DIREITO ADMINISTRATIVO EM TEORIA E EXERCÍCIOS – STN – PROFA.

PATRÍCIA CARLA
Oi, Gente!
Chegamos ao nosso último encontro do Curso. Espero que as aulas tenham
sido proveitosas! Vimos todos os pontos do edital, fizemos vários exercícios,
não apenas da ESAF como também de outras bancas, o que dará a vocês,
queridos alunos, um bom suporte para fazer com tranquilidade e
conhecimento as questões no dia da prova.
Hoje a nossa aula será longa pois faremos vários exercícios.
Muito sucesso!
Beijo carinhoso e bons estudos!
Patrícia Carla
(@profapatricia)

1
www.pontodosconcursos.com.br

DIREITO ADMINISTRATIVO EM TEORIA E EXERCÍCIOS – STN – PROFA. PATRÍCIA CARLA

REGIME JURÍDICO DOS SERVIDORES PÚBLICOS DA UNIÃO
(Lei nº 8112/90)
Ao conjunto de regras que disciplinam determinado instituto dá-se o nome
de regime jurídico. Assim, são estabelecidas normas para a nomeação,
aposentadoria, estabilidade, acumulação de cargos, enfim, seus deveres,
direitos e demais aspectos da vida funcional do servidor público.
Nesse contexto, essas normas podem ser estabelecidas por lei ou por
contrato. No primeiro caso, o regime será legal, e estabelecido por meio do
Estatuto dos Servidores Públicos. No último, será contratual, com as regras
dadas pela Consolidação das Leis do Trabalho (CLT, Decreto-lei nº
5.452/1943 e Lei nº 9.962/20001).
É justamente aí que se insere o referido Estatuto: trata-se da lei que
estabelece a inter-relação dos servidores públicos com a Administração,
especificando todos os detalhes dessa convivência profissional.
A Lei nº 8.112, de 11 de dezembro de 1990, é que dispõe sobre o regime
jurídico dos servidores públicos civis da União, das autarquias e das
fundações públicas federais.
E é essa lei que vai nos interessar neste estudo, voltado fundamentalmente
para concursos federais.

AGENTES PÚBLICOS

O gênero agentes públicos abrange todas as pessoas que, de uma forma ou
de outra, mesmo que transitoriamente e sem remuneração, prestam algum
tipo de serviço ao Estado.

1

Na ADI 2.135 (julgamento em 02/08/2007, DJ 14/08/2007) o STF suspendeu,
cautelarmente e com efeito ex nunc, a alteração do caput do art. 39, CF/88, retornando sua
redação original, onde se exige a existência de um Regime Jurídico Único (RJU) dos
Servidores Públicos. Assim, a partir dessa decisão, tornou-se inaplicável a Lei nº 9.962/2000.

2
www.pontodosconcursos.com.br

DIREITO ADMINISTRATIVO EM TEORIA E EXERCÍCIOS – STN – PROFA. PATRÍCIA CARLA
Entre os agentes, encontram-se três espécies principais, quais sejam, os
agentes políticos, os agentes em delegação e os servidores públicos.
Assim, agentes políticos são os que compõem os altos escalões do Governo,
como Presidente da República, Governador, Prefeito, Senador, Deputado,
Vereador e Magistrado, com características, prerrogativas e privilégios
próprios, em geral estabelecidos pela Constituição Federal.
Já os agentes em delegação são aqueles particulares que recebem do
Estado a competência para executar determinada atividade pública, ou
prestação de serviço público ou, ainda, construção de obra pública. Citemse os leiloeiros, peritos, tradutores, concessionários, permissionários e
autorizatários.
Servidores públicos, em sentido amplo, são todos os que prestam serviços
ao Estado, incluindo a Administração Pública Indireta, tendo vínculo
empregatício e pagos pelos cofres públicos. São também chamados de
agentes administrativos. Nessa classificação estão tanto os servidores
estatutários, sujeitos ao regime legal, quanto os empregados públicos, do
regime contratual, além dos temporários, nos termos do art. 37, IX, da
CF/88.
Os servidores estatutários, também chamados de funcionários públicos
(como na CF/67), são os titulares de cargos públicos e estão sujeitos ao
regime legal, ou estatutário, pois é lei de cada ente da federação (União,
Estados-membros, Distrito Federal e Municípios) que estabelece as regras
de relacionamento entre os servidores e a Administração Pública.
Tais regras podem ser alteradas unilateralmente, mas com respeito aos
direitos já adquiridos. Esse regime é destinado, preferencialmente, às
funções públicas que exigem do agente poderes próprios de Estado (art.
247, CF/88), conferindo-lhe prerrogativas especiais, como a estabilidade.
No plano federal, o estatuto dos Servidores Civis da União, Autarquias e
Fundações Públicas é esta Lei nº 8.112/90, com alterações posteriores
determinadas especialmente pela Lei nº 9.527/972.

2

O Regime Jurídico dos Servidores do Serviço Exterior Brasileiro está regrado na Lei nº
11.440/2006.

3
www.pontodosconcursos.com.br

DIREITO ADMINISTRATIVO EM TEORIA E EXERCÍCIOS – STN – PROFA. PATRÍCIA CARLA
Empregados

públicos

são

aqueles

contratados,

seguindo

o

regime

trabalhista, próprio da iniciativa privada. Assim, devem obedecer a
Consolidação das Leis do Trabalho (CLT e Lei nº 9.962/20003), bem como
as regras impostas pela CF/88, como acesso mediante concurso público
(art. 37, II, CF/88), limitações de remuneração (art. 37, XI, CF/88) e
acumulação remunerada de cargos e empregos públicos (art. 37, XVI e
XVII, CF/88).
Por sua vez, os empregados das empresas públicas ou sociedades de
economia mista, ainda que exploradoras de atividade econômica (art. 173,
CF/88), equiparam-se a servidores públicos em diversos aspectos, como
limites à acumulação (art. 37, XVII, CF/88), teto remuneratório (art. 37, §
9º, CF/88) e à regra do concurso público, conforme revela antiga decisão do
STF4:
CARGOS E EMPREGOS PUBLICOS. ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA
DIRETA,

INDIRETA

E

FUNDACIONAL.

ACESSIBILIDADE.

CONCURSO PÚBLICO. A acessibilidade aos cargos públicos a
todos os brasileiros, nos termos da Lei e mediante concurso
público é princípio constitucional explícito, desde 1934, art. 168.
Embora

cronicamente

destinados

a

Constituição,

iludir
como

a

sofismado,

mercê

de

regra,

reafirmado

ampliado,

não
para

foi

alcançar

expedientes

os

pela

empregos

públicos, art. 37, I e II. Pela vigente ordem constitucional, em
regra, o acesso aos empregos públicos opera-se mediante
concurso público, que pode não ser de igual conteúdo, mas há de
ser público. As autarquias, empresas publicas ou sociedades de
economia

mista

estão

sujeitas

à

regra,

que

envolve

a

administração direta, indireta ou fundacional, de qualquer dos
poderes da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos
Municípios. Sociedade de economia mista destinada a explorar

3

Na ADI 2.135 (julgamento em 02/08/2007, DJ 14/08/2007) o STF suspendeu,
cautelarmente e com efeito ex nunc, a alteração do caput do art. 39, CF/88, retornando sua
redação original, onde se exige a existência de um Regime Jurídico Único (RJU) dos
Servidores Públicos. Assim, a partir dessa decisão, tornou-se inaplicável a Lei nº 9.962/2000.
4

STF, MS 21.322/DF, relator Ministro Paulo Brossard, publicação DJ 23/04/1993.

4
www.pontodosconcursos.com.br

DIREITO ADMINISTRATIVO EM TEORIA E EXERCÍCIOS – STN – PROFA. PATRÍCIA CARLA
atividade econômica está igualmente sujeita a esse princípio, que
não colide com o expresso no art. 173, § 1º. Exceções ao
princípio, se existem, estão na própria Constituição.
Já os temporários são aqueles contratados para atividades transitórias,
emergenciais, submetidos a um regime jurídico especial, como, na esfera
federal, disciplinado pela Lei no 8.745/935, com alterações posteriores, em
especial pela Lei no 10.667/2003 e pelo Decreto no 4.748/2003, que a
regulamenta. A lei que trate desse tipo de situação não pode estabelecer
hipóteses abrangentes e genéricas de contratação temporária, sem a
especificação da contingência fática que evidencie tal situação excepcional,
sob pena de inconstitucionalidade6. Essa classe está prevista, como
mencionado, no art. 37, IX, da CF/88, e também tem seus litígios
submetidos à Justiça Federal, quando contratados por entidade dessa
esfera:
CONFLITO

DE

COMPETÊNCIA.

CONSTITUCIONAL.

ADMINISTRATIVO. SERVIDOR FEDERAL. FUNASA. CONTRATO
TEMPORÁRIO. GUARDA DE ENDEMIAS. EXCEPCIONAL INTERESSE
Lei no 8.745/93, art. 2º Considera-se necessidade temporária de excepcional interesse
público:
I - assistência a situações de calamidade pública;
II - combate a surtos endêmicos;
III - realização de recenseamentos e outras pesquisas de natureza estatística efetuadas pela
Fundação Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística - IBGE;
IV - admissão de professor substituto e professor visitante;
V - admissão de professor e pesquisador visitante estrangeiro;
VI - atividades:
a) especiais nas organizações das Forças Armadas para atender à área industrial ou a
encargos temporários de obras e serviços de engenharia;
b) de identificação e demarcação desenvolvidas pela FUNAI;
c) (Revogado)
d) finalísticas do Hospital das Forças Armadas;
e) de pesquisa e desenvolvimento de produtos destinados à segurança de sistemas de
informações, sob responsabilidade do Centro de Pesquisa e Desenvolvimento para a
Segurança das Comunicações - CEPESC;
f) de vigilância e inspeção, relacionadas à defesa agropecuária, no âmbito do Ministério da
Agricultura e do Abastecimento, para atendimento de situações emergenciais ligadas ao
comércio internacional de produtos de origem animal ou vegetal ou de iminente risco à
saúde animal, vegetal ou humana;
g) desenvolvidas no âmbito dos projetos do Sistema de Vigilância da Amazônia - SIVAM e do
Sistema de Proteção da Amazônia - SIPAM.
h) técnicas especializadas, no âmbito de projetos de cooperação com prazo determinado,
implementados mediante acordos internacionais, desde que haja, em seu desempenho,
subordinação do contratado ao órgão ou entidade pública.
6
STF, ADI 3.210/PR, relator Ministro Carlos Velloso, publicação DJ 03/12/2004. Veja
também: STF, ADI 890/DF, relator Ministro Maurício Corrêa, publicação DJ 06/02/2004.
5

5
www.pontodosconcursos.com.br

relator Ministro José Delgado. publicação DJ 17/06/2002.491/RJ.pontodosconcursos. acumulação legal de cargos. FEDERAL. RESCISÃO. O conteúdo original do caput do art. que são o objeto do Estatuto Federal. Compete à Justiça Comum Federal processar e julgar pedido indenizatório relativo à contratação efetuada pela Fundação Nacional da Saúde para atendimento de necessidade temporária de excepcional interesse público. 6 www. CC 33. publicação DJ 09/08/2004.DIREITO ADMINISTRATIVO EM TEORIA E EXERCÍCIOS – STN – PROFA. com normas gerais a serem observadas por todos os entes da federação (artigos 37 a 41. traçando seus contornos principais e tratando especificamente dos servidores públicos. Aí estabeleceu formas de acesso. Conflito conhecido para declarar a competência da Justiça Comum Federal. CF/88). aquisição de estabilidade.br . regime jurídico único (RJU) e planos de carreira para os 7 8 STJ. no âmbito de sua competência.7 CONFLITO DE ADMINISTRATIVO. LEI 8745/93. os Estados. COMPETÊNCIA. CC 40. 39 determinava que a União.com. os comentários aqui serão fixados nos servidores públicos estatutários. princípios de observância obrigatória e outras normas. Conflito conhecido. Compete à Justiça Comum Federal processar e julgar pedido de verbas indenizatórias relativas a contratação efetuada pela União ou suas entidades para atendimento de necessidade temporária de excepcional interesse público. RESCISÃO. aposentadoria. CONTRATO TEMPORÁRIO. relator Ministro Vicente Leal. Competência da Justiça Comum Federal. perda do cargo. SERVIDOR CONSTITUCIONAL.8 Assim sendo.114/RJ. A LEI Nº 8.112/90 E A REFORMA ADMINISTRATIVA DA EC Nº 19/98 Nossa Constituição Federal de 1988 dedicou um capítulo próprio à Administração Pública. que devem ser esmiuçadas pela legislação ordinária. STJ. EXCEPCIONAL INTERESSE PÚBLICO. PATRÍCIA CARLA PÚBLICO. o Distrito Federal e os Municípios deveriam instituir.

optando pelo regime estatutário.DIREITO ADMINISTRATIVO EM TEORIA E EXERCÍCIOS – STN – PROFA. à época único. Havia. que inaugurou uma nova fase para os servidores públicos.com. segundo o qual todos deveriam ter o mesmo tratamento. para seus servidores. sem direito à estabilidade. com peculiaridades próprias de cada caso. em 11 de dezembro de 1990. 7 www. São estáveis após três anos de efetivo exercício os servidores nomeados para cargo de provimento efetivo em virtude de concurso público. alterou-se o texto do artigo 39. passando a ser possível a convivência. Poderia também ter optado pelo regime contratual. 41 da CF/88. ou outro qualquer que fosse criado. obrigatoriamente. celetista (ou contratual). Em 04 de junho de 1998 fez-se promulgar a Emenda Constitucional nº 19. isso sim. Com isso. que regularia sua relação com a Administração Pública. após dois anos de efetivo exercício. seguindo as regras da Consolidação das Leis do Trabalho. Em especial. com importantes alterações no texto constitucional. São estáveis. independente de ser estatutário (ou legal). Redação dada pela Emenda Constitucional nº 19/98: art. apelidada de Reforma Administrativa. PATRÍCIA CARLA servidores da administração pública direta. após a alteração promovida por essa Emenda9. deixando de lado muitas regras rigorosas do Estatuto. das autarquias e das fundações públicas. em especial facilitando a dispensa de trabalhadores. todos os servidores daquele ente federativo deveriam estar vinculados a ele. o Estatuto atendeu ao comando constitucional. Assim.112. os servidores nomeados em virtude de concurso público. A União saiu à frente editando a Lei nº 8. os servidores estariam submetidos à lei.br . como prevista no art. Importante repetir: uma vez optado por um ou outro regime. Ressalte-se que não se exigia. buscou-se a flexibilização da Administração Pública.pontodosconcursos. cada qual estabelecendo regras de determinada carreira. Embora não seja pacífica tal 9 Redação original: art. ou seja. o regime estatutário. numa mesma esfera de governo. deixando de ser necessária a fixação de um único regime jurídico para todos os servidores. Tal previsão tinha base no princípio da isonomia. instituindo esse regime jurídico. de múltiplos regimes jurídicos. que passariam a ser contratados pelas regras da CLT. 41. 41. que ser o mesmo regime para todos.

41 da CF/1988. publicação DJ 24/03/2006: Faz jus à estabilidade prevista no art. RE 159. no emprego público. deixou de fazer sentido referir-se a Regime Jurídico Único dos Servidores Públicos. da Constituição Federal. STF. relator Ministro Cezar Peluso. relator Ministro Sydney Sanches. Noutro sentido: TST. Estabilidade que se aplica somente a servidores públicos. ainda que admitido mediante aprovação em concurso público.515. não se beneficia da estabilidade assegurada em seu artigo 41. publicação DJ 18/05/2007: A estabilidade dos servidores públicos não se aplica aos funcionários de sociedade de economia mista. limita-se a estabilidade aos “nomeados para cargo de provimento efetivo em virtude de concurso público”. DJ 02/02/2001: A estabilidade prevista no artigo 41 da Constituição Federal não alcança o empregado público celetista da administração direta. contava com mais de dois anos de efetivo exercício. RR 459. à data da demissão. ainda que admitido nos serviços do Município. Assim. STF. e AI-AgR 88. relator Ministro Sydney Sanches. embora para ambos a aprovação dependa de concurso público para a investidura na Administração Pública. que distinguiu cargo de emprego público. publicação DJ 10/02/1995.749/PR.F. em sua redação original. 41 da CF/1988. tem como destinatário o servidor público estatutário exercente de cargo público. pois destinado apenas aos servidores públicos civis. 41 da CF/1988.572/2001-201-02-00. 8 www. AI-AgR 510. C. 41.486/PR. parece clara a intenção do constituinte derivado ao alterar a redação do caput do art.054. conferidora de estabilidade. relator Ministro Guedes de Amorim. admitido por concurso público. TST. Veja também a seguinte decisão. Impossibilidade. que é assegurada.069/PE. mediante concurso público de ingresso. que. tanto titular de cargo quanto de emprego público11. anterior à EC nº 19/98: STF.br . RR 616. relator Ministro Wagner Pimenta. Readmissão com fundamento no art. a estabilidade era dirigida a todo aquele “nomeado em virtude de concurso público”. TST. AI-AgR 561. 41. 41 da C. Regime Celetista.005/PR. adotada pelo Reclamado em observância do artigo 39 da Carta Magna. nos termos do artigo 37. RR 3. 10 Súmula 390.994/SP. se refere genericamente a servidores.F. MS 21. a natureza do vínculo é contratual. A conclusão desse entendimento se encontra no artigo 37 da Constituição Federal. relator Ministro Aldir Passarinho. mas também aos de empregos públicos. 37. da Constituição Federal. II – Ao empregado de empresa pública ou de sociedade de economia mista. TST: I – O servidor público celetista da administração direta. publicação DJ 29/06/1984: Não se cumulam os dois regimes: o do FGTS e o da estabilidade. não é garantida a estabilidade prevista no art. regida pela CLT. 41 da Constituição Federal. Com a nova regra.com. Correto tecnicamente seria chamá-lo de Estatuto dos Servidores Públicos ou Regime Jurídico Estatutário.1.230/RS. já que o art. AI-AgR 630. autárquica ou fundacional é beneficiário da estabilidade prevista no art. 11 STF. publicação DJ 29/06/2007: O servidor público celetista da administração direta.A garantia constitucional da disponibilidade remunerada decorre da estabilidade no serviço publico. visto que tal sistema deixou de existir com essa EC nº 19/98. não apenas aos ocupantes de cargos. publicação DJ 25/08/95 . o empregado público que foi aprovado em concurso público e cumpriu o período de estágio probatório antes do advento da EC nº 19/98. O cargo público é criado por lei.pontodosconcursos. Direta ou Indireta. autárquica ou fundacional é beneficiário da estabilidade prevista no art. publicação DJ 24/08/2001: Empregado público. que contém normas próprias de proteção ao trabalhador no caso de dispensa imotivada.. relator Ministro Eros Grau. Estes são regidos por legislação específica [Consolidação das Leis Trabalhistas]. STF. Originalmente. relator Ministro João Batista Brito Pereira. STF. e sob o regime da legislação trabalhista. RE-AgR 242. inciso II. relator Ministro Carlos Velloso. publicação DJ 22/06/2007: Funcionários de empresa pública. publicação DJ 22/11/2002: A norma do art. relator Ministro Gilmar Mendes.DIREITO ADMINISTRATIVO EM TEORIA E EXERCÍCIOS – STN – PROFA. enquanto que. PATRÍCIA CARLA interpretação10.236/DF.

com. ao criar novo cargo ou abrir vagas para concurso público. 22. passou a caber a cada ente da Federação a eleição da forma como seriam disciplinadas as regras entre ele e determinada carreira pública. 32 da EC no 19/98. inalteráveis por acordo entre as partes. tendo a própria Constituição Federal deixado implícito que determinados cargos devem ser organizados em carreira. quando das votações na Câmara dos Deputados. 247. Com essa substituição. não é ilimitada. para o lugar do caput do artigo 39. caput. deveria estabelecer se esses novos integrantes seriam regidos pelo Estatuto. em especial no que concerne à alteração do art. onde se discute a constitucionalidade da EC nº 19/98. CF/88. em primeiro turno.br . o que retira a liberdade dos demais entes de legislar sobre regimes contratuais. com cláusulas discutidas entre empregado e empregador. Naturalmente que essa transposição não pode ser tida por 12 STF. CF/88. 39. em segundo turno. ou pelo regime contratual. da ADI 2.DIREITO ADMINISTRATIVO EM TEORIA E EXERCÍCIOS – STN – PROFA. ADI 2. CF/88). § 2º. 39 – que havia sido aprovado. Ademais. com regras rígidas. é da União a competência para legislar sobre Direito do Trabalho (art. o que lhes exige a vinculação estatutária. Ocorre que. com essa alteração constitucional.13512. a proposta de alteração do caput do art. I. a Defensoria. não necessariamente à Lei nº 8. pela via adequada.135/MC. a comissão especial de redação da Câmara dos Deputados teria deslocado o § 2º do art. ainda em sede cautelar. Ao elaborar o texto enviado para votação. Mas esse cenário alterou-se profundamente com o julgamento pelo STF. sujeitos a esse ramo do direito. contudo. PATRÍCIA CARLA Com efeito. não foi aprovada pela maioria qualificada constitucionalmente exigida (art. 39. Além destas. a Advocacia Públicas e as carreiras das administrações tributárias. e também deverão estar vinculadas ao Estatuto. cuja proposta de alteração havia sido rejeitada no primeiro turno. como se denota da redação do novo art. 60. relator Ministro Néri da Silveira. publicação DJ 14/08/2007. Essa liberdade.pontodosconcursos. 9 www. a Administração Pública. Então.112/90. acrescentado pelo art. a redação original do caput do artigo 39 simplesmente desapareceu. há ainda a previsão de que determinadas atividades serão consideradas típicas de Estado. CF/88). Citem-se a Polícia.

pontodosconcursos. integrado por servidores designados pelos respectivos Poderes. hoje. contratação pelo regime da CLT. único. 60. de 1998: Art. que disciplinou o regime de emprego público do pessoal da Administração federal direta. das autarquias e das fundações públicas. § 2º. regime jurídico único e planos de carreira para os servidores da administração pública direta. o Distrito Federal e os Municípios instituirão. é dizer. Como agora só cabe um regime. tem-se a inaplicabilidade da Lei nº 9. A União. Com isso. então. 39. o Distrito Federal e os Municípios instituirão conselho de política de administração e remuneração de pessoal. 10 www. retorna a regra da exigência de um Regime Jurídico Único.DIREITO ADMINISTRATIVO EM TEORIA E EXERCÍCIOS – STN – PROFA. sendo incabível. repise-se. Para que fique claro. nova votação. Aqueles contratados sob esse regime antes da decisão do STF 13 De acordo com o art. não será mais possível a existência de novos empregos públicos no âmbito da Administração federal direta.br . autárquica e fundacional. para cumprimento da exigência de aprovação por dois turnos em cada uma das Casas legislativas do Congresso Nacional (art.com. CF/88). os Estados. compare-se a redação original e a alterada pela EC nº 19/98: Texto original da CF/88: Art. irretroativo.962/2000. retomando-se a redação original do texto constitucional. PATRÍCIA CARLA mera emenda redacional13. a nova redação do caput desse art. não atingindo as situações jurídicas havidas entre a promulgação da EC nº 19/98 e a decisão do STF. 39. 39. autárquica e fundacional. os Estados. A partir de então. exigindo-se. Como efeito imediato. A União. 118 do Regimento Interno da Câmara dos Deputados. haveria inconstitucionalidade formal. Nesse julgamento afastouse. Redação dada pela Emenda Constitucional nº 19. em sede cautelar. no âmbito federal. no âmbito de sua competência. À decisão foi dado efeito ex nunc. o estatutário.

não há direito adquirido que garanta imutabilidade do regime jurídico14.br .273 AgR-ED/DF. Segundo entende o Supremo Tribunal Federal. de 10 de dezembro de 1997. publicação DJ 10/12/2004 e ADI 2. em especial com a profunda reforma promovida pela Lei nº 9. e aos 14 STF. Ao tomar posse em um cargo público. Como o regime é legal. tem-se um determinado conjunto de regras sobre os mais variados temas: férias. acrescentese. Percebe-se que as regras do jogo foram alteradas: o que antes era possível fazer. a decisão cautelar teve efeito ex nunc. Esse tribunal. licença prêmio. que está no ápice do nosso Poder Judiciário. relatora Ministra Ellen Gracie. publicação DJ 20/05/1983. O Estatuto não é imutável. não cabe argüir violação ao direito adquirido contra mudanças no regime jurídico. e a título de exemplo. estabelecer exigência que não observe o regime jurídico anterior” 15. E assim foi alterado o Estatuto em diversas ocasiões. Ao contrário. como. a possibilidade de incorporação de anuênios e os chamados quintos das gratificações. agora não é mais. relator Ministro Moreira Alves. de outro lado.522/PR. regime jurídico é o conjunto de normas que regem determinado instituto. Como já visto.com. PATRÍCIA CARLA seguem em seus empregos. reiteradamente tem entendido que não se pode exigir a permanência dessas regras por todo o tempo em que houver vínculo com a Administração Pública. à lei cabe estabelecer as regras. já que. 11 www. novas opções foram deferidas aos servidores.527.DIREITO ADMINISTRATIVO EM TEORIA E EXERCÍCIOS – STN – PROFA. Aguarde-se a decisão final de mérito. esse entendimento é antigo e. 15 STF.555/DF. ao criar direito novo para o servidor público. Dessa forma pode a Administração alterar unilateralmente as regras. sendo possível a alteração desses institutos sem que seja ferido o direito adquirido. como se disse. horário de trabalho etc. RMS 24. pacífico e consolidado. relatora Ministra Ellen Gracie. sob as determinações do Estatuto. Como se percebe nesse julgado. Assim.pontodosconcursos. licenças. publicação DJ 02/05/2003. RE 99. a não existência de direito adquirido a regime jurídico “implica dizer que pode a lei nova. que retirou inúmeros direitos dos servidores públicos federais. venda de 1/3 das férias etc.

empregos ou exercem funções. exigência para ter direito à licença prêmio de três meses. já não havia essa previsão legal. Porém. Quando da mudança unilateral da lei.com. Para que fique bem claro. Por sua vez. assim como não pode exigir que continue tendo esse direito. ainda que haja concordância do empregado. Distrito Federal e Municípios). Assim. aquele que ainda não tinha feito essa opção não pôde mais fazê-la. Outro exemplo é do servidor que já havia cumprido cinco anos de exercício sem nenhuma falta. órgãos e servidores públicos. o conjunto de atribuições e responsabilidades previstas na estrutura organizacional que devem ser cometidas a um servidor. quando completou os cinco anos. devendo haver concordância entre os contratantes. Estados-membros. Se o regime é contratual. não pode o empregador alterar cláusulas como bem entender. Todo aquele que já tinha cumprido o requisito temporal à época da edição da lei que extinguiu essa vantagem tem o direito adquirido ao gozo desses três meses de licença prêmio.DIREITO ADMINISTRATIVO EM TEORIA E EXERCÍCIOS – STN – PROFA. Aquele que tivesse optado pela conversão em pecúnia de 1/3 das férias (popularmente chamada de venda de 1/3 das férias) antes de dezembro de 1997. pois não cumpria os requisitos de então e. tinha mera expectativa de direito.pontodosconcursos. algumas alterações prejudiciais a ele não são admitidas. CARGOS. ainda que o gozo das mesmas fosse em 1998. aquele que tinha quatro anos. pois tinha cumprido todos os requisitos antes da extinção dessa possibilidade. as situações já consolidadas devem ser respeitadas. 3º do Estatuto. PATRÍCIA CARLA servidores cabe cumpri-las. Destaque-se que. tinha o direito adquirido à essa conversão. seguindo o art. não podendo gozar dessa licença. Porém. EMPREGOS E FUNÇÕES A Constituição Federal distribui competência entre as pessoas jurídicas (União. estes ocupam cargos. 12 www. pelo princípio da proteção. citem-se exemplos ilustrativos.br . cargo é.

112/90 definia. funcionário (estatutário) será titular de um cargo. I). Assim. Em contrapartida. que também é um conjunto de atribuições. para ser chefe de uma seção. V e 40. é o acréscimo de algumas atribuições àquelas já destinadas ao agente. PATRÍCIA CARLA É criado por lei. Assim. com denominação própria e vencimento pago pelos cofres públicos. no que concerne à chefia. mas que se diferencia exclusivamente pelo vínculo que une seus titulares ao Estado. ao celetista cabe o emprego público. Essa possibilidade está prevista no art. a Lei nº 8. De outro lado. II. 13 www. Este cargo não comporta maiores regalias ao seu titular momentâneo. será este efetivo. Maria Sylvia Zanella di Pietro16 ainda lembra outra situação quando fala em função. de outro modo. já seja concursado. O cargo público é exclusividade do servidor estatutário. Já a função se refere a uma atribuição específica. às vezes. 37. como. IX. no 16 Direito Administrativo. V.pontodosconcursos. p. que é aquela “exercida por servidores contratados temporariamente com base no art.DIREITO ADMINISTRATIVO EM TEORIA E EXERCÍCIOS – STN – PROFA. pelo Poder Público. CF/88). para as quais não se exige. § 13. 439. também chamado de cargo em confiança. tampouco à aposentadoria pelo regime dos servidores públicos (artigos 37. empregado (celetista) será titular de um emprego. direção ou assessoramento. como no caso dos Diretores de Secretaria na Justiça Federal. 3º. não gerando direito de permanência nele. temporário é o provimento do cargo em comissão. há acréscimo na remuneração (art. porque. O agente tem suas atividades normais dentro do cargo que ocupa e adquire mais algumas. 61. necessariamente concurso público. a um agente. para provimento em caráter efetivo ou em comissão (art. Cit.com. O cargo público pode ser de provimento efetivo ou em comissão. § único). Ou seja. por exemplo. da CF/88. exige-se que. Assim.br . pois está atrelado à confiança que determinada autoridade tem em seu auxiliar. e é chamada de função de confiança. a própria urgência da contratação é incompatível com a demora do procedimento.. se o preenchimento pressupõe continuidade e permanência no cargo. 37. para exercê-la. e essa característica quanto à possibilidade de permanência no cargo deve ser prevista na lei que o cria.

Impossibilidade de submissão do reclamante. AGENTE POLÍTICO. esse dispositivo foi revogado pela Lei nº 8. reproduzo o art. pois. Nessa linha. SÚMULA VINCULANTE Nº 13. no entanto. quer seja em um caso. Secretário Estadual de Transporte. dos Estados. Bem por isso. Assim.pontodosconcursos. e os cargos em comissão. em 21/08/2008.DIREITO ADMINISTRATIVO EM TEORIA E EXERCÍCIOS – STN – PROFA. as hipóteses em que o concurso era dispensado. V. Acrescento outras decisões do STF acerca da aplicação ou não da Súmula em análise: NEPOTISMO. Por fim. quer seja noutro. naquele. colateral ou por afinidade. chefia e assessoramento. destinam-se apenas às atribuições de direção. com o seguinte teor: A nomeação de cônjuge. CARGO DE NATUREZA POLÍTICA. inclusive da autoridade nomeante ou de servidor da mesma pessoa jurídica investido em cargo de direção.849. neste. PATRÍCIA CARLA artigo 233. exercidas exclusivamente por servidores ocupantes de cargo efetivo.br . 37. a Súmula Vinculante nº 13. silenciando quanto à função. companheiro ou parente em linha reta. não há necessidade de prévio concurso público. agente político.com. a serem preenchidos por servidores de carreira nos casos. 37 da CF/88 o exige somente para investidura em cargo ou emprego. Não é qualquer pessoa. § 3º. viola a Constituição Federal. de 9-12-93. INAPLICABILIDADE AO CASO. chefia ou assessoramento. do Distrito Federal e dos municípios. o inciso II do art. indireta em qualquer dos poderes da União. exige-se urgência na contratação. da CF/88: As funções de confiança. compreendido o ajuste mediante designações recíprocas. condições e percentuais mínimos previstos em lei. com as alterações introduzidas pela Lei nº 9. para o exercício de cargo em comissão ou de confiança ou ainda de função gratificada da administração pública direta. exige-se que já seja servidor. até 3º grau. que agora disciplina a matéria.745. editou o STF. às hipóteses expressamente 14 www. que pode assumir um cargo em comissão ou função gratificada. de 26-10-99”.

Veja também a Rcl 7. Rcl 6. 37. DJ 21/11/2008. caput. PATRÍCIA CARLA elencadas na Súmula Vinculante nº 13.650 MC-AgR/PR.pontodosconcursos. Rcl 6. 6.br . nos termos da Súmula Vinculante 13. O cargo de Conselheiro do Tribunal de Contas do Estado do Paraná revestese. Informativo 537 e 544. momento em que esse assume o compromisso de bem servir.18 Atenção para não confundir: funções de confiança → servidores ocupantes de cargo efetivo.702/PR. cargos em comissão (=cargo em confiança) → servidores de carreira ou não. Agr.DIREITO ADMINISTRATIVO EM TEORIA E EXERCÍCIOS – STN – PROFA. em Rcl. uma vez que decorre diretamente dos princípios contidos no art. Nesse momento forma-se a relação jurídica: a Administração atribui o cargo e o servidor aceita-o. Nomeação x Posse x Exercício Nomeação: é a única forma de provimento originário prevista no atual ordenamento jurídico brasileiro. STF: “Funcionário nomeado por concurso tem direito à posse”. devendo ser formalizada durante o seu prazo de validade e respeitada a sua ordem de classificação. Excertos do Informativo 524. 15 www. à primeira vista. O pressuposto para a sua realização é a prévia aprovação em concurso público. e que.com.650 MC-AgR/PR: A nomeação de parentes para cargos políticos não implica ofensa aos princípios que regem a Administração Pública. por se tratar de cargo de natureza política. uma vez que exerce a função de auxiliar do Legislativo no controle da Administração Pública. onde foi concedida liminar permitindo o afastamento de um assessor de controle interno do Tribunal de Contas (TC) estadual. na Med. Caut. é a atribuição de um cargo a um servidor independentemente de qualquer relação jurídica anterior com a Administração. 17 STF. da Constituição Federal. em face de sua natureza eminentemente política. as nomeações para cargos políticos não estão compreendidas nas hipóteses nela elencadas. Posse: é a aceitação. pelo servidor. 18 STF. das atribuições do cargo. sobrinho do esposo de uma conselheira do próprio TC (decisão liminar de 06/04/2009). Informativos 524 e 529.952/PI.17 A vedação do nepotismo não exige a edição de lei formal para coibir a prática. de natureza administrativa. Súmula nº 16.

esse prazo será contado do seu término. pode caracterizar Improbidade Administrativa (Lei nº 8429/92). o ato é inválido e não terá efeito.br . os deveres. que não pode exceder a 30 dias. sob pena de o ato ficar sem efeito. contados da publicação do ato de nomeação. Portanto. Lei nº 8112/90). Efetivada a posse. Tratando-se de função de confiança. 13. Exercício: é o efetivo desempenho das atribuições do cargo público ou da função de confiança (art. PATRÍCIA CARLA formando-se. o servidor tem o prazo de 15 dias pra entrar em exercício a contar daquele ato. Em caso de impedimento. emprego ou função pública. o que se denomina investidura.pontodosconcursos. o servidor deve entrar em exercício na data da publicação do ato de designação. assim. para evitar acumulações ilegais.com. sob pena de a nomeação ficar sem efeito. Estando o servidor impedido em razão de licença ou afastamento. sob pena de ser exonerado de ofício. o servidor deve apresentar a sua declaração de bens e valores. no qual deverão constar as atribuições. A posse deve ser feita com a assinatura do respectivo termo. O servidor tem o prazo de até 30 dias.DIREITO ADMINISTRATIVO EM TEORIA E EXERCÍCIOS – STN – PROFA. Esse ato só ocorre no provimento originário e nada impede que seja realizado por meio de procuração específica. a entrada em exercício deve ocorrer no primeiro dia após o término do impedimento. O objetivo dessa declaração é acompanhar a sua evolução patrimonial que. Na oportunidade da posse. que não poderão ser alterados unilateralmente. para tomar posse. 16 www. Exige-se também a declaração quanto ao exercício ou não de outro cargo. ressalvados os atos de ofício previstos em lei. o vínculo estatutário. por qualquer das partes. as responsabilidades e os direitos inerentes ao cargo ocupado. Caso o administrador dê posse fora desse prazo. além da prévia inspeção médica para atestar sua capacidade física e mental para o exercício do cargo. com a nomeação tem-se provimento e com a posse faz-se a investidura. em caso de desproporcionalidade.

diante da ocorrência dos casos especificados na lei. e as hipóteses em que o servidor pede e tem direito subjetivo ao seu deferimento. contados da publicação do ato. somente o seu deslocamento. A jornada semanal de trabalho do servidor terá duração máxima de 40h. dez e. com ou sem mudança de sede (art. A lei admite três formas de deslocamento: realizada de ofício pela Administração para atender aos seus interesses. PATRÍCIA CARLA Nas hipóteses em que o servidor tenha exercício em outro município em razão de ter sido removido. é importante tomar cuidado para não confundir formas de provimento com formas de deslocamento. o que ocorre nas seguintes circunstâncias: 17 www. no mínimo. mas.DIREITO ADMINISTRATIVO EM TEORIA E EXERCÍCIOS – STN – PROFA. para a retomada do efetivo desempenho das atribuições do cargo.pontodosconcursos. também. enquanto a jornada diária terá o limite mínimo de 6h e o máximo de 8h. não havendo nesse último atribuição de um novo cargo a um servidor. independe do interesse da Administração. podendo ser convocado sempre que houver interesse da Administração.br . o regime é de dedicação integral ao serviço. terá. no máximo. trinta dias de prazo. podendo ser usado. 36). incluído nesse prazo o tempo necessário para o deslocamento para a nova sede. redistribuído. O Estatuto definiu duas formas de deslocamento: a remoção e a redistribuição. a pedido do servidor e deferida de acordo com a conveniência e oportunidade da Administração. no interesse do servidor. cedido ou posto em exercício provisório. requisitado. isto é. Remoção: é um instituto utilizado pela Administração com o intuito de aprimorar a prestação do serviço público.com. Para os ocupantes de cargo em comissão. Formas de deslocamento Nessa oportunidade. Trata-se de uma forma de deslocamento do servidor no âmbito do mesmo quadro.

c) Em virtude de processo seletivo promovido. para outro órgão ou entidade do mesmo Poder. também servidor público civil ou militar. este será colocado em disponibilidade. especialidade ou habilitação profissional. inclusive nos casos de reorganização. companheiro ou dependente. caso o servidor não seja redistribuído.pontodosconcursos. cônjuge. desde que viva às suas expensas e que essa informação conste do seu assentamento funcional. equivalência de vencimentos. extinção ou criação de órgão ou entidade. ocupado ou vago no âmbito do quadro geral de pessoal. de acordo com normas preestabelecidas pelo órgão ou entidade em que eles estejam lotados. vinculação entre os graus de responsabilidade e complexidade das atividades. compatibilidade entre as atribuições do cargo e as finalidades do órgão ou entidade. b) Por motivo de saúde do servidor. 37). Essa regra não pode ser utilizada para os servidores que se deslocaram a pedido e que passaram no concurso quando o cônjuge já era servidor em outra localidade. PATRÍCIA CARLA a) Quando o pedido for para acompanhar cônjuge ou companheiro. com prévia apreciação do órgão competente (art. manutenção da essência das atribuições do cargo. Nessa hipótese.br . é um fato administrativo que indica que determinado cargo público 18 www.DIREITO ADMINISTRATIVO EM TEORIA E EXERCÍCIOS – STN – PROFA. mesmo nível de escolaridade. A redistribuição ocorrerá ex officio para ajustamento de lotação e da força de trabalho às necessidades dos serviços. de qualquer dos poderes e de qualquer ordem política. Redistribuição: é o deslocamento de cargo de provimento efetivo.com. Esse deslocamento é possível dede que preenchidos os seguintes requisitos: interesse da Administração. Vacância Vacância é a terminologia técnica para descrever que o cargo público está vago. na hipóteses em que o número de interessados for superior ao número de vagas. condicionada à comprovação por junta médica oficial. que foi deslocado no interesse da Administração.

4 – Readaptação: é a investidura do servidor em cargo de atribuições e responsabilidades compatíveis com a limitação que tenha sofrido em sua capacidade física ou mental verificada em inspeção médica. que se constitui de forma vertical. ou de cargo em comissão a juízo da autoridade competente ou a pedido do próprio servidor. deixando o anterior vago para ser ocupado por outro servidor que preencha os requisitos de capacidade física ou mental. cabível às hipóteses descritas no art. É ao mesmo tempo forma de investidura e vacância de cargo público. 132. 33. 5 – Aposentadoria: dá-se quando o servidor passa para a inatividade. isto é. 35 e 35 da Lei. O servidor readaptado passará a ocupar um cargo semelhante. 19 www. PATRÍCIA CARLA não está provido.br . No âmbito federal. a qual seguida da indisponibilidade dos bens e ressarcimento ao erário nas circunstâncias onde a conduta motivadora do agente importar em lesão aos cofres públicos. 3 – Promoção: constitui também uma das formas de provimento derivado de cargo público.pontodosconcursos. abre-se vaga pra o cargo anteriormente ocupado. respeitando suas novas limitações. uma vez promovido o servidor. está sem titular. 2 – Demissão: forma de penalidade disciplinar. O rol de hipótese que geram a vacância está previsto no art. por invalidez permanente e especial.DIREITO ADMINISTRATIVO EM TEORIA E EXERCÍCIOS – STN – PROFA. de acordo com os arts. podendo. também estabelecer os requisitos para o ingresso e o desenvolvimento do servidor na carreira. mediante promoção.com. Trata-se de direito do servidor e ocorrerá de formas específicas: voluntária. corrupção ou improbidade administrativa. aplicação irregular de dinheiro público. com ascensão funcional. caberá à lei que fixar as diretrizes do sistema de carreira na Administração Pública Federal. compulsória. ocorrer em duas situações: em cargo efetivo a pedido do servidor ou de ofício. da Lei nº 8112/90: 1 – Exoneração: ocorre quando a dissolução do vínculo entre o servidor e a administração se dá sem caráter punitivo.

Como prevê o art. Este terá até o último dia do prazo da defesa do processo administrativo disciplinar para efetivar sua escolha. é a hipótese gerada pelo óbito do servidor. emprego ou função. ou por iniciativa e deliberação espontânea da Administração. denominada por parte da doutrina de exoneração de oficio. podendo ocorrer a pedido do servidor que não deseja mais trabalhar naquele cargo da Administração. gerando a vacância do mesmo. Em ambas as hipóteses haverá vacância. Tratando-se de cargo de livre nomeação e livre exoneração. a exoneração por iniciativa da Administração pode ocorrer nas seguintes hipóteses: 1 – Quando se tratar de cargo em comissão: essa hipótese também denominada exoneração ad nutum. independe de qualquer motivação. Desinvestitura: exoneração x demissão Desinvestidura é o ato administrativo através do qual o servidor é destituído do cargo. 7 – Falecimento: como o próprio nome já sugere. Assim. As duas principais formas são: exoneração e a demissão. houver a escolha em tempo hábil do cargo.pontodosconcursos. PATRÍCIA CARLA 6 – Posse em outro cargo inacumulável: pode se dar como uma das hipóteses previstas em lei autorizadora da demissão do servidor. sua conduta converterá automaticamente em pedido de exoneração do outro cargo. emprego ou funções públicas. porém. emprego ou função no prazo de 10 dias. Exoneração: é o desligamento sem caráter sancionador.com. configurar-se-á má-fé.DIREITO ADMINISTRATIVO EM TEORIA E EXERCÍCIOS – STN – PROFA. aplicando-lhe a pena de demissão. Caso contrário. 20 www. representa o fim da relação jurídica funcional. Se. a autoridade competente notificará o servidor para que opte por um dos cargos.br . 133. detectada a qualquer tempo a acumulação ilegal de cargos. em que a escolha e a manutenção são baseadas na confiança.

br . 247. inciso III. CF). em acumulação proibida. oportunidade em que se reconhece a boa-fé do servidor e converte a sua 21 www. 41. Durante o processo. 3 – Quando.pontodosconcursos. 15. da CF. Esses limites devem ser definidos por lei complementar. Essa avaliação depende de regulamentação através de lei complementar. nomeado e empossado. § 1º. será instaurado o respectivo processo administrativo disciplinar para investigar a prática da infração funcional de acumulação ilegal. CF. da CF/88 e realizada por uma comissão instituída pra essa finalidade. do RJU que garante ao servidor que estiver acumulando ilegalmente a opção de escolher. que deve definir critérios e garantias para o procedimento. RJU). 5 – Para se adequar aos limites previstos no art. é de 15 dias a contar da data da posse (art. o qual. em cargo efetivo e antes da estabilidade. 169. a hipótese prevista no art. com qual cargo deseja continuar. 133. disposição do art. se necessário. § 1º. o servidor não for habilitado no estágio probatório ou não aprovado na avaliação especial de desempenho. não entrar em exercício no prazo legal. o servidor ainda terá a chance de fazer opção até o prazo da defesa (5 dias). 14. § 4º. conforme critérios definidos na própria Constituição. 4 – Quando. prevista no art. inclusive com regras especiais para os servidores estáveis que desenvolvem atividades exclusivas de Estado (art. quanto às despesas com pessoal. § 5º. no prazo de 10 dias. 6 – Quando o servidor estiver de boa-fé.DIREITO ADMINISTRATIVO EM TEORIA E EXERCÍCIOS – STN – PROFA. que representa uma hipótese de perda da estabilidade com a conseqüente exoneração do servidor. garantidos sempre o contraditório e a ampla defesa. o servidor é considerado insatisfatório na avaliação periódica de desempenho.com. hoje LC nº 101/00. e os entes que estiverem fora da regra devem reduzir os seus gastos inclusive exonerando servidores. para os servidores públicos federais. após a aquisição da estabilidade. Não ocorrendo a escolha. PATRÍCIA CARLA 2 – Quando o servidor. com garantia do contraditório e da ampla defesa.

caso o servidor pratique uma infração média que para os demais servidores seria punível 22 www.pontodosconcursos. do art. garantindo o contraditório e a ampla defesa. aplica-se a pena de demissão. exigindo sempre o respectivo processo administrativo disciplinar.com. Trata-se do desligamento do servidor do cargo que ocupa em razão da prática de uma infração funcional grave. introduziu o § 6º. A Lei nº 8112/90. 198. que tem a natureza de sanção. a pena de demissão será convertida em cassação de aposentadoria ou disponibilidade. comprovadas a infração funcional e a má-fé do servidor.br . requisitos esses hoje definidos na Lei nº 11. para o seu exercício”. quando o servidor ocupante de um cargo efetivo pratica uma infração grave e está em atividade. se comprovada em processo disciplinar. enumera quais são as infrações funcionais puníveis com a pena de demissão. caso o servidor tenha praticado a mesma infração grave enquanto esteve em atividade e. caso o citado servidor ocupe um cargo em comissão ou função de confiança e pratique a mesma infração grave. seguindo a Lei nº 8112/90. 7 – A EC 51/06. que estabeleceu mais uma hipótese de exoneração. fixados em lei. 132.DIREITO ADMINISTRATIVO EM TEORIA E EXERCÍCIOS – STN – PROFA. A pena de demissão pode ser transformada em pena de cassação ou destituição.350/06. se aposentou ou entrou em disponibilidade. Caso a opção não ocorra. da CF. Todavia. disponde que o servidor que “exerça funções equivalentes às de agente comunitário de saúde ou de agente de combate às endemias poderá perder o cargo em caso de descumprimento dos requisitos específicos. PATRÍCIA CARLA escolha em pedido de exoneração do cargo que não desejar mais. em seu art. Prevê o estatuto que. A segunda hipótese de desinvestidura é a demissão. Por fim. a pena de demissão será convertida em destituição de cargo em comissão ou função de confiança. este será demitido. é pena. em razão da confiança exigida para esses cargos. E mais. em data posterior.

182). preocupado com a efetiva aplicação das diversas sanções previstas pela lei. PATRÍCIA CARLA com uma simples pena de suspensão. Na hipótese em que o servidor foi processado e ao final condenado. se o servidor estiver respondendo por processo administrativo disciplinar. Ressalvada a restrição acima. não poderá. 172. porque a confiança ficou abalada. quando tratar-se de cargo em comissão. sofrendo a pena de demissão. nesse caso. a demissão ficará sem efeito e será convertida em exoneração. O legislador.com.br . caso ele obtenha aposentadoria. se ficar provada a sua inocência em processo de revisão julgado procedente.pontodosconcursos. RJU). que o servidor. A situação inversa também é possível. o servidor não terá direito de retornar para o cargo. Quadro esquemático dos direitos e vantagens dos servidores 23 www. servidor de cargo em comissão ou função de confiança que pratique infração média ou grave será penalizado com a pena de destituição e perderá o cargo. nesses cargos aplica-se a pena mais grave de destituição. estabeleceu que. o ato de exoneração poderá ser convertido em pena de demissão se comprovado. enquanto não for julgado o processo e cumprida a pena. 132). mas. por meio de processo administrativo disciplinar. a penalidade ficará sem efeito e o servidor terá direito de retornar para o seu cargo com todos os seus direitos (art. enquanto em atividade praticou uma infração funcional grave (art. exonerar-se a pedido ou aposentar-se de forma voluntária (art. ocorrendo a exoneração. Portanto. Da mesma forma. seja porque desconhecia a infração ou nas hipóteses praticadas de ofício pela Administração. essa será cassada. Contudo.DIREITO ADMINISTRATIVO EM TEORIA E EXERCÍCIOS – STN – PROFA.

Sujeita ao teto remuneratório e aos princípios da irredutibilidade. ressalvadas algumas hipóteses expressas na CF. sob pena de inscrição na dívida ativa. PATRÍCIA CARLA Remuneração Modalidades: vencimentos e subsídio. Não se admite remuneração inferior ao salário mínimo. salvo por débito alimentar. Descontos: são possíveis em caso de falta sem motivo justificado. arresto ou seqüestro. exonerado ou que tiver sua aposentadoria ou disponibilidade cassada terá 60 doas para quitar o débito. faltas justificadas. Vedada a vinculação ou equiparação. e atrasos – sendo estes proporcionais. como o Presidente da República.com. Penhora: o vencimento não pode ser objeto de penhora.pontodosconcursos. além dos vereadores. Senadores e Deputados Federais. Ministros de Estado. Débito com o erário: servidor com débito superior a cinco vezes a remuneração e que for demitido. a depender da chefia. Fixação por meio de lei. 24 www.DIREITO ADMINISTRATIVO EM TEORIA E EXERCÍCIOS – STN – PROFA. é possível compensá-las não sendo assim descontadas.br . quando autorizado pelo servidor. Consignação em folha: é possível a critério do administrador.

conforme se dispuser em regulamento. no interesse do serviço. Ajuda de custo . locomoção etc.DIREITO ADMINISTRATIVO EM TEORIA E EXERCÍCIOS – STN – PROFA. por força das atribuições próprias do cargo.para compensar afastamento da sede em caráter eventual ou transitório para outro ponto do território nacional ou para o exterior.dependem de regulamento .é calculada sobre a remuneração do servidor. .para compensar as despesas de instalação do servidor que.para compensar despesas com a utilização de meio próprio de locomoção para a execução de serviços externos. . alimentação.servem para indenizar despesas extraordinárias com pousada. não podendo exceder à importância correspondente a 3 meses Diárias . Transporte . com mudança de domicílio em caráter permanente.pontodosconcursos.com.br .depende de regulamento para compensar despesas comprovadamente realizadas pelo servidor com aluguel de moradia ou com meio de hospedagem 25 www. passar a ter exercício em nova sede. PATRÍCIA CARLA Indenizações Não se incorporam ao vencimento/provento para qualquer efeito Valores que são estabelecidos em regulamento .

tem que atender aos requisitos da lei (art.br . PATRÍCIA CARLA administrado por empresa hoteleira. 26 www. . Auxílio-moradia .o valor é limitado a 25% do valor do cargo em comissão. no prazo de um mês. colocação de imóvel funcional à disposição do servidor ou aquisição de imóvel.não será concedido por prazo superior a 8 anos dentro de cada período de 12 anos. . função comissionada ou cargo de Ministro de Estado ocupado. o auxíliomoradia continuará sendo pago por mais um mês. ocorrendo falecimento.DIREITO ADMINISTRATIVO EM TEORIA E EXERCÍCIOS – STN – PROFA. exoneração. após a comprovação da despesa pelo servidor.com. 60 – B).pontodosconcursos.

com.lei específica remuneração estabelecerá a corresponde a 1/12 da remuneração mensal do servidor.prestado em horário compreendido entre 22h e 5h do dia seguinte.30. serviço respeitado o limite máximo de 2h por jornada . assessoramento Gratificação natalina Adicional insalubres. 27 www.servidores que trabalhem com perigosas ou habitualidade em locais insalubres ou em contato permanente com substâncias tóxicas. computando-se cada hora como 52. Função de direção.pontodosconcursos. PATRÍCIA CARLA Gratificações e Adicionais .12 de atividades . por mês de exercício no respectivo ano – será paga até o dia 20.remunerado com acréscimo de 50% em relação à hora normal.br .as gratificações e os adicionais incorporam-se ao vencimento ou provento. nos casos e condições indicados em lei. terá o valor-hora acrescido de 25%.DIREITO ADMINISTRATIVO EM TEORIA E EXERCÍCIOS – STN – PROFA. radioativas ou com risco de vida (definido em lei específica) de Adicional noturno . penosas Adicional extraordinário chefia e .

DIREITO ADMINISTRATIVO EM TEORIA E EXERCÍCIOS – STN – PROFA. inclusive para fins de cálculo dos proventos da aposentadoria e das pensões. análise curricular.com. coordenação. quando tais atividades não estiverem incluídas entre as suas atribuições permanentes.corresponde a 1/3 da remuneração do período de férias. Gratificação por curso ou concurso encargo c) participar da logística de preparação e de realização de de concurso público envolvendo atividades de planejamento. b) participar de banca examinadora ou de comissão para exames orais.devida ao servidor que. correção de provas discursivas. de desenvolvimento ou de treinamento regularmente instituído no âmbito da administração pública federal. .não se incorpora ao vencimento ou salário do servidor para qualquer efeito e não poderá ser utilizada como base de cálculo para quaisquer outras vantagens. d) participar ou supervisionar a aplicação de provas de exame vestibular ou de concurso público. .pontodosconcursos. PATRÍCIA CARLA . Adicional de férias . observados os parâmetros legais. relativos ao local ou à natureza do trabalho 28 www.Podem ser instituídos outros. elaboração de questões de provas ou julgamento de recursos intentados por candidatos.br . .os critérios de concessão e os limites da gratificação por regulamento. execução e avaliação de resultado. em caráter eventual: a) atuar como instrutor em curso de formação. supervisão.

. salvo casos previstos em lei específica. PATRÍCIA CARLA Férias . 29 www.indenização – na exoneração de cargo efetivo.com. há indenização relativa ao período das férias a que tiver direito e ao incompleto. . serviço militar ou eleitoral. na proporção de um doze avos por mês do efetivo exercício.br .parcelamento – até 3 etapas dede que assim requeridas pelo servidor. . vedada acumulação. convocação para júri. . ou em comissão.primeiro período aquisitivo de férias serão exigidos 12 meses de exercício. . comoção interna. ou por necessidade do serviço declarada pela autoridade máxima do órgão ou entidade.raio x ou substâncias radioativas – 20 dias por semestre. e no interesse da administração pública.30 dias – podendo ser acumuladas até no máximo 2 períodos.pagamento será efetuado 2 dias antes do início do período.pontodosconcursos.interrupção – por motivo de calamidade pública. .DIREITO ADMINISTRATIVO EM TEORIA E EXERCÍCIOS – STN – PROFA.

até o décimo dia seguinte ao do pleito (licença com vencimentos pelo período de 3 meses) 30 www.sem remuneração. para o exterior ou para o exercício de mandato eletivo. quando a assistência for indispensável e não puder ser prestada simultaneamente.será concedida por lei específica mas.exige comprovação por junta médica. ou dependente que viva às suas expensas.prazo: 30 dias + 30 dias com remuneração e.A licença concedida dentro de 60 dias do término de outra da mesma espécie será considerada prorrogação. doença do cônjuge ou companheiro. PATRÍCIA CARLA Licenças .não será concedida nova licença em período inferior a 12 meses do término da última licença concedida. desde que para o exercício de atividade compatível.pontodosconcursos. Doença em pessoa da família . Afastamento do cônjuge ou companheiro Serviço militar Atividade política . do padrasto ou madrasta e enteado. o servidor terá ainda até 30 dias sem remuneração para reassumir o exercício do cargo. concluído o serviço militar. como candidato a cargo eletivo. dos pais. . . e a véspera do registro de sua candidatura perante a Justiça Eleitoral e será afastado. durante o período que mediar entre a sua escolha em convenção partidária.com.br . .DIREITO ADMINISTRATIVO EM TEORIA E EXERCÍCIOS – STN – PROFA. a partir do dia imediato ao do registro de sua candidatura perante a Justiça Eleitoral. ultrapassando. . podendo haver exercício provisório em órgão ou entidade da Administração Federal. dos filhos.para acompanhar cônjuge ou companheiro que foi deslocado para outro ponto do território nacional. até 90 dias sem remuneração.

associação de classe de âmbito nacional. por até 3 meses. 31 www. para participar de gerência ou administração em sociedade cooperativa constituída por servidores públicos para prestar serviços a seus membros. sindicato representativo da categoria ou entidade fiscalizadora da profissão. ou. sem remuneração para o desempenho de mandato em confederação.pontodosconcursos. federação. licenças para o trato de assuntos particulares pelo prazo de até 3 anos consecutivos. ainda. podendo ser prorrogada. e por uma única vez. desde que não esteja em estágio probatório.com.poderão ser concedidas ao servidor ocupante de cargo efetivo. para participar de curso de capacitação profissional.DIREITO ADMINISTRATIVO EM TEORIA E EXERCÍCIOS – STN – PROFA. terá duração igual a do mandato. no caso de reeleição.br . sem remuneração.a cada 5 anos poderá afastar-se do exercício do cargo efetivo. PATRÍCIA CARLA Capacitação Interesses particulares Mandato classista . com a respectiva remuneração. .

94. Servir a outro órgão ou entidade Mandato eletivo Participação em programa de pós-graduação stricto sensu no país . DF ou dos Municípios.mantém a remuneração.DIREITO ADMINISTRATIVO EM TEORIA E EXERCÍCIOS – STN – PROFA.quando vedada a acumulação: art. ressarcir o órgão ou entidade dos gastos com seu aperfeiçoamento.será concedida desde que a participação não possa ocorrer simultaneamente com o exercício do cargo ou mediante compensação de horário. será permitida nova ausência. mantido o ônus para o cedente nos demais casos.br .pode ser utilizado para servir em cargo em comissão ou função de confiança ou em casos previstos em leis específicas. somente decorrido igual período. .se EP ou SEM e o servidor optar pela remuneração do cargo efetivo acrescida de percentual da retribuição do cargo em comissão. devendo.para órgãos ou entidades dos Estados. .pontodosconcursos. isso também ocorrerá caso o servidor não obtenha o título ou grau que justificou seu afastamento. . CF e art. a entidade cessionária efetuará o reembolso das despesas realizadas pelo órgão ou entidade de origem. Estudo ou missão no Exterior 32 www. . o ônus da remuneração será do órgão ou entidade cessionária.a ausência não excederá a 4 anos e. 38.com. os beneficiados terão que permanecer no exercício de suas funções após o seu retorno por um período igual ao do afastamento concedido. PATRÍCIA CARLA Afastamentos . caso contrário. salvo na hipótese comprovada de força maior ou de caso fortuito. RJU. . finda a missão ou estudo.

madrasta ou padrasto. independentemente de compensação de horário.1 dia Doação de sangue . PATRÍCIA CARLA .br .pontodosconcursos.8 dias Casamento . Concessões . pais.utilizado nas seguintes hipóteses: Horário especial a) para estudante. companheiro. b) para portador de deficiência. enteados. ressalvada a hipótese de ressarcimento da despesa havida com seu afastamento. 33 www. menor sob guarda ou tutela e irmãos .2 dias Alistamento eleitoral .não será concedida exoneração ou licença para tratar de interesse particular antes de decorrido período igual ao do afastamento. filhos. quando comprovada a necessidade por junta médica oficial. com compensação de horário.8 dias Falecimento do cônjuge. quando comprovada a incompatibilidade entre o horário escolar e o da repartição. sem prejuízo do exercício do cargo.com.DIREITO ADMINISTRATIVO EM TEORIA E EXERCÍCIOS – STN – PROFA.

aplicáveis a todo aquele que pratica ato de improbidade administrativa. mas apenas sanções cíveis.com. a perda da função pública. fiscalizar ou avaliar provas de exames vestibular ou de concurso público. d) para servidor que desempenhe atividade prevista nos incisos I e II do art. dispõe sobre sanções aplicáveis aos agentes públicos nos casos de enriquecimento ilícito no exercício de mandato (eletivo). através de negritos não constantes do original. 76-A.LEI Nº 8.DIREITO ADMINISTRATIVO EM TEORIA E EXERCÍCIOS – STN – PROFA. a indisponibilidade dos bens e o ressarcimento ao erário19.107/2005. foi atualizada pela Medida Provisória 2. II – participar de banca examinadora ou de comissão de análise de currículos. ou supervisionar essas atividades. apenas ação cível. quais sejam: I – atuar como instrutor em curso de formação. PROBIDADE NA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA . 34 www. emprego (CLT) ou mesmo de função (temporária ou de confiança) na administração pública direta. de desenvolvimento ou de treinamento regularmente instituído no âmbito da administração pública federal. indireta ou fundacional. § 4º: § 4º Os atos de improbidade administrativa importarão a suspensão dos direitos políticos. Não há ação penal. exigindo-se. PATRÍCIA CARLA c) para servidor que tenha cônjuge. cargo (estatutário). sem prejuízo da ação penal cabível.225-45/2001 e pela Lei nº 11. filho ou dependente portador de deficiência física. na forma e gradação previstas em lei.429/92 Introdução: Esta lei tem seu fundamento constitucional no art. 19 =Cofres públicos. compensação de horário.br . mas não se trata de sanções penais. porém. Note que esta lei dispõe sobre sanções. Na análise dos diversos dispositivos da Lei procuraremos destacar as partes mais importantes para concursos. 37.pontodosconcursos. Promulgada em 1992.

PATRÍCIA CARLA Abrangência da Lei: Esta lei alcança os atos de improbidade praticados por qualquer agente público. serão punidos na forma desta lei.br . dos Municípios. contra a administração direta. a responsabilidade é integral. II – empresa incorporada ao patrimônio público. nestes casos. ou seja. fiscal ou creditício. servidor ou não.DIREITO ADMINISTRATIVO EM TEORIA E EXERCÍCIOS – STN – PROFA. Nos dois últimos. indireta ou fundacional de qualquer dos Poderes da União. indireta ou fundacional de qualquer dos Poderes da União. a sanção patrimonial limita-se à repercussão do ilícito sobre a contribuição dos cofres públicos. IV – patrimônio de entidade que receba subvenção. o art. de Território. III – entidade para cuja criação ou custeio o erário haja concorrido ou concorra com mais de cinquenta por cento do patrimônio ou da receita anual. para os efeitos desta lei. seja servidor estatutário ocupante de cargo efetivo ou não. V – entidade para cuja criação ou custeio o erário haja concorrido ou concorra com menos de cinquenta por cento do patrimônio ou da receita anual. de empresa incorporada ao patrimônio público ou de entidade para cuja criação ou custeio o erário haja concorrido ou concorra com mais de cinquenta por cento do patrimônio ou da receita anual. Assim foi redigido o art. o ressarcimento será limitado ao prejuízo dos cofres públicos. benefício ou incentivo. de Território. Atenção: esse é o tipo de exceção à regra que tem boas chances de ser cobrada em concurso! Definição legal de agente público: Para os fins desta Lei. de órgão público. fiscal ou creditício. de órgão público bem como daquelas para cuja criação ou custeio o erário haja concorrido ou concorra com menos de cinquenta por cento do patrimônio ou da receita anual. nos três primeiros casos. todo 35 www. No parágrafo único deste artigo a lei prevê mais duas alternativas que se destacam: Parágrafo único. 2º Reputa-se agente público.pontodosconcursos. Importante destacar que. limitandose. dos Municípios. a sanção patrimonial à repercussão do ilícito sobre a contribuição dos cofres públicos. dos Estados. benefício ou incentivo. 1º Os atos de improbidade praticados por qualquer agente público. 2º cuidou de discriminar quem é considerado agente público: Art. do Distrito Federal. 1º: Art. dos Estados.com. do Distrito Federal. Estão também sujeitos às penalidades desta lei os atos de improbidade praticados contra o patrimônio de entidade que receba subvenção. As disposições desta lei abrangem os atos de improbidade administrativa praticados contra: I – a administração direta.

além dos temporários. mesmo que transitoriamente e sem remuneração. prerrogativas e privilégios próprios. Vereador. Deputado. nos termos do art. designação. próprio da iniciativa privada. do regime contratual.pontodosconcursos.DIREITO ADMINISTRATIVO EM TEORIA E EXERCÍCIOS – STN – PROFA. seriam agentes públicos os agentes políticos. Assim. IX. O gênero agentes públicos inclui todas as pessoas que. Distrito Federal e Municípios) que estabelece as regras de relacionamento entre os servidores e a Administração Pública. com características. por eleição. Citemse os leiloeiros. Servidores públicos. IX. Perceba que é bastante abrangente o campo de incidência desta Lei. de uma forma ou de outra. Entre os agentes. Senador. também chamados de funcionários públicos (como na CF/67).745/93. prestam algum tipo de serviço ao Estado. Empregados públicos são aqueles contratados. da CF/88. permissionários e autorizatários. Os servidores estatutários. São também chamados de agentes administrativos. Seguindo outra classificação. os agentes políticos. em especial pela Lei nº 10. quais sejam. são os titulares de cargos públicos e estão sujeitos ao regime legal. Agentes políticos são os que compõem os altos escalões do Governo. em sentido amplo. os agentes em delegação e os servidores públicos. ainda. construção de obra pública. incluindo a Administração Pública Indireta. emergenciais. concessionários. Já os agentes em delegação são aqueles particulares que recebem do Estado a competência para executar determinada atividade pública.br . cargo. tendo vínculo empregatício e sendo pagos pelos cofres públicos. emprego ou função nas entidades mencionadas no artigo anterior. submetidos a um regime jurídico especial 20. tradutores. pois é lei de cada ente da Federação (União. os temporários são aqueles contratados para atividades transitórias. sujeitos ao regime legal. ou estatutário. 37. nomeação. da CF/88. Essa classe está prevista no art. PATRÍCIA CARLA aquele que exerce.667/2003 e pelo Decreto nº 4. Estados-membros. ainda que transitoriamente ou sem remuneração. Por sua vez. quanto os empregados públicos. Magistrado e membro do Ministério Público. disciplinado pela Lei nº 8. contratação ou qualquer outra forma de investidura ou vínculo. peritos. Nessa classificação estão tanto os servidores estatutários. devem obedecer à Consolidação das Leis do Trabalho (CLT).748/2003. 37). que a regulamenta. como Presidente da República.com. os funcionários públicos e os 20 Na esfera federal. bem assim as regras impostas pela CF/88 (art. ou prestação de serviço público ou. Prefeito. são todos os que prestam serviços ao Estado. mandato. 36 www. de Celso Antônio Bandeira de Mello. com alterações posteriores. seguindo o regime trabalhista. em geral estabelecidos pela Constituição Federal. Governador. 37. encontram-se três espécies principais.

