A Hora Silenciosa

IV
Título original: The hour of silence

Por Alexander Smellie (1854-1923)

Traduzido, Adaptado e
Editado por Silvio Dutra

Fev/2017
S638
Smellie, Alexander – 1854 -1923
A Hora Silenciosa IV / Alexander Smellie / Tradução ,
adaptação e edição por Silvio Dutra – Rio de Janeiro, 2017.
68p.; 14,8 x 21cm
Título original:The Hour of Silence

1. Teologia. 2. Vida Cristã 2. Graça 3. Fé. 4. Alves,
Silvio Dutra I. Título
CDD 230

2
"Ah vós, todos os que tendes sede, vinde às
águas, e os que não tendes dinheiro, vinde,
comprai e comei; sim, vinde e comprai, sem
dinheiro e sem preço, vinho e leite." (Isaías 55:
1)

No cálice de salvação de Deus descubro tudo o
que posso desejar! Não há nenhuma deficiência
aqui, e nenhuma decepção.

Há água neste cálice; a água da vida espiritual.
Estou morrendo de sede no deserto; o deserto
do meu pecado e culpa, mas Ele põe o cálice nos
meus lábios, e eu vivo. Isso me traz. . .

Pleno e livre perdão,
A remissão de todas as minhas transgressões,
Seu eterno favor e companheirismo,
A certeza de que Ele está pacificado para
comigo!
Há leite nesta taça; o leite de alimento espiritual.
Sou frágil e impotente. . .
Contra a tentação,
Contra as minhas iniquidades sedutoras,
Contra o mundo, a carne e o diabo.

Mas Ele põe o cálice nos meus lábios, e eu sou
fortificado. Minha santificação está lá. Seu
3
próprio Espírito Santo está lá. Eu sou mais do
que um vencedor agora. Minha fraqueza,
lançando-se sobre Ele é trocada por Sua força!

Há vinho nesta taça; o vinho da alegria
espiritual. Estou inquieto, desiludido e
perturbado. Meu coração não tem um
contentamento profundo e permanente. Eu
ando em semeaduras infrutíferas de tristeza,
com um orgulho abatido e um cansaço triste.
Mas , Ele coloca a taça de vinho nos meus lábios,
e eu me regozijo, pois ali há a paz de Deus, a
habitação do Espírito Santo e a vitória sobre o
mundo, bem como a certeza e invencível
esperança da glória!

Água, leite, vinho espirituais, eu posso tê-los
agora e aqui, sem dinheiro e sem preço! Jesus é
a fonte de toda coisa graciosa e gloriosa; minha
parte é simplesmente receber a generosidade
do meu Senhor, dizer adeus à minha fome e
sede, e ser eternamente satisfeito!

4
"Eu não vim trazer paz, mas uma espada!"
(Mateus 10:34)

Não paz, mas uma espada! Senhor Jesus, este é
um dito duro! Ensina-me a acreditar e a
submeter-me ao Calvário, por mais que ele
possa ser agudo, cortante e doloroso.
Entre mim e meu mundo, a espada de Cristo
pode cortar com sua borda, sem remorsos. Ele
me separa. . .
De velhos hábitos pecaminosos,
De velhos empregos pecaminosos,
De velhos prazeres pecaminosos,
De velhas amizades pecaminosas.
Ele me separa da sociedade em que estava
acostumado a me mover. "Sua casa não está
mais lá!" Ele diz. Eu saí de um ambiente que me
era familiar, para uma região e um reino
inexplorados.
Entre mim e meu mais próximo e querido; a
espada de Cristo pode cortar impiedosamente.
Talvez os amados da minha casa não tenham
nada a ver com meu Redentor e Senhor. Talvez
eles não vejam nEle nenhuma beleza, para que
O desejem. Então, nas coisas mais profundas e
nobres, eles e eu ficaremos separados; uma
maré de cortes rolará entre nós. E quão
imensamente triste será!
5
Entre eu e eu mesmo, a espada de Cristo é
segura para cortar com uma lâmina que não
poupa! O ego que costumava ser tão vaidoso,
tão confiante, tão orgulhoso deve ser morto
completamente! Seus dias de orgulho, prazer e
egoísmo devem terminar até que eu possa dizer
"Não sou mais eu que vivo, mas Ele; meu
Profeta, meu Sacerdote, meu Rei que vive em
mim!" Que mudança é feita! Que martírio!
Este golpe da espada de Cristo é doloroso, mas
o velho confessor estava certo: "Quanto mais
próxima a espada, mais próximo o Céu!" Se eu
sou vítima, sou vencedor também. Lançado
abaixo por Jesus, não sou destruído, mas
coroado!

6
"Lança o teu fardo sobre o Senhor, e ele te
susterá; nunca permitirá que o justo seja
abalado." (Salmos 55:22)

Há uma carga de ansiedade mundana que eu
devo deixar. Mesmo nas horas em que estou
afastado dos meus negócios, sou capaz de me
deixar perseguir pelos seus trastes e
preocupações na minha alma secreta; então tiro
pouco benefício de minha própria comunhão
com Deus. O dia da semana me acompanha até
o dia do descanso, com um espírito persistente
e problemático, e o estraga por completo; não
deveria ser assim.
Há uma carga de pecado pessoal e indignidade
que eu deveria mortificar. Às vezes eu
desespero da salvação. Minha culpa foi tão
grande que não vejo na terra e no Céu, no tempo
e na eternidade qualquer conforto ou libertação
para mim. Mas, a promessa deve levar-me ao
lugar um tanto ascendente, onde a cruz de Jesus
está, e lá a carga cai de minhas costas, e sigo
em meu caminho com um coração alegre.
Há um fardo de preocupação assombrosa por
outras almas que eu deveria deixar. Quando
tenho orado e apelado por eles, e feito meu
máximo em seu favor, deixe-me encomendá-los
ao amor forte e terno do meu Senhor mil vezes
7
mais sábio e mais fervoroso do que o meu. Não
me deixa ser esmagado por um fardo pesado
demais para mim. Ele segura a chave de todos
esses corações, e pode transformá-los onde Ele
quiser.

