ISSN 2183—2196

Ano Letivo 2016/17

revist@
revist@mais
revist@ nº 12
janeiro 2017

Agrupamento de Escolas de Oliveira do Bairro

ficha técnica

índice
3

editori@l

revist@mais

4

… em entrevist@

equipa técnica

9

opini@o

10

ensino profissionalizante em revist@

15

pré-escolar em revist@

título

Capa: Mariana Lopes (2ºD)
Revisão: Angelina Cristino e Rosa Guerra
Editor: Joaquim de Almeida
Entrevista: Angelina Cristino e Rosa Guerra

ISSN
2183—2196

tiragem
250 exemplares
Reservados todos os direitos de acordo
com a legislação em vigor
janeiro 2017

agradecimentos
A toda a comunidade escolar, mas especialmente aos alunos sem os quais esta
publicação não faria sentido.

2

16

1º ciclo em revist@

24

acontece no @eob

32

bibliotec@ndo ...

33

PES em revist@ ...

35

educação especi@l

36

trabalhos de @lunos

37

... for@ de portas

38

desporto em revist@

editorial
ça tem sido uma constante ao longo da história, estando o sucesso intrinse-

Mudemos a estatística em 2017

camente ligado à capacidade de adaptação. A prática docente evoluiu, mas

Se me fosse pedida a opinião sobre o temperamento dos portugueses, diria
que somos um povo simpático, acolhedor, amante da família e apreciador
de pequenos prazeres, empreendedor, labutador, enfim, responsável, alegre e divertido sem entrar em euforias.

também a de um pedreiro, de um carpinteiro, de um soldado ou de um en-

genheiro, não ficando a vivência familiar fora desta alteração. A adaptação
nem sempre é fácil, mas há que a encarar como inevitável.

Dificilmente vamos encontrar prazer em algo que à partida negamos, que não

Pois imagine-se a minha surpresa ao ler, numa dessas publicações baseada
em indagações dum qualquer estudo de um determinado pesquisador, que

aceitamos. É de louvar o direito de negar, de recusar, desde que acompanhado da indicação de alternativas viáveis.

“os portugueses são um povo ansioso”. Será??!!

Vamos ser práticos e inteligentes e viver com entusiasmo, fazer parte

Refletindo um pouco mais sobre esta questão, assomaram à minha mente
expressões hoje comuns um pouco por todo o lado, tais como: “estou
exausto!”, “já não suporto isto!”, “estou farto!”, “nunca mais chego à aposentação!”.

das escolhas e das mudanças, desempenhar as nossas funções com gosto,
com empenho; vamos trocar a espera ansiosa da hora da partida, das férias,
da aposentação, pelo deleite do momento; transformar as fraquezas em for-

ças, as dificuldades em desafios, saborear a descoberta das novas experiên-

Bem… estas não são de modo algum manifestações proferidas por almas
venturosas, serenas, prontas a enfrentar desafios ou abraçar nobres causas.
Traduzem antes o desejo de quem quer que o tempo corra, que a mente se
aquiete. O que se passa então com este povo que julgava ditoso, inconformado, sempre lutando por atingir metas inatingíveis, que escreveu “Os Lusíadas”? Porque se sentem desmotivados?

cias.
A motivação cultiva-se! A felicidade dá muito trabalho a alcançar! Adotemos
o lema “vou participar, vou conseguir!”
Para os nossos filhos e netos queremos uma sociedade livre, participativa e
responsável, será esse o nosso legado. E comecemos pela escola! É uma ilusão pensar que o sucesso da escola depende do seu projeto educativo – tam-

Penso que caímos um pouco no infortúnio do nosso fado, que há demasiados portugueses confortavelmente sentados à espera da raspadinha ou do
Euromilhões, aspirando a que o Estado continue a providenciar o tal subsídio, a IPSS a refeição, a escola a cumprir a sua missão social, que a mudança

bém, mas acima de tudo depende de quem a integra, de como a vivemos.
Para termos alunos entusiastas, teremos que lhes transmitir entusiasmo!
Esta é uma boa altura para a mudança, pois novo ano se iniciou.
Sejam felizes em 2017!

aconteça, mas provocada pelos outros. Estamos a viver numa sociedade de
direitos, esquecendo frequentemente os deveres, e o facto de que a sociedade somos todos nós; caímos na “caridadezinha”, a maior aliada da estagnação e da desventura; abundam os treinadores de bancada, pois é bem
mais fácil criticar do que construir!
E onde fica a realização pessoal, a satisfação do dever a ser cumprido, o sen-

3

timento de que estamos a contribuir para a concretização de objetivos pessoais e coletivos?

A realidade hoje é diferente do que era há poucos anos atrás, mas a mudan-

Júlia Gradeço - Diretora do AEOB

...em entrevista

à conversa com ...
Arsélio Pato de Carvalho,
Diretor do Instituto de Educação e Cidadania

4

Preferências

... em entrevist@

Arsélio Pato de Carvalho nasceu na Mamarrosa, onde frequentou o ensino primário, e
foi para os Estados Unidos, como estudante, aos 16 anos, em 1950. Completou o ensino

...em entrevista

As origens

Escritor preferido: O Eça de Queirós, pela linguagem

pré-universitário já nos Estados Unidos, e obteve a licenciatura e o doutoramento em

rica e pela descrição da sociedade que permanece atua-

Bioquímica e Biologia Celular na Universidade da Califórnia, Berkeley. Foi docente na

lizada.

Universidade de Columbia (1964-1967; 1969) e investigador no Institute for Muscle Di-

Cantor: Vários cantores de intervenção, a começar com

sease, em Nova Iorque (1963-1970). Em 1970, regressou a Portugal, como professor

Zeca Afonso, não só pela música, mas pela eficácia com

catedrático da Universidade de Coimbra, para "reconstruir" o Departamento de Zoologia, e

que transmitem mensagens fortes à sociedade, que são

criar o primeiro centro de investigação científica de Biologia Celular, que dirigiu e moderni-

facilmente absorvidas por todas as idades. No entanto,

zou, ao longo de 30 anos.

ouço mais música clássica. Estou quase sempre ligado à
Antena 2, que também fornece a música de ambiente
no IEC.
Prato: Bom peixe, bem preparado de qualquer maneira.
Destino: As circunstâncias da vida que vivi como académico/cientista não permitiram absorver o conceito de
férias, porque a minha profissão exigia muitas deslocações em serviço a congressos, universidades, institutos
de investigação, em muitas partes do mundo, e, geral-

O desafio
Quando Arsélio Pato de Carvalho se mudou de Nova Iorque para Coimbra, em 1970, a Biologia Moderna, o ensino experimental da Biologia Celular e Molecular e a internacionalização
da Ciência nestas áreas ainda não tinham chegado a Coimbra. Os laboratórios estavam vazios, o ensino era árido e autoritário, à base das sebentas. O desafio foi construir uma cultura de trabalho, de ciência experimental moderna, de ensino graduado e pós-graduado capaz
de preparar novas gerações de cientistas nas áreas das Biociências e da Biomedicina modernas, criar centros de investigação e sociedades científicas nestas áreas e dar relevo a esta
nova força dentro da universidade.

mente, associava a essas viagens de trabalho a férias,
porque aproveitava a mudança de ambiente para recar-

Mobilização dos jovens para a Ciência rumo à interdisciplinaridade e à excelência

regar as baterias e visitar os locais por onde passavam.

Arsélio Pato de Carvalho lançou a atividade científica onde ela não existia, com jovens licen-

Passatempo: Nos meus anos de maior vitalidade, sem-

ciados que formou, e conseguiu que essa atividade evoluísse com grande qualidade ao lon-

pre pratiquei desporto com grande intensidade. Joguei

go de décadas, até aos dias de hoje. Foi pioneiro na criação de equipas de investigação em

futebol até aos 50 anos! Estou sempre a ler um livro,

Coimbra, nas áreas da Biologia e da Biomedicina Modernas, na modernização dos laborató-

que geralmente leio devagar... Sou assíduo consumidor

rios, no lançamento da internacionalização na investigação e no ensino.

de jornais e revistas, que leio ao som da Antena 2.

Esta dinâmica atraiu para os seus laboratórios centenas dos melhores alunos de pósgraduação das faculdades de Medicina, Farmácia, Ciências, que se doutoraram nas áreas

5

das Biociências e Biomedicina, ao longo de 40 anos.