Por exemplo. DJ 20/06/2007. desde os seus primórdios. ao prever um juízo censório próprio e específico para os membros do Parlamento. 37 www. não se convertem em crimes de responsabilidade. `c`. Dessa forma. tal 21 QO em Pet 3. dessa forma. 102. 37. a Lei de Improbidade de todo e qualquer agente político. condenado em ação de improbidade administrativa. O Tribunal. 22 STF. relator Ministro Joaquim Barbosa. da CF. DJ 19/12/2006. Não se afasta. e o regime de crime de responsabilidade fixado no art.923/SP. pleiteia que a execução da respectiva sentença condenatória tramite perante o Supremo Tribunal Federal. Aliás. passando pela sua implantação e consolidação na América. por unanimidade. relator Ministro Nelson Jobim.DIREITO ADMINISTRATIVO EM TEORIA E EXERCÍCIOS – STN – PROFA. não se pode atribuir a prática de crimes de responsabilidade22. quais sejam.429/1992 regulamenta o art. por estarem regidos por normas especiais de responsabilidade. PATRÍCIA CARLA particulares em colaboração com o Poder Público.429/92. I. na Constituição dos EUA de 1787. àqueles passíveis de punição com base no regime de crime de responsabilidade não se aplica a Lei nº 8. (b) a ação de improbidade administrativa tem natureza penal e (c) encontrava-se pendente de julgamento. que traduz uma concretização do princípio da moralidade administrativa inscrito no caput do mesmo dispositivo constitucional. Segundo opiniões dos atuais Ministros do STF. regulado pela Lei 8. As condutas descritas na lei de improbidade administrativa. Informativo 471. a Reclamação 2138. parágrafo 4º da Constituição. que coincidem com o início de consolidação das atuais instituições políticas britânicas na passagem dos séculos XVII e XVIII. Note o que ficou decidido na Reclamação nº 2. 2) Crime de responsabilidade ou impeachment. § 4º.797/DF. nesta Corte. Assim. aos membros do Congresso Nacional 21 e das outras casas legislativas.429/92. Recente julgado do STF. sob a alegação de que: (a) os agentes políticos que respondem pelos crimes de responsabilidade tipificados no Decreto-Lei 201/1967 não se submetem à Lei de Improbidade (Lei 8.br . a Constituição de 1988 é clara nesse sentido. publicação DJ 26/09/2008. quando imputadas a autoridades detentoras de prerrogativa de foro. o STF não tem competência para o prosseguimento da execução. Embora com uma divisão um pouco diferente. Ressalte-se ainda que o julgamento em comento teve diversos votos de Ministros já aposentados. Não se concebe a hipótese de impeachment exercido em detrimento de membro do Poder Legislativo. em razão de atos praticados à época em que era prefeito municipal. DJ 20/06/2007.429/92. da CF e disciplinado pela Lei 1. 3) Estando o processo em fase de execução de sentença condenatória. não há falar em crime de responsabilidade de parlamentar. Trata-se de contraditio in terminis.079/50. e Pet 3. contudo. segundo a Constituição. esta também inclui todos os retro citados.com. I. todos eles deveriam estar submetidos às prescrições da Lei de Improbidade. 102. ADI 2. é instituto que traduz à perfeição os mecanismos de fiscalização postos à disposição do Legislativo para controlar os membros dos dois outros Poderes. não respondem por improbidade administrativa com base na Lei 8. c. alterou essa conclusão. que é o previsto em seu artigo 55. mas apenas por crime de responsabilidade em ação que somente pode ser proposta perante o STF nos termos do art. Há distinção entre os regimes de responsabilidade político-administrativa previstos na CF. sob pena de ocorrência de bis in idem. noticiado no Informativo 471: Agentes políticos. limitando o alcance da Lei.pontodosconcursos. 37. independente da classificação que se use.138/DF. determinou a remessa dos autos ao juízo de origem. O pedido foi indeferido sob os seguintes fundamentos: 1) A lei 8.429/1992). o do art.923 QO/SP. Informativos 471 e 521: Deputado Federal. Noutras palavras.

das autoridades excluídas da hipótese acima descrita.429/1992 (Lei de Improbidade Administrativa . da LIA não invalida os atos processuais posteriores. DJ 2/2/2007. I. Cuida-se de ação civil pública (ACP) ajuizada contra ex-prefeito pela falta de prestação de contas no prazo legal referente a recursos repassados pelo Ministério da Previdência e Assistência Social. 201/1967 (crimes de responsabilidade). Assim. que os submete a julgamento pela via judicial pela prática dos mesmos fatos. DJe 20/4/2009. e entendeu o juiz ser prescindível a referida notificação. a. PREFEITO. 17. 96.511/CE. a. DL. ao julgar reclamação. Precedentes citados do STF: Rcl 2. Por último. 105. Nesse panorama.23 (grifou-se) A competência judicial para apurar ato de improbidade praticados pelos 23 STJ. 52. I. N. c. 38 www. DJ 2/8/2007. DJe 18/4/2008. Recentemente assim se posicionou o STJ: ACP. Rcl 4. III. e REsp 799.671-PI. pois. todos da CF/1988). REsp 1. isso não lhe assegura o direito de não responder pelos mesmos fatos nas esferas civil e administrativa.555-SC. tal qual o prefeito.138-DF. do STJ: EDcl no REsp 456. que conduz o prefeito ou vereador a um julgamento político. 102. elencadas na Carta Magna (arts. I. não estão sujeitas a julgamento também na Justiça cível comum pela prática da improbidade administrativa.429/1992. 8. Mas lá também ficou claro que apenas as poucas autoridades com foro de prerrogativa de função para o processo e julgamento por crime de responsabilidade. 8. DJ 14/11/2006. por esses atos de improbidade.677RS. relatora Ministra Eliana Calmon. Desinfluente.LIA). constata-se não haver qualquer antinomia entre o DL n. 1º/9/2009.DIREITO ADMINISTRATIVO EM TEORIA E EXERCÍCIOS – STN – PROFA. a menos que ocorra efetivo prejuízo.pontodosconcursos. HC 70. DJ 18/9/2006. No caso. Note-se não se desconhecer que o STF. REsp 619. REsp 944. e a Lei n.339-RS.com. e 108. julgamento de efeito inter pars.946-RS. sua falta não impediu o desenvolvimento regular do processo.767-CE. Portanto. LEI N. a qual não foi aproveitada. PATRÍCIA CARLA posicionamento não deve ser mantido em futuros julgados. conforme precedente deste Superior Tribunal. afastou a aplicação da LIA a ministro de Estado.br . 201/1967. DJ 19/5/1995. § 7º. DJ 20/11/2006. dessarte. houve a citação pessoal do réu. Informativo 405. REsp 680. o julgamento. que não apresentou contestação. pois houve oportunidade de o réu apresentar defesa.649-MG.034. continua sujeito ao juiz cível de primeira instância. a condenação do exprefeito na esfera penal. I e II. vê-se da leitura de precedentes que a falta da notificação constante do art.

. Porém.com. para o fim de estabelecer competência originária do Supremo Tribunal.792/DF e ADI 2. àquele que.628/2002 acrescentou o § 2º ao artigo 84 do Código de Processo Penal com a seguinte redação: § 2º A ação de improbidade. importa ressatar que constitui crime a representação por ato de improbidade contra agente público ou terceiro beneficiário. pretende a lei questionada equiparar a ação de improbidade administrativa. se: I – induzir. É isso que determina o art. de ato de improbidade administrativa. induza ou concorra para a prática do ato de improbidade ou dele se beneficie sob qualquer forma direta ou indireta. Ressalte-se que a Lei nº 10.DIREITO ADMINISTRATIVO EM TEORIA E EXERCÍCIOS – STN – PROFA. de competência originária não prevista na Constituição: inconstitucionalidade. 37. relator Ministro Ricardo Lewandowski. 3º: Art. 10. Qualquer pessoa poderá representar à autoridade administrativa competente para que seja instaurada investigação destinada a apurar a prática de ato de improbidade (art. art. morais ou à imagem que houver provocado (art. a base de um sistema. à ação penal contra os mais altos dignitários da República. IV.429. e que condicionam as estruturas subsequentes.628/2002): declaração.24 Mesmo aquele que não é agente público pode ser alcançado. Ou seja.. parágrafo único). 19). ou. o alicerce. garantindo-lhe validade. 24 STF. 14. quando o autor da denúncia o sabe inocente. 84 do C Pr Penal introduzido pela L... em relação à qual a jurisprudência do Tribunal sempre estabeleceu nítida distinção entre as duas espécies. 39 www. 19. estará sujeito às disposições desta Lei. Observação aos princípios: os princípios constituem o fundamento. A representação. será proposta perante o tribunal competente para processar e julgar criminalmente o funcionário ou autoridade na hipótese de prerrogativa de foro em razão do exercício de função pública. § 4º). conterá a qualificação do representante. Ação de improbidade administrativa: extensão da competência especial por prerrogativa de função estabelecida para o processo penal condenatório contra o mesmo dignitário (§ 2º do art. de natureza civil (CF. mesmo não sendo agente público. § 1º).pontodosconcursos. relator Ministro Sepúlveda Pertence: . tal parágrafo foi julgado inconstitucional pelo STF .498. Pet 4. por lei. mesmo aquele que NÃO é agente público. III – se beneficiar. 14). de 2 de junho de 1992. as informações sobre o fato e sua autoria e a indicação das provas de que tenha conhecimento (art. PATRÍCIA CARLA demais agente é sempre do juiz de 1º grau. pelas sanções da lei de improbidade administrativa.. De outro lado.. 5. que será escrita ou reduzida a termo e assinada.br . de que trata a Lei nº 8. o denunciante está sujeito a indenizar o denunciado pelos danos materiais. . 06/04/2009. passível de pena de detenção de seis a dez meses e multa (art. 3º As disposições desta lei são aplicáveis. no que couber. No entanto.860/DF. Além da sanção penal.ADI 2. no que couber. II – concorrer.

Ressalte-se que esses são os mesmos quatro princípios constantes da redação original do caput do art. relator Ministro Paulo Medina.5. 5º da Lei assim fixou: Art. 5º Ocorrendo lesão ao patrimônio público por ação ou omissão. 25 26 Item 4.DIREITO ADMINISTRATIVO EM TEORIA E EXERCÍCIOS – STN – PROFA. a indisponibilidade dos bens e o ressarcimento ao erário. art. impessoalidade. 37 da Constituição. na forma e gradação previstas em lei. 37. dolosa ou culposa. fundamental sua importância no estudo do Direito. servidor ou não. CF/88). Ademais. Essa é a previsão constitucional. ou seja. atenção na hora da prova. nos termos da Lei nº 8. moralidade e publicidade no trato dos assuntos que lhe são afetos.429/1992. sim! Mas. Destaque-se que as ações de ressarcimento são imprescritíveis (parte final do § 5º. o art. No entanto. publicação DJ 02/12/2002.com. impessoalidade. visto a seguir. moralidade e publicidade. No entanto. importante também saber esses princípios. dar-se-á o integral ressarcimento do dano. haverá o integral ressarcimento ao erário. PATRÍCIA CARLA Assim. Tanto é assim que a Lei de Improbidade previu a obrigatoriedade na observação de diversos princípios. nos termos seguintes: Art. Assim. inserta nos §§ 4º e 5º do art. 37: § 4º Os atos de improbidade administrativa importarão a suspensão dos direitos políticos. convém relembrar que o princípio da eficiência25 foi nele inserido pela Emenda Constitucional nº 19. 37. STJ. aula 1. RESP 328.pontodosconcursos. do agente ou de terceiro. ressalvadas as respectivas ações de ressarcimento. 4º Os agentes públicos de qualquer nível ou hierarquia são obrigados a velar pela estrita observância dos princípios de legalidade. se uma questão de prova cobrar quais os princípios. Ressarcimento ao patrimônio público: Em havendo dano ao patrimônio público. Por sua vez. sem prejuízo da ação penal cabível. É claro que os agentes públicos devem obedecer a todos os cinco princípios constitucionais da Administração Pública (art. CF/88). que causem prejuízos ao erário. podem ser propostas e cobrado o prejuízo a qualquer tempo26.391/DF. a perda da função pública. os agentes públicos de qualquer nível ou hierarquia são obrigados a velar pela estrita observância do princípio da eficiência? Nos termos da CF/88. a resposta deverá ser legalidade. 40 www.br . § 5º A lei estabelecerá os prazos de prescrição para ilícitos praticados por qualquer agente. de 1998. pois um dos casos de atos de improbidade administrativa justamente refere-se àqueles que atentam contra os princípios da Administração Pública.

Note que pouco importa se houve ou não lesão ao erário. tampouco assume o risco de produzilo. doloso ou culposo. II – a lesão pode advir de ação ou omissão. em casos de enriquecimento ilícito. Aqui é tratado apenas do enriquecimento ilícito do agente ou terceiro. que resulte em prejuízo ao erário ou a terceiros. por ato de improbidade. relatora Ministra Eliana Calmon. I27. ou assumindo o risco produzilo (dolo eventual). o agente prevê que será possível a concretização do resultado e a ele é indiferente (art. quando o agente quis o resultado ou assumiu o risco de produzi-lo. Neste caso. II28. 18 Diz-se o crime: (. o Poder Público pode lançar mão. 29 STJ. RESP 621. 28 Art. houver acréscimo ilícito no patrimônio dos envolvidos. Assim. A diferença entre perdimento de bens e outras penalidades sobre o patrimônio do agente público serão analisadas adiante. serão perdidos.. será decretada a pena de perdimento de tais bens ou valores. se não há prova de que o agente teve intenção ou culpa e tampouco comprovação do dano da conduta. 18. 122.. Código Penal). quando o agente deu causa ao resultado por imprudência. 6º: Art. para atingir o objetivo de ver-se ressarcido do prejuízo. ou seja. será culposa a conduta quando o agente dá causa ao resultado por imprudência. ele não quer o resultado. podemos destacar: I – o ressarcimento do dano deverá ser integral. Naturalmente que. Código Penal). 6º No caso de enriquecimento ilícito. Assim foi redigido o art.112/90. Então. 41 www. pode haver perdimento.br . 18. ainda que não haja lesão ao erário. A responsabilidade civil decorre de ato omissivo ou comissivo. contém regra semelhante: Art.415/MG. 18 Diz-se o crime: I – doloso. como o ressarcimento dos supostos danos. III – a lesão pode ser dolosa ou culposa.) II – culposo. não há como imputar ao agente público ato de improbidade administrativa. se. julgamento 16/02/2006. Diz-se que a conduta (ação ou omissão) é dolosa quando praticada com a vontade de produzir o resultado (dolo direto). perderá o agente público 27 Art.com. negligência ou imperícia (art. mas a ele dá causa.29 Por fim. Perdimento dos bens: Todos os bens ou valores acrescidos ao patrimônio do agente público ou do terceiro beneficiário. entre outros. negligência ou imperícia. do seqüestro ou do perdimento de bens. ou pretender puni-lo com as penas previstas para tal conduta. PATRÍCIA CARLA Desse comando. Por sua vez.pontodosconcursos. A Lei nº 8. Estatuto dos Servidores Públicos Federais.DIREITO ADMINISTRATIVO EM TEORIA E EXERCÍCIOS – STN – PROFA. da indisponibilidade.

br . Sequestro: medida cautelar que visa garantir o bem através da apreensão ou o depósito judicial de certa coisa. o sequestro é dirigido contra determinada coisa. Perde a posse. se for o caso. a fim de que seja entregue. Permanece a propriedade e a posse do mesmo. E tem a finalidade de retirar essa coisa da posse de quem a tem. PATRÍCIA CARLA ou terceiro beneficiário os bens ou valores acrescidos ao seu patrimônio. O sequestro é uma medida de segurança. Essa matéria está sob reserva de jurisdição.2000. ou sujeita a determinados encargos. a quem de direito. Parágrafo único. o qual deixa de lhe pertencer. ceder. Importante destacar as diferenças entre as medidas seguintes: Indisponibilidade: medida cautelar sobre a coisa de que não se pode dispor (vender. que peticiona junto ao Poder Judiciário. permutar).05. a indisponibilidade dos bens é declarada pelo juiz. mas não tem todos os poderes sobre eles. havendo fundados indícios de responsabilidade. a futura execução forçada da sentença condenatória decorrente de atos de improbidade administrativa”30. relator Juiz Teori Albino Zavascki. que tanto se pode promover como preparatória. 7º Quando o ato de improbidade causar lesão ao patrimônio público ou ensejar enriquecimento ilícito. quando solucionada a pendência. AI 1999. Em outras palavras. A indisponibilidade a que se refere o caput deste artigo recairá sobre bens que assegurem o integral ressarcimento do dano. caberá à autoridade administrativa responsável pelo inquérito representar ao Ministério Público.095390-1/RS. tais bens serão usados para tal. A autoridade administrativa representa (indica os elementos de fato. tem o objetivo de limitar os direitos sobre a propriedade do indiciado.com.04. 42 www. Ao final. Perdimento: o perdimento é medida definitiva que retira do apenado a propriedade do bem. para a indisponibilidade dos bens do indiciado. como preventivamente. O proprietário pode continuar utilizando o bem. se condenado e não adimplir seu débito. ou coisa especificada. Indisponibilidade dos bens: A indisponibilidade de bens do indiciado tem “a função própria de assegurar bases patrimoniais sobre as quais incidirá. Os bens continuam sendo do indiciado. mas permanece a propriedade. dar.pontodosconcursos. sobre que se litiga. Assim. a necessidade) ao Ministério Público. ou onde se pretende intentar a ação. onde se intenta. e não pela Administração. Isso é o que dispõe o art. sobre a qual pesa um litígio. 7º: Art. mas não pode dele dispor. ou sobre o acréscimo patrimonial resultante do enriquecimento ilícito. de tal forma que não possa se desfazer de seu patrimônio sem garantir o pagamento integral de eventual condenação futura.DIREITO ADMINISTRATIVO EM TEORIA E EXERCÍCIOS – STN – PROFA. publicação DJ 17. é dizer. a comissão 30 TRF 4ª Região. para trazê-la e conservá-la em segurança perante o juízo.01. Nesse sentido.

Então. 8º O sucessor daquele que causar lesão ao patrimônio público ou se enriquecer ilicitamente está sujeito às cominações desta lei até o limite do valor da herança. 8º da Lei: Art. até o limite do valor da herança recebida. Lei nº 8... O Estado recebe $ 50 do espólio.com.pontodosconcursos.nenhuma pena passará da pessoa do condenado. II – causam prejuízo ao erário.DIREITO ADMINISTRATIVO EM TEORIA E EXERCÍCIOS – STN – PROFA. 5º.) XLV . Esta Lei segue o mesmo sentido de outra regra constitucional. não podendo cobrar mais nada dos sucessores. estendidas aos sucessores e contra eles executadas. O Estado fica com o prejuízo de $ 30. podendo a obrigação de reparar o dano e a decretação do perdimento de bens ser. até o limite do valor da herança recebida. a saber: Art. se falecer o devedor. III – atentam contra os princípios da Administração Pública. II – herança de $ 50. Assim. a obrigação de reparar o dano estende-se aos sucessores e.br . Veja o que diz o art. Classificação dos atos de improbidade administrativa: Os atos de improbidade administrativa foram classificados pela Lei em três grupos. O Estado recebe $ 20 do espólio. com características e sanções em diferentes graus. III – herança de $ 90. A seguir. O Estado recebe os $ 50 do espólio.) § 3º A obrigação de reparar o dano estende-se aos sucessores e contra eles será executada. são atos que: I – importam enriquecimento ilícito. (. se a dívida for de $ 50. nada restando aos herdeiros. nada restando aos herdeiros. nos termos da lei. 43 www. Assim. podem advir três possibilidades. De igual forma o Estatuto dos Servidores Públicos Federais.112/90: Art. contra eles será executada. para exemplificar: I – herança de $ 20.. e os herdeiros distribuem os restantes $ 40. 16). Alcance aos sucessores: O ressarcimento ao erário e a perda dos bens ilicitamente acrescidos ao patrimônio do agente público não perdem seu objeto em função de sua morte. analisamos cada um desses tipos.. até o limite do valor do patrimônio transferido. PATRÍCIA CARLA processante representará ao Ministério Público ou à procuradoria do órgão para que requeira ao juízo competente a decretação do seqüestro dos bens do agente ou terceiro que tenha enriquecido ilicitamente ou causado dano ao patrimônio público (art. (. 122.

incisos IV. que possa ser atingido ou amparado por ação ou omissão decorrente das atribuições do agente público. ou seja. O incisos II e III. sem. O que a Lei faz é apenas ilustrar com alguns casos. ainda. bem móvel ou imóvel. Ressalte-se. também causam prejuízo ao erário. ou a contratação de serviços pelas entidades referidas no art. 9º: Art. como receber. incorporar etc.Receber. 9º. há ato de improbidade administrativa em que fica configurado que o agente público enriqueceu ilicitamente. dinheiro.pontodosconcursos. nos casos a seguir relacionados. 9º a seguir reproduzido não prevê a modalidade culposa.DIREITO ADMINISTRATIVO EM TEORIA E EXERCÍCIOS – STN – PROFA. permuta ou locação de bem móvel ou imóvel. a mais grave entre as três espécies. III . emprego ou atividade nas entidades mencionadas no art. emprego ou atividade nas entidades já mencionadas. seja na forma de não redução do mesmo (ex. 12). como o art.com. mandato. por exemplo.br . utilizar. Aqui pode ou não haver dano ao erário. portanto. II . percentagem. A seguir. Constitui ato de improbidade administrativa importando enriquecimento ilícito auferir qualquer tipo de vantagem patrimonial indevida em razão do exercício de cargo. 1º desta lei. 44 www. direto ou indireto. É necessária a leitura atenta a todos os incisos do art. que tal rol é meramente exemplificativo. função.Perceber vantagem econômica. direta ou indireta. somente haverá punição a título de dolo. para facilitar a aquisição. seja na forma de incremente no seu patrimônio (ex. com as penalidades mais severas (art. o art. percebe-se nitidamente que houve acréscimo patrimonial. direta ou indireta. permuta ou locação de bem público ou o fornecimento de serviço por ente estatal por preço inferior ao valor de mercado. direta ou indireta. para si ou para outrem. no entanto. adquirir. a título de comissão. não gasta seus valores para obter a vantagem indevida. mandato. e notadamente: I . XI. 9º Constitui ato de improbidade administrativa importando enriquecimento ilícito auferir qualquer tipo de vantagem patrimonial indevida em razão do exercício de cargo. Da simples observação de cada uma das situações. XII). ou qualquer outra vantagem econômica. PATRÍCIA CARLA DOS ATOS DE IMPROBIDADE ADMINISTRATIVA QUE IMPORTAM ENRIQUECIMENTO ILÍCITO Nesse tipo de conduta. para facilitar a alienação.Perceber vantagem econômica. Para a maior parte da doutrina. Para facilitar a percepção deste “enriquecimento” note a presença de verbos de ação típicos. função. o foco principal está no enriquecimento ilícito. ser necessária sua memorização. 1º por preço superior ao valor de mercado. incisos I a III). Guarde que. aceitar. gratificação ou presente de quem tenha interesse.

1º desta lei. veículos. VI . no exercício de mandato. X . de propriedade ou à disposição de qualquer das entidades mencionadas no art. 45 www. durante a atividade. bens. de lenocínio.com. o foco principal está no dano ao erário. 1º desta lei. PATRÍCIA CARLA IV . ou aceitar promessa de tal vantagem.Incorporar. DOS ATOS DE IMPROBIDADE QUE CAUSAM PREJUÍZO AO ERÁRIO Nesse segundo tipo de ato de improbidade. peso. direta ou indiretamente. de contrabando. para omitir ato de ofício. para tolerar a exploração ou a prática de jogos de azar. verbas ou valores integrantes do acervo patrimonial das entidades mencionadas no art. VIII . ou sobre quantidade. em proveito próprio.Receber vantagem econômica de qualquer natureza. V . 1º desta lei. rendas. direta ou indireta. comissão ou exercer atividade de consultoria ou assessoramento para pessoa física ou jurídica que tenha interesse suscetível de ser atingido ou amparado por ação ou omissão decorrente das atribuições do agente público. empregados ou terceiros contratados por essas entidades. bens de qualquer natureza cujo valor seja desproporcional à evolução do patrimônio ou à renda do agente público. para fazer declaração falsa sobre medição ou avaliação em obras públicas ou qualquer outro serviço. emprego ou função pública. por qualquer forma.br . medida. rendas. qualidade ou característica de mercadorias ou bens fornecidos a qualquer das entidades mencionadas no art. desvio. máquinas. independente do enriquecimento ilícito do agente. bem como o trabalho de servidores públicos. de narcotráfico. que enseje perda patrimonial.Utilizar. para si ou para outrem. cargo. em obra ou serviço particular. 1º desta lei. XII .Aceitar emprego.Perceber vantagem econômica para intermediar a liberação ou aplicação de verba pública de qualquer natureza.Receber vantagem econômica de qualquer natureza.Usar. verbas ou valores integrantes do acervo patrimonial das entidades mencionadas no art. providência ou declaração a que esteja obrigado. IX . VII .Adquirir. apropriação.pontodosconcursos. direta ou indireta. ao seu patrimônio bens. Assim. constitui ato de improbidade administrativa que causa lesão ao erário qualquer ação ou omissão.Receber vantagem econômica de qualquer natureza. malbaratamento ou dilapidação dos bens ou haveres das entidades mencionadas. de usura ou de qualquer outra atividade ilícita.DIREITO ADMINISTRATIVO EM TEORIA E EXERCÍCIOS – STN – PROFA. dolosa ou culposa. equipamentos ou material de qualquer natureza. XI .

9º e 11.Permitir ou concorrer para que pessoa física ou jurídica privada utilize bens.Facilitar ou concorrer por qualquer forma para a incorporação ao patrimônio particular. Vejamos: Art. que enseje perda patrimonial. relatora Ministra Denise Arruda. de bens. bens.com. o rol aqui também é exemplificativo. V . VI . II . 9º e 11 da LIA).Realizar operação financeira sem observância das normas legais e regulamentares ou aceitar garantia insuficiente ou inidônea.Doar à pessoa física ou jurídica bem como ao ente despersonalizado. malbaratamento ou dilapidação dos bens ou haveres das entidades referidas no art. X . PATRÍCIA CARLA Destaque-se que. verbas ou valores do patrimônio de qualquer das entidades mencionadas no art. em cada um dos itens. 19/5/2009: A forma culposa somente é admitida no ato de improbidade administrativa relacionado à lesão do erário (art. 1º desta lei. 46 www. de pessoa física ou jurídica. 10. IV .br . 10 da LIA). 1º desta lei. VIII . Faça a leitura percebendo que. sem a observância das formalidades legais ou regulamentares aplicáveis à espécie. desvio. rendas. ainda que de fins educativos ou assistenciais. 1º desta lei.Agir negligentemente na arrecadação de tributo ou renda. dolosa ou culposa. sem observância das formalidades legais e regulamentares aplicáveis à espécie.Conceder benefício administrativo ou fiscal sem a observância das formalidades legais ou regulamentares aplicáveis à espécie. 31 STJ. há prejuízo aos cofres públicos. verbas ou valores integrantes do acervo patrimonial das entidades mencionadas no art. verbas ou valores integrantes do acervo patrimonial das entidades mencionadas no art.163/RS. permuta ou locação de bem integrante do patrimônio de qualquer das entidades referidas no art. permuta ou locação de bem ou serviço por preço superior ao de mercado. rendas.Permitir ou facilitar a aquisição. de forma diversa dos arts. ou ainda a prestação de serviço por parte delas. 1º desta lei.Ordenar ou permitir a realização de despesas não autorizadas em lei ou regulamento. apropriação. IX .pontodosconcursos. 1º desta lei.31 Repetindo o anterior.Permitir ou facilitar a alienação. não sendo aplicável aos demais tipos (arts. REsp 875.DIREITO ADMINISTRATIVO EM TEORIA E EXERCÍCIOS – STN – PROFA. e notadamente: I . rendas.Frustrar a licitude de processo licitatório ou dispensá-lo indevidamente. bem como no que diz respeito à conservação do patrimônio público. III . VII . por preço inferior ao de mercado. aqui há determinação expressa no sentido de serem punidas as condutas dolosas e culposas. Constitui ato de improbidade administrativa que causa lesão ao erário qualquer ação ou omissão.

há enriquecimento ilícito e prejuízo ao erário. XIII . REsp 1. atenção a eles.DIREITO ADMINISTRATIVO EM TEORIA E EXERCÍCIOS – STN – PROFA. PATRÍCIA CARLA XI . por fim. máquinas. facilitar ou concorrer para que terceiro se enriqueça ilicitamente.com. 11. 5/8/2008. A conduta é a mesma. 1º desta lei. Aqui não se cogita do enriquecimento ilícito ou dano material ao erário32. Informativo 362: Os atos previstos no art.429/1992 configuram improbidade administrativa independentemente de dano material ao erário.107/2005) Como se disse. 12. nestes.107/2005.pontodosconcursos. empregados ou terceiros contratados por essas entidades.Celebrar contrato ou outro instrumento que tenha por objeto a prestação de serviços públicos por meio da gestão associada sem observar as formalidades previstas na lei. independente do enriquecimento ilícito do agente. portanto. às penalidade menos severas do art. para a maior parte da doutrina.Permitir.br .Celebrar contrato de rateio de consórcio público sem suficiente e prévia dotação orçamentária. como é de costume. Destaque-se. equipamentos ou material de qualquer natureza. em obra ou serviço particular. 12. ou sem observar as formalidades previstas na lei. 47 www. porém. (inciso acrescido pela Lei nº 11. Nos mesmos termos do comentário feito com relação ao art.Liberar verba pública sem a estrita observância das normas pertinentes ou influir de qualquer forma para a sua aplicação irregular. o foco está apenas no prejuízo ao erário. aqui o foco principal está no prejuízo ao erário. se concorrer essa hipótese (enriquecimento ilícito de terceiro envolvido). XII . naqueles. além de mencionar os princípios. Eventualmente. XIV . seu caput 32 STJ.Permitir que se utilize. É o tipo menos grave. Perceba que neste art. relator Ministro Teori Albino Zavascki. (inciso acrescido pela Lei nº 11. 9º. e os incisos IV e V deste (10). correspondendo. Note os incisos II e III do artigo anterior (9º). 8.003. de propriedade ou à disposição de qualquer das entidades mencionadas no art. aqui também somente se punirá a conduta dolosa. veículos. mas sim apenas da mera violação aos princípios.107/2005) XV . também haverá perda dos bens ou valores acrescidos (art. pois as bancas têm forte tendência a cobrar novidades!! DOS ATOS DE IMPROBIDADE ADMINISTRATIVA QUE ATENTAM CONTRA OS PRINCÍPIOS DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA A última espécie de ato de improbidade administrativa é a dos que atentam contra os princípios da Administração Pública. Assim. que os dois últimos incisos foram acrescidos pela Lei nº 11. bem como o trabalho de servidor público. II). 11 da Lei n.179/RO.

antes da respectiva divulgação oficial. de 30 de setembro de 1997.ceder servidor público ou empregado da administração direta ou indireta federal. com grifos nossos: Art. VII – Revelar ou permitir que chegue ao conhecimento de terceiro. PATRÍCIA CARLA prevê como ato de improbidade qualquer ação ou omissão que viole os deveres de honestidade. V . partido político ou coligação. legalidade e lealdade às instituições.br . indevidamente. imparcialidade. II – Retardar ou deixar de praticar.com. servidores ou não. V – Frustrar a licitude de concurso público. 73. VI – Deixar de prestar contas quando esteja obrigado a fazê-lo. que estabelece normas para as eleições. dos Estados.DIREITO ADMINISTRATIVO EM TEORIA E EXERCÍCIOS – STN – PROFA. imparcialidade. custeados pelos Governos ou Casas Legislativas. II . partido político ou coligação.fazer ou permitir uso promocional em favor de candidato. O rol. III . bem ou serviço. ressalvada a realização de convenção partidária.504. III – Revelar fato ou circunstância de que tem ciência em razão das atribuições e que deva permanecer em segredo. também exemplificativo. Por fim. bens móveis ou imóveis pertencentes à administração direta ou indireta da União. teor de medida política ou econômica capaz de afetar o preço de mercadoria. São proibidas aos agentes públicos. IV – Negar publicidade aos atos oficiais. suprimir ou readaptar vantagens ou por outros meios 48 www. durante o horário de expediente normal. que excedam as prerrogativas consignadas nos regimentos e normas dos órgãos que integram.pontodosconcursos. estadual ou municipal do Poder Executivo. na regra de competência. partido político ou coligação. ou usar de seus serviços. contratar ou de qualquer forma admitir. salvo se o servidor ou empregado estiver licenciado. veja o que determina a Lei nº 9.nomear. as seguintes condutas tendentes a afetar a igualdade de oportunidades entre candidatos nos pleitos eleitorais: I . de distribuição gratuita de bens e serviços de caráter social custeados ou subvencionados pelo Poder Público. ato de ofício. 11. para comitês de campanha eleitoral de candidato. em seu art. 73.ceder ou usar. lealdade às instituições e legalidade.usar materiais ou serviços. em benefício de candidato. do Distrito Federal. dos Territórios e dos Municípios. demitir sem justa causa. Constitui ato de improbidade administrativa que atenta contra os princípios da administração pública qualquer ação ou omissão que viole os deveres de honestidade. IV . e notadamente: I – Praticar ato visando fim proibido em lei ou regulamento ou diverso daquele previsto. é o seguinte: Art.

em ano de eleição. e dos Estados aos Municípios. na circunscrição do pleito. despesas com publicidade dos órgãos públicos federais. estaduais ou municipais. revisão geral da remuneração dos servidores públicos que exceda a recomposição da perda de seu poder aquisitivo ao longo do ano da eleição.DIREITO ADMINISTRATIVO EM TEORIA E EXERCÍCIOS – STN – PROFA. ainda. programas. PATRÍCIA CARLA dificultar ou impedir o exercício funcional e. e os destinados a atender situações de emergência e de calamidade pública. ou das respectivas entidades da administração indireta. sob pena de nulidade de pleno direito. relevante e característica das funções de governo. 49 www.nos três meses que antecedem o pleito: a) realizar transferência voluntária de recursos da União aos Estados e Municípios. ressalvados os recursos destinados a cumprir obrigação formal preexistente para execução de obra ou serviço em andamento e com cronograma prefixado. estaduais ou municipais. 7º desta Lei e até a posse dos eleitos. c) fazer pronunciamento em cadeia de rádio e televisão. a critério da Justiça Eleitoral. ressalvados: a) a nomeação ou exoneração de cargos em comissão e designação ou dispensa de funções de confiança.br .com.fazer. policiais civis e de agentes penitenciários. salvo quando. salvo em caso de grave e urgente necessidade pública. remover. obras. assim reconhecida pela Justiça Eleitoral. na circunscrição do pleito. dos Tribunais ou Conselhos de Contas e dos órgãos da Presidência da República. tratar-se de matéria urgente. c) a nomeação dos aprovados em homologados até o início daquele prazo. que excedam a média dos gastos nos três últimos anos que antecedem o pleito ou do último ano imediatamente anterior à eleição. autorizar publicidade institucional dos atos. a partir do início do prazo estabelecido no art. b) com exceção da propaganda de produtos e serviços que tenham concorrência no mercado. sob pena de nulidade de pleno direito. ex officio. serviços e campanhas dos órgãos públicos federais. do Ministério Público. e) a transferência ou remoção ex officio de militares. nos três meses que o antecedem e até a posse dos eleitos. transferir ou exonerar servidor público. concursos públicos d) a nomeação ou contratação necessária à instalação ou ao funcionamento inadiável de serviços públicos essenciais. b) a nomeação para cargos do Poder Judiciário. ou das respectivas entidades da administração indireta.realizar. VIII .pontodosconcursos. antes do prazo fixado no inciso anterior. VI . com prévia e expressa autorização do Chefe do Poder Executivo. fora do horário eleitoral gratuito. VII .

A prova da alegação incumbirá a quem a fizer. em especial às cominações do art. civis e administrativas. Art. no curso da instrução ou antes de proferir sentença. qual seja. do mais grave (enriquecimento ilícito) ao menos grave (violação aos princípios). SANÇÕES DECORRENTES DA IMPROBIDADE Este um dos objetivos principais desta Lei: prever as sanções aplicáveis aos agentes e terceiros que se enquadrarem nas suas previsões. de acordo com a gravidade do fato”. 156 do CPP34). ainda. tem como corolário a busca pela máxima aproximação possível do que de fato ocorreu. que podem ser aplicadas isolada ou 33 cumulativamente. Lei nº 8. 125. Além disso. nas demais. determinar. e são aplicadas em âmbito de ação civil.112/90: Art. buscando sempre se aproximar da verdade dos fatos (art. mas o juiz poderá. a liberdade.br . É semelhante a regra inserta no Estatuto dos Servidores Públicos Federais. seguindo ainda as regras do Estatuto Federal. privação de liberdade e demissão ao servidor.120. Porém. 156. PATRÍCIA CARLA (. 12. 12. um mesmo ato poderá redundar em ressarcimento de prejuízos. penais e administrativas poderão cumular-se. que pode envolver limitação a um direito de maior relevância social. atos de improbidade administrativa. de 15/12/2009. pode/deve o juiz determinar a produção de provas no processo penal.com. de acordo com a gravidade do fato : Estas sanções não têm natureza penal. Então. a que se refere o art.. 34 Art. de 2 de junho de 1992. incidem independentemente de outras sanções penais. 33 A Lei nº 12. por exemplo. Foram também divididas em três grupos. fazendo incluir a parte final. Assim. “que podem ser aplicadas isolada ou cumulativamente. não é absoluto o princípio da independência das instâncias. não se limitando às provas produzidas pelas partes.DIREITO ADMINISTRATIVO EM TEORIA E EXERCÍCIOS – STN – PROFA.pontodosconcursos. 12. cada um deles aplicável a um dos tipos de atos que vimos anteriormente. Independentemente das sanções penais. previstas na legislação específica. visto que há caso de intervenção entre a decisão de uma esfera. 50 www. diligências para dirimir dúvida sobre ponto relevante. administrativas. está o responsável pelo ato de improbidade sujeito às seguintes cominações.) § 7º As condutas enumeradas no caput caracterizam. de ofício. sendo independentes entre si. alterou a redação do art. O processo penal.429. e sujeitam-se às disposições daquele diploma legal. inciso I. ou mesmo de outras sanções civis. As sanções civis. da Lei nº 8. Note que o legislador apenas positivou o que já era pacífico na doutrina e na jurisprudência.. 11. a penal. inciso III. qual seja.

perda da função pública. STJ. perda dos bens ou valores acrescidos ilicitamente ao patrimônio. RESP 150. 10 e 11 da Lei nº 8. pois importam perda de bens e de função pública.br . civis e administrativas.429/92 acarretam a imposição de sanções previstas no art. ressarcimento integral do dano. 9º.329/RS.. pelo prazo de dez anos.com.429/92 não incumbe à Administração. não se podendo questionar mais sobre a existência do fato. 935 do Código Civil (CC) estende essa vinculação à esfera a civil: Art. negando o fato ou sua autoria. suspensão dos direitos políticos de oito a dez anos. 51 www. ainda que por intermédio de pessoa jurídica da qual seja sócio majoritário. publicação DJ 01/07/2005. 35 36 37 STF. Anote-se que “a aplicação das penalidades previstas na Lei nº 8. quando estas questões se acharem decididas no juízo criminal. ou sobre quem seja o seu autor. (. todos aplicados no âmbito de uma ação civil. as três esferas são independentes. Veja a seguinte decisão do Superior Tribunal de Justiça36: Os atos de improbidade administrativa definidos nos arts. publicação DJ 05/04/1999. STF. ou em pagamento de multa e suspensão de direitos políticos. mas o art.) Recurso especial não-conhecido.112/90. art. quando houver. pagamento de multa civil de até três vezes o valor do acréscimo patrimonial e proibição de contratar com o Poder Público ou receber benefícios ou incentivos fiscais ou creditícios. MS 22. 9º. cada uma das três gradações das sanções. PATRÍCIA CARLA Em face desse maior rigor que envolve a decisão penal. 126)35: Art. Então. A responsabilidade administrativa do servidor será afastada no caso de absolvição criminal que negue a existência do fato ou sua autoria. direta ou indiretamente. mas. as quais são aplicadas independentemente das sanções penais.429/92. publicação DJ 03/10/1997.699/DF. relator Ministro Vicente Leal. embora não tenham natureza penal. ATOS DE IMPROBIDADE ADMINISTRATIVA QUE IMPORTAM ENRIQUECIMENTO ILÍCITO I – Na hipótese do art. revelam-se de suma gravidade. relator Ministro Marco Aurélio.pontodosconcursos. se houver declaração expressa. 935. A Lei menciona expressamente a responsabilidade administrativa. 37 A seguir. A responsabilidade civil é independente da criminal. não poderá haver punição do réu nas demais instâncias. 126. inclusive esta da Lei nº 8. RMS 24. eis que privativa do Poder Judiciário”.476/AL. afasta-se a responsabilidade administrativa do servidor no caso de absolvição criminal que negue a existência do fato ou sua autoria (Lei nº 8. relator Ministro Eros Grau.DIREITO ADMINISTRATIVO EM TEORIA E EXERCÍCIOS – STN – PROFA. Tais sanções.. 12 do mesmo diploma legal. na esfera penal.

DIREITO ADMINISTRATIVO EM TEORIA E EXERCÍCIOS – STN – PROFA.com. Na fixação das penas previstas nesta lei o juiz levará em conta a extensão do dano causado. suspensão dos direitos políticos de três a cinco anos. 23/6/2009. pagamento de multa civil de até duas vezes o valor do dano e proibição de contratar com o Poder Público ou receber benefícios ou incentivos fiscais ou creditícios. 52 www. se houver. direta ou indiretamente. pagamento de multa civil de até cem vezes o valor da remuneração percebida pelo agente e proibição de contratar com o Poder Público ou receber benefícios ou incentivos fiscais ou creditícios. relatora Ministra Eliana Calmon. perda da função pública.br . PATRÍCIA CARLA ATOS DE IMPROBIDADE QUE CAUSAM PREJUÍZO AO ERÁRIO II – Na hipótese do art. 10. perda da função pública. 12. Assim. perda dos bens ou valores acrescidos ilicitamente ao patrimônio. há que proceder ao exame da proporcionalidade e razoabilidade (modulação) das condenações frente ao dano causado. se concorrer esta circunstância.38 38 STJ. direta ou indiretamente.021. EDcl no REsp 1. da Lei n. diante do princípio da legalidade estrita. 11. assim como o proveito patrimonial obtido pelo agente.851-SP. parágrafo único.429/1992 (LIA) prevê a dosimetria da sanção de acordo com o dano causado e o proveito patrimonial obtido por seu causador. Parágrafo único.pontodosconcursos. pelo prazo de cinco anos. ainda que por intermédio de pessoa jurídica da qual seja sócio majoritário. ressarcimento integral do dano. 8. suspensão dos direitos políticos de cinco a oito anos. Informativos 363 e 400: O art. ressarcimento integral do dano. pelo prazo de três anos. ATOS DE IMPROBIDADE ADMINISTRATIVA QUE ATENTAM CONTRA OS PRINCÍPIOS DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA III – Na hipótese do art. ainda que por intermédio de pessoa jurídica da qual seja sócio majoritário.

a perda da função pública e o ressarcimento ao erário (CF/88.com. 37. bem por isso pode a lei prever outras penalidades.112/90. § 4º. parágrafo único. o rol de sanções possíveis é mais amplo que o previsto na CF/88. Tal rol constitucional não é taxativo. art. Como se pode notar. 37. 137. nos termos da Lei nº 8. Relembre-se que a indisponibilidade dos bens citada no art.br . mas sim uma restrição ao direito de propriedade com vistas a assegurar eventual futura execução de dívida.pontodosconcursos. 11) 03 A 05 ANOS SIM ATÉ 100X O VALOR DA REMUNERAÇÃO ------- (DOLO) Em qualquer caso. se 53 www.DIREITO ADMINISTRATIVO EM TEORIA E EXERCÍCIOS – STN – PROFA. art. que se limita a prever a suspensão dos direitos políticos. PATRÍCIA CARLA Eis um quadro que resume as penalidades aplicáveis: MODALIDADES SUSPENSÃO DOS DIREITOS POLÍTICOS ENRIQUECIMENTO ILÍCITO (ART. § 4º). na esfera federal.10) 05 A 08 ANOS SIM PGTO MULTA CIVIL ATÉ 03X O VALOR DO ACRÉSCIMO PATRIMONIAL ATÉ 02X O VALOR DO DANO PROIBIÇÃO DE CONTRATAR COM O PODER PÚBLICO RESSARCIMENTO INTEGRAL DO DANO PERDA DOS BENS OU VALORES INDEVIDOS 10 ANOS QUANDO HOUVER SIM QUANDO HOUVER 05 ANOS SIM 03 ANOS QUANDO HOUVER (DOLO OU CULPA) ATOS ATENTATÓRIOS AOS PRINCÍPIOS DA ADM PÚBLICA (Art. não poderá retornar ao serviço público federal o servidor que for demitido ou destituído do cargo em comissão por cometer ato de improbidade administrativa.9º) 08 A 10 ANOS PERDA DA FUNÇÃO PÚBLICA SIM (DOLO) PREJUÍZO AO ERÁRIO (Art. da CF/88 não configura hipótese de pena.

Seu caráter é cautelar do interesse público. é vedada a transação. DJ 11/2/2008. 17. o que. relator Ministro Castro Meira. Permitir-se que a devolução de valores aos cofres públicos seja a única punição a quem pratica o ilícito significaria conferir à questão um enfoque de simples responsabilidade civil. o acordo ou a conciliação na ação de improbidade (art. também é certo que. A ação de improbidade se destina fundamentalmente a aplicar sanções de caráter punitivo ao agente ímprobo.429/97. caberá ao juiz aplicar uma ou mais das seis penas aqui previstas39. 16/6/2009. quando a medida se fizer necessária à instrução processual (art. 8. julgado em 21/5/2009 .429/97. relator Ministro Castro Meira.pontodosconcursos. REsp 1. 39 Como se viu. 12. 20. à toda evidência.com. portanto.A Turma entendeu que a suspensão dos direitos políticos do administrador público pela utilização indevida do trabalho de servidores públicos municipais durante 31 horas. 20). ser cumulada com ao menos alguma outra das medidas previstas pelo art.DIREITO ADMINISTRATIVO EM TEORIA E EXERCÍCIOS – STN – PROFA. já referido.40 Veja a decisão divulgada no Informativo 409 do STJ. 8. avaliar a necessidade de aplicação cumulada das sanções. de outubro de 2009: Caracterizado o ato de improbidade administrativa com prejuízo ao erário. deve. 54 www. pois.555/SP.644-GO. não sendo obrigatória a imposição de todas elas. Contudo.429/92 não são necessariamente aplicáveis cumuladamente (podendo o juiz. PATRÍCIA CARLA o agente for considerado culpado.120/09. parágrafo único). Precedente citado: REsp 875. embora seja certo que as sanções previstas na Lei n. Ainda que haja o ressarcimento integral do dano. ato que merece irrefutável censura. Veja também: STJ. além da multa civil fixada em duas vezes o acréscimo patrimonial decorrente da irregularidade.234/SP. Informativo 399: Cabe ao julgador.425-RJ. Informativo 409) A perda da função pública e a suspensão dos direitos políticos só se efetivam com o trânsito em julgado da sentença condenatória (art. 12 da Lei n. diante das peculiaridades do caso. que alterou a redação do art. Assim. não é o escopo da Lei n. tal orientação foi positivada pela Lei nº 12. emprego ou função. observados os princípios da razoabilidade e da proporcionalidade. sem prejuízo da remuneração. § 1º). Ao julgar o caso concreto.055. manteve-se a condenação em ressarcir aos cofres públicos a importância equivalente às horas de serviço dos funcionários utilizados de forma indevida. não se molda aos princípios da proporcionalidade e da razoabilidade. mas sim uma consequência imediata e necessária do próprio ato combatido. a fim de inibir a reiteração da conduta ilícita. devendo. sopesando as circunstâncias do caso e atento ao princípio da proporcionalidade. A autoridade judicial ou administrativa competente poderá determinar o afastamento do agente público do exercício do cargo. 8. 40 STJ. ser afastada essa sanção.019. eleger a punição mais adequada).br . REsp 1. verificado o ato de improbidade. (REsp 622. o ressarcimento não deve ser considerado como propriamente uma sanção. a sanção não pode se limitar ao ressarcimento de danos.

sendo passíveis de revisão por aquele Poder. ainda que não haja efetiva ocorrência de dano ao patrimônio público ou que o Tribunal de Contas. já que não há se falar em ressarcimento se não ocorreu dano. REsp 1. II – da aprovação ou rejeição das contas pelo órgão de controle interno ou pelo Tribunal ou Conselho de Contas.pontodosconcursos. fica afastada qualquer possibilidade de não punição. aplicação das subvenções e renúncia de receitas – é revestida de caráter opinativo. Verificada a prática de atos de improbidade no âmbito administrativo.732/CE. qual seja. razão pela qual não vincula a atuação do sujeito ativo da ação civil de improbidade administrativa. alterou a redação do art. Por consequência. 21. ainda que o dano seja reparado antes de apurado. operacional e patrimonial da União e das entidades da administração direta e indireta. cabe 41 A Lei nº 12.120. quanto à legalidade. A mudança é bastante óbvia. XXXV. economicidade. fazendo incluir a parte final. 21. 19/11/2009.br . as sanções previstas na lei de improbidade administrativa têm objetivo maior que o simples ressarcimento do dano aos cofres públicos. as demais penalidades. como perda da função ou suspensão de direitos políticos. máxime em face do princípio constitucional da inafastabilidade do controle jurisdicional. Tem um efeito preventivo de novas infrações. eis que privativa do Poder Judiciário. financeira. A natureza do TCU é de órgão de controle auxiliar do Poder Legislativo. não encerrando atividade judicante. que a aplicação das penalidades previstas nesta Lei não incumbe à Administração. orçamentária. 5º. “salvo quanto à pena de ressarcimento”. Informativo 416. Com isso. I. continuam cabíveis.com. ou do “arrependimento eficaz”. essas decisões não vinculam a atuação do Poder Judiciário. por exemplo. PATRÍCIA CARLA Aplicabilidade das sanções: Com base no princípio da moralidade. Sobre a independência entre as sanções por improbidade administrativa e as decisões dos Tribunais de Contas.032. Acrescente-se. 42 STJ. 55 www. ao examinar as contas públicas. da CF/1988. Além disso. nos casos de “tentativa” de improbidade. o que resulta na impossibilidade de suas decisões produzirem coisa julgada. salvo quanto à pena de ressarcimento41. e repressivo de condutas danosas à Administração. A aplicação das sanções previstas nesta lei independe: I – da efetiva ocorrência de dano ao patrimônio público. avalie que não há irregularidade nas mesmas. legitimidade. de 15/12/2009.DIREITO ADMINISTRATIVO EM TEORIA E EXERCÍCIOS – STN – PROFA. reproduzo parte de um julgado do Superior Tribunal de Justiça42: A atividade do TCU denominada de controle externo – que auxilia o Congresso Nacional na fiscalização contábil. Decorre daí que sua atividade é meramente fiscalizadora e suas decisões têm caráter técnico-administrativo. à luz do art. Art. ao fim.

112/90 prevê também o prazo de 5 (cinco) anos: Art. No outro caso (exercício de cargo efetivo ou emprego). chama-se prescrição a perda do direito de punir do Estado. a Lei nº 8. quanto às infrações puníveis com demissão. 44 56 www. à ocasião dos fatos.br . por esse ser temporário. relator Ministro Eros Grau. concomitantemente. cassação de aposentadoria ou disponibilidade e destituição de cargo em comissão. pelo simples fato de o vínculo entre agente e Administração Pública não cessar com a exoneração do cargo em comissão. As ações destinadas a levar a efeito as sanções previstas nesta lei podem ser propostas: I – até cinco anos após o término do exercício de mandato. STJ. 5 (cinco) anos após o término do exercício de mandato. A ação disciplinar prescreverá: I – em 5 (cinco) anos. Informativo 406. o art. qual seja. O ex-prefeito exerceu o primeiro mandato eletivo de 1º de janeiro de 1997 a 31 de dezembro de 2000 e foi reeleito para segundo 43 STF. PATRÍCIA CARLA representação ao Ministério Público para ajuizamento da competente ação.com.DIREITO ADMINISTRATIVO EM TEORIA E EXERCÍCIOS – STN – PROFA. de cargo em comissão ou de função de confiança. A Lei prevê duas hipóteses diferentes. REsp 1. exercia cargo em comissão. nos casos de exercício de cargo efetivo ou emprego.pontodosconcursos. RMS 24. relator Ministro Mauro Campbell Marques.” 44 Note outra decisão do STJ. Art. “há de prevalecer o primeiro para fins de contagem prescricional. IMPROBIDADE. Dentro dos prazos nele previstos. Nesse rumo.060.699/DF. II – dentro do prazo prescricional previsto em lei específica para faltas disciplinares puníveis com demissão a bem do serviço público. publicação DJ 01/07/2005. EX-PREFEITO. REELEIÇÃO. mas fixa apenas um prazo.43 Prescrição das sanções: Em linhas gerais. No caso dos servidores federais estatutários. pode/deve a Administração agir. 8/9/2009. não a aplicação da pena de demissão via Processo Administrativo Disciplinar. § 1º O prazo de prescrição começa a correr da data em que o fato se tornou conhecido. 23. onde se definiu o “dies a quo” do prazo prescricional: ACP. pelo decurso de certo tempo. de cargo em comissão ou de função de confiança. remete à legislação específica sobre servidores ou empregados públicos. 23 estabelece regras quanto à prescrição da ação punitiva do Estado quanto aos atos de improbidade administrativa. 142.529/MG. ocupava cargo efetivo e. Se o agente a quem se imputa ato ímprobo. sob pena de prescrição.

relator Ministro Mauro Campbell Marques. A Lei de Improbidade associa. REsp 1. que deu nova redação ao § 5º do art. A Lei de Improbidade Administrativa (LIA).com. A constitucionalidade da Lei nº 8. AÇÃO CIVIL PÚBLICA. sendo que o ato imputado como ímprobo foi perpetrado em maio de 1998. em caso de reeleição.. 37 da Constituição Federal. de 1º de janeiro de 2001 a 31 de dezembro de 2004.. A ação civil pública é instrumento válido aos fins de impor ao agente político o ressarcimento dos cofres públicos pela prática de eventuais ilícitos administrativos no seu mandato (. I. a EC n.076-2/00. estadual e municipal. publicação DJMG 09/03/2001. EX-PREFEITO. Em razão disso. o prazo prescricional não se aplica às penalidades de ressarcimento do prejuízo aos cofres públicos. o início da contagem do prazo prescricional ao término de vínculo temporário. no art. embora não prorrogue simplesmente o mandato.429/92 não se aplica às ações de ressarcimento dos cofres públicos. Sobre tal regra. 14 da CF/1988. De acordo com a justificativa da PEC de que resultou a EC n. em face da ressalva contida no § 5º do art.45 Relembre-se que. importa em fator de continuidade da gestão administrativa. Se tem início o lapso temporal com o fim do primeiro mandato ou quando do término do segundo mandato. 08/09/2009. ATOS LESIVOS AO ERÁRIO. Relator.DIREITO ADMINISTRATIVO EM TEORIA E EXERCÍCIOS – STN – PROFA. para o amadurecimento do processo democrático. PATRÍCIA CARLA mandato. da Constituição da República. PRESCRIÇÃO. com o expresso objetivo de constituir corpos administrativos estáveis e cumprir metas governamentais de médio prazo. AG 172. 16/1997. entre os quais o exercício de mandato eletivo. o vínculo com a Administração.br .429/92. 37 já mencionado. Portanto.833/SP. oriundas de ilícitos administrativos. O cerne da questão consiste na definição do termo a quo para a contagem do prazo prescricional para ajuizamento da ação de improbidade administrativa. No entanto. 16/1997 possibilitou a reeleição dos chefes do Poder Executivo em todas as esferas administrativas. 23. nos termos do § 5º do art. CONSTITUCIONALIDADE. 46 TJMG. Para o Min. a reeleição. LEI Nº 8. Procedimento administrativo e processo judicial: São os artigos 14 a 45 STJ. considerou como termo inicial da prescrição exatamente o final de mandato. § 4º.pontodosconcursos. promulgada antes da EC n. não se desfaz no dia 31 de dezembro do último ano do primeiro mandato para se refazer no dia 1º de janeiro do ano inicial do segundo mandato. relator Desembargador Lucas Sávio Gomes. 16/1997. vez que tal ação de ressarcimento é imprescritível.429/92 deriva das disposições do art. o prazo prescricional deve ser contado a partir do fim do segundo mandato. assim se manifestou o Tribunal de Justiça mineiro46: PREFEITO.107.). sendo meio legal para coibir atos lesivos dos agentes da Administração Pública nos níveis federal. O prazo prescricional definido na Lei nº 8. sob o ponto de vista material. 37. durante o primeiro mandato. 57 www. Informativo 406. INDISPONIBILIDADE DE BENS.

No caso de a ação principal ter sido proposta pelo Ministério Público. Quando for o caso. 148 a 182. a juízo do respectivo representante legal ou dirigente. Atendidos os requisitos da representação. seguirá os respectivos regulamentos disciplinares. se esta não contiver as formalidades retro estabelecidas. sob pena de nulidade. a pessoa jurídica de direito público ou de direito privado.com. a requerimento. se não intervir no processo como parte. O Ministério Público ou Tribunal ou Conselho de Contas poderá. que terá o rito ordinário. 822 e 825 do Código de Processo Civil. que será processado de acordo com o disposto nos arts. ou poderá atuar ao lado do autor. A propositura da ação prevenirá a jurisdição do juízo para todas as ações posteriormente intentadas que possuam a mesma causa de pedir ou o mesmo objeto. poderá abster-se de contestar o pedido. A comissão processante dará conhecimento ao Ministério Público e ao Tribunal ou Conselho de Contas da existência de procedimento administrativo para apurar a prática de ato de improbidade. quando for o caso. de forma bastante didática. Em se tratando de servidor militar. 58 www. o exame e o bloqueio de bens. conterá a qualificação do representante. acordo ou conciliação nessas ações. será proposta pelo Ministério Público ou pela pessoa jurídica interessada.112/90. Havendo fundados indícios de responsabilidade.pontodosconcursos. nos termos da lei e dos tratados internacionais. A rejeição não impede a representação ao Ministério Público. Qualquer pessoa poderá representar à autoridade administrativa competente para que seja instaurada investigação destinada a apurar a prática de ato de improbidade. desde que isso se afigure útil ao interesse público. É vedada a transação. arts. O Ministério Público.DIREITO ADMINISTRATIVO EM TEORIA E EXERCÍCIOS – STN – PROFA. que será escrita ou reduzida a termo e assinada. atuará obrigatoriamente. promoverá as ações necessárias à complementação do ressarcimento do patrimônio público. A representação. A Fazenda Pública. dentro de trinta dias da efetivação da medida cautelar. a comissão representará ao Ministério Público ou à procuradoria do órgão para que requeira ao juízo competente a decretação do seqüestro dos bens do agente ou terceiro que tenha enriquecido ilicitamente ou causado dano ao patrimônio público. trazem as regras acerca da fase administrativa e judicial. Vamos a eles. A autoridade administrativa rejeitará a representação. a autoridade determinará a imediata apuração dos fatos. o pedido incluirá a investigação.br . em despacho fundamentado. A ação principal. contas bancárias e aplicações financeiras mantidas pelo indiciado no exterior. como fiscal da lei. PATRÍCIA CARLA 18 que. Se se tratar de servidores federais. cujo ato seja objeto de impugnação. as informações sobre o fato e sua autoria e a indicação das provas de que tenha conhecimento. será processada seguindo a Lei nº 8. designar representante para acompanhar o procedimento administrativo.

Os atos de improbidade praticados por qualquer agente público. o juiz extinguirá o processo sem julgamento do mérito. o juiz. dos Municípios. se convencido da inexistência do ato de improbidade.br . será o réu citado para apresentar contestação. de órgão público bem como daquelas para cuja criação ou custeio o erário haja 59 www. fiscal ou creditício.429 de 1992.pontodosconcursos. Recebida a petição inicial. Da decisão que receber a petição inicial. contra a administração direta. observada a legislação vigente. o juiz mandará autuá-la e ordenará a notificação do requerido. Aplica-se aos depoimentos ou inquirições realizadas nos processos regidos por esta Lei as normas do processo penal (art. conforme o caso. do CPP). Em qualquer fase do processo. de Território. no prazo de trinta dias. 221. caput e § 1o. em favor da pessoa jurídica prejudicada pelo ilícito. que poderá ser instruída com documentos e justificações. dos Estados. benefício ou incentivo. 1°. dentro do prazo de quinze dias. Recebida a manifestação. de empresa incorporada ao patrimônio público ou de entidade para cuja criação ou custeio o erário haja concorrido ou concorra com mais de cinquenta por cento do patrimônio ou da receita anual. Parágrafo único. reconhecida a inadequação da ação de improbidade.com. inclusive as disposições inscritas nos arts. PATRÍCIA CARLA A ação será instruída com documentos ou justificação que contenham indícios suficientes da existência do ato de improbidade ou com razões fundamentadas da impossibilidade de apresentação de qualquer dessas provas. A sentença que julgar procedente ação civil de reparação de dano ou decretar a perda dos bens havidos ilicitamente determinará o pagamento ou a reversão dos bens. indireta ou fundacional de qualquer dos Poderes da União.DIREITO ADMINISTRATIVO EM TEORIA E EXERCÍCIOS – STN – PROFA. 1º da Lei 8. conforme segue: “Art. Estão também sujeitos às penalidades desta lei os atos de improbidade praticados contra o patrimônio de entidade que receba subvenção. da improcedência da ação ou da inadequação da via eleita. para oferecer manifestação por escrito. Estando a inicial em devida forma. Observações importantes: Sujeito Passivo: Os sujeitos passivos da improbidade administrativa estão enunciados no art. rejeitará a ação. do Distrito Federal. serão punidos na forma desta lei. 16 a 18 do Código de Processo Civil. em decisão fundamentada. caberá agravo de instrumento. servidor ou não.

” Pelo entendimento de Marino Pazzaglini Filho.717/65. que disciplina a ação popular. Conforme aduz Di Pietro. com o ato de improbidade do agente. sendo aquelas que inicialmente eram controladas por particulares e passou. as entidades protegidas pela lei são praticamente as mesmas protegidas pela Lei 4. 60 www. fundações que são dirigidas pela Administração Pública. a aplicação de medidas sancionatórias e.pontodosconcursos. entidades privadas. Distrito Federal e Municípios). não teria sentido o Estado contribuir com parcela tão significativa para a formação do patrimônio da entidade e deixar seu controle em mãos do particular. os órgãos dos três Poderes do Estado. as empresas que. pertencem ao Poder Público. estão os órgãos da Administração Pública. de outro modo. pois. de outro.br . 1o. empresas que foram criadas com a participação de até 50% de capital público e empresas que são protegidas pela Administração Pública. a ser administrada pelo órgão público. conforme definição de seu art. a administração direta e a indireta. Entre os sujeitos passivos da improbidade administrativa. “na realidade. verifica-se que o sujeito passivo abrange todas as pessoas jurídicas públicas políticas (União. o objeto é a anulação do ato lesivo e o ressarcimento dos danos causados ao erário. segundo o dispositivo legal. empresas que foram incorporadas ao patrimônio público.com. neste ultimo caso. “sujeito passivo da improbidade administrativa é qualquer entidade pública ou particular que tenha participação de dinheiro público em seu patrimônio ou receita anual”. o objeto é. em um ato de liberalidade inadmissível quando se trata de dinheiro público. Pelo dispositivo legal. PATRÍCIA CARLA concorrido ou concorra com menos de cinquenta por cento do patrimônio ou da receita anual. deverá ser analisado o percentual de capital público investido. a natureza jurídica da entidade não é tão relevante para fins de proteção da lei como o fato de ela administrar parcela de patrimônio público. limitando-se. mesmo não integrando a administração indireta e não tendo a qualidade de sociedade de economia mista ou empresa pública. sendo esta direta e indireta. nessa lei. por alguma razão. e. trata-se de empresas que estão sob controle direto ou indireto do Poder Público. e com relação a este sujeito passivo. de um lado. a sanção patrimonial à repercussão do ilícito sobre a contribuição dos cofres públicos. Neste ultimo caso. nestes casos. na lei de improbidade. sendo aquelas empresas que são compostas em menos de 50% com patrimônio público. porque a ele foram incorporadas.DIREITO ADMINISTRATIVO EM TEORIA E EXERCÍCIOS – STN – PROFA. Só que. e também as empresas para cuja criação o erário concorreu com mais de 50% do patrimônio ou da receita anual. Estados. o ressarcimento do erário. É evidente que.

DIREITO ADMINISTRATIVO EM TEORIA E EXERCÍCIOS – STN – PROFA. PATRÍCIA CARLA
Pela norma do parágrafo único, são ainda incluídas outras
entidades que não compõem a Administração Pública, direta ou indireta,
nem podem ser enquadradas como entidades públicas de qualquer
natureza. São entidades privadas em relação às quais o Estado exerce
função de fomento, por meio de incentivos, subvenções, incentivos fiscais
ou creditícios, ou mesmo contribuição para a criação ou custeio. Podem ser
incluídas nessa modalidade as entidades do tipo dos serviços sociais
autônomos (SESI, SENAC, SESC e outras semelhantes), as chamadas
organizações sociais, as organizações da sociedade civil de interesse público
e qualquer outro tipo de entidade criada ou mantida com recursos públicos.
Nesse caso, o dispositivo é claro ao limitar a sanção patrimonial à
repercussão do ilícito sobre a contribuição dos cofres públicos. O que
ultrapassar o montante da contribuição dos cofres públicos, a entidade terá
que pleitear por outra via que a ação de que trata a lei de improbidade
administrativa.
Sujeito Ativo: O sujeito ativo da improbidade administrativa,
conforme dispõe o art. 2º da Lei de Improbidade, é o agente público, que
exerça a função pública, em um dos órgãos mencionados no art. 1º da
referida lei, porém no art. 3º, o legislador também incluiu como sujeito
ativo o terceiro (particular), que participou da realização do ato ilícito,
mediante desvio de conduta pelo agente público, ou que tenha recebido
vantagem em face do ato de improbidade.
“Art. 2° Reputa-se agente público, para os efeitos desta lei,
todo aquele que exerce, ainda que transitoriamente ou sem
remuneração,
por
eleição,
nomeação,
designação,
contratação ou qualquer outra forma de investidura ou
vínculo, mandato, cargo, emprego ou função nas entidades
mencionadas no artigo anterior.

Art. 3° As disposições desta lei são aplicáveis, no que
couber, àquele que, mesmo não sendo agente público,
induza ou concorra para a prática do ato de improbidade ou
dele se beneficie sob qualquer forma direta ou indireta.”
A noção de agente público tem grande abrangência pela lei.
Qualquer pessoa que preste serviço a órgãos do Estado, se enquadra como
agente público.
Os agentes públicos estão divididos em três espécies: o agente
político, servidores públicos e os particulares em colaboração. Os agentes
políticos para o autor Celso Antonio Bandeira de Mello são os “ocupantes de
cargos estruturais à organização política do País: o Presidente da República,
61
www.pontodosconcursos.com.br

DIREITO ADMINISTRATIVO EM TEORIA E EXERCÍCIOS – STN – PROFA. PATRÍCIA CARLA
os Governadores, Prefeitos e respectivos vices, os auxiliares imediatos dos
Chefes do Executivo, isto é, Ministros e Secretários das diversas Pastas,
bem como os Senadores, Deputados Federais e Estaduais e os Vereadores”.
Os servidores públicos são aqueles que possuem relação de vínculo
“empregatício” com a Administração Pública.
E por fim, os particulares em colaboração com a Administração,
são particulares que exercem função pública em determinadas ocasiões,
sendo subdivididos em: requisitados (por exemplo, jurados, mesário em
eleições, etc.), espontâneos e contratados por locação civil.
Assim, como se verifica dos dispositivos mencionados, não é
preciso ser servidor público, com vinculo empregatício, para enquadrar-se
como sujeito ativo da improbidade administrativa.
Os membros da Magistratura, do Ministério Público e do Tribunal
de Contas incluem-se, segundo Di Pietro, como sujeitos ativos, sejam elas
considerados servidores públicos, como querem alguns, ou agentes
políticos, como preferem outros. De uma forma ou de outra, podem ser
sujeitos ativos de atos de improbidade, consoante conceito amplo que
decorre do art. 2o da lei. O fato de gozarem de vitaliciedade não impede a
aplicação das sanções previstas na lei, inclusive a perda do cargo, já que é
uma das hipóteses de perda do cargo, para os servidores vitalícios, é a que
decorre da sentença transitada em julgado. E as sanções por improbidade
administrativa, com fundamento no art. 37, parágrafo 4 o, da Constituição,
só podem ser impostas por sentença judicial.
Segue abaixo a referida Lei com algumas observações pontuais para
facilitar o nosso estudo:

CAPÍTULO I
Das Disposições Gerais
Esta lei tem seu fundamento constitucional no art. 37, § 4º:
§ 4º Os atos de improbidade administrativa importarão a suspensão dos
direitos políticos, a perda da função pública, a indisponibilidade dos bens e o
ressarcimento ao erário (cofres públicos), na forma e gradação previstas em
lei, sem prejuízo da ação penal cabível.

Os sujeitos passivos da improbidade administrativa estão enunciados no
art. 1º da Lei 8.429 de 1992, conforme segue:
Art. 1° Os atos de improbidade praticados por qualquer agente público,
servidor ou não, contra a administração direta, indireta ou fundacional de
qualquer dos Poderes da União, dos Estados, do Distrito Federal, dos
62
www.pontodosconcursos.com.br

DIREITO ADMINISTRATIVO EM TEORIA E EXERCÍCIOS – STN – PROFA. PATRÍCIA CARLA
Municípios, de Território, de empresa incorporada ao patrimônio público ou
de entidade para cuja criação ou custeio o erário haja concorrido ou
concorra com mais de cinquenta por cento do patrimônio ou da receita
anual, serão punidos na forma desta lei.
Parágrafo único. Estão também sujeitos às penalidades desta lei
os atos de improbidade praticados contra o patrimônio de entidade que
receba subvenção, benefício ou incentivo, fiscal ou creditício, de órgão
público bem como daquelas para cuja criação ou custeio o erário haja
concorrido ou concorra com menos de cinquenta por cento do patrimônio ou
da receita anual, limitando-se, nestes casos, a sanção patrimonial à
repercussão do ilícito sobre a contribuição dos cofres públicos.
O sujeito ativo da improbidade administrativa, conforme dispõe o art. 2º
da Lei de Improbidade, é o agente público, que exerça a função pública,
em um dos órgãos mencionados no art. 1º da referida lei, porém no art. 3º,
o legislador também incluiu como sujeito ativo o terceiro (particular),
que participou da realização do ato ilícito, mediante desvio de conduta
pelo agente público, ou que tenha recebido vantagem em face do ato de
improbidade.
Art. 2° Reputa-se agente público, para os efeitos desta lei, todo
aquele que exerce, ainda que transitoriamente ou sem remuneração, por
eleição, nomeação, designação, contratação ou qualquer outra forma de
investidura ou vínculo, mandato, cargo, emprego ou função nas entidades
mencionadas no artigo anterior.
A competência judicial para apurar ato de improbidade praticados pelos
demais agente é sempre do juiz de 1º grau.

Mesmo aquele que não é agente público pode ser alcançado, no que
couber, pelas sanções da lei de improbidade administrativa. É isso que
determina o art. 3º:
Art. 3° As disposições desta lei são aplicáveis, no que couber, àquele
que, mesmo não sendo agente público, induza ou concorra para a
prática do ato de improbidade ou dele se beneficie sob qualquer
forma direta ou indireta.
Art. 4° Os agentes públicos de qualquer nível ou hierarquia são
obrigados a velar pela estrita observância dos princípios de legalidade,
impessoalidade, moralidade e publicidade no trato dos assuntos que lhe são
afetos.

63
www.pontodosconcursos.com.br

DIREITO ADMINISTRATIVO EM TEORIA E EXERCÍCIOS – STN – PROFA. PATRÍCIA CARLA
Destaque-se que as ações de ressarcimento são imprescritíveis (parte
final do § 5º, art. 37, CF/88), ou seja, podem ser propostas e cobrado o
prejuízo a qualquer tempo.