8
"Nisso vieram alguns a trazer-lhe um paralítico,
carregado por quatro;" (Marcos 2: 3)

Nenhum homem pode salvar a alma de seu
irmão, ou pagar sua dívida, contudo eu posso
ajudar meu irmão a ir Àquele que abençoará sua
alma e quitará toda a sua dívida.
Minhas orações podem fazê-lo. Deixe-me ser
individual e particular, bem como amar e
perseverar em meus pedidos para os outros.
Que esta alma e aquela outra sejam apontadas
por mim, nomeadas e levadas nos braços da
súplica aos pés de Jesus, e postas lá. Eu esqueço
e omito o elemento de intercessão muito
frequentemente.
Minhas palavras podem fazer isso. Nesse
mesmo dia, enquanto me movo para cima e para
baixo entre meus semelhantes, posso ter a
oportunidade de falar a um vizinho em nome de
Cristo; simplesmente, naturalmente,
ternamente, a algum pecador, algum sofredor,
algum lutador cansado com dor, ou a algum
coração cristão tentado que duvide. Espero que
nenhuma covardia ou orgulho feche meus
lábios então.

Minha vida pode fazê-lo; uma vida que
manifestamente Ele vivificou, elevou,
9
transfigurou. Uma vida que declara Sua
onipotência e Sua graça. Uma vida brilhando
com Sua beleza, e inspirada pelo Seu Espírito.
Uma vida que convida os homens de forma
vencedora e irresistivelmente a se aproximarem
dEle.
Assim, como os quatro bons amigos na Galiléia
há muito tempo, é possível para eu levantar e
levar algum doente ou necessitado na presença
do Senhor. E uma vez que Ele está lá, o fim
abençoado é conquistado. Jesus fará o resto.

10
"Ouve, Senhor, e responde-me, porque eu sou
pobre e necessitado". (Salmo 86: 1)

Quão penetrantes são os "porquês" neste salmo!
E cada um deles introduz um argumento que
farei bem em usar em minhas orações, e que é
certo ter peso e eficácia com Deus. Deixe-me
juntá-los, acrescentando um fundamento à
súplica e pensar em sua força acumulada.
Pois eu sou pobre e necessitado; a minha
pobreza absoluta me envia para o trono de
misericórdia e constitui por si mesma, um apelo
invencível.
Porque eu sou um filho de Deus. Isso significa,
em Sua família e aliança portanto caro ao Seu
coração.
Porque clamo a Ti diariamente; Eu sempre
suplico, e sem Ti nada posso fazer.
Porque a Ti elevo minha alma, para que a vejas,
não sem mácula e irrepreensível, mas pelo
menos sincera e verdadeira em seu afeto por Ti.
Pois Tu, Senhor, és bom e pronto a perdoar. Ah,
lá estou eu em terreno firme e estável; não pode
haver erro sobre a graça e liberalidade do meu
Deus.
Pois Tu me responderás. É Seu prazer fazê-lo; e
toda a experiência, minha e aquela de dezenas
de milhares torna certo o fato abençoado.
11
Pois Tu és grande e fazes maravilhas. Nunca há
em Ti, como há tantas vezes em mim, a falta de
vontade de ajudar, enquanto os meios e as
oportunidades estão faltando. Sua força é tão
grande quanto Seu amor, Seus recursos são
inesgotáveis.

12
"Com toda a humildade e mansidão, com
longanimidade, suportando-vos uns aos outros
em amor," (Efésios 4: 2)

A exigência de Cristo é, mansidão absoluta. Sua
exigência mais exigente não é me cansar, nem
me irritar, nem desencadear minha recusa
grosseira e desinteressada. Eu deveria estar
pronto para sacrificar meu próprio prazer e
conforto, até mesmo meus próprios direitos e
reivindicações. Meu bendito Mestre, embora
fosse Deus sobre todos, não agradou a si
mesmo; e eu também não deveria fazê-lo?
A demanda de Cristo é, Amor invencível. Eu não
posso andar pelo mundo sem despertar
hostilidade em alguns corações. Como devo
tratar os inimigos que me frustram e
perseguem? Devo torná-los maus para o mal?
Não, deixe-me perdoar os cem denários que me
devem, por amor a Deus, que livremente
perdoou a minha grande dívida de dez mil
talentos.
A exigência de Cristo é, a mesma perfeição de
Deus. Para essas neves tão puras, esses picos
tão altos, Ele me aponta para cima. Com nada
menos que a beleza inaudita dos lugares
celestiais, Ele ficará satisfeito. Ele me quer
espiritualmente sadio, vigoroso, com cada traço
13
de fraqueza extinto, sendo minha alma e meu
corpo, aqueles de um filho na família
irrepreensível do Pai. Que meus desejos
coincidam com os dEle!
Eu não posso cumprir Suas exigências em mim
mesmo, mas quando não sou eu que vivo, mas
Ele que vive em mim, todas as coisas são
possíveis, e não há nada muito alto ou difícil. Há
muito tempo, em Israel, Davi não só se tornou
genro do rei, mas o próprio rei. E assim eu
posso ser um rei na dinastia de Deus, por meio
da graça de meu Senhor habitando em mim.

14
"Quem ama seu irmão permanece na luz". (1
João 2:10)

O amor traz luz. Somente quando eu permaneço
na luz, é que amo meu irmão. E a luz brilha
cada vez mais, assim mais sábio, mais
fervoroso, e mais pleno é o amor.
Deixe-me considerar de quantas câmaras de
luz, o amor sozinho segura a chave mágica.
Deixe-me ver quantas vezes o coração me leva
com segurança, onde o cérebro arrebatado e
desnorteado só perderia seu caminho.
Assim conheço meu irmão; ele abre sua
natureza para mim com suas fraquezas, suas
necessidades, e suas possibilidades em
proporção à realidade e à intensidade do amor
que eu lhe dou.
Deste modo eu chego a conhecer-me; a
chamada para exercer o amor será uma pedra
de toque para me revelar onde eu posso
provavelmente cair, como também é um indício
para revelar as alturas para as quais eu posso
me elevar.
E assim eu chego a conhecer a verdade; não é
tanto estudo intelectual, mas uma vida
amorosa, que abre para mim os significados
profundos e ocultos nas doutrinas de Cristo, as
15
exigências e as grandes e preciosas promessas
de Cristo.
E assim eu conheço a Deus; amando a todos,
todo o dia, apesar da rejeição, da frieza e da
decepção, entro um pouco nos segredos do
grande Coração do Altíssimo, que é
maravilhosamente bondoso. Sim, se eu amo, eu
habito na luz.
O Céu é o lar da luz! Eles não precisam do sol
ou da lua para brilhar ali. Por que? É porque o
Céu é o lar do amor; o amor em sua
transcendência, sua perfeição, sua consumação.
Mas deixe-me ter antecipações do Céu,
enquanto estou prosseguindo em minha
marcha peregrina em direção às suas portas.

