You are on page 1of 9

ES/3 TESTE DE AVALIAÇÃO ESCRITA

JOÃO DE BARROS
CORROIOS
Despacho Normativo Nº5/2007 de 10 de Janeiro | Decreto-Lei Nº209/2002 de 17 de Outubro

CIÊNCIAS NATURAIS || Prova escrita


9º ano de escolaridade | 3º Ciclo do Ensino Básico
Teste de avaliação escrita (4) | 9 páginas
Duração da prova: 80 min.

Prof. Renato Costa | Junho 2010 | Ano Lectivo de 2009/2010


Cada grupo de itens inicia-se por uma amostra de dados de diversa natureza que pode contemplar disposição textual dos fenómenos/factos científicos, figuras e
tabelas. Esta exposição da informação é uma referência documental fundamental que o aluno deve considerar para responder aos itens seguintes.
AS RESPOSTAS SÃO OBRIGATORIAMENTE DADAS NUMA FOLHA A DESIGNAR QUE NÃO A PRESENTE QUE CONSTITUIRÁ O ÚNICO
SUPORTE SUJEITO À CLASSIFICAÇÃO.

GRUPO I
Sistema ABO: um caso de alelos múltiplos
A informação genética, localizada no núcleo das células, corresponde aos genes que estão presentes nos cromossomas.
Os genes participam aos pares na regulação de um carácter que pode aparecer sob duas ou mais características.
Exemplificando um estudo de hereditariedade bastante simples, para o carácter “desenho do rosto”, analisam-se as
probabilidades de genótipos que se poderão expressar num fenótipo rosto oval ou num fenótipo rosto quadrado. É então
possível interpretar que o respectivo par de genes pode conter, no máximo, duas formas de genes, também chamadas
alelos. Assim, cada gene constituinte do par em causa, traz consigo a potencialidade de ser um alelo favorável à
expressão do rosto oval (Q) ou do rosto quadrado (q). Um indivíduo que possua um rosto oval tem certamente um par de
cromossomas com a combinação de genes “QQ” ou “Qq”; por outro lado, aqueles que manifestam um rosto quadrado têm
dois alelos recessivos no par de referência.
O sistema ABO resultou do estudo pormenorizado da membrana plasmática dos glóbulos vermelhos do sangue e da
interacção analisada entre várias amostras sanguíneas, das quais se podia depreender reacções de compatibilidade e
incompatibilidade, equivalentes àquelas ocorridas em situações de transfusão. Desta forma, houve a necessidade de
designar os vários tipos ou grupos de sangue como A, B, O e AB.
Os alelos múltiplos referem-se a uma série constituída de três ou mais alelos pertencentes a um mesmo gene e que só é
possível ocorrer dois a dois num organismo diplóide (2n). Nas células somáticas de um humano, a coexistência máxima
possível é de dois alelos diferentes, uma vez que o cariótipo é organizado em pares de cromossomas. É este o
enquadramento genético do sistema ABO e que está na base da hereditariedade dos grupos sanguíneos, que são
considerados fenótipos. Pela interpretação da fig. 1, é possível determinar o número de alelos associado a cada gene
constituinte de um par e que está na base da materialização dos quatros fenótipos possíveis. Os gâmetas que são
formados, uma vez que detêm metade do número de cromossomas das células somáticas, carregam somente um
cromossoma de cada par e consequentemente só ficam com um dos dois alelos ocorrentes no indivíduo.