A Lei nº 8.112/90, Estatuto dos Servidores Públicos Federais, contém regra
semelhante: Art. 122. A responsabilidade civil decorre de ato omissivo ou
comissivo, doloso ou culposo, que resulte em prejuízo ao erário ou a
terceiros.

Diz-se que a conduta (ação ou omissão) é dolosa quando praticada com a
vontade de produzir o resultado (dolo direto), ou assumindo o risco produzilo (dolo eventual), ou seja, o agente prevê que será possível a
concretização do resultado e a ele é indiferente (art. 18, I, Código Penal).
Por sua vez, será culposa a conduta quando o agente dá causa ao
resultado por imprudência, negligência ou imperícia (art. 18, II, Código
Penal). Neste caso, ele não quer o resultado, tampouco assume o risco de
produzi-lo, mas a ele dá causa.
Art. 5° Ocorrendo lesão ao patrimônio público por ação ou omissão, dolosa
ou culposa, do agente ou de terceiro, dar-se-á o integral ressarcimento do
dano.
Todos os bens ou valores acrescidos ao patrimônio do agente público ou do
terceiro beneficiário, em casos de enriquecimento ilícito, serão perdidos.
Assim, se, por ato de improbidade, houver acréscimo ilícito no patrimônio
dos envolvidos, será decretada a pena de perdimento de tais bens ou
valores.
Note que pouco importa se houve ou não lesão ao erário. Aqui é tratado
apenas do enriquecimento ilícito do agente ou terceiro. Então, ainda que
não haja lesão ao erário, pode haver perdimento.
Art. 6° No caso de enriquecimento ilícito, perderá o agente público
ou terceiro beneficiário os bens ou valores acrescidos ao seu
patrimônio.
Art. 7° Quando o ato de improbidade causar lesão ao patrimônio
público ou ensejar enriquecimento ilícito, caberá a autoridade administrativa
responsável pelo inquérito representar ao Ministério Público, para a
indisponibilidade dos bens do indiciado.
A indisponibilidade de bens do indiciado tem “a função própria de assegurar
bases patrimoniais sobre as quais incidirá, se for o caso, a futura execução
forçada da sentença condenatória decorrente de atos de improbidade
administrativa”.
64
www.pontodosconcursos.com.br

DIREITO ADMINISTRATIVO EM TEORIA E EXERCÍCIOS – STN – PROFA. PATRÍCIA CARLA
Parágrafo único. A indisponibilidade a que se refere o caput deste
artigo recairá sobre bens que assegurem o integral ressarcimento do dano,
ou sobre o acréscimo patrimonial resultante do enriquecimento ilícito.
A indisponibilidade dos bens é declarada pelo juiz, e não pela
Administração. A autoridade administrativa representa (indica os elementos
de fato, a necessidade) ao Ministério Público, que peticiona junto ao Poder
Judiciário.
Importante destacar as diferenças entre as medidas seguintes:
Indisponibilidade: medida cautelar sobre a coisa de que não se pode
dispor (vender, dar, ceder, permutar). O proprietário pode continuar
utilizando o bem, mas não pode dele dispor. Permanece a propriedade e
a posse do mesmo.
Sequestro: medida cautelar que visa garantir o bem através da apreensão
ou o depósito judicial de certa coisa, sobre a qual pesa um litígio, ou sujeita
a determinados encargos, a fim de que seja entregue, quando solucionada a
pendência, a quem de direito. Assim, o sequestro é dirigido contra
determinada coisa, ou coisa especificada, sobre que se litiga. E tem a
finalidade de retirar essa coisa da posse de quem a tem, para trazê-la
e conservá-la em segurança perante o juízo, onde se intenta, ou onde se
pretende intentar a ação. Perde a posse, mas permanece a
propriedade. O sequestro é uma medida de segurança, que tanto se pode
promover como preparatória, como preventivamente.
Perdimento: o perdimento é medida definitiva que retira do apenado
a propriedade do bem, o qual deixa de lhe pertencer.
Nesse sentido, havendo fundados indícios de responsabilidade, a comissão
processante representará ao Ministério Público ou à procuradoria do órgão
para que requeira ao juízo competente a decretação do seqüestro dos bens
do agente ou terceiro que tenha enriquecido ilicitamente ou causado dano
ao patrimônio público (art. 16).
Art. 8° O sucessor daquele que causar lesão ao patrimônio público ou
se enriquecer ilicitamente está sujeito às cominações desta lei até o limite
do valor da herança.

65
www.pontodosconcursos.com.br

direta ou indireta. permuta ou locação de bem móvel ou imóvel. IV . para si ou para outrem. PATRÍCIA CARLA O ressarcimento ao erário e a perda dos bens ilicitamente acrescidos ao patrimônio do agente público não perdem seu objeto em função de sua morte. De igual forma o Estatuto dos Servidores Públicos Federais. e notadamente: I .perceber vantagem econômica. Lei nº 8.112/90: Art. 5º. direta ou indireta.. 9º a seguir reproduzido não prevê a modalidade culposa. para facilitar a aquisição. equipamentos ou material de qualquer natureza.DIREITO ADMINISTRATIVO EM TEORIA E EXERCÍCIOS – STN – PROFA. 122. direta ou indireta. de propriedade ou à 66 www.) XLV . 1° por preço superior ao valor de mercado. emprego ou atividade nas entidades mencionadas no art. em obra ou serviço particular.com. nos termos da lei. até o limite do valor da herança recebida. máquinas. Art.) § 3º A obrigação de reparar o dano estende-se aos sucessores e contra eles será executada.. para facilitar a alienação. (.. (. dinheiro. CAPÍTULO II Dos Atos de Improbidade Administrativa Seção I Dos Atos de Improbidade Administrativa que Importam Enriquecimento Ilícito Para a maior parte da doutrina. estendidas aos sucessores e contra eles executadas. 1° desta lei. III . percentagem.receber. podendo a obrigação de reparar o dano e a decretação do perdimento de bens ser. que possa ser atingido ou amparado por ação ou omissão decorrente das atribuições do agente público. função. permuta ou locação de bem público ou o fornecimento de serviço por ente estatal por preço inferior ao valor de mercado. mandato. veículos.pontodosconcursos. a saber: Art.. ou qualquer outra vantagem econômica.perceber vantagem econômica. a título de comissão. somente haverá punição a título de dolo. até o limite do valor do patrimônio transferido. como o art.nenhuma pena passará da pessoa do condenado. Esta Lei segue o mesmo sentido de outra regra constitucional.utilizar. direto ou indireto. gratificação ou presente de quem tenha interesse. 9° Constitui ato de improbidade administrativa importando enriquecimento ilícito auferir qualquer tipo de vantagem patrimonial indevida em razão do exercício de cargo. ou a contratação de serviços pelas entidades referidas no art. II . bem móvel ou imóvel.br .

Seção II Dos Atos de Improbidade Administrativa que Causam Prejuízo ao Erário Nesse segundo tipo de ato de improbidade. empregados ou terceiros contratados por essas entidades.receber vantagem econômica de qualquer natureza. o foco principal está no dano ao erário. de lenocínio.com. de usura ou de qualquer outra atividade ilícita. medida. de contrabando.adquirir. Art. X . para si ou para outrem. no exercício de mandato. direta ou indireta. PATRÍCIA CARLA disposição de qualquer das entidades mencionadas no art. em proveito próprio. XII . verbas ou valores integrantes do acervo patrimonial das entidades mencionadas no art. ao seu patrimônio bens. VII . emprego ou função pública.receber vantagem econômica de qualquer natureza. que enseje perda patrimonial. desvio. ou sobre quantidade.aceitar emprego. V . bens de qualquer natureza cujo valor seja desproporcional à evolução do patrimônio ou à renda do agente público. rendas. para fazer declaração falsa sobre medição ou avaliação em obras públicas ou qualquer outro serviço. rendas. Constitui ato de improbidade administrativa que causa lesão ao erário qualquer ação ou omissão. XI . 1° desta lei. direta ou indireta. dolosa ou culposa. bens. peso.DIREITO ADMINISTRATIVO EM TEORIA E EXERCÍCIOS – STN – PROFA.incorporar. verbas ou valores integrantes do acervo patrimonial das entidades mencionadas no art. para tolerar a exploração ou a prática de jogos de azar. 1° desta lei. VI . para omitir ato de ofício. apropriação. por qualquer forma.pontodosconcursos. comissão ou exercer atividade de consultoria ou assessoramento para pessoa física ou jurídica que tenha interesse suscetível de ser atingido ou amparado por ação ou omissão decorrente das atribuições do agente público.perceber vantagem econômica para intermediar a liberação ou aplicação de verba pública de qualquer natureza. durante a atividade. independente do enriquecimento ilícito do agente. 1º desta lei. VIII . providência ou declaração a que esteja obrigado. bem como o trabalho de servidores públicos. malbaratamento ou dilapidação dos bens ou haveres das entidades referidas no art. IX . qualidade ou característica de mercadorias ou bens fornecidos a qualquer das entidades mencionadas no art.br . cargo. e notadamente: 67 www. 1º desta lei. 1° desta lei. ou aceitar promessa de tal vantagem. de narcotráfico. direta ou indiretamente.usar.receber vantagem econômica de qualquer natureza. 10.

VII .agir negligentemente na arrecadação de tributo ou renda. em obra ou serviço particular. 1º desta lei. 1º desta lei. PATRÍCIA CARLA I .br . 68 www. permuta ou locação de bem integrante do patrimônio de qualquer das entidades referidas no art. equipamentos ou material de qualquer natureza. IX .realizar operação financeira sem observância das normas legais e regulamentares ou aceitar garantia insuficiente ou inidônea. III . rendas. empregados ou terceiros contratados por essas entidades. de bens. verbas ou valores do patrimônio de qualquer das entidades mencionadas no art.permitir. permuta ou locação de bem ou serviço por preço superior ao de mercado.com. veículos. 1º desta lei. II . V . 1º desta lei.DIREITO ADMINISTRATIVO EM TEORIA E EXERCÍCIOS – STN – PROFA. ainda que de fins educativos ou assistências. sem observância das formalidades legais e regulamentares aplicáveis à espécie. VI .frustrar a licitude de processo licitatório ou dispensá-lo indevidamente.ordenar ou permitir a realização de despesas não autorizadas em lei ou regulamento. de pessoa física ou jurídica. 1° desta lei. X . verbas ou valores integrantes do acervo patrimonial das entidades mencionadas no art.facilitar ou concorrer por qualquer forma para a incorporação ao patrimônio particular. XI . ou ainda a prestação de serviço por parte delas. máquinas. por preço inferior ao de mercado.conceder benefício administrativo ou fiscal sem a observância das formalidades legais ou regulamentares aplicáveis à espécie.liberar verba pública sem a estrita observância das normas pertinentes ou influir de qualquer forma para a sua aplicação irregular.permitir que se utilize. bem como o trabalho de servidor público.pontodosconcursos. de propriedade ou à disposição de qualquer das entidades mencionadas no art. sem a observância das formalidades legais ou regulamentares aplicáveis à espécie. rendas. IV . XIII . verbas ou valores integrantes do acervo patrimonial das entidades mencionadas no art. facilitar ou concorrer para que terceiro se enriqueça ilicitamente. bem como no que diz respeito à conservação do patrimônio público.permitir ou concorrer para que pessoa física ou jurídica privada utilize bens.doar à pessoa física ou jurídica bem como ao ente despersonalizado.permitir ou facilitar a aquisição. XII .permitir ou facilitar a alienação. VIII . rendas. bens.

portanto. de 2005) XV – celebrar contrato de rateio de consórcio público sem suficiente e prévia dotação orçamentária. imparcialidade. legalidade. VI .107. de 2005) Seção III Dos Atos de Improbidade Administrativa que Atentam Contra os Princípios da Administração Pública A última espécie de ato de improbidade administrativa é a dos que atentam contra os princípios da Administração Pública. É o tipo menos grave. bem ou serviço.revelar fato ou circunstância de que tem ciência em razão das atribuições e que deva permanecer em segredo. aqui também somente se punirá a conduta dolosa. ato de ofício.com. III . II . antes da respectiva divulgação oficial. V . 12.retardar ou deixar de praticar. e notadamente: I .deixar de prestar contas quando esteja obrigado a fazê-lo. na regra de competência. 11. (Incluído pela Lei nº 11. PATRÍCIA CARLA XIV – celebrar contrato ou outro instrumento que tenha por objeto a prestação de serviços públicos por meio da gestão associada sem observar as formalidades previstas na lei.revelar ou permitir que chegue ao conhecimento de terceiro. mas sim apenas da mera violação aos princípios. ou sem observar as formalidades previstas na lei.pontodosconcursos.107.frustrar a licitude de concurso público. Art. Nos mesmos termos do comentário feito com relação ao art. teor de medida política ou econômica capaz de afetar o preço de mercadoria. às penalidade menos severas do art. e lealdade às instituições. Aqui não se cogita do enriquecimento ilícito ou dano material ao erário. 9º. VII . Constitui ato de improbidade administrativa que atenta contra os princípios da administração pública qualquer ação ou omissão que viole os deveres de honestidade.DIREITO ADMINISTRATIVO EM TEORIA E EXERCÍCIOS – STN – PROFA. 69 www.br . IV . (Incluído pela Lei nº 11. indevidamente.praticar ato visando fim proibido em lei ou regulamento ou diverso daquele previsto. para a maior parte da doutrina.negar publicidade aos atos oficiais. correspondendo.

na hipótese do art. que podem ser aplicadas isolada ou cumulativamente.br . de acordo com a gravidade do fato: (Redação dada pela Lei nº 12. Independentemente das sanções penais. PATRÍCIA CARLA CAPÍTULO III Das Penas MODALIDADES SUSPENSÃO DOS DIREITOS POLÍTICOS ENRIQUECIMENTO ILÍCITO (ART. 12.pontodosconcursos.DIREITO ADMINISTRATIVO EM TEORIA E EXERCÍCIOS – STN – PROFA. I . pagamento de multa civil de até três vezes o valor do acréscimo patrimonial e proibição de contratar com o Poder Público ou receber benefícios ou 70 www. suspensão dos direitos políticos de oito a dez anos. está o responsável pelo ato de improbidade sujeito às seguintes cominações. perda dos bens ou valores acrescidos ilicitamente ao patrimônio.120. ressarcimento integral do dano. 9°.10) 05 A 08 ANOS SIM PGTO MULTA CIVIL ATÉ 03X O VALOR DO ACRÉSCIMO PATRIMONIAL ATÉ 02X O VALOR DO DANO PROIBIÇÃO DE CONTRATAR COM O PODER PÚBLICO RESSARCIMENTO INTEGRAL DO DANO PERDA DOS BENS OU VALORES INDEVIDOS 10 ANOS QUANDO HOUVER SIM QUANDO HOUVER 05 ANOS SIM 03 ANOS QUANDO HOUVER (DOLO OU CULPA) ATOS ATENTATÓRIOS AOS PRINCÍPIOS DA ADM PÚBLICA (Art.com. quando houver.9º) 08 A 10 ANOS PERDA DA FUNÇÃO PÚBLICA SIM (DOLO) PREJUÍZO AO ERÁRIO (Art. 11) 03 A 05 ANOS SIM ATÉ 100X O VALOR DA REMUNERAÇÃO ------- (DOLO) Art. civis e administrativas previstas na legislação específica. de 2009). perda da função pública.

com. ou que a prestar falsa. títulos. direta ou indiretamente. III . pagamento de multa civil de até duas vezes o valor do dano e proibição de contratar com o Poder Público ou receber benefícios ou incentivos fiscais ou creditícios. § 2º A declaração de bens será anualmente atualizada e na data em que o agente público deixar o exercício do mandato. e. ressarcimento integral do dano.na hipótese do art. ressarcimento integral do dano. sem prejuízo de outras sanções cabíveis. localizado no País ou no exterior. pagamento de multa civil de até cem vezes o valor da remuneração percebida pelo agente e proibição de contratar com o Poder Público ou receber benefícios ou incentivos fiscais ou creditícios. dos filhos e de outras pessoas que vivam sob a dependência econômica do declarante. móveis. II . CAPÍTULO IV Da Declaração de Bens Art. quando for o caso. 11. pelo prazo de três anos. perda dos bens ou valores acrescidos ilicitamente ao patrimônio. pelo prazo de cinco anos. a fim de ser arquivada no serviço de pessoal competente. 10. ainda que por intermédio de pessoa jurídica da qual seja sócio majoritário.br . PATRÍCIA CARLA incentivos fiscais ou creditícios. A posse e o exercício de agente público ficam condicionados à apresentação de declaração dos bens e valores que compõem o seu patrimônio privado.pontodosconcursos. se concorrer esta circunstância. direta ou indiretamente. pelo prazo de dez anos. emprego ou função. dinheiro. Na fixação das penas previstas nesta lei o juiz levará em conta a extensão do dano causado. direta ou indiretamente. a bem do serviço público. § 1° A declaração compreenderá imóveis. § 3º Será punido com a pena de demissão. ações. o agente público que se recusar a prestar declaração dos bens.na hipótese do art. suspensão dos direitos políticos de cinco a oito anos. 13. 71 www. ainda que por intermédio de pessoa jurídica da qual seja sócio majoritário.DIREITO ADMINISTRATIVO EM TEORIA E EXERCÍCIOS – STN – PROFA. Parágrafo único. ainda que por intermédio de pessoa jurídica da qual seja sócio majoritário. perda da função pública. se houver. cargo. dentro do prazo determinado. suspensão dos direitos políticos de três a cinco anos. abrangerá os bens e valores patrimoniais do cônjuge ou companheiro. perda da função pública. excluídos apenas os objetos e utensílios de uso doméstico. semoventes. e qualquer outra espécie de bens e valores patrimoniais. assim como o proveito patrimonial obtido pelo agente.

DIREITO ADMINISTRATIVO EM TEORIA E EXERCÍCIOS – STN – PROFA. PATRÍCIA CARLA
§ 4º O declarante, a seu critério, poderá entregar cópia da declaração
anual de bens apresentada à Delegacia da Receita Federal na conformidade
da legislação do Imposto sobre a Renda e proventos de qualquer natureza,
com as necessárias atualizações, para suprir a exigência contida no caput e
no § 2° deste artigo .
CAPÍTULO V
Do Procedimento Administrativo e do Processo Judicial
Qualquer pessoa poderá representar à autoridade administrativa
competente para que seja instaurada investigação destinada a apurar a
prática de ato de improbidade.
A representação, que será escrita ou reduzida a termo e assinada,
conterá a qualificação do representante, as informações sobre o
fato e sua autoria e a indicação das provas de que tenha
conhecimento.
A autoridade administrativa rejeitará a representação, em despacho
fundamentado, se esta não contiver as formalidades retro estabelecidas. A
rejeição não impede a representação ao Ministério Público.
Atendidos os requisitos da representação, a autoridade determinará a
imediata apuração dos fatos. Se se tratar de servidores federais, será
processada seguindo a Lei nº 8.112/90, arts. 148 a 182. Em se tratando de
servidor militar, seguirá os respectivos regulamentos disciplinares.
A comissão processante dará conhecimento ao Ministério Público e
ao Tribunal ou Conselho de Contas da existência de procedimento
administrativo para apurar a prática de ato de improbidade. O
Ministério Público ou Tribunal ou Conselho de Contas poderá, a
requerimento, designar representante para acompanhar o procedimento
administrativo.
Havendo fundados indícios de responsabilidade, a comissão representará ao
Ministério Público ou à procuradoria do órgão para que requeira ao juízo
competente a decretação do sequestro dos bens do agente ou terceiro que
tenha enriquecido ilicitamente ou causado dano ao patrimônio público, que
será processado de acordo com o disposto nos arts. 822 e 825 do Código de
Processo Civil. Quando for o caso, o pedido incluirá a investigação, o
exame e o bloqueio de bens, contas bancárias e aplicações
financeiras mantidas pelo indiciado no exterior, nos termos da lei e
dos tratados internacionais.
A ação principal, que terá o rito ordinário, será proposta pelo
Ministério Público ou pela pessoa jurídica interessada, dentro de
trinta dias da efetivação da medida cautelar. É vedada a transação, acordo
ou conciliação nessas ações.
A Fazenda Pública, quando for o caso, promoverá as ações necessárias à
complementação do ressarcimento do patrimônio público.
No caso de a ação principal ter sido proposta pelo Ministério Público, a
pessoa jurídica de direito público ou de direito privado, cujo ato seja objeto
de impugnação, poderá abster-se de contestar o pedido, ou poderá atuar ao
72
www.pontodosconcursos.com.br

DIREITO ADMINISTRATIVO EM TEORIA E EXERCÍCIOS – STN – PROFA. PATRÍCIA CARLA
lado do autor, desde que isso se afigure útil ao interesse público, a juízo do
respectivo representante legal ou dirigente.
O Ministério Público, se não intervir no processo como parte, atuará
obrigatoriamente, como fiscal da lei, sob pena de nulidade.
A propositura da ação prevenirá a jurisdição do juízo para todas as
ações posteriormente intentadas que possuam a mesma causa de pedir ou
o mesmo objeto.
A ação será instruída com documentos ou justificação que contenham
indícios suficientes da existência do ato de improbidade ou com razões
fundamentadas da impossibilidade de apresentação de qualquer dessas
provas, observada a legislação vigente, inclusive as disposições inscritas
nos arts. 16 a 18 do Código de Processo Civil.
Estando a inicial em devida forma, o juiz mandará autuá-la e ordenará a
notificação do requerido, para oferecer manifestação por escrito, que
poderá ser instruída com documentos e justificações, dentro do prazo de
quinze dias.
Recebida a manifestação, o juiz, no prazo de trinta dias, em decisão
fundamentada, rejeitará a ação, se convencido da inexistência do ato de
improbidade, da improcedência da ação ou da inadequação da via eleita.
Recebida a petição inicial, será o réu citado para apresentar
contestação.
Da decisão que receber a petição inicial, caberá agravo de instrumento.
Em qualquer fase do processo, reconhecida a inadequação da ação de
improbidade, o juiz extinguirá o processo sem julgamento do mérito.
Aplica-se aos depoimentos ou inquirições realizadas nos processos regidos
por esta Lei as normas do processo penal (art. 221, caput e § 1o, do CPP).
A sentença que julgar procedente ação civil de reparação de dano ou
decretar a perda dos bens havidos ilicitamente determinará o pagamento ou
a reversão dos bens, conforme o caso, em favor da pessoa jurídica
prejudicada pelo ilícito.
Art. 14. Qualquer pessoa poderá representar à autoridade
administrativa competente para que seja instaurada investigação destinada
a apurar a prática de ato de improbidade.
§ 1º A representação, que será escrita ou reduzida a termo e
assinada, conterá a qualificação do representante, as informações sobre o
fato e sua autoria e a indicação das provas de que tenha conhecimento.
§ 2º A autoridade administrativa rejeitará a representação, em
despacho fundamentado, se esta não contiver as formalidades estabelecidas
no § 1º deste artigo. A rejeição não impede a representação ao Ministério
Público, nos termos do art. 22 desta lei.
§ 3º Atendidos os requisitos da representação, a autoridade
determinará a imediata apuração dos fatos que, em se tratando de
servidores federais, será processada na forma prevista nos arts. 148 a 182
73
www.pontodosconcursos.com.br

DIREITO ADMINISTRATIVO EM TEORIA E EXERCÍCIOS – STN – PROFA. PATRÍCIA CARLA
da Lei nº 8.112, de 11 de dezembro de 1990 e, em se tratando de servidor
militar, de acordo com os respectivos regulamentos disciplinares.
Art. 15. A comissão processante dará conhecimento ao Ministério
Público e ao Tribunal ou Conselho de Contas da existência de procedimento
administrativo para apurar a prática de ato de improbidade.
Parágrafo único. O Ministério Público ou Tribunal ou Conselho de
Contas poderá, a requerimento, designar representante para acompanhar o
procedimento administrativo.
Art. 16. Havendo fundados indícios de responsabilidade, a comissão
representará ao Ministério Público ou à procuradoria do órgão para que
requeira ao juízo competente a decretação do seqüestro dos bens do agente
ou terceiro que tenha enriquecido ilicitamente ou causado dano ao
patrimônio público.
§ 1º O pedido de seqüestro será processado de acordo com o disposto
nos arts. 822 e 825 do Código de Processo Civil.
§ 2° Quando for o caso, o pedido incluirá a investigação, o exame e o
bloqueio de bens, contas bancárias e aplicações financeiras mantidas pelo
indiciado no exterior, nos termos da lei e dos tratados internacionais.
Art. 17. A ação principal, que terá o rito ordinário, será proposta pelo
Ministério Público ou pela pessoa jurídica interessada, dentro de trinta dias
da efetivação da medida cautelar.
§ 1º É vedada a transação, acordo ou conciliação nas ações de
que trata o caput.
§ 2º A Fazenda Pública, quando for o caso, promoverá as ações
necessárias à complementação do ressarcimento do patrimônio público.
§ 3o No caso de a ação principal ter sido proposta pelo Ministério
Público, aplica-se, no que couber, o disposto no § 3o do art. 6o da Lei no
4.717, de 29 de junho de 1965. (Redação dada pela Lei nº 9.366, de 1996)
§ 4º O Ministério Público, se não intervir no processo como parte,
atuará obrigatoriamente, como fiscal da lei, sob pena de nulidade.
§ 5o A propositura da ação prevenirá a jurisdição do juízo para todas
as ações posteriormente intentadas que possuam a mesma causa de pedir
ou o mesmo objeto. (Incluído pela Medida provisória nº 2.180-35, de 2001)
§ 6o A ação será instruída com documentos ou justificação que
contenham indícios suficientes da existência do ato de improbidade ou com
razões fundamentadas da impossibilidade de apresentação de qualquer
dessas provas, observada a legislação vigente, inclusive as disposições
74
www.pontodosconcursos.com.br

DIREITO ADMINISTRATIVO EM TEORIA E EXERCÍCIOS – STN – PROFA. PATRÍCIA CARLA
inscritas nos arts. 16 a 18 do Código de Processo Civil. (Incluído pela
Medida Provisória nº 2.225-45, de 2001)
§ 7o Estando a inicial em devida forma, o juiz mandará autuá-la e
ordenará a notificação do requerido, para oferecer manifestação por escrito,
que poderá ser instruída com documentos e justificações, dentro do prazo
de quinze dias. (Incluído pela Medida Provisória nº 2.225-45, de 2001)
§ 8o Recebida a manifestação, o juiz, no prazo de trinta dias, em
decisão fundamentada, rejeitará a ação, se convencido da inexistência do
ato de improbidade, da improcedência da ação ou da inadequação da via
eleita. (Incluído pela Medida Provisória nº 2.225-45, de 2001)
§ 9o Recebida a petição inicial, será o réu citado para apresentar
contestação. (Incluído pela Medida Provisória nº 2.225-45, de 2001)
§ 10. Da decisão que receber a petição inicial, caberá agravo de
instrumento. (Incluído pela Medida Provisória nº 2.225-45, de 2001)
§ 11. Em qualquer fase do processo, reconhecida a inadequação da
ação de improbidade, o juiz extinguirá o processo sem julgamento do
mérito. (Incluído pela Medida Provisória nº 2.225-45, de 2001)
§ 12. Aplica-se aos depoimentos ou inquirições realizadas nos
processos regidos por esta Lei o disposto no art. 221, caput e § 1o, do
Código de Processo Penal. (Incluído pela Medida Provisória nº 2.225-45, de
2001)
Art. 18. A sentença que julgar procedente ação civil de reparação de
dano ou decretar a perda dos bens havidos ilicitamente determinará o
pagamento ou a reversão dos bens, conforme o caso, em favor da pessoa
jurídica prejudicada pelo ilícito.
CAPÍTULO VI
Das Disposições Penais
Art. 19. Constitui crime a representação por ato de improbidade
contra agente público ou terceiro beneficiário, quando o autor da denúncia o
sabe inocente.
Pena: detenção de seis a dez meses e multa.
Parágrafo único. Além da sanção penal, o denunciante está sujeito a
indenizar o denunciado pelos danos materiais, morais ou à imagem que
houver provocado.
Art. 20. A perda da função pública e a suspensão dos direitos políticos
só se efetivam com o trânsito em julgado da sentença condenatória.

75
www.pontodosconcursos.com.br

DIREITO ADMINISTRATIVO EM TEORIA E EXERCÍCIOS – STN – PROFA. PATRÍCIA CARLA
Parágrafo único. A autoridade judicial ou administrativa competente
poderá determinar o afastamento do agente público do exercício do cargo,
emprego ou função, sem prejuízo da remuneração, quando a medida se
fizer necessária à instrução processual.
Art. 21. A aplicação das sanções previstas nesta lei independe:
I - da efetiva ocorrência de dano ao patrimônio público, salvo
quanto à pena de ressarcimento; (Redação dada pela Lei nº 12.120, de
2009).
II - da aprovação ou rejeição das contas pelo órgão de controle
interno ou pelo Tribunal ou Conselho de Contas.
Art. 22. Para apurar qualquer ilícito previsto nesta lei, o Ministério
Público, de ofício, a requerimento de autoridade administrativa ou mediante
representação formulada de acordo com o disposto no art. 14, poderá
requisitar a instauração de inquérito policial ou procedimento
administrativo.
CAPÍTULO VII
Da Prescrição
Art. 23. As ações destinadas a levar a efeitos as sanções previstas
nesta lei podem ser propostas:

Dentro dos prazos nele previstos, pode/deve a Administração agir, sob pena
de prescrição.
A Lei prevê duas hipóteses diferentes, mas fixa apenas um prazo, qual seja,
5 (cinco) anos após o término do exercício de mandato, de cargo em
comissão ou de função de confiança. No outro caso (exercício de cargo
efetivo ou emprego), remete à legislação específica sobre servidores ou
empregados públicos.
I - até cinco anos após o término do exercício de mandato, de cargo
em comissão ou de função de confiança;
No caso dos servidores federais estatutários, a Lei nº 8.112/90 prevê
também o prazo de 5 (cinco) anos:
Art. 142. A ação disciplinar prescreverá:
I – em 5 (cinco) anos, quanto às infrações puníveis com demissão, cassação
de aposentadoria ou disponibilidade e destituição de cargo em comissão;
§ 1º O prazo de prescrição começa a correr da data em que o fato se tornou
conhecido.
Se o agente a quem se imputa ato ímprobo, à ocasião dos fatos, ocupava
76
www.pontodosconcursos.com.br

4. vez que tal ação de ressarcimento é imprescritível. PATRÍCIA CARLA cargo efetivo e. § 5º.br . Ficam revogadas as Leis n°s 3. seja servidor estatutário ocupante de cargo efetivo ou não. As disposições lei abrangem os atos de improbidade administrativa praticados contra: I – a administração direta. 3. Os atos de improbidade administrativa importarão a suspensão dos direitos políticos.com. 171° da Independência e 104° da República. de 21 de dezembro de 1958 e demais disposições em contrário. apenas ação cível.” II . Lembrar: CF/88. pelo simples fato de o vínculo entre agente e Administração Pública não cessar com a exoneração do cargo em comissão. 77 www. Art. 2. art. 2 de junho de 1992. Esta lei entra em vigor na data de sua publicação. A Lei alcança os atos de improbidade praticados por qualquer agente público. 25. e 3. 37. a perda da função pública. Rio de Janeiro. na forma e gradação previstas em lei. a indisponibilidade dos bens e o ressarcimento ao erário. exercia cargo em comissão.pontodosconcursos. dos Estados. menciona que o prazo prescricional não se aplica às penalidades de ressarcimento do prejuízo aos cofres públicos. dos Municípios.164. Não há ação penal. de 1° de junho de 1957. indireta ou fundacional. FERNANDO COLLOR Célio Borja PARA GUARDAR! 1. “há de prevalecer o primeiro para fins de contagem prescricional.502.DIREITO ADMINISTRATIVO EM TEORIA E EXERCÍCIOS – STN – PROFA. II – qualquer dos Poderes da União. de Território. sem prejuízo da ação penal cabível. do Distrito Federal. nos casos de exercício de cargo efetivo ou emprego. III – empresa incorporada ao patrimônio público. 24. por esse ser temporário. CAPÍTULO VIII Das Disposições Finais Art. concomitantemente.dentro do prazo prescricional previsto em lei específica para faltas disciplinares puníveis com demissão a bem do serviço público.

Nos termos da CF/88. CF/88). A autoridade administrativa representa (indica os elementos de fato. III – atentam contra os princípios da Administração Pública. pelas sanções da lei de improbidade administrativa. 17. fiscal ou creditício. a necessidade) ao Ministério Público. pode haver perdimento. todo aquele que exerce. 9. cargo. de órgão público.Classificação dos atos de improbidade administrativa: são atos que: I – importam enriquecimento ilícito. benefício ou incentivo. 16. É declarada pelo juiz.O sucessor daquele que causar lesão ao patrimônio público ou se enriquecer ilicitamente está sujeito às cominações desta lei até o limite do valor da herança. nos termos da Lei. PATRÍCIA CARLA IV – entidade para cuja criação ou custeio o erário haja concorrido ou concorra com mais de cinquenta por cento do patrimônio ou da receita anual. que peticiona junto ao Poder Judiciário. 13. designação. Em havendo dano ao ressarcimento ao erário. por eleição. dolosa ou culposa.com. patrimônio público. do agente ou de terceiro. nomeação. contratação ou qualquer outra forma de investidura ou vínculo. Princípios de observância obrigatória: legalidade.DIREITO ADMINISTRATIVO EM TEORIA E EXERCÍCIOS – STN – PROFA. perderá o agente público ou terceiro beneficiário os bens ou valores acrescidos ao seu patrimônio. mandato. II – causam prejuízo ao erário. 7. 11. moralidade e publicidade. VI – entidade para cuja criação ou custeio o erário haja concorrido ou concorra com menos de cinquenta por cento do patrimônio ou da receita anual.Ocorrendo lesão ao patrimônio público por ação ou omissão. haverá o integral 10. A indisponibilidade recairá sobre bens que assegurem o integral ressarcimento do dano. impessoalidade. dar-se-á o integral ressarcimento do dano.Destaque-se que as ações de ressarcimento são imprescritíveis (parte final do § 5º. ou sobre o acréscimo patrimonial resultante do enriquecimento ilícito. para a indisponibilidade dos bens do indiciado. art. para os efeitos desta lei. 37. no que couber. V – patrimônio de entidade que receba subvenção. 6. 8. 12. ainda que transitoriamente ou sem remuneração.Quando o ato de improbidade causar lesão ao patrimônio público ou ensejar enriquecimento ilícito. 5. Mesmo aquele que não é agente público pode ser alcançado.No caso de enriquecimento ilícito. inclui-se também a eficiência. 14.br . 15. 37.pontodosconcursos. e não pela Administração. caberá à autoridade administrativa responsável pelo inquérito representar ao Ministério Público. art. emprego ou função nas entidades mencionadas.Atos de improbidade administrativa que importam enriquecimento 78 www.Ainda que não haja lesão ao erário. É agente público.

8. utilizar.Prescrição das sanções: I – em cinco anos após o término do exercício de mandato. O processo administrativo disciplinar que resultou na demissão foi instaurado para apurar fatos referentes às possíveis infrações disciplinares cometidas pelo então servidor no serviço do dia 12/01/2003. lealdade às instituições e legalidade. O processo disciplinar foi instaurado pelo chefe da Divisão de Corregedoria do Departamento de Polícia Rodoviária Federal – DPRF por portaria. IV e XI da Lei n. adquirir.com. a primeira comissão processante apresentou um relatório parcial e indicou que os trabalhos seriam temporariamente paralisados em razão da ausência de disponibilidade orçamentária. de cargo em comissão ou de função de confiança.Atos de improbidade que causam prejuízo ao erário: qualquer ação ou omissão. nos casos de exercício de cargo efetivo ou emprego. apropriação. I da Lei n. e ao art. foi revogada em 30/01/2007 por ato do próprio Superintendente. 19. 20. aceitar. 8. Em 24/01/2007 o Superintendente Regional de SC editou nova portaria que determinava a retomada das investigações.429/92. II – da aprovação ou rejeição das contas pelo órgão de controle interno ou pelo Tribunal ou Conselho de Contas. tendo designado novos membros para a comissão processante. 18.A aplicação das sanções independe: I – da efetiva ocorrência de dano ao patrimônio público. contudo. malbaratamento ou dilapidação dos bens ou haveres das entidades mencionadas. que enseje perda patrimonial. emprego ou atividade. desvio. PATRÍCIA CARLA ilícito: receber. função.pontodosconcursos. dolosa ou culposa. Auferir qualquer tipo de vantagem patrimonial indevida em razão do exercício de cargo.(ESAF/DNIT/Analista/2013) Determinado policial rodoviário federal foi demitido do cargo por infringência aos art.112/90. em um posto da Polícia Rodoviária Federal em Santa Catarina. 11. IX e 132. imparcialidade.br . mandato. 117. em 25/08/2004. que designou para compor a comissão processante um policial rodoviário federal lotado em Mato Grosso. 79 www. II – dentro do prazo prescricional previsto em lei específica para faltas disciplinares puníveis com demissão a bem do serviço público. Sem concluir a apuração. 1ª Lista de questões da aula 7 1 .Atos de improbidade administrativa que atentam contra os princípios da administração pública: qualquer ação ou omissão que viole os deveres de honestidade. incorporar etc.DIREITO ADMINISTRATIVO EM TEORIA E EXERCÍCIOS – STN – PROFA. Essa Portaria. 21. na qualidade de presidente e dois outros policiais rodoviários federais lotados em Santa Catarina-SC.

112/90. A então comissão.112/90 contém proibição de que a comissão disciplinar seja composta por servidores lotados em unidade da federação diversa daquela em que atuava o servidor investigado. Levando-se em consideração o caso concreto acima narrado. ( ) O princípio do juiz natural foi maculado quando a autoridade instauradora do processo administrativo disciplinar designou três comissões diferentes em três portarias distintas para. mudança na cidade de exercício. ( ) Não há nulidade sem demonstração do efetivo prejuízo à defesa. V. elaboraram relatório final. avalie as assertivas abaixo. designar membros lotados em unidade distinta do indiciado. F c) F. 80 www. assinale a opção correta. V. no qual sugeriram a aplicação da penalidade de demissão ao acusado. 8. a) Pode implicar. Posteriormente. V. ( ) A substituição dos membros da comissão processante não é vedada pela Lei n. ao final. classificando-as como falsas ou verdadeiras. exarou despacho de instrução e indiciamento do Policial Rodoviário Federal investigado. 8. O processo foi. ( ) A Lei n. V. F. retomado em 09/03/2007. PATRÍCIA CARLA Em 5/03/2007 o Corregedor-Geral substituto do DPRF expediu nova portaria designando três policiais lotados no Rio Grande do Sul-RS para integrarem a comissão instaurada no âmbito da Superintendência de SC. a) F. F. portanto. após a apresentação da defesa. ou não.(ESAF/MF/Assistente/2012) Assinale a opção incorreta acerca da remoção.pontodosconcursos. V. Foram convalidados todos os atos praticados pelas comissões anteriores. F b) F. V. V 2 .br .DIREITO ADMINISTRATIVO EM TEORIA E EXERCÍCIOS – STN – PROFA. providência que pode ser levada a efeito desde que os novos membros preencham os requisitos legais estabelecidos. V d) V. fonte do direito administrativo. bem como a jurisprudência do Superior Tribunal de Justiça. F e) F. dando por concluída a instrução. F. Ao final.com. V.

e) Em algumas hipóteses a administração pode vir a ser obrigada a conceder remoção ao servidor que a requeira. 116 da Lei n. Posse em outro cargo inacumulável ( ) 6.pontodosconcursos. Promoção ( ) 4.com.(ESAF/MF/Assistente/2012) Assinale a opção que contenha o fundamento do dever de obediência do servidor público. e) Eficiência. PATRÍCIA CARLA b) Pode ocorrer de ofício. Após a análise. Analise cada uma das hipóteses e assinale (1) caso ela implique simultaneamente o provimento de novo cargo pelo servidor e (2) para aquelas que não se relacionem a provimento de novo cargo.112/90. Aposentadoria ( ) 5. 3 . assinale a opção que contenha a sequência correta. Readaptação ( ) a) 2 / 2 / 2 / 1 / 1 / 1 b) 2 / 2 / 1 / 2 / 1 / 1 c) 1 / 2 / 1 / 2 / 1 / 1 81 www.(ESAF/MF/Assistente/2012) Abaixo se encontram relacionadas algumas hipóteses de vacância do cargo público. c) Não existe remoção de ofício independentemente do interesse da administração para o acompanhamento de cônjuge sem mudança de sede. d) Trata-se de uma das formas de provimento derivado. c) Hierarquia. 1.br . Exoneração ( ) 3. ou a pedido.DIREITO ADMINISTRATIVO EM TEORIA E EXERCÍCIOS – STN – PROFA. d) Moralidade. b) Disciplina. art. 4 . 8. Demissão ( ) 2. a) Publicidade. disposto no inciso IV.

consoante disposição da Lei n.(ESAF/Receita/Analista/2012) Quanto às regras impostas aos servidores públicos federais. de 11 de dezembro de 1990. o afastamento do servidor dar-se-á sem prejuízo da remuneração. 6 . c) para a participação do servidor em programa de pós. por isso. corretamente. doloso ou culposo. é necessária a compensação de horário. PATRÍCIA CARLA d) 2 / 1 / 1 / 2 / 1 / 2 e) 2 / 2 / 1 / 2 / 2 / 1 5 .br . que resulte em prejuízo ao erário ou a terceiros. a critério da administração. como candidato a cargo eletivo. penais e administrativas são independentes entre si e.graduação stricto sensu em instituição de ensino superior no País. c) tratando-se de dano causado a terceiros. que: a) o servidor responde civil. 82 www. poderão ser concedidas ao servidor ocupante de cargo efetivo licenças para o trato de assuntos particulares pelo prazo de até três anos consecutivos. por recomendação de seu médico particular. b) o servidor não poderá ausentar-se do País para estudo ou missão oficial sem autorização do Presidente da República. Presidente dos Órgãos do Poder Legislativo e Presidente do Supremo Tribunal Federal.pontodosconcursos. e) as sanções civis. d) ainda que no estágio probatório.DIREITO ADMINISTRATIVO EM TEORIA E EXERCÍCIOS – STN – PROFA. em ação regressiva. o servidor não terá direito a licença. sem remuneração. não podem ser aplicadas cumulativamente. d) a responsabilidade administrativa do servidor será afastada no caso de absolvição criminal que negue a existência do fato ou sua autoria. responderá o servidor perante a Fazenda Pública. 8.(ESAF/Receita/Analista/2012) Quanto à responsabilidade do servidor público.(ESAF/Receita/Auditor/2012) Determinado servidor público federal foi acometido de doença que. não se pode afirmar. 7 . b) a responsabilidade civil decorre de ato omissivo ou comissivo. é correto afirmar que: a) para servir em organismo internacional de que o Brasil participe ou com o qual coopere.112. e a véspera do registro de sua candidatura perante a Justiça Federal. sem possibilidade de afastamento do exercício do cargo.com. e) durante o período que mediar entre a sua escolha em convenção partidária. penal e administrativamente pelo exercício irregular de suas atribuições.

br . a) A limitação temporal para a apresentação do atestado médico para homologação não encontra fundamento na Lei n. Ao final do mês. 116. PATRÍCIA CARLA devidamente atestada. Tendo em vista que o servidor não foi periciado. Entretanto. 8 .112/90. em nenhuma hipótese. render-lhe-ia quatro dias de licença para tratamento da própria saúde. 8. invocando pareceres da Advocacia-Geral da União que consideram compulsória a penalidade de demissão em casos como o acima narrado. nem sequer apresentou atestado médico para que a licença médica pudesse ser formalizada.pontodosconcursos. e) A compensação de horário não é admitida. 117. o referido servidor fora descontado da remuneração correspondente aos dias faltosos. O referido servidor afastou-se de suas atividades laborais sem. todos da Lei n. incisos IX e XV. assinale a opção correta. entregar à chefia imediata o atestado médico para fins de homologação. d) É descabida a instauração de processo administrativo disciplinar quando não se colima a aplicação de sanção de qualquer natureza.com. mas o mero desconto da remuneração pelos dias não trabalhados.112/90. Considerando a legislação de pessoal em vigor e a recente jurisprudência do STJ.(ESAF/Receita/Auditor/2012) Determinado servidor público cometeu infrações disciplinares. 8. Também não compareceu ao serviço médico do seu local de trabalho durante o afastamento nem nos cinco dias subsequentes a ele. foi declarado nulo o julgamento proferido no processo administrativo disciplinar em questão.112/90 e foi apenado com suspensão de setenta e cinco dias.DIREITO ADMINISTRATIVO EM TEORIA E EXERCÍCIOS – STN – PROFA. a chefia imediata efetuou o registro das faltas em sua folha de controle de frequência. II e III do art. 83 www. b) Não é possível aplicar a penalidade da falta sem a instauração de prévio processo administrativo disciplinar. todavia. 8. violando os incisos I. considerando que o referido servidor cometeu falta funcional passível de demissão. não podendo ser estabelecida por meio de decreto. c/c o art. pela Lei n. c) O desconto pelos dias não trabalhados não pode ser realizado sem a prévia instauração do processo administrativo disciplinar.

112. com julgamento pela autoridade competente. 8. a) As normas que tratavam de tal direito especificamente no Estatuto do Servidor Público Federal encontram-se revogadas. b) O rejulgamento do processo administrativo disciplinar é possível não somente quando houver possibilidade de abrandamento da sanção.pontodosconcursos. torna-se compulsória a aplicação da pena de demissão. d) Os recursos interpostos têm efeito suspensivo.DIREITO ADMINISTRATIVO EM TEORIA E EXERCÍCIOS – STN – PROFA. 9 . que os encaminharão à autoridade superior. razão pela qual interrompem a prescrição. Tendo em mente a jurisprudência do STJ sobre a matéria. com o contraditório e ampla defesa que lhes são inerentes. e) Admite-se. 8. assinale a opção correta. 10 . 84 www. mas em alguns casos específicos de agravamento como o narrado no enunciado da questão.(ESAF/PGFN/Procurador/2012) Sobre a acumulação de cargos públicos. c) Sempre que caracterizada uma das infrações disciplinares previstas no art.132 da Lei n. b) O servidor demitido tem 120 (cento e vinte) dias para requerer a revisão do ato demissório. a) Em caso de dissonância entre a penalidade aplicada e a penalidade recomendada em lei ou orientação normativa interna. assinale a opção correta. sob pena de preclusão administrativa.(ESAF/PGFN/Procurador/2012) No que se refere ao direito de petição. é possível o agravamento da penalidade imposta ao servidor ainda que após o encerramento do respectivo processo disciplinar. c) Os recursos administrativos deverão ser dirigidos à autoridade que proferiu a decisão. excepcionalmente. de 1990. a autoridade julgadora emite portaria. demitindo o servidor público pelas infrações cometidas.br . baseada no mesmo processo em que se fundou a primeira. a prorrogação do prazo para o exercício do recurso administrativo. consoante previsto na Lei n. d) É inadmissível segunda punição de servidor público. PATRÍCIA CARLA Após garantido o devido processo legal. caso não reconsidere sua decisão. e) A anulação parcial do processo para a aplicação de orientação da Advocacia-Geral da União está correta e equipara-se a uma anulação por julgamento contrário à prova dos autos.com. assinale a opção correta.112/90.

117. portanto. 85 www.se de cargo de provimento em comissão. foi revogada em 30/01/2007 por ato do próprio Superintendente. 8. a primeira comissão processante apresentou um relatório parcial e indicou que os trabalhos seriam temporariamente paralisados em razão da ausência de disponibilidade orçamentária. Em 5/03/2007 o Corregedor-Geral substituto do DPRF expediu nova portaria designando três policiais lotados no Rio Grande do Sul-RS para integrarem a comissão instaurada no âmbito da Superintendência de SC. contudo. retomado em 09/03/2007. e) Como regra. Essa Portaria.112/90. 1ª Lista de questões comentadas da aula 7 1 . e ao art.br . o servidor pode ser remunerado pela participação em órgãos de deliberação coletiva. em 25/08/2004. c) Via de regra. IV e XI da Lei n. que designou para compor a comissão processante um policial rodoviário federal lotado em Mato Grosso. Sem concluir a apuração. 8. Foram convalidados todos os atos praticados pelas comissões anteriores.DIREITO ADMINISTRATIVO EM TEORIA E EXERCÍCIOS – STN – PROFA. na qualidade de presidente e dois outros policiais rodoviários federais lotados em Santa Catarina-SC.pontodosconcursos. que o servidor tenha exercício simultâneo em mais de um cargo em comissão. O processo disciplinar foi instaurado pelo chefe da Divisão de Corregedoria do Departamento de Polícia Rodoviária Federal – DPRF por portaria.com. IX e 132. em um posto da Polícia Rodoviária Federal em Santa Catarina. desde que haja compatibilidade de horários. Em 24/01/2007 o Superintendente Regional de SC editou nova portaria que determinava a retomada das investigações. 11. b) A proibição de acumular não se estende a funções em estatais vinculadas a outro ente da Federação. PATRÍCIA CARLA a) Admite-se.(ESAF/DNIT/Analista/2013) Determinado policial rodoviário federal foi demitido do cargo por infringência aos art. I da Lei n. tendo designado novos membros para a comissão processante. a proibição de acumular não se estende à acumulação de proventos da inatividade com a percepção de vencimentos na ativa. O processo foi. excepcionalmente. d) A legislação pátria não admite que o servidor que acumule dois cargos efetivos possa investir. O processo administrativo disciplinar que resultou na demissão foi instaurado para apurar fatos referentes às possíveis infrações disciplinares cometidas pelo então servidor no serviço do dia 12/01/2003.429/92.

V. ao final. Não temos juiz em âmbito administrativo. ( ) A substituição dos membros da comissão processante não é vedada pela Lei n.112/90 contém proibição de que a comissão disciplinar seja composta por servidores lotados em unidade da federação diversa daquela em que atuava o servidor investigado. após a apresentação da defesa. V. V. F b) F. F. 8.112/90. F. F. Posteriormente.DIREITO ADMINISTRATIVO EM TEORIA E EXERCÍCIOS – STN – PROFA. V.com. providência que pode ser levada a efeito desde que os novos membros preencham os requisitos legais estabelecidos. ( ) A Lei n. bem como a jurisprudência do Superior Tribunal de Justiça. ( ) O princípio do juiz natural foi maculado quando a autoridade instauradora do processo administrativo disciplinar designou três comissões diferentes em três portarias distintas para.pontodosconcursos. 86 www. V Gabarito: A Comentários: (F) O princípio do juiz natural foi maculado quando a autoridade instauradora do processo administrativo disciplinar designou três comissões diferentes em três portarias distintas para. V. elaboraram relatório final. designar membros lotados em unidade distinta do indiciado. ( ) Não há nulidade sem demonstração do efetivo prejuízo à defesa. no qual sugeriram a aplicação da penalidade de demissão ao acusado. F e) F. Levando-se em consideração o caso concreto acima narrado.br . avalie as assertivas abaixo. V. assinale a opção correta. dando por concluída a instrução. Ao final. V d) V. designar membros lotados em unidade distinta do indiciado. ao final. a) F. fonte do direito administrativo. V. F c) F. PATRÍCIA CARLA A então comissão. exarou despacho de instrução e indiciamento do Policial Rodoviário Federal investigado. 8. classificando-as como falsas ou verdadeiras.

Não contém a Lei nº 8. 8. tem destinatários específicos. cujo regime disciplinar é o estabelecido pela Lei nº 8. “A Lei nº 4.112/90.112/1990.br . no art. ou não.112/90 contém proibição de que a comissão disciplinar seja composta por servidores lotados em unidade da federação diversa daquela em que atuava o servidor investigado. 8. Gabarito: D Comentários: 87 www.” MS 14827. providência que pode ser levada a efeito desde que os novos membros preencham os requisitos legais estabelecidos. entre os quais não estão incluídos os Policiais Rodoviários Federais. mudança na cidade de exercício. norma de natureza especial. STJ.112/1990. d) Trata-se de uma das formas de provimento derivado. 3. nem em qualquer outro dispositivo dessa lei.com.(ESAF/MF/Assistente/2012) Assinale a opção incorreta acerca da remoção. PATRÍCIA CARLA (V) A substituição dos membros da comissão processante não é vedada pela Lei n. providência que poderá ser levada a efeito desde que os novos integrantes preencham os requisitos legalmente estabelecidos. ou a pedido. 5. a) Pode implicar. 2 .DIREITO ADMINISTRATIVO EM TEORIA E EXERCÍCIOS – STN – PROFA. que. no caso.112/1990 proibição de que a comissão disciplinar seja composta por servidores lotados em unidade da federação diversa daquela em que atuava o servidor investigado.112/1990 proibição de que a comissão disciplinar seja composta por servidores lotados em unidade da federação diversa daquela em que atuava o servidor investigado. 2. Segurança denegada.878/1965. A declaração da nulidade do processo disciplinar condiciona-se à demonstração de efetivo prejuízo à defesa do servidor. (F) A Lei n. Não há.pontodosconcursos. e) Em algumas hipóteses a administração pode vir a ser obrigada a conceder remoção ao servidor que a requeira. 149 da Lei nº 8.não ficou evidenciado. que dispõe que as infrações funcionais serão apuradas por Comissão Permanente de Disciplina. c) Não existe remoção de ofício independentemente do interesse da administração para o acompanhamento de cônjuge sem mudança de sede. (V) Não há nulidade sem demonstração do efetivo prejuízo à defesa. vedação à substituição dos membros da comissão processante. Não contém a Lei nº 8. b) Pode ocorrer de ofício. 4.

readaptação. Provimento é o ato administrativo que preenche um cargo público.aproveitamento.br . II . 8.pontodosconcursos. a pedido ou de ofício. III . c) Hierarquia. 8o São formas de provimento de cargo público: I .112/90. Remoção é o deslocamento do servidor. VIII .recondução.com. art.(revogado) IV (revogado) V .reintegração. PATRÍCIA CARLA Remoção não é provimento. dessa forma. VII .reversão.. Art. 36. Gabarito: C Comentários: Art. IX . no âmbito do mesmo quadro. Na remoção.) 88 www.DIREITO ADMINISTRATIVO EM TEORIA E EXERCÍCIOS – STN – PROFA. 116 da Lei 8112/90. a) Publicidade. São deveres do servidor: (.nomeação. o servidor "leva o cargo junto". VI . disposto no inciso IV..(ESAF/MF/Assistente/2012) Assinale a opção que contenha o fundamento do dever de obediência do servidor público. 3 . não preenche um cargo vazio. 116 da Lei n. Art. b) Disciplina. d) Moralidade.promoção. com ou sem mudança de sede. e) Eficiência.

Exoneração: não se relaciona a provimento de novo cargo. Após a análise. 89 www. Promoção: Implica simultaneamente o provimento de novo cargo pelo servidor 4. Aposentadoria: não se relaciona a provimento de novo cargo. PATRÍCIA CARLA IV . Posse em outro cargo inacumulável ( ) 6. Demissão: não se relaciona a provimento de novo cargo.DIREITO ADMINISTRATIVO EM TEORIA E EXERCÍCIOS – STN – PROFA. Readaptação ( ) a) 2 / 2 / 2 / 1 / 1 / 1 b) 2 / 2 / 1 / 2 / 1 / 1 c) 1 / 2 / 1 / 2 / 1 / 1 d) 2 / 1 / 1 / 2 / 1 / 2 e) 2 / 2 / 1 / 2 / 2 / 1 Gabarito: B Comentários: 1.br . Aposentadoria ( ) 5. fruto do poder hierárquico. Analise cada uma das hipóteses e assinale (1) caso ela implique simultaneamente o provimento de novo cargo pelo servidor e (2) para aquelas que não se relacionem a provimento de novo cargo. 2. assinale a opção que contenha a sequência correta.cumprir as ordens superiores. Cumprir ordem de um superior é obedecer a uma hierarquia. Exoneração ( ) 3.com. Demissão ( ) 2. 4 . exceto quando manifestamente ilegais. 1. 3.pontodosconcursos.(ESAF/MF/Assistente/2012) Abaixo se encontram relacionadas algumas hipóteses de vacância do cargo público. Promoção ( ) 4.

e) durante o período que mediar entre a sua escolha em convenção partidária. como candidato a cargo eletivo.pontodosconcursos.com. Posse em outro cargo inacumulável: Implica simultaneamente o provimento de novo cargo pelo servidor 6.112. sem possibilidade de afastamento do exercício do cargo.br . O afastamento de servidor para servir em organismo internacional de que o Brasil participe ou com o qual coopere dar-se-á com perda total da remuneração. Presidente dos Órgãos do Poder Legislativo e Presidente do Supremo Tribunal Federal. d) ainda que no estágio probatório. c) para a participação do servidor em programa de pós. é necessária a compensação de horário. o afastamento do servidor dar-se-á sem prejuízo da remuneração. consoante disposição da Lei n. 90 www. Gabarito: B Comentários: a) para servir em organismo internacional de que o Brasil participe ou com o qual coopere. a critério da administração. sem remuneração. e a véspera do registro de sua candidatura perante a Justiça Federal. de 11 de dezembro de 1990. sem possibilidade de afastamento do exercício do cargo. é correto afirmar que: a) para servir em organismo internacional de que o Brasil participe ou com o qual coopere. o afastamento do servidor dar-se-á sem prejuízo da remuneração.(ESAF/Receita/Analista/2012) Quanto às regras impostas aos servidores públicos federais. poderão ser concedidas ao servidor ocupante de cargo efetivo licenças para o trato de assuntos particulares pelo prazo de até três anos consecutivos. Art. b) o servidor não poderá ausentar-se do País para estudo ou missão oficial sem autorização do Presidente da República. 96. é necessária a compensação de horário. 8. o servidor não terá direito a licença.DIREITO ADMINISTRATIVO EM TEORIA E EXERCÍCIOS – STN – PROFA. c) para a participação do servidor em programa de pós.graduação stricto sensu em instituição de ensino superior no País.graduação stricto sensu em instituição de ensino superior no País. Readaptação: Implica simultaneamente o provimento de novo cargo pelo servidor 5 . PATRÍCIA CARLA 5.

b) a responsabilidade civil decorre de ato omissivo ou comissivo. licenças para o trato de assuntos particulares pelo prazo de até três anos consecutivos. que: a) o servidor responde civil. a critério da administração. penal e administrativamente pelo exercício irregular de suas atribuições.br .(ESAF/Receita/Analista/2012) Quanto à responsabilidade do servidor público. d) a responsabilidade administrativa do servidor será afastada no caso de absolvição criminal que negue a existência do fato ou sua autoria. em ação regressiva. como candidato a cargo eletivo. 91. 6 . As sanções civis. doloso ou culposo.pontodosconcursos. no interesse da Administração. para participar em programa de pós-graduação stricto sensu em instituição de ensino superior no País. não podem ser aplicadas cumulativamente. e a véspera do registro de sua candidatura perante a Justiça Federal. e) as sanções civis. 125. PATRÍCIA CARLA Art. desde que não esteja em estágio probatório. O servidor poderá. sem remuneração. corretamente. sem remuneração. o servidor não terá direito a licença. por isso.DIREITO ADMINISTRATIVO EM TEORIA E EXERCÍCIOS – STN – PROFA. poderão ser concedidas ao servidor ocupante de cargo efetivo. sem remuneração. A critério da Administração. responderá o servidor perante a Fazenda Pública. O servidor terá direito a licença. Art. 91 www. c) tratando-se de dano causado a terceiros. não se pode afirmar. que resulte em prejuízo ao erário ou a terceiros. e desde que a participação não possa ocorrer simultaneamente com o exercício do cargo ou mediante compensação de horário. e) durante o período que mediar entre a sua escolha em convenção partidária. penais e administrativas poderão cumular-se. penais e administrativas são independentes entre si e. com a respectiva remuneração. afastar-se do exercício do cargo efetivo. sendo independentes entre si. durante o período que mediar entre a sua escolha em convenção partidária. d) ainda que no estágio probatório. poderão ser concedidas ao servidor ocupante de cargo efetivo licenças para o trato de assuntos particulares pelo prazo de até três anos consecutivos. e a véspera do registro de sua candidatura perante a Justiça Eleitoral. como candidato a cargo eletivo. Gabarito: E Comentários: Art. 96-A.com.

d) É descabida a instauração de processo administrativo disciplinar quando não se colima a aplicação de sanção de qualquer natureza.DIREITO ADMINISTRATIVO EM TEORIA E EXERCÍCIOS – STN – PROFA. 8. Considerando a legislação de pessoal em vigor e a recente jurisprudência do STJ. assinale a opção correta. a outra autoridade competente para apuração de informação concernente à prática de crimes ou improbidade de que tenha conhecimento. a) A limitação temporal para a apresentação do atestado médico para homologação não encontra fundamento na Lei n.com. mas o mero desconto da remuneração pelos dias não trabalhados. Ao final do mês. todavia. render-lhe-ia quatro dias de licença para tratamento da própria saúde. 126. e) A compensação de horário não é admitida. 7 . devidamente atestada. por recomendação de seu médico particular. b) Não é possível aplicar a penalidade da falta sem a instauração de prévio processo administrativo disciplinar. nem sequer apresentou atestado médico para que a licença médica pudesse ser formalizada. entregar à chefia imediata o atestado médico para fins de homologação. O referido servidor afastou-se de suas atividades laborais sem. em nenhuma hipótese. emprego ou função pública. pela Lei n.112/90. o referido servidor fora descontado da remuneração correspondente aos dias faltosos. c) O desconto pelos dias não trabalhados não pode ser realizado sem a prévia instauração do processo administrativo disciplinar.(ESAF/Receita/Auditor/2012) Determinado servidor público federal foi acometido de doença que. 8. Art. Também não compareceu ao serviço médico do seu local de trabalho durante o afastamento nem nos cinco dias subsequentes a ele. 126-A. a chefia imediata efetuou o registro das faltas em sua folha de controle de frequência. penal ou administrativamente por dar ciência à autoridade superior ou.112/90. Tendo em vista que o servidor não foi periciado. não podendo ser estabelecida por meio de decreto.br . A responsabilidade administrativa do servidor será afastada no caso de absolvição criminal que negue a existência do fato ou sua autoria. Nenhum servidor poderá ser responsabilizado civil. Gabarito: D 92 www. quando houver suspeita de envolvimento desta. PATRÍCIA CARLA Art.pontodosconcursos. ainda que em decorrência do exercício de cargo.