16
"Não tenho maior alegria do que ouvir que meus
filhos estão andando na verdade!" (3 João 1: 4)

Deixe-me ser VERDADEIRO, verdadeiro em cada
companhia e em cada momento.
Eu devo isso a mim mesmo. Como a falha é para
o aço, assim é a mentira para o meu caráter,
uma fonte de fraqueza, uma perda de valor.
Eu devo isso ao meu próximo, pois a sociedade
deve cair em pedaços sem a verdade.
Eu devo isto a meu Deus, Ele é Luz, e espera
sinceridade em mim.
Deixe-me ser verdadeiro na conversação. Sem
proferir o que é manifesta e flagrantemente
falso, pois isto é tão fácil para mim. . .

Para dar uma impressão errada,
Para errar por excesso ou defeito,
Para colorir minhas declarações de modo que as
coisas sejam vistas em luzes enganadoras e em
matizes irreais.

Há cem tentações para exagerar, ou esconder e
enganar. Devo cuidar bem dos meus lábios.
Deixe-me ser verdadeiro em atos. Eu desejo
essa consistência nobre e correta, que é um
atributo do caráter mais frutífero. Eu estaria
livre da inconstância, da instabilidade, do medo
17
do homem que traz uma armadilha. Seguiria
sempre o alto caminho da honra e da
veracidade.
O mais profundo, o mais importante de tudo;
deixe-me ser verdadeiro de coração. Debaixo da
superfície da minha vida, posso ter uma alma. .
.

Que não esconde nada de si mesma ou de seu
Deus,
Que seja transparente e sincera,
Que não muda em sua lealdade para os amigos
terrenos,
Que é tão clara quanto o cristal,
Que é tão firme como as montanhas.

Tu desejas a verdade, ó Deus, nas partes
interiores. Dai-me o que Tu ordenas, isto é
estranho para mim, está distante de mim; deve
ser de Tua criação, fomento e aperfeiçoamento.

18
"55 Mas ele, cheio do Espírito Santo, fitando os
olhos no céu, viu a glória de Deus, e Jesus em
pé à direita de Deus,
56 e disse: Eis que vejo os céus abertos, e o
Filho do homem em pé à direita de Deus.
57 Então eles gritaram com grande voz,
taparam os ouvidos, e arremeteram unânimes
contra ele
58 e, lançando-o fora da cidade o apedrejavam.
E as testemunhas depuseram as suas vestes aos
pés de um mancebo chamado Saulo.
59 Apedrejavam, pois, a Estêvão que orando,
dizia: Senhor Jesus, recebe o meu espírito.
60 E pondo-se de joelhos, clamou com grande
voz: Senhor, não lhes imputes este pecado.
Tendo dito isto, adormeceu.” (Atos 7: 55-60)

Ao morrer, Estevão olhou para Jesus. Que assim
também, quando chegar a minha última hora,
meu olhar passe para além deste mundo em
Jesus, esquecido de tudo ao redor, absorvido no
que eu vejo. Gostaria de saber que Ele está
comigo, que morreu por mim uma vez, e está
ressuscitado agora à direita de Deus para me
receber. O misterioso país fronteiriço perde
todo o seu terror, quando a glória do Senhor
muda seu crepúsculo em meio-dia sem nuvens!
19
Ao morrer, Estevão refletiu a glória de Jesus. Os
acentos da oração do Salvador por Seus
assassinos foram ecoados na oração do
discípulo, por aqueles que o apedrejaram. Tanto
na morte quanto na vida, a pureza e a ternura
de Cristo, a mansidão e a magnanimidade de
Cristo brilhem em mim. Até o último momento,
até estar com Ele onde Ele está, eu lembraria
dEle; meu Redentor e meu Senhor.
Ao morrer, Estêvão foi morar com Jesus. O
brilho no rosto não era brilho de um sol poente,
mas a luz das nuvens matutinas que só se perde
no dia perfeito. Apenas assim, eu posso vencer
o último inimigo, e sentir a mão do meu
Salvador estendida para me receber!

Se eu viver, vou viver para Cristo meu Senhor;
ou se eu morrer, morrerei para Cristo meu
Senhor; se eu vivo ou morro, serei Seu. Meu
principal objetivo é glorificá-Lo e desfrutá-Lo
para sempre!

20
"Porque a mensagem da cruz é loucura para os
que perecem, mas para nós que somos salvos é
o poder de Deus!" (1 Coríntios 1:18)

A Cruz; o poder de Deus! Que paradoxo, que
loucura, que impossibilidade parecia à
religiosidade judaica e à sabedoria grega! Mas a
fé simples entende bem o mistério.
A Cruz me mostra um Deus que se veste com
humildade absoluta. Inclina-se para esta tristeza
mais aguda, e para essa vergonha mais escura.
Enquanto meu espírito orgulhoso só se rebelaria
contra um Rei que era todo majestoso, todo
glorioso, mas sendo intocado pela pobreza,
tristeza e desgraça; eu sou subjugado e vencido
por Aquele que vem a mim de uma forma tão
humilde. O Sofredor e o Salvador prevalecem,
onde o Soberano deveria ter falhado.
A Cruz me mostra um Deus que cumpre as
exigências perfeitas da lei. A lei divina odeia
meu pecado, e me condenou com justiça a
morrer por causa disso. Eu não posso responder
por uma das milhares das minhas
transgressões! Mas meu Senhor cumpre os Seus
mandamentos e tem o Seu castigo em meu
lugar. E é tudo que eu preciso; isso me amarra
e enche de alegre servidão ao meu Redentor.
21
A Cruz me mostra um Deus que me ama sem
restrições. Muitas águas não podem apagar Seu
amor, e as enchentes não podem afogá-lo. Ele
conhece desde o início até o fim, a agonia no
Jardim e a desolação no madeiro sangrento de
modo tão amargo e vergonhoso; mas ainda
assim, cuida de mim tão apaixonadamente que
Ele fixa firmemente Seu rosto para este fim.

Assim, meu coração de pedra é derretido e sou
levado em cativeiro voluntário.
Logo, a Cruz para mim que estou sendo salvo
por ela, é de fato o próprio poder do Deus
Altíssimo!

22
"Agora minha cabeça será exaltada acima dos
inimigos que me cercam!" (Salmos 27: 6)

Da fé nasce a coragem que é somente pela fé,
pois ela sabe que o passado da minha vida foi
perdoado. Ela pode dizer; O Senhor é a minha
salvação, mas não até que a estranguladora
carga de culpa seja removida, e o jugo do
pecado seja quebrado, então tenho liberdade,
força, energia e ousadia. Sem medo para
assombrar e me assediar, sou corajoso para
ousar, fazer, sofrer, ganhar.