Figura 1
Teste de Avaliação Escrita (4). Página 1 de 9
1. Considere as afirmações seguintes organizadas aos pares sobre os grupos sanguíneos. A seguir, estude
a chave referente às afirmações.
Par 1
I. Não é possível que um genótipo possua dois genes com formas iguais entre si.
II. Num genótipo “AO”, o alelo A é dominante sobre o alelo O, que é recessivo.
Par 2
I. Num indivíduo, o grupo sanguíneo é regulado por um par de genes.
II. O cruzamento de dois indivíduos de genótipo “OO” pode resultar num descendente de grupo sanguíneo
A.
Par 3
I. Os grupos sanguíneos são regulados por quatro alelos: A, B, O e AB.
II. Se uma célula somática de um indivíduo tiver um genótipo “BO”, então os gâmetas ficarão com o alelo B
ou o alelo O deste par.
Par 4
I. Um indivíduo com genótipo “AB” é um exemplo da coexistência de dois alelos diferentes no par de genes
em estudo.
II. Um indivíduo que tenha grupo sanguíneo AB só tem a única possibilidade de ter um genótipo “AB”.

Chave:
a. I é verdadeira e II é falsa.
b. I e II são verdadeiras.
c. I é falsa e II é verdadeira.
d. I e II são falsas.

Seleccione a alternativa que atribui, a cada número do par de afirmações, a letra da chave que o avalia
correctamente.
(A) par 1 – c | par 2 – b | par 3 – c | par 4 – a.
(B) par 1 – c | par 2 – a | par 3 – c | par 4 – b.
(C) par 1 – b | par 2 – c | par 3 – a | par 4 – c.
(D) par 1 – a | par 2 – c | par 3 – b | par 4 – c.

2. As afirmações que se seguem dizem respeito ao estudo de hereditariedade sobre o desenho do rosto.
1. Um indivíduo com genótipo heterozigótico tem o rosto quadrado.
2. Os fenótipos possíveis do desenho do rosto são regulados no máximo por dois alelos.
3. O alelo favorável à expressão do rosto oval é dominante sobre o alelo relativo ao rosto quadrado.

Seleccione a alternativa que as avalia correctamente.


(A) 2 é verdadeira; 1 e 3 são falsas.
(B) 2 e 3 são verdadeiras; 1 é falsa.
(C) 1 é verdadeira; 2 e 3 são falsas.
(D) 1 e 2 são verdadeiras; 3 é falsa.

Teste de Avaliação Escrita (4). Página 2 de 9


SELECCIONE, PARA CADA UM DOS ITENS SEGUINTES (DO 3 AO 8), A ALTERNATIVA QUE COMPLETA O TEXTO DE MODO A OBTER
UM RACIOCÍNIO CORRECTO.

3. De um cruzamento resultante entre um homem genotipicamente homozigótico dominante para o desenho do


rosto e uma mulher genotipicamente homozigótica recessiva para o mesmo carácter …
(A) … há a probabilidade de 50% dos filhos possuírem rosto oval.
(B) … há a probabilidade de 75% dos filhos possuírem rosto quadrado.
(C) … só é possível resultar filhos de rosto oval.
(D) … só é possível resultar filhos de rosto quadrado.

4. Um estudo genético sobre um casal determinou que a correspondente descendência só teria a possibilidade de
apresentar rostos quadrados; esta conclusão surgiu porque os resultados mostraram que …
(A) … um dos elementos continha no genótipo de interesse um alelo dominante.
(B) … cada elemento continha no genótipo de interesse um alelo dominante.
(C) … ambos os elementos eram homozigóticos recessivos para o par de genes em estudo.
(D) … ambos os elementos eram heterozigóticos para o par de genes em estudo.

5. Uma relação sexual durante o período de ovulação da mulher pode conduzir ao encontro do ovócito II com
espermatozóides. Antes do período de ovulação, …
(A) … ocorre a fase folicular e ao mesmo tempo a fase reparadora do útero.
(B) … ocorre a fase de corpo amarelo e ao mesmo tempo a fase secretora do útero.
(C) [As duas opções anteriores estão correctas].
(D) [Nenhuma das opções anteriores está correcta].

