Redes de Computadores - Técnico em Informática

IFB

Instituto Federal de Brasília - Campus Brasília
Curso: Técnico em Informática - 02/2015
Componente: Redes de Computadores
Professor: Diógenes Ferreira Reis Fustinoni

Laboratório 04 - Configuração de serviços – DHCP, DNS e HTTP/HTTPS

1

DHCP

O DHCP (Dynamic Host Configuration Protocol ) é um serviço amplamente utilizado em grandes redes locais e extremamente útil do ponto de vista de gerenciamento de uma rede. O DHCP permite que um host seja
adicionado à rede sem que haja conhecimento do endereçamento de rede, máscara, DNS, gateway. Basta configurar o host para solicitar os dados de configuração IP pelo DHCP, de forma que o servidor DHCP que estiver
presente na rede fornecerá as informações necessárias para que o host possa se comunicar na rede. Assim, a
tarefa mais pesada para o administrador de uma rede é a configuração do servidor DHCP, o que é relativamente
simples. Em redes com muitos hosts, tal serviço representa um ganho de produtividade, já que o administrador
não precisa se preocupar com os detalhes de distribuição de endereços IP a cada host.
O DHCP funciona de acordo com a arquitetura cliente-servidor. O cliente é o host que deve entrar na rede
e o servidor é o servidor DHCP que tem as configurações de IP para os clientes. De uma forma simplificada o
DHCP funciona com 4 passos, descritos abaixo (a figura 1 esboça o funcionamento):

1. Mensagem DHCP DISCOVER - Um cliente envia um pacote UDP em broadcast para todos os hosts
da rede local com um pedido DHCP.
2. Mensagem DHCP OFFER - Se houver um ou mais servidores DHCP na rede local, estes respondem
ao pedido do cliente fornecendo, pelo menos, o endereço IP e a máscara de rede. Dados adicionais como
gateway e DNS são opcionais dependendo de sua configuração no servidor DHCP. Nesse passo, o servidor
aloca o endereço IP e aguarda a confirmação de requisição do cliente.
3. Mensagem DHCP REQUEST – O cliente envia uma requisição ao primeiro servidor DHCP que o
respondeu, solicitando a configuração proposta no passo 2. A mensagem é enviada em broadcast para
que, se houver mais de um servidor DHCP, os demais percebam qual o servidor que o cliente está de fato
confirmando a requisição de endereço.
4. Mensagem DHCP ACK – O servidor DHCP confirma e valida a configuração para o cliente.

1

1 • Servidor DNS: 192. máscara de rede.1. e.168.101 – 192.168. No Packet Tracer pode-se utilizar o end device Server para funcionar como servidor DHCP.1.100 A configuração é realizada acessando a tela do Server.168.1 – 192.1. na aba Services.Técnico em Informática IFB Figura 1: Funcionamento de uma solicitação DHCP.168.168.1. suponha uma rede com os seguintes dados para a configuração do referido servidor: • Faixa de rede: 192.254 (154 endereços) • Gateway: 192. Para exemplificar uma configuração de um servidor DHCP. Do funcionamento percebemos que o servidor DHCP deve conter as informações de endereços IP disponibilizados aos hosts (faixa de endereço IP).1. A tela com a configuração é apresentada na Figura 2: 2 .168.1. opcionalmente.Redes de Computadores .5 • Faixa não utilizada pelo DHCP: 192.0 /24 • Pool DHCP: 192.168. na opção DHCP. DNS e gateway.1.

deve-se acessar a tela de configuração IP do PC e marcar a opção DHCP para que funcione como um cliente que tomará as configurações IP de forma automática. Um computador ou um PC funciona como um cliente DHCP. necessitando também ser configurado.Técnico em Informática IFB Figura 2: Configuração de um servidor DHCP. Logo.Redes de Computadores . como ilustrado na Figura 3: 3 .