A fé vê que o presente da minha vida está cheio
do poder e proteção de Deus. Ela reconhece Sua
proximidade, Sua graça, Sua onipotência; ela
acredita que Ele está mais perto de mim do que
o inimigo jamais poderá estar. Ela me mantém
secretamente em Seu pavilhão e me esconde no
Seu tabernáculo. Nenhum inimigo pode
aventurar-se atrás dessas paredes de fogo!

A fé encontra o futuro da minha vida aceso com
a rosa do amanhecer. Ela espera, como a
retratam, "com arrebatamento suspenso em seu
rosto". Neste lado da morte, e no lado mais

23
distante dela, eis que diz: tudo é muito bom.
Aqui e além, abaixo e acima eu habitarei na casa
do Senhor, para contemplar Sua beleza! E assim,
sou forte de coração e resgatado da inquietação
e do medo.

24
"Em lugar do espinheiro crescerá a faia, e em
lugar da sarça crescerá a murta; o que será para
o Senhor por nome, por sinal eterno, que nunca
se apagará." (Isaías 55:13)

Deixe-me aprender a parábola das árvores.
Algumas delas são inúteis e sem valor. Seu fruto
é mau, azedo, ácido; talvez venenoso e nocivo.
Elas devastam o solo, e são aptas apenas para
serem cortadas e lançadas no fogo.

Tal fui eu uma vez! As chuvas de Deus vieram,
mas não me vestiram com um manto de verde.
Os verões de Deus vieram, mas seu orvalho e sol
simplesmente aumentaram minha falta de
graça. E, "em vez do arbusto de espinhos, o
cipreste vai crescer; em vez da urtiga, a murta
vai crescer."

Na abençoada criação dos corações, as árvores
malignas podem ser mudadas pelo divino poder
e misericórdia em boas árvores, a plantação do
Senhor. É assim comigo? A urtiga floresceu
como uma rosa apta para o Rei dos reis?
Então deixe-me torná-la evidente, dando frutos
para a glória dAquele que fez grandes coisas
por mim. Eu deveria ser uma videira carregada
com as uvas vermelhas do amor; eu deveria ser
25
uma figueira cujas folhas grandes e brilhantes
dão frescor e refrigério, eu deveria ser uma
oliveira vestida com o verdor da sabedoria. Meu
Senhor procura estas coisas.

É meu encorajamento que Aquele que me
plantou mantém as águas e a mim. O Pai é o
Agricultor (João 15: 1), Ele dará o crescimento.
Ele vai amadurecer a vindima, e a colheita.
Apenas deixe-me orar a Ele, confiar sempre
Nele, e lançar-me sobre Ele com uma fé
inabalável. Então não serei estéril nem
infrutífero.

"Os justos florescerão como a palmeira,
crescerão como o cedro no Líbano. Estão
plantados na casa do Senhor, florescerão nos
átrios do nosso Deus." (Salmo 92: 12-14).

26
"Sucedeu que à sétima vez" (1 Reis 18:44)

Eu registrei a humildade de Elias. Inclinou-se
sobre a terra e colocou o rosto entre os joelhos.
Enquanto eu tiver a humildade de uma criança,
eu posso usar toda a santa ousadia com meu
Pai, e devo estar em temor de meu Deus
Soberano, portanto tirarei os sapatos dos meus
pés. Lembre-me que nenhum ponto na terra é
tão sagrado como o escabelo do trono de Deus.
Vou contar sempre como um maravilhoso
privilégio, que me seja permitido orar.

Eu registrei a expectativa de Elias. Ele enviou seu
servo ao pico mais alto da montanha, para olhar
o mar. Muitas vezes, as frotas de Deus vieram
navegando para o porto carregadas com os
presentes que preciso, mas eu não estive lá para
receber sua chegada e suas cargas inestimáveis.
Eu deveria ir até a minha torre de vigia; deveria
olhar e olhar para o mar.

Eu registrei a perseverança de Elias. Sete vezes
o servo relatou, "Não há nada", e sete vezes ele
foi convidado a retornar ao monte. Muitas
vezes, depois de ter orado, digo ao meu coração
"Não há nada, nenhum sinal de emenda na vida
rebelde tão querida para mim, nenhuma
27
libertação de minhas próprias perplexidades".
Mas devo pedir até sete vezes, talvez até setenta
vezes sete. Eu devo . . .

Lutar como Jacó,
E cingir-se como Davi,
E ter esperança como Elias,
E ser persistente como Bartimeu,
E chorar com lágrimas como o meu abençoado
Senhor!

"Mais coisas são forjadas pela oração, do que
este mundo sonha." Mas a oração deve ser do
tipo certo; muito humilde, muito expectante, e
muito perseverante. Senhor, ensina-me a orar!

28
"Todos estes morreram na fé, sem terem
alcançado as promessas; mas tendo-as visto e
saudado, de longe, confessaram que eram
estrangeiros e peregrinos na terra." (Hebreus
11:13)

Deixe-me ser um peregrino pisando todos os
dias o caminho para a Cidade Celestial; uma
cidade gloriosa!
Então, as promessas de Deus serão meu
negócio. Eu serei persuadido de sua verdade.
Vou abraçá-las. Vou me inclinar sobre elas. Em
sua força eu andarei no caminho estreito, com
um coração forte e alegre, e conhecerei Aquele
em quem tenho crido; quão confiável Ele é, quão
fiel, quão infalível.

As coisas novas e secretas serão escritas sobre
toda a minha natureza. Tenho outro
nascimento, outro Senhor, outro ser, que o
homem do mundo não tem. Eu falo outra língua,
tenho outros propósitos, outras energias,
outras esperanças. Eu ficaria feliz caso se
ligasse a mim, mas não me atrevo a me
identificar com ele.

Uma despedida irrevogável me separará do meu
velho modo de vida, dos meus pensamentos e
29
caminhos anteriores. Na verdade, eu poderia ter
tido a oportunidade de voltar ao país do qual
parti, mas perdi o gosto por isso agora. Eu
deixei de encontrar uma atração suprema nele.