6. Num processo de clonagem, introduziu-se o núcleo de uma célula somática intestinal pertencente a uma rã albina
no interior de um ovócito II anucleado de uma rã verde.
A partir deste ovo geneticamente modificado, desenvolveu-se uma rã , provando-se assim que o
material genético está presente no das células.
(A) albina (…) citoplasma
(B) albina (…) núcleo
(C) verde (…) citoplasma
(D) verde (…) núcleo

7. Considerando o processo de clonagem referido no item anterior e tomando em conta somente a rã albina, a
célula somática intestinal tem carga cromossómica dos gâmetas e a informação genética daquela
célula intestinal é encontrada numa célula da epiderme.
(A) o dobro da (…) igual àquela
(B) o dobro da (…) diferente daquela
(C) a mesma (…) igual àquela
(D) a mesma (…) diferente daquela

8. Considerando o mesmo processo de clonagem referido no item 6 anterior, utilizou-se de uma rã


verde em detrimento de um ovócito II também anucleado da própria rã albina com o objectivo de se provar
o desenvolvimento deste indivíduo.
(A) um gâmeta feminino anucleado (…) que as células somáticas têm a capacidade de assegurar
(B) uma gónada feminina anucleada (…) a origem das moléculas de DNA que asseguram
(C) uma gónada feminina anucleada (…) que as células somáticas têm a capacidade de assegurar
(D) um gâmeta feminino anucleado (…) a origem das moléculas de DNA que asseguram
Teste de Avaliação Escrita (4). Página 3 de 9
9. Considere a chave e as afirmações abaixo expostas.
Chave:
(A) Via genital.
(B) Glândula anexa.
(C) Glândula endócrina.

Afirmações:
I. Estrutura novelada resultante da fusão dos túbulos seminíferos encostada aos testículos.
II. Estrutura que envolve a uretra responsável pela produção de líquido prostático alcalino.
III. Local de produção do líquido seminal que se junta à solução pré-espermática.
IV. O corpo amarelo produz as hormonas sexuais femininas.
V. Órgão de parede musculada que suporta a implantação do embrião.
VI. Oviductos que recebem os ovócitos II após ruptura folicular e ovárica.
VII. Região testicular produtora de testosterona.
VIII. Segmento delimitado pelo orifício genital e cérvix.

Seleccione a alternativa que faz corresponder correctamente a cada um dos números (de I a VIII),
relativos às afirmações acima sobre a fisiologia do sistema reprodutor, uma letra da chave (de A a C).
(A) I – A | II – B | III – B | IV – C | V – A | VI – A | VII – C | VIII – A.
(B) I – A | II – B | III – B | IV – C | V – B | VI – C | VII – B | VIII – B.
(C) I – B | II – B | III – B | IV – B | V – A | VI – A | VII – C | VIII – A.
(D) I – B | II – B | III – B | IV – B | V – B | VI – C | VII – B | VIII – B.

10. As afirmações que se seguem dizem respeito ao desenvolvimento embrio-fetal e consequente parto.
(A) Assiste-se à ocorrência de contracções uterinas progressivamente mais intensas e menos intervaladas.
(B) Episódio de fecundação e desenvolvimento celular a partir do ovo até à mórula.
(C) Nidação e garantia da paragem do ciclo sexual feminino com o sequente desenvolvimento embrio-fetal.
(D) O colo do útero sofre dilatação por acção fetal e hormonal.
(E) Saída do feto e posteriormente da placenta.

Seleccione a alternativa que representa correctamente a reconstituição da sequência temporal dos


acontecimentos mencionados segundo uma relação de causa-efeito, com a ordenação das letras que os
identificam.
(A) B – A – C – D – E.
(B) B – C – A – D – E.
(C) B – C – A – E – D.
(D) C – B – A – D – E.

Teste de Avaliação Escrita (4). Página 4 de 9


11. Uma criança com o grupo sanguíneo O pode ser filha de pais do grupo A e do grupo B respectivamente.
Fundamente esta interpretação.

Seleccione a alternativa que responde correctamente a este problema.


