Formas de apresentação da fala das personagens Como já sabemos, nas histórias, as

personagens agem e falam. Há três maneiras de comunicar as falas das personagens.

Discurso Direto: É a representação da fala das personagens através do diálogo. Exemplo: “Zé
Lins continuou: carnaval é festa d o povo. O povo é dono da verd ade. Vem a polícia e começa
a falar em ordem pública. No carn a val a cid a de é do povo e de ninguém mais”.

No discurso direto é frequente o uso dos verbo de locução ou descendi: dizer, falar,
acrescentar, responder, perguntar, mandar, replicar e etc.; e de travessões. Porém, quando as
falas das personagens são curtas ou rápidas os verbos de locução podem ser omitidos.

Discurso Indireto: Consiste em o narrador transmitir, com suas próprias palavras, o
pensamento ou a fala das personagens. Exemplo: “Zé Lins levantou um brinde: lembrou os
dias triste e pass a dos, os meus primeiros passos em liberdade, a fr a ternidade que nos re
unia naquele momento, a minha literatura e os m e nos so m brios por vir”.

Discurso Indireto Livre: Ocorre quando a fala da personagem se mistura à fala do narrador,
ou seja, ao fluxo normal da narração. Exemplo: “Os trabalhadores passavam para os partidos,
conve r sando alto. Quando me viram, sem chapéu, de pijama, por aqueles lugares, d e ram - m
e b o n s - dia s d e s c o n fi a d o s . T alv e z p e n s a s s e m q u e e s t ivesse doido. Como
poderia andar um homem àquela hora , sem fazer nada de c a beça no tempo, um branco de
pés no chão como eles? Só sendo doido mesmo”. (José Lins do Rego)

TEXTO DESCRITIVO Descrever é fazer uma representação verbal dos aspectos mais
característicos de um objeto, de uma pessoa, paisagem, ser e etc.

As perspectivas que o observador tem do objeto são muito importantes, tanto na descrição
literária quanto na descrição técnica. É esta atitude que vai determinar a ordem na
enumeração dos traços característicos para que o leitor possa combinar suas impressões
isoladas formando uma imagem unificada.

Uma boa descrição vai apresentando o objeto progressivamente, variando as partes
focalizadas e associando-as ou interligando-as pouco a pouco.

Podemos encontrar distinções entre uma descrição literária e outra técnica. Passaremos a falar
um pouco sobre cada uma delas: Formas de apresentação da fala das personagens Como já
sabemos, nas histórias, as personagens agem e falam. Há três maneiras de comunicar as falas
das personagens.

Discurso Direto: É a representação da fala das personagens através do diálogo. Exemplo: “Zé
Lins continuou: carnaval é festa d o povo. O povo é dono da verd ade. Vem a polícia e começa
a falar em ordem pública. No carn a val a cid a de é do povo e de ninguém mais”.

No discurso direto é frequente o uso dos verbo de locução ou descendi: dizer, falar,
acrescentar, responder, perguntar, mandar, replicar e etc.; e de travessões. Porém, quando as
falas das personagens são curtas ou rápidas os verbos de locução podem ser omitidos.

Discurso Indireto: Consiste em o narrador transmitir, com suas próprias palavras, o
pensamento ou a fala das personagens. Exemplo: “Zé Lins levantou um brinde: lembrou os
dias triste e pass a dos, os meus primeiros passos em liberdade, a fr a ternidade que nos re
unia naquele momento, a minha literatura e os m e nos so m brios por vir”.

Discurso Indireto Livre: Ocorre quando a fala da personagem se mistura à fala do narrador,
ou seja, ao fluxo normal da narração. Exemplo: “Os trabalhadores passavam para os partidos,
conve r sando alto. Quando me viram, sem chapéu, de pijama, por aqueles lugares, d e ram - m
e b o n s - dia s d e s c o n fi a d o s . T alv e z p e n s a s s e m q u e e s t ivesse doido. Como
poderia andar um homem àquela hora , sem fazer nada de c a beça no tempo, um branco de
pés no chão como eles? Só sendo doido mesmo”. (José Lins do Rego)

TEXTO DESCRITIVO Descrever é fazer uma representação verbal dos aspectos mais
característicos de um objeto, de uma pessoa, paisagem, ser e etc.

As perspectivas que o observador tem do objeto são muito importantes, tanto na descrição
literária quanto na descrição técnica. É esta atitude que vai determinar a ordem na
enumeração dos traços característicos para que o leitor possa combinar suas impressões
isoladas formando uma imagem unificada.

Uma boa descrição vai apresentando o objeto progressivamente, variando as partes
focalizadas e associando-as ou interligando-as pouco a pouco.

Podemos encontrar distinções entre uma descrição literária e outra técnica. Passaremos a falar
um pouco sobre cada uma delas: Formas de apresentação da fala das personagens Como já
sabemos, nas histórias, as personagens agem e falam. Há três maneiras de comunicar as falas
das personagens.

Discurso Direto: É a representação da fala das personagens através do diálogo. Exemplo: “Zé
Lins continuou: carnaval é festa d o povo. O povo é dono da verd ade. Vem a polícia e começa
a falar em ordem pública. No carn a val a cid a de é do povo e de ninguém mais”.

No discurso direto é frequente o uso dos verbo de locução ou descendi: dizer, falar,
acrescentar, responder, perguntar, mandar, replicar e etc.; e de travessões. Porém, quando as
falas das personagens são curtas ou rápidas os verbos de locução podem ser omitidos.

Discurso Indireto: Consiste em o narrador transmitir, com suas próprias palavras, o
pensamento ou a fala das personagens. Exemplo: “Zé Lins levantou um brinde: lembrou os
dias triste e pass a dos, os meus primeiros passos em liberdade, a fr a ternidade que nos re
unia naquele momento, a minha literatura e os m e nos so m brios por vir”.

Discurso Indireto Livre: Ocorre quando a fala da personagem se mistura à fala do narrador,
ou seja, ao fluxo normal da narração. Exemplo: “Os trabalhadores passavam para os partidos,
conve r sando alto. Quando me viram, sem chapéu, de pijama, por aqueles lugares, d e ram - m
e b o n s - dia s d e s c o n fi a d o s . T alv e z p e n s a s s e m q u e e s t ivesse doido. Como
poderia andar um homem àquela hora , sem fazer nada de c a beça no tempo, um branco de
pés no chão como eles? Só sendo doido mesmo”. (José Lins do Rego)

TEXTO DESCRITIVO Descrever é fazer uma representação verbal dos aspectos mais
característicos de um objeto, de uma pessoa, paisagem, ser e etc.

As perspectivas que o observador tem do objeto são muito importantes, tanto na descrição
literária quanto na descrição técnica. É esta atitude que vai determinar a ordem na
enumeração dos traços característicos para que o leitor possa combinar suas impressões
isoladas formando uma imagem unificada.

Uma boa descrição vai apresentando o objeto progressivamente, variando as partes
focalizadas e associando-as ou interligando-as pouco a pouco.

Podemos encontrar distinções entre uma descrição literária e outra técnica. Passaremos a falar
um pouco sobre cada uma delas: Formas de apresentação da fala das personagens Como já
sabemos, nas histórias, as personagens agem e falam. Há três maneiras de comunicar as falas
das personagens.

Discurso Direto: É a representação da fala das personagens através do diálogo. Exemplo: “Zé
Lins continuou: carnaval é festa d o povo. O povo é dono da verd ade. Vem a polícia e começa
a falar em ordem pública. No carn a val a cid a de é do povo e de ninguém mais”.

Discurso Indireto Livre: Ocorre quando a fala da personagem se mistura à fala do narrador. .dia s d e s c o n fi a d o s . a fr a ternidade que nos re unia naquele momento. acrescentar. Discurso Indireto: Consiste em o narrador transmitir. Porém. Quando me viram. perguntar. conve r sando alto. Exemplo: “Zé Lins levantou um brinde: lembrou os dias triste e pass a dos.No discurso direto é frequente o uso dos verbo de locução ou descendi: dizer. de pijama. Vem a polícia e começa a falar em ordem pública. ao fluxo normal da narração.. Discurso Direto: É a representação da fala das personagens através do diálogo. Exemplo: “Zé Lins continuou: carnaval é festa d o povo. perguntar. nas histórias. sem fazer nada de c a beça no tempo. ou seja. O povo é dono da verd ade. replicar e etc. Como poderia andar um homem àquela hora . sem chapéu. por aqueles lugares. falar. tanto na descrição literária quanto na descrição técnica. quando as falas das personagens são curtas ou rápidas os verbos de locução podem ser omitidos. responder. Exemplo: “Os trabalhadores passavam para os partidos. mandar.. mandar. de uma pessoa. As perspectivas que o observador tem do objeto são muito importantes. e de travessões. um branco de pés no chão como eles? Só sendo doido mesmo”. É esta atitude que vai determinar a ordem na enumeração dos traços característicos para que o leitor possa combinar suas impressões isoladas formando uma imagem unificada. o pensamento ou a fala das personagens. e de travessões. d e ram . Passaremos a falar um pouco sobre cada uma delas: Formas de apresentação da fala das personagens Como já sabemos. Porém. quando as falas das personagens são curtas ou rápidas os verbos de locução podem ser omitidos. ser e etc. variando as partes focalizadas e associando-as ou interligando-as pouco a pouco. No carn a val a cid a de é do povo e de ninguém mais”. acrescentar. Uma boa descrição vai apresentando o objeto progressivamente. falar. (José Lins do Rego) TEXTO DESCRITIVO Descrever é fazer uma representação verbal dos aspectos mais característicos de um objeto. responder. paisagem. as personagens agem e falam. a minha literatura e os m e nos so m brios por vir”. Podemos encontrar distinções entre uma descrição literária e outra técnica. replicar e etc. No discurso direto é frequente o uso dos verbo de locução ou descendi: dizer. T alv e z p e n s a s s e m q u e e s t ivesse doido.m e b o n s . os meus primeiros passos em liberdade. com suas próprias palavras. Há três maneiras de comunicar as falas das personagens.

