You are on page 1of 35

1

Uma das possíveis maneiras de se

caracterizar a função financeira de uma

empresa é categorizar as áreas que

exigem tomada de decisões pelos

executivos responsáveis. Isso não nos diz o que estes executivos

fazem especificamente, mas define o tipo de problema com que estão

envolvidos.

Costuma-se classificar estes problemas de duas maneiras:

 Segundo as áreas de decisões de investimento, financiamento e

utilização do lucro líquido.

 Segundo tarefas de obtenção de recursos financeiros e análise da
utilização desses recursos pela empresa.

As principais áreas de decisões na administração financeira de uma

empresa são as seguintes:

 Investimento: Avaliação e escolha de alternativas de aplicação de

recursos nas atividades normais da empresa. Conjunto de

decisões visando dar a empresa a estrutura ideal em termos de

ativos - fixos e correntes - para que os objetivos da empresa como

um todo sejam atendidos.
2

 Financiamento: Definir e alcançar uma estrutura ideal em termos

de fontes de recursos, dada a composição dos investimentos.

 Utilização (destinação) do Lucro Líquido: Também conhecida como

Política de Dividendos, que se preocupa com a destinação dada

aos recursos financeiros que a própria empresa gera em suas

atividades operacionais e extra-operacionais.

Atribuições do Administrador Financeiro

 Análise de registros e informações contábeis.

 Projeção do movimento de fundos.

 Aplicação de fundos excedentes.

 Fornecimento à alta administração de informações sobre as

perspectivas financeiras futuras da empresa.

 Elaboração de planos para fontes e usos de fundos, a curto e a

longo prazos.

Em verdade, a atividade financeira de uma empresa requer

acompanhamento permanente de seus resultados, de maneira a

avaliar seu desempenho, bem como proceder aos ajustes e correções

necessários.

3

uma boa gestão dos recursos financeiros reduz substancialmente a necessidade de capital de giro. promovendo maiores lucros pela redução princi- palmente das despesas financeiras. 4 . É neste contexto que se destaca o fluxo de caixa como um instrumento que possibilita o planejamento e o controle dos recursos financeiros de uma empresa. Contextos econômicos modernos de concorrência de mercado exigem das empresas maior eficiência na gestão financeira de seus recursos. O objetivo básico da função financeira é prover a empresa de recursos de caixa suficientes de modo a respeitar os vários compromissos assumidos e promover a maximização de seus lucros. Sabidamente. não cabendo indecisões sobre o que fazer com eles. e indispensável ainda em todo o processo de tomada de decisões financeiras. Gerencialmente.

A partir da elaboração do fluxo de caixa é possível prognosticar eventuais excedentes ou escassez de caixa. devendo como condição básica apresentar o respectivo saldo em seu caixa nos momentos dos vencimentos. 5 . o fluxo de caixa é um instrumento que relaciona os ingressos e saídas (desembolsos) de recursos monetários no âmbito de uma empresa em determinado intervalo de tempo. O fluxo de caixa é de fundamental importância para as empresas. determinando-se medidas saneadoras a serem tomadas. Ao contrário. de maneira a sincronizar as características de sua atividade com o desempenho do caixa. constituindo-se numa indispensável sinalização dos rumos financeiros dos neg6cios. as empresas devem liquidar corretamente seus vários compromissos. suspensão de entregas de materiais e mercadorias. A manutenção de saldos de caixa propicia folga financeira imediata a empresa. e ser causa de uma séria descontinuidade em suas operações. É indispensável que a empresa avalie criteriosamente seu ciclo operacional. O conflito básico da administração financeira resume-se no conhecido dilema risco x retorno. a administração não deve manter suas reservas de caixa em níveis elevados como forma de maximizar a liquidez. deve buscar um volume mais adequado de caixa sob pena de incorrer em custos de oportunidades crescentes. revelando melhor capacidade de pagamento de suas obrigações. Para se manterem em operação. Neste posicionamento. A insuficiência de caixa pode determinar cortes nos créditos.Conceitualmente.