...em entrevista

Esta dinâmica lançada por Arsélio Pato de Carvalho deu origem à criação do Centro de Biologia Celular em 1976, que em 1990 deu origem ao Centro de
Neurociências, o primeiro laboratório associado português, o maior laboratório associado de Coimbra, que presentemente tem mais de 400 doutorados
e doutorandos, e que tem sido sempre classificado de excelente, em avaliações internacionais. Arsélio Pato de Carvalho fundou e dirigiu estes centros
durante mais de três décadas, até à sua jubilação, em 2004.
Revolução na conceção do ensino de Pós-graduação e dos programas doutorais
Arsélio Pato de Carvalho revolucionou o conceito de ensino pós-graduado e introduziu o conceito de programas doutorais nas Biociências, com frutos
extraordinários que perduram em Coimbra e no País. A sua influência começou em 1969, no Instituto Gulbenkian de Ciência (IGC), quando ministrou o
primeiro Curso Avançado em Biologia Moderna para assistentes e professores, que se repetiu durante os 15 verões seguintes no IGC.
O conceito de Estudos Avançados transitou para o ensino de pós-graduação em Coimbra, e ao longo de décadas centenas de jovens frequentaram muitas dezenas de cursos avançados, em Coimbra, e vieram a ser muitos dos principais lideres na revolução científica que se operou nas universidades portuguesas, nas últimas décadas. O conceito de Estudos Avançados permanece hoje o modelo de ensino de pós-graduação em Biologia Experimental e
Biomedicina nos principais grandes institutos de investigação do País. É um ensino avançado, intensivo, focado nos grandes temas das Ciências experimentais e Biomedicina, ministrado por cientistas de topo de muitos países, que colaboram com os cientistas portugueses para garantir qualidade e internacionalização da Ciência que se faz em Portugal.
Conceção e criação de novas instituições e sociedades científicas
A dinâmica na investigação e no ensino pós-graduado introduzido por Arsélio Pato de Carvalho deu origem aos primeiros programas doutorais, e à conceção e criação de várias instituições e organismos de referência, dentro e fora da universidade, alguns dos quais já foram mencionados:

Centro de Neurociências e Biologia Celular da Universidade de Coimbra (CNC) Liderou a sua fundação, em 1990, e foi seu diretor até 2002.

Instituto de Investigação Interdisciplinar da Universidade de Coimbra (III). Propôs a sua criação em 1998. Foi o primeiro presidente do seu

conselho de investigação

Instituto de Educação e Cidadania (IEC). Criou o Instituto de Educação e Cidadania (IEC), em 2005, como interface entre as universidades e as

escolas. Ministra cursos avançados, para alunos e professores do ensino secundário e básico. É seu diretor.

Liderou a criação da Sociedade Portuguesa de Neurociências e foi o seu primeiro Presidente.

Liderou a "regeneração" da Sociedade Portuguesa de Bioquímica, como sociedade científica moderna. Foi seu presidente, vice-presidente, e

secretário geral durante 12 anos.

Biocant, cuja fase organizativa negociou com a Câmara Municipal de Cantanhede, em 2002, na qualidade de Diretor do Centro de Neurociências

da Universidade de Coimbra.
As instituições de sucesso, acima referidas, perduram e representam
graduação, na implantação da ciência aplicada (Biotecnologia) e na

6

inovações na gestão e promoção da Ciência, no ensino de pósdivulgação científica com especial intervenção nas escolas.

Ao longo dos anos, como professor universitário e investigador, tive sempre a preocupação de a universidade e os institutos de investigação extravasarem a sua influência para fora das suas paredes. Enquanto diretor do Centro de Neurociências da Universidade de Coimbra, assinei vários protocolos com
escolas que previam a colaboração entre o Centro e as escolas. Noutra vertente de fazer a universidade mais relevante à sociedade, estive na base da
negociação com a Câmara Municipal de Cantanhede da criação do Biocant, ainda hoje o único parque tecnológico em Portugal dedicado à Biotecnologia,
e que hoje alberga mais de 30% da empresas de Biotecnologia em Portugal.

...em entrevista

O QUE O MOTIVOU CRIAR O IEC?

A criação do IEC deu continuidade ao meu pensamento que as escolas devem ter uma estreita ligação aos centros do conhecimento. Foi também um gesto de retribuição à minha terra e concelho uma recompensa pelo muito que me deram nos meus anos formativos. Ter sido possível materializar o IEC foi
um dos atos mais gratificantes da minha vida.
QUAL O PAPEL DO IEC NA MOTIVAÇÃO PARA AS APRENDIZAGENS?
Os cursos, conferências, exposições que o IEC oferece nas suas instalações e nas escolas são complementares às atividades de ensino e culturais que as escolas, bibliotecas, museus, etc. oferecem na região. Em muitos casos, a desmotivação de alguns dos alunos na escola parte do facto que são chamados a pouca
participação ativa na aprendizagem e os currículos escolares e as ofertas culturais já não constituem um desafio. Os jovens têm hoje muitos meios de obterem informação atualizada que, em alguns casos, contrasta com as lacunas dos currículos muito rígidos que impedem os próprios professores de enriquecerem a aulas com a sua criatividade.
Os cursos avançados do IEC estão a introduzir nas escolas o ensino experimental das ciências, e o ensino de novos conhecimentos em áreas de interesse
contemporâneo, como Neurociências, Biotecnologia, Células Estaminais, Ciências Forenses, Microbiologia, Novas Terapias Médicas, Biologia Molecular, etc.
Invariavelmente, os alunos, desde o ensino do 1º ciclo ao ensino secundário, que frequentam os cursos avançados do IEC estão altamente motivados. Mesmo matérias que seriam considerados demasiado avançadas para os alunos, despertam nos alunos um interesse continuado. Os exercícios (testes?) que fazemos com os alunos demonstram que o aproveitamento dos alunos é muito alto. Os resultados estatísticos que temos mostram que praticamente todos os
alunos têm sucesso nos cursos do IEC. Os resultados dizem respeito aos alunos das escolas dos concelhos de Oliveira do Bairro, Águeda, e Miranda do Corvo.

QUAL A SUA OPINIÃO SOBRE A AUTONOMIA DAS ESCOLAS?
A autonomia das escolas deve ser construída por cada escola através da sua afirmação com programas inovadores curriculares ou extracurriculares de sucesso, explorando ao máximo aquela autonomia que as escolas já têm para inovar. Quanto mais a escola inovar por iniciativa própria, mais bem preparada
estará para “impor” a sua autonomia ao Ministério. Não basta esperar que o Ministério ofereça autonomia às escolas, as escolas terão que se impôr à tendência natural de o Ministério concentrar todo o poder. Haverá uma
dade, mas só havendo essa pre-disposição, será o projeto de autono-

7

natural relutância por parte das escolas em assumir maior responsabilimia credível junto do Ministério.

...em entrevista

Este projeto de autonomização das escolas deverá ser conseguido em colaboração com a comunidade que circunda as escolas; autarquia, associações de
pais, instituições educativas como a IEC e outras, etc. No entanto, a escola como instituição académica, deve reter toda a autonomia pedagógica, embora
trabalhando de perto com departamentos das câmaras especializados nos problemas da Educação, com instituições como o IEC e outras que enriquecem
e dão força ao projeto de autonomia da escola.
QUAL A SUA OPINIÃO SOBRE O PROGRAMA “APROXIMAR A EDUCAÇÃO”, COM DELEGAÇÃO DE ALGUMAS COMPETÊNCIAS NA CÂMARA MUNICIPAL?
A intenção do projeto de autonomia, em que a Câmara assume algumas responsabilidades, é que se gere localmente um projeto convincente que leva a
uma maior autonomia regional da Educação. No meu depoimento acima, ficou já claro que considero positivo o envolvimento da Câmara e de outras instituições locais na construção de um modelo de autonomia, em que a escola responda perante a comunidade, mas que retenha a sua autonomia pedagógica.
A construção dessa autonomia será, no meu entender, a primeira verdadeira reforma no ensino, desde há muitas décadas. O que se tem chamado reformas não o foram. Será a partir desse ponto que haverá inovação no ensino e que as verdadeiras reformas surgirão à maneira que os professores possam
ter mais liberdade de contribuir para essa inovação, com um mínimo de diretrizes do Ministério, que se devem remeter para diretrizes muito genéricas.