255. O serviço DHCP também pode ser configurado num roteador.1.168.255.Técnico em Informática IFB Figura 3: Configuração de um cliente DHCP.1.168.100 Router(config)# ip dchp pool lan-ifb Router(dhcp-config)# network 192.1.168.0 255.1 Router(dhcp-config)# dns-server 192.1.Redes de Computadores .168. teríamos que executar no roteador os seguintes comandos: 1 2 3 4 5 6 7 8 Configuração DHCP no roteador Router> enable Router# config t Router(config)# service dhcp Router(config)# ip dchp excluded-address 192.1. 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 Configuração DHCP no roteador Entrar no modo de configuração global Router> enable Router# config t Habilitar o serviço DHCP Router(config)# service dhcp Especificar a faixa que não será associada a clientes DHCP Router(config)# ip dchp excluded-address endereço_inferior endereço_superior Configurar o pool DHCP e entrar no modo de configuração específico Router(config)# ip dchp pool nome_pool Configurar a rede do pool dhcp Router(dhcp-config)# network rede máscara Configurar o gateway do pool dhcp Router(dhcp-config)# default-router endereco_gateway Configurar o servidor DNS para o pool dhcp Router(dhcp-config)# dns-server endereco_server_dns Para realizar a mesma configuração anterior no roteador.168.0 Router(dhcp-config)# default-router 192.5 4 .1 192. Os comandos a seguir servem para realizar uma configuração básica do serviço DHCP num roteador.

a qual só entende e utiliza os endereços IP para encaminhar os pacotes.clubedasredes. Para que o serviço DNS funcione apropriadamente. Por outro lado. A razão da existência desse serviço é que seria muito difícil para um usuário decorar números de endereços ao invés de nomes.Técnico em Informática IFB A configuração do cliente é a mesma ilustrada na Figura 3. Para que o site dessa URL seja acessado. porém não tem a informação da tradução da URL. O mapeamento de uma URL em um endereço IP é chamada de resolução de nomes. o serviço DNS é bastante útil e de extrema importância para o funcionamento da Internet.eti.br ”. a Internet é uma rede de computadores baseada na pilha de protocolos TCP/IP. Porém. deve-se ter no host do usuário a configuração de um servidor DNS.. • Inicialmente o usuário digita no browser Internet do host cliente a URL “www. até que algum servidor tenha a tradução da URL em endereço IP e. caso não tenha o mapeamento. o cliente envia uma solicitação de resolução de nomes para a URL ao servidor DNS configurado no host (identificado pela letra “A”). consultar a outros servidores DNS que saibam fazer a tradução. tem a informação de que o servidor DNS B pode resolver o nome e reencaminha para este o pedido para a 5 . Os servidores DNS são organizados de forma hierárquica a fim de que as informações de mapeamento que os servidores de menor hierarquia (geralmente os servidores DNS que atendem aos usuários) possam consultar os servidores de maior hierarquia. Ou seja. • O servidor DNS A recebe a solicitação. informar ao host do usuário o endereço IP para realizar a conexão desejada. é necessário converter a URL num endereço IP. a utilização de nomes facilita o uso no dia a dia de um usuário. assim. Logo. ou. Este servidor pode realizar o mapeamento dos nomes para endereços IP. 2 DNS O serviço DNS é um serviço de tradução muito utilizado na Internet que faz a conversão dos nomes ou URLs em endereços IP. Grosseiramente.Redes de Computadores . podemos simplificar o DNS como um serviço de mapeamento da URL num endereço IP. Abaixo é apresentada uma descrição dos passos desse exemplo: Figura 4: Funcionamento do DNS. Dessa forma. Na Figura 4 é apresentado um esboço de um resolução de nomes realizada pelo serviço DNS.