Dependendo. problemas de caixa costumam ocorrer. para podermos avaliar o desempenho e a administração de uma empresa. Por outro lado. O regime de competência nos diz de que período uma conta é relativa. ainda.Os fluxos de caixa costumam apresentar-se sob diferentes formas: restritos. da qualidade do controle e complexidade de atuação da empresa. decorrente das operações. Ex: 6 . os dados financeiros necessários para a elaboração do fluxo de caixa podem ser levantados segundo outros critérios pelos analistas internos. Empresas lucrativas podem também apresentar problemas de caixa como conseqüência do comportamento de seu ciclo operacional. evidentemente. É importante que se avalie também que limitações de caixa não se constituem em característica exclusiva de empresas que convivem com prejuízo. por sua vez. podendo ainda relacionar o conjunto das atividades financeiras da empresa dentro de um sentido amplo. inclusive a partir de sistemas de informações on line. E. operacionais e residuais. em lançamentos de novos produtos. fases de expansão da atividade. modernização produtiva etc. Regime de Caixa x Regime de Competência É muito importante termos em mente estas duas definições. o regime de caixa nos diz quando o valor monetário relativo àquela conta vai estar disponível no caixa da empresa.

100.00 Recebimentos fevereiro.00 3.00 Recebimentos março.00 Fluxo de Caixa Março Entradas 1 2 3 4 Recebimentos janeiro.00 1.00 Prazo = 30 dd. 1.00 4. Uma administração inadequada do capital de giro resulta normalmente em sérios problemas financeiros.00) Lucro 700.000. contribuindo efetivamente para a formação de um situação de insolvência.00 2.000. Venda de mercadoria a prazo = 1.100.000.000.98 1.700.99 2.300. cobrindo geralmente mais da metade de seus ativos totais investidos.380.00 Recebimentos fevereiro.00 Recebimentos janeiro.700.450. Regime de Competência DRE Fevereiro Faturamento 1.000.100.99 4.00 4.600.380.000.300.00 Total Entradas 3.600.00 4.500.00 1.00 1.00 3. 7 .99 2.450.00 O capital de giro tem participação relevante no desempenho operacional das empresas.00 5.00 Regime de Caixa Fluxo de Caixa Fevereiro Entradas 1 2 3 4 Recebimentos dezembro.00 2.000.00 Total Entradas 4.99 1.00 1.600.00 CMV (300.99 3.

por seu lado. uma possível alternativa de retomada das vendas pode processar-se pelo incentivo das vendas a prazo. maior volume de investimento em circulante. a presença de passivos de prazos mais curtos exige. A presença de ativos correntes na estrutura financeira das empresas é importante para viabilizar financeiramente seus negócios e contribuir para a formação do retorno econômico do investimento realizado. Diante de seu contexto de mercado. as empresas formalizam estratégias operacionais de atuação. A definição do montante de capital de giro é uma tarefa com sensíveis repercussões sobre o sucesso dos negócios. ativos correntes mais líquidos. exigindo-se. a perda da liquidez pela maior participação de estoques no ativo circulante deve ser compensada por um maior volume de caixa. a proposição é relevante 8 . e assim por diante. uma empresa deve investir em capital de giro enquanto o retorno marginal dos ativos correntes se mantiver acima do custo dos recursos alocados para seu financiamento. Por exemplo.É importante ter em conta que a administração do capital de giro trata dos ativos e passivos correntes como decisões interdependentes. principalmente em relação à administração do capital de giro. Apesar de a quantificação destas medidas de custo e do retorno nem sempre ser operacionalmente simples na pratica. avaliando seus investimentos correntes e selecionando os passivos mais adequados. exercendo evidentes influencias sobre a liquidez e rentabilidade das empresas. Por exemplo. neste caso. Sob determinado enfoque.

principalmente como uma orientação técnica para as decisões que envolvem investimentos em capital de giro. produção etc. centradas em alterações nas condições de venda. como recessão. permitindo melhor entendimento de como as organizações geram. que determina variações nas necessidades de recursos ao longo do tempo. valores a receber e caixa. A administração do capital de giro encontra-se inserida no contexto decisorial das finanças das empresas. sazonalidade dos negócios. num conjunto de regras que tem por objetivo a preservação da saúde financeira da empresa. o qual é lastreado pelos estoques. Constitui-se. Ao abranger as decisões financeiras de curto prazo das empresas. 9 . de crédito. A importância e o volume do capital de giro para uma empresa são determinados principalmente pelo volume de vendas. absorvendo o processo decis6rio das empresas significativa melhoria de qualidade técnica. A área financeira promoveu nas ultimas décadas notável evolução teórica em seus conceitos. fatores cíclicos da economia. a administração do capital de giro também incorpora este desenvolvimento técnico. principalmente aplicada aos custos e tempo de produção. e políticas de neg6cios.. em outras palavras. comportamento do mercado etc. tecnologia. aplicam e gerenciam seus recursos financeiros. assumindo importância relevante na gestão das organizações.

