NT-2 Fundamentos da Educação

 UE1: Fundamentos do Processo de Avaliação

OBJETIVOS

 Destacar a importância da relação entre o candidato e o examinador, as
etapas do processo de avaliação, os critérios utilizados e a conduta do examinador.
 Apresentar o simulador de trânsito como recurso tecnológico para formação
e avaliação de condutores.

Você sabe que as pessoas aprendem de diversas maneiras e isso deve ser levado
em consideração na hora da avaliação. Assim, você poderá observar as
peculiaridades de cada indivíduo e contribuir para o sucesso do trabalho
desenvolvido por você.

Como o indivíduo aprende?

 observando;
 ouvindo;
 refletindo;
 agindo;
 por meio do raciocínio lógico;
 agindo intuitivamente (memorizando ou visualizando);
 estabelecendo analogias;
 construindo métodos contínuos e sequenciais ou sem continuidade.

Relação educação e sociedade: dimensões filosóficas,
sociocultural e pedagógica

O desenvolvimento da sociedade está diretamente ligado ao processo
educativo, pois este contribui para o desenvolvimento social e cognitivo dos
cidadãos, aprimorando seus comportamentos e atitudes.

A educação abre espaço para que os educandos reflitam e analisem os
fatos mundiais e suas implicações na sociedade. Portanto, o processo
educacional não pode estar desvinculado dos acontecimentos sociais.

Para entendermos um pouco sobre esse processo, é importante
primeiramente compreender as relações entre educação e sociedade em
suas dimensões filosófica, sociocultural e pedagógica.

Veja o significado de cada uma delas de maneira simplificada:

 A dimensão pedagógica é um componente do processo educacional
que viabiliza, por meio de diálogos e relações interdisciplinares, a
organização do ato de educar, ou seja, a organização teórico-prática do
processo de ensino. Neste curso, a dimensão pedagógica será tratada
com mais ênfase, pois norteia todo o trabalho do Instrutor de Trânsito
em sala de aula.
 Já a dimensão filosófica surge na tentativa de atender à realidade e
refletir sobre ela, afinal, olhamos para o mundo que nos rodeia e
fazemos perguntas sobre seus fundamentos, suas razões e, assim,
elaboramos nossas ideias, justificativas e compromissos.
 A dimensão sociocultural compreende a educação como processo
que promove o diálogo entre os sujeitos sociais, valorizando sua cultura
e suas manifestações.

A sociedade busca na educação o sentido da evolução cultural, e é por meio
dessa relação que a sociedade se transforma, se modifica e se torna moderna.

Teorias educacionais

Principais teorias e suas contribuições

As teorias educacionais explicam e propõem alternativas de ensino que
orientam o fazer pedagógico. Nos últimos séculos, a educação se desenvolveu e
trouxe inúmeras conquistas, sobretudo no campo das metodologias, da qualidade
do ensino e do processo de ensino e aprendizagem.

Ao longo da história da educação, as teorias foram se modificando e se
adequando conforme o desenvolvimento da sociedade.

Quais são os parâmetros que você utiliza para organizar sua avaliação? Se
respondeu “currículo”, você está certo!

Currículo e construção do conhecimento: processo de ensino e
aprendizagem

O currículo é um instrumento que elenca os objetivos, os conteúdos que
deverão ser abordados no processo de ensino e aprendizagem das áreas ou
disciplina de estudos, e a metodologia utilizada em sala de aula. Esse instrumento
deve contribuir para a construção da identidade dos alunos, pois considera a
individualidade e o contexto social em que estão inseridos. É importante lembrar
sempre de que estamos tratando do ensino de adultos, pois além de ensinar um

sem a necessidade de expô-los diretamente aos riscos inerentes à situação. Com o avanço tecnológico. E você.  irritabilidade. Durante o teste. . como é o caso do uso de simuladores de direção − um novo conteúdo tecnológico voltado para a formação prática do condutor. No momento da avaliação prática. você deve levar em conta algumas atitudes e comportamentos que o candidato poderá apresentar.determinado assunto. as aulas práticas para a formação de condutores na categoria “B” (automóveis e comerciais leves) poderão.  desatenção. precisa estar atento no momento da avaliação e analisar tudo o que o candidato aprendeu durante a formação. o currículo necessariamente deve apontar mecanismos por meio dos quais seja possível aguçar as potencialidades e a criticidade dos alunos. As situações de aprendizagem acontecem também no processo de avaliação do futuro condutor. de forma facultativa.  desmotivação. do Conselho Nacional de Trânsito (Contran). como:  insegurança. examinador. o currículo deve ser desenvolvido considerando as novas tecnologias de informação e comunicação. de 5 de junho 2014. e o mais importante: proporcionar uma reflexão sobre os atos cometidos como condutores de veículos. 493. 2014). A ideia do uso do simulador é uma revolução tecnológica. ele também poderá demonstrar comportamentos que irão ou não interferir no resultado. Vamos ver melhor sobre o simulador de trânsito? Simulador de trânsito como recurso didático para formação e avaliação de condutores Segundo a Resolução n. limitadas a 30% (trinta por cento) do total da carga horária (DENATRAN. ser substituídas por aulas realizadas em simulador de direção veicular. além de o candidato apresentar sua habilidade e conhecimento para dirigir ou pilotar. cujo objetivo é habituar futuros motoristas a situações cotidianas no trânsito.