NS Record). o servidor DNS D tem resolução de nome para a URL “www. deveríamos adicionar a URL “www. o cliente iniciará a conexão ao servidor WEB no endereço IP traduzido. Na janela de configuração você deve habilitar o serviço DNS (clicar na opção On) e preencher os campos para a resolução de nomes. Assim. • O servidor DNS B também não tem a informação do mapeamento da URL em questão.55”. informando o endereço IP correspondente.eti. colocamos nesse campo o valor “200. efetivando a abertura da página HTTP.104. desta vez ao servidor DNS D. Para finalizar. A Figura 5 mostra a tela de configuração com os dados do presente exemplo. As outras opções não serão utilizadas. Em seguida.br ” e responde ao servidor DNS A com o endereço IP para realizar a conexão ao servidor WEB da referida URL. • O servidor DNS A reencaminha a solicitação de tradução da URL novamente. clique no botão Add. Na opção Type é disponibilizada algumas de configurações de resoluções (A record.clubedasredes. mas tem a informação de outro servidor DNS que possa realizar a tradução. Primeiramente você deve adicionar um servidor na área de trabalho e abrir a sua tela de configuração. No presente exemplo. Enfim.Redes de Computadores . desta vez ao servidor DNS C. indicando que o servidor DNS A deve solicitar a resolução da URL ao servidor DNS D. CNAME. No campo address é onde adicionamos o endereço IP correspondente. o servidor DNS B responde ao servidor DNS A com o endereço do servidor DNS C indicando que o servidor DNS A deve solicitar a resolução da URL ao servidor DNS C.Técnico em Informática IFB tradução da URL. • O servidor DNS A reencaminha a solicitação de tradução da URL novamente. O mapeamento será adicionado na lista de mapeamentos do servidor que fica abaixo das opções de configuração. Porém o servidor DNS C também não tem tal resolução de nome.clubedasredes. • Finalmente o servidor DNS A responde ao host cliente com a resolução de nome para a URL. No campo Name é onde devemos colocar a URL. Observe que estamos simplificando o exemplo anterior. Então. Selecione o serviço DNS para abrir a janela de configuração desse serviço. SOA. respondendo ao servidor DNS A com o endereço do servidor DNS D. Utilizaremos a opção A Record que indica que o servidor DNS fará uma tradução simples convertendo a URL em endereço IP. Agora que sabemos como é o funcionamento do serviço DNS. 6 . vamos apresentar como é a configuração de um servidor DNS no Packet Tracer.br” neste campo.eti. de forma que o servidor DNS inicial tenha o resultado para a tradução da URL.244. Figura 5: Configuração do serviço DNS no servidor do Packet Tracer.

Tal como o HTTP. selecionar a aba Services e a opção HTTP.Redes de Computadores . o HTTPS é destinado para a comunicação entre cliente e servidor de páginas Web. A vantagem do HTTPS é que utiliza os protocolos SSL/TSL que provê criptografia nas requisições e respostas Web. 7 . aumentando significamente a segurança. Os serviços HTTP e HTTPS funcionam num servidor Web. A Figura 7 exemplifica um cliente acessando um servidor Web no Packet Tracer. o end device Server possibilita o funcionamento de ambos serviços. bem como adicionar ou editar páginas HTML que podem ser solicitadas por clientes. pode-se habilitar os serviços HTTP e HTTPS para funcionar.Técnico em Informática 3 IFB HTTP/HTTPS O HTTPS é a versão segura do serviço HTTP. Abra a janela de um PC no Packet Tracer. Nessa janela. No Packet Tracer. Para configurar um servidor Web no Packet Tracer basta adicionar o Server. acesse a aba Desktop. Um PC atua como um cliente HTTP. clique na aplicação Web Browser e digite o endereço IP do servidor (ou a URL associada ao servidor Web) para acessar a página Web do Server. Figura 6: Configuração do serviço HTTP/HTTPS no servidor do Packet Tracer.

Será fornecida uma faixa de endereço para que vocês calculem e configurem as redes locais das duas localidades.Técnico em Informática IFB Figura 7: Cliente HTTP acessando uma página Web. e a configuração dos hosts para obter o seu endereçamento de forma automática pelo serviço DHCP. 8 . DNS e HTTP/HTTPS Neste exercício será proposto a configuração do serviço DHCP. 4 Atividade de configuração de serviços – DHCP. Também é fornecida uma faixa de endereço público para ser utilizado entre os roteadores. Será solicitado a construção de uma rede com 3 localidades. conforme ilustrada na Figura 8. Os cálculos de segmentação de rede devem ser realizados de forma a não desperdiçar endereços.Redes de Computadores .

Redes de Computadores .10.200.Técnico em Informática Figura 8: Rede com 3 localidades para configuração dos serviços DHCP. Faixa de rede disponível: 10. Segmentar a faixa de rede disponível para 3 localidades: • Localidade BSA: – – – – – Planejamento para um total de 30 hosts Deve ter um servidor HTTP Deve ter um servidor DNS Deve ter um switch e um roteador Deve ter 2 hosts • Localidade GNA: – – – – Planejamento para um total de 12 hosts Deve ter um servidor DHCP Deve ter um switch e um roteador Deve ter 2 hosts • Localidade RJO: – Planejamento para um total de 62 hosts – Deve ter um switch e um roteador – Deve ter 2 hosts 3. DNS e HTTPS.0 /25 • Subdividir a faixa de endereçamento de forma a evitar o desperdício.0 /24 2.10. REQUISITOS E ORIENTAÇÕES PARA O PROJETO DE REDE: 1. 9 IFB . Os roteadores devem fazer a interligação entre as localidades: • Utilizar interface serial para os links entre os roteadores • Faixa de endereços públicos para interligação entre os roteadores: 200.200.