). prevalecendo nesta situação o ciclo operacional para se definirem os recursos correntes. geralmente identificados como aqueles capazes de serem convertidos em caixa no prazo máximo de um ano. A delimitação de um ano não costuma ser seguida por empresas cujo ciclo produção- venda-produção ultrapasse caracteristicamente este prazo (estaleiros. atureza e Definições do Capital de Giro: O termo giro refere-se aos recursos correntes (curto prazo) da empresa. atividade rural etc. Balanço Patrimonial e Capital de Giro Fornecedores Disponibilidades Salários e Encargos Sociais Valores a Receber Empréstimos e Financiamentos Estoques Empréstimos e Financiamentos Debêntures Investimento Imobilizado Diferido Capital Social Reservas Lucros Acumulados 10 .

pelas aplicações correntes. se as atividades de seus vários elementos ocorressem de forma perfeitamente sincronizada. O capital de giro ou capital circulante é representado pelo ativo circulante. isto é. no curto prazo. Os elementos que compõem o ativo circulante não costumam apresentar sincronização temporal equilibrada em seus níveis de atividade. na procura da eficiência na 11 . inexistiriam investimentos em valores a receber. O enfoque da área financeira para a realização desta tarefa centra-se. o capital de giro representa os recursos demandados por uma empresa para financiar suas necessidades operacionais identificadas desde a aquisição de matérias-primas (ou mercadorias) até o recebimento pela venda do produto acabado. valores a receber e estoques. venda e cobrança não serem sincronizadas entre si. tornar-se- iam desnecessários investimentos em estoques de produtos acabados. Desta forma. faz-se necessário o conhecimento integrado de suas evoluções como forma de se dimensionar mais adequadamente o investimento necessário em capital de giro e efetivar seu controle. Identicamente. diante da definição apresentada. se se verificasse sincronização entre a produção e as vendas. basicamente.Os elementos de giro. são identificados no ativo circulante e passivo circulante. pelo fato das atividades de produção. se todas as vendas fossem realizadas à vista. ou seja. se as atividades ocorressem de maneira totalmente integrada. isto é. não haveria necessidade de se manterem recursos aplicados em capital de giro. Por exemplo. identificadas geralmente pelas disponibilidades. Evidentemente. Num sentido mais amplo.

 CAPITAL DE GIRO VARIÁVEL: é definido pelas necessidades adicionais e temporais de recursos verificadas em determinados períodos e motivadas. pode ser segmentado em fixo (ou permanente) e variável (ou sazonal). O capital de giro. maior morosidade no recebimento de clientes. o que é feito através da maximização de seus retornos e minimização de seus custos. por compras antecipadas de estoques. Estas operações promovem variações temporais no circulante. por isto.gestão de recursos. maiores vendas em certos meses do ano etc. Como é mostrado abaixo: Capital de Giro Sazonal e Permanente (Fixo) $ 12 . denominadas de sazonais ou variáveis.  CAPITAL DE GIRO PERMANENTE: refere-se ao volume mínimo de ativo circulante necessário para manter a empresa em condições normais de funcionamento. por sua vez. principalmente. e são. recursos do disponível em trânsito.

o entendimento mais correto do capital circulante liquido processa-se de baixo para cima. o CCL representa o volume de recursos de longo prazo (exigibilidade e patrimônio liquido) que se encontra financiando os ativos correntes (de curto prazo). critérios de gerenciamento do caixa e a estrutura dos passivos correntes. ou seja. seus investimentos em créditos a clientes. são estudados fundamentalmente o nível adequado de estoques que a empresa deve manter. e as inter-relações existentes entre eles. ou seja. Reflete a folga financeira da empresa e. através da parcela de 13 . dentro de um conceito mais rigoroso. Neste conceito. Capital de Giro Sazonal Capital de Giro Permanente (fixo) Tempo A administração do capital de giro diz respeito a administração das contas dos elementos de giro. dos ativos e passivos correntes (circulantes). é mais diretamente obtido pela diferença entre o ativo circulante e o passivo circulante. de forma consistente com os objetivos enunciados pela empresa e tendo por base a manutenção de determinado nível de rentabilidade e liquidez. O capital de giro (circulante) liquido – CCL. Em verdade.