(A) Se um dos seus pais tem o fenótipo sangue A, então um dos genótipos que pode determinar esta expressão
é formado por dois alelos A – “AA”. O outro genótipo possível é um par de alelos diferentes “AO”, no qual o
alelo dominante é o A.
O outro progenitor de fenótipo sangue B pode ter como genótipos o par de alelos “BB” ou “BO”. Face a esta
última possibilidade, o alelo B domina sobre o O. Interpreta-se assim que um indivíduo revelador de um
determinado grupo sanguíneo pode ser portador, no seu genótipo, de um alelo favorável à expressão de
outro tipo de sangue, mas desde que este alelo seja recessivo.
Desta forma, a única possibilidade da criança pertencer ao grupo sanguíneo O passa pela admissão de que
ambos os pais são portadores do alelo O. Na formação do ovo da criança e tomando em conta um dado par
de cromossomas, cada gâmeta carregou um cromossoma com o alelo O, cuja situação resultou na formação
do par de genes “OO”. Aliás, este é o único genótipo possível para o fenótipo sangue O, dado que o alelo O é
sempre recessivo.

(B) Se um dos seus pais tem o fenótipo sangue A, então um dos genótipos que pode determinar esta expressão
é formado por dois alelos A – “AA”. O outro genótipo possível é um par de alelos diferentes “AO”, no qual o
alelo dominante é o A.
O outro progenitor de fenótipo sangue B pode ter como genótipo exclusivo o par de alelos “BO”, com a
dominância do alelo B sobre o O. Interpreta-se assim que um indivíduo revelador de um determinado grupo
sanguíneo pode ser portador, no seu genótipo, de um alelo favorável à expressão de outro tipo de sangue,
mas desde que este alelo seja dominante.
Desta forma, a única possibilidade da criança pertencer ao grupo sanguíneo O passa pela admissão de que
ambos os pais são portadores do alelo O. Na formação do ovo da criança e tomando em conta um dado par
de cromossomas, cada gâmeta carregou um cromossoma com o alelo O, cuja situação resultou na formação
do par de genes “OO”. Aliás, este é o único genótipo possível para o fenótipo sangue O, dado que o alelo O é
sempre recessivo.

(C) Se um dos seus pais tem o fenótipo sangue A, então um dos genótipos que pode determinar esta expressão
é formado por dois alelos A – “AA”. O outro genótipo possível é um par de alelos diferentes “AO”, no qual o
alelo dominante é o A.
O outro progenitor de fenótipo sangue B pode ter como genótipos o par de alelos “BB” ou “BO”. Face a esta
última possibilidade, o alelo B domina sobre o O. Interpreta-se assim que um indivíduo revelador de um
determinado grupo sanguíneo pode ser portador, no seu genótipo, de um alelo favorável à expressão de
outro tipo de sangue, mas desde que este alelo seja recessivo.
Desta forma, a única possibilidade da criança pertencer ao grupo sanguíneo O passa pela admissão de que
ambos os pais são genotipicamente homozigóticos dominantes. Na formação do ovo da criança e tomando
em conta um dado par de cromossomas, cada gâmeta carregou um cromossoma com o alelo dominante,
cuja situação resultou na formação do par de genes “AB”. Aliás, este é o único genótipo possível para o
fenótipo sangue O, dado que o alelo O é sempre recessivo.

(D) Se um dos seus pais tem o fenótipo sangue A, então o único genótipo possível que pode determinar esta
expressão é formado por dois alelos A – “AA”.
O outro progenitor de fenótipo sangue B pode ter como genótipos o par de alelos “BB” ou “BO”. Face a esta
última possibilidade, o alelo B domina sobre o O. Interpreta-se assim que um indivíduo revelador de um
determinado grupo sanguíneo pode ser portador, no seu genótipo, de um alelo favorável à expressão de
outro tipo de sangue, mas desde que este alelo seja recessivo.
Desta forma, a única possibilidade da criança pertencer ao grupo sanguíneo O passa pela admissão de que
ambos os pais são portadores do alelo O. Na formação do ovo da criança e tomando em conta um dado par
de cromossomas, cada gâmeta carregou um cromossoma com o alelo O, cuja situação resultou na formação
do par de genes “OO”. Aliás, este é o único genótipo possível para o fenótipo sangue O, dado que o alelo O é
sempre recessivo.