Deus preparou uma cidade gloriosa para mim!
O Céu diante de mim está radiante com as luzes
e as glórias da Nova Jerusalém. Estou "pisando
para o oeste". Eu "nunca posso estar em
repouso, até que recupere meu antigo ninho."
Certamente, as compensações do peregrino são
incomensuravelmente maiores do que suas
perdas. Há casas de intérpretes, palácios
bonitos, montanhas deleitáveis, e terras de
Beulah no caminho; e, por último, há a porta da
cidade, onde os sinos soam anunciando a
alegria quando o viajante chega!

30
"E, começando por Moisés, e por todos os
profetas, explicou-lhes o que dele se achava em
todas as Escrituras." (Lucas 24:27)

Jesus não é apenas o único Assunto glorioso das
Escrituras; Ele é o único e eficaz Revelador e
Explicador.
Quando me inclinar sobre o Livro Sagrado, meu
Mestre dará a conhecer Sua voz à minha mente,
à minha consciência e ao meu coração. Não são
essas faculdades de Sua criação?
E Ele não as usa para me revelar Seu propósito
e Seu amor?
Pelas avenidas de minha própria natureza, que
Ele compreende bem, e às quais Ele tem muitos
modos de acesso, meu Salvador se aproxima de
mim.

A disciplina da minha vida também é Seu
instrumento para a explicação e desdobramento
da Sua Palavra. Na fraqueza e tristeza, muitos
textos se tornam claros para mim.
No dever difícil, muitas promessas brilham com
uma nova luz.
Na tentação, muitos preceitos e exemplos
sagrados brilham como nunca o fizeram
anteriormente. Isso, também vem do meu
31
Senhor, que é maravilhoso em Seu conselho e
excelente em Sua obra.

Acima de tudo, o Espírito Santo é Seu intérprete.
É Ele quem faz a Bíblia viva, poderosa e ativa.
Ele me ajuda a ouvir em cada uma de suas frases
o "sim" do céu; forte, suficiente, final.
Ele me torna tudo proveitoso, para o meu
ensinamento, para a minha repreensão e
correção, para a minha orientação e consolo. Ele
é meu querido Doutor e Embaixador.
Assim, Jesus, embora já não ande em forma
visível pelas estradas do meu mundo, continua
a me expor as coisas nas Escrituras que se
referem a Ele e a mim.

32
"Eu serei como o orvalho para Israel." (Oséias
14: 5)

Oséias, mais do que a maioria de seus
companheiros profetas, é o profeta do Amor de
Deus. Com virtude e cura maravilhosa nelas,
suas antigas frases devem cair em meu coração.

“Eu serei como o orvalho”, Deus me diz através
deste velho mensageiro e servo em Sua família.
Que boa palavra!

Nada é mais benéfico do que o orvalho, pois
refresca a terra quente e cansada, como reaviva
a sua beleza desaparecida. Ele chama seus
frutos; a erva, o trevo e os grãos. Só assim,
Deus, em Sua misericórdia e graça, promete que
Ele vai lidar comigo. Ele mudará minha alma e
minha vida de um deserto, para Seu doce
jardim.
Mas, nada é mais silencioso do que o orvalho;
não faz nenhum movimento quando faz seu
trabalho gracioso. É tão silencioso, como é
poderoso. Não há nenhuma agitação da
maquinaria do homem sobre suas operações.
Exatamente assim, Deus realiza em mim Seus
milagres de regeneração e renovação, embora
33
Sua presença não seja vista pelo mundo
exterior; porém eu vejo, conheço, amo, e louvo.

E nada é mais discriminador e isolador do que o
orvalho. Cai no mundo amplamente nos
campos, nas florestas e nos montes. Cada
lâmina de grama recebe sua própria frieza,
vivificação e bênção. Assim, Deus me assegura
que não vai me esquecer na vasta multidão. Em
mim mesmo, os chuveiros de Sua rica bênção
descerão, como se eu fosse Seu único filho!
Não é esta a promessa que eu preciso?
"E, era carregado um homem, coxo de nascença,
o qual todos os dias punham à porta do templo,
chamada Formosa, para pedir esmolas aos que
entravam." (Atos 3: 2)

Há muitos aleijados entre nós ainda; aleijados
na moral, na pureza, e nas energias da alma.
Eles são aleijados através dos pecados dos
outros, e através dos seus próprios. O mundo
está cheio desses pobres homens e mulheres
deficientes e aleijados.
Na esfera espiritual, eles são indefesos. Feitos
para glorificar a Deus e desfrutá-Lo para
sempre, eles não estão fazendo nada para o
cumprimento do seu principal fim.
34
Eles se deitam à Porta Formosa do templo; as
portas da Igreja estão abertas de cada lado para
eles, as influências sagradas e cristãs permeiam
a atmosfera que eles respiram, as ruas onde
passam uma existência miserável são
transitadas pelos adoradores de nosso Deus e
Seu Cristo.
Estranho, não é, que eles ainda não estejam
curados? É estranho que eles estejam tão perto
de saúde, da graça, e da vida que é a vida de
fato; e afinal, ainda devam perdê-la. Estranho,
vergonhoso e errado.
Mas se eu devo abençoar os aleijados
desesperados e moribundos, o amor de Deus
deve estar pulsando e fluindo através de mim.
Eu serei seu médico espiritual, somente se o
nome de Jesus Cristo for toda a minha glória, e
se o Espírito Santo habitar em mim ricamente.
Aquele que enche a minha alma, que regenera o
meu ser, que usa as minhas palavras e obras
realizará através de mim os seus próprios
milagres de ternura e poder. Ele repetirá pelas
minhas mãos Suas poderosas obras.
Porque o mundo desamparado precisa de um
verdadeiro cristão; Senhor, faça e mantenha-me
assim. Que a vida do meu Redentor em mim
transborde suas margens, e leve seu divino
refrigério às almas secas que estão perecendo!
35
"Mas a palavra está mui perto de ti, na tua boca,
e no teu coração, para a cumprires."
(Deuteronômio 30:14)

O mandamento de Deus não é muito difícil para
mim. Mas é muito difícil, de fato, se eu tentar
cumpri-lo em minha força, pois essa minha
força vangloriosa é incapacidade desamparada
no que diz respeito às coisas espirituais e
celestiais. Mas, quando Ele dá o mandamento,
Ele está ansioso para me dar também, Seu poder
real e vencedor de fazer todas as coisas
possíveis para mim. Agostinho, o coloca bem:
“Deus concede o que ordena, então Ele pode
ordenar tudo o que quiser.”
Nem o Seu mandamento está longe. Eu não
tenho que passar por um longo noviciado, como
o cavaleiro medieval, antes que possa ser
agradável a Ele. Eu não tenho que esperar pela
maturidade e velhice antes de satisfazê-Lo. Eu
não tenho que esperar pelo Céu, antes que eu
esteja qualificado para fazer Sua vontade. Aqui
e agora eu posso obedecer ao Seu primeiro
mandato; que eu creia naquele a quem Ele
enviou. E, depois disso, os outros mandatos
seguirão pouco a pouco, passo a passo. Vou
encontrá-los a cada volta do meu caminho, e
sempre com um sorriso no rosto.
36
Nem o mandamento de Deus é uma aliança de
maldição e morte. Eu só posso praticá-los assim,
por penitência e obediência perseverante até o
fim. Deus não deseja que me traga nada além
de bênção e vida.