o aluno tem como princípios:  a necessidade de compreender o “porquê” dos conteúdos e da aprendizagem. O aluno adulto está preparado para iniciar uma nova aprendizagem e. Vamos relembrar os pontos fundamentais de cada uma delas? 1. Esse passo possibilita que . Animação 1 – Diagnóstico e Tomada de decisão.  a aprendizagem pela experiência e pela resolução de situações- problema. O condutor em formação deseja obter sucesso no processo avaliativo e. ou seja. Ao final desse processo.Você já parou para pensar sobre o processo de aprendizagem de jovens e adultos? Lembre-se é com esse público que você irá trabalhar! Processo de aprendizagem do jovem e do adulto Você já ouviu falar sobre andragogia? Esse conceito está ligado à educação de adultos. 1.1 Diagnóstico: É a fase inicial de todo o processo avaliativo. você deve ficar atento a esses comportamentos e expressões. os conhecimentos que adquiriu durante a sua formação. por isso. Profissional. por isso. as etapas do processo avaliativo são: avaliação. sendo compreendida como a arte de ensinar e auxiliar adultos no processo de aprendizagem. e não pela ênfase no conteúdo. o candidato deverá ter demonstrado. O exame de aptidão veicular tem o intuito de verificar se o candidato está pronto para assumir a condução de um veículo automotor de maneira segura e consciente como cidadão no trânsito. Avaliação O processo avaliativo (escrito e de aptidão prática) é um meio eficaz de conferir as habilidades que o condutor em formação terá de apresentar.  a relação entre motivação para aprender e necessidade individual e sua aplicação imediata. nesse modelo pedagógico. de forma clara. A andragogia é um modelo de educação de adultos caracterizada pela participação ativa e pelas experiências dos alunos. quando o examinador reconhece e determina o que se deve avaliar. para ser considerado apto a portar uma CNH. medição. validade e tipos de testagem.

II. em que as mesmas orientações são passadas a vários candidatos e a postura notada serve como instrumento avaliativo para saber a interpretação e a execução que cada candidato adotará 3. ou seja. O meio avaliativo que melhor esclarece essa etapa do processo é a aplicação de testes padronizados. 4. Ela permite que o avaliador compare o desempenho do condutor em formação com o desempenho geral dos outros candidatos em determinada atividade proposta. Essa legitimação deveser feita com base na realidade. atribuindo ao objeto avaliado uma qualidade que pode ser positiva ou negativa. Tomar uma decisão sem ter diagnosticado o objeto significa que o processo não foi executado de modo adequado e completo. 2. que é qualificar o candidato. o próximo passo é validá-lo e verificar se as decisões e julgamentos que ele pode proporcionar também são válidos. O processo de qualificação acontece por meio de critérios de qualidade preestabelecidos para esse objeto – nesse caso. Medição É o meio de avaliação demonstrada quantitativamente. ela deve ocorrer simultaneamente à decisão real e à evidência para tal decisão. por exemplo.o avaliador tenha “base material” para a próxima etapa. Validade Caso o teste seja considerado confiável. Tipos de testagem São dois os testes mais adequados para a aplicabilidade do educador de trânsito: I. os critérios para prática de direção veicular 1.2 Tomada de decisão: Podemos dizer que a tomada de decisão é a reflexão que antecede o resultado e acontece com base no diagnóstico e na qualificação do candidato. Instrumentos e medidas de aprendizado . na vivência. Teste de Competência Mínima: É um teste padronizado que objetiva identificar se o indivíduo atende satisfatoriamente aos requisitos exigidos para prosseguir para o próximo nível avaliativo. Testagem de Prontidão: Tem como intuito determinar se o indivíduo está apto a prosseguir para a próxima etapa da educação.

