ry

o longo clc nais dc 50 auos ntLranrlo rro rlisprrurkr nrcrcurkr Iìn:rncciro

nnrcr'ìcano, \X/allcn lJLrÉhrr clcscrrvolvcLr rrnr urúiodo rirtico prlrt sclc-

irrvestilir scrr r:rtlritrtl, l\rt nri:iu ilit itniilisc rlos
rlarnços clc trma cotr¡nnhi;r, clc fìri llt¡ru;t rlr it,,trrrttl¡t rrtlr fiu lttn¡ clc [riocs clc clcilarcs, apostâlì(l() iìl)crìiìs n;rs otgrtlir;rqol-r r¡rtr: ¡rorsrtí;tttt tttrta
ouar

¿ìs

crrpresas nas

<1u:ri.s

rnragem corl¡rcritiva clc lon¡io pllrzo.

(ìorr txsc

lri:iiittlir,¡.:,ìit;rr X,l;nv lìuflctt

| ¡trtrtes rlc l)
to ¿h Wttitn ßuffitt - cs;cttt;uu ,-rrr ltrirr ri;l¡1,:'. i' t'¡;iriri¡. lltr tttit;t lil-

-

cspccillisr.Ls rros rrrr-ìrr,rkr¡ rìir rìi('i],.riiì'.!r\{jtli)r

lxcrrltlnr r'¡rì:t1r.'.¡.:rir,;rr, .'l,". ,t1rlr.',,'ttl;ttt) rlir:¡s tiLri:
I . llr ì f|r ìlì, Ìr.r
iì\ \ \rrirl\:qi.r\ rl,. rrrrr rlrr' L,'t'',,'o ,,. ,, ' ,
rc aglacì:r Larrro ¡ irrvcsrirllrlr plitri¡,iri;ltl. iIr1.ì¡iriì,ì1Ilrì'L-'! nttir rttlrj;trlrrs,

,ragcnr accssír,cl c corrr

Os aLrr¡r'i:s rlcrrr:,n:(r;ìr1 ,-r¡rr;o ll*ijì::q',r't1ìì!ì,¡tì
ciu lcr,olrrcìonrililt

,.le'r1ttr.:

Vcl rrrostl,rì1 Lirntrr fì,r'çrt
a cssc

rrl

itLlltìatìto

tlisso.

tLt riì,lrtjt

. (lorrro

*tc

r¡r

r

i

l

i

¡}'r'r'ìrilrlììrl,¡,,1r' ìj!) ì. ì],.'|:rì1r'Itii .Lt ilrr. r',,

.l¡ttr .llr)r'r r'll]

{t?ìì.i

¡rarrici¡r;rçäo ¡rlrt|iirrl)tri;rII frrJJl jrììi.i,l1rì: ìlI,r

¡\lirl

l ¡ri:1t ìIrìIir

r

r r or¡r

,r

,i, r¡ììl)r11,ì." r.!rll r1r1l,i ! l'Iìrìil1't1ì,.i,*rI,i:IiIir';r tlLt-

r

Iir,r,, rrti .tlttrl,tl

iIir{

.1

;'rIlr.!
j

r ,

'

il i

r'

,

i l,

rtli,

tt¡t;$;,/rr|lrl(titrtlt,
.
¡ l'r'l i¡t;ti: ltltos,
il;",

¡

,.. , ¡ ¡, ] .

t1ì1r'iìtirIl

[ìLrlfr:LI irrrr:r'ìrt,:r;¡,1, r.lrJìì,r:,.¡r'.rri,,', 1i;¡,¡;¡liìr'¡.

i'¡rr

brtlirneos plt-

i,r lr¡,,'!i,.ìr.t¡lt.', r':.,1j,.ri¡¡¡ J]t¡,lrlr:lìt'r: ¡itt'it ìtlcnti"
c:rr comparrhilrs (lLlc l)r)\)ui.'rì lrl)iì 1,lJr1.ìi-1!1I1 .i)rìr1ìr-ti(ì!,ì (lllii\,(l.

.

[ìLrllcLL uplii:;r

()Lrc volLrnrc rlr ilír'iil;¡,

ottiìf lntcsrlcse tt,r n,ir

trl

lìrtiL,t
i ¡ ¡ ,, ,.

. ()Lrc ti¡xrs clc cnr¡rtr rn lìttlirtt

'I)ol
nra

c¡Lrc

(rtina

&

ìlìXlr\Nìl

. ¡ it:

rr Ir

r ¡,' r

tI,

¡

r

l

r:r'ìlr¡ rt1¡'-'rrt:

llto:,:L¡str,¡ ilr: ¡rçrr1riì.,:t
co nr ¡ru

rltr

,r,:rtrìi¡,r

lì!ìr,ì

l

t'1¡;r tt

iz'.tçio ¡rorlc stt-

,. tiuir,.
,.J.t

lluf{e¡-r

î,rtr :'.'¡: lìlri

lt.'il,L,,:i¿lìi¡ *¡¡r¡.
dar as dcnron:trlç{ìrl li¡¡¡¡¡rreil¡t r,i;¡¿
cnìplcsíls bcrl-lrn*did¡¡; Èi¡rt ttrr t*.
tenclcl o <1uc rr trrrrÿit i¡vr:¡ti¡¡¡Í:ltli¡*

e

a

îll
i:l

;<

\Øarren Buffett

r*1


:..
n-

clc

pol

î-)

BALANTÇOS

/l^

Èr-

li,itrrt iirt;tç:h rlc srr.tr.rç,'.s,

l rl'".,-'ltti,,'illelrt,,i.r,ilcnl

,tc;rb¡lt cottr

i;i.

lerviç¡l ¡*¡

* ;lii*r

tagerr conr¡rrrìtirâ

iìl

l-lavia o¡,rrr'¡
ì:t
..,.,'.

"**
\f

&
X

IAN II:

ul¡¡g*ç*å +*.*'ô¡¡

{r.¿.}ÿ¡Ti-ÿf*-.?

!&@d

4lr*.: a4Í+:,$ ry!*i{,

nìllltcI () illvr'\tl|rrç¡¡¡,, ¡*1.. r,¡¿¿, 1 E¡ ¡"
po ¡rosslvel, l¡cr¡¡¡i.!¡: rsrýi¡ $¡sù t-Ý.Ýi¡! .
gcm 11' 0 rlt( tiliv.r
Elc rrnrbdr¡l Ç{¡¡1¡{i¡trri¡ qiAi {¡. q+\d:¡:-.i
cltl¡l rcco¡lllt r r'¡ l.l. i i!, ,¡J&'ù!ý¿1 1 ¡r r¡x- 'd
ro, o aumerìro rl¿r ¡;rlç¿ ¡i¡ ââ{lffêÞår$.l.ì
clcvlttiit .t ( .'lti:i,¡ '1, \rr rq r

s r

ô
o*

ni

fi¡ae¿r

rinurriir ir {r{Ìtii:r.,'i
causr (lç ufil !¡t¡t?'!1r!flç
valor, Iìufli:¡r prrr:jett

Þ
Ð.

z

Ð'rq8

¡trx*!:;;,x,sin *¡.$i*¡

, ,,,,r¡,s,,1r"¡ ,.."
êi!{! {ÿ*ti $?Èt .&Èt'

Ê)

Þ
ì-

q,+çl¿å*sg¿*¡,

o v.thrt rt¡lrl.r, , i¡¡.' ,l

Como identificar empresas com
vantagem eÕmpetitiva de longo prazo por
meio de suas demonstrações financeiras

:R

¿þ

seLrs

nttis,litrlr,r,,,,l,'.1,r,, ",.'-'.,,.+-.u
lìttlictt .r'trr¡',,, r.i..' ,¡r^. * , *-"

a)

(,/)

ililltüiililfl[[ü]il

<1Lre

pro<lLrror,

-

ç

ili¡.'a.

cls*¡ .r¡¡ l¡rq¡¡l¡ì4.!: g,... lq-igr¿:.,
fìcilvum dc algritr lì¡i* air, re*Ý*g-tlt!
conrpcritiv;r t¡uu re!*l* l¡¡¡l* *i*q¡*4.dt¡
econô rn ica ¡çr¡¡rll¡¡¡¡lr;ô iì{$ !?n$*¡trtl!,
li(,, l,('fi¡rilir¡,1,'.¡rr, " ',1'. irr!s !,! , r,r,

e a anâlise de

ì".i

longo pr;rzo räo lnnl¡l¡¡il:t¡.,r. |.[È

cobliLr

imo¡iais pirrit li'liliirr rìrìliì !ill¡ì{:.1,

. (.onro

h.,Tarv

I

a)

ncss:r ¡rcls¡rcr:tivit Itcnr-:tt,-t:rlirl;¡. r,t

Dlvic[ (,latl<

:1'.

roiu

que iå¡¡ä¡ç¿ lg*@,,

derrva ainclrr nuri¡ n¡iå¡iìr'¡ ¿}*

vista lì nl

.

**.:¡g,.¡-:ii

ro, t. l{:nî¡r ¡i$åí¿rå! þVSS¡
los dc ncgórior r¡¡¡ i}¡**iai+.4g ¡ &Þ
n

cci

firvor, näo h¡rvi¡ ¡l¡*sirg dr *q¡*.,;á
cotrllrltltlti,ts.tlgrrrtt ' I r r . ]^ ð ¡ " . ¡ . ¡'¡ iç
lência. Iss¡r rignilìtx!,¡ .Ìi$a, i&#i¡,!lt¡ir@f
os cspcculaclor'er d¿. gü¿it

1è¡'441c

+Ýñ*Si:ì..,

scm a corrçät tl$¡ (rl''{S4 ¡*ý.1q€.1it$.1!9.4,..

.. ,:

Mary Buffett e David Clark

{:

r

ruffiforrffiffi ffiea#fuec
tr ä esaáååsm de

ffiÅå-ÅNÇffiS

I

&

SFXTANT¡

'lltLrlo origina[; W.orc I]uJJett dnd the ll1teryrct/]tion oJ Fitl4nciíl slr¡t¿nl¿ n¿s
Copyright O 2008 por ìvla¡y Buffert e Davicl Clark
Copyrìght cla ttadLrçáo O 20Ì0 Por GMT Eclitores Ltda
'lb(los os ciircitos reservaclos. Nenhuma parle deste livro
¡rocìc sct utilizada ou teprocluzicla sob cluaisquer meios
exislenles sem aulorização por esclito dos eclitotes
l'Lrhlic¡rk¡ cm acordo com Scribner. uma clivisào da Simon 6s Schuster, lnc

SUMARIO

tfti¿uÇdo

Marcello Lino

Inlrndrrçrìo

prepuro tle originais
Cristiâne Pac¿tnowski

1.: A grande revelaÇão que fez cle Warren
Buffett a pessoa mâj.s ricâ do mundo

c¿\pirur,o

rcÿis¿¡o

Al]a Lucia Machaclo, C¡isthiane Ruiz e Luis Amélico Cosla

t9

empresa excepcionaL

cApÍrulo 3: Consistência é o caminho cle Buffett
pâra a riqlreza

cclPcl

ìvliÌialn Lerner

(

tlnp t cssão e Icabane nto
Yangraf Grálica e Eclitora l.tda

+: Visio gcraì das demonstraçoes
^rirur.o
financeiras: onde o ouro está escondido

22
23

cApÍruLo 5: Onde Buffett vai buscar informações

CIP-BRASIL, CA'I}.LOGAÇÀO'NÀ-FONTE
SINDICATO N,A.CIONAI, DOS ÈDITORIS DE LIVROS, RI

)5

[inanceiras

A DEMONSTRAÇÃO DO RESULTADO DO EXERCÍCIO
Clîrk ItrâdlLção

d€

]iÀduçáo de: Wnr¡en Buffett and the interpretâtion of lìn¿ncial stûtements
ISUN 978-8s-7s42-554-1

Bufett. Warren, 1930-. 2. Emplesâs - Fin¡ìnças. 3 Sociedâdes comerciåis Iìinânçâs. 4. Inves timentos - Análise. 5. Investimentos _ Processo decisórìo 6- Balanço
(Contrbilidade). L Clark, David, I955-. II. Titulo.

l

CDDj 332.6
CDtr::l:16.76

l0-088s

-lbdos

t3

cApirulo 2: Onde Bulfett comeÇa sua busca pela

pnjeto grq¡ico e Lli,1íraftl(tçito
Abrerfs System

IJÐû¡tt, Mâry
]Ndrreo tsufett e â análise de balanços/lvlary BLrfIett e Dâvid
Nl rccllo Linol. Rio de Jâneiror Sextnnte,20l0

9

os direitos reservaclos, no Blasil, por

GMT Eclito¡es L-tda.
Rua Voluntátios cla PátÌia, 45l1.404 - Botafogo
22270-000 - Rio cleJaneiro RJ
IeL: (2D 2)A6-9944 - Fax: (21) 2286-9244
E-mail: âtendimenlo@esextante.com.br
rvww sextante.com,br

cÁPilulo 6: Por onde Bu[[ett começa:
a demonstração do r-.esultado do exercício

28

cÀpÍrulo 7: Receita: por onde o dinheiro entra

30

c^pirulo 8: Custo

clos bens vendidos: para

Buffet[, quanto mais baixo melhor

31

c¡\piTrjlo 9: Lucro bruto/Margem de lucro bruto:
números essenciais para Bulfètt em sua
busca por investlmento de longo prazo

33

c.¡rirurc¡ 1.0: Despesas operacionais: sob o olhar
âtento cle Buffett

36

, .\r'r | |

|,

) I [: Dcspcsas tle ventl:rs, gerais

aalnìinistrâtivâs

e

37

()\riiLil-o l2: Pesquisa e desenvolvimento: por que
IJuflett se mantém a distância

l3: DepreciâÇão: uma despesa que Buffett
não pocle

c;rpirr.rL-o

*rlirulo
náo

ignorar

Atlvo imobiìizado: para Buffett, não
tê-lo pode ser uma boa coisa

cApi'rur-o 28:

40

c,qpÍruro 29: Fundo de comércio

4)

c¡rrrurn lO: Ativos rntangiveis: medindo

14: Despesa com juros: o que Bu{fett

quer

c.rpiruro

c¡\pi'rrrr-o 15: Ganho (ou perda) com a vencla
cle ativos e

48

usa

3l: Investimen[os

83
cie longo prazo: Lìm

verdade

c¿\pirtir.o 33:

'

90

57

cÀFirulo 35: Contas a pagar, despesas provisìonadas
e demars passivos circulantes
91

5+

c,rrrruro Jó: Drvida de curto prazo: como issrr
pode acabar com uma instituição financeira

cìi\pinr-o l9: Lucro por ação: como Buffert distingue

perdeclores

87

Ativo lotal e retorno sobre o ativo total 88

c.qpÍruro 34: Passivo circulante

clpÍrLJr,o lB: Lucro lÍquiclo: o c¡ue Buffert está

ProcurSncto

B5

c¡.pÍruro 32: Demais âtivos de longo prazo

50

cl\pÍ]ur.o 17: lmposto de renda pago: como Bullett
sabe quem está dizenclo a

vencedores de

o

dos segredos do sucesso cle Buffett

Outtos

cÁpilulo Ì6: Lucro antes dos imposros: o número
c¡ue Bulfett

B1

incomensurável
45

7B

93

cApi'ruLo 37: DÍvida de longo prazo a vencer e os

57

problemas que isso pode causar

O BALANÇO PATRIMONIAL

96

cApÍrulo 38: PassÌvo circulante total e o coeliciente
de liquiclez

98

r00

c¡.pirulo 20: O balanço patrimonial em geral

62

c¡.piruro 2l: A[rvo

65

clpirur-o 39: Dívida cle longo prazo: algo que boas
emprcsas nao tem em prolLrsio

67

c¡.rÍrulo 40: lmposto de renda difericlo,
pâtticipação minontána e demais passì.vos

t03

cnpÍrulo 41: Passivo total e coeficiente cle
enclividamento em relação ao patrimônio
líquido

105

7I

c¡pÍruro 42: Patrimônio líquido/Valor conrábil

109

73

c¡pÍrur o 43: Açoes preferenciais e ordinárias:
reserva de capital (emissão de açoes)

110

75

c¡\pirulo 44: Lucro acumulaclo: o segredo
Buffctt p..rra sÈ LolnJI riquissinro

113

76

c¡\pirulo 45: AÇöes em tesouraria: Buflett gosta
cle vêlas no baìanço patrimoniaì

c¡pirulo 22i Ciclo do ativo circulante: como
ganha dinheiro

se

c¡.piruro 23: Caixa e inveslimentos de curto prazo
a recompensa cie Bulfett
r

¡rrluro

6B

2-l: f stoque: o que 3 emprcsír precisrì

comprar e vender
clpiruLO 25: Contas a receber, saìdo lÍquido:

clinheiro deviclo à empresa
cApÍrulo 26: Despesas pagas antecipadamente/
I)emais ativos circulantes

c¡piruro 27: Ativo circulante total e o coeficiente
de liquidez

:,.

,:a..

cle

n6

mantinha cadernos repletos de ideias meticulosas e infinitamente fascinan- c¡piruro 5l: A ideia revolucionária de Buffett clo equity bond e como isso o tornou rìquissimo crriruro 52: O rendimento tes de Warren Buffett sobre investimentos. fantástica I43 c¡pÍruro 55: Como Buffett cletermina que está na hora cle vender 145 Apêndice 147 Glossário de termos selecionados 151 Agrctdecimentos r5B BulJettology (Buffettologia).iLul. visitei a casa da famílla em Omaha.(:^riruilo 46: Retorno sobre o pâirimônio líquido 118 i. Davicl também mencìonou que Benlamin Graham. o filho de Buffett. essa âtividade se concentrava sobretuclo em determinar a solvência e a capacidade de geraqdo cle lucros cle uma empresa com o propósito cle analisar os scus titLrlos. il ctecano ctc Wall Street e mentor cle Buffert.l. ¿irabe. Ele ressaltou que.o 49: Despesas com âtivos fixos: não tê-las é um dos segredos para I27 o investidor de maior sucesso e. entre os quais hebraico. e durante o almoço começamos â conversar sobre a históriâ cla análise cle investÌmentos. Depois do sucesso de O Tao de W(trren BuJkt\ estive com Davicl em Omaha. David Clark. Enquanto estava lá. fui nora cle Warren Buffert. de 1981 a 1993. conheci um pequeno grtrpo de estudantes aplicados que pesquisavam â sa- enriquecer c¡. The BulJettology Worhbooh (O manual da buffettologia) e The New But'Jettology (A nova buffettologia). Seus cadernos foranr 134 durável 138 cApi-luLo 53: Mais maneiras cle avaliar uma empresa com umâ vantagem competitiva cAfl ruro 54: Como Bu[[ert durável 140 determinr o momento certo para comprar umâ empresa a base que eu e ele usamos mais tarde para dâr forma aos best- -sellers internaclonais de investimentos O Ido de Warren Buffett. e bem antes do munclo fora de Wall Street ouvir lalar do ìnvestidor. ar¡\r'Írur.pÍrul-o 50: Recompra de aÇoes: o método isenlo cle impostos de Buffett para aumentar o patrlmônio dos acionistas A AVALIAÇAO DA EMPRESA COM UMA VANTAGEM COMPETITIVA DU RÁVEL bedo¡ia do mestre e que se autoclenominavam "buflettologistas". em 2007. chinês e russo. cada vez maior criaclo pela vantagem competitiva 12 anos. no encontro anual da Berkshire Hathaway. um dos buffettologistas de maior sucesso. ¿ìtualmente publicaclos em 17 idiomas. no fim do sécnlo XIX e no inÍcio do XX.¡r.\pirulo 48: A demonstraçáo de fluxo de caixa: aonde Buffett vai para achar o clinheiro 124 D. havia adaptado as 9 .^trt. 130 Logo após me casar com Peter.r¡ 47: O problema cla alavancagem e as slrpresas que ela pode causar 120 INTRODUÇAO A DEMONSTRAÇÂO DE FLUXO DE CAIXA c. o maior filantropo do mundo. atualmente .

s. depois de iniciar sua carreira com Glaham. O métoclo cle Buf fctt também informava se a empresa em questão tinha ou n¿io L(nliì vanragem competitiva duráve1 que o tornaria riquíssimo no lorr¡io prazo. possibilitanclo cluc haviam acarretado a queda verliginosa da cotação de suas açöcs. por outro lado. Um livro que não apenas expìicasse o que são balancos patrimoniais e demonstraçóes do resultado do exercÍcio. Eu tinha em mente um livro direto e simples que ensinasse os invesridores a interpretar as demonstrações financeiras de uma companhia e procurar os mesmos tipos de organização que Buffett.rcro suficiente para tirála dos apuros econômicos aquelas companhias maravilhosamente rentáveis.. l0 tt . Ao mesmo tempo. ele caía fora.'' : t(:cnicls inicrâis de análise de rírulos para a análise de açoes r. comeÇamos a envia¡ um para o outro os capítulos do livro que está em Suas mãos âgora. mesmo ¡ragando um preço justo. Ele não estava in[eressado em ter participâção em uma orgirnização por 10 ou 20 anos. Embora baseado na vclha linguagem de Graham. Ele constatou que. David adorou a ideia e. o fenomenal poder de geração cle riclue- ì. ele simplesmente não embarcou naquele que o tcrÌa t¡ansformado. lsso não significa que Graham percleu o barco. como aconteceu com Buffett em 2008. descobriu a tremenda geração cle riqueza de uma cftìpresa que tinha uma vantagem competitìva de longo prazo em relação às suas concorrentes. mas que apontâsse o que os investidores devem procurar se.: zr de longo prazo de uma empresa com uma vantagem competitiva durável em relação às concorrentes.-. Graham provavelmente te¡ia dito que todas essas empresas têm cotaÇÕes excessivas. Se a cotâção náo se movesse ctcpois cle doìs anos. perguntei a Davicl se ele julgava possível criar um guia sucinto e lácil de usar para interpretar as demonsLraçóes financeiras de uma empresa utilizando o conjunto único cìe ferramentas que Buffett havia desenvolvido para descobrir tLinÍr'i.rclo em saber se a companhia tinha ou não capaciclacle cle gctrcão cìe L. mals rico ficaria. Ele desenvolveu um conjunto único de ferramentas analíticas para iclentilicar essas empresas especiaLs.de a dar o mesmo salto qualitativo do megainvestidor. seu novo método possibilÌtava quc que você vá âlém dos velhos modelos de avaliação de Graham e descubra. como Buffett. mas Bullett percebeu que não precisava esperar que o mercado acionário oferecesse uma cotação de barganha e que. no hr¡me m mais rico do mundo. como Buffet¡. Esperamos que Warren BulJett e a anúIise de balanços o aj'.rr Ao fim do almoço. M¿\RY BUFFE-T-T ele cleterminasse se uma empresa podia sobreviver aos problcnìas que estava enlrentando no momento.ì ::. vocè vai se libertar das custosas manipulaÇoes do mercado linanceiro e terá a oportunj. . Ele só estava intercss.clade de se unir ao crescente número de investidores inteligentes de todo o mundo que esrão se tornando rremenclamenle ricos ao seguir os passos desse investidor lendário e brilhante. Br-rlfetr.rs. poderla ficar riquíssimo com aquèlas cmpresas. esliverem em busca de uma empresa que tenha uma vântagem competitiva de longo prazo. cluanto rnais tempo você mantivesse sua pârticipaÇão em uma dessas cornpanhias fantásticas. em um mês. ñlas Grahan nunca fez clistinção en[re as empresas que pos.i:..llìcur urìla vântagem competitivâ de longo prazo e as que não llo$srrcrll em reiação às suas concortentes.

CAPiTULo I A grande revelação que fez de Warren Buffett pessoa mâis rica do mundo a D lara entenclel esta grande revelação.fundos mútuos. ao moclo clos especuladores. Esse é o idíoma dos negocios. alarcleando seus resultados anuais cor¡o isca publicitária para um público mÍope e ávido por enricluecer rapidamente. Se a aÇão não avança em alguns meses. O grancle "Diamond" Jin-r Brady e Bernard Baruch lbram apenas alguns dos c¡ue chamaram a atenÇão do púbhco como gtancles investidores de sua época. Se âs açoes de uma em13 . um idioma inperJeito. alguns dessesjogadores obtiveram gran<le riqueza e proeminência. Em seus primórdios. d menos tlisposto - a clLLe esteict Jazer o est'orço rle aprencler contabiliclnde como ler e analisar cletnonstrações Jinanceiras -. Os melhores jogadores dessa nova geração desenvolveram programas cle computaclor complexos a fim cle meclir a velocidade em lbrar quanclo sáo qLrc uma cotação está subindo ou caindo. Em tempos modernos. nao cleveria escolher açoes por conta propria. nos últimos 200 anos Wall Street também tem funcìonado como Lrm grande cassino no qual jogaclores. eles ¿r venclem e saem à procura de out¡a. lundos hedge e sociedades de investimento .substituÍram os grancles especuladores de antigamente. läzem grandes apostas na direção das cotâÇoes das aÇoes." WARREN BUFFETT ra pteste mui[os serviços para empresas. comprando quando as notícias são boas e caindo ruins. os especulaclores do mercado acionário tenclem a ser i¡rconstantes. Embo"Voc¿ prectsd entender de contabilidade e deve compreencler cLs nLLdnces dessa ciência. os investidores institucionais . precisamos compreencier a natureza clas Bolsas cle Valores e de seus maiores players. Os investidores institucionais se "vendem" para os cìientes como analistas de açóes altamente capacitaclos. Tornaram-se pcrsonagens interessan- les sobre os quais as pessoas adoravam ler na imprensa especia- lizada. porém. Em geral.

No inÍcio da década de 1930. quando perdem dinheiro. quando estavam domìnâdos por seu frenesi especulativo. O que temos de perceber. aqueles investidores às vezes faziam com cLue as cotaçóes subissem até atingir nÍveis ¡itlÍculos cm lelação às realidacles econômicas de longo prazo do mercaclo cm que as empresas âtuavam. no curto prazo. na verdade. na década cle I950. lsso cria muita movi- nìclìtiìçâo cle compra e venda de milhares de açoes dilerentes. Depois que G¡aham se aposentou. onde Leve tempo de pensar sobre a metodologia cle G¡aham longe da multidao enlouquecedora de Wall Street. Mas.r l0 vezes o lucro de uma empresa e vender a ação se ela subisse 50olo. fez com que as cotaçÕes das açöes chegassem tinham em caixa. não se impoltava com o tipo de empresa que estava compranclo. os clientes (se aincla tiverem algum dinheiro sobrando) pegam o que sobrou e vào embora à procura de um novo analista que escolha açóes Ele chegou à conclusão c1e que.tuação da companhia dali a 10 anos. no enlanto. Quanclo começou a praticar o investimento em valor nos idos da d¿cada de 1930. não levavam cltt contâ âs perspectivas de longo prazo das companhias. Graham foi o pai desse paradigma de investimento. Também percebeu que aquelcs ncsmos famosos investidores às vezes provocavam a quecla cLlts àçöcs a nÍvels insanos que. o mercado acabaria por reconhecer o seu erro e as reavaliaria para crma. toda companhia tinha um preço no qual se tornava uma llsse frenesi especulativo de compra e venda vem acontecenclo barganha. Gestores de Iunclos herþ usam esse sistema e podem ganhar muitíssimo druhcilo pala seus clientes. e clepois. E. se comprasse aquelas "empre- sas subvalorizadas". Depois que isso acontecesse. é que ele. como nuncâ pagar cotâçóes a despencar. um jovem e empreendedor ana- lista cle Wall Street chamado Benjamin Graham percebeu que a rnaiorra dos maj. Buffett aprendeu sobre investimento em valor com Graham na Universidade de Columbia. pouco antes deste se aposentar. o computadÒt as compra. veio a quebra da Bolsa. da mesma forma. Era ncsscr. recomendando a leitura das demonstrâçóes linanceiras de mia sua perspectiva erâ lhales cle empresas. percebeu algumas coisas inquietanles nos fnsinanìenlos cle seu mentor. se rst¿h cainclo rápido. foi trabalhar para ele como analista em sua lìrma em Wall Street. ele pode- ria vendê-las com lucro. mas. Uma das maiores agitaçoes de todos os tempos. na verdade.ìr L{nr:r ação num dia e vendê-la no dia seguinte.s famosos investidores em aÇoes não dava a mÍ- nima importância parâ os âspectos econômicos de ìongo prazo clas empresas que estavam compranclo e vendendo. Sim. O único [ator relevante era se as cotaçoes das açÕes estavam. Também aplicava outros parâmelros. Buffett voltou para a sua Omaha natal. llu|anLe esse período. subinclo ou caindo. que ajudou a instruir o jovem Warren na arle de identrficar situaçóes de subvalorização. Ele chamava isso de "comprar um dólar por 50 à estratosfera. estivessem senclo negociadas a menos da metade do valor que elas na clécacla de 1920. ele se concentrava em achar empresâs que há muito tempo. t. ele não tinha interesse algum na sj. mais clo clue pala eles. Nro é incomum para esses investidores info¡matizados compr.l)rr5íì cst¿ìo sLlbin([o rápìclo o bastante. Essa é a base do que conhecernos hoje como investimento em valor. Graham também percebeu que. Mas há uma cilada: eles também pocicm perder altas somas. um pouco mais longa do que a dos especulaclores de Wall Street. Em seu mundo. L¿. Se nâo subisse em clois anos. nlvcis insanamente baixos c1r-re Graham via uma opot tr-tniclreltr lhntástic:r pala ganhar clinhei¡o. l5 . levanclo as centavos". o compllrador as vencle. com cotÍlçÒes abaixo de seu valor intrínseco de longo prazo. em ]"929. ele a vendla cle qual- querjeito. Buffett trabalhou ao lado do famoso investidor em valor Walter Schloss.

quanto mais para baixo os especuladores de Wall Street jogas- pr^zo Íao fantástìcos. sair ganhando. acab¿rvrm imlo À falência. Havia mais uma coisa que Buflett considerava ainda mais mágica do ponto de vista financei¡o. possibilitando que elas cobrassem mais ou vendessem mais produros. não havia chance de aquelas e Graham haviam comprado e posteriormente vendido por causa cla regra dos 50o/o continuavam a prosperar ano íìpós ano. A cotação mais baixa das Ciraham as havia vendiclo. muitas vezes. você precìsava aumentar o risco subjacente. também havia umas poucas perdedoras. Isso signiflcava que.se: losse "cltrriivel" -. muitas de srri. no fim das contas. Buffett percebeu c¡ue nào precisava mais esperar que Wall Street oferecesse uma barganha. Para facilitar ainda mais as coisas. Buffett decidiu que podia melhorar o clesempenho do seu mcntor aprendenclo mais sobre economìa empresarial daquelas å açoes também signilicava maior potencial de valorização e obtenção de gânhos.por meio dos investidores em valor ou dos especuladores. \) Ele também percebeu que o mercado . Em cada grupo de companhias vence- llorts. na verclade. [le podia Buttctr râmbém percebeu que. Por causa cle um aumento continlro (lo sas e.þ' lô um investimento no qua1. mas tivessem saltado bem antes de terem chegado à estaçào porque não sabiam para onde o trem estava indo. Era como se a vantagem competitiva durável da empresa tornasse aqueles investimentos uma profecia que subvalorizadas" permaneciam subvalorizadas. começou a estudar as suas demonstraçöes Tudo isso era uma contradição complera da máxima de Wall financeìras. ao rnesmo tempo. enquanto seu risco climinuÍa. para maximizar seus ganhos. E quanto mais tempo ele mantÌvesse aquelas participaçÕes. continha 100 empresas ou mais. podia efetivamente adiar 17 . ou de uma combinação dos dois . "superestrelas". então o seu valo¡ subjacente continualia a aumcntâr âno allós ano.já delicioso. Era como se eles tivessem comprado passagens para uma viagem de trem até Bonança. a companhias algum dia declararem falência. menor seria o risco de ele perder seu clinheiro ao comprar umâ pârticipação. o seu potenciâl cle ganhos aumentava.rs "açoes valor subjacente da empresa.reconheceria em algum momento futuro o aumento do valor subjacente da companhia e empurraria a cotação cle suas aÇoes para cima.vrar de qualquer ação que nào subissc clepois de dois anos. fazia mais sentido para Buffett manter o iñvestimento pelo maior tempo possÍvel. constatou que as cotaçÕes das açöes dessas empresas estavam muito mais altas do que no momento em que -¡ sem a cotação das açoes. Ele clescobriu que todas aquelas "superestrelas" sebeneficiav¡m clt: rlgum Lipo de vantrgem competitiva que criâvâ uma situaçao cconômica semelhante a um monopólio. para acrescentar a cereja a um bolo . que reduziam mrrito o desempenho geral. clos investimentos: ganhavam muito mâis dinheiro do que as concorrentes. pagar um preço justo por uma daquelas superempre- investimento por tempo suficiente. Mas. se mantivesse o investimen!o no longo prazo e nunca o vendesse. Buffett havia clescoberto o Santo Graal cle longo .lc unÌa empresa pudesse ser manticla por um perÍoclo longo -. Dessa mancint. E.4 primeira era qne nem toclas as empresas subvâlorìzadas de raham eram reavaliadas para cima. Como tinham modelos de negócios tão fantásticos a seu favor.. algumas. Graham lentava se proteger dessa situîçâo com uma carteira de açoes amplamente diversificada c1uc. tendo maior oportuniclade de lucrar com a sua vantagem competiliva. percebeu que. contanto que mantivesse o . Ele também aclotava uma estratégia de se lj. ainda assim. se a vantagem competitiva . Buffetr clescobriu que um punhado de organizaçoes que ele se realizava sozinha. mais tempo teria para âproveitât as ótimas condiçoes econômicas subjacentes daquelas empresas. tentanclo entender o que as tornava investimentos St¡eet de que. Então.

4 bllháol E a melhor parte é que. Em 2008. uma empresa com uma vantagem competltlvâ durável. quando isso acontece. ¡rroclutos nunca precisam ser moclificaclos. teria vencticlo o rnvestimento de Buffett na Washtngton Post em 1976. ganhos intermitentes de l0olo ou 20%. Kraft.4600/o e. Coors. o que. Wall Street provavelmente teriam compraclo âçÕes mil vezes nos últimos 35 anos para obter IisLas cle açoes de c venclido essas comeÇarmos a proclrrâr a empresa que nos tornara Vender um produto exclusivo: esse é o mundo de Coca-Cola. Quer mascar urn chiclete? Você pensa na Wrigley. Glaham.. prestam um serviço exclusivo ou compram e vendem a baixo custo um produto ou serviço de que o público por aproximadamente US$ 16 milhóes. Procter & Gamble e Philìp Morris. E as coisas realmente melhoram com uma CocaPepsi. ou se¡â... Está com vontade de tomar luma cerveja gelada após um dj. e até hoje permanece fiei a esse invcslimento. A empresa também consegue tobrar preços mais altos e vencler uma quantidade maior dos sct. tsuffett gosta de pensar que essas companhias conquistarâm um lugar na mente clo consumidor e.l nì tt]stão sequer de imposto sobre seu ìucro. por outro laclo. Pior ainda. per'rritÌlt(lo (lLrc o seu investimento ficasse lsento de impostos lno lpós ano enquanto CAPÍTULo 2 Onde Buffett começa sua busca pela empresa excepcional fbsse mantido. L milhoes e ganhar US$ I. lil l9 . -C.ì. por rìuncâ te¡ vendido uma única ação. e teria pâgo um impos[o . Buffett percebeu que essas srìperempresâs têm três modelos básicos de negócios: vendem um produto exclusivo. sobre ganhos cle capital (o lucro).[he Washington Post Company.ola. pagando ìmpostos a cada vencla. Wrigley. como você ttescobrirá. criando todo tipo de eventos econômicos maravilhosos c¡ue apârecem em suas demonstraçóes financeiras.a cheio no trabalho? Você pensa na Budweiser. Buflett investiu US$ l1 mi- lhócs na . Nada mal em investir LJS$ l.. os renomaclos ana- Vamos analisar cacla um desses modelos. um jornal com uma viìÌìtâgem competitiva durável.4 bilhao..{ il. Por meio do processo de necessidade e experiência do consumidor. Vcjamos um exemplo: em 1973. o seu valor cresceu âré atingir estratosférico US$ 1. até hoje. é Írtil saber onde prûcurar. Buffett aincla não pagou r. Mas Buffett âproveitou o rnveslimento para obter o excep- cronal retorno de IZ. assrm. nos induziram a pensar neles quando vamos satisfazer uma necessldade. e da promoção publicrtána. sempre precisa.4 bilhao. esses fabricantes inseriram as histórias de seus produtos em nossâs mentes e.ts plocltrtos. iìrìi)()stos sobre ganhos de capital para um futuro distanLe. ^ Antes de ticos. ainda nao pagou nenhum tosl¿lo cle imposto sobre seu ganho de US$ 1. com sua regra dos 50%. seus :. é Lrm ponto favorável. The Washington Post. Hershe¡ Budweiser. 35 anos depois.

r Wclls l. cluando os principais talentos começaram a deixar a firma de com os melhores precos? Viì ao Wal-Mart. Quando você pensa em câlcular os seus impostos. Costcct. Porem. fiirmas que prestam serviços exclusivos e que conquistam umâ posiÇáo na mente do consumidor podem gerar margens melhores clo que as das companhias que vendem pt'oclutos.. Quer despachar os seus pertences para o oulro lado do paÍs? A Burlington Northe¡n S¿ìntâ Fe lìailway tem I melhor o munclo de Moody's Corp. Borsheim's Jewelers e Burlingron Northern Santa Fe Railway. A irnagem c[. E não é assim c¡ue os investidores ficam ricos. Em Omaha.r¿ìis estâo c1e dìspostas a pagar que as pessoas precisam e pelos - mas. O segredo é set ao mesmo tempo compraclol e vencledor a baixo custo. É simples assim: vencla um proclu[o ou serviço exclusivo ou seja o compraclor e vendedor a baixo custo de um procluto ou servìço e você irá lucrar. essas cnìprcsas plestâm serviços (lr. nâo emJack. pensou que es[ivesse compranclo uma instituição. o que deixa um total bem menor para os proprietários/âcionistas da empresa. O n'roclelo econômico de prestação de um se¡viÇo exclusivo pocte ser fenomenal. AnÌerlcan Express Co. quem precisa de um fogão novo vai atrás da maior variedacle e do melhor preço na Nebraska Furnitnre Mart. ou o aumento do volume mais do c¡ue compensll a reclução clas margens. não pessoas rspecÍlicâs. o sujeito na H&R BÌock que laz os cálculos. Aqui. o que permite que voce tenhâ margens mais altas do que as da concorrcncia e aincla scja u vcnclector a baixo custo de um produto ou serviÇo. ano após ano. Você morâ numa ciclacle pequena e quer a maior varieda- c clos actvogados. Quando Buffett comprou uma participaÇão no Salomon Brothers. The Service Master Co. essas empresas são instituiçÕes.r )0 2\ . os [uncionários podem exigir e obter uma grancle parte clo lucro.. e a levar consigo os mâiores clientes. t'lñR Ulock lnc. ele percebeu que se tratava cle uma empresa de talentos especÍficos.Vr:ntlcr trm scrviço exclusivo: esse é melhor preço clo mercaclo fica associada à ideia clo consumidor cle onde cornprar. as grandes margens são trocâdas pelo volume. Tal como os médicos e os advogaclos. Uma emptesa não precisa investir muito clinheiro reprojetando seus proclutos nem tem de gastar uma fortuna construindo uma fábrica ou a¡mazenando sua produção. pe nsa na H6zR Block.. Em firmas desse tipo. Comprar e vende¡ a baixo custo um procluto ou serviço cle que o púrblico sempre precisa: esse é o mundo de Wal-Mart. um banco de investimentos (agora parte do Citigroup). ::]: Nebraska Furniture Mart.argo & Co. como se tivesse quebrado a banca em Mon¡e Carlo. ao conlrário clos méclicos oferta.

e quanto ela deve. Se esla não precisa ficar mudando seus produtos. Com a análise da demonstração do resultado do exercÍcio de uma empresa. por sua vez. o que signilica que ela não precisa contrair muitas dívidas e.lornando os aclonrslas mâls rlcos Porlanto. O balanço patrimonial nos informa quanto dinheiro a emPresâ lem no banco. Ao subtrair o passivo do ativo oblemos o pâtrimônio liquido da companhia. o seu relorno sobre o parrimônio c. suas plol:lieclades. A Coca-Cola vende o rnesmo produto hâ I22 anos e muito provavelmente o venclerá pebs próximos séculos. seus estoques. T: . Buffett pocle determinar parâmetlos tais como as margens das vendas.CAPIIULO J CAPiTULo 4 Consistência é o caminho de Buffett para a riqueza Visão geral das demonstrações financeirâs: onde o ouro está escondido A scgundr grande revelaçio de Buffett ¿ que a "consistência" dâ vântagem competitiva gera toda a riqueza. Buffett está procurando consistência. ou seja.) 2i . evita que pague muitos juros.E por meio cla analise das demonstraçoes financeiras que Btrflett garimpa empresas com uma vantagem competitìva clurável. Assim. sobretudo. São elas que the inlormam se ele está analisando uma companhia medíocre. permitindo que acumule mui É essa consistência do to ctinheiro para expandir suas operaçÒes ou recomprar as açoes. também não precisa investir milhöes em pesquisa e clesenvolvimenlo nem terá de gastar bilhöes reequipando a sua fábrica para procluzir o modelo a ser lançado no ano que vem. o valor (p(e scus sócios possuem investido nela. ). o que chamamos de seu ativo. Os contadores clas empresas trâdicionalmente geram declaraçoes cle resultado para os âcionislas a cada trimestre e ao lìm do ano fiscal. Ac¡r-rcla companhia consislentemente tem margens brutas altas? '[em consistentemente pouca ou nenhuma dÍvida? NrTo preciszr gasta[ consistentemente grandes somas em pesquisa e desenv()lvimento? Apresenta lucros constantes? Apresenta um crescirrenlo conslante do lucro? É essa "consislência" que aparece nas cLemonsLraçoes lìnanceiras que indica a Buffett a "durabilictaclc" da vantagem competitiva da companhra. sempre atolada em resultados ruins. ou uma organização cLLìe tem uma vântagem competitiva durável e que vai torná- -lo ricluissimo. o clinheiro vai se multiplicando nos cofres cla companhia. suas contas a receber. A demonstraçáo do resukado clo exercício nos inl'orma quânLo dinheiro a empresa lucrou durante dete¡minado perÍodo. a constância e a clireção dos seus lucros. produto que cria a constância nos lucros cla empresa. Todos esses fatores são necessários para determinar se a companhia esLá ou não se beneficiando de uma vantagem competitiva clurável. c¡uando está analisando as demonstraçoes financeiras de umâ empresa. o balanço parrimonial e a clemonstraçào clc fluxo de caira. o que conhecemos como passivo. As demonstraçoes financeiras podem ser de três tipos: a demonstraÇão do resultado do exercicio. o cLue aumenta o lucro e a cotaçáo das suas aÇoes .

À esquercia. há um hiperlink parâ clocumentos J apresentados zì U.. as empresas gelaln Lìm balanço patrimo- trimestte e ao lìm do ano contábll olr fiscal. encontre o campo no qual deve digìtar o símbo- lo das cotaçoes das açoes em ambos os sires e clepois digite o nome da empresa. Também monitora as venclas e as recompras cle títulos e aÇoes.como a quantidade de ativo dÌsponÍvel da cnìpresâ ou o seu endividamento de longo prazo . Clique nele quando aparecer.com (http://moneycentral. iremos explorar itens e os indicadores da demônstração do resultado do exercicio.asp) ou c1a página de finanças do Yahool (www. todas as empresas cle capiral aberto clevem apresentar liir ctcmonstraçoes linanceiras à SEC. O relatório clcve ¡r: t lciLo ¿rpírs cacla unì (los très primeiros t¡imest¡es clo ano lìscal cla empresa e . Em cima disso. sob o cabecalho "SEC". Nós consultamos os dois sites. Securities and Exchange Commisslon (SEC).) 25 .com. Nos capítulos a seguir. esses clocumentos sao conhecidos como 10Qs. Uma empresa geralmente emile uma clernons[raçao de fluxo de caixa junto de suas outras demonstraçeres \_f 1\a moderna era dr internet. por suâ vez. oferece demonstraçóes financeiras mais detalhaclas. hâ clezenas de lonres nas quâis podemos facilmente encontrar as demonstraçöes financeiras de uma empresa. mas o MSN. A cada trimestre. do balanço patrimonial e da demonstração de fluxo de caixa clue Buffett usa para descobrir se a cmpresa em questão tem ou nào uma vantagem competitiva durável c¡ue o tornará rico no cletalhadamente os Para começar. Essa clemonstrâçao serve parra monitorar quanto dinheiro a companhia está gastanclo em melhorias dos at'ivos fixos. equivalente à Comissão de Valores Mobìliários brasileira. Buffett aprendeu a usar alguns dos itens clo balanço patrimonial .S.msn. à demonstraÇão do resultado do exercício e à demonstraçâo de fluxo de caixa. você longo prazo. da M'icrosoft NeLwork. O acesso mais fácil é por meio do MSN. sob o qual estão três hiperlinks c¡ue o levarão ao balanço patrimonial.com). acompanha 0 clinhei¡o que entra e sai da empresa. financeiras. clo E. verá o cabeçalho "Finance". a cada t¡lr¡estÌe peÌa maiot partc clas emptesas tncluias clemonsttaçòes financeiras e lornecc um pânoraÍt¿t (:ontírìuo cla concliÇão financeira da empresa ao longo clo ano. e tanto o MSN.com/investor/home.ù Também é apresentado à SEC um documen- ' iìclatório apresentaclo à SEC rlc câpitnl aberto.linanceyahoo. com quânto o Yahoo! irão cli¡ecìonálo para a página contendo a cotação das açóes da companhia em questão.como indican irrl ¡rala os acionistas ao lìm cAPÍTULo 5 cle cada Onde Buffett vai buscar informações financeiras 'Jl clores da exis[ência de uma vantagem competitiva durável.ìcr ilprcsenti(io à SEC em até 45 clias após o fim cle cacla trimestre (N. A cleûìonstração de fltrxo de caixa.'Ll'rclicionalmente.