O QUE É PARA SI A ESCOLA IDEAL?
A escola ideal será aquela que os professores construírem no ambiente de autonomia e liberdade, como aquele para que aponto nas secções anteriores.
Nestas ambiente os professores chamarão a si maior responsabilidade, e o seu brio profissional será o guardião que conduzirá à construção da escola ideal,
com maior participação dos alunos, maior iniciativa dos professores para acompanharem a evolução do conhecimento para partilha-lo com os alunos em
clima de proximidade entre docente e discente. Será uma escola aberta, orgulhosa de mostrar à comunidade os seus laboratórios, as suas bibliotecas, as
suas iniciativas dentro e fora da escola, em colaboração com a comunidade, empresas, universidades, centros de investigação, grupos de teatro, enfim uma
escola orgulhosa dos seus professores e dos alunos.
Sinceramente, eu penso que a escola de hoje já está neste caminho, e que temos a obrigação de reconhecer o esforço dos professores que tem formado a
base de sucesso de muitos alunos. O problema principal e que muitos alunos ainda ficam pelo caminho. Esta escola ideal não pode deixar nenhum aluno
para trás. É aqui que a escola ideal tem de inovar.
DEIXE-NOS O SEU APONTAMENTO SOBRE AS CARACTERÍSTICAS QUE CONSIDERA REALMENTE IMPORTANTES PARA O DESEMPENHO DA FUNÇÃO DOCENTE
Esta é a pergunta mais difícil de responder construtivamente. Cada docente tem a sua personalidade muito própria, a sua base de conhecimentos, a sua
base de experiências acumuladas ao longo dos anos, e cada docente saberá como pode ir buscar a esses recursos o talento e o engenho para trazer o aluno
até si, para ser escutado, imitado, admirado, para ser ao mesmo tempetência, e que o professor nunca desiluda o aluno. O professor é o
aspira. Que tarefa nobre tem o professor!

8

po amigo e herói do aluno. Isto implica uma grande integridade e commodelo de formatação da personalidade mais evoluída a que o aluno

Adilson Marques
Professor na Faculdade de Motricidade Humana, Universidade de Lisboa
Frequentou a Escola Básica Dr Acácio de Azevedo desde o 5º ao 9º ano
de escolaridade entre 1988 e 1993
mento académico dos alunos,

Começar o ano letivo a praticar atividade física
O ano letivo começou bem e com tranquilidade. Um bom início é importante para alunos, professores, famílias e sociedade. Contudo, melhor que um
bom início de ano letivo talvez seja um bom final de ano letivo. Terminar
bem significa que os alunos adquiriram as competências definidas. Assim,
para que sejam bem-sucedidos, é importante que tenham uma alimentação
saudável, boas noites de sono, que estejam com atenção nas aulas, ou que
estudem em casa, entre outras. Devemos aqui acrescentar a prática de ati-

podem ter um efeito contraproducente. Na verdade, se o tempo
de atividade física for aumentado,
poderá precisamente potenciar o
rendimento académico, como a literatura científica tem demonstrado.
Considerando o potencial que representa para a saúde dos mais jovens
(melhoria da aptidão cardiovascular, densidade mineral óssea, prevenção

opini@o

vidade física (que pode ser jogar futebol, brincar no recreio, treinar num

deve ser promovida nas escolas. Todos os alunos têm obrigatoriamente a

clube ou participar nas aulas de educação física).

Os resultados de uma investigação recente mostram que a atividade física,

principalmente com intensidade moderada a vigorosa, aumenta a oxigenação do cérebro, os níveis de endorfinas, estimula o desenvolvimento dos

neurónios e melhora a qualidade do sono. Está ainda associada à redução
do stresse e melhoria dos estados de humor. Além das reações orgânicas,

contribui ainda para a melhoria do comportamento, concentração nas aulas
e memorização. Tudo isso, naturalmente, potenciará as aprendizagens e

Todavia, existe ainda quem considera que se deve reduzir a oferta escolar
de atividade física, para melhorar o rendimento académico dos alunos nas
restantes disciplinas. Um exemplo: recentemente, a carga horária de matemática e português aumentou. Por outro lado, os alunos do ensino secundário que tinham 180 minutos de educação física por semana passaram a

verificou em muitas escolas que têm o 3º ciclo do ensino básico. Essas
medidas que foram tomadas para alegadamente aumentar o rendi-

disciplina de educação física. Logo, a carga horária dessa disciplina deverá
ser suficiente para dar um contributo significativo para o aumento dos níveis de atividade dos alunos, sendo um instrumento fundamental para a
promoção da saúde. Na escola existe ainda o desporto escolar, que oferece
aos alunos a oportunidade de praticarem uma modalidade do seu agrado,
podendo também potenciar aprendizagens que perduram ao longo da vida.
Por último, há ainda os recreios, onde os alunos podem ter práticas de lazer
ativas.

logo poderá ter um efeito significativo no rendimento académico.

ter 150 minutos. A redução do tempo da educação física também se

da diabetes e obesidade) e para a sua cognição, a atividade física pode e

O ano letivo começou bem, pode continuar bem e pode terminar bem. As
escolas são importantes para a formação dos alunos, mas se essa formação
não incluir a promoção da saúde é uma formação deficitária porque a saúde
é um recurso fundamental para percorrermos da melhor maneira o caminho da vida. Desta forma, a atividade física deve ser promovida, sem qual-

9

quer receio de ser nefasta para o rendimento académico.

ensino profissionalizante em revist@

Terminou o primeiro período de mais um ano letivo, 2016/2017. Os cursos profissionais continuam
a ser uma aposta que vale a pena. Os nossos jovens, por vezes desmotivados, encontram nestes
cursos uma forte componente prática que lhes
agrada.

Curso Profissional de Restauração,

Agrupamento —

variante Cozinha/Pastelaria
Para os alunos do Curso Profissional de
Restauração, no âmbito da disciplina de
Serviço de Cozinha e Pastelaria, os almoços pedagógicos, a comemoração mensal
dos aniversários de professores e funcionários, o Festival da Ciência e o jantar de
Natal foram momentos onde puderam
mostrar as suas habilidades culinárias em
ambas as vertentes, cozinha e pastelaria.
Os alunos, entusiasmados, prepararam,
serviram e explicaram aos convidados, nos diversos momentos, as refeições por si confecionadas.
Parabéns a todos estes alunos bem como aos profissionais, docentes e
não docentes, que os acompanham no seu percurso escolar.

Atividades desenvolvidas
durante o 1º período

— Preparação do Jantar de Natal do

10

2º Festival da Ciência de Oliveira do Bairro —
— Almoços Pedagógicos —

— Confeção do Bolo dos Aniversariantes do mês —

11

ensino profissionalizante em revist@

— Dinamização de um stand de Alimentação no

Para os alunos do Curso Profissional de Comunicação, Marketing, Relações
Publicas e Publicidade, o Dia do Diploma e a Festa de Natal do Agrupamento foram os momentos em que puderam evidenciar as suas aprendizagens. No âmbito das disciplinas de Comunicação Publicitária e Criatividade
e Comunicação Gráfica e Audiovisual, os alunos participaram na organização dos eventos, realizados nos dias 4 de novembro e 17 de dezembro,
respetivamente. As atividades realizadas pelos discentes foram: receção do
público e encaminhamento do mesmo para a sala de espetáculos; apoio,
nos camarins, aos docentes e alunos com presença em palco; apoio logísti-

co no backstage e na entrada de artistas; registo fotográfico e em vídeo do evento e ainda orientação dos seus colegas de curso do décimo ano, que participaram
na organização do eventos pela primeira vez, nas diferentes tarefas realizadas. A
participação dos alunos foi, na generalidade, muito correta e empenhada, sendo
de salientar o seu agrado pela possibilidade de participarem/colaborarem na
organização do eventos. Também a gravação da rubrica “Rádio AEOB”, que passa
quinzenalmente em duas rádios da região, foi uma atividade que estes alunos
desempenharam com muito empenho e profissionalismo.
Destaca-se ainda o papel de Relações Públicas que estes alunos desempenharam
no decorrer do 2º Festival de Ciência de Oliveira do Bairro.
Parabéns a todos estes alunos bem como aos profissionais, docentes e não docentes, que os acompanham no seu percurso escolar.

