You are on page 1of 22

Mais Graça

Título original: More Grace

Extraído de: The throne of grace

Por: John Alexander Mackenzie (1829—1867)

Traduzido, Adaptado e
Editado por Silvio Dutra

Fev/2017
M156
Mackenzie, John Alexander (1829—1867)
Mais graça / John Alexander Mackenzie
Tradução , adaptação e edição por Silvio Dutra – Rio de
Janeiro, 2017.
22p.; 14 x 21cm
Título original: More grace

1. Teologia. 2. Vida Cristã 2. Graça 3. Fé. 4. Alves,
Silvio Dutra I. Título
CDD 230

2
"Aproximemo-nos do trono da graça com
confiança, para que possamos receber
misericórdia e encontrar graça para nos ajudar
no nosso tempo de necessidade". (Hebreus 4:16)

"Ele dá mais graça." (Tiago 4: 6)

Muitos são os obstáculos e
desencorajamentos que encontram o cristão
em sua jornada para o céu; e, se ele tivesse
apenas a sua própria força para confiar, ele logo
se tornaria fraco de coração, e afundaria em
desespero. Mas, consciente de que há um poder
do seu lado que pode levá-lo sobre cada
obstáculo - um braço sobre o qual ele pode
apoiar-se em cada momento de fraqueza - e um
refúgio para o qual ele pode recorrer sempre
que o perigo ameaçar dominá-lo, ele prossegue
no seu caminho para a frente e para cima,
assegurado de que Aquele que foi seu Guardião
e Guia no passado, não falhará nem o
abandonará no futuro. E, sempre que encontra
seu progresso retardado - seja por tentações de
dentro ou de fora - da interação diária com o
mundo, ou uma comunhão mais próxima e
constante com um coração maligno, recorre ao
3
trono da graça, e a fé pode ser revigorada - seu
amor aumentado - e todas as suas energias
espirituais renovadas e fortalecidas.

Assim somente, ele pode esperar manter sua
posição, e "avançar para o alvo do prêmio do alto
chamado de Deus em Cristo Jesus". Se ele der
lugar à indolência, ele certamente será
derrotado; se ele tentar enfrentar o adversário
sem oração, ele está muito convicto de que
perderá o seu terreno. Ele descobrirá que a força
em que ele confiava era fraqueza; e que sua
coragem imaginada não poderia sustentá-lo na
batalha.

Mas, oh! Que encorajamento temos para nos
dirigirmos ao trono da graça e buscar a ajuda e o
apoio divinos! Que promessas animadoras são
dadas a todos os que pedem com sinceridade!
"Ele dá mais graça." "O Senhor preserva todos os
que o amam". "Reconhece-o em todos os teus
caminhos, e ele endireitará as tuas veredas". "Eu
me alegrarei com eles, diz o Senhor, para lhes
fazer bem". "Lança o teu fardo sobre o Senhor, e
ele te sustentará". "Ele te livrará em seis
angústias, sim, em sete não haverá mal algum
em ti." "Ele me invocará, e eu lhe responderei: eu
4
estarei com ele na tribulação, eu o livrarei e
honrarei". "Clama a mim e eu te responderei, e
te mostrarei grandes e poderosas coisas que não
conheces". "Vou visitá-lo, e cumprir a minha boa
palavra em relação a ele." "Eu vou te ensinar o
que você deve fazer." "O Senhor é bom, uma
fortaleza no dia da angústia, e conhece os que
nele confiam".

E, quantas vezes é dada a certeza de que aqueles
que humildemente esperam no Senhor,
pedindo mais graça e força para fazer Sua
vontade – e viver para a Sua glória - e seguir os
passos do Salvador, receberão novos acessos,
até que, venham "contemplar como em um
espelho a glória do Senhor", eles são
"transformados na mesma imagem de glória em
glória, assim como pelo Espírito do Senhor".
"Aquele que tem, a ele será dado, e ele terá em
abundância". "Se alguém quiser fazer a sua
vontade, conhecerá a doutrina, que ela é de
Deus". "Então eles saberão, se prosseguirem em
conhecer o Senhor". "Os que esperam no Senhor
renovarão as suas forças". "Ele dá poder aos
fracos, e para os que não têm poder, Ele
aumenta a força". "O justo manterá o seu
caminho, e aquele que tem mãos limpas será
5
mais e mais forte". E Paulo dirige-se aos
tessalonicenses com estas palavras:
"Finalmente, irmãos, vos rogamos e exortamos
no Senhor Jesus, que assim como recebestes de
nós, de que maneira convém andar e agradar a
Deus, assim andai, para que possais progredir
cada vez mais."

