O Kasato-maru.

O nome Kasato-maru não é somente o nome próprio de uma embarcação. Para os
japoneses que emigraram para o Brasil e seus descendentes, “Kasato-maru” é também
um símbolo. A trajetória percorrida pelos japoneses e seus descendentes no Brasil tem
seu ponto de partida na viagem do Kasato-maru (Kasato-maru — sessenta anos mais
tarde [Kasato-maru yori 60-nen], São Paulo, Federação das Associações de Províncias
do Japão no Brasil, 1968, p. 13).

Na tarde de 28 de abril de 1908, o sol se recolhia serenamente no porto da cidade de
Kōbe. Debaixo dos fogos de artifício que anunciavam sua partida, o vapor Kasato-maru
(pertencente à C.ia de Navegação a Vapor Oriental com capacidade de 6.167 toneladas)
zarpava em direção ao porto de Santos, levando os primeiros 781 emigrantes japoneses
contratados àquele país.

Depois de passados mais de cinqüenta dias a bordo, regados à náusea provocada pelo
balouçar da embarcação e ao calor, entretidos e alimentados, os imigrantes
desembarcaram no cais 14 de Santos na manhã de 18 de junho, tendo percorrido quase
12 mil milhas náuticas entre o início e o fim da viagem.

Esse dia é comemorado no Brasil como o Dia da Imigração Japonesa; no Japão, ele é o
Dia da Emigração Ultramarina.

“Navio de imigrantes que chega ao porto olhando para o alto, onde as quedas-d’água já
não correm mais”. Este teria sido o primeiro poema do tipo haiku escrito no Brasil. O
autor destes versos é o então supervisor de imigração, Shūhei Uetsuka (pseudônimo
Hyōkotsu), que viajou a bordo do Kasato-maru junto com os primeiros imigrantes.

Ao lado de Ryō Mizuno, presidente da C.ia Imperial de Colonização (responsável pelo
recrutamento dos imigrantes), Shūhei Uetsuka é lembrado como o “pai da imigração”.

Com relação à viagem do Kasato-maru, um dos relatos mais importantes a seu respeito
é o diário de bordo deixado por Ryō Mizuno. Outros dados factuais importantes podem
ser encontrados na coleção do Observatório Meteorológico-Marítimo de Kōbe (The
Kobe Collection).

Topo da página

Existem diversas versões sobre a origem do Kasato-maru, que pode ser resumida da
seguinte maneira: o vapor misto Potosí, construído na Inglaterra, foi vendido à frota
militar russa em junho de 1900, sendo rebatizado como “Kazan”.

Depois de ser abatido pela frota naval japonesa no porto de Ryojun, durante a Guerra
Russo-Japonesa, o “Kazan” foi confiscado pela Marinha Japonesa e sua posse foi
confiada ao distrito naval de Kure, sendo rebatizado como “Kasato-maru”.

Em julho de 1906, o Kasato-maru foi alugado da Marinha pela C.ia de Emigração
Oriental, sendo utilizado na cobertura das rotas do Extremo Oriente e da costa oeste das

O vapor entrou para a História ao se tornar. salmão e caranguejo. acendida na laje da antiga Hospedaria dos Imigrantes de Kōbe. Como que por ironia do destino. Enquanto isso. Quando. logo após a entrada da União Soviética na Segunda Guerra. O Kasato-maru é. Passados cem anos desde aquela viagem do Kasato-maru. sem dúvida. levando a bordo os últimos 320 emigrantes japoneses para o Havaí. o Kasato-maru também foi navio de passageiros. em 1908. Às 5:55 da tarde (mesma hora da partida do Kasato-maru. no entanto. o navio foi bombardeado pelo exército soviético em 9 de agosto de 1945. navio-enfermaria e navio-fábrica flutuante de sardinha. Com o fim da participação de Mizuno na empreitada imigratória. embora haja registros de que o vapor tenha deixado 10 imigrantes espontâneos em sua passagem pelo Rio de Janeiro no ano de 1917. todos os navios que estavam ancorados no porto de Kōbe fizeram soar os seus apitos. o Kasato-maru deixou o porto de Kōbe no dia 14 de junho. a imagem do Kasato- maru nunca mais foi vista em Santos. em 1924. . cogita-se içar do fundo do mar de Okhotsk as âncoras do Kasato-maru. na península do Kamtchatka. o primeiro navio usado no transporte de emigrantes japoneses para o Brasil. símbolo dos cem anos da presença japonesa no Brasil. o Senado americano aprovou a lei que vetava a entrada de imigrantes japoneses. um navio deixava o porto transportando para o Brasil a Tocha da Amizade. cem anos antes) do dia 28 de abril de 2008. Mas é também o símbolo de uma nova era de intercâmbio entre as duas nações. Além de ter transportado os primeiros imigrantes japoneses para o Brasil e os últimos imigrantes japoneses para o Havaí. devendo ser elas preservadas conjuntamente por Kōbe e pelo Brasil. simultaneamente.Américas.