Teste de Avaliação Escrita (4). Página 5 de 9


GRUPO II
Reflexo patelar
O reflexo é uma resposta automática a um estímulo. Quando o tendão localizado abaixo da patela (rótula) é percutido
suavemente com um pequeno martelo de borracha, a perna sofre uma flexão por contracção muscular. Ao trajecto
percorrido pela informação nervosa gerada nos receptores até ao órgão efector dá-se o nome de arco reflexo. Uma
vez que a parte concretizadora da resposta é um músculo esquelético, este arco reflexo é somático.
Estrutura protegida por vértebras

a) b)
Figura 2: a) arco reflexo patelar e b) célula nervosa

1. Considere as afirmações seguintes organizadas aos pares sobre o processo do reflexo patelar. A seguir,
estude a chave referente às afirmações.
Par 1
I. Todos os neurónios esquematizados são cranianos.
II. Pela actividade cerebral, é possível controlar o reflexo, impedindo-o de ocorrer.
Par 2
I. O órgão muscular esquelético efector recebe imediatamente o impulso nervoso a partir das dendrites do
neurónio 3.
II. O neurónio 1 assinalado na fig. 2a) é associativo.
Par 3
I. O centro nervoso representado é o encéfalo.
II. O arco reflexo envolve somente o sistema nervoso central.
Par 4
I. As substâncias branca e cinzenta assinaladas fazem parte da espinal medula.
II. A pancada investida no tendão subpatelar constitui um estímulo.
Teste de Avaliação Escrita (4). Página 6 de 9
Chave:
a. I é verdadeira e II é falsa.
b. I e II são verdadeiras.
c. I é falsa e II é verdadeira.
d. I e II são falsas.

Seleccione a alternativa que atribui, a cada número do par de afirmações, a letra da chave que o avalia
correctamente.
(A) par 1 – d | par 2 – c | par 3 – d | par 4 – c.
(B) par 1 – d | par 2 – c | par 3 – d | par 4 – b.
(C) par 1 – c | par 2 – b | par 3 – a | par 4 – c.
(D) par 1 – c | par 2 – b | par 3 – a | par 4 – b.

2. As afirmações que se seguem dizem respeito ao estudo do reflexo patelar.


1. O neurónio 3 transfere o impulso nervoso do centro para a periferia deste sistema.
2. No reflexo patelar, os receptores nervosos são a arborização terminal do neurónio motor 2.
3. As dendrites do neurónio 3 vêm no seguimento imediato das telodendrites do neurónio associativo, admitindo
que ambas as regiões celulares nervosas estão separadas por um pequeno espaço.

Seleccione a alternativa que as avalia correctamente.


(A) 2 é verdadeira; 1 e 3 são falsas.
(B) 1 é verdadeira; 2 e 3 são falsas.
(C) 1 e 3 são verdadeiras; 2 é falsa.
(D) 1 e 2 são verdadeiras; 3 é falsa.

SELECCIONE, PARA CADA UM DOS ITENS SEGUINTES (DO 3 AO 7), A ALTERNATIVA QUE COMPLETA O TEXTO DE MODO A OBTER
UM RACIOCÍNIO CORRECTO.

3. O reflexo patelar somático e o controlo da frequência cardíaca são regulados pelo sistema nervoso …
(A) … autónomo e somático, respectivamente.
(B) … autónomo.
(C) … somático e autónomo, respectivamente.
(D) … somático.

4. Caso um indivíduo sinta a pancada do martelo no tendão subpatelar, mas não consiga produzir uma resposta
reflexa, é possível afirmar que há uma disfunção …
(A) … geral do sistema nervoso periférico.
(B) … do neurónio sensitivo.
(C) … do neurónio motor.
(D) … ao nível do sistema nervoso central.

