You are on page 1of 6

A Quarta Geração da Manutenção

 Publicado em 19 de junho de 2016

Por um grande período, as
indústrias funcionaram com a prática da Manutenção Corretiva, com poucos
recursos, ferramentas e capacitação. Isso resultava em desperdícios, perda de tempo,
retrabalho, muito esforço com pouco resultado, além do custo é claro. Estamos
falando da Primeira Geração da Manutenção, que perdurou até a Segunda Guerra
Mundial e cujo foco era recolocar o equipamento em funcionamento.

cujo foco era evitar a quebra das máquinas. aumentar a sua disponibilidade e vida útil. Estamos falando da Terceira Geração da Manutenção. Surge então a chamada Manutenção Preventiva. em constante evolução. As empresas. novas metodologias de trabalho na manutenção. como limpeza e lubrificação de equipamentos. O mercado passou a tornar-se mais competitivo e. pois tinham que produzir e atender a crescente demanda. como a Manutenção Preditiva. calçada em atividades simples. a exemplo da . também conhecidos como “pais das máquinas”. A dificuldade no recrutamento de mão de obra também teve a sua contribuição. A partir da década de 50. As máquinas não podiam mais parar. sem esquecer a vertente custo. a chegada da automação trouxe um aumento do número de falhas. Nesta época. surge a Metodologia TPM (Total Productive Maintenance). passaram a se preocupar mais com a eficiência de seus processos produtivos. para agravar a situação. com seus holofotes voltados aos operadores. Estamos falando da Segunda Geração da Manutenção. que impactavam tanto na produção quanto na qualidade dos produtos. as organizações perceberam que já não havia mais espaço para improvisos. com o aumento da demanda de itens de todos os tipos após a guerra. “soluções paliativas” e desperdícios. em resposta à estes desafios e na busca por uma maior eficiência. que trouxe consigo novas técnicas de diagnóstico.

Manutenção Centrada em Confiabilidade. uma nova organização da forma de entendimento da necessidade de sinergia entre todos os departamentos envolvidos nos processos produtivos. com preocupações que antes não eram tão evidentes: CUSTO. e o que se espera é RESULTADO. buscando tornar os processos cada vez mais eficientes e de forma consciente e sustentável. disponibilidade. SEGURANÇA E MEIO AMBIENTE. Hoje podemos dizer que estes tópicos estão em evidência dentro das organizações. Os gerentes de manutenção têm como desafio satisfazer as expectativas dos proprietários e acionistas. pois esta nova visão não é de responsabilidade apenas do Departamento de Manutenção. podemos dizer que o termo “manutenção” aos poucos será substituído por “gestão de ativos”. mas de toda a empresa. A manutenção tem passado por grandes mudanças ao longo de sua evolução. confiabilidade. Quando falamos em manutenção. literalmente. cada vez mais perdendo o seu significado. . e uma nova forma de pensamento. Estes são apenas alguns dos desafios da manutenção moderna. de seus clientes internos e externos e da sociedade como um todo. Hoje vivemos um cenário de competitividade global e a manutenção está. ou seja. segurança e meio ambiente. QUALIDADE. Assim. estamos nos referindo a um sistema de gestão. Isso justifica a sua preocupação com custo.

Para isso. . minimizar as falhas. reduzir perdas e maximizar ganhos. em que o foco é maximizar a eficácia de um ativo. É meus amigos. estamos vivenciando a Quarta Geração da Manutenção. novos desafios devem fazer parte do nosso dia a dia: Gestão de Risco. Confiabilidade Humana e Acuracidade na Medição e Demonstração dos Resultados.

A confiabilidade humana permite que os operadores se adaptem ao modo de operação. detectando as variabilidades que estão fora do controle. . com o objetivo de preveni-las. de forma segura ao sistema. Essa metodologia permite identificar e prever falhas e possibilita o planejamento de sistemas sócio-técnicos seguros.

não gerencia". É importante ressaltar uma velha expressão conhecida por todos: "quem não mede. Foi-se o tempo em que a manutenção se resumia a “manter um equipamento”. . temos a medição e a demonstração dos resultados.E não menos importante.