Vem a polícia e começa a falar em ordem pública. T alv e z p e n s a s s e m q u e e s t ivesse doido. Exemplo: “Os trabalhadores passavam para os partidos. um branco de pés no chão como eles? Só sendo doido mesmo”. Discurso Indireto: Consiste em o narrador transmitir. com suas próprias palavras. (José Lins do Rego) TEXTO DESCRITIVO Descrever é fazer uma representação verbal dos aspectos mais característicos de um objeto. variando as partes focalizadas e associando-as ou interligando-as pouco a pouco. ou seja. as personagens agem e falam. O povo é dono da verd ade. É esta atitude que vai determinar a ordem na enumeração dos traços característicos para que o leitor possa combinar suas impressões isoladas formando uma imagem unificada. o pensamento ou a fala das personagens. por aqueles lugares. replicar e etc. ao fluxo normal da narração. Exemplo: “Zé Lins levantou um brinde: lembrou os . conve r sando alto. tanto na descrição literária quanto na descrição técnica. a minha literatura e os m e nos so m brios por vir”. Discurso Indireto: Consiste em o narrador transmitir. Passaremos a falar um pouco sobre cada uma delas: Formas de apresentação da fala das personagens Como já sabemos. de uma pessoa. Uma boa descrição vai apresentando o objeto progressivamente.. a fr a ternidade que nos re unia naquele momento. o pensamento ou a fala das personagens. Exemplo: “Zé Lins continuou: carnaval é festa d o povo. Quando me viram. Como poderia andar um homem àquela hora . nas histórias.dia s d e s c o n fi a d o s . No carn a val a cid a de é do povo e de ninguém mais”. e de travessões. No discurso direto é frequente o uso dos verbo de locução ou descendi: dizer. responder. As perspectivas que o observador tem do objeto são muito importantes. com suas próprias palavras. d e ram . quando as falas das personagens são curtas ou rápidas os verbos de locução podem ser omitidos. Porém. ser e etc. falar. Discurso Direto: É a representação da fala das personagens através do diálogo. mandar. Podemos encontrar distinções entre uma descrição literária e outra técnica. paisagem. acrescentar.m e b o n s . perguntar. Discurso Indireto Livre: Ocorre quando a fala da personagem se mistura à fala do narrador. de pijama. sem fazer nada de c a beça no tempo. os meus primeiros passos em liberdade. Exemplo: “Zé Lins levantou um brinde: lembrou os dias triste e pass a dos. sem chapéu. Há três maneiras de comunicar as falas das personagens.

paisagem. É esta atitude que vai determinar a ordem na enumeração dos traços característicos para que o leitor possa combinar suas impressões isoladas formando uma imagem unificada. T alv e z p e n s a s s e m q u e e s t ivesse doido. Uma boa descrição vai apresentando o objeto progressivamente. Quando me viram. de pijama. falar. ao fluxo normal da narração. Discurso Indireto Livre: Ocorre quando a fala da personagem se mistura à fala do narrador. os meus primeiros passos em liberdade. As perspectivas que o observador tem do objeto são muito importantes. Discurso Direto: É a representação da fala das personagens através do diálogo. de uma pessoa. responder. Como poderia andar um homem àquela hora . O povo é dono da verd ade. conve r sando alto. Há três maneiras de comunicar as falas das personagens. perguntar.. Passaremos a falar um pouco sobre cada uma delas: Formas de apresentação da fala das personagens Como já sabemos. Exemplo: “Zé Lins continuou: carnaval é festa d o povo. ser e etc. nas histórias. Discurso Indireto: Consiste em o narrador transmitir.m e b o n s . um branco de pés no chão como eles? Só sendo doido mesmo”. tanto na descrição literária quanto na descrição técnica. Vem a polícia e começa a falar em ordem pública. Exemplo: “Zé Lins levantou um brinde: lembrou os dias triste e pass a dos. sem fazer nada de c a beça no tempo. d e ram . acrescentar. mandar. por aqueles lugares. os meus primeiros passos em liberdade. com suas próprias palavras. ou seja. a minha literatura e os m e nos so m brios por vir”. No discurso direto é frequente o uso dos verbo de locução ou descendi: dizer. as personagens agem e falam. Podemos encontrar distinções entre uma descrição literária e outra técnica. a fr a ternidade que nos re unia naquele momento.dia s d e s c o n fi a d o s . a minha literatura e os m e nos so m brios por vir”. replicar e etc. sem chapéu.dias triste e pass a dos. . variando as partes focalizadas e associando-as ou interligando-as pouco a pouco. No carn a val a cid a de é do povo e de ninguém mais”. Exemplo: “Os trabalhadores passavam para os partidos. a fr a ternidade que nos re unia naquele momento. o pensamento ou a fala das personagens. e de travessões. Porém. quando as falas das personagens são curtas ou rápidas os verbos de locução podem ser omitidos. (José Lins do Rego) TEXTO DESCRITIVO Descrever é fazer uma representação verbal dos aspectos mais característicos de um objeto.

Como poderia andar um homem àquela hora . Exemplo: “Os trabalhadores passavam para os partidos. os meus primeiros passos em liberdade. e de travessões. por aqueles lugares. d e ram .m e b o n s . acrescentar. O povo é dono da verd ade. responder. Exemplo: “Zé Lins continuou: carnaval é festa d o povo. sem chapéu. Uma boa descrição vai apresentando o objeto progressivamente. Podemos encontrar distinções entre uma descrição literária e outra técnica.m . ou seja. Discurso Indireto Livre: Ocorre quando a fala da personagem se mistura à fala do narrador. T alv e z p e n s a s s e m q u e e s t ivesse doido. Discurso Direto: É a representação da fala das personagens através do diálogo. d e ram . sem chapéu. Quando me viram. a minha literatura e os m e nos so m brios por vir”. ao fluxo normal da narração. Discurso Indireto: Consiste em o narrador transmitir. paisagem. sem fazer nada de c a beça no tempo. variando as partes focalizadas e associando-as ou interligando-as pouco a pouco. Vem a polícia e começa a falar em ordem pública. Discurso Indireto Livre: Ocorre quando a fala da personagem se mistura à fala do narrador.. nas histórias. replicar e etc. conve r sando alto. Quando me viram. de uma pessoa. um branco de pés no chão como eles? Só sendo doido mesmo”. tanto na descrição literária quanto na descrição técnica. ser e etc. por aqueles lugares. Porém. No discurso direto é frequente o uso dos verbo de locução ou descendi: dizer. ou seja. Exemplo: “Os trabalhadores passavam para os partidos. quando as falas das personagens são curtas ou rápidas os verbos de locução podem ser omitidos. a fr a ternidade que nos re unia naquele momento. As perspectivas que o observador tem do objeto são muito importantes. falar. de pijama. as personagens agem e falam. de pijama. conve r sando alto. É esta atitude que vai determinar a ordem na enumeração dos traços característicos para que o leitor possa combinar suas impressões isoladas formando uma imagem unificada. o pensamento ou a fala das personagens.dia s d e s c o n fi a d o s . com suas próprias palavras. No carn a val a cid a de é do povo e de ninguém mais”. Passaremos a falar um pouco sobre cada uma delas: Formas de apresentação da fala das personagens Como já sabemos. Há três maneiras de comunicar as falas das personagens. perguntar. Exemplo: “Zé Lins levantou um brinde: lembrou os dias triste e pass a dos. mandar. (José Lins do Rego) TEXTO DESCRITIVO Descrever é fazer uma representação verbal dos aspectos mais característicos de um objeto. ao fluxo normal da narração.

a minha literatura e os m e nos so m brios por vir”. No discurso direto é frequente o uso dos verbo de locução ou descendi: dizer. Exemplo: “Zé Lins levantou um brinde: lembrou os dias triste e pass a dos. Exemplo: “Zé Lins continuou: carnaval é festa d o povo. um branco de pés no chão como eles? Só sendo doido mesmo”. a fr a ternidade que nos re unia naquele momento. Há três maneiras de comunicar as falas das personagens. sem fazer nada de c a beça no tempo. As perspectivas que o observador tem do objeto são muito importantes. o pensamento ou a fala das personagens. Porém. um branco de pés no chão como eles? Só sendo doido mesmo”. tanto na descrição literária quanto na descrição técnica. falar. perguntar. sem fazer nada de c a beça no tempo. nas histórias. T alv e z p e n s a s s e m q u e e s t ivesse doido. quando as falas das personagens são curtas ou rápidas os verbos de locução podem ser omitidos. ou seja. Vem a polícia e começa a falar em ordem pública.dia s d e s c o n fi a d o s . Exemplo: “Os trabalhadores passavam para os partidos. mandar. por aqueles lugares. Como poderia andar um homem àquela hora . e de travessões. ser e etc. Discurso Indireto Livre: Ocorre quando a fala da personagem se mistura à fala do narrador. acrescentar. de pijama. os meus primeiros passos em liberdade.dia s d e s c o n fi a d o s . conve r sando alto. Quando me viram.. Passaremos a falar um pouco sobre cada uma delas: Formas de apresentação da fala das personagens Como já sabemos. ao fluxo normal da narração. Discurso Indireto: Consiste em o narrador transmitir. de uma pessoa. d e ram . (José Lins do Rego) TEXTO DESCRITIVO Descrever é fazer uma representação verbal dos aspectos mais característicos de um objeto. É esta atitude que vai determinar a ordem na enumeração dos traços característicos para que o leitor possa combinar suas impressões isoladas formando uma imagem unificada. com suas próprias palavras. sem chapéu. variando as partes focalizadas e associando-as ou interligando-as pouco a pouco.e b o n s . Podemos encontrar distinções entre uma descrição literária e outra técnica. as personagens agem e falam. Como poderia andar um homem àquela hora . O povo é dono da verd ade. replicar e etc.m e b o n s . responder. T alv e z p e n s a s s e m q u e e s t ivesse doido. Discurso Direto: É a representação da fala das personagens através do diálogo. Uma boa descrição vai apresentando o objeto progressivamente. No carn a val a cid a de é do povo e de ninguém mais”. (José Lins do Rego) . paisagem.