edu.254.Técnico em Informática IFB 4.1 à 192.edu. pede-se a seguinte configuração mínima nos equipamentos: 1.1. Os demais hosts (servidores e roteador) devem ser configurados manualmente. Configuração Servidor DNS • Endereço IP • Máscara de rede • Gateway • Serviço DNS ativado • Registro para a tradução do nome: www. O serviço DHCP deve funcionar nas 3 localidades da seguinte forma: • Nas localidades de Brasília e Rio de Janeiro a configuração do serviço DHCP deve ser feita no roteador • Na localidade Goiânia a configuração DHCP deve ser feita no servidor DHCP • Somente os hosts de cada localidade devem ser configurados como clientes DHCP. Todas as localidades devem ter conectividade entre si.168.1 – 192.168.1. então deve-se reservar os endereços IP de 192.ifb.ifb.1.168. • Os hosts devem ser capazes de “enxergar” os demais hosts da rede. Configuração Servidor DHCP • Endereço IP • Máscara de rede 10 .254) para ser controlado pelo servidor DHCP.10 para os servidores/roteadores e configurar os demais endereços (192. reserve os primeiros 10 endereços para configuração de servidores e roteadores.Redes de Computadores . • Configure no serviço DHCP o gateway e o servidor DNS: – O gateway deve ser o endereço da interface do roteador que está na rede local. • Ao configurar a faixa de endereços IP a ser gerenciado pelo servidor DHCP. – Exemplo: Se a faixa de endereços IP disponível for 192.1. 5.br 4.168. • O servidor DNS deve ter o serviço DNS habilitado e realizar a seguinte tradução de nome: – www.1. – O servidor DNS deve ser o endereço do servidor DNS de Brasília CONFIGURAÇÃO DOS DISPOSITIVOS DE REDE Com base no projeto de endereçamento IP e nas orientações dada anteriormente. Configuração de rede do PCs • Cliente DHCP ativado 2.11 à 192. Na localidade Brasília deve ter o servidor HTTP/HTTPS e DNS habilitados e deve ser acessível a qualquer host da rede.br ⇒ <endereço do servidor web> 6.1. Configuração Servidor HTTP/HTTPs • Endereço IP • Máscara de rede • Gateway • Serviços HTTP e HTTPS ativados 3.168.168.

11 . Configuração de roteamento para interconectividade das localidades • Fica à livre escolha o método de roteamento aplicado nos roteadores. 10. podendo-se escolher: rota estática. Configuração do serviço DHCP nos roteadores • Habilitação do serviço DHCP • Faixa de endereços IP que não são alocados dinâmicamente pelo serviço DHCP • Configuração do pool DHCP – Rede local com máscara de rede – Default Gateway – DNS Server 9.Técnico em Informática IFB • Gateway • Serviço DHCP ativado • Configuração do serviço DHCP – Pool Name: deixar o nome padrão serverPool (não criar outro!!!) – Default Gateway: o gateway da rede local – DNS Server : o servidor DNS da rede – Start IP Address: endereço IP inicial para a faixa alocada dinâmicamente pelo serviço DHCP – Subnet Mask : máscara de sub-rede da rede local – Maximum number of Users: número de hosts que podem ser configurados como DHCP – Clicar no botão Save para salvar a configuração DHCP 5. salve o laboratório com o nome “Lab04_SeuNome” (Ex: Lab04_Diogenes) e envie ao professor pelo local criado no Moodle para esse fim. à livre escolha.Redes de Computadores . Configuração interfaces de rede local nos roteadores • Descrição da interface • Endereço IP com máscara de rede • Habilitação da interface 7. RIP ou OSPF. clock rate para as interfaces DCE: 64000 Habilitação da interface 8. Configuração Básica dos roteadores e switches • • • • • hostname Senha de enable: class Senha de console: cisco Senha dos terminais virtuais (vty): cisco Banner : Somente acesso autorizado! 6. Configuração de roteamento RIP – se for o caso • Versão do RIP: 2 • Divulgação das redes que o roteador conhece 11. Configuração de roteamento OSPF • Processo OSPF: 1 • Área OSPF para os roteadores: 0 • Divulgação das redes que o roteador conhece Ao concluir as configurações. se for o caso. Configuração interfaces seriais nos roteadores • • • • • Descrição da interface Endereço IP com máscara de rede Largura de banda.