Fxistem outrâs fontes de consulta importantes. I t . pois esses documentos representam os melhores A DEMONSTRAÇAO DO RESULTADO DO EXERCICIO nele. relatórìos linanceiros. como a Comissão cie Valores Mobiliárlos (www." t()rieù (le cotiìÇoes rlas açöes. Ao entrrr arrcls. da BM6¡F Bovespa.to rhanlrclo I0K.cvm. 'W¡nnrr Bu¡¡rlr - . É possível acessar dados da companhia e de seus principais acionistas. que Îoi criada em 2008 com a integraÇão entre a Bolsa cle Mercadorias & Futuros (tlMÂzF) e a Bolsa cle Valores de Sào Paulo (Bovespx). No Brasil. Buffett leu milhares de lOKs ao longo dos relalórios clos núrme¡os de uma empresa. mas o melhor lugar para encontrar toclos os dados é a BMF& Bovespa. clue é o relatório antral da empresa. a melhor fonte de consulta disponÍvel é o site wwwbmfbovespa.¡ti "Alguns homens leem a Playboy." W¡nn¡N Br lsr¡rr .com. Nele estão corìticlîs as clemonstraçöes [inanceiras da companhìa para aquele ano contáL¡il ou fiscal. a Bloomberg e portais como Terra e UOL.br.¡ . em segulcla. sem todas as firulas que podem ser colocadas no relatório anual apresentado aos acionistas. Eu leio relatórios anuais. pesquisar â emplesa na qual está interessado. informaçóes relevantes e o his- "E necessario ler um zilhao de relatórios anuais e demonstraçoes financeírus cle empresas.br).org. você deve clìcar em aÇöes e.

Para ele. Tradicionalmente... Ele compraria uma participaçâo em uma empresa ruim num piscar de olhos se achasse que po- Demonstração do resultâdo do exercício (em milhóes de R$) deria obter um preÇo suficientemente baixo. dividir o mundo corporativo 7.po de margens tinha. as clespesas. o qLle rìos informa se a empresâ teve lucro ou prejuizo. cle lo de janeiro cle 2007 a 3l cle dezemb¡o de 2007.000 A sacada de Buffett foì. se precisava gastar muito com pesquisa e desenvolvimento para manler sua senrpre começr pel:r clemonstr-açio do resLtltado clo exerct- vântagem competitiva e se erâ necessário usar muita alavanca- cio.200 200 1. ger¿ìs e êdminjstr¿tìvas 2.Nos primórdìos da análise de açoes.. Buffett percebeu que os componentes individuais da demonstração do ¡esultado do exercício podiam revelar se a empresa possuÍa a vantagem competitiva durável de longo prazo geradora da ri c¡ueza extraordinária que ele lanlo cobÌçava. Graham não se importava se a conrpanhia erâ um empreendimento excepcional com condiçóes econômicas a seu favor ou se era um clos milhares cle negócios medÍocres que lutavam para sobreviver.500 525 91\ - essas organizações o tornariam rico se ele conseguisse comprar suas aÇöes a uma cotacão justa e mantêlas por tempo suliciente . que são subtraÍclas cla receita.por exemplo. Não apenas se ela ganhara dinheiro. O que as tornrvr investi- mentos ruins a longo prazo.000 Receilê custo dos bens vendidos Lucro bruto 3. - e empresas medÍocres que se esforçavam para sobreviver. Ela revela ao investidor os restlltados das operaçóes da empresa em cleterminado perÍodo. 2fÌ 29 . ano após f. é apresentada a cacla gem para ganhar dinheiro. Em sua busca por uma dessas companhias incríveis. em parte. como Benjamin Graham. mas que tì.000 em clois grupos cliferentes: empresas excelentes que tinham uma vânlâgem competitiva durável em relação às suâs concorrentes De5pesas operacionais Despesãs de vendas. os principâis analistas. se concen[râvâm simplesmente no fato cle a companhia gerar ou nâo lucro e davam pouca ou nenhuma atenÇão à viabiÌidade de longo prazo de cÁPiTrJt-tl 6 Por onde Buffett começa: a demonstração do resultado do exercício sua fonte de receita.no. óullctt 700 1.275 225 Oulros Lucro antes dos imposlos lmposto de ¡endâ pago Lucro líquido E) . A clerlonstração clo resultaclo do exercicio tem très conPonen- im de conhecer a natureza clo motor econômico cle uma empresa.tipo de inlolmação que Buffett gârimpa nas demonstrações de resultado a fim clo ano e fica claro o perÍoclo a que se refere . Esses fatores englobam o . o mento¡ de Buffett. trimestre e ao f tcs básicos: a receila. pm um mcrca(lù eùmpelitivo. 10. a fonte do lucro é sempre mais imporlante do que o próprio lucro.100 Pesquisã e desenvolvimento 1.000 Deprecjaçáo Lucro operacional Despesa com jLrros Ganho (perda) com a venda de ativos 3.

000 Custo dos bens vendidos LLrcro l 10. quanto mais baixo melhor ! Demonslrâção do resultado do exerclcio (em milhóes de R$) J 3. Llm exemplo simples cle como umâ empresa pocle calcular o iì{u cLrsto dos bens vendidos seria: comece informândo o custo ù iìsloclue cla en'rpresa no ìnÍcio do ano.lo R$ 120milhoesemum ano. lodavia. 3 000 7 000 '. Lìullctt começa uma longa e minuciosa âptlração das despesas. A cilra da receita total por si só não nos revela nada até subIr¿ìirmos as despesas e descobrirmos qual é a receita lÍquicla.cAPÍTULO 7 CAPiTULo 8 Receita: por onde o dinheiro entra Custo dos bens vendidos: para Buffett. Porc¡ue ele sabe que um dos grandes segredos para se ganhar Lnais clinheiro é gastar menos dinheiro.000 Receitã 7 000 bruio Demonstrãção do resultado do exercí(ìo (em milhöes de R$) Receita -+ : Lucro bruto primcira linha de demonslrrçào do resuìtado do exercicio c sempre â receita total ou bruta.é necessário deduzir as clespesas da receita total. "Custo das vendas" em geral é usado lugar de "custo dos bens venclidos" se a companhia estiver fbrr-recendo serviços em vez de produtos.000 Custo dos bens vendidos l. se uma l() JI . \Ì A 10. bem embaixo da iinha da Receita. clepois. Sempre temos de ìnvestigar exatamente o que a empresa tslá incluinclo em seus cálculos cle custo dos bens vendiclos ou ruo tlc custo das vendas. o lato de ter uma receitâ aka não significa que uma cmpresa está tendo lucro . acìì. Depois cle dar uma olhada na receita [otal cle uma companhla. São essencialmente a nlesma coisa . encontra-se o Cusro dos bens vendidos. Se estivermos procluzindo caìçados e tivermos vendi.m. essa é a receita que iremos informar naquele ano em noss¿l clemonstraÇão do resultado do exercÍcio. sublraia o valor Ýn clinheiro do esloque restante no tìm do ano.mas um é Ìigerramente mais abrangente clo que o otrtro. Ele represenla o custo cler compra de bens que a empresa está revendendo ou o custo da ruratéria-prima e da máo de obra usadas na fabricação dos pro(tutos que está vendendo. Assj. também conhecido como Cus[o das vendas. que é ¡elatado trimestrâl ou anualmente. lsso nos dá uma boa ideia de como a equipe ilc gcslão está pensando a resperto da companhia.\r clemonstraçào clo resultado do exercício.cione o crìsto para $lurìcntar o estoque clurante o ano e. Receita total menos clespesas é igual a receita lÍquicla. lrata-se do volume de produtos ou serviÇos vendiclos pela empresa duranle o período em cLuestão.

uto da companhia.a calcular a mâlgem cie Luc¡o brulo cla empresa. com as qr"tais pocle lucrar no longo plazo.cornpanhia começa o ano com R$ tO milhoes em estoque. oblenos o l-ucro bruto: a quanticlacle cle clinheiro c¡ue ela ganhou com su?ì receita total após snbû-. que é uma cifra fundamental para ajuclar Buffett a Demonstraçåo do resultado clo exercic¡o (em milhões de R$) estabelecer se ela tem ou náo uma vantagem competitiva de lon- go prazo. Ele clescobriu rlue companhias com excelentes conctiçoes econômicas cle longo prazo lttncionanclo a seu 'll l-l .000 Locro bruto 7 000 Lucro brukr R$ 7. ) r 10 000 Receil¿ Custo dos bens vendidos 3. cleprecÌurção e tlespesa comJuros.IULO 9 Lucro bruto/Margem de lucro bruto: números essenciais para Buffett em sua busca por investimento de longo prazo cujo valor é de R$ 7 mìlhÕes.. o custo dos bens vendidos por si só é essencial para determinar o Lucro br-. Por si só. c¡ue porle nos inlormtrr muito sobre â suâ natureza economtc¿t Lucro bruto * Reccita total = Vlalgctr cLe lucrr l¡ruto A perspecriva clc Iluffett é procurâr cornpanhias que tenham algum tipo cle vanlagem competiliv¿1 cli¡rável. Embora não nos revele muito acerca do fato cle â empresa ter ou náo uma vantagem competitiva durável. o lncro brnto nos revela muito pouco. mas poclemos Lìsâr esse núrmcro par. Não inclui categorias como clespcsas cte venclas e'aclministrativas.000 Se subtrairrnos " Receita R$ [0. gasta lì$ 2 milhOes em compras e termina o perÍodo com um estoque CAPi. Discutiremos isso mais cletalhadamente no próximo capítulo.air os cuslos rle mâtériâ-prima e mào de obra usadas para procluzir os bens. o cusro dos bens naquele perÍocio seria de R$ 5 milhoes.000 = ìvlargcû dc lucro b¡uLo 70% cla Receita total cla empresa o valor informaclo como Custo clos bens venclÌclos.

Qualquer um clesses très custos pocle clestruir as condlções econômicas da pelcler-. nunca vai nos tornar rico5 no longo prazo. 5lo/o. a empresa de rírtíng Moody's.. Buffett sabe qne. Como uma regra muito geral (e existem exceçóes): empresas com margens de lucro bruto de 40% ou superiores tenclem a ter algum tipo de vantagem competitiva durável. Uma margem de lucro bruro de 20% ou inferior costuma scr um borL indicador de um setor extremamente competitivo. está atolacla em pouco impressionanles 20olo. Sem possuir uma vanlâgem competitiva. E uma companhia em um selor extremamen[e concorrido. como a United Airlines. portânto. tsuffett enfatizâ muito a palavra "clurável" e. a antes problemática mas atualmente rentável U. as companhias têm de reduzir o preço do procluto ou serviço que esrão vendenclo. Essa queda. Compare essas excelentes companhias com várias ouLras que conhecemos e que têm condiçôes econômicas de longo prazo luins. oulra é ter aìtos custos de pesquisa e rur. o preço de seus produtos e serviços bem acima dos custos. que apresen[a uma margem de lucro bruto constante de 60% ou superior. O que gera uma alta margem de lucro bruto é a vantagem cÕmpetitiva durável da empresa. reduz suas margens de lucro e. As margens cle luc¡o bruto de empresas que Buffet já identifi- cou como lendo uma vantagem compelitiva durável são as das seguintes organizaçoes: a Coca-Cola. sua rentabilidade.10% em geral atuam em se[ores altâmente compeLitivos. e a Goodyear Tire. 73%.lavor Lenctem â ter margens de lucro bruto clnstdntemente mats altas cLo clue as outras. em uma economia ruìm. temos de moni.torâr as margens anuais cle lucro brulo clos últimos 10 anos para garantir que há "consistência". Uma clelas é ter muitas clespesas de vcnclas e aclministrativas. para que tenhamos segurânça. c¡uando procuramos orgânizaçóes conì uma vantagem : I competitìva clurável. a problemática montadora General Motors. mas que. que vive entrando e saindo cla bancarrota e tem uma margem de luc¡o bruto de 14%. cujos pneus roclam em qualquer terreno. é claro. nos quais a concorrênci¿Ì eslá aletancto as margens de lucro geral (existem exceÇóes aqui tambi:n. 6lolo. o teste cla margem cle lucro bruto é um dos primeilos indicador-es de que a empresâ em questao tem algum tipo cle vantâgem compelitiva clurável constante. sem clualquer tipo de vântagem competitiva a seu favor. e a Wrigley Co. o cûrpÌesa. Steel. Embora nao seja à prova de falhas.r). com meros 17%. "consistência" é a palavra-chave. a Burlington Norrhern Santa Fe Railway.na terceira é ter altos custos de juros sobre cLÍvidas. que the proporciona a liberdacle i tiva sustentável em relação às concorrenles. Companhias coìn margens cle lucro bruro abaìxo de .S. Mas uma empresa com uma margem alta de lucro bruto pocle rumo de várias maneiras e ser privada de sua vanlagem competitivâ de longo prazo. que alcança parcos 2l%. no qurl nenhuma empresa pocle criar uma vantagem competrcle estabelecer l+ 35 .

t¿is tlcslrcsas variam muilo cle empr-esa para etrrpresa. |. gerais e adnìinistratlvas 2 100 Pesquisa e desenvo vimento 1.rs VCìA.rs incluem os salários cla gerência.ueza econômica cle longo plzrzo cl:r companhia.lesse tipo. ':r:: ' :: aclminislrativas (VCìA) c¡ue a ernpresa inlorma fais clcspes. Ao serem somados. Como toclos esses lançamcnlos causan-L impacto n¿r rliì[l.judiciais.C rr Pl' r LrLO Ì0 cÀPiTULo 11 Despesas operacionais: sob o olhar atento de Buffett Despesas de vendas.200 linha clo Lnclo bruto na clemonstração clo resulIaclo clo exercício vem um gr tqro cle clespesas chamaclas operacio- Na nais. essas cìespe sars alin{rrÌl a casa clos bilhoes e câusam um [ren-Lcnclo impacLo em setl rlstrlt:rclo hnal.000 Receita Custo dos bens vendidos Lucro bauto ') Demonstração do resultado do exercicio (em mihóes de R5) L 3. gerais e e aclminislra[ivas para a comercialização clos procltrtos. custas.000 Depreciaçåo LLrcÍo operacional 10 000 Receita 3. é: melhor tteclicaLmos os próxlmos capítulos a ulna análise cle cacla um rlcl¡:s.ssoes. conslanLemenle. com vragens. como Bullett faria. bem como toclas as clespesas gerais e aclministraLivas dllrânle o períoclo contábiì Logo:rbrixo cte ctc venclas. Como Lrìna porcenLagem clo lucro bruto. gerais e acln'rinistrativas 1 Pesquisa e desenvolvimento 700 Deprec¡açáo 2AO Lucro operac ona I 000 100 3. pesqlus¿r e clesenvolvimento de novos proclutos.m uma companhia como ¿r Coca-Cola. c¡ue inclui torlt5 r) (lespesiìs nto opcrtcioníìi5 e n. Vâriâm a[é em rr r'¡1:r n iz:rcircs como a Coca-Cola. cLue sào então subtraÍclas clo hrcro bruto para nos informal o lucro ou o preillízo operacional clzr emptesa.iv¡ cturá\. esses lançamenLos correspondem às despesas operacionais totâis dâ empresâ."11 .000 7 000 3 I ) Despesãs 2. Uma empre sa como a ìvloocly's il . en'r n'réclia. comj. rlue tem uma vânlagem coni¡'lil.'Lr lucro brulo cm clespes:.000 7 000 Custo dos bens vendldos r Despesâs operacionais Lucro bruto Despe5di o[ìetàctonats Despesas de vendas. toclos os cusLos rh lòlha cle pagamenLos e gastos. gerais e administrativas i Demonstração do resultado do exercic¡o (em m lhóes de R$) I 10.e1.ru rcLùrr(nlsr. esla gilsla. 59% c]o :i¡. Trata-se cte toclos os cuslos associaclos a clespesas cle venclas snas ctespesas cliretas e incltretas corn venclas. ciepreciação e amortizaÇão (encargos cle cleLerioração) e a abrangenLe categoria "ou[ros".100 de vendas. é t'to ilem l)espesas :. gastos com publiciclacle. lir ctemonstraçaìo clo ¡esnkaclo clo exercÍcLo.

quanto mals baixas forem as clespesas VGA. porque sabe qLre suas conc'liçoes econômicas cle longo prazo inerentes são tão ruins que mesmo uma cotação baixa clas açöes não salvará os inveslidores ile toda uma vida de resuhaclos medíocres. Bnllett aprendeu a ficar longe de companhias amaldiçoadas com despesas VGA constantemente altas. ) va durável. . O que acontece é que as vendas começam a cair. o que significa que está perdendo clinheiro loucamente. A lntel é um exemplo pertêito de uma empresa qlre tem Lrm coefrciente baixo cle despesas VGA em relação ao lucro bruto n1¿ìs cLlre.arrastam a fabricante de pneus para o vermelho [ocla vez què há recessão. Também existem empresas com ciespesas VGA baixas e méclias c¡ue destroem as suas condiçóes econômicâs de longo prazo com altos custos cle pescluisa e clesenvolvimenro. por causa clos altos clrstos com pesquisa e desenvolviruento. é provável que estejamos lidanclo com um setor altamente competitivo. nos úìtimos cinco anos. 25olo. A Ford. No entanto. a despeito da cotação. em média. Entretanto. .s o seu lucro bruto. No mundo dos negócios. e considerado fantástico. e a Procter & Gamble gas- um patamar médlo. se não contraÍsse clívidas para realizar todos aqueles dispêndios/ melhorias com a[ivos fixos. dispêndios com ativos lixos e/ou despesas com juros sobre as suas dívidas. gastoll entre 89o/o e 7BOÕ/o clo seu luc¡o bruto com clespesas VGA. quaìc1uer número abaixo de 30% a em relação ao lucro bruto. Mas. a Gooclyear não petmaneceria competitivâ por muito tempo. Ele evìta empresas clesse tipo. melhor. começa a dilapidar cada vez mai.sobre a dívicla usada para [rnanciar seu clispêndio com ativos fixos . viu suâs concliçoes econômicas de longo prazo serem l¡r 39 .' Na busca por uma complnhra Lom uma vantrgem competiti- l. As companhias que não têm uma vantagem competitivâ durável sofrem com a concorrência inlensa e mostrâm grandes variaçoes nas despesas VGA como porcentagem do lucro bruto. No entan[o. se virmos uma organização que está repeticlamente rnoslranclo despesas VGA acima de B0o/o. mas as l l clespesas VGA permanecem as mesmas. no c¡ual nenhuma companhia tem uma vântâgem competitiva sustentável. ao longo dos últimos cinco ânos. o seu atual lote de produtos ficaria obsole[o em 10 anos e ela teria de fechar. A Goodyear Tire tem um coeficiente de 72o/o de despesas VGA reduzidas Ia constantemente 6Ì%. passou cle um palamar de gasto cle 28olo para um de 83o/o clo seu lucro bruto com clespesas VGA. :t Se lor possível mantê-lâs constanLemenLe baixas. se a lntel parasse de reaìizar pesquisa e desenvolvimenlo. há várias empresâs que possuem uma vantagem competitiva durável cuias despesas VGA se encontram numa faixa entre 30% e 80%. melhor ainda. A GM. "Constantemente" é a palavra-chave. o que signilìca uma quecla na receila. mas seu alto dispêndio cont ativos Iixos e suas despesas com juros . Se a empresa não con- segue cortáJas suficien¡emente rápiclo.gasta conslanlemente.

lisa c cle scnr. Buffett não precisa passar-. [']. mas c¡ue tem de fäzel n-ruita publicidacle.rsl:rr enormcs c¡uanti- rlrrlcs cle ctinheiro com P&D.000 se não o lizer.se tornanclo a obsolescência cle amanhã. El¿ì não tem ciespesas cle PcAD e gasta ern méclia apenas 25% do seu lucro bruLo com clespesas VGA. O que parece Llma vantagem competrtrva cte longo prazo mlulas vezes é Llmâ \¡antagen confcricla à companhia por uma pa[ente ou algnm avanço lecnológico.( (VGÂ).nportanle para iclentilìcarmos empresas com Ltma vÂnIagem competitiva clltrável.000 Lucro bruto 7.npresas lãtmaceuLicas. Despe5as de vendas. eLn algum momento. gerais e aclministrativa. r regra dc Brrflctt: crnplcsrs rlrre ¡rreL islnt invcctit' rÌìtrito em P6qD têm um lalha inerenle em sua vanta€îem competitÌva que vai sempre pôr suas condiçoes econôrnicas de longo l)r. çJeÉis e administrat v¿ìs Pesquisa e desenvol/imento Depreciação 2. embora seja lÍder.olvtmento é muilo ir. l:is. en'rpresa cle ra¿ilg cle titulos. é há muito tempo uma clas lavoritas cle Buffett. A vantagem competìtìvâ cle hoje poclc acabar. como no caso das er. A Coca-Cola. Lambérn reprojetam e atu¿ìli- o l2 prograrras significa qlre tambéÌn tem clespesas cle venclas e aclministrarivas muito grandes. perclerá a suâ vanLagem compêlitiva em apenas Re(eita -+ r0. aincLa LJ íìssim gasta em méclia 59olo clo rLem lcsLLr.000 700 Lucro operàcional 3 200 r\ ùloocly's.100 1. E por-isso que a Microsolt Letn tanto meclo clos avanços tecnológi- se u Luc¡o brulo em clespesas VGA. cleve constantemente gast¿rr cercâ cle 30% clo seu lncro bruto em PðlD. a Merck Custo dos bens vendidos 3. E mais: se nao inventar o próximo meclicamento c[Le vai alcançar venclas multibrìionáÌias. o que que. a pa[cnle vai expi- râr e a vantagem competitiva vai clesaparecer. c¡ue t:tnbém não tem custos rle PáD. o Lllrc cignificx qtlÈ nio siìo segLtr:ìs. scmpre há â âmeaça cle clue uma nova tecnologia o substitlta. Com a Moocty's e a Coca CoLa. a noile cln claro achanclo ciue alguma pxtente v:ìiexpirlr ou que:ì corn- panhia não vai ganhar a corricta pelo próximo grancle avanço Lccnológico. entao. ¡\ lntel. e por um bom motivo.em seu acelerado setor. l:ssas crtrpresas ptecisam não apenas g. ele não es¡á inte¡essado nelas. se nao são seguras. percterá sLìa vilntagern competitivâ cluanclo âs pâtenLes exisLenLes expirarem.c ¡\ PiTr II tcnclo cle invcnt¿ìr novos produtos. Se essa vantagen'L é o resultaclo cÌe algum avanço tecnológrco.19% em despesas cle venclas.n seus Pesquisa e desenvolvimento: por que Buffett se mantém a distância cle vendas. combinaclas.ìt(ì cm tisco. consomem no total 78% clo seu lucro bruto.000 Despêsas operaciona s ) & Co. mas. Denonstraçáo do resultado do exercício (em ¡¡ilhões de R$) algnns anos. zar. por estarenÌ consLantementc -t0 +t . Mars. Pense no seguinte: a Merck precisa gastar 29olo clo seu lucro bruto em P&D e . æs rio Google.

em algum momento no futuro. Depreciaçâo e AmortizaÇão. os analistas de Wall 5treet estáo ìgnorando que.000 Depreclaçâo 700 Lucro operaciooal 3. máquina cle impressáo terá de ser subs[ituÍda.100 Pesquisa e desenvolvimento 1. nos 10 anos seguintes. a máquina sofrerá desgaste . GostarÍamos de enfatizar que a clespesa de R$ I milhao com a máquina não é apresentada no ano da compra. Isso faz sentido: é possível dizer que o valor cla depreciaçao de um ativo foi usaclo na atividade da empresa que gerou o renclimento naquele ano.I milhao sejam acrescentados ao ativo imobilizaclo. no fim. gerais e adminislrativas 2. depois de a máqulna de impressao se¡ compraodas as maquinas e os edificios acabam sofrendo desgaste ao da e quitada. Porlânto. O desembolso de R$ I milhao para a compra da máquina aparecerá na demonstraQao de fluxo cle caixa sob o item dispêndio com ativos imobilizados. o que significa que aXYZ irâ depreciar a máquina de impressão a uma razáo de R$ 100 mil por ano. Em razao clessa vida útil. na verdade. Um exemplo: imagine que uma máquina de impressão é comprada pela grâltca XYZ por R$ I milhão e rem uma vicla útil de l0 anos. não está se traduzindo em nenhum desembolso aciicional de dinheiro.000 Despesas operacionais ) Despesas de vendas.000 Custo dos bens vendidos 3. a A compra da máquina fará com que .200 uma despesa.t) 43 . No balanço patrimonial. os encarregados das finanças em Wall Street podem voltar íì acrescentâr aquele custo cìe R$ 100 mil ao lucro. Basicâmente. a grâlica XYZ tem um custo anual que. Lucro Antes de Juros.no balanço patlimonial R$ . Então. a cada ano.cÂPÍruLo l3 uso. a depreciação anual cle R$ 100 mil não representa longo do tempo. esse desgâste é apresentado na demonstração do resultado do exercício sob o ìrem Deprecração. A depreciação é um Depreciação: uma despesa que Buffett náo pode ignorar custo real dos negócios. mais nenhum desembolso achcional de dinheiro. a despesa com a máquina cteve ser clistribuÍda ao longo clos l0 anos em que ela estiver em cro que é informado anualmente à Receita Federal nos 10 anos seguintes. R$ 100 m1l serão subtraidos da conta clo ativo imobilizado. numa peßpectiva de curto prazo. ao usar o LAJIDA. pois. o custo deprecìado de R$ 100 mil por ano aparecerá na demonstração do resullado do exercÍcio como Demonslração do resultado do exercicio (em mrlnoès ce ti)) ReceÌta -+ 10.000 Lucro bruto 7. Em vez disso. o que significa que o fluxo de caixa da empresa agora pocle suporrar mais dÍvidas para novos investimentos. a Receita Federal não permtre que a empresa deduza integralmente o valor total no ano em que a compra foi realizada. lluffet¡ afirma que. ou sejâ. Uma bela sacada que os profissionais de finanças de Wall Street 'r I perceberam é que. mas reduz o lu- o valor cla depreciação de alguma coisa em determìnado ano é uma despesa alocada em contraposição ao rendimento daquele mesmo ano. O mercado fìnanceiro tem um acrôni- mo para esse novo cálculo clo luc¡o: eles o chamam de LAJIDA. mas ti alocada como uma clespesa de depreciação na demonstraçâo do resultado do exercício em parcelas de R$ 100 mil ao longo de um perÍodo de 10 anos. lsso significa que. Impostos.

O qr.. Mas agora a companhia está sobrecarregacla corn Ltma Cr\P¡TULO I4 Despesa com juros: o que Buffett nâo quer tonelacl¿r cle clÍviclas clecorrentes clos novos investimenLos e Ialvez n:ìo seja capaz cle financiat a compra cle nma nova máquina.000 Depreciaçáo Lucro operacional l De5pe5¿ corn juros 700 3. outra companhia com unla vant¿ìgem competitlvít clurável. Em vez clisso. 'fiat¿r-se um custo financeiro. que aLua nlrm setor altamente competilivo e com uso intensivo cle capital. que lìca isollclo. a clespesa de clepreciação da Coca-CoÌa lica constantemente por volta cle 6% do lucro b¡uto. por exemplo.re Bulfett clescobriu é que companhias que têm utÌta vantagern competitiva durávei tenclem a ter custos cte depreciação rnais baixos em relaÇão ao lucro b¡uto clo que as eüpresas qlle sofrem os inconvenienles cle uma concorrência intensa.100 Pesquisa e desenvolvimento 1.cluanclo se trala cle aumentâ¡ o resultaclo linanceiro. Compare com o caso cla Gr. Como no caso cle clualquer clespesa clue consome o lucro l¡ruto uma empresa.nento. il Demonstração do resultado do exerci(io (em milhöes de R$) 10. maior a cluanticlacle cle juros a ser paga. ger¿is e ¿dministr¿tiv¿s 2. a maioria das empresas lablis e de vârejo pâgâ rrrrrilo mlis jLrrrrs do qLrc leccbc. sobre a clivicla cLLle â empresaì apresenLa no balanço patr-imonial como passivo. lJcspcs:r conr juros e o lançrmento clos juros pagos. não operacional. cle . olrtra empresa favorira de Buffett há muito tempo. acreclitanclo que a empresa está lucranclo mais do que realnente esl¿i. Buffett clescobriu que menos sempre signilìca mais . A sua despesa cle clepreciação consot. frca ern aproximadamente Bo/o. os juros refletem o endividamenLo total (lLìc a empfesa apresenla em seu balanço. e a da Wrigley. . Fmbora seja possÍvel para uma companhia receber mais juros clo que pagar. E ninguém fica rico corn ilusÕes. como no câso clc um banco.nprcsa lerá cle gastar oLltro Ìrìtlhão clc reals para comprar uma nova. Bul[ett acreclita qtre a clepreciação é uma clespesa real e setnpre cleve ser incluÍcla em qualcprer cálculo de lucro.ne en[¡e 22olo e 57olo cto lucro bruto. pois não está ligado a nenhum processo proclutivo ou cle vcncla. cte r\s companhias que pagam muitos juros em relaçao ao sell lucto operacional tenclem a ser de dois tipos: uma empresâ que 44 45 .200 200 Camble.000 7 000 Despesas opeÍacionais Despesas de vendas.c â cr..lâ a despesa cle clepreciação cla procrer 6¡ . Se fizéssemos o contrário.:::.000 Receita ) custo dos bens vendidos lüaro bnrto 3. estaríamos nos iludinclo â cLrrlo prazo. Quanto maior o endivicliu. também lìca por volta de 7o/o. clurante o trimestre ou o ano.

gasta 61%. .. :. que.' . a porcentâgem cla clespesa com juros em relação ao lucro opera- dia. A Procter & Gâmble gasta apenas B% clo setr lucro operacional em despesas com juros.t6 47 . O Wells Fargo também é o único com um nível de roting Standard tividade. como as do setor cional havia saltado para 230%. 49o/o do seu lucro operacional com o pagamento de juros. um banco no qual IJuffett cletém uma particìpaÇão de |4o/o. com um valor de apenas US$ 10 por ação. Por exemplo: o Wells Fargo. gasta astronômicos 92% do seu lucro operacional com o pagamento de juros. Compate essas duas companhias com a Goodyear. em média. em m¿_ 1' I ')) i. Em marco de 2008. foi forçado a se fundir com o JP Morgan Chase & Co. no qual grandes invesrimenlos em ativos fixos são necessários para manler a Competi. :.eslá num setor altamente competitiÿo. Tome como base os bancos de investimentos. Outra combalida concorrente da Sourhwest. Mesmo em empresas altamente competitivas. cujas açÕes já haviam sido negocladas a até US$ 170 no ano anrerior. o outrora poderoso Bear Stearns. . Mas preste atenção. do Bear Stearns. i: O que Buffett descobriu é que as empresas com uma vantagem competitiva du¡ável muitas vezes têm pouca ou nenhuma clespesa com juros. ao passo que a sua concorrente Uni¡ed Airlines. altamente competitivo e com uso intensivo de capital. A constantemente rentável South\¡/est Airlines gasta apenas 9% do seu lucro operacional com o pagâmento de juros. :: 'a: & A^A da Poor's. o Wells f-argo seja o que tem o coeficiente mais baixo e atrativo. vr:rclacLe. isso era o cle e que são as preferidas de Buffe¡t na categoïia de produtos cle consumo têm despesas com juros inferiores a 15% do lucro operacional. na entre os cinco maiores bancos dos Estados Unidos. o que pocle palecer alto em comparaÇão com a Coca-Cola. Em geral. que atua no setor de pneus. a Wrigley Co. que vive enlrando e saindo da bancarrota. lsso significa que o banco teve de mergulhar no patrimônìo líquido dos seus acionistas para co- de aviação. O coeficiente de despesa com juros em relação ao lucro operacional também pode indicar o nÍvel cle perigo econômlco no qual uma empresa se encontra. ou uma organização com conclições econômicas excelentes que contraiu a dÍvida ao ser comprada em uma aquisiçào alavancada. as empresas que possuem uma vantagem competi- blir Liva - a dilerença. no trimestre que termlnou em novembro de 2007. gastam com o pagamento de ju- ros cercâ de 70% de seu lucro operacìonal. em 2006.: 7olo. Um olhar atento teria ìdentificado que. . o Bear Stearns informou clue es[ava gastando 70% do setr lucro operacional com o pagamento de juros. a quânticlade de lucro operacional gasta com juros pocle ser usada para identificar organizaçóes com uma vantagem competitiva. pois a porcentagem cla despesa com juros em relação ao lucro operacional varia muito de um - se[or pâra outro. em média. embora. necessita gastar. Em uma operaçáo altamente alavancada como a pre lncio um desastre. gas1a aproximadamente 30% clo seu lucro operacional com o pagamento dejuros. A Gooclyear precisa gastar. No entanto. a American Airlines.

Às .I. depoÌs cle clepreciá-lo para R$ 500 . gerãis e administrãtivas PesqLlisa e desenvolvimento 2. o u. evenlos não recorrentes podem ajuclar muito o re.l 0 0 m. se lorem categorizaclos como algo ciue não pertence ao cu¡so normal dos negócios...000 Depreciaçáo 700 Lucro operacionâl 3. Demonstração do resultado do exercício (em miJhões de R$) Oespesas operacronais Despesas de vendas.-. É nesse itenL que cvcr.100 1.uIn clo resul_ l¡rclo clo cxer. mil. Se esta tem um eclifício peb c1r-ral pagou R$ I milhao e .cÍcict. O mesmo se aplica ao lançamento. Por serem eventos t1alo reclrti:núcs. a companhr r--elarivo ¿ì vencta a.1o con¡abilizaclos r.c ^rn uru 15 Ganho (ou perda) com a venda de ativos e Outros ciamenlo e a vencla cle patcntes... Ìncomuns e infrec¡uenles geraclor.[. 't: i: rlesse ativo. sultaclo financeiro cle rtma empresa.r..ar um ganho cle R$ l0O mil (o Lr ).ì.275 OLrtrôç 225 \{uando umr empres.ron.ra ..1.ì vcnrle Lrm ativo (clue não o estoque).. Da mesrna manei Rii .. o lucro ou o prejuÍzo geraclo pela vencla é r.200 Despesa com jLlros r J 200 G¿nho (perda) com ¿ vendð de ativos 1..i:'L':lîî j::l:itiï ff.r.irì:. Tais eventos poclem incluir acordos de licen_ Itl 49 .".Outros.es cle lc(cita ou clcspesa s..ttos nâo operacionais.u por R$ B0O rnil.'ezes.. vai registr. O lucro é a cliferença entre os pro\¡entos cla vencla e o valor contábil lnûsLraclo nos liv¡os cla empresâ.igistraclu. Btiflett ac¡eclita que eìes clevem ser removiclos cle clualcluer cálcu1o clo lucro líc¡uido para cle terminar se uma companhia tem oll não Lìma vantâgem competitiva cLurável.o¡ åo"fr" perrla) com a vencla cle ativos.

como todos os investimentos competem entre si. áo. J I 225 1. ou uma participação parcial.100 Pesquisa e desenvolv¡mento 1.r. Esse também é um dos pilares da sua revelação de que uma empresa com uma vantagem competitiva du¡ável é. Com a exceÇâo de investimentos isenros de impostos.le ativos 1. com um cupom ou uma laxa de juros crescente.:Tii: iläli:: Í: ïliåi: retorno qlle eslá obtendo ao compra¡ toda uma companhia. impostos.hrÞc .CAPITULo I6 tos de impostos. Portanto.. Iremos explorar essa teoria do equity borul mats detalhadamente no lim do livro.r". em relação ao preço das outrâs companhias cotn concliçóes econôDemonstração do resultado do exer(¡cio (em milhóes de R$) micas semelhantes.'nsar sobre eles de lorma equânime. todos os retornos de investimentos são calculados or_. lsso lhe permile pensar sobre uma companhia ou um inveslimento em relação a orìlros investimentos. é mâis fácil pl. por meio cla aquisição de suas ações no mercado aberto.]^^clo imposto cre renda. qr-te lhe renclcram US$ 22...Vashingron public porve¡ Supply Sysrem (WppSS). na verdade. t(r Lucro antes dos impostos" clesigna o lucro de uma empresâ apos:r deduçio de Iodas as desnesas m. uma espécie de e(Uitt boncl.. E. ìr. Buffett considerou que US$ 22 milhoes após impostos correspondiam a US$ 45 milhöes antes dos impostos. Buffert sempre levou em consideração o lttcro cle uma empresa Despesas operacionais Despesas de vend¿s.500 Lucro antes dos impostos antes dos impostos.r.200 Lucro operacional Despesa com juros a 200 Ganho (perda) com a venda .7 milhoes por ano em clividendos isen_ t0 5l . gerais e aclministrativas 2. . ele viu os rírulos da WPPSS como um negócio que ele estava comprando com 50% cle desconto. ele teria de gaslâr entre US$ 250 milhoes e US$ 300 milhÕes.275 Outros l.000 Depreciaçáo 70a 3. Lucro antes dos impostos: o número que Buffett usa Para comprar uma empresa que lhe rendesse US$ 45 milhoes antes clos impostos. Quanclo comprou US$ l3g milhoes em rírulos isentos de im_ ¡rostos da \. É ..c .

Ëloje. ts cmpresas americanas têm cle pagar a sua rencla. O melhor cle uma organìzaçâo clue possLìr uma vantagem competitiva cle longo prâzo é c1lle ela ganha tanto clinheir-o Demonstraçáo do resultado do exercfcio (em milhóes de R$) cìue nào precisa enganar ninguém para ter Lrm belo resnltaclo. elas gostam cle cleclnra.. rnauciras cle verificar se estão clizenclo a verclacle é por meio tkr i:x¡*rc cla p.r. ur_ruoì." m:ris clo clue ¡ealmente estão. Calctrle 35% clo :.."*to quun.. (Sllrpreencl. i__ ¡r'stos..-re ..rco...encla pago.r paqo 200 1. .blicação de suas clemonst.r Pir u Lo l7 Imposto de renda pago: como Buffett sabe quem está dizendo a verdade nirrnero inlormado como ìucro operacionaL antes ctos inpostos. gerais e administrãtivas Pesqu¡sa e desenvolvimento Depreci¿ção Lucro operac¡onal 2. .275 225 1. uu'tu..".500 525 Lomo toclo conirihirintc. Às vezes.1.encla está senclo pago. nos Estaclos Uniclos. Ao longo clos anos.. impostos sobre :l :ì :t os impostos são registraclos na demonslraÇào alo a"arltualo'alo exercÍcio no item Imposto cle r..pr.nt. u"lrJu c¡urnto rlc imposro cle r.¡ol) ï*o .lo pngor. Se o valor não for muLLo próximo âo relatado pela companhia cûmo imposto cle rencta pago. Despesôs operacionâis Despesês de vendas. é mell-ror começar a clescon[iar.. Buffett aprendcu (Lr-lc ts utÌìprcsJs clue tentalï enganar a Receita ger¿llmente Lamllém le nlam eng¿lnar seLts acionistas.100 1 000 7A0 3.ln. corresponcle a aproximaclatnente 35% cla ..1 53 .rr..200 Despes¿ com juros Ganho (perda) com a vencla de ãtivos Outros j Luc¡o antes dos impostos lmposto de rend. O clue é interessante no lmposro cle rencla pago é que esse lançamento rellete o ve¡clacleiro lucro ao io.c.ru"nnr".ã" g.

ior que não começamos por aÍ? A primeira etapa na lista é saber se o lucro lÍquiclo está ou nâo mosL¡anclo uma tendência histórica de alta. aumentará o lucro por l:i Demonstração do resullâdo do exercício (em milhões de R$) Despesas oper¿cionais 2. ao passó que a que lem um lucro de US$ 5 bilhöes está lucrândo apenas 5olo sobre a receita total. O lançamento do Iu cro lÍqniclo cle um único ano não vale nada para Buffett. se pudesse escolher entre uma companhia que está lucrando US$ 2 bilhoes com uma receita toral cle US$ l0 bilhöes e uma que está lucrando US$ 5 bilhoes com uma receitâ total de US$ lO0 bilhoes. o Lucro líquido: o que Buffett está procurando Despesas de vendas.100 1. obtemos o Lucro lÍquido da empresa.. gerais e administrativas Pesquisa e desenvolvimento - lucro por açáo de uma empïesa. Mas note: por callsa de programas de recompra clc açöes. ele está intc¡erssaclo em saber se existe ou não consistência no lucro e . É nesse irem que verificamos quanto dinheiro ela ganhou depois de pagar o im- posto de renda. apesar de o lucro líquido real não ter aumentado Em casos 3. Entâo.t dois fatores que signlficam a "clurabilidacte" da vantagem competitiva. optaria pela primeira lsso porque a empresa com um lucro lÍquido de US$ 2 bilhoes está ltlcran'lo 20% sobre a receila total. por sua vez. o que.l .000 Depreciação 700 Lucro operâcional extremos. o progrâma de recompra de aÇÓes de uma organizaçao pode até Serar um âumento do lucro por ação. mas ele está procurando uma tendência de alta. o coeficiente do lucro ìi quiclo em relaçáo a ela pode nos revelar muito a respeito das con(liçóes econômicas de tal companhia em comparaçao com outrâs 55 .:: Depois qu" todas as despesas e os impostos são deduzidos cla receita.500 lmposto de renda pago Lucro líquido 525 975 .275 225 Lucro antes dos impostos + ação. Buffett analisa o lucro líquido dela para saber o que realmente está acontecendo O que ele aprendeu é que as empresas com uma vantagem competitiva durável apresentam uma porcentagem mais alta de Iucro 1íquido em relação à receita lotaì do que as concorrentes' Buffett afirmou que. Enrao. Existem alguns conceitos que Buffett aplica ao analisar esse número e que o a.:l' ll.: "o_pn_ nhia tem uma vantagem competitiva clurável ou nao.il .200 Despesa com luros Ganho (perda) com a venda de alivos Outros 1. Para o investìdo¡.udam a determinar aa u .\PiTULo l8 se a [enclência de longo prazo é alta percurso não precisa ser sem percalços. restringilá a quantidacle de açóes que estáo sendo usadas para dividir o lucro líquido cla empresa.. embora a receita to[al nos informe muito pouco acerca clas condiçÕes econômicas da empresa.c. è possÍvel que a tendênciâ histórica clo lucro lÍquiclo de umâ empresa seja diferen¡e da sua tendência histórica de lucro por ação Os programas de recompra de açoes aumentam o luc¡o por açâo reduzindo o número de ações em circulação Se uma companhia diminuir o número de ações em circulação. aincla que ela esteja sofrendo uma reduçao clo lucro líquiclo Embora a maior parte das análises financeiras se concen[re no 200 1..

clo clepartamento cle gestão de risco. no jogo clos emprésti_ mos. lucra apenas 3olo ¡r-.re Br-rffett procLlrâ é Llm qlradro cle lncro por aç¿ìo ao longo cle um períoclo cìe l0 anos clue clernonslle conslância e Llma tenclência cle alla. Por exem- plo: se ela tem um lucro líquiclo cle R$ l0 n'Lilhoes em urn ano e um milhão cie aqÕes em circulação. Ë t. Isso inclica as condiçòes econorniels ruins inrrcnlcs . pegamos o lucro líquido que eìa obteve e o clivi.ór5 . Embola o luclo ¡ror aÇào cle um Ítnico ano não possa ser nsacìo para iclentif icar r-rma cornpanhir com unraì vlnlrgcnr r:rrmpe tiLiva cÌnrável.95 R$ l. a General Molors.' "':' Ilrna empr. L. o que.. e a incrivel lvtoocly. cleixa Llma enorme zona cle inclefinição relativa c¿ue às organizâçÕes que hrcram entre l0o/o e 20olo cla receita total. pot c¡uaL cle olt_ laclo.o rápiclo :'r custa cle urn clesastre no longo prazo. os núrmeros na verdacle inclicam a acertacão cle um risco maior para a obtenção cle dinheiro lácil. sem nenhuma empresa tenha uma vantagem competitrva clurá_ vel. é bastante pto_ vável que o seu setor cle atltacão seja altamente competiLivo. o cle aviação. purr. esse mesmo nilmero ao longo cle r"rm períoclo cle 10 anos pocle nùs inclicar com bastante clareza se ela Lem uma vantagem compeliliva . Uma das exceÇoes a essa regra são os bancos e as insLituiçoes -financeiras. ação serJ cie R$ 10. normalrnente é Ltl11a receita para se ganhar clinhei. se uma conpanhla e stá constânlemenle apt. normalmente .l lucrcr por . nos quais um coeliciente mlrito alto cle lucto lÍquiclo em relação à receita total em geral signihca ciesleixo po.ìo e o lucro lÍc¡urdo cla empresa no ¡reríoclo em cLuestao clrvicliclo por cacla nma cle str¿rs ¿tçoes.o a Lucro por ação: como Buffett distingue vencedores de perdedores cla receita tolal.llmos peio nilmero cle âçóes em circulâÇão.esentanclo Iucros liqriidos inleriores a l0% cla receita total.06 rì$ r.nÀr"r.ves¡ Air-lines [tcra apenas cpre rellete a natureza alLarlente competiLiva clo setor no 7olo. se Ltlrra emplesa está ¿ìpresentanclo um histórico cle lncros ìÍquiclos superiores a 20% cla receita total.s lucra 3l%.rão é com clesas[r-es linar. lsso. cluanto mais uma companhla lucra por açÀo.ìù super_ r'ornpct it ivL) S( tor I U tomùhil tst i( ù Urna regra simples (e há exceeòes) é que. mesmo em um ólinìo auo _ quanclo não está perclencLo clinheiro _.ìÇ.1(/o cla as condiçoes econômtcas strperlativas clos seus mercaclos. o seu lucro por-.(.lurávcl a seu favor. Pâra clete[min¿ìr o [Llcro por ação cle uma empresa. uma área que está repleta cle empresas qne poclem ser óttmos investimentos de longo p¡azo e qlte ninguém aincla garimpou. o clue reflete : c. 51 . at.95 R$ Z. Da mesma maneira.rcciros c¡ue nos tornamos ricos. Esse é rÌìn nirmero rnìportante no munclo dos investimentos porciLle. há boas chances cle ela estar se l¡eneficianclo cle algurn tipo cle vantagem competitiva de lor. Algo rnais oLr menos ¿ìsslm: 2008 2007 2006 2005 2004 2003 2002 rì$ 2. mais a[Lâ é a cotâeãû alas suas âÇöes.-. Mas ttrna companhia como a Southr.37 Iì1.68 tì$ 2. O qr. é claro.17 R$ 2.t' .elação às concorrentes clo mesmo selor.esa fantástica como a Coca_Cola tem um luc¡o cle lcceita toral.rgo plazo.2.\PiTULO 19 2. nenhumâ empresa tem uma vantagem competitiva Ìongo plazo em t. Embora pareÇam or.

e as clesvairadas variaçóes na cotaÇão das açóes. 2000 R$ 1. O excesso de otèrta provoca a queda dos preços. ':ì:.53 1998 R$ 5. como a recompra cle âçöes.42 lsso mostra a Buffeft que a empresa constantemente tem lu_ cros com uma tendência de aha no longo prazo _ um excelente srnal de que a companhia em questão tem algum tipo cle van_ lagem compelitiva de longo prazo a seu favor. ::a¡.05) prejuízo R$ 6. Lucros cons_ tantes geralmente são um sinal de que ela está vendenclo um produto ou um mix de produtos que não precisa passar pelo dispendioso processo cle mudança.'.89 R$ (6.30 1S98 R$ Esse quadro demonstra uma tendência cle baixa.39 2000 R$ 6.60 2001 Rx. causadas pelos lucros erráticos cla empresa.77 R$ (0. Mas o que eles realmente estão comprândo é uma longa e lenla vragem cle barco que não r.50 59 . ou então que ela use lerramenlas de engenharia financeira.48 I999 R$ 1.24 r ilì R$ 2. o que aut-nenta os custos e acaba geranclo um excesso de oferla no selor. A tendência d.35 2001 R$ 1. criam a ilusão cle oportunidacles cle compra para os investidores em valor tradicionais. o que informa a Buffett que essa empresa está em L1m setor âltâmenle competÍivo sujeito a grandes expansóes e retraçóes. pontuada por c¡ueclas. t. o que significa que a empresa perde dinheiro até o surgimento de um novo perÍoclo de expansao. As empresas clas quais Buffett mantém distância têm um quaclro rle lucros erretico mais ou menos asslm: 2008 2007 2006 2005 2004 2003 R$ 5. Existem milhales de companhias assim. chegará a lugar algum.e alta nos Ìu_ cros significa que as condrçÕes econômicas cla companhia são suficlentemente boas para petmitir que ela faça as clespesas necessárias a fim de aumentar sua participação de mercaclo por meio de publicidade ou de expansão..45) prejuÍzo R$ 3. quando a clemanda é grande. a companhia aumenla sllâ produção para sâtisfâze-la.03 2002 R$ 3. As expansoes aparecem quando a clemanda é maìor clo que a oferta.68 999 R$ 8.