conve r sando alto. a fr a ternidade que nos re unia naquele momento. Como poderia andar um homem àquela hora . um branco de pés no chão como eles? Só sendo doido mesmo”. (José Lins do Rego) TEXTO DESCRITIVO Descrever é fazer uma representação verbal dos aspectos mais característicos de um objeto. de uma pessoa. o pensamento ou a fala das personagens. os meus primeiros passos em liberdade. Passaremos a falar um pouco sobre cada uma delas: Formas de apresentação da fala das personagens Como já sabemos. Porém.TEXTO DESCRITIVO Descrever é fazer uma representação verbal dos aspectos mais característicos de um objeto. por aqueles lugares. acrescentar. Discurso Indireto Livre: Ocorre quando a fala da personagem se mistura à fala do narrador. Uma boa descrição vai apresentando o objeto progressivamente. ser e etc. a minha literatura e os m e nos so m brios por vir”. O povo é dono da verd ade. ou seja. . e de travessões. as personagens agem e falam. Exemplo: “Zé Lins levantou um brinde: lembrou os dias triste e pass a dos. Discurso Indireto: Consiste em o narrador transmitir. ao fluxo normal da narração. quando as falas das personagens são curtas ou rápidas os verbos de locução podem ser omitidos. paisagem. As perspectivas que o observador tem do objeto são muito importantes. variando as partes focalizadas e associando-as ou interligando-as pouco a pouco.m e b o n s . É esta atitude que vai determinar a ordem na enumeração dos traços característicos para que o leitor possa combinar suas impressões isoladas formando uma imagem unificada. T alv e z p e n s a s s e m q u e e s t ivesse doido. replicar e etc. falar. Exemplo: “Os trabalhadores passavam para os partidos. sem fazer nada de c a beça no tempo. tanto na descrição literária quanto na descrição técnica. No carn a val a cid a de é do povo e de ninguém mais”. mandar.dia s d e s c o n fi a d o s . nas histórias. Vem a polícia e começa a falar em ordem pública.. No discurso direto é frequente o uso dos verbo de locução ou descendi: dizer. de pijama. paisagem. Há três maneiras de comunicar as falas das personagens. perguntar. sem chapéu. responder. d e ram . Podemos encontrar distinções entre uma descrição literária e outra técnica. Exemplo: “Zé Lins continuou: carnaval é festa d o povo. ser e etc. de uma pessoa. com suas próprias palavras. Quando me viram. Discurso Direto: É a representação da fala das personagens através do diálogo.

No carn a val a cid a de é do povo e de ninguém mais”. e de travessões. o pensamento ou a fala das personagens. Discurso Indireto: Consiste em o narrador transmitir. mandar. Uma boa descrição vai apresentando o objeto progressivamente. ao fluxo normal da narração. ou seja. sem chapéu. Quando me viram. replicar e etc. acrescentar. tanto na descrição literária quanto na descrição técnica. por aqueles lugares. Vem a polícia e começa a falar em ordem pública. falar. Exemplo: “Zé Lins levantou um brinde: lembrou os dias triste e pass a dos. com suas próprias palavras. Como poderia andar um homem àquela hora . de pijama. nas histórias. Podemos encontrar distinções entre uma descrição literária e outra técnica. quando as falas das personagens são curtas ou rápidas os verbos de locução podem ser omitidos.. Exemplo: “Zé Lins continuou: carnaval é festa d o povo. O povo é dono da verd ade. (José Lins do Rego) TEXTO DESCRITIVO Descrever é fazer uma representação verbal dos aspectos mais característicos de um objeto. a minha literatura e os m e nos so m brios por vir”. paisagem.dia s d e s c o n fi a d o s . tanto na descrição literária quanto na descrição técnica. responder. perguntar. Discurso Indireto Livre: Ocorre quando a fala da personagem se mistura à fala do narrador. Discurso Direto: É a representação da fala das personagens através do diálogo. Há três maneiras de comunicar as falas das personagens. ser e etc. a fr a ternidade que nos re unia naquele momento. É esta atitude que vai determinar a ordem na enumeração dos traços característicos para que o leitor possa combinar suas impressões isoladas formando uma imagem unificada. as personagens agem e falam. de uma pessoa.m e b o n s . T alv e z p e n s a s s e m q u e e s t ivesse doido. Porém. conve r sando alto. um branco de pés no chão como eles? Só sendo doido mesmo”. Passaremos a falar um pouco sobre cada uma delas: Formas de apresentação da fala das personagens Como já sabemos. d e ram . As perspectivas que o observador tem do objeto são muito importantes. É esta atitude que vai determinar a ordem na .As perspectivas que o observador tem do objeto são muito importantes. Exemplo: “Os trabalhadores passavam para os partidos. No discurso direto é frequente o uso dos verbo de locução ou descendi: dizer. os meus primeiros passos em liberdade. sem fazer nada de c a beça no tempo. variando as partes focalizadas e associando-as ou interligando-as pouco a pouco.

perguntar. variando as partes focalizadas e associando-as ou interligando-as pouco a pouco. os meus primeiros passos em liberdade. Uma boa descrição vai apresentando o objeto progressivamente. Discurso Direto: É a representação da fala das personagens através do diálogo. sem chapéu. Há três maneiras de comunicar as falas das personagens. . Passaremos a falar um pouco sobre cada uma delas: Formas de apresentação da fala das personagens Como já sabemos. falar. de uma pessoa. Podemos encontrar distinções entre uma descrição literária e outra técnica. O povo é dono da verd ade. a minha literatura e os m e nos so m brios por vir”.. (José Lins do Rego) TEXTO DESCRITIVO Descrever é fazer uma representação verbal dos aspectos mais característicos de um objeto. replicar e etc. a fr a ternidade que nos re unia naquele momento. sem fazer nada de c a beça no tempo. No discurso direto é frequente o uso dos verbo de locução ou descendi: dizer. Quando me viram. as personagens agem e falam.dia s d e s c o n fi a d o s . ou seja. ao fluxo normal da narração. Exemplo: “Zé Lins continuou: carnaval é festa d o povo. conve r sando alto. Discurso Indireto Livre: Ocorre quando a fala da personagem se mistura à fala do narrador. Como poderia andar um homem àquela hora . de pijama. Exemplo: “Zé Lins levantou um brinde: lembrou os dias triste e pass a dos. Discurso Indireto: Consiste em o narrador transmitir. paisagem.enumeração dos traços característicos para que o leitor possa combinar suas impressões isoladas formando uma imagem unificada. com suas próprias palavras.m e b o n s . ser e etc. o pensamento ou a fala das personagens. por aqueles lugares. responder. T alv e z p e n s a s s e m q u e e s t ivesse doido. acrescentar. mandar. tanto na descrição literária quanto na descrição técnica. um branco de pés no chão como eles? Só sendo doido mesmo”. No carn a val a cid a de é do povo e de ninguém mais”. Exemplo: “Os trabalhadores passavam para os partidos. Vem a polícia e começa a falar em ordem pública. e de travessões. As perspectivas que o observador tem do objeto são muito importantes. quando as falas das personagens são curtas ou rápidas os verbos de locução podem ser omitidos. Porém. É esta atitude que vai determinar a ordem na enumeração dos traços característicos para que o leitor possa combinar suas impressões isoladas formando uma imagem unificada. nas histórias. d e ram .