12

Atividades desenvolvidas durante o 1º período

ensino profissionalizante em revist@

Curso Profissional de Comunicação, Marketing, Relações Públicas e Publicidad

— Relações Públicas no Dia do Diploma —

— Relações Públicas no 2º Festival da

— Relações Públicas na Festa de Natal do

Ciência de Oliveira do Bairro —

Agrupamento —

— Reportagens foto e videográficas —

— Gravação da rubrica Rádio do Agrupamento —

13

ensino profissionalizante em revist@

de

ensino profissionalizante em revist@

Curso Vocacional — fora de portas
No dia 28 de outubro de 2016, os alunos do Curso Vocacional de Artes e
Eletromecânica realizaram uma visita de estudo a uma empresa gráfica
local – a Tipolito. Esta empresa dedica-se à gravação e à impressão para
todos os fins (brindes, cartazes, flyers, catálogos, calendários, convites,
etc.).
Nesta visita, os alunos puderam acompanhar de perto os profissionais
desta empresa e assim perceber todos os pormenores técnicos na transferência da tinta para um determinado produto, observando os métodos
de impressão, as tecnologias utilizadas, as limitações e as vantagens de
sistemas de impressão.
Foi realçada, ainda, a importância do profissionalismo e do trabalho em
equipa, não esquecendo a importância da otimização dos recursos materiais e o respeito pelo meio ambiente.
Para o nosso colega, João Bernardo, foi um momento muito especial, pois foi nesta empresa que, nos meses de maio e junho, realizou o período de
“Prática Simulada”, tendo sido recebido muito calorosamente por todos os que aqui trabalham.
À dona Judite e à dona Lília, pela organização, pela disponibilidade, pelos ensinamentos e demonstrações técnicas, o nosso muito obrigado!

CEF Serviço de Mesa — Serviço nos almoços pedagógicos
Decorreram, durante o 1º período, às terças-feiras, os almoços pedagógicos no Restaurante Pedagógico do Agrupamento de Escolas
de Oliveira do Bairro. Estes constituíram uma oportunidade de prática pedagógica para os alunos do Curso de Educação e Formação de
Serviço de Mesa, que alternadamente e em grupos de três, efetuaram o serviço de mesa durante os almoços pedagógicos destinados à
comunidade educativa. Também o jantar de Natal do Agrupamento
foi servido por estes alunos, cujo desempenho foi exemplar, o que
revela neles um grande potencial para o Serviço de Mesa.
Os almoços pedagógicos continuarão ao longo do ano letivo.

14

pré-escolar em revist@

A chegada do Outuno no
JI da Palhaça
O Outono chegou e com ele chegaram muitas folhas, ouriços, castanhas, nozes, espigas de milho, abóboras… à nossa sala. Juntos brincámos, explorámos, despertámos os sentidos, fizemos registos, promovendo muitas descobertas, diálogos e largos sorrisos.

A que sabe a Lua? - JI da Palhaça
Sinopse
A tartaruga, o elefante, a girafa, a zebra, o leão, o raposo, o macaco e o rato há já muito tempo que queriam saber
o sabor da Lua. Um belo dia, a tartaruga decidiu escalar a montanha para chegar à Lua, mas sozinha não foi capaz.
Chamou um amigo e propôs-lhe que subisse para as suas costas. O problema continuou por resolver. A partir desse momento, foram chamando outros animais, de modo a formarem uma escada… Finalmente, o rato – um animal que, por ser tão pequeno, a Lua achou que não a alcançaria – acabou por o conseguir fazer. Todos saborearam as migalhinhas que o rato lhes ofereceu e que lhes souberam àquilo de que cada um mais gostava.

A lua tem sabor? … A que sabe a lua ?
Também nos interrogámos acerca do sabor da lua, e descobrimos que afinal pode
ter sabores muito diferentes…. Também a lua nos sabe àquilo que mais gostamos!

E também descobrimos que:
- Se quisermos muito uma coisa é mais fácil consegui-la com a ajuda dos AMIGOS;
- Conseguimos mais depressa uma coisa quando temos amigos para ajudar do que
sozinhos.

Título: A que sabe a lua?
Autor: Michael Grejniec
Editora: Kalandraka

15

1º ciclo em revist@

EB de Oiã Poente
Saber comer é saber viver
Foi com o lema “Saber comer é saber viver” que os alunos da turma OP2 “meteram as mãos na massa” e,
utilizando as alfaces cultivadas pelos alunos na escola, surgiu uma sandes de pão de sementes composta
de alface e ovo. Hum….que delícia!

Inglês no 1º CEB Celebra Dia Europeu das Línguas
Assinalou-se no dia 26 de setembro, o Dia Europeu das Línguas. Tendo em conta a importância que o conhecimento e sensibilização para outras culturas e idiomas assumem na forma como as crianças se relacionam, foi proposto aos alunos dos 3º e 4º anos que descobrissem a verdadeira identidade de algumas personagens de histórias e contos bem familiares. Sendo a comunicação universal, as crianças perceberam que, tal como os humanos, também os animais “falam” línguas diferentes. Difícil de acreditar?
Fica o desafio para pesquisarem as diferentes versões da música “A quinta do Tio Manel”.

16

1º ciclo em revist@

EB da Palhaça
BOAS FESTAS
O Natal dos sonhos é aquele que idealizamos no espirito, sentimos no coração e partilhamos na solidariedade!
O espírito natalício instalou-se no nosso Centro Escolar, manifestando-se de várias formas...
...resultando de um forte trabalho em equipa!

– Feliz Ano Novo –

EB de Bustos
Alimentação saudável
Para assinalar o Dia da Alimentação, todos puderam saborear uma deliciosa Bola de Fiambre e Queijo, confecionada com ingredientes trazidos pelas nossas
crianças e outros cedidos pela Sóbustos. Para além de um lanche saudável, os nossos alunos realizaram atividades relacionadas com o Dia. Porque o sal é
um inimigo do coração, com ele muita atenção! Em parceria com a Calcob e o Centro de saúde, a Sobustos meteu a mão na massa e prepara cerca de 900
amostras de "Sal de ervas" para oferecer aos discentes do 1.º Ciclo do nosso Agrupamento. Práticas com alegria melhoram o nosso dia!

17

1º ciclo em revist@

EB de Oliveira do Bairro
“BRINCAR” À CIÊNCIA A SÉRIO
Desta vez a aula foi fora da escola; visitamos o Espaço Inovação para aprendermos mais coisas sobre ciência.
Foi uma aula mais motivadora, pois não foi na sala de aula nem no laboratório
da escola; foi mais interessante porque pudemos ver e experimentar uma maior variedade de atividades e foi muito divertida porque também fizemos jogos
e recebemos brindes e ainda tiramos fotografias com as mascotes.
“ Vi ao microscópio pela primeira vez”.
“ Aprendi a palavra leguminosa”.
“Demos as mãos uns aos outros e apanhamos um choque porque a professora e a D. Ana estavam com as mãos delas numa pilha”.
“ Vimos uma bola gigante que pôs os cabelos em pé à nossa professora e a amigos nossos”.
“Jogamos com um dado gigante e tínhamos que contar as pintas e passar casinhas até chegar ao fim e ganhámos autocolantes”.

Festa de Outono

18

1º ciclo em revist@

EB de Vila Verde
Magusto
No centro escolar de Vila Verde não ficaram esquecidos; a Lenda de S. Martinho, os adágios populares, as canções nem as castanhas. No dia 11 de no-

vembro tivemos o momento alto desta quadra: o magusto. Deste dia destacamos o salutar convívio entre toda a comunidade escolar - país, filhos, professores, assistentes e muitos mais... Porque a tradição é para manter.

EB de Oiã
DIA NACIONAL DO PIJAMA
Na Escola Básica Dr. Fernando Peixinho de Oiã, mais importante do que assinalar o
"Dia do Pijama", foi vestir a mensagem da solidariedade e plantar pequenos gestos
que a promovam nos nossos alunos!