" \MA Rììì:N BìiriFr.o BALANÇO PATRIMONTAL "Uma it'Ltelesý:LnLe - clas coisas rpte vocè t n(L quúl irít descobrir - d-s p¿. MinluL experiêttcia me mostroLL que estes sclo os ¿lois principt:Lis elos tt'Lctis Jrctcos: bebitlct e alwctncagem e tlc:cu'tcctgenr signLJicct dinhr:iro emp rtstctdo.sod. f ::la' l - .s.s nûo ptns cpLe é n 0 su|icicnLc corn ct maioriu rias emprtsas e dos utdivíduos qre ct rticla tc:ncla u atucú-Io em sett elo e mctis froco.

não a u1n ano ou um trimestre. se ela rem US$ 100 mil de artvo e US$ Ì75 mil cle passivo. incluinclo Conlas a pagar. o seu patrimônio líquiclo é cte US$ 75 mil.pense em dinheiro e proptiedacles .o 20 O passivo exigÍvel a longo prazo é o que vencerá dali a mais de urn ano e inclui dinheiro devido a fornecedo¡es que venderam O balanço patrimonial ctn gcratl bens. Buffet¡.e quanto ela cleve a lornececlores. Considere-o um instantâneo da fim da carrilha do balanço parrimonial. se pegârmos toclo o ativo e subtrairmos clele o passivo. O departan'rento contábil de uma empresâ gera esse balanço no lim de cada trimestre liscal. Para isso. Ao contrárto das clemons[raÇoes cle resttltaclo. está procurando algumas coisas especÍficas em cada categoria de ativo e passivo. O primeiro significa o clinhelro c¡tle é cleviclo no Despesas pro¡lr lzo cle eìlé Lrm ano. o passivo. Um balanço patrimonial é cliviclido em cluas partes: a primeira compreende toclos os âLivos. enconlramos duas calegorias clilelentes: Passivo circulante e Passivo exigÍvel a longo prazo (ou nào ciLcLrìante). Contas a receber. empréstimos bancários e debêntures.rli1Ur. ^tivo A segunda patte do balanço patrimonial compreende o passi- vo e o pâtrimônio líquido. vamos ver como Buflètr a apÌica a tocìas as suas subcaregorias para identificar uma empresa com uma vantagem competitiva durável em condìçáo financeira cla companhia na clata especí[ìca em c¡ue ele relaçao às suas concorrentes. Ativo - P¡ssivo = P¡tlrnìoûLo LtqLÌido Esse é o foi geraclo. Então.a clo ano. por exemplo: se uma empresa tem US$ 100 mil de âtivo e US$ 25 mil de pass! vo. em sua busca por empresas com uma vantagem com- ). Estoqnes e imobilizaclo. ¡rlbutos dilericlos. r\gora. bancos e debenturistas. e existem mllitos tipos cliferentes lncluem-se Câixa. os balanços pa¡rimoniais se relerem apenas a cleterminada clata.r:. Podemos gerar um balanço patrimonial para qualquer dj. visionrcl¿rs. Mas. lJ-a clas primelras mediclas que Buffett aclota cluaucto estit ten[anclo descobrir se uma empresa tem ou não uma vântagem competìtiva clurável é ver cÌuanto ela possui em ativos . lnveslimentos. obteremos o patrimônio hc¡uido cla companhia. Divicla cle curto prazo e Dívida de longo prazo a Sob vcn(:c ) I 63 . ele examina sett balanço I I i a ¡ petitiva durável. patrimonral. que examinaremos um pouco mais adiante. o seu patrimônio líquiclo negativo é de US$ 75 mil. mas ele será relativo só àquela clata espectfrca.

vðÌor iquido lnvestimentos de longo pturzo 7.220 Contâs a receber 3.260 Dívid¿ cle longo pf.054 43.271 Balanço patrimon¡al/At¡vo (em mìlhóes de R$) 1.o clinheiro. O Ativo circulante é constituÍdo por "caixa".rzo ¡ vcncer 5 919 Despesôs pa9ãs antecipadamente Demais at¡/os circLl antes Atlvo circulânte total Ativo imobiIz¿ìdo Fundo de comércio.493 valor iquido 4. total Açoes preferencjãls LLrcro cuÍto pr¿zo Ëstoque total - orclinárias toìâl totale pãtrimônio líquido .-F l btns cla cmprcsa .380 p¿U¡r caix¿ e ìnvestlmentos de cu¡to pÍazo 4. os profissionais cla contabrliclade diviclilam há muito lempo o Ativo empresarial em clois grupos oclos os clistrntos: Ativo circulanle e Ativo não circulante.317 Dívid¿ cle curlo pr¿zo 2.463 0 31. "contas a receber".235 -23.704 Cont¡s Estoque tota 2.374 36.67 5 Pâssivo nåo c rcu t3.005 8.246 Ativos intangiveÌs. Iìecebe o nome cle ativcr circul¿ìnte porque tais a[ivos estâo imecltatamente clisponíveis. No baLanço patrimonial.005 Passivo crrcul¿ntc total B 493 Divicla dè longo prazo 4. 43 059 0 12. Passivo 2. 65 .220 Despes¡s provr5r(xrô(l¡5 5.225 3.ris ativos Atlvo não circulante Ativo total 7 .300 21 0 Passivo total .296 Ativo lmobi zãdo 1.171 Demais ¿tivos de longo prazo 2 615 Dem.315 21. "investimen[os cle curto prazo". valor liqL¡ìdo 7. valor Iíquido 12.são reglstraclos no balanço patrimonial sob o cabeqalho Ätivo.1 33 ilnte total 8.f cÂPirrir-o Balanço patrimon¡äl (em mìlhoes de 2l R$) Ativo Ativo Passivo ¡ r.534 Fundo de comércio.054 43 059 Pãtrimônio l¡qu¡do 1 Reserva de capital (emissão de açóes) acumulado Açóes em tesourari.863 Pãftlcipaçáo mìnoritári¿ lnvestimentos de longo Prazo Demâìs êtivos de longo prazo 1. "estoqtre" e um funclo geral chamaclo cìe "clemars ativos circlllantes".204 Demãis âtivos circulêntes.260 Ativo clrculante 0 Açóes ordLnárias PatrLmôn o ltqLrido 4.535 Contas a receber 3. o âtivo imobilizaclo. ¿1s pâlentes e [ucio o qlre constitui liqueza .890 0 Câ xa e invesiimentos cJe 3.317 Despesas pagas ¿ntecipadâmente 2.059 .246 lmposto de renda diferido At vos intangiveis.525 31.177 Dem¿is pâsslvos Deflìais ativos Ativo náo circulãnte total Atlvo total 133 2Sa 0 Dem¿is passrvos circul¡ntos 2.

264 :l Demais ativos circulantes Ativo cìrcu ântÊ t.005 jvo circut:rntc tambem ú conhecido cotno "ativo cle giro" cla einpÌesa porque Ìaz parte clo ciclo clo caixa que compta estoque.1l mentos cle Longo Prazo. quanclo pagas pelos lornecectores.rculantes. eles eslão listaclos em uma c¿ìlegoriâ separada logo abarxo clo Ativo circulante.rt. Tais atìvos esL¿ìo listaclos no balanço patrimonial por ordem cle liquidez (orr scja. o qr"re signilica qlre náo serão. As contas a recel¡er. LJ at em seguida. Ativo imobilizado. O clue elìe tcm cle importante é a suâ disponibiliclade para ser trânslormaclo em ciinhei¡o e gasto caso as condiçoes econÒmlcas cla empresa colìlecem a se dete¡iorar e outras fontes cle capital de giro coticlieno corrlecem a evaporar. voltam a se totnar caixa. (Se você näo consegue imaginar fontes cle capital de giro evaporancio do dia para a noite.I ! cepfrulo 22 poclem ou serão convertidos em clinhciro cnì Llìn PerÍoalo muito curto (em até um ano). eles informam a Buffetl muitas coisas acerca clo caráter econômico de uma companhla e se eìa possui ou não â cobiçada vantâgem compelitivâ durável que o tofnará riquíssimo 2. esses dois grupos cle alivos constituem o ativo total. lndividual e coletivamente. convertidos em clinheiro no ano seguinte. Nessa categoria.: : t-l ''t -r Caixa e investimentos de curto prazo -r Estoque totâl + Contâs a receber 4. Os diferentes elementos do ciclo clo ativo circulante poclem revelar muilas coisas a Bulfelt acerc¿r cla natureza econômica cÌa empresa e se ela lem ou não uma vantagem competitiva clurável no me¡cado rfl 67 . o estoque é vendido a fornecedores e se [orna contas a receber. enlram os lnvesti- !.220 3 311 0 12. Funcìo cle comércro' Ativos Intangivcir e Dcm:ìis Aliv(ìç Em conjunto. a lapiclcz com que podem ser lransformados em dinheiro). pense no Beat Stearns.) Toclos os outros ativos são os náo cj. Ciclo do ativo circulante: como se ganha dinheiro 1 : 1 Ealanço patr¡monial/Ativo (em mrlhoes de R$) . pûr meio de sua natureza e quantidacle. e c asslm que uma companhia ganha dinheiro. ou não pocleráo ser.204 Despesas pà!lâs antecipadamente 2. Esse ciclo se repete conlinuîmcnle. Caixa -+ Estoque -+ ConLas a receber ) Caixa.

Balanço patrimon¡al/Ativo (em mfhões de R$) ) Estoque tolâ 4. ção patrimonial ao pÍrblico. a companhia precisa decictir o c¡ue fazer com ele.ris dinheiro do que gasta. Nunca estamos financeiramente preparados em nosso mundo sempre rrutável e desafiaclor.260 Caixa e ìnvestimentos de curto prazo oemãis ativos circulantes Ativo circLrlante total 0 12. recompram t_f suas ações oLì pagam c[iviclendos aos actonistas. compram inlegralmente novas empresas. Tradicionalmenle. x companhir lem unl negócio cm cut-so que gerr m. se não for gasto coln custos operaciorLais. o que gera uma grancle quantidâde cle caixâ antes de ele ser colocaclo em uso. letras de três meses clo Tesouro ou outros ativos com grancle liquidez. elas simplesmenre guardam o excedente para clias dilÍceis.311 Despesas pagas antecip¿d¿ì¡¡ente 2. com muira LJ ma das primeims coisas que Buffett faz é analisa¡ o âlivo para ver de quanto caixâ e inves[imentos cle curto prazo uma elnpresa clispöe: certilicados de depóslros bancários. o que é uma boa coisa. Pode vencler novos tÍtulos ou participa- fett duas coisas: c¡ue uma companhia tem uma vantagem competitiva e está gerando montes de drnheiro. o alivo disponÍvel começa a se acumular e isso cria um problema de investimento: o qtre fazer com o excealente? eue Caixa e investimentos de curto prazo: a recompensa cle Buffett . As empresas tracliclonalmente guarclam muilo ativo cìisponivel para respaldar suâs operaçóes. Uma quân- um negócio extstente ou outros ativos de sua propriedade.rpilu ro 23 gastancto. fazenclo com que a mÍope Wall Street 69 . vamos analisar com um pouco mâis cle profundiclacìe o ativo disponÍvel. Mas. elas usam o exceclente cle caixa para expanclir suas operaÇoes. o que vocé quer ter? Um certilicado cle clepósito bancário cLue está rendendo 7% sobre o capital investiclc¡ oll LÌm âpartamento que lará o seu inveslimento lencler l2olo? Você escolhe o apar[amento.T c. Uma cifra alta em caixa e investimen[os de curto prazo poclem informar a Buf- frequência. O mes- mo acontece com Lrma empresa. Ltm problerna cle curto ptazo. invesLem parcralmente na Bolsa de Valo¡es. é melhor empregar o aLrvo clisponÍvel em operaçóes comerciais ou inveslimentos qlte geÌam uma taxa de reto¡no mais alta.204 2. comeÇa â se acumula¡. Enqlrânto se acumtrla. se es[amos ganhanclo mais clo que estamos (fì clinheiro gerada que realmente chama a atenção de Bulfet¡. o que pode não ser uma boa nolícia. Ao analisar uma companhia que esteja passanclo poì. r'nlíio.005 problema interessante! Corno o clinherro recebe uma taxa llaixâ cte remuneraçao em uma contâ bancária ou em um certilicaclo de depósito. Uma empresa tem basicamente três maneiras de gerar uma montanha de ctinheiro. Ou. Consiclere-o um enorme talão cle cheqr-res. O clinheiro var en[rando e. Uma empresa que tem um excedente de caixa por causa de um negócio em anclamento muiLas vezes tem algum tipo cle vantagem competitiva durável a seu [ãvor. Também pode vencler ou que essa empresa acabou cle vender um negÓcio ou umâ tonelacla cle títulos.220 Contâs a receber 3. É essa l-rìpótese cle uma montanha de tidade baixa ou a ausencia cle ativo clisponÍvei em geral significa c¡ue ela tem condiçöes econÔmicas ruins ou meclíocres Para des- cobrir qual das duas opÇoes é a válicla. Mas. I 1: tl .

ou nenhuma.260 Demals ôtivos circuÌantes Alivo circulante total 0 12 005 -. procure um es[oque e ì-ìm lucro liquido ([ue estão cons[an[emente em aumento. Se virmos um monte de dividas. há o risco de o estoque se torna¡ ob. Um teste simples para verificar exatamente o que está gerânclo tocìo o ativo disponÍvel é lazer a análise dos balanços patrimoniais clos (ìltimos sete anos. r Caixa e investimenlos de curto prazo Êstoque total 4. lsso revelará se o ativo clisponível acumttlado fot criaclo por um evenlo único . provavelmenle estatemos diante de uma companhìa excelente com a vantagem competitivâ clurável que Buffett está procuranclo . Mas. Essa é uma vânlagem que Buffetr cluer ver. nas rndústrias. a quantidade encontracla no balanço patrimonial é o valor do estoque da empresa nâquela datâ. E clar as cartas é tão bom quanto dizem ní1o.recluza a cotaÇão clas sllas açöes. é bem provável clue a companhia consiga superar os tempos clifíceis' Mas. e nenhttma venda cle aÇóes ou ativos.]'.tal como a venda cle novos tÍtulos ou açÕes. prûvavelmente nào estârelflos lidando com uma empresa excepcional Mas.311 Despesas p¿gas antecipadamente 2. tlivida. pouca ou nenhuma clívicla. e além disso notarmos também um histórico cle Lucro constante. portanto.I1 navio que está afunclanclo e c¡tìe nem mesmo o mais habllicloso gestor poderá salvar. Buffett exarnina o ativo disponível ou os valores mobiliários negociáveis acumulados para saber se a empresa terá fôlego fìnanceiro Prrr sllpcrllr Estoque: o que a empresa precisa compfar e vender ¡ crise na qual se meleu.oqu" é fo¡maclo pelos procluLos cla empresa que estão armazenados para se¡em vendidos aos seus clienles. se está precisanclo muito cle dinheiro e se percebe sentacìa sobre uma pilha cle dÍvidas. as empresas fabris com uma vantagem competitiva durável ¡êm urn pon[o a selt [a_ vor. çc nos o tivermoq e no>S:ls con(olrÈntes nós é que vamos cia¡ as câl tas. e também pelos proclutos em fase de labricação e pela matéria-prima. oll a venda cle um aLivo ou c1e um ott se foi gerado por operaçÕes comerciais em curso. pois os produtos que elas vendem nunca muclam e. como cliscutimos pteviamente. lsso inclica que ela eslá cncontrando maneiras tenláveis cle aumenta¡ as venclas. eis a regra: se virmos muito alivo clisponÍvel e valores mobiliários negociáveis e pouca.o tipo de organização que nos tornará ricos no longo prazo negócio existente cÀPiruLo 24 . Então.204 Contas a feceber 3. nunca se tornam obsole¡os. portanto. Em muitas companhias. Como um balanço parrimonial se refere sempre a um clia especÍlico. soleto. e esse 70 7l . i Balanço patr¡mon¡al/At¡vo (em milhôes de R$) . a organizaÇão provavelmente é ul. O Er. Ao tentar identificar uma companhia fabril com Ltmâ vântagem competitiva durável. Parâ não esquecermos: ativo clisponíveì é essenciâl em tempos tliliceis. se vÌrmos um monle cle arivos clisponÍveis se acumulanclo.

clão origern a Contas a receber. No entanto. uma quanticlacle estimacla cle clÍvidas rncobráveis é deduzida clas Contas a receber. Contas a receber. murto provavelmente läzem parlc cie um seto¡ alta- . Empresas fabris cotn estoques que âumcnLânì r:apiclamente i clurante alguns anos e que. saldo líquido: dinheiro devido à empresa : l: ninguém Balan(o patrimonial/Ativo (enì milhóes de R$) :: Caixa e rnvestimenlos de curto pr¿zo Estoque total ì Contas a receber Despesas pagas ãntecipaclamcnte Demais ativos circLilantes Ativo c rcL¡l¿nte L/uando rìmt totâl ernpres¿r vcndc seus proclutos. lsso aca¡retará um âumento nas vendas e nas contas a receber. com ¿ì ùrcstì1¿ì rapÌclez. clepois.204 2. ìsso é 4.220 3 317 2. csse valor nos revela rnuito sobre as vár-.260 0 12. Como cerla porcentagem cle compraclores aos c¡uais loram vencliclos bens nâo eletuará o pagamento.005 leito com base em um pagamento à vlsta ou coln prâzo cie 30 dias ou mais após o recebimento ctos bens por parte do comprador. são recluzidos. Em setores muiLo competitìvos. no qual a entracla cle carxa é posrergada. algumas companhias tentarào ganhar vantagem oferecendo me[rores concliçoes cle pagamento - cm vez cle 30 dias.I cÀPfTULo 25 aumenlo exigiu um alunen[o clo estocluc pîra que ela puclesse satisfazer seus pecliclos em lempo. t) 73 . As venclas nessa espécie cle Limbo. e essâ provisão é abatida do lucro. Trata-se de clinheiro clevido à em- presa. menle competi[ivo sLÙeito a expansÓes e reltaçoes. elas poclem oferecer aos compradores l20 clias.las empresas do mesmo setor. O Conlas a receber por si só nos informa muito pouco sobre î

Related Interests

anlagenl competitiva de longo prazo da empresa. enriquece com retraÇoes.

Os clemais ativos ci¡culantes são âtivos que estarao disponÍveis no prazo de um ano. são âtivos. mas que aincla não estão com a companhia. Apesar de não terem siclo recebidos. mas qlle ainda não foram recebidos pela empresa.311 -+ Despesâs pagas anlecipadâmente r 2 260 Demais ativos circulantes Ativo circulante total ^ f\s empresas às vezes pagam 0 12. portanto. embora ainda não tenham tomado posse dos bens ou ¡ecebido os benelícios do serviço.220 Contâs a receber 3. geralmente é ¡rorqne ela tem a seu favor algum tipo de vantagem competitiva quc as outras não têm. 1+ 75 . Prêmios de seguros para o ano seguinte. seriam uma clessas despesas pagas de maneira antecipada.204 Estoque totãl 2. Aí estão incluidas restiruiçoes diferidas de tributos.005 pol bens e serviços que vâo re- ceber no futuro próximo. As Despesas pagas antecipadâmente nos oferecem poucas informaçoes sobre a natureza cla companhia ou sobre uma eventuâl vantagem competitiva durável. que devem ser recebidas em até Ltm âno. estao pagos. Eles são lançados como a[ivo circulante na conta de Despesas pagas antecipadamente.Se utna em¡)r'esa está constantemente mostranclo unìa porccnt¿lgem mars baixa de Contas a ¡eceber ern relaç¿1o às Vendas l¡rutas clo c¡ue suas concorrentes.! Demais ativos circulantes 'ìi ] t Balanço patrimonial/At¡vo (em milhões de R$) Caixâ e investimentos de curto prazo 4. cAPirulo 26 : Despesas pagas antecipadamente/ : . que são pâgos previamente.

ram o coeficiente de hquiclez. O A.260 i 0 .l: : cÁPirUr. uma consequência cle sua vantagem competitivâ c[urá- vel. em 0. em 0. maior a liquiclez cla empresa. que garante que essas empresas possam cobrir seu passivo ci¡culante e n¿to sejam vÍtimas clas vicissitucles clos ciclos cle negócios e clas Lecessöes. seu coeficiente de liquiclez fica abaixo clo mágico l.O 27 em 0. há muitas companhias com uma vantagem compelrLiva clurável cLue Lêm coelìctentes cle liquidez inferrores a L. 76 77 . por causa de seu lremendo pocler de geraçâo luclo.208 Elas também poclem pagar generosos dìvidenclos e realizar re- Esloque total 2. cle Ealanço patr¡moniâl (em milhöes de R$) 4. essas companhias não têm problema para utilizar. e o da Anheuser-Busch.22A Contas a receber 3 317 Despesas pag¿s antecipâdamente 2. Eles desenvolve. o da P¡octer 6¡ Gamble.88. Neste caso.to prazo junto a seus credores. O mais curioso em muitas empresas que possuem Lìma vântagem competitiva durável é que.64. Um coeliciente cle liquiclez superior a I é conside¡ado bom. Elas criam uma anomalia que torna esse coeficiente quâse inútil para que possamos identificar se uma empresa tem ou não uma vanlagem competitiva clu¡ável. e clualquer coisa abarxû cle 1 e consicleracla ruim. Da mesma maneira. isso stgnifica que tais organrzaçóes poclem rer clili- Ativo circulante total e o coeficiente cle liquiclez culdades para pagar stras obrigaçoes cle curto prazo.luo circulante total é um nÍrmero que há muiLo tempo clesempenha um papel importânte na análise financeira. que são iniciativas que recluzem as reservas de ativo circulante e ajuclam a pLtxar o coeficiente de liquiclez para menos de L Mas é a consistência clo seu poder cle geraçâo Caixa e investimerìtos de curto pr¿zo Dem¿is ãtivos circulantes ) Ativo circulante total 17 00s de lucro. compras cle açóes. qlle cleriva cla clivisão clo atrvo circulante pelo passivo circulante . De uma perspectiva tradicional. O cla Moody's fica em 0.. Os analistas têm tracticionalmente argllmenlaclo que a subrração clo passivo circulanle clo ativo crrculante inclica se uma empresa pocle cumprir suas obrigaçöes cie curto prazo. com baixo custo o me¡caclo cle papéis comerciais caso precisem cle mais ativo cle curto prazo.95. Ëm suma. o cla Coca-Cola. O que está realmente acontecenclo é que seu pocler de gerar lucro é tão lorte que elas poclem facrlmenLe cobrir seu passivo cilculante.quan[o mais alto o coeficiente.82. com bastante frequência. acredita-se que a companhia terá clificutclacle em cumprir suâs obrigaÇoes cle cllr.

.771 Demôis ativos de longo prazo 2.a com uma vântagem competitiva durável será capaz cle flnanciar internamente fábricas e equipamentos novos. : 0 Demais atìvos Ativo náo aircul¿nte tot¿l Ativo total \-J valor total . o que signìfica qtre elas precisam o tempo toclo aprimorar suas instalaçÕes fabris para lenlarem se mantel competitivas. é claro. ::. A Bâlânço patr¡mon¡al/Ativo (em milhóes cle R$) Ativo circulante total + Ativo ìmobilizâdo 8. dividas no valor de US$ I bilhao e um lucro de aproximaclamenre US$ 500 milhóes por ano. e a marca Wrigley garante uma vantagem competitiva em relação às empresas r. lsso significa que as fábricas da GM precisam ser regularmente reec¡uipadas para produzir novos bens. Vemos isso ao observar uma empresa com uma vânlagem competitìva de longo prâzo.493 Fundo de comércio.i bilhao. valor líquido 4. Mas a GM tem de competir cli¡etamente com todas as monladolas de automóveis do planeta. valor líquldo Ativos inlanglveis. o ativo imobilizaclo percle um pouco clo seu valor. e seu mix de produtos precisa ser constantemente atllaìizado e reprojetado para permanecet frente da concorrência. é o que acontece à medida que o ativo imobilizado sofre desgaste. não têlo pode ser uma boa coisa .005 31 054 43 059 um ativo. a cada ano. portanto. Compare-a com uma companhia sem uma vantagem competitiva clurável. lsso. Companhias que não têm uma vantagem competiliva de longo prz'zo enfrentam concorrência constante. Goma de mascar não é um produro que muda muito. das propriedacles de uma empresa. O lançamento corresponde ao seu valor original menos a depreciaÇão acumulacia. muitxs vezes antes que os equipamentos estejam desgastados.o 28 Ativo imobilizado'. cria nma despesa constante que muitas vezes é bastante significal-iva e vai se acumulando no valor do ativo imobilizado lançado pela empresa em seu balanço patrimonial. à Produzir goma de mascar é um negócio muito melhor e rentável para os acionistas do que produzir ca¡ros.675 ::' . Uma companhì. Mas uma que nâo lenha essa vantagem será forçada a contrair clívicìas para financiar sua necessiclacle constante de reequipar suas lábricas para se manter em dia com a concorrència. Veja o caso da fabricante de cAPÍTlJr. que tem um ativo imobilizado de US$ 56 bilhoes. Pense no seguinte: 79 . para Buffett. da sua fábrica e de seus equipamentos é indicaclo no balanço patrimonial como empresa c¡ue possui uma vantagen competitìva durável. dÍvidas no valor de US$ 40 bilhoes e teve pre- juÍzo nos últimos clois anos. substi[tri seu ativo imobilizado à medicla que ele vai se desgastando. Depreciação.T I Uma companhia com uma vantagem competitiva clurável não precisa modernizâr constantemente sua fábrica e seus equipamenlos para se manter competitiva.246 7.il 12.863 lnvestimentos de longo prazo 7.: chicìetes Wl:igley. como a Wrigley. ao passo que a que nao tem uma vantagem competitiva clurável tem de substituir seu ativo imobilizado para se manter par a p:ìr com r con(orrenci:Ì. como explicamos ante¡iormente. que tem um ativo imobilizado de US$ l.ivais. como a GM. Ela cónstruiu uma fáb¡ica c¡ue procluz goma de mascar e só precisa modernizar as instalaçÕes e os equipamentos quando eles estiverem clesgastaclos.

Lemos pl-imeiro de ganhar Balanço Patrilnonial/At¡vo (em rnilhoes de R$) Ativo circu ante total ìl concorrencia. Mais recentemen[e. 4. signilica tel lucro conslîn[e. vaior líqu do 4. (N. acabaremos com um lundo c1e comércio alto no nosso balanço patrimonial. lsso significa uma difêrença cle US$'160 mil a lhvor clos ¿rcionistas da Wrigley.) 80 BI . Um procluto sólido sìgnifica qlre você não plecis¿ì gastar monles cle dinheilo modernizancto seu ativo imobilizâcio só par:ì se manter competitivo. o que libera muito clinhciro para oLttros empreendimentos rentáveis. clo E.ro cllLc estabeiece os pr-incÍpios ger¿ris aclot¿ìclos n¿l elabolação cle denonstr¿ltivos linanceiros e/ou relatórios de empresas nos Estaclos Unidos. órg.246 Outros ¿tlvos intangfveis. o Fasb (Financial Accounting Stanclards Boarcl)* decicliu que o funclo cle comér'cio só teria de ser 'r' Comissâo cle Padröes cle ConLabiliclade Firal]ceìra.\PÍTrlt o 29 US$ 100 mil investicìos na Wrigley em 1990 valeriam aproximadamente US$ 547 mil em 2008.054 43. o excedente é lançado no balanço patrimonral daquela como fundo cle comércio. Se complarmos muitas companhias por um valor superior ao seu valor contáblì.. Eles foram mascando chicle te alegrctncÍìte rLtmo :ì riqlreza. ao passo que os acionistas da GM viram suir riciueza Fundo de comércio :: derrapar e despencar de uma ribanceira. Ut.i. Mas US$ Ì00 mil investrdos na GM em 1990 valeriam cerca cle US$ 97 mit cm 2008. O lunclo de comércio costumava ser abaticlo clo hrcro cla empresa por meio cle um processo cle clepreciação. e ganhar muLLo ajucia.005 Ativo imobiIzado Ativo náo circulante totâl Ativo toial 7. Como Buffett costuma clizer. Para enriquccer. v¿lor lfqLrido lnvestimentos (particip¿çóes perm¿nentes em oütr¿s er¡pr€lsãs) 7.il : c.na clas maneiLas é nào ser obrigaclo a gastar grancles quan[ias para se manter par a par com ::ì e 12. L/uencto a Exxon tompm r empresa petrolÍfera XYZ e paga um valor superior ao seu valor contábil. que não precisa muclar.863 lnvestimentos (outros direitos) clinheiro.177 2 615 31. fab¡icar um procluto conststenle.493 Fundo de coméÍcio. o que causava um débito anual em relaçâo ao lucr-o na demonsrraçáo de resultaclos.059 .

franquias e coisas muito tempo. mas. são lançados no balanço patrimonial com seu valor iusto. E. quando acontece. poclemos deduzir que o motivo são aquisiÇoes de outras companhÌas.l . Os alivos intangíveis que sâo adquiridos dè terceiros. no entanto.. pode ser a grande chance de uma vicÌa. valor líquido 4 246 1.: lançada anualmente na demonstração do resultado do exercício i:'r :rl e no balanço patrimonial.lrl :. lsso pode c. Se um ativo tem uma vida finita . as companhias não poclem lançar ativos intangíveis desenvolvidos internamente no balanço patrimonial. marcas registradas. Há ì i. uma empresa podia lançar no item ativos intangÍveis qualquer avaliação antiga que considerasse válida. isso acontece. lr2 83 .).T : amortizado se a empresa à qual estava vinculaclo estivesse perdendo valo¡. direitos aulorais.como Llma patente -. :: :. Se a conta de fundo de comércio permanece igual ao longo clos anos. às vezes. Atualmen[e.054 ^ 1\tivos intangiveis nào poclem ser tocados fisicamente e incluem patentes. o seu valor é amortizado ao longo de sua vida útil com uma dedução desse tipo. Toda vez que cons[atamos um aumento no funclo cle comércio de uma empresa ao longo de alguns anos. Dìzemos qLrase nunca.\PiT u Lo 30 Ativos intangíveis: medindo o incomensurável ser uma boa coisa se a organização estivel comprando outras que também tenham uma vantagem competitiva dur'ável.463 Ativos intangÍveis. + l 12 005 Ativo imobilizado 8 493 Fundo de comércio. As empresas que têm algum tipo cle vantagern competitiva clu- rável c¡uase nuncâ são vencliclas por um valor rnferior ao valor contábil. lsso pôs um fim a adulteraçoes clo baÌanço pâtrimonial com avaliaÇoes lantasiosas cle ativos intangíveis. é porqlle a empresa está comprando outra companhia por um Balan(o patr¡mon¡al/At¡vo (em milhóes de R$) valor inferior ao seu valor contábil ou não está lazendo nenhuma Ativo circulante total aquisição.777 2 615 At vo náo circulante tolãl 31 Ativo total 43 059 . lsso causou algumas avaliaçÕes mui[o interessantes e muitos abusos. valor líquido lnvestimentos de longo pr¿zo Demais ativos de longo pÍazo 7.

ninguém sabia por que ele estava fazenclo aquilo. cAPiruro 3l Investimentos de longo prazo: um dos segredos do sucesso de Buffett Bãlanço palrimon¡al/At¡vo (em milhões de R$) Alivo circulante total Esse é um dos motivos pelos quais o pocler cla vantagem comil ir:i lr:ll t':.  menos qlre ir 12.empresas tão vi- era cara clemais para fazer sentido para os investiclores em valor t:: . ao longo do tempo.:: at aaa :ìi.. no entanto.246 Buffett pOde comprar grandes participaçôes em.. títulos e imóvers. nao é reconheciclo em serl balanço patrimonial. ..j : ltt : ta: Ativos intanqíve s. Cacla uma clelas rem uma vantagem competiliva clnrável vincuLada clrretamente ao seu nome. . Foi assin-r qtre . A Coca-Cola :ll ) comparem l0 anos cle clemonsLr¿ìÇoes cle ¡esultaclo. o seu nome.1. Os investimentos cle longo prazo poclem nos inlolma¡ muito acerca cia lenclência cle investimentos cla clireção cla empresa.ss¿t c uma contr clc :rtivos.or clos investimentos de longo prazo (superiores a um ano). Um poder cle geração cte lucro c¡ue.:. Mas o lançamento não pocle ser leito com um preÇo superior ao do cllsto mesmo que os investimentos tenhâm se valorizaclo.:r rl I L:. o que fol mais baixo. e a sua cotação não era slrficienlemente volátil para ser interessante para os negociantes cle Wall Street.. No entan- i. ::l . vâlo¡ líquido lnvestimentos de longo prazo Ativo não circulante total Aiivo total to.463 7. ao McDonald's e até mesmo ao Wal-Mart. o seu valor real como ativo intângÍvel nâo é ¡efleticlo no balanço patrimonial cla companhìa. O que é interessante na conta cle investimentos cle Essa conta longo prazo é que essa classe cle ativo é lânÇacla nos hvros com seu preço de custo ou cle mercaclo.. Vejamos o exemplo cla Coca-Cola Company: a marca Coca-Cola vale mais de US$ 100 bilhÕes. lsso signitìca que uma empresa pocle ter nm ativo muito valioso cpre está lançaclo em seus livros com um valor consicle ravelmente mais baixo do que o seu pre Ço cle mercado.059 ii] i. O que Buffett conseguin ver loi a vantagem competitivâ {lurável da Coca-Cola e o poder de geração cle lucro no longo prazo por ela proporcionaclo..: iì. O mesmo se aplica à Wrigle¡ à Pepsi Co. va ou clo seu potenciâl para torná-los riquíssimos. :ì. vâlor líquido petitiva durável de aumentar a riqueza clos acionrstas permaneceu esconcliclo dos investiclores por LanLo tempo.615 31.ì 't.777 2. lais como açoes. Ela investe em olltras companhias que Ìlossuem v¿tntagens a:a 85 . lnclui investimentos nas afiliaclas e subsicliárias cla companhia. o ajudarla a se tornar o homern mais rico clo mundo. :.... 8. Demais ativos de lonqo prazo res náo lenì como saber cla eristência de tal vantagem competìti- que seguiam Graham. .i.. no bâlanço patrimonial de uma empresâ.005 Ativo imobil'zado E -f.493 4. por ter siclo clesenvolvicla inter namente. os investiclo- sÍveis como a Coca-Cola enquanto todos observavam. : rl 8+ : 7 .:' :! iil Ì.054 43.1 Um fenômeno estranho ocone com empresas clue se beneliciam cle uma vantagem competitiva clurável. o valor do seu ativo mais valioso. Fundo de comércio. . porém. no c¡ual é registraclo o vai.

loi comprando ) 8. Ela já loi urna empresa medíocre no altamente competitivo setor têxtil.863 Demais ativos de longo prazo 2 615 Ativo náo circLllante total Ativo totãl empresas qlre possllíam vantagens competitivas duráveìs. valor líquido 4.777 31.a): t:: :t) . li i il 'a.ì :j P"rlse em "Demais ativos de longo prazo" como um conjunto gigante de ativos de longo prazo .. Em seguida.rpiruro 32 competitivas duráveis ou que estão em mercâdos âltamente competitivos? Às vezes. vemos algum gestor iluminado de uma empresa meclÍocre fazendo investimentos em organizaçöes que têm Llma vantagem :. Foi assim que Buffett transformou a sua hokling. vemos a ec¡uipe de gestão cte urna emples:l Demais ativos de longo prazo maravilhosa [azendo investimentos em negócios medÍoc¡es simplesmente porque acha que mâior é melhor. ela se tornará uma grande companhia.que não sâo regisrrados nâs categorias de Ativo imobilizadc¡. Bu[[ett comprou uma participação controladora.246 Ativos lntangfveis. clepois. liundo de comércio. fl B6 B7 . ao longo de'10 anos. usou o capital de giro da Balanço patr¡mon¡al/Ativo (em m noes de tt$) Ativo circulante total Ativo imobilìzado companhia para comprar uma seguraclora.c. a Berkshire Hathawa¡ no império que é hoje. Um exemplo cle lançamento na rubrica Demais ativos de Longo prazo seriam despesas pagas antecipaclamenre e resti[uiçoes de tributos que deverão ser recebidas nos anos seguintes. 12.com vida util superior a um ano . .493 Fundo de comércio. ulilizanclo o ativo da segutadora. parou de pagar cliviclenclos a fim cle acumular ativo disponÍvel e.005 7.: t:: ii f: I f:l competitiva durável.054 43 059 Se você aL¡ibuir uma vantâgem competitiva durável a uma empresa medÍocre várias vezes. Os Demais ativos de longo prazo têm pouco a nos informar acerca cla eventual vantagem competitiva durável da empresa em questão.. Em algumas ocasioes. valor líqutdo lnvestimentos de longo prazo 7. Arivos intangÍveis e Investimentos de longo prazo.

e Llrn clos fatores cltte ajncta a Lornar durável a vantagem competitivâ rte umâ empresa é o custo dos ativos necess¿irros parâ se entrâr r1o jogo.t3 bilhoes e utr retotno sobre o alrvo cle 7%. Levantar LISIIì 43 brlhOes para enlrental a Coca.1. o capital sempre represenla uma balreira para a entrada em qualquer setor.Ltvo cle longo prazo (uão circulante) obtemos o Ativo total cla empresa.246 tar US$ Ativos intangíveìs. A liçâo é que. vêlor líquido Ativo náo ciraul¿nÌe totð 31.1. qlle tem Lun ativo cle US$ . Ape- 7 863 sar cle o coelicienle cle retorno cla Moocly's ser muito super-ior ao de ongo pr. llmbora muitos analis[as algumentem qlte quânto maior o retorno sobre o ati.c ÁPrr u ro 33 & Gamble tem um ativo cte US$ . às vezes. a clulabiiiclacle cla vanragem competitiva claqllela lnvestìmentos ) 12 005 Ativo imobìlizado tundo de (omérclo. maìs pocle na verclacte significar mcnos no longo prazo. valor líquìdo - não há chance cle isso aconrecer.7 bÌLhao para enlì-entar a Moody's é algo possível. Eles estao balanceaclos entre si. B8 a B9 .459 companhia é lnulto mais lraca por causa clo cuslo mais baixo pâta Se entr¿ì[ no Seu negócio. melhor. analistas cLiaLam o cr¡eficiente de telorno sobre o ativo. que é calculado cliviclìnclo-sc o lucro lic¡r-ticlo pelo ativo total. lvlas levan- 1. e é por essa râzaìû cLLìe o clocumento ¡ecebe o nome de Balanço palrlmonrai.493 4.771 Dem¿is ãtivos de longo prazo 2.â cle uma empresa. Para rneclir sua eficìêncra. Bullett clescobriu que retornos sobre o aLivo ¡ealmente altos poclem inciicar urn aspecto vulnerável na durabiliclade cla vantagem competiti\.7 bilhäo.054 Ativo total 43. Esse núrmero é imporlante para clclcrtninat cm clue meclicla a companhia é eficienle na utilização clos seus ativos. apresent¿ì um retorno sobre o ativo de 43olo.675 cla Coca-Cola. A coca-Cola tem um ativo de US$ 43 bilhoes e urn retorno sob¡e o aLivo de |2o/o.vo. Mas unra companhia como a Moocly's. No enlanlù.rzo 7. O Ativo lotal corr-esponcle ao Passivo total acresciclo tlo Patrimônro 1íquido.Cola é uma Procter Ativo total e retorno sobre o ativo total Balânço patr¡monìal/Ativo (er¡ milhões de R$) Atìvo circulante total tarefa impossÍvel 8. Aciicionanclo o Ativo circulante ao A.

133 258 112)\ r prgrr sào o d in heiro deviclo a fornecedores que vencleram a crédito bens e setviços à empresa. ou seja. nos ìnformam 90 91 .919 > Demais passivos circulantes 258 Pass 13. uma conta a pagar.380 Despesàs provisionadas Dívida de longo prazo ¿ vencer 133 curto prazo. DÍvrda cle de uma companhia em relação às slras concorrentes.53 5 Divida de curto prazo 5. Despesas provisionaclas.919 Dfvida de longo prazo a vencer Dema¡s pãssivos cìrculantes Passivo circulante LJ J i 1380 Contãs à pagar total 5. salários. Esses itens são encontrados no balanço patrimonial nos lançamenlos Contas a pagar. cada dia trabalhaclo até o fim do mês é contabilizado como Lrma despesa provisionada. 1. Despesas provisionaclas e Dernars passivos circulantes nos revelam muito sobre a siluaçao atual de uma empresa. Os clemais passivos são um lindo geral para dÍvidas de curto prazo que não entram em nenhuma clas categorias mencionadas anleriormente. encargos sociais e aluguel a pagar. Conlas a pagar. Vamos clar uma olhacla nesses lançamentos e ver o c¡ue eles podem nos informar acerca de uma evenlual vantagem competitiva durável Conlas a pagar . Fazemos um pe.53 5 Dívida de curto prazo 5.É\s contas passivo circuhnte sào ¿s dlvidas e obrigaçöes que a empresa tem a salclar e que vencerão no prazo cle até um ano. Essas despesas incluem trìbulos sobre venclas. mas que ainda precisam ser pagos. Dívìda de longo prazo a vencer e Demais passivos circulantes. como lançamentos independentes. Contratamos alguém e inf'or-mamos que ele será pago no firn do mês.225 vo cýcul¿nte total .:La c.. As clespesas provisionadas são gastos em que a companhia incorreu. mas.\ PiT r:l u cAPÍruLo 35 Lo 34 : 'll Contas a pagar. despesas provisionadas e demais passivos circulantes Passivo circulante rl :Ìì Balanço patrimon¡âl/Passivo (em milhões de R$) Balanço paÍimon¡al/Pãss¡vo (em milhões de R$) Despesas provìsionadês 5.:l . clìclo cle 500 quilos de papel e o fornecedor o envia com urna falura.

lsso srgnifica que é possível ganhar clinheiro contrainclo empréstimos no curto prazo e oferecendo empréstimos no longo prazo.225 .:. 13.l. 92 - 5o/o e parece muito fácil.380 Despesas provisionadâs 5.simplesmente tomamos emprestado mais dinhei¡o cle curto prazo para pagar a dÍvicla de curto prazo que está vencendo. e sobre uma eventual van[agem competitiva clurável. isso é conhecido como "rolar a clivicla". c.1.53 5 Dív da de curto prêzo 5.919 Dívida de longo prazo a vencer 133 Demais passivos clrculantes 258 Passivo circul¿nte tot¿l Diui. Flistorrcamen[e. curto prazo é o clinheiro cleviclo pela empresa e com vencimento no próxrmo ano.. Por exemplo. No jargão financeiro. Balanço patrimon¡al/Pâssìvo (em milhões de R$) ) Contas a pagar 1.:': . o dinheiro de curto prazo tem sido mais barato clo que o cle longo prazo. Isso sìgnifica que temos de quitar a dívida no prazo máximo de um ano. E [uclo lunciona bem até as raxas de juros no cur[o prazo sallarem 93 . contraÍmos empréstimos de curto prazo a empresLamos esse clinheiro no longo prazo a7o/o . Nesse item estão incluÍdos títulos negociáveis e emprés[imos bancárlos de curto prazo.!:. Mas o problema com essa estratégia é que o dinheiro que tomâmos emprestaclo é cle curto prazo.rPiruLo 36 companhia -lbdavia. a c¡uantidacìe cie díviclas cle curlo e longo prazos pocle nos tevela¡ muito sobre as condiÇöes econômicas cle longo przrzo cte uma empresa e se ela tem ou nao umaì vxnlxgcrn (onpetiLrva pouco sobre â nalureza econômica de longo prazo cla Dívida de curto prazo: como isso pode acabar com uma instituição financeira clurável. o que é bastante fácil .