A partir dessas passagens e de outras
semelhantes, podemos aprender -

Primeiro, que onde a graça realmente existe no
coração, haverá um desejo sincero por mais
graça.

Em segundo lugar, que a maneira certa de
"crescer na graça", é esforçar-se, com fervor e
oração, para melhorar o que já recebemos.

Terceiro, que há apenas uma fonte de onde ela
pode vir a nós - daquele que está assentado no
trono da graça, e que prometeu concedê-la a
todos os que humildemente a pedirem. "Ele dá
mais graça."

1. Onde existe a graça haverá um desejo sincero
de mais graça. Sim, aquele em cujo coração o
Espírito de Deus implantou este princípio
6
divino, não ficará satisfeito com as realizações
presentes - o amor a Deus e Cristo o
constrangerá a buscar a conformidade com a
vontade de Deus e, consciente de sua própria
fraqueza inerente, culpa e impotência, seu
clamor será "Senhor, dá-me mais graça – dá-me
mais graça!" Este sentimento crescerá e se
expandirá, até que penetre todo o ser. Toda nova
luta será acompanhada de renovada súplica -
todos os dias serão iniciados e terminados, com
outras novas petições, para que "mais graça"
possa ser conferida.

O crente, sob a influência de uma fé viva, sente
que tem muito a fazer, e nenhuma força própria
para realizar a obra designada. Ele tem que estar
no mundo, mas não ser do mundo. Ele tem que
carregar com ele o nome e o caráter de discípulo
de Cristo, e resistir a todas as tentações que o
seu Mestre proibiu. Ele tem que lutar com
inimigos espirituais - com um coração
traiçoeiro - com sedução ao mal à direita e à
esquerda. Ele tem que "ser diligente nos
negócios, fervoroso no espírito, servindo ao
Senhor", e "colocar suas afeições nas coisas de
cima, não nas coisas da terra" - "ter seu tesouro e
conversa no céu" - "ter toda diligência para fazer
7
com que sua vocação e eleição sejam "para
acrescentar à sua fé, a virtude, à virtude, o
conhecimento, ao conhecimento, a
temperança, à temperança, a paciência, à
paciência, a piedade e à piedade, a fraternidade.
E à fraternidade, o amor; para que estas coisas
estando nele e nelas abundando, "não seja
estéril nem infrutífero no conhecimento de
nosso Senhor Jesus Cristo".

Oh, certamente, há necessidade de "mais graça"
- a graça de ser diligente e fiel - a graça de ser
resoluto e forte - a graça para melhorar e usar
corretamente, e para a glória de Deus, os
talentos, as oportunidades e os meios, e os
esforços - graça para tornar nossas vidas
sagradas, dedicadas e devotadas - graça, para
que o "viver seja Cristo" - graça, de modo que o
fim mais elevado que temos em vista seja
"agradar a Deus e abundar cada vez mais."

Leitor, você tem este desejo ardente por "mais
graça"? Se ele existe em seu coração, você deve
ter sentido sua necessidade disso - se não for
apagado e sufocado, por contato pecaminoso
com o mundo, você estará desejando um
suprimento renovado. Não há estagnação na
8
vida da fé. "O homem", diz Agostinho, "que diz, já
tenho o bastante, a alma deste homem está
perdida!" Adiante! Deve ser sempre o lema do
cristão. O poder da graça deve ficar cada vez
mais forte, se você deve ter o poder do pecado
ficando cada vez mais fraco. A sua oração diária
será: "Senhor, dá-me mais graça para honrar-te,
graça em todas as vicissitudes e mudanças, em
todas as variadas fases do meu ser. Concede-me
graça para o sol e para a tempestade, para a
saúde e para a doença, e para a morte."