 não fazer “pegadinhas”. local. utiliza-se a chamadapontuação negativa.  não questione o candidato quanto ao conteúdo teórico que aprendeu. conteúdo e nível de aprendizado dos alunos.1. 2.  reduzir número de negativas nas alternativas. Especificamente nos exames práticos prestados para obtenção da CNH. .  observe se o candidato tem os domínios básicos exigidos a fim de que seja considerado apto para conduzir um veículo.  não utilizar enunciados extensos e informações desnecessárias. que foi estabelecida pela Resolução 168. Pode ocorrer também por meio da satisfação ou insatisfação do futuro condutor durante a execução das atividades. hora e duração. Veja outros pontos que devem ser levados em consideração durante a elaboração da prova:  evitar temas controversos. de dezembro de 2004 do Conselho Nacional de Trânsito (Contran) e que serve para todas as categorias. tais como: data. Montagem de uma prova É importante definir determinados elementos durante a montagem da prova. Tabela 1 – Pontuação negativa. o que pode confundir o aluno. Prova prática Para a prova prática:  utilize instrumentos de comunicação claros e cuide para que o indivíduo a ser avaliado não tenha dúvidas e saiba o que fazer. Valorização dos quesitos na prova prática Essa valorização deve ocorrer com base na avaliação do grau de dificuldade encontrado para a execução da tarefa proposta.  jamais peça para que o condutor em formação tenha qualquer atitude contrária ao Código de Trânsito Brasileiro.  verifique o conhecimento adquirido por meioda postura do condutor em formação e de seu domínio 3.  o nível de dificuldade deve estar adequado ao que o condutor em formação aprendeu.

Faltas graves As faltas graves compreendem. não completar a realização de todas as etapas do exame. desobedecer à sinalização semafórica e de parada obrigatória. as quais resultam ou não na obtenção da CNH (categorias B. 168/2004 (CONTRAN. exceder a velocidade regulamentada para a via. não colocar o veículo na área balizada. C. d. Examinador. i. . h. provocar acidente durante a realização do exame. as faltas eliminatórias são: a. f. em no máximo três tentativas. 2004). leve. média e grave). Faltas eliminatórias De acordo com a Resolução n. j. a seguir você relembrará cada conduta inadequada geradora de faltas (eliminatória. avançar a via preferencial. no tempo estabelecido. cometer qualquer outra infração de trânsito de natureza gravíssima. b. D e E). conforme Contran (2004): a. avançar sobre o meio-fio. g. transitar em contramão de direção. ou ao agente da autoridade de trânsito. c. Tipo de Falta Consequência Falta Eliminatória Reprovação Falta Leve 1 ponto Falta Média 2 pontos Falta Grave 3 pontos Fonte: Adaptado de Brasil (2004). e. avançar sobre o balizamento demarcado quando do estacionamento do veículo na vaga. desobedecer à sinalização da via.

Faltas médias Entre as faltas médias. d. b. g. i. 168/2004 (CONTRAN. verificando antes o movimento da via. 2004) destaca: a. desengrenar o veículo nos declives. e. e. ou ainda quando o pedestre não tenha concluído a travessia. não observar as regras de ultrapassagem ou de mudança de direção. entrar nas curvas com a engrenagem de tração do veículo em ponto neutro. interrupção do motor do veículo após o início do percurso sem justa razão. não dar preferência de passagem ao pedestre que estiver atravessando a via transversal para onde se dirige o veículo. f. não usar devidamente o cinto de segurança. mesmo com sinal verde para o veículo. manter a porta do veículo aberta ou semi aberta durante o percurso da prova ou parte dele. c. provocar movimentos irregulares no veículo sem motivo justificável. cometer qualquer outra infração de trânsito de natureza grave. b. g. fazer conversão incorretamente. utilizar marchas erradas durante o percurso. as faltas leves são: a. cometer qualquer outra infração que seja de natureza média. perder o controle da direção do veículo em movimento. b. fazer uso da buzina inapropriadamente. d. h. j. usar o pedal da embreagem antes de usar o de freio nas frenagens. não sinalizar com antecedência a manobra pretendida ou sinalizá-la incorretamente. c. Faltas leves De acordo com o que cita Contran (2004). colocar o veículo em movimento sem observar as cautelas necessárias. a Resolução n. ajustar incorretamente o banco do condutor antes de iniciar o percurso. h. f. . k. trafegar em velocidade inadequada para as condições adversas presentes no local. executar o percurso da prova sem que o freio de mão esteja 100% livre.