perguntar. replicar e etc. ser e etc.dia s d e s c o n fi a d o s . Quando me viram. No discurso direto é frequente o uso dos verbo de locução ou descendi: dizer. acrescentar. ao fluxo normal da narração. paisagem. mandar. Exemplo: “Zé Lins continuou: carnaval é festa d o povo. variando as partes focalizadas e associando-as ou interligando-as pouco a pouco.. . a fr a ternidade que nos re unia naquele momento. Podemos encontrar distinções entre uma descrição literária e outra técnica. conve r sando alto. Como poderia andar um homem àquela hora . um branco de pés no chão como eles? Só sendo doido mesmo”. Exemplo: “Os trabalhadores passavam para os partidos.m e b o n s .Uma boa descrição vai apresentando o objeto progressivamente. Discurso Indireto: Consiste em o narrador transmitir. As perspectivas que o observador tem do objeto são muito importantes. Há três maneiras de comunicar as falas das personagens. e de travessões. É esta atitude que vai determinar a ordem na enumeração dos traços característicos para que o leitor possa combinar suas impressões isoladas formando uma imagem unificada. (José Lins do Rego) TEXTO DESCRITIVO Descrever é fazer uma representação verbal dos aspectos mais característicos de um objeto. falar. tanto na descrição literária quanto na descrição técnica. sem chapéu. Exemplo: “Zé Lins levantou um brinde: lembrou os dias triste e pass a dos. por aqueles lugares. de uma pessoa. o pensamento ou a fala das personagens. de pijama. Vem a polícia e começa a falar em ordem pública. Uma boa descrição vai apresentando o objeto progressivamente. Passaremos a falar um pouco sobre cada uma delas: Formas de apresentação da fala das personagens Como já sabemos. ou seja. d e ram . os meus primeiros passos em liberdade. responder. quando as falas das personagens são curtas ou rápidas os verbos de locução podem ser omitidos. a minha literatura e os m e nos so m brios por vir”. Discurso Indireto Livre: Ocorre quando a fala da personagem se mistura à fala do narrador. as personagens agem e falam. nas histórias. sem fazer nada de c a beça no tempo. com suas próprias palavras. Discurso Direto: É a representação da fala das personagens através do diálogo. T alv e z p e n s a s s e m q u e e s t ivesse doido. variando as partes focalizadas e associando-as ou interligando-as pouco a pouco. Porém. No carn a val a cid a de é do povo e de ninguém mais”. O povo é dono da verd ade.

de uma pessoa. ou seja. os meus primeiros passos em liberdade. Quando me viram. sem chapéu. um branco de pés no chão como eles? Só sendo doido mesmo”. Passaremos a falar um pouco sobre cada uma delas: Formas de apresentação da fala das personagens Como já sabemos. mandar.Podemos encontrar distinções entre uma descrição literária e outra técnica. Exemplo: “Zé Lins levantou um brinde: lembrou os dias triste e pass a dos. Exemplo: “Zé Lins continuou: carnaval é festa d o povo. Exemplo: “Os trabalhadores passavam para os partidos.. e de travessões. Discurso Indireto: Consiste em o narrador transmitir. acrescentar. replicar e etc. Vem a polícia e começa a falar em ordem pública. com suas próprias palavras. de pijama. Como poderia andar um homem àquela hora .m e b o n s . Discurso Direto: É a representação da fala das personagens através do diálogo. Podemos encontrar distinções entre uma descrição literária e outra técnica. Discurso Indireto Livre: Ocorre quando a fala da personagem se mistura à fala do narrador. quando as falas das personagens são curtas ou rápidas os verbos de locução podem ser omitidos. É esta atitude que vai determinar a ordem na enumeração dos traços característicos para que o leitor possa combinar suas impressões isoladas formando uma imagem unificada. as personagens agem e falam. O povo é dono da verd ade. sem fazer nada de c a beça no tempo. variando as partes focalizadas e associando-as ou interligando-as pouco a pouco. Há três maneiras de comunicar as falas das personagens. No carn a val a cid a de é do povo e de ninguém mais”. a minha literatura e os m e nos so m brios por vir”. a fr a ternidade que nos re unia naquele momento. T alv e z p e n s a s s e m q u e e s t ivesse doido. conve r sando alto.dia s d e s c o n fi a d o s . tanto na descrição literária quanto na descrição técnica. nas histórias. por aqueles lugares. No discurso direto é frequente o uso dos verbo de locução ou descendi: dizer. paisagem. falar. (José Lins do Rego) TEXTO DESCRITIVO Descrever é fazer uma representação verbal dos aspectos mais característicos de um objeto. ser e etc. d e ram . o pensamento ou a fala das personagens. Passaremos a falar um pouco sobre cada uma delas: Formas de apresentação da fala das personagens Como já . As perspectivas que o observador tem do objeto são muito importantes. ao fluxo normal da narração. perguntar. Porém. Uma boa descrição vai apresentando o objeto progressivamente. responder.

Porém. O povo é dono da verd ade. as personagens agem e falam. os meus primeiros passos em liberdade. T alv e z p e n s a s s e m q u e e s t ivesse doido. Quando me viram. de pijama. As perspectivas que o observador tem do objeto são muito importantes. No discurso direto é frequente o uso dos verbo de locução ou descendi: dizer. conve r sando alto. de uma pessoa. Exemplo: “Os trabalhadores passavam para os partidos. Uma boa descrição vai apresentando o objeto progressivamente. Podemos encontrar distinções entre uma descrição literária e outra técnica. . Exemplo: “Zé Lins levantou um brinde: lembrou os dias triste e pass a dos. um branco de pés no chão como eles? Só sendo doido mesmo”. Discurso Direto: É a representação da fala das personagens através do diálogo. com suas próprias palavras. ser e etc. d e ram . as personagens agem e falam. por aqueles lugares. Há três maneiras de comunicar as falas das personagens. É esta atitude que vai determinar a ordem na enumeração dos traços característicos para que o leitor possa combinar suas impressões isoladas formando uma imagem unificada. No carn a val a cid a de é do povo e de ninguém mais”. sem chapéu. tanto na descrição literária quanto na descrição técnica. Há três maneiras de comunicar as falas das personagens. sem fazer nada de c a beça no tempo.dia s d e s c o n fi a d o s . a fr a ternidade que nos re unia naquele momento. e de travessões. Discurso Indireto Livre: Ocorre quando a fala da personagem se mistura à fala do narrador. nas histórias. Exemplo: “Zé Lins continuou: carnaval é festa d o povo. acrescentar. o pensamento ou a fala das personagens. Discurso Indireto: Consiste em o narrador transmitir. quando as falas das personagens são curtas ou rápidas os verbos de locução podem ser omitidos.sabemos. (José Lins do Rego) TEXTO DESCRITIVO Descrever é fazer uma representação verbal dos aspectos mais característicos de um objeto. variando as partes focalizadas e associando-as ou interligando-as pouco a pouco.m e b o n s . ou seja. perguntar.. replicar e etc. falar. mandar. Vem a polícia e começa a falar em ordem pública. responder. a minha literatura e os m e nos so m brios por vir”. Como poderia andar um homem àquela hora . nas histórias. paisagem. ao fluxo normal da narração. Passaremos a falar um pouco sobre cada uma delas: Formas de apresentação da fala das personagens Como já sabemos.

os meus primeiros passos em liberdade. (José Lins do Rego) TEXTO DESCRITIVO Descrever é fazer uma representação verbal dos aspectos mais característicos de um objeto. de pijama. replicar e etc. Discurso Indireto: Consiste em o narrador transmitir. e de travessões.dia s d e s c o n fi a d o s . conve r sando alto. acrescentar. Podemos encontrar distinções entre uma descrição literária e outra técnica. . d e ram . sem fazer nada de c a beça no tempo. Exemplo: “Zé Lins continuou: carnaval é festa d o povo. a minha literatura e os m e nos so m brios por vir”. perguntar. Vem a polícia e começa a falar em ordem pública. Como poderia andar um homem àquela hora . Discurso Direto: É a representação da fala das personagens através do diálogo. mandar. tanto na descrição literária quanto na descrição técnica. Porém. o pensamento ou a fala das personagens. as personagens agem e falam. responder. No carn a val a cid a de é do povo e de ninguém mais”. O povo é dono da verd ade. Vem a polícia e começa a falar em ordem pública. falar. ao fluxo normal da narração. É esta atitude que vai determinar a ordem na enumeração dos traços característicos para que o leitor possa combinar suas impressões isoladas formando uma imagem unificada. ou seja. O povo é dono da verd ade. T alv e z p e n s a s s e m q u e e s t ivesse doido. Discurso Indireto Livre: Ocorre quando a fala da personagem se mistura à fala do narrador. variando as partes focalizadas e associando-as ou interligando-as pouco a pouco. sem chapéu. As perspectivas que o observador tem do objeto são muito importantes. Exemplo: “Zé Lins continuou: carnaval é festa d o povo. Uma boa descrição vai apresentando o objeto progressivamente. No discurso direto é frequente o uso dos verbo de locução ou descendi: dizer. Quando me viram. nas histórias. quando as falas das personagens são curtas ou rápidas os verbos de locução podem ser omitidos. de uma pessoa. Há três maneiras de comunicar as falas das personagens.m e b o n s . a fr a ternidade que nos re unia naquele momento. ser e etc. Exemplo: “Zé Lins levantou um brinde: lembrou os dias triste e pass a dos. Exemplo: “Os trabalhadores passavam para os partidos.. por aqueles lugares. paisagem. No carn a val a cid a de é do povo e de ninguém mais”. com suas próprias palavras. Discurso Direto: É a representação da fala das personagens através do diálogo. Passaremos a falar um pouco sobre cada uma delas: Formas de apresentação da fala das personagens Como já sabemos. um branco de pés no chão como eles? Só sendo doido mesmo”.