No dia 21 de novembro, houve tempo para pensar em crianças a quem a vida desfavoreceu na sua primeira etapa...
As nossas crianças abraçaram-se a elas, através do simbólico pijama que vestiram,
também da doação de alguma ajuda monetária, e traduziram essa alegria de poder
ajudar numa dança da canção oficial da iniciativa, da qual se realizou um pequeno
vídeo para contagiar outros e ajudarem desta forma crianças que esperam que alguém
as acolha no seio de uma família.
A família da Escola Básica de Oiã sente-se orgulhosa com o resultado final da iniciativa,
em especial as crianças que contribuíram para um mundo melhor de amigos " desconhecidos ", mas sentidos e amados nos seus solidários corações.

19

1º ciclo em revist@

EB de Oliveira do Bairro
ESTÓRIAS E TRADIÇÃO
Contou-nos a professora que, antigamente, no tempo em que os nossos avós eram pequenos, não havia aquecimento nas casas e que, mal
começavam as primeiras chuvas e o primeiro frio, as crianças chegavam da escola e tinham à sua espera uma lareira acesa. Havia panelas
de ferro com o jantar a fazer, havia uns lindos bancos de madeira para
se sentarem (muitas vezes feitos pelos nossos avós com a ajuda dos
pais deles), havia, às vezes, uma pequena surpresa: papas de abóbora
doces ou castanhas assadas no braseiro. A família reunia-se à volta da
fogueira e falavam da escola, dos trabalhos dos pais e ainda havia
tempo para os pais ou irmãos mais velhos contarem estórias que deixavam os mais pequenos encantados; eram os serões em família onde havia partilha de saberes e muita animação!

FELIZ NATAL! BOM ANO NOVO!
O Natal é a época festiva mais celebrada em todo o Mundo!
É altura em que a imagem de um presépio nos comove, nos inspira e
nos põe a refletir nos mais importantes valores:
P AZ
R ESPEITO
AMIZAD E
S OLIDARIEDADE

ES P ERANÇA
HARMON I A
AM O R
A todos aqueles que estão a ler este texto, desejamos
votos de Feliz Natal e um Ano Novo cheio do que a vida
tem de melhor!

20

1º ciclo em revist@
“EMPIJAMAR É UMA FORMA DE AJUDAR!
A nossa escola “empijamou-se” a rigor para assinalar O DIA NACIONAL DO PIJAMA.
Como escola, temos a responsabilidade maior de ajudar a formar cidadãos. Neste
sentido, abraçamos mais esta iniciativa de solidariedade mas, mais que tudo, de sensibilização para o facto de haver crianças que, por razões diversas, não têm o direito
a uma FAMÍLIA.
O pijama simboliza o aconchego do lar; o amor de um pai, de uma mãe, de um irmão…
O pijama simboliza o conforto de uma cama fofa e quente; a história contada antes
de adormecer e os beijos e os abraços ao acordar!
Foi esta realidade que, através de uma história, quisemos transmitir às nossas crianças; há meninos e meninas que NÃO vivem rodeados desse amor, desses mimos e
desse carinho.
Foi essa a mensagem que levaram para casa e conversaram em família. Com a ajuda
dos pais fizeram um mealheiro e, em família, deram um pouco de si, pondo nesse
mealheiro algumas moedas que trouxeram para a escola e que foram depositadas
numa conta solidária que visa ajudar instituições que acolhem essas crianças.
Um agradecimento às famílias dos nossos alunos que contribuíram com mais de 600

21

euros de generosidade. É reconfortante acreditar que pudemos
contribuir para proporcionar a algumas crianças momento de
risos e FELICIDADE!

1º ciclo em revist@

EB do Troviscal
A semana em que a escola virou “soparia”
No âmbito do projeto “Saber com Sabor” e, aproveitando a temática da alimentação, a EB do Troviscal levou a efeito, em outubro, “A semana da sopa,”
o que causou forte decréscimo na faturação dos restaurantes da localidade. Cinco dias, cinco sopas diferentes, desde as da avó até estas mais modernas, tipo cremes. Ele agora há o creme disto, o creme daquilo, enfim, o que importa é que a variedade ficou bem patente de forma a agradar a todos,
jovens e adultos.
Cada turma ficou, então, incumbida de confecionar uma sopa com os produtos hortícolas mais genuínos e mais biológicos que a terra nos oferece, temperada com sal de ervas aromáticas, o que, para muitos, foi uma grande novidade. Aqui vai- se sempre mais à frente.
A cozinha recebeu “chefs” ainda sem diploma, mas já com uma grande perícia manual no manuseamento dos utensílios de descasque. Hummmm!... que
saborosas ficaram! Choveram encomendas em catadupa e a escola viveu um corrupio inédito. (Em abono da verdade, deve dizer-se que o corpo técnico
que organizou esta iniciativa não teve capacidade de resposta para tantos pedidos). Paletes de tupperwares e de moedas invadiram alguns espaços da
escola, situação que serviu, mais tarde, para uma belas aulas de matemática. Ah, pois, que o trabalho dos meninos paga-se… Aqui não há exploração
infantil, não. O take away de repente instalou-se por estas bandas. Pudera! Jantarinho feito pelos filhos e com IVA a 0% tem oooooutro sabor!!... Se a
moda pega, ainda vamos ter de alterar o nome do estabelecimento…

22

Festa de Outono
Era suposto ser uma tarde de outono normalíssima, com rotinas e afazeres habituais, mas na nossa escola, no dia 14 de outubro, o outono teve maior impacto...
Numa feira "montada" à porta da nossa escola, os alimentos típicos desta estação do ano alimentaram sorrisos e gestos saudáveis, e resultaram num evento
que queremos certamente repetir…
A todos os que contribuíram com a oferta de alimentos e aos que vieram visitarnos e colaboraram na compra dos nossos alimentos, o nosso muito obrigado...
Esta tarde de outono foi mais outonal e especial com a participação de todos na nossa Feira
de Outono.

23

1º ciclo em revist@

EB de Oiã Nascente

acontece no @eob

2º Festival da Ciência
de Oliveira do Bairro
Decorreu, de 13 a 15 de outubro, o 2º festival de ciência de
Oliveira do Bairro. O Agrupamento de Escolas de Oliveira do Bairro
marcou presença neste grande evento, promovido pela Câmara
Municipal, de diversas formas: através da visita dos cerca de 2200
alunos do Agrupamento, desde o pré-escolar ao ensino secundário;
da dinamização de um stand de alimentação científica, pelos alunos
do curso profissional de restauração e pela dinamização de um
stand de ciência. Este último foi organizado pelo departamento de
matemática e ciências experimentais e dividido em quatro secções:
matemática, física, química e ciências da terra e da vida. Este stand
contou com demonstrações científicas muito dinâmicas apresentadas pelos alunos do Agrupamento e aproveitou para celebrar o Ano
Internacional das Leguminosas (2016).

24

No âmbito das atividades programadas para o presente ano letivo pela Oficina Laboratório de
Património do Agrupamento de Escolas de Oliveira do Bairro, esteve patente, no polivalente da Escola
Básica Dr. Acácio de Azevedo, durante a semana de 10 a 14 de outubro, a exposição “Património – um
futuro para o passado”. Esta exposição itinerante pertencente à Editora Santillana, que tem percorrido
muitas escolas e agrupamentos do nosso país, permitiu que os nossos alunos aprofundassem um pouco mais os seus conhecimentos sobre o património em geral e se debruçassem sobre os diferentes
tipos de património: material, como, por exemplo o da natureza, o agrícola, o das energias, o científico

acontece no @eob

PATRIMÓNIO – UM PASSADO PARA O FUTURO

e tecnológico, o industrial e mineiro, o dos transportes e comunicações, o arquitetónico e da construção, o arqueológico, o documental e bibliográfico e o artístico; e imaterial, como são exemplos, o gastronómico, o das danças, festas e rituais, o da música e finalmente o da língua e da literatura.
Os muitos discentes, desde o 5º ao 12º ano, acompanhados pelos seus professores, puderam
descobrir exemplos antigos e outros mais atuais de património classificado, como o Património da Humanidade, selecionado pela Unesco, passando por exemplos de património nacional, regional e local.
Mais de trezentos e setenta alunos tiveram a oportunidade de acompanharem a exposição de forma
guiada, demonstrando bastante atenção e interesse, o que levou a uma profícua interação. Muitos
jovens foram lembrando ou relembrando belos exemplos de património local e regional de Oliveira do Bairro e da Bairrada, respetivamente, com o qual
nos identificamos, procurando despertar um olhar mais cuidado e uma sensibilidade mais refinada para o nosso meio envolvente e para a herança cultural
deixada pelos nossos “pais”. Perante uma aferição bastante positiva dos objetivos da exposição e da atitude dos nossos alunos fica o desafio de investigar
e construir uma “exposição” paralela sobre o nosso concelho e a nossa região.
António Cruz Leandro — (coordenador da Oficina Laboratório de Património)

Entrega de Prémios Jornal da Bairrada
Decorreu no dia 16 de novembro, no salão nobre da Câmara Municipal a
entrega de prémios aos melhores alunos do 9º e 12º ano do AEOB.
Parabéns aos contemplados pelo esforço e dedicação.