O que deve ser exigido do candidato na fase prática do processo  Quanto ao veículo automotor: funcionamento. tentar iniciar a movimentação do veículo com a engrenagem de tração em ponto neutro. observação da sinalização e comunicação. não realizar o ajuste de espelhos retrovisores de maneira adequada e segura. dos ciclistas e demais usuários do processo de circulação. Normas Gerais de Circulação e Conduta. d.  Outros comportamentos: dos pedestres. O candidato só poderá realizar o exame de aptidão prática após concluir as 20 horas-aula do curso de formação no Centro de Formação de Condutores (CFC) para a categoria A e 25 horas-aula para a categoria B. cometer qualquer outra infração de natureza leve. o candidato reprovado no Exame Teórico-técnico ou Exame de Direção Veicular só poderá realizar novamente o exame depois de 15 dias decorridos da divulgação do resultado inicial.  Quanto à conduta em via pública: direção defensiva. c. parada e estacionamento. É importante ressaltar que segundo o art. equipamentos obrigatórios e sistemas. f. h. dar partida com a engrenagem de tração ligada. 1997) e o art. 151 do Código de Trânsito Brasileiro (BRASIL. e. apoiar o pé no pedal da embreagem com o veículo engrenado e em movimento. Vamos retomar alguns aspectos legais sobre os exames práticos de habilitação? A etapa prática tem início quando o candidato obtém a Licença para Aprendizagem de Direção Veicular (LADV). g. . 22 da Resolução n. essa licença é expedida quando o candidato passa pelos conteúdos de formação teórico-técnicanas avaliações de integridade física e mental.168/2004 do Contran. Clique aqui e aprofunde os seus conhecimentos sobre o grau a ser atingido para a aprovação do condutor em formação nos exames de aptidão prática. utilizar ou interpretar incorretamente os instrumentos do painel do veículo.

Chegamos ao final de mais uma Unidade de Estudo! Sendo assim. pois é ensinando que se aprende. Você sabia? O art.358/2010 do Contran regulamentam o credenciamento e os requisitos para o exercício das atividades de instrutores e examinadores de trânsito. Consegue observar quão valioso é o seu papel como educador de trânsito no momento final do processo de formação do candidato à CNH? Muitas vezes. Saiba que. entramos agora na parte final desta Unidade de Estudo. 156 do Código de Trânsito Brasileiro e a Resolução n. Até lá! Referências . no intuito de permitir que os demais indivíduos possam identificá-lo.  Apresentar-se neutro de conceitos preexistentes e de falas que possam porventura causar indisposição ao candidato.  A comunicação com o candidato deve ser clara e específica. Por isso não deixe de passar seu conhecimento adiante. você está dando mais um grande passo rumo a sua atualização profissional. Vamos agora iniciar mais um Núcleo Temático com abordagens fundamentais para o exercício de sua profissão. como educador de trânsito. e não levantar assuntos irrelevantes ao exame de aptidão.  Orientar previamente o candidato sobre como o processo avaliativo irá acontecer. você é também um grande formador de opinião. a fim de deixá-lo seguro e confortável. Atitudes e condutas imprescindíveis para o educador de trânsito  Boa apresentação pessoal. Vamos falar sobre a sua relação como educador de trânsito junto ao condutor em formação. com o cansaço e o ritmo frenético de seu cotidiano profissional. de forma a não deixá-lo com dúvidas no decorrer do teste de aptidão.  Não fazer distinção entre os candidatos. evitando interpretações incorretas por parte do candidato. você acaba se esquecendo da grande importância que tem na vida e na manutenção da cidadania do candidato que está sob sua responsabilidade.  Sempre portar sua identificação (crachá ou uniforme). Profissional.