Como poderia andar um homem àquela hora . responder. ser e etc. quando as falas das personagens são curtas ou rápidas os verbos de locução podem ser omitidos. perguntar. Podemos encontrar distinções entre uma descrição literária e outra técnica. No carn a val a cid a de é do povo e de ninguém mais”. mandar. . paisagem. Exemplo: “Zé Lins continuou: carnaval é festa d o povo. as personagens agem e falam. acrescentar.dia s d e s c o n fi a d o s . Passaremos a falar um pouco sobre cada uma delas: Formas de apresentação da fala das personagens Como já sabemos. tanto na descrição literária quanto na descrição técnica. sem chapéu. As perspectivas que o observador tem do objeto são muito importantes. falar. e de travessões..m e b o n s . conve r sando alto.No discurso direto é frequente o uso dos verbo de locução ou descendi: dizer. variando as partes focalizadas e associando-as ou interligando-as pouco a pouco. Discurso Indireto: Consiste em o narrador transmitir. É esta atitude que vai determinar a ordem na enumeração dos traços característicos para que o leitor possa combinar suas impressões isoladas formando uma imagem unificada. ao fluxo normal da narração. T alv e z p e n s a s s e m q u e e s t ivesse doido. de uma pessoa. sem fazer nada de c a beça no tempo. replicar e etc. por aqueles lugares. Discurso Indireto Livre: Ocorre quando a fala da personagem se mistura à fala do narrador. Exemplo: “Zé Lins levantou um brinde: lembrou os dias triste e pass a dos. Uma boa descrição vai apresentando o objeto progressivamente. Porém. Vem a polícia e começa a falar em ordem pública. Exemplo: “Os trabalhadores passavam para os partidos. nas histórias. Discurso Direto: É a representação da fala das personagens através do diálogo. a fr a ternidade que nos re unia naquele momento. (José Lins do Rego) TEXTO DESCRITIVO Descrever é fazer uma representação verbal dos aspectos mais característicos de um objeto. a minha literatura e os m e nos so m brios por vir”. d e ram . os meus primeiros passos em liberdade. um branco de pés no chão como eles? Só sendo doido mesmo”. ou seja. o pensamento ou a fala das personagens. de pijama. O povo é dono da verd ade. Quando me viram. Há três maneiras de comunicar as falas das personagens. com suas próprias palavras.

d e ram . É esta atitude que vai determinar a ordem na enumeração dos traços característicos para que o leitor possa combinar suas impressões isoladas formando uma imagem unificada. ser e etc. Vem a polícia e começa a falar em ordem pública. responder. responder. perguntar. No discurso direto é frequente o uso dos verbo de locução ou descendi: dizer. a fr a ternidade que nos re unia naquele momento. perguntar. acrescentar. ao fluxo normal da narração. falar. Porém. Quando me viram. acrescentar. Exemplo: “Zé Lins continuou: carnaval é festa d o povo. tanto na descrição literária quanto na descrição técnica. quando as falas das personagens são curtas ou rápidas os verbos de locução podem ser omitidos. o pensamento ou a fala das personagens. por aqueles lugares. T alv e z p e n s a s s e m q u e e s t ivesse doido. ou seja. Exemplo: “Zé Lins levantou um brinde: lembrou os dias triste e pass a dos. os meus primeiros passos em liberdade. de uma pessoa. (José Lins do Rego) TEXTO DESCRITIVO Descrever é fazer uma representação verbal dos aspectos mais característicos de um objeto. Discurso Direto: É a representação da fala das personagens através do diálogo. replicar e etc. conve r sando alto. Passaremos a falar um pouco sobre cada uma delas: Formas de apresentação da fala das personagens Como já sabemos.dia s d e s c o n fi a d o s . Uma boa descrição vai apresentando o objeto progressivamente.. e de travessões. sem fazer nada de c a beça no tempo. um branco de pés no chão como eles? Só sendo doido mesmo”.No discurso direto é frequente o uso dos verbo de locução ou descendi: dizer. Podemos encontrar distinções entre uma descrição literária e outra técnica. quando as falas das personagens são curtas ou rápidas os verbos de locução podem ser omitidos. replicar e etc.m e b o n s . O povo é dono da verd ade. nas histórias. a minha literatura e os m e nos so m brios por vir”. paisagem. . Discurso Indireto Livre: Ocorre quando a fala da personagem se mistura à fala do narrador. No carn a val a cid a de é do povo e de ninguém mais”. as personagens agem e falam. Como poderia andar um homem àquela hora . de pijama. falar. variando as partes focalizadas e associando-as ou interligando-as pouco a pouco. mandar. Porém.. mandar. Exemplo: “Os trabalhadores passavam para os partidos. Discurso Indireto: Consiste em o narrador transmitir. e de travessões. As perspectivas que o observador tem do objeto são muito importantes. sem chapéu. Há três maneiras de comunicar as falas das personagens. com suas próprias palavras.

No discurso direto é frequente o uso dos verbo de locução ou descendi: dizer. um branco de pés no chão como eles? Só sendo doido mesmo”. Exemplo: “Zé Lins levantou um brinde: lembrou os . replicar e etc. Exemplo: “Zé Lins levantou um brinde: lembrou os dias triste e pass a dos. Vem a polícia e começa a falar em ordem pública. Uma boa descrição vai apresentando o objeto progressivamente. de pijama. Discurso Indireto: Consiste em o narrador transmitir. Discurso Indireto Livre: Ocorre quando a fala da personagem se mistura à fala do narrador. a fr a ternidade que nos re unia naquele momento. a minha literatura e os m e nos so m brios por vir”. Exemplo: “Os trabalhadores passavam para os partidos. conve r sando alto. Exemplo: “Zé Lins continuou: carnaval é festa d o povo. T alv e z p e n s a s s e m q u e e s t ivesse doido. por aqueles lugares. com suas próprias palavras. ou seja. É esta atitude que vai determinar a ordem na enumeração dos traços característicos para que o leitor possa combinar suas impressões isoladas formando uma imagem unificada. sem fazer nada de c a beça no tempo. e de travessões. sem chapéu. com suas próprias palavras.dia s d e s c o n fi a d o s .. tanto na descrição literária quanto na descrição técnica. o pensamento ou a fala das personagens. Quando me viram. (José Lins do Rego) TEXTO DESCRITIVO Descrever é fazer uma representação verbal dos aspectos mais característicos de um objeto. Porém. As perspectivas que o observador tem do objeto são muito importantes. O povo é dono da verd ade. responder. quando as falas das personagens são curtas ou rápidas os verbos de locução podem ser omitidos. acrescentar.m e b o n s . variando as partes focalizadas e associando-as ou interligando-as pouco a pouco. o pensamento ou a fala das personagens. de uma pessoa. ao fluxo normal da narração. No carn a val a cid a de é do povo e de ninguém mais”. os meus primeiros passos em liberdade. mandar. Como poderia andar um homem àquela hora . Discurso Direto: É a representação da fala das personagens através do diálogo. as personagens agem e falam. Discurso Indireto: Consiste em o narrador transmitir. ser e etc. paisagem. Podemos encontrar distinções entre uma descrição literária e outra técnica. d e ram . perguntar. falar. Passaremos a falar um pouco sobre cada uma delas: Formas de apresentação da fala das personagens Como já sabemos. Há três maneiras de comunicar as falas das personagens. nas histórias.

nas histórias. Exemplo: “Zé Lins continuou: carnaval é festa d o povo. de uma pessoa. quando as falas das personagens são curtas ou rápidas os verbos de locução podem ser omitidos. Há três maneiras de comunicar as falas das personagens. Discurso Indireto: Consiste em o narrador transmitir. Quando me viram. T alv e z p e n s a s s e m q u e e s t ivesse doido. os meus primeiros passos em liberdade. As perspectivas que o observador tem do objeto são muito importantes. a minha literatura e os m e nos so m brios por vir”. replicar e etc. tanto na descrição literária quanto na descrição técnica. Podemos encontrar distinções entre uma descrição literária e outra técnica. d e ram . Como poderia andar um homem àquela hora . No discurso direto é frequente o uso dos verbo de locução ou descendi: dizer.. e de travessões. perguntar. mandar. Vem a polícia e começa a falar em ordem pública. a minha literatura e os m e nos so m brios por vir”. ou seja.m e b o n s . por aqueles lugares. falar. sem chapéu. sem fazer nada de c a beça no tempo. Passaremos a falar um pouco sobre cada uma delas: Formas de apresentação da fala das personagens Como já sabemos. ao fluxo normal da narração. um branco de pés no chão como eles? Só sendo doido mesmo”. variando as partes focalizadas e associando-as ou interligando-as pouco a pouco. Discurso Direto: É a representação da fala das personagens através do diálogo. Exemplo: “Zé Lins levantou um brinde: lembrou os dias triste e pass a dos.dia s d e s c o n fi a d o s . paisagem. a fr a ternidade que nos re unia naquele momento. os meus primeiros passos em liberdade. Discurso Indireto Livre: Ocorre quando a fala da personagem se mistura à fala do narrador. ser e etc. as personagens agem e falam. . Exemplo: “Os trabalhadores passavam para os partidos. É esta atitude que vai determinar a ordem na enumeração dos traços característicos para que o leitor possa combinar suas impressões isoladas formando uma imagem unificada. No carn a val a cid a de é do povo e de ninguém mais”. Porém.dias triste e pass a dos. com suas próprias palavras. de pijama. O povo é dono da verd ade. responder. (José Lins do Rego) TEXTO DESCRITIVO Descrever é fazer uma representação verbal dos aspectos mais característicos de um objeto. a fr a ternidade que nos re unia naquele momento. acrescentar. o pensamento ou a fala das personagens. Uma boa descrição vai apresentando o objeto progressivamente. conve r sando alto.