Rel.pontodosconcursos. violando os incisos I.. 44. STJ) a) A limitação temporal para a apresentação do atestado médico para homologação não encontra fundamento na Lei n. Art. cassação de aposentadoria ou disponibilidade. Min. b) Não é possível aplicar a penalidade da falta sem a instauração de prévio processo administrativo disciplinar. conforme estabelecido no art. assim. à falta de norma disciplinadora da lei federal à época. 44 da Lei n. II. c/c o art.112/90. em nenhuma hipótese. Art. nos estritos limites do art. 93 www.724-RS. PATRÍCIA CARLA Comentários: “A Turma entendeu que não se mostra desarrazoada ou exorbitante dos limites do poder regulamentar a resolução que. e § único. 8. não podendo ser estabelecida por meio de decreto. 116. desde que: I . ou destituição de cargo em comissão. pela Lei n. 146. não é ilegal ou abusivo o ato que importou no desconto dos dias em que o servidor não compareceu ao serviço. II e III do art.br . Sendo descabida. deixando de apresentar antecipadamente o atestado particular para homologação. mas o mero desconto da remuneração pelos dias não trabalhados. será obrigatória a instauração de processo disciplinar. Assim. 8 . nem justificou sua falta. 7. É possível a compensação de horários. 4º A perícia oficial poderá ser dispensada para a concessão de licença para tratamento de saúde. sob risco de que já tenha terminado o tratamento de saúde quando vier a ser concedido o afastamento ao servidor. e) A compensação de horário não é admitida. fixa prazo para a apresentação do atestado médico particular para homologação. RMS 28. Maria Thereza de Assis Moura. 8..” (INFO 498.DIREITO ADMINISTRATIVO EM TEORIA E EXERCÍCIOS – STN – PROFA. julgado em 22/5/2012.) § 4º O atestado deverá ser apresentado à unidade competente do órgão ou entidade no prazo máximo de cinco dias contados da data do início do afastamento do servidor. (.112/1990. da lei 8. Sempre que o ilícito praticado pelo servidor ensejar a imposição de penalidade de suspensão por mais de 30 (trinta) dias.(ESAF/Receita/Auditor/2012) Determinado servidor público cometeu infrações disciplinares. a instauração de processo administrativo disciplinar quando não se colima a aplicação de sanção disciplinar de qualquer natureza. sob pena de enriquecimento sem causa do servidor público.003/09.112/90.112/90. Dec.não ultrapasse o período de cinco dias corridos. de demissão.com. 8.

a) Em caso de dissonância entre a penalidade aplicada e a penalidade recomendada em lei ou orientação normativa interna. Entretanto. todos da Lei n. a autoridade julgadora emite portaria. foi declarado nulo o julgamento proferido no processo administrativo disciplinar em questão. mesmo que a pretexto de adequar a sanção a orientações normativas ou à própria cominação legal abstrata para aquela infração. torna-se compulsória a aplicação da pena de demissão. PATRÍCIA CARLA 117. d) É inadmissível segunda punição de servidor público.DIREITO ADMINISTRATIVO EM TEORIA E EXERCÍCIOS – STN – PROFA. incisos IX e XV. Após garantido o devido processo legal. rel. baseada no mesmo processo em que se fundou a primeira.523/DF. Tendo em mente a jurisprudência do STJ sobre a matéria.pontodosconcursos. 8. Literalmente.br . b) O rejulgamento do processo administrativo disciplinar é possível não somente quando houver possibilidade de abrandamento da sanção. 8. considerando que o referido servidor cometeu falta funcional passível de demissão. Gabarito: D Comentários: A jurisprudência do STJ é firme quanto à inadmissibilidade do “rejulgamento” cuja finalidade seja agravar a penalidade já definida pela autoridade julgadora. c) Sempre que caracterizada uma das infrações disciplinares previstas no art. Arnaldo Esteves Lima. assevera o STJ que: “é impossível o agravamento da penalidade imposta a servidor público após o encerramento do respectivo processo disciplinar.112/90 e foi apenado com suspensão de setenta e cinco dias. ainda que a sanção anteriormente aplicada não esteja em conformidade com a lei ou orientação normativa interna” (MS 13. e) A anulação parcial do processo para a aplicação de orientação da Advocacia-Geral da União está correta e equipara-se a uma anulação por julgamento contrário à prova dos autos.112/90. demitindo o servidor público pelas infrações cometidas.132 da Lei n. com o contraditório e ampla defesa que lhes são inerentes. 94 www. assinale a opção correta. é possível o agravamento da penalidade imposta ao servidor ainda que após o encerramento do respectivo processo disciplinar. com julgamento pela autoridade competente. invocando pareceres da Advocacia-Geral da União que consideram compulsória a penalidade de demissão em casos como o acima narrado. mas em alguns casos específicos de agravamento como o narrado no enunciado da questão. Min.com.

salvo quando outro prazo for fixado em lei. quanto aos atos de demissão e de cassação de aposentadoria ou disponibilidade. quando o ato não for publicado. assinale a opção correta. É assegurado ao servidor o direito de requerer aos Poderes Públicos. 9 . O direito de requerer prescreve: I . PATRÍCIA CARLA 13. nos demais casos.(ESAF/PGFN/Procurador/2012) No que se refere ao direito de petição. c) Os recursos administrativos deverão ser dirigidos à autoridade que proferiu a decisão. Art. e) Admite-se. MS 10. 95 www.pontodosconcursos. 22.com. consoante previsto na Lei n.950/DF. em defesa de direito ou interesse legítimo. Gabarito: E Comentários: a) As normas que tratavam de tal direito especificamente no Estatuto do Servidor Público Federal encontram-se revogadas. Og Fernandes.2012 – Informativo 498 do STJ). razão pela qual interrompem a prescrição.05. caso não reconsidere sua decisão.2009. 110. que os encaminharão à autoridade superior. rel. Rel. Min. ou que afetem interesse patrimonial e créditos resultantes das relações de trabalho. II .05. excepcionalmente. b) O servidor demitido tem 120 (cento e vinte) dias para requerer a revisão do ato demissório. a) As normas que tratavam de tal direito especificamente no Estatuto do Servidor Público Federal encontram-se revogadas. a prorrogação do prazo para o exercício do recurso administrativo. d) Os recursos interpostos têm efeito suspensivo. b) O servidor demitido tem 120 (cento e vinte) dias para requerer a revisão do ato demissório.112.DIREITO ADMINISTRATIVO EM TEORIA E EXERCÍCIOS – STN – PROFA.341/DF.06. 23. 104.em 5 (cinco) anos. 8. Art.2011. MS 13.br . Min. Haroldo Rodrigues.em 120 (cento e vinte) dias. de 1990. O prazo de prescrição será contado da data da publicação do ato impugnado ou da data da ciência pelo interessado. sob pena de preclusão administrativa. Parágrafo único. sob pena de preclusão administrativa.

br . Art. e) Como regra. de 2010) I .do indeferimento do pedido de reconsideração. PATRÍCIA CARLA c) Os recursos administrativos deverão ser dirigidos à autoridade que proferiu a decisão. e. a prorrogação do prazo para o exercício do recurso administrativo. 115. d) Os recursos interpostos têm efeito suspensivo. O recurso poderá ser recebido com efeito suspensivo. e) Admite-se. 96 www. salvo motivo de força maior. a juízo da autoridade competente. a) Admite-se. que os encaminharão à autoridade superior. Art. II . às demais autoridades. caso não reconsidere sua decisão. assinale a opção correta.DIREITO ADMINISTRATIVO EM TEORIA E EXERCÍCIOS – STN – PROFA. São fatais e improrrogáveis os prazos estabelecidos neste Capítulo. razão pela qual interrompem a prescrição. 109. excepcionalmente. 107. Art. b) A proibição de acumular não se estende a funções em estatais vinculadas a outro ente da Federação. sucessivamente.das decisões sobre os recursos sucessivamente interpostos.se de cargo de provimento em comissão.pontodosconcursos. o servidor pode ser remunerado pela participação em órgãos de deliberação coletiva. § 2o O recurso será encaminhado por intermédio da autoridade a que estiver imediatamente subordinado o requerente. c) Via de regra.(ESAF/PGFN/Procurador/2012) Sobre a acumulação de cargos públicos. d) A legislação pátria não admite que o servidor que acumule dois cargos efetivos possa investir. excepcionalmente. que o servidor tenha exercício simultâneo em mais de um cargo em comissão. em escala ascendente. Caberá recurso: (Vide Lei nº 12. desde que haja compatibilidade de horários. § 1o O recurso será dirigido à autoridade imediatamente superior à que tiver expedido o ato ou proferido a decisão. a proibição de acumular não se estende à acumulação de proventos da inatividade com a percepção de vencimentos na ativa.300.com. 10 .

c) Via de regra. sociedades de economia mista da União. O servidor não poderá exercer mais de um cargo em comissão. excepcionalmente. ficará afastado de ambos os cargos efetivos. que acumular licitamente dois cargos efetivos. 9o . dos Territórios e dos Municípios. salvo na hipótese em que houver compatibilidade de horário e local com o exercício de um deles. Ressalvados os casos previstos na Constituição. Art.DIREITO ADMINISTRATIVO EM TEORIA E EXERCÍCIOS – STN – PROFA.pontodosconcursos. Art. empregos e funções em autarquias. do Distrito Federal.br . empresas públicas. nem ser remunerado pela participação em órgão de deliberação coletiva. Art. PATRÍCIA CARLA Gabarito: A Comentários: a) Admite-se. exceto no caso previsto no parágrafo único do art. Art. declarada pelas autoridades máximas dos órgãos ou entidades envolvidos. d) A legislação pátria não admite que o servidor que acumule dois cargos efetivos possa investir. a proibição de acumular não se estende à acumulação de proventos da inatividade com a percepção de vencimentos na ativa. 118. é vedada a acumulação remunerada de cargos públicos. O servidor não poderá exercer mais de um cargo em comissão. dos Estados. que o servidor tenha exercício simultâneo em mais de um cargo em comissão. 118. O servidor vinculado ao regime desta Lei. e) Como regra. desde que haja compatibilidade de horários. 97 www. o servidor pode ser remunerado pela participação em órgãos de deliberação coletiva.se de cargo de provimento em comissão. 119. é vedada a acumulação remunerada de cargos públicos. b) A proibição de acumular não se estende a funções em estatais vinculadas a outro ente da Federação. salvo quando os cargos de que decorram essas remunerações forem acumuláveis na atividade. nem ser remunerado pela participação em órgão de deliberação coletiva. 119. É exceção e não regra. § 1o A proibição de acumular estende-se a cargos. § 3o Considera-se acumulação proibida a percepção de vencimento de cargo ou emprego público efetivo com proventos da inatividade.com. 120. Ressalvados os casos previstos na Constituição. Art. fundações públicas. 9o . exceto no caso previsto no parágrafo único do art. quando investido em cargo de provimento em comissão.

e) a referida Lei apresenta rol taxativo de condutas que importam o cometimento de atos de improbidade administrativa. Art.DIREITO ADMINISTRATIVO EM TEORIA E EXERCÍCIOS – STN – PROFA. o agente público beneficiário somente perderá os bens adquiridos até o limite do valor do dano causado ao patrimônio público. o agente público beneficiário somente perderá os bens adquiridos até o limite do valor do dano causado ao patrimônio público. Agiu com dolo ou culpa.429.com.pontodosconcursos. c) no caso de enriquecimento ilícito. d) o sucessor daquele que causar lesão ao patrimônio público ou se enriquecer ilicitamente está sujeito às cominações da referida Lei até o limite do valor da herança. Até o limite do valor da sua herança. que trata dos atos de improbidade administrativa. é correto afirmar que: a) somente servidor público pode ser sujeito ativo de ato de improbidade administrativa. PATRÍCIA CARLA 11 . particular que pode também ser sujeito ativo de ato de improbidade administrativa. 8° da Lei Improbidade: O sucessor daquele que causar lesão ao patrimônio público ou se enriquecer ilicitamente está sujeito às cominações desta lei até o limite do valor da herança. c) no caso de enriquecimento ilícito. 8. b) o integral ressarcimento do dano causado ao patrimônio público somente se dá se o agente tiver agido com dolo. d) o sucessor daquele que causar lesão ao patrimônio público ou se enriquecer ilicitamente está sujeito às cominações da referida Lei até o limite do valor da herança. b) o integral ressarcimento do dano causado ao patrimônio público somente se dá se o agente tiver agido com dolo. de 2 de junho de 1992. Art.br .(ESAF/Receita/Analista/2012) Segundo a Lei n. 3º traz a figura do “terceiro”. Gabarito: D Comentários: a) somente servidor público pode ser sujeito ativo de ato de improbidade administrativa. 98 www. e) a referida Lei apresenta rol taxativo de condutas que importam o cometimento de atos de improbidade administrativa.

sexo. contraria a CF a exigência. PATRÍCIA CARLA Gabarito 1 A 2 D 3 C 4 B 5 B 6 E 7 D 8 D 9 E 10 A 11 D 00 2ª Lista de questões da aula 7 1) (CESPE/ABIN/2008) Constitui objetivo fundamental da República Federativa do Brasil a promoção do bem de todos. deve estar previsto em lei e conter critérios objetivos de reconhecido caráter científico.pontodosconcursos. sem o devido amparo legal. Dessa forma. sendo prescindível a possibilidade de reexame na esfera administrativa. 99 www. cor. contida em editais de concursos públicos. idade ou quaisquer outras formas de discriminação. 2) (CESPE/MS/Analista/2010) O edital do concurso público é o instrumento idôneo para o estabelecimento do limite mínimo de idade para a inscrição no concurso. raça. para ser admitido em concursos públicos. o exame psicotécnico. sem preconceitos de origem. de limite de idade mínima ou máxima para inscrição.DIREITO ADMINISTRATIVO EM TEORIA E EXERCÍCIOS – STN – PROFA. 3) (CESPE/ABIN/2008) Conforme entendimento do STF.br .com.

de forma que. 5) (CESPE/TRF-5/Juiz/2009) Conforme entendimento do STF. foi punido com a pena de cassação de aposentadoria por meio de portaria do ministro de Estado competente. por meio de decreto. nos termos da CF. com a EC nº 20/1998. conforme jurisprudência do STF. o presidente da República pode delegar aos ministros de Estado. não se computa o tempo de serviço prestado em atividades como as de coordenação e assessoramento pedagógico. paga em virtude do tipo especial de atribuição que desempenham. 7) (CESPE/ABIN/2008) A sindicância investigativa é uma fase necessária do processo administrativo disciplinar.DIREITO ADMINISTRATIVO EM TEORIA E EXERCÍCIOS – STN – PROFA. são contratadas para atender a necessidade temporária de excepcional interesse público. essa punição não poderia ser aplicada. o que afastou a relação jurídica estatutária da relação jurídica previdenciária dos servidores públicos. 10) (CESPE/TRE-GO/2008) As funções de confiança podem ser exercidas tanto por servidores efetivos quanto por aqueles que. 6) (CESPE/DPU/Defensor/2007) Antônio. ocupado por servidor público. publicada no dia 10/2/2007. servidores públicos federais. trabalham no serviço público e percebem vantagem pecuniária extra. 8) (CESPE/TRF-5/Juiz/2009) As funções de magistério limitam-se ao trabalho em sala de aula. não podem ser consideradas servidores públicos em sentido amplo. já que. 11) (CESPE/TRE-GO/2008) Cargo público é o lugar dentro da organização funcional da administração direta. para efeitos de aposentadoria especial de professores. de suas autarquias. constantes dos artigos 40 e 41 da CF. mesmo não detendo vínculo permanente com a administração. por se constituírem em categoria especial de agentes públicos. 100 www. empresas públicas. ex-servidor público federal. excluindo-se as demais atividades extraclasse.com. PATRÍCIA CARLA 4) (CESPE/TRF-5/Juiz/2009) As regras sobre aposentadoria e estabilidade. se aplicam ao pessoal das sociedades de economia mista que exercem atividade econômica. o regime previdenciário próprio dos servidores públicos passou a ser contributivo.pontodosconcursos. 9) (CESPE/TRE-GO/2008) As pessoas que. a atribuição de demitir. Nessa situação. sociedades de economia mista e fundações públicas que.br . no âmbito das suas respectivas pastas. tem funções e remuneração fixadas em lei ou diploma a ela equivalente.

pontodosconcursos. 21) (CESPE/TRE-GO/2008) O provimento em cargo em comissão pressupõe que o indivíduo a ser nomeado. o servidor estável deve ser imediatamente redistribuído. 13) (CESPE/TRT-5/Analista/2008) Na impossibilidade de o candidato comparecer à entrada em exercício de cargo para o qual tenha sido nomeado. além de integrar o quadro de servidores efetivos. 22) (CESPE/ANTAQ/2009) A redistribuição caracteriza-se quando o servidor é deslocado de lugar. aprovado em concurso público. 101 www. será exonerado do cargo. é admissível que ele outorgue procuração para que. seja estável no serviço público. 19) (CESPE/STJ/Técnico/2008) A Lei 8. tendo sido nomeado para ocupar cargo público efetivo no prazo de 30 dias e que. em seu lugar. não possa comparecer ao órgão no dia marcado para a posse. não tenha tomado posse. terceiro entre em exercício. passado esse prazo. para algumas carreiras específicas. denominadas carreiras de Estado. 16) (CESPE/ABIN/2008) O cidadão que. o direito à vitaliciedade e à inamovibilidade. ele poderá outorgar procuração pública a seu irmão com poderes tanto para tomar posse quanto para entrar para exercício. o que pode ocorrer a pedido ou de ofício. a transferência. esteja realizando tratamento de saúde no exterior e. por isso. sendo vedada sua colocação em disponibilidade. já que tal opção feriria o interesse público. 17) (CESPE/ABIN/2008) Será reconduzido ao cargo de origem o servidor cuja demissão tenha sido anulada por decisão judicial ou ato administrativo. 18) (CESPE/STF/Técnico/2008) Nos casos de reorganização ou extinção de órgão ou entidade. para que se possa nomear o próximo candidato.br . 14) (CESPE/TJ-CE/Técnico/2008) Caso um candidato. PATRÍCIA CARLA 12) (CESPE/TST/Técnico/2007) A posse é o contrato por meio do qual os servidores públicos vinculam-se ao Estado.com. 20) (CESPE/TRE-GO/2008) São formas de provimento derivado a ascensão. extinto o cargo ou declarada sua desnecessidade no órgão ou entidade. a reversão e a reintegração.DIREITO ADMINISTRATIVO EM TEORIA E EXERCÍCIOS – STN – PROFA.112/90 estabeleceu. 15) (CESPE/ABIN/2008) A nomeação é forma originária de provimento de cargo público. a readaptação.

DIREITO ADMINISTRATIVO EM TEORIA E EXERCÍCIOS – STN – PROFA. o desconto dos valores devidos da remuneração da citada servidora. em locais em contato permanente com substâncias tóxicas autoriza a percepção cumulativa dos adicionais de insalubridade e de periculosidade. desde que Maria seja comunicada do fato. somente receberá o adicional de um terço também sobre a função que exerce se fizer solicitação formal nesse sentido ao setor de recursos humanos. a administração pública poderá promover. o indeferimento é inválido porque o motivo apresentado pela administração está em desacordo com o regime jurídico dos servidores civis da União. 25) (CESPE/TST/Técnico/2007) Considere que servidor estável do TST. 31) (CESPE/TRT-1/Técnico/2008) A realização de trabalhos. dependendo.br .pontodosconcursos. Nessa situação. 29) (CESPE/TRT-1/Técnico/2008) O serviço extraordinário será remunerado com acréscimo de 25% em relação à hora normal de trabalho. 27) (CESPE/STJ/Técnico/2008) Um servidor público ocupante de função de direção no Ministério das Comunicações. 26) (CESPE/STJ/Analista/2008) Uma vez cassada a decisão judicial concedida em favor de Maria. que nunca solicitou qualquer licença.com. teve indeferido pedido de licença para tratar de interesses particulares porque a administração considerou que o seu afastamento seria incompatível com o interesse público. com habitualidade. PATRÍCIA CARLA 23) (CESPE/TJ-DFT/Técnico/2008) A promoção é a movimentação do servidor do último padrão de uma classe para o primeiro padrão da classe seguinte. 28) (CESPE/TJ-CE/Técnico/2008) O pagamento da remuneração referente ao período de férias de servidor deve ser realizado até dois dias antes do início do respectivo período. de ofício. 24) (CESPE/ANTAQ/2009) A exoneração não se caracteriza como uma penalidade administrativa disciplinar aplicável aos servidores públicos. 102 www. cumulativamente. visando à satisfação desse crédito. observado o interstício de um ano em relação à progressão funcional imediatamente anterior. do resultado de avaliação formal de desempenho e da participação em curso de aperfeiçoamento. devido à razão de 5% para cada período de 5 anos de serviço público efetivo. ao tirar férias regulamentares. 30) (CESPE/TRT-1/Técnico/2008) O servidor tem direito a adicional de tempo de serviço.

36) (CESPE/ANTAQ/2009) A aposentadoria compulsória se dará. contra servidores cujos supostos ilícitos tenham despontado à colheita dessa prova. 39) (CESPE/STF/Analista/2008) Dados obtidos em interceptação de comunicações telefônicas e em escutas ambientais judicialmente autorizadas para produção de prova em inquérito policial podem ser usados. 35) (CESPE/DPU/Analista/2010) De acordo com o disposto na Lei nº 8. com proventos integrais do cargo em que se encontra o servidor. 40) (CESPE/TJ-RJ/Técnico/2008) É permitida a acumulação do cargo de médico com o de professor de música da rede municipal de ensino. em procedimento administrativo disciplinar. casos em que os proventos serão integrais. 33) (CESPE/TRF-5/Técnico/2008) A responsabilidade administrativa de servidor acusado será afastada. 37) (CESPE/TRE-GO/2008) A CF admite que um servidor aposentado possa acumular os proventos que percebe com a remuneração de um cargo em comissão de livre nomeação e exoneração. caso ele seja absolvido criminalmente por falta de provas. 38) (CESPE/TRE-GO/2008) Na aposentadoria por invalidez permanente.112/1990.br . moléstia profissional ou doença grave. PATRÍCIA CARLA 32) (CESPE/TRT-1/Técnico/2008) O adicional de serviço extraordinário está limitado a duas horas semanais.DIREITO ADMINISTRATIVO EM TEORIA E EXERCÍCIOS – STN – PROFA. contagiosa ou incurável. exclusivamente. a penalidade disciplinar a ser aplicada ao serviço público é de demissão. 34) (CESPE/AGU/Advogado/2009) O regime previdenciário do servidor público é de caráter contributivo e solidário e constituído por recursos decorrentes. na hipótese de inassiduidade habitual.com. Gabarito 1 C 11 E 21 E 31 E 2 E 12 E 22 E 32 E 103 www. o servidor aposentado receberá proventos proporcionais ao tempo de serviço. em qualquer caso. salvo se a invalidez resultar de acidente em serviço. da contribuição dos servidores ativos e inativos e dos pensionistas.pontodosconcursos. na forma da lei.

PATRÍCIA CARLA 3 E 13 E 23 C 33 E 4 E 14 E 24 C 34 E 5 E 15 C 25 E 35 C 6 E 16 E 26 C 36 E 7 E 17 E 27 E 37 C 8 E 18 E 28 C 38 E 9 E 19 E 29 E 39 E 10 E 20 E 30 E 40 E 104 www.br .com.DIREITO ADMINISTRATIVO EM TEORIA E EXERCÍCIOS – STN – PROFA.pontodosconcursos.

através de lei. cabe à lei a fixação dos requisitos para investidura em cargo público (Lei nº 8. sem o devido amparo legal. idade ou quaisquer outras formas de discriminação. caput e § 1º).com. raça. cor. para ser admitido em concursos públicos. da Constituição. sem preconceitos de origem. Dessa forma.DIREITO ADMINISTRATIVO EM TEORIA E EXERCÍCIOS – STN – PROFA.” 2) (CESPE/MS/Analista/2010) O edital do concurso público é o instrumento idôneo para o estabelecimento do limite mínimo de idade para a inscrição no concurso. repita-se. “o limite de idade para a inscrição em concurso público só se legitima em face do art. contida em editais de concursos públicos. XXX. sendo prescindível a possibilidade de reexame na esfera administrativa. Gabarito: C Comentários: Somente por lei pode-se sujeitar candidato a limite de idade para habilitação a cargo público. art.112/90. mas isso deve ser feito sempre. PATRÍCIA CARLA 2ª Lista de questões comentadas da aula 7 1) (CESPE/ABIN/2008) Constitui objetivo fundamental da República Federativa do Brasil a promoção do bem de todos. 5º. deve estar previsto em lei e conter critérios objetivos de reconhecido caráter científico. Como hierarquicamente está subordinada à lei. 7º. sob pena de. não pode contar nada que esteja em desacordo com ela. Gabarito: E Comentários: Costuma-se dizer que “o edital é a lei do concurso”. Nos termos da Súmula 683 do STF. 3) (CESPE/ABIN/2008) Conforme entendimento do STF. Mas é importante entender adequadamente o que essa expressão significa. Ela quer dizer que é no edital que estão postas as diversas regras que regem o certame.br . o exame psicotécnico. Entende-se que é possível a fixação de limite mínimo de idade. 105 www. contaminar todo o concurso. De outro lado. sexo. contraria a CF a exigência. quando possa ser justificado pela natureza das atribuições do cargo a ser preenchido. de limite de idade mínima ou máxima para inscrição. A fixação de tal limite via edital não tem o condão de suprir a exigência constitucional de que o requisito analisado seja estabelecido por lei. em face de sua ilegalidade.pontodosconcursos.

” Assim. A norma do art. II. servidores públicos federais. não é garantida a estabilidade prevista no art. do TST. uma vez que essa análise é possível. se aplicam ao pessoal das sociedades de economia mista que exercem atividade econômica. 6) (CESPE/DPU/Defensor/2007) Antônio. ainda que admitido mediante aprovação em concurso público. 41 da CF/88. portanto é susceptível de delegação a Ministro de Estado (CF. XXV. 84. o presidente da República pode delegar aos ministros de Estado. 41. Aos servidores titulares de cargos efetivos da União. art. mediante contribuição do respectivo ente público. 84. conferidora de estabilidade. primeira parte).” CF/88. “ao empregado de empresa pública ou de sociedade de economia mista. não só administrativamente. incluídas suas autarquias e fundações. 4) (CESPE/TRF-5/Juiz/2009) As regras sobre aposentadoria e estabilidade. somente com autorização de lei em sentido estrito pode-se se sujeitar a exame psicotécnico a habilitação de candidato a cargo público. tem como destinatário o servidor público estatutário exercente de cargo público. 5) (CESPE/TRF-5/Juiz/2009) Conforme entendimento do STF. mas também judicialmente. São estáveis após três anos de efetivo exercício os servidores nomeados para cargo de provimento efetivo em virtude de concurso público. Gabarito: C Comentários: É do Presidente da República a competência para prover cargos públicos (CF. Estes são regidos por legislação específica (CLT). art.pontodosconcursos. 40. ex-servidor público federal. constantes dos artigos 40 e 41 da CF. dos servidores ativos e inativos e dos pensionistas. que abrange a de desprovê-los. O erro da questão está em afirmar que é prescindível a possibilidade de reexame na esfera administrativa. Art.com. Nos termos da Súmula 390. é assegurado regime de previdência de caráter contributivo e solidário. parágrafo único). a qual. por meio de decreto. art. “Só por lei se pode sujeitar a exame psicotécnico a habilitação de candidato a cargo público. dos Estados. que contém normas próprias de proteção ao trabalhador no caso de dispensa imotivada. PATRÍCIA CARLA Gabarito: E Comentários: Nos termos da Súmula 686 do STF. Gabarito: E Comentários: A estabilidade dos servidores públicos não se aplica aos funcionários de sociedade de economia mista. do Distrito Federal e dos Municípios. a atribuição de demitir.br . 41 da CF.DIREITO ADMINISTRATIVO EM TEORIA E EXERCÍCIOS – STN – PROFA. observados critérios que preservem o equilíbrio financeiro e atuarial e o disposto neste artigo. foi punido com a pena de cassação de aposentadoria por meio de portaria do 106 www. no âmbito das suas respectivas pastas.

Nada impede. excluindo-se as demais atividades extraclasse. para efeitos de aposentadoria especial de professores. Gabarito: E Comentários: O direito da Administração Pública Federal de punir seus servidores prescreve em cinco anos quanto às infrações passíveis de demissão. pela Administração Pública. o regime previdenciário próprio dos servidores públicos passou a ser contributivo. independentemente de prévia abertura de sindicância. dispondo de elementos probatórios idôneos. é possível a aplicabilidade da pena de cassação de aposentadoria. faça instaurar. conforme jurisprudência do STF. cassação de aposentadoria ou disponibilidade e destituição de cargo em comissão. 142. PATRÍCIA CARLA ministro de Estado competente. publicada no dia 10/2/2007. necessariamente. a instauração. contados a partir da data em que o fato tornou-se conhecido (Lei nº 8. com elementos idôneos. ao de se de Gabarito: E 107 www. Não obstante o caráter contributivo de que se reveste o benefício previdenciário. forma que.pontodosconcursos. Gabarito: E Comentários: A sindicância administrativa – como simples procedimento de caráter preparatório – não se reveste de finalidade punitiva. observadas.br . 7) (CESPE/ABIN/2008) A sindicância investigativa é uma fase necessária do processo administrativo disciplinar. contra determinado servidor estatal. desde logo. contudo. já que. O fato do servidor público ter atendido aos requisitos para a concessão de aposentadoria não impede a instauração de processo administrativo para apurar a existência de falta eventualmente praticada no exercício do cargo.112/90. de procedimento disciplinar contra o servidor estatal. não computa o tempo de serviço prestado em atividades como as coordenação e assessoramento pedagógico. processo administrativo-disciplinar destinado a viabilizar a imposição da sanção legal pertinente. 8) (CESPE/TRF-5/Juiz/2009) As funções de magistério limitam-se trabalho em sala de aula. que a Administração Pública. Nessa situação.DIREITO ADMINISTRATIVO EM TEORIA E EXERCÍCIOS – STN – PROFA. achando-se instrumentalmente vocacionada a subsidiar. com a EC nº 20/1998. essa punição não poderia ser aplicada. I e § 2º). em tal contexto. art. o que afastou a relação jurídica estatutária da relação jurídica previdenciária dos servidores públicos.com. as garantias de ordem jurídica decorrentes da cláusula constitucional do due process of law.

§ 1º. Gabarito: E Comentários: As funções de confiança só podem ser exercidas por servidores de carreira. a depender da natureza dela. o regime será o estatutário. em estabelecimentos de ensino básico. nos termos da CF. ou seja. servidores públicos em sentido amplo. abrangendo também a preparação de aulas. 108 www.pontodosconcursos. o atendimento aos pais e alunos. e 201. mas emprego regido pela CLT. fazendo jus aqueles que as desempenham ao regime especial de aposentadoria estabelecido nos arts. sociedades de economia mista e fundações públicas que.br . por se constituírem em categoria especial de agentes públicos. 9) (CESPE/TRE-GO/2008) As pessoas que. se for fundação pública de direito privado. coordenação e assessoramento pedagógico integram a carreira do magistério. o regime será o celetista.DIREITO ADMINISTRATIVO EM TEORIA E EXERCÍCIOS – STN – PROFA. 11) (CESPE/TRE-GO/2008) Cargo público é o lugar dentro da organização funcional da administração direta. empresas públicas. ou seja. agentes 10) (CESPE/TRE-GO/2008) As funções de confiança podem ser exercidas tanto por servidores efetivos quanto por aqueles que. não podem ser consideradas servidores públicos em sentido amplo. por professores de carreira. As funções de direção. PATRÍCIA CARLA Comentários: A função de magistério não se circunscreve apenas ao trabalho em sala de aula. são contratadas para atender a necessidade temporária de excepcional interesse público.com. não há cargo. § 4º. ocupado por servidor público. a direção de unidade escolar. Gabarito: E Comentários: Nas empresas públicas e sociedades de economia mista o regime de pessoal é o celetista. desde que exercidos. da CF/88. Gabarito: E Comentários: Os servidores temporários são considerados administrativos. paga em virtude do tipo especial de atribuição que desempenham. a coordenação e o assessoramento pedagógico e. 40. excluídos os especialistas em educação. de suas autarquias. Nas fundações podemos encontrar servidores ou empregados. trabalham no serviço público e percebem vantagem pecuniária extra. a correção de provas. se for fundação pública de direito público. servidores ocupantes de cargo efetivo. ainda. tem funções e remuneração fixadas em lei ou diploma a ela equivalente. mesmo não detendo vínculo permanente com a administração.

No entanto.pontodosconcursos. não podendo ser realizado por terceiro. tendo sido nomeado para ocupar cargo público efetivo no prazo de 30 dias e que. aprovado em concurso público. c) readaptação. 14) (CESPE/TJ-CE/Técnico/2008) Caso um candidato. f) reintegração. para que se possa nomear o próximo candidato.br . ele poderá outorgar procuração pública a seu irmão com poderes tanto para tomar posse quanto para entrar para exercício. Gabarito: C Comentários: A Lei nº 8. 16) (CESPE/ABIN/2008) O cidadão que. 13. não possa comparecer ao órgão no dia marcado para a posse. é admissível que ele outorgue procuração para que. e) aproveitamento. terceiro entre em exercício. 15) (CESPE/ABIN/2008) A nomeação é forma originária de provimento de cargo público. e. g) recondução. d) reversão. § 3º). 109 www. No entanto.DIREITO ADMINISTRATIVO EM TEORIA E EXERCÍCIOS – STN – PROFA. b) promoção. esteja realizando tratamento de saúde no exterior e. Gabarito: E Comentários: A entrada em exercício é ato exclusivo do empossado (ato personalíssimo). pois é o efetivo desempenho das atribuições do cargo público. sendo que todas as demais são provimentos derivados.112/90 traz várias formas de provimento: a) nomeação. PATRÍCIA CARLA 12) (CESPE/TST/Técnico/2007) A posse é o contrato por meio do qual os servidores públicos vinculam-se ao Estado.112/90 dispõe ser possível a outorga de poderes a terceiro para que tome posse em nome do nomeado (art. Gabarito: E Comentários: A posse não é um contrato. Gabarito: E Comentários: A Lei nº 8. 13) (CESPE/TRT-5/Analista/2008) Na impossibilidade de o candidato comparecer à entrada em exercício de cargo para o qual tenha sido nomeado. por isso. uma vez que aqui já se configura a execução das atribuições do cargo. será exonerado do cargo. passado esse prazo. não tenha tomado posse. a nomeação é a única forma de provimento originário.com. é o ato de investidura do nomeado em um cargo público. a entrada em exercício é ato exclusivo e personalíssimo. em seu lugar.

Caso essa não ocorra. cuja demissão foi anulada administrativa ou judicialmente. consideradas típicas de Estado. b) a aquisição da vitaliciedade dá-se.pontodosconcursos. Gabarito: E Comentários: A Lei nº 8.112/90.DIREITO ADMINISTRATIVO EM TEORIA E EXERCÍCIOS – STN – PROFA. denominadas carreiras de Estado. após 02 (dois) anos de exercício. será colocado em disponibilidade até em integral aproveitamento. ato de provimento originário. em conformidade com a Carta Magna em seu art. na primeira instância. o direito à vitaliciedade e à inamovibilidade. se houver interesse da Administração. 17) (CESPE/ABIN/2008) Será reconduzido ao cargo de origem o servidor cuja demissão tenha sido anulada por decisão judicial ou ato administrativo. 18) (CESPE/STF/Técnico/2008) Nos casos de reorganização ou extinção de órgão ou entidade. Dispõe a Lei nº 8. extinto o cargo ou declarada sua desnecessidade no órgão ou entidade. 110 www. PATRÍCIA CARLA Gabarito: E Comentários: Após a nomeação.112/90 não estabeleceu qualquer garantia de vitaliciedade ou inamovibilidade para os servidores públicos. em caso de reorganização administrativa ou extinção de órgão ou entidade. Gabarito: E Comentários: É caso de reintegração. 41. Gabarito: E Comentários: Conforme estabelece o art.br . § 3º. já que tal opção feriria o interesse público. Para os servidores públicos a Lei nº 8. para algumas carreiras específicas. Guarde que as três principais diferenças entre este e o cargo efetivo são a) a Carta Magna estabeleceu os cargos que devem assim ser providos. 19) (CESPE/STJ/Técnico/2008) A Lei 8. tal como a magistratura e membros do Ministério Público.112/90 estabeleceu.112/90 estabelece um prazo de 30 (trinta) dias para tomar posse. o servidor estável. sendo vedada sua colocação em disponibilidade. o servidor estável deve ser imediatamente redistribuído.112/90 trouxe. a Lei nº 8.112/90 que o servidor estável.com. com todas as vantagens que deixou de receber. não cabendo à legislação infraconstitucional ampliar esse rol. Tais garantias estão previstas constitucionalmente para algumas carreiras. com extinção de cargo ou declarada sua desnecessidade será redistribuído. 37. da Lei nº 8. c) a perda do cargo só se dará por sentença judicial transitada em julgado. a fim de que se possa nomear outro candidato. a estabilidade. se não for redistribuído. será a nomeação tornada sem efeito. será reintegrado.

de provimento efetivo. 22) (CESPE/ANTAQ/2009) A redistribuição caracteriza-se quando o servidor é deslocado de lugar. dependendo. seja estável no serviço público. para outro órgão ou entidade do mesmo Poder. Gabarito: E Comentários: A redistribuição é o deslocamento de cargo. no âmbito do quadro geral de pessoal. 23) (CESPE/TJ-DFT/Técnico/2008) A promoção é a movimentação do servidor do último padrão de uma classe para o primeiro padrão da classe seguinte. a transferência. A ascensão violava a exigência constitucional do prévio concurso público para a ocupação de cargo efetivo. a readaptação.pontodosconcursos.DIREITO ADMINISTRATIVO EM TEORIA E EXERCÍCIOS – STN – PROFA. além de integrar o quadro de servidores efetivos.com. o que pode ocorrer a pedido ou de ofício. de outra estrutura administrativa. a investidura em tais cargos. era a investidura de um servidor ocupante de um cargo efetivo para outro cargo efetivo e de nível de escolaridade maior. observado o interstício de um ano em relação à progressão funcional imediatamente anterior. já a promoção é a mudança de classe ou categoria dentro de uma carreira (por exemplo. da segunda classe para a primeira classe). dentro do mesmo quadro. a Gabarito: E Comentários: A ascensão. Gabarito: E Comentários: Os cargos comissionados são de livre nomeação e exoneração. a reversão e a reintegração. Já a transferência. Portanto. da A1 para a A2). 111 www. ocorria quando um servidor ingressava em um cargo e era colocado em outro. tampouco estável. cumulativamente. do resultado de avaliação formal de desempenho e da participação em curso de aperfeiçoamento. também extinta. Gabarito: C Comentários: A progressão é a mudança de padrão de uma determinada classe (por exemplo. e não do servidor. extinta do nosso ordenamento jurídico. 21) (CESPE/TRE-GO/2008) O provimento em cargo em comissão pressupõe que o indivíduo a ser nomeado.br . não pressupõe que seja servidor de cargo efetivo. ocupado ou vago. sem concurso público. PATRÍCIA CARLA 20) (CESPE/TRE-GO/2008) São formas de provimento derivado ascensão. que também ocorre por nomeação.

br . Gabarito: E Comentários: A Lei nº 8. Em se tratando de punição. por ocasião das férias. o indeferimento é inválido porque o motivo apresentado pela administração está em desacordo com o regime jurídico dos servidores civis da União. não ocorrendo por razões de falta disciplinar. 45). será pago ao servidor. o desconto dos valores devidos da remuneração da citada servidora. art.112/90. nenhum desconto incidirá sobre a remuneração ou provento do servidor. não se trata de punição. dispõe que independentemente de solicitação. Gabarito: E Comentários: A licença para tratar de assuntos particulares é discricionária da Administração Pública. ao tirar férias regulamentares. desde que Maria seja comunicada do fato. art. há a chamada demissão.com. 91). 26) (CESPE/STJ/Analista/2008) Uma vez cassada a decisão judicial concedida em favor de Maria. o seu indeferimento não é considerado um ato ilegal (Lei nº 8. PATRÍCIA CARLA 24) (CESPE/ANTAQ/2009) A exoneração não se caracteriza como uma penalidade administrativa disciplinar aplicável aos servidores públicos. Dessa forma. Nessa situação. que nunca solicitou qualquer licença. ou seja. 76. art.112/90. Gabarito: C Comentários: A exoneração é forma de vacância de cargo público. visando à satisfação desse crédito. Gabarito: C Comentários: Como regra.DIREITO ADMINISTRATIVO EM TEORIA E EXERCÍCIOS – STN – PROFA. um adicional correspondente a 1/3 (um terço) da remuneração 112 www.112/90.pontodosconcursos. 25) (CESPE/TST/Técnico/2007) Considere que servidor estável do TST. salvo por imposição legal ou ordem judicial (Lei nº 8. a administração pública poderá promover. de ofício. teve indeferido pedido de licença para tratar de interesses particulares porque a administração considerou que o seu afastamento seria incompatível com o interesse público. somente receberá o adicional de um terço também sobre a função que exerce se fizer solicitação formal nesse sentido ao setor de recursos humanos. que avaliará a conveniência e oportunidade em concedê-la. 27) (CESPE/STJ/Técnico/2008) Um servidor público ocupante de função de direção no Ministério das Comunicações.

revogou o art. fazem jus a um adicional. devido à razão de 5% para cada período de 5 anos de serviço público efetivo. 78.112/90. sobre o vencimento do cargo efetivo. de insalubridade ou periculosidade. de 2001.DIREITO ADMINISTRATIVO EM TEORIA E EXERCÍCIOS – STN – PROFA. observando-se o disposto no § 1º deste artigo. 31) (CESPE/TRT-1/Técnico/2008) A realização de trabalhos. preceitua que o pagamento da remuneração das férias será efetuado até 2 (dois) dias antes do início do respectivo período. Gabarito: E Comentários: A Lei nº 8.br .112/90 estabelece que os servidores que trabalhem com habitualidade em locais insalubres ou em contato permanente com substâncias tóxicas. 30) (CESPE/TRT-1/Técnico/2008) O servidor tem direito a adicional de tempo de serviço. ainda que o servidor exerça atividade que seja insalubre e perigosa ao mesmo tempo.225-45. 67 da Lei nº 8. não é necessária a solicitação formal no sentido de que seja pago o adicional de férias sobre toda a remuneração. radioativas ou com risco de vida. Gabarito: E Comentários: O serviço extraordinário será remunerado com acréscimo de 50% (cinqüenta por cento) em relação à hora normal de trabalho.112/90. Gabarito: E Comentários: A Medida Provisória nº 2. respeitado o limite máximo de 2 (duas) horas por jornada. Gabarito: C Comentários: A Lei nº 8. PATRÍCIA CARLA do período das férias. 29) (CESPE/TRT-1/Técnico/2008) O serviço extraordinário será remunerado com acréscimo de 25% em relação à hora normal de trabalho. Todavia. art. retirando referido adicional do rol de direitos dos servidores públicos. com habitualidade.pontodosconcursos. os adicionais de 113 www.com. Assim. em locais em contato permanente com substâncias tóxicas autoriza a percepção cumulativa dos adicionais de insalubridade e de periculosidade. sendo que somente será permitido serviço extraordinário para atender a situações excepcionais e temporárias. 28) (CESPE/TJ-CE/Técnico/2008) O pagamento da remuneração referente ao período de férias de servidor deve ser realizado até dois dias antes do início do respectivo período.

da contribuição dos servidores ativos e inativos e dos pensionistas.br . penal e administrativa não se comunicam. somente poderá ser realizada duas horas por dia de trabalho. Dessa forma. 35) (CESPE/DPU/Analista/2010) De acordo com o disposto na Lei nº 8. 114 www. caso ele seja absolvido criminalmente por falta de provas. c) dos servidores inativos. exclusivamente. Gabarito: E Comentários: O serviço extraordinário. ou seja. 32) (CESPE/TRT-1/Técnico/2008) O adicional de serviço extraordinário está limitado a duas horas semanais. PATRÍCIA CARLA insalubridade e de periculosidade não poderão ser cumulados. dos servidores ativos e inativos e dos pensionistas. do Distrito Federal e dos Municípios. Assim. que somente será permitido para atender a situações excepcionais e temporárias. a responsabilidade administrativa será afastada no caso de absolvição criminal que negue a existência do fato ou sua autoria. aos servidores titulares de cargos efetivos da União. 34) (CESPE/AGU/Advogado/2009) O regime previdenciário do servidor público é de caráter contributivo e solidário e constituído por recursos decorrentes. pode o servidor ser responsabilizado na esfera criminal. 33) (CESPE/TRF-5/Técnico/2008) A responsabilidade administrativa de servidor acusado será afastada. deverá respeitar o limite máximo de 2 (duas) horas por jornada. a penalidade disciplinar a ser aplicada ao serviço público é de demissão. dos Estados. sendo independentes entre si.com. haverá contribuição: a) dos entes públicos. incluídas suas autarquias e fundações. ou seja. em razão de infração cometida.pontodosconcursos. Gabarito: E Comentários: Conforme dispõe o artigo 40 da Constituição Federal. Gabarito: E Comentários: Como regra. devendo o servidor fazer opção por um deles. é assegurado regime de previdência de caráter contributivo e solidário.112/1990. e não por semana como assevera a questão. No entanto. podem cumular-se. civil e administrativa. b) dos servidores ativos.DIREITO ADMINISTRATIVO EM TEORIA E EXERCÍCIOS – STN – PROFA. d) dos pensionistas. na hipótese de inassiduidade habitual. mediante contribuição do respectivo ente público. as instâncias civil.

Gabarito: E Comentários: De acordo com o art. II. 40. dois cargos de profissional de saúde. 132. 36) (CESPE/ANTAQ/2009) A aposentadoria compulsória se dará. durante o período de doze meses (art. § 1º. o art. 37) (CESPE/TRE-GO/2008) A CF admite que um servidor aposentado possa acumular os proventos que percebe com a remuneração de um cargo em comissão de livre nomeação e exoneração. Complementando tal regra. cargo de professor e outro técnico ou científico. dentre outros.cassação de aposentadoria ou disponibilidade. salvo se a invalidez resultar de acidente em serviço. VI . Gabarito: E 115 www.pontodosconcursos. casos em que os proventos serão integrais. a aposentadoria é compulsória aos setenta anos de idade. 37. art. moléstia profissional ou doença grave. os cargos eletivos e os cargos em comissão declarados em lei de livre nomeação e exoneração.com. o servidor aposentado receberá proventos proporcionais ao tempo de serviço. 127. III. III demissão. que vem a ser a falta ao serviço. sem causa justificada. nos casos de: a) cumulação lícita de cargos (dois cargos de professor. no caso de inassiduidade habitual. IV .br . Note-se que a demissão consiste na penalidade aplicável às infrações mais graves. § 10. da CF/88.DIREITO ADMINISTRATIVO EM TEORIA E EXERCÍCIOS – STN – PROFA. 38) (CESPE/TRE-GO/2008) Na aposentadoria por invalidez permanente. com proventos proporcionais ao tempo de contribuição. em qualquer caso. contagiosa ou incurável. e demais hipóteses constitucionais). II . por sessenta dias. Lei nº 8.destituição de função comissionada. da Carta Magna ressalva os cargos acumuláveis. V destituição de cargo em comissão.suspensão.112/90. b) cumulação de cargos eletivos (vereador e cargo ou emprego público) e c) cargos em comissão. prevê que a demissão será aplicada. PATRÍCIA CARLA Gabarito: C Comentários: Nos termos do Estatuto Federal. interpoladamente. Gabarito: C Comentários: O art.advertência. De acordo com o referido dispositivo é possível acumular os proventos da aposentadoria com a remuneração de cargo. com proventos integrais do cargo em que se encontra o servidor. na forma da lei. 139). são penalidades disciplinares: I .

Dessa forma.632/DF. alínea "b". matemática ou química. errada a alternativa. DJ 21/06/1999). 116 www. artes cênicas ou música como asseverou a questão. Gabarito: C Comentários: Esse é. judicialmente autorizadas para produção de prova em investigação criminal ou em instrução processual penal. por exemplo. contra servidores cujos supostos ilícitos tenham despontado à colheita dessa prova. como se pode observar do seguinte julgado: “Dados obtidos em interceptação de comunicações telefônicas e em escutas ambientais. um engenheiro pode ensinar algo ligado à sua especialidade profissional. DJ 24/08/2007. a aposentadoria por invalidez permanente darse-á com proventos proporcionais ao tempo de contribuição. daí o erro da questão. ou contra outros servidores cujos supostos ilícitos teriam despontado à colheita dessa prova”. Assim. forçoso concluir que a exceção contida no texto constitucional não se utilizou das expressões "técnico" ou "científico" em seu sentido amplo. organizados em sistema e apoiado em conhecimento científico (STJ. podem ser usados em procedimento administrativo disciplinar. exceto se decorrente de acidente em serviço. art. DJ 26/09/2008).com. 39) (CESPE/STF/Analista/2008) Dados obtidos em interceptação de comunicações telefônicas e em escutas ambientais judicialmente autorizadas para produção de prova em inquérito policial podem ser usados. Já um médico pode ensinar biologia. não pode ser interpretada sem se considerar a exigência da familiaridade com determinados métodos.br . Dessa forma. 40) (CESPE/TJ-RJ/Técnico/2008) É permitida a acumulação do cargo de médico com o de professor de música da rede municipal de ensino. em procedimento administrativo disciplinar. RMS 7. XVI. Inq 2. contagiosa ou incurável.DIREITO ADMINISTRATIVO EM TEORIA E EXERCÍCIOS – STN – PROFA. na forma da lei. contra a mesma ou as mesmas pessoas em relação às quais foram colhidos. o entendimento do STF (Inq-QO-QO 2. 40. 37. da CF/88 (com redação dada pela EC nº 41/2003). I. de fato. PATRÍCIA CARLA Comentários: Segundo determina o art. como física. Gabarito: E Comentários: A acepção de cargo técnico de que se vale a CF/88.424/RJ. mas não poderá ser professor de línguas.725 QO/SP.pontodosconcursos. moléstia profissional ou doença grave.

em geral estabelecidos pela Constituição Federal. quanto os empregados públicos. ainda que transitoriamente ou sem remuneração. incluindo a Administração Pública Indireta. Nessa classificação estão tanto os servidores estatutários. contratação ou qualquer outra forma de investidura ou vínculo. Prefeito. Servidores públicos em sentido amplo: são todos os que prestam serviços ao Estado. construção de obra pública. prerrogativas e privilégios próprios. Citem-se os leiloeiros.com. concessionários. permissionários e autorizatários.DIREITO ADMINISTRATIVO EM TEORIA E EXERCÍCIOS – STN – PROFA. PATRÍCIA CARLA PARA GUARDAR! Agentes Públicos Conceito Espécies É todo aquele que exerce algum tipo de serviço para o Estado. nomeação. Senador. Governador. ainda. cargo.112/90). sujeitos ao regime legal (Lei nº 8. por eleição. Agentes em delegação: São aqueles particulares que recebem do Estado a competência para executar determinada atividade pública. peritos. com características. como Presidente da República. do regime 117 www. São também chamados de agentes administrativos. Agentes políticos: São os que compõem os altos escalões do Governo. tendo vínculo empregatício e pagos pelos cofres públicos. mandato. Vereador e Magistrado. ou prestação de serviço público ou. tradutores.br . emprego ou função.pontodosconcursos. designação. Deputado.

quando contratados por entidade dessa esfera 118 www. seguindo o regime trabalhista. Essa classe está prevista. da CF/88. além dos temporários. no art. Estadosmembros. IX. CF/88). PATRÍCIA CARLA contratual. CF/88) e acumulação remunerada de cargos e empregos públicos (art. São aqueles contratados. disciplinado pela Lei nº 8.com. limitações de remuneração (art. 37.pontodosconcursos. como. da CF/88. nos termos do art. II. IX. Assim. na esfera federal.br . sem a especificação da contingência fática que evidencie tal situação excepcional. Servidor estatutário Empregados públicos Temporários São os titulares de cargos públicos e estão sujeitos ao regime legal. sob pena de inconstitucionalidade. devem obedecer a Consolidação das Leis do Trabalho (CLT). próprio da iniciativa privada. bem como as regras impostas pela CF/88. emergenciais. como acesso mediante concurso público (art. 37. submetidos a um regime jurídico especial. 37. XI.DIREITO ADMINISTRATIVO EM TEORIA E EXERCÍCIOS – STN – PROFA. São aqueles contratados para atividades transitórias.745/93. 37. ou estatutário. pois é lei de cada ente da federação (União. XVI e XVII. CF/88). Distrito Federal e Municípios) que estabelece as regras de relacionamento entre os servidores e a Administração Pública. A lei que trate desse tipo de situação não pode estabelecer hipóteses abrangentes e genéricas de contratação temporária. e também tem seus litígios submetidos à Justiça Federal. como mencionado. 37.

podendo a lei exigir outros.a quitação com as obrigações militares e eleitorais. IV . É o caso dos assessores ou diretores.pontodosconcursos. não necessitam de concurso público e não oferecem qualquer garantia de permanência ao seu titular. na forma da lei (art. 119 www. VI .DIREITO ADMINISTRATIVO EM TEORIA E EXERCÍCIOS – STN – PROFA. acessíveis a todos os brasileiros. onde é fundamental o envolvimento entre estes e a autoridade que os nomeia. DJ 08/10/2004). Súmula 686.a nacionalidade brasileira.aptidão física e mental. empregos e funções públicas são acessíveis aos brasileiros que preencham os requisitos estabelecidos em lei. A relação dos requisitos é meramente exemplificativa. II . o que a lei não limitou. do STF: Só por lei se pode sujeitar a exame psicotécnico a habilitação de candidato a cargo público. chefia ou assessoria. de acordo com as atribuições do cargo. da CF/88). para provimento em caráter efetivo ou em comissão. Os cargos públicos.976/MG. 37. RE 392. V .com. A lei também indica a autoridade competente para fazer a nomeação. nos casos em que é necessário um liame de confiança entre determinada autoridade e o titular de cargo de direção. no Edital do Concurso. I. III . posto que transitórios. Incabível restringir. Essa característica é dada pela lei que cria o cargo. são criados por lei. Requisitos básicos para investidura em cargo público: I .o gozo dos direitos políticos. com denominação própria e vencimento pago pelos cofres públicos. PATRÍCIA CARLA PARA GUARDAR! Os cargos. Parágrafo único.br .a idade mínima de dezoito anos. art.o nível de escolaridade exigido para o exercício do cargo. 3o Cargo público é o conjunto de atribuições e responsabilidades previstas na estrutura organizacional que devem ser cometidas a um servidor. assim como aos estrangeiros. Cargo: Lei nº 8112/90. A exigência de habilitação para o exercício do cargo objeto do certame darse-á no ato da posse e não da inscrição do concurso (STF. Os cargos em comissão são os de livre nomeação e exoneração.

DIREITO ADMINISTRATIVO EM TEORIA E EXERCÍCIOS – STN – PROFA. PATRÍCIA CARLA
Apesar de ser livre a nomeação, a lei pode estabelecer certas regras, o que
não desvirtua essa característica do cargo. Assim, pode determinar idade
mínima de vinte e um anos, como no citado caso dos Ministros de Estado
(art. 87, CF/88), exigir diploma de bacharel em Direito, para os Diretores de
Secretaria na Justiça Federal, proibir nomeações de determinados parentes
etc.
A exoneração não precisa ser motivada, sendo ato puramente
discricionário da autoridade competente para nomear; diz-se, por isso, que
a exoneração é ad nutum.
Emprego:
Emprego público é um conjunto de atribuições, mas que se diferencia do
cargo pelo vínculo que une seus titulares ao Estado. Assim, o estatutário
(regido por um estatuto que no âmbito federal é a Lei nº 8112/90) será
titular de um cargo (ex. servidor do INSS, TRE), já o empregado (regido
pela CLT) será titular de um emprego (ex. empregado dos Correios, Banco
do Brasil, Petrobras).

Função:
Já a função refere-se a uma atribuição específica, pelo poder Público, a um
agente. É o acréscimo de algumas atribuições àquelas já destinadas ao
agente, no que concerne à chefia, direção ou assessoramento. Assim,
exige-se que, para exercê-la, já seja concursado.
Art. 37, V, da CF/88: As funções de confiança, exercidas exclusivamente
por servidores ocupantes de cargo efetivo, e os cargos em comissão, a
serem preenchidos por servidores de carreira nos casos, condições e
percentuais mínimos previstos em lei, destinam-se apenas às atribuições de
direção, chefia e assessoramento
PATTYDICAS!
1. O gênero agentes públicos abrange todas as pessoas que, de uma
forma ou de outra, mesmo que transitoriamente e sem remuneração,
prestam algum tipo de serviço ao Estado;
2. Entre os agentes, encontram-se três espécies principais, quais sejam,
os agentes políticos, os agentes em delegação e os servidores
públicos.
3. A estabilidade é uma garantia de ordem constitucional deferida aos
ocupantes de cargos públicos de provimento efetivo, com o intuito de
assegurar sua permanência no cargo, enquanto atendidos os
requisitos legais.

120
www.pontodosconcursos.com.br

DIREITO ADMINISTRATIVO EM TEORIA E EXERCÍCIOS – STN – PROFA. PATRÍCIA CARLA
4. São quatro as possibilidades de perda do cargo do servidor estável: I
– em virtude de sentença judicial transitada em julgado; II –
mediante processo administrativo em que lhe seja assegurada ampla
defesa; III – mediante procedimento de avaliação periódica de
desempenho; IV – para o cumprimento dos limites com a despesa
com pessoal ativo e inativo.
5. Todo servidor é responsável por suas ações e omissões, envolvendo
as esferas civil, penal e administrativa, e por elas responde quando
do exercício irregular de suas atribuições;
6. A responsabilidade civil decorre tanto de ato omissivo quanto de
comissivo, seja ele doloso ou culposo, desde que resulte em prejuízo
ao erário ou a terceiros;
7. A responsabilidade do Estado por danos que seus agentes causarem
a terceiros é objetiva, ou seja, independe de dolo ou culpa;
8. A responsabilidade do servidor é subjetiva, depende de comprovação
de culpa lato sensu para que venha a responder pelo prejuízo;
9. Se falecer o servidor devedor, a obrigação de reparar o dano
estende-se aos sucessores e, contra eles, será executados, até o
limite do valor da herança recebida.
10.Em havendo necessidade de deslocamento do servidor da sede, em
caráter eventual ou transitório, para outro ponto do território
nacional ou para o exterior, por razões do serviço, receberá
indenização relativa a todos os custos do afastamento, ou seja,
passagens e diárias destinadas a fazer face às parcelas de despesas
extraordinárias com pousadas, alimentação e locomoção urbana,
conforme se dispuser em regulamento.
11.Se o servidor receber diárias e não se afastar da sede, por
qualquer motivo, ficará obrigado a restituí-las integralmente,
no prazo de 5 dias.
12.Havendo deslocamento, porém retornando à sede em prazo
menor do que o previsto para o seu afastamento, restituirá as
diárias recebidas em excesso, no mesmo prazo (Lei nº 8112/90,
art. 59).
13.Se não houver devolução, poderá haver desconto
remuneração do servidor (Lei nº 8112/90, art. 49).

na

Há duas formas de retorno do servidor aposentado à ativa por meio
da reversão:
1. A primeira refere-se ao aposentado por invalidez que deixou
de ser inválido (Lei nº 8.112/90, art. 25, I): neste caso, como é do
interesse da Administração Pública, encontrando-se provido o cargo,
o servidor exercerá as suas atribuições como excedente, até a
ocorrência de vaga (art. 25, § 3º);
121
www.pontodosconcursos.com.br

DIREITO ADMINISTRATIVO EM TEORIA E EXERCÍCIOS – STN – PROFA. PATRÍCIA CARLA

2. A segunda hipótese de reversão ocorre no interesse da
Administração, desde que sejam atendidos, pelo aposentado, os
seguintes requisitos:
a)
b)
c)
d)

Tenha solicitado a reversão;
A aposentadoria tenha sido voluntária;
Estável quando na atividade;
A aposentadoria tenha ocorrido nos
solicitação;
e) Haja cargo vago.

cinco

anos

anteriores

à

Os cinco requisitos são cumulativos, na falta de um deles, não será
possível a reversão a pedido.
No caso do inválido que sofre a reversão, não havendo cargo vago,
exercerá as atribuições como excedente. Na segunda hipótese, não
havendo vaga, não poderá ser deferido o pedido.
Em ambas as hipóteses, a reversão far-se-á no mesmo cargo ou no
cargo resultante de sua transformação (art. 25, § 1º) e não poderá
ser efetivada no caso de aposentado que já tenha completado 70
anos de idade (art. 25).
No que diz respeito à remuneração, o servidor que retornar à atividade
por interesse da Administração perceberá, em substituição aos
proventos da aposentadoria, a remuneração do cargo que voltar a
exercer, inclusive com as vantagens de natureza pessoal que
percebia anteriormente à aposentadoria, revertendo os prejuízos
financeiros que eventualmente teve com a mesma (art. 25, § 4º).
A gratificação por encargo de curso ou concurso é devida ao
servidor que, em caráter eventual:
1. Atuar como instrutor em curso de formação, de desenvolvimento
ou de treinamento regularmente instituído no âmbito da
administração pública federal;
2. Participar de banca examinadora ou de comissão para exames
orais, análise curricular, correção de provas discursivas, elaboração
de questões de provas ou julgamento de recursos intentados por
candidatos;
3. Participar da logística de preparação e de realização de
concurso público envolvendo atividades de planejamento,
coordenação, supervisão, execução e avaliação de resultado, quando
tais atividades não estiverem incluídas entre as suas atribuições
permanentes;
4. Participar ou supervisionar a aplicação de provas de exame
vestibular ou de concurso público.

122
www.pontodosconcursos.com.br

DIREITO ADMINISTRATIVO EM TEORIA E EXERCÍCIOS – STN – PROFA. PATRÍCIA CARLA
A referida gratificação não se incorpora ao vencimento ou salário do
servidor para qualquer efeito e não poderá ser utilizada como base de
cálculo para quaisquer outras vantagens, inclusive para fins de cálculo
dos proventos da aposentadoria e das pensões.

Art. 104. É assegurado ao servidor o direito de requerer aos Poderes
Públicos, em defesa de direito ou interesse legítimo.
O direito de petição é o direito que todo servidor tem de pedir, requerer aos
Poderes Públicos, em defesa de direitos ou interesse legítimo, seja férias,
licença, reintegração, reversão, horário especial de estudante, cópias de um
processo administrativo, promoção etc.
Art. 105. O requerimento será dirigido à autoridade competente para
decidi-lo e encaminhado por intermédio daquela a que estiver
imediatamente subordinado o requerente.
Art. 106. Cabe pedido de reconsideração à autoridade que houver
expedido o ato ou proferido a primeira decisão, não podendo ser renovado.
(Vide Lei nº 12.300, de 2010)
Parágrafo único. O requerimento e o pedido de reconsideração de que
tratam os artigos anteriores deverão ser despachados no prazo de 5 (cinco)
dias e decididos dentro de 30 (trinta) dias.
Art. 107. Caberá recurso: (Vide Lei nº 12.300, de 2010)
I - do indeferimento do pedido de reconsideração;
II - das decisões sobre os recursos sucessivamente interpostos.
§ 1o O recurso será dirigido à autoridade imediatamente superior à
que tiver expedido o ato ou proferido a decisão, e, sucessivamente, em
escala ascendente, às demais autoridades.
§ 2o O recurso será encaminhado por intermédio da autoridade a que
estiver imediatamente subordinado o requerente.
Art. 108. O prazo para interposição de pedido de reconsideração ou
de recurso é de 30 (trinta) dias, a contar da publicação ou da ciência, pelo
interessado, da decisão recorrida. (Vide Lei nº 12.300, de 2010)
Art. 109. O recurso poderá ser recebido com efeito suspensivo, a
juízo da autoridade competente.
Parágrafo único. Em caso de provimento do pedido de reconsideração
ou do recurso, os efeitos da decisão retroagirão à data do ato impugnado.
Art. 110. O direito de requerer prescreve:
123
www.pontodosconcursos.com.br

DIREITO ADMINISTRATIVO EM TEORIA E EXERCÍCIOS – STN – PROFA. PATRÍCIA CARLA
I - em 5 (cinco) anos, quanto aos atos de demissão e de cassação de
aposentadoria ou disponibilidade, ou que afetem interesse patrimonial e
créditos resultantes das relações de trabalho;
II - em 120 (cento e vinte) dias, nos demais casos, salvo quando
outro prazo for fixado em lei.
Parágrafo único. O prazo de prescrição será contado da data da
publicação do ato impugnado ou da data da ciência pelo interessado,
quando o ato não for publicado.
Art. 111. O pedido de reconsideração e o recurso, quando cabíveis,
interrompem a prescrição.
Art. 112. A prescrição é de ordem pública, não podendo ser relevada
pela administração.
Ser a prescrição de ordem pública significa que o interesse do Estado em
manter a ordem pública prevalece, não podendo abrir mão dos prazos,
recebendo recurso a destempo. Por isso, são fatais e improrrogáveis os
prazos aqui estabelecidos, salvo motivo de força maior, que são
acontecimentos imprevisíveis e estão fora do alcance das partes.
Art. 113. Para o exercício do direito de petição, é assegurada vista do
processo ou documento, na repartição, ao servidor ou a procurador por ele
constituído.
Art. 114. A administração deverá rever seus atos, a qualquer tempo,
quando eivados de ilegalidade.
Art. 115. São fatais e improrrogáveis os prazos estabelecidos neste
Capítulo, salvo motivo de força maior.
Nos termos da Lei no 8.112/90, é assegurado ao servidor o direito de
requerer aos Poderes Públicos, em defesa de direito ou interesse legítimo.
3ª Lista de questões da aula 7
1 – (FCC/TRT-20/Analista/2011) A licença por motivo de doença em
pessoa da família, incluídas as prorrogações, poderá ser concedida a cada
período de doze meses, dentre outras, na seguinte condição, por até
a) 120 dias, consecutivos ou não, sem remuneração.
b) 100 dias, consecutivos ou não, sem remuneração.
c) 120 dias, consecutivos, mantida a remuneração do servidor.
d) 60 dias, consecutivos ou não, mantida a remuneração do servidor.
124
www.pontodosconcursos.com.br

2 – (FCC/TRT-20/Analista/2011) O início do exercício de função de confiança coincidirá com a data de publicação do ato de designação. d) quinto dia útil após o término do impedimento. 3 – (FCC/TRT-20/Técnico/2011) No que se refere ao provimento de cargo público.112/1990 que dispõe sobre o Regime Jurídico dos Servidores Públicos Civis da União.DIREITO ADMINISTRATIVO EM TEORIA E EXERCÍCIOS – STN – PROFA. a autoridade notificará o servidor para apresentar opção. c) 30 dias contados da publicação do ato de provimento e 30 dias contados da data da posse. deverão observar. empregos ou funções públicas. e) quinto dia útil após o término do impedimento. que não poderá exceder a sessenta dias da publicação. os prazos de a) 15 dias contados da publicação do ato de provimento e 05 dias contados da data da posse. d) 30 dias contados da publicação do ato de provimento e 15 dias contados da data da posse. das autarquias e das fundações públicas federais. b) 15 dias contados da publicação do ato de provimento e 15 dias contados da data da posse. salvo quando o servidor estiver em licença ou afastado por qualquer outro motivo legal. PATRÍCIA CARLA e) 90 dias. cujo processo administrativo disciplinar se desenvolverá de acordo com a Lei no 8. 4 – (FCC/TRT-20/Técnico/2011) Detectada a qualquer tempo a acumulação ilegal de cargos. mantida a remuneração do servidor. podemos afirmar que 125 www.pontodosconcursos. b) primeiro dia útil após o término do impedimento.com. na hipótese de omissão. c) trigésimo dia útil após o término do impedimento. hipótese em que recairá no a) primeiro dia útil após o término do impedimento. que não poderá exceder a trinta dias da publicação. respectivamente. que não poderá exceder a sessenta dias da publicação. consecutivos. que poderá exceder a noventa dias da publicação. e) 60 dias contados da publicação do ato de provimento e 30 dias contados da data da posse. a posse e o exercício do cargo público. adotará procedimento sumário para a sua apuração e regularização imediata.br . que poderá exceder a trinta dias da publicação. Desta forma. e.

c) readaptação. e) a opção pelo servidor até o último dia de prazo para defesa configurará sua boa-fé. sem prejuízo das atribuições do que atualmente ocupa. b) receberá obrigatoriamente a remuneração do cargo em comissão originário. ocupante de cargo em comissão. atribuições decorrentes de dois cargos diversos. poderá ser nomeado para ter exercício. tradicionalmente praticadas na Administração brasileira. hipótese em que se converterá automaticamente em demissão do outro cargo.pontodosconcursos. com a publicação do ato que constituir a comissão. em outro cargo de confiança. quando as circunstâncias o exigirem.com. d) recondução. esse servidor a) receberá obrigatoriamente a remuneração prove. por exercer. d) o prazo para o servidor apresentar a opção é de quinze dias. b) promoção.niente do cargo de confiança que assumiu interinamente. d) deverá optar pela remuneração de um dos cargos. PATRÍCIA CARLA a) o prazo para a conclusão do processo administrativo disciplinar submetido ao rito sumário não excederá trinta dias. admitida sua prorrogação por igual período. interinamente. a ser composta por cinco servidores estáveis. 126 www. e) reintegração. NÃO foi recepcionada pela Constituição Brasileira de 1988 a a) ascensão.br . acrescidas de percentual legal. b) a primeira fase do processo administrativo disciplinar corresponde à instauração. c) terá direito a receber duas remunerações. Durante o período da interinidade. e) receberá duas remunerações. c) o prazo para o servidor apresentar a opção é improrrogável.DIREITO ADMINISTRATIVO EM TEORIA E EXERCÍCIOS – STN – PROFA. 6 – (FCC/TRT-19/Técnico/2011) O servidor. 5 – (FCC/MPE-CE/Promotor/2011) Dentre as formas de provimento derivado de cargos públicos. durante o mesmo período.

ainda que não consecutivos. pois deverá exercer as atribuições do cargo em comissão. Está correto o que consta APENAS em: a) II. paga na proporção dos dias de efetiva substituição que atingirem o referido período. d) superior a quinze dias consecutivos. II. 9 – (FCC/TRT-19/Analista/2011) Analise as seguintes concernentes às responsabilidades dos servidores públicos: assertivas 127 www. paga na proporção dos dias de efetiva substituição que atingirem o referido período. c) superior a trinta dias consecutivos. salvo quando os cargos de que decorram essas remunerações forem acumuláveis na atividade. a partir do décimo sexto dia fará jus à retribuição. c) III. b) I. ou seja. b) de vinte dias consecutivos. paga na proporção dos dias de efetiva substituição que atingirem o referido período. e) II e III.com. PATRÍCIA CARLA 7 – (FCC/TRT-19/Técnico/2011) Considere as seguintes assertivas acerca da acumulação prevista na Lei nº 8. paga na proporção dos dias de efetiva substituição que excederem o referido período. Considera-se acumulação proibida a percepção de vencimento de cargo público efetivo com proventos da inatividade. ficará sempre afastado de ambos os cargos efetivos.br . quando investido em cargo em comissão. d) I e II. que acumular licitamente dois cargos efetivos. 8 – (FCC/TRT-19/Técnico/2011) O substituto fará jus à retribuição pelo exercício do cargo ou função de direção ou chefia ou de cargo de Natureza Especial.DIREITO ADMINISTRATIVO EM TEORIA E EXERCÍCIOS – STN – PROFA. se lícita. A acumulação de cargos públicos. O servidor vinculado ao regime da referida Lei. paga na proporção dos dias de efetiva substituição que excederem o referido período. não está condicionada à comprovação da compatibilidade de horários. III. e) de vinte dias. quando o afastamento ou impedimento legal do titular for a) de vinte e cinco dias consecutivos.112/1990: I.pontodosconcursos.

c) II. 128 www.pontodosconcursos. exceto na qualidade de acionista. do qual resulte em prejuízo. A responsabilidade administrativa do servidor será obrigatoriamente afastada no caso de absolvição criminal que entenda pela inexistência de prova suficiente para a condenação. com ou sem prévia autorização do chefe imediato. c) A ação disciplinar prescreverá em dois anos quanto às infrações puníveis com destituição de cargo em comissão. 11 – (FCC/TRE-TO/Técnico/2011) Ao servidor é permitido. e) I e III. a) participar de gerência de sociedade privada.DIREITO ADMINISTRATIVO EM TEORIA E EXERCÍCIOS – STN – PROFA. dentre outras hipóteses. III. b) I e II. em ação regressiva. Tratando-se de dano causado a terceiros. Está correto o que consta em a) I. b) A ação disciplinar prescreverá em cento e vinte dias quanto às infrações puníveis com advertência. durante o expediente. apenas.br . apenas. b) ausentar-se do serviço. II. apenas. d) III. 10 – (FCC/TRT-19/Analista/2011) No que concerne à prescrição para a ação disciplinar. responderá o servidor perante a Fazenda Pública. II e III. apenas. PATRÍCIA CARLA I. não importando a data em que se tornou conhecido.com. d) O prazo de prescrição começa a correr da data em que o fato foi praticado. até a primeira decisão proferida no processo. e) Os prazos de prescrição previstos na lei penal aplicam-se às infrações disciplinares capituladas também como crime. é correto afirmar: a) A abertura de sindicância ou a instauração de processo disciplinar interrompe a prescrição. A responsabilidade civil decorre de ato apenas comissivo e doloso.

13 – (FCC/TRT-19/Analista/2011) Sobre a redistribuição. concurso público. emprego e função pública. portanto.pontodosconcursos. 12 – (FCC/TRE-TO/Técnico/2011) No que diz respeito ao tema cargo. é INCORRETO afirmar: a) É necessário mesmo nível de escolaridade. e) Exige compatibilidade entre as atribuições do cargo e as finalidades institucionais do órgão ou entidade.DIREITO ADMINISTRATIVO EM TEORIA E EXERCÍCIOS – STN – PROFA. como em todos os casos de função. o ocupante de emprego público tem vínculo estatutário. ou seja. e) promover manifestação de apreço ou desapreço no recinto da repartição. d) Não se faz necessário que os vencimentos sejam equivalentes. c) Deve haver manutenção da essência das atribuições do cargo.com. exercidas por servidores ocupantes de cargos efetivos ou não. atribuições e o padrão de vencimento ou remuneração. e) Exige-se concurso público não só para a investidura em cargo ou emprego. d) dar fé a documentos públicos. chefia e assessoramento. d) As várias competências previstas na Constituição para os entes federativos são distribuídas entre os respectivos órgãos. os quais dispõem de determinado número de cargos criados por lei.br . necessariamente. que lhes confere denominação própria. c) A função exercida por servidores contratados temporariamente para atendimento de situações de excepcional interesse público exige. 129 www. é correto afirmar: a) As funções de confiança. as exercidas temporariamente para atender necessidade de excepcional interesse público e as ocupadas para o exercício de funções de confiança. especialidade ou habilitação profissional. PATRÍCIA CARLA c) praticar usura sob qualquer de suas formas. b) Exige vinculação entre os graus de responsabilidade e complexidade das atividades. b) A expressão emprego público designa uma unidade de atribuições e distingue-se do cargo público pelo tipo de vínculo que liga o servidor ao Estado. destinam-se apenas às atribuições de direção.

servidora pública estável. As universidades e instituições de pesquisa científica e tecnológica federais poderão prover seus cargos com professores. em razão de reintegração do anterior ocupante. por igual período. PATRÍCIA CARLA 14 – (FCC/TRT-23/Analista/2011) Considere as assertivas abaixo sobre o Provimento. III. respectivamente. a) recondução e aproveitamento. retornará ao cargo anteriormente ocupado. Nos termos da Lei no 8. c) I. Vacância.112/1990. e) III e IV. também servidor público estável. É possível a abertura de novo concurso. c) reversão e recondução. ainda que houver candidato aprovado em concurso anterior com prazo de validade não expirado. 15 – (FCC/TRT-23/Analista/2011) Maria.DIREITO ADMINISTRATIVO EM TEORIA E EXERCÍCIOS – STN – PROFA. O concurso público terá validade de até três anos. servidora pública civil federal efetiva. e) readaptação e reintegração. de acordo com as normas e os procedimentos estabelecidos em lei. IV. I. 16 – (FCC/TRE-AP/Analista/2011) Crisela. José. Neste caso. podendo ser prorrogado uma única vez. b) recondução e recondução. valeu-se de seu cargo para lograr proveito pessoal em detrimento da dignidade da função pública. II. A promoção consiste em forma de provimento de cargo público. Remoção.br . a demissão 130 www. Redistribuição e Substituição. o retorno de tais servidores denomina-se.pontodosconcursos.com. técnicos e cientistas estrangeiros. nos termos da Lei no 8112/1990. Está correto o que se afirma APENAS em: a) I e III. retornará ao cargo anteriormente ocupado tendo em vista sua inabilitação em estágio probatório relativo a outro cargo. d) reintegração e recondução. d) II e IV. b) I e II. III e IV.