Resolução n. Brasília. 2014. 493. 2004. à expedição de documentos de habilitação.gov.).br/ccivil_03/leis/l9503.br/download/resolucoes/resolucao_contran_168. Estabelece normas e procedimentos para a formação de condutores de veículos automotores e elétricos. Diário Oficial da União. 6 jun. Examinador de Trânsito –Fundamentos do Processo de Avaliação. e dá outras providências.gov. que trata do credenciamento de instituições ou entidades públicas ou privadas para o processo de formação de condutores. Diário Oficial da União. 2014. Mas como construir um relacionamento harmônico no trânsito? É o que você vai ver nesta Unidade de Estudo. é importante considerar as regras de conduta que são estabelecidas pela sociedade. ITT – Instituto Tecnológico de Transporte e Trânsito (Coord. aos cursos de formação.gov.358. 2014. Olá! As relações interpessoais acontecem entre duas ou mais pessoas e. 168. para que esse relacionamento aconteça de forma adequada. de 14 de dezembro de 2004. de reciclagem. _____. Disponível em: <http://www. atualização e reciclagem de candidatos e condutores e dá outras providências. o candidato e demais usuários do trânsito. Vamos lá? Relacionamentos no trânsito .503. qualificação e atualização de profissionais. Brasília. Disponível em:<http://www. de 13 de agosto de 2010. qualificação. Resolução Contran n. Apostila do Curso de Formação de Examinador de Trânsito.denatran.denatran.168.com. Resolução n.pdf>. que trata das normas e procedimentos para a formação de condutores de veículos automotores e elétricos e a Resolução Contran. de 23 de setembro de 1997.legisweb.planalto. Institui o Código de Trânsito Brasileiro. de 6 de junho de 2014. 1997. Disponível em: <http://www. Regulamenta o credenciamento de instituições ou entidades públicas ou privadas para o processo de capacitação.br/legislacao/?id=271181>. 23 set. 9. à realização dos exames. Último acesso em: 20 dez. 2014. BRASIL. Lei n. Altera a Resolução Contran. e de formação.br/download/Resolucoes/RESOLUCAO_CONTRAN_358_10_R ET. especializados. de 13 de agosto de 2010.htm>. Disponível em: <http://www.358. de 14 de dezembro de 2004.  UE2: Relacionamentos no Trânsito OBJETIVO  Apresentar as contribuições da psicologia no processo de aprendizagem e os aspectos sobre o bom relacionamento entre o examinador detrânsito. Brasília. Último acesso em: 20dez. 2014. _____. CONTRAN – Conselho Nacional de Trânsito. Último acesso em: 20 dez. Último acesso em: 20dez.pdf >.

possivelmente tornarão o trânsito violento e propenso a acidentes. 1997). para fins de circulação. § 1. se atualiza. que abrange valores1 e determina esse comportamento. Você nunca está sozinho no trânsito. Antes de iniciarmos nossos estudos sobre relacionamento no trânsito. pois todo comportamento é conduzido pelo consenso geral. isolados ou em grupos.º. veículos e animais. que promove segurança e tranquilidade para todos. O respeito é fator fundamental para a convivência entre as pessoas. é preciso que você:  conheça e cumpra a legislação e as regras de circulação e conduta. O resultado da boa educação no trânsito gera um comportamento correto. vamos relembrar dois conceitos importantes para o estudo desta unidade:  Homem – é um ser que vive em sociedade e se transforma. estacionamento e operação de carga ou descarga (Art. evolui e aprendea todo o momento. Se o trânsito é um espaço público em que muitas pessoas convivem ao mesmo tempo. acertou! Mas o convívio entre as pessoas envolve uma série de fatores que.  contribua para um trânsito melhor. conduzidos ou não. Sendo o trânsito um espaço de circulação no qual o homem está em constante comunicação e interação com os demais usuários.  Trânsito – é a utilização das vias por pessoas.. BRASIL. 1. Lembre-se: para promover a interação social no trânsito. se não forem levados em consideração. certo? E o que vem à sua mente quando falamos emrelacionamento no trânsito? Se a primeira ideia foi boa convivência.º. esse relacionamento deve ocorrer de forma harmônica..  conheça os seus deveres e respeite o direito alheio. parada. . a melhor forma de se relacionar é ser prudente e respeitar os direitos e os deveres de todos.

 Coopere para um trânsito mais seguro. capacitando-se e contribuindo para um trânsito melhor! Veja as dicas abaixo e aproveite para praticá-las no exercício de sua profissão:  Use a comunicação de forma amigável. você pode fazer a diferença. e você deve desenvolver a cordialidade. pois você é humano e também pode errar. Entre os estudos da psicologia. a psicologia se ocupava em investigar os fenômenos voltados à consciência. que estuda as condutas relacionadas ao trânsito no que diz respeito à prevenção de acidentes e ao comportamento dos sujeitos.  Seja civilizado e procure dirigir corretamente. Seu papel é fundamental na educação do trânsito e na sensibilização dos condutores. principais teorias e suas contribuições Em sua fase inicial. à aprendizagem e à motivação do sujeito. motorizados ou . as boas relações com os demais usuários do trânsito e o respeito às normas e às regras do Código de Trânsito Brasileiro (CTB). Como examinador de trânsito. o objetivo da psicologia da educação é compreender fenômenos ligados ao ensino. mais solidário e mais seguro.  Seja compreensivo com os outros.  Seja tolerante. A psicologia do trânsito De acordo com Almeida (2013). a psicologia do trânsito é: um ramo da psicologia experimental que investiga. a psicologia é denominada ciência que estuda o comportamento humano. Nesse sentido. à percepção e à emoção. analisa e estuda os comportamentos humanos de deslocamentos individual ou coletivo. há uma vertente que se chama psicologia do trânsito. bondoso e solidário. o respeito.  Cultive o respeito mútuo e evite comportamentos agressivos. para que possamos ter um trânsito mais humano. Vamos ver agora sobre as relações da psicologia com a prática pedagógica? Noções de psicologia da educação: bases psicológicas da aprendizagem Conceitos básicos. Atualmente.