25

acontece no @eob

Projeto “Smoke The Fire” vence
menção honrosa em Espanha
O projecto “Smoke The Fire”, da Escola Secundária de Oliveira do Bairro participou, de 7 a 9 de
outubro, no “Ciencia en Acción XVII”, em Algeciras (Cádiz), Espanha.
Este concurso pretendeu premiar projetos de ciência de língua hispano-portuguesa, em diversas categorias. Após uma apresentação rigorosa do projeto a um exigente juri, "Smoke The Fire"
saiu vencedor de entre cerca de 200 projetos de diversos países a concurso, ao receber uma
menção honrosa na categoria de "Ciência e Tecnologia".
O projeto “Smoke The Fire” foi desenvolvido pelos alunos Diogo Albuquerque, Samuel Santos e
Vitaliy Davydovych do 12º B e coordenado pelo professor Joaquim Almeida.
Com a atribuição deste prémio internacional, o projecto e os seus dinamizadores viram o seu trabalho ser recompensado, gerando motivação e vontade de continuar a trabalhar.

Encontro Projeto TRASE – Erasmus +
Decorreu entre os dias 11 e 13 de outubro o 3º encontro transnacional do projeto Erasmus +
“TRASE – Training in Sexual Education for People with Disabilities”. Este encontro contou com a presença dos vários parceiros europeus - originários da Universidade HOME da Alemanha, da Universidade do Luxemburgo, do Autismo Europa – Bélgica e do Centro de Acolhimento Kaunas na Lituânia. A
reunião contou também com a presença dos profissionais do CAO, da Santa Casa de Misericórdia de
Oliveira do Bairro e da Cerciag, o que permitiu mais uma oportunidade para os diferentes elementos
trocarem ideias e experiências, a nível nacional, de modo a agregá-las e fazê-las convergir num documento único - o manual “TRASE”, que constituirá a face visível do trabalho realizado ao longo dos 2
anos do projeto. A obra apresenta os conteúdos, os métodos e as ferramentas para implementar um
curso de formação que permita habilitar professores, técnicos, pais e cuidadores a trabalhar o tema
da sexualidade com pessoas portadoras de deficiência.

26

A aluna Beatriz Pais do nosso agrupamento, a frequentar este ano

Confiante e com esperança, mas com algum nervosismo e timidez, lá

letivo o 9º ano, na Escola Básica Dr. Fernando Peixinho, foi a grande ven-

se dirigiu a Cascais e foi a grande vencedora na sua categoria, deixan-

cedora da 5ª edição do concurso nacional “Jovens Inspiradores”, na ca-

do o ilustre júri sem qualquer dúvida. Sobre a Beatriz não são neces-

tegoria 10-13 anos, organizado pela Associação Portuguesa de Famílias

sárias grandes descrições para quem a conhece, como tal, deixo o

Numerosas. O caminho iniciou-se no final do ano letivo, quando o seu

texto que está presente na página da Associação Portuguesa de Famí-

professor de História propôs na última reunião do Conselho de Turma a

lias

sua participação neste concurso, a qual foi aceite por unanimidade. Pos-

index.php):

Numerosas

acontece no @eob

BEATRIZ PAIS – JOVEM INSPIRADORA…
…DO NOSSO AGRUPAMENTO

(https://www.apfn.com.pt/jovensinspiradores/

to este trâmite, a aluna e a encarregada de educação foram informadas

“A Beatriz tem 13 anos e vem de Oiã. É uma jovem que se conside-

desta intenção, a qual teria de ser concretizada até final do mês de julho.

ra parte ativa da sociedade. Excelente aluna, tem ainda tempo para prati-

A Beatriz redigiu um texto sobre a sua vida escolar e extraescolar, as

car natação, para tocar piano no conservatório, para a literatura e para o

suas muitas atividades, os seus objetivos e os seus sonhos, fazendo-o

voluntariado. Tem um sonho – a Medicina Legal – e dedica-se ao máximo

acompanhar com quatro fotografias ilustrativas.

para o atingir. Inspirou o Júri pela sua maturidade e pela sua vontade de

No final do mês de setembro, a Beatriz e a sua encarregada de educação

fazer sempre mais…”. Parabéns à Beatriz por ser uma jovem inspiradora

foram informadas que

para os seus colegas e con-

era uma das cinco fina-

terrâneos e agora, também,

listas, tendo de estar

para muitos outros jovens do

presente, no passado

país.

dia 8 de outubro, em

António Cruz Leandro

Cascais, no Hipódromo

(professor de História)

Manuel Passolo, para
uma entrevista e consequente
dos

apresentação

vencedores

diferentes

das

categorias.

27

acontece no @eob

Halloween@ ESOB
Park your broom at the door and come sit for a spooky, haunting movie…
A exposição de trabalhos – vassouras/ visionamento de filmes produzidos pelos alunos – decorreu com muito sucesso, no último dia de outubro e primeira semana de novembro.

A tradição teve origem nos povos antigos da Grã-Bretanha e Irlanda, cuja crença repousava na certeza de que, na
véspera do Dia de Todos os Santos, os espíritos regressavam a casa – que é a forma simpática de dizer que os mortos voltavam da sepultura para aterrorizar os vivos. É a noite mais assustadora do ano e, por isso, os filmes de terror
encontram, nesta data, uma razão especial para o seu ser.
Este ano apresentámos um mundo de vassouras a pairar nos céus da nossa escola e assistimos, na secundária, a

uma série de películas sangrentas, assustadoras e arrepiantes produzidas e editadas pelos nossos atores favoritos: OS
ALUNOS!
Com esta atividade de Halloween pretendemos promover a integração entre culturas, fazendo uso da multidisciplinaridade, bem como estimular a solidariedade e o cuidado com o meio; identificar aspectos que associam a comemoração
do Halloween, valorizando as manifestações culturais, incentivando a busca pelo conhecimento, conhecendo os símbolos, aprimorando o vocabulário da língua inglesa, conhecendo a origem desta festa e valorizando o trabalho em equipa;
desmistificar e conhecer na íntegra a origem desta festa como forma de esclarecimento sobre as diversas concepções
equivocadas que geram determinados preconceitos ao que se desconhece.

Com sentido(s)
No dia 14 de dezembro, à tarde, alunos do 11º ano, turma B, foram, uma vez mais, visitar o colega, Daniel Adrian Surumay Duarte, que se encontra nas Unidades de Multideficiência, em Oiã.
Comunicar com o Daniel através de sentidos, partilhar emoções e encontrar sentido na diferença são aspetos que tornam esta
visita muito especial. É um momento de consciencialização do desvio das nossas vidas em que o consumismo, o supérfluo se
apoderam de nós, sobretudo, nesta época do ano.
Felizmente que a sociedade evoluiu e, hoje, há a Educação Especial, que é fundamental “Não há, não, duas folhas iguais em
para a inclusão escolar e social destes alunos que tanto têm para nos ensinar. É importante lembrar que estes, toda a criação. Ou nervura a menos, ou
antes de terem deficiência, são acima de tudo e simplesmente: pessoas.

28

célula a mais, Não há, de certeza, duas
folhas iguais”
António Gedeão.