E lsso não nos cleixa felizes.09 em clíviclas cle curto prazo para cacla dólar em clÍviclas de longo prazo. E é isto qne queremos cle um banco e cle um banqueiro: sensatez. O banco tem dinheiro quando os outros têm perclas. Quando o assunto é investir em insliluiçoes financeiras. mas nossos creclores decìdem não nos emPrestar maìs nenhum dinheiro a culto prazo. Em períodos financelramente contut-bados. um clia.lc voltl ¡or mllilùs r muitos anos. E. cle" corresponde à es¡abiliclacle resultante do caráter conservaclor. rem US$ 2. o que em hipotecas. Mas. a clurabiliclade de uma vantagem compet! tiva é muiro semelhante à virgindacle - é mais fácil protegêìa clo que recuperáJa.. que era de 7o/o.para um palâmar superior ao cla taxa de longo prazo clos empréstimos que conceclemos. mas. tem US$ 0.ma ideia quando as laxas de juros de curto prazo estavam em 5%. lemos cle refinanciar a nossa clivida cle curto prazo a uma taxa superior à qlte Ltsamos para concecler emprésumos. agora que pularam para B%. Â lição é: nunca se enriquece c¡uando se eslá no laclo em desvantagem de um desastre Îinanceiro. Não é o clinhei¡o clue se ganha faciln-renle contrâindo empréstimos cle cutlo prazo e conceclenclo empr-éstimos cle longo prazo. o que cria oportuniclades. no mundo dos negócios. que não o rcccb( remùs .da instituição. De repenLe. Sua institurQão favorita. são os bancos estáveis e conservadores corno o Wells Fargo que Lêm a vantagem competitiva em relaÇão às institltiçoes arrojaclas e dinâmicas que colocaram a si mesmas em uma posìção difÍcil. aquela parecia uma ótì. lortável para o Bear Stearns. lvlas não tetÌ1os esse clinheilo porqrìe o emprestamos a longo ¡razo. É por isso que os bancos estáo sempre tentando nos prencler com certificaclos cle ctepósito ]¡ancário de cìois anos ou mâis. OLÌtrâ parte cia equação clesaslrosa cla ton'La¿la cie empréstimos é o que aconLece quando et-rìpreslamos toclo o clinheiro a longo pr-azo. não vamos emprestar mais clinheiro para vocès e queremos receber âs somas que já emprestamos. Mas um banco arrojado.4.çÕes arrojadas que Foi o que aconteceu com o Bear Stearns: eles fìzeram empréstimos a curto prazo e compraram valores mobiLiários lastreaclos contraem empréstimos cle cur[o prazo muitas vezes ficam à mercê cle mudanÇas repentinas em seus me¡caclos cle crédito. porlan[o. usando-os como Saranlla pâr¿l os empréstimos de curto prazo. CIztro. rì cLltc slgniftcf. como o Bank o[America N. empréstimos â clrrto prâzo clo clue a longo prazo. mas é Ltma maneira mais sensâta e muito mais conservadora cle ganhar clinheìro. A "clurabilida. o Wells Fargo. Lemos de devolver tûclo o chnheiro que lomamos empreslaclo a curto prazo e clue emprestâmos a longo prazo. As ìnstituj. A maneira mais inteligenle e segura cle ganhar clìnheiro no setor bancário é tomar empresLaclo a longo prazo e conceder empréstrmos de longo prazo. Bulfett sempre se manteve a clistância de empresas que contraem mais s4 95 . seus credores disseram: 'Achamos que pÕe loda a sua operação em rlsco e corresponde a uma percla de a garântia náo vale o clue vocês nos informaram." Não f'oi umâ posiQão mllito con- qualquer tipo de clurabÌliclacle em seu moclelo de negócios.57 em cliviclas cle curto prazo para cada clólar em clÍvidas de longo prazo.

portanto. Balanço patrimonìål/Pass¡vo (em milhôes de R$) -) Contas ã pa9ãr Despesas provisionadas 1. crianclo a iltrsão de cpìe a organização contabiliza mais diviclas cle curlo prazo do que realmente tem' Normalmente. mas c¡ue 97 96 .7 Este capítulo cliz respeito à clívicla cle longo prâzo a vencer e cìue tem cle ser paga no ano segllìnte Ë1a não é um passivo circulante anual para a maioria clas empresas. lsso pocle causar problemas quanclo algumas a agrupam com a clivida cle crìrlo prazo no balanço patrimonial. se estamos liclando com uma companhia que tem muitas cliviclas cle longo prâzo â vencet. o que nos clará uma cotaÇão mais baixa para comprarmos umâ pârticipaÇào. Uma quanticlade excessiva de dÍvidas vcncíveis em um Írnico ano pocle assustar os investidores. têm f(lrca ou nenhuma clÍvicla de prâzo a vencer. No entanto' algunas grancles companhias lêm tlma parte cle slrâ dívicla c1e longo prazo vencÍvel no prazo cle um ano. é melhor verificar o horizonte e saber quanto da clÍvicla cle longo prazo vai vencet nos 37 a vencer e os problemas que isso pode causar ânos seguintes. esta provavelmente não possui uma vantâgem competitiva cle longo prazo Tocla vez que estamos comprando uma partìcìpação em uma empresa clue tem Llma vantagem competitiva durável.c¡.rlruro Divida de longo prazo está passanclo por momentos chlÍceis por causa de um evento Írnico resolvÍvel .380 Dívida de curto prazo 5.como uma subsidiá¡ia em um negócio diferente que está perdendo muito dinheiro -.535 '133 13. 5. Lìma quanticlade excessiva cle clívidas a vencer no próximo ano pocle gerar problemas de lluxo de caixa e falência. Em uma companhia medíoc¡e c1ue está passanclo por proble_ mas sérios. empresas comumavantâgem competitì\/a clurável precisam cle pollca ou nenhuma divicla cle longo prâzo pâra mânter longo suas operaÇÕes e. Portanto.919 Dfvida de longo Prazo ã vencer Demar5 passivos Passivo circuJantê total o que também é Llma morte certa para o nosso investimento.

voce tem um quadro econômico corrente com exige o "colchão de liquiclez" necessárlo a uma companhia 911 99 . que nâo Em suma. poclemos cleterminar a liquidez dn empresa - o. Balanço patrimon¡al/Pâssivo (em milhóes de R$) Contas a Pagar De5pesas provisionadas Dívida de curto Prazo Dívida de longo Prazo a vencer Demâis passivos -r Passivo circulante total 1. ruim Neste caso' acreclita-se obrigacompanhia poclerá ter clificuiclacle para cumprir as suas junto aos creclores com Como cliscutimos no capítulo 27." da cle liquiclez.919 :: 254 13.380 l 5. no entanto' emplesas coeficienuma vantagem competitiva chrrável muitas vezes Lêm anomalìa é o tes c1e liquiclez inferiores a 1. O c¡ue causa essa competitiva imenso poder cle gelação de lucro clue â vantagem çóes de curto prazo durável crìa.225 l toDivrclinclo o Ativo circulante total pelo Passlvo circulante qurnto maior tal.o"fi.CA!ITU LO 38 concliçoes econômicas menos favoráveis.535 5. esse coeficiente é pouco útil para nos inlormar se uma companhia tem ou não Llma vantagem competitiva durável. maior a clisponibiliclade linanceira ci¡culantes companhia e a sua capaciciacle cle pagar os passivos no momento do vencimento e Um coeficiente c1e ìicluiclez acima de I é consideraclo bom que a qualquer coisa abaixo cle 1. Eml¡ora se]â muito importante para clererminar a liquidez de uma empresa com uma Passivo circulante total e o coeficiente de liquidez qualidacle entre inlerior e méclia.i"r-r.

525 Posr Company poclem fazer isso no período de dois anos. Na busca por uma companhia excelente com uma vantagem competitiva de longo prâzo.. a companhia Iica sujeita a uma enorme dívida. As aquisiçöes htstóricas de BufferL inclicam que. esse daclo é lançado como passivo de longo prazo Se a divida tem vencimento no prazo cle até um ano.0 anos. 101 . é bastante provável que aquela companhia [enha algurna lbrte vantagem competitiva a seu favor. Mas companhias como a GM on a Ford. qrìe têm uma vantagem competitivâ de longo prazo.¡ nanciar a aquisição. em qualquer Balanço palr¡mon¡al/Pass¡vo (em mÌlhoes de R$) Passivo circLllante Dlvida de ìongo prazo 3. essas organizaçÕes muitas ve:l. Isso acontece quanclo o .:1.nodo. vencimentos do período de um ano No balanço em qualquer momento a1ém patrimonìal. â quânticlade de dÍvida de longo prazo lançacla pela empresa em seus livlos informa a Buffett muiro acerca da natureza econômica da organização O investidor aprendetl que empresas que têm uma vantagem competìtiva clurável muitas vezes [êm poucâ ou nenhuma dÍvicla de ìongo prazo em seu balanço patrimonial lsso porque elas são tão rentáveis que se autofinanciam quando precisam expandir seus negócios ou realizar aquisiçöes Portanto. uma clas maneiras para nos ajuclar a identrficar ulna empresa excepcional é verificar a c1uantidade de d¡vlda cle longo prazo em seu baLanço palrimonial.ìr' ì:ìj:l zes são alvos cle aquisiçoes alavancadas. comprador toma emprestadas enornres quantidacles cle clinheiro c apresenta como gârantia o lluxo de caixa da empresa para [i_ :r.lu . nesse periodo.. Mas preste atenÇão: graças à alta rentabilidade e ao fato cle tetem pouca ou nenhuma clÍvida. lrata-se A conclusão é que as empresas qlle têm um poder cle geraçâo cle lucro suficiente para quitar sua dívicla de longo prazo em me_ nos de três ou quâtro anos são boas candidalas em nossa busca por umâ companhia excelente com uma vantagem competitiva de uma dívida de curto prazo e é lançada no passivo circulante cla empresa. Se. pocleriam quirar todas as clíviclas cle longo prazo em um único ano. aqrìisicão c1a \JR/Nabisco no lim da décacla de 1980. longo prazo significa obrigaçoes com competiLivo setor auLomorivo.211 Tributos diferidos Participaçáo minoritárìa 1. Não eslamos interessaDesse c.1. A Coca-Cola e a Moocly's. ambas no altamente Diui. e a Wrigley e a The Washingron 0 3 133 Demais pas5ivos 8. houve pouca ou nenhuma clÍvicla cle longo prazo em seu balanço patrimonial.890 ) ou quatro anos.rcro líquiclo anual sulicienre para qr"ritar todas as dÍviclas com o lucro obtido num perÍoclo cle très 13 225 total 21 total .ì. a empresa deve ter um L. Após a aquisiçâo alavancada. pocterlam gastar cada tostão clo lucro líc¡uido obtido nos últimos IO anos e mesmo assim nâo conseguirìam saldar a quantidade maciça de dÍvidas cle longo prazo lançada em seus balanços patrimoniais.rpíruro 39 Dívida de longo prazo: algo que boas empresas não têm em Profusáo dos apenas na data clo úrltimo balanço. queremos saber a carga diviclas de longo prazo que ela anclou arras[anclo nos itltimos cle .300 P¿ssivo não circu!ãnt-" total Passìvo ano. Foi isso que âconteceu com a lr. raramente há necess'idacle de tomar empïestadas grandes quantidacles rle t00 dinheiro cle longo prazo.

não no crescimento cla emPresa tL regra aqui é simples: pouca ou nenhuma dÍvida de longo prazo sìgnifica uma boa apos[a no longo prazo Balanço patr¡monial/Pâssivo (em milhöes de R$) Passivo circulante total 13.217 lmposto de rend¿ dìferido Participação minoritária 1. 05 impostos deviclos. sendo posrergados para exercícios futuros. o preço pago pelas açÕes é lançado nos livros como um ativo sob a clenominação . os tÍtulos da companhia muitas vezes são a melhot aposta' pois o poder de geração cle lucro estará concentrado na quitação da dívida. euanclo uma companhia adquire aÇoes de outra com a intenção de mantêlas. Já o item Participaçâo minoritáriâ no balanço parrimonial é bem mais interessante. f) mesmo pode ser lèt¡o com a demonstração clo resultaclo clo cxercicio Um exemplo: a aquisição cle 90% da Nebraska Furnirure Mart por parLe da Berkshire. Como havia aclquirido rnais cle g0o/o cla 102 t03 .133 Passivo náo circulante Pâssivo total total 0 8.890 -+ Dema¡s passivos 3.525 L/ item lmpu'to de rcnrh clilêritlo representf.. Mas. ao adquirir mais de 80% das ações de outra companhia. é pos- sÍvel transportar todo o balanço patrimonial clela para o seu.300 21. mas ela liver uma ronelada de clÍvida em seu balanço patrimonial' talvez esta tenha sido causada Imposto de renda diferido.CAPÍTULo 4O Se tudo o mais indicar que a empresa em qüestão tem uma vant¿rgem compelitiva durável. mas que não foram pagos.225 Dívida de longo prazo ) r 3. Esse núlmero nos informa pouco sobre uma evenlual vantagem competitiva clurável de uma empresa.lnvesti_ mentos (patticipaçóes permanenles em outras empresas)". participação minoritária e demais passivos por umâ aquisição alavancacìa Em casos clesse ttpo.

271 lmposto de renda dlferido 1. lsso é registrado como um passivo para balancear a equaÇäo. com uma pec1uena moclificação. apesar cle ser dona cle 90% da empresa.ìntJgcm cumpetiLiva clnrável usa o sell pocler cle geração cle 104 105 .133 total total 8.225 Dívida de longo prazo 3. multas não quitaclas e inslrumenlos clerivativos Nada disso nos ajucla em nossâ busca por ttma companhia com uma vantagem competitiva durável. O que a Participação minoritária representa é o valor clos 10% da NFM c. benefícios nâo correntes. Tratâ-se um número impoltante que pocle ser usaclo para nos infol mar o coeficiente de endividamen[o em relação ao palrimÒnio lÍquido. etc) Bâlâhço patrìlnonial/Pass¡vo (em milhões de R$) Pãssivo circuLãnte total 13.525 conlra a empresa. O coeficiente cle encliviclamento em relação ao patrimônio lLquiclo lem sido hisloricamente utilizado para nos ajudal a identificar se uma empresa Lem oll não usaclo clíviclas para financiar âs suas operaçÕes ou a sua participação patrimonial (clue inclui o lrrcro lcurnttlaclo). deveria teoricamente mostrâr r. A rLue nf.o pos5Lti Ltmi v.i' NFM. r\ complnhil conì umr vlntxgen) (ôrìrl)cticle lucro para flnanciar as próprias operaÇoes e. uma vez qne ela iançou em seus livros 100% clo ativo e do passivo cla NFM.tm nível mais elevado de parrimônio lÍquido e um nÍvel mais h:rixo clc pa'sivo lolxl.890 Pãr cipãção minoritáriã Dem¿is pâssivos Passivo não c rcuLante + Pàssivo 0 3. a Berkshire pôde lançar lO0o/o do renclimento da NFM em sua clemonstração do resultado clo exe¡cício e aclicionar 100% do âtivo e do passivo da NFM âo seu bâlanço patrimoniaL. juros sobre passivos tributários. E o que lsso tem a ver com â iclentificaÇâo de uma empresa que possui uma vantâgem competlliva clurável? Não muìto' mas é inleressante saber o que é e o clue näo é importânte em nossa busca pela companhia com Llma vantagem competitiva durável Demais passivos é Lrma categoriâ genérica na qual as empresas lançam vários tlpos cle clÍvlda. Nela estâo incluídos passivos como valores exigidos em processos (trabalhistas.rPÍrulo 4I Passivo total e coeficiente de endividamento em relação ao patrimônio lÍquido que a Berkshlre não possriì. que. cÍveis. O Passiuo total é a soma cle roclo o passivo cta empresâ. pocle ser usaclo para nos ajuclar a iclentifica¡ se uma companhia tem ou não uma vântâgem competitiva durável. por[anlo.300 21 .

68 . No entanto.uma companhia sern enorme.clo que com o da Coca-Cola. É isso que Bu[[ett quer dizer quanclo alirma que os bancos s¿ìo operaçóes altamente alavancadas.o que significa que.68 em dÍviclas.2 bilhoes em parrimônio lÍquido e US$ 275 bilhoes em clÍvidas. e uma delas é o M6¿T Bank. um nÍvel de patrimônio Coca-Cola corrigido pelas açoes em tesouraria. lsso. a Fo¡d tem US$ 38 em clívidas . Os bancos tomâm emprestadas quanticlacles enor- que o seu coeliciente de endiviclamento em relação âo patrimônio líquiclo se parece mais com o da GM .0.71. As condiçoes econômicas lavoráveis são tão forles que â empresa não precisa manter nenhum patrimônio líquiclo. Contuclo. Em média. 38.7. clue tem um coeficiente corrigiclo de 4. as usam para conceder empréstimos. lsso significa presas fabris. É facil ver o contraste entre as empresas que têm e as que não lêm uma vântagem competj. em alguns casos. tem um coeficiente corrigido cle 0. que é compensaclo pÒr um ativo gigantescû. lsso significa que. lsso gera um passivo vros.63. Compare a P{¡G e a Wrigley com a Goodyear Tire. lo'/ . que ref lete as práticas mais conservacloras de concessáo de empréstimos aclolactas pela equìpe de gestão.tiva durável quanclo analisamos o coeficiente de enclividamento em relaçào ao pâtrimô- nio lÍquido corrìgido pelas açóes em resour-aria.51. A equaçâo é: Coeficiente cle encliviclamento em ¡elaÇão ao Patrimônio liquiclo = Passivo Lotal + Patrimônio líquiclo. os coeficien- A Moody's. próprias acoes. aìÌmenLa seu coeficiente de enclividamento em relação ao patrimônio lÍquiclo. não precisam de quânticlade alguma. um clos lavoritos de Buffett há muito tempo.35. prias âçóes. A GM continua com um patrimônio líquìdo negativo mesmo com líquiclo mais baixo e um nÍvel mais elevaclo de passivo total. os grandes bancos americanos rêm US$ 10 cle passivo para cada dólar de patrimônio liquido lançado em seus li- uma vantagem competitiva durável e com um pattimônio lÍquido negativo . por sua vez. o que reduz a sua base de capital próprio/lucro acumulado. para cada dólar de patrimônio lÍquiclo. uma das lavoritas cle Buflett. que é cle 0. Ä Procter 6¿ Gamble.uitas vezes fazendo com que o coeficiente se pareça com o de uma companhia mec[Íocre - sem uma vantâgem competj. ela tem US$ 0. o seu coeficiente de endividamento em relação ao parrimônio lÍquido cai para 0.tiva dllrável. deverá moslrar uma situação oposta. Na verclade. pois a companhia não tem dinheiro para recomprat as O ploblema em usar o coeficiente cle endivrdamento em relaÇao ao patrimônio líquido como inclicaclor é que as condições econômicas clas empresas que possuem vantagens competitivas cluráveis sâo tão boâs que elas não precisam de uma grancle quânticlade cle capital próprio/lucro acumulado em seu baÌanço patrimonial para Íazer o seu trabalho. que são inexistentes. a Wrigley.o lÍquido é negativo. elas muitas vezes gastam o capital próprio/lucro acumulaclo para recolrrprar suas aÇÕes. que tem umâ vantagem competitiva durável. No caso cle insrlruiçoes linanceiras como bancos. Por causa do seu grancle pocler de geração de lucros. m. em média. O M&T tem um coeficiente de 7. ou com a Ford. alinhado com o da 106 mes de dinheiro e.tiva usa cliviclâs para linanciar as próprias operaçÕes e. se voltarmos a aclicionar ao patrimônio lÍqutdo da Moody's o valor cle roclas as açöes em tesourarla que ela adquiriu em recomprâs. O seu patrimônj. ela gastou todo o seu recomprando as pró. por sua vez.'muito mais ahos do que os clas em- plo desse lènômeno. é um excelente exem- tes tendem a ser. depois. que possui umâ vantagem competitiva durável. há exceçóes. para cacla clólar de patrimônio liquido. 0. lucrando com a diferença entre o que pagaram pelo clinheiro e o que cobram pelos emprés[imos concedidos. portanto..correspondenclo a US$ 7. a adição do valor de suas açöes em tesourarìa.

235 -23. Reservas cle capital e [-ucro acumulado. 108 r0q . tocla vez que vemos um coeficiente corrigìdo de enchviclamento em relaçâo ao patrimônio lÍquido abaixo de 0.tAPiruro A regra é simples: â menos que estejamos analisanclo uma ins- tituição linanceira.059 f\o snbtlair o passjvo total do ativo total. O Patrimônio liquido e lançaclo como Capital social realizado. ha uma boa chance de a em- 42 Patrimônio lÍquido/Valor contábil presa em queslão tel a cobiÇacla vantagem competitiva durável que estâmos procuranclo. rambém conhecido como valor contábiÌ. Balanço patr¡monial/Patrimôn¡o líqu¡do (em milhões de R$) Passivo total 21 .534 43.525 1 .80 (quanto mais baixo melhor). E encontrar o que estamos procuranclo é sempre bom. obtém-se o patrimônio lÍquido de uma empresa.296 Açoes preferenciais 0 Ações ordinárias Reserva de c¿pllal (emissáo de ações) Lucro acumulado Açóes er¡ tesouraria + - ordioárias Patrimônro líquido total Passivo totale patrmönio Iqurdo 7.37 5 21.374 36. qne inclui açoes preferenciais e orciinárias. Trata-se de todo o clinheilo que os proprielários/acionistas investiram inicialmente acresciclo clo que ganharam clepois e cleixaram na companhia para que ela continuasse funcionando. especialmente se nosso objetivo e enricluecer.

E dinheiro emprestado. c¡ue podem ter um va1or. O mesmo se aplica às ações olclinárias. mas têm direito a um clivicienclo fixo ou ajustável que deve ser pago anles que os acionistas orclinários recebam os seus. embora do ponto de vistâ técnico sejam umr partictpxçio paLrimonial.rat¿rr cle um dinheiro caro. por sua vez. se toda a empresa for venclicla. E.4 l: ì. se a aÇão preferencial da empresa tem um valor nominal de US$ 100/ação e loi vendida ao púrblico por US$ 120/ação. a compa- nhla nunca tem cle restituir ac¡ueìe clinheiro. em parte. porc¡ue ele é setr para sempre. Os acionistas preferenciais também têm prioridacle ern lelação aos orclinários caso a empresa declare falência.00 por lìvros sob o ìtem capital realizaclo açóes preferenciais e US$ 20 por aÇão serão lançaclos sob o item reserva cle capital. os dividendos p¿rgos às açties prefêrenciais não o sáo. o que tencle a enca¡eceL muito o clinheiro obtido com a emlssão de açoes preferenciais. Os clonos cle açoes clldinárias são proprietários cla companhia e têm o dileito cle eleger um conselho dìretor. Os acionistas prefèrenciais não têm clireito a voto. Se a ação foì venclicla ao público por US$ lO/ação. as empresas gostam cle se manter uI . ao con[rário dos juros pagos pol uma dÍvicla. Mas. as açóes preferenciais luncionam como urna dÍvicla. por exemplo. o valor cle US$ 1. cle US$ l/açào.37 5 21 534 T-T LJma empresa po(le levanrar capital novo vendenclo títulos ou açöes (participação patrimonial) ao público. Ë. As açoes ordìnárias representâm os controladores da empresa. e todo o clinheiro que excecle o valor nominal e que loi pago cltrando a companhia vendeu a açáo cleve ser lançaclo nos livros como "Reserva cle capital (emissão de acoes)". pois os dividendos precisam ser pagos. para que ela laca o cpie bem entender. Por se t. lsso se cleve. que são cteclutÍveis do lucro antes clos impostos. contralará Ltm executivo.296 36. as açóes preferenciais e as ordinárìas são lançadas nos livros com seu val. ¡ L CÂPiTUI-O 43 :I Ações preferenciais e ordinárias: reserva de capital (emissão de ações) Existe um segundo tipo cle participâção paLrimonial chamadcr ação preferencial. pois o dinheiro originalmente recebiclo mìnca precÌsa ser reslìtuÍclo. No que cliz respeito ao balanço patrimonial. O c¡ue é curloso é que as empresas que têm uma vantagem competitiva durável tenclem a não possuir açÕes preferenciais. ela será lançacla no balanço patrimonial como aÇao será lançaclo nos US$ I por ação sob o item açoes ordinárias e US$ 9 por ação no item reserva de capital (emissão de açoes). It0 nâÌ. que.che[e para dirigir a oÌ'gânização. são os acionistas ordinários que licam com toclo o valor da venda. O dinheiro levantado com a venda de [Ítulos como debêntures tem de ser restituiclo em algum momento no luturo. à sua rendência a não ter dÍvicla alguma. Os acionis[as orclinários recebem dividenclos se o conselho diretor aprovar o seu pagamento. Mas. Porranto.235 -23.or nomi- Patr¡mônio llqüido (em milhões de R$) + + ) Açóes preferenciais 0 Açôes ordinárias 1 Reserva de capital (emissão de açoes) 7 31a Lucro acumolado Açóes em tesourarÌa ordinárias Patrimônio líquido tota . ao levantar clinheiro vendendo ações prelerenciais ou orclinárias (chamadas de "participação patrimonial") ao público.

.]:: : distantes dele. o lucro liquido de uma empresa pode ser pago como ctividendo.1 bilhoes em cliviclendos e recom- ttz ltl .9 bilhöes e gasrou US$ 3.296 1. ou pode ser retido para man[er o crescimenLo do negócio. Foi ä política cle Wa¡ren de reter 100% do lucro lÍquiclo da Berkshire c¡ue ajr-rdou a laze¡ com que as açÕes cla companhia subissem de tJS$ 19 cacla uma em 1965 para US$ 78 miÌ cacla uma ern 2007.. é lançado no balanço patrimonial sob o cabeçalho de patrimônio lÍquido como lucro acumulaclo. C¡\PÍTULo 44 Lucro acumulado: o segredo cle Buffett para se tornar riquíssimo :|: :1: ii ::ì :lì .375 1 21 . a Coca-CoLa teve um lucro lÍc¡uiclo após impostos cle LlSiì 5.r: '. Ýl Patr¡mônio liqu¡do (em milhóes de R$) Açoes preferenciais Ações ordioáriâs Reserva de capital (emissáo de açöes) ) Lucro acumulado Ações em tesour¿ria .iq. Para descobrir o lucro lÍquido anual que será aclicionaclo ao ILrcro acumulado cla empresa. "t ::.idendos e os rtispêndios com a recompta cie açÕes clurante aquele âno.534 N'T L\o tim das Lonras.374 36.s na estrutrlra do seu capltal.ordináÍas Pâtlmônio lfquido total 0 . se possível. um dos incticaclores c¡ue procuramos em nossa busca llor Llma companhia com uma vantagem competitiva clurável é a ausência cle açÕes pr-.eferenciaì. euancto isso acontece. pegamos o lucro lÍquiclo após rmpostos e ctecluzimos o valor c¡ue ela pagou em clj. Em 2007.235 -23. Portanto. Se o lucro é acumulado e a ¡entabilidade é utilizacla. usado para recomprar as próprias açoes.r. o quaclro econômico de longo prazo cta empresa pocle melhorar muito.

Bufle¡t clescobriu que.ulo s. l)a mesma maneirâ.. o que significa que o novo lucro acttmulaclo cle cacta ano é aciiclonaclo ao lttcr-. De tockrs os núrmeros em urn balanço patrimonì. a velozes ]. a Anheuser-Busch. o quÈ. Quando duas companhias se funclem. Ë inìportante porqlle.-t rt umLLl. mais rápido o seu lucro acumulaclo crescerá. para US$ 13. o qlìe gera um valor ainda maior.8 bilhoes. teoria é simples: cluanto nais luc¡o a empresa retiver. À meclida. se a empresa percle dinheiro. é pouco provável qlle nos lorne- cle re Hathaway é que ele interrompeu os pagamentos cle diviclenclos sua capaciclade de ganhar cacla vez mais clinheiro. o que corresponcle a uma taxa méciia de crescimento anual cle aproximaclamente 2lo/o.que oportuniclades iam aparecenclo. O macete. vai acabar contabilizanclo o seu patrimônio líquiclo em bilhóes. os seus lucros acumulados são com- Buflett com a Be¡kshi- no dia em c¡ue assumiu o controle cla empresa..rulaclo cla Berkshire allmenLou a mulou no passacio. Simphficancio: a taxa cle crescimento clo lucro acttn. Velamos algumas das companhias lavori¡as cle Buflètt clue possuem uma vântagem competitiva durável: a Coca-Cola vem aumentando seus lucros acumltlaclos há cinco anos a Llma lâxa anual de saborosos I0. o lu.tulaclo cle uma empresa é um bom inclicador para sabermos se ela eslá se beneficianclo ou não cle uma vantagem competitiva clu¡ável.al que poclern nos ajuclar a cleLelminat se uma companhia tem ou não uma vantagem competjtlva clurável.9olo. Eia é como uma ga- linha clue nào apenas conlinua a pôr ovos de ouro. por sua vez.4%. It4 3l bilhoes quanclo se funcliu com a 1t5 . a sóliclos 14. elc investia o lucro acumulado em companhias clue ganhavam aincla mais Entáo âquele clinheiro era adicionado ao lucro acumulado e. Nem todo o crescimenlo clo luc¡o acurnulado se deve a um aumento adicional nas vendas de proclulos existentes. r.rr unr númcrù ncgf. e a Berkshrre l{athaway.5. Com o passar clo tempo.o acumulado total clos anos anteriores. clepors. não apenas em milhoes. uma parte se deve a âquisiçoes de ou[ras enìpresas. e claro. se você mantiver esse processo tincionanclo por rempo suficiente. aumentará a taxa de crescimento do lucro futuro. US$ 13 bilhoes para US$ The GiLlette Co. a Procter & Gamble viu seu lucro âcumlllado pular de binaclos.60lo. o crescente lucro acun. em 2005. invesliclo em operaçoes ainda mars lucrativas. a incornparáveis 23%. clo próprio Bulfett. Isso permitiu que 100% do lucro lÍquido anual fosse adicionaclo ao lucro acumulado. E loi exatamenle isso que Bulfett lez com a Berkshire Hathaway.9%. a Burlingron Notthe¡n Santa Fe Railway. que foram adicionados ao lttcro acumulailo.:::. A.Um clos grandes segreclos clo sucesso um renclimento de aproximadamente US$ 2. a Wrigle¡ a 6.2%. mas cle cacla um desses nasce uma nova galinha que poe mais ovos cle ouro.2007. é que ela precisa continuar â comprar companhias que possuem vanlagens competilivas duráveis. esLe e o rnris inlporLantc. o prejuÍzo é subtraíclo clo qtte ela acupra cle açoes. se uma empresâ não está fazenclo acltÇoes ao seu lucro acumulado. Se percle mais clinherro clo que acutrlulou. a inebriantes 7.l ivo. a expansão cle seu lucro acumulado ajudou a aLìmentar o seu rendimento antes clos impûstos cte US$ 4 por aÇão em 1965 . o seu patrimônio lÍquicio não está crescenclo.023 por açâo em 2007. Pot exemplo. Este é um nitmero que vai senclo agtegado. Se este não está clescenclo. o Wells Fargo. Entre 1965 e . lsso cleu a ela mos lic¡uÍssimos no longo prazo.

296 7.i rrl . cleixam de existir. elas sâo lançaclas no balanÇo patrì..i Reserva de capital (emissâo de açoes) 0 lÍc1urdo. o que aumenta o relo¡no sobre o patrimônio lÍc¡urclo. clivicla o iucro líc¡uiclo cla companhia pelo novo pâtrimônio líquido total. Ações em tesouraria: Buffett gosta de vê-las no balanço patrimonial .1 livre c¡ue pode ser gasto com â recompra clâs próprlâs aÇÕes.monial. embora sejam incliscutivelmente um ativo.: sas poclem ser leitas: ela pode canceláìas ou rete-lâs com a possibilidade de revenclê-las mais târde. Depois.i rl suas ótimas condiçÕes econômicas.rpÍruro 45 )':. a empresa está reduzinclo o seLl capìtal próprio. conclìçoes econômìcas excep_ Lesouraria em um nútmero positivo e adicione_o ao palrimônlo Açôes preferenciaìs ::i quando compra suas próprias aÇóes c ¿ts mantém como açÕcs em tesouraria. se a companhia as letém com a possìbilidade cle revendê-las mais tarcle. sâo lançaclas no balanço patr imonial como um valor negativo :. em vez de subtraí-lo.378 1 Açóes ordinárias -+ competiliva du¡ável. é bom saber se o alto ¡etoÍno cstiì scnclo geraclo por engenharia linanceira. e. elas I. assim como não recebem divìdenclos. '::1 ì. O resukaclo cles_ sa ope¡aÇão é o tetorno sobre o patrimônio sem os efeifos cla 36 235 Lucro acumulado Açöes er¡ tesourar â - engenharia financeira.: ll6 117 .i ij Quando uma empresa recompra l.ì. cionais ou por uma combinaçao clas cluas coisas. como porque representam uma recluÇâo clo patr'ìmÔnio lÍquido As empresas com uma vântagetn competitiva durável.. graças t:.tl r'l ::i suas próprias açoes. [enclem a ter mLìito clinheiro :. Se fo¡em canceladas. Uma delas é a seguinte: ii tìi lavor. cluas cot- âçóes em tesouraria. para sabcr ir que está acontecendo. -23.534 Patrimônio lfcluido total Vamos terminar esle capÍrulo com uma regra sìmples: a presença cle açöes em tesouraria no balanço patrrmonial e um his_ a.c. r'i i. Mas.i . As aÇoes em tesourâria não têm direito a voto. Devemos aten[ar pata muìtas out¡as dinâmicas fìnanceiras no que cliz respeito às aÇoes em tesouraria.37 5 ordinárias 21.4.i :'. Como um retorno alto sobre o patrimônio lÍquido é un sinal clc vrnLagem a ]. no grlrpo cle contas clo patrimônio lÍquido.t ìi: tórico de recotnpra de aÇÕes são bons incticaclores cle clue a em_ presa em ques[ão tem uma vantâgem compeLitiva clu¡ável a setL :.ì ti l. :t : l1 t: ]t :a Bala¡ço patr¡moniâl/Patrimönìo llqu¡do (em milhöes de R$) r. converta o valor negativo clas açöes cm .

a Wrigley. Um retorno alto sobre o patrimônio significa que a companhia l t9 .lìque longe.rpÍruro 46 Buffett descobriu que as empresas que sc beneficiam cle uma tzanragem competitiva durável ou cle longo prazo apresentam um relorno sobre o parrimônio lÍquiclo acima cla r. A United Airlines. i . a Coca-Cola.235 -23. e a American Airlines ganha 4%.l tempo. podemos até compral uma pârticrpaÇão mâior na empresa. ìj l 'i .1 . de 24%. esses re[ornos altos sobre o palrimônio se acumulam e aumentam o valor subjacenLe da empresa. Passe para um setot altamente competitivo como o da aviaçâo. ''-. Portanto. A compa_ nhia favorita c1e Buffetr.1. Tra[a-se de I eslá usrìndo bem o lucro que está sendo reticlo. A Detr¿ Air Lines e a Norttrwesr não ganham nacla porque não ob¡êm lucro.r em outlo ne8ócio Mas' se esriver realmenle fazenclo um ótimo trabalho. jtlnlo com toclas as outlas pessoas parrimônio lÍquido.296 Açôes ordinárias Reserva de capital (emjssáo de ãçóes) Lucro ãcumulôdo Açöes em tesouraria : - ordinárias Patrimôoio lfquido total 36. Com o passar clo . ..'. apresenta Lrrn retorno cle Retorno sobre o patrimônio líquido 30olo sobre o Bãlanço patr¡moniâl/Patr¡mônio llqu¡do (em milhóes de R$) 0 Açôes preferenciais 1.375 21 . em um ano em que ganha clinheiro.néclia. atinge l5yo.-oa acionistas cle uma empïesa.. a Flershe¡t5 iìprescnti otimos I Jolo: c x pepsi ítl¡nge l+o/.::i:ì rl1. no qnal nenhuma empresa tem uma vantagem competitiva suslentável. os ânalistas financeiros desenvolveram o inclice c1e retotno sobre o patrimônlo ìÍquido. acabará senclo reconhecido pelo mercado acronário por meio de um aumento clâ cotação das açoes claquela companhia. estaremos muilo interessados na capaciclade c{a equlpe cle gestão de alocar o nosso clinheiro para c¡ue consigamos ganhar ainda maj.ì ! .. a lim de lestar a efìciêncla cla equipe cle gestão em alocar o cìinheiro dos aclonis- um lndice muito importanle para Buffett em sua 1 busca pela empresa com uma vantagem competitiva durável' ReLorno sobte o paLrimônio líquiclo = l-ucro líc1uicÌo + PâtÌirnônio liquiclo I l]8 t a regra é: clue eslao ìmpressionadas com a capactdacle da ecluipe de gestão tas. que.nvestj. ì em utilizar cle lorma rentável o patrimÒnio dos acionistas' Com esse propóslto. e o retorno sûbre o patrimônio cai clramatìcamente. l -ì um ¡eto¡no alto sobre o parrimônio lÍquiclo significa "pode vir".1 Sa fo.. Um ¡e[o¡no baixo significa .c. ao longo clo tem_ po. não ficamos satisfeitos e podemos âté vender as nossas açöes e j.s Se a ec¡uipe faz um trabalho ruim.534 ':t' ::.

por exemplo. Esses mLÌtuários não rinhatl Lrmâ fonle t durável de renda. aumenLando o lucro e o cLue os Ao avaliar a qualiclacle e a durabiliclacle cla vantagem competrtiva de uma empresa. pa. O problema é c¡ue. nao são.:' poucas ga¡antias cleixaram cle pagar snas hipotecas.: :. c¡uanclo a economia comeÇou a derrapar. '. No curto prazo. clepois empreslam esse dinheiro a 7%. bancos cle rnvestimentos também não tinhâm IruLo 47 O problema da alavancagem e as surpresas que ela pode causar :l:l 'a t.4. Alnunn. a fonte que está pagando os juros tâlvez não consiga mânler os pâgamentos.ug"- é o ttso cle clíviclas para aumentar o lucro da em- presa. quândo. o que significava. na verclacie. embora não seja o caso. eLes contraem um empréstimo cie US$ì 100 bilhÓes a. oll seja. que custou aos bancos centenas cle bllhoes cte clólares..:s. elas parecem ser a galinha que poe ovos de ouro. Buffett aprencleu a evitar companhras que usam muita alavancagem parâ gerar lucro. por exemplo.l retorno sobre o patrimônio. raram de pagar os juros. o que gerou muìlo lucro para os bancos Mas. P . lsso signiftca c¡ue está lucrânclo 5olo além clo custo clo capìtal. o que corresponcle a US$ 1 bilhão. em úllima insrânciâ. mas. 6010 e concederam I empréstimos a Bo/o para compradores cle imÓveis com poucâs garantias. Eles lomaram emprestacìos bilhóes cle dólares a. os compraclores cle imóveis com 121 120 . 6%. Consequentemente US$ 5 milhÓes são lançaclos no resultaclo financeiro. criará a aparência de alguma vantagem competiliva l clurável. embora o banco cle investlmentos pareça ter consistência em seu fluxo c1e lttcro. no lim das contas.1ï:1 c. O problema é que a alavancagem pode fazer com que a companhìa pareça ter algum ripo de vantagem competitiva. ganhanclo l2%. :::. lsso aconteceu na ïecenle crise clo crédiLo subprine. o clue significa que estão lucranclo 1olo sobre os US$ 100 bilhoes. EsLa toma emprestaclos US$ l0O milhÓes a 7olo e utiliza esse clinheiro. Se este valor apârecer ano após âno. está apenas usanclo uln grande volume cle clÍvidas' Os bancos de investimentos de Wall Street são famosos pelo : uso cle uma grande quanti(lac1e cle alavancagem para gerar lttcro' Nesse caso.

ay." t : .1:: A DEMONSTRAÇAO DE FLUXO DE CAIXA "Ha uma grande dtJerença entre d empresa que cresce e requer mLtito capital pttrL crescer e (1 empresLl que cresce e nal requer WARRLN BUFFETT úpital..:-t¡.

648) Demais ¡tens de fluxo de caÌxa de investimento (5. uma empr-esa pode ser rentável com muilas venclas a créclito e Depois. O resultaclo é o Caixâ total clas atividacles operacionais. io. Com a plirneira modalidade. muio clinheiro entrando com vos lixos lêitas clurante tal perÍodo contábil. Se há a vencla títulos e aincla ass:im não ser renlável. as vendas só são registradas quanclo há enlracla (em mìlhóês de R$) Lucro líquido 5. pois permite que elas lancem as vendas a crédlro como receita na demonslraÇão clo rrsulLatlo tlo cxercr. As despesas com ativos fixos são sempre um númrro negârivo pùrque represcntâm gastos.071) Caixa totâldãs âtivìdades de investimento (6. o númerô é posrtivo. que mecle o fluxo cle entrada e saída de dinheiro cle uma t25 . as recei[as sâo lançaclas c¡uanclo os bens sâem porta afora. Essa área começa com o lucro lÍc¡uido e soma o valor cla clepre- ciação e da amortização.163 Amortizaçáo 125 Caixa total das ¿tividãdês operacionais 7 . Visto que o Regime de Con-Lperência Contábil permite c¡Lle venclas a crédlro sejam Ìançadas como receita. mesmo c¡ue o compraclor leve anos pat:â pâgi-los. Na seguncla.c APi'r'u Lo 48 A demonstração de fluxo de caixa: aonde Buffett vai para achar o dinheiro A demonstração de fluxo de caixa é cliviclicta em Lrês seÇöes.981 Depreciação 1.719) clo resultado clo exercicio. pois sempre se referem a um período es- pecífico. Embora de um ponto de vista contábil sejam clespesas reais. que é a soma de todo o dinheiro gasto e recebido pela compra e venda de ativos que geram receita. o que acarrela um esvâziâmento do caixa. há a secão do fluxo de caixa de atìvidades de financia- mento. Com esse propósito. Primeiro. Por fim.) A clemonstração cle fluxo de caixa irá nos info¡mar apenas se a or-ganização está recebendo mais di- nheiro clo que está gastândo ("Îluxo cle caixa positivo") ou se está gastanclo mais clo que está recebendo ("lluxo cle caìxa negâtivo"). a utilizâçâo do Regime cle Compelência é consìderacla mais vantajosa. Como quase toclas as cornpanhlas oferecem algum tipo de créclìto parâ seus compradores.269 cle clinheiro. pois representam o que já foÍ gasto anos antes. As demonstraçöes de uxo cle caixa são como as cìemonstraçóes (em milhóes de R$) Despesas com ativos fixos (1. (Da mesma ma- neira. não muito dinheiro entranclo. vem o fluxo de caixa de operaÇoes de investimento. o número é negativo. os contaclores criaram a clemonstração de Uma companhia pocle ter cle açóes ou fluxo cle caixa. âo contrário do Regime de Caixa. Se há mais saícla clo que entrada. Também estão incltrídos nessa categoria os Demais itens de fluxo de caixa cle investimento. A 'É\ mriorir chs rmpresas usr o que é chamaclo cle Regime cle Competência Contábil. a depteciação e a amortização n:lo conso- mem dinherro algum. temos o fluxo de caixa de atividacles operacionais. Os contadores cla empresa geram uma demonstração clesse tipo a cada três meses e mais Llma out¡a no t)4 fim clo ano fiscal. Esses clois lançamentos são somados e resultam no Caixa total clas arividades de inveslimento. tornou-se neces- sário para as empresas monitorar sepaì'adamenLe o dinheiro que realmente entra e sai clo seu caixa. Essa área inclui um lançamen[o para toclas as despesas com ati- mais entrada do que saÍda.

0 49 empresa geraclo por operaçoes financeiras. J (em mllhóes de R5) Emissão (resgate) de âções. pesas com alivos intangíveis. Então. Mas a gasolina usacla no caminhão é nma despesa correnle..r\ os [ixos síio valoïcs lragus por ativos imobilizados.'. O mesmo acontece com os tÍtulos: quancio são vencliclos. As clespesas com ativos [ixos sâo regrstradas na clemonstração cle lluxo cle caixa nas operaçöes cle tnvestrmenIo A compra de um novo caminhão para a sua empresa é uma CâIXâ 126 Caixa total das alividades de investimento 4 341 total de ativldades de financiamenio a companhia que vai gerar seu (1. na recompra. um ano por meio cle clepreciação ou amortização.071) (r. Quanclo recornpra as próprias açoes. há entracla de clinheiro. como palentes.149) (219) Dividendos pagos Caix¿ Despesas com âtivos fixos Demais ltens de fluxo de caixa de investimento clepreciação ao longo de sua vida útil a por exemplo. Nele estão incluÍdas todas as saÍdas de dinheiro para o pagamento de dividendos.: Despesas com ativos fixos: não tê-las é um dos segredos pâra enriquecer . líquido Emissão (resgate) de dívidas. -tìrnbém incLuem cles. o valor clo caminhão será lançaclo como 1. seis anos.xa cle uma empresa podem ser muito úteis para nos aluclar a cleterminar se ela esti ou nâo se benelìcrando de uma vantagem competltiva durável.269 1. o Caixa total das atividades de investimento e o Caixa total das aLividades de financiamento. obteremos o Resukado linal de total das atividades de investimento Caixa totêl das atividades de financiar¡ento C¿lxa Result¿do final dè câìxâ ativos gaslos ao longo cle um período superior 973 clespesa com ativo fixo. t27 .648) (5. dcsl'tesrs com tt. Se permanecerem altas durante alguns anos.. ha saÍda de dinheiro. líquido (6.rPiTU r. elas poclerão começar a Ler um impacto prof undo no lucro. c.:: clinheiro. com o sell preço integral decluziclo clo lucro clurante o ano em - cLtrso ()uando o assunto é fazer rlespesas com âtivos fìxos. há saÍda cle .719) (em milhóes de R$) Cãlxa totãl d¿s ¿ìividãdes operacionais ^ A. Esses très lançamentos sáo somaclos para gerar o Caixa Demonstração de fluxo de ca¡xa (em milhões de R$) total das ativÌdacles de linanciamento.::. São basicamente (6. há entracla cle clinheiro. Tâmbém estão ìncluiclas a venda e a compra cte açÕes da companhia. vamos ârregaÇar as mangas e mergulìrar na demonstrâção de fluxo de caixa para verificar o que ele analisa quanclo procura próximo bilhao.719) 913 Se adicionarmos o Caixa total clas ativiclades operacionais. Quanclo estâ vencle açóes para flnancìar uma nova fábrica. Algumas precisam [azer enormes clespesas com ativos fixos sitnplesmente para conLinuâr opetanclo. nem todas as cornpanhias sâo lguâj.s. tais como máquinas ou imóveis.523 O que Buffett descobriu é que algumas das informaçöes encontraclas na clemons[raÇão cìe fluxo cle caj.