é importante atuar de forma correta no trânsito. a educação e o policiamento/legislação (ALMEIDA.  age com respeito.não. esteja atento às mais variadas manifestações comportamentais dos candidatos. O comportamento de uma pessoa pode mudar de acordo com as suas obrigações e condições apresentadas no dia. o perfil do bom condutor segue as seguintes características:  acidenta-se pouco ou raramente se envolve em acidentes de trânsito. Ela pondera também que uma locomoção segura e organizada envolve três elementos principais: a engenharia. Para obtenção dos seus objetivos. examinador.  dirige educadamente e está sempre atento às normas e às regras. tanto em ambiente natural. de modo solidário e consciente. 2013). Ações como essas atrapalham o trânsito e podem despertar a agressividade de outros condutores. a falta de atenção de muitos motoristas também compromete a segurança. é importante que você. citado por Gouveia et al (2002). trancam cruzamentos ou estacionam em locais proibidos. para sua segurança e dos demais. em função de um conjunto de normas. Como exemplos. Mesmo conhecendo os três elementos que envolvem o conceito de psicologia. regras. Para isso. Um comportamento adequado no trânsito depende principalmente de estímulos e reforços positivos feitos durante o processo de formação. A falta de segurança. . Além disso. vamos apresentar a você o perfil do bom condutor e como este deve se comportar no trânsito. muitas vezes. a via e o veículo. leis ou convenções. o nervosismo − caracterizado pela falta de tolerância e pela pressa − e o estresse são os principais fatores responsáveis pela agressividade no trânsito. Dessa forma. o nervosismo e a pressa geram. podemos citar os condutores que não ligam a seta para fazer conversões ou ultrapassagens. a Psicologia do Trânsito compreende que o trânsito é constituído pela interação entre o homem. comportamentos agressivos que podem levar à violência. Para Rozestraten (2001). De acordo com estudo realizado por Machado (2001). que visam assegurar a segurança e a integridade daqueles que se locomovem. quanto em ambiente construído.

a raiva e o estresse. cabe a você demonstrar aos candidatos a melhor maneira de conviver no trânsito. Você Sabia? Conflitos familiares e agressividade também estão relacionados a acidentes de trânsito. algumas características do ser humano também podem influenciar a ocorrência de acidentes. a inteligência. por isso. você confere quais são eles. a importância da boa convivência. DOTTA. Na Figura 1. Além disso. como a personalidade. . da via ou do veículo (ROZESTRATEN. 1996). Sendo assim. Figura 1 – Fenômenos que envolvem o ato de dirigir. O ato de dirigir envolve alguns fenômenos. Cerca de 90% dos elementos causadores de acidentes de trânsito estão relacionados aos fatores humanos. e somente 10% têm suas causas associadas a condições ambientais. o modo de perceber o ambiente. lembrando-se sempre de que esse é um espaço que todos necessitam e.