CCL = Ativo Circulante – Passivo Circulante ou CCL = [ ( PL + ELP) – ( AP + RLP ) ] Ilustrativamente.recursos de longo prazo que excede as aplicações de mesma maturidade. AC PC $ 35 $ 20 AC = Ativo Circulante CCL AP = Ativo Permanente ELP PC = Passivo Circulante $ 30 ELP = Exigível a Longo Prazo PL = Patrimônio Liquido AP $ 65 PL $ 50 14 . admita a seguinte estrutura patrimonial de uma empresa representada a seguir: Empresa com Capita! de Giro Liquido Positivo.

e os $ 15 restantes. Em outras palavras. dos $ 80 captados a longo prazo. $ 65 estão aplicados em ativos também de longo prazo (ativo permanente) e os $ 15 excedentes são direcionados para financiar o capital de giro da empresa. AC PC $ 70 $ 110 CCL (Negativo) ELP AP $ 40 $ 130 15 PL $ 50 . um CCL negativo revela que a empresa este usando recursos passivos correntes para financiar seus investimentos permanentes. que representam o capital de giro liquido da empresa. Ou seja. $ 20 são financiados por créditos de curto prazo (passivo circulante). Uma empresa com capital de giro liquido negativo. denota que os recursos de longo prazo da empresa não são suficientes para cobrir suas aplicações de longo prazo. são oriundos de recursos de longo prazo (exigível de longo prazo e patrimônio liquido). com passivo circulante maior que ativo circulante. isto é. do total de $ 35 aplicados no ativo circulante. devendo utilizar recursos do passivo circulante para tal fim. Empresa com Capita! de Giro Liquido Negativo.Observe na ilustração que. denotando certa folga financeira.

Em outras palavras. empresas com fluxos de caixa bastante previsíveis podem operar com capital circulante liquido baixo ou. ate mesmo. uma decisão de estrutura financeira da empresa. parte da divida da empresa tem prazo de resgate menor que o retorno da aplicação destes recursos. este montante não suficiente para cobrir suas aplicações permanentes de $ 130. indicando que $ 40 dos $ 130 aplicados em ativo permanente são financiados por dividas de curto prazo. negativo. A posição de liquidez é decidida com base na estrutura que melhor satisfaça as necessidades e aos objetivos da empresa. Por exemplo. principalmente ao se constatar que as saídas de caixa 16 . como costuma ser o caso de companhias prestadoras de serviços públicos. optando-se por uma preferencia em relação ao dilema risco-retorno. sendo a diferença de $ 40 coberta por obrigações correntes (passivo circulante). muitas vezes.A folga financeira é negativa pela presença de exigibilidade de curto prazo financiando aplicações com prazos de retorno maiores. observa-se que a empresa tem levantado S 90 de recurso3 d! Longo prazo (exigível e patrimônio liquido). No entanto. No entanto. para a maioria das empresas a presença de um CCL positivo é básica a seus negócios. De outra maneira. Esta situação de aperto de liquidez é. O CCL é de ($ 40).

que é apurado pela diferença entre o patrimônio liquido e o ativo permanente mais o realizável a longo prazo. o conceito de capital de giro próprio. por exemplo. que o patrimônio liquido se encontra vinculado ao financiamento do ativo permanente. E um indicador limitado. implicitamente. 17 . a medida financeira assume a identificação da origem dos recursos que sustentam o capital circulante. enquanto as entradas de caixa (recebimentos) são geralmente de difícil previsibilidade. Com isso. ou seja: Capital de Giro Próprio = PL – ( AP + RLP ) Esta medida de liquidez revela basicamente os recursos pr6prios da empresa que estão financiando suas atividades correntes (ativo circulante). ainda. notadamente por pretender identificar a natureza (origem) dos recursos de longo prazo -próprios ou de terceiros que se encontram financiando as atividades circulantes. somente ocorrendo capital de giro pr6prio positivo quando os recursos dos proprietários excederem ao montante do investimento permanente.(pagamentos) são eventos relativamente previsíveis. Admitem na apuração. costumam operar com este indicador financeiro para avaliar sua posição de liquidez. E muitas vezes adotado na pratica. As instituições financeiras e as empresas publicas prestadoras de serviços.