Cola e a Moocly's como companhias que têm uma vantagem competitiva clllrável a seLt favor. mas queimou astronômicos US$ 140. gâsta anualmente cerca de .Col a .l9olo. Se ela está constanlemenle gastanclo menos cle 25%. aumenta a quanridade de dinheiro gasto com o pagamento de juros. a pepsico.os tremendos gastos com ativos fixos para a construÇao de recles de comunicação atrapalham mui[o suas condiçöes econômicas de longo prazo. as companhils com umn vtntagem conrpcLi_ tiva clu¡ável iêm gasraclo uma porcentagem bastante pequena cle seu lucro lic¡rido em clespesas com ativos fixos. aquele é um bom lugar. Ì28 t2q .84 por ação. Mas tanto a Coca-Cola quanto a Moody's têm lucro excedente suficiente para realizar programas de recompra de açÕes que reduzem o número de açÕes em circulação e. 67o. A Moocly's lucrou US$ 1. ou 20% do seu lucro total. simplesmente somamos o total cle clespesas com ativos fixos cle uma ernpresa ao longo cle 10 anos e compatantos esse núlmero com o lucro lÍquiclo total cla organizaçâo naqtrele mesmo perÍoclo. por exemplo. uma empresa que possui uma vântagem competitiva durável gasta uma fatia menor cle seu lucro com despesas com ativos fixos clo que uma que não possui vântagem competitiva clurável.para procurarmos uma vantagem competitiva durável. de onde salu todo esse clinheiro extra? De empréstimos bancários e cla venda de toneladas cle novas ciividas (títulos) ao público. teve um lucro total de US$ 31. 950%. Analisamos nm períoclo cle lO anos porque as_ sim temos uma perspectiva cle longo prazo realmente boa acer-ca clo que está acontecenclo naquela empresa. e despesas totais com âtivos [ixos de US$ ]4. Essas inìciativas aclescentam Se a GM usou chminuem as clÍviclas de longo prazo ou as mantêm ellì um pa_ lamâr baixo. e a Moody's. ou 6% clo seu lucro total. Bu[Ietr descobriu que. 23%. Em geral. Vejamos alguns exempìos. A Wrigley. uma clas companhìas favoritas de Buffett ha muito tempo. ZBo/o. por sua vez. 444% do que ganhou para cobrir despesas com ativos fixos e a Goodyear. em clespesas com atìvos fixos.aÇão. que. A Coca-Cola. Quanclo analisamos a clespesa com ativos fixos em relação ao lucro lÍquiclo. Compare a Coca-Cola e a Moocly's com a GM. que. 36yo. o que. se uma companhia e stá historicamente gastanclo 50% ou menos do sen lucro lÍquiclo annal em clespe_ sas com ativos fixos. Ou com a fabricante cle pnèus Goodyear. aproximacla_ nrente 20%. âo mesmo tempo.42 por ação em despesas com ativos fixos. em despesas com ativos fixos no mesmo perÍodo.Bufle¡t clisse que é por isso que nunca lnves[iu em companhias telefonicas . nos ill- timos l0 anos. lucrou nos Írltimos l0 anos um total de US$ 20. a Altria.64 por açao após subtrair as percias.67 por ação após subtrair as perdas. no mesmo período. é muito provável que isso aconteça por catrsa cla existêncla cle nma vantagem competitiva cluráveI a seu [avor. Ambas as inlciaLivas são grancles pontos positivos para Buffett e o ajuclam a iclenriftca¡ a Coca. para clar continuiclacle às suas operâçöes. Historiciìme nte.21 por açàù e gâstou apenas US$ 4. a Coca.01 por. a Procter õ1 GambLe. a Ameri_ can Express.88 por ição.1. teve um lucro rotal de US$ 3. 2-Oa/o. mais dÍvidas ao balanço patrimonial dessas empresas. o que nuncâ é bom.24 por ação nos últimos 10 anos e gastou irrisórios US$ 0.

Demonst¡açáo de flúxo de caixa (3. maior o lucro por ação. se redtrzrrmos o número cle açóes em cir.ecompta ou r'. l-tI .o que aumenta a parti- Um truque que Buffett aclora i30 é usar parte conlrará um lançamenlo chamaclo "Emissão (resgate.lrtiìgem competÍlìva clurável é um "hisrórico" cle r. a empresa pocle aumenlar o seu lucro por aÇão. Para clescobri¡ se Lrma companhia está recompranclo su:rs âçÕes.tnce lamento clas próprias açóes. lir¡uiclo". Da tncsrna nancr F[rxo. do clinheiro excedente da companhia para recomprar suas próprias açoes lsso recluz o número cle açoes em circulação . As empresas que têm uma vanta€lem compelitiva dllrável a seu menor o ltrcro por ação. Tudo isso gerou para a companhia umâ soma Na lÍquicla de R$ 973 milhoes em caixa provenientes de ativiclades cle financiamento.149) Divldendos pagos Emìssáo (resgate) de âções. a empresa examinada pagou R$ 3.341 Emissáo (resgate) de dívidas. náo puclerem reinves[jr no negócio existente ou não consegllirem encontrar um novo . o Lucro por ação âLrmenlará para R$ 20.cipaçâo clos acionislas restantes na empresa c¿\PÍluLo 50 - c anmenta o lucro por açào da companhia. A melhor parte é cllle há um aur¡ento clo patrimônio clos acionistas que só setá tributaclo quanclo as açóes forem vendidas. trm clos inclicaclores cla prescnça cle uLna \Ì. Lá. e quanlû menor o número cle açóes ern circltlação.culaçáo para dois milhões. enanto maior o núrmero (em milhoes de R$) cle ações em circulaç:ao. Se esta recompra as próprirs Eleranclo toclo o caixa extra pâra Lrm outras palavras. Vejamos um exemplo: se a organização lucrou Iìlj t0 rniltrÕes c tem um milhão cle açÕes em circnlação.149 milhÕes em diviclendos' recomprou algumas aÇoes próprias por R$ 219 milhöes e vendeu R$ '1. você en- favor ganham muito dinheiro.341 milhoes em novas díviclas.) cle açocs. Esse lançamenlo inclica o total lÍc1uiclo clas venct¿rs e rcconìpras clas açÕes cia empresa. EnLão. líqujdo caix¿ total de ativid¿des de financiamento 913 demonstração de fluxo cle caixa acima. o lucro por ação cairá para R$ 5.culaçâo par-a 500 uil. o c¡ue acaba acarretanclo uma alta na Recompra de ações: o método isento de impostos de Buffett parâ aumentar o patrimônio dos acionistas cotaÇão da aÇão. lfquido + 19) 4. Se aumentarmos o n(rmero cle açoes em cir. É como um presente que gera oulros presentes. elas poclerão pagar diviclenclos aos seus rcionistls ou Llsar o clinheiro parl rccomprJr suos il(Óes (orìpetitiva durável cFre está r¡ic isso possa ser feilo.rçócs ano após ano é porc1ue provavelmenle tem Ltnla v¿ìnlagem negócio no qual tnvesrir. Ele usou essa táLica na GEICO e aincla a aplica na The Washington Post Company. recompranclo as suas próprlas ações. embor-a o lucro lÍquiclo não tenha solriclo nenhum acréscimo. Buffe¡t é tão fã clesse mecanismo cle engenharia financeira que incentiva o conselho clireto¡ cle todas as excelentes empresas nas qnais invesliu a recomprar âçÕes em vez cle aumcntar os clivi_ clendos. o lucr-o por aç¿ro scria cte R$ 10.]e caixa de alividades de finêociãmento ta. o que gera o adorável problema cla necessiclade de fazer alguma coisa com esse capital Se não quiserem ficar com o dinheiro paraclo. vá até a clemonstração cle lluxo de caixa e rtê uma olhacla cur Fluxo cle caixa cle ativiclades cle invesrimento.

" W/\RREN BUtìT'8T1. A AVALIAÇÃO DA EMPRESA COM UMA VANTAGEM COMPETITIVA DURÁVË L "Procuro empresas cLUd sitLLaçd.: .. '.:: .::. Veja o cctso da goma de mascar Jabricada pela Wrigley.:a: :.. Acrediut qLLe û internet não vcLi mudcLr a maneira como d.l:li'.' .s pessods mascam chiclete. aa.o clali a i0 otr f5 cutos eu acho tlue posso preÿer..

50 por ação. No fim cla clécacla cle 1980. a Coca-Cola valia US$ no seu valol subjacenle. a US$ Por[anlo. . estava "subvalorizada". Ele usa o mes- mo raciocÍnio c¡uanclo es[á aclc'¡uirlnclo ttma parlicipaÇão pâr-. Buffetr pôcle argumentar que havia simplesmente comprado um ecluity bond da Coca-Cola que estava pagando uma taxa cle juros iniciais antes clos imposlos cle 10. mas o seu próprio ltlcro antes dos impostos.70 por ação. para BufletL as açoes de uma etrpresa que posslli uma vanlagem competitiva que ele esperava que aumentasse ao longo clos 20 anos seguintes clurável são o equivalente ¿ì parLicipacão patrtmonial/títulos. ao contrário dos investidoles em valor que se baseavam na teoria cle Graham. O "LÍtulo" (bond) são as acÕes/participação paLrimonial (a1uiÿ) cla companhia e o "cupom/pagamento de juros" é o seu lucro antes clos impostos. Depois. o que aumenta naturalmente o valor cla participxção patrimonial/tÍtulo a cada ano. Buffett con. Vendo isso. mesmo clue lsso possa pârecer repetitivo.50. No fim da década de 1980. Buffe¡t comeÇorì a comprar açòes cla Coca-Cola por um preço méclìo de USlì 6. e o 1t4 ó. O aumenlo do lucro gera um respectivo allmento no retorno clue Buffett está obtendo sobre o investimento original no equiÿ bo¡rd. o lucro cla Coca-Cola estava crescendo a umâ taxa anual de aproximadamente l5%. o cupom ou a taxa de juros do tÍtulo conlinua crescenclo ano após ano.rpra uma companhia inteÌra cla seguinte n-Laneira: ele analisa o lucro antes dos impostos e pergunta se a compra é um bom negócro em relaÇâo à lorçr chs contliçÒcs do mercado em que ela atua e ao preco cllìe está sencto pediclo. Esse alrmenlo acarrela tlma ai[a na coLaÇão das açÓes cla companhia c¡rando a Bolsa cle Valores reconhece o crescimento É o que acontece quanclo Buffett compra uma pârticipação em uma companhia com uma vantagem competitiva clurável. em vez de ser fixo. Ele estava dizenclo que. relativamente isenta cle risco.anre de um lucro antes dos impostos de US$ 0. Vamos analisar um exemplo para ver como a teoria funciona. a Llma [axa anual de aproximadamente l5olo.cÌal em uma empresa por meio do mercaclo cle açoes.O lucro por âçåo continua a aumentar âo longo do tempo seja por causa do crescimento dos negócios. Ele também pôde argumentar que essa rentabilidacle aumentaria ao Longo do tempo â uma taxa anual projetacla cle l5olo.50 po¡ ação clj. O c¡ue atrai Blrffett na convelsão conceitual clas açÓes cle uma empresa em participação patrimonial/títulos é que sLìa vantagem competitiva clurável cria conclicoes econÔmicas subiacentes clue são tão forles a ponro cle causâl Llnl aumenlo conlÍnuo do seu lucr-o. Buffett nao estava dizendo que l0 e eslava sendo negociacla a US$ 6.50 por aQão. Entencla que. estava senclo oferecicta uma taxa de relorno rnicial antes clos impostos cle 10.7olo pâra um investimento de US$ 6. ou seja. Hisroricamente. Buffert cleu uma palestra na Univer- siclacle cle CoÌumbia sobre como emplesâs com urtìa vatltagelll competitiva clnrável mosL-'am tanLa força e previsibiiidacle no crescimento clo lucro a ponlo clesse aumento transformat suas aÇóes em uma esp écre de eqtLtLy bonrl (tÍtulo com participação patrimonral) com um cupom ou um pa€iamento de juros cada vez mais alto.cAPÍruLo 51 A ideia revolucionária de Buffett do equíty bond e como isso o tornou riquÍssimo lucro an[es dos impostos cla empresa é o equivalente âû cllpom ou ao pagamento de juros cle um tí[ulo normal. Não os divrclendos qlle a emPresa Ìlaga. da expansáo clas operaçóes. Mas. ele se perl3s .7%. cla aquisição cle novos negócios ou da recompra cle açoes com o dinheiro que vai se acumulando nos cofres da empresa..

o c¡ue corresponcle a um lucÌo apÓs impostos de .50 por aÇão. Pa¡a os investiclores em valor cllte se baseiam na teoria c1e Graham. os rÌúmcros tùmeçarânr a se acumular'.. o lucro antes clos impostos de US$ 3.96 por ação sobre um Ìnvestimento oriSinal The Washington Post Company. alinhaclas ao valor capitalrzaclo clo equíty bond de US$ 830 por ação.34-r . que plane¡a manter o ecptity bortd pot 20 anos ou mâis.:. a cacla ano que passâ. esse é o investimento tlos sonhos.57 por ì. a empresa cie míclia está tencto um lucro antes clos impostos cle US$ 54 por açáo.:la eslào gerando um relorno antes clos imposlos de US$ 3. por aÇão. Mas. nos útltitnos anos. em alguns dias. Isso dá aos ec1uiLy bontls cle Buffett nâ The Washington Post Company uma ren¡abilidade atnal antes clos irnposlos cle 849%. que o mercaclo acionário está pessimista e.¿Lriÿ bonds de Bulfett na Coca-Coia. vacle Buflêtt r-ra liam aploximaclamente US$ 830 cada um nac¡uele ano (tJS$ 54 + 0. guntou se acLtlele era ur]l investimento atrâente eln compâraÇão com as taxas cle rtsco e cte retorno de oulros investimentos.35%.96 por equity bond/acã.065 = US$ 830). (E você estava se petguntanclo como Bu[[ett ficolt tão ricol) ctluity bondslaçóes ]: :a: interessaclos na cotação cle mercaclo cta aÇão e. ao ver o seu retorno. acabará valc.-'l Então. se comprar ttma companhia qlle possui L(ma vantagem competitiva dttrável.US$ 60). Em 2007.: . ou seja. Trinta e quatro anos clepoìs.96 0. :::.o. as aÇÕes cla The Washlngton Post Company estâvam senclo negociadas em Lìma faixa entre US$ 726 e US$ 885 por aÇão.juros crn¡rlcs:u i:ris clc longo prazo em aproxrm¿rclamente ó. a clespeito clo que investimento por um períocto superior.96 vale aproximactamente US$ 60 por er¡uiÿ boncl/açãro (US$ 3. Pense no segttinte: o investine nto inicial Lts eqLLitj boncllaçã.a aproximaclamente clois anos. 137 . eles tiveram um lucro antes dos impostos cle USllì 3. o hìcro ¿ntes clos impostos havia cresciclo a uma taxa anual de aproximadamente 9.rizan' clo ao longo do tempo os eqLLity bontls de Buffetl para que eles reflitam t36 esse aumento cle valor.5%. Poclemos Lestemunh¿rr o mesmo fenômeno de valorizaÇão no mercaclo acionário clos e c. É verclacle.: ::. em outros. altamenle otimista. Capitahzaclo a uma taxa cle juro empresarial de 6.96 por ação.5% em 2007. vai estipuiar Llma colaçâo para os equity bondsl açóes cla empresa que reflita o valor de seu lucro em relação a rentabiliclacle clos títulos empresariars de longo prazo.î ì. o valor clas açóes cla Coca-Cola no mercado esteve entre US$ 45 e US$ 64 por ação.7o/o com um crescimento anual cle 15olo não seria icleal porque eles só eslão Pense no seguinte: com as taxas cle . como ele se saiu com os ¿ì¿lLlitJ bonds da Coca-Cola? Em 2007. para Bu[fett. lsso signrfrca c¡ue Buffett pode alirmal c¡ue os seus eqaity bontls cla Coca-C. de US$ 6. US$ 2.065 . em 2007. atlnginclo US$ 3. mas no fim sào as taxas de jur-os de longo prazo que determinam a realidade econômica do valor clos investimentos cle longo prazo. ao longo clo tempo. o mercado acionárro. :l acontecer com a empresa. com um lucto/ pâgamenLo cle juros antes dos impostos de USI]ì 54 por açiìo. o que corresponde a ttma rentabiliclacte efetiva antes clos impostos de 600/o e uma rentabiliclade efeliva após ìmpostos cle 40%.o. o retorno sobre o seu investimento inlciâl realmente aurnenta e. Bulfett aprencleu cLue. não têm inlenção alguma de ul¿lnter o cle Buffett nâ The Washington Post Company cLlstotl US$ 6. Por que esse é o invcslimenlo clos sonhos clele? Porque. Em 2007. O mercaclo acionário. uma taxa cle juros anles cle impostos de 10. Em 2007.

Sirr.28 por ação em 1998. a Moody's relatott um lucro após impostos de US$ 0.31 por ação. teve um lucro após imposlos de US$ 1. o seu lucro antes clos impostos foi de US$ 82 milhoes. por-. A Procter 6Í Gamble.48 por acao pelos seus ¿rltti¿ÿ bonris da Amex.4Ì por aÇão. o que signilica que os ¿qtti¿l t38 t39 . mas isso acaba acon[ecenclo. Buffett pagou US$ 8. favorita de longa clata cle Buffett. o que equivale a um rendimento antes clos impostos cle 38%.o 52 O rendimento cada vez maior criado pela vantagem competitiva durável lez com que o lucro aumentasse anualmente. Em 2007. atualmente. e Buffett ganhou com esse "acontecimenlo" D -Íara insistir um pouco mflis no assllnto. Em 2008. a vantagem competitiva durável bonds da See's agora estão geranclo multâs vezes bondslaçoes aumentolì ao longo do tempo. o mercado acionário pode demorar a reconhecet esse aLìmento. esse número atingiu a marca de US$ 2. eles apresentam umâ taxa de retorno após impostos cle 40%. pois sem dúvic1a vale a pena. o que corresponde a um retorno antes clos impostos de '19%. Em 2007. o qrìe. Em 2007. qlle agora apresentam uma taxâ de retorno após impostos cIe 3)ok. fol de US$ 3. vamos dar uma olhacla em algumas oulrâs empresas favoritas cle Buflett que possuem uma vanlagem competitiva durável. A American Express. Buffett pagou US$ t0. em 1998. No caso da See's Cand¡ ButÞtt comprou a empresa inteira por US$ 25 milhóes em 1972. Em todas essas companhias. aumentou o valor subjacenle cla próprÌa empresa. Em 1998.54 por ação. o que ec¡uivale a uma taxa de retorno cle 6l% antes clos impostos. teve um lucro após impostos de US$ 1.39 por aÇao.58 por aÇão. havia aumentado para US$ 3.38 por ação pelos equity bonds cla empresa e hoje eles estão âpresentando um lucro após impostos cle 24o/o. Buflett pagou US$ 10. a lim de verificar se o renclimen[o cle seus equriÿ um Ìcndirnenlo anLtal antes dos impostos cIe 329o/o sobre o invesrrmento originâi. o que significa que. sua vez.'f cAPirr¡r.1"5 por aÇão por seus eqLLitJ botlds da Procter & Gamble.

Com o mercaclo avalianclo os eqLLitJ bonds da Coca-Cola em US$ 64 por ação em 2007. ele lìvesse projerado no fnturo o crescimento de l0% do lucro. que ficou entre US$'15 e US$ 64 por açâo.96 por ação vale aproximadamente US$ 60 por equity bontllação (US$ 3. o lucro da Coca-Cola lem cresciclo a uma laxa anual bonds cla Coca-Cola estão gerantlo agora um lucro antes clos im- cle cerca cle lOo/n.rposlo com impostos diferidos de . o que corresponde a um lucro após impostos de US$ 2.llo/o sem a incidência de tributos sobre osjuros pagos. f' Mais maneiras de avaliar uma emplesa com uma vantagem competitiva durável coeficrente cotaçâo/lucro cle 'ì. o que corresponde a um rendimento atual Venclo isso.l. o seu valor intrÍnseco em 1987 se¡ia de US$ 15. em 1987. A Bolsa cle Valores em 2007 avaliou os equíLy bon¿k de Buffe¡¡ numa faixa enrre US$ '15 e US$ 64 por acão. Ele também poderia argumentar que aquele rendimento antes clos impostos aumentaria ao longo do tempo a uma taxa anual projetada cle L0% (a taxa ânual médiâ de crescimento do lucro cla Coca-Cola nos 10 anos anteriores a 1987). obteremos um valor retro¿rtivo clescontaclo cle aproximaclamente 17%. lsso significari.11olo isentos de impostos ano após ano inclefiniclamente.50 cada uma US$ 15. qlranlo valìa em 1987 urn retorno antes dos impostos cle 66% sobre um cc¡uity bontl tIeUS$ 6.10 pelo da Coca-Cola em 1987.40 por ação. Buflett poclcria ter argumentado que estava comprando rm eqLLity bond por US$ 6. mas. em 1987 BuffeLt começou a comprar aÇÕes da Coca-Cola por uma cotação média de US$ 6.4 1..96 por âção. Capitalizaclo à laxa de iuros empresarial cle 6.57 por cliante cle um lucro antes clos impostos de US$ 0.96 por eqLLity bond/açãto.40 por açâo.los juros recebidos em mais tíLulos qlle esravam pagando 12.ll% sobre o investimento original.57 por eqLLity boncl/ação. lsso está alinhado ao valor cle 2007 no mercaclo acionário. Se usatmos 7%. Em 2007. o que corresponcle a um re- torno após impostos de 43%. em 1987.50 por ação e que. Buffett pocleria argumen[ar c¡ue havia compraclo um ¿q[ity bon¿l da Coca-Cola que estava pagando uma taxa de juros inicial antes clos impostos de 10.r Se. o lucro antes clos impostos cla Coca-Cola havia crescido a uma [axa anual de 9. continuará ganhanclo os 12. obtemos US$ì 1.50 por ação que ele t40 antes dos impostos de 60% e após impostos de 40olo.:i'Ì l r c () 53 pagou. em 2007. o c¡ue equivale a um lucro após impostos de U5$ 2. que corresponde aproximaclamente à taxa dejuros cte longo prazo naquela época. Sim. Em 2007. Ao mukipllcarmos 17% pelos US$ 6.96 + 0. obtemos Lomo já foi dito antes.50 por aÇão.5%. em 2007.065 = US$ 60). c'¡ue. o lucro antes dos impostos cla Coca-Cola de US$ 3. algum dia você vai ter de pagar impostos c¡uando vender seus eqt¿i¿y bonds. Bu[fetL pôcle calcular que teve uma laxa de lucro anual cor-r.82 por ação. E não apenas isso: você pode reinvestil to.50. a Coca-Cola teve um lucro antes clos impostos de US$ 3. se náo os vender. tJr . lsso significa que Bulfett pode argumentar que serìs e¿Ìuity ecluì. Portanto. isso ação. Multiplicânclo US$ ^PiTU : .7o/o sobre o seu investimento cle US$ ó. Então.10 por ação.50 ern 2007? Depencle cla taxa de desconto que usâr mos.35ok até atingir US$ 3.96 por âçâo sobre o seu investimento original de US$ 6. posros de US$ 3. o retorno antes dos impostos cle seus eqLriry bon¿ls cla Coca-Cola teria alcançaclo 66%. Pense nisso como um tÍtulo que pagou uma taxa de retorno anual cle 12.2. a Coca-Cola leria um lucro por aÇão antes clos impostos de US$ 4.11o/o.vale a um lucro após impostos cle US$ 016 por aÇão. se o mantivesse por 20 anos.35 e um lucro após rmpostos cle US$ 2.70 por açáo. Histor icamenle. poclerìa ter argumentaclo c¡ue.

,:

I
ti,
ii

il

Não acredita? Pense no segujnte: Bu[Ièrt rem aproximadamen¡e US$ 40 bilhoes em ganhos cle capital em suas acÕes da
Berkshire e até hoje não pagou um tostão de imposro. A maior
acumulacâo de ric¡ueza privada cla hisrória do munclo e nenhum

c^ PiruLo 54

Como Buffett determina o momento certo par¿r
comprar uma empresa fantástica

tostáo pago ao fisco.

Existe algo meìhor?

l

I

.l\ï

I\o

mundo cle Bu[tÞtL, o preço que você paga diretamente alita
o retorno sobre o seu investimento. Como ele está consicleranclo
a ação cle uma empresa com uma vantagem competitiva cluriivel
uma espécie de equity bond, c¡uanto maìs alto o preço pago, rnrìnor a tâxâ de relorno inicial e menor a taxa cle retorno sobre o

l

i.

lucro cla empresa em 10 anos.
Vejamos um exemplo: no fim da década de 1.980, Buftètt começou a comprar açÕes da Coca-Cola a um preÇo méclio clc
US$ 6,50 por ação cLante de um lucro cle US$ 0,46 por ação, o que
equì.vale a uma taxa de retorno inicial de 7olo. Em 2007, a Coca-

::.

t,

l.
'.1:.,

.).

-Cola tinha um lucro de US$ 2,57 por ação. lsso significa clue
Buffett pode argumentar que seu

er¡Lrity boir¿l cla

Coca-Cola esta-

va pagando US$ 2,57 por aÇão sobre seu investimcn[o originâl

de US$ 6,50, o clue equivale a um retorno cle 39,9olo. Mas, se
ele tivesse pago US$ 21 por cacla ação da Coca-Cola no fim cla
clécada cle 1980, a sua taxa inicial de reto¡no teria siclo de 2,2o1''.
Em 2007, essa taxa só teria atingiclo l2olo (US$ 2,57 * US$ 2l
= o/o), o cÌue definitivamente não é um número tâo iìLraenle
quanto 39,9%.
Portanto, quanto mais bâixo o preço que você pagxr

llot

uma

empresa que possui uma vantagem competitiva clurhvel, melhor
será o resultaclo no longo ptazo

-

e Buffett sempre se importâ

com o longo prazo. No entanto, essas empresas raramenlc, oLr
nunca, são vendidas a um preÇo de barganha, segunclo a perspectiva cla velha escola de Graham. É por isso que os gcstores
.le investimentos que seguem a doutrina de valor clefenclicla por
142

143

Gr:lham nunc¡ são clonos cle superempresas; para eles,
.

,'

essas

CÄPiTUI-o 55

companhias sâo ca¡as demais.
Então, quanclo você compra uma partictpaçao
nessas empre_
sas? Em momentos de baixa clo mercaclo, para
colneçr.. Emúora
sua coraÇão aincla possa parecer alta quando comparacla
à cle
"outras barg¿Ìnhas do mercado em baixa",

Como Buffett determina que e.stá na
hora de vender

no longo ptazo elas
Iealmenle são o melhor negócio. E, oc¿rsionalmente,
até mesnro
uma companhia com uma vantagem competitiva pocle
estragar
tudo e fazer alguma besteira, o que fará com que a
corrçãoie

\l

l\o munclo cle Bulfett, vocè nunca vencleria uma clessas ein_
presas maravilhosas conlanto que ela manlivesse
sua vântagcm

suas âçoes caia no curto plazo.

Pense

competitivâ clurávei. O simples morivo r que, quanro
,n"is te,¡_
po você mantiver a participâção em uma emprcsa

na New Coke. BullètL clisse que uma oportunidacle

clesse ripo,

maravilhosa cle cornpra pocle se apresentar quanclo
Llma ótima
empresa clepara com um problema solucionável

que aconLece

apenas uma vez. O essencial aqui é o lato cle
o problema ser
solucionável.
Quanclo você cleve manter clistância cìessas superempresas?
No auge de um mercaclo em aha, quando elas sâo negociaclas
a
coeficientes de cotação/lucro historicamente altos.
Nem mesmo
umâ empresa que conta com uma vantagem competitiva
durável
pode se clesvencilhar cle ¡esultaclos mcclioeres pera
invesricìorcs
qlre pagam um preço alto demais na ent¡acla.

rì'

,l
.':.:

ril
.:iìt

:a.

!
:i
':.

;l

melhor será o reslrltaclo. l)a mesma manei¡a, se em
algur.n mo,
menLo você venclesse urt desses grancles investimentos,
eslâria
conviclanclo o fisco à festa, e isso, muitas vczes,
Lorna muito clil!
cil il rtre[a tlc 5e lornrr ri(luisjimo.
Pense no seguinte: a empresa cle Bulfert tem
cerca cle US$ 36
bilhoes em ganhos de capital resuhantes clos
seus tnvestimentos
em companhias com vantagens competitivas duráveis.
É um pa_
trimônio pelo cluâl ele ainda não pagou nenhum tostao
impos_
"m
tos e, se ele conseguir fazer ludo à suâ maneira,
nur,r.o prguå.
Mesmo assim, há momentos em que é vantajoso
vencler uma
dessas empresas maravilhosas. O primciro nlo,rran,o
e quanclo
você p¡ecisa de clinheiro para fazer um investimento
em uma
companhia ainda mais excepcional a um preço
melhor, o que às
vezes acontece.

O segunclo mornento é quanclo pârece que a empresa
vai per,
der a sua vântagem competitiva clurável. lsso
acontece perio..li_

camente, como no caso

jornais e estaçöes cle televisão. Ambos
costumavaln se¡ negócios fantásticos. Mas a internet
apareceu
e, cle tepente, a clurabilidacle cle sua vantagem competitiva
foi
colocada em questào. E você não quer manLer
o seu dinheiro
no longo prazo em uma companhla que possui
uma vantagem
competitiva questionáve1.
cle

144
145

O terceiro momento

é

quando osmercados estâo em aka, quanclo

APÛNDIcIì

um frenesi insano cle compras, faz com c¡ue
âs cotaÇoes dessas empresas fantásticas disparem. Nesses casos, a
cotação corren[e de vencla da companhia excede em muito as suas

a Bolsa de Valores, em

reaìrclacles econômicas cle longo prazo. E as realiclades econÔmicas

üma empresa são como a gravidacle quanclo a
cotaçãû das açÕes atinge â estratosfera. Com o tempo, vào acabar
trazendo â cotação de volta ao palamar realista. Se a cotaÇão subir
demais, as concliçoes econômicas de vencla e cle aplì.cação clos procle longo prazo de

Modelo de balanço patrimonial de uma empì.esÍr
que possui uma vantagem competitiva durável

ventos em outro investimenlo poclem ser mais vantajòsas clo que

manlel â participação na empresa.
Pense nisso cla seguì.nte maneila: se pudermos proietar que a
companhia lucrará US$ 10 milhoes nos próximos 20 anos e alguém
os benelícios de

nos oferecer hoje US$ 5 mìlhoes por toda a empresa, nÓs aceitamos?
Se só puclermos j.nvestil os US$ 5 mrlhoes a uma taxa de retorno

composta anual cle

2olo,

provavelmente não, poìs os US$ 5 milhOes

investiclos hoje a urna taxa de reto¡no composta anual de

Zo/o

va'

leriam US$ Z4 milhoes no 20o ano. Não é muilo para nós Mas, se
puclermos conseguir uma tâxa de retorno composta anual cle 8%,
os nossos US$ 5 milhoes se t¡ansformarão em US$ 23 milhÒes no
204 ano. De repente, a vencla parece um ótimo negócìo.

Uma regra simples é que, quândo vemos coelicientes de cotação/renclimento cle 40 ou mais nessas superempresas, e isso
vez por outrâ acon[ece, talvez seja a hora de vencler. Mas, se vendermos em um mercaclo em forte alta, náo clevemos comprar
algo que esteja senclo negociado a 40 vezes o rendimento Em
vez disso, devemos dar um tempo, aplicar em bônus do Tesonro
dos Estados Uniclos e esper¿ìr a próxima baixa. Porque sempre
haverá uma próxima baixa esperando para nos oferecer a opor-

Balanço pâtr¡mon¡al
(em milhóes de R5)

Atvo disponivel

e investimentos de

Istoque total

4 2AA Cont¿s a p¿gàr
2.2?0

Contas â recêber, s¿ do líquido
Despesas p¿9as ¿ntec padamente

5.535

Dlvida de curlo p¡¿zo

5.919

2.260 Dem¿is pôssivos clrculänÌes
0

Pâssrvo cir.ulànte iÕrâ

258
13

?)\

l2 005

Ativo imobilzado

8.493

Dlvida

Fundo de coñìércio, v¿lor lfquido

4.246

lmposto de renda difêÍclo

Atìvos intangívers, valor Jíquido

I

lnvestimentos de longo prâzo

1.117

Demais pãssivos

Demais ållvos de longo prazo

2,675

P¿ssivo não circulanle

Demais ¿1ivos

l]3

D¡/ida de ongo prãzo ä ven<er

Dernaìs ativos circulanles

Ativo cicul¿nte lot¿l

r.380

Despêsas provrsionadäs

de ongo

pr¿zo

3.271
1.890

863 Participåção minor tár å

0

Ativo não circul¿nte total

31.054

Allvo totål

43 059

Passivo

0

3.133
8 300

totål

)1.525

Patr¡môn¡o llquido
Açóes prelerenciäis

0

Açòes ordináriãs
Reserv¿ de capital(emìssão

t.296
de açóes)

1.318
36.235

Açöes em

tesouraflâ ordinárias

Pãtrimônìo líquido total
P¿ssivo

total e p¿tnmönro

-23.375

21.5]4

hqrr(lo

4J u59

¡uniclade de ouro para comprar uma participação em uma ou
mais companhias com uma vantâgem compelitiva durável c¡r-re,
no longo prazo, vão nos lornar riquÍssimos.

Exalanente como Warren Buffe[t.
t46

t47

Modelo de demonstração do resultado clo exercício cle uma
empresa que possui uma vantagem com¡letitiva durrirvel

Modelo de balanço patrimonial de uma empresa medÍocre
que não possui uma vantagem competitiva durável

(em milhóes de R$)

(em milhóes de R$)

Atlvo disponívele invenimentos de

22.464

28 000 Contas a pagar

5.758

Despesâs provisronadås

10.190

Dlvrda de curto prazo

Contas a receber, saldo líquldo

69.lal

DÍvida de longo prâzo å vencer

Demais ativos ci¡culanles

260 Demais passivos circulântes
5

Despesas operac¡onais

258

Despesas de vendas, gerâis e administ¡ativas

5.890

Fundo de comércio, valor lfquido

Ativos rnlanglveis, valor lfquido
lnvesìimentos de longo prâzo

333

43.778

Dem¿is ativos de longo prazo

22 675 Passivo náo c rculante totãl

Ganho (perda) com
Outros

3.133

Demai5 passlvos

142.300

204.623

5.O16
I 12.610

220.a52 Patrimônio llquido

456
a

venda de alivos

1.215
50

Lucro ¿nles dos impostos

1

lmposto de rendê paqo

2:79:e.

Lucro Ìrqurdo

5 144

.913

150

Ações preferencals

880

Açóes ord náriðs
Reserva de cåpi1al (emissão de

Açóês em tesourariå

7.144

.Despesa com juros

o

ParticipãCão rìrino¡itária

0
1.107

Luc¡o operacion¿l

133.271

I

t0.200

Pesquisa e desenvolvimento

Deprec ação

136 Lmposto de r-"nda diferido

-

¿(õet

ordinárias

Passivo lot¿l e patrimôn o

7 314

,,ì:.:,.

1.421

,'lr

0
16.229

Parrimônio líquido total

148

I8 4!i

920
62 323

Pagsivo circulðnte total

40.o12 Dfvida de longo pràzo

Demais alivos

't0.406

Lucro bruto

108.242

Ativo não circulanle tot¿l

)lJ.813t

32.919

Estoque total

Despesas pagas antecipådamente

Receit¿

Custo dos bens vendidos

liquido

22O.a52

r49

1to Pesquisa e desenvolvimento 5 020 Deprecrâçáo 6 800 Lucro operacional (prejuizo) Despesa com juros G¿nho (pe¡da) com a venda de ativos . Ltiquecc u co mp rdn(lo i. sem c¡ue haja um cumcnto clo hLcro.unr conselho ctiretor. geralmenk signilica c¡rt ct emprcsû estat venclendo novcrs ctções p(Lro ormutLar a prripría busL: tb cctprtttl co a Jim rle compenscu' o Jato tle ser mcdíocre. As aÇoes em tesouraria não däo clireÍto a volo olr a leccbct cliviclcnclcls c não clevem ser ÌncluÍclas nos cálculos cle açoes em citculação.95s) lmposto de renda pago Lucro lÍqúido (prejulzo) 0 (r 1.mdtrco t10 número tle cLçoes cm cu-cullaçlo cro lrrnç cic aþrrns rtnos. Nâo abrange as aCões em tesouraria. A posse cle dç()es knha unta vcLntclgem em tesoutítria nos revdlcL cpte unlr .¿çoes (l¿t or(linírias.200 402 Lucro anÌes dos impostos (preiuízo) 35 (11. Etnpresas que possuem Ltmd I t\ ûço es p reJe ÿantcKn compeLi. mpanhict s ne tlí o c re s. Os portadores cle açóes orclinárias tem c[ireiLo a elegcr.GLossÁRro ¡E Trnrros Srr-¡cro¡r. açoes preferenciais: Capital social que paga um diviclenclc¡ cs¡rccilico c não clá direito a voto. gerais e administrativas 20.n¡trcsa. ações ordinárias.587 Lucro bruto 29.lompn.todos os provcntos vcncla cle uma companhra após o pagamento cle toclas as clÍviclas BLtfJett (.r 150 acr patrimônio lÍquido.t\o clw íLÿ¡il tcn(lem û nä0 renciaís. res. rcceber dividenclos e ¡ecolher. l5I .ruos Modelo de demonstração do resultado do exercício de uma empresa que não possui uma vântagem competitiva duráveÌ (em milhóes de R$) Recelta 172. mas inclui as a(Õcs litrriL¡clas cle proprieclacle dos executrvos cla empresa.rhia tdvtz compctitiÿú durdÿel.9ss) Outros açoes em circulação: Açoes ordinárias cle propneciaclc rLos invcsticlo. açöes em tesouraria: Açoes que loram recompraclas pela eL. Valores mobiliários que represenram pâ¡ ticipação na empresa. Um lLrmento drl.868 Despesas operac¡ona¡s Despesas de vendas.122) 10. Buffett |nonL¿l/' (listàn(:iu dt.4s5 Custo dos bens vendidos 142. alavancagem: A quantidade cle dívidas de Lrma empresa cm relaçiro rcL.

Ter muitds contûs ú ratcbcr é L]mtt boa coisa. balanço patrinonial: Um sttmário do ativo. pagas antecipadamente. qtìe não custos VGA: L)espesas com venclas. lram os crÌstos cliretos e inclireros clas vendas cla ernprcsa c toct¡rs ¿ts clespesas gerars e administrativas clurante o perÍoclo contiìbil. do passivo e clo capltal prtiprio c1e uma empresa em uma clala especifica. as comissoes.o cl u tos acabarclos.' kme qLtanto cl(y(.s¿io òL rccr:itú ¿ LolLt (:()isa boct: rltills. tlw avcl IJ m bctlcmçÌ patrtnanicú muLitas vez¿s é tlescrito como LÜn ¡nstantdneo (lLI umtt companhia etn um úníco clict tlo ano Nú10 cxist¿ bcrlotlço p[úrimonial cpLe compreetclct tm periodo mcLís longo O ]¡ctlunco concliçao Jinanceira de t52 der onstrações financciras: Balanço patrimoÌtial. o que ¿ tantctgem conlpttit¡vû dLúIÿeI. é o mcsrno cLue cLeprcciação. clo 153 . gerais e aclministrativas quc Ln<ts. coeficiente cle liquidez: O coeficiente arnortização: BasicamenLe.rétcio e p¿Ìtentes A clcprccictçúo se ctplicû (I (tL¡ÿos tûtrgíÿeis. o esloqlte e as clespesas ativos intangÍveis: Ativos como patentes c clileilos aulorais.antc urri perioclo especí[ico. P¿ns¿ ncsses cla (úiÿos coì110 mot'LttpóIios prote[làos por lei. ¿ qLrc elds tlato selr cus¿o ¿ clisttibuíck¡ (a¡nortiudo) cto longo dc vririos anos O cocfiaienrc (. '|r¡l¡ riliv. qual' qtLtr em¡tresa do munrlo potk proc\Lzir cLt¡vrele bem e a ontpctnltkt original perde atrmtagem cornpûitiva cLtr(weI ptu¡otri. A ck:morLstrcLçlo tlo reyLltaclo d.ll(ì r'¡os ¡?v¿. n atlvo cir. Ai est¿io são palpáveÌs. ativo circulante: Ativos que estão imecliatâmcnte disponiveis ou cllte cleveráo estar clisponÍ

Related Interests

eis no pr¿lzo l:náxlmo cle um ano Eles são enconrractos no balanço partimonial c inclucm o ativo clisponivel. os custos com folha cle pagantrnto c coisas clcsse tipo. o alivo pr-. Preciscmos ÿenf¡car entre cinco t 10 c¿nos -sc rt:¿ilnÙrlc rlÍiscrmos tlescobrir st. ou o cLtsto para obter mâtéri¿ts-prinìas c fabl. mds ¿et tDtlilo ¿linhc¡lt. os custos cor. Qmnto nenorts..1( liluklez não ¿ ¡ruùto íLtíI na umú ÿont(Wm (.n lu mLLito poLtco. cortto tLmr: liLbriccL O prttbbntct ¿lds p¿tt¿n¿cs.claçiìo s0f?l?l rοlinle¡Ìt¿ untct cleprccitt- ativo: Algo clue é cle proptieclacle cla emptesa e clevc sel usado ¡rara I¿r cLe ao passivo cir-culante. çaLo.r {/lrrÌ'v( a cc-ttttpctnhia nao Lt'n'L Lütrt7 ÿ(I11LcI8en1 patrinlotli( inforncL clLt tLo ÿoc. getar lucto no luturo. it¡:r-s ¿1¿iv0s ¿ t ttnct br¡ct coisct Tu tlluitas tÍ¡ÿos que Proùtzem mLLito custo dos bens venclidos: O custo clo estoclue vencli(lo clur. as conlas a r-eceber. [Jm boixo cttsto àos bens vencliclos cm rclctçeto ¿usfos clftL\ . 1. mas qlte poclem gerar lucro incl.n viâqens. como funclo cle cor¡.rÍclos os saiários da gcrencia.rttatla ¡tlrt ¡n lt nle EfL'r ¡sso (rc(Lb(un expir(u1do qLrc BLLJlctt tem se au perckw)o nl ct stLu lti(lo d distatnctú tle labrtcunÍts de med¡ccLl'tlc tos as cuslas legais.cul¡nrc çrnr r. entak). a pubLiciclaclc.O iuLictt problentt tlds P'rretrr¿s ¿ LLm ttpo 4ue ¿l'is profeçdo QLrando isso ncantcß. por exemplo. cllt cttixct é ttinclct n'telhor. melhor. mas se apiiczr a ativos intangiveis.o exercício (Ie um único. rcalizável a cLlr[o pl-âzo. Suhtr¡ri¿r uìr ¿i¡rirrlr0c obterci o valor tlo seu patrimônio. receitas e despesas cla empresa em dererminacìo ltelfoclo. por exemplo.ompetitiytL tlw'ciyel husccL l¿: unr¿r ürrl)¡i:sr:l r:¡rnr contas a receber: I)inheìro clevicLo à etnpresa por lrctrs ou serviços vendiclos e que aincla não foram pagos.presença cle ttncL grcutclt tlttctnttclatb tle cLhvanutgcn cluttnte um pe- A ríodo longo ent gerol signrJica cprc . demonstraçáo do resultaclo do exercÍcio: A demonstraçáo cluc inlitr' rna lucro. clemonstração rcsultaclo do exercícÍo e derltonstração cle fluxo cle caixa. o lil. a compcuthia tem uma ÿantügem Lotnpetitiÿ¿r clo ano fiscal.jclu clinheira é tinclct mellnr.

cLe tocla a clepreciação.ontúbLl plr açao cle LJS$ l0 c es¿¿i. empresa subvalorizada: Uma con.o se cL cotn¡tcurhicr ýti crntprutla por otLtrct..AJtDA: Lucro antes cLe juros. EmprestLs com uLma depreciação acumulada: O total cimo cìo valor de um ativo. É monitoraclo pela ctemonstlaçâo cle flnxo cle despesas operacionais: Os custos de uma empresa que não estão di- c¿ìLXa retamente vincuLados aos custos de produção cle seus bens.e cptanto vttlor as coisas perdem.rJ v/j' tûgem compüitív| clespesa d. Esse e o tipo (Ie empresa que vai detxd-lo pobre t longo prcLzo. mellnr.rpanhia que está senckt vcuclicla no lnerca(Lo acionário a uma cotação inlèrior ao seu pauimôt. flnxo de caixa: A quanticlacle cle caixa geraclo pela empresa durante clcterminaclo perÍodo. Quanto nteno res. on o clecrés- manter registro de tuclo. LLfuLL portanto. cle ttllhí ctLiclctclo. até d.âgcm competitiva durável e so[re intensa pressâo da concorrência.É o qtrc mostrcr oncle estao todos osbens. LJmú tmpresa tem unl yalor . Peße n( dcprecittç[Io tLcumttktcla como uma gttnule lttta cle Iixo t¡ue wcê pode veriJicar parcL tlescobrir qtranto os útivos da empresû se Os contulores gostam cle nenlutmc clíy¡cla vtultcrym competitiva dn-dyd tcntk:nt tL It:¡ sLl- poLk:t:t oLt tie longo pt-teo. tem poLtcû ou netlhLln. clepreciaram. impostos. despesa com pesquisa e desenvolvimento: A quanttdacle de dinheiro que uma empÍesa gasta em cletetminaclo período criando e aprimoranclo novos procìutos.Lu cotn juros. aplica-se a eles a depreciação LLm bdLxo dispenclio com dtiÿos |ixos .. 5¿ cts ven¿l¿rs cstato cüindÒ eo esto(lue estú ¡j'Ltmentetl(lo. Empresas que ndo possLrcm e. Companhias que possllem umã vantagtm cotnpetitivcL clur(wel tendet¡t a estoque: Matéria-prima e produLos acabacLos ou em al¡1um estágio acabamento e que serão vencliclos aos clientes cle una emplesa.rio cle Longo plazo. depreciação e alnorrização t55 .ttalisctr as de- As comptnhícts que possuem umú vcuttc5tm competitiÿü tlurúvr:l lenclenl monstruções rle vitios anos se realmente qLiser sûbü o que estít \contercnclo d ter depreciação: Os alivos tangÍveis sofrem clesgaste dr-llante o uso À me- dívida de longo prazo: DÍ\.fett comprou empresas cotlt um( yûrLtagem can1)et¡tvct clLLrível e gtuthLtu suem Ltma ÿantagem compeLitiÿcL (lLLrítvel tendtm d nclo ter clíÿida nenlumLt bilhoes. As t¡ue pos- Bttl. empresa mediocre: Uma companhia que nâo possui uìna \. despesas pagas antecipadamente: Um ativo circulante que represenLa uma despesa paga antes do peÌÍoclo contábil no qual o benelício de ral despesa será recebido. clespesa com juros.s U5$ -5 cxc¿d¿nk s cnt rtlcLtrlo cto ÿ(lor rcntabil sao lunçatlos cotno Jmt)o tle comûci. O. mß voc¿ preciscl r.[tt. 154 l. fundo de comércio: O valol exceclente cle um alivo em rclaÇâo âo va- lor cleclarado nos livros contábeis. ter uma grande despescL com juros porqLLe tcm nluitas díÿi¿(ts. dispêndio com ativos fixos: A quantia clue a empresa gasla anualmente para cons[ruir inhaestrLlturas novas ou modernizar as anLigas.icia que tem uma data clc vcltcitncnto pelrol a urn ano drcla que vão sofrendo desgaste.scndo rtntli(lt t Luil(L cotítçen cle US$ 15 por úçao. ter povcct otr nenhuma despesa cont pex¡uisú e deset'Lvolÿinlento. (vel tetãem a Benjun'Lin Grcthcur cotnproLt tnlpresûs subvaloriztLclcLs e gcnhou nilhots. A quantldacle cle dinheiro que uma empresa paga juros relativos em âs suas dívÌdas de cuÌ lo e longo prazos.