007. A Resolução n. 012/2000 e institui normas e procedimentos para a avaliação psicológica no que se refere ao trânsito. Por isso. Você sabe qual é o conceito da avaliação psicológica e como ela deverá ser feita pelo psicólogo?Clique aqui e fique por dentro de como é feita a avaliação psicológica − o famoso psicotécnico. Essa avaliação permite que o psicólogo observe se o indivíduo está qualificado para dirigir ou se ele pode provocar riscos para si e para os outros. Avaliar as características do condutor é fundamental no processo de habilitação ou renovação da CNH. prosseguiremos nossos estudos abordando as suas atribuições como educador e os princípios éticos da sua relação com o candidato. de 29 de junho de 2009 (modificada pela Resolução 009/2011) do Conselho Federal de Psicologia (CFP) revoga a Resolução n. Quando o futuro condutor está em processo de formação. regulamentada pelo Conselho Federal de Psicologia (CFP) e fiscalizada pelos Conselhos Regionais de Psicologia (CRP). Os dispositivos da nova resolução apresentam as exigências mínimas de qualidade relativas à área de avaliação psicológica de seus candidatos e define que esta avaliação é função privativa do psicólogo. comportamento seguro no trânsito. fique atento e tenha atitudes solidárias no trânsito! Relação examinador/candidato Esteja motivado para motivar o candidato. . Vamos lá? Atribuições do examinador como educador Todo profissional de trânsito deve se considerar peça fundamental no processo de conscientização e educação para o trânsito. todos os envolvidos nesse processo devem proporcionar a ele conhecimentos. a avaliação psicológica faz parte dos exames do candidato à habilitação. Agora que vimos como é importante conhecer a psicologia do trânsito. Por isso. pois é uma atividade exclusiva dos psicólogos. É uma exigência do Código de Trânsito Brasileiro (CTB) e do Conselho Nacional de Trânsito (Contran). e você deverá observar esse comportamento seguro no momento do exame prático! Tenha certeza de que seu papel faz a diferença na sociedade.

De acordo com Houaiss e Villar (2009). é importante citar a definição de ética. aos deveres e à responsabilidade civil durante a avaliação prática? Direitos. pois você terá candidatos de diferentes faixas etárias para avaliar. Você já parou para pensar em como deve ser a sua relação com o candidato no que diz respeito aos direitos. acima de tudo. pela construção da cidadania dele no trânsito. O clima estabelecido por ele no momento da avaliação prática. No momento da avaliação. Você será o responsável pela aprovação ou reprovação do candidato e. Mas não podemos nos esquecer de que é necessário haver ética em toda relação. Lembre-se do princípio da imparcialidade. é “o conjunto de regras e preceitos de ordem valorativa e moral de um indivíduo.  evitar situações que depreciam a sua imagem ou a dos colegas. Princípios éticos da relação examinador/candidato ou condutor: interdependência entre ação profissional e princípios éticos Primeiramente. como:  respeitar e valorizar cada candidato. Alguns princípios éticos podem contribuir para o bom relacionamento entre você e o candidato. a relação de empatia e a capacidade de ouvir e identificar o nível de compreensão do candidato são aspectos fundamentais na relação entre examinador e aluno. Acreditar no trabalho que irá realizar e estar motivado são os primeiros passos para o bom relacionamento entre o examinador e o candidato.  não demonstrar preferência por nem um candidato. a empatia2 e a capacidade de ouvir são aspectos fundamentais na relação entre você e o candidato. de um grupo social ou de uma sociedade”. deveres e responsabilidade civil durante a avaliação de direção veicular O examinador assume o papel de avaliador do desempenho prático dos futuros condutores. sobretudo no momento da avaliação.  não ser rígido e repressivo (crie um clima agradável). .  respeitar e valorizar as diferenças.

Por isso. por força de uma conduta inadequada. buscando tonar o momento do exame prático mais adequado. a necessidade e a importância de conduzir o veículo sem causar prejuízos a outras pessoas. De acordo com a Resolução 358/2010. Em situações de realização do exame prático de direção veicular. A responsabilidade civil também está ligada à reparação se uma pessoa for injustamente “invadida em sua esfera de interesses”. o examinador de trânsito é: o responsável pela realização dos exames previstos na legislação. . Vamos relembrar as responsabilidades do examinador de trânsito em suas funções e no momento da avaliação do candidato. c) cumprir as instruções e os horários estabelecidos pelo órgão ou entidade executivo de trânsito do estado ou do Distrito Federal. o examinador será também responsável pela reparação prejuízos. pois o condutor ficará sujeito a reparar os danos ocasionados se isso acontecer. é preciso lembrar a função da responsabilidade civil que está ligada diretamente à obrigação de reparar um dano que uma pessoa possa vir a provocar. Além de se estreitar a relação com o candidato. e) frequentar cursos de aperfeiçoamento ou de atualização determinados pelo órgão ou entidade executivo de trânsito do estado ou do Distrito Federal. b) tratar os candidatos e condutores com urbanidade e respeito. emitido pela autoridade responsável do órgão ou entidade executivo de trânsito do estado ou do Distrito Federal. Em caso de ocorrência de acidente ou de algo que acabe produzindo danos a terceiros. d) utilizar crachá de identificação com foto. competindo-lhe: a) avaliar os conhecimentos e as habilidades dos candidatos e condutores para a condução de veículos automotores. quando no exercício da função. caso isso ocorra. a pessoa terá o direito de ser indenizada na proporção do dano sofrido. o examinador é corresponsável com o candidato que está realizando a prova.