Teste de Avaliação Escrita (4). Página 7 de 9


5. Uma coordenação neuro-hormonal pode ser representada por uma sinapse delimitada por telodendrites pré-
sinápticas e …
(A) … glândulas endócrinas, cuja activação foi efeito da chegada da informação nervosa, produzindo-se
hormonas para o sangue susceptíveis de desencadear, caso se apresentem em concentrações excessivas,
nova informação nervosa em receptores.
(B) … glândulas endócrinas, cuja activação foi efeito da chegada da informação nervosa, produzindo-se
mensageiros químicos para o sangue susceptíveis de desencadear, caso se apresentem em concentrações
excessivas, nova informação nervosa em receptores.
(C) [As duas opções anteriores estão correctas].
(D) [Nenhuma das opções anteriores está correcta].

6. O impulso nervoso quando percorre a estrutura nº4 do neurónio é proveniente da parte mais próxima designada
e a informação segue, na mesma célula, até às telodendrites, ramificações à sinapse.
(A) dendrites (…) anteriores
(B) corpo celular (…) posteriores
(C) corpo celular (…) anteriores
(D) dendrites (…) posteriores

7. A circulação pulmonar abrange o percurso sanguíneo desde o ventrículo direito até à aurícula esquerda, na qual
entra pela pulmonar. Nesta pequena circulação, o sangue é submetido a uma hematose pulmonar,
convertendo-se em sangue .
(A) artéria (…) venoso
(B) veia (…) arterial
(C) artéria (…) arterial
(D) veia (…) venoso

8. Considere a chave e as afirmações abaixo expostas.


Chave:
(A) Esófago
(B) Estômago
(C) Intestino delgado
(D) Intestino grosso
(E) Todos os órgãos anteriores

Afirmações:
I. Reunião do suco entérico, pancreático e bílis.
II. Órgão cuja mucosa contém glândulas gástricas.
III. O seu tubo é dividido em cego, cólon e recto.
IV. O bolo alimentar é exclusivamente sujeito a acções físicas.
V. Formação do quimo por acção do suco gástrico.
VI. Existência de movimentos peristálticos.
VII. Desidratação do quilo remanescente pela máxima absorção de água.
VIII. Absorção dos nutrientes do quilo por vilosidades.

Teste de Avaliação Escrita (4). Página 8 de 9


Seleccione a alternativa que faz corresponder correctamente a cada um dos números (de I a VIII),
relativos às afirmações acima sobre o sistema digestivo, uma letra da chave (de A a E).
(A) I – D | II – C | III – D | IV – A | V – B | VI – E | VII – C | VIII – B.
(B) I – D | II – C | III – C | IV – B | V – C | VI – A | VII – C | VIII – B.
(C) I – C | II – B | III – D | IV – B | V – C | VI – E | VII – D | VIII – C.
(D) I – C | II – B | III – D | IV – A | V – B | VI – E | VII – D | VIII – C.

9. Quando o composto alimentar é ingerido, sofre rapidamente uma digestão físico-química na boca para depois ser
deglutido. A deglutição é, ao contrário do que aparenta, um processo extremamente complexo que encerra a
boca, faringe e início do esófago e se relaciona com o percurso nervoso que permite contracções do músculo liso
que rodeia o esófago.
Quando o composto ingerido entra no esófago superior, cria-se uma alteração de pressão na mucosa detectada
pelos receptores nervosos aí existentes. O impulso nervoso percorre o nervo craniano até às contracções
musculares.
Fundamente o facto destes movimentos musculares digestivos serem efeito de um arco reflexo.
Na sua resposta, é obrigatório o uso das expressões “estímulo” e “resposta”.

TOTAL
ITENS I1 I2 I3 I4 I5 I6 I7 I8 I9 I10 I11 II1 II2 II3 II4 II5 II6 II7 II8 II9
(%)
COTAÇÕES
(%) 6 4 4 4 4 4 4 4 6 4 6 6 4 4 4 4 4 4 6 14 100

FIM

Teste de Avaliação Escrita (4). Página 9 de 9