nxlhor.]- ß :u bn(lo rsic livro. l:r.nn? ct t¡nicúl trabalhe ent \Vctll -S¿ I ) ldll¿ l- ra¿¿ c (r. clebêntures. llsse é o segieclo clo sucesso (lc Bulktt c o t11otiÿo pan ÿoce passivo circulante: Dinheiro cleviclo no pÍazo rnáxiì1to t56 cle nm ano scu-s ¿r. n'LaíorcLprol'tctbiliclcLcleclectemptesaterumûv'Llcßc retorno sobre o patrimônio: O lucro lÍquiclo de una emprcsa do pelo seu patrimônio lÍquido. d retluçao tlo valor torLtúb¡l é ruit11. it.. ::1: cLe clespesas e os impostos são cteduziclos cla recetta. cle :. lucro bruto: Provenlos da vcnda de um procluto.tn. nuts nutcct ¿eye ter muitds ¿ív¡(l mLLLIus (lîÿiclds. as QtLanto mcLior o lvcro liqtticlo. ( listatlo no bctlctnço pcrtrimoniol ¿ algÒ vcÙ. (Ue ncto ganhd (l¡ì1hr:iro r{guirr. A receitu é rntclc lucro acumulado: Lucro lÍc¡uido acumulackr pela empresa que não foi ru de se ayctlictr pago corrro cllvidencìo. clcLs maneiras pøtL BuJJett dizer se uma onprle tcnr Lrnu ÿant(t.std intertssatlo em empresns c¡tre tenhant L¡nû vdnt. a pagat aos outtos. melhor. ¡\tivo total rlenos gtnhtm clinheiro crmcun o LAJIDA.ionis¡ds. Empresas cotn ÿantagerLs comþeLitiyas dLu-íLÿe¡s naro t¿m Loltû grüule quúntidûde clc obrtgaçoes porque nao cosLumûm ter conLpeLitivct {lLuíLÿel. L57 .As e rn¿rcsas que nao tkrct vunct bobagem.tro em telaçào às vendas. compaÌûr oLüros ¡tútneros cont o lucto bruto.ol su¡ soLiticz Iin.m Lonlpúitiÿa ¿úrt.. esse nirmero pela quanticlacle de açoes em circulaCâo e I'ocê ol¡terá o lucro operacional: C) valor con¡ábil por ação rnargern bruta: O coelicicnte clo lucto brr. luclo da empresa com as operaçoes corlenles É igual ao lucro an[es da declução do pagamento de juros e tributos valor contábil: lbdo o ativo da empresa menos toclo o passivo.. mais jdizes /rcaúo g:. o custo clos bens ou serviços vendic'los igual a lrtcro brulo. Quanto maior. melhor.ttcllKm competitiv(t ¿Lç tdvel tenclem u ter margcns bruttts oltas. nivel de rating AAA: A maior nota que a Stanclarcl õ¡ Poor's atribui r rm¡ cnllres.ì l. lucro líquido: O lucro umt menos (lLtc yocë umd ÿdnfdgenl comPetit¡vcL (ILLr(Ne|. Entpn:scLs cotn tmû O aumanto clo valor contûbil O ptLssivo cLe clevc LLLtu pcLrcL bom. vantagenì coÌnpetifiva clurável: Uma vantagem competirivir cm lclaçâo às concorrentes de uma emplesa que pocle ser manticlir pol un. vez t¡ue vLtcê oLtvir û eqape de gestão ntentionuntlo a contpcut]ruct nã0 ten LIma v(ltttúg¿m conpeLitiÿcL receita: Dlnheiro recebiclo ou que deverá sel tcccbiclo r:o¡n ¡LLrúvcI I vencla dos produtos ou serviços de Lrma emplesa. unt períoclo lorLgo. dct campanhtu. ciiYrcÌr. Bulktt o co11s: -[orkL cssc tërmo.cir:r. por exenplo. tÍtulo ou obrigação: Um valor mobrliário que representa uma clivicLa longo prazo. patrimônio lÍquido: O valor líquickr da cmpresa.cler gerctr. QLLínto mû¡s altct. A cotttpctnhict é ¿le oLrto sc recebe essû not(l. Drvrcla Lambém chamaclo cle LAJI (lucro anles cle juÌos e imPoslos)..¿ tentanclo vencler ao público uma comptLnhiû. passivo: O qLle â emplesa tem cla empresa. razo ë umã os sin¿t¿s ¡l¿ E wnct t:: . Ndo dá púrd ser ìntlhor'.. uma emplesa depois que lodos os cuslos. gem contpet¡tiya dLtravel. Qurrnto muis cdixa LLma companhia pu. possd ser met'Lti¿. E t1üo s ¿ bom.r por. signiJicct c¡ue passiYo lotal igual a patrimônio 1Íquido. Buflett só (.-.r pcriodo longo. ú se r uyrcla Ü. Quanto mûis constartte o Ltcrc líc¡uiclo. Vendas menos Recomencla-se tuclo corneça. vantagem competitiva: Uma condicão de superioriclade cm rclaÇão às concorrentes que permite à empresâ gairhar mais dinheiro. Uma enpreut ler o llÌ¿nor púrssivo possivel.Ýq. LJm aumento sólitlo tlo lucro ctcumulatlo ¡to longo +te ut a en'Lpresa possui p ehrprcÿ1.

rnley.a mais plena.fortuna su[iciente para c[aL. mâ apârentemente tão simples.:i: . por sempre me erpoial em todas as situâçóes. :r:. Nicole e Sam. meu cunhado. aguca a mente e olèrece uma compreensão inestimável sobre os investimentos. gosraria cle clechcar este livro às pessoas mais importantes da minha vj. Eu. ccliciìo 2007 . em cluem sempre me ir.. fazentlo com que me orgulhe cleles toclo ctia.nvestidor capaz cle expressar clc [or. As citaçóes traduzem as estratéglas práticas de War'ten. a Sam e Ancìy por serem ótimos irmãos e a Cìndy Connolly e Bob Eisenberg por serem os amigos fantásticos que sempre lotam. E.da: meus fill. Menos conlrccicto ó o lato de que nunca houve um j. uma sabedoria financeira e empresarraI baseacla em valores que hoje multos. auto¡es de O Tao cle Warren Bltflett.rspiro para viver cla maneir-. rninhas irmãs.e tão imp¡essionante que deu origem a uma escola cle eslncliosos. Mary.e modelos que qualc¡uer um pode seguir'. diverte. clue me clao muiro amor e feliciclacle. trabalho clu¡o e bom senso. ':a. dedicaclos a soncla¡ cacla senticlcr ocullo em suâs tiraclas cle estilo despretensioso e irreverente. e Laura Sir Mons.a. e a rnelhor provâ c'Lutì pa- trimônio avaliaclo em US$ 52 bilhoes pela tevisra forbes.ros. generosidade e sabedoria ao longo dos anos. consicle¡am fora cle mocla: inrcgrLclactc. ex-no¡a de Warren. O mlrnclo inteiro sabe clisso. O Zro cle Warren Brrl/€t¿ inspira. ientes. Mesmo um milhao cle ilgrxrl(cimentos nio seri.a Warren um lugal no ¡tcicliir dos homens mais ricos clo munclo. chamados cle "buffettologlstas". Erica.r:]. AJrm Manley. os autores conseguem a pr-oeza de capturar por inteiro o espírilo cle Warren Buffett. Somos muito gratos a Warren Buflett por sua gentileza. porém não menos imporlante. Iornecenclo exemplos irteis para todo investiclor . Os mais clestacados enrre os " buffeftologisras" são Mary Br-rffctt. em palavras acessÍvcis ¿ì ntaiorii. que qualcluer r. David gostaria de agraclecer a KaLe e Dexler por seu âmor. A profuncliclacle clo pensamento desse gênÌo clas linanças - sem falar dos resultados práticos que ela o levou a alcançar . Nunca houve um investidor tão bem-suceclicto cLn¿ltlLo Wârren Buffett. nós dois gostaríamos cle agr-acÌecer ao finaclo Beqamin Graham. Com esse livro de leitura fácil e prazerosa. que sempre nos incentiva a alcançar a perlèição por meio da prática incansável. . l58 . e David Clark. por fim..grancle ou peqrleno ..CONHEÇA OUTRO TITUI-O DOS AUTOIìËS Acr¡orcriurNros O Tao de Warren Buffèt '1. que plantou â árvore sob a qual toclos estamos sentados.ì das pessoas.ìm suli. Dorothy ìvl.:' .rm pocle apìiclr a sur vicl:r linanceirr.

ljl1l." ¿ lhi¡cs cle clólarcs.¡i.'¡¡i.É. ?'$.:. ¡ ¡ei.r '^Ì'¡"-.*lý.lrill ' (lrr.!.'.ll.Ét¡¡t¡¡. 1¿:rilr ii .tìilì1 ìltìì. \farten IltrfftrL clcsclluolvcLt lllll llltilollo Lîtrico llala scle- xf l¡{l Mety llLrfÏètt '. {i+rr ìÞ!{i-t? lirlr:}rr.1rii111r'iltil. sLL- clc srtits açclcs' acabat cotl '.:li.cl N.ìirl¡.lilì. ý$+Ì?i¡tt'cs-r¡è o longo clc rnais clc 50 lnos ltLrtatltlo rto tlis¡rLrutlo trlclcltclo [ìtl:ttlcclttl amelic¿rno.'i].¡¡t¡ nÈr llr.t cL rlttr' :ì1 t'lli..s" Þé *&Ê..A ¡'l¡rrr¡ Jr:: ¡'lq f. ì¡..ì+.r.*ì_ÞÝ1! lrreì() rlu atìlilisc clos rlill (ìlflillìi.ì.r. ""'. " ciOn:rL ns clÌìprcsâs nas quais iDvesririr scLr cir¡tirî1.1¡l'l¡i¡¡ iio' ti'tli¡' . iQ\!.¡ lì.. {åq ¿.' r.f: ir¡114$4{14!4 *!. rÀ.:*t .. ilir L!. {.1.*ÝË r&!jÊ 'l'r'' iill..!) llJlì¡ ¡JllilSrlll Ç()lììpetìtiva cltlr:iVcl ùt0srt./iì!Óç5 t¡ttc llossttílttn tttn:r v¿u)tlrgcnì cotnperiLiva <lc lotttttl ptazo ¡r '' " I\rI balanços clc unra cOnr¡r:rnhia.-'¡..$.¡Ý¡iÝ ¡-4.!'*l r$r: 5* r' ål .lltr r:.["r..t å r'r q1-irtrtÌ'{l¡\ t:.t¡ll:i...oltrr llrrlli:t¡ i! l1l.ilr:"r1t. gu¿rgctl accssít.J basc r)cssâ [)crspcctìva [rcrn':rtcc.l¡l¡rr lltr.!r'?iåÝ:r .l.t¡ili'tii ìr¡lìì 1!'ll:ìlìlr'llí1) ril ]illo: ¡l¡¡ ii+ll¿r *ii-*. Wkr l-) ltt loj:tclos' '':iltia .tt ti.:¡rt..¡ 1lt ..rlì) {]51{ 1l.r.11(!.i¡. c as csirâtiqias clc rr|n.iirrrì 1¡'rr ¡.rri ìjJ.Sþ.ri.1 r'llllrl. r 1i l r ) r ¡¡¡¡ l|'¿ {i1 ll v:tr¡¡ s r jf ¡\ltlrr iliuro..iÿ.: .Ii.ig9l¡t r!tÝ.tlli.r.1i..rli¡.t '¡ì¡t'.g¡*r *¡ æi@.¡ Ill. ¿!-¡t!.¡1irr ç¡sie åê."t . a¡losratlclo iìpctÌits 2 ro ¡r?\a !.trr.d.. 1 pì û1!Ìì11('.l ìl"li:iit coutçlto ¡ l\rr iìtlr: ìrltrì'...S.É.lltoit'ìil¡lttro ¡rotlcul å .q.r'" ¡-''.1ilirl {"}¡ã¡¡ ')*hLi: ¡$' I ttì ¡¡lrcì¡¡ir !.Jq (lon *{i¿¡..z\..l|1i.trì.'r¡ 1..r rIr. (lrtç til)¡rr ik: .: i. fì å.r'.¡rl!ir t.it¡i'lr' {@1 4i4t $@Ê{}ýi. ¡¿¡-¡.r1.tr11r c os [r.¡l:t ?i'døtðÌ iå $ri*?.'''. it.".a g' t! .súr.4S {.'i¡llllll'l l¡l¡ft

Related Interests

.<f.11 i).rl1rl1l rj.lLrc.ìli'll ''i' lì¡lììrJit t¡litlLibiliorrltlio com a j....: !ri..tI tl.1.iit''.1¡.riliz+{ ¡ì $ ìià¡¿¡'.rr.lc ircrrIrLrl..tlrl i"¡rli.espccìllistlrs llrx lrr(ri¡ilor r.: tb ':tlttitt¡ bont/(tínlo vcz ttllis allos (oln pillli{:il).. i.r¡¡.t¡!'Èef''lti¡rér ¡1..i..!t{ '-#¡..:l \...t lglatla l¡tl¡t¡ it itlvcsritlrllr'\ lllilìr'iiì.1 ruu lr ti(ìtrtrr {.] Ë (-.r .fr ii¡t*tttrr:ilits Ìt¡il.ãr: ¡¡¡' r'¡- ll'rrii¡iir¡llt'¡å-¡ ¡ .t:'rtll.ìlìll r¡il \t' ìol1ì':t tl¡ll ili'.lr rllt:.¡¿l¡rr ýìi-å.tlanços p. ltrrtiìr:Ii .lrr ì'iìriìir1 :r1-' J1l) Lìf!rii'tlrnto tlo lttcto a ¡tontcl tli tsrc. r.'¡l.!1ji.* ¿lr¡¡ ¡ ¡¡ ¡ r...l! rr ()s uLrtol* clctn¡rt)rlt. i' Iirq¡'i.¡rlccitos pata iclenti- ficirr'.cs¡J(:

Related Interests

tr'.'ttico.'1il¡r:'r t1tt'illll' it¡ltr:lcs mais clttc clicas irtcis Þ.Ìljjl.Âi.llj:ì nil:.: |¿¡.l tIit¡lotlìrti¡ ¡t:it.¡r.'ì.i irttiiitlo[4lirrls c [)ar.ìtll ':r¡¡ltrt 111. & \t\¡^i!ll .rt rttìu lìrt rtrtla clc bi- .rlrrrI !..t r' l.f..1. ¡'t Ýíit¡$&ri êrÈÝtl.ì

Related Interests

11ìrlì{i1'lj .r& ¡ g!ã$l*-+. ¡

Related Interests

-.io ¡¡. t1t1r1 flf\. iriciî r'çr'¡.ilrì1 (lt'{lf¡r.it ì.ìc[ Clarl< -.il o (.1i.tlli:.11ì1. rle t¡r¡t..r¡t i{!tL6å $¡¡¡¡l !*.1 It|t¡rlirr"r:rtirkrl c itrr¡orcs dc l) Irto ¿h t'ý¡trrc IJL4Iì:It . r-t (r l)rir11i¡¡ .!flil¡llìtil l (11r ¡..ruciL.1.ri¿¡irr{ì a !.:.1\.1.rì':\.J'jrìr'¡¡.lr"i' li .-r* ÿ4lli?:rlt¡l{S¡t.k¡¡ lr.¿.ur.l ¡[ t-l! & ..:r r: pt.ir'.¡ lì1)1'.'.lr' !i¡¿ll'..!.rrr rrrrta litr- t ctttl i:xctrtl. liìir ¡.@u rÞ.r'.ã! rÝ tý!':1t i¡.14S Ý:íÝ¡ . i:r¡¡.r.rtr ^l *! ¡.rá .i .(' . a.¡tr lìrlr¡ l.rr tir.: t*:r.i¡ÝSd. . Ir.i¡...Éi itr.. r. (.çri1¡ tårrl!¡.${¡ **!åf."'T...¡rì. ¡¡Ir.)lÌrllr l.:i . ** tråä {*: # ffi& tst Ô $ -: ('. clc Lìri cir¡rirz ..jìr.1 1. r.:tll1J iltupeLitivlt clltllivcl' tlllr lliìll ot¡¡itnização Po¿c ll{)lliìl . iÿ}1.

Related Interests

s r

ô
o*

ni

fi¡ae¿r

rinurriir ir {r{Ìtii:r.,'i
causr (lç ufil !¡t¡t?'!1r!flç
valor, Iìufli:¡r prrr:jett

Þ
Ð.

z

Ð'rq8

¡trx*!:;;,x,sin *¡.$i*¡

, ,,,,r¡,s,,1r"¡ ,.."
êi!{! {ÿ*ti $?Èt .&Èt'

Ê)

Þ
ì-

q,+çl¿å*sg¿*¡,

o v.thrt rt¡lrl.r, , i¡¡.' ,l

Como identificar empresas com
vantagem eÕmpetitiva de longo prazo por
meio de suas demonstrações financeiras

:R

¿þ

seLrs

nttis,litrlr,r,,,,l,'.1,r,, ",.'-'.,,.+-.u
lìttlictt .r'trr¡',,, r.i..' ,¡r^. * , *-"

a)

(,/)

ililltüiililfl[[ü]il

<1Lre

pro<lLrror,

-

ç

ili¡.'a.

cls*¡ .r¡¡ l¡rq¡¡l¡ì4.!: g,... lq-igr¿:.,
fìcilvum dc algritr lì¡i* air, re*Ý*g-tlt!
conrpcritiv;r t¡uu re!*l* l¡¡¡l* *i*q¡*4.dt¡
econô rn ica ¡çr¡¡rll¡¡¡¡lr;ô iì{$ !?n$*¡trtl!,
li(,, l,('fi¡rilir¡,1,'.¡rr, " ',1'. irr!s !,! , r,r,

e a anâlise de

ì".i

longo pr;rzo räo lnnl¡l¡¡il:t¡.,r. |.[È

cobliLr

imo¡iais pirrit li'liliirr rìrìliì !ill¡ì{:.1,

. (.onro

h.,Tarv

I

a)

ncss:r ¡rcls¡rcr:tivit Itcnr-:tt,-t:rlirl;¡. r,t

Dlvic[ (,latl<

:1'.

roiu

que iå¡¡ä¡ç¿ lg*@,,

derrva ainclrr nuri¡ n¡iå¡iìr'¡ ¿}*

vista lì nl

.

**.:¡g,.¡-:ii

ro, t. l{:nî¡r ¡i$åí¿rå! þVSS¡
los dc ncgórior r¡¡¡ i}¡**iai+.4g ¡ &Þ
n

cci

firvor, näo h¡rvi¡ ¡l¡*sirg dr *q¡*.,;á
cotrllrltltlti,ts.tlgrrrtt ' I r r . ]^ ð ¡ " . ¡ . ¡'¡ iç
lência. Iss¡r rignilìtx!,¡ .Ìi$a, i&#i¡,!lt¡ir@f
os cspcculaclor'er d¿. gü¿it

1è¡'441c

+Ýñ*Si:ì..,

scm a corrçät tl$¡ (rl''{S4 ¡*ý.1q€.1it$.1!9.4,..

.. ,:

Mary Buffett e David Clark

{:

r

ruffiforrffiffi ffiea#fuec
tr ä esaáååsm de

ffiÅå-ÅNÇffiS

I

&

SFXTANT¡

'lltLrlo origina[; W.orc I]uJJett dnd the ll1teryrct/]tion oJ Fitl4nciíl slr¡t¿nl¿ n¿s
Copyright O 2008 por ìvla¡y Buffert e Davicl Clark
Copyrìght cla ttadLrçáo O 20Ì0 Por GMT Eclitores Ltda
'lb(los os ciircitos reservaclos. Nenhuma parle deste livro
¡rocìc sct utilizada ou teprocluzicla sob cluaisquer meios
exislenles sem aulorização por esclito dos eclitotes
l'Lrhlic¡rk¡ cm acordo com Scribner. uma clivisào da Simon 6s Schuster, lnc

SUMARIO

tfti¿uÇdo

Marcello Lino

Inlrndrrçrìo

prepuro tle originais
Cristiâne Pac¿tnowski

1.: A grande revelaÇão que fez cle Warren
Buffett a pessoa mâj.s ricâ do mundo

c¿\pirur,o

rcÿis¿¡o

Al]a Lucia Machaclo, C¡isthiane Ruiz e Luis Amélico Cosla

t9

empresa excepcionaL

cApÍrulo 3: Consistência é o caminho cle Buffett
pâra a riqlreza

cclPcl

ìvliÌialn Lerner

(

tlnp t cssão e Icabane nto
Yangraf Grálica e Eclitora l.tda

+: Visio gcraì das demonstraçoes
^rirur.o
financeiras: onde o ouro está escondido

22
23

cApÍruLo 5: Onde Buffett vai buscar informações

CIP-BRASIL, CA'I}.LOGAÇÀO'NÀ-FONTE
SINDICATO N,A.CIONAI, DOS ÈDITORIS DE LIVROS, RI

)5

[inanceiras

A DEMONSTRAÇÃO DO RESULTADO DO EXERCÍCIO
Clîrk ItrâdlLção

d€

]iÀduçáo de: Wnr¡en Buffett and the interpretâtion of lìn¿ncial stûtements
ISUN 978-8s-7s42-554-1

Bufett. Warren, 1930-. 2. Emplesâs - Fin¡ìnças. 3 Sociedâdes comerciåis Iìinânçâs. 4. Inves timentos - Análise. 5. Investimentos _ Processo decisórìo 6- Balanço
(Contrbilidade). L Clark, David, I955-. II. Titulo.

l

CDDj 332.6
CDtr::l:16.76

l0-088s

-lbdos

t3

cApirulo 2: Onde Bulfett comeÇa sua busca pela

pnjeto grq¡ico e Lli,1íraftl(tçito
Abrerfs System

IJÐû¡tt, Mâry
]Ndrreo tsufett e â análise de balanços/lvlary BLrfIett e Dâvid
Nl rccllo Linol. Rio de Jâneiror Sextnnte,20l0

9

os direitos reservaclos, no Blasil, por

GMT Eclito¡es L-tda.
Rua Voluntátios cla PátÌia, 45l1.404 - Botafogo
22270-000 - Rio cleJaneiro RJ
IeL: (2D 2)A6-9944 - Fax: (21) 2286-9244
E-mail: âtendimenlo@esextante.com.br
rvww sextante.com,br

cÁPilulo 6: Por onde Bu[[ett começa:
a demonstração do r-.esultado do exercício

28

cÀpÍrulo 7: Receita: por onde o dinheiro entra

30

c^pirulo 8: Custo

clos bens vendidos: para

Buffet[, quanto mais baixo melhor

31

c¡\piTrjlo 9: Lucro bruto/Margem de lucro bruto:
números essenciais para Bulfètt em sua
busca por investlmento de longo prazo

33

c.¡rirurc¡ 1.0: Despesas operacionais: sob o olhar
âtento cle Buffett

36

, .\r'r | |

|,

) I [: Dcspcsas tle ventl:rs, gerais

aalnìinistrâtivâs

e

37

()\riiLil-o l2: Pesquisa e desenvolvimento: por que
IJuflett se mantém a distância

l3: DepreciâÇão: uma despesa que Buffett
não pocle

c;rpirr.rL-o

*rlirulo
náo

ignorar

Atlvo imobiìizado: para Buffett, não
tê-lo pode ser uma boa coisa

cApi'rur-o 28:

40

c,qpÍruro 29: Fundo de comércio

4)

c¡rrrurn lO: Ativos rntangiveis: medindo

14: Despesa com juros: o que Bu{fett

quer

c.rpiruro

c¡\pi'rrrr-o 15: Ganho (ou perda) com a vencla
cle ativos e

48

usa

3l: Investimen[os

83
cie longo prazo: Lìm

verdade

c¿\pirtir.o 33:

'

90

57

cÀFirulo 35: Contas a pagar, despesas provisìonadas
e demars passivos circulantes
91

5+

c,rrrruro Jó: Drvida de curto prazo: como issrr
pode acabar com uma instituição financeira

cìi\pinr-o l9: Lucro por ação: como Buffert distingue

perdeclores

87

Ativo lotal e retorno sobre o ativo total 88

c.qpÍruro 34: Passivo circulante

clpÍrLJr,o lB: Lucro lÍquiclo: o c¡ue Buffert está

ProcurSncto

B5

c¡.pÍruro 32: Demais âtivos de longo prazo

50

cl\pÍ]ur.o 17: lmposto de renda pago: como Bullett
sabe quem está dizenclo a

vencedores de

o

dos segredos do sucesso cle Buffett

Outtos

cÁpilulo Ì6: Lucro antes dos imposros: o número
c¡ue Bulfett

B1

incomensurável
45

7B

93

cApi'ruLo 37: DÍvida de longo prazo a vencer e os

57

problemas que isso pode causar

O BALANÇO PATRIMONIAL

96

cApÍrulo 38: PassÌvo circulante total e o coeliciente
de liquiclez

98

r00

c¡.pirulo 20: O balanço patrimonial em geral

62

c¡.piruro 2l: A[rvo

65

clpirur-o 39: Dívida cle longo prazo: algo que boas
emprcsas nao tem em prolLrsio

67

c¡.rÍrulo 40: lmposto de renda difericlo,
pâtticipação minontána e demais passì.vos

t03

cnpÍrulo 41: Passivo total e coeficiente cle
enclividamento em relação ao patrimônio
líquido

105

7I

c¡pÍruro 42: Patrimônio líquido/Valor conrábil

109

73

c¡pÍrur o 43: Açoes preferenciais e ordinárias:
reserva de capital (emissão de açoes)

110

75

c¡\pirulo 44: Lucro acumulaclo: o segredo
Buffctt p..rra sÈ LolnJI riquissinro

113

76

c¡\pirulo 45: AÇöes em tesouraria: Buflett gosta
cle vêlas no baìanço patrimoniaì

c¡pirulo 22i Ciclo do ativo circulante: como
ganha dinheiro

se

c¡.piruro 23: Caixa e inveslimentos de curto prazo
a recompensa cie Bulfett
r

¡rrluro

6B

2-l: f stoque: o que 3 emprcsír precisrì

comprar e vender
clpiruLO 25: Contas a receber, saìdo lÍquido:

clinheiro deviclo à empresa
cApÍrulo 26: Despesas pagas antecipadamente/
I)emais ativos circulantes

c¡piruro 27: Ativo circulante total e o coeficiente
de liquidez

:,.

,:a..

cle

n6

mantinha cadernos repletos de ideias meticulosas e infinitamente fascinan- c¡piruro 5l: A ideia revolucionária de Buffett clo equity bond e como isso o tornou rìquissimo crriruro 52: O rendimento tes de Warren Buffett sobre investimentos. fantástica I43 c¡pÍruro 55: Como Buffett cletermina que está na hora cle vender 145 Apêndice 147 Glossário de termos selecionados 151 Agrctdecimentos r5B BulJettology (Buffettologia).iLul. visitei a casa da famílla em Omaha.(:^riruilo 46: Retorno sobre o pâirimônio líquido 118 i. Davicl também mencìonou que Benlamin Graham. o filho de Buffett. essa âtividade se concentrava sobretuclo em determinar a solvência e a capacidade de geraqdo cle lucros cle uma empresa com o propósito cle analisar os scus titLrlos. il ctecano ctc Wall Street e mentor cle Buffert.l. ¿irabe. Ele ressaltou que.o 49: Despesas com âtivos fixos: não tê-las é um dos segredos para I27 o investidor de maior sucesso e. entre os quais hebraico. e durante o almoço começamos â conversar sobre a históriâ cla análise cle investÌmentos. Depois do sucesso de O Tao de W(trren BuJkt\ estive com Davicl em Omaha. David Clark. Enquanto estava lá. fui nora cle Warren Buffert. de 1981 a 1993. conheci um pequeno grtrpo de estudantes aplicados que pesquisavam â sa- enriquecer c¡. The BulJettology Worhbooh (O manual da buffettologia) e The New But'Jettology (A nova buffettologia). Seus cadernos foranr 134 durável 138 cApi-luLo 53: Mais maneiras cle avaliar uma empresa com umâ vantagem competitiva cAfl ruro 54: Como Bu[[ert durável 140 determinr o momento certo para comprar umâ empresa a base que eu e ele usamos mais tarde para dâr forma aos best- -sellers internaclonais de investimentos O Ido de Warren Buffett. e bem antes do munclo fora de Wall Street ouvir lalar do ìnvestidor. ar¡\r'Írur.pÍrul-o 50: Recompra de aÇoes: o método isenlo cle impostos de Buffett para aumentar o patrlmônio dos acionistas A AVALIAÇAO DA EMPRESA COM UMA VANTAGEM COMPETITIVA DU RÁVEL bedo¡ia do mestre e que se autoclenominavam "buflettologistas". em 2007. chinês e russo. cada vez maior criaclo pela vantagem competitiva 12 anos. no encontro anual da Berkshire Hathaway. um dos buffettologistas de maior sucesso. ¿ìtualmente publicaclos em 17 idiomas. no fim do sécnlo XIX e no inÍcio do XX.¡r.\pirulo 48: A demonstraçáo de fluxo de caixa: aonde Buffett vai para achar o clinheiro 124 D. havia adaptado as 9 .^trt. 130 Logo após me casar com Peter.r¡ 47: O problema cla alavancagem e as slrpresas que ela pode causar 120 INTRODUÇAO A DEMONSTRAÇÂO DE FLUXO DE CAIXA c. o maior filantropo do mundo. atualmente .

s. depois de iniciar sua carreira com Glaham. O métoclo cle Buf fctt também informava se a empresa em questão tinha ou n¿io L(nliì vanragem competitiva duráve1 que o tornaria riquíssimo no lorr¡io prazo. possibilitanclo cluc haviam acarretado a queda verliginosa da cotação de suas açöcs. por outro lado. Um livro que não apenas expìicasse o que são balancos patrimoniais e demonstraçóes do resultado do exercÍcio. Eu tinha em mente um livro direto e simples que ensinasse os invesridores a interpretar as demonstrações financeiras de uma companhia e procurar os mesmos tipos de organização que Buffett.rcro suficiente para tirála dos apuros econômicos aquelas companhias maravilhosamente rentáveis.. l0 tt . Ao mesmo tempo. ele caía fora.'' : t(:cnicls inicrâis de análise de rírulos para a análise de açoes r. comeÇamos a envia¡ um para o outro os capítulos do livro que está em Suas mãos âgora. mesmo ¡ragando um preço justo. Ele não estava in[eressado em ter participâção em uma orgirnização por 10 ou 20 anos. Embora baseado na vclha linguagem de Graham. Ele constatou que. David adorou a ideia e. o fenomenal poder de geração cle riclue- ì. ele simplesmente não embarcou naquele que o tcrÌa t¡ansformado. lsso não significa que Graham percleu o barco. como aconteceu com Buffett em 2008. descobriu a tremenda geração cle riqueza de uma cftìpresa que tinha uma vantagem competitìva de longo prazo em relação às suas concorrentes. mas que apontâsse o que os investidores devem procurar se.: zr de longo prazo de uma empresa com uma vantagem competitiva durável em relação às concorrentes.-. Graham provavelmente te¡ia dito que todas essas empresas têm cotaÇÕes excessivas. Se a cotâção náo se movesse ctcpois cle doìs anos. perguntei a Davicl se ele julgava possível criar um guia sucinto e lácil de usar para interpretar as demonsLraçóes financeiras de uma empresa utilizando o conjunto único cìe ferramentas que Buffett havia desenvolvido para descobrir tLinÍr'i.rclo em saber se a companhia tinha ou não capaciclacle cle gctrcão cìe L. mals rico ficaria. Ele desenvolveu um conjunto único de ferramentas analíticas para iclentilicar essas empresas especiaLs.de a dar o mesmo salto qualitativo do megainvestidor. seu novo método possibilÌtava quc que você vá âlém dos velhos modelos de avaliação de Graham e descubra. como Buffett. mas Bullett percebeu que não precisava esperar que o mercado acionário oferecesse uma cotação de barganha e que. no hr¡me m mais rico do mundo. como Buffet¡. Esperamos que Warren BulJett e a anúIise de balanços o aj'.rr Ao fim do almoço. M¿\RY BUFFE-T-T ele cleterminasse se uma empresa podia sobreviver aos problcnìas que estava enlrentando no momento.ì ::. vocè vai se libertar das custosas manipulaÇoes do mercado linanceiro e terá a oportunj. . Ele só estava intercss.clade de se unir ao crescente número de investidores inteligentes de todo o mundo que esrão se tornando rremenclamenle ricos ao seguir os passos desse investidor lendário e brilhante. Br-rlfetr.rs. poderla ficar riquíssimo com aquèlas cmpresas. esliverem em busca de uma empresa que tenha uma vântagem competitiva de longo prazo. cluanto rnais tempo você mantivesse sua pârticipaÇão em uma dessas cornpanhias fantásticas. em um mês. ñlas Grahan nunca fez clistinção en[re as empresas que pos.i:..llìcur urìla vântagem competitivâ de longo prazo e as que não llo$srrcrll em reiação às suas concortentes.

CAPiTULo I A grande revelação que fez de Warren Buffett pessoa mâis rica do mundo a D lara entenclel esta grande revelação.fundos mútuos. ao moclo clos especuladores. Esse é o idíoma dos negocios. alarcleando seus resultados anuais cor¡o isca publicitária para um público mÍope e ávido por enricluecer rapidamente. Se a aÇão não avança em alguns meses. O grancle "Diamond" Jin-r Brady e Bernard Baruch lbram apenas alguns dos c¡ue chamaram a atenÇão do púbhco como gtancles investidores de sua época. Se âs açoes de uma em13 . um idioma inperJeito. alguns dessesjogadores obtiveram gran<le riqueza e proeminência. Em seus primórdios. d menos tlisposto - a clLLe esteict Jazer o est'orço rle aprencler contabiliclnde como ler e analisar cletnonstrações Jinanceiras -. Os melhores jogadores dessa nova geração desenvolveram programas cle computaclor complexos a fim cle meclir a velocidade em lbrar quanclo sáo qLrc uma cotação está subindo ou caindo. Em tempos modernos. nao cleveria escolher açoes por conta propria. nos últimos 200 anos Wall Street também tem funcìonado como Lrm grande cassino no qual jogaclores. eles ¿r venclem e saem à procura de out¡a. lundos hedge e sociedades de investimento .substituÍram os grancles especuladores de antigamente. läzem grandes apostas na direção das cotâÇoes das aÇoes." WARREN BUFFETT ra pteste mui[os serviços para empresas. comprando quando as notícias são boas e caindo ruins. os especulaclores do mercado acionário tenclem a ser i¡rconstantes. Embo"Voc¿ prectsd entender de contabilidade e deve compreencler cLs nLLdnces dessa ciência. os investidores institucionais . precisamos compreencier a natureza clas Bolsas cle Valores e de seus maiores players. Os investidores institucionais se "vendem" para os cìientes como analistas de açóes altamente capacitaclos. Tornaram-se pcrsonagens interessan- les sobre os quais as pessoas adoravam ler na imprensa especia- lizada. porém. Em geral.

No inÍcio da década de 1930. quando perdem dinheiro. quando estavam domìnâdos por seu frenesi especulativo. O que temos de perceber. aqueles investidores às vezes faziam com cLue as cotaçóes subissem até atingir nÍveis ¡itlÍculos cm lelação às realidacles econômicas de longo prazo do mercaclo cm que as empresas âtuavam. no curto prazo. na verdade. na década cle I950. lsso cria muita movi- nìclìtiìçâo cle compra e venda de milhares de açoes dilerentes. Depois que G¡aham se aposentou. onde Leve tempo de pensar sobre a metodologia cle G¡aham longe da multidao enlouquecedora de Wall Street. Mas.r l0 vezes o lucro de uma empresa e vender a ação se ela subisse 50olo. fez com que as cotaçÕes das açöes chegassem tinham em caixa. não se impoltava com o tipo de empresa que estava compranclo. os clientes (se aincla tiverem algum dinheiro sobrando) pegam o que sobrou e vào embora à procura de um novo analista que escolha açóes Ele chegou à conclusão c1e que.tuação da companhia dali a 10 anos. no enlanto. Quanclo começou a praticar o investimento em valor nos idos da d¿cada de 1930. não levavam cltt contâ âs perspectivas de longo prazo das companhias. Graham foi o pai desse paradigma de investimento. Também percebeu que aquelcs ncsmos famosos investidores às vezes provocavam a quecla cLlts àçöcs a nÍvels insanos que. o mercado acabaria por reconhecer o seu erro e as reavaliaria para crma. toda companhia tinha um preço no qual se tornava uma llsse frenesi especulativo de compra e venda vem acontecenclo barganha. Gestores de Iunclos herþ usam esse sistema e podem ganhar muitíssimo druhcilo pala seus clientes. e clepois. E. se comprasse aquelas "empre- sas subvalorizadas". Depois que isso acontecesse. é que ele. como nuncâ pagar cotâçóes a despencar. um jovem e empreendedor ana- lista cle Wall Street chamado Benjamin Graham percebeu que a rnaiorra dos maj. Buffett aprendeu sobre investimento em valor com Graham na Universidade de Columbia. pouco antes deste se aposentar. o computadÒt as compra. veio a quebra da Bolsa. da mesma forma. Era ncsscr. recomendando a leitura das demonstrâçóes linanceiras de mia sua perspectiva erâ lhales cle empresas. percebeu algumas coisas inquietanles nos fnsinanìenlos cle seu mentor. se rst¿h cainclo rápido. foi trabalhar para ele como analista em sua lìrma em Wall Street. ele pode- ria vendê-las com lucro. mas. Uma das maiores agitaçoes de todos os tempos. na verdade.ìr L{nr:r ação num dia e vendê-la no dia seguinte.s famosos investidores em aÇoes não dava a mÍ- nima importância parâ os âspectos econômicos de ìongo prazo clas empresas que estavam compranclo e vendendo. Sim. O único [ator relevante era se as cotaçoes das açÕes estavam. Também aplicava outros parâmelros. Buffett voltou para a sua Omaha natal. llu|anLe esse período. subinclo ou caindo. que ajudou a instruir o jovem Warren na arle de identrficar situaçóes de subvalorização. Ele chamava isso de "comprar um dólar por 50 à estratosfera. estivessem senclo negociadas a menos da metade do valor que elas na clécacla de 1920. ele se concentrava em achar empresâs que há muito tempo. t. ele não tinha interesse algum na sj. mais clo clue pala eles. Nro é incomum para esses investidores info¡matizados compr.l)rr5íì cst¿ìo sLlbin([o rápìclo o bastante. Essa é a base do que conhecernos hoje como investimento em valor. Graham também percebeu que. Mas há uma cilada: eles também pocicm perder altas somas. um pouco mais longa do que a dos especulaclores de Wall Street. Em seu mundo. L¿. Se nâo subisse em clois anos. nlvcis insanamente baixos c1r-re Graham via uma opot tr-tniclreltr lhntástic:r pala ganhar clinhei¡o. l5 . levanclo as centavos". o compllrador as vencle. com cotÍlçÒes abaixo de seu valor intrínseco de longo prazo. em ]"929. ele a vendla cle qual- querjeito. Buffett trabalhou ao lado do famoso investidor em valor Walter Schloss.

quanto mais para baixo os especuladores de Wall Street jogas- pr^zo Íao fantástìcos. sair ganhando. acab¿rvrm imlo À falência. Havia mais uma coisa que Buflett considerava ainda mais mágica do ponto de vista financei¡o. possibilitando que elas cobrassem mais ou vendessem mais produros. não havia chance de aquelas e Graham haviam comprado e posteriormente vendido por causa cla regra dos 50o/o continuavam a prosperar ano íìpós ano. A cotação mais baixa das Ciraham as havia vendiclo. muitas vezes. você precìsava aumentar o risco subjacente. também havia umas poucas perdedoras. Isso signiflcava que.se: losse "cltrriivel" -. muitas de srri. no fim das contas. Buffett percebeu c¡ue nào precisava mais esperar que Wall Street oferecesse uma barganha. Para facilitar ainda mais as coisas. Buffett decidiu que podia melhorar o clesempenho do seu mcntor aprendenclo mais sobre economìa empresarial daquelas å açoes também signilicava maior potencial de valorização e obtenção de gânhos.por meio dos investidores em valor ou dos especuladores. \) Ele também percebeu que o mercado . Em cada grupo de companhias vence- llorts. na verclade. [le podia Buttctr râmbém percebeu que. Por causa cle um aumento continlro (lo sas e.þ' lô um investimento no qua1. mas tivessem saltado bem antes de terem chegado à estaçào porque não sabiam para onde o trem estava indo. Era como se a vantagem competitiva durável da empresa tornasse aqueles investimentos uma profecia que subvalorizadas" permaneciam subvalorizadas. começou a estudar as suas demonstraçöes Tudo isso era uma contradição complera da máxima de Wall financeìras. ao rnesmo tempo. enquanto seu risco climinuÍa. para maximizar seus ganhos. E quanto mais tempo ele mantÌvesse aquelas participaçÕes. continha 100 empresas ou mais. podia efetivamente adiar 17 . ou de uma combinação dos dois . "superestrelas". então o seu valo¡ subjacente continualia a aumcntâr âno allós ano.já delicioso. Era como se eles tivessem comprado passagens para uma viagem de trem até Bonança. a companhias algum dia declararem falência. menor seria o risco de ele perder seu clinheiro ao comprar umâ pârticipação. o seu potenciâl cle ganhos aumentava.rs "açoes valor subjacente da empresa.reconheceria em algum momento futuro o aumento do valor subjacente da companhia e empurraria a cotação cle suas aÇoes para cima.vrar de qualquer ação que nào subissc clepois de dois anos. fazia mais sentido para Buffett manter o iñvestimento pelo maior tempo possÍvel. constatou que as cotaçÕes das açöes dessas empresas estavam muito mais altas do que no momento em que -¡ sem a cotação das açoes. Ele clescobriu que todas aquelas "superestrelas" sebeneficiav¡m clt: rlgum Lipo de vantrgem competitiva que criâvâ uma situaçao cconômica semelhante a um monopólio. para acrescentar a cereja a um bolo . que reduziam mrrito o desempenho geral. clos investimentos: ganhavam muito mâis dinheiro do que as concorrentes. pagar um preço justo por uma daquelas superempre- investimento por tempo suficiente. Mas. se mantivesse o investimen!o no longo prazo e nunca o vendesse. Buffett havia clescoberto o Santo Graal cle longo .lc unÌa empresa pudesse ser manticla por um perÍoclo longo -. Dessa mancint. E.4 primeira era qne nem toclas as empresas subvâlorìzadas de raham eram reavaliadas para cima. Como tinham modelos de negócios tão fantásticos a seu favor.. algumas. Graham lentava se proteger dessa situîçâo com uma carteira de açoes amplamente diversificada c1uc. tendo maior oportuniclade de lucrar com a sua vantagem competiliva. percebeu que. contanto que mantivesse o . Ele também aclotava uma estratégia de se lj. ainda assim. se a vantagem competitiva . Buffetr clescobriu que um punhado de organizaçoes que ele se realizava sozinha. mais tempo teria para âproveitât as ótimas condiçoes econômicas subjacentes daquelas empresas. tentanclo entender o que as tornava investimentos St¡eet de que. Então.