 ser justo. é preciso que você observe alguns fatores. sendo claro e objetivo. IV – deixar de portar o crachá de identificação como instrutor ou examinador habilitado. Esperamos que você tenha compreendido sobre os aspectos éticos da sua relação com o candidato. quando a serviço. Chegamos ao final desta Unidade de Estudo que conclui este Núcleo Temático. também podem ocorrer situações que se caracterizam como infrações que são de responsabilidade do examinador. cumprindo o seu papel de maneira ética. III – deixar de orientar corretamente os candidatos no processo de aprendizagem. Para o cumprimento desse papel.  ser imparcial. Por isso. II – falta de respeito aos candidatos.  nunca determinar que o candidato faça qualquer ação ou manobra proibida. e os direitos.  dar orientações precisas sobre o que o candidato deverá fazer. conforme estabelecido no quadro de trabalho. a importância da psicologia do trânsito. tais como:  criar condições favoráveis para a avaliação.  ser cortês. os deveres e . n. VI – realizar propaganda contrária à ética profissional.  informar como será o procedimento da prova e a proposta do possível percurso. profissional. bem como o cumprimento das atribuições previstas nesta Resolução e normas complementares do órgão ou entidade executivo de trânsito dos estados ou do Distrito Federal. V – prática de ato de improbidade contra a fé pública. fique atento para não cometê-las! Vamos relembrar essas infrações? Segundo o art.34 da Resolução 358/2010 (CONTRAN. contra o patrimônio ou contra a administração pública ou privada. Caro examinador: no exercício de sua profissão. 2010): I – negligência na transmissão das normas constantes da legislação de trânsito. VII – obstar ou dificultar a fiscalização do órgão executivo de trânsito estadual ou do Distrito Federal.

Versão3. Disponível em: <http://www.org. 012/2000. Arquivos Brasileiros de Psicologia. Até o próximo encontro! Referências ALMEIDA. . J. Acesso em: 12 out.planalto.. Revoga a Resolução n.br/ccivil_03/leis/l9503. J.denatran. A. de 13 de agosto de 2010. E. A.net/>. 1994. R. Brasília. Acesso em: 22dez. CONTRAN – CONSELHO NACIONAL DE TRÂNSITO. 2009. atualização e reciclagem de candidatos e condutores e dá outras providências. Disponível em: <http://site.Elidio Almeida: psicólogo. publicada no DOU do dia 22 de dezembro de 2000.wordpress. 1996.pdf>. Resolução n. BRASIL. P. bem como sobre os fundamentos do processo de avaliação. Campinas: Papirus. J. Porto Alegre: Sagra-Luzzato. 23 set. de S.br/download/Resolucoes/RESOLUCAO_CONTRAN_358_10_R ET. O bom professor e sua prática. Acesso em: 22 dez. MACHADO. ROZESTRATEN. Disponível em <http://elidioalmeida. Os prós e contras da análise de acidentes de trânsito. Institui o Código de Trânsito Brasileiro. 2001. 53. Brasília. 2001. Diário Oficial da União. Dicionárioeletrônico Houaiss da língua portuguesa.358. de 29 de junho de 2009.cfp. M. Dirigir não é para qualquer um. 1997. de 23 de setembro de 1997. Regulamenta o credenciamento de instituições ou entidades públicas ou privadas para o processo de capacitação. qualificação e atualização de profissionais.503. _____. CUNHA. DOTTA. A. M. e de formação. 29 de julho de 2009.pdf >. R. Acesso em 22 dez. Os sinais de trânsito e o comportamento seguro. Resolução n.007. 1 CD-ROM. 2014. 2014 ROZESTRATEN.0.cjb. 2014.Objetiva.gov. Falo o que penso e não levo desaforo pra casa.a responsabilidade civil durante a avaliação de direção veicular. Acesso em: 12 out. HOUAISS. 2014. Lei n.htm>. I. qualificação. 9. e institui normas e procedimentos para a avaliação psicológica no contexto do Trânsito.com/2011/05/02/comportamento-agressivo-falo-o-que- penso-e-nao-levo-desaforo-pra-casa/>..gov. 7-22. Disponível em:<http://www. 2014. Rio de Janeiro: Instituto Antônio Houaiss. Disponível em: <http://psicotran.br/wp-content/uploads/2009/08/resolucao2009_07. VILLAR. Seção I.