00 20 444.00 30 1.67 Estoques de mat-prima 1.000. Acabados 1.000. Acabados 18. É calculada da seguinte forma: Vendas anuais = 40. de prod. pode ser definida como aquela necessária para que a rotação do ativo circulante seja suficiente para pagar o passivo circulante nas datas de vencimento.500.17 18 .444.00 30 1.00 Est. de prod.00 15% 225. em elab.000.000.00 30 333.00 40 4.00 Obrigações trabalhistas 4. A necessidade de capital de giro.500. 750.00 Prazo pgto e rec.00 Fornecedores 12.33 Obrigações fiscais 8.000.00 Total caixa e bancos 1.00 Est. de prod. Contas Valor anual (em dias) Saldo Duplicatas a receber 40.000.444.000.00 Est.500.44 Estoques de mat-prima 12.229.50 Est.00 15% 225. de prod.00 15% 112. 18.000.000. Assim a NCG nos mostra qual o capital de giro mínimo que a empresa precisa para manter sua liquidez.500.00 15 750.44 15% 666.00 45 1. em elab.44 Saldo = Valor anual x Prazo 360 Política de caixa Contas Valor % Total Duplicatas a receber 4.

00 Obrigações trabalhistas 444.229.000.17 Fornecedores 1.44 Salários a pagar 333. de prod. de matéria-prima 1.423.00 Est.33 Est.500.500.44 Est.78 NCG = 7.00 Duplicatas a receber 4.645.777.83 19 .00 Total 9.61 Total 1. de produtos acabados 1. Ativo Cíclico Passivo Cíclico Caixa e bancos 1. em elaboração 750.444.

uma empresa lucrativa pode estar “quebrando”. Um aumento na margem bruta significa ou um aumento das vendas mais do que proporcional ao aumento do 20 . para chegarmos num equilíbrio entre risco x retorno. denominadas a seguir:  Margem Bruta: Representa a porcentagem de cada real de venda que restou após a empresa ter deduzido os custos de suas mercadorias. como tomar uma decisão quanto a estratégia financeira a ser adotada. A análise de estrutura. A análise de estrutura é formada por quatro margens básicas. sem saber como detectar onde está o problema. tem por finalidade mostrar a saúde financeira de uma empresa. mas não é o mesmo que dizer que ela está mal economicamente ou que está em perigo iminente de falência. uma empresa pode estar com dificuldades em seu fluxo de caixa. sem que seus administradores dêem-se conta. ou pior. precisamos ponderar tanto sobre a análise de estrutura quanto a administração do capital de giro. Isto é. Ou melhor. que a análise de estrutura deve ser feita. É para mostrar tanto o desempenho da administração. Da mesma forma.

ou queda do CMV. 21 . ou seja. da Atividade / Faturam. suas despesas operacionais e resultado financeiro. antes do efeito do custo financeiro e imposto de renda. A comparação da margem bruta entre empresas só faz sentido para empresas do mesmo ramo de atividade. em suas operações. Na apuração do Resultado da Atividade não são deduzidas as despesas financeiras. MA = ( Res. Líquido ) x 100  Margem Operacional: Representa a porcentagem de cada real de venda que restou após a empresa ter deduzido os custos de suas mercadorias. o que realmente foi ganho em cada real de venda feita pela empresa. suas despesas tributárias e de vendas. A margem da atividade é denominada de margem pura. MB = ( Lucro Bruto / Faturamento Líquido ) x 100  Margem da Atividade: Representa a porcentagem de cada real de venda que restou após a empresa ter deduzido os custos de suas mercadorias. CMV.

empresa. de acordo com as observações apresentadas no cálculo do fluxo de caixa proveniente das operações. inclusive financeiras e imposto de renda. Líquido ) x 100  Margem Líquida: Representa a porcentagem de cada real de venda que restou após a empresa ter deduzido todas as suas despesas. 22 . Deve ser ressaltada. MO = ( Res. Operacional / Faturam. numa medida dos recursos financeiros gerados pelas atividades estritamente operacionais e disponíveis em termos de caixa. ML = ( Res. a realização financeira (de caixa) de todos os elementos que compõem esta expressão de cálculo. em outras palavras. Constitui-se. Líquido ) x 100 O fluxo de caixa operacional representa basicamente os resultados financeiros (no sentido estrito de caixa) produzidos pelos ativos identificados diretamente na atividade da . Líquido / Faturam.