131 www. A posse. O início. está correto o que se afirma SOMENTE em a) II e IV.DIREITO ADMINISTRATIVO EM TEORIA E EXERCÍCIOS – STN – PROFA. II. exceto na condição de interino. pelo prazo de 6 anos. pelo prazo de 5 anos. c) suspensão e advertência. II e III. pelo prazo de 8 anos.com. III. respectivamente. e) demissão e destituição de cargo em comissão. ocorrerá no prazo de noventa dias contados da publicação do ato de provimento. IV. podendo ser prorrogado uma única vez. 18 – (FCC/TRE-AP/Analista/2011) Considere as seguintes assertivas a respeito do provimento de cargo público: I. a suspensão. d) incompatibiliza-a para nova investidura em cargo público federal. em regra. por igual período.pontodosconcursos. A nomeação far-se-á em comissão. de a) demissão e cassação de aposentadoria. c) incompatibiliza-a para nova investidura em cargo público federal. b) I. b) cassação de aposentadoria e suspensão. b) gera a penalidade para Crisela de proibição de retornar ao serviço público federal. d) suspensão e cassação de aposentadoria. 17 – (FCC/TRE-AP/Analista/2011) A Lei no 8. para cargos de confiança vagos.112/90. PATRÍCIA CARLA a) incompatibiliza-a para nova investidura em cargo público federal. a interrupção e o reinício do exercício serão registrados no assentamento individual do servidor. O concurso público terá validade de até 2 anos. De acordo com a Lei no 8.br .112/90 estabelece que prescreverá em cinco e dois anos a ação disciplinar quanto às penalidades. pelo prazo de 10 anos. e) incompatibiliza-a para nova investidura em cargo público federal.

não sendo necessária qualquer autorização. Cumpre salientar que tal conduta foi praticada uma única vez. não se fazendo necessário que seja para um propósito determinado. servidor público federal. d) I e IV.112/1990. d) autorização expressa do Ministro do Planejamento e prazo incerto. aliciou seus subordinados no sentido de se filiarem a determinado partido político. O servidor do poder executivo poderá ter exercício em outro órgão da Administração Federal direta que não tenha quadro próprio de pessoal. apenas.pontodosconcursos. 20 – (FCC/TRT-1/Analista/2011) A Lei no 8. Na última perícia realizada para avaliação das condições de sua saúde.br . d) o aproveitamento. trata do afastamento do servidor público federal para servir a outro órgão ou entidade. e) II e III. e) autorização expressa do Ministro Chefe da Casa Civil e prazo certo. e) a reversão. O fato narrado 132 www. b) autorização expressa do Ministro do Planejamento. fim determinado e prazo certo. 19 – (FCC/TRE-AP/Analista/2011) Clotilde. Neste caso. fim determinado e prazo incerto. em seu capítulo V. b) a readaptação. desde que preenchidos os seguintes requisitos: a) autorização expressa do Presidente da República. c) fim determinado e prazo incerto. está aposentada por invalidez. ocorreu a) transferência. III e IV. PATRÍCIA CARLA c) II. servidora pública civil federal.com. seção I. 21 – (FCC/TRT-1/Analista/2011) João. c) a recondução. uma junta médica oficial declarou insubsistentes os motivos de sua aposentadoria determinando o retorno de Clotilde à atividade.DIREITO ADMINISTRATIVO EM TEORIA E EXERCÍCIOS – STN – PROFA.

ao entrar em exercício. na base de cinquenta por cento por dia de vencimento ou remuneração. d) ficará sujeito a estágio probatório por período de 30 meses. PATRÍCIA CARLA a) está previsto como proibição ao servidor público federal. a qual terá seu registro cancelado. que poderá ser convertida em multa. contados do primeiro dia útil posterior à data da posse.br . c) entrará em exercício imediatamente. contados da data da posse.112/90. e) terá o prazo de dez dias prorrogáveis por mais dez. tendo em vista que a posse e o exercício são atos que devem ser realizados obrigatoriamente concomitantemente.com. e. uma vez praticada.DIREITO ADMINISTRATIVO EM TEORIA E EXERCÍCIOS – STN – PROFA. se João não houver. c) ficará sujeito a estágio probatório por período único de 12 meses. nesse período. 23 – (FCC/TRE-AP/Técnico/2011) Segundo a Lei nº 8. d) terá o prazo de dez dias para entrar em exercício. sujeita-o à penalidade de demissão. b) ficará sujeito a estágio probatório por período de 24 meses. das autarquias e das fundações públicas federais. após o decurso de dois anos de efetivo exercício. contados do primeiro dia útil posterior à data da posse. 22 – (FCC/TRE-AP/Técnico/2011) Deocleciano foi empossado como servidor efetivo do cargo público “X”. d) ensejará penalidade disciplinar. b) não está previsto em lei como uma das proibições dirigidas aos servidores públicos civis da União. ficando o servidor obrigado a permanecer em serviço.pontodosconcursos. e) ensejará a aplicação da penalidade de suspensão. c) ensejará a aplicação da penalidade de advertência. Deocleciano a) terá o prazo de quinze dias para entrar em exercício. praticado nova infração disciplinar. De acordo com a Lei nº 8. 133 www. contados da data da posse.112/90. b) terá o prazo de trinta dias para entrar em exercício. o servidor nomeado para cargo de provimento efetivo a) não ficará sujeito a estágio probatório tendo em vista que o estágio probatório só é necessário para o exercício de cargo em comissão.

acumulação ilegal de funções públicas e proceder de forma desidiosa será aplicada a pena de a) demissão. no máximo. João. servidor público civil efetivo. de a) transferência do anterior ocupante. 24 – (FCC/TRE-AP/Técnico/2011) A Recondução que é o retorno do servidor estável ao cargo anteriormente ocupado decorrerá. demissão e advertência escrita. que nunca praticou qualquer infração administrativa.112/90. dentre outra hipótese.112/90 estabelece que. terá a penalidade de advertência escrita aplicada se a) praticar usura sob qualquer de suas formas.DIREITO ADMINISTRATIVO EM TEORIA E EXERCÍCIOS – STN – PROFA. promoção e exoneração. demissão e nomeação. 134 www. b) advertência escrita. c) aproveitamento do anterior ocupante. c) suspensão de. b) disponibilidade do anterior ocupante.pontodosconcursos. a vacância do cargo público decorrerá de a) falecimento. readaptação e falecimento. c) promoção. 27 – (FCC/TRE-AP/Analista/2011) De acordo com a Lei no 8. PATRÍCIA CARLA e) ficará sujeito a estágio probatório por período de 36 meses. 26 – (FCC/TRE-AP/Técnico/2011) De acordo com a Lei nº 8. 25 – (FCC/TRE-AP/Técnico/2011) A Lei nº 8. b) exoneração.br . em regra. d) aproveitamento. respectivamente. readaptação e aposentadoria. para as condutas de abandono de cargo.112/90.com. e) nomeação. d) demissão. dentre outras hipóteses. advertência escrita e demissão. 30 dias. e) readaptação do anterior ocupante. respectivamente. e) demissão. exoneração e aproveitamento. d) reintegração do anterior ocupante.

b) é possível. e) finda a missão ou estudo. em razão de suas atribuições. b) permitida pela Lei nº 8. 135 www.pontodosconcursos. c) manter sob sua chefia imediata. 28 – (FCC/TRE-AP/Analista/2011) Lupércio é servidor ocupante do cargo em comissão X. mas Lupércio deverá optar pela remuneração de um dos cargos durante o período da interinidade. não sendo necessário qualquer lapso temporal para nova ausência com a mesma finalidade. e) proceder de forma desidiosa. mas Lupércio receberá obrigatoriamente a remuneração do cargo Y. comissão. o cargo Y.112/90.112/90. em outro cargo de confiança.112/90. previsto na Lei no 8.112/1990: a) não excederá o prazo de quatro anos. presente ou vantagem de qualquer espécie. Está hipótese é a) vedada pela Lei nº 8. independentemente de qualquer autorização. c) permitida pela Lei nº 8. mas Lupércio receberá 50% da remuneração do cargo X e 50% da remuneração do cargo Y. 29 – (FCC/TRT-1/Técnico/2011) No que concerne ao afastamento do servidor público para estudo ou missão no exterior. exatamente pelo fato de Lupércio ser servidor ocupante de cargo em comissão. cônjuge. em cargo ou função de confiança. mas Lupércio receberá obrigatoriamente a remuneração do cargo X d) permitida pela Lei nº 8.112/90. PATRÍCIA CARLA b) utilizar pessoal ou recursos materiais da repartição em serviços ou atividades particulares. e) permitida pela Lei nº 8. c) aplica-se aos servidores de carreira diplomática.DIREITO ADMINISTRATIVO EM TEORIA E EXERCÍCIOS – STN – PROFA.com.112/90. será permitido novo afastamento imediatamente.br . d) o afastamento do servidor para servir em organismo internacional de que o Brasil participe ou com o qual coopere dar-se-á com perda parcial da remuneração. sem prejuízo das atribuições do que atualmente ocupa. A autoridade administrativa competente pretende nomeá-lo para ter exercício interinamente. d) receber propina. companheiro ou parente até o segundo grau civil.

com.técnica judiciária do TRT. não incompatibilizam José e Maria para nova investidura em cargos públicos federais. dentre esses requisitos. b) apresenta vício administrativo. pelos motivos narrados. 31 – (FCC/TRT-1/Técnico/2011) José.112/1990. pelo prazo de dois anos.br . ex-técnico judiciário do TRT. receberá auxílio-moradia. Já Maria. sofreu punição sumária sem que se tenha instaurado o necessário processo administrativo disciplinar com a garantia da ampla defesa e do contraditório a) representa irregularidade. junto a repartições públicas. e) constitui exemplo de ato administrativo com vício de objeto. e) Maria não poderá retornar ao serviço público fede-ral e José fica incompatibilizado para nova investidura em cargo público federal. passível de revogação do ato administrativo de punição. d) apesar de viciada. foi demitido do serviço público por ter praticado corrupção. deve saber que a referida vantagem a) no caso de falecimento. foi demitida por ter atuado. como intermediária. podendo retornar ao serviço público imediatamente. fora das hipóteses permitidas em lei.DIREITO ADMINISTRATIVO EM TEORIA E EXERCÍCIOS – STN – PROFA. b) José e Maria jamais poderão retornar ao serviço público federal. tendo preenchido as condições legais. de dez e cinco anos. esse servidor público perderá. de imediato. 32 – (FCC/TRT-4/Analista/2011) Antonio. De acordo com a Lei no 8. substancial. Entretanto. ligado ao mérito do pro- cesso c) constitui exemplo de ato administrativo com vício de forma. mas receberá indenização equivalente a dois meses . exoneração ou aquisição de imóvel. o auxílio-moradia. também ex. 136 www. respectivamente. não acarreta o retorno do servidor ao status quo ante. PATRÍCIA CARLA 30 – (FCC/TRT-1/Técnico/2011) João.pontodosconcursos. servidor público federal. analista judiciário de um Tribunal Regional do Trabalho. José e Maria ficam incompatibilizados para nova investidura em cargos públicos federais pelos prazos. A) José não poderá retornar ao serviço público federal e Maria fica incompatibilizada para nova investidura em cargo público federal pelo prazo de cinco anos. d) as demissões.

pontodosconcursos. independentemente do interesse da Administração. respectivamente. c) superior ao número de vagas. e) suspensão não conversível em multa e de destituição do cargo. vem acumulando. esses servidores públicos estarão sujeitos. 34 – (FCC/TRT-4/Analista/2011) É cabível remoção a pedido. vem exercendo atividades incompatíveis com o exercício do cargo e com o respectivo horário de trabalho. servidor do Tribunal Regional do Trabalho. b) demissão e de suspensão. c) exoneração de ofício do cargo ou emprego e de demissão. ainda que o servidor mude de cargo ou de Município de exercício do cargo. e) tem valor limitado a vinte e cinco por cento da retribuição do cargo ocupado pelo mencionado servidor. em virtude de processo seletivo promovido. vedada qualquer prorrogação. PATRÍCIA CARLA b) tem valor limitado a trinta por cento do valor do cargo em comissão ocupado pelo servidor e. 4ª Região. b) inferior ao número de vagas.DIREITO ADMINISTRATIVO EM TEORIA E EXERCÍCIOS – STN – PROFA. 4 e 5. mas em hipótese especial e temporária pode ser superior ao auxílio-moradia recebido pela Presidência do Tribunal 33 – (FCC/TRT-4/Analista/2011) Alcebíades. 137 www. também analista judiciário. na hipótese em que o número de interessados for a) superior ao número de vagas. às penas de a) destituição do cargo e de disponibilidade. d) disponibilidade não remunerada e de advertência conversível em multa. em qualquer hipótese.DAS. para outra localidade. de acordo com normas preestabelecidas pelo órgão ou entidade em que aqueles estejam lotados. desde que presente o interesse público. em conformidade com normas estabelecidas pelo Poder Público em que aqueles estejam designados. Nesses casos. ilegalmente. enquanto Ana Maria. c) não será concedida por prazo superior a oito anos dentro de cada período de doze anos. de Natureza Especial. seu cargo de analista judiciário com emprego em sociedade de economia mista federal. d) será concedida por prazo de até três anos quando exercer cargo em comissão do Grupo-Direção e Assessoramento Superiores . a critério da autoridade competente. independentemente da respectiva lotação.com. não poderá ser superior ao auxílio-moradia recebido pelo respectivo Presidente do Tribunal. níveis 3. podendo esta ser convertida em multa.br .

o servidor público federal investido em cargo em comissão de órgão ou entidade diversa da de sua lotação. 138 www.pontodosconcursos. ressarcirem os cofres da entidade cedente ao término da cessão. quando a cessão for por prazo superior a 90 (noventa) dias. do Distrito Federal ou dos Municípios. receberá a remuneração do órgão a) cedente.mente do local da respectiva designação. desde que essa condição esteja prevista no respectivo ato e a cessão seja exclusivamente para órgão ou entidade do Distrito Federal. ainda que no caso de prestação alimentícia. é redutível na parcela autônoma da representação. quando acrescido das vantagens de caráter permanente. ser objeto de sequestro ou penhora. de acordo com normas estabelecidas pelo órgão público independente. a critério da autoridade competente. para órgão ou entidade do Distrito Federal. 36 – (FCC/TRT-4/Analista/2011) Para os fins da Lei 8. d) As faltas justificadas decorrentes de caso fortuito ou de força maior não poderão ser compensadas. b) Nenhum servidor receberá remuneração ou provento inferior a dois salários mínimos. quando a cessão for exclusivamente. c) Salvo por imposição legal ou mandado judicial. c) cessionário dos Estados. nenhum desconto incidirá sobre a remuneração ou provento. o Distrito Federal e os Municípios. nos termos da Lei n o 8. exclusivamente.DIREITO ADMINISTRATIVO EM TEORIA E EXERCÍCIOS – STN – PROFA.112/1990. 37 – (FCC/TRT-23/Analista/2011) Considere as assertivas abaixo sobre as licenças dos servidores públicos civis federais. e) O vencimento do cargo efetivo. quando necessário ao atendimento de situações emergenciais do órgão ou entidade. é correto afirmar: a) O provento não poderá. 35 – (FCC/TRE-TO/Técnico/2011) Quanto aos Direitos dos Servidores Públicos Federais. PATRÍCIA CARLA d) inferior ao número de vagas.com. devendo os Estados. não sendo assim consideradas como efetivo exercício. e) igual ao número de vagas. e) cedente. b) ou entidade cessionária quando a cessão for para órgãos dos Estados.112/90. na condição de cessionários.br . d) cedente. em qualquer hipótese.

139 www. É vedado o exercício de atividade remunerada durante o período da licença por motivo de doença em pessoa da família. o servidor poderá.DIREITO ADMINISTRATIVO EM TEORIA E EXERCÍCIOS – STN – PROFA. A licença para atividade política exige que o servidor candidato a cargo eletivo na localidade onde desempenha suas funções e que exerça cargo de direção. b) As férias poderão ser parceladas em até três etapas. Para os fins da licença para capacitação.br . c) II. e) A indenização relativa ao período de férias do servidor exonerado será calculada com base na remuneração do mês posterior àquele em que for publicado o ato exoneratório. chefia. ser acumuladas com outro período. até o quinto dia seguinte ao do pleito. prevista na Lei n° 8. no interesse da Administração. II. em qualquer hipótese.pontodosconcursos. III. após cada quinquênio de efetivo exercício. e) I e II. afastarse do exercício do cargo efetivo. arrecadação ou fiscalização. assessoramento. dele seja afastado.112/1990. c) O pagamento da remuneração das férias será efetuado até um dia antes do início do respectivo período. a partir do quinto dia seguinte ao do registro de sua candidatura perante a Justiça Eleitoral. e no interesse da Administração Pública.com. com a respectiva remuneração. é correto afirmar que: a) O servidor fará jus a trinta dias de férias. Está correto o que se afirma APENAS em a) II e III. por até três meses. d) É facultado ao servidor público levar à conta de férias qualquer falta ao serviço. d) I e III. 38 – (FCC/TRT-23/Técnico/2011) Sobre as férias dos servidores públicos civis federais. para participar de curso de capacitação profissional. observando-se os demais preceitos estabelecidos em lei. desde que assim requeridas pelo servidor. PATRÍCIA CARLA I. que não podem. b) I.

para outro órgão ou entidade do mesmo Poder. PATRÍCIA CARLA 39 – (FCC/TRT-23/Técnico/2011) Considere as assertivas abaixo sobre o Regime Disciplinar dos servidores públicos civis federais.DIREITO ADMINISTRATIVO EM TEORIA E EXERCÍCIOS – STN – PROFA. e) a vinculação entre os graus de responsabilidade e complexidade das atividades. nos termos da Lei n° 8.br . II. III.pontodosconcursos. O servidor que acumular licitamente dois cargos efetivos. 40 – (FCC/TRT-4/Técnico/2011) NÃO é considerado preceito para o deslocamento de cargo de provimento efetivo. d) I. ainda que houver compatibilidade de horário e local com o exercício de um deles. c) II e III. consta a de 140 www. escolaridade ou habilitação profissional. quando investido em cargo de provimento em comissão. não podendo exceder sessenta dias. no âmbito do quadro geral de pessoal. I. para tratar de benefícios previdenciários ou assistenciais de cônjuge ou companheiro. como procurador ou intermediário. b) a compatibilidade entre as atribuições do cargo e as finalidades institucionais do órgão. A penalidade administrativa de suspensão será aplicada em caso de reincidência das faltas punidas com advertência e de violação das demais proibições que não tipifiquem infração sujeita a penalidade de demissão.com. ficará afastado de ambos os cargos efetivos. e) I e II. ocupado ou vago. a) o mesmo nível de especialidade. d) a manutenção da essência das atribuições do cargo. b) I e III. 41 – (FCC/TRT-4/Técnico/2011) Dentre outras proibições previstas ao servidor público federal. c) o interesse do servidor público e a diferença de vencimentos. Ao servidor público é permitido atuar. Está correto o que se afirma APENAS em: a) III.112/1990. junto a repartições públicas.

43 – (FCC/TRT-23/Analista/2011) Considere as seguintes assertivas sobre as vantagens dos servidores públicos civis federais.112/1990: I. como procurador.DIREITO ADMINISTRATIVO EM TEORIA E EXERCÍCIOS – STN – PROFA. exoneração. colocação de imóvel funcional à disposição do servidor ou aquisição de imóvel. nos termos da Lei no 8. No caso de falecimento. o auxílio-moradia continuará sendo pago por um mês. d) não será passível de qualquer atualização os valores recebidos pelo servidor público em cumprimento de tutela antecipada. ou reassumi-lo. em virtude de mandato eletivo. b) utilizar recursos materiais da repartição ou pessoal no serviço público. As vantagens pecuniárias não serão computadas. A ajuda de custo poderá ser concedida ao servidor que se afastar do cargo. em função de confiança.br . junto a repartições públicas. a reposição será feita imediatamente. 42 – (FCC/TRT-4/Técnico/2011) No que diz respeito ao vencimento e à remuneração. nem acumuladas. emprego ou comissão da União Federal. Está correto o que se afirma APENAS em 141 www. que não a Administração. sob o mesmo título ou idêntico fundamento. é certo que. a consignação em folha de pagamento a favor de terceiros. PATRÍCIA CARLA a) aceitar pensão. deverão ser parceladas de ofício. e) manter sob sua chefia imediata. II. c) recusar-se a atualizar os seus dados cadastrais quando solicitado por terceiros. c) não poderá haver. para efeito de concessão de quaisquer outros acréscimos pecuniários ulteriores. primos. salvo quando se tratar de benefícios assistenciais de parentes até segundo grau. em qualquer situação. em qualquer hipótese. a) o desconto incidente sobre remuneração ou provento restringir-se-á aos casos de imposição legal de natureza administrativa.pontodosconcursos. III. em uma única parcela.com. e) todas as reposições e indenizações ao erário. para pagamento até noventa dias. d) atuar. b) quando o pagamento indevido houver ocorrido no mês anterior ao do processamento da folha. seja na Administração direta ou indireta.

44 – (FCC/TRT-23/Analista/2011) Considere as seguintes assertivas sobre as licenças dos servidores públicos civis federais. A licença poderá ser concedida ao servidor por motivo de doença do cônjuge ou companheiro por até trinta dias. 45 – (FCC/TRT-4/Técnico/2011) A vacância do cargo público NÃO decorrerá de a) reintegração. e) III. d) II. e) I. o servidor fará jus à licença para atividade política. d) demissão. b) II e III. sem remuneração. somente pelo período de dois meses. b) readaptação. b) II e III. A partir do registro da candidatura e até o décimo dia seguinte ao da eleição. PATRÍCIA CARLA a) I e III. c) posse em outro cargo inacumulável.br . sem remuneração.com. assegurados os vencimentos do cargo efetivo.DIREITO ADMINISTRATIVO EM TEORIA E EXERCÍCIOS – STN – PROFA. e por até sessenta dias. licenças para o trato de assuntos particulares pelo prazo de até três anos consecutivos. desde que não esteja em estágio probatório. 142 www. d) I e II. c) III. consecutivos ou não. nos termos da Lei nº 8. mantida a remuneração do servidor. A critério da Administração poderão ser concedidas ao servidor ocupante de cargo efetivo.112/1990: I. II. c) I e II. Está correto o que se afirma APENAS em a) I e III. III.pontodosconcursos. consecutivos ou não.

d) remoção é o deslocamento do servidor. no âmbito do mesmo quadro ou de outro quadro da Administração Pública Federal. c) o servidor que não for redistribuído ou colocado em disponibilidade poderá ser mantido sob responsabilidade do órgão central do SIPEC. exceto nos casos de reorganização. Para o exercício do direito de petição. dentro ou fora da repartição. II.com.DIREITO ADMINISTRATIVO EM TEORIA E EXERCÍCIOS – STN – PROFA. de acordo com a Lei no 8. b) II. 46 – (FCC/TRT-4/Técnico/2011) No que se refere à remoção e à redistribuição. em nenhuma hipótese. extinção ou criação de órgão ou entidade. a pedido. b) a remoção somente admite duas modalidades: a remoção de ofício. remoção. podendo ser renovado.pontodosconcursos. com obrigatória mudança de sede.112/90. PATRÍCIA CARLA e) exoneração. 143 www. c) I e II. Cabe pedido de reconsideração à autoridade que houver expedido o ato ou proferido a primeira decisão. d) I e III. 47 – (FCC/TRT-4/Técnico/2011) Analise as seguintes assertivas sobre o direito de petição: I. a critério da Administração. no interesse da Administração e a remoção a pedido. e) esta lei não permite. até seu adequado aproveitamento. O direito de requerer prescreve em cinco anos quanto aos atos de demissão e de cassação de aposentadoria ou disponibilidade. em outro órgão ou entidade. ao servidor ou a procurador por ele constituído. vez que a remoção sempre depende do interesse da Administração Pública. Está correto o que se afirma SOMENTE em a) I. independentemente do interesse da Administração. é correto afirmar que a) a redistribuição ocorrerá ex officio para ajustamento de lotação e da força de trabalho às necessidades dos serviços. é assegurada vista do processo ou documento. e ter exercício provisório. III. para outra localidade.br .

b) não está previsto em lei como uma das proibições dirigidas aos servidores públicos civis da União.deral. ao servidor público é permitido a) aceitar comissão. b) recusar fé a documentos públicos. O fato narrado a) está previsto como proibição ao servidor público fe. b) trinta por cento.br .com. às pessoas portadoras de deficiência é assegurado o direito de se inscrever em concurso público para provimento de cargo cujas atribuições sejam compatíveis com a deficiência de que são portadoras. 144 www. 49 – (FCC/TRT-4/Técnico/2011) Nos termos da Lei no 8. parente até o segundo grau civil. em cargo ou função de confiança. Para tais pessoas. e. Cumpre salientar que tal conduta foi praticada uma única vez.112/90. uma vez praticada. sujeita-o à penalidade de demissão.112/90. e) vinte e cinco por cento. das autarquias e das fundações públicas federais. aliciou seus subordinados no sentido de se filiarem a determinado partido político.pontodosconcursos. c) ensejará a aplicação da penalidade de advertência. 50 – (FCC/TRT-1/Analista/2011) João.DIREITO ADMINISTRATIVO EM TEORIA E EXERCÍCIOS – STN – PROFA. PATRÍCIA CARLA e) II e III. serão reservadas até a) vinte por cento. d) quarenta por cento. c) trinta e cinco por cento. emprego ou pensão de estado estrangeiro. e) cometer a outro servidor atribuições estranhas ao cargo que ocupa. c) promover manifestação de apreço ou desapreço no recinto da repartição. 48 – (FCC/TRT-4/Técnico/2011) Nos termos da Lei no 8. servidor público federal. d) manter sob sua chefia imediata. em situações de emergência e transitórias. das vagas oferecidas no concurso.

praticado nova infração disciplinar. após o decurso de dois anos de efetivo exercício. a qual terá seu registro cancelado.com. se João não houver.DIREITO ADMINISTRATIVO EM TEORIA E EXERCÍCIOS – STN – PROFA. na base de cinquenta por cento por dia de vencimento ou remuneração. PATRÍCIA CARLA d) ensejará penalidade disciplinar. e) ensejará a aplicação da penalidade de suspensão. que poderá ser convertida em multa. 145 www. nesse período. ficando o servidor obrigado a permanecer em serviço.pontodosconcursos.br .

DIREITO ADMINISTRATIVO EM TEORIA E EXERCÍCIOS – STN – PROFA.com.br . PATRÍCIA CARLA Gabarito 1 D 11 D 21 C 31 A 41 D 2 A 12 D 22 A 32 C 42 B 3 D 13 D 23 * 33 B 43 B 4 C 14 A 24 D 34 A 44 E 5 A 15 B 25 C 35 C 45 A 6 D 16 D 26 E 36 B 46 C 7 B 17 B 27 C 37 D 47 B 8 C 18 A 28 B 38 B 48 E 9 C 19 E 29 A 39 D 49 A 10 E 20 A 30 C 40 C 50 C 146 www.pontodosconcursos.

por até 60 (sessenta) dias. 44. ou dependente que viva a suas expensas e conste do seu assentamento funcional. mantida a remuneração do servidor. Gabarito: D Comentários: Aqui a FCC cobrou uma modificação feita na Lei 8112/90 em 2010! Vejamos: Art.pontodosconcursos. b) 100 dias. dentre outras.269. PATRÍCIA CARLA 3ª Lista de Questões Comentadas da aula 7 1 – (FCC/TRT-20/Analista/2011) A licença por motivo de doença em pessoa da família. mediante comprovação por perícia médica oficial.527. na seguinte condição. incluídas as prorrogações. de 2009) § 1o A licença somente será deferida se a assistência direta do servidor for indispensável e não puder ser prestada simultaneamente com o exercício do cargo ou mediante compensação de horário.269. e (Incluído pela Lei nº 12.por até 90 (noventa) dias. sem remuneração. de 2010) I .12. (Redação dada pela Lei nº 9. mantida a remuneração do servidor.br . (Incluído pela Lei nº 12. dos filhos. consecutivos ou remuneração. consecutivos ou não. na forma do disposto no inciso II do art. de 2010) não. sem remuneração. consecutivos. Poderá ser concedida licença ao servidor por motivo de doença do cônjuge ou companheiro. consecutivos ou não. c) 120 dias. por até a) 120 dias. consecutivos. consecutivos ou não. consecutivos ou não. sem § 3o O início do interstício de 12 (doze) meses será contado a partir da data do deferimento da primeira licença concedida. dos pais.97) § 2o A licença de que trata o caput. incluídas as prorrogações.DIREITO ADMINISTRATIVO EM TEORIA E EXERCÍCIOS – STN – PROFA. mantida a remuneração do servidor. (Incluído pela Lei nº 12. 83. (Redação dada pela Lei nº 11.907. e) 90 dias.269. de 2010) II .269. de 10.com. de 2010) 147 www. d) 60 dias. do padrasto ou madrasta e enteado. poderá ser concedida a cada período de doze meses nas seguintes condições: (Redação dada pela Lei nº 12. poderá ser concedida a cada período de doze meses. mantida a remuneração do servidor.

DIREITO ADMINISTRATIVO EM TEORIA E EXERCÍCIOS – STN – PROFA. V. exige-se que. Gabarito: A Comentários: Função refere-se a uma atribuição específica. Vejamos o que dispõe o estatuto: Art.com. salvo quando o servidor estiver em licença ou afastado por qualquer outro motivo legal. que poderá exceder a noventa dias da publicação. no que concerne à chefia. salvo quando o servidor estiver em licença 148 www.) § 4o O início do exercício de função de confiança coincidirá com a data de publicação do ato de designação. para exercê-la. por exemplo. PATRÍCIA CARLA § 4o A soma das licenças remuneradas e das licenças não remuneradas. 15. observado o disposto no § 3o.pontodosconcursos. Em contrapartida. 2 – (FCC/TRT-20/Analista/2011) O início do exercício de função de confiança coincidirá com a data de publicação do ato de designação. há acréscimo na remuneração. incluídas as respectivas prorrogações. de 2010) Assim.269. Exercício é o efetivo desempenho das atribuições do cargo público ou da função de confiança. que não poderá exceder a sessenta dias da publicação. para ser chefe de uma seção. e é chamada função de confiança. Essa possibilidade está prevista no art. d) quinto dia útil após o término do impedimento. concedidas em um mesmo período de 12 (doze) meses. a um agente. já seja concursado. O agente tem suas atividades normais dentro do cargo que ocupa e adquire mais algumas. c) trigésimo dia útil após o término do impedimento. hipótese em que recairá no a) primeiro dia útil após o término do impedimento. (. como. que não poderá exceder a sessenta dias da publicação. e) quinto dia útil após o término do impedimento. (Incluído pela Lei nº 12. Ou seja: é o acréscimo de algumas atribuições àquelas já destinadas ao agente. b) primeiro dia útil após o término do impedimento. que não poderá exceder a trinta dias da publicação. CF/88. pelo Poder Público. que poderá exceder a trinta dias da publicação.. direção ou assessoramento. 37.. correta a letra D. Assim.br . não poderá ultrapassar os limites estabelecidos nos incisos I e II do § 2o.

que não poderá exceder a trinta dias da publicação. Vejamos o que dispõe o estatuto federal a respeito do assunto: Art. § 1o A posse ocorrerá no prazo de trinta dias contados da publicação do ato de provimento. a posse e o exercício do cargo público. por qualquer das partes. Exercício é o efetivo desempenho das atribuições do cargo público ou da função de confiança. Art. 15. as responsabilidades e os direitos inerentes ao cargo ocupado. que não poderão ser alterados unilateralmente. PATRÍCIA CARLA ou afastado por qualquer outro motivo legal. e) 60 dias contados da publicação do ato de provimento e 30 dias contados da data da posse. art. ressalvados os atos de ofício previstos em lei. A posse dar-se-á pela assinatura do respectivo termo. b) 15 dias contados da publicação do ato de provimento e 15 dias contados da data da posse. hipótese em que recairá no primeiro dia útil após o término do impedimento. 13. Portanto. Gabarito: D Comentários: Provimento é o ato administrativo pelo qual se preenche o cargo vago. os deveres. 3 – (FCC/TRT-20/Técnico/2011) No que se refere ao provimento de cargo público. ou seja. respectivamente. no qual deverão constar as atribuições. A investidura do cargo público ocorrerá com a posse (Lei nº 8112/90. deverão observar. correta a letra A. contados da data da posse.DIREITO ADMINISTRATIVO EM TEORIA E EXERCÍCIOS – STN – PROFA.com. é a atribuição desse conjunto de competências a alguém.pontodosconcursos. 149 www. os prazos de a) 15 dias contados da publicação do ato de provimento e 05 dias contados da data da posse.br . § 1o É de quinze dias o prazo para o servidor empossado em cargo público entrar em exercício. c) 30 dias contados da publicação do ato de provimento e 30 dias contados da data da posse. 7º). d) 30 dias contados da publicação do ato de provimento e 15 dias contados da data da posse.

Porém.com. a letra D. portanto. adotará procedimento sumário para a sua apuração e regularização imediata. podemos afirmar que a) o prazo para a conclusão do processo administrativo disciplinar submetido ao rito sumário não excederá trinta dias. exceto.é vedada a acumulação remunerada de cargos públicos. d) o prazo para o servidor apresentar a opção é de quinze dias. XVII . fundações. b) a primeira fase do processo administrativo disciplinar corresponde à instauração. sociedades de economia mista. 37: XVI . admitida sua prorrogação por igual período. e todas elas foram previstas no texto da Lei Maior. Assim. com profissões regulamentadas. na hipótese de omissão. c) o prazo para o servidor apresentar a opção é improrrogável. a autoridade notificará o servidor para apresentar opção. taxativa e exaustivamente. serão eles inacumuláveis. de regra. excepcionando a acumulação de certos cargos.pontodosconcursos. se não houver previsão no texto constitucional. a) a de dois cargos de professor. Gabarito: C Comentários: Diz-se acumulação ao exercício concomitante de mais de um cargo público remunerado. empresas públicas. 37. empregos ou funções públicas. 4 – (FCC/TRT-20/Técnico/2011) Detectada a qualquer tempo a acumulação ilegal de cargos. c) a de dois cargos ou empregos privativos de profissionais de saúde. há exceções. o que. É a seguinte a previsão do art. com a publicação do ato que constituir a comissão. 150 www. quando houver compatibilidade de horários. é vedado pela CF/88.br . a ser composta por cinco servidores estáveis.a proibição de acumular estende-se a empregos e funções e abrange autarquias.DIREITO ADMINISTRATIVO EM TEORIA E EXERCÍCIOS – STN – PROFA. hipótese em que se converterá automaticamente em demissão do outro cargo. quando as circunstâncias o exigirem. e) a opção pelo servidor até o último dia de prazo para defesa configurará sua boa-fé. das autarquias e das fundações públicas federais. XVI.112/1990 que dispõe sobre o Regime Jurídico dos Servidores Públicos Civis da União. em seu art. PATRÍCIA CARLA Correta. observado em qualquer caso o disposto no inciso XI. b) a de um cargo de professor com outro técnico ou científico. Desta forma. e. cujo processo administrativo disciplinar se desenvolverá de acordo com a Lei no 8.

das datas de trabalho e do correspondente regime jurídico. indicará o respectivo dispositivo legal e remeterá o processo à autoridade instauradora. Detectada a qualquer tempo a acumulação ilegal de cargos.julgamento.instauração. 167. para julgamento. a ser composta por dois servidores estáveis. até três dias após a publicação do ato que a constituiu. 133. contados da data da ciência e. para. quando for o caso. 163 e 164. direta ou indiretamente. termo de indiciação em que serão transcritas as informações de que trata o parágrafo anterior. 151 www. contados do recebimento do processo.com. dos ingresso. apresentar defesa escrita. assegurando-se-lhe vista do processo na repartição. PATRÍCIA CARLA suas subsidiárias.instrução sumária. bem como promoverá a citação pessoal do servidor indiciado. § 3o Apresentada a defesa. do horário de § 2o A comissão lavrará. ou por intermédio de sua chefia imediata. II . A respeito do processo disciplinar. empregos ou funções públicas. e a materialidade pela empregos ou funções públicas em situação de órgãos ou entidades de vinculação.br . assevera a Lei nº 8112/90 que: Art. adotará procedimento sumário para a sua apuração e regularização imediata. § 5o A opção pelo servidor até o último dia de prazo para defesa configurará sua boa-fé. I dar-se-á pelo nome e descrição dos cargos. por intermédio de sua chefia imediata. a autoridade a que se refere o art. acumulação ilegal. a comissão elaborará relatório conclusivo quanto à inocência ou à responsabilidade do servidor. cujo processo administrativo disciplinar se desenvolverá nas seguintes fases: I . o disposto no § 3o do art. opinará sobre a licitude da acumulação em exame. para apresentar opção no prazo improrrogável de dez dias. III . aplicando-se. e simultaneamente indicar a autoria e a materialidade da transgressão objeto da apuração. na hipótese de omissão. a autoridade julgadora proferirá a sua decisão.DIREITO ADMINISTRATIVO EM TEORIA E EXERCÍCIOS – STN – PROFA. hipótese em que se converterá automaticamente em pedido de exoneração do outro cargo. § 4o No prazo de cinco dias. observado o disposto nos arts. § 1o A indicação da autoria de que trata o inciso matrícula do servidor. em que resumirá as peças principais dos autos. pelo poder público. e sociedades controladas. 143 notificará o servidor. que compreende indiciação. no prazo de cinco dias.pontodosconcursos. defesa e relatório. com a publicação do ato que constituir a comissão.

hipótese em que os órgãos ou entidades de vinculação serão comunicados. de 10.12.pontodosconcursos.readaptação.nomeação. VIII . 152 www. Portanto. NÃO foi recepcionada pela Constituição Brasileira de 1988 a a) ascensão.reversão.reintegração.promoção. aplicar-se-á a pena de demissão. de 10. II .97) IV .transferência. empregos ou funções públicas em regime de acumulação ilegal. e) reintegração. destituição ou cassação de aposentadoria ou disponibilidade em relação aos cargos. § 7o O prazo para a conclusão do processo administrativo disciplinar submetido ao rito sumário não excederá trinta dias. de 1997) (Revogado pela Lei nº 9.12. admitida a sua prorrogação por até quinze dias. contados da data de publicação do ato que constituir a comissão.br .527. d) recondução. Gabarito: A Comentários: Art.97) V .DIREITO ADMINISTRATIVO EM TEORIA E EXERCÍCIOS – STN – PROFA.com. correta a letra C. III . b) promoção.527. (Execução suspensa pela RSF nº 46. 8o São formas de provimento de cargo público: I . quando as circunstâncias o exigirem. c) readaptação. VI .(Revogado pela Lei nº 9.ascensão.aproveitamento. 5 – (FCC/MPE-CE/Promotor/2011) Dentre as formas de provimento derivado de cargos públicos. VII . PATRÍCIA CARLA § 6o Caracterizada a acumulação ilegal e provada a má-fé. tradicionalmente praticadas na Administração brasileira.

Já a transferência. constituindo-se a participação nos cursos um dos requisitos para a promoção na carreira. NOMEAÇÃO: Como já dito anteriormente. para cargo que não tem a mesma natureza de trabalho. a participação em cursos de formação e aperfeiçoamento em escolas de governo. A Emenda Constitucional nº 19 trouxe uma novidade ao exigir. PROMOÇÃO: A promoção é forma de provimento pela qual o servidor passa para cargo de maior grau de responsabilidade e maior complexidade de atribuições. Segundo o § 2º do art. que seria provimento sem concurso público. Exemplo disso seria a ascensão de Analista Tributário da Receita Federal para o cargo de Auditor Fiscal. sem concurso externo em igualdade de condições com todos os candidatos. Distingue-se da transposição porque. I. o servidor passa para cargo de conteúdo ocupacional diverso. nesta. § 1º do Estatuto). PATRÍCIA CARLA IX . sem o indispensável concurso público. Se for de tal gravidade que torne inviável o exercício de qualquer atividade. deve o servidor ser aposentado por invalidez (art. ou ainda. a celebração de convênios ou contratos entre os entes federados”. facultada. 153 www. que pode ser tanto física quanto mental. foi também declarada inconstitucional. por alguma limitação que tenha sofrido.br . compatível com ela. de Agente da Polícia Federal para Delegado nas mesmas circunstâncias. ou ascensão. que é a passagem de servidor de um cargo para outro.recondução. O acesso.DIREITO ADMINISTRATIVO EM TEORIA E EXERCÍCIOS – STN – PROFA. preenchidos por pessoas de confiança da autoridade competente. como requisito para promoção. 39 da CF/88.pontodosconcursos. ou seja. representando a passagem de uma carreira para outra. os Estados e o Distrito Federal manterão escolas de governo para a formação e o aperfeiçoamento dos servidores públicos. § 1º. precedida necessariamente de concurso público.com. exceto nos casos de cargos em comissão. Importante ressaltar que a limitação citada não o impede de seguir laborando em outro cargo. para isso. “a União. dentro da carreira a que pertence. Ela se dá quando não é possível ao servidor seguir no desempenho das atividades do cargo. Constitui uma forma de ascender na carreira. 24. foi julgado inconstitucional pelo STF. CF/88 e art. 24). 40. pela simples passagem do tempo. a nomeação é a única possibilidade de provimento originário de cargo público diante da atual Carta Política. READAPTAÇÃO: Por readaptação entende-se a investidura do servidor em cargo de atribuições e responsabilidades compatíveis com a limitação que tenha sofrido em sua capacidade física ou mental verificada em inspeção médica (art. pertencente a quadro de pessoal diverso.

I). Exercício como excedente significa que ao servidor será criado uma espécie de cargo virtual. § 2º). REVERSÃO: O aposentado tem duas formas de retorno à ativa por provimento derivado. como é de interesse da Administração Pública. § 3º). Neste segundo caso. em especial. Cite-se. exercerá as atribuições como excedente. Ressalte-se que os cinco requisitos são cumulativos.pontodosconcursos. que pode ser readaptado para agente administrativo ou ascensorista. declarada essa situação por junta médica (art. não poderá ser deferido o pedido. Para que se evite possível confusão. até a última edição. não pode haver acréscimo de vencimentos nem responsabilidades. III – estável quando na atividade. Em não havendo vaga aberta.com. ou seja. e deve ser precedida de decisão de junta médica específica para tal fim. os seguintes requisitos: I – tenha solicitado a reversão. na falta de qualquer deles. Alterou-se a redação do artigo citado através de diversas Medidas Provisórias reeditadas ao longo do tempo. 25. veja que no caso de ex-inválido que sofre reversão. enquanto não vagar um já existente. ainda válida. II – a aposentadoria tenha sido voluntária. A primeira é daquele aposentado por invalidez que deixou de ser inválido. não havendo vaga. não será possível a reversão a pedido. em 04/09/2001.DIREITO ADMINISTRATIVO EM TEORIA E EXERCÍCIOS – STN – PROFA. 25. até a ocorrência de vaga (art. estando obrigado a entrar em exercício se a Administração assim determinar. ou seja. a reversão far-se-á no mesmo cargo ou no cargo resultante de sua transformação (art. Essa segunda possibilidade de ocorrência de reversão dá-se no interesse da Administração. que levou o número 2. o readaptado entrará em exercício como excedente.225-45. o último. o servidor exercerá suas atribuições como excedente. e que criou uma segunda hipótese de reversão. quando essa vaga temporária do excedente desaparecerá (art. Então. ficando curado o servidor. Neste caso. que exige cargo vago. Em ambas as hipóteses. encontrandose provido o cargo. de existência efêmera. 25. Esse provimento é horizontal. deverá ele voltar à ativa.br . V – haja cargo vago. IV – a aposentadoria tenha ocorrido nos cinco anos anteriores à solicitação. § 1º) e não poderá ser efetivada 154 www. 24. pelo aposentado. desde que sejam atendidos. não havendo cargo vago. O cargo virtual desaparecerá no momento em que surgir uma vaga entre os cargos legalmente previstos. até que uma desocupe. da mesma forma que no caso da readaptação retromencionado. PATRÍCIA CARLA É o caso do motorista acidentado que perdeu as pernas.

proporcionalmente ao tempo de serviço. 31) e. até seu aproveitamento (37. como deverá ocorrer. 27). PATRÍCIA CARLA no caso de aposentado que já tenha completado setenta anos de idade (art. ambos da CF/88. 41. § 3º). podendo. o servidor que retornar à atividade por interesse da Administração perceberá.pontodosconcursos. inclusive com as vantagens de natureza pessoal que percebia anteriormente à aposentadoria. será tornado sem efeito o aproveitamento e cassada a disponibilidade. APROVEITAMENTO: É o retorno ao serviço público daquele que estava em disponibilidade. O retorno à atividade de servidor em disponibilidade far-se-á mediante aproveitamento obrigatório em cargo de atribuições e vencimentos compatíveis com o anteriormente ocupado (art. O aproveitamento. § 3º. se for servidor ingressado no serviço público antes da EC nº 41/2003. O tempo em que o servidor estiver em exercício será considerado para concessão da aposentadoria (art. 41. § 2º. por sua vez. o servidor poderá ser convocado para entrar em exercício em vaga que vier a ocorrer nos órgãos ou entidades da Administração Pública Federal (art.com. preferencialmente. Estando em disponibilidade. A disponibilidade é exclusividade de servidor estável. § 4º). com exceção do item II retro. Prevê ainda o Estatuto que. do art. 25. e do § 9º. remunerado. 30). Trata-se de obrigação. 25. § 2º). a qualquer tempo. quanto do aproveitando de assumir novo posto que. nos casos de reorganização ou extinção de órgão ou entidade.br . 41. a remuneração do cargo que voltar a exercer. 40. 32). não o fazendo no prazo legal. CF/88).DIREITO ADMINISTRATIVO EM TEORIA E EXERCÍCIOS – STN – PROFA. extinto o cargo ou declarada sua desnecessidade no órgão ou entidade. ocorre em duas situações constitucionalmente previstas: I – extinção de cargo ou declaração de sua desnecessidade (art. ou a disponibilidade no caso de não existir vaga. mas estar à disposição do Estado. em substituição aos proventos da aposentadoria. Assim. nada mais é que não trabalhar. do art. CF/88). No que diz respeito à remuneração. quando não seja possível reconduzir o atual ocupante ao cargo antigo ou aproveitá-lo em outro cargo (art. será no mesmo cargo. revertendo os prejuízos financeiros que eventualmente teve com a aposentadoria (art. complementar o tempo necessário para se aposentar com proventos integrais. II – reingresso do servidor ilegalmente desligado de seu cargo. salvo doença comprovada por junta médica oficial (art. Esta. não pode ser colocado em disponibilidade servidor estável sem que o respectivo cargo seja extinto ou declarado desnecessário. tanto da Administração Pública de convocar. 155 www. o servidor estável que não for redistribuído será colocado em disponibilidade. por isso. segundo a nova redação do § 3º.

a reintegração é a reparação integral dos direitos. não é porque é estável em um cargo que não mais será necessário o estágio probatório em outros que venha eventualmente a assumir via concurso público.pontodosconcursos.br . se estável neste. é proporcional ao tempo de serviço. Correta a letra A. PATRÍCIA CARLA Importante ressaltar que o valor recebido pelo servidor em disponibilidade. poderá ser nomeado para ter exercício. 40. inclusive promoções que teria direito se em exercício estivesse. deverá ser reintegrado. 6 – (FCC/TRT-19/Técnico/2011) O servidor. ocupante de cargo em comissão. d) deverá optar pela remuneração de um dos cargos. interinamente. II – reintegração do anterior ocupante. CF/88). e não ao tempo de contribuição. será reconduzida ao cargo anterior. que já foi mencionada no item precedente. como é o caso dos proventos de aposentadoria (art. Assim. esse servidor a) receberá obrigatoriamente a remuneração proveniente do cargo de confiança que assumiu interinamente. o atual ocupante retornará ao cargo anteriormente ocupado. ou seja. 29): I – inabilitação em estágio probatório relativo a outro cargo. Nesse caso. A outra possibilidade teórica de recondução ocorre no caso de reintegração do anterior ocupante. REINTEGRAÇÃO: Quando um servidor é ilegalmente desligado de seu cargo. como dito.DIREITO ADMINISTRATIVO EM TEORIA E EXERCÍCIOS – STN – PROFA. em outro cargo de confiança. Suponha-se que determinada pessoa já seja estável no cargo de agente administrativo. 156 www. c) terá direito a receber duas remunerações. Digo teórica pois dificilmente ocorrerá.com. posto que é desfazimento de ato ilegal. com o conseqüente ressarcimento de todos os prejuízos sofridos. Aprovada em concurso público para Analista do Tribunal de Contas da União. sem prejuízo das atribuições do que atualmente ocupa. poderá vir a ser reprovada no estágio e não poderá continuar nele. onde já era estável. deverá ser submetida a novo estágio probatório. Durante o período da interinidade. §§ 1º e 9º. Segundo o STJ. no novo cargo de analista. preferindo da Administração manter o servidor num outro cargo igual vago. b) receberá obrigatoriamente a remuneração do cargo em comissão originário. pois este visa avaliar a aptidão e capacidade para um cargo específico. ou seja. RECONDUÇÃO: Duas são as possibilidades de provimento derivado via recondução (art.

O servidor ocupante de cargo em comissão ou de natureza especial poderá ser nomeado para ter exercício. Gabarito: D Comentários: A nomeação é a única possibilidade de provimento originário de cargo público diante da atual Carta Política. preenchidos por pessoas de confiança da autoridade competente. exceto nos casos de cargos em comissão. sem prejuízo das atribuições do que atualmente ocupa.112/1990: I. durante o mesmo período. A acumulação de cargos públicos. II .DIREITO ADMINISTRATIVO EM TEORIA E EXERCÍCIOS – STN – PROFA. pois deverá exercer as atribuições do cargo em comissão. em outro cargo de confiança. Está correto o que consta APENAS em: a) II.em caráter efetivo. 7 – (FCC/TRT-19/Técnico/2011) Considere as seguintes assertivas acerca da acumulação prevista na Lei nº 8. quando investido em cargo em comissão. quando se tratar de cargo isolado de provimento efetivo ou de carreira. III. se lícita.em comissão.com.br . O servidor vinculado ao regime da referida Lei. atribuições decorrentes de dois cargos diversos. vejamos o que dispõe o estatuto federal: Art. II. inclusive na condição de interino. correta a letra D. interinamente. 157 www. não está condicionada à comprovação da compatibilidade de horários. que acumular licitamente dois cargos efetivos. 9o A nomeação far-se-á: I . A respeito da nomeação. PATRÍCIA CARLA e) receberá duas remunerações. Parágrafo único. b) I. precedida necessariamente de concurso público. Dessa forma. ficará sempre afastado de ambos os cargos efetivos. por exercer. acrescidas de percentual legal.pontodosconcursos. salvo quando os cargos de que decorram essas remunerações forem acumuláveis na atividade. para cargos de confiança vagos. hipótese em que deverá optar pela remuneração de um deles durante o período da interinidade. Considera-se acumulação proibida a percepção de vencimento de cargo público efetivo com proventos da inatividade.

Gabarito: C 158 www. paga na proporção dos dias de efetiva substituição que excederem o referido período.br . Apenas o item I está correto. empresas públicas. quando o afastamento ou impedimento legal do titular for a) de vinte e cinco dias consecutivos. é vedada a acumulação remunerada de cargos públicos. 8 – (FCC/TRT-19/Técnico/2011) O substituto fará jus à retribuição pelo exercício do cargo ou função de direção ou chefia ou de cargo de Natureza Especial. Gabarito: B Comentários: Art. d) superior a quinze dias consecutivos. ainda que não consecutivos. c) superior a trinta dias consecutivos. ou seja. e) de vinte dias. paga na proporção dos dias de efetiva substituição que atingirem o referido período. alternativa B. sociedades de economia mista da União. do Distrito Federal. salvo quando os cargos de que decorram essas remunerações forem acumuláveis na atividade. paga na proporção dos dias de efetiva substituição que excederem o referido período. dos Territórios e dos Municípios. d) I e II. b) de vinte dias consecutivos. condicionada à comprovação da compatibilidade de horários. § 2o A acumulação de cargos. e) II e III. portanto. Ressalvados os casos previstos na Constituição. paga na proporção dos dias de efetiva substituição que atingirem o referido período.pontodosconcursos. § 1o A proibição de acumular estende-se a cargos. fundações públicas. a partir do décimo sexto dia fará jus à retribuição.DIREITO ADMINISTRATIVO EM TEORIA E EXERCÍCIOS – STN – PROFA. fica § 3o Considera-se acumulação proibida a percepção de vencimento de cargo ou emprego público efetivo com proventos da inatividade. paga na proporção dos dias de efetiva substituição que atingirem o referido período. PATRÍCIA CARLA c) III. empregos e funções em autarquias. 118. ainda que lícita.com. dos Estados.

com denominação própria e vencimento pago pelos cofres públicos. É o caso dos assessores ou diretores. Os cargos públicos. II . empregos e funções públicas são acessíveis aos brasileiros que preencham os requisitos estabelecidos em lei. RE 392. A relação dos requisitos é meramente exemplificativa. Súmula 686.o nível de escolaridade exigido para o exercício do cargo. 3o Cargo público é o conjunto de atribuições e responsabilidades previstas na estrutura organizacional que devem ser cometidas a um servidor. Requisitos básicos para investidura em cargo público: I . não necessitam de concurso público e não oferecem qualquer garantia de permanência ao seu titular. a lei pode estabelecer certas regras. o que a lei não limitou.aptidão física e mental.br .DIREITO ADMINISTRATIVO EM TEORIA E EXERCÍCIOS – STN – PROFA. Cargo: Lei nº 8112/90. são criados por lei. I. de acordo com as atribuições do cargo. chefia ou assessoria. Essa característica é dada pela lei que cria o cargo. A exigência de habilitação para o exercício do cargo objeto do certame darse-á no ato da posse e não da inscrição do concurso (STF. DJ 08/10/2004). IV . VI .976/MG. da CF/88).com. V . Apesar de ser livre a nomeação. III . no Edital do Concurso. Incabível restringir.o gozo dos direitos políticos. exigir diploma de bacharel em Direito. 87. como no citado caso dos Ministros de Estado (art. Parágrafo único. posto que transitórios. art. A lei também indica a autoridade competente para fazer a nomeação.a nacionalidade brasileira. assim como aos estrangeiros. 37.a idade mínima de dezoito anos. CF/88). Os cargos em comissão são os de livre nomeação e exoneração. podendo a lei exigir outros.a quitação com as obrigações militares e eleitorais. nos casos em que é necessário um liame de confiança entre determinada autoridade e o titular de cargo de direção. para os Diretores de 159 www. do STF: Só por lei se pode sujeitar a exame psicotécnico a habilitação de candidato a cargo público. Assim.pontodosconcursos. para provimento em caráter efetivo ou em comissão. onde é fundamental o envolvimento entre estes e a autoridade que os nomeia. na forma da lei (art. pode determinar idade mínima de vinte e um anos. PATRÍCIA CARLA Comentários: Os cargos. acessíveis a todos os brasileiros. o que não desvirtua essa característica do cargo.

servidor do INSS.com. no caso de omissão. pelo poder Público. exercidas exclusivamente por servidores ocupantes de cargo efetivo. 38. Assim. § 1o O substituto assumirá automática e cumulativamente. Os servidores investidos em cargo ou função de direção ou chefia e os ocupantes de cargo de Natureza Especial terão substitutos indicados no regimento interno ou. sendo ato puramente discricionário da autoridade competente para nomear. já seja concursado. Assim. nos casos dos afastamentos ou impedimentos legais do titular. PATRÍCIA CARLA Secretaria na Justiça Federal. Função: Já a função refere-se a uma atribuição específica. destinam-se apenas às atribuições de direção. mas que se diferencia do cargo pelo vínculo que une seus titulares ao Estado. O disposto no artigo anterior aplica-se aos titulares de unidades administrativas organizadas em nível de assessoria. chefia e assessoramento. § 2o O substituto fará jus à retribuição pelo exercício do cargo ou função de direção ou chefia ou de cargo de Natureza Especial. exige-se que. direção ou assessoramento. no que concerne à chefia. Art. nos afastamentos.pontodosconcursos. para exercê-la. V.br . impedimentos legais ou regulamentares do titular e na vacância do cargo. o estatutário (regido por um estatuto que no âmbito federal é a Lei nº 8112/90) será titular de um cargo (ex. a serem preenchidos por servidores de carreira nos casos. Banco do Brasil. por isso.DIREITO ADMINISTRATIVO EM TEORIA E EXERCÍCIOS – STN – PROFA. que a exoneração é ad nutum. É o acréscimo de algumas atribuições àquelas já destinadas ao agente. A exoneração não precisa ser motivada. da CF/88: As funções de confiança. a um agente. sem prejuízo do cargo que ocupa. Art. que excederem o referido período. paga na proporção dos dias de efetiva substituição. Petrobras). 37. TRE). hipóteses em que deverá optar pela remuneração de um deles durante o respectivo período. 160 www. assim dispõe a Lei nº 8112/90: Art. e os cargos em comissão. o exercício do cargo ou função de direção ou chefia e os de Natureza Especial. condições e percentuais mínimos previstos em lei. previamente designados pelo dirigente máximo do órgão ou entidade. 39. Emprego: Emprego público é um conjunto de atribuições. já o empregado (regido pela CLT) será titular de um emprego (ex. proibir nomeações de determinados parentes etc. empregado dos Correios. superiores a trinta dias consecutivos. diz-se. Quanto à substituição.

A responsabilidade administrativa do servidor será obrigatoriamente afastada no caso de absolvição criminal que entenda pela inexistência de prova suficiente para a condenação. 122. d) III. 161 www. responderá o servidor perante a Fazenda Pública. do qual resulte em prejuízo. em ação regressiva. doloso ou culposo.br . II e III. 9 – (FCC/TRT-19/Analista/2011) Analise as seguintes concernentes às responsabilidades dos servidores públicos: assertivas I. responderá o servidor perante a Fazenda Pública. Art. Tratando-se de dano causado a terceiros. A responsabilidade civil decorre de ato apenas comissivo e doloso. apenas. II. apenas. apenas. A responsabilidade administrativa do servidor será obrigatoriamente afastada no caso de absolvição criminal que entenda pela inexistência de prova suficiente para a condenação. Art. b) I e II. A responsabilidade administrativa do servidor será afastada no caso de absolvição criminal que negue a existência do fato ou sua autoria. III. PATRÍCIA CARLA Correta a letra C. Gabarito: C Comentários: I.com.pontodosconcursos.DIREITO ADMINISTRATIVO EM TEORIA E EXERCÍCIOS – STN – PROFA. em ação regressiva. Tratando-se de dano causado a terceiros. apenas. que resulte em prejuízo ao erário ou a terceiros. na falta de outros bens que assegurem a execução do débito pela via judicial. Está correto o que consta em a) I. 46. 126. c) II. § 1o A indenização de prejuízo dolosamente causado ao erário somente será liquidada na forma prevista no art. II. e) I e III. A responsabilidade civil decorre de ato omissivo ou comissivo.

até a primeira decisão proferida no processo. PATRÍCIA CARLA § 2o Tratando-se de dano causado a terceiros.com. quanto á advertência.em 2 (dois) anos. não importando a data em que se tornou conhecido. quanto à suspensão. Gabarito: E Comentários: Art. § 3o A obrigação de reparar o dano estende-se aos sucessores e contra eles será executada. Correta a letra C. doloso ou culposo. II . c) A ação disciplinar prescreverá em dois anos quanto às infrações puníveis com destituição de cargo em comissão. A responsabilidade civil decorre de ato apenas comissivo e doloso. é correto afirmar: a) A abertura de sindicância ou a instauração de processo disciplinar interrompe a prescrição. 162 www. Art. 10 – (FCC/TRT-19/Analista/2011) No que concerne à prescrição para a ação disciplinar. A ação disciplinar prescreverá: I . d) O prazo de prescrição começa a correr da data em que o fato foi praticado.em 180 (cento e oitenta) dias. III. que resulte em prejuízo ao erário ou a terceiros. até o limite do valor da herança recebida. em ação regressiva.em 5 (cinco) anos. 142. § 1o O prazo de prescrição começa a correr da data em que o fato se tornou conhecido.DIREITO ADMINISTRATIVO EM TEORIA E EXERCÍCIOS – STN – PROFA.br . quanto às infrações puníveis com demissão. A responsabilidade civil decorre de ato omissivo ou comissivo. III . cassação de aposentadoria ou disponibilidade e destituição de cargo em comissão. e) Os prazos de prescrição previstos na lei penal aplicam-se às infrações disciplinares capituladas também como crime. do qual resulte em prejuízo.pontodosconcursos. b) A ação disciplinar prescreverá em cento e vinte dias quanto às infrações puníveis com advertência. 122. responderá o servidor perante a Fazenda Pública.

III . b) ausentar-se do serviço. é proibido ao servidor: Art. dentre outras hipóteses.É permitido!! 163 www.É Proibido!! II . c) praticar usura sob qualquer de suas formas. Ao servidor é proibido: I . d) dar fé a documentos públicos. e) promover manifestação de apreço ou desapreço no recinto da repartição. o prazo começará a correr a partir do dia em que cessar a interrupção.retirar.recusar fé a documentos públicos.br .pontodosconcursos. § 3o A abertura de sindicância ou a instauração de processo disciplinar interrompe a prescrição. sem prévia anuência da autoridade competente. 11 – (FCC/TRE-TO/Técnico/2011) Ao servidor é permitido. PATRÍCIA CARLA § 2o Os prazos de prescrição previstos na lei penal aplicam-se às infrações disciplinares capituladas também como crime. d) dar fé a documentos públicos ---. 117. b) ausentar-se do serviço. com ou sem prévia autorização do chefe imediato. exceto na qualidade de acionista. correta a letra E. Assim.com. com ou sem prévia autorização do chefe imediato -----. a) participar de gerência de sociedade privada. Gabarito: D Comentários: De acordo com a Lei nº 8112/90.ausentar-se do serviço durante o expediente. durante o expediente. § 4o Interrompido o curso da prescrição. até a decisão final proferida por autoridade competente. qualquer documento ou objeto da repartição. sem prévia autorização do chefe imediato.DIREITO ADMINISTRATIVO EM TEORIA E EXERCÍCIOS – STN – PROFA. durante o expediente.

É proibido!! VI . exceto na qualidade de acionista. XIII . salvo quando se tratar de benefícios previdenciários ou assistenciais de parentes até o segundo grau.praticar usura sob qualquer de suas formas. c) praticar usura sob qualquer de suas formas.manter sob sua chefia imediata.atuar. ou a partido político. exercer o comércio.pontodosconcursos. em razão de suas atribuições. como procurador ou intermediário. comissão. exceto na qualidade de acionista.valer-se do cargo para lograr proveito pessoal ou de outrem.opor resistência injustificada ao andamento de documento e processo ou execução de serviço.participar de gerência ou administração de sociedade privada.utilizar pessoal ou recursos materiais da repartição em serviços ou atividades particulares. e) promover manifestação de apreço ou desapreço no recinto da repartição ----.DIREITO ADMINISTRATIVO EM TEORIA E EXERCÍCIOS – STN – PROFA. XII . VII . presente ou vantagem de qualquer espécie. em detrimento da dignidade da função pública.coagir ou aliciar subordinados no sentido de filiarem-se a associação profissional ou sindical. fora dos casos previstos em lei.proceder de forma desidiosa.receber propina. cônjuge.com. e de cônjuge ou companheiro. ----------. cotista ou comanditário. XIV .br . IX . em cargo ou função de confiança. companheiro ou parente até o segundo grau civil. o desempenho de atribuição que seja de sua responsabilidade ou de seu subordinado. XV . 164 www.É proibido!! XI . X . a) participar de gerência de sociedade privada. XVI . personificada ou não personificada. V . emprego ou pensão de estado estrangeiro. PATRÍCIA CARLA IV . VIII .cometer a pessoa estranha à repartição. junto a repartições públicas.promover manifestação de apreço ou desapreço no recinto da repartição.aceitar comissão.

concurso público.com. emprego e função pública. Correta a letra D. participação no capital social ou em sociedade cooperativa constituída para prestar serviços a seus membros. exceto em situações de emergência e transitórias. observada a legislação sobre conflito de interesses. Parágrafo único. A vedação de que trata o inciso X do caput deste artigo não se aplica nos seguintes casos: I . 12 – (FCC/TRE-TO/Técnico/2011) No que diz respeito ao tema cargo.br . é correto afirmar: a) As funções de confiança. atribuições e o padrão de vencimento ou remuneração. 91 desta Lei. portanto. necessariamente. d) As várias competências previstas na Constituição para os entes federativos são distribuídas entre os respectivos órgãos. que lhes confere denominação própria. Gabarito: D Comentários: 165 www. destinam-se apenas às atribuições de direção.exercer quaisquer atividades que sejam incompatíveis com o exercício do cargo ou função e com o horário de trabalho. b) A expressão emprego público designa uma unidade de atribuições e distingue-se do cargo público pelo tipo de vínculo que liga o servidor ao Estado.recusar-se a atualizar seus dados cadastrais quando solicitado. os quais dispõem de determinado número de cargos criados por lei. XVIII . o ocupante de emprego público tem vínculo estatutário. ou seja.participação nos conselhos de administração e fiscal de empresas ou entidades em que a União detenha. as exercidas temporariamente para atender necessidade de excepcional interesse público e as ocupadas para o exercício de funções de confiança. XIX . direta ou indiretamente.cometer a outro servidor atribuições estranhas ao cargo que ocupa. como em todos os casos de função. PATRÍCIA CARLA XVII .gozo de licença para o trato de interesses particulares. e) Exige-se concurso público não só para a investidura em cargo ou emprego.DIREITO ADMINISTRATIVO EM TEORIA E EXERCÍCIOS – STN – PROFA. c) A função exercida por servidores contratados temporariamente para atendimento de situações de excepcional interesse público exige.pontodosconcursos. na forma do art. exercidas por servidores ocupantes de cargos efetivos ou não. chefia e assessoramento. e II .

impessoalidade. exercidas exclusivamente por servidores ocupantes de cargo efetivo. destinam-se apenas às atribuições de direção. correta a letra D. c) Deve haver manutenção da essência das atribuições do cargo. b) A expressão emprego público designa uma unidade de atribuições e distingue-se do cargo público pelo tipo de vínculo que liga o servidor ao Estado.pontodosconcursos. c) A função exercida por servidores contratados temporariamente para atendimento de situações de excepcional interesse público exige. e) Exige-se concurso público não só para a investidura em cargo ou emprego. b) Exige vinculação entre os graus de responsabilidade e complexidade das atividades. chefia e assessoramento. é INCORRETO afirmar: a) É necessário mesmo nível de escolaridade. publicidade e eficiência e. moralidade. ou seja. o ocupante de emprego público tem vínculo estatutário. concurso público. e os cargos em comissão. Art. A administração pública direta e indireta de qualquer dos Poderes da União. as exercidas temporariamente para atender necessidade de excepcional interesse público e as ocupadas para o exercício de funções de confiança. Portanto.DIREITO ADMINISTRATIVO EM TEORIA E EXERCÍCIOS – STN – PROFA. 166 www. 13 – (FCC/TRT-19/Analista/2011) Sobre a redistribuição.br . ao seguinte: (. como em todos os casos de função. 37.com. portanto. destinam-se apenas às atribuições de direção. dos Estados. Não há a exigência de concurso público para as funções exercidas temporariamente e nem para as funções de confiança. necessariamente. do Distrito Federal e dos Municípios obedecerá aos princípios de legalidade.. O ocupante de cargo público tem vínculo estatutário.. PATRÍCIA CARLA a) As funções de confiança. Apenas um mero processo seletivo já é o suficiente.as funções de confiança. especialidade ou habilitação profissional. exercidas por servidores ocupantes de cargos efetivos ou não. condições e percentuais mínimos previstos em lei. chefia e assessoramento. a serem preenchidos por servidores de carreira nos casos.) V . também.

IV . PATRÍCIA CARLA d) Não se faz necessário que os vencimentos sejam equivalentes. 37. extinção ou criação de órgão ou entidade.Correto! § 1o A redistribuição ocorrerá ex officio para ajustamento de lotação e da força de trabalho às necessidades dos serviços.manutenção da essência das atribuições do cargo.vinculação entre complexidade das atividades. Gabarito: D Comentários: Art. Redistribuição é o deslocamento de cargo de provimento efetivo.interesse da administração. inclusive nos casos de reorganização. d) Não se faz necessário que os vencimentos sejam equivalentes ----Errado! III .com. especialidade ou habilitação profissional. ocupado ou vago no âmbito do quadro geral de pessoal.DIREITO ADMINISTRATIVO EM TEORIA E EXERCÍCIOS – STN – PROFA. os graus de responsabilidade e b) Exige vinculação entre os graus de responsabilidade e complexidade das atividades -------.br .pontodosconcursos. para outro órgão ou entidade do mesmo Poder.Correto! V . observados os seguintes preceitos: I .Correto! VI . 167 www.mesmo nível de escolaridade. e) Exige compatibilidade entre as atribuições do cargo e as finalidades institucionais do órgão ou entidade. a) É necessário mesmo nível de escolaridade. especialidade ou habilitação profissional -------. com prévia apreciação do órgão central do SIPEC.equivalência de vencimentos. II . c) Deve haver manutenção da essência das atribuições do cargo ---Correto! e) Exige compatibilidade entre as atribuições do cargo e as finalidades institucionais do órgão ou entidade -------.compatibilidade entre as atribuições do cargo e as finalidades institucionais do órgão ou entidade.

nos termos da Lei no 8112/1990. b) I e II. III e IV. por igual período. incorreta a letra D. e ter exercício provisório. e) III e IV. Está correto o que se afirma APENAS em: a) I e III.br . podendo ser prorrogado uma única vez. IV. ainda que houver candidato aprovado em concurso anterior com prazo de validade não expirado. 30 e 31. técnicos e cientistas estrangeiros. até seu adequado aproveitamento. O concurso público terá validade de até três anos. As universidades e instituições de pesquisa científica e tecnológica federais poderão prover seus cargos com professores.com. de acordo com as normas e os procedimentos estabelecidos em lei. até seu aproveitamento na forma dos arts. § 4o O servidor que não for redistribuído ou colocado em disponibilidade poderá ser mantido sob responsabilidade do órgão central do SIPEC. I.pontodosconcursos. 14 – (FCC/TRT-23/Analista/2011) Considere as assertivas abaixo sobre o Provimento. É possível a abertura de novo concurso. § 3o Nos casos de reorganização ou extinção de órgão ou entidade.DIREITO ADMINISTRATIVO EM TEORIA E EXERCÍCIOS – STN – PROFA. c) I. d) II e IV. extinto o cargo ou declarada sua desnecessidade no órgão ou entidade. III. Gabarito: A Comentários: 168 www. Remoção. II. em outro órgão ou entidade. PATRÍCIA CARLA § 2o A redistribuição de cargos efetivos vagos se dará mediante ato conjunto entre o órgão central do SIPEC e os órgãos e entidades da Administração Pública Federal envolvidos. Redistribuição e Substituição. Portanto. Vacância. o servidor estável que não for redistribuído será colocado em disponibilidade. A promoção consiste em forma de provimento de cargo público.