E, deve animar e encorajar o cristão, saber que o
caminho certo para "crescer na graça", é
esforçar-se, com fervor e oração, para melhorar
o que já foi concedido. A religião não ordena que
um homem se retire do mundo e não preste
atenção aos seus negócios e atividades. Não!
Exorta-o a levar ao mundo a "graça" que pode
fermentar a massa circundante; para levar lá
um temperamento cristão - amor a Deus e ao
homem - fervor do espírito - seriedade no bem
fazer - e submissão humilde à vontade de seu
Criador. O que é necessário, não é inconsistente
com a atenção devida ao interesse da vida
presente; e a experiência provou que a graça
9
Divina cresce e se expande, no meio do trabalho
incessante e do trabalho diário.
Para um homem, o ato de fugir do mundo, é
fugir à esfera designada do dever. Ele pode
escalar o cume da montanha, e lá - longe de toda
o tipo de companheiros - tendo a rocha para ser
o seu sofá e os frutos silvestres para seu sustento
- ele pode se submeter a todo tipo de labuta e
privação, na tentativa de suprimir a ferocidade
da paixão, e para ganhar a vitória sobre desejos
carnais; mas, muito mais agradável aos olhos de
Deus, são os humildes esforços daquele crente,
que, lançando tudo sobre Jesus, ora por mais
graça para cumprir o seu dever quando Deus
lançou sua sorte e ele não pode evitar a batalha
da vida, mas ele luta "o bom combate da fé" e
"vence o mundo". Esta pessoa crescerá em graça
- em humildade infantil - e confiará nos méritos
do Salvador – mas a primeira que subiu o monte,
empunhando o flagelo e vestindo sacos,
crescerá em orgulho espiritual - na esperança
de comprar o céu com seus próprios esforços
fanáticos e fracos.

Oh! Não pensem que o pobre trabalhador, que
deve sair de sua casa com o primeiro raiar da
manhã, e não voltar até a noite ter avançado
10
muito, e que deve gastar o tempo intermediário
no trabalho incessante - não pense, que ele deve
necessariamente estar "parado" - que a graça
não faz avanços no seu coração, e que não pode
progredir na vida de fé e piedade. Ele pode
passar por todo o seu trabalho no temor de Deus;
render-se contente à sua sorte, e reconhecendo
a mão divina nas suas nomeações, e, se assim o
fizer, não pode deixar de "crescer na graça e no
conhecimento de Cristo."

O "crescimento na graça" não é esperado de
certas emoções altas e extasiadas - não de
transes ou êxtases - mas do exercício e exibição
fiel do que já foi dado; em sua conduta diária -
sua conduta nos assentamentos dos negócios -
sua conduta em sua família - sim, em meio a
todas as ocupações e exigências da vida. Sua vida
pode apresentar muito as mesmas
características gerais por anos; mas ainda pode,
e deve ser uma vida crescente - abundando cada
vez mais no serviço de Deus. Você não deve
esperar que maiores oportunidades sejam
colocadas em seu caminho - tanto quanto que
você deve fazer essas oportunidades de "coisas
comuns" - tendo um olho mais capaz de
discerni-las em coisas comuns, e estar mais
11
pronto para aproveitá-las e usá-las. Este é o
princípio cristão ao qual você deve mirar.

Nem espere que suas oportunidades de
exercitar a "graça" sejam dadas a você de tal
forma a atrair a atenção dos outros - não, elas
estarão principalmente em coisas comuns - em
seus deveres comuns - em seu círculo de
origem, em resistindo e superando os hábitos de
autoindulgência - hábitos de aspereza, ira,
irritabilidade do temperamento, etc. A "graça"
também pode ser levada ao exercício, ao
suportar a doença, a provação, a indelicadeza ou
a reprovação, com um espírito paciente e sem
queixas - em ajudar e estimular seu próximo - a
ser mais generoso, mais amável, mais
simpatizante - a ter a alegria, a paz, a paciência,
a mansidão, a bondade, a fé, a temperança -
iluminando mais a oração e a Palavra de Deus -
colocando cada vez mais o Senhor diante de
você.

É assim que a "graça" verdadeiramente crescerá
e se expandirá, de modo que cada novo dever se
torne mais fácil - cada nova provação menos
dolorosa. Ao introduzi-la nos detalhes da vida
cotidiana, para que ela possa elevar e consagrar
12
a afeição humana - adoçar o amor terreno com
as mais profundas e ternas simpatias - permear
o dever, o prazer e a recreação - você certamente
promoverá o crescimento desse princípio
divino que o Espírito de Deus implantou dentro
de você.