Não e suficiente que os novos projetos de investimento gerem apenas retornos positivos. Toda vez que ele decide por uma alternativa de investimento deixa de lado outras alternativas. O fluxo de caixa futuro e gerado pelos ativos existentes e pelos novos ativos que serão adicionados a empresa aproveitando novas oportunidades de investimento. devemos estabelecer procedimentos de avaliação que permitam determinar que os retornos dos novos projetos de investimento tem capacidade de gerar bons resultados. Eles devem gerar bons resultados. Portanto. renunciando. portanto. 23 .O valor de uma empresa depende de seu fluxo de caixa futuro. o valor da empresa poderá ser medido pelo valor presente de seu fluxo de caixa futuro. O investidor tem mais de uma alternativa ou oportunidade de investir seu capital. Levando em consideração que $1 recebido hoje tem mais valor que o mesmo $1 recebido daqui a um ano. parte da geração do lucro futuro da empresa será proveniente de novos projetos de investimento.

em um prazo determinado.portanto. ao lucro que teria recebido com uma dessas alternativas. cujo valor e definido pelo custo da melhor alternativa rejeitada. A motivação para esta decisão esta na expectativa de receber um retorno pelo menos igual ao retorno que sacrificou.  O investidor participará de novos negócios se receber. mas sim pelas oportunidades que os investidores tem para investir no mercado de capitais. mantendo o mesmo nível de risco do investimento. Como conseqüência direta.  O custo de capital de numa empresa não é determinado pelas oportunidades da empresa. seu custo de oportunidade. que também pode ser chamado índice de endividamento. estão sempre gerando rendimentos. O índice de Participação de Capitais de Terceiros. algo mais que o valor investido. Esse é o custo de oportunidade. devemos entender que:  Os recursos monetários não são gratuitos. por ter deixado de investir em outra alternativa com nível de risco comparável. costuma aparecer em publicações sob fórmulas ligeiramente diferentes das que são apresentadas aqui. Os diferentes índices que medem o endividamento não são igualmente informativos. 24 .

o que se deseja com o índice de Participação de Capitais de Terceiros e medir a relação existente entre Capital de Terceiros e Capital Próprio. Há também autores que utilizam simultaneamente vários tipos de índices de Participação de Capitais de Terceiros sob denominações diferentes. o que. Os índices possíveis de participação de capitais de terceiros são:  CT / PL  CT / A ou CT / P  PL / CT  A / CT ou P / CT Onde: CT = Capitais de Terceiros PL = Patrimônio Líquido A = Ativo P = Passivo 25 . chegou a falsa conclusão de que as empresas brasileiras se achavam inúmeras vezes mais endividadas. comparando o índice de Participação de Capitais de Terceiros de empresas brasileiras com o de empresas americanas. alem de confundir o leitor. No fundo. tomou para as brasileiras a relação Capitais de Terceiros/Patrimônio Liquido e para as americanas a relação Capitais de Terceiros/Passivo. representa um trabalho inútil.Lamentavelmente algumas pessoas acabam confundindo-se. como aconteceu com um jornalista que.

mas apenas aquelas ocorridas nos itens não Circulantes do Balanço.  Demonstração do Resultado do Exercício. no Exigível a Longo Prazo. Patrimônio Liquido. São elas:  Balanço Patrimonial. a Demonstração das Origens e Aplicações de Recursos mostra as novas origens e aplicações verificadas durante o exercício. ou seja. A diferença entre as novas origens não circulantes e as novas aplicações não circulantes será igual ao Capital Circulante Liquido.não mostra a totalidade das novas origens e aplicações. Enquanto o balanço apresenta. Ativo Permanente e Realizável a Longo Prazo. Outra diferença e que a Demonstração das Origens e Aplicações de Recursos . as aplicações (ativo).DOAR . através de publicações em órgãos de imprensa ou fornecendo-as aos interessados. de outro. em determinado momento. de um lado (passivo). 26 .Há muitos anos as empresas vem divulgando duas demonstrações financeiras básicas. a origem dos recursos utilizados pela empresa e.

