão proferida na causa. AÇÃO RESCISÓRIA AJUIZADA PELO MINISTÉRIO PÚBLICO DO TRABALHO.Como não há dúvida razoável de que a decisão rescindenda. CIVIL PÚBLICA.5. letras "a".

8ª Ed. Manual de direito processual do trabalho. Tratado de Direito Processual do Trabalho na Teoria Geral do Processo. Doutrina. . Jus Navigandi. Cleber Lúcio de. 3079. . Disponível em: <http://jus. Ação Civil Pública Trabalhista e FGTS. Revista 31. Direito Processual do Trabalho. 3ª Ed. A proteção dos direitos metaindividuais trabalhistas: considerações sobre a aplicabilidade da Lei da Ação Civil Pública e do Código de Defesa do Consumidor ao processo do trabalho. . 2016. As ações coletivas na Justiça do Trabalho. Manual de Processo do Trabalho. Adriano Mesquita. 2016.com. Disponível em: http://fs1. Teresina. 2 jan. 913. ano 11. 10ª ed.e. Leitura complementar . São Paulo: Editora Saraiva. n.ALMEIDA. Propostas para atualização da lei brasileira. 2016. 3ª ed. 2016. Carlos Henrique Bezerra. Ministério Público do Trabalho. Disponível em: <http://jus. Belo Horizonte: Editora Del Rey.PEREIRA.SCHIAVI. 14ª ed. n.anpt. Jorge Pinheiro. 2012.PEREIRA.br/site/download/revista-mpt-31. - _______________________. Teresina. Curso de direito processual do trabalho. 5ª ed.pdf . Leitura sugerida .org. Leone. Associação Nacional do Procuradores do Trabalho. São Paulo: LTr. f.CASTELO. Ricardo José Macedo de Britto.LEITE.BOUCINHAS FILHO.br/artigos/20580> . São Paulo: Saraiva. 2014. 2014. 2011 . São Paulo: Editora LTr. . Jus Navigandi. São Paulo: LTr. ano 16. Jorge Cavalcanti.CLT-LTr. DANTAS. 46ª ed. 2006. 6 dez.com. jurisprudência e prática.br/artigos/7780> . São Paulo: Saraiva. Mauro.

MARTINS FILHO. 5ª ed. 2015. Constituição Federal Comentada e Legislação Constitucional. . 29ª ed. . Senado. 2015. Ives Gandra da Silva. Amauri Mascaro. Raimundo Simão de. 19ª ed.MELO.br/bdsf/bitstream/handle/id/181822/000435 115. 2016. José Eduardo Duarte. Gustavo Filipe Barbosa.. José Miguel Garcia. Novo Código de Processo Civil Comentado. 15ª ed.NASCIMENTO.senado. Comentários às Orientações Jurisprudenciais da SBDI.CLT Organizada. 2015.MARTINS.NERY JR.MEDINA. 6ª ed. Comentários às Súmulas do TST. São Paulo: Editora Ltr. São Paulo: Ltr. Sergio Pinto. Nelson. Rio de Janeiro: GEN Forense. 2015. . São Paulo: Editora Atlas. . NERY. . . Comentários à CLT. ._______________. São Paulo: Saraiva. Curso de Direito Processual do Trabalho. Direito Processual do Trabalho: Doutrina e Prática Forense. 2016. São Paulo: Editora RT. - MARINONI. São Paulo: Editora RT. 22ª ed. 2014. São Paulo: Saraiva. Rosa Maria de Andrade. Constituição Federal Comentada.pdf?sequence=1 . São Paulo: Editora Atlas. Manual Esquemático de Direito e Processo do Trabalho.leg. Curso de Direito Processual do Trabalho. Luiz Guilherme. São Paulo: Editora Atlas. . São Paulo: Editora RT. 5ª Ed. 5ª ed.SAAD. Disponível em: http://www2. Ação Civil Pública na Justiça do Trabalho. São Paulo: Editora Saraiva. . ._______________. 2015. 3ª ed.GARCIA. 2014._______________. 2015. 2015. 7ª ed. . 2015. Ministério Público do trabalho. 38ª ed.

WAMBIER.com. 2007.jus. Disponível em: <http://jus. Breves Comentários ao Código de Processo Civil.br/artigos/13301> . Alfeu Gomes dos. 8 ago. São Paulo: Editora RT. . Júnia Castelar.. 2016. Jus Navigandi.SAVAGET.tst. ano 14.Vade Mecum RT.SANTOS. na Justiça do Trabalho. 2009. São Paulo: Editora Saraiva. Disponível em: <http://jus. . .br/artigos/17200> . n. Disponível em: https://aplicacao. Teresina. SOUZA. pela entidade sindical. 2010 . A defesa dos direitos individuais homogêneos.SILVA NETO. 11ª ed. 20ª ed. O papel do Ministério Público perante a Justiça do Trabalho.pdf?sequence=1 . São Paulo: Editora RT. Teresina. Manoel Jorge e. 2603. Jus Navigandi.Vade Mecum Saraiva. ano 15. São Paulo: LTr. Constituição e Processo do Trabalho.com. Marcius Cruz da Ponte. 2015. 2229. Teresa Arruda Alvim.br/dspace/bitstream/handle/1939/73036/20 00_savaget_junia_papel_ministerio. TST. A ação civil pública no âmbito do processo do trabalho. 17 ago. n. 2015.