No dia 15 de dezembro, realizou-se no âmbito do projeto Justiça para Tod@s, no Tribunal Judicial de Oliveira do
Bairro, o julgamento do caso selecionado e trabalhado pelos
alunos da disciplina de Psicologia B, do 12º ano, da Escola
Secundária de Oliveira do Bairro.
Durante o trabalho de preparação do caso selecionado
“Tráfico de Seres Humanos”, os alunos contaram com a preci(Foto: Mariana Lopes e Gonçalo Viegas, Curso Profissional de Comunicação e Marketing, 2.º D)

acontece no @eob

Justiça para Tod@s

osa colaboração e orientação da advogada tutora, Dra. Luísa
Gonçalves, sendo esta ajuda “enriquecedora e importante,

posto que a mesma se disponibilizou a ajudar e a esclarecer todas as dúvidas que nos surgiram”, disse-nos Joana Teixeira.
As razões apresentadas pelos alunos para justificar a opção pelo caso foram o tratar-se de um tema abrangente que incorpora aspetos importantes, atuais e do interesse da facha etária a que pertencem, a saber: o contacto com desconhecidos via redes sociais, a imigração ilegal, a prostituição,
a violência psicológica, o tráfico de seres humanos e as suas repercussões, entre outros.
Durante as aulas dedicadas à preparação deste projeto, assistiu-se à curiosidade, interesse e motivação crescentes dos alunos e ao consequente empenho que terminou num julgamento ativo, do qual todos os envolvidos retiraram conhecimentos e experiências que lhes serão úteis no futuro. O julgamento foi feito pela juiz Dr.ª Rita Queirós, com o mesmo rigor e intransigência de um julgamento real e ainda com um conjunto de esclarecimentos sobre
as razões dos procedimentos observados, para melhor compreensão dos problemas que este caso de justiça colocava, na maneira como foi apresentado.
Esta participação “permitiu-nos ter uma perspetiva diferente acerca da jurisdição e do funcionamento dos tribunais”, afirmou a aluna Melissa Silva que
encarnou a personagem Maria Gomez, a vítima do caso apresentado. Outra aluna, Joana Teixeira, que personificou uma das advogadas de defesa do acusado, confidenciou que esta foi uma “iniciativa muito interessante na medida em que os alunos tiveram a possibilidade de contactar com uma experiência real, estando mesmo na pele das respetivas personagens que interpretaram”.
Foi com entusiasmo que os alunos abraçaram este caso e, apesar das dificuldades sentidas, cumpriram com maturidade, serenidade e prudência o trabalho que o projeto exigia, conseguindo alcançar os objetivos inicialmente estabelecidos. Este foi um projeto enriquecedor, que proporcionou aos alunos
envolvidos: “apurar o sentido da Justiça”, perceber a “valorização da Lei e dos Direitos Humanos”, compreender o “processo legislativo e o papel dos
tribunais”, assim como os “dilemas da justiça, o risco de erro e a procura da verdade”, desenvolver a sua capacidade de comunicar ideias, convicções e
opiniões, de analisar um problema, argumentar e defender a sua perspetiva contra ou a favor do mesmo.
Os alunos aguardam, com curiosidade, a leitura da sentença. Esta terá lugar no próximo dia11 de janeiro e com ela se concluirá o projeto.

29

Catarina Amorim e Mariana Nunes
(alunas jornalistas na simulação do caso – 12º C)

acontece no @eob

Dia do Diploma
Decorreu no dia 4 de novembro de 2016 o Dia do
Diploma do Agrupamento de Escolas de Oliveira do Bairro
no Quartel das Artes Dr Alípio Sol . Foi um momento para
premiar a excelência, o valor e o mérito dos alunos e assinalar a conclusão do ensino secundário com a entrega de diplomas. A excelência artítica dos aluno também foi evidenciada com apresentações de música, poesia e dança.
PARABÉNS AOS ALUNOS DO AEOB!

30

acontece no @eob

Natal - Ontem, hoje e sempre ... foi este o
mote para a festa de Natal do Agrupamento que se
realizou no dia 17 de dezembro no Quartel das
Artes Dr Alípio Sol. Durante cerca de duas horas, o
público foi conduzido, através de canções, músicas,
teatro e dança pelas memórias que fazem o natal
de antigamente, pelas vivências do natal de hoje e
perspectivando que o natal é todos os dias e para
sempre.
Assim foi a festa de Natal do Agrupamento de Escolas de Oliveira do Bairro .

31

bibliotec@ndo

O escritor sou eu…
No dia 3 de novembro, o escritor José António Franco visitou a
Escola Básica Dr. Acácio de Azevedo para falar com os alunos do 2º ciclo
sobre poesia. De uma forma aliciante, mostrou-lhes como este género
literário pode ser importante para a assimilação de novos termos que os
ajudarão a expressar-se melhor, quer oralmente, quer através da escrita,
e a compreender melhor o mundo que os rodeia.
José António Franco proporcionou um dia muito agradável e enriquecedor a todos os que com ele contactaram.

O contador de histórias sou eu…

No dia 10 de novembro, o contador de histórias, Rui Ramos, visitou a Escola Básica Integrada de Oiã para apresentar aos alunos dos 1º e
2º ciclos o conto infantil “O Doutor Grilo”, de Carlos Nuno Granja.
Rui Ramos deu vida ao conto, adaptando-o ao seu estilo com grande
mestria. As sessões foram muito animadas e proporcionaram momentos
de rara diversão a alunos, professores e auxiliares da ação
educativa.

32

desenvolver atitudes e hábitos de vida saudáveis na comunidade escolar e, em particular, nos alunos, de forma a favorecer o seu crescimento, desenvolvimento e bem-estar e ajudar a prevenir doenças evitáveis na sua idade. Para além disso, procura responsabilizá-los pela sua própria saúde e prepará-los para que, ao saírem da escola, adotem um estilo de vida o mais saudável possível. A promoção da educação para a saúde na Escola tem, também, como missão, criar ambientes facilitadores de escolhas saudáveis e estimular o espírito crítico para o exercício de uma cidadania ativa.
Neste sentido, a equipa do Projeto de Educação para a Saúde (PES), sob a coordenação da Profª Isabel Quintaneiro, em parceria com a equipa do Centro de Saúde de Oliveira do Bairro e com a Escola Segura, tem já, à semelhança de anos anteriores, dinamizado algumas ações no nosso Agrupamento.
Das actividades já realizadas destacam-se:

Comemoração do “Dia Mundial da Alimentação”
Na semana de 17 a 21 de outubro, o Agrupamento comemorou o “Dia Mundial de Alimentação” oferecendo aos alunos das Escola Básica Dr Fernando Peixinho, Escola Básica
Dr Acácio de Azevedo e Escola Secundária de Oliveira do Bairro, a meio da manhã e da
tarde, iogurtes e fruta. A peça de fruta foi acompanhada de uma frase alusiva à alimentação saudável. Com alimentos oferecidos pelos alunos, foi ainda construída em cada
uma das escolas envolvidas, uma Roda dos Alimentos, que foram, posteriormente, doados à Santa Casa da Misericórdia de OB.
No 1º CEB, os professores elaboraram com

RODA SOLIDÁRIA NA ESCOLA BÁSICA DR ACÁCIO DE AZEVEDO

os alunos ementas e lanches saudáveis.
Foi também feita uma exploração da roda
dos alimentos e realização de desenhos
sobre o tema.

RODA SOLIDÁRIA NA ESCOLA
BÁSICA DR FERNANDO PEIXINHO

33

RODA SOLIDÁRIA NA ESCOLA SECUNDÁRIA DE OLIVEIRA DO BAIRRO

PES em revist@...

O Projeto de Educação para a Saúde (PES) visa a promoção da saúde em meio escolar, tendo como metas promover a aquisição de conhecimentos,

PES em revist@ ...

“Prevenção do Consumo
de Substâncias Psicoativas”

“Dia da Violência contra
a mulher/A violência
doméstica”

No dia 2 de dezembro, realizou-se uma palestra,

No dia 25 de novembro realizou-se uma palestra no auditório da

dinamizada pela Escola Segura e dirigida aos 109 alunos dos

Escola Secundária de Oliveira do Bairro, dinamizada pela Enfermeira

cursos profissionais, Vocacional e Curso de Educação e For-

Silvana Marques, coordenadora do projeto “Escutar os silêncios” e des-

mação, sobre a prevenção do consumo de substâncias psico-

tinou-se aos alunos da ESOB. Ainda para assinalar o dia, foram visualiza-

activas como o tabaco, álcool e drogas.

dos filmes sobre a temática nas restantes escolas dos 2º e 3º ciclos do
Agrupamento.