4 bllháol E a melhor parte é que. Em 2008. uma empresa com uma vantagem competltlvâ durável. quando isso acontece. ¡rroclutos nunca precisam ser moclificaclos. teria vencticlo o rnvestimento de Buffett na Washtngton Post em 1976. ganhos intermitentes de l0olo ou 20%. Kraft.4600/o e. Coors. o que. Wall Street provavelmente teriam compraclo âçÕes mil vezes nos últimos 35 anos para obter IisLas cle açoes de c venclido essas comeÇarmos a proclrrâr a empresa que nos tornara Vender um produto exclusivo: esse é o mundo de Coca-Cola. Quer mascar urn chiclete? Você pensa na Wrigley. Glaham.. prestam um serviço exclusivo ou compram e vendem a baixo custo um produto ou serviço de que o público por aproximadamente US$ 16 milhóes. Procter & Gamble e Philìp Morris. E as coisas realmente melhoram com uma CocaPepsi. ou se¡â... Está com vontade de tomar luma cerveja gelada após um dj. e até hoje permanece fiei a esse invcslimento. A empresa também consegue tobrar preços mais altos e vencler uma quantidade maior dos sct. tsuffett gosta de pensar que essas companhias conquistarâm um lugar na mente clo consumidor e.l nì tt]stão sequer de imposto sobre seu ìucro. por outro laclo. Pior ainda. per'rritÌlt(lo (lLrc o seu investimento ficasse lsento de impostos lno lpós ano enquanto CAPÍTULo 2 Onde Buffett começa sua busca pela empresa excepcional fbsse mantido. L milhoes e ganhar US$ I. lil l9 . -C.ì. por rìuncâ te¡ vendido uma única ação. e teria pâgo um impos[o . Buffett percebeu que essas srìperempresâs têm três modelos básicos de negócios: vendem um produto exclusivo. sobre ganhos cle capital (o lucro).[he Washington Post Company.ola. pagando ìmpostos a cada vencla. Wrigley. como você ttescobrirá. criando todo tipo de eventos econômicos maravilhosos c¡ue apârecem em suas demonstraçóes financeiras.a cheio no trabalho? Você pensa na Budweiser. Buflett investiu US$ l1 mi- lhócs na . Nada mal em investir LJS$ l.. os renomaclos ana- Vamos analisar cacla um desses modelos. um jornal com uma viìÌìtâgem competitiva durável.4 bilhao..{ il. Por meio do processo de necessidade e experiência do consumidor. Vcjamos um exemplo: em 1973. o seu valor cresceu âré atingir estratosférico US$ 1. até hoje. é Írtil saber onde prûcurar. Buffett aincla não pagou r. Mas Buffett âproveitou o rnveslimento para obter o excep- cronal retorno de IZ. assrm. nos induziram a pensar neles quando vamos satisfazer uma necessldade. e da promoção publicrtána. sempre precisa.4 bilhao. esses fabricantes inseriram as histórias de seus produtos em nossâs mentes e.ts plocltrtos. iìrìi)()stos sobre ganhos de capital para um futuro distanLe. ^ Antes de ticos. ainda nao pagou nenhum tosl¿lo cle imposto sobre seu ganho de US$ 1. com sua regra dos 50%. seus :. é Lrm ponto favorável. The Washington Post. Hershe¡ Budweiser. 35 anos depois.

r Wclls l. cluando os principais talentos começaram a deixar a firma de com os melhores precos? Viì ao Wal-Mart. Quando você pensa em câlcular os seus impostos. Costcct. Porem. fiirmas que prestam serviços exclusivos e que conquistam umâ posiÇáo na mente do consumidor podem gerar margens melhores clo que as das companhias que vendem pt'oclutos.. Quer despachar os seus pertences para o oulro lado do paÍs? A Burlington Northe¡n S¿ìntâ Fe lìailway tem I melhor o munclo de Moody's Corp. Borsheim's Jewelers e Burlingron Northern Santa Fe Railway. A irnagem c[. E não é assim c¡ue os investidores ficam ricos. Em Omaha.r¿ìis estâo c1e dìspostas a pagar que as pessoas precisam e pelos - mas. O segredo é set ao mesmo tempo compraclol e vencledor a baixo custo. É simples assim: vencla um proclu[o ou serviço exclusivo ou seja o compraclor e vendedor a baixo custo de um procluto ou servìço e você irá lucrar. essas cnìprcsas plestâm serviços (lr. nâo emJack. pensou que es[ivesse compranclo uma instituição. o que deixa um total bem menor para os proprietários/âcionistas da empresa. O n'roclelo econômico de prestação de um se¡viÇo exclusivo pocte ser fenomenal. AnÌerlcan Express Co. quem precisa de um fogão novo vai atrás da maior variedacle e do melhor preço na Nebraska Furnitnre Mart. ou o aumento do volume mais do c¡ue compensll a reclução clas margens. não pessoas rspecÍlicâs. o sujeito na H&R BÌock que laz os cálculos. Aqui. o que permite que voce tenhâ margens mais altas do que as da concorrcncia e aincla scja u vcnclector a baixo custo de um produto ou serviÇo. ano após ano. Você morâ numa ciclacle pequena e quer a maior varieda- c clos actvogados. Quando Buffett comprou uma participaÇão no Salomon Brothers. The Service Master Co. essas empresas são instituiçÕes.r )0 2\ . os [uncionários podem exigir e obter uma grancle parte clo lucro.. e a levar consigo os mâiores clientes. t'lñR Ulock lnc. ele percebeu que se tratava cle uma empresa de talentos especÍficos.Vr:ntlcr trm scrviço exclusivo: esse é melhor preço clo mercaclo fica associada à ideia clo consumidor cle onde cornprar. as grandes margens são trocâdas pelo volume. Tal como os médicos e os advogaclos. Uma emptesa não precisa investir muito clinheiro reprojetando seus proclutos nem tem de gastar uma fortuna construindo uma fábrica ou a¡mazenando sua produção. pe nsa na H6zR Block.. Em firmas desse tipo. Comprar e vende¡ a baixo custo um procluto ou serviço cle que o púrblico sempre precisa: esse é o mundo de Wal-Mart. um banco de investimentos (agora parte do Citigroup). ::]: Nebraska Furniture Mart.argo & Co. como se tivesse quebrado a banca em Mon¡e Carlo. ao conlrário clos méclicos oferta.

e quanto ela deve. Se esla não precisa ficar mudando seus produtos. Com a análise da demonstração do resultado do exercÍcio de uma empresa. por sua vez. o que signilica que ela não precisa contrair muitas dívidas e.lornando os aclonrslas mâls rlcos Porlanto. O balanço patrimonial nos informa quanto dinheiro a emPresâ lem no banco. Ao subtrair o passivo do ativo oblemos o pâtrimônio liquido da companhia. o seu relorno sobre o parrimônio c. suas plol:lieclades. A Coca-Cola vende o rnesmo produto hâ I22 anos e muito provavelmente o venclerá pebs próximos séculos. seus estoques. T: . Buffett pocle determinar parâmetlos tais como as margens das vendas.CAPIIULO J CAPiTULo 4 Consistência é o caminho de Buffett para a riqueza Visão geral das demonstrações financeirâs: onde o ouro está escondido A scgundr grande revelaçio de Buffett ¿ que a "consistência" dâ vântagem competitiva gera toda a riqueza. Buffett está procurando consistência. ou seja.) 2i . evita que pague muitos juros.E por meio cla analise das demonstraçoes financeiras que Btrflett garimpa empresas com uma vantagem competitìva clurável. Assim. sobretudo. São elas que the inlormam se ele está analisando uma companhia medíocre. permitindo que acumule mui É essa consistência do to ctinheiro para expandir suas operaçÒes ou recomprar as açoes. também não precisa investir milhöes em pesquisa e clesenvolvimenlo nem terá de gastar bilhöes reequipando a sua fábrica para procluzir o modelo a ser lançado no ano que vem. o valor (p(e scus sócios possuem investido nela. ). o que chamamos de seu ativo. Os contadores clas empresas trâdicionalmente geram declaraçoes cle resultado para os âcionislas a cada trimestre e ao lìm do ano fiscal. Ac¡r-rcla companhia consislentemente tem margens brutas altas? '[em consistentemente pouca ou nenhuma dÍvida? NrTo preciszr gasta[ consistentemente grandes somas em pesquisa e desenv()lvimento? Apresenta lucros constantes? Apresenta um crescirrenlo conslante do lucro? É essa "consislência" que aparece nas cLemonsLraçoes lìnanceiras que indica a Buffett a "durabilictaclc" da vantagem competitiva da companhra. sempre atolada em resultados ruins. ou uma organização cLLìe tem uma vântagem competitiva durável e que vai torná- -lo ricluissimo. o clinheiro vai se multiplicando nos cofres cla companhia. suas contas a receber. A demonstraçáo do resukado clo exercício nos inl'orma quânLo dinheiro a empresa lucrou durante dete¡minado perÍodo. a constância e a clireção dos seus lucros. produto que cria a constância nos lucros cla empresa. Todos esses fatores são necessários para determinar se a companhia esLá ou não se beneficiando de uma vantagem competitiva clurável. c¡uando está analisando as demonstraçoes financeiras de umâ empresa. o balanço parrimonial e a clemonstraçào clc fluxo de caira. o que conhecemos como passivo. As demonstraçoes financeiras podem ser de três tipos: a demonstraÇão do resultado do exercicio. o cLue aumenta o lucro e a cotaçáo das suas aÇoes .

À esquercia. há um hiperlink parâ clocumentos J apresentados zì U.. as empresas gelaln Lìm balanço patrimo- trimestte e ao lìm do ano contábll olr fiscal. encontre o campo no qual deve digìtar o símbo- lo das cotaçoes das açoes em ambos os sires e clepois digite o nome da empresa. Também monitora as venclas e as recompras cle títulos e aÇoes.como a quantidade de ativo dÌsponÍvel da cnìpresâ ou o seu endividamento de longo prazo . Clique nele quando aparecer.com (http://moneycentral. iremos explorar itens e os indicadores da demônstração do resultado do exercicio.asp) ou c1a página de finanças do Yahool (www. todas as empresas cle capiral aberto clevem apresentar liir ctcmonstraçoes linanceiras à SEC. O relatório clcve ¡r: t lciLo ¿rpírs cacla unì (los très primeiros t¡imest¡es clo ano lìscal cla empresa e . Em cima disso. sob o cabecalho "SEC". Nós consultamos os dois sites. Securities and Exchange Commisslon (SEC).) 25 .com. Nos capítulos a seguir. esses clocumentos sao conhecidos como 10Qs. Uma empresa geralmente emile uma clernons[raçao de fluxo de caixa junto de suas outras demonstraçeres \_f 1\a moderna era dr internet. por suâ vez. oferece demonstraçóes financeiras mais detalhaclas. hâ clezenas de lonres nas quâis podemos facilmente encontrar as demonstraçöes financeiras de uma empresa. mas o MSN. A cada trimestre. do balanço patrimonial e da demonstração de fluxo de caixa clue Buffett usa para descobrir se a cmpresa em questão tem ou nào uma vantagem competitiva durável c¡ue o tornará rico no cletalhadamente os Para começar. Essa clemonstrâçao serve parra monitorar quanto dinheiro a companhia está gastanclo em melhorias dos at'ivos fixos. equivalente à Comissão de Valores Mobìliários brasileira. Buffett aprendeu a usar alguns dos itens clo balanço patrimonial .S.msn. à demonstraÇão do resultado do exercício e à demonstraçâo de fluxo de caixa. você longo prazo. da M'icrosoft NeLwork. O acesso mais fácil é por meio do MSN. sob o qual estão três hiperlinks c¡ue o levarão ao balanço patrimonial.com). acompanha 0 clinhei¡o que entra e sai da empresa. financeiras. clo E. verá o cabeçalho "Finance". a cada t¡lr¡estÌe peÌa maiot partc clas emptesas tncluias clemonsttaçòes financeiras e lornecc um pânoraÍt¿t (:ontírìuo cla concliÇão financeira da empresa ao longo clo ano. e tanto o MSN.com/investor/home.ù Também é apresentado à SEC um documen- ' iìclatório apresentaclo à SEC rlc câpitnl aberto.linanceyahoo. com quânto o Yahoo! irão cli¡ecìonálo para a página contendo a cotação das açóes da companhia em questão.como indican irrl ¡rala os acionistas ao lìm cAPÍTULo 5 cle cada Onde Buffett vai buscar informações financeiras 'Jl clores da exis[ência de uma vantagem competitiva durável.ìcr ilprcsenti(io à SEC em até 45 clias após o fim cle cacla trimestre (N. A cleûìonstração de fltrxo de caixa.'Ll'rclicionalmente.

Fxistem outrâs fontes de consulta importantes. I t . pois esses documentos representam os melhores A DEMONSTRAÇAO DO RESULTADO DO EXERCICIO nele. relatórìos linanceiros. como a Comissão cie Valores Mobiliárlos (www." t()rieù (le cotiìÇoes rlas açöes. Ao entrrr arrcls. da BM6¡F Bovespa.to rhanlrclo I0K.cvm. 'W¡nnrr Bu¡¡rlr - . É possível acessar dados da companhia e de seus principais acionistas. que Îoi criada em 2008 com a integraÇão entre a Bolsa cle Mercadorias & Futuros (tlMÂzF) e a Bolsa cle Valores de Sào Paulo (Bovespx). No Brasil. Buffett leu milhares de lOKs ao longo dos relalórios clos núrme¡os de uma empresa. mas o melhor lugar para encontrar toclos os dados é a BMF& Bovespa. clue é o relatório antral da empresa. a melhor fonte de consulta disponÍvel é o site wwwbmfbovespa.¡ti "Alguns homens leem a Playboy." W¡nn¡N Br lsr¡rr .com. Nele estão corìticlîs as clemonstraçöes [inanceiras da companhìa para aquele ano contáL¡il ou fiscal. a Bloomberg e portais como Terra e UOL.br.¡ . em segulcla. sem todas as firulas que podem ser colocadas no relatório anual apresentado aos acionistas. Eu leio relatórios anuais. pesquisar â emplesa na qual está interessado. informaçóes relevantes e o his- "E necessario ler um zilhao de relatórios anuais e demonstraçoes financeírus cle empresas.br).org. você deve clìcar em aÇöes e.

Para ele. Tradicionalmente... Ele compraria uma participaçâo em uma empresa ruim num piscar de olhos se achasse que po- Demonstração do resultâdo do exercício (em milhóes de R$) deria obter um preÇo suficientemente baixo. dividir o mundo corporativo 7.po de margens tinha. as clespesas. o qLle rìos informa se a empresâ teve lucro ou prejuizo. cle lo de janeiro cle 2007 a 3l cle dezemb¡o de 2007.000 A sacada de Buffett foì. se precisava gastar muito com pesquisa e desenvolvimento para manler sua senrpre começr pel:r clemonstr-açio do resLtltado clo exerct- vântagem competitiva e se erâ necessário usar muita alavanca- cio.200 200 1. ger¿ìs e êdminjstr¿tìvas 2.Nos primórdìos da análise de açoes.. Buffett percebeu que os componentes individuais da demonstração do ¡esultado do exercício podiam revelar se a empresa possuÍa a vantagem competitiva durável de longo prazo geradora da ri c¡ueza extraordinária que ele lanlo cobÌçava. Graham não se importava se a conrpanhia erâ um empreendimento excepcional com condiçóes econômicas a seu favor ou se era um clos milhares cle negócios medÍocres que lutavam para sobreviver.500 525 91\ - essas organizações o tornariam rico se ele conseguisse comprar suas aÇöes a uma cotacão justa e mantêlas por tempo suliciente . que são subtraÍclas cla receita.por exemplo. Não apenas se ela ganhara dinheiro. O que as tornrvr investi- mentos ruins a longo prazo.000 Receilê custo dos bens vendidos Lucro bruto 3. - e empresas medÍocres que se esforçavam para sobreviver. Ela revela ao investidor os restlltados das operaçóes da empresa em cleterminado perÍodo. 2fÌ 29 . ano após f. é apresentada a cacla gem para ganhar dinheiro. Em sua busca por uma dessas companhias incríveis. em parte. como Benjamin Graham. mas que tì.000 em clois grupos cliferentes: empresas excelentes que tinham uma vânlâgem competitiva durável em relação às suâs concorrentes De5pesas operacionais Despesãs de vendas. os principâis analistas. se concen[râvâm simplesmente no fato cle a companhia gerar ou nâo lucro e davam pouca ou nenhuma atenÇão à viabiÌidade de longo prazo de cÁPiTrJt-tl 6 Por onde Buffett começa: a demonstração do resultado do exercício sua fonte de receita.no. óullctt 700 1.275 225 Oulros Lucro antes dos imposlos lmposto de ¡endâ pago Lucro líquido E) . A clerlonstração clo resultaclo do exercicio tem très conPonen- im de conhecer a natureza clo motor econômico cle uma empresa.tipo de inlolmação que Buffett gârimpa nas demonstrações de resultado a fim clo ano e fica claro o perÍoclo a que se refere . Esses fatores englobam o . o mento¡ de Buffett. trimestre e ao f tcs básicos: a receila. pm um mcrca(lù eùmpelitivo. 10. a fonte do lucro é sempre mais imporlante do que o próprio lucro.100 Pesquisã e desenvolvimento 1.000 Deprecjaçáo Lucro operacional Despesa com jLrros Ganho (perda) com a venda de ativos 3.

000 Custo dos bens vendidos LLrcro l 10. quanto mais baixo melhor ! Demonslrâção do resultado do exerclcio (em milhóes de R$) J 3. Llm exemplo simples cle como umâ empresa pocle calcular o iì{u cLrsto dos bens vendidos seria: comece informândo o custo ù iìsloclue cla en'rpresa no ìnÍcio do ano.lo R$ 120milhoesemum ano. lodavia. 3 000 7 000 '. Lìullctt começa uma longa e minuciosa âptlração das despesas. A cilra da receita total por si só não nos revela nada até subIr¿ìirmos as despesas e descobrirmos qual é a receita lÍquicla.cAPÍTULO 7 CAPiTULo 8 Receita: por onde o dinheiro entra Custo dos bens vendidos: para Buffett. Porc¡ue ele sabe que um dos grandes segredos para se ganhar Lnais clinheiro é gastar menos dinheiro.000 Receitã 7 000 bruio Demonstrãção do resultado do exercí(ìo (em milhöes de R$) Receita -+ : Lucro bruto primcira linha de demonslrrçào do resuìtado do exercicio c sempre â receita total ou bruta.é necessário deduzir as clespesas da receita total. "Custo das vendas" em geral é usado lugar de "custo dos bens venclidos" se a companhia estiver fbrr-recendo serviços em vez de produtos.000 Custo dos bens vendidos l. se uma l() JI . \Ì A 10. bem embaixo da iinha da Receita. clepois. Sempre temos de ìnvestigar exatamente o que a empresa tslá incluinclo em seus cálculos cle custo dos bens vendiclos ou ruo tlc custo das vendas. o lato de ter uma receitâ aka não significa que uma cmpresa está tendo lucro . acìì. Depois cle dar uma olhada na receita [otal cle uma companhla. São essencialmente a nlesma coisa . encontra-se o Cusro dos bens vendidos. Se estivermos procluzindo caìçados e tivermos vendi.m. essa é a receita que iremos informar naquele ano em noss¿l clemonstraÇão do resultado do exercÍcio. sublraia o valor Ýn clinheiro do esloque restante no tìm do ano.mas um é Ìigerramente mais abrangente clo que o otrtro. Ele represenla o custo cler compra de bens que a empresa está revendendo ou o custo da ruratéria-prima e da máo de obra usadas na fabricação dos pro(tutos que está vendendo. Assj. também conhecido como Cus[o das vendas. que é ¡elatado trimestrâl ou anualmente. lsso nos dá uma boa ideia de como a equipe ilc gcslão está pensando a resperto da companhia.\r clemonstraçào clo resultado do exercício.cione o crìsto para $lurìcntar o estoque clurante o ano e. Receita total menos clespesas é igual a receita lÍquicla. lrata-se do volume de produtos ou serviÇos vendiclos pela empresa duranle o período em cLuestão.

uto da companhia.a calcular a mâlgem cie Luc¡o brulo cla empresa. com as qr"tais pocle lucrar no longo plazo.cornpanhia começa o ano com R$ tO milhoes em estoque. oblenos o l-ucro bruto: a quanticlacle cle clinheiro c¡ue ela ganhou com su?ì receita total após snbû-. que é uma cifra fundamental para ajuclar Buffett a Demonstraçåo do resultado clo exercic¡o (em milhões de R$) estabelecer se ela tem ou náo uma vantagem competitiva de lon- go prazo. Ele clescobriu rlue companhias com excelentes conctiçoes econômicas cle longo prazo lttncionanclo a seu 'll l-l .000 Locro bruto 7 000 Lucro brukr R$ 7. ) r 10 000 Receil¿ Custo dos bens vendidos 3. cleprecÌurção e tlespesa comJuros.IULO 9 Lucro bruto/Margem de lucro bruto: números essenciais para Buffett em sua busca por investimento de longo prazo cujo valor é de R$ 7 mìlhÕes.. o custo dos bens vendidos por si só é essencial para determinar o Lucro br-. Por si só. c¡ue porle nos inlormtrr muito sobre â suâ natureza economtc¿t Lucro bruto * Reccita total = Vlalgctr cLe lucrr l¡ruto A perspecriva clc Iluffett é procurâr cornpanhias que tenham algum tipo cle vanlagem competiliv¿1 cli¡rável. Embora não nos revele muito acerca do fato cle â empresa ter ou náo uma vantagem competitiva durável. o lncro brnto nos revela muito pouco. mas poclemos Lìsâr esse núrmcro par. Não inclui categorias como clespcsas cte venclas e'aclministrativas.000 Se subtrairrnos " Receita R$ [0. gasta lì$ 2 milhOes em compras e termina o perÍodo com um estoque CAPi. Discutiremos isso mais cletalhadamente no próximo capítulo.air os cuslos rle mâtériâ-prima e mào de obra usadas para procluzir os bens. o cusro dos bens naquele perÍocio seria de R$ 5 milhoes.000 = ìvlargcû dc lucro b¡uLo 70% cla Receita total cla empresa o valor informaclo como Custo clos bens venclÌclos.

Qualquer um clesses très custos pocle clestruir as condlções econômicas da pelcler-. nunca vai nos tornar rico5 no longo prazo. 5lo/o. a empresa de rírtíng Moody's.. Buffett sabe qne. Como uma regra muito geral (e existem exceçóes): empresas com margens de lucro bruto de 40% ou superiores tenclem a ter algum tipo de vantagem competitiva durável. Uma margem de lucro bruro de 20% ou inferior costuma scr um borL indicador de um setor extremamente competitivo. está atolacla em pouco impressionanles 20olo. Sem possuir uma vanlâgem competitiva. E uma companhia em um selor extremamen[e concorrido. como a United Airlines. portânto. tsuffett enfatizâ muito a palavra "clurável" e. a antes problemática mas atualmente rentável U. as companhias têm de reduzir o preço do procluto ou serviço que esrão vendenclo. Essa queda. Compare essas excelentes companhias com várias ouLras que conhecemos e que têm condiçôes econômicas de longo prazo luins. oulra é ter aìtos custos de pesquisa e rur. o preço de seus produtos e serviços bem acima dos custos. que apresen[a uma margem de lucro bruto constante de 60% ou superior. O que gera uma alta margem de lucro bruto é a vantagem cÕmpetitiva durável da empresa. reduz suas margens de lucro e. As margens cle luc¡o bruto de empresas que Buffet já identifi- cou como lendo uma vantagem compelitiva durável são as das seguintes organizaçoes: a Coca-Cola. sua rentabilidade.10% em geral atuam em se[ores altâmente compeLitivos. e a Goodyear Tire. 73%.lavor Lenctem â ter margens de lucro bruto clnstdntemente mats altas cLo clue as outras. em uma economia ruìm. temos de moni.torâr as margens anuais cle lucro brulo clos últimos 10 anos para garantir que há "consistência". Uma clelas é ter muitas clespesas de vcnclas e aclministrativas. para que tenhamos segurânça. c¡uando procuramos orgânizaçóes conì uma vantagem : I competitìva clurável. a problemática montadora General Motors. mas que. que vive entrando e saindo cla bancarrota e tem uma margem de luc¡o bruto de 14%. cujos pneus roclam em qualquer terreno. é claro. nos quais a concorrênci¿Ì eslá aletancto as margens de lucro geral (existem exceÇóes aqui tambi:n. 6lolo. o teste cla margem cle lucro bruto é um dos primeilos indicador-es de que a empresâ em questao tem algum tipo cle vantâgem compelitiva clurável constante. sem clualquer tipo de vântagem competitiva a seu favor. e a Wrigley Co. o cûrpÌesa. Steel. Embora nao seja à prova de falhas.r). com meros 17%. "consistência" é a palavra-chave. a Burlington Norrhern Santa Fe Railway.na terceira é ter altos custos de juros sobre cLÍvidas. que the proporciona a liberdacle i tiva sustentável em relação às concorrenles. Companhias coìn margens cle lucro bruro abaìxo de .S. Mas uma empresa com uma margem alta de lucro bruto pocle rumo de várias maneiras e ser privada de sua vanlagem competitivâ de longo prazo. que alcança parcos 2l%. no qurl nenhuma empresa pocle criar uma vantagem competrcle estabelecer l+ 35 .

t¿is tlcslrcsas variam muilo cle empr-esa para etrrpresa. |. gerais e adnìinistratlvas 2 100 Pesquisa e desenvo vimento 1.rs VCìA.rs incluem os salários cla gerência.ueza econômica cle longo plzrzo cl:r companhia.lesse tipo. ':r:: ' :: aclminislrativas (VCìA) c¡ue a ernpresa inlorma fais clcspes. Ao serem somados. Como toclos esses lançamcnlos causan-L impacto n¿r rliì[l.judiciais.C rr Pl' r LrLO Ì0 cÀPiTULo 11 Despesas operacionais: sob o olhar atento de Buffett Despesas de vendas.200 linha clo Lnclo bruto na clemonstração clo resulIaclo clo exercício vem um gr tqro cle clespesas chamaclas operacio- Na nais. essas cìespe sars alin{rrÌl a casa clos bilhoes e câusam um [ren-Lcnclo impacLo em setl rlstrlt:rclo hnal.000 Receita Custo dos bens vendidos Lucro bauto ') Demonstração do resultado do exercicio (em mihóes de R5) L 3. gerais e e aclminislra[ivas para a comercialização clos procltrtos. custas.000 Depreciaçåo LLrcÍo operacional 10 000 Receita 3. é: melhor tteclicaLmos os próxlmos capítulos a ulna análise cle cacla um rlcl¡:s.ssoes. conslanLemenle. com vragens. como Bullett faria. bem como toclas as clespesas gerais e aclministraLivas dllrânle o períoclo contábiì Logo:rbrixo cte ctc venclas. Como Lrìna porcenLagem clo lucro bruto. gerais e acln'rinistrativas 1 Pesquisa e desenvolvimento 700 Deprec¡açáo 2AO Lucro operac ona I 000 100 3. pesqlus¿r e clesenvolvimento de novos proclutos.m uma companhia como ¿r Coca-Cola. c¡ue inclui torlt5 r) (lespesiìs nto opcrtcioníìi5 e n. Vâriâm a[é em rr r'¡1:r n iz:rcircs como a Coca-Cola. cLue sào então subtraÍclas clo hrcro bruto para nos informal o lucro ou o preillízo operacional clzr emptesa.iv¡ cturá\. esses lançamenLos correspondem às despesas operacionais totâis dâ empresâ."11 .000 7 000 3 I ) Despesãs 2. Uma empre sa como a ìvloocly's il . en'r n'réclia. comj. rlue tem uma vânlagem coni¡'lil.'Lr lucro brulo cm clespes:.000 7 000 Custo dos bens vendldos r Despesâs operacionais Lucro bruto Despe5di o[ìetàctonats Despesas de vendas. toclos os cusLos rh lòlha cle pagamenLos e gastos. gerais e administrativas i Demonstração do resultado do exercic¡o (em m lhóes de R$) I 10.e1.ru rcLùrr(nlsr. esla gilsla. 59% c]o :i¡. Trata-se cte toclos os cuslos associaclos a clespesas cle venclas snas ctespesas cliretas e incltretas corn venclas. ciepreciação e amortizaÇão (encargos cle cleLerioração) e a abrangenLe categoria "ou[ros".100 de vendas. é t'to ilem l)espesas :. gastos com publiciclacle. lir ctemonstraçaìo clo ¡esnkaclo clo exercÍcLo.

quanto mals baixas forem as clespesas VGA. porque sabe qLre suas conc'liçoes econômicas cle longo prazo inerentes são tão ruins que mesmo uma cotação baixa clas açöes não salvará os inveslidores ile toda uma vida de resuhaclos medíocres. Bnllett aprendeu a ficar longe de companhias amaldiçoadas com despesas VGA constantemente altas. ) va durável. . O que acontece é que as vendas começam a cair. o que significa que está perdendo clinheiro loucamente. A lntel é um exemplo pertêito de uma empresa qlre tem Lrm coefrciente baixo cle despesas VGA em relação ao lucro bruto n1¿ìs cLlre.arrastam a fabricante de pneus para o vermelho [ocla vez què há recessão. Também existem empresas com ciespesas VGA baixas e méclias c¡ue destroem as suas condiçóes econômicâs de longo prazo com altos custos cle pescluisa e clesenvolvimenro. por causa clos altos clrstos com pesquisa e desenvolviruento. é provável que estejamos lidanclo com um setor altamente competitivo. nos úìtimos cinco anos. 25olo. A Ford. No entanto. a despeito da cotação. em média. Entretanto. .s o seu lucro bruto. No mundo dos negócios. e considerado fantástico. e a Procter & Gamble gas- um patamar médlo. se não contraÍsse clívidas para realizar todos aqueles dispêndios/ melhorias com a[ivos fixos. dispêndios com ativos lixos e/ou despesas com juros sobre as suas dívidas. gastoll entre 89o/o e 7BOÕ/o clo seu luc¡o bruto com clespesas VGA. quaìc1uer número abaixo de 30% a em relação ao lucro bruto. Mas. a Gooclyear não petmaneceria competitivâ por muito tempo. Ele evìta empresas clesse tipo. melhor. começa a dilapidar cada vez mai.sobre a dívicla usada para [rnanciar seu clispêndio com ativos fixos . viu suâs concliçoes econômicas de longo prazo serem l¡r 39 .' Na busca por uma complnhra Lom uma vantrgem competiti- l. As companhias que não têm uma vantagem competitivâ durável sofrem com a concorrência inlensa e mostrâm grandes variaçoes nas despesas VGA como porcentagem do lucro bruto. No entan[o. se virmos uma organização que está repeticlamente rnoslranclo despesas VGA acima de B0o/o. mas as l l clespesas VGA permanecem as mesmas. no c¡ual nenhuma companhia tem uma vântâgem competitiva sustentável. ao longo dos últimos cinco ânos. o seu atual lote de produtos ficaria obsole[o em 10 anos e ela teria de fechar. A Goodyear Tire tem um coeficiente de 72o/o de despesas VGA reduzidas Ia constantemente 6Ì%. passou cle um palamar de gasto cle 28olo para um de 83o/o clo seu lucro bruto com clespesas VGA. :t Se lor possível mantê-lâs constanLemenLe baixas. se a lntel parasse de reaìizar pesquisa e desenvolvimenlo. há várias empresâs que possuem uma vantagem competitiva durável cuias despesas VGA se encontram numa faixa entre 30% e 80%. melhor ainda. A GM. "Constantemente" é a palavra-chave. o que signilìca uma quecla na receila. mas seu alto dispêndio cont ativos Iixos e suas despesas com juros . Se a empresa não con- segue cortáJas suficien¡emente rápiclo.gasta conslanlemente.

lisa c cle scnr. Buffett não precisa passar-. [']. mas c¡ue tem de fäzel n-ruita publicidacle.rsl:rr enormcs c¡uanti- rlrrlcs cle ctinheiro com P&D.000 se não o lizer.se tornanclo a obsolescência cle amanhã. El¿ì não tem ciespesas cle PcAD e gasta ern méclia apenas 25% do seu lucro bruLo com clespesas VGA. O que parece Llma vantagem competrtrva cte longo prazo mlulas vezes é Llmâ \¡antagen confcricla à companhia por uma pa[ente ou algnm avanço lecnológico.( (VGÂ).nportanle para iclentilìcarmos empresas com Ltma vÂnIagem competitiva clltrável.000 Lucro bruto 7.npresas lãtmaceuLicas. Despe5as de vendas. eLn algum momento. gerais e aclministrativa. r regra dc Brrflctt: crnplcsrs rlrre ¡rreL islnt invcctit' rÌìtrito em P6qD têm um lalha inerenle em sua vanta€îem competitÌva que vai sempre pôr suas condiçoes econôrnicas de longo l)r. çJeÉis e administrat v¿ìs Pesquisa e desenvol/imento Depreciação 2. embora seja lÍder.olvtmento é muilo ir. l:is. en'rpresa cle ra¿ilg cle titulos. é há muito tempo uma clas lavoritas cle Buffett. A vantagem competìtìvâ cle hoje poclc acabar. como no caso das er. A Coca-Cola. Lambérn reprojetam e atu¿ìli- o l2 prograrras significa qlre tambéÌn tem clespesas cle venclas e aclministrarivas muito grandes. perclerá a suâ vanLagem compêlitiva em apenas Re(eita -+ r0. aincLa LJ íìssim gasta em méclia 59olo clo rLem lcsLLr.000 700 Lucro operàcional 3 200 r\ ùloocly's.100 1. E por-isso que a Microsolt Letn tanto meclo clos avanços tecnológi- se u Luc¡o brulo em clespesas VGA. cleve constantemente gast¿rr cercâ cle 30% clo seu lncro bruto em PðlD. a Merck Custo dos bens vendidos 3. E mais: se nao inventar o próximo meclicamento c[Le vai alcançar venclas multibrìionáÌias. o que que. a pa[cnle vai expi- râr e a vantagem competitiva vai clesaparecer. c¡ue t:tnbém não tem custos rle PáD. o Lllrc cignificx qtlÈ nio siìo segLtr:ìs. scmpre há â âmeaça cle clue uma nova tecnologia o substitlta. Com a Moocty's e a Coca CoLa. a noile cln claro achanclo ciue alguma pxtente v:ìiexpirlr ou que:ì corn- panhia não vai ganhar a corricta pelo próximo grancle avanço Lccnológico. entao. ¡\ lntel. e por um bom motivo.em seu acelerado setor. l:ssas crtrpresas ptecisam não apenas g. ele não es¡á inte¡essado nelas. se nao são seguras. percterá sLìa vilntagern competitivâ cluanclo âs pâtenLes exisLenLes expirarem.c ¡\ PiTr II tcnclo cle invcnt¿ìr novos produtos. Se essa vantagen'L é o resultaclo cÌe algum avanço tecnológrco.19% em despesas cle venclas.n seus Pesquisa e desenvolvimento: por que Buffett se mantém a distância cle vendas. combinaclas.ìt(ì cm tisco. consomem no total 78% clo seu lucro bruto.000 Despêsas operaciona s ) & Co. mas. Denonstraçáo do resultado do exercício (em ¡¡ilhões de R$) algnns anos. zar. por estarenÌ consLantementc -t0 +t . Mars. Pense no seguinte: a Merck precisa gastar 29olo clo seu lucro bruto em P&D e . æs rio Google.

em algum momento no futuro. Depreciaçâo e AmortizaÇão. os analistas de Wall 5treet estáo ìgnorando que.000 Depreclaçâo 700 Lucro operaciooal 3. máquina cle impressáo terá de ser subs[ituÍda.100 Pesquisa e desenvolvimento 1. nos 10 anos seguintes. a máquina sofrerá desgaste . GostarÍamos de enfatizar que a clespesa de R$ I milhao com a máquina não é apresentada no ano da compra. Isso faz sentido: é possível dizer que o valor cla depreciaçao de um ativo foi usaclo na atividade da empresa que gerou o renclimento naquele ano.I milhao sejam acrescentados ao ativo imobilizaclo. no fim. gerais e adminislrativas 2. depois de a máqulna de impressao se¡ compraodas as maquinas e os edificios acabam sofrendo desgaste ao da e quitada. Porlânto. O desembolso de R$ I milhao para a compra da máquina aparecerá na demonstraQao de fluxo cle caixa sob o item dispêndio com ativos imobilizados. o que significa que aXYZ irâ depreciar a máquina de impressão a uma razáo de R$ 100 mil por ano. Em razao clessa vida útil. na verdade. Um exemplo: imagine que uma máquina de impressão é comprada pela grâltca XYZ por R$ I milhão e rem uma vicla útil de l0 anos. não está se traduzindo em nenhum desembolso aciicional de dinheiro.000 Despesas operacionais ) Despesas de vendas.000 Custo dos bens vendidos 3. a A compra da máquina fará com que .200 uma despesa.t) 43 . No balanço patrimonial. os encarregados das finanças em Wall Street podem voltar íì acrescentâr aquele custo cìe R$ 100 mil ao lucro. Basicâmente. a grâlica XYZ tem um custo anual que. Lucro Antes de Juros.no balanço patlimonial R$ . Então. a cada ano.cÂPÍruLo l3 uso. a depreciação anual cle R$ 100 mil não representa longo do tempo. esse desgâste é apresentado na demonstração do resultado do exercício sob o ìrem Deprecração. A depreciação é um Depreciação: uma despesa que Buffett náo pode ignorar custo real dos negócios. mais nenhum desembolso achcional de dinheiro. a despesa com a máquina cteve ser clistribuÍda ao longo clos l0 anos em que ela estiver em cro que é informado anualmente à Receita Federal nos 10 anos seguintes. R$ 100 m1l serão subtraidos da conta clo ativo imobilizado. numa peßpectiva de curto prazo. ao usar o LAJIDA. pois. o custo deprecìado de R$ 100 mil por ano aparecerá na demonstração do resullado do exercÍcio como Demonslração do resultado do exercicio (em mrlnoès ce ti)) ReceÌta -+ 10.000 Lucro bruto 7. Em vez disso. o que significa que o fluxo de caixa da empresa agora pocle suporrar mais dÍvidas para novos investimentos. a Receita Federal não permtre que a empresa deduza integralmente o valor total no ano em que a compra foi realizada. lluffet¡ afirma que. ou sejâ. Uma bela sacada que os profissionais de finanças de Wall Street 'r I perceberam é que. mas reduz o lu- o valor cla depreciação de alguma coisa em determìnado ano é uma despesa alocada em contraposição ao rendimento daquele mesmo ano. O mercado fìnanceiro tem um acrôni- mo para esse novo cálculo clo luc¡o: eles o chamam de LAJIDA. mas ti alocada como uma clespesa de depreciação na demonstraçâo do resultado do exercício em parcelas de R$ 100 mil ao longo de um perÍodo de 10 anos. lsso significa que. Impostos.

O qr.. Mas agora a companhia está sobrecarregacla corn Ltma Cr\P¡TULO I4 Despesa com juros: o que Buffett nâo quer tonelacl¿r cle clÍviclas clecorrentes clos novos investimenLos e Ialvez n:ìo seja capaz cle financiat a compra cle nma nova máquina.000 Depreciaçáo Lucro operacional l De5pe5¿ corn juros 700 3. outra companhia com unla vant¿ìgem competitlvít clurável. Em vez clisso. 'fiat¿r-se um custo financeiro. que aLua nlrm setor altamente competilivo e com uso intensivo cle capital. que lìca isollclo. a clespesa de clepreciação da Coca-CoÌa lica constantemente por volta cle 6% do lucro b¡uto. por exemplo.re Bulfett clescobriu é que companhias que têm utÌta vantagern competitiva durávei tenclem a ter custos cte depreciação rnais baixos em relaÇão ao lucro b¡uto clo que as eüpresas qlle sofrem os inconvenienles cle uma concorrência intensa.100 Pesquisa e desenvolvimento 1.cluanclo se trala cle aumentâ¡ o resultaclo linanceiro. Compare com o caso cla Gr. Como no caso cle clualquer clespesa clue consome o lucro l¡ruto uma empresa.nento. il Demonstração do resultado do exerci(io (em milhöes de R$) 10. maior a cluanticlacle cle juros a ser paga. ger¿is e ¿dministr¿tiv¿s 2. a maioria das empresas lablis e de vârejo pâgâ rrrrrilo mlis jLrrrrs do qLrc leccbc. sobre a clivicla cLLle â empresaì apresenLa no balanço patr-imonial como passivo. lJcspcs:r conr juros e o lançrmento clos juros pagos. não operacional. cle . olrtra empresa favorira de Buffett há muito tempo. acreclitanclo que a empresa está lucranclo mais do que realnente esl¿i. Buffett clescobriu que menos sempre signilìca mais . A sua despesa cle clepreciação consot. frca ern aproximadamente Bo/o. os juros refletem o endividamenLo total (lLìc a empfesa apresenla em seu balanço. e a da Wrigley. . Fmbora seja possÍvel para uma companhia receber mais juros clo que pagar. E ninguém fica rico corn ilusÕes. como no câso clc um banco.nprcsa lerá cle gastar oLltro Ìrìtlhão clc reals para comprar uma nova. Bul[ett acreclita qtre a clepreciação é uma clespesa real e setnpre cleve ser incluÍcla em qualcprer cálculo de lucro.ne en[¡e 22olo e 57olo cto lucro bruto. pois não está ligado a nenhum processo proclutivo ou cle vcncla. cte r\s companhias que pagam muitos juros em relaçao ao sell lucto operacional tenclem a ser de dois tipos: uma empresâ que 44 45 .200 200 Camble.000 7 000 Despesas opeÍacionais Despesas de vendas.c â cr..lâ a despesa cle clepreciação cla procrer 6¡ . Se fizéssemos o contrário.:::.000 Receita ) custo dos bens vendidos lüaro bnrto 3. estaríamos nos iludinclo â cLrrlo prazo. Quanto maior o endivicliu. também lìca por volta de 7o/o. clurante o trimestre ou o ano.

gasta 61%. .. :. que.' . a porcentâgem cla clespesa com juros em relação ao lucro opera- dia. A Procter & Gâmble gasta apenas B% clo setr lucro operacional em despesas com juros.t6 47 . O Wells Fargo também é o único com um nível de roting Standard tividade. como as do setor cional havia saltado para 230%. 49o/o do seu lucro operacional com o pagamento de juros. um banco no qual IJuffett cletém uma particìpaÇão de |4o/o. com um valor de apenas US$ 10 por ação. Por exemplo: o Wells Fargo. gasta astronômicos 92% do seu lucro operacional com o pagamento de juros. Compate essas duas companhias com a Goodyear. em média. em m¿_ 1' I ')) i. Em marco de 2008. foi forçado a se fundir com o JP Morgan Chase & Co. no qual grandes invesrimenlos em ativos fixos são necessários para manler a Competi. :.eslá num setor altamente competitiÿo. Tome como base os bancos de investimentos. Outra combalida concorrente da Sourhwest. Mesmo em empresas altamente competitivas. cujas açÕes já haviam sido negocladas a até US$ 170 no ano anrerior. o outrora poderoso Bear Stearns. . Mas preste atenção. do Bear Stearns. i: O que Buffett descobriu é que as empresas com uma vantagem competitiva du¡ável muitas vezes têm pouca ou nenhuma clespesa com juros. ao passo que a sua concorrente Uni¡ed Airlines. altamente competitivo e com uso intensivo de capital. A constantemente rentável South\¡/est Airlines gasta apenas 9% do seu lucro operacional com o pagâmento de juros. :: 'a: & A^A da Poor's. o Wells f-argo seja o que tem o coeficiente mais baixo e atrativo. vr:rclacLe. isso era o cle e que são as preferidas de Buffe¡t na categoïia de produtos cle consumo têm despesas com juros inferiores a 15% do lucro operacional. na entre os cinco maiores bancos dos Estados Unidos. o que pocle palecer alto em comparaÇão com a Coca-Cola. Em geral. que atua no setor de pneus. a Wrigley Co. que vive enlrando e saindo da bancarrota. lsso significa que o banco teve de mergulhar no patrimônìo líquido dos seus acionistas para co- de aviação. O coeficiente de despesa com juros em relação ao lucro operacional também pode indicar o nÍvel cle perigo econômlco no qual uma empresa se encontra. ou uma organização com conclições econômicas excelentes que contraiu a dÍvida ao ser comprada em uma aquisiçào alavancada. as empresas que possuem uma vantagem competi- blir Liva - a dilerença. no trimestre que termlnou em novembro de 2007. gastam com o pagamento de ju- ros cercâ de 70% de seu lucro operacìonal. em 2006.: 7olo. Um olhar atento teria ìdentificado que. . o Bear Stearns informou clue es[ava gastando 70% do setr lucro operacional com o pagamento de juros. a quânticlade de lucro operacional gasta com juros pocle ser usada para identificar organizaçóes com uma vantagem competitiva. pois a porcentagem cla despesa com juros em relação ao lucro operacional varia muito de um - se[or pâra outro. em média. embora. necessita gastar. Em uma operaçáo altamente alavancada como a pre lncio um desastre. gas1a aproximadamente 30% clo seu lucro operacional com o pagamento dejuros. A Gooclyear precisa gastar. No entanto. a American Airlines.

Às .I. depoÌs cle clepreciá-lo para R$ 500 . gerãis e administrãtivas PesqLlisa e desenvolvimento 2. o u. evenlos não recorrentes podem ajuclar muito o re.l 0 0 m. se lorem categorizaclos como algo ciue não pertence ao cu¡so normal dos negócios...000 Depreciaçáo 700 Lucro operacionâl 3. Demonstração do resultado do exercício (em miJhões de R$) Oespesas operacronais Despesas de vendas.-. É nesse itenL que cvcr.100 1.uIn clo resul_ l¡rclo clo cxer. mil. Se esta tem um eclifício peb c1r-ral pagou R$ I milhao e .cÍcict. O mesmo se aplica ao lançamento. Por serem eventos t1alo reclrti:núcs. a companhr r--elarivo ¿ì vencta a.1o con¡abilizaclos r.c ^rn uru 15 Ganho (ou perda) com a venda de ativos e Outros ciamenlo e a vencla cle patcntes... Ìncomuns e infrec¡uenles geraclor.[. 't: i: rlesse ativo. sultaclo financeiro cle rtma empresa.r..ar um ganho cle R$ l0O mil (o Lr ).ì.275 OLrtrôç 225 \{uando umr empres.ron.ra ..1.ì vcnrle Lrm ativo (clue não o estoque).. Da mesrna manei Rii .. o lucro ou o prejuÍzo geraclo pela vencla é r.200 Despesa com jLlros r J 200 G¿nho (perda) com ¿ vendð de ativos 1..i:'L':lîî j::l:itiï ff.r.irì:. Tais eventos poclem incluir acordos de licen_ Itl 49 .".Outros.es cle lc(cita ou clcspesa s..ttos nâo operacionais.u por R$ B0O rnil.'ezes.. vai registr. O lucro é a cliferença entre os pro\¡entos cla vencla e o valor contábil lnûsLraclo nos liv¡os cla empresâ.igistraclu. Btiflett ac¡eclita que eìes clevem ser removiclos cle clualcluer cálcu1o clo lucro líc¡uido para cle terminar se uma companhia tem oll não Lìma vantâgem competitiva cLurável.o¡ åo"fr" perrla) com a vencla cle ativos.

como todos os investimentos competem entre si. áo. J I 225 1. ou uma participação parcial.100 Pesquisa e desenvolv¡mento 1.r. Esse também é um dos pilares da sua revelação de que uma empresa com uma vantagem competitiva du¡ável é. Com a exceÇâo de investimentos isenros de impostos.le ativos 1. com um cupom ou uma laxa de juros crescente.:Tii: iläli:: Í: ïliåi: retorno qlle eslá obtendo ao compra¡ toda uma companhia. impostos.hrÞc .CAPITULo I6 tos de impostos. Portanto.. Iremos explorar essa teoria do equity borul mats detalhadamente no lim do livro.r". em relação ao preço das outrâs companhias cotn concliçóes econôDemonstração do resultado do exer(¡cio (em milhóes de R$) micas semelhantes.'nsar sobre eles de lorma equânime. todos os retornos de investimentos são calculados or_. lsso lhe permile pensar sobre uma companhia ou um inveslimento em relação a orìlros investimentos. é mâis fácil pl. por meio cla aquisição de suas ações no mercado aberto.]^^clo imposto cre renda. qr-te lhe renclcram US$ 22...Vashingron public porve¡ Supply Sysrem (WppSS). na verdade. t(r Lucro antes dos impostos" clesigna o lucro de uma empresâ apos:r deduçio de Iodas as desnesas m. uma espécie de e(Uitt boncl.. E. ìr. Buffett considerou que US$ 22 milhoes após impostos correspondiam a US$ 45 milhöes antes dos impostos. Buffert sempre levou em consideração o lttcro cle uma empresa Despesas operacionais Despesas de vend¿s.500 Lucro antes dos impostos antes dos impostos.r.200 Lucro operacional Despesa com juros a 200 Ganho (perda) com a venda .7 milhoes por ano em clividendos isen_ t0 5l . gerais e aclministrativas 2. . ele viu os rírulos da WPPSS como um negócio que ele estava comprando com 50% cle desconto. ele teria de gaslâr entre US$ 250 milhoes e US$ 300 milhÕes.275 Outros l.000 Depreciaçáo 70a 3. Lucro antes dos impostos: o número que Buffett usa Para comprar uma empresa que lhe rendesse US$ 45 milhoes antes clos impostos. Quanclo comprou US$ l3g milhoes em rírulos isentos de im_ ¡rostos da \. É ..c .