O julgamento é Seu estranho trabalho, e nada
além da mais severa necessidade o obrigará a
recorrer a Ele. Se eu estiver disposto e
obediente, comerei o bem da terra.
Se eu guardar o mandamento, colherei uma
grande recompensa.
Se a Sua lei me amarrar, é com uma corrente de
ouro.
Quando estou dentro de seu limite há "um
mundo de conflitos fechados, um mundo de
amor fechado".

37
"E que mais direi? Pois me faltará o tempo, se eu
contar de Gideão, de Baraque, de Sansão, de
Jefté, de Davi, de Samuel e dos profetas;"
(Hebreus 11:32)

Levaria muito tempo para contar as histórias da
fé.
Ah então, os santos, os confessores, os
mártires, os conquistadores são mais
numerosos do que eu imagino. Em meus
estados de tristeza, em minhas temporadas de
pessimismo e desespero imagino que Satanás
está obtendo a vitória no mundo, e que Cristo
tem poucos servos fiéis e bons soldados. Mas
eu estou errado. O Senhor tem Suas
testemunhas escondidas; Ele nunca Se deixa
sem muitas testemunhas, portanto que meu
espírito seja mais esperançoso.

Levaria muito tempo para contar as histórias da
fé. Na verdade, não há motivo para prolongar a
história. Tanto quanto os seguidores reais e
firmes de Cristo diferiram um do outro, suas
semelhanças foram muito mais do que suas
diferenças.
Todos entraram pela porta da fé.
Todos pisaram o caminho da obediência.
Todos buscaram a cidade que tem as fundações.
38
O seu Redentor é meu?
A sua experiência é minha?
A pátria mãe deles é minha?

Eu estou perto de parentesco com Abraão, com
José, com Moisés, com Davi, com aqueles de
quem o mundo não era digno, porque os seus
olhos e os meus estão fixos em Jesus, que é o
mesmo ontem, hoje e eternamente!
As línguas da terra são muitas, a linguagem do
Céu é somente uma.

39
"Não te aflijas, porque a alegria do Senhor é a
tua força!" (Neemias 8:10)

A alegria do Senhor é a minha força!
Há a alegria do Todo-Poderoso e meu Senhor.
Eu sou fraco, sou assediado por adversários,
meus fardos e minhas tarefas são muitos, mas
eu tenho a Onipotência do meu lado!
Há a alegria da Sabedoria do meu Senhor.
Quantos são Seus arranjos, que dores Ele toma,
quão bem ordenados e certos são os métodos
que Ele emprega, para me instruir, me purificar,
e me coroar!
Pacientemente e graciosamente Ele pressiona
Sua meta, e nunca é traído em um passo falso.
Há a alegria da Verdade do meu Senhor. Suas
grandes e preciosas promessas; de libertações
temporais e espirituais, de santidade, e de graça
para ajudar em tempo de necessidade!
Nenhuma delas cairá no chão.
Há a alegria do Amor do meu Senhor. O Pai me
ama, Ele não está satisfeito até que me tenha
como um filho em Sua família celestial.
O Filho me ama, Ele derramou Seu sangue para
mim na Cruz, e vive novamente para implorar
pelo meu bem-estar.
40
O Espírito me ama, Ele está contente em
permanecer comigo, até que eu seja tão puro
quanto Cristo é puro.

41
"Agora, Senhor, despedes em paz o teu servo,
segundo a tua palavra; pois os meus olhos já
viram a tua salvação," (Lucas 2: 29-30)

Não posso partir em paz, até que meus olhos
tenham visto a salvação do Senhor.
Minha consciência diminui diante do
pensamento da morte. Ela sustenta diante de
mim o padrão a que eu deveria ter me
conformado, e me mostra como eu vim a pecar.
Ela fala de um julgamento futuro, no qual eu
ficarei perante o esplendor e a brancura do
trono de Deus, mas vejo a salvação de meu
Senhor que significa perdão; e assim os alarmes
da minha consciência estão calados, e posso
partir em paz.
Minha imaginação se afasta perturbada do
pensamento da morte; neste sono que sonhos
podem vir!
Não, que realidades severas há neste despertar!
Tribulação e angústia, indignação e ira, é uma
perspectiva que me assusta!
Mas, eu vejo a salvação de meu Senhor, que
significa a reversão da destruição, e o que
minha imaginação retrata agora, é meu Rei em
Sua cidade de ouro e eu posso partir em paz.
Meu coração estremece ao pensar na morte. A
morte é o rompimento de minhas amizades. É
42
orfandade, fome, banimento. E... pior de tudo,
a separação da minha alma, de Deus, em quem
eu vivo, me movo e tenho o meu ser.
Mas, vejo a salvação do meu Senhor, que
significa uma eternidade em comunhão com Ele,
e os gloriosos cidadãos de Sua corte; assim meu
coração não pede mais nada, e posso partir em
paz.
O cristão não é feliz em morrer, assim como em
viver?

43
"E vi tronos, e os que estavam assentados sobre
eles." (Apocalipse 20: 4)

Existem quatro estados da natureza humana.
Há o estado de Inocência no Paraíso, quando o
homem estava cercado apenas pelo puro e doce,
e em absoluta simpatia com seus magníficos e
maravilhosos arredores, mas essa idade de ouro
está bem atrás de mim no passado distante. Eu
mal consigo me lembrar disso; pois tenho
atravessado várias etapas voluntárias e
cansativas do meu primeiro amor.