12. II .nomeação.12. Art. Portanto. Art. É possível a abertura de novo concurso. por igual período.aproveitamento. podendo ser prorrogado uma única vez.promoção. item I. podendo ser prorrogado uma única vez. prorrogável uma vez. III. As universidades e instituições de pesquisa científica e tecnológica federais poderão prover seus cargos com professores.ascensão. VIII . item II.DIREITO ADMINISTRATIVO EM TEORIA E EXERCÍCIOS – STN – PROFA. IX . O concurso público terá validade de até 2 (dois ) anos. Art. por igual período.(Revogado pela Lei nº 9.o prazo de validade do concurso público será de até dois anos.97) IV . Portanto. de 1997) (Revogado pela Lei nº 9. de 10.reintegração. (Execução suspensa pela RSF nº 46. de 10. por igual período. II.com.pontodosconcursos. Portanto.br . IV. de acordo com as normas e os procedimentos estabelecidos em lei. 12. 37. III. correto. A promoção consiste em forma de provimento de cargo público.readaptação. VI . de acordo com as normas e os procedimentos desta Lei.transferência. O concurso público terá validade de até três anos.527. CF/88 . item III. errado.527. De acordo com a Lei nº 8112/90. VII . técnicos e cientistas estrangeiros. PATRÍCIA CARLA I. § 3o As universidades e instituições de pesquisa científica e tecnológica federais poderão prover seus cargos com professores. correto. 8o São formas de provimento de cargo público: I .reversão.97) V . ainda que houver candidato aprovado em concurso anterior com prazo de validade não expirado.recondução. técnicos e cientistas estrangeiros. III . 169 www.

Art. b) recondução e recondução. CF/88 .durante o prazo improrrogável previsto no edital de convocação. o item IV está errado.br . e) readaptação e reintegração. servidora pública estável. desde que os novos concursados só sejam nomeados depois dos aprovados no concurso anterior. que será publicado no Diário Oficial da União e em jornal diário de grande circulação. o retorno de tais servidores denomina-se. retornará ao cargo anteriormente ocupado. na carreira Assim. aquele aprovado em concurso público de provas ou de provas e títulos será convocado com prioridade sobre novos concursados para assumir cargo ou emprego. c) reversão e recondução. vejamos: Art. retornará ao cargo anteriormente ocupado tendo em vista sua inabilitação em estágio probatório relativo a outro cargo. Gabarito: B Comentários: Maria. Recondução é o retorno do servidor estável ao cargo anteriormente ocupado e decorrerá de: 170 www. Diante do acima exposto. respectivamente.112/1990. IV. retornará ao cargo anteriormente ocupado tendo em vista sua inabilitação em estágio probatório relativo a outro cargo. é bom lembrar que a Carta Magna autoriza que um novo concurso público seja aberto mesmo que o anterior ainda não tenha expirado o prazo.pontodosconcursos. é possível a abertura de novo certame. em razão de reintegração do anterior ocupante. § 2o Não se abrirá novo concurso enquanto houver candidato aprovado em concurso anterior com prazo de validade não expirado. 15 – (FCC/TRT-23/Analista/2011) Maria. correta a letra A. Obs. José. No entanto.DIREITO ADMINISTRATIVO EM TEORIA E EXERCÍCIOS – STN – PROFA. a) recondução e aproveitamento. PATRÍCIA CARLA § 1o O prazo de validade do concurso e as condições de sua realização serão fixados em edital. também servidor público estável. assim. A questão tem como base o estatuto federal. servidora pública estável. 29. 37. d) reintegração e recondução. de acordo com a CF/88. Nos termos da Lei no 8.com.

ausentar-se do serviço autorização do chefe imediato.reintegração do anterior ocupante. José. pelo prazo de 10 anos. A demissão ou a destituição de cargo em comissão. Ao servidor é proibido: I .. 117.com. servidora pública civil federal efetiva..DIREITO ADMINISTRATIVO EM TEORIA E EXERCÍCIOS – STN – PROFA. retornará ao cargo anteriormente ocupado. 137. Neste caso. incompatibiliza o ex-servidor para nova investidura em cargo público federal. 29.pontodosconcursos. correta a letra B. e) incompatibiliza-a para nova investidura em cargo público federal. pelo prazo de 5 (cinco) anos. pelo prazo de 6 anos. a demissão a) incompatibiliza-a para nova investidura em cargo público federal. d) incompatibiliza-a para nova investidura em cargo público federal. também servidor público estável. Recondução é o retorno do servidor estável ao cargo anteriormente ocupado e decorrerá de: (. sem prévia II . qualquer documento ou objeto da repartição. pelo prazo de 5 anos. c) incompatibiliza-a para nova investidura em cargo público federal. b) gera a penalidade para Crisela de proibição de retornar ao serviço público federal. sem prévia anuência da autoridade competente.inabilitação em estágio probatório relativo a outro cargo. por infringência do art. Gabarito: D Comentários: Art. em razão de reintegração do anterior ocupante. durante o expediente. Art.) II . Art.br . 16 – (FCC/TRE-AP/Analista/2011) Crisela. 171 www.retirar. valeu-se de seu cargo para lograr proveito pessoal em detrimento da dignidade da função pública. 117. incisos IX e XI. pelo prazo de 8 anos. PATRÍCIA CARLA I . Assim.

exercer quaisquer atividades que sejam incompatíveis com o exercício do cargo ou função e com o horário de trabalho.manter sob sua chefia imediata. fora dos casos previstos em lei. VI . cotista ou comanditário. em razão de suas atribuições. XIII .recusar-se a atualizar seus dados cadastrais quando solicitado. VII . XIV . XII . XVII . ou a partido político. XVIII . o desempenho de atribuição que seja de sua responsabilidade ou de seu subordinado.br .promover manifestação de apreço ou desapreço no recinto da repartição.cometer a outro servidor atribuições estranhas ao cargo que ocupa. XVI . presente ou vantagem de qualquer espécie. como procurador ou intermediário.proceder de forma desidiosa. em detrimento da dignidade da função pública. cônjuge.recusar fé a documentos públicos. IV . 172 www. salvo quando se tratar de benefícios previdenciários ou assistenciais de parentes até o segundo grau.pontodosconcursos. XIX .DIREITO ADMINISTRATIVO EM TEORIA E EXERCÍCIOS – STN – PROFA. personificada ou não personificada. IX .receber propina. exercer o comércio. comissão. em cargo ou função de confiança.praticar usura sob qualquer de suas formas. companheiro ou parente até o segundo grau civil. XV .aceitar comissão.opor resistência injustificada ao andamento de documento e processo ou execução de serviço. VIII .utilizar pessoal ou recursos materiais da repartição em serviços ou atividades particulares.valer-se do cargo para lograr proveito pessoal ou de outrem. PATRÍCIA CARLA III .participar de gerência ou administração de sociedade privada. XI . junto a repartições públicas.com. V . e de cônjuge ou companheiro.coagir ou aliciar subordinados no sentido de filiarem-se a associação profissional ou sindical. exceto em situações de emergência e transitórias. exceto na qualidade de acionista. X . emprego ou pensão de estado estrangeiro.atuar.cometer a pessoa estranha à repartição.

na forma do art.com.112/90 estabelece que prescreverá em cinco e dois anos a ação disciplinar quanto às penalidades. participação no capital social ou em sociedade cooperativa constituída para prestar serviços a seus membros. 91 desta Lei. observada a legislação sobre conflito de interesses.DIREITO ADMINISTRATIVO EM TEORIA E EXERCÍCIOS – STN – PROFA. PATRÍCIA CARLA Parágrafo único. A vedação de que trata o inciso X do caput deste artigo não se aplica nos seguintes casos: I . Assim. 17 – (FCC/TRE-AP/Analista/2011) A Lei no 8. respectivamente.gozo de licença para o trato de interesses particulares. de a) demissão e cassação de aposentadoria. c) suspensão e advertência. d) suspensão e cassação de aposentadoria. Gabarito: B Comentários: 173 www. e) demissão e destituição de cargo em comissão. correta a letra D.br .participação nos conselhos de administração e fiscal de empresas ou entidades em que a União detenha. direta ou indiretamente. e II .pontodosconcursos. b) cassação de aposentadoria e suspensão.

De acordo com a Lei no 8. está correto o que se afirma SOMENTE em 174 www. art. IV. para cargos de confiança vagos. em regra. 142) Penas: Prazos: Demissão.112/90. A posse.pontodosconcursos. a suspensão.com. ocorrerá no prazo de noventa dias contados da publicação do ato de provimento. podendo ser prorrogado uma única vez. PATRÍCIA CARLA Prescrição (Lei nº 8112/90. a interrupção e o reinício do exercício serão registrados no assentamento individual do servidor. correta a letra B.br . exceto na condição de interino. O concurso público terá validade de até 2 anos. A nomeação far-se-á em comissão. Suspensão 02 anos Advertência 180 dias Pura “decoreba” da lei. II. 18 – (FCC/TRE-AP/Analista/2011) Considere as seguintes assertivas a respeito do provimento de cargo público: I. O início. Cassação de aposentadoria ou disponibilidade e 05 anos Destituição de cargo em comissão. por igual período. III.DIREITO ADMINISTRATIVO EM TEORIA E EXERCÍCIOS – STN – PROFA.

II . CF/88 . e) II e III. ressalvados os atos de ofício previstos em lei. podendo ser prorrogado uma única vez. a interrupção e o reinício do exercício serão registrados no assentamento individual do servidor. art.br . d) I e IV.com. IV. exceto na condição de interino. 16. § 1o A posse ocorrerá no prazo de trinta dias contados da publicação do ato de provimento. a suspensão. 37. inclusive na condição de interino. Lei nº 8112/90. II e III. prorrogável uma vez. II. que não poderão ser alterados unilateralmente.pontodosconcursos.o prazo de validade do concurso público será de até dois anos. em regra. por igual período. a interrupção e o reinício do exercício serão registrados no assentamento individual do servidor. ocorrerá no prazo de noventa dias contados da publicação do ato de provimento. c) II. A posse dar-se-á pela assinatura do respectivo termo. A posse. b) I. O concurso público terá validade de até 2 anos. III. a suspensão. 9o A nomeação far-se-á: I .13. quando se tratar de cargo isolado de provimento efetivo ou de carreira. O início. por qualquer das partes. Lei nº 8112/90. para cargos de confiança vagos. O início. III e IV. III. Art. 175 www.em caráter efetivo.em comissão. A nomeação far-se-á em comissão. Art. para cargos de confiança vagos. art. os deveres. PATRÍCIA CARLA a) II e IV. as responsabilidades e os direitos inerentes ao cargo ocupado.DIREITO ADMINISTRATIVO EM TEORIA E EXERCÍCIOS – STN – PROFA. Gabarito: A Comentários: I. no qual deverão constar as atribuições. por igual período.

25.br . uma junta médica oficial declarou insubsistentes os motivos de sua aposentadoria determinando o retorno de Clotilde à atividade. A primeira é daquele aposentado por invalidez que deixou de ser inválido. b) a readaptação. O servidor do poder executivo poderá ter exercício em outro órgão da Administração Federal direta que não tenha quadro próprio de pessoal. em seu capítulo V. 19 – (FCC/TRE-AP/Analista/2011) Clotilde. c) fim determinado e prazo incerto. desde que preenchidos os seguintes requisitos: a) autorização expressa do Presidente da República. como é de interesse da Administração Pública. I). ficando curado o servidor. 176 www. estando obrigado a entrar em exercício se a Administração assim determinar. até a ocorrência de vaga (art. d) o aproveitamento. está aposentada por invalidez. Neste caso. servidora pública civil federal. trata do afastamento do servidor público federal para servir a outro órgão ou entidade. ocorreu a) transferência. Assim. correta a letra E.112/1990.pontodosconcursos. e) a reversão. fim determinado e prazo certo. Neste caso (que é a mesma de Clotilde). Na última perícia realizada para avaliação das condições de sua saúde. 20 – (FCC/TRT-1/Analista/2011) A Lei no 8. encontrando-se provido o cargo. declarada essa situação por junta médica (art. seção I. não sendo necessária qualquer autorização.DIREITO ADMINISTRATIVO EM TEORIA E EXERCÍCIOS – STN – PROFA. § 3º). o servidor exercerá suas atribuições como excedente. c) a recondução. Então. deverá ele voltar à ativa. b) autorização expressa do Ministro do Planejamento. da mesma forma que no caso da readaptação retromencionado. fim determinado e prazo incerto. Gabarito: E Comentários: REVERSÃO: O aposentado tem duas formas de retorno à ativa por provimento derivado.com. PATRÍCIA CARLA Diante do acima exposto. correta a letra A. 25.

DIREITO ADMINISTRATIVO EM TEORIA E EXERCÍCIOS – STN – PROFA. dos Estados. 93.em casos previstos em leis específicas. ficando o exercício do empregado cedido condicionado a autorização específica do 177 www. optar pela remuneração do cargo efetivo ou pela remuneração do cargo efetivo acrescida de percentual da retribuição do cargo em comissão. de cargo em comissão ou função de II . a entidade cessionária efetuará o reembolso das despesas realizadas pelo órgão ou entidade de origem. nas seguintes hipóteses: I . nos termos das respectivas normas. § 3o A cessão far-se-á mediante Portaria publicada no Diário Oficial da União.Correto. para fim determinado e a prazo certo. § 6º As cessões de empregados de empresa pública ou de sociedade de economia mista. PATRÍCIA CARLA d) autorização expressa do Ministro do Planejamento e prazo incerto.com. e) autorização expressa do Ministro Chefe da Casa Civil e prazo certo. em se tratando de empregado ou servidor por ela requisitado.pontodosconcursos. § 1o Na hipótese do inciso I.para exercício confiança. independem das disposições contidas nos incisos I e II e §§ 1º e 2º deste artigo.br . as disposições dos §§ 1º e 2º deste artigo. o ônus da remuneração será do órgão ou entidade cessionária. a) autorização expressa do Presidente da República. Gabarito: A Comentários: Art. § 4o Mediante autorização expressa do Presidente da República. do Distrito Federal ou dos Municípios. o servidor do Poder Executivo poderá ter exercício em outro órgão da Administração Federal direta que não tenha quadro próprio de pessoal. § 5º Aplica-se à União. § 2º Na hipótese de o servidor cedido a empresa pública ou sociedade de economia mista. não se fazendo necessário que seja para um propósito determinado. sendo a cessão para órgãos ou entidades dos Estados. ou do Distrito Federal e dos Municípios. que receba recursos de Tesouro Nacional para o custeio total ou parcial da sua folha de pagamento de pessoal. fim determinado e prazo certo ---------. mantido o ônus para o cedente nos demais casos. O servidor poderá ser cedido para ter exercício em outro órgão ou entidade dos Poderes da União. apenas.

das autarquias e das fundações públicas federais. Cumpre salientar que tal conduta foi praticada uma única vez. independentemente da observância do constante no inciso I e nos §§ 1º e 2º deste artigo. e.DIREITO ADMINISTRATIVO EM TEORIA E EXERCÍCIOS – STN – PROFA.recusar fé a documentos públicos. poderá determinar a lotação ou o exercício de empregado ou servidor. praticado nova infração disciplinar. IV . Diante do acima exposto.pontodosconcursos. sem prévia II . se João não houver. após o decurso de dois anos de efetivo exercício. III . ficando o servidor obrigado a permanecer em serviço. 21 – (FCC/TRT-1/Analista/2011) João. Ao servidor é proibido: I . Orçamento e Gestão. d) ensejará penalidade disciplinar. durante o expediente. aliciou seus subordinados no sentido de se filiarem a determinado partido político. na base de cinquenta por cento por dia de vencimento ou remuneração.retirar.br . O fato narrado a) está previsto como proibição ao servidor público federal. qualquer documento ou objeto da repartição. com a finalidade de promover a composição da força de trabalho dos órgãos e entidades da Administração Pública Federal. Gabarito: C Comentários: Lei nº 8112/90. Orçamento e Gestão. art.ausentar-se do serviço autorização do chefe imediato. que poderá ser convertida em multa. c) ensejará a aplicação da penalidade de advertência. correta a letra A. 117. nesse período. uma vez praticada. b) não está previsto em lei como uma das proibições dirigidas aos servidores públicos civis da União. exceto nos casos de ocupação de cargo em comissão ou função gratificada. a qual terá seu registro cancelado. sujeita-o à penalidade de demissão.opor resistência injustificada ao andamento de documento e processo ou execução de serviço. servidor público federal.com. § 7° O Ministério do Planejamento. 178 www. e) ensejará a aplicação da penalidade de suspensão. sem prévia anuência da autoridade competente. PATRÍCIA CARLA Ministério do Planejamento.

comissão. exceto na qualidade de acionista. XIII . incisos I a VIII e XIX. em cargo ou função de confiança. 179 www. ou a partido político.exercer quaisquer atividades que sejam incompatíveis com o exercício do cargo ou função e com o horário de trabalho. presente ou vantagem de qualquer espécie. nos casos de violação de proibição constante do art. em razão de suas atribuições. junto a repartições públicas.cometer a pessoa estranha à repartição. exceto em situações de emergência e transitórias. o desempenho de atribuição que seja de sua responsabilidade ou de seu subordinado. cotista ou comanditário. emprego ou pensão de estado estrangeiro.participar de gerência ou administração de sociedade privada. que não justifique imposição de penalidade mais grave. VIII . XI . e de inobservância de dever funcional previsto em lei. exercer o comércio. como procurador ou intermediário. XII . companheiro ou parente até o segundo grau civil.proceder de forma desidiosa.aceitar comissão.recusar-se a atualizar seus dados cadastrais quando solicitado.br .cometer a outro servidor atribuições estranhas ao cargo que ocupa. XVI .manter sob sua chefia imediata. XVII .promover manifestação de apreço ou desapreço no recinto da repartição. XIV .coagir ou aliciar subordinados no sentido de filiarem-se a associação profissional ou sindical.DIREITO ADMINISTRATIVO EM TEORIA E EXERCÍCIOS – STN – PROFA. A advertência será aplicada por escrito.valer-se do cargo para lograr proveito pessoal ou de outrem. IX . cônjuge. 117. XVIII . em detrimento da dignidade da função pública. VI . X . salvo quando se tratar de benefícios previdenciários ou assistenciais de parentes até o segundo grau. 129.utilizar pessoal ou recursos materiais da repartição em serviços ou atividades particulares. XIX . e de cônjuge ou companheiro. fora dos casos previstos em lei. XV .pontodosconcursos.receber propina. regulamentação ou norma interna.atuar. Art. VII .praticar usura sob qualquer de suas formas.com. personificada ou não personificada. PATRÍCIA CARLA V .

§ 3o À autoridade competente do órgão ou entidade para onde for nomeado ou designado o servidor compete dar-lhe exercício. Correta a letra A. ao entrar em exercício. 15. 18. contados do primeiro dia útil posterior à data da posse. que não poderá exceder a trinta dias da publicação. contados do primeiro dia útil posterior à data da posse. hipótese em que recairá no primeiro dia útil após o término do impedimento. se não entrar em exercício nos prazos previstos neste artigo. § 1o É de quinze dias o prazo para o servidor empossado em cargo público entrar em exercício.com. § 2o O servidor será exonerado do cargo ou será tornado sem efeito o ato de sua designação para função de confiança. observado o disposto no art. contados da data da posse. 23 – (FCC/TRE-AP/Técnico/2011) Segundo a Lei nº 8. Deocleciano a) terá o prazo de quinze dias para entrar em exercício. De acordo com a Lei nº 8. Gabarito: A Comentários: Art. Exercício é o efetivo desempenho das atribuições do cargo público ou da função de confiança. e) terá o prazo de dez dias prorrogáveis por mais dez.DIREITO ADMINISTRATIVO EM TEORIA E EXERCÍCIOS – STN – PROFA. a letra C. contados da data da posse. o servidor nomeado para cargo de provimento efetivo 180 www. portanto. b) terá o prazo de trinta dias para entrar em exercício.112/90. § 4o O início do exercício de função de confiança coincidirá com a data de publicação do ato de designação. 22 – (FCC/TRE-AP/Técnico/2011) Deocleciano foi empossado como servidor efetivo do cargo público “X”. contados da data da posse.pontodosconcursos. d) terá o prazo de dez dias para entrar em exercício. tendo em vista que a posse e o exercício são atos que devem ser realizados obrigatoriamente concomitantemente. salvo quando o servidor estiver em licença ou afastado por qualquer outro motivo legal. c) entrará em exercício imediatamente.br . PATRÍCIA CARLA Correta.112/90.

cargo. d) ficará sujeito a estágio probatório por período de 30 meses. prerrogativas e privilégios próprios. PATRÍCIA CARLA a) não ficará sujeito a estágio probatório tendo em vista que o estágio probatório só é necessário para o exercício de cargo em comissão. 181 www. designação.com. como Presidente da República. Apesar da natureza jurídica diversa – estágio probatório e estabilidade – tiveram os seus prazo equiparados pela jurisprudência pátria. Gabarito: Anulada Comentários: A Banca anulou a questão porque de acordo com a jurisprudência o prazo do estágio probatório é de 36 meses. b) ficará sujeito a estágio probatório por período de 24 meses. com características. Vamos aproveitar pra revisar o assunto? Agentes Públicos Conceito É todo aquele que exerce algum tipo de serviço para o Estado. c) ficará sujeito a estágio probatório por período único de 12 meses.pontodosconcursos. Apesar da Banca ter asseverado “segundo a Lei nº 8112/90” (24 meses). mandato.DIREITO ADMINISTRATIVO EM TEORIA E EXERCÍCIOS – STN – PROFA. nomeação. continuou com o prazo de 24 meses. Acredito que a FCC não irá mais cair nessa. 41. Agentes políticos: São os que compõem os altos escalões do Governo. da Constituição foi alterado pela EC 19/98 para 3 anos. No entanto. por eleição. e) ficará sujeito a estágio probatório por período de 36 meses.br . Sabemos que o prazo da estabilidade previsto no art. Prefeito. contratação ou qualquer outra forma de investidura ou vínculo. será para o prazo de 36 meses. e se perguntar. Vereador e Magistrado. Senador. preferiu anular a questão devido a grande quantidade de recursos apresentados pelos candidatos. emprego ou função. ainda que transitoriamente ou sem remuneração. a Lei nº 8112/90 não sofreu qualquer alteração. Governador. Lembrando que estabilidade se conta em anos (3 anos) e estágio probatório em meses (36 meses). Deputado.

Nessa classificação estão tanto os servidores estatutários. Estadosmembros. ou prestação de serviço público ou. quanto os empregados públicos.DIREITO ADMINISTRATIVO EM TEORIA E EXERCÍCIOS – STN – PROFA. XI. 37. peritos. tradutores. da CF/88. ainda. além dos temporários. concessionários. Servidores públicos em sentido amplo: são todos os que prestam serviços ao Estado. incluindo a Administração Pública Indireta. devem obedecer a Consolidação das Leis do Trabalho (CLT). permissionários e autorizatários. tendo vínculo empregatício e pagos pelos cofres públicos. como acesso mediante concurso público (art. Citem-se os leiloeiros.112/90). 37. IX. PATRÍCIA CARLA Espécies em geral estabelecidos Constituição Federal. nos termos do art. São aqueles contratados. bem como as regras impostas pela CF/88. 37. Servidor estatutário Empregados públicos São os titulares de cargos públicos e estão sujeitos ao regime legal. do regime contratual. CF/88). Distrito Federal e Municípios) que estabelece as regras de relacionamento entre os servidores e a Administração Pública. ou estatutário. pois é lei de cada ente da federação (União. II. CF/88) e acumulação remunerada de cargos e empregos públicos (art.com. sujeitos ao regime legal (Lei nº 8.pontodosconcursos.br . próprio da iniciativa privada. XVI e 182 www. limitações de remuneração (art. seguindo o regime trabalhista. pela Agentes em delegação: São aqueles particulares que recebem do Estado a competência para executar determinada atividade pública. construção de obra pública. São também chamados de agentes administrativos. 37. Assim.

IX. CF/88). disciplinado pela Lei nº 8. Para que o servidor adquirir a sua estabilidade. PATRÍCIA CARLA XVII.DIREITO ADMINISTRATIVO EM TEORIA E EXERCÍCIOS – STN – PROFA. da CF/88. emergenciais. caput). § 2º). enquanto atendidos os requisitos legais. Temporários São aqueles contratados para atividades transitórias. 41. O servidor estável poderá perder o seu cargo em 04 situações (artigos 41 e 169. CF/88): 183 www. Essa classe está prevista.com. art. submetidos a um regime jurídico especial. com o intuito de assegurar sua permanência no cargo. sob pena de inconstitucionalidade. b) 03 anos de efetivo exercício (CF/88. sob pena de b) aprovação na avaliação especial de desempenho efetivada por comissão instituída para essa finalidade (CF/88. na esfera federal. 41. e também tem seus litígios submetidos à Justiça Federal. 37. ele terá que preencher os seguintes requisitos: I – Requisitos Objetivos: a) nomeação para cargo de provimento efetivo em virtude de concurso público. sem a especificação da contingência fática que evidencie tal situação excepcional.br . no art. probatório.745/93. II – Requisitos subjetivos: a) aprovação no estágio exoneração (art. 20. A lei que trate desse tipo de situação não pode estabelecer hipóteses abrangentes e genéricas de contratação temporária. quando contratados por entidade dessa esfera Estabilidade: É uma garantia de ordem constitucional deferida aos ocupantes de cargos públicos de provimento efetivo. como.pontodosconcursos. § 4º). art. como mencionado.

visto que. o servidor adquire estabilidade no serviço público. Para o Min. só o perdendo diante das situações previstas na legislação. por tempo indeterminado. apesar de esses institutos jurídicos (estágio probatório e estabilidade) serem distintos entre si. de 3 anos.pontodosconcursos. d) Para o cumprimento dos limites com a despesa com pessoal ativo e inativo. 41 da CF/1988 (com a redação dada pela EC n. de início. o prazo de estágio probatório dos servidores públicos deve observar a alteração promovida pela EC n. qualidades essas que. presumem-se existentes com a aprovação em concurso público.com. No decorrer desse tempo. ambos estão pragmaticamente ligados. 73/1993 (Lei Orgânica da Advocacia-Geral da União) e em outros estatutos de servidores públicos – ou o prazo de aquisição de estabilidade no serviço público.112/1990 – reproduzido no art. será ele constantemente avaliado. durante o qual a sua aptidão e capacidade serão objeto de avaliação para o desempenho do cargo (art. de fato. conforme disposto no art. a fim de se confirmarem suas qualidades para o bom desempenho da atividade própria do cargo. O servidor deverá ter a sua capacidade avaliada todo tempo e não apenas durante o estágio probatório. PATRÍCIA CARLA a) Em virtude de sentença judicial transitada em julgado. 8. que aumentou para três anos o prazo para aquisição da estabilidade no serviço público. STJ: ESTÁGIO PROBATÓRIO. Em mandado de segurança. se for aprovado. ALTERAÇÃO. 19/1998). 19/1998. Não podemos confundir o conceito de estabilidade com estágio probatório: Estágio probatório: É o período a que se submete todo o servidor nomeado para cargo de provimento efetivo. entre eles a aprovação no estágio. permanecendo no cargo. após um procedimento adequado.DIREITO ADMINISTRATIVO EM TEORIA E EXERCÍCIOS – STN – PROFA. Assim. c) Mediante procedimento de avaliação periódica de desempenho.br . PRAZO. poderá. instituto que será amplamente estudado no tópico seguinte. ainda que seja estável no serviço público. atendidos os requisitos legais. 20 da Lei n. deverá ele comprovar ser merecedor da confiança estatal. 22 da LC n. não faz sentido que o servidor público seja considerado apto para o cargo num estágio probatório 184 www. Observa que a finalidade do estágio é fornecer subsídios para a estabilização ou não do servidor público. b) Mediante processo administrativo em que lhe seja assegurada ampla defesa. perder o cargo. 20). Relator. Assim. discute-se o prazo a ser considerado para inclusão de procurador federal em listas de promoção e progressão na carreira: se o prazo para o estágio probatório de dois anos nos termos do art. Durante o efetivo exercício das atribuições do cargo. não há como dissociá-los. no momento em que ele deixar de atender às expectativas da Administração. Informativo 391. Assim.

Destaca que segundo a doutrina quando a EC n. 29). PATRÍCIA CARLA de dois anos e apenas. No primeiro caso. assim como aos estrangeiros. o servidor público pode avançar na carreira independentemente de se encontrar em estágio probatório. dois caminhos foram previstos (art. De modo que. Os cargos. será reconduzido a ele. V – responsabilidade. 185 www. esse prazo só pode ser de estágio probatório.112/1990). o servidor será aproveitado em outro (art. § 2o): I – se detinha estabilidade no cargo anteriormente ocupado. Em caso de não-aprovação do servidor no estágio probatório. durante o qual a sua aptidão e capacidade serão objeto de avaliação para o desempenho do cargo. IV – produtividade. 37. I.pontodosconcursos. Ademais. após três anos do efetivo exercício vir a ser estabilizado no mesmo cargo. Com esse entendimento. (grifou-se) Hoje. 19/1998 diz que os servidores são estáveis após três anos. a partir do segundo ano. pelo período de trinta e seis meses. I. observados os seguintes fatores (art. na forma da lei (art. No caso dos autos. III – capacidade de iniciativa. da CF/88). o servidor perderia o direito à recondução (art. II – se não se enquadrar na possibilidade anterior. no antigo entendimento. Ressalta que havendo autorização legal. 41 imediatamente aplicável. o servidor nomeado para cargo de provimento efetivo ficará sujeito a estágio probatório. Sendo assim. II – disciplina. que se dá após três anos. empregos e funções públicas são acessíveis aos brasileiros que preencham os requisitos estabelecidos em lei. como o impetrante não concluiu o requisito no lapso temporal do efetivo exercício para conclusão do período do estado probatório. no momento da elaboração das listas. 8. 29.com. haveria também a circunstância de que. 20. Aponta ser também essa a opinião do STF. o estágio probatório é o período compreendido entre o início do exercício do cargo e a aquisição de estabilidade no serviço público. esse é o entendimento a ser usado em provas de concursos!!! Ao entrar em exercício.br . há a Portaria n. a Seção mudou seu posicionamento quanto ao estágio probatório e denegou o MS. será exonerado. não pode figurar nas listas de promoção e progressão funcional.DIREITO ADMINISTRATIVO EM TEORIA E EXERCÍCIOS – STN – PROFA. 20): I – assiduidade. que considerou ser a nova ordem constitucional do citado art. encontrando-se provido o cargo de origem. 468/2005 da Procuradoria-Geral Federal que restringiu a elaboração e edição de listas de promoção e progressão aos procuradores federais que houvessem findado o estágio probatório entre 1º de julho de 2000 a 30 de junho de 2002. da Lei n.

o que a lei não limitou. podendo a lei exigir outros. V . Requisitos básicos para investidura em cargo público: I . PATRÍCIA CARLA Cargo: Lei nº 8112/90. A exigência de habilitação para o exercício do cargo objeto do certame darse-á no ato da posse e não da inscrição do concurso (STF. Parágrafo único.com. É o caso dos assessores ou diretores. são criados por lei.o nível de escolaridade exigido para o exercício do cargo. de acordo com as atribuições do cargo. III . II .a quitação com as obrigações militares e eleitorais. chefia ou assessoria.a nacionalidade brasileira. o que não desvirtua essa característica do cargo. para provimento em caráter efetivo ou em comissão. 186 www. IV .DIREITO ADMINISTRATIVO EM TEORIA E EXERCÍCIOS – STN – PROFA.976/MG. a lei pode estabelecer certas regras. Os cargos públicos. para os Diretores de Secretaria na Justiça Federal. 3o Cargo público é o conjunto de atribuições e responsabilidades previstas na estrutura organizacional que devem ser cometidas a um servidor. Essa característica é dada pela lei que cria o cargo. Os cargos em comissão são os de livre nomeação e exoneração. 87. Assim. VI . A relação dos requisitos é meramente exemplificativa. A lei também indica a autoridade competente para fazer a nomeação. pode determinar idade mínima de vinte e um anos. exigir diploma de bacharel em Direito.aptidão física e mental. proibir nomeações de determinados parentes etc. no Edital do Concurso.a idade mínima de dezoito anos. Súmula 686. onde é fundamental o envolvimento entre estes e a autoridade que os nomeia. não necessitam de concurso público e não oferecem qualquer garantia de permanência ao seu titular. posto que transitórios. como no citado caso dos Ministros de Estado (art. CF/88).o gozo dos direitos políticos. art. Incabível restringir.br . Apesar de ser livre a nomeação. RE 392. nos casos em que é necessário um liame de confiança entre determinada autoridade e o titular de cargo de direção. com denominação própria e vencimento pago pelos cofres públicos. DJ 08/10/2004). acessíveis a todos os brasileiros.pontodosconcursos. do STF: Só por lei se pode sujeitar a exame psicotécnico a habilitação de candidato a cargo público.

II . Emprego: Emprego público é um conjunto de atribuições. dentre outra hipótese. Petrobras). servidor do INSS. Função: Já a função refere-se a uma atribuição específica. que a exoneração é ad nutum.com. Banco do Brasil. 24 – (FCC/TRE-AP/Técnico/2011) A Recondução que é o retorno do servidor estável ao cargo anteriormente ocupado decorrerá. condições e percentuais mínimos previstos em lei.pontodosconcursos. TRE). É o acréscimo de algumas atribuições àquelas já destinadas ao agente.reintegração do anterior ocupante. o estatutário (regido por um estatuto que no âmbito federal é a Lei nº 8112/90) será titular de um cargo (ex. b) disponibilidade do anterior ocupante. direção ou assessoramento. Assim. V. e os cargos em comissão. Art. exige-se que. destinam-se apenas às atribuições de direção. no que concerne à chefia. Recondução é o retorno do servidor estável ao cargo anteriormente ocupado e decorrerá de: I . 187 www. pelo poder Público. Assim. da CF/88: As funções de confiança.DIREITO ADMINISTRATIVO EM TEORIA E EXERCÍCIOS – STN – PROFA. de a) transferência do anterior ocupante. já o empregado (regido pela CLT) será titular de um emprego (ex. por isso. chefia e assessoramento. mas que se diferencia do cargo pelo vínculo que une seus titulares ao Estado. sendo ato puramente discricionário da autoridade competente para nomear. 37. c) aproveitamento do anterior ocupante.inabilitação em estágio probatório relativo a outro cargo. d) reintegração do anterior ocupante. PATRÍCIA CARLA A exoneração não precisa ser motivada. para exercê-la. a serem preenchidos por servidores de carreira nos casos. diz-se. 29. Gabarito: D Comentários: Art. exercidas exclusivamente por servidores ocupantes de cargo efetivo. e) readaptação do anterior ocupante. já seja concursado. empregado dos Correios.br . a um agente.

Assim.promoção.posse em outro cargo inacumulável. o servidor será aproveitado em outro. a vacância do cargo público decorrerá de a) falecimento.ascensão.97) V .pontodosconcursos. observado o disposto no art.demissão.exoneração. Encontrando-se provido o cargo de origem. 25 – (FCC/TRE-AP/Técnico/2011) A Lei nº 8. b) exoneração. A vacância do cargo público decorrerá de: I . VIII . c) promoção. 30. vejamos: Art. IX . de 10.aposentadoria. de 10. readaptação e falecimento. PATRÍCIA CARLA Parágrafo único. promoção e exoneração. 33 do estatuto. e) nomeação. correta a letra C.97) VI . e pode decorrer dos casos previstos no art.12.falecimento. dentre outras hipóteses. ou seja. II .transferência (Revogado pela Lei nº 9.527. (Revogado pela Lei nº 9. Gabarito: C Comentários: A vacância é a situação do cargo público que está vago. correta a letra D.112/90 estabelece que. exoneração e aproveitamento.readaptação. III . Assim.br .DIREITO ADMINISTRATIVO EM TEORIA E EXERCÍCIOS – STN – PROFA.12. 188 www. VII .527. IV . readaptação e aposentadoria. sem titular. d) aproveitamento. demissão e nomeação.com. 33.

incontinência pública e conduta escandalosa.corrupção.transgressão dos incisos IX a XVI do art. IV . na repartição.pontodosconcursos. respectivamente. no máximo. demissão e advertência escrita.crime contra a administração pública. VIII . V . III . respectivamente. advertência escrita e demissão. II . XII . 30 dias. VII . a servidor ou a particular. 189 www.aplicação irregular de dinheiros públicos. XIII .abandono de cargo. b) advertência escrita. A demissão será aplicada nos seguintes casos: I . acumulação ilegal de funções públicas e proceder de forma desidiosa será aplicada a pena de a) demissão. d) demissão.improbidade administrativa. IX . Gabarito: E Comentários: Art.DIREITO ADMINISTRATIVO EM TEORIA E EXERCÍCIOS – STN – PROFA.insubordinação grave em serviço. PATRÍCIA CARLA 26 – (FCC/TRE-AP/Técnico/2011) De acordo com a Lei nº 8.inassiduidade habitual. salvo em legítima defesa própria ou de outrem. X .com. para as condutas de abandono de cargo. c) suspensão de.lesão aos cofres públicos e dilapidação do patrimônio nacional. empregos ou funções públicas.112/90. XI . e) demissão.ofensa física.br . VI .acumulação ilegal de cargos.revelação de segredo do qual se apropriou em razão do cargo. 132. em serviço. 117.

qualquer documento ou objeto da repartição. em razão de suas atribuições.br . fora dos casos previstos em lei.ausentar-se do serviço autorização do chefe imediato. PATRÍCIA CARLA Art. sem prévia anuência da autoridade competente. 190 www. Gabarito: C Comentários: Art. V . em cargo ou função de confiança.112/90. terá a penalidade de advertência escrita aplicada se a) praticar usura sob qualquer de suas formas.promover manifestação de apreço ou desapreço no recinto da repartição.opor resistência injustificada ao andamento de documento e processo ou execução de serviço. cônjuge. companheiro ou parente até o segundo grau civil. 27 – (FCC/TRE-AP/Analista/2011) De acordo com a Lei no 8. sem prévia II . e) proceder de forma desidiosa. Ao servidor é proibido: I . VI . d) receber propina. c) manter sob sua chefia imediata. em regra. que nunca praticou qualquer infração administrativa. 117. durante o expediente. 117.retirar. b) utilizar pessoal ou recursos materiais da repartição em serviços ou atividades particulares.pontodosconcursos. III . correta a letra E.recusar fé a documentos públicos. IV .com. presente ou vantagem de qualquer espécie. Ao servidor é proibido: XV . comissão.DIREITO ADMINISTRATIVO EM TEORIA E EXERCÍCIOS – STN – PROFA. João. o desempenho de atribuição que seja de sua responsabilidade ou de seu subordinado.Proceder de forma desidiosa Assim.cometer a pessoa estranha à repartição. servidor público civil efetivo.

XIII .com. XIV . XVI . exercer o comércio. presente ou vantagem de qualquer espécie.exercer quaisquer atividades que sejam incompatíveis com o exercício do cargo ou função e com o horário de trabalho. 28 – (FCC/TRE-AP/Analista/2011) Lupércio é servidor ocupante do cargo em comissão X.coagir ou aliciar subordinados no sentido de filiarem-se a associação profissional ou sindical. em razão de suas atribuições. cotista ou comanditário. XV . e de inobservância de dever funcional previsto em lei.participar de gerência ou administração de sociedade privada.valer-se do cargo para lograr proveito pessoal ou de outrem. VIII . como procurador ou intermediário. incisos I a VIII e XIX. exceto em situações de emergência e transitórias. IX .DIREITO ADMINISTRATIVO EM TEORIA E EXERCÍCIOS – STN – PROFA. que não justifique imposição de penalidade mais grave.recusar-se a atualizar seus dados cadastrais quando solicitado. nos casos de violação de proibição constante do art. XVII . ou a partido político. XI .praticar usura sob qualquer de suas formas.br .pontodosconcursos. emprego ou pensão de estado estrangeiro. companheiro ou parente até o segundo grau civil. XVIII . XII . em cargo ou função de confiança. salvo quando se tratar de benefícios previdenciários ou assistenciais de parentes até o segundo grau. PATRÍCIA CARLA VII . Art. X . exceto na qualidade de acionista. regulamentação ou norma interna. e de cônjuge ou companheiro.manter sob sua chefia imediata. personificada ou não personificada.proceder de forma desidiosa.aceitar comissão. 117.atuar. em outro cargo de confiança. A advertência será aplicada por escrito. A autoridade administrativa competente pretende nomeá-lo para ter exercício interinamente. comissão.utilizar pessoal ou recursos materiais da repartição em serviços ou atividades particulares. 129. o 191 www. XIX .receber propina. junto a repartições públicas. Assim. cônjuge. em detrimento da dignidade da função pública. correta a letra E.cometer a outro servidor atribuições estranhas ao cargo que ocupa.

9o A nomeação far-se-á: I . independentemente de qualquer autorização. b) é possível.112/90. sem prejuízo das atribuições do que atualmente ocupa. inclusive na condição de interino. Está hipótese é a) vedada pela Lei nº 8. b) permitida pela Lei nº 8. sem prejuízo das atribuições do que atualmente ocupa. PATRÍCIA CARLA cargo Y.112/90. Correta a letra B. c) permitida pela Lei nº 8. em outro cargo de confiança. 29 – (FCC/TRT-1/Técnico/2011) No que concerne ao afastamento do servidor público para estudo ou missão no exterior. previsto na Lei no 8. O servidor ocupante de cargo em comissão ou de natureza especial poderá ser nomeado para ter exercício.DIREITO ADMINISTRATIVO EM TEORIA E EXERCÍCIOS – STN – PROFA. interinamente. hipótese em que deverá optar pela remuneração de um deles durante o período da interinidade. para cargos de confiança vagos.br . Gabarito: B Comentários: Art. mas Lupércio receberá 50% da remuneração do cargo X e 50% da remuneração do cargo Y.112/90.com.112/1990: a) não excederá o prazo de quatro anos. mas Lupércio receberá obrigatoriamente a remuneração do cargo X d) permitida pela Lei nº 8.pontodosconcursos. 192 www.em comissão.em caráter efetivo. mas Lupércio deverá optar pela remuneração de um dos cargos durante o período da interinidade. c) aplica-se aos servidores de carreira diplomática. mas Lupércio receberá obrigatoriamente a remuneração do cargo Y.112/90. exatamente pelo fato de Lupércio ser servidor ocupante de cargo em comissão. II . Parágrafo único. e) permitida pela Lei nº 8.112/90. quando se tratar de cargo isolado de provimento efetivo ou de carreira.

PATRÍCIA CARLA d) o afastamento do servidor para servir em organismo internacional de que o Brasil participe ou com o qual coopere dar-se-á com perda parcial da remuneração. condições e formas para a autorização de que trata este artigo. 95. 30 – (FCC/TRT-1/Técnico/2011) João. não sendo necessário qualquer lapso temporal para nova ausência com a mesma finalidade. serão disciplinadas em regulamento. servidor público federal. O servidor não poderá ausentar-se do País para estudo ou missão oficial. 96. § 3o O disposto neste artigo não se aplica aos servidores da carreira diplomática. Gabarito: A Comentários: Art. ressalvada a hipótese de ressarcimento da despesa havida com seu afastamento.br . Portanto. § 1o A ausência não excederá a 4 (quatro) anos. § 2o Ao servidor beneficiado pelo disposto neste artigo não será concedida exoneração ou licença para tratar de interesse particular antes de decorrido período igual ao do afastamento. será permitida nova ausência. 193 www.pontodosconcursos. § 4o As hipóteses. passível de revogação do ato administrativo de punição.com. somente decorrido igual período. sofreu punição sumária sem que se tenha instaurado o necessário processo administrativo disciplinar com a garantia da ampla defesa e do contraditório a) representa irregularidade. e finda a missão ou estudo.DIREITO ADMINISTRATIVO EM TEORIA E EXERCÍCIOS – STN – PROFA. ligado ao mérito do processo administrativo. inclusive no que se refere à remuneração do servidor. será permitido novo afastamento imediatamente. Art. c) constitui exemplo de ato administrativo com vício de forma. Presidente dos Órgãos do Poder Legislativo e Presidente do Supremo Tribunal Federal. e) finda a missão ou estudo. O afastamento de servidor para servir em organismo internacional de que o Brasil participe ou com o qual coopere dar-se-á com perda total da remuneração. correta a letra A. b) apresenta vício substancial. sem autorização do Presidente da República.

José e Maria ficam incompatibilizados para nova investidura em cargos públicos federais pelos prazos. junto a repartições públicas. ex-técnico judiciário do TRT. todo o processo deverá ser anulado e o servidor deverá voltar ao seu estado inicial. pelo prazo de 5 (cinco) anos. d) as demissões. 137. De acordo com a Lei no 8. de dez e cinco anos. fora das hipóteses permitidas em lei. dessa vez respeitando o contraditório e a ampla defesa.pontodosconcursos. incisos IX e XI. correta a letra C.DIREITO ADMINISTRATIVO EM TEORIA E EXERCÍCIOS – STN – PROFA. Não é questão de mérito (oportunidade e conveniência) é questão de forma do procedimento. PATRÍCIA CARLA d) apesar de viciada. também ex-técnica judiciária do TRT. Sim. Assim. foi demitido do serviço público por ter praticado corrupção. Nada impede que um novo processo seja instaurado. b) José e Maria jamais poderão retornar ao serviço público federal. como intermediária. por infringência do art. o caso seria anulação. porque há um vício.com. e) Maria não poderá retornar ao serviço público fede-ral e José fica incompatibilizado para nova investidura em cargo público federal. Gabarito: C Comentários: Há uma irregularidade. 194 www. pelo prazo de dois anos. pois esta ocorre por critérios de conveniência e oportunidade. A) José não poderá retornar ao serviço público federal e Maria fica incompatibilizada para nova investidura em cargo público federal pelo prazo de cinco anos. não incompatibilizam José e Maria para nova investidura em cargos públicos federais. e) constitui exemplo de ato administrativo com vício de objeto.112/1990. incompatibiliza o ex-servidor para nova investidura em cargo público federal. A demissão ou a destituição de cargo em comissão. mas não gera a revogação. pelos motivos narrados. Já Maria. podendo retornar ao serviço público imediatamente. 31 – (FCC/TRT-1/Técnico/2011) José. Gabarito: A Comentários: No caso de Maria: Art.br . foi demitida por ter atuado. 117. respectivamente. não acarreta o retorno do servidor ao status quo ante.

incisos I.br .atuar. junto a repartições públicas.ofensa física. Art. VIII .pontodosconcursos. 32 – (FCC/TRT-4/Analista/2011) Antonio.transgressão dos incisos IX a XVI do art. 117. A demissão será aplicada nos seguintes casos: I .acumulação ilegal de cargos. XI .revelação de segredo do qual se apropriou em razão do cargo. 132.aplicação irregular de dinheiros públicos. VIII. 195 www.DIREITO ADMINISTRATIVO EM TEORIA E EXERCÍCIOS – STN – PROFA. V . 117.insubordinação grave em serviço. como procurador ou intermediário. III . empregos ou funções públicas. tendo preenchido as condições legais.inassiduidade habitual. IV . a servidor ou a particular. 117 Assim. IV.crime contra a administração pública. VI . salvo quando se tratar de benefícios previdenciários ou assistenciais de parentes até o segundo grau. IX . VII . e de cônjuge ou companheiro. No caso de José: Parágrafo único.lesão aos cofres públicos e dilapidação do patrimônio nacional. na repartição.incontinência pública e conduta escandalosa. em serviço. 132. XII . XI . analista judiciário de um Tribunal Regional do Trabalho. PATRÍCIA CARLA Art. correta a letra A.corrupção. XIII . salvo em legítima defesa própria ou de outrem. em detrimento da dignidade da função pública. II . IX .com. X . Não poderá retornar ao serviço público federal o servidor que for demitido ou destituído do cargo em comissão por infringência do art.valer-se do cargo para lograr proveito pessoal ou de outrem.abandono de cargo. X e XI Art.improbidade administrativa.

ainda que o servidor mude de cargo ou de Município de exercício do cargo. d) será concedida por prazo de até três anos quando exercer cargo em comissão do Grupo-Direção e Assessoramento Superiores . em qualquer hipótese. Entretanto. mas receberá indenização equivalente a dois meses . 60-B. e) tem valor limitado a vinte e cinco por cento da retribuição do cargo ocupado pelo mencionado servidor. II . de Natureza Especial. cessionário ou promitente cessionário de imóvel no Município aonde for exercer o cargo. 196 www.br .nenhuma outra pessoa que resida com o servidor receba auxíliomoradia.pontodosconcursos. III .com. IV . não poderá ser superior ao auxílio-moradia recebido pelo respectivo Presidente do Tribunal.o cônjuge ou companheiro do servidor não ocupe imóvel funcional. promitente comprador. 4 e 5.DIREITO ADMINISTRATIVO EM TEORIA E EXERCÍCIOS – STN – PROFA.o servidor ou seu cônjuge ou companheiro não seja ou tenha sido proprietário. o auxílio-moradia. vedada qualquer prorrogação. b) tem valor limitado a trinta por cento do valor do cargo em comissão ocupado pelo servidor e.não exista imóvel funcional disponível para uso pelo servidor. deve saber que a referida vantagem a) no caso de falecimento. esse servidor público perderá. nos doze meses que antecederem a sua nomeação. 60-A. de imediato. Conceder-se-á auxílio-moradia ao servidor se atendidos os seguintes requisitos: I . PATRÍCIA CARLA receberá auxílio-moradia.DAS. O auxílio-moradia consiste no ressarcimento das despesas comprovadamente realizadas pelo servidor com aluguel de moradia ou com meio de hospedagem administrado por empresa hoteleira. Art. dentre esses requisitos. incluída a hipótese de lote edificado sem averbação de construção. exoneração ou aquisição de imóvel. c) não será concedida por prazo superior a oito anos dentro de cada período de doze anos. níveis 3. no prazo de um mês após a comprovação da despesa pelo servidor. mas em hipótese especial e temporária pode ser superior ao auxílio-moradia recebido pela Presidência do Tribunal Gabarito: C Comentários: Art.

O valor mensal do auxílio-moradia é limitado a 25% (vinte e cinco por cento) do valor do cargo em comissão. IX . no caso. 4 e 5. 5 e 6. função comissionada ou cargo de Ministro de Estado ocupado. O auxílio-moradia não será concedido por prazo superior a 8 (oito) anos dentro de cada período de 12 (doze) anos. não será considerado o prazo no qual o servidor estava ocupando outro cargo em comissão relacionado no inciso V.DIREITO ADMINISTRATIVO EM TEORIA E EXERCÍCIOS – STN – PROFA. VI . Art. aonde for exercer o cargo em comissão ou função de confiança. os requisitos do caput do art. nos últimos doze meses. b) tem valor limitado a trinta por cento do valor do cargo em comissão ocupado pelo servidor e. níveis 3. c) não será concedida por prazo superior a oito anos dentro de cada período de doze anos. Parágrafo único.o servidor não tenha sido domiciliado ou tenha residido no Município.o Município no qual assuma o cargo em comissão ou função de confiança não se enquadre nas hipóteses do art.o deslocamento tenha ocorrido após 30 de junho de 2006. ainda que o servidor mude de cargo ou de Município de exercício do cargo -----. o parágrafo único do citado art. d) será concedida por prazo de até três anos quando exercer cargo em comissão do Grupo-Direção e Assessoramento Superiores . em relação ao local de residência ou domicílio do servidor. PATRÍCIA CARLA V . § 1o O valor do auxílio-moradia não poderá superar 25% (vinte e cinco por cento) da remuneração de Ministro de Estado. desconsiderando-se prazo inferior a sessenta dias dentro desse período. em qualquer hipótese.DAS. de Ministro de Estado ou equivalentes. 60-D. de Natureza Especial. e VIII .DAS. Art.o servidor tenha se mudado do local de residência para ocupar cargo em comissão ou função de confiança do Grupo-Direção e Assessoramento Superiores . o pagamento somente será retomado se observados.o deslocamento não tenha sido por força de alteração de lotação ou nomeação para cargo efetivo. de Natureza Especial. além do disposto no caput deste artigo. Para fins do inciso VII. 60-B. 197 www. 60-B desta Lei. Transcorrido o prazo de 8 (oito) anos dentro de cada período de 12 (doze) anos. VII .br . 58.pontodosconcursos. 60-C. § 3o.com.Correto! Parágrafo único. vedada qualquer prorrogação. não se aplicando. não poderá ser superior ao auxílio-moradia recebido pelo respectivo Presidente do Tribunal. níveis 4.

No caso de falecimento. 132. vem exercendo atividades incompatíveis com o exercício do cargo e com o respectivo horário de trabalho. o auxílio-moradia. colocação de imóvel funcional à disposição do servidor ou aquisição de imóvel.pontodosconcursos. exoneração.crime contra a administração pública. de imediato. mas em hipótese especial e temporária pode ser superior ao auxílio-moradia recebido pela Presidência do Tribunal § 2o Independentemente do valor do cargo em comissão ou função comissionada.com. esses servidores públicos estarão sujeitos. d) disponibilidade não remunerada e de advertência conversível em multa. podendo esta ser convertida em multa.800. 4ª Região. às penas de a) destituição do cargo e de disponibilidade. enquanto Ana Maria. também analista judiciário. b) demissão e de suspensão. o auxílio-moradia continuará sendo pago por um mês. exoneração ou aquisição de imóvel.abandono de cargo. a) no caso de falecimento. servidor do Tribunal Regional do Trabalho. Gabarito: B Comentários: Alcebíades. e) suspensão não conversível em multa e de destituição do cargo. servidor do Tribunal Regional do Trabalho. c) exoneração de ofício do cargo ou emprego e de demissão. II . vem acumulando. seu cargo de analista judiciário com emprego em sociedade de economia mista federal. Nesses casos. fica garantido a todos os que preencherem os requisitos o ressarcimento até o valor de R$ 1. 60-E.00 (mil e oitocentos reais). PATRÍCIA CARLA e) tem valor limitado a vinte e cinco por cento da retribuição do cargo ocupado pelo mencionado servidor. ilegalmente.br . vem acumulando. respectivamente.DIREITO ADMINISTRATIVO EM TEORIA E EXERCÍCIOS – STN – PROFA. Art. mas receberá indenização equivalente a dois meses. 4ª Região. 198 www. seu cargo de analista judiciário com emprego em sociedade de economia mista federal: Art. 33 – (FCC/TRT-4/Analista/2011) Alcebíades. A demissão será aplicada nos seguintes casos: I . esse servidor público perderá. ilegalmente.

VIII . V . Art. regulamentação ou norma interna.ofensa física. na repartição. também analista judiciário.exercer quaisquer atividades que sejam incompatíveis com o exercício do cargo ou função e com o horário de trabalho. 129. não podendo exceder de 90 (noventa) dias. 199 www.com. VII .revelação de segredo do qual se apropriou em razão do cargo. IX .acumulação ilegal de cargos.. § 1o Será punido com suspensão de até 15 (quinze) dias o servidor que. nos casos de violação de proibição constante do art. 117.incontinência pública e conduta escandalosa.aplicação irregular de dinheiros públicos. cessando os efeitos da penalidade uma vez cumprida a determinação. XII . recusar-se a ser submetido a inspeção médica determinada pela autoridade competente.transgressão dos incisos IX a XVI do art. vem exercendo atividades incompatíveis com o exercício do cargo e com o respectivo horário de trabalho: Art. IV . 130.) XVIII . XI .inassiduidade habitual. 117. Ao servidor é proibido: (. a servidor ou a particular.corrupção. PATRÍCIA CARLA III .DIREITO ADMINISTRATIVO EM TEORIA E EXERCÍCIOS – STN – PROFA. VI .lesão aos cofres públicos e dilapidação do patrimônio nacional. Art.insubordinação grave em serviço. empregos ou funções públicas. em serviço. XIII .improbidade administrativa. A suspensão será aplicada em caso de reincidência das faltas punidas com advertência e de violação das demais proibições que não tipifiquem infração sujeita a penalidade de demissão. salvo em legítima defesa própria ou de outrem.. que não justifique imposição de penalidade mais grave. Ana Maria. X . 117. injustificadamente. A advertência será aplicada por escrito.pontodosconcursos. incisos I a VIII e XIX. e de inobservância de dever funcional previsto em lei.br .

dos Estados.com.br .DIREITO ADMINISTRATIVO EM TEORIA E EXERCÍCIOS – STN – PROFA. a critério da autoridade competente. e) igual ao número de vagas. também servidor público civil ou militar. Para fins do disposto neste artigo. Gabarito: A Comentários: Art. III . correta a letra B. PATRÍCIA CARLA § 2o Quando houver conveniência para o serviço. em conformidade com normas estabelecidas pelo Poder Público em que aqueles estejam designados. 34 – (FCC/TRT-4/Analista/2011) É cabível remoção a pedido. a penalidade de suspensão poderá ser convertida em multa. a pedido ou de ofício. do Distrito Federal e dos Municípios. quando necessário ao atendimento de situações emergenciais do órgão ou entidade. a critério da Administração. II . ficando o servidor obrigado a permanecer em serviço.de ofício. que foi deslocado no interesse da Administração. independentemente do interesse da Administração: a) para acompanhar cônjuge ou companheiro. no âmbito do mesmo quadro. na hipótese em que o número de interessados for a) superior ao número de vagas. Remoção é o deslocamento do servidor. de qualquer dos Poderes da União. em virtude de processo seletivo promovido. b) inferior ao número de vagas.mente do local da respectiva designação.a pedido. na base de 50% (cinqüenta por cento) por dia de vencimento ou remuneração. 36. Parágrafo único. para outra localidade. independentemente da respectiva lotação. no interesse da Administração. d) inferior ao número de vagas. Assim. para outra localidade. 200 www. c) superior ao número de vagas. com ou sem mudança de sede. a critério da autoridade competente. de acordo com normas estabelecidas pelo órgão público independente. entende-se por modalidades de remoção: I .pontodosconcursos. independentemente do interesse da Administração. desde que presente o interesse público.a pedido. de acordo com normas preestabelecidas pelo órgão ou entidade em que aqueles estejam lotados.

d) As faltas justificadas decorrentes de caso fortuito ou de força maior não poderão ser compensadas. Art. condicionada à comprovação por junta médica oficial. acrescido das vantagens pecuniárias permanentes estabelecidas em lei.. nenhum desconto incidirá sobre a remuneração ou provento. Remuneração é o vencimento do cargo efetivo. em qualquer hipótese.pontodosconcursos. cônjuge. em qualquer hipótese. companheiro ou dependente que viva às suas expensas e conste do seu assentamento funcional. ainda que no caso de prestação alimentícia. Gabarito: C Comentários: a) O provento não poderá. e) O vencimento do cargo efetivo. ainda que no caso de prestação alimentícia. de acordo com normas preestabelecidas pelo órgão ou entidade em que aqueles estejam lotados. é redutível na parcela autônoma da representação.. ser objeto de sequestro ou penhora.br . quando acrescido das vantagens de caráter permanente. Correta a letra A. O vencimento. exceto nos casos de prestação de alimentos resultante de decisão judicial.DIREITO ADMINISTRATIVO EM TEORIA E EXERCÍCIOS – STN – PROFA. (. 41. c) em virtude de processo seletivo promovido. c) Salvo por imposição legal ou mandado judicial. é correto afirmar: a) O provento não poderá. Art. b) Nenhum servidor receberá remuneração ou provento inferior a dois salários mínimos.) 201 www. PATRÍCIA CARLA b) por motivo de saúde do servidor. 35 – (FCC/TRE-TO/Técnico/2011) Quanto aos Direitos dos Servidores Públicos Federais. 48. não sendo assim consideradas como efetivo exercício. a remuneração e o provento não serão objeto de arresto. seqüestro ou penhora.com. na hipótese em que o número de interessados for superior ao número de vagas. ser objeto de sequestro ou penhora. b) Nenhum servidor receberá remuneração ou provento inferior a dois salários mínimos.

e) O vencimento do cargo efetivo. ausências justificadas. para órgão ou entidade do Distrito Federal.. 36 – (FCC/TRT-4/Analista/2011) Para os fins da Lei nº 8. até o mês subseqüente ao da ocorrência. b) ou entidade cessionária quando a cessão for para órgãos dos Estados. II . o servidor público federal investido em cargo em comissão de órgão ou entidade diversa da de sua lotação. 45. Parágrafo único.112/90. salvo na hipótese de compensação de horário. sendo assim consideradas como efetivo exercício. Portanto.br . Remuneração é o vencimento do cargo efetivo.. não sendo assim consideradas como efetivo exercício. d) As faltas justificadas decorrentes de caso fortuito ou de força maior não poderão ser compensadas. sem motivo justificado. é irredutível. Salvo por imposição legal. ou mandado judicial.a parcela de remuneração diária. 202 www. acrescido das vantagens pecuniárias permanentes estabelecidas em lei. PATRÍCIA CARLA § 5o Nenhum servidor receberá remuneração inferior ao salário mínimo. As faltas justificadas decorrentes de caso fortuito ou de força maior poderão ser compensadas a critério da chefia imediata. c) Salvo por imposição legal ou mandado judicial. 97. (. é redutível na parcela autônoma da representação. proporcional aos atrasos. nenhum desconto incidirá sobre a remuneração ou provento. e saídas antecipadas. receberá a remuneração do órgão a) cedente. Art. acrescido das vantagens de caráter permanente. 44.) § 3o O vencimento do cargo efetivo.DIREITO ADMINISTRATIVO EM TEORIA E EXERCÍCIOS – STN – PROFA. do Distrito Federal ou dos Municípios. correta a letra C. O servidor perderá: I . a ser estabelecida pela chefia imediata. Art. Art.com. quando a cessão for exclusivamente. 41.pontodosconcursos.a remuneração do dia em que faltar ao serviço. quando acrescido das vantagens de caráter permanente. nenhum desconto incidirá sobre a remuneração ou provento. ressalvadas as concessões de que trata o art.

independem das disposições contidas nos incisos I e II e §§ 1º e 2º deste artigo. que receba recursos de Tesouro Nacional para o custeio total ou parcial da sua folha de pagamento de pessoal. optar pela remuneração do cargo efetivo ou pela remuneração do cargo efetivo acrescida de percentual da retribuição do cargo em comissão. nos termos das respectivas normas. na condição de cessionários. § 6º As cessões de empregados de empresa pública ou de sociedade de economia mista. em se tratando de empregado ou servidor por ela requisitado. d) cedente.para exercício confiança. do Distrito Federal ou dos Municípios.em casos previstos em leis específicas. O servidor poderá ser cedido para ter exercício em outro órgão ou entidade dos Poderes da União. sendo a cessão para órgãos ou entidades dos Estados. exclusivamente. ficando o 203 www. § 1o Na hipótese do inciso I. quando a cessão for por prazo superior a 90 (noventa) dias. de cargo em comissão ou função de II . a entidade cessionária efetuará o reembolso das despesas realizadas pelo órgão ou entidade de origem. desde que essa condição esteja prevista no respectivo ato e a cessão seja exclusivamente para órgão ou entidade do Distrito Federal. o ônus da remuneração será do órgão ou entidade cessionária. § 4o Mediante autorização expressa do Presidente da República. § 2º Na hipótese de o servidor cedido a empresa pública ou sociedade de economia mista. o Distrito Federal e os Municípios. § 3o A cessão far-se-á mediante Portaria publicada no Diário Oficial da União. ou do Distrito Federal e dos Municípios. dos Estados.com. PATRÍCIA CARLA c) cessionário dos Estados. para fim determinado e a prazo certo. 93.DIREITO ADMINISTRATIVO EM TEORIA E EXERCÍCIOS – STN – PROFA. e) cedente. nas seguintes hipóteses: I . as disposições dos §§ 1º e 2º deste artigo.pontodosconcursos. Gabarito: B Comentários: Art.br . o servidor do Poder Executivo poderá ter exercício em outro órgão da Administração Federal direta que não tenha quadro próprio de pessoal. devendo os Estados. ressarcirem os cofres da entidade cedente ao término da cessão. § 5º Aplica-se à União. mantido o ônus para o cedente nos demais casos.

o servidor poderá. exceto nos casos de ocupação de cargo em comissão ou função gratificada. b) I. a partir do quinto dia seguinte ao do registro de sua candidatura perante a Justiça Eleitoral. d) I e III.por motivo de doença em pessoa da família. Gabarito: D Comentários: Art. PATRÍCIA CARLA exercício do empregado cedido condicionado a autorização específica do Ministério do Planejamento. Orçamento e Gestão. Está correto o que se afirma APENAS em a) II e III. após cada quinquênio de efetivo exercício. A licença para atividade política exige que o servidor candidato a cargo eletivo na localidade onde desempenha suas funções e que exerça cargo de direção. por até três meses. II.br . 81.com. Conceder-se-á ao servidor licença: I .112/1990. I. no interesse da Administração. independentemente da observância do constante no inciso I e nos §§ 1º e 2º deste artigo. dele seja afastado. Para os fins da licença para capacitação. com a finalidade de promover a composição da força de trabalho dos órgãos e entidades da Administração Pública Federal. até o quinto dia seguinte ao do pleito. e) I e II. com a respectiva remuneração. § 7° O Ministério do Planejamento.DIREITO ADMINISTRATIVO EM TEORIA E EXERCÍCIOS – STN – PROFA. Orçamento e Gestão. arrecadação ou fiscalização. 37 – (FCC/TRT-23/Analista/2011) Considere as assertivas abaixo sobre as licenças dos servidores públicos civis federais. III. É vedado o exercício de atividade remunerada durante o período da licença por motivo de doença em pessoa da família. afastarse do exercício do cargo efetivo. nos termos da Lei n o 8. 204 www.pontodosconcursos. assessoramento. poderá determinar a lotação ou o exercício de empregado ou servidor. c) II. Assim. para participar de curso de capacitação profissional. chefia. correta a letra B.

por motivo de afastamento do cônjuge ou companheiro. assessoramento. Após cada qüinqüênio de efetivo exercício. 82. chefia. assessoramento.com. no interesse da Administração. Art. § 3o É vedado o exercício de atividade remunerada durante o período da licença prevista no inciso I deste artigo. dele será afastado.para tratar de interesses particulares. I.para capacitação. e a véspera do registro de sua candidatura perante a Justiça Eleitoral. IV .para atividade política. § 2o A partir do registro da candidatura e até o décimo dia seguinte ao da eleição. § 1o O servidor candidato a cargo eletivo na localidade onde desempenha suas funções e que exerça cargo de direção. O servidor terá direito a licença.br . assegurados os vencimentos do cargo efetivo. A licença concedida dentro de 60 (sessenta) dias do término de outra da mesma espécie será considerada como prorrogação.para o serviço militar. arrecadação ou fiscalização. somente pelo período de três meses Art. É vedado o exercício de atividade remunerada durante o período da licença por motivo de doença em pessoa da família.pontodosconcursos. o servidor poderá. 86. como candidato a cargo eletivo. V . II. VI . arrecadação ou fiscalização. PATRÍCIA CARLA II . até o quinto dia seguinte ao do pleito. até o décimo dia seguinte ao do pleito. III . § 1o A licença prevista no inciso I do caput deste artigo bem como cada uma de suas prorrogações serão precedidas de exame por perícia médica oficial.para desempenho de mandato classista. a partir do dia imediato ao do registro de sua candidatura perante a Justiça Eleitoral. dele seja afastado.DIREITO ADMINISTRATIVO EM TEORIA E EXERCÍCIOS – STN – PROFA. Art. afastar-se do exercício do cargo efetivo. com a 205 www. chefia. 204 desta Lei. 87. durante o período que mediar entre a sua escolha em convenção partidária. VII . o servidor fará jus à licença. a partir do quinto dia seguinte ao do registro de sua candidatura perante a Justiça Eleitoral. A licença para atividade política exige que o servidor candidato a cargo eletivo na localidade onde desempenha suas funções e que exerça cargo de direção. sem remuneração. observado o disposto no art.

e no interesse da Administração Pública. prevista na Lei n° 8. até o máximo de dois períodos.pontodosconcursos. com a respectiva remuneração. b) As férias poderão ser parceladas em até três etapas. é correto afirmar que: a) O servidor fará jus a trinta dias de férias. que podem ser acumuladas. desde que assim requeridas pelo servidor.DIREITO ADMINISTRATIVO EM TEORIA E EXERCÍCIOS – STN – PROFA. no interesse da Administração. desde que assim requeridas pelo servidor. ser acumuladas com outro período.com.112/1990. em qualquer hipótese. para participar de curso de capacitação profissional. 206 www. e) A indenização relativa ao período de férias do servidor exonerado será calculada com base na remuneração do mês posterior àquele em que for publicado o ato exoneratório. que não podem. III. Para os fins da licença para capacitação. c) O pagamento da remuneração das férias será efetuado até um dia antes do início do respectivo período. 77. 38 – (FCC/TRT-23/Técnico/2011) Sobre as férias dos servidores públicos civis federais. Portanto. no caso de necessidade do serviço. observando-se os demais preceitos estabelecidos em lei. por até três meses. afastarse do exercício do cargo efetivo. por até três meses. ressalvadas as hipóteses em que haja legislação específica.br . § 1o Para o primeiro período aquisitivo de férias serão exigidos 12 (doze) meses de exercício. após cada quinquênio de efetivo exercício. § 3o As férias poderão ser parceladas em até três etapas. PATRÍCIA CARLA respectiva remuneração. e no interesse da administração pública. correta a letra D. para participar de curso de capacitação profissional. Gabarito: B Comentários: Art. § 2o É vedado levar à conta de férias qualquer falta ao serviço. O servidor fará jus a trinta dias de férias. d) É facultado ao servidor público levar à conta de férias qualquer falta ao serviço. o servidor poderá.

perceberá indenização relativa ao período das férias a que tiver direito e ao incompleto.97) § 3o O servidor exonerado do cargo efetivo. 78. Está correto o que se afirma APENAS em: a) III. o servidor receberá o valor adicional previsto no inciso XVII do art. I. nos termos da Lei n° 8. ficará afastado de ambos os cargos efetivos. quando investido em cargo de provimento em comissão. (Revogado pela Lei nº 9. junto a repartições públicas. A penalidade administrativa de suspensão será aplicada em caso de reincidência das faltas punidas com advertência e de violação das demais proibições que não tipifiquem infração sujeita a penalidade de demissão. ainda que houver compatibilidade de horário e local com o exercício de um deles.527. 207 www.DIREITO ADMINISTRATIVO EM TEORIA E EXERCÍCIOS – STN – PROFA. para tratar de benefícios previdenciários ou assistenciais de cônjuge ou companheiro. III. correta a letra B. § 4o A indenização será calculada com base na remuneração do mês em que for publicado o ato exoneratório. Ao servidor público é permitido atuar. como procurador ou intermediário. O servidor que acumular licitamente dois cargos efetivos. § 5o Em caso de parcelamento. observando-se o disposto no § 1o deste artigo. b) I e III.br . § 1° É facultado ao servidor converter 1/3 (um terço) das férias em abono pecuniário. desde que o requeira com pelo menos 60 (sessenta) dias de antecedência. Assim. § 2° No cálculo do abono pecuniário será considerado o valor do adicional de férias. de 10. II. PATRÍCIA CARLA Art.pontodosconcursos. 39 – (FCC/TRT-23/Técnico/2011) Considere as assertivas abaixo sobre o Regime Disciplinar dos servidores públicos civis federais.com. não podendo exceder sessenta dias. O pagamento da remuneração das férias será efetuado até 2 (dois) dias antes do início do respectivo período. ou fração superior a quatorze dias. na proporção de um doze avos por mês de efetivo exercício.12.112/1990. 7o da Constituição Federal quando da utilização do primeiro período. ou em comissão.

declarada pelas autoridades máximas dos órgãos ou entidades envolvidos. ocupado ou vago. Ao servidor público é permitido atuar. Art. A penalidade administrativa de suspensão será aplicada em caso de reincidência das faltas punidas com advertência e de violação das demais proibições que não tipifiquem infração sujeita a penalidade de demissão. no âmbito do quadro geral de pessoal. salvo quando se tratar de benefícios previdenciários ou assistenciais de parentes até o segundo grau. e) I e II. ficará afastado de ambos os cargos efetivos. 208 www. III. Gabarito: D Comentários: I. não podendo exceder de 90 (noventa) dias. O servidor vinculado ao regime desta Lei. Diante do exposto. A suspensão será aplicada em caso de reincidência das faltas punidas com advertência e de violação das demais proibições que não tipifiquem infração sujeita a penalidade de demissão. para outro órgão ou entidade do mesmo Poder. salvo na hipótese em que houver compatibilidade de horário e local com o exercício de um deles. II.pontodosconcursos. PATRÍCIA CARLA c) II e III. e de cônjuge ou companheiro. ficará afastado de ambos os cargos efetivos.atuar. 40 – (FCC/TRT-4/Técnico/2011) NÃO é considerado preceito para o deslocamento de cargo de provimento efetivo. como procurador ou intermediário. Ao servidor é proibido: XI . junto a repartições públicas. Art. 130. correta a letra D. ainda que houver compatibilidade de horário e local com o exercício de um deles.DIREITO ADMINISTRATIVO EM TEORIA E EXERCÍCIOS – STN – PROFA.br . quando investido em cargo de provimento em comissão. junto a repartições públicas. Art. como procurador ou intermediário. que acumular licitamente dois cargos efetivos. quando investido em cargo de provimento em comissão.com. d) I. 120. 117. O servidor que acumular licitamente dois cargos efetivos. para tratar de benefícios previdenciários ou assistenciais de cônjuge ou companheiro. não podendo exceder sessenta dias.