Mas, nunca devemos esquecer, que a nossa
capacidade para tudo isso vem de cima; que,
como há apenas uma fonte de que a "graça" vem
a nós em primeiro lugar, por isso há apenas uma
fonte a partir da qual podemos obter renovados
suprimentos. "Ele dá mais graça." Nosso Pai
celestial, por amor a Seu Filho bem-amado,
prometeu graciosamente renovar os Seus dons
àqueles que os usam corretamente - aumentar
neles a verdadeira religião, nutrir-lhes com toda
a bondade, e de Sua grande misericórdia mantê-
los a todos. A graça não é uma coisa escassa,
distribuída em pequenas quantidades; a fonte
está cheia e transbordante - o tesouro é grande
e inesgotável; as miríades estão penduradas a
cada hora, e tirando dela, e ainda não há
diminuição. Daquela plenitude todos podem
receber graça por graça. "O meu Deus suprirá
todas as vossas necessidades, segundo as suas
riquezas em glória, por Cristo Jesus." "E Deus é
13
capaz de fazer toda graça abundar para você, de
modo que em todas as coisas em todos os
momentos, tendo tudo o que você precisa,
abunde em toda boa obra." (2 Cor 9: 8).

Cristão! Procure por uma oração sincera, um
aumento de graça. Embora tenha o cuidado de
usar corretamente o que você já recebeu, oh,
conserte-se no trono da graça para um novo
suprimento, e tenha certeza de que não há uma
provação que você possa encontrar - não há
uma tristeza que você possa experimentar, ou o
que seja que possa encontrar em sua vida diária,
para o que Jesus - no tesouro da graça - não
tenha um consolo correspondente. Na multidão
de seus pensamentos dentro de você seus
confortos deleitarão sua alma.

Não em sua própria força você pode pisar o
caminho da vida, ou fazer um esforço para
"crescer em graça". Tudo deve vir do tesouro
celestial - mas oh! Bendita certeza: "aqueles que
buscam ao Senhor não lhe faltará qualquer coisa
boa." Não há nenhuma bênção real, nem por
tempo nem por eternidade, que será retida de
você, se humildemente pedir isso, por causa de
Jesus. "Até agora", disse aos Seus discípulos,
14
"vocês não pediram nada em meu nome -
peçam, e vocês receberão, para que sua alegria
seja completa." E, "Aquele que não poupou a seu
próprio Filho, mas livremente o entregou à
morte por todos nós, como não nos dará
também com ele todas as coisas?"

Olhe para trás e reflita quantas bênçãos você
recebeu no passado; e tome estas como
promessas de que Deus ainda estará com você, e
dará "graça e força" para o tempo vindouro.
"Aquele que crê tem o testemunho em si
mesmo". Você tem o testemunho do
cumprimento das mais graciosas garantias de
seu Senhor, em "você mesmo" - em seu próprio
coração e em sua própria experiência. Eu penso
que ouço você dizer: "Sim, estive em aflição e
tristeza, quando o consolo de amigos terrenos
era absolutamente ineficaz, para secar a lágrima
inicial, ou para acalmar o coração estourando, e
naquela hora, havia Aquele que disse: Em toda a
tua aflição fui afligido.

"Eu estive em épocas da mais terrível tentação
espiritual, quando eu tinha quase feito
naufrágio da minha fé, mas havia um que
15
sussurrou:" Minha graça é suficiente para você,
e meu poder é aperfeiçoado na fraqueza."

"Eu estive sobre um leito de enfermidade e,
como eu acreditava, numa cama moribunda,
fiquei à beira de uma eternidade insondável e,
naquela hora terrível, havia um que estava ao
meu lado na vigilância da noite, e deu um forte
consolo - havia um que disse: "Portanto, agora
não há condenação para os que estão em Cristo
Jesus, eu retirei o aguilhão da morte, roubei do
túmulo a sua vitória - não tema - vou dar-te,
graça, e estarei contigo todos os dias, até ao fim."