Traçando-se um paralelo entre o Balanço e a DOAR. qual a participação das transações. Essas transações. apresentando exatamente estes últimos dados. Pode ter vendido a vista e feito aquisições com financiamentos ou mediante aumentos de capital. não são evidenciadas no Balanço. ou seja. pode-se dizer que o Balanço mostra a posição dos investimentos e financiamentos da empresa em determinado momento. Entre dois balanços. O balanço não torna claro. É ai que entra a DOAR. A empresa pode. inúmeras alterações podem ocorrer. ter vendido parte dos seus bens imobilizados e adquirido outros. Através da DOAR e possível conhecer como fluíram os recursos ao longo de um exercício: quais foram os recursos obtidos. 27 . que afetam consideravelmente a situação financeira da empresa. o qual mostrara apenas globalmente o efeito delas. Talvez por isso essa demonstração seja ainda pouco conhecida pelo grande publico e mesmo por parte de muitos analistas de balanços: e que o Capital Circulante Liquido e um elemento de difícil interpretação. portanto. por exemplo.Dessa maneira. como a empresa passou de determinada posição de investimentos e financiamentos para outra posição. quais os recursos adicionais de que a empresa se utilizou e onde os aplicou. a DOAR e uma demonstração que evidencia a variação do Capital Circulante Liquido.

porém grandes limitações ao considerar apenas a “fotografia” da empresa em um determinado instante não permitindo obter dela indicações a não ser limitadas. Solvência e Estrutura De acordo com a análise estática a situação financeira da empresa é examinada num determinado instante com base no balança patrimonial da empresa. Essa análise pode ser feita sobre os fluxos financeiros históricos ou sobre os projetados. é um possível ponto de partida da análise da situação financeira empresarial. através da construção de indicadores de liquidez e da estrutura patrimonial. com respeito ao desempenho passado do gerenciamento empresarial e sua previsível evolução futura.Quocientes de Liquidez. Tais razões obrigam o analista a complementar sua análise estática com uma do tipo dinâmica. Este é lido pelo analista com o objetivo de obter indicações sobre a futura evolução empresarial. pode-se descrever a sua situação financeira e patrimonial. Uma análise do tipo estática mostra. O ponto principal da análise do balanço patrimonial. Através da construção de indicadores que utilizam valores do balanço de uma empresa. 28 . que procura colocar em evidência os fluxos de recursos originados pelas operações.

fornecedores. índice de liquidez seca e índice de liquidez imediata. Para que uma empresa possa pagar as suas dívidas nos prazos previstos é fundamental os recebimentos gerados através da rotação dos seus ativos circulantes. comparam ativo e passivo circulantes com o objetivo de medir a capacidade da empresa atender a seus compromissos de curto prazo através da realização dos seus ativos circulantes. No entanto.  ÍNDICE DE LIQUIDEZ CORRENTE: quando uma empresa compra a prazo. Desta forma. Estas contas são altamente correlacionadas com a atividade operacional. como por exemplo estoques. ela sabe com antecedência. A dificuldade existe em prever quando ocorrerão as entradas de caixa. Os índices de liquidez. duplicatas a receber. como veremos adiante. não faz sentido imaginar que a empresa realizará os seus estoques para pagar suas dívidas. obrigações fiscais. Estes são os principais indicadores: índice de liquidez corrente. determinadas contas do ativo e passivo circulante possuem uma característica de renovação. as condições de crédito e as datas de vencimento das obrigações. os estoques tem que ser repostos para que a empresa possa continuar operando normalmente. Quanto mais imprevisíveis forem as entradas de 29 . Na realidade.

a empresa dispõe de R$1.00 de Ativos Circulantes e R$2.5 de bens e direitos em seu Ativo Circulante para pagá- las.000. pois este não demonstra a articulação entre os prazos de vencimentos das dívidas e os prazos de renovação dos ativos.00 ILC = 1. caixa maior será o seu capital circulante líquido.000. para cada R$1.  ÍNDICE DE LIQUIDEZ SECA: este índice pressupõe que os compromissos de curto prazo serão atendidos somente pela 30 . Assim deve-se tomar cuidado ao se olhar isoladamente o índice de liquidez corrente.5 A definição para este resultado seria de que.00 de Passivos Circulantes: ILC = 3.000. Desta forma. a análise financeira correta deve se basear num estudo detalhado da necessidade de capital de giro da companhia.00 de dívidas vencíveis no curto prazo.00 / 2. além de não revelar sua qualidade. ILC = Ativo Circulante / Passivo Circulante Ex: Para uma empresa que num determinado momento tenha R$3.000.