Como poderia andar um homem àquela hora . ou seja. Discurso Indireto Livre: Ocorre quando a fala da personagem se mistura à fala do narrador. sem chapéu. conve r sando alto. Exemplo: “Os trabalhadores passavam para os partidos. ao fluxo normal da narração. mandar. Quando me viram. sem fazer nada de c a beça no tempo.. de pijama. d e ram . Discurso Indireto Livre: Ocorre quando a fala da personagem se mistura à fala do narrador. Podemos encontrar distinções entre uma descrição literária e outra técnica.m . por aqueles lugares. No carn a val a cid a de é do povo e de ninguém mais”. um branco de pés no chão como eles? Só sendo doido mesmo”. Discurso Direto: É a representação da fala das personagens através do diálogo. Exemplo: “Os trabalhadores passavam para os partidos. O povo é dono da verd ade. de pijama. (José Lins do Rego) TEXTO DESCRITIVO Descrever é fazer uma representação verbal dos aspectos mais característicos de um objeto. T alv e z p e n s a s s e m q u e e s t ivesse doido. d e ram . a fr a ternidade que nos re unia naquele momento. Discurso Indireto: Consiste em o narrador transmitir.m e b o n s . com suas próprias palavras. ao fluxo normal da narração. Porém. Vem a polícia e começa a falar em ordem pública. ser e etc. tanto na descrição literária quanto na descrição técnica. Exemplo: “Zé Lins levantou um brinde: lembrou os dias triste e pass a dos. o pensamento ou a fala das personagens. No discurso direto é frequente o uso dos verbo de locução ou descendi: dizer. Quando me viram. variando as partes focalizadas e associando-as ou interligando-as pouco a pouco. sem chapéu. e de travessões. de uma pessoa. nas histórias. replicar e etc. É esta atitude que vai determinar a ordem na enumeração dos traços característicos para que o leitor possa combinar suas impressões isoladas formando uma imagem unificada. Passaremos a falar um pouco sobre cada uma delas: Formas de apresentação da fala das personagens Como já sabemos. responder. os meus primeiros passos em liberdade. falar. as personagens agem e falam. por aqueles lugares. a minha literatura e os m e nos so m brios por vir”. perguntar. acrescentar. As perspectivas que o observador tem do objeto são muito importantes. paisagem. Uma boa descrição vai apresentando o objeto progressivamente. Exemplo: “Zé Lins continuou: carnaval é festa d o povo. ou seja.dia s d e s c o n fi a d o s . conve r sando alto. Há três maneiras de comunicar as falas das personagens. quando as falas das personagens são curtas ou rápidas os verbos de locução podem ser omitidos.

responder. T alv e z p e n s a s s e m q u e e s t ivesse doido. um branco de pés no chão como eles? Só sendo doido mesmo”. tanto na descrição literária quanto na descrição técnica. sem fazer nada de c a beça no tempo. por aqueles lugares. replicar e etc.dia s d e s c o n fi a d o s . perguntar. sem chapéu. ser e etc. sem fazer nada de c a beça no tempo. de pijama. Como poderia andar um homem àquela hora . as personagens agem e falam. O povo é dono da verd ade. Porém. Como poderia andar um homem àquela hora . Uma boa descrição vai apresentando o objeto progressivamente. Discurso Indireto: Consiste em o narrador transmitir. Exemplo: “Os trabalhadores passavam para os partidos. acrescentar. Há três maneiras de comunicar as falas das personagens. Exemplo: “Zé Lins levantou um brinde: lembrou os dias triste e pass a dos.e b o n s . quando as falas das personagens são curtas ou rápidas os verbos de locução podem ser omitidos. de uma pessoa. d e ram . ou seja. conve r sando alto. Passaremos a falar um pouco sobre cada uma delas: Formas de apresentação da fala das personagens Como já sabemos. variando as partes focalizadas e associando-as ou interligando-as pouco a pouco.. Exemplo: “Zé Lins continuou: carnaval é festa d o povo. Discurso Direto: É a representação da fala das personagens através do diálogo. ao fluxo normal da narração. e de travessões. Vem a polícia e começa a falar em ordem pública.m e b o n s . nas histórias. a minha literatura e os m e nos so m brios por vir”. No carn a val a cid a de é do povo e de ninguém mais”. com suas próprias palavras. a fr a ternidade que nos re unia naquele momento. É esta atitude que vai determinar a ordem na enumeração dos traços característicos para que o leitor possa combinar suas impressões isoladas formando uma imagem unificada. Podemos encontrar distinções entre uma descrição literária e outra técnica. (José Lins do Rego) TEXTO DESCRITIVO Descrever é fazer uma representação verbal dos aspectos mais característicos de um objeto. mandar. um branco de pés no chão como eles? Só sendo doido mesmo”. No discurso direto é frequente o uso dos verbo de locução ou descendi: dizer. os meus primeiros passos em liberdade. o pensamento ou a fala das personagens. As perspectivas que o observador tem do objeto são muito importantes. T alv e z p e n s a s s e m q u e e s t ivesse doido. Quando me viram. (José Lins do Rego) .dia s d e s c o n fi a d o s . Discurso Indireto Livre: Ocorre quando a fala da personagem se mistura à fala do narrador. falar. paisagem.

por aqueles lugares. As perspectivas que o observador tem do objeto são muito importantes.dia s d e s c o n fi a d o s . de uma pessoa. T alv e z p e n s a s s e m q u e e s t ivesse doido. a minha literatura e os m e nos so m brios por vir”. Exemplo: “Zé Lins continuou: carnaval é festa d o povo. de uma pessoa. falar. quando as falas das personagens são curtas ou rápidas os verbos de locução podem ser omitidos. as personagens agem e falam. O povo é dono da verd ade. ser e etc. paisagem.m e b o n s . Passaremos a falar um pouco sobre cada uma delas: Formas de apresentação da fala das personagens Como já sabemos. o pensamento ou a fala das personagens. sem chapéu. d e ram . Exemplo: “Os trabalhadores passavam para os partidos. Porém. Discurso Indireto Livre: Ocorre quando a fala da personagem se mistura à fala do narrador. acrescentar. (José Lins do Rego) TEXTO DESCRITIVO Descrever é fazer uma representação verbal dos aspectos mais característicos de um objeto. os meus primeiros passos em liberdade. Discurso Indireto: Consiste em o narrador transmitir. No discurso direto é frequente o uso dos verbo de locução ou descendi: dizer. paisagem. Como poderia andar um homem àquela hora . É esta atitude que vai determinar a ordem na enumeração dos traços característicos para que o leitor possa combinar suas impressões isoladas formando uma imagem unificada. Podemos encontrar distinções entre uma descrição literária e outra técnica. mandar. de pijama.. variando as partes focalizadas e associando-as ou interligando-as pouco a pouco. perguntar. tanto na descrição literária quanto na descrição técnica.TEXTO DESCRITIVO Descrever é fazer uma representação verbal dos aspectos mais característicos de um objeto. com suas próprias palavras. sem fazer nada de c a beça no tempo. nas histórias. Uma boa descrição vai apresentando o objeto progressivamente. No carn a val a cid a de é do povo e de ninguém mais”. ao fluxo normal da narração. Exemplo: “Zé Lins levantou um brinde: lembrou os dias triste e pass a dos. e de travessões. ou seja. Quando me viram. responder. Há três maneiras de comunicar as falas das personagens. ser e etc. Discurso Direto: É a representação da fala das personagens através do diálogo. um branco de pés no chão como eles? Só sendo doido mesmo”. . conve r sando alto. a fr a ternidade que nos re unia naquele momento. replicar e etc. Vem a polícia e começa a falar em ordem pública.

quando as falas das personagens são curtas ou rápidas os verbos de locução podem ser omitidos. de pijama. responder. Exemplo: “Os trabalhadores passavam para os partidos. É esta atitude que vai determinar a ordem na . nas histórias. de uma pessoa.m e b o n s . O povo é dono da verd ade.As perspectivas que o observador tem do objeto são muito importantes. Como poderia andar um homem àquela hora .dia s d e s c o n fi a d o s . No carn a val a cid a de é do povo e de ninguém mais”. os meus primeiros passos em liberdade.. Vem a polícia e começa a falar em ordem pública. com suas próprias palavras. Discurso Indireto Livre: Ocorre quando a fala da personagem se mistura à fala do narrador. (José Lins do Rego) TEXTO DESCRITIVO Descrever é fazer uma representação verbal dos aspectos mais característicos de um objeto. ou seja. variando as partes focalizadas e associando-as ou interligando-as pouco a pouco. Exemplo: “Zé Lins continuou: carnaval é festa d o povo. Passaremos a falar um pouco sobre cada uma delas: Formas de apresentação da fala das personagens Como já sabemos. a fr a ternidade que nos re unia naquele momento. a minha literatura e os m e nos so m brios por vir”. Uma boa descrição vai apresentando o objeto progressivamente. falar. d e ram . replicar e etc. ser e etc. Discurso Direto: É a representação da fala das personagens através do diálogo. Quando me viram. e de travessões. sem fazer nada de c a beça no tempo. É esta atitude que vai determinar a ordem na enumeração dos traços característicos para que o leitor possa combinar suas impressões isoladas formando uma imagem unificada. perguntar. Exemplo: “Zé Lins levantou um brinde: lembrou os dias triste e pass a dos. No discurso direto é frequente o uso dos verbo de locução ou descendi: dizer. As perspectivas que o observador tem do objeto são muito importantes. Podemos encontrar distinções entre uma descrição literária e outra técnica. as personagens agem e falam. mandar. Discurso Indireto: Consiste em o narrador transmitir. paisagem. ao fluxo normal da narração. T alv e z p e n s a s s e m q u e e s t ivesse doido. tanto na descrição literária quanto na descrição técnica. tanto na descrição literária quanto na descrição técnica. sem chapéu. o pensamento ou a fala das personagens. conve r sando alto. Porém. Há três maneiras de comunicar as falas das personagens. por aqueles lugares. um branco de pés no chão como eles? Só sendo doido mesmo”. acrescentar.