V . emprego ou comissão da União Federal. escolaridade ou habilitação profissional. ocupado ou vago no âmbito do quadro geral de pessoal.br . observados os seguintes preceitos: I . Redistribuição é o deslocamento de cargo de provimento efetivo. consta a de a) aceitar pensão. era a alternativa a ser marcada pelo candidato. especialidade ou habilitação VI . Gabarito: C Comentários: Art. portanto. 37 como requisito para a redistribuição. c) recusar-se a atualizar os seus dados cadastrais quando solicitado por terceiros.DIREITO ADMINISTRATIVO EM TEORIA E EXERCÍCIOS – STN – PROFA.manutenção da essência das atribuições do cargo. 37. seja na Administração direta ou indireta.equivalência de vencimentos. III . PATRÍCIA CARLA a) o mesmo nível de especialidade. para outro órgão ou entidade do mesmo Poder. nível de escolaridade.com. d) a manutenção da essência das atribuições do cargo. IV .pontodosconcursos. e) a vinculação entre os graus de responsabilidade e complexidade das atividades. c) o interesse do servidor público e a diferença de vencimentos. b) a compatibilidade entre as atribuições do cargo e as finalidades institucionais do órgão. com prévia apreciação do órgão central do SIPEC.interesse da administração.vinculação entre os graus de responsabilidade e complexidade das atividades.compatibilidade entre as atribuições do cargo e as finalidades institucionais do órgão ou entidade. b) utilizar recursos materiais da repartição ou pessoal no serviço público. que não a Administração. A letra C não está elencada no art. II . 41 – (FCC/TRT-4/Técnico/2011) Dentre outras proibições previstas ao servidor público federal.mesmo profissional. 209 www.

Gabarito: D Comentários: a) aceitar pensão. a) o desconto incidente sobre remuneração ou provento restringir-se-á aos casos de imposição legal de natureza administrativa. e) manter sob sua chefia imediata. e) manter sob sua chefia imediata. deverão ser parceladas de ofício. em qualquer hipótese. em cargo ou função de confiança. c) não poderá haver.pontodosconcursos. emprego ou comissão da União Federal.DIREITO ADMINISTRATIVO EM TEORIA E EXERCÍCIOS – STN – PROFA. d) atuar. primos. primos – O correto é: manter sob sua chefia imediata. companheiro ou parente até o segundo grau civil. como procurador.br . c) recusar-se a atualizar os seus dados cadastrais quando solicitado por terceiros. para pagamento até noventa dias. salvo quando se tratar de benefícios assistenciais de parentes até segundo grau. d) não será passível de qualquer atualização os valores recebidos pelo servidor público em cumprimento de tutela antecipada. como procurador. em uma única parcela. é certo que. em função de confiança.com. a consignação em folha de pagamento a favor de terceiros. em qualquer situação. a reposição será feita imediatamente. salvo quando se tratar de benefícios assistenciais de parentes até segundo grau – Correto. em função de confiança. b) utilizar recursos materiais da repartição ou pessoal no serviço público – O correto é: utilizar pessoal ou recursos materiais da repartição em serviços ou atividades particulares. e) todas as reposições e indenizações ao erário. 210 www. que não a Administração – O correto é: recusar-se a atualizar seus dados cadastrais quando solicitado. junto a repartições públicas. b) quando o pagamento indevido houver ocorrido no mês anterior ao do processamento da folha. PATRÍCIA CARLA d) atuar. 42 – (FCC/TRT-4/Técnico/2011) No que diz respeito ao vencimento e à remuneração. cônjuge. seja na Administração direta ou indireta – É possível. junto a repartições públicas. desde que sejam aquelas previstas em lei.

podendo ser parceladas. ou mandado judicial. aposentado ou ao pensionista. para pagamento. ou mandado judicial. serão eles atualizados até a data da reposição.) § 3o Na hipótese de valores recebidos em decorrência de cumprimento a decisão liminar. em qualquer hipótese. As reposições e indenizações ao erário. no prazo máximo de trinta dias. a pedido do interessado. PATRÍCIA CARLA Gabarito: B Comentários: a) o desconto incidente sobre remuneração ou provento restringir-se-á aos casos de imposição legal de natureza administrativa. § 3o Na hipótese de valores recebidos em decorrência de cumprimento a decisão liminar. a consignação em folha de pagamento a favor de terceiros. ao § 2o Quando o pagamento indevido houver ocorrido no mês anterior ao do processamento da folha.DIREITO ADMINISTRATIVO EM TEORIA E EXERCÍCIOS – STN – PROFA.. Salvo por imposição legal. Art. a tutela antecipada ou a sentença que venha a ser revogada ou rescindida.com. provento ou pensão. 46. podendo ser parceladas. Salvo por imposição legal. atualizadas até 30 de junho de 1994. a pedido do interessado. c) não poderá haver. serão previamente comunicadas ao servidor ativo. no prazo máximo de trinta dias. Art. 46. b) quando o pagamento indevido houver ocorrido no mês anterior ao do processamento da folha. nenhum desconto incidirá sobre a remuneração ou provento. atualizadas até 30 de junho de 1994. § 1o O valor de cada parcela não poderá ser inferior correspondente a dez por cento da remuneração. a tutela antecipada ou a sentença 211 www. em uma única parcela. nenhum desconto incidirá sobre a remuneração ou provento.. 45. aposentado ou ao pensionista. (. As reposições e indenizações ao erário. d) não será passível de qualquer atualização os valores recebidos pelo servidor público em cumprimento de tutela antecipada. Art. a reposição será feita imediatamente. 45. em uma única parcela. para pagamento. a reposição será feita imediatamente. Art.br . serão previamente comunicadas ao servidor ativo.pontodosconcursos.

A não quitação do débito no prazo previsto implicará sua inscrição em dívida ativa. a pedido do interessado. As vantagens pecuniárias não serão computadas. a tutela antecipada ou a sentença que venha a ser revogada ou rescindida. em qualquer situação. § 1o O valor de cada parcela não poderá ser inferior correspondente a dez por cento da remuneração. terá o prazo de sessenta dias para quitar o débito. para pagamento. II. para efeito de concessão de quaisquer outros acréscimos pecuniários ulteriores. serão previamente comunicadas ao servidor ativo. para pagamento até noventa dias. A ajuda de custo poderá ser concedida ao servidor que se afastar do cargo. O servidor em débito com o erário. exoneração.112/1990: I. Art.DIREITO ADMINISTRATIVO EM TEORIA E EXERCÍCIOS – STN – PROFA. que for demitido. III.br . atualizadas até 30 de junho de 1994. podendo ser parceladas. a reposição será feita imediatamente. o auxílio-moradia continuará sendo pago por um mês. em uma única parcela. serão eles atualizados até a data da reposição. no prazo máximo de trinta dias. nem acumuladas. Parágrafo único. 47. Está correto o que se afirma APENAS em 212 www. § 3o Na hipótese de valores recebidos em decorrência de cumprimento a decisão liminar. As reposições e indenizações ao erário. em virtude de mandato eletivo. serão eles atualizados até a data da reposição.pontodosconcursos. e) todas as reposições e indenizações ao erário. provento ou pensão. deverão ser parceladas de ofício. ou reassumi-lo. 43 – (FCC/TRT-23/Analista/2011) Considere as seguintes assertivas sobre as vantagens dos servidores públicos civis federais. ao § 2o Quando o pagamento indevido houver ocorrido no mês anterior ao do processamento da folha. aposentado ou ao pensionista. nos termos da Lei no 8. PATRÍCIA CARLA que venha a ser revogada ou rescindida. exonerado ou que tiver sua aposentadoria ou disponibilidade cassada. colocação de imóvel funcional à disposição do servidor ou aquisição de imóvel.com. sob o mesmo título ou idêntico fundamento. 46. No caso de falecimento. Diante do exposto. correta a letra B. Art.

pontodosconcursos. Art. nem acumuladas. ou reassumi-lo. d) I e II. III. exoneração. II. A partir do registro da candidatura e até o décimo dia seguinte ao da eleição. c) III. As vantagens pecuniárias não serão computadas. e) I.DIREITO ADMINISTRATIVO EM TEORIA E EXERCÍCIOS – STN – PROFA. A ajuda de custo poderá ser concedida ao servidor que se afastar do cargo. assegurados os vencimentos do cargo efetivo. Não será concedida ajuda de custo ao servidor que se afastar do cargo. nos termos da Lei nº 8. Art. ou reassumi-lo.br . No caso de falecimento. colocação de imóvel funcional à disposição do servidor ou aquisição de imóvel. II. b) II e III. No caso de falecimento. em virtude de mandato eletivo. o auxílio-moradia continuará sendo pago por um mês. Correta a letra B. Gabarito: B Comentários: I. exoneração. A licença poderá ser concedida ao servidor por motivo de doença do cônjuge ou companheiro por até trinta dias. 60-E. 50. PATRÍCIA CARLA a) I e III. em virtude de mandato eletivo. nem acumuladas. consecutivos ou não. para efeito de concessão de quaisquer outros acréscimos pecuniários ulteriores. somente pelo período de dois meses. As vantagens pecuniárias não serão computadas.112/1990: I. mantida a 213 www. 44 – (FCC/TRT-23/Analista/2011) Considere as seguintes assertivas sobre as licenças dos servidores públicos civis federais. para efeito de concessão de quaisquer outros acréscimos pecuniários ulteriores. Art.com. 55. colocação de imóvel funcional à disposição do servidor ou aquisição de imóvel. o auxílio-moradia continuará sendo pago por um mês. sob o mesmo título ou idêntico fundamento. sob o mesmo título ou idêntico fundamento. o servidor fará jus à licença para atividade política.

Poderá ser concedida licença ao servidor por motivo de doença do cônjuge ou companheiro. mantida a remuneração do servidor. ou dependente que viva a suas expensas e conste do seu assentamento funcional. mediante comprovação por perícia médica oficial. c) I e II. A partir do registro da candidatura e até o décimo dia seguinte ao da eleição.pontodosconcursos. o servidor fará jus à licença. II. consecutivos ou não. III. d) II. 86. desde que não esteja em estágio probatório. assegurados os vencimentos do cargo efetivo.com.DIREITO ADMINISTRATIVO EM TEORIA E EXERCÍCIOS – STN – PROFA. poderá ser concedida a cada período de doze meses nas seguintes condições: (Redação dada pela Lei nº 12. Art. do padrasto ou madrasta e enteado. incluídas as prorrogações. consecutivos ou não. de 2010) 214 www. consecutivos ou não. somente pelo período de três meses. dos filhos. dos pais. licenças para o trato de assuntos particulares pelo prazo de até três anos consecutivos. e) III. sem remuneração. § 2o A partir do registro da candidatura e até o décimo dia seguinte ao da eleição.269. sem remuneração. assegurados os vencimentos do cargo efetivo. A critério da Administração poderão ser concedidas ao servidor ocupante de cargo efetivo.) § 2o A licença de que trata o caput.. e por até sessenta dias. A licença poderá ser concedida ao servidor por motivo de doença do cônjuge ou companheiro por até trinta dias. o servidor fará jus à licença para atividade política. Gabarito: E Comentários: I. Está correto o que se afirma APENAS em a) I e III. Art.. PATRÍCIA CARLA remuneração do servidor. sem remuneração. e por até sessenta dias. b) II e III.br . (. 83. somente pelo período de dois meses.

(Incluído pela Lei nº 12. sem remuneração. licenças para o trato de assuntos particulares pelo prazo de até três anos consecutivos. de 2010) III. desde que não esteja em estágio probatório.269. incluídas as respectivas prorrogações.269. d) demissão.pontodosconcursos. sem remuneração. b) readaptação.269. Art. PATRÍCIA CARLA I . e (Incluído pela Lei nº 12. consecutivos ou não. de 2010) § 4o A soma das licenças remuneradas e das licenças não remuneradas.por até 60 (sessenta) dias.exoneração. concedidas em um mesmo período de 12 (doze) meses.por até 90 (noventa) dias. (Incluído pela Lei nº 12.com.DIREITO ADMINISTRATIVO EM TEORIA E EXERCÍCIOS – STN – PROFA. licenças para o trato de assuntos particulares pelo prazo de até três anos consecutivos. c) posse em outro cargo inacumulável.br . A critério da Administração.269. observado o disposto no § 3o. consecutivos ou não. sem remuneração. não poderá ultrapassar os limites estabelecidos nos incisos I e II do § 2o. desde que não esteja em estágio probatório. 91. e) exoneração. mantida a remuneração do servidor. A critério da Administração poderão ser concedidas ao servidor ocupante de cargo efetivo. 45 – (FCC/TRT-4/Técnico/2011) A vacância do cargo público NÃO decorrerá de a) reintegração. Gabarito: A Comentários: Art. de 2010) § 3o O início do interstício de 12 (doze) meses será contado a partir da data do deferimento da primeira licença concedida. poderão ser concedidas ao servidor ocupante de cargo efetivo. (Incluído pela Lei nº 12. 215 www. Correta a letra E. 33. de 2010) II . A vacância do cargo público decorrerá de: I .

(Revogado pela Lei nº 9.527. de 10. em outro órgão ou entidade.demissão.com. IX .promoção.97) VI . extinção ou criação de órgão ou entidade. Correta a letra A.posse em outro cargo inacumulável. de acordo com a Lei no 8. a pedido. remoção. até seu adequado aproveitamento. de 10. b) a remoção somente admite duas modalidades: a remoção de ofício.DIREITO ADMINISTRATIVO EM TEORIA E EXERCÍCIOS – STN – PROFA. d) remoção é o deslocamento do servidor. c) o servidor que não for redistribuído ou colocado em disponibilidade poderá ser mantido sob responsabilidade do órgão central do SIPEC. a critério da Administração.transferência (Revogado pela Lei nº 9. exceto nos casos de reorganização. em nenhuma hipótese.97) V . e) esta lei não permite. no âmbito do mesmo quadro ou de outro quadro da Administração Pública Federal. é correto afirmar que a) a redistribuição ocorrerá ex officio para ajustamento de lotação e da força de trabalho às necessidades dos serviços. com obrigatória mudança de sede. e ter exercício provisório. III . independentemente do interesse da Administração. Gabarito: C Comentários: 216 www. no interesse da Administração e a remoção a pedido.527.ascensão. para outra localidade. IV .112/90.readaptação.aposentadoria. VII . vez que a remoção sempre depende do interesse da Administração Pública. VIII . 46 – (FCC/TRT-4/Técnico/2011) No que se refere à remoção e à redistribuição.12.falecimento.pontodosconcursos. não é caso de vacância do cargo. PATRÍCIA CARLA II . portanto. A reintegração.br .12.

entende-se por modalidades de remoção: I . III .a pedido. parágrafo único. a critério da Administração. de qualquer dos Poderes da União. Art. b) por motivo de saúde do servidor. no interesse da Administração e a remoção a pedido. extinção ou criação de órgão ou entidade. do Distrito Federal e dos Municípios. extinção ou criação de órgão ou entidade. também servidor público civil ou militar.br . que foi deslocado no interesse da Administração. 37. condicionada à comprovação por junta médica oficial. na hipótese em que o número de interessados for superior ao número de vagas. cônjuge. c) em virtude de processo seletivo promovido. 37. em outro órgão ou entidade. 36. PATRÍCIA CARLA a) a redistribuição ocorrerá ex officio para ajustamento de lotação e da força de trabalho às necessidades dos serviços. c) o servidor que não for redistribuído ou colocado em disponibilidade poderá ser mantido sob responsabilidade do órgão central do SIPEC.com. com obrigatória mudança de sede. 217 www. d) remoção é o deslocamento do servidor. companheiro ou dependente que viva às suas expensas e conste do seu assentamento funcional. e ter exercício provisório. dos Estados. em outro órgão ou entidade. até seu adequado aproveitamento. Para fins do disposto neste artigo.a pedido. independentemente do interesse da Administração: a) para acompanhar cônjuge ou companheiro. a critério da Administração. no interesse da Administração. exceto nos casos de reorganização. no âmbito do mesmo quadro ou de outro quadro da Administração Pública Federal. Art.DIREITO ADMINISTRATIVO EM TEORIA E EXERCÍCIOS – STN – PROFA. § 4o O servidor que não for redistribuído ou colocado em disponibilidade poderá ser mantido sob responsabilidade do órgão central do SIPEC. até seu adequado aproveitamento. b) a remoção somente admite duas modalidades: a remoção de ofício. de acordo com normas preestabelecidas pelo órgão ou entidade em que aqueles estejam lotados. § 1o A redistribuição ocorrerá ex officio para ajustamento de lotação e da força de trabalho às necessidades dos serviços. e ter exercício provisório. II . para outra localidade.de ofício.pontodosconcursos. inclusive nos casos de reorganização. Art.

Para fins do disposto neste artigo. PATRÍCIA CARLA Art. II .DIREITO ADMINISTRATIVO EM TEORIA E EXERCÍCIOS – STN – PROFA. independentemente do interesse da Administração. remoção.com. para outra localidade. no interesse da Administração. 47 – (FCC/TRT-4/Técnico/2011) Analise as seguintes assertivas sobre o direito de petição: I. entende-se por modalidades de remoção: I . Cabe pedido de reconsideração à autoridade que houver expedido o ato ou proferido a primeira decisão. III. é assegurada vista do processo ou documento. a critério da Administração. em nenhuma hipótese. a pedido ou de ofício.a pedido.de ofício. para outra localidade. III . Está correto o que se afirma SOMENTE em a) I. com ou sem mudança de sede. Remoção é o deslocamento do servidor. independentemente do interesse da Administração: (. d) I e III.br .. Gabarito: B Comentários: 218 www. e) esta lei não permite. c) I e II. a pedido. 36.. e) II e III. ao servidor ou a procurador por ele constituído.a pedido. correta a letra C. 36. Art. vez que a remoção sempre depende do interesse da Administração Pública. podendo ser renovado. O direito de requerer prescreve em cinco anos quanto aos atos de demissão e de cassação de aposentadoria ou disponibilidade.) Assim. no âmbito do mesmo quadro. II.pontodosconcursos. b) II. Para o exercício do direito de petição. dentro ou fora da repartição. parágrafo único.

III. nos demais casos. II. na repartição. salvo quando outro prazo for fixado em lei. ao servidor ou a procurador por ele constituído.pontodosconcursos. Art. O direito de requerer prescreve: I . d) manter sob sua chefia imediata. é assegurada vista do processo ou documento. ao servidor ou a procurador por ele constituído. 110.112/90. dentro ou fora da repartição. Parágrafo único. 48 – (FCC/TRT-4/Técnico/2011) Nos termos da Lei no 8. ao servidor público é permitido a) aceitar comissão. 106. Para o exercício do direito de petição. Art. quanto aos atos de demissão e de cassação de aposentadoria ou disponibilidade.em 5 (cinco) anos. podendo ser renovado. II . parente até o segundo grau civil. 113. Cabe pedido de reconsideração à autoridade que houver expedido o ato ou proferido a primeira decisão. Diante do exposto. Para o exercício do direito de petição. 219 www. ou que afetem interesse patrimonial e créditos resultantes das relações de trabalho. PATRÍCIA CARLA I. em cargo ou função de confiança. quando o ato não for publicado. O direito de requerer prescreve em cinco anos quanto aos atos de demissão e de cassação de aposentadoria ou disponibilidade. Cabe pedido de reconsideração à autoridade que houver expedido o ato ou proferido a primeira decisão.em 120 (cento e vinte) dias.com. não podendo ser renovado. c) promover manifestação de apreço ou desapreço no recinto da repartição.br . emprego ou pensão de estado estrangeiro. b) recusar fé a documentos públicos. Art. correta a letra B.DIREITO ADMINISTRATIVO EM TEORIA E EXERCÍCIOS – STN – PROFA. O prazo de prescrição será contado da data da publicação do ato impugnado ou da data da ciência pelo interessado. é assegurada vista do processo ou documento.

qualquer documento ou objeto da repartição. PATRÍCIA CARLA e) cometer a outro servidor atribuições estranhas ao cargo que ocupa. VII .coagir ou aliciar subordinados no sentido de filiarem-se a associação profissional ou sindical.DIREITO ADMINISTRATIVO EM TEORIA E EXERCÍCIOS – STN – PROFA.com.manter sob sua chefia imediata. em cargo ou função de confiança. cotista ou comanditário.promover manifestação de apreço ou desapreço no recinto da repartição. Ao servidor é proibido: I .atuar.opor resistência injustificada ao andamento de documento e processo ou execução de serviço. comissão. sem prévia II .ausentar-se do serviço autorização do chefe imediato. companheiro ou parente até o segundo grau civil.retirar. XII . V . durante o expediente. cônjuge.br . e de cônjuge ou companheiro. o desempenho de atribuição que seja de sua responsabilidade ou de seu subordinado. ou a partido político. de 2008 XI . IV . emprego ou pensão de estado estrangeiro. junto a repartições públicas.cometer a pessoa estranha à repartição. em situações de emergência e transitórias. 117.valer-se do cargo para lograr proveito pessoal ou de outrem. VI . salvo quando se tratar de benefícios previdenciários ou assistenciais de parentes até o segundo grau. 220 www. VIII .participar de gerência ou administração de sociedade privada. em razão de suas atribuições.aceitar comissão. exercer o comércio.pontodosconcursos. personificada ou não personificada. fora dos casos previstos em lei. exceto na qualidade de acionista. III . como procurador ou intermediário. (Redação dada pela Lei nº 11.recusar fé a documentos públicos. presente ou vantagem de qualquer espécie. sem prévia anuência da autoridade competente. IX . Gabarito: E Comentários: Art.receber propina.784. em detrimento da dignidade da função pública. XIII . X .

até 20% (vinte por cento) das Correta a letra A. das vagas oferecidas no concurso. O fato narrado 221 www.pontodosconcursos. Cumpre salientar que tal conduta foi praticada uma única vez. d) quarenta por cento. XVII . servidor público federal.com.praticar usura sob qualquer de suas formas. XV . § 2o Às pessoas portadoras de se inscrever em concurso público atribuições sejam compatíveis com a para tais pessoas serão reservadas vagas oferecidas no concurso.DIREITO ADMINISTRATIVO EM TEORIA E EXERCÍCIOS – STN – PROFA. XVIII . XVI .recusar-se a atualizar seus dados cadastrais quando solicitado. 49 – (FCC/TRT-4/Técnico/2011) Nos termos da Lei no 8. às pessoas portadoras de deficiência é assegurado o direito de se inscrever em concurso público para provimento de cargo cujas atribuições sejam compatíveis com a deficiência de que são portadoras. deficiência é assegurado o direito de para provimento de cargo cujas deficiência de que são portadoras. Gabarito: A Comentários: Art. 5º. Para tais pessoas. aliciou seus subordinados no sentido de se filiarem a determinado partido político. b) trinta por cento.utilizar pessoal ou recursos materiais da repartição em serviços ou atividades particulares. 50 – (FCC/TRT-1/Analista/2011) João. c) trinta e cinco por cento.112/90. XIX . Correta a letra E. PATRÍCIA CARLA XIV .exercer quaisquer atividades que sejam incompatíveis com o exercício do cargo ou função e com o horário de trabalho.br . exceto em situações de emergência e transitórias. e) vinte e cinco por cento.cometer a outro servidor atribuições estranhas ao cargo que ocupa.proceder de forma desidiosa. serão reservadas até a) vinte por cento.

na base de cinquenta por cento por dia de vencimento ou remuneração. somente se podem efetivar após o trânsito em julgado da decisão.. após o decurso de dois anos de efetivo exercício. d) ensejará penalidade disciplinar.deral.(CESPE/MPE-SE/Promotor/2010) Quanto aos aspectos materiais e processuais da Lei n. que não justifique imposição de penalidade mais grave. Art. B) A exemplo do que ocorre com a ação popular.DIREITO ADMINISTRATIVO EM TEORIA E EXERCÍCIOS – STN – PROFA. c) ensejará a aplicação da penalidade de advertência. incisos I a VIII e XIX. se João não houver. Portanto. sujeita-o à penalidade de demissão. A) A perda da função pública e a suspensão dos direitos políticos.429/1992 (Lei de Improbidade Administrativa). ou a partido político. 222 www. assinale a opção correta.) VII . Gabarito: C Comentários: Art.pontodosconcursos. que poderá ser convertida em multa. a qual terá seu registro cancelado. PATRÍCIA CARLA a) está previsto como proibição ao servidor público fe. e) ensejará a aplicação da penalidade de suspensão. das autarquias e das fundações públicas federais.. b) não está previsto em lei como uma das proibições dirigidas aos servidores públicos civis da União. nos casos de violação de proibição constante do art. nesse período. praticado nova infração disciplinar. e. qualquer cidadão é parte legítima para propor a ação de improbidade administrativa. ficando o servidor obrigado a permanecer em serviço. assim como o são o MP e a pessoa jurídica prejudicada pela atuação do gestor.br . 117. Ao servidor é proibido: (.com. A advertência será aplicada por escrito. e de inobservância de dever funcional previsto em lei.º 8. 129. correta a letra C. 117. Lista de questões sobre Improbidade Administrativa 1 . regulamentação ou norma interna.coagir ou aliciar subordinados no sentido de filiarem-se a associação profissional ou sindical. para os que foram condenados por ato de improbidade. uma vez praticada.

na ação de improbidade administrativa. veda-se a condenação do Ministério Público em honorários advocatícios. com possível aplicação da pena de perda do cargo. ao pagamento de multa civil e à proibição de contratar com o poder público pelo prazo de três anos. por eleição. o que traduz hipótese de litisconsórcio passivo necessário. aplicáveis apenas aos agentes públicos. mas apenas pedido de anulação de atos danosos ao erário e de ressarcimento de danos. ajuizada contra governador do estado. Ainda assim. para fins de aplicação das sanções cominadas na lei. assinale a opção correta.br . para a sua caracterização. emprego ou função pública. há. mandato eletivo. 2 . D) Por simetria com o que ocorre em relação aos crimes comuns.com. a jurisprudência dominante no STJ considera indispensável. perda dos bens ou valores acrescidos ilicitamente ao patrimônio. multa civil e proibição de contratar com o poder público ou receber benefícios ou incentivos fiscais ou creditícios. à suspensão dos direitos políticos de três a cinco anos. B) Na ação de improbidade. C) A Lei de Improbidade prevê a formação de litisconsórcio entre o suposto autor do ato de improbidade e eventuais beneficiários.429/1992 —. de caráter punitivo. D) Qualquer pessoa pode representar à autoridade administrativa competente para ser instaurada investigação destinada a apurar a prática de ato de improbidade.(CESPE/IPAJM/Advogado/2010) Com base no entendimento do STJ acerca das disposições da Lei de Improbidade — Lei n. como forma de resguardar sua identidade e evitar retaliações de qualquer natureza.DIREITO ADMINISTRATIVO EM TEORIA E EXERCÍCIOS – STN – PROFA. competência implícita do STJ para julgar originariamente a demanda. PATRÍCIA CARLA C) As disposições da lei. se houver. é a ilegalidade tipificada e qualificada pelo elemento subjetivo da conduta do agente. à perda da função pública. o objeto principal é a aplicação de sanções punitivas de caráter pessoal. E) Em ação civil pública por ato de improbidade. como suspensão dos direitos políticos. Por isso mesmo. perda da função pública. E) Os atos de improbidade que importem enriquecimento ilícito sujeitam os responsáveis ao ressarcimento integral do dano. alcançam os que exercem cargo. de modo efetivo ou transitório. 223 www. A) Improbidade. e os que exercem. também se sujeita ao procedimento especial.pontodosconcursos. não se exigindo identificação do representante. uma ação de improbidade que não contenha pedido de aplicação ao infrator de tais sanções político-civis. que a conduta do agente seja dolosa. 8. a exigir notificação prévia do réu para manifestar-se a respeito da demanda. havendo relação jurídica entre as partes a obrigar o magistrado a decidir de modo uniforme a demanda.

no processo. 5 . assinale a opção correta. não bastando que se afirme que o fará ao longo da instrução processual.DIREITO ADMINISTRATIVO EM TEORIA E EXERCÍCIOS – STN – PROFA.(CESPE/DPU/Técnico/2010) Acerca da improbidade administrativa. e segundo as disposições constantes da Lei n.1) Acerca da improbidade administrativa.br . A) A aprovação das contas pelo órgão de controle interno impede a aplicação das penas previstas na lei de improbidade. há que ser obrigatoriamente precedida de inquérito civil público. civis e administrativas decorrentes da improbidade administrativa são dependentes entre si. E) Ocorre o perdão tácito se a ação de improbidade administrativa não for ajuizada no prazo de 120 dias.429/1992. sem prejuízo da remuneração. logo na inicial. quando proposta pelo MP.com. C) As ações de improbidade devem ser propostas no prazo de cinco anos. assinale a opção correta. tendo em vista o disposto na Lei n. 224 www. B) A ação de improbidade.429/1992.º 8.pontodosconcursos. B) As sanções penais. para a aplicação de qualquer uma delas. é imprescindível o trânsito em julgado da ação judicial de improbidade administrativa. PATRÍCIA CARLA 3 . A) A aplicação das sanções previstas na Lei de Improbidade depende da efetiva ocorrência de dano ao patrimônio público. D) A decretação da perda de bens e valores acrescidos ilicitamente ao patrimônio do servidor público pode ser aplicada no âmbito de processo administrativo disciplinar. emprego ou função. a critério de seu representante. terá ele a opção de atuar. 4 . quando a medida se fizer necessária à instrução processual. contados da prática do ilícito que enseje sua propositura. ou não. o ato qualificado como de improbidade administrativa. E) Não sendo a ação de improbidade proposta pelo MP. praticada por agente público com má-fé.(CESPE/MPE-ES/Promotor/2010) Com referência à improbidade administrativa. assinale a opção correta.(CESPE/OAB/2007. D) A autoridade judicial ou administrativa competente poderá determinar o afastamento do agente público do exercício do cargo. A) O Ministério Público deve provar. descrita na lei de improbidade.º 8. C) Configura improbidade administrativa a conduta.

a aplicação da proporcionalidade da pena. não sendo admitida. C) II e IV. D) Considere que um ex-servidor público tenha praticado ato de improbidade administrativa.DIREITO ADMINISTRATIVO EM TEORIA E EXERCÍCIOS – STN – PROFA. mas somente três anos depois desse ato tenha sido afastado do exclusivo cargo em comissão que ocupava. julgue os itens a seguir. antes de determinar a citação da ação de improbidade. na situação hipotética em questão. a partir da data em que Vicente praticou o ato.pontodosconcursos. Com referência a essa situação hipotética e à improbidade administrativa. facilitava a aquisição de bens por preço superior ao de mercado. Vicente. III O prazo prescricional de ato de improbidade de governador começa a fluir da data em que tenha sido praticado o ato. em consequência.com.2) O MP tomou conhecimento de que um servidor. com exclusividade. proceder à notificação prévia do acusado. 6 – (CESPE/OAB/2008. D) II e V. a ação de improbidade não pode ser cumulada com pedido de danos morais. diz respeito à improbidade I De acordo com a lei. A) O prazo prescricional das ações destinadas a levar a efeito as sanções previstas na Lei de Improbidade Administrativa é contado. 225 www. B) I e V.3) No que administrativa. V Na avaliação da improbidade por dano ao erário. pelo Ministério Público. Nessa situação. Estão certos apenas os itens A) I e III.br . o juiz deve analisar o elemento subjetivo da conduta do agente. II O juiz deve. da prática do ato. o prazo prescricional de 5 anos para que seja proposta a pertinente ação de improbidade tem início com o término do exercício do referido cargo e não. ocupante do cargo de ordenador de despesas de determinado município. PATRÍCIA CARLA B) Prevalece o entendimento de que a ação judicial cabível para apurar e punir os atos de improbidade de natureza civil deve ser titularizada. IV A Lei de Improbidade Administrativa não prevê a gradação das penas que prescreve. 7 – (CESPE/OAB/2009. assinale a opção correta. C) A competência judicial para apurar ato de improbidade de governador de estado é do STJ.

DIREITO ADMINISTRATIVO EM TEORIA E EXERCÍCIOS – STN – PROFA. é permitido o acordo. III. a indisponibilidade dos bens e o ressarcimento ao erário. Assinale: A) se nenhuma afirmativa estiver correta. C) É cabível a indisponibilidade dos bens do indiciado quando o ato de improbidade causar lesão ao patrimônio público ou ensejar enriquecimento ilícito.(CESPE/OAB/2009.br . quando beneficiário direto ou indireto do ato de improbidade. II. B) se somente as afirmativas I e II estiverem corretas. 226 www. não poderá o juiz condená-lo pela prática de ato de improbidade. O princípio da democracia participativa é instrumento para a efetividade dos princípios da eficiência e da probidade administrativa. PATRÍCIA CARLA B) Caso o ato praticado por Vicente não esteja tipificado de forma expressa na Lei de Improbidade Administrativa. D) Se houver fundados indícios de responsabilidade. será cabível o arresto dos bens do agente ou terceiro que tenha enriquecido ilicitamente ou causado dano ao patrimônio público. sem prejuízo da ação penal cabível. ou seja.com.429/1992). quando tiver ciência da origem ilícita da vantagem. a perda da função pública. na forma e gradação prevista em lei.pontodosconcursos. A) Proposta a ação de improbidade. A conduta do administrador público em desrespeito ao princípio da moralidade administrativa enquadra-se nos denominados “atos de improbidade”. O terceiro. só pode ser responsabilizado por ação dolosa. a transação ou a conciliação. C) Não estará prescrita a pretensão do MP caso seja ajuizada ação com o exclusivo propósito de ressarcir os prejuízos causados ao erário quinze anos após a saída do referido servidor do cargo de ordenador de despesas.º 8. Além dos agentes públicos. 9 – (FGV/JUIZ/TJPA/2008) Analise as afirmativas a seguir: I. B) O sucessor daquele que causar lesão ao patrimônio público ou enriquecer ilicitamente está sujeito às cominações da lei além do limite do valor da herança. 8 . D) Vicente não poderá ser condenado em eventual ação de improbidade proposta pelo MP caso o tribunal de contas competente aprove as contas do município. terceiros podem ser sujeitos ativos de improbidade administrativa.1) Assinale a opção correta conforme a Lei de Improbidade (Lei n. Tal conduta poderá ser sancionada com a suspensão dos direitos políticos.

(FCC/TRE-AM/Analista/2010) Tendo em vista a natureza e as implicações legais do ato de improbidade administrativa.429/92. o sucessor daquele que causar lesão ao patrimônio público ou se enriquecer ilicitamente (A) está sujeito às cominações da Lei de Improbidade Administrativa apenas se for o inventariante.(FCC/TRE-AL/Analista/2010) Dentre as penalidades previstas na Lei no 8. (B) Da declaração não precisam constar os bens móveis nem aqueles pertencentes ao cônjuge e filhos. 227 www.br . (D) A recusa à apresentação da declaração sujeita o agente à pena de suspensão até que seja apresentada. ainda que atualizada. 11 . ilicitamente ao patrimônio e o (C) A perda da função pública e a proibição de contratar com o Poder Público. (E) A declaração deverá ser feita de próprio punho. (E) A proibição de receber benefícios do Poder Público e incentivos fiscais. para o administrador público que pratica ato de improbidade administrativa NÃO se incluem: (A) A suspensão dos direitos políticos e o pagamento de multa civil. PATRÍCIA CARLA C) se somente as afirmativas I e III estiverem corretas. (C) A posse e o exercício no cargo ficam condicionados à apresentação da declaração de bens e valores. (B) A perda dos bens acrescidos ressarcimento integral do dano. cargo.(FCC/TRE-AC/Técnico/2010) Nos termos da Lei de Improbidade Administrativa todo agente público deve apresentar declaração de bens.DIREITO ADMINISTRATIVO EM TEORIA E EXERCÍCIOS – STN – PROFA. emprego ou função. (D) A reclusão e a detenção. não bastando a entrega de cópia da declaração prestada à Receita Federal. 10 . D) se somente as afirmativas II e III estiverem corretas.com. (B) não está sujeito às cominações da Lei de Improbidade Administrativa.pontodosconcursos. observada a seguinte regra. 12 . dentre outras: (A) A declaração deverá ser atualizada apenas na data em que o agente deixar o exercício do mandato. E) se todas as afirmativas estiverem corretas.

429/92. dentre outros. (A) liberar verba pública sem a estrita observância das normas pertinentes ou influir de qualquer forma para a sua aplicação irregular. (D) agir negligentemente na arrecadação de tributo ou renda. (E) está sujeito às cominações da Lei de Improbidade Administrativa até o limite do valor da herança. 15 . PATRÍCIA CARLA (C) está sujeito às cominações da Lei de Improbidade Administrativa sem limites. conforme previsto na Lei no 8. 13 . à suspensão dos direitos políticos de (A) três a cinco anos e pagamento de multa civil de até cem vezes o valor da remuneração percebida pelo agente. dentre outras penalidades. (C) cinco a dez anos e pagamento de multa civil de até cinquenta e três vezes o valor da remuneração percebida pelo agente. (C) ordenar ou permitir a realização de despesas não autorizadas em lei ou regulamento. 14 .DIREITO ADMINISTRATIVO EM TEORIA E EXERCÍCIOS – STN – PROFA. contando com a colaboração de terceiro não servidor público.429/92.(FCC/TRT8/Analista/2010) Servidor de um Tribunal Regional do Trabalho.pontodosconcursos.(FCC/TRT8/Analista/2010) De acordo com a Lei no 8. (D) está sujeito às cominações da Lei de Improbidade Administrativa apenas até a abertura do inventário.(FCC/TRE-AM/Analista/2010) Pela prática de ato de improbidade administrativa que atenta contra os princípios da Administração Pública. (E) de quatro a dez anos e pagamento de multa civil de até cem vezes o valor da remuneração percebida pelo agente. (B) cinco a oito anos e pagamento de multa civil de até duas vezes o valor do dano. bem como no que diz respeito à conservação do patrimônio público. (E) perceber vantagem econômica para intermediar a liberação ou aplicação de verba pública de qualquer natureza.00 para fazer declaração falsa 228 www.com. (B) frustrar a licitude de processo licitatório ou dispensá-lo indevidamente. (D) oito a doze anos e pagamento de multa civil de até duzentas vezes o valor da remuneração percebida pelo agente. constitui ato de improbidade administrativa importando enriquecimento ilícito. o agente está sujeito. recebeu para si e para o terceiro R$ 10.br .000.

do agente ou do terceiro. gratificação ou presente de quem tenha interesse. mas não ato de improbidade administrativa. ou sobre o acréscimo patrimonial resultante do enriquecimento ilícito. (C) ato de improbidade administrativa que causa prejuízo ao erário. que possa ser atingido ou amparado por ação ou omissão decorrente das atribuições do agente público caracteriza (A) ato de improbidade administrativa que importa enriquecimento ilícito. dar-se-á o integral ressarcimento do dano. mandato. (D) as disposições da lei não são aplicáveis ao terceiro colaborador. (C) ato de improbidade administrativa que atenta contra os princípios da Administração Pública. PATRÍCIA CARLA sobre medição ou avaliação em determinada obra pública no Tribunal. (D) crime de improbidade administrativa. emprego ou função pública. direta ou indireta. (B) ato de improbidade administrativa que importa enriquecimento ilícito. (B) ocorrendo lesão ao patrimônio público por ação ou omissão. direto ou indireto.DIREITO ADMINISTRATIVO EM TEORIA E EXERCÍCIOS – STN – PROFA. (E) ato de improbidade administrativa que atenta contra os princípios da Administração Pública. 17 . Considerando a Lei no 8. constitui (A) mero ilícito administrativo. dinheiro.pontodosconcursos. pois não está previsto em lei nem como ato de improbidade gerador de lesão ao erário. 229 www. bem móvel ou imóvel.(FCC/TRT22/Analista/2010) Celebrar contrato de rateio de consórcio público sem observar as formalidades previstas em lei. (C) perderá o agente público ou o terceiro beneficiário os bens ou valores acrescidos ao seu patrimônio. para a indisponibilidade dos bens dos indiciados.com. a título de comissão. ou qualquer outra vantagem econômica. para si ou para outrem. por não ser ele agente público.492/92 é INCORRETO afirmar que (A) caberá à autoridade administrativa responsável pelo inquérito representar ao Ministério Público. 16 (FCC/TRT9/Analista/2010) De conformidade com a Lei no 8. não possuindo vínculo. cargo.br . dolosa ou culposa. (B) infração administrativa. nem que importe em enriquecimento ilícito. receber.429/1992. percentagem. (E) a indisponibilidade dos bens recairá sobre bens que assegurem o integral ressarcimento do dano.

frustrar a licitude de concurso público.pontodosconcursos. 18 .429/92. que dispõe sobre improbidade administrativa: (A) Não constitui ato ímprobo exercer atividade de consultoria para pessoa física ou jurídica que tenha interesse suscetível de ser atingido ou amparado por ação ou omissão decorrente de atribuições do agente público. o de negar a publicidade de atos oficiais. estará sujeito às sanções da Lei de Improbidade.429/92 está correto o que se afirma APENAS em 230 www. O ato de improbidade administrativa causador de prejuízo ao erário somente é punível na modalidade dolosa.br . (B) Está sujeito às penalidades da Lei de Improbidade. beneficie-se do ato ímprobo. IV. Constitui ato de improbidade administrativa que atenta contra os princípios da Administração Pública. porém até o limite do valor da herança.com. (C) O sucessor daquele que praticou ato de improbidade atentatório aos princípios da Administração Pública. De acordo com a Lei no 8. sob qualquer forma direta ou indireta. permitir a realização de despesas não autorizadas em lei.FCC/TRT22/Analista/2010) De acordo com a Lei no 8. desde que noticiada acerca de ato ímprobo causador de lesão ao erário ou de enriquecimento ilícito. Constitui ato de improbidade administrativa que atenta contra os princípios da Administração Pública. não caracterizando ato ímprobo. qual seja. (E) Qualquer autoridade. (D) As disposições da Lei de Improbidade aplicam-se àquele que. durante a atividade. 19 . III. II. I.(FCC/TRT22/Analista/2010) Analise as assertivas abaixo acerca dos atos de improbidade administrativa. Constitui ato de improbidade administrativa causador de prejuízo ao erário. poderá representar ao Juiz de Direito para a indisponibilidade de bens do indiciado. PATRÍCIA CARLA (D) apenas conduta criminosa. mesmo não sendo agente público. (E) ato de improbidade administrativa causador de prejuízo ao erário.DIREITO ADMINISTRATIVO EM TEORIA E EXERCÍCIOS – STN – PROFA. realizar operação financeira sem observância das normas legais e regulamentares. o ato praticado contra entidade para cuja criação ou custeio o erário haja concorrido com menos de cinqüenta por cento do patrimônio ou receita anual. inexistindo limite à sanção patrimonial.

(E) revelar ou permitir que chegue ao conhecimento de terceiro. 20 . ato de improbidade (A) facilitar ou concorrer por qualquer forma para a incorporação ao patrimônio particular. importando enriquecimento ilícito. (C) três anos e. 1o da lei que trata deste assunto.(FCC/TRT18/Analista/2008) Na prática de ato de improbidade administrativa que importe enriquecimento ilícito. quatro anos.(FCC/SJCDH/Agente Penitenciário/2010) O agente público que atentar contra os princípios administrativos. no máximo.(FCC/TRT2/Analista/2008) Constitui administrativa. no máximo. dez anos. sem enriquecer-se 231 www. (B) I e III. (A) cinco anos e. no mínimo.br .com. (B) dois anos e. de pessoa física ou jurídica. bem ou serviço. (D) oito anos e. facilitar ou concorrer para que terceiro se enriqueça ilicitamente.pontodosconcursos. (B) aceitar emprego. de bens. verbas ou valores integrantes do acervo patrimonial das entidades mencionadas no art.DIREITO ADMINISTRATIVO EM TEORIA E EXERCÍCIOS – STN – PROFA. (C) I e IV. no máximo. (E) III e IV. (C) conceder benefício administrativo ou fiscal sem a observância das formalidades legais ou regulamentares aplicáveis à espécie. 22 . (E) oito anos e. teor de medida política ou econômica capaz de afetar o preço de mercadoria. no máximo. doze anos. (D) II e III. durante a atividade. seis anos. (D) permitir. dez anos. no máximo. PATRÍCIA CARLA (A) I e II. 21 . antes da respectiva divulgação oficial. comissão ou exercer atividade de consultoria ou assessoramento para pessoa física ou jurídica que tenha interesse suscetível de ser atingido ou amparado por ação ou omissão decorrente das atribuições do agente público. rendas. o agente público está sujeito à pena de suspensão dos direitos políticos com duração de.

(E) oito anos e perda da função pública. e multa civil. não bastando a entrega de cópia da declaração prestada à Receita Federal. com perda da função pública. (B) dolo ou culpa. (E) A declaração deverá ser feita de próprio punho.(FCC/TCE-AP/Procurador/2010) A caracterização de determinado ato como improbidade. PATRÍCIA CARLA indevidamente e sem causar lesão ao erário. dentre outras. (D) A recusa à apresentação da declaração sujeita o agente à pena de suspensão até que seja apresentada. (E) prejuízo financeiro a uma das entidades definidas como sujeito passivo na lei. exige. nos termos da Lei no 8.com. (D) seis anos e perda da função pública. (A) enriquecimento ilícito por parte do agente público. (C) cinco anos. (B) três anos e perda da função pública. (C) A posse e o exercício no cargo ficam condicionados à apresentação da declaração de bens e valores. necessariamente. dentre outras: (A) A declaração deverá ser atualizada apenas na data em que o agente deixar o exercício do mandato. (C) agente público como sujeito ativo do ato.(FCC/TRE-AC/Técnico/2010) Nos termos da Lei de Improbidade Administrativa todo agente público deve apresentar declaração de bens. poderá receber. (D) prejuízo a entidade da administração direta ou indireta. 232 www. emprego ou função.pontodosconcursos. sem perda da função pública. 23 .DIREITO ADMINISTRATIVO EM TEORIA E EXERCÍCIOS – STN – PROFA. e multa civil. 24 .429/92. as sanções de proibição de contratar com o Poder Público por: (A) dois anos. ainda que atualizada.br . (B) Da declaração não precisam constar os bens móveis nem aqueles pertencentes ao cônjuge e filhos. observada a seguinte regra. cargo.

429/1992.br . b) 20 dias. PATRÍCIA CARLA 25 . 26 .429/1992. cinco vezes o valor do dano. contados do ingresso de João no aludido cargo. o Ministério Público decidiu propor contra João ação de improbidade administrativa. a ação de improbidade deverá ser proposta a) em até dez anos após o término do exercício do referido cargo.pontodosconcursos. o agente público que praticou ato de improbidade administrativa previsto no artigo 11 da mencionada lei (ato ímprobo que atenta contra os princípios da Administração Pública).(FCC/TRE-PE/Técnico/2011) Segundo a Lei nº 8. poderá ser sancionado com a pena. e) 5 dias. d) proibição de receber benefícios ou incentivos fiscais ou creditícios pelo prazo de três anos.429/1992.com. para oferecer manifestação por escrito dentro do prazo de a) 10 dias. nos termos da Lei nº 8. Desta feita. de a) proibição de contratar com o Poder Público pelo prazo de cinco anos. o juiz mandará autuá-la e ordenará a notificação do requerido.(FCC/TRE-AP/Analista/2011) Nos termos da Lei nº 8. c) 30 dias. Em razão de alguns atos por ele praticados durante o aludido cargo. c) em até cinco anos após o término do exercício do referido cargo. d) 15 dias. no máximo.(FCC/TRE-PE/Analista/2011) João ocupou durante dois anos cargo em comissão no Tribunal Regional Eleitoral do Estado de Pernambuco. b) suspensão de direitos políticos de seis a oito anos.DIREITO ADMINISTRATIVO EM TEORIA E EXERCÍCIOS – STN – PROFA. d) em até cinco anos. 233 www. e) dentro do prazo prescricional previsto em lei específica para faltas disciplinares puníveis com suspensão. dentre outras. b) dentro do prazo prescricional previsto em lei específica para faltas disciplinares puníveis com demissão a bem do serviço público. c) multa civil de. 27 . estando a inicial em devida forma.

de 18 de novembro de 2011. bem ou serviço. e) utilizar. 12. PATRÍCIA CARLA e) multa civil de até duzentas vezes o valor da remuneração percebida pelo agente. 234 www. d) permitir que chegue ao conhecimento de terceiro . 30 . d) receber vantagem econômica de qualquer natureza. antes da respectiva divulgação oficial.527. o direito ao acesso a informações públicas foi regulado pela Lei n. isto é.com. para omitir ato de ofício. da Lei nº 8. providência ou declaração a que esteja obrigado. bens de qualquer natureza cujo valor seja desproporcional à evolução do patrimônio ou à renda do agente público. c) adquirir. b) retardar. direta ou indiretamente. indevidamente. para fazer declaração falsa sobre medição ou avaliação em obras públicas.(ESAF/Receita/Analista/2012) Previsto no inciso XXXIII do artigo 50 .dor de lesão ao erário: ato de improbidade a) deixar de prestar contas quando esteja obrigado a fazê-lo.429/1992.DIREITO ADMINISTRATIVO EM TEORIA E EXERCÍCIOS – STN – PROFA. c) frustrar a licitude de concurso público. e) agir negligentemente no que diz respeito à conservação do patrimônio público. ato causador de prejuízo ao erário: a) frustrar a licitude de processo licitatório. b) receber vantagem econômica de qualquer natureza. o trabalho de servidores públicos da União. no inciso II do §30 do artigo 37 e no §20 do artigo 216 da Constituição Federal. em obra ou serviço particular. 28 . ato de ofício. Quanto ao procedimento de pedido de acesso. por qualquer meio legítimo. é incorreto afirmar que: a) qualquer interessado poderá apresentar pedido de acesso a informações aos órgãos e entidades referidos na Lei.pontodosconcursos. 29 . direta ou indireta. para si ou para outrem. teor de medida política ou econômica capaz de afetar o preço de mercadoria.(FCC/TRT-23/Analista/2011) Constitui ato de improbidade administrativa previsto especificamente no artigo 10.br . devendo o pedido conter a identificação do requerente e a especificação da informação requerida. no exercício de mandato. cargo. emprego ou função pública.(FCC/TRE-RN/Analista/2011) Constitui administrativa causa.

e) o serviço de busca e fornecimento da informação é gratuito. salvo nas hipóteses de reprodução de documentos pelo órgão ou entidade pública consultada. d) quando não for autorizado o acesso por se tratar de informação total ou parcialmente sigilosa.com. c) sob pena de indeferimento do pedido. ser-lhe indicada a autoridade competente para sua apreciação. o requerente deverá ser informado sobre a possibilidade de recurso.DIREITO ADMINISTRATIVO EM TEORIA E EXERCÍCIOS – STN – PROFA.pontodosconcursos.br . devendo. PATRÍCIA CARLA b) os órgãos e entidades do poder público devem viabilizar alternativa de encaminhamento de pedidos de acesso a informações por meio de seus sítios oficiais na internet. prazos e condições para sua interposição. situação em que poderá ser cobrado exclusivamente o valor necessário ao ressarcimento do custo dos serviços e materiais utilizados. ainda. 235 www. os motivos determinantes da solicitação de acesso às informações de interesse público devem ser apresentados pelo cidadão requerente.

com.(CESPE/MPE-SE/Promotor/2010) Quanto aos aspectos materiais e processuais da Lei n.DIREITO ADMINISTRATIVO EM TEORIA E EXERCÍCIOS – STN – PROFA. assinale a opção correta.º 8. C) As disposições da lei. de modo efetivo ou transitório. A) A perda da função pública e a suspensão dos direitos políticos. B) A exemplo do que ocorre com a ação popular. D) Qualquer pessoa pode representar à autoridade administrativa competente para ser instaurada investigação destinada a apurar a prática de ato de improbidade. alcançam os que exercem cargo.pontodosconcursos.429/1992 (Lei de Improbidade Administrativa). qualquer cidadão é parte legítima para propor a ação de improbidade administrativa.br . mandato eletivo. somente se podem efetivar após o trânsito em julgado da decisão. não se exigindo identificação do representante. assim como o são o MP e a pessoa jurídica prejudicada pela atuação do gestor. como forma de resguardar sua identidade e evitar retaliações de qualquer natureza. emprego ou função pública. por eleição. e os que exercem. para os que foram condenados por ato de improbidade. 236 www. aplicáveis apenas aos agentes públicos. PATRÍCIA CARLA Gabarito 1 A 11 D 21 D 2 D 12 E 22 B 3 D 13 A 23 B 4 C 14 E 24 C 5 D 15 D 25 C 6 D 16 A 26 D 7 C 17 E 27 D 8 C 18 D 28 A 9 E 19 A 29 A 10 C 20 B 30 C Questões Comentadas sobre Improbidade Administrativa0 1 .

Nesse sentido. mesmo não sendo agente público. veda-se o anonimato. da LIA estabelece como punições possíveis as seguintes: perda dos bens ou valores acrescidos ilicitamente ao patrimônio. 20. 14 da LIA prevê que “qualquer pessoa poderá representar à autoridade administrativa competente para que seja instaurada investigação destinada a apurar a prática de ato de improbidade. equivoca-se a assertiva em comento quando restringe a aplicação da LIA aos agentes públicos. direta ou indiretamente. também errada a letra E. que “a perda da função pública e a suspensão dos direitos políticos só se efetivam com o trânsito em julgado da sentença condenatória. contudo. Gabarito: A Comentários: Letra (A). A representação. o que faz com que esta alternativa seja considerada incorreta. o art. Assim. 5º. pagamento de multa civil de até três vezes o valor do acréscimo patrimonial e proibição de contratar com o Poder Público ou receber benefícios ou incentivos fiscais ou creditícios. Diversa.” Letra (B). art. é a legitimação para a ação de improbidade. 2°).br . Ante o exposto. vez que a mesma alcança.pontodosconcursos. dentro de trinta dias da efetivação da medida cautelar”. conterá a qualificação do representante. perda da função pública. ao pagamento de multa civil e à proibição de contratar com o poder público pelo prazo de três anos. As disposições da lei são aplicáveis aos agentes públicos. De fato a ação popular pode ser proposta por qualquer cidadão. art. quando houver. Conforme prevê o art. a Lei nº 8. art. inclusive no que alude à representação indicada nesta alternativa. Porém. induza ou concorra para a prática do ato de improbidade ou dele se beneficie sob qualquer forma direta ou indireta (LIA. pelo prazo de dez anos. que terá o rito ordinário. ainda que por intermédio de pessoa jurídica da qual seja sócio majoritário. e os que exercem. ressarcimento integral do dano. que será escrita ou reduzida a termo e assinada. à perda da função pública. será proposta pelo Ministério Público ou pela pessoa jurídica interessada.com. emprego ou função pública. sujeitos às penas mais severas. 237 www. suspensão dos direitos políticos de oito a dez anos. conforme corretamente assevera esta alternativa. Letra (D). 17 da LIA. à suspensão dos direitos políticos de três a cinco anos. LVII). as informações sobre o fato e sua autoria e a indicação das provas de que tenha conhecimento. estabeleceu. mandato eletivo (LIA. Em regra. de modo efetivo ou transitório. I. PATRÍCIA CARLA E) Os atos de improbidade que importem enriquecimento ilícito sujeitam os responsáveis ao ressarcimento integral do dano. aquele que.DIREITO ADMINISTRATIVO EM TEORIA E EXERCÍCIOS – STN – PROFA. Letra (C). Os atos de improbidade que importem enriquecimento ilícito são considerados os mais graves e. 3°).429/92 – LIA. 12.” Letra (E). “a ação principal. portanto. Com apoio no princípio constitucional da inocência (CF/88. o art. por eleição. se houver. em seu art. alcançando os que exercem cargo. no que couber.

constitui ato de improbidade administrativa que causa lesão ao erário qualquer ação ou omissão. há. Com efeito. Como. a jurisprudência dominante no STJ considera indispensável. no STJ. em sentido estrito. o objeto principal é a aplicação de sanções punitivas de caráter pessoal. e a jurisprudência costuma aplicar tal comando.br . 10 da LIA. competência implícita do STJ para julgar originariamente a demanda. 10. E) Em ação civil pública por ato de improbidade. mas apenas 238 www. para fins de aplicação das sanções cominadas na lei. A) Improbidade. a exigir notificação prévia do réu para manifestar-se a respeito da demanda. O elemento subjetivo da conduta do agente refere-se à apuração da culpa em sentido amplo. Por exemplo. dolosa ou culposa. assinale a opção correta. o que traduz hipótese de litisconsórcio passivo necessário. como suspensão dos direitos políticos. perda da função pública.pontodosconcursos. multa civil e proibição de contratar com o poder público ou receber benefícios ou incentivos fiscais ou creditícios. nessa hipótese. cite-se o RESP 816.193/MG. apesar de haver importante controvérsia doutrinária acerca da aplicação da LIA a atos culposos. uma ação de improbidade que não contenha pedido de aplicação ao infrator de tais sanções político-civis. Ainda assim.429/1992 —. havendo relação jurídica entre as partes a obrigar o magistrado a decidir de modo uniforme a demanda. Gabarito: D Comentários: Letra (A). que a conduta do agente seja dolosa. Por isso mesmo. veda-se a condenação do Ministério Público em honorários advocatícios. para a sua caracterização.DIREITO ADMINISTRATIVO EM TEORIA E EXERCÍCIOS – STN – PROFA. Letra (B). 8. DJ 21/10/2009. ajuizada contra governador do estado. Destaque-se que. também se sujeita ao procedimento especial. Uma ação de improbidade que não contenha pedido de aplicação ao infrator de tais sanções político-civis. C) A Lei de Improbidade prevê a formação de litisconsórcio entre o suposto autor do ato de improbidade e eventuais beneficiários. dispensa-se o dolo. que enseje uma das condutas ali previstas. a englobar culpa.com. de caráter punitivo. perda dos bens ou valores acrescidos ilicitamente ao patrimônio. errada é a primeira alternativa. na ação de improbidade administrativa.(CESPE/IPAJM/Advogado/2010) Com base no entendimento do STJ acerca das disposições da Lei de Improbidade — Lei n. PATRÍCIA CARLA 2 . mas apenas pedido de anulação de atos danosos ao erário e de ressarcimento de danos. segundo o art. D) Por simetria com o que ocorre em relação aos crimes comuns. onde são reproduzidas as acirradas críticas que a doutrina menciona acerca desse art. com possível aplicação da pena de perda do cargo. essa é legal regra expressa. B) Na ação de improbidade. e dolo. é a ilegalidade tipificada e qualificada pelo elemento subjetivo da conduta do agente. de caráter punitivo.