para cada R$1. bancos.00 – 12.000. considerando que os estoques são itens renováveis e não realizáveis. realização das duplicatas a receber e disponibilidades.000.000.00 de dívidas vencíveis no curto prazo. Ativo Circulante = R$30. 31 .000.00) / 15.2 Para tais valores teremos um índice de liquidez seca igual a R$1.00 ILS = 1.000. a empresa possui R$1.  ÍNDICE DE LIQUIDEZ IMEDIATA: este índice representa quantos reais existem em disponibilidades (caixa. ILS = (Ativo Circulante – Estoques) / Passivo Circulante Ex: Suponhamos uma empresa com os seguintes valores. Isto é.00 Estoques = R$ 12. títulos de elevada liquidez) para pagar cada real de dívidas vencíveis no curto prazo.000.00 ILS = (30.2. não considerando os estoques.00 Passivo Circulante = R$15.20 de bens e direitos realizáveis a curto prazo para pagá-la.

069 Este valor R$0.200 ) / 32. ILI = Disponibilidades / Passivo Circulante Ex: Suponhamos uma empresa com os seguintes valores num determinado momento. O prazo de recebimento de vendas nos diz o tempo que leva entre a venda e o recebimento.000 ILI = 0. O Ciclo Operacional nada mais é do que o tempo decorrido entre a compra das matérias primas e o recebimento 32 .069 para pagá-la. Econômico e Financeiro O prazo médio de renovação de estoques numa empresa comercial representa o tempo médio de estocagem de mercadorias e numa empresa industrial representa o tempo de produção e de estocagem.200.00 ILI = (300 + 700 + 1. Ciclos Operacional.00 Passivo Circulante = R$32.000.00 de dívida a empresa dispõe de R$0. Esta situação é comumente chamada de “passivo a descoberto”.069 indica que para cada R$1.00 Títulos Negociáveis = R$1.00 Bancos = R$700. Caixa = R$300.

Quanto maior for o ciclo financeiro. esses ciclos podem ser mais ou menos longos. O ciclo financeiro é o tempo decorrido entre o instante que a empresa paga ao fornecedor e o momento em que recebe as vendas do cliente. tais como. por um lado do processo de conversão dos insumos em bens e. Se o prazo médio de fornecedores for superior ao prazo médio de renovação de estoques. Parte desses recursos são financiados pelos fornecedores que concederam prazo para pagamento das compras de mercadorias ou matérias primas. o que dependerá da estrutura dos transportes. capacidade dos fornecedores em entregar os insumos no tempo combinado. os fornecedores financiarão também uma parte das vendas da empresa. maior será o tempo de utilização do financiamento e consequentemente. maior será seu custo.da venda do produto. O tamanho destes ciclos é resultado. Dependendo do setor de atividade ou do produto. Durante esse período a empresa investe recursos nas operações. O controle do ciclo financeiro envolve uma verificação de cada componente da Necessidade de Capital de Giro da companhia. por outro lado. Para esse período a empresa precisa arrumar um financiamento. da perecibilidade das matérias 33 . dos prazos de pagamentos desses insumos e recebimento das faturas referentes aos produtos.

como também num maior risco em épocas de crise. como também num risco em épocas de crise. salários e encargos e obrigações fiscais) estarão aplicados nas operações o que implica não somente num maior custo. pela produtividade da mão de obra. maior será a necessidade de investimentos nos ativos operacionais (NCG). etc. Assim quanto maior for o ciclo financeiro da empresa. Quanto maior for o ciclo financeiro. o que implica não somente num maior custo. mas também ao desembolso com salários. 34 . pelo layout.primas. mais recursos próprios e de terceiros (exceto fornecedores. Uma forma mais precisa de se conceituar o ciclo financeiro considera o número de dias decorridos entre as saídas de caixa relacionadas não somente aos fornecedores. Com relação à fabricação. etc. encargos e impostos e as entradas de caixa provenientes dos recebimentos das vendas. da sazonalidade do fornecimento. o ciclo operacional é influenciado pela tecnologia adotada.

35 .