T alv e z p e n s a s s e m q u e e s t ivesse doido. o pensamento ou a fala das personagens. As perspectivas que o observador tem do objeto são muito importantes. falar. paisagem. por aqueles lugares. com suas próprias palavras. Vem a polícia e começa a falar em ordem pública. de pijama. a minha literatura e os m e nos so m brios por vir”. quando as falas das personagens são curtas ou rápidas os verbos de locução podem ser omitidos. perguntar. ao fluxo normal da narração. ser e etc. Discurso Indireto: Consiste em o narrador transmitir. um branco de pés no chão como eles? Só sendo doido mesmo”. tanto na descrição literária quanto na descrição técnica. Discurso Direto: É a representação da fala das personagens através do diálogo. os meus primeiros passos em liberdade. No discurso direto é frequente o uso dos verbo de locução ou descendi: dizer. d e ram . Exemplo: “Zé Lins continuou: carnaval é festa d o povo. mandar. a fr a ternidade que nos re unia naquele momento. ou seja. conve r sando alto. Quando me viram. Uma boa descrição vai apresentando o objeto progressivamente.dia s d e s c o n fi a d o s . Há três maneiras de comunicar as falas das personagens. Porém. Passaremos a falar um pouco sobre cada uma delas: Formas de apresentação da fala das personagens Como já sabemos. No carn a val a cid a de é do povo e de ninguém mais”. Exemplo: “Zé Lins levantou um brinde: lembrou os dias triste e pass a dos.. . sem fazer nada de c a beça no tempo. variando as partes focalizadas e associando-as ou interligando-as pouco a pouco. replicar e etc. responder. e de travessões.m e b o n s . as personagens agem e falam. acrescentar. de uma pessoa. Como poderia andar um homem àquela hora . Podemos encontrar distinções entre uma descrição literária e outra técnica. (José Lins do Rego) TEXTO DESCRITIVO Descrever é fazer uma representação verbal dos aspectos mais característicos de um objeto. É esta atitude que vai determinar a ordem na enumeração dos traços característicos para que o leitor possa combinar suas impressões isoladas formando uma imagem unificada.enumeração dos traços característicos para que o leitor possa combinar suas impressões isoladas formando uma imagem unificada. nas histórias. Exemplo: “Os trabalhadores passavam para os partidos. sem chapéu. Discurso Indireto Livre: Ocorre quando a fala da personagem se mistura à fala do narrador. O povo é dono da verd ade.

a fr a ternidade que nos re unia naquele momento. No discurso direto é frequente o uso dos verbo de locução ou descendi: dizer. d e ram . Porém. Podemos encontrar distinções entre uma descrição literária e outra técnica.m e b o n s . acrescentar.. Vem a polícia e começa a falar em ordem pública. Há três maneiras de comunicar as falas das personagens. de pijama. Exemplo: “Os trabalhadores passavam para os partidos. Quando me viram. os meus primeiros passos em liberdade. variando as partes focalizadas e associando-as ou interligando-as pouco a pouco. paisagem. a minha literatura e os m e nos so m brios por vir”. É esta atitude que vai determinar a ordem na enumeração dos traços característicos para que o leitor possa combinar suas impressões isoladas formando uma imagem unificada. No carn a val a cid a de é do povo e de ninguém mais”. Discurso Indireto Livre: Ocorre quando a fala da personagem se mistura à fala do narrador. sem chapéu.dia s d e s c o n fi a d o s . Discurso Direto: É a representação da fala das personagens através do diálogo. nas histórias. o pensamento ou a fala das personagens. ser e etc. Uma boa descrição vai apresentando o objeto progressivamente. e de travessões. variando as partes focalizadas e associando-as ou interligando-as pouco a pouco. falar.Uma boa descrição vai apresentando o objeto progressivamente. T alv e z p e n s a s s e m q u e e s t ivesse doido. de uma pessoa. quando as falas das personagens são curtas ou rápidas os verbos de locução podem ser omitidos. Exemplo: “Zé Lins continuou: carnaval é festa d o povo. conve r sando alto. sem fazer nada de c a beça no tempo. Passaremos a falar um pouco sobre cada uma delas: Formas de apresentação da fala das personagens Como já sabemos. replicar e etc. mandar. Discurso Indireto: Consiste em o narrador transmitir. as personagens agem e falam. . um branco de pés no chão como eles? Só sendo doido mesmo”. por aqueles lugares. responder. ao fluxo normal da narração. ou seja. tanto na descrição literária quanto na descrição técnica. Como poderia andar um homem àquela hora . (José Lins do Rego) TEXTO DESCRITIVO Descrever é fazer uma representação verbal dos aspectos mais característicos de um objeto. Exemplo: “Zé Lins levantou um brinde: lembrou os dias triste e pass a dos. O povo é dono da verd ade. As perspectivas que o observador tem do objeto são muito importantes. com suas próprias palavras. perguntar.

ser e etc. Discurso Direto: É a representação da fala das personagens através do diálogo. paisagem. Podemos encontrar distinções entre uma descrição literária e outra técnica. Há três maneiras de comunicar as falas das personagens. Vem a polícia e começa a falar em ordem pública. responder. tanto na descrição literária quanto na descrição técnica. quando as falas das personagens são curtas ou rápidas os verbos de locução podem ser omitidos. Discurso Indireto: Consiste em o narrador transmitir. o pensamento ou a fala das personagens. sem fazer nada de c a beça no tempo. Como poderia andar um homem àquela hora . Passaremos a falar um pouco sobre cada uma delas: Formas de apresentação da fala das personagens Como já . ao fluxo normal da narração.dia s d e s c o n fi a d o s .m e b o n s . Uma boa descrição vai apresentando o objeto progressivamente. perguntar. sem chapéu. com suas próprias palavras. Exemplo: “Zé Lins levantou um brinde: lembrou os dias triste e pass a dos. falar. variando as partes focalizadas e associando-as ou interligando-as pouco a pouco. a minha literatura e os m e nos so m brios por vir”. (José Lins do Rego) TEXTO DESCRITIVO Descrever é fazer uma representação verbal dos aspectos mais característicos de um objeto. de pijama. e de travessões. d e ram . Discurso Indireto Livre: Ocorre quando a fala da personagem se mistura à fala do narrador. replicar e etc. Exemplo: “Zé Lins continuou: carnaval é festa d o povo. Quando me viram. nas histórias. mandar. ou seja. O povo é dono da verd ade. os meus primeiros passos em liberdade. de uma pessoa. T alv e z p e n s a s s e m q u e e s t ivesse doido. Passaremos a falar um pouco sobre cada uma delas: Formas de apresentação da fala das personagens Como já sabemos. É esta atitude que vai determinar a ordem na enumeração dos traços característicos para que o leitor possa combinar suas impressões isoladas formando uma imagem unificada.Podemos encontrar distinções entre uma descrição literária e outra técnica. acrescentar. No carn a val a cid a de é do povo e de ninguém mais”.. por aqueles lugares. um branco de pés no chão como eles? Só sendo doido mesmo”. As perspectivas que o observador tem do objeto são muito importantes. Exemplo: “Os trabalhadores passavam para os partidos. a fr a ternidade que nos re unia naquele momento. Porém. conve r sando alto. No discurso direto é frequente o uso dos verbo de locução ou descendi: dizer. as personagens agem e falam.

É esta atitude que vai determinar a ordem na enumeração dos traços característicos para que o leitor possa combinar suas impressões isoladas formando uma imagem unificada. As perspectivas que o observador tem do objeto são muito importantes. O povo é dono da verd ade. mandar. replicar e etc. acrescentar. T alv e z p e n s a s s e m q u e e s t ivesse doido. de pijama. sem fazer nada de c a beça no tempo. a minha literatura e os m e nos so m brios por vir”. Quando me viram.m e b o n s . Exemplo: “Zé Lins continuou: carnaval é festa d o povo. paisagem.sabemos. o pensamento ou a fala das personagens. conve r sando alto. Exemplo: “Os trabalhadores passavam para os partidos. Há três maneiras de comunicar as falas das personagens. um branco de pés no chão como eles? Só sendo doido mesmo”. as personagens agem e falam. (José Lins do Rego) TEXTO DESCRITIVO Descrever é fazer uma representação verbal dos aspectos mais característicos de um objeto. perguntar. Uma boa descrição vai apresentando o objeto progressivamente. nas histórias. ser e etc. Passaremos a falar um pouco sobre cada uma delas: Formas de apresentação da fala das personagens Como já sabemos. No carn a val a cid a de é do povo e de ninguém mais”. Discurso Indireto: Consiste em o narrador transmitir. Vem a polícia e começa a falar em ordem pública. Discurso Direto: É a representação da fala das personagens através do diálogo. No discurso direto é frequente o uso dos verbo de locução ou descendi: dizer. nas histórias. Discurso Indireto Livre: Ocorre quando a fala da personagem se mistura à fala do narrador. ao fluxo normal da narração. Exemplo: “Zé Lins levantou um brinde: lembrou os dias triste e pass a dos. ou seja. de uma pessoa.. Como poderia andar um homem àquela hora .dia s d e s c o n fi a d o s . quando as falas das personagens são curtas ou rápidas os verbos de locução podem ser omitidos. tanto na descrição literária quanto na descrição técnica. as personagens agem e falam. a fr a ternidade que nos re unia naquele momento. por aqueles lugares. falar. variando as partes focalizadas e associando-as ou interligando-as pouco a pouco. responder. . Porém. os meus primeiros passos em liberdade. sem chapéu. Podemos encontrar distinções entre uma descrição literária e outra técnica. d e ram . Há três maneiras de comunicar as falas das personagens. e de travessões. com suas próprias palavras.