3°). 3. mesmo não sendo agente público. mas entre cujas sanções está também a perda do cargo. Esses mesmos fundamentos de natureza sistemática autorizam a concluir. induza ou concorra para a prática do ato de improbidade ou dele se beneficie sob qualquer forma direta ou indireta (art. somente é aplicável para ações de improbidade administrativa típicas.2008). Nesse sentido. DJ 27. note-se que ao terceiro. se não servidor. não será imposta a pena de perda da função pública. Rcl 2. O especialíssimo procedimento estabelecido na Lei 8. em regra.643/SP. A título de exemplo. já que. àquele que.06. tanto em crimes comuns. 12). de que trata o artigo 17 da Lei 8. § 4. cujo julgamento se dá em regime especial pelo Senado Federal (art. DJ 04/03/2010): “Excetuada a hipótese de atos de improbidade praticados pelo Presidente da República (art. De fato. que a prerrogativa de foro. que assegura a seus Ministros foro por prerrogativa de função. reproduz-se sua ementa (STJ. já que inexistente. no que couber. a LIA também se aplica.br . com apenas um voto contrário. Menezes Direito. Por isso. Min. 17. em casos tais. por sua vez. decorre diretamente do sistema de competências estabelecido na Constituição. DJ 30/03/2010): “Não se pode confundir a típica ação de improbidade administrativa. o STJ decidiu conforme corretamente consta desta assertiva. PATRÍCIA CARLA pedido de anulação de atos danosos ao erário e de ressarcimento de danos. Letra (D). quanto em crimes de responsabilidade. Aquela tem caráter repressivo. entende o STF (RE 439. Letra (C). com a ação de responsabilidade civil para anular atos administrativos e obter o ressarcimento do dano correspondente. é tida como uma ação de improbidade atípica. § 7º).Cezar Peluso).211-0.790/SC. precedido de notificação do demandado (art.429/92. tem por objeto conseqüências de natureza civil comum. 86). e não se sujeita ao procedimento especial previsto na LIA. sujeitos a crime de responsabilidade. na própria Corte. DJ 17/12/2009) que caberá à primeira instância tal julgamento. "seria absurdo ou o máximo do contra-senso conceber que ordem jurídica permita que Ministro possa ser julgado por outro órgão em ação diversa.” Com isso. V). a Suprema Corte.DIREITO ADMINISTRATIVO EM TEORIA E EXERCÍCIOS – STN – PROFA. errada a letra B. assim decidiu o STJ (REsp 1. 37. Isto seria a desestruturação de todo o sistema que fundamenta a distribuição da competência" (voto do Min.163. declarou que “compete ao Supremo Tribunal Federal julgar ação de improbidade contra seus membros” (QO na Pet.723/SP.º. Ainda que haja polêmica acerca da competência para julgamento de autoridades políticas. 17. a aplicar sanções políticocivis de natureza pessoal aos responsáveis por atos de improbidade administrativa (art. Pela importância do julgado.com. por imposição lógica de coerência interpretativa. 85. suscetíveis de obtenção por outros meios processuais. Esta.429/92. Por decisão de 13 de março de 2008. que norma infraconstitucional não pode atribuir a juiz de primeiro grau o julgamento de ação de improbidade administrativa. Considerou. para tanto. Seria incompatível com a Constituição eventual preceito normativo infraconstitucional que impusesse imunidade dessa natureza.pontodosconcursos. no Senado Federal. Entretanto. com possível aplicação 239 www. §§ 8º e 9º). que prevê um juízo de delibação para recebimento da petição inicial (art. já que se destina. a expressão “no que couber” deixa claro que inexiste obrigação do magistrado de decidir de modo uniforme a demanda. fundamentalmente. de qualquer das sanções por ato de improbidade previstas no art. não há norma constitucional alguma que imunize os agentes políticos.

terá ele a opção de atuar. Ante o exposto.br . da LIA. “a aplicação das sanções previstas nesta lei independe da efetiva ocorrência de dano ao patrimônio público.429/1992. emprego ou função. de regra. nos casos de exercício de cargo efetivo ou emprego. DJ 28/05/2008). Com efeito.(CESPE/MPE-ES/Promotor/2010) Com referência à improbidade administrativa. 23 da LIA. a). I. Letra (B). a critério de seu representante. de 15/12/2009). II . A instauração do inquérito civil público é uma faculdade do órgão do MP. que. sem prejuízo da remuneração. também tem assegurado foro por prerrogativa de função. incorreta a presente alternativa. não cabe a condenação do Ministério Público em honorários advocatícios.278/SP. dispensável se o mesmo já estiver de posse de elementos suficientes para propositura da ação de improbidade. REsp 488. tendo em vista o disposto na Lei n. Letra (C). salvo quanto à pena de ressarcimento” (com redação dada pela Lei nº 12. B) A ação de improbidade. errada a letra A. contra Governador do Estado. quando proposta pelo MP.cinco anos após o término do exercício de mandato. 21. salvo comprovada atuação de má-fé” (STJ. A) A aplicação das sanções previstas na Lei de Improbidade depende da efetiva ocorrência de dano ao patrimônio público. É de se reconhecer que. em casos tais. competência implícita complementar do Superior Tribunal de Justiça. quanto em crimes de responsabilidade (perante a respectiva Assembléia Legislativa). contados da prática do ilícito que enseje sua propositura. E) Não sendo a ação de improbidade proposta pelo MP. “em sede de ação civil pública. D) A autoridade judicial ou administrativa competente poderá determinar o afastamento do agente público do exercício do cargo. resumidos em duas hipóteses: I . de cargo em comissão ou de função de confiança. quando a medida se fizer necessária à instrução processual.com. o que é acompanhado pela jurisprudência (STJ. DJ 05/12/2008). assinale a opção correta. PATRÍCIA CARLA da pena de perda do cargo. 105.120. Assim. por inafastável simetria com o que ocorre em relação aos crimes comuns (CF. o que torna a alternativa errada.DIREITO ADMINISTRATIVO EM TEORIA E EXERCÍCIOS – STN – PROFA. 3 . a exemplo dos Ministros do STF. C) As ações de improbidade devem ser propostas no prazo de cinco anos. Gabarito: D Comentários: Letra (A).mesmo prazo previsto em lei específica para faltas disciplinares puníveis com demissão a bem do serviço público.pontodosconcursos. Os prazos de prescrição estão regulados no art. 240 www. no processo.” Letra (E). art. ou não.º 8. I. Nos termos da regra expressa inserta no art. há que ser obrigatoriamente precedida de inquérito civil público. REsp 764. tanto em crimes comuns (perante o STJ).842/SP. há.

e segundo as disposições constantes da Lei n. Por isso. Letra (E). E) Ocorre o perdão tácito se a ação de improbidade administrativa não for ajuizada no prazo de 120 dias.429/92.(CESPE/DPU/Técnico/2010) Acerca da improbidade administrativa. Diversamente do que consta da letra E. e são aplicadas em âmbito de ação civil e incidem independentemente de outras sanções penais.112/90. A) A aprovação das contas pelo órgão de controle interno impede a aplicação das penas previstas na lei de improbidade. como fiscal da lei. 4 . 20. art. Como uma medida preventiva de proteção ao interesse público. C) Configura improbidade administrativa a conduta. praticada por agente público com má-fé. 125: “As sanções civis. D) A decretação da perda de bens e valores acrescidos ilicitamente ao patrimônio do servidor público pode ser aplicada no âmbito de processo administrativo disciplinar. A aplicação das sanções previstas na LIA independe da aprovação ou rejeição das contas pelo órgão de controle interno ou pelo Tribunal ou Conselho de Contas (Lei nº 8. civis e administrativas decorrentes da improbidade administrativa são dependentes entre si. 21. PATRÍCIA CARLA Letra (D). para a aplicação de qualquer uma delas. atuará obrigatoriamente. Gabarito: C Comentários: Letra (A). § 4º). não há opção ao MP: se não intervir no processo como parte.com. penais e administrativas poderão cumular-se. ou mesmo de outras sanções civis. II). descrita na lei de improbidade. sob pena de nulidade (LIA.” Portanto. B) As sanções penais. As sanções previstas na LIA não têm natureza penal. art. administrativas. a LIA prevê que “a autoridade judicial ou administrativa competente poderá determinar o afastamento do agente público do exercício do cargo.429/1992. é imprescindível o trânsito em julgado da ação judicial de improbidade administrativa. o que leva ao equívoco da afirmação feita nessa letra B.DIREITO ADMINISTRATIVO EM TEORIA E EXERCÍCIOS – STN – PROFA. em face do que está errada a letra A.º 8. É semelhante a regra inserta no Estatuto dos Servidores Públicos Federais. Letra (B). emprego ou função. Lei nº 8. sendo independentes entre si. configura ato de improbidade. a aplicação de qualquer uma delas prescinde do trânsito em julgado da ação judicial de improbidade administrativa. conforme 241 www. assinale a opção correta. art. essa é a resposta à questão. sem prejuízo da remuneração. 17.pontodosconcursos. quando a medida se fizer necessária à instrução processual” (art. parágrafo único).br . se praticada com má-fé. em face da autonomia de cada uma dessas esferas. Qualquer uma das condutas previstas nos artigos 9º a 11 da LIA. Letra (C).

mas somente três anos depois desse ato tenha sido afastado do exclusivo cargo em comissão que ocupava.1) Acerca da improbidade administrativa. Os prazos de prescrição estão regulados no art. 127 do Estatuto. que se presta tão somente a aplicar. uma das sanções previstas no art. V .br .destituição de função comissionada.advertência. VI . Letra (D). sem dolo. o ato qualificado como de improbidade administrativa.429/92 (Lei de Improbidade Administrativa – LIA). acordo ou conciliação nas ações de improbidade (LIA. Tal poderá ocorrer através de sentença judicial. Letra (E).com. 17. III . de cargo em comissão ou de função de confiança. logo na inicial. é vedada a transação.destituição de cargo em comissão. se for o caso. seguindo a regra geral. da Lei nº 8. PATRÍCIA CARLA corretamente assevera esta alternativa. da prática do ato. Para o início da ação de improbidade. a própria LIA fixa que serão consideradas ímprobas as conduta do art. já que o interesse público é indisponível. assinale a opção correta. § 1º). 17.(CESPE/OAB/2007. pelo Ministério Público. resumidos em duas hipóteses: I . 5 . C) A competência judicial para apurar ato de improbidade de governador de estado é do STJ. II . A) O Ministério Público deve provar. 10. não bastando que se afirme que o fará ao longo da instrução processual. a saber: I . Nesse sentido.suspensão. “a ação será instruída com documentos ou justificação que contenham indícios suficientes da existência do ato de improbidade ou com razões fundamentadas da impossibilidade de apresentação de qualquer dessas 242 www. Ao contrário do que diz a letra D. com exclusividade. Nessa situação. 18 da LIA. § 6º. Nos termos do art. II . nos termos do art. Não existe a figura do perdão no âmbito da improbidade.mesmo prazo previsto em lei específica para faltas disciplinares puníveis com demissão a bem do serviço público.cinco anos após o término do exercício de mandato. mesmo que praticada com simples culpa.demissão. D) Considere que um ex-servidor público tenha praticado ato de improbidade administrativa. art. Gabarito: D Comentários: Letra (A). aliás. Ademais. IV cassação de aposentadoria ou disponibilidade. 23 da LIA. nos casos de exercício de cargo efetivo ou emprego.pontodosconcursos.DIREITO ADMINISTRATIVO EM TEORIA E EXERCÍCIOS – STN – PROFA. a decretação da perda de bens e valores acrescidos ilicitamente ao patrimônio do servidor público não pode ser aplicada no âmbito de processo administrativo disciplinar. o prazo prescricional de 5 anos para que seja proposta a pertinente ação de improbidade tem início com o término do exercício do referido cargo e não. B) Prevalece o entendimento de que a ação judicial cabível para apurar e punir os atos de improbidade de natureza civil deve ser titularizada. não se faz indispensável a prova cabal da prática do ato ímprobo.

remete à legislação específica sobre servidores ou empregados públicos.com. 105. que. tanto em crimes comuns (perante o STJ). no sentido de que a competência é do magistrado de primeiro grau.” Diante disso. 16 a 18 do Código de Processo Civil”. DJ 27/06/2008). Ao contrário. chama-se prescrição a perda do direito de punir do Estado. No outro caso (exercício de cargo efetivo ou emprego). 6 – (CESPE/OAB/2008. Hoje certamente haveria discussão se fosse seguida a posição tradicional. será proposta pelo Ministério Público ou pela pessoa jurídica interessada. errada a alternativa.790/SC. quanto em crimes de responsabilidade (perante a respectiva Assembléia Legislativa). Diante disso. entendeu a Suprema Corte que “compete ao Supremo Tribunal Federal julgar ação de improbidade contra seus membros” (Pet/QO 3. ou seja. há regra legal em sentido diverso do constante na letra B. DJ 17/12/2009) é no sentido de que a competência é do Magistrado de Primeiro Grau: “Compete. esta alternativa foi considerada errada. perante qualquer Tribunal judiciário. assim prevê o art. 23 da Lei nº 8. a exemplo dos Ministros do STF. O art. também tem assegurado foro por prerrogativa de função.211/DF. que terá o rito ordinário. art. à época da prova (2007). qual seja. I. 17 da Lei nº 8. quando um dos Ministros do STF foi acionado como réu em uma ação desse tipo. mas fixa apenas um prazo.” No entanto. competência implícita complementar do Superior Tribunal de Justiça. “a ação principal. Em linhas gerais.pontodosconcursos. razão pela qual esta alternativa está incorreta. A posição tradicional do STF (RE 439.DIREITO ADMINISTRATIVO EM TEORIA E EXERCÍCIOS – STN – PROFA. tanto indícios suficientes da existência do ato de improbidade quanto razões fundamentadas da impossibilidade de apresentação de qualquer dessas provas já são suficientes para que se inicie a referida ação. Esse é um ponto que atualmente vem suscitando certa divergência jurisprudencial. pelo decurso de certo tempo. contra Governador do Estado. há. nas infrações penais comuns. Com efeito. em casos tais. Letra (B). É de se reconhecer que. de prerrogativa de foro “ratione muneris”. Letra (C). de cargo em comissão ou de função de confiança. por inafastável simetria com o que ocorre em relação aos crimes comuns (CF.723/SP. com possível aplicação da pena de perda do cargo. ainda que ajuizada contra autoridade pública que dispõe. inclusive as disposições inscritas nos arts. ao magistrado de primeira instância. julgue os itens a seguir. Nesses termos. DJ 04/03/2010) que “norma infraconstitucional não pode atribuir a juiz de primeiro grau o julgamento de ação de improbidade administrativa. A Lei prevê duas hipóteses diferentes. a). dentro de trinta dias da efetivação da medida cautelar. mesmo que se trate de Tribunal Superior da União ou que se cuide do próprio Supremo Tribunal Federal.br .429/92. PATRÍCIA CARLA provas. observada a legislação vigente. 5 (cinco) anos após o término do exercício de mandato. processar e julgar ação civil de improbidade administrativa.429/92 estabelece regras relativas à prescrição da ação punitiva do Estado quanto aos atos de improbidade administrativa. diz respeito à improbidade 243 www.” Assim sendo.3) No que administrativa. A decisão em comento abriu caminho para que idêntico argumento fosse usado para outras autoridades. Nesse sentido. Letra (D). esta última alternativa é a resposta correta à questão. decidiu o STJ (Rcl 2.

seja pela frustração trazida pelo ato ímprobo na comunidade. seja pelo desprestígio efetivo causado à entidade pública que dificulte a ação estatal (STJ. estando a inicial em devida forma. o item II. há regra expressa no sentido de que. qual seja. a ação de improbidade não pode ser cumulada com pedido de danos morais. a aplicação da proporcionalidade da pena. Dessa maneira. 23 da Lei nº 8. Somente após a análise dessa defesa prévia é que poderá o magistrado decidir sobre o recebimento ou não da ação.DIREITO ADMINISTRATIVO EM TEORIA E EXERCÍCIOS – STN – PROFA. não sendo admitida. Estão certos apenas os itens A) I e III. II O juiz deve. 5 (cinco) anos após o término do exercício de mandato. No rito da ação de improbidade. remete à legislação específica sobre servidores ou empregados públicos. e não da prática do ato. em consequência. antes de determinar a citação da ação de improbidade. V Na avaliação da improbidade por dano ao erário. art. Não há vedação legal ao entendimento de que cabem danos morais em ações que discutam improbidade administrativa. No outro caso (exercício de cargo efetivo ou emprego). previsto a partir do art.com. que poderá ser instruída com documentos e justificações. razão pela qual o item está errado. proceder à notificação prévia do acusado.pontodosconcursos. de cargo em comissão ou de função de confiança. Gabarito: D Comentários: Item I. § 7º). D) II e V. A Lei prevê duas hipóteses diferentes. Certo. esta última alternativa é a resposta correta à questão. DJ 01/04/2008). Item II. dentro do prazo de quinze dias (LIA. Item III. conta-se o prazo do término do exercício de mandato. 17. C) II e IV. o item está errado. para oferecer manifestação por escrito. B) I e V. Diante disso. 17 da LIA. III O prazo prescricional de ato de improbidade de governador começa a fluir da data em que tenha sido praticado o ato. Portanto.926/MG. PATRÍCIA CARLA I De acordo com a lei. o juiz mandará autuá-la e ordenará a notificação do requerido. portando. IV A Lei de Improbidade Administrativa não prevê a gradação das penas que prescreve. REsp 960. O art. mas fixa apenas um prazo.429/92 estabelece regras relativas à prescrição da ação punitiva do Estado quanto aos atos de improbidade administrativa. o juiz deve analisar o elemento subjetivo da conduta do agente.br . 244 www. no que se refere a atos ímprobos praticados por Governador.

a Lei de Improbidade Administrativa prevê a gradação das penas que prescreve. O elemento subjetivo da conduta do agente refere-se à apuração da culpa em sentido amplo. constitui ato de improbidade administrativa que causa lesão ao erário qualquer ação ou omissão.pontodosconcursos. assim. a partir da data em que Vicente praticou o ato. de cinco a oito anos. e. não poderá o juiz condená-lo pela prática de ato de improbidade.659/TO.br .429/92. na análise de cada caso. decidiu o STJ (AgRg no AgRg no Ag 1. A) O prazo prescricional das ações destinadas a levar a efeito as sanções previstas na Lei de Improbidade Administrativa é contado. ou de oito a dez anos. Gabarito: C Comentários: Letra (A). apropriação. C) Não estará prescrita a pretensão do MP caso seja ajuizada ação com o exclusivo propósito de ressarcir os prejuízos causados ao erário quinze anos após a saída do referido servidor do cargo de ordenador de despesas. Vicente. tanto atos dolosos quanto culposos. o parágrafo único do art. está certo o item V. art. Exemplifique-se com a pena de suspensão dos direitos políticos. a depender da conduta do agente (Lei nº 8. DJ 07/06/2010): “A Lei de improbidade administrativa não estabelece a aplicação cumulativa das sanções. com base no art.261. Com efeito. em conformidade com os princípios da razoabilidade e da proporcionalidade. 12).” Ante o exposto. desvio. que será graduada de três a cinco anos.2) O MP tomou conhecimento de que um servidor. 7 – (CESPE/OAB/2009. malbaratamento ou dilapidação dos bens ou haveres das entidades referidas na LIA (Lei nº 8. Ao contrário do que afirmado pelo item em questão.DIREITO ADMINISTRATIVO EM TEORIA E EXERCÍCIOS – STN – PROFA. B) Caso o ato praticado por Vicente não esteja tipificado de forma expressa na Lei de Improbidade Administrativa.429/92. ocupante do cargo de ordenador de despesas de determinado município. a regra legal expressa é no sentido de punir. Destaque-se que. cabendo ao magistrado. 10. O art. em sentido estrito. aplicar a mais adequada. facilitava a aquisição de bens por preço superior ao de mercado. que enseje perda patrimonial. Além disso. PATRÍCIA CARLA Item IV. assim como o proveito patrimonial obtido pelo agente.” Corroborando tal entendimento. a englobar culpa. Com referência a essa situação hipotética e à improbidade administrativa. D) Vicente não poderá ser condenado em eventual ação de improbidade proposta pelo MP caso o tribunal de contas competente aprove as contas do município. 10). incorreto o item. art. apesar de haver importante controvérsia doutrinária acerca da aplicação da LIA a atos culposos. assinale a opção correta.com. dolosa ou culposa. na situação hipotética em questão. e dolo. Item V. 12 da LIA assim determina: “na fixação das penas previstas nesta lei o juiz levará em conta a extensão do dano causado. revelando aplicação do princípio da proporcionalidade. sendo necessária a aplicação da proporcionalidade da pena.429/92 estabelece regras relativas à prescrição da ação punitiva do Estado quanto aos atos de improbidade 245 www. 23 da Lei nº 8.

mas fixa apenas um prazo. estabelece que “o sucessor daquele que causar lesão ao patrimônio público ou se enriquecer ilicitamente está sujeito às 246 www. a Lei nº 8. Tendo em conta que o interesse público é indisponível.429/92. A Lei prevê duas hipóteses diferentes. no caso. A enumeração das condutas ímproba pela Lei nº 8. como indevidamente assevera a questão. Letra (C). em face das características descritas. a Lei nº 8. será passível de punição. Contrariando o texto da assertiva.429/92.429/1992). incorreta a letra B. A) Proposta a ação de improbidade. Embora a questão não afirme com clareza que se trata de um cargo em comissão. Portanto.1) Assinale a opção correta conforme a Lei de Improbidade (Lei n. 17. se for ímproba. 8º. e não taxativa. qual seja. em seu art. deve ser contado somente após o término do exercício do cargo em comissão. em face do que está errada a letra D. Letra (B). PATRÍCIA CARLA administrativa. proibiu expressamente a transação. conforme adequadamente posto na alternativa em análise. B) O sucessor daquele que causar lesão ao patrimônio público ou enriquecer ilicitamente está sujeito às cominações da lei além do limite do valor da herança. de cargo em comissão ou de função de confiança. o prazo qüinqüenal deve ser contado após o término do exercício do referido cargo em comissão. Como o prazo prescricional. II). 21. ainda que não expressamente prevista determinada conduta na LIA. Dessa maneira. é permitido o acordo. conforme regra posta no art. 5 (cinco) anos após o término do exercício de mandato. e não da prática do ato. será cabível o arresto dos bens do agente ou terceiro que tenha enriquecido ilicitamente ou causado dano ao patrimônio público. A aplicação das sanções previstas na LIA independe da aprovação ou rejeição das contas pelo órgão de controle interno ou pelo Tribunal ou Conselho de Contas (Lei nº 8. Gabarito: C Comentários: Letra (A). a transação ou a conciliação. razão suficiente para ter como incorreta a letra A. D) Se houver fundados indícios de responsabilidade. Com isso.(CESPE/OAB/2009. art.pontodosconcursos. acordo ou conciliação nas ações de improbidade. assim deve ser tratado.º 8. inexiste prescrição. 8 . No outro caso (exercício de cargo efetivo ou emprego). de 5 (cinco) anos.DIREITO ADMINISTRATIVO EM TEORIA E EXERCÍCIOS – STN – PROFA. Letra (D).br . remete à legislação específica sobre servidores ou empregados públicos.429/92 é meramente exemplificativa. § 1º.429/92. C) É cabível a indisponibilidade dos bens do indiciado quando o ato de improbidade causar lesão ao patrimônio público ou ensejar enriquecimento ilícito. Letra (B).com.

sendo irrelevante qual o bem que sofrerá a constrição. da decretação do seqüestro dos bens do agente ou terceiro que tenha enriquecido ilicitamente ou causado dano ao patrimônio público (Lei nº 8. se houver. § 4º: “os atos de improbidade administrativa importarão a suspensão dos direitos políticos. art. O arresto representa medida cautelar de conservação de bens patrimoniais do devedor para assegurar futuro pagamento em dinheiro. Contudo. estendidas aos sucessores e contra eles executadas. caberá à autoridade administrativa responsável pelo inquérito representar ao ministério público. na forma e gradação prevista em lei.DIREITO ADMINISTRATIVO EM TEORIA E EXERCÍCIOS – STN – PROFA. 7º da LIA fixou: “quando o ato de improbidade causar lesão ao patrimônio público ou ensejar enriquecimento ilícito. sendo ambos admitidos pela jurisprudência (STJ. 5º.” A LIA segue o mesmo sentido de outra regra constitucional. tal assertiva está incorreta. Tal conduta poderá ser sancionada com a suspensão dos direitos políticos. a perda da função pública.” De seu turno. a questão posta cobrou a literalidade da lei. 9 – (FGV/JUIZ/TJPA/2008) Analise as afirmativas a seguir: I. Convém ressaltar que ambos institutos. O próprio texto constitucional deferiu tal possibilidade de acordo com a regra inserta no art. até o limite do valor do patrimônio transferido” (CF/88. XLV). sem prejuízo da ação penal cabível. A conduta do administrador público em desrespeito ao princípio da moralidade administrativa enquadra-se nos denominados “atos de improbidade”. para o fim da CF/88 e da LIA. A previsão legal é no sentido da possibilidade. A LIA não previu o cabimento do arresto.” Portanto. nesse caso. como um bem adquirido com o produto da improbidade. A indisponibilidade de bens tem o objetivo de limitar os direitos sobre a propriedade do indiciado. Letra (D). PATRÍCIA CARLA cominações desta lei até o limite do valor da herança. 16). é o valor que ele representa. a perda da função pública. podendo a obrigação de reparar o dano e a decretação do perdimento de bens ser. O que importa. não se confundem. II. a saber: “nenhuma pena passará da pessoa do condenado. DJ 23/03/2010). garantir o futuro ressarcimento do dano. art.429/92. DJ 13/06/2005). qual seja. a indisponibilidade dos bens e o ressarcimento ao erário. AgRg na MC 7. é indiferente se a garantia advém de arresto ou de seqüestro. 37. o art. a indisponibilidade dos bens e o ressarcimento ao erário.com.pontodosconcursos. assim. De outro lado.br . para a indisponibilidade dos bens do indiciado. A rigor. RESP 957.487/GO. O princípio da democracia participativa é instrumento para a efetividade dos princípios da eficiência e da probidade administrativa. de tal forma que não possa se desfazer de seu patrimônio sem garantir o pagamento integral de eventual condenação futura (STJ. sem prejuízo da ação penal cabível. o seqüestro representa medida que busca a preservação de coisa certa. nos termos da lei. Letra (C). apesar de semelhantes. 247 www. na forma e gradação previstas em lei. na hipótese posta.766/PR. é correta a letra C.

DIREITO ADMINISTRATIVO EM TEORIA E EXERCÍCIOS – STN – PROFA. O terceiro. só pode ser responsabilizado por ação dolosa.com.429/92. Além dos agentes públicos. cargo. § 4º. 37. (B) Da declaração não precisam constar os bens móveis nem aqueles pertencentes ao cônjuge e filhos. C) se somente as afirmativas I e III estiverem corretas. observada a seguinte regra. quando tiver ciência da origem ilícita da vantagem.(FCC/TRE-AC/Técnico/2010) Nos termos da Lei de Improbidade Administrativa todo agente público deve apresentar declaração de bens. terceiros podem ser sujeitos ativos de improbidade administrativa. ainda que atualizada. dentre outras: (A) A declaração deverá ser atualizada apenas na data em que o agente deixar o exercício do mandato. emprego ou função. Assinale: A) se nenhuma afirmativa estiver correta. Gabarito: E Comentários: Viu só? Depois que fazemos questões CESPE qualquer outra banca fica moleza! Só pode ser letra E a correta com fundamento na CF/88. quando beneficiário direto ou indireto do ato de improbidade. não bastando a entrega de cópia da declaração prestada à Receita Federal. B) se somente as afirmativas I e II estiverem corretas. PATRÍCIA CARLA III. e Lei nº 8. (C) A posse e o exercício no cargo ficam condicionados à apresentação da declaração de bens e valores. 3º e 4º. A posse e o exercício de agente público ficam condicionados à apresentação de declaração dos bens e valores que compõem o seu 248 www.pontodosconcursos. D) se somente as afirmativas II e III estiverem corretas. 13. (D) A recusa à apresentação da declaração sujeita o agente à pena de suspensão até que seja apresentada. Gabarito: C Comentários: Art. arts. E) se todas as afirmativas estiverem corretas. art. 10 . ou seja. (E) A declaração deverá ser feita de próprio punho.br .

títulos. a seu critério. abrangerá os bens e valores patrimoniais do cônjuge ou companheiro.pontodosconcursos. e qualquer outra espécie de bens e valores patrimoniais. móveis. Nos termos da Lei de Improbidade Administrativa todo agente público deve apresentar declaração de bens. emprego ou função”. poderá entregar cópia da declaração anual de bens apresentada à Delegacia da Receita Federal na conformidade da legislação do Imposto sobre a Renda e proventos de qualquer natureza. Errado! Ela é atualizada anualmente. dentro do prazo determinado. sem prejuízo de outras sanções cabíveis. e. a fim de ser arquivada no serviço de pessoal competente. e qualquer outra espécie de bens e valores patrimoniais. dos 249 www. § 1° A declaração compreenderá imóveis. § 4º O declarante. dentre outras: (A) A declaração deverá ser atualizada apenas na data em que o agente deixar o exercício do mandato. dinheiro. § 1° A declaração compreenderá imóveis. com as necessárias atualizações. excluídos apenas os objetos e utensílios de uso doméstico. PATRÍCIA CARLA patrimônio privado. emprego ou função. móveis. ou que a prestar falsa. § 3º Será punido com a pena de demissão. 13. localizado no País ou no exterior. dos filhos e de outras pessoas que vivam sob a dependência econômica do declarante.br . (B) Da declaração não precisam constar os bens móveis nem aqueles pertencentes ao cônjuge e filhos. o agente público que se recusar a prestar declaração dos bens. observada a seguinte regra. semoventes. quando for o caso. ações. a bem do serviço público. ações. e. “Art. semoventes. dinheiro. cargo. abrangerá os bens e valores patrimoniais do cônjuge ou companheiro. cargo. títulos. para suprir a exigência contida no caput e no § 2° deste artigo . § 2º A declaração de bens será anualmente atualizada e na data em que o agente público deixar o exercício do mandato. emprego ou função. quando for o caso.DIREITO ADMINISTRATIVO EM TEORIA E EXERCÍCIOS – STN – PROFA.com. Errado! “Art. cargo. localizado no País ou no exterior. § 2º A declaração de bens será anualmente atualizada e na data em que o agente público deixar o exercício do mandato. 13.

ou que a prestar falsa. a fim de ser arquivada no serviço de pessoal competente.” (E) A declaração deverá ser feita de próprio punho. com as necessárias atualizações. PATRÍCIA CARLA filhos e de outras pessoas que vivam sob a dependência econômica do declarante. dentro do prazo determinado. Portanto. “Art. correta a letra C. A posse e o exercício de agente público ficam condicionados à apresentação de declaração dos bens e valores que compõem o seu patrimônio privado. para suprir a exigência contida no caput e no § 2° deste artigo.DIREITO ADMINISTRATIVO EM TEORIA E EXERCÍCIOS – STN – PROFA. a bem do serviço público. Correto! “Art. 13.. Errado! “Art. poderá entregar cópia da declaração anual de bens apresentada à Delegacia da Receita Federal na conformidade da legislação do Imposto sobre a Renda e proventos de qualquer natureza. 250 www.pontodosconcursos.br . sem prejuízo de outras sanções cabíveis. . o agente público que se recusar a prestar declaração dos bens. ainda que atualizada. 13.” (D) A recusa à apresentação da declaração sujeita o agente à pena de suspensão até que seja apresentada. não bastando a entrega de cópia da declaração prestada à Receita Federal. A posse e o exercício de agente público ficam condicionados à apresentação de declaração dos bens e valores que compõem o seu patrimônio privado..” (C) A posse e o exercício no cargo ficam condicionados à apresentação da declaração de bens e valores. a fim de ser arquivada no serviço de pessoal competente. 13. excluídos apenas os objetos e utensílios de uso doméstico. Errado!! A entrega da cópia da declaração à Receita Federal atualizada já é o suficiente.com. a seu critério. § 3º Será punido com a pena de demissão. § 4º O declarante.

DIREITO ADMINISTRATIVO EM TEORIA E EXERCÍCIOS – STN – PROFA. a obrigação de reparar o dano estende-se aos sucessores e.pontodosconcursos.br . (B) A perda dos bens acrescidos ressarcimento integral do dano. (D) está sujeito às cominações da Lei de Improbidade Administrativa apenas até a abertura do inventário. PATRÍCIA CARLA 11 . contra eles será executada. 251 www. Gabarito: D Comentários: Fácil!! Dentre as penalidades previstas na Lei nº 8429/92 não se incluem a reclusão e a detenção uma vez que a Lei de Improbidade Administrativa tem natureza civil. não tem natureza penal. (C) está sujeito às cominações da Lei de Improbidade Administrativa sem limites. (E) A proibição de receber benefícios do Poder Público e incentivos fiscais.com. para o administrador público que pratica ato de improbidade administrativa NÃO se incluem: (A) A suspensão dos direitos políticos e o pagamento de multa civil. até o limite do valor da herança recebida. o sucessor daquele que causar lesão ao patrimônio público ou se enriquecer ilicitamente (A) está sujeito às cominações da Lei de Improbidade Administrativa apenas se for o inventariante. 8° O sucessor daquele que causar lesão ao patrimônio público ou se enriquecer ilicitamente está sujeito às cominações desta lei até o limite do valor da herança. 12 .” Então.(FCC/TRE-AL/Analista/2010) Dentre as penalidades previstas na Lei no 8. (E) está sujeito às cominações da Lei de Improbidade Administrativa até o limite do valor da herança. Gabarito: E Comentários: “Art. se falecer o devedor.429/92. ilicitamente ao patrimônio e o (C) A perda da função pública e a proibição de contratar com o Poder Público. (B) não está sujeito às cominações da Lei de Improbidade Administrativa. (D) A reclusão e a detenção.(FCC/TRE-AM/Analista/2010) Tendo em vista a natureza e as implicações legais do ato de improbidade administrativa.

o agente está sujeito. (B) cinco a oito anos e pagamento de multa civil de até duas vezes o valor do dano. Errado! Está sujeito até o limite do valor da sua herança. 3. Errado! A Lei sequer menciona essa possibilidade! (B) não está sujeito às cominações da Lei de Improbidade Administrativa. não podendo cobrar mais nada dos sucessores. Errado! (D) está sujeito às cominações da Lei de Improbidade Administrativa apenas até a abertura do inventário. Correto! 13 .(FCC/TRE-AM/Analista/2010) Pela prática de ato de improbidade administrativa que atenta contra os princípios da Administração Pública.429/92. 252 www. O Estado recebe os $ 50 do espólio. nada restando aos herdeiros. PATRÍCIA CARLA Assim. três possibilidades podem surgir: 1. O Estado recebe $ 50 do espólio. O Estado recebe $ 20 do espólio. 2. Tendo em vista a natureza e as implicações legais do ato de improbidade administrativa.br . e os herdeiros distribuem os restantes $ 40. herança de $ 50.pontodosconcursos. (C) está sujeito às cominações da Lei de Improbidade Administrativa sem limites. herança de $ 90. dentre outras penalidades.com. o sucessor daquele que causar lesão ao patrimônio público ou se enriquecer ilicitamente (A) está sujeito às cominações da Lei de Improbidade Administrativa apenas se for o inventariante. herança de $ 20. O Estado fica com o prejuízo de $ 30. conforme previsto na Lei no 8. nada restando aos herdeiros. à suspensão dos direitos políticos de (A) três a cinco anos e pagamento de multa civil de até cem vezes o valor da remuneração percebida pelo agente.DIREITO ADMINISTRATIVO EM TEORIA E EXERCÍCIOS – STN – PROFA. se a dívida for de $ 50. Errado! (E) está sujeito às cominações da Lei de Improbidade Administrativa até o limite do valor da herança.

com. ressarcimento integral do dano. 11 (ato de improbidade administrativa que atenta contra os princípios da Administração Pública). 12. direta ou indiretamente.(FCC/TRT8/Analista/2010) De acordo com a Lei no 8. (B) frustrar a licitude de processo licitatório ou dispensá-lo indevidamente. (D) agir negligentemente na arrecadação de tributo ou renda.br . que podem ser aplicadas isolada ou cumulativamente.. PATRÍCIA CARLA (C) cinco a dez anos e pagamento de multa civil de até cinquenta e três vezes o valor da remuneração percebida pelo agente. se houver.pontodosconcursos. constitui ato de improbidade administrativa importando enriquecimento ilícito. (E) perceber vantagem econômica para intermediar a liberação ou aplicação de verba pública de qualquer natureza. de acordo com a gravidade do fato: (Redação dada pela Lei nº 12. de 2009). 253 www. (E) de quatro a dez anos e pagamento de multa civil de até cem vezes o valor da remuneração percebida pelo agente. (A) liberar verba pública sem a estrita observância das normas pertinentes ou influir de qualquer forma para a sua aplicação irregular. 14 . resposta letra A. III . bem como no que diz respeito à conservação do patrimônio público. dentre outros. pelo prazo de três anos. suspensão dos direitos políticos de três a cinco anos. civis e administrativas previstas na legislação específica. Portanto. perda da função pública. pagamento de multa civil de até cem vezes o valor da remuneração percebida pelo agente e proibição de contratar com o Poder Público ou receber benefícios ou incentivos fiscais ou creditícios. Gabarito: A Comentários: Art.429/92. (C) ordenar ou permitir a realização de despesas não autorizadas em lei ou regulamento.na hipótese do art.DIREITO ADMINISTRATIVO EM TEORIA E EXERCÍCIOS – STN – PROFA. . está o responsável pelo ato de improbidade sujeito às seguintes cominações..120. (D) oito a doze anos e pagamento de multa civil de até duzentas vezes o valor da remuneração percebida pelo agente. Independentemente das sanções penais. ainda que por intermédio de pessoa jurídica da qual seja sócio majoritário.

para si ou para outrem. bem como o trabalho de servidores públicos. para fazer declaração falsa sobre medição ou avaliação em obras públicas ou qualquer outro serviço. mandato. 1° desta lei.utilizar. de contrabando.receber vantagem econômica de qualquer natureza. para tolerar a exploração ou a prática de jogos de azar. para facilitar a aquisição. no exercício de mandato. direta ou indireta. para si ou para outrem.receber. 9° Constitui ato de improbidade administrativa importando enriquecimento ilícito auferir qualquer tipo de vantagem patrimonial indevida em razão do exercício de cargo. dinheiro. de lenocínio. bem móvel ou imóvel. emprego ou função pública. medida. comissão ou exercer atividade de consultoria ou assessoramento para pessoa física ou jurídica que tenha interesse 254 www. V . percentagem. para facilitar a alienação. e notadamente: I . de usura ou de qualquer outra atividade ilícita. emprego ou atividade nas entidades mencionadas no art. 1º desta lei. bens de qualquer natureza cujo valor seja desproporcional à evolução do patrimônio ou à renda do agente público. direta ou indireta. ou aceitar promessa de tal vantagem.adquirir. II . IV . veículos. empregados ou terceiros contratados por essas entidades. função. de narcotráfico. que possa ser atingido ou amparado por ação ou omissão decorrente das atribuições do agente público. art.receber vantagem econômica de qualquer natureza. de propriedade ou à disposição de qualquer das entidades mencionadas no art. em obra ou serviço particular.com.br . direta ou indireta. III . VII . ou qualquer outra vantagem econômica.pontodosconcursos. peso. 1° desta lei. 1° por preço superior ao valor de mercado. a título de comissão.perceber vantagem econômica. cargo. equipamentos ou material de qualquer natureza. ou sobre quantidade. permuta ou locação de bem público ou o fornecimento de serviço por ente estatal por preço inferior ao valor de mercado. direta ou indireta. PATRÍCIA CARLA Gabarito: E Comentários: Lei nº 8429/92. gratificação ou presente de quem tenha interesse. qualidade ou característica de mercadorias ou bens fornecidos a qualquer das entidades mencionadas no art. ou a contratação de serviços pelas entidades referidas no art.DIREITO ADMINISTRATIVO EM TEORIA E EXERCÍCIOS – STN – PROFA. direta ou indireta. permuta ou locação de bem móvel ou imóvel. direto ou indireto. VI . máquinas. VIII .aceitar emprego.perceber vantagem econômica.

por qualquer forma. em proveito próprio. (B) frustrar a licitude de processo licitatório ou dispensá-lo indevidamente.perceber vantagem econômica para intermediar liberação ou aplicação de verba pública de qualquer natureza. durante a atividade.pontodosconcursos.ordenar ou permitir a realização de despesas não autorizadas em lei ou regulamento: é ato de improbidade que causa prejuízo ao erário.receber vantagem econômica de qualquer natureza. 10. providência ou declaração a que esteja obrigado. VIII . bem como no que diz respeito à conservação do patrimônio público. a X . Errado! 255 www.com. rendas.liberar verba pública sem a estrita observância das normas pertinentes ou influir de qualquer forma para a sua aplicação irregular: é ato de improbidade que causa prejuízo ao erário. 10.frustrar a licitude de processo licitatório ou dispensá-lo indevidamente: é ato de improbidade que causa prejuízo ao erário. XI . Errado! Art. 1° desta lei. bens. Errado! Art. verbas ou valores integrantes do acervo patrimonial das entidades mencionadas no art. PATRÍCIA CARLA suscetível de ser atingido ou amparado por ação ou omissão decorrente das atribuições do agente público. XI . IX . dentre outros.429/92. XII . De acordo com a Lei no 8.br . rendas. ao seu patrimônio bens. para omitir ato de ofício. direta ou indiretamente. 1° desta lei. IX . (C) ordenar ou permitir a realização de despesas não autorizadas em lei ou regulamento.DIREITO ADMINISTRATIVO EM TEORIA E EXERCÍCIOS – STN – PROFA. verbas ou valores integrantes do acervo patrimonial das entidades mencionadas no art. constitui ato de improbidade administrativa importando enriquecimento ilícito. Errado! Art.incorporar. (D) agir negligentemente na arrecadação de tributo ou renda. (A) liberar verba pública sem a estrita observância das normas pertinentes ou influir de qualquer forma para a sua aplicação irregular.usar. 10.

qualidade ou 256 www. ou sobre o acréscimo patrimonial resultante do enriquecimento ilícito. medida. (E) perceber vantagem econômica para intermediar a liberação ou aplicação de verba pública de qualquer natureza. 9º. ou sobre quantidade. direta ou indireta. (E) a indisponibilidade dos bens recairá sobre bens que assegurem o integral ressarcimento do dano. (D) as disposições da lei não são aplicáveis ao terceiro colaborador. Correto! art. mandato.(FCC/TRT8/Analista/2010) Servidor de um Tribunal Regional do Trabalho. não possuindo vínculo. VI . emprego ou função pública. X . mandato. do agente ou do terceiro. resposta letra E.00 para fazer declaração falsa sobre medição ou avaliação em determinada obra pública no Tribunal.. (C) perderá o agente público ou o terceiro beneficiário os bens ou valores acrescidos ao seu patrimônio. 1° desta lei. dolosa ou culposa. IV. 10.. 15 .pontodosconcursos. Considerando a Lei no 8. (B) ocorrendo lesão ao patrimônio público por ação ou omissão. cargo. para fazer declaração falsa sobre medição ou avaliação em obras públicas ou qualquer outro serviço. PATRÍCIA CARLA Art. função. peso. bem como no que diz respeito à conservação do patrimônio público: é ato de improbidade que causa prejuízo ao erário.receber vantagem econômica de qualquer natureza.000. contando com a colaboração de terceiro não servidor público. Portanto. e notadamente: . por não ser ele agente público.492/92 é INCORRETO afirmar que (A) caberá à autoridade administrativa responsável pelo inquérito representar ao Ministério Público. recebeu para si e para o terceiro R$ 10.DIREITO ADMINISTRATIVO EM TEORIA E EXERCÍCIOS – STN – PROFA.agir negligentemente na arrecadação de tributo ou renda. para a indisponibilidade dos bens dos indiciados.com. emprego ou atividade nas entidades mencionadas no art. 9° Constitui ato de improbidade administrativa importando enriquecimento ilícito auferir qualquer tipo de vantagem patrimonial indevida em razão do exercício de cargo. Gabarito: D Comentários: Art.br . dar-se-á o integral ressarcimento do dano.

Errado! É verdade que o terceiro (por ser terceiro!) não possui vínculo. cargo. Considerando a Lei no 8. Correto! “Art. a ela se aplica várias penalidades. emprego ou função pública. Correto! “Art. Ou seja. mandato. No entanto. recebeu para si e para o terceiro R$ 10. 5° Ocorrendo lesão ao patrimônio público por ação ou omissão.000. contando com a colaboração de terceiro não servidor público. não possuindo vínculo. Servidor de um Tribunal Regional do Trabalho. 6° No caso de enriquecimento ilícito.br .” (B) ocorrendo lesão ao patrimônio público por ação ou omissão.00 para fazer declaração falsa sobre medição ou avaliação em determinada obra pública no Tribunal. 257 www. dar-se-á o integral ressarcimento do dano. dolosa ou culposa. do agente ou de terceiro. dolosa ou culposa. cargo.com. a exceção da perda do cargo público pelo simples fato dele não ocupar um cargo na Administração. emprego ou função pública. Correto! “Art. dar-se-á o integral ressarcimento do dano.” (C) perderá o agente público ou o terceiro beneficiário os bens ou valores acrescidos ao seu patrimônio. 16. PATRÍCIA CARLA característica de mercadorias ou bens fornecidos a qualquer das entidades mencionadas no art. por não ser ele agente público. a comissão representará ao Ministério Público ou à procuradoria do órgão para que requeira ao juízo competente a decretação do seqüestro dos bens do agente ou terceiro que tenha enriquecido ilicitamente ou causado dano ao patrimônio público.pontodosconcursos. Havendo fundados indícios de responsabilidade. do agente ou do terceiro. para a indisponibilidade dos bens dos indiciados. mandato.” (D) as disposições da lei não são aplicáveis ao terceiro colaborador. 1º desta lei. a ele também se aplicam as regras da Lei nº 8429/92.DIREITO ADMINISTRATIVO EM TEORIA E EXERCÍCIOS – STN – PROFA.492/92 é INCORRETO afirmar que (A) caberá à autoridade administrativa responsável pelo inquérito representar ao Ministério Público. no que couber. perderá o agente público ou terceiro beneficiário os bens ou valores acrescidos ao seu patrimônio.

bem móvel ou imóvel. 3° As disposições desta lei são aplicáveis. no que couber.” Resposta letra D. (E) a indisponibilidade dos bens recairá sobre bens que assegurem o integral ressarcimento do dano. 7° Quando o ato de improbidade causar lesão ao patrimônio público ou ensejar enriquecimento ilícito. (B) infração administrativa.br . mesmo não sendo agente público. (C) ato de improbidade administrativa que causa prejuízo ao erário. a título de comissão. Parágrafo único. PATRÍCIA CARLA Art. Correto! “Art. percentagem.(FCC/TRT9/Analista/2010) De conformidade com a Lei no 8.com. direto ou indireto. àquele que. gratificação ou presente de quem tenha interesse. ou qualquer outra vantagem econômica. mas não ato de improbidade administrativa. caberá a autoridade administrativa responsável pelo inquérito representar ao Ministério Público. direta ou indireta. para a indisponibilidade dos bens do indiciado. receber. (E) ato de improbidade administrativa que atenta contra os princípios da Administração Pública.429/1992. ou sobre o acréscimo patrimonial resultante do enriquecimento ilícito.DIREITO ADMINISTRATIVO EM TEORIA E EXERCÍCIOS – STN – PROFA. para si ou para outrem. 9° Constitui ato de improbidade administrativa importando enriquecimento ilícito auferir qualquer tipo de vantagem patrimonial 258 www. Gabarito: A Comentários: Dos Atos de Improbidade Administrativa que Importam Enriquecimento Ilícito: “Art.pontodosconcursos. ou sobre o acréscimo patrimonial resultante do enriquecimento ilícito. 16 . induza ou concorra para a prática do ato de improbidade ou dele se beneficie sob qualquer forma direta ou indireta. (D) crime de improbidade administrativa. A indisponibilidade a que se refere o caput deste artigo recairá sobre bens que assegurem o integral ressarcimento do dano. dinheiro. que possa ser atingido ou amparado por ação ou omissão decorrente das atribuições do agente público caracteriza (A) ato de improbidade administrativa que importa enriquecimento ilícito.

constitui (A) mero ilícito administrativo.DIREITO ADMINISTRATIVO EM TEORIA E EXERCÍCIOS – STN – PROFA. ou sem observar as formalidades previstas na lei. 1º desta lei. percentagem. malbaratamento ou dilapidação dos bens ou haveres das entidades referidas no art. correta a letra A. 10. a título de comissão. (B) ato de improbidade administrativa que importa enriquecimento ilícito. e notadamente: I . função. PATRÍCIA CARLA indevida em razão do exercício de cargo. dinheiro.com. emprego ou atividade nas entidades mencionadas no art. pois não está previsto em lei nem como ato de improbidade gerador de lesão ao erário.(FCC/TRT22/Analista/2010) Celebrar contrato de rateio de consórcio público sem observar as formalidades previstas em lei. XV – celebrar contrato de rateio de consórcio público sem suficiente e prévia dotação orçamentária. apropriação. desvio. 1° desta lei. (D) apenas conduta criminosa.(FCC/TRT22/Analista/2010) De acordo com a Lei no 8. direto ou indireto. (C) ato de improbidade administrativa que atenta contra os princípios da Administração Pública. durante a atividade. mandato.. gratificação ou presente de quem tenha interesse.107.br .pontodosconcursos. (E) ato de improbidade administrativa causador de prejuízo ao erário. Constitui ato de improbidade administrativa que causa lesão ao erário qualquer ação ou omissão. (Incluído pela Lei nº 11. bem móvel ou imóvel. dolosa ou culposa. não caracterizando ato ímprobo. Gabarito: E Comentários: “Art. que possa ser atingido ou amparado por ação ou omissão decorrente das atribuições do agente público”. ou qualquer outra vantagem econômica. 17 .429/92. e notadamente: . direta ou indireta. 259 www.receber. para si ou para outrem. Portanto. que enseje perda patrimonial. de 2005)” 18 . que dispõe sobre improbidade administrativa: (A) Não constitui ato ímprobo exercer atividade de consultoria para pessoa física ou jurídica que tenha interesse suscetível de ser atingido ou amparado por ação ou omissão decorrente de atribuições do agente público. nem que importe em enriquecimento ilícito..

(C) O sucessor daquele que praticou ato de improbidade atentatório aos princípios da Administração Pública.429/92. PATRÍCIA CARLA (B) Está sujeito às penalidades da Lei de Improbidade. beneficie-se do ato ímprobo. Errado! (C) O sucessor daquele que praticou ato de improbidade atentatório aos princípios da Administração Pública. 10 e 11. o ato praticado contra entidade para cuja criação ou custeio o erário haja concorrido com menos de cinqüenta por cento do patrimônio ou receita anual. mesmo não sendo agente público. qual seja. apesar da situação acima não estar descrita nos arts. (D) As disposições da Lei de Improbidade aplicam-se àquele que. o de negar a publicidade de atos oficiais. durante a atividade. poderá representar ao Juiz de Direito para a indisponibilidade de bens do indiciado. sob qualquer forma direta ou indireta. 260 www. estará sujeito às sanções da Lei de Improbidade. Errado! É ato de improbidade! O rol dos atos de improbidade administrativa é meramente exemplificativo. 9º. qual seja. inexistindo limite à sanção patrimonial.pontodosconcursos. desde que noticiada acerca de ato ímprobo causador de lesão ao erário ou de enriquecimento ilícito. porém até o limite do valor da herança. Gabarito: D Comentários: De acordo com a Lei no 8. estará sujeito às sanções da Lei de Improbidade.DIREITO ADMINISTRATIVO EM TEORIA E EXERCÍCIOS – STN – PROFA. o de negar a publicidade de atos oficiais.com.br . que dispõe sobre improbidade administrativa: (A) Não constitui ato ímprobo exercer atividade de consultoria para pessoa física ou jurídica que tenha interesse suscetível de ser atingido ou amparado por ação ou omissão decorrente de atribuições do agente público. (B) Está sujeito às penalidades da Lei de Improbidade. pode ser considerado ato de improbidade administrativa. porém até o limite do valor da herança. (E) Qualquer autoridade. inexistindo limite à sanção patrimonial. o ato praticado contra entidade para cuja criação ou custeio o erário haja concorrido com menos de cinqüenta por cento do patrimônio ou receita anual.

Constitui ato de improbidade administrativa que atenta contra os princípios da Administração Pública.pontodosconcursos. Portanto. (D) As disposições da Lei de Improbidade aplicam-se àquele que. (E) Qualquer autoridade. Constitui ato de improbidade administrativa que atenta contra os princípios da Administração Pública. beneficie-se do ato ímprobo. Art. permitir a realização de despesas não autorizadas em lei. 14. frustrar a licitude de concurso público. mesmo não sendo agente público. induza ou concorra para a prática do ato de improbidade ou dele se beneficie sob qualquer forma direta ou indireta. aquele estranho à Administração mas que responde pela Lei de Improbidade Administrativa. sob qualquer forma direta ou indireta. Correto! É a figura do terceiro. Art. correta a letra D. (B) I e III. I.(FCC/TRT22/Analista/2010) Analise as assertivas abaixo acerca dos atos de improbidade administrativa. realizar operação financeira sem observância das normas legais e regulamentares. ele não praticou qualquer ato de improbidade! Ele ficará sujeito tão somente ao pagamento do dano e nada mais. àquele que. no que couber. PATRÍCIA CARLA Errado! Ele não está sujeito às sanções. Qualquer pessoa poderá representar à autoridade administrativa competente para que seja instaurada investigação destinada a apurar a prática de ato de improbidade. II. Errado! Não é qualquer autoridade.br . poderá representar ao Juiz de Direito para a indisponibilidade de bens do indiciado.com. III. desde que noticiada acerca de ato ímprobo causador de lesão ao erário ou de enriquecimento ilícito.DIREITO ADMINISTRATIVO EM TEORIA E EXERCÍCIOS – STN – PROFA. De acordo com a Lei no 8. mesmo não sendo agente público. 261 www. IV.429/92 está correto o que se afirma APENAS em (A) I e II. 3° As disposições desta lei são aplicáveis. 19 . O ato de improbidade administrativa causador de prejuízo ao erário somente é punível na modalidade dolosa. no que couber. Constitui ato de improbidade administrativa causador de prejuízo ao erário. afinal. é qualquer pessoa.

que enseje perda patrimonial. Constitui ato de improbidade administrativa que atenta contra os princípios da Administração Pública. 1º desta lei.deixar de prestar contas quando esteja obrigado a fazê-lo. desvio. legalidade.praticar ato visando fim proibido em lei ou regulamento ou diverso daquele previsto. VI .negar publicidade aos atos oficiais.revelar fato ou circunstância de que tem ciência em razão das atribuições e que deva permanecer em segredo. indevidamente. ato de ofício. IV . teor de medida política ou econômica capaz de afetar o preço de mercadoria.frustrar a licitude de concurso público. III . na regra de competência.” II. V . imparcialidade. 10. 11. antes da respectiva divulgação oficial. apropriação.pontodosconcursos. I. Constitui ato de improbidade administrativa que causa lesão ao erário qualquer ação ou omissão. e lealdade às instituições. Correto! “Art.com. VII . Correto! “Art.revelar ou permitir que chegue ao conhecimento de terceiro. (D) II e III.retardar ou deixar de praticar. PATRÍCIA CARLA (C) I e IV. Gabarito: A Comentários: Analise as assertivas abaixo acerca dos atos de improbidade administrativa. Constitui ato de improbidade administrativa que atenta contra os princípios da administração pública qualquer ação ou omissão que viole os deveres de honestidade. bem ou serviço. e notadamente: 262 www. frustrar a licitude de concurso público. II . permitir a realização de despesas não autorizadas em lei.br . (E) III e IV. Constitui ato de improbidade administrativa causador de prejuízo ao erário.DIREITO ADMINISTRATIVO EM TEORIA E EXERCÍCIOS – STN – PROFA. dolosa ou culposa. malbaratamento ou dilapidação dos bens ou haveres das entidades referidas no art. e notadamente: I .

desvio. de bens. o foco principal está no dano ao erário. aqui há determinação expressa no sentido de serem punidas as condutas dolosas e culposas: Art. apropriação. malbaratamento ou dilapidação dos bens ou haveres das entidades mencionadas. O ato de improbidade administrativa causador de prejuízo ao erário somente é punível na modalidade dolosa. dolosa ou culposa. importando enriquecimento ilícito. rendas..” III. 9º e 11. constitui ato de improbidade administrativa que causa lesão ao erário qualquer ação ou omissão. e notadamente: .DIREITO ADMINISTRATIVO EM TEORIA E EXERCÍCIOS – STN – PROFA. Destaque-se que. ato de improbidade (A) facilitar ou concorrer por qualquer forma para a incorporação ao patrimônio particular. malbaratamento ou dilapidação dos bens ou haveres das entidades referidas no art. VI . Constitui ato de improbidade administrativa que atenta contra os princípios da Administração Pública. malbaratamento ou dilapidação dos bens ou haveres das entidades referidas no art. Constitui ato de improbidade administrativa que causa lesão ao erário qualquer ação ou omissão. PATRÍCIA CARLA . independente do enriquecimento ilícito do agente. Assim. que enseje perda patrimonial.com.. 20 . Constitui ato de improbidade administrativa que causa lesão ao erário qualquer ação ou omissão. apropriação. desvio. desvio. dolosa ou culposa. que enseje perda patrimonial. apropriação. 1º desta lei. 10. 10). 10.. realizar operação financeira sem observância das normas legais e regulamentares. de pessoa física ou jurídica.br . de forma diversa dos arts. 1º desta lei. que enseje perda patrimonial.realizar operação financeira sem observância das normas legais e regulamentares ou aceitar garantia insuficiente ou inidônea” IV. IX . Errado! “Art. Errado! Nesse segundo tipo de ato de improbidade (art..(FCC/TRT2/Analista/2008) Constitui administrativa. dolosa ou culposa.ordenar ou permitir a realização de despesas não autorizadas em lei ou regulamento. correta a letra A. e notadamente: Portanto. verbas 263 www.pontodosconcursos.

DIREITO ADMINISTRATIVO EM TEORIA E EXERCÍCIOS – STN – PROFA. PATRÍCIA CARLA
ou valores integrantes do acervo patrimonial das entidades mencionadas no
art. 1o da lei que trata deste assunto.
(B) aceitar emprego, comissão ou exercer atividade de consultoria ou
assessoramento para pessoa física ou jurídica que tenha interesse
suscetível de ser atingido ou amparado por ação ou omissão decorrente das
atribuições do agente público, durante a atividade.
(C) conceder benefício administrativo ou fiscal sem a observância das
formalidades legais ou regulamentares aplicáveis à espécie.
(D) permitir, facilitar ou concorrer para que terceiro se enriqueça
ilicitamente.
(E) revelar ou permitir que chegue ao conhecimento de terceiro, antes da
respectiva divulgação oficial, teor de medida política ou econômica capaz de
afetar o preço de mercadoria, bem ou serviço.
Gabarito: B
Comentários:

Constitui ato de improbidade administrativa, importando enriquecimento
ilícito,
(A) facilitar ou concorrer por qualquer forma para a incorporação ao
patrimônio particular, de pessoa física ou jurídica, de bens, rendas, verbas
ou valores integrantes do acervo patrimonial das entidades mencionadas no
art. 1o da lei que trata deste assunto.
Errado! É ato do art. 10 – causar prejuízo ao erário:
“Art. 10, I - facilitar ou concorrer por qualquer forma para a incorporação
ao patrimônio particular, de pessoa física ou jurídica, de bens, rendas,
verbas ou valores integrantes do acervo patrimonial das entidades
mencionadas no art. 1º desta lei.”
(B) aceitar emprego, comissão ou exercer atividade de consultoria ou
assessoramento para pessoa física ou jurídica que tenha interesse
suscetível de ser atingido ou amparado por ação ou omissão decorrente das
atribuições do agente público, durante a atividade.
Correto! É ato do art. 9º - enriquecimento ilícito:
“Art. 9º, VIII - aceitar emprego, comissão ou exercer atividade de
consultoria ou assessoramento para pessoa física ou jurídica que tenha
interesse suscetível de ser atingido ou amparado por ação ou omissão
decorrente das atribuições do agente público, durante a atividade.”

264
www.pontodosconcursos.com.br

DIREITO ADMINISTRATIVO EM TEORIA E EXERCÍCIOS – STN – PROFA. PATRÍCIA CARLA
(C) conceder benefício administrativo ou fiscal sem a observância das
formalidades legais ou regulamentares aplicáveis à espécie.
Errado! É ato do art. 10 – causar prejuízo ao erário:
“Art. 10, VII - conceder benefício administrativo ou fiscal sem a observância
das formalidades legais ou regulamentares aplicáveis à espécie.”

(D) permitir, facilitar ou concorrer para que terceiro se enriqueça
ilicitamente.
Errado! É ato do art. 10 – causar prejuízo ao erário:
“Art. 10, XII - permitir, facilitar ou concorrer para que terceiro se enriqueça
ilicitamente”
(E) revelar ou permitir que chegue ao conhecimento de terceiro, antes da
respectiva divulgação oficial, teor de medida política ou econômica capaz de
afetar o preço de mercadoria, bem ou serviço.
Errado! É ato do art.
Administração Pública:

11

atentar

contra

os

princípios

da

“Art. 11, VII - revelar ou permitir que chegue ao conhecimento de terceiro,
antes da respectiva divulgação oficial, teor de medida política ou econômica
capaz de afetar o preço de mercadoria, bem ou serviço.”
Portanto, correta a letra B.
21 - (FCC/TRT18/Analista/2008) Na prática de ato de improbidade
administrativa que importe enriquecimento ilícito, o agente público está
sujeito à pena de suspensão dos direitos políticos com duração de, no
mínimo,
(A) cinco anos e, no máximo, dez anos.
(B) dois anos e, no máximo, quatro anos.
(C) três anos e, no máximo, seis anos.
(D) oito anos e, no máximo, dez anos.
(E) oito anos e, no máximo, doze anos.
Gabarito: D
Comentários:

265
www.pontodosconcursos.com.br

DIREITO ADMINISTRATIVO EM TEORIA E EXERCÍCIOS – STN – PROFA. PATRÍCIA CARLA
“Art. 12. Independentemente das sanções penais, civis e administrativas
previstas na legislação específica, está o responsável pelo ato de
improbidade sujeito às seguintes cominações, que podem ser aplicadas
isolada ou cumulativamente, de acordo com a gravidade do fato: (Redação
dada pela Lei nº 12.120, de 2009).
I - na hipótese do art. 9°, perda dos bens ou valores acrescidos
ilicitamente ao patrimônio, ressarcimento integral do dano, quando houver,
perda da função pública, suspensão dos direitos políticos de oito a dez
anos, pagamento de multa civil de até três vezes o valor do acréscimo
patrimonial e proibição de contratar com o Poder Público ou receber
benefícios ou incentivos fiscais ou creditícios, direta ou indiretamente, ainda
que por intermédio de pessoa jurídica da qual seja sócio majoritário, pelo
prazo de dez anos”
Correta a letra D.
22 - (FCC/SJCDH/Agente Penitenciário/2010) O agente público que
atentar contra os princípios administrativos, sem enriquecer-se
indevidamente e sem causar lesão ao erário, poderá receber, dentre outras,
as sanções de proibição de contratar com o Poder Público por:

(A) dois anos, com perda da função pública, e multa civil.
(B) três anos e perda da função pública.
(C) cinco anos, sem perda da função pública, e multa civil.
(D) seis anos e perda da função pública.
(E) oito anos e perda da função pública.

Gabarito: B
Comentários: De acordo com a tabela que nós já memorizamos a correta é
a letra B.

23 - (FCC/TCE-AP/Procurador/2010) A caracterização de determinado
ato como improbidade, nos termos da Lei no 8.429/92, exige,
necessariamente,
(A) enriquecimento ilícito por parte do agente público.
(B) dolo ou culpa.
(C) agente público como sujeito ativo do ato.
266
www.pontodosconcursos.com.br

DIREITO ADMINISTRATIVO EM TEORIA E EXERCÍCIOS – STN – PROFA. PATRÍCIA CARLA
(D) prejuízo a entidade da administração direta ou indireta.
(E) prejuízo financeiro a uma das entidades definidas como sujeito passivo
na lei.
Gabarito: B
Comentários:
(A) enriquecimento ilícito por parte do agente público.
Errado. É possível a prática de ato de improbidade independentemente do
enriquecimento ilícito no tipo de ato causar um dano ao erário, por
exemplo.
(B) dolo ou culpa.
Correto!
(C) agente público como sujeito ativo do ato.
Errado! O sujeito ativo do ato de improbidade é o agente público, porém
aquele que induza, concorra ou se beneficie da prática do ato de
improbidade, mesmo não sendo agente público, estará sujeito às sanções
da Lei de Improbidade Administrativa no que couber, art. 3º, Lei 8429/92.
O erro da questão foi ter dito “necessariamente”.
(D) prejuízo a entidade da administração direta ou indireta.
Errado! Independentemente de prejuízo à Administração, é possível a
prática do ato de improbidade.
(E) prejuízo financeiro a uma das entidades definidas como sujeito passivo
na lei.
Errado! Independentemente de prejuízo à Administração, é possível a
prática do ato de improbidade.

24 - (FCC/TRE-AC/Técnico/2010) Nos termos da Lei de Improbidade
Administrativa todo agente público deve apresentar declaração de bens,
observada a seguinte regra, dentre outras:
(A) A declaração deverá ser atualizada apenas na data em que o agente
deixar o exercício do mandato, cargo, emprego ou função.
(B) Da declaração não precisam constar os bens móveis nem aqueles
pertencentes ao cônjuge e filhos.

267
www.pontodosconcursos.com.br

DIREITO ADMINISTRATIVO EM TEORIA E EXERCÍCIOS – STN – PROFA. PATRÍCIA CARLA
(C) A posse e o exercício no cargo ficam condicionados à apresentação da
declaração de bens e valores.
(D) A recusa à apresentação da declaração sujeita o agente à pena de
suspensão até que seja apresentada.
(E) A declaração deverá ser feita de próprio punho, não bastando a entrega
de cópia da declaração prestada à Receita Federal, ainda que atualizada.
Gabarito: C
Comentários:
(A) A declaração deverá ser atualizada apenas na data em que o agente
deixar o exercício do mandato, cargo, emprego ou função.
Errado! Art. 13, Lei nº 8429/92, § 2º “A declaração de bens será
anualmente atualizada e na data em que o agente público deixar o
exercício do mandato, cargo, emprego ou função”.
(B) Da declaração não precisam constar os bens móveis nem aqueles
pertencentes ao cônjuge e filhos.
Errado! Art. 13, Lei nº 8429/92, § 1° A declaração compreenderá imóveis,
móveis, semoventes, dinheiro, títulos, ações, e qualquer outra espécie de
bens e valores patrimoniais, localizado no País ou no exterior, e, quando for
o caso, abrangerá os bens e valores patrimoniais do cônjuge ou
companheiro, dos filhos e de outras pessoas que vivam sob a
dependência econômica do declarante, excluídos apenas os objetos e
utensílios de uso doméstico.
(C) A posse e o exercício no cargo ficam condicionados à apresentação da
declaração de bens e valores.
Correto! Art. 13, caput, Lei nº 8429/92 “A posse e o exercício de agente
público ficam condicionados à apresentação de declaração dos bens
e valores que compõem o seu patrimônio privado, a fim de ser arquivada
no serviço de pessoal competente”.
(D) A recusa à apresentação da declaração sujeita o agente à pena de
suspensão até que seja apresentada.
Errado! Art. 13, § 3º, Lei nº 8429/92 “Será punido com a pena de
demissão, a bem do serviço público, sem prejuízo de outras sanções
cabíveis, o agente público que se recusar a prestar declaração dos bens,
dentro do prazo determinado, ou que a prestar falsa”.
(E) A declaração deverá ser feita de próprio punho, não bastando a entrega
de cópia da declaração prestada à Receita Federal, ainda que atualizada.
268
www.pontodosconcursos.com.br

até cinco anos após o término do exercício de mandato.br . para suprir a exigência contida no caput e no § 2° deste artigo”. Gabarito: C Comentários: Vejamos o que dispõe a lei a respeito: Lei 8429. 269 www. nos termos da Lei nº 8. Portanto. e) dentro do prazo prescricional previsto em lei específica para faltas disciplinares puníveis com suspensão.(FCC/TRE-PE/Analista/2011) João ocupou durante dois anos cargo em comissão no Tribunal Regional Eleitoral do Estado de Pernambuco. com as necessárias atualizações. para oferecer manifestação por escrito dentro do prazo de a) 10 dias. o juiz mandará autuá-la e ordenará a notificação do requerido. d) 15 dias.com. b) dentro do prazo prescricional previsto em lei específica para faltas disciplinares puníveis com demissão a bem do serviço público. Art. 25 . correta a letra C. 23. Desta feita. contados do ingresso de João no aludido cargo. Em razão de alguns atos por ele praticados durante o aludido cargo.(FCC/TRE-PE/Técnico/2011) Segundo a Lei nº 8. de cargo em comissão ou de função de confiança.DIREITO ADMINISTRATIVO EM TEORIA E EXERCÍCIOS – STN – PROFA. c) em até cinco anos após o término do exercício do referido cargo.pontodosconcursos. 13. b) 20 dias. PATRÍCIA CARLA Errado! Art. Lei nº 8429/92 “O declarante. As ações destinadas a levar a efeitos as sanções previstas nesta lei podem ser propostas: I . o Ministério Público decidiu propor contra João ação de improbidade administrativa. c) 30 dias.429/1992. estando a inicial em devida forma. § 4º. 26 .429/1992. a ação de improbidade deverá ser proposta a) em até dez anos após o término do exercício do referido cargo. d) em até cinco anos. a seu critério. poderá entregar cópia da declaração anual de bens apresentada à Delegacia da Receita Federal na conformidade da legislação do Imposto sobre a Renda e proventos de qualquer natureza.

poderá ser sancionado com a pena. o agente público que praticou ato de improbidade administrativa previsto no artigo 11 da mencionada lei (ato ímprobo que atenta contra os princípios da Administração Pública).429/1992. § 7o Estando a inicial em devida forma.DIREITO ADMINISTRATIVO EM TEORIA E EXERCÍCIOS – STN – PROFA. 11) SUSPENSÃO DOS DIREITOS POLÍTICOS 03 A 05 ANOS PERDA DA FUNÇÃO PÚBLICA SIM PGTO MULTA CIVIL PROIBIÇÃO DE CONTRATAR COM O PODER PÚBLICO RESSARCIMENTO INTEGRAL DO DANO PERDA DOS BENS OU VALORES INDEVIDOS ATÉ 100X O VALOR DA REMUNERAÇÃO 03 ANOS QUANDO HOUVER ------- (DOLO) 270 www.br . 27 . cinco vezes o valor do dano. c) multa civil de. dentre outras. d) proibição de receber benefícios ou incentivos fiscais ou creditícios pelo prazo de três anos. no máximo.429. para oferecer manifestação por escrito. PATRÍCIA CARLA e) 5 dias. e) multa civil de até duzentas vezes o valor da remuneração percebida pelo agente. dentro do prazo de quinze dias.(FCC/TRE-AP/Analista/2011) Nos termos da Lei nº 8. Gabarito: D Comentários: Lei 8. b) suspensão de direitos políticos de seis a oito anos.com. o juiz mandará autuá-la e ordenará a notificação do requerido. de a) proibição de contratar com o Poder Público pelo prazo de cinco anos. art. Gabarito: D Comentários: MODALIDADES ATOS ATENTATÓRIOS AOS PRINCÍPIOS DA ADM PÚBLICA (Art. 17.pontodosconcursos. que poderá ser instruída com documentos e justificações.

em obra ou serviço particular. Constitui ato de improbidade administrativa que causa lesão ao erário qualquer ação ou omissão. da Lei nº 8. b) receber vantagem econômica de qualquer natureza. e notadamente: (.429/1992. b) retardar. 10.(FCC/TRE-RN/Analista/2011) Constitui administrativa causa. e) utilizar. direta ou indiretamente.. emprego ou função pública. apropriação. d) permitir que chegue ao conhecimento de terceiro . teor de medida política ou econômica capaz de afetar o preço de mercadoria. c) adquirir.. no exercício de mandato. antes da respectiva divulgação oficial. PATRÍCIA CARLA 28 . Gabarito: A Comentários: Art.(FCC/TRT-23/Analista/2011) Constitui ato de improbidade administrativa previsto especificamente no artigo 10. indevidamente. o trabalho de servidores públicos da União. bens de qualquer natureza cujo valor seja desproporcional à evolução do patrimônio ou à renda do agente público.pontodosconcursos..dor de lesão ao erário: ato de improbidade a) deixar de prestar contas quando esteja obrigado a fazê-lo.) 29 .) VIII .DIREITO ADMINISTRATIVO EM TEORIA E EXERCÍCIOS – STN – PROFA.com. ato de ofício.frustrar indevidamente.. 271 www. desvio. d) receber vantagem econômica de qualquer natureza. dolosa ou culposa. providência ou declaração a que esteja obrigado. c) frustrar a licitude de concurso público. para omitir ato de ofício. que enseje perda patrimonial. 1º desta lei. cargo.br . malbaratamento ou dilapidação dos bens ou haveres das entidades referidas no art. bem ou serviço. isto é. direta ou indireta. para fazer declaração falsa sobre medição ou avaliação em obras públicas. a licitude de processo licitatório ou dispensá-lo (. ato causador de prejuízo ao erário: a) frustrar a licitude de processo licitatório. para si ou para outrem.

agir negligentemente na arrecadação de tributo ou renda.DIREITO ADMINISTRATIVO EM TEORIA E EXERCÍCIOS – STN – PROFA. PATRÍCIA CARLA e) agir negligentemente no que diz respeito à conservação do patrimônio público. desvio.) X . que se contenta com a comprovação de que o serviço não foi prestado ou foi prestado de forma ineficiente ou atrasada.. malbaratamento ou dilapidação dos bens ou haveres das entidades referidas no art. e notadamente: (. 10. a) admitindo a aplicação da culpa anônima ou culpa do serviço. dolosa ou culposa. 272 www. que enseje perda patrimonial.pontodosconcursos.br . bem como no que diz respeito à conservação do patrimônio público. 1º desta lei. Gabarito: A Comentários: Lei nº 8429/92. Constitui ato de improbidade administrativa que causa lesão ao erário qualquer ação ou omissão.com. Art. apropriação..

527. de 18 de novembro de 2011. devendo o pedido conter a identificação do requerente e a especificação da informação requerida. os motivos determinantes da solicitação de acesso às informações de interesse público devem ser apresentados pelo cidadão requerente.527/11. Vejamos: Art. Quanto ao procedimento de pedido de acesso. ser-lhe indicada a autoridade competente para sua apreciação. c) sob pena de indeferimento do pedido.(ESAF/Receita/Analista/2012) Previsto no inciso XXXIII do artigo 50 . ainda.com. os motivos determinantes da solicitação de acesso às informações de interesse público devem ser apresentados pelo cidadão requerente. o direito ao acesso a informações públicas foi regulado pela Lei n. prazos e condições para sua interposição. b) os órgãos e entidades do poder público devem viabilizar alternativa de encaminhamento de pedidos de acesso a informações por meio de seus sítios oficiais na internet. § 2o Os órgãos e entidades do poder público devem viabilizar alternativa de encaminhamento de pedidos de acesso por meio de seus sítios oficiais na internet. é incorreto afirmar que: a) qualquer interessado poderá apresentar pedido de acesso a informações aos órgãos e entidades referidos na Lei. § 1o Para o acesso a informações de interesse público. 10. 273 www. 12. Qualquer interessado poderá apresentar pedido de acesso a informações aos órgãos e entidades referidos no art.br . devendo o pedido conter a identificação do requerente e a especificação da informação requerida. no inciso II do §30 do artigo 37 e no §20 do artigo 216 da Constituição Federal. Gabarito: C Comentários: Aqui é a literalidade da Lei nº 12. por qualquer meio legítimo. 1 o desta Lei. c) sob pena de indeferimento do pedido. o requerente deverá ser informado sobre a possibilidade de recurso. PATRÍCIA CARLA 30 . d) quando não for autorizado o acesso por se tratar de informação total ou parcialmente sigilosa. a identificação do requerente não pode conter exigências que inviabilizem a solicitação. por qualquer meio legítimo.DIREITO ADMINISTRATIVO EM TEORIA E EXERCÍCIOS – STN – PROFA. salvo nas hipóteses de reprodução de documentos pelo órgão ou entidade pública consultada.pontodosconcursos. e) o serviço de busca e fornecimento da informação é gratuito. devendo. situação em 0 poderá ser cobrado exclusivamente o valor necessário ao ressarcimento do custo dos serviços e materiais utilizados.

PATRÍCIA CARLA § 3o São vedadas quaisquer exigências relativas aos motivos determinantes da solicitação de informações de interesse público.DIREITO ADMINISTRATIVO EM TEORIA E EXERCÍCIOS – STN – PROFA.com.br .pontodosconcursos. 274 www.