Há o estado de pecado e miséria. Hoje eu me
imagino livre, mas amarrei os grilhões de ferro
em meus tornozelos e pulsos; eu sou um
escravo que deveria ter sido um príncipe.
Não tenho adorado a besta e a sua imagem? Não
recebi a sua marca na minha testa e minha mão?
Sim, mas há o estado de Regeneração e
Renovação. Nasci de novo por uma majestade
divina e pela graça. Eu sou levantado fora do
velho Lamaçal do Desânimo. Alguém é meu
Mestre agora, o próprio Cristo; embora minha
nova vida esteja sujeita a muitas flutuações,
estou esperando alguma coisa melhor, como os
homens do mundo ártico congelado que veem
44
uma luz acima do horizonte, e esperam
desejando o advento do verão e do sol.
Então, finalmente existe o estado de Perfeição
no Céu. Eu vi tronos, e aqueles que se sentavam
sobre eles. Sobre estes, a segunda morte não
tem poder, mas eles serão sacerdotes de Deus
e de Cristo.
Finalmente, minha natureza é completamente
santa e obediente, consagrada e verdadeira. Por
fim, excluirei o mal e terei somente santidade e
pureza.
Deus me traga para a idade de ouro adiante, que
ainda é melhor do que a idade de ouro do
passado no Jardim do Éden!

45
"O Senhor é o meu Pastor, nada me faltará."
(Salmo 23: 1)

O Senhor é o meu Pastor nas horas da manhã,
guiando-me para os deveres, tentações e
dificuldades do dia, e é Ele mesmo que vai antes
de mim. Como eu me cingi para as atividades e
os mil perigos da minha vida, estou certo de que
Ele está comigo. Não me atrevo a ir até eles
sozinhos, pois sem Ele não posso fazer nada.
O Senhor é o meu Pastor no meio-dia quente
também, quando o sol bate ferozmente para
baixo. Conduz-me então, aos pastos verdes e ao
longo das margens das águas tranquilas.
À medida que dirijo minha tarefa diária com os
pés ocupados, eu costumo me afastar para estar
com Ele, refletir sobre Sua Palavra, e ouvir o
sussurro restaurador de Seu Espírito. É o
segredo da paz permanente e prevalecente.
O Senhor é o meu Pastor quando a noite cai, e
está escurecendo. Você viu a foto da menina
que caminha pelo Vale da Sombra, com sua mão
na mão de Cristo. A confiança está vencendo o
terror em seu rosto, e ela cresce confiante de
que nenhum inimigo vai vencê-la. Assim seja
comigo, sempre que entrar no desfiladeiro e nas
inundações.
46
O Rei do Amor é meu Pastor! Como este "meu",
este pronome de possessão pessoal consola
meu pobre coração, "O Senhor é meu Pastor!"
Posso dizer? Se eu puder, com humildade e de
coração, então com certeza, na vida, na morte e
na eternidade não vou ter necessidade alguma,
porque estou persuadido de que nada me
separará do amor de Deus, que está em Cristo
Jesus, meu Senhor.
Seu pastoreio não é uma dotação transitória,
nem um impulso fugaz e nenhum humor
passageiro; é de eternidade a eternidade.

47
"A loucura de Deus é mais sábia que os
homens". (1 Coríntios 1:25)

Às vezes eu digo: "Eu sou tão jovem; o que
posso fazer?" Mas Ele usou muitas vezes o
discurso ingênuo, mesmo de crianças
pequenas, para realizar resultados negados ao
argumento humano, à eloquência e à sabedoria.
E muitas vezes, Ele fez da presença de uma
criança um impedimento do mal, um estímulo
para a santidade.
Às vezes eu digo: "Mas eu não tenho
importância, meu ambiente é muito forte para
mim". E, no entanto Ele é capaz de me dotar de
uma força celestial em minha casa, meu
negócio, meu bairro, onde tudo parece estar
contra mim. Suas rosas florescem entre as neves
alpinas e Seus lírios em areias tropicais.
Às vezes eu digo: "É inútil para mim sair para
Suas batalhas, eu sou muito temeroso." Mas Ele
pode me elevar acima de minha disposição
natural e temperamento. Ele toma a lança
tremendo em minha mão, e ela se torna como a
vara de Moisés. Ele toma a luz quase extinta, e
a faz brilhar como o candelabro de ouro.
Às vezes eu digo: "O trabalho é tão grande, e o
que sou eu?" Na verdade há muitos adversários,
e estou destituído de poder, mas a história de
48
Paulo me ensina que, se minha comida e bebida
forem encontradas em fazer a Sua vontade,
nada será demasiado alto para mim. A loucura
de Deus é mais sábia do que os homens.

49
"Sede sóbrios e vigiai em oração." (1 Pedro 4: 7)

Espero que vigie durante a oração, contra toda
irreverência, descuido e incredulidade. Espero
também que eu observe a oração, olhando para
cima e esperando a resposta ao meu clamor.
Mas, eu tenho obedecido a ordem de Pedro, e
vigiado em oração; vigiado de antemão, vigiado
em preparação para as minhas súplicas e
pedidos?
Há tantas coisas que eu poderia vigiar.
Há um mundo belo fora de mim, suas visões e
sons devem me chamar para ação de graças,
adoração e admiração.
Existe a condição de minha alma secreta; sua
saúde ou doença, seu crescimento ou
decadência, seus estímulos ou seus alarmes, e
assim suas necessidades exigem de mim uma
comunhão constante com o Senhor salvador e
santificador.
Existem as circunstâncias e os acontecimentos
da minha história diária, que estão sempre me
convidando a levantar o coração e a voz para
meu Pai Celestial.
Há os capítulos e versículos do Livro Sagrado;
eu deveria descobrir neles mil argumentos
poderosos que possa pleitear com Deus.
50
Há as necessidades dos vizinhos e dos amigos;
muitas vezes eu posso ver a necessidade do
meu irmão, antes que ele esteja consciente
disso, e pedir o apoio e a salvação que ele
requer.
Então, deixe-me estar na perspectiva de
motivos, ocasiões de orar, e de ajuda na oração.
Meu conversar com Deus não será tão
desordenado, tão desmedido, tão ineficaz,
como muitas vezes é. Ele partirá e viajará rumo
a uma meta fixa e definida.