"Bendito Senhor, inclina o teu olho piedoso de
amor e misericórdia sobre nós, quando nos
aventuramos a nos aproximarmos do trono da
graça. Desejamos olhar para ti através de Jesus
Cristo, teu Filho amado, e sermos participantes
desta paz que ultrapassa toda a compreensão.
Não há outro refúgio para o espírito desgastado.
Mas, bendito seja Deus, que somos autorizados
a descansar sobre a obra acabada e a justiça
eterna de nosso querido Redentor, e que há nEle
uma suficiência para todas as nossas
necessidades.
16
Oremos: “Oh Deus, pela graça perdoadora,
renova, vivifica e santifica, transformando-nos
pelo poder interior do Teu Santo Espírito, para
que procuremos ser mais animados por um
ardente amor a Jesus, a quem pertencemos e a
quem é por conseguinte o nosso dever e
privilégio, obedecer, sabendo que esta é a Vossa
vontade sobre nós, a nossa santificação, seja o
nosso constante desejo, crescer na graça e no
conhecimento de nosso Senhor e Salvador Jesus
Cristo."

“Salvador Todo-Poderoso, em quem habita toda
a plenitude, imploramos humildemente que
nos seja dado receber de Sua plenitude a graça
suficiente para nós; para que, sendo ensinados
de Ti como devemos andar e agradar a Deus,
possamos abundar nisso cada vez mais. Faze-nos
cheios do conhecimento de Tua vontade em
toda sabedoria e entendimento espiritual, e seja
o grande emprego de nossas vidas para honrá-lo
e servi-lo. Que o nosso regozijo seja o
testemunho da nossa consciência, que na
simplicidade e sinceridade divina, não com a
sabedoria carnal, mas pela graça de Deus,
vivemos nossas vidas no mundo.
17
Não nos deixes, ó Deus, repousar satisfeitos com
as realizações presentes, mas segundo a tua
promessa, dá-nos mais graça. Leva-nos ainda
adiante nos vossos caminhos, de força em força,
até que estejamos aptos a ser transportados para
aquele melhor país, onde vos veremos face a
face e, sendo plenamente conformes à Tua
imagem, amar-vos-emos supremamente,
triunfalmente, e celebraremos os vossos
louvores para sempre.

Graciosamente, ouve-nos, ó Deus, e tem
misericórdia de nós por causa do teu Filho
amado, e o nosso Redentor. Amém.”

A cabeça que uma vez foi coroada de espinhos,

Está coroada de glória agora;

Um diadema real adorna

A testa do poderoso Vencedor!

O lugar mais alto que o céu oferece

É Seu por direito;

O Rei dos reis, e Senhor dos senhores,
18
E a eterna luz do céu -

A alegria de todos os que habitam acima,

A alegria de todos abaixo,

A quem Ele manifesta Seu amor,

E concede conhecer o Seu nome.

A eles, a Cruz, com toda a sua vergonha,

Com toda a sua graça, é dada;

Seu nome, um nome eterno,

Sua alegria é a alegria do céu.

Eles sofrem com o Senhor aqui embaixo,

Eles reinam com Ele acima,

Seu lucro e sua alegria de conhecer

O mistério de Seu amor.
19
A Cruz que Ele carrega é vida e saúde,

Apesar de vergonha e morte para Ele;

A esperança de seu povo,

A riqueza de seu povo,

Seu tema eterno.

-T. Kelly

Ajude-nos, Senhor!

Em cada hora de necessidade,

Dá-nos Seu apoio celestial;

Ajude-nos no pensamento, na palavra e na ação,

Cada hora em que vivermos na terra!

Ajude-nos quando nossos espíritos sangrarem

Com angústia contrita dolorida;
20
E quando nossos corações estão frios e mortos,

Ajude-nos, Senhor, mais e mais!

Oh, ajude-nos através da oração da fé,

Para mais firmemente acreditar -

Pois ainda, quanto mais o servo tem,

Quanto mais ele receberá!

Se estranhos ao Seu redil clamam,

Implorando a seus pés

As migalhas que da Tua mesa caem,

É tudo o que ousamos pedir.

Mas seja, Senhor misericordioso conosco;

Assim, Tu concederás isto;
21
As migalhas que caem da tua mesa

São luz, e vida, e bem-aventurança.

Oh, ajude-nos, Jesus, nas Alturas!

Não conhecemos ajuda senão de Ti;

Oh, ajude-nos a viver e morrer,

Como seus para o céu por vir!

-Henry Deer Milman

22