34

No dia 16 de novembro, comemorou-se, na Escola Básica Dr. Fernando Peixinho, o
“Dia Nacional do Mar”. Os alunos de Educação Especial, de Currículo Específico Individual, depois de
terem sido sensibilizados para a importância do mar, dos seus recursos, das causas e consequências
da sua poluição, após várias pesquisas e recolha de materiais, realizaram diversos trabalhos alusivos
ao “Mar”. Os trabalhos foram concretizados em contexto de Oficinas, tendo havido uma grande
articulação entre os docentes das Oficinas de Reciclagem, Manualidades, Artes e Mat Divertida.
Desta iniciativa resultaram trabalhos que evidenciaram a aprendizagem e o empenho dos
vários alunos envolvidos. Foi feita uma exposição para dar a conhecer à comunidade escolar os trabalhos realizados. A acompanhar a exposição foi projetado um PowerPoint, com música de fundo
realizado por um dos alunos.
Márcia Libório – Educação Especial

“Dia Internacional da Pessoa com deficiência”
No dia 5 dezembro, o Departamento de Educação Especial assinalou o “ Dia Internacional da
Pessoa com Deficiência”.
No AEOB, promoveram-se atividades de sensibilização para a inclusão, para o direito à diferença e para o respeito por crianças e jovens com limitações cognitivas, motoras e sensoriais. Realizou-se o concurso de desenho/pintura subordinado ao tema” Ser diferente,” no qual participaram
alunos das escolas EB de Oliveira do Bairro, EB de Vila Verde, EBI de Oiã, EB de Bustos e EB Dr. Acácio de Azevedo. Elaboraram-se marcadores de livros comemorativos, num trabalho colaborativo de
professores e alunos.
A Escola Básica Dr. Acácio de Azevedo foi anfitriã de dois grupos muito especiais da Cooperativa de Educação e Reabilitação de Cidadãos com Incapacidades de Águeda (CERCIAG): a Fanfarra
Zabumbar, que nos honrou com a sua excelente atuação de percussão, e o Grupo Malabares, com a
sua magnífica dança e coreografia. O nosso obrigado pela simpatia, boa disposição e alegria que
trouxeram à nossa escola. Agradecemos, igualmente, ao “chefe” Carlos e aos alunos do curso de
restauração do 10º ano que prepararam um saboroso repasto para tão
ais convidados. Um grande bem-haja a todos!

35

especi-

educação especi@l

“Dia Nacional do Mar”

trabalhos de @lunos

Texto de opinião
Aspetos positivos e negativos dos smartphones

Neste texto, vamos enumerar os aspetos positivos e negativos dos smartphones, bem como as razões que dizem respeito a cada um deles.
No nosso conceito, a importância deste assunto tem a ver com o facto de as crianças e os adolescentes saberem utilizar os smartphones de forma correta.
Na nossa opinião, os smartphones têm aspetos positivos, pois dão-nos a oportunidade de comunicar com as pessoas que estão ausentes, têm GPS, Internet
e câmara fotográfica.
Ou seja, com este aparelho, podemos, por um lado, conversar, enviar mensagens e falar através de videochamadas, com os amigos e familiares que estão
longe, “matar” saudades, saber informações e esclarecer dúvidas. Por outro lado, também nos pode facilitar nas viagens, porque, se nos perdermos ou se
não soubermos o caminho para algum lado, o GPS indica-nos a direção correta que devemos seguir. O smartphone é, ainda, uma boa ferramenta de trabalho e de lazer, já que nos permite pesquisar e aceder a informação mais facilmente e em qualquer lugar e nos proporciona momentos de descontração e
boa disposição, através de filmes, vídeos, jogos, músicas, documentários…. E, ao contrário de outros telemóveis, os smartphones permitem tirar fotos de
alta qualidade.
Porém, também têm aspetos negativos, porque podem criar dependência, provocar o isolamento e levar a gastos de energia excessivos.
Na nossa opinião, o uso excessivo do smartphone pode causar vícios, que provocam insónias e desviam a concentração do trabalho/aulas; as pessoas deixam de conviver, isolando-se, o que pode causar doenças, como a solidão. As inúmeras funcionalidades podem ser uma desvantagem, visto que consomem
muita bateria, o que leva a carregamentos frequentes, logo ao gasto de eletricidade e consequentemente de dinheiro. Assim, não é possível poupar em
tempo de crise!
Por último, achamos que devemos aproveitar as diversas funcionalidades dos smartphones, mas de forma responsável e moderada.

36

Maria Eduarda e Matilde Micaêlo — 6º B
Oliveira do Bairro, 26 de outubro de 2016

Nos dias 26 e 28 de outubro, os alunos do 7.º ano do agrupamento foram visitar o Parque Natural das Serras de Aire e Candeeiros para conhecer o
Modelado Cársico, uma paisagem típica das regiões ricas em calcários.
A jornada foi longa, começou às 7h30 e terminou por volta das 21h00. Os locais visitados foram diversos, mas todos com um elemento comum – o
calcário.
Nas grutas de Mira de Aire, foi possível descer até aos 110 metros de profundidade e observar de perto as estalactites e estalagmites. À saída da gruta, vislumbrava-se o Polje de Minde e podia ler-se as horas num relógio de sol.
O almoço foi no parque da Praia Fluvial de Alviela, um local tranquilo e cheio de beleza natural. Junto à mesma, encontra-se o Carsoscópio (Centro
Ciência Viva), que se dedica à divulgação dos fenómenos geológicos subjacentes à paisagem cársica e aos hábitos de vida dos morcegos, mamíferos
enigmáticos, que povoam as grutas da região. Neste centro, houve ainda tempo para efetuar uma
viagem virtual pelos 4600 milhões de anos da História do nosso planeta Terra e um percurso pedestre
na zona envolvente à nascente do Rio Alviela.
Para finalizar o dia, o lanche foi nas Salinas de Rio Maior, caracterizadas por casas de madeira e onde
se pode observar a antiga picota de exploração de água salgada, resultante da dissolução do sal-gema
existente em profundidade, e os montes de sal nas eiras.
Para relembrar os melhores momentos passados nesta viagem, na aula seguinte de Ciências Naturais,
visionou-se um filme com os aspectos relevantes das grutas de Mira de Aire e da paisagem envolvente.

37

for@ de portas

JORNADA CÁRSICA MOTIVA ALUNOS DO 7.º ANO
PARA O ESTUDO DA GEOLOGIA

desporto em revist@

Corta-Mato do
Agrupamento
Realizou-se no dia 25 de Novembro,
no Estádio Municipal de Oliveira do Bairro e
espaço envolvente, o Corta-Mato do Agrupamento de Escolas de Oliveira do Bairro. Esta
atividade realizada no âmbito do Desporto Escolar permitiu selecionar os alunos do Agrupamento que irão participar na fase distrital desta
modalidade. Os alunos da Escola Dr. Acácio de
Azevedo (EBOB), Escola Básica de Oiã (EBO) e
Escola Secundária de Oliveira do Bairro (ESOB)
concentraram-se nas bancadas do estádio e as
provas decorreram com grande entusiasmo,
apesar das condições atmosféricas não terem
sido as mais propícias para a prática da modalidade.
PARABÉNS AOS ALUNOS VENCEDORES, MAS
TAMBÉM A TODOS QUE SUPERARAM-SE A SI
PRÓPRIOS.

38

Fotógrafas: João Oliveira e
João Gomes (Vocacional)

Voleibol Feminino Juvenis

Futsal Feminino Juvenis

- Oliveira do Bairro/José Estevão -

- Oliveira do Bairro/Águeda -

Atividades de desporto escolar no 1º período
Futsal Masculino Juvenis
- Oliveira do Bairro/Anadia -

Fotógrafas: João Oliveira e
João Gomes (Vocacional)
Voleibol Feminino Juvenis
- Oliveira do Bairro/Esgueira -

Fotógrafas: John Gomez e Nelson Pinto
(Vocacional)

39

desporto em revist@

Fotógrafas: Vanessa Cruz e Andreia Ferreira (Vocacional)

AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE OLIVEIRA DO BAIRRO
Rua Dr Acácio de Azevedo, 28, 3770-213 Oliveira do Bairro

+351 234 747 747 ● director@aeob.edu.pt ● www.aeob.edu.pt

Bom Ano de 2017!