Uma boa descrição vai apresentando o objeto progressivamente. a minha literatura e os m e nos so m brios por vir”. Como poderia andar um homem àquela hora . No discurso direto é frequente o uso dos verbo de locução ou descendi: dizer. O povo é dono da verd ade. de pijama. Exemplo: “Zé Lins continuou: carnaval é festa d o povo. É esta atitude que vai determinar a ordem na enumeração dos traços característicos para que o leitor possa combinar suas impressões isoladas formando uma imagem unificada. ao fluxo normal da narração. tanto na descrição literária quanto na descrição técnica. No carn a val a cid a de é do povo e de ninguém mais”. as personagens agem e falam. sem chapéu.m e b o n s . um branco de pés no chão como eles? Só sendo doido mesmo”. quando as falas das personagens são curtas ou rápidas os verbos de locução podem ser omitidos. falar. por aqueles lugares. nas histórias. os meus primeiros passos em liberdade. d e ram . perguntar. Discurso Indireto Livre: Ocorre quando a fala da personagem se mistura à fala do narrador. Discurso Direto: É a representação da fala das personagens através do diálogo. sem fazer nada de c a beça no tempo. e de travessões. (José Lins do Rego) TEXTO DESCRITIVO Descrever é fazer uma representação verbal dos aspectos mais característicos de um objeto. ou seja. As perspectivas que o observador tem do objeto são muito importantes. responder. Discurso Direto: É a representação da fala das personagens através do diálogo. Exemplo: “Os trabalhadores passavam para os partidos. Podemos encontrar distinções entre uma descrição literária e outra técnica. variando as partes focalizadas e associando-as ou interligando-as pouco a pouco. Porém. No carn a val a cid a de é do povo e de ninguém mais”. replicar e etc. Vem a polícia e começa a falar em ordem pública. com suas próprias palavras. acrescentar.dia s d e s c o n fi a d o s . Passaremos a falar um pouco sobre cada uma delas: Formas de apresentação da fala das personagens Como já sabemos.. . Há três maneiras de comunicar as falas das personagens. O povo é dono da verd ade. conve r sando alto. Discurso Indireto: Consiste em o narrador transmitir. paisagem. mandar. de uma pessoa. Quando me viram. a fr a ternidade que nos re unia naquele momento. o pensamento ou a fala das personagens. T alv e z p e n s a s s e m q u e e s t ivesse doido. Exemplo: “Zé Lins continuou: carnaval é festa d o povo. Vem a polícia e começa a falar em ordem pública. Exemplo: “Zé Lins levantou um brinde: lembrou os dias triste e pass a dos. ser e etc.

. Passaremos a falar um pouco sobre cada uma delas: Formas de apresentação da fala das personagens Como já sabemos. nas histórias. Exemplo: “Zé Lins continuou: carnaval é festa d o povo. As perspectivas que o observador tem do objeto são muito importantes. (José Lins do Rego) TEXTO DESCRITIVO Descrever é fazer uma representação verbal dos aspectos mais característicos de um objeto. responder. um branco de pés no chão como eles? Só sendo doido mesmo”.m e b o n s . com suas próprias palavras. quando as falas das personagens são curtas ou rápidas os verbos de locução podem ser omitidos. O povo é dono da verd ade. mandar. Discurso Direto: É a representação da fala das personagens através do diálogo. Uma boa descrição vai apresentando o objeto progressivamente. a fr a ternidade que nos re unia naquele momento. ao fluxo normal da narração. Quando me viram.. sem chapéu. por aqueles lugares. conve r sando alto. sem fazer nada de c a beça no tempo. Porém. de uma pessoa. replicar e etc.dia s d e s c o n fi a d o s . as personagens agem e falam. Discurso Indireto: Consiste em o narrador transmitir. Como poderia andar um homem àquela hora . d e ram . ou seja. de pijama. e de travessões. variando as partes focalizadas e associando-as ou interligando-as pouco a pouco. Vem a polícia e começa a falar em ordem pública. É esta atitude que vai determinar a ordem na enumeração dos traços característicos para que o leitor possa combinar suas impressões isoladas formando uma imagem unificada. T alv e z p e n s a s s e m q u e e s t ivesse doido. paisagem. Exemplo: “Os trabalhadores passavam para os partidos. o pensamento ou a fala das personagens. perguntar. Discurso Indireto Livre: Ocorre quando a fala da personagem se mistura à fala do narrador. No carn a val a cid a de é do povo e de ninguém mais”. Exemplo: “Zé Lins levantou um brinde: lembrou os dias triste e pass a dos. tanto na descrição literária quanto na descrição técnica. Há três maneiras de comunicar as falas das personagens. a minha literatura e os m e nos so m brios por vir”. Podemos encontrar distinções entre uma descrição literária e outra técnica. acrescentar. ser e etc. os meus primeiros passos em liberdade. falar.No discurso direto é frequente o uso dos verbo de locução ou descendi: dizer.

Exemplo: “Zé Lins levantou um brinde: lembrou os dias triste e pass a dos. o pensamento ou a fala das personagens. ser e etc. conve r sando alto. Discurso Direto: É a representação da fala das personagens através do diálogo. Há três maneiras de comunicar as falas das personagens. com suas próprias palavras. Exemplo: “Zé Lins continuou: carnaval é festa d o povo. Discurso Indireto: Consiste em o narrador transmitir. a minha literatura e os m e nos so m brios por vir”. mandar. um branco de pés no chão como eles? Só sendo doido mesmo”. Exemplo: “Os trabalhadores passavam para os partidos. ou seja. d e ram . Uma boa descrição vai apresentando o objeto progressivamente. O povo é dono da verd ade. Passaremos a falar um pouco sobre cada uma delas: Formas de apresentação da fala das personagens Como já sabemos. falar. tanto na descrição literária quanto na descrição técnica. a fr a ternidade que nos re unia naquele momento. replicar e etc.m e b o n s . mandar. perguntar. as personagens agem e falam. sem chapéu. responder. e de travessões. falar. Porém. Vem a polícia e começa a falar em ordem pública. de pijama. perguntar. É esta atitude que vai determinar a ordem na enumeração dos traços característicos para que o leitor possa combinar suas impressões isoladas formando uma imagem unificada. os meus primeiros passos em liberdade. (José Lins do Rego) TEXTO DESCRITIVO Descrever é fazer uma representação verbal dos aspectos mais característicos de um objeto. ao fluxo normal da narração. quando as falas das personagens são curtas ou rápidas os verbos de locução podem ser omitidos. responder. por aqueles lugares. T alv e z p e n s a s s e m q u e e s t ivesse doido.. de uma pessoa. paisagem. Porém. Discurso Indireto Livre: Ocorre quando a fala da personagem se mistura à fala do narrador. Podemos encontrar distinções entre uma descrição literária e outra técnica. nas histórias. sem fazer nada de c a beça no tempo. variando as partes focalizadas e associando-as ou interligando-as pouco a pouco.dia s d e s c o n fi a d o s . replicar e etc. . quando as falas das personagens são curtas ou rápidas os verbos de locução podem ser omitidos. Como poderia andar um homem àquela hora .. Quando me viram. As perspectivas que o observador tem do objeto são muito importantes. No carn a val a cid a de é do povo e de ninguém mais”. e de travessões. acrescentar.No discurso direto é frequente o uso dos verbo de locução ou descendi: dizer. acrescentar. No discurso direto é frequente o uso dos verbo de locução ou descendi: dizer.

variando as partes focalizadas e associando-as ou interligando-as pouco a pouco. paisagem. Podemos encontrar distinções entre uma descrição literária e outra técnica. Como poderia andar um homem àquela hora . ser e etc. Discurso Indireto: Consiste em o narrador transmitir. um branco de pés no chão como eles? Só sendo doido mesmo”. T alv e z p e n s a s s e m q u e e s t ivesse doido. de pijama. As perspectivas que o observador tem do objeto são muito importantes. com suas próprias palavras. (José Lins do Rego) TEXTO DESCRITIVO Descrever é fazer uma representação verbal dos aspectos mais característicos de um objeto. de uma pessoa. ou seja. conve r sando alto. Passaremos a falar um pouco sobre cada uma delas:VVVVVVVVVVVVVVVVVVVVVVVVVVVVVVVVVVVVVVVVVVVVVVVVVVVVV .m e b o n s . ao fluxo normal da narração. Discurso Indireto Livre: Ocorre quando a fala da personagem se mistura à fala do narrador. É esta atitude que vai determinar a ordem na enumeração dos traços característicos para que o leitor possa combinar suas impressões isoladas formando uma imagem unificada.dia s d e s c o n fi a d o s . a fr a ternidade que nos re unia naquele momento. os meus primeiros passos em liberdade. Uma boa descrição vai apresentando o objeto progressivamente. por aqueles lugares. d e ram . sem fazer nada de c a beça no tempo. o pensamento ou a fala das personagens. Quando me viram. Exemplo: “Zé Lins levantou um brinde: lembrou os dias triste e pass a dos. sem chapéu. a minha literatura e os m e nos so m brios por vir”. tanto na descrição literária quanto na descrição técnica. Exemplo: “Os trabalhadores passavam para os partidos.