Ëloje. ts cmpresas americanas têm cle pagar a sua rencla. O melhor cle uma organìzaçâo clue possLìr uma vantagem competitiva cle longo prâzo é c1lle ela ganha tanto clinheir-o Demonstraçáo do resultado do exercfcio (em milhóes de R$) cìue nào precisa enganar ninguém para ter Lrm belo resnltaclo. elas gostam cle cleclnra.. rnauciras cle verificar se estão clizenclo a verclacle é por meio tkr i:x¡*rc cla p.r. ur_ruoì." m:ris clo clue ¡ealmente estão. Calctrle 35% clo :.."*to quun.. (Sllrpreencl. i__ ¡r'stos..-re ..rco...encla pago.r paqo 200 1. .blicação de suas clemonst.r Pir u Lo l7 Imposto de renda pago: como Buffett sabe quem está dizendo a verdade nirrnero inlormado como ìucro operacionaL antes ctos inpostos. gerais e administrãtivas Pesqu¡sa e desenvolvimento Depreci¿ção Lucro operac¡onal 2. .275 225 1. uu'tu..".500 525 Lomo toclo conirihirintc. Às vezes.1.encla está senclo pago. nos Estaclos Uniclos. Ao longo clos anos.. impostos sobre :l :ì :t os impostos são registraclos na demonslraÇào alo a"arltualo'alo exercÍcio no item Imposto cle r..pr.nt. u"lrJu c¡urnto rlc imposro cle r.¡ol) ï*o .lo pngor. Se o valor não for muLLo próximo âo relatado pela companhia cûmo imposto cle rencta pago. Despesôs operacionâis Despesês de vendas. é mell-ror começar a clescon[iar.. Buffett aprendcu (Lr-lc ts utÌìprcsJs clue tentalï enganar a Receita ger¿llmente Lamllém le nlam eng¿lnar seLts acionistas.100 1 000 7A0 3.ln. corresponcle a aproximaclatnente 35% cla ..1 53 .rr..200 Despes¿ com juros Ganho (perda) com a vencla de ãtivos Outros j Luc¡o antes dos impostos lmposto de rend. O clue é interessante no lmposro cle rencla pago é que esse lançamento rellete o ve¡clacleiro lucro ao io.c.ru"nnr".ã" g.

ior que não começamos por aÍ? A primeira etapa na lista é saber se o lucro lÍquiclo está ou nâo mosL¡anclo uma tendência histórica de alta. aumentará o lucro por l:i Demonstração do resullâdo do exercício (em milhões de R$) Despesas oper¿cionais 2. ao passó que a que lem um lucro de US$ 5 bilhöes está lucrândo apenas 5olo sobre a receita total. O lançamento do Iu cro lÍqniclo cle um único ano não vale nada para Buffett. se pudesse escolher entre uma companhia que está lucrando US$ 2 bilhoes com uma receita toral cle US$ l0 bilhöes e uma que está lucrando US$ 5 bilhoes com uma receitâ total de US$ lO0 bilhoes. o Lucro líquido: o que Buffett está procurando Despesas de vendas.100 1. obtemos o Lucro lÍquido da empresa.. gerais e administrativas Pesquisa e desenvolvimento - lucro por açáo de uma empïesa. Mas note: por callsa de programas de recompra clc açöes. ele está intc¡erssaclo em saber se existe ou não consistência no lucro e . É nesse irem que verificamos quanto dinheiro ela ganhou depois de pagar o im- posto de renda. apesar de o lucro líquido real não ter aumentado Em casos 3. Entâo.t dois fatores que signlficam a "clurabilidacte" da vantagem competitiva. optaria pela primeira lsso porque a empresa com um lucro lÍquido de US$ 2 bilhoes está ltlcran'lo 20% sobre a receila total. por sua vez. o que.l .000 Depreciação 700 Lucro operâcional extremos. o progrâma de recompra de aÇÓes de uma organizaçao pode até Serar um âumento do lucro por ação. mas ele está procurando uma tendência de alta. o coeficiente do lucro ìi quiclo em relaçáo a ela pode nos revelar muito a respeito das con(liçóes econômicas de tal companhia em comparaçao com outrâs 55 .:: Depois qu" todas as despesas e os impostos são deduzidos cla receita.500 lmposto de renda pago Lucro líquido 525 975 .275 225 Lucro antes dos impostos + ação. Buffett analisa o lucro líquido dela para saber o que realmente está acontecendo O que ele aprendeu é que as empresas com uma vantagem competitiva durável apresentam uma porcentagem mais alta de Iucro 1íquido em relação à receita lotaì do que as concorrentes' Buffett afirmou que. Enrao. Existem alguns conceitos que Buffett aplica ao analisar esse número e que o a.:l' ll.: "o_pn_ nhia tem uma vantagem competitiva clurável ou nao.il .200 Despesa com luros Ganho (perda) com a venda de alivos Outros 1. Para o investìdo¡.udam a determinar aa u .\PiTULo l8 se a [enclência de longo prazo é alta percurso não precisa ser sem percalços. restringilá a quantidacle de açóes que estáo sendo usadas para dividir o lucro líquido cla empresa.. embora a receita to[al nos informe muito pouco acerca clas condiçÕes econômicas da empresa.c. è possÍvel que a tendênciâ histórica clo lucro lÍquiclo de umâ empresa seja diferen¡e da sua tendência histórica de lucro por ação Os programas de recompra de açoes aumentam o luc¡o por açâo reduzindo o número de ações em circulação Se uma companhia diminuir o número de ações em circulação. aincla que ela esteja sofrendo uma reduçao clo lucro líquiclo Embora a maior parte das análises financeiras se concen[re no 200 1..

clo clepartamento cle gestão de risco. no jogo clos emprésti_ mos. lucra apenas 3olo ¡r-.re Br-rffett procLlrâ é Llm qlradro cle lncro por aç¿ìo ao longo cle um períoclo cìe l0 anos clue clernonslle conslância e Llma tenclência cle alla. Por exem- plo: se ela tem um lucro líquiclo cle R$ l0 n'Lilhoes em urn ano e um milhão cie aqÕes em circulação. Ë t. Isso inclica as condiçòes econorniels ruins inrrcnlcs . pegamos o lucro líquido que eìa obteve e o clivi.ór5 . Embola o luclo ¡ror aÇào cle um Ítnico ano não possa ser nsacìo para iclentif icar r-rma cornpanhir com unraì vlnlrgcnr r:rrmpe tiLiva cÌnrável.95 R$ l. a General Molors.' "':' Ilrna empr. L. o que.. e a incrivel lvtoocly. cleixa Llma enorme zona cle inclefinição relativa c¿ue às organizâçÕes que hrcram entre l0o/o e 20olo cla receita total. pot c¡uaL cle olt_ laclo.o rápiclo :'r custa cle urn clesastre no longo prazo. os núrmeros na verdacle inclicam a acertacão cle um risco maior para a obtenção cle dinheiro lácil. sem nenhuma empresa tenha uma vantagem competitrva clurá_ vel. é bastante pto_ vável que o seu setor cle atltacão seja altamente competiLivo. o cle aviação. purr. esse mesmo nilmero ao longo cle r"rm períoclo cle 10 anos pocle nùs inclicar com bastante clareza se ela Lem uma vantagem compeliliva . Uma das exceÇoes a essa regra são os bancos e as insLituiçoes -financeiras. ação serJ cie R$ 10. normalrnente é Ltl11a receita para se ganhar clinhei. se uma conpanhla e stá constânlemenle apt. normalmente .l lucrcr por . nos quais um coeliciente mlrito alto cle lucto lÍquiclo em relação à receita total em geral signihca ciesleixo po.ìo e o lucro lÍc¡urdo cla empresa no ¡reríoclo em cLuestao clrvicliclo por cacla nma cle str¿rs ¿tçoes.o a Lucro por ação: como Buffett distingue vencedores de perdedores cla receita tolal.llmos peio nilmero cle âçóes em circulâÇão.esentanclo Iucros liqriidos inleriores a l0% cla receita total.06 rì$ r.nÀr"r.ves¡ Air-lines [tcra apenas cpre rellete a natureza alLarlente competiLiva clo setor no 7olo. se Ltlrra emplesa está ¿ìpresentanclo um histórico cle lncros ìÍquiclos superiores a 20% cla receita total.s lucra 3l%.rão é com clesas[r-es linar. lsso. cluanto mais uma companhla lucra por açÀo.ìù super_ r'ornpct it ivL) S( tor I U tomùhil tst i( ù Urna regra simples (e há exceeòes) é que. mesmo em um ólinìo auo _ quanclo não está perclencLo clinheiro _.ìÇ.1(/o cla as condiçoes econômtcas strperlativas clos seus mercaclos. o seu lucro por-.(.lurávcl a seu favor. Pâra clete[min¿ìr o [Llcro por ação cle uma empresa. uma área que está repleta cle empresas qne poclem ser óttmos investimentos de longo p¡azo e qlte ninguém aincla garimpou. o clue reflete : c. 51 . at.95 R$ Z. Da mesma maneira.rcciros c¡ue nos tornamos ricos. Esse é rÌìn nirmero rnìportante no munclo dos investimentos porciLle. há boas chances cle ela estar se l¡eneficianclo cle algurn tipo cle vantagem competitiva de lor. Algo rnais oLr menos ¿ìsslm: 2008 2007 2006 2005 2004 2003 2002 rì$ 2. mais a[Lâ é a cotâeãû alas suas âÇöes.-. Mas ttrna companhia como a Southr.37 Iì1.68 tì$ 2. O qr. é claro.17 R$ 2.t' .elação às concorrentes clo mesmo selor.esa fantástica como a Coca_Cola tem um luc¡o cle lcceita toral.rgo plazo.2.\PiTULO 19 2. nenhumâ empresa tem uma vantagem competitiva Ìongo plazo em t. Embora pareÇam or.

e as clesvairadas variaçóes na cotaÇão das açóes. 2000 R$ 1. O excesso de otèrta provoca a queda dos preços. ':ì:.53 1998 R$ 5. como a recompra cle âçöes.42 lsso mostra a Buffeft que a empresa constantemente tem lu_ cros com uma tendência de aha no longo prazo _ um excelente srnal de que a companhia em questão tem algum tipo cle van_ lagem compelitiva de longo prazo a seu favor. ::a¡.05) prejuízo R$ 6. Lucros cons_ tantes geralmente são um sinal de que ela está vendenclo um produto ou um mix de produtos que não precisa passar pelo dispendioso processo cle mudança.'.89 R$ (6.30 1S98 R$ Esse quadro demonstra uma tendência cle baixa.39 2000 R$ 6.60 2001 Rx. causadas pelos lucros erráticos cla empresa.77 R$ (0. Mas o que eles realmente estão comprândo é uma longa e lenla vragem cle barco que não r.50 59 . ou então que ela use lerramenlas de engenharia financeira.48 I999 R$ 1.24 r ilì R$ 2. o que aut-nenta os custos e acaba geranclo um excesso de oferla no selor. A tendência d.35 2001 R$ 1. criam a ilusão cle oportunidacles cle compra para os investidores em valor tradicionais. o que informa a Buffett que essa empresa está em L1m setor âltâmenle competÍivo sujeito a grandes expansóes e retraçóes. pontuada por c¡ueclas. t. o que significa que a empresa perde dinheiro até o surgimento de um novo perÍoclo de expansao. As empresas clas quais Buffett mantém distância têm um quaclro rle lucros erretico mais ou menos asslm: 2008 2007 2006 2005 2004 2003 R$ 5. Existem milhales de companhias assim. chegará a lugar algum.e alta nos Ìu_ cros significa que as condrçÕes econômicas cla companhia são suficlentemente boas para petmitir que ela faça as clespesas necessárias a fim de aumentar sua participação de mercaclo por meio de publicidade ou de expansão..45) prejuÍzo R$ 3. quando a clemanda é grande. a companhia aumenla sllâ produção para sâtisfâze-la.03 2002 R$ 3. As expansoes aparecem quando a clemanda é maìor clo que a oferta.68 999 R$ 8.

" \MA Rììì:N BìiriFr.o BALANÇO PATRIMONTAL "Uma it'Ltelesý:LnLe - clas coisas rpte vocè t n(L quúl irít descobrir - d-s p¿. MinluL experiêttcia me mostroLL que estes sclo os ¿lois principt:Lis elos tt'Lctis Jrctcos: bebitlct e alwctncagem e tlc:cu'tcctgenr signLJicct dinhr:iro emp rtstctdo.sod. f ::la' l - .s.s nûo ptns cpLe é n 0 su|icicnLc corn ct maioriu rias emprtsas e dos utdivíduos qre ct rticla tc:ncla u atucú-Io em sett elo e mctis froco.

não a u1n ano ou um trimestre. se ela rem US$ 100 mil de artvo e US$ Ì75 mil cle passivo. incluinclo Conlas a pagar. o seu patrimônio líquiclo é cte US$ 75 mil.pense em dinheiro e proptiedacles .o 20 O passivo exigÍvel a longo prazo é o que vencerá dali a mais de urn ano e inclui dinheiro devido a fornecedo¡es que venderam O balanço patrimonial ctn gcratl bens. Buffet¡.e quanto ela cleve a lornececlores. Considere-o um instantâneo da fim da carrilha do balanço parrimonial. se pegârmos toclo o ativo e subtrairmos clele o passivo. O departan'rento contábil de uma empresâ gera esse balanço no lim de cada trimestre liscal. Para isso. Ao contrárto das clemons[raÇoes cle resttltaclo. está procurando algumas coisas especÍficas em cada categoria de ativo e passivo. O primeiro significa o clinhelro c¡tle é cleviclo no Despesas pro¡lr lzo cle eìlé Lrm ano. o passivo. Um balanço patrimonial é cliviclido em cluas partes: a primeira compreende toclos os âLivos. enconlramos duas calegorias clilelentes: Passivo circulante e Passivo exigÍvel a longo prazo (ou nào ciLcLrìante). Contas a receber. empréstimos bancários e debêntures.rli1Ur. ^tivo A segunda patte do balanço patrimonial compreende o passi- vo e o pâtrimônio líquido. vamos ver como Buflètr a apÌica a tocìas as suas subcaregorias para identificar uma empresa com uma vantagem competitiva durável em condìçáo financeira cla companhia na clata especí[ìca em c¡ue ele relaçao às suas concorrentes. Ativo - P¡ssivo = P¡tlrnìoûLo LtqLÌido Esse é o foi geraclo. Então.a clo ano. por exemplo: se uma empresa tem US$ 100 mil de âtivo e US$ 25 mil de pass! vo. em sua busca por empresas com uma vantagem com- ). Estoqnes e imobilizaclo. ¡rlbutos dilericlos. r\gora. bancos e debenturistas. e existem mllitos tipos cliferentes lncluem-se Câixa. os balanços pa¡rimoniais se relerem apenas a cleterminada clata.r:. Podemos gerar um balanço patrimonial para qualquer dj. visionrcl¿rs. Mas. lJ-a clas primelras mediclas que Buffett aclota cluaucto estit ten[anclo descobrir se uma empresa tem ou não uma vântagem competìtiva clurável é ver cÌuanto ela possui em ativos . lnveslimentos. obteremos o patrimônio hc¡uido cla companhia. Divicla cle curto prazo e Dívida de longo prazo a Sob vcn(:c ) I 63 . ele examina sett balanço I I i a ¡ petitiva durável. patrimonral. que examinaremos um pouco mais adiante. o seu patrimônio líquiclo negativo é de US$ 75 mil. mas ele será relativo só àquela clata espectfrca.

vðÌor iquido lnvestimentos de longo pturzo 7.220 Contâs a receber 3.260 Dívid¿ cle longo pf.054 43.271 Balanço patrimon¡al/At¡vo (em mìlhóes de R$) 1.o clinheiro. O Ativo circulante é constituÍdo por "caixa".rzo ¡ vcncer 5 919 Despesôs pa9ãs antecipadamente Demais at¡/os circLl antes Atlvo circulânte total Ativo imobiIz¿ìdo Fundo de comércio.493 valor iquido 4. total Açoes preferencjãls LLrcro cuÍto pr¿zo Ëstoque total - orclinárias toìâl totale pãtrimônio líquido .-F l btns cla cmprcsa .380 p¿U¡r caix¿ e ìnvestlmentos de cu¡to pÍazo 4. os profissionais cla contabrliclade diviclilam há muito lempo o Ativo empresarial em clois grupos oclos os clistrntos: Ativo circulanle e Ativo não circulante.317 Dívid¿ cle curlo pr¿zo 2.463 0 31. "contas a receber".235 -23.704 Cont¡s Estoque tota 2.374 36.67 5 Pâssivo nåo c rcu t3.005 8.246 Ativos intangiveÌs. Iìecebe o nome cle ativcr circul¿ìnte porque tais a[ivos estâo imecltatamente clisponíveis. No baLanço patrimonial.005 Passivo crrcul¿ntc total B 493 Divicla dè longo prazo 4. 43 059 0 12. Passivo 2. 65 .220 Despes¡s provr5r(xrô(l¡5 5.225 3.ris ativos Atlvo não circulante Ativo total 7 .300 21 0 Passivo total .296 Ativo lmobi zãdo 1.171 Demais ¿tivos de longo prazo 2 615 Dem.315 21. "investimen[os cle curto prazo". valor liqL¡ìdo 7. valor Iíquido 12.são reglstraclos no balanço patrimonial sob o cabeqalho Ätivo.1 33 ilnte total 8.f cÂPirrir-o Balanço patrimon¡äl (em mìlhoes de 2l R$) Ativo Ativo Passivo ¡ r.534 Fundo de comércio.054 43 059 Pãtrimônio l¡qu¡do 1 Reserva de capital (emissão de açóes) acumulado Açóes em tesourari.863 Pãftlcipaçáo mìnoritári¿ lnvestimentos de longo Prazo Demâìs êtivos de longo prazo 1. "estoqtre" e um funclo geral chamaclo cìe "clemars ativos circlllantes".204 Demãis âtivos circulêntes.260 Ativo clrculante 0 Açóes ordLnárias PatrLmôn o ltqLrido 4.535 Contas a receber 3. o âtivo imobilizaclo. ¿1s pâlentes e [ucio o qlre constitui liqueza .890 0 Câ xa e invesiimentos cJe 3.317 Despesas pagas ¿ntecipadâmente 2.059 .246 lmposto de renda diferido At vos intangiveis.525 31.177 Dem¿is pâsslvos Deflìais ativos Ativo náo circulãnte total Atlvo total 133 2Sa 0 Dem¿is passrvos circul¡ntos 2.

264 :l Demais ativos circulantes Ativo cìrcu ântÊ t.005 jvo circut:rntc tambem ú conhecido cotno "ativo cle giro" cla einpÌesa porque Ìaz parte clo ciclo clo caixa que compta estoque.1l mentos cle Longo Prazo. quanclo pagas pelos lornecectores.rculantes. eles eslão listaclos em uma c¿ìlegoriâ separada logo abarxo clo Ativo circulante.rt. Tais atìvos esL¿ìo listaclos no balanço patrimonial por ordem cle liquidez (orr scja. o qr"re signilica qlre náo serão. As contas a recel¡er. LJ at em seguida. Ativo imobilizado. O clue elìe tcm cle importante é a suâ disponibiliclade para ser trânslormaclo em ciinhei¡o e gasto caso as condiçoes econÒmlcas cla empresa colìlecem a se dete¡iorar e outras fontes cle capital de giro coticlieno corrlecem a evaporar. voltam a se totnar caixa. (Se você näo consegue imaginar fontes cle capital de giro evaporancio do dia para a noite.I ! cepfrulo 22 poclem ou serão convertidos em clinhciro cnì Llìn PerÍoalo muito curto (em até um ano). eles informam a Buffetl muitas coisas acerca clo caráter econômico de uma companhla e se eìa possui ou não â cobiçada vantâgem compelitivâ durável que o tofnará riquíssimo 2. esses dois grupos cle alivos constituem o ativo total. lndividual e coletivamente. convertidos em clinheiro no ano seguinte. Nessa categoria.: : t-l ''t -r Caixa e investimentos de curto prazo -r Estoque totâl + Contâs a receber 4. Os diferentes elementos do ciclo clo ativo circulante poclem revelar muilas coisas a Bulfelt acerc¿r cla natureza econômica cÌa empresa e se ela lem ou não uma vantagem competitiva clurável no me¡cado rfl 67 . o estoque é vendido a fornecedores e se [orna contas a receber. enlram os lnvesti- !.220 3 311 0 12. Funcìo cle comércro' Ativos Intangivcir e Dcm:ìis Aliv(ìç Em conjunto. a lapiclcz com que podem ser lransformados em dinheiro). pense no Beat Stearns.) Toclos os outros ativos são os náo cj. Ciclo do ativo circulante: como se ganha dinheiro 1 : 1 Ealanço patr¡monial/Ativo (em mrlhoes de R$) . pûr meio de sua natureza e quantidacle. e c asslm que uma companhia ganha dinheiro. ou não pocleráo ser.204 Despesas pà!lâs antecipadamente 2. Esse ciclo se repete conlinuîmcnle. Caixa -+ Estoque -+ ConLas a receber ) Caixa.

Balanço patrimon¡al/Ativo (em mfhões de R$) ) Estoque tolâ 4. ção patrimonial ao pÍrblico. a companhia precisa decictir o c¡ue fazer com ele.ris dinheiro do que gasta. Nunca estamos financeiramente preparados em nosso mundo sempre rrutável e desafiaclor.260 Caixa e ìnvestimentos de curto prazo oemãis ativos circulantes Ativo circLrlante total 0 12. recompram t_f suas ações oLì pagam c[iviclendos aos actonistas. compram inlegralmente novas empresas. Tradicionalmenle. x companhir lem unl negócio cm cut-so que gerr m. se não for gasto coln custos operaciorLais. o que gera uma grancle quantidâde cle caixâ antes de ele ser colocaclo em uso. letras de três meses clo Tesouro ou outros ativos com grancle liquidez. elas simplesmenre guardam o excedente para clias dilÍceis.311 Despesas pagas antecip¿d¿ì¡¡ente 2. com muira LJ ma das primeims coisas que Buffett faz é analisa¡ o âlivo para ver de quanto caixâ e inves[imentos cle curto prazo uma elnpresa clispöe: certilicados de depóslros bancários. o que é uma boa coisa. Pode vencler novos tÍtulos ou participa- fett duas coisas: c¡ue uma companhia tem uma vantagem competitiva e está gerando montes de drnheiro. o alivo disponÍvel começa a se acumular e isso cria um problema de investimento: o qtre fazer com o excealente? eue Caixa e investimentos de curto prazo: a recompensa cle Buffett . As empresas tracliclonalmente guarclam muilo ativo cìisponivel para respaldar suâs operaçóes. Uma quân- um negócio extstente ou outros ativos de sua propriedade.rpilu ro 23 gastancto. fazenclo com que a mÍope Wall Street 69 . vamos analisar com um pouco mâis cle profundiclacìe o ativo disponÍvel. Mas. elas usam o exceclente cle caixa para expanclir suas operaÇoes. o que vocé quer ter? Um certilicado cle clepósito bancário cLue está rendendo 7% sobre o capital investiclc¡ oll LÌm âpartamento que lará o seu inveslimento lencler l2olo? Você escolhe o apar[amento.T c. Uma cifra alta em caixa e investimen[os de curto prazo poclem informar a Buf- frequência. O mes- mo acontece com Lrma empresa. Ltm problerna cle curto ptazo. invesLem parcralmente na Bolsa de Valo¡es. é melhor empregar o aLrvo clisponÍvel em operaçóes comerciais ou inveslimentos qlte geÌam uma taxa de reto¡no mais alta.204 2. comeÇa â se acumula¡. Enqlrânto se acumtrla. se es[amos ganhanclo mais clo que estamos (fì clinheiro gerada que realmente chama a atenção de Bulfet¡. o que pode não ser uma boa nolícia. Ao analisar uma companhia que esteja passanclo poì. r'nlíio.005 problema interessante! Corno o clinherro recebe uma taxa llaixâ cte remuneraçao em uma contâ bancária ou em um certilicaclo de depósito. Uma empresa tem basicamente três maneiras de gerar uma montanha de ctinheiro. Ou. Consiclere-o um enorme talão cle cheqr-res. O clinheiro var en[rando e. Uma empresa que tem um excedente de caixa por causa de um negócio em anclamento muiLas vezes tem algum tipo cle vantagem competitiva durável a seu [ãvor. Também pode vencler ou que essa empresa acabou cle vender um negÓcio ou umâ tonelacla cle títulos.220 Contâs a receber 3. É essa l-rìpótese cle uma montanha de tidade baixa ou a ausencia cle ativo clisponÍvei em geral significa c¡ue ela tem condiçöes econÔmicas ruins ou meclíocres Para des- cobrir qual das duas opÇoes é a válicla. Mas. I 1: tl .

ou nenhuma.260 Demals ôtivos circuÌantes Alivo circulante total 0 12 005 -. procure um es[oque e ì-ìm lucro liquido ([ue estão cons[an[emente em aumento. Se virmos um monte de dividas. há o risco de o estoque se torna¡ ob. Um teste simples para verificar exatamente o que está gerânclo tocìo o ativo disponÍvel é lazer a análise dos balanços patrimoniais clos (ìltimos sete anos. r Caixa e investimenlos de curto prazo Êstoque total 4. lsso revelará se o ativo clisponível acumttlado fot criaclo por um evenlo único . provavelmenle estatemos diante de uma companhìa excelente com a vantagem competitivâ clurável que Buffett está procuranclo . Mas. Essa é uma vânlagem que Buffetr cluer ver. nas rndústrias. a quantidade encontracla no balanço patrimonial é o valor do estoque da empresa nâquela datâ. E clar as cartas é tão bom quanto dizem ní1o.recluza a cotaÇão clas sllas açöes. é bem provável clue a companhia consiga superar os tempos clifíceis' Mas. e nenhttma venda cle aÇóes ou ativos.]'.tal como a venda cle novos tÍtulos ou açÕes. prûvavelmente nào estârelflos lidando com uma empresa excepcional Mas.311 Despesas p¿gas antecipadamente 2. tlivida. pouca ou nenhuma clívicla. e além disso notarmos também um histórico cle Lucro constante. portanto.I1 navio que está afunclanclo e c¡tìe nem mesmo o mais habllicloso gestor poderá salvar. Buffett exarnina o ativo disponível ou os valores mobiliários negociáveis acumulados para saber se a empresa terá fôlego fìnanceiro Prrr sllpcrllr Estoque: o que a empresa precisa compfar e vender ¡ crise na qual se meleu.oqu" é fo¡maclo pelos procluLos cla empresa que estão armazenados para se¡em vendidos aos seus clienles. se está precisanclo muito cle dinheiro e se percebe sentacìa sobre uma pilha cle dÍvidas. as empresas fabris com uma vantagem competitiva durável ¡êm urn pon[o a selt [a_ vor. çc nos o tivermoq e no>S:ls con(olrÈntes nós é que vamos cia¡ as câl tas. e também pelos proclutos em fase de labricação e pela matéria-prima. oll a venda cle um aLivo ou c1e um ott se foi gerado por operaçÕes comerciais em curso. pois os produtos que elas vendem nunca muclam e. como cliscutimos pteviamente. lsso inclica que ela eslá cncontrando maneiras tenláveis cle aumenta¡ as venclas. eis a regra: se virmos muito alivo clisponÍvel e valores mobiliários negociáveis e pouca.o tipo de organização que nos tornará ricos no longo prazo negócio existente cÀPiruLo 24 . Então.204 Contas a feceber 3. nunca se tornam obsole¡os. portanto. Em muitas companhias. Como um balanço parrimonial se refere sempre a um clia especÍlico. soleto. e esse 70 7l . i Balanço patr¡mon¡al/At¡vo (em milhôes de R$) . a organizaÇão provavelmente é ul. O Er. Ao tentar identificar uma companhia fabril com Ltmâ vântagem competitiva durável. Parâ não esquecermos: ativo clisponíveì é essenciâl em tempos tliliceis. se vÌrmos um monle cle arivos clisponÍveis se acumulanclo.

clão origern a Contas a receber. No entanto. uma quanticlacle estimacla cle clÍvidas rncobráveis é deduzida clas Contas a receber. Contas a receber. murto provavelmente läzem parlc cie um seto¡ alta- . Empresas fabris cotn estoques que âumcnLânì r:apiclamente i clurante alguns anos e que. saldo líquido: dinheiro devido à empresa : l: ninguém Balan(o patrimonial/Ativo (enì milhóes de R$) :: Caixa e rnvestimenlos de curto pr¿zo Estoque total ì Contas a receber Despesas pagas ãntecipaclamcnte Demais ativos circLilantes Ativo c rcL¡l¿nte L/uando rìmt totâl ernpres¿r vcndc seus proclutos. lsso aca¡retará um âumento nas vendas e nas contas a receber. com ¿ì ùrcstì1¿ì rapÌclez. clepois.204 2. ìsso é 4.220 3 317 2. csse valor nos revela rnuito sobre as vár-.260 0 12. Como cerla porcentagem cle compraclores aos c¡uais loram vencliclos bens nâo eletuará o pagamento.005 leito com base em um pagamento à vlsta ou coln prâzo cie 30 dias ou mais após o recebimento ctos bens por parte do comprador. são recluzidos. Em setores muiLo competitìvos. no qual a entracla cle carxa é posrergada. algumas companhias tentarào ganhar vantagem oferecendo me[rores concliçoes cle pagamento - cm vez cle 30 dias.I cÀPfTULo 25 aumenlo exigiu um alunen[o clo estocluc pîra que ela puclesse satisfazer seus pecliclos em lempo. t) 73 . As venclas nessa espécie cle Limbo. e essâ provisão é abatida do lucro. Trata-se de clinheiro clevido à em- presa. menle competi[ivo sLÙeito a expansÓes e reltaçoes. elas poclem oferecer aos compradores l20 clias.las empresas do mesmo setor. O Conlas a receber por si só nos informa muito pouco sobre î ","doc_promotions_enabled":false,"static_promo_banner_cta_url":""},"eligible_for_exclusive_trial_roadblock":false,"eligible_for_seo_roadblock":false,"exclusive_free_trial_roadblock_props_path":"/doc-page/exclusive-free-trial-props/335586721","flashes":[],"footer_props":{"urls":{"about":"/about","press":"/press","blog":"http://literally.scribd.com/","careers":"/careers","contact":"/contact","plans_landing":"/subscribe","referrals":"/referrals?source=footer","giftcards":"/giftcards","faq":"/faq","accessibility":"/accessibility-policy","faq_paths":{"accounts":"https://support.scribd.com/hc/sections/202246346","announcements":"https://support.scribd.com/hc/sections/202246066","copyright":"https://support.scribd.com/hc/sections/202246086","downloading":"https://support.scribd.com/hc/articles/210135046","publishing":"https://support.scribd.com/hc/sections/202246366","reading":"https://support.scribd.com/hc/sections/202246406","selling":"https://support.scribd.com/hc/sections/202246326","store":"https://support.scribd.com/hc/sections/202246306","status":"https://support.scribd.com/hc/en-us/articles/360001202872","terms":"https://support.scribd.com/hc/sections/202246126","writing":"https://support.scribd.com/hc/sections/202246366","adchoices":"https://support.scribd.com/hc/articles/210129366","paid_features":"https://support.scribd.com/hc/sections/202246306","failed_uploads":"https://support.scribd.com/hc/en-us/articles/210134586-Troubleshooting-uploads-and-conversions","copyright_infringement":"https://support.scribd.com/hc/en-us/articles/210128946-DMCA-copyright-infringement-takedown-notification-policy","end_user_license":"https://support.scribd.com/hc/en-us/articles/210129486","terms_of_use":"https://support.scribd.com/hc/en-us/articles/210129326-General-Terms-of-Use"},"publishers":"/publishers","static_terms":"/terms","static_privacy":"/privacy","copyright":"/copyright","ios_app":"https://itunes.apple.com/us/app/scribd-worlds-largest-online/id542557212?mt=8&uo=4&at=11lGEE","android_app":"https://play.google.com/store/apps/details?id=com.scribd.app.reader0&hl=en","books":"/books","sitemap":"/directory"}},"global_nav_props":{"header_props":{"logo_src":"/images/landing/home2_landing/scribd_logo_horiz_small.svg","root_url":"https://www.scribd.com/","search_term":"","small_logo_src":"/images/logos/scribd_s_logo.png","uploads_url":"/upload-document","search_props":{"redirect_to_app":true,"search_url":"/search","query":"","search_page":false}},"user_menu_props":null,"sidebar_props":{"urls":{"bestsellers":"https://www.scribd.com/bestsellers","home":"https://www.scribd.com/","saved":"/saved","subscribe":"/archive/pmp_checkout?doc=335586721&metadata=%7B%22context%22%3A%22pmp%22%2C%22action%22%3A%22start_trial%22%2C%22logged_in%22%3Afalse%2C%22platform%22%3A%22web%22%7D","top_charts":"/bestsellers","upload":"https://www.scribd.com/upload-document"},"categories":{"book":{"icon":"icon-ic_book","icon_filled":"icon-ic_book_fill","url":"https://www.scribd.com/books","name":"Books","type":"book"},"news":{"icon":"icon-ic_articles","icon_filled":"icon-ic_articles_fill","url":"https://www.scribd.com/news","name":"News","type":"news"},"audiobook":{"icon":"icon-ic_audiobook","icon_filled":"icon-ic_audiobook_fill","url":"https://www.scribd.com/audiobooks","name":"Audiobooks","type":"audiobook"},"magazine":{"icon":"icon-ic_magazine","icon_filled":"icon-ic_magazine_fill","url":"https://www.scribd.com/magazines","name":"Magazines","type":"magazine"},"document":{"icon":"icon-ic_document","icon_filled":"icon-ic_document_fill","url":"https://www.scribd.com/docs","name":"Documents","type":"document"},"sheet_music":{"icon":"icon-ic_songbook","icon_filled":"icon-ic_songbook_fill","url":"https://www.scribd.com/sheetmusic","name":"Sheet Music","type":"sheet_music"}},"categories_array":["mixed","book","audiobook","magazine","news","document","sheet_music"],"selected_content_type":"mixed","username":"","search_overlay_props":{"search_input_props":{"focused":false,"keep_suggestions_on_blur":false}}}},"recommenders":{"related_titles_recommender":{"ids":[34020640,83112087,387879623,96737226,230800067,73596848,384209252,266524327,341441565,133147947,57394860,78442121,49388520,235171863,34020306,362581117,94014482,254976796,284461205,203940055,172524600,246233820,94974328,234871190,93495100,334301359,72900886,58257090,272763310,274559154,329572222,379117067,379117121,355080057,355080043,335586671,329572193,259499515,291561454,259499597,40914927,329572119],"title_link":null,"title":null,"track_opts":{"compilation_id":"HxJn6zSMLd5b0Tpup6wk3wOhfkQ=","module_id":"cBp/RdlatVSED+DSB0HEbWlphfA=","widget_name":"right sidebar","track_id":"flattened_recommender"}},"footer_recommenders":{"recommenders":[{"ids":[34020640,83112087,387879623,96737226,230800067,73596848,384209252,266524327,341441565,133147947,57394860,78442121,49388520,235171863,34020306,362581117,94014482,254976796,284461205,203940055,172524600,246233820,94974328,234871190,93495100,334301359,72900886,58257090,272763310,274559154],"title_link":null,"title":"Documents Similar To Warren Buffett e a Análise de Balanços","track_opts":{"compilation_id":"HxJn6zSMLd5b0Tpup6wk3wOhfkQ=","module_id":"trcxLRdeOi5VW5008Q73g6Cl2S0=","widget_name":"document_carousel"}},{"ids":[329572222,379117067,379117121,355080057,355080043,335586671,329572193,259499515,291561454,259499597,40914927,329572119],"title_link":null,"title":"More From Germano Leão","track_opts":{"compilation_id":"HxJn6zSMLd5b0Tpup6wk3wOhfkQ=","module_id":"4Cz6M46+kBa4cf/DPjHi1D8SeNk=","widget_name":"document_carousel"}}]},"seo_new_docs_recommenders":{"recommenders":[]},"documents":{"34020306":{"type":"document","id":34020306,"thumb_url":"https://imgv2-1-f.scribdassets.com/img/document/34020306/108x144/841af5d467/1278508529?v=1","retina_thumb_url":"https://imgv2-1-f.scribdassets.com/img/document/34020306/216x288/2f7d24f120/1278508529?v=1","title":"Release Romi 2T09","short_title":"Release Romi 2T09","author":"ValorRI","tracking":{"object_type":"document","object_id":34020306,"track":"flattened_recommender","doc_uuid":"E2Dz0jgfm7RxbpRPNkvyNe/8MvQ="},"url":"https://www.scribd.com/document/34020306/Release-Romi-2T09"},"34020640":{"type":"document","id":34020640,"thumb_url":"https://imgv2-1-f.scribdassets.com/img/document/34020640/108x144/a5c29a8c84/1381933497?v=1","retina_thumb_url":"https://imgv2-1-f.scribdassets.com/img/document/34020640/216x288/db6a141c2e/1381933497?v=1","title":"Release Romi 4T08","short_title":"Release Romi 4T08","author":"ValorRI","tracking":{"object_type":"document","object_id":34020640,"track":"flattened_recommender","doc_uuid":"MBT/pOxJpKYkfpfbiIB0HimT2kw="},"url":"https://www.scribd.com/document/34020640/Release-Romi-4T08"},"40914927":{"type":"document","id":40914927,"thumb_url":"https://imgv2-1-f.scribdassets.com/img/document/40914927/108x144/d338e446d0/1288823166?v=1","retina_thumb_url":"https://imgv2-2-f.scribdassets.com/img/document/40914927/216x288/a673731be8/1288823166?v=1","title":"CONCLUSO","short_title":"CONCLUSO","author":"Germano Leão","tracking":{"object_type":"document","object_id":40914927,"track":"flattened_recommender","doc_uuid":"g7HLQCYewEpW1eToSe8lSUgd1MU="},"url":"https://www.scribd.com/doc/40914927/CONCLUSO"},"49388520":{"type":"document","id":49388520,"thumb_url":"https://imgv2-2-f.scribdassets.com/img/document/49388520/108x144/3c09a64e50/1298467256?v=1","retina_thumb_url":"https://imgv2-2-f.scribdassets.com/img/document/49388520/216x288/fea4106481/1298467256?v=1","title":"seth_klarman_dor_da_liquidez","short_title":"seth_klarman_dor_da_liquidez","author":"wagnix","tracking":{"object_type":"document","object_id":49388520,"track":"flattened_recommender","doc_uuid":"2gcgvMU6lHfDEM10dbag0sFIKA0="},"url":"https://www.scribd.com/document/49388520/seth-klarman-dor-da-liquidez"},"57394860":{"type":"document","id":57394860,"thumb_url":"https://imgv2-1-f.scribdassets.com/img/document/57394860/108x144/b7b6ff9d8d/1392796336?v=1","retina_thumb_url":"https://imgv2-2-f.scribdassets.com/img/document/57394860/216x288/e009e28928/1392796336?v=1","title":"Contabilidade Geral - Empresa Max S.A","short_title":"Contabilidade Geral - Empresa Max S.A","author":"Romoaldo Silva","tracking":{"object_type":"document","object_id":57394860,"track":"flattened_recommender","doc_uuid":"VqYlOKJNGvZn4ft681hjeobq7D8="},"url":"https://www.scribd.com/document/57394860/Contabilidade-Geral-Empresa-Max-S-A"},"58257090":{"type":"document","id":58257090,"thumb_url":"https://imgv2-1-f.scribdassets.com/img/document/58257090/108x144/4e3c60ef67/1356455206?v=1","retina_thumb_url":"https://imgv2-1-f.scribdassets.com/img/document/58257090/216x288/2b91d27bea/1356455206?v=1","title":"MEP Breves Considerações","short_title":"MEP Breves Considerações","author":"Cesar Abecia Potestino","tracking":{"object_type":"document","object_id":58257090,"track":"flattened_recommender","doc_uuid":"b48X7+EyxUwBlR0bQfHIq+nOFJ4="},"url":"https://www.scribd.com/document/58257090/MEP-Breves-Consideracoes"},"72900886":{"type":"document","id":72900886,"thumb_url":"https://imgv2-1-f.scribdassets.com/img/document/72900886/108x144/ec7f157892/1410741127?v=1","retina_thumb_url":"https://imgv2-1-f.scribdassets.com/img/document/72900886/216x288/ce605c74a6/1410741127?v=1","title":"Nota 08","short_title":"Nota 08","author":"Rudy Fernandes","tracking":{"object_type":"document","object_id":72900886,"track":"flattened_recommender","doc_uuid":"sjqKPHaT095/mg2Eun4lkh8UMeo="},"url":"https://www.scribd.com/presentation/72900886/Nota-08"},"73596848":{"type":"document","id":73596848,"thumb_url":"https://imgv2-1-f.scribdassets.com/img/document/73596848/108x144/878dfd6331/1322074710?v=1","retina_thumb_url":"https://imgv2-1-f.scribdassets.com/img/document/73596848/216x288/47370810c2/1322074710?v=1","title":"04_priorccapflucai","short_title":"04_priorccapflucai","author":"Natalia Garrido","tracking":{"object_type":"document","object_id":73596848,"track":"flattened_recommender","doc_uuid":"KExxUKUhqrZWNaX6eUHJfytlzzg="},"url":"https://www.scribd.com/document/73596848/04-priorccapflucai"},"78442121":{"type":"document","id":78442121,"thumb_url":"https://imgv2-2-f.scribdassets.com/img/document/78442121/108x144/2ef4a3ffb7/1326742876?v=1","retina_thumb_url":"https://imgv2-1-f.scribdassets.com/img/document/78442121/216x288/fe17d584c3/1326742876?v=1","title":"Estudo Viabilidade Economica e Financeira","short_title":"Estudo Viabilidade Economica e Financeira","author":"samirpear3","tracking":{"object_type":"document","object_id":78442121,"track":"flattened_recommender","doc_uuid":"qJp6oNuR1EGDclc5zPDZFRRUOG0="},"url":"https://www.scribd.com/doc/78442121/Estudo-Viabilidade-Economica-e-Financeira"},"83112087":{"type":"document","id":83112087,"thumb_url":"https://imgv2-1-f.scribdassets.com/img/document/83112087/108x144/e9524c353d/1359999210?v=1","retina_thumb_url":"https://imgv2-1-f.scribdassets.com/img/document/83112087/216x288/1f59fb17a8/1359999210?v=1","title":"DFP230","short_title":"DFP230","author":"b21t3ch","tracking":{"object_type":"document","object_id":83112087,"track":"flattened_recommender","doc_uuid":"UtsnSbuBAeXZUH9KiclG2jzRmj0="},"url":"https://www.scribd.com/document/83112087/DFP230"},"93495100":{"type":"document","id":93495100,"thumb_url":"https://imgv2-1-f.scribdassets.com/img/document/93495100/108x144/23adb9feb4/1440184526?v=1","retina_thumb_url":"https://imgv2-2-f.scribdassets.com/img/document/93495100/216x288/5708941c04/1440184526?v=1","title":"Economia Industrial","short_title":"Economia Industrial","author":"Yasmin Almeida","tracking":{"object_type":"document","object_id":93495100,"track":"flattened_recommender","doc_uuid":"amrg6Bt25GihEQObt73bZp1UMfg="},"url":"https://www.scribd.com/presentation/93495100/Economia-Industrial"},"94014482":{"type":"document","id":94014482,"thumb_url":"https://imgv2-2-f.scribdassets.com/img/document/94014482/108x144/656a2d6beb/1358282774?v=1","retina_thumb_url":"https://imgv2-2-f.scribdassets.com/img/document/94014482/216x288/461f92eed0/1358282774?v=1","title":"Como investir em ações","short_title":"Como investir em ações","author":"Pedro Henrique","tracking":{"object_type":"document","object_id":94014482,"track":"flattened_recommender","doc_uuid":"mVqSvJKCSMq/28HjnZk7HU1fCmM="},"url":"https://www.scribd.com/document/94014482/Como-investir-em-acoes"},"94974328":{"type":"document","id":94974328,"thumb_url":"https://imgv2-2-f.scribdassets.com/img/document/94974328/108x144/d481398035/1386366229?v=1","retina_thumb_url":"https://imgv2-2-f.scribdassets.com/img/document/94974328/216x288/7fe33b0860/1386366229?v=1","title":"Capitalismo Clássico e Moderno","short_title":"Capitalismo Clássico e Moderno","author":"Ines Monteiro","tracking":{"object_type":"document","object_id":94974328,"track":"flattened_recommender","doc_uuid":"HxVZOLp7RgqR44tin+uKcCkxMAM="},"url":"https://www.scribd.com/document/94974328/Capitalismo-Classico-e-Moderno"},"96737226":{"type":"document","id":96737226,"thumb_url":"https://imgv2-1-f.scribdassets.com/img/document/96737226/108x144/0d8e10fc83/1339442075?v=1","retina_thumb_url":"https://imgv2-1-f.scribdassets.com/img/document/96737226/216x288/b9e35abc91/1339442075?v=1","title":"Resumo - Cap. 6 Dicken.doc","short_title":"Resumo - Cap. 6 Dicken.doc","author":"Leticia Caltran","tracking":{"object_type":"document","object_id":96737226,"track":"flattened_recommender","doc_uuid":"s+A+A4EFu1iQCsfOhFs61m5EgWo="},"url":"https://www.scribd.com/document/96737226/Resumo-Cap-6-Dicken-doc"},"133147947":{"type":"document","id":133147947,"thumb_url":"https://imgv2-2-f.scribdassets.com/img/document/133147947/108x144/447ae4e997/1364668189?v=1","retina_thumb_url":"https://imgv2-1-f.scribdassets.com/img/document/133147947/216x288/89b33f8c7f/1364668189?v=1","title":"Demonstracao de Resultado","short_title":"Demonstracao de Resultado","author":"Eva Fapar","tracking":{"object_type":"document","object_id":133147947,"track":"flattened_recommender","doc_uuid":"owvxmxACfpVDiFjFmqNeWsXl70I="},"url":"https://www.scribd.com/document/133147947/Demonstracao-de-Resultado"},"172524600":{"type":"document","id":172524600,"thumb_url":"https://imgv2-2-f.scribdassets.com/img/document/172524600/108x144/19e5dbde5d/1380655811?v=1","retina_thumb_url":"https://imgv2-1-f.scribdassets.com/img/document/172524600/216x288/79a1664b90/1380655811?v=1","title":"Apostila de Adm. Financeira - 2 Sem 2013","short_title":"Apostila de Adm. Financeira - 2 Sem 2013","author":"admf104","tracking":{"object_type":"document","object_id":172524600,"track":"flattened_recommender","doc_uuid":"dI+sD99BYywp8kVboGEBaN6CxFA="},"url":"https://www.scribd.com/document/172524600/Apostila-de-Adm-Financeira-2-Sem-2013"},"203940055":{"type":"document","id":203940055,"thumb_url":"https://imgv2-2-f.scribdassets.com/img/document/203940055/108x144/315494abc1/1439583537?v=1","retina_thumb_url":"https://imgv2-2-f.scribdassets.com/img/document/203940055/216x288/4f9f765873/1439583537?v=1","title":"Rodrigues Sobrinho et al. - 2013 - A Competição do Mercado, Impacto nos Componentes d","short_title":"Rodrigues Sobrinho et al. - 2013 - A Competição do Mercado, Impacto nos Componentes d","author":"marcosalges","tracking":{"object_type":"document","object_id":203940055,"track":"flattened_recommender","doc_uuid":"wquwxmI9FroNp4yQyBRIwFcxQbk="},"url":"https://www.scribd.com/document/203940055/Rodrigues-Sobrinho-et-al-2013-A-Competicao-do-Mercado-Impacto-nos-Componentes-d"},"230800067":{"type":"document","id":230800067,"thumb_url":"https://imgv2-1-f.scribdassets.com/img/document/230800067/108x144/00e02307e2/1403446625?v=1","retina_t