51
"Pois assim como pela desobediência de um só
homem, muitos foram feitos pecadores - assim
também pela obediência de um homem, muitos
serão feitos justos!" (Romanos 5:19)

Pela desobediência de um homem, muitos
foram feitos pecadores. Que dano
incomensurável e perda, um pecador pode
infligir! Seu pecado não termina com ele
mesmo. Quando imagina que foi gerado com
ele; seus resultados e consequências se
expandem em círculos cada vez mais amplos,
até que seja impossível estabelecer limites para
eles.
Não há uma lição solene, não há um aviso alto e
insistente, para mim nestas palavras?
E se no grande dia revelador, eu encontrar meu
pecado olhando para mim de mil rostos,
repreendendo-me de mil línguas pelo ferimento
que causei?
Mas, que incalculável bem e bênção um Salvador
pode dar! Sua obediência não termina consigo
mesmo. Ele traz vida e paz a uma multidão que
ninguém pode contar. Sua colheita de almas é
ilimitada e infinita. De todos os séculos e de
todos os países, eles vêm a Deus, através de
Jesus.
52
Sobre esta obediência e este Salvador, minha
esperança está firme e estável?
Eu sou um dos muitos que Ele faz justo?

"Através da obediência do único Homem,
muitos serão feitos justos!"
Deixe-me acreditar em sua mensagem.
Deixe-me me alegrar em seu forte consolo.
Deixe-me abrigar minha própria alma falida
numa de suas inumeráveis fendas e câmaras!

53
"E todo o povo o saberá, Efraim e os moradores
de Samaria, os quais em soberba e altivez de
coração dizem: Os tijolos caíram, mas com
cantaria tornaremos a edificar; cortaram-se os
sicômoros, mas por cedros os substituiremos.”
(Isaías 9:9,10)

Era difícil convencer esses israelitas de que
eram pecadores. Saídos de um refúgio, eles se
abrigaram em outro. Os tijolos caíram,
disseram; mas vamos reconstruir com pedra
esculpida.
Assim, eu tenho muitos subterfúgios e
revestimentos para a minha culpa. Condenado
por uma acusação, meu orgulho forma outra
desculpa. Forçado para trás das paredes
exteriores, meu orgulho retira-se na cidadela.
Minha imaginação pinta o pecado em cores
claras, como os pais da minha raça se
esconderam do rosto de Deus entre as folhas
verdes e brilhantes do Paraíso.
Os costumes e as modas do dia me cegam para
o meu perigo, como havia lamentações na Idade
Média que esconderam sua dor sob um vestido
de púrpura e ouro.
O turbilhão de negócios encobre as discórdias e
os tumultos dentro de mim, como no meio da
54
batalha quente o soldado esquece sua ferida
mortal.
A rodada de alegria e prazer me absorve, como
às vezes os habitantes de uma cidade atingida
pela peste se entregam a imprudência e motim.
Meu credo irrepreensível e minhas observâncias
religiosas me impedem de ver a lepra que está
comendo meu coração e vida, como os
filactérios largos e as orações longas dos
fariseus os impediram de confessar que eram
sepulcros caiados.
Assim, quando os tijolos são caídos, eu
reconstruo com pedra cinzelada; e quando as
figueiras forem derrubadas, eu as substituirei
por cedros. Mas, de todos os meus falsos
refúgios, que Deus com amorosa severidade e
invencível doçura me conduza, empurre-me
para o verdadeiro autoconhecimento, humilde
penitência, e aos Seus próprios braços eternos!

55
"Todavia o firme fundamento de Deus
permanece, tendo este selo: O Senhor conhece
os seus, e: Aparte-se da injustiça todo aquele
que profere o nome do Senhor." (2 Timóteo
2:19)

Paulo, assim como João teve sua visão da pedra
fundamental da Cidade de Deus. Viu que tinha
impresso dois selos, cada um com sua própria
legenda e inscrição.
Devo ler um desses selos antes de me permitir
reunir o conforto e a segurança do outro. Sua
mensagem é o prefácio à mensagem do seu
vizinho.
É o selo com este lema: "Que todo aquele que se
nomeia com o nome de Cristo se afaste da
iniquidade".
Para essa pedra de toque, eu tenho que vir. Por
esse padrão, eu tenho que provar meu
pensamento e minha vida.
O meu mais querido pecado, o mais conhecido,
o mais íntimo está perdendo seu encanto para
mim? Estou crucificando a carne, com suas
afeições e concupiscências? É meu desejo mais
profundo, o de ser santo? Eu almejo a bem-
aventurança dos puros de coração?
Então, eu posso passar para o lado mais
distante e interior da pedra de fundação, posso
56
ler e apropriar-me do forte consolo que está
gravado lá: "O Senhor conhece os que são dele".
É para mim esta palavra maravilhosa e
abençoada.
Ele me conhece.
Ele se importa comigo.
Ele me ama com um amor imutável.
Ele não permitirá que ninguém me arrebate da
Sua mão.
Eu sou dele agora, através da vida, na morte, e
pelos séculos dos séculos! Eu vivi em Sua alma
através de anos impensáveis do passado, e
através de inúmeras gerações do futuro eu
habitarei na mesma habitação pacífica.
Primeiramente deixe-me fazer minha chamada
segura, meu chamado ao discipulado, santidade
e pureza. Posso então permitir-me que a eleição
de Deus seja certa, além da contradição e da
dúvida.

57
"E Natanael disse-lhe:" Pode alguma coisa boa
sair de Nazaré? Disse-lhe Filipe: Vem e vê!” (João
1:46)

Filipe é um dos discípulos mais maçantes, mais
lentos, mais atrasados, menos brilhantes, mas
não o despreze. Será bom para mim se eu for
como ele. Se ele não subiu nas asas das águias;
caminhou sem desmaiar e não tenho certeza de
que essa não seja a coisa mais difícil e mais
nobre.
Quando ouviu o convite de Jesus teve uma
resposta rápida. Ele sentiu que agora era o
tempo aceitável para ele; o dia da salvação. Ele
não "prolonga seu pequeno tempo num longo
tempo", como Agostinho e muitos outros
fizeram. Lá, Filipe é o meu padrão. De mim
também, o chamado do Salvador deveria ter
uma resposta imediata, e eu deveria me
apressar e não demorar.
Quando examinou bem as características de
Jesus, partiu para ganhar Seu amigo, como Seu
Redentor. Ele me convida a confessar Jesus,
embora seja vacilante. Eu não devo esperar pela
maturidade da minha vida recém-nascida, pois
é a franca confissão e serviço, e nunca é
ocultação e procrastinação, que permitem que a
vida reúna força.
58
Posso não ser capaz de raciocinar e debater,
como ter pouca habilidade em lógica e
apologética. Minhas palavras podem ser
destituídas da paixão e da poesia do orador.
Mas, pelo menos, posso dizer:
"Vem, e vereis, venha, e achareis para vós como
ele é bom".

Eu gostaria de ser um discípulo do tipo e família
de Filipe de Betsaida.

59
"O Senhor redime a alma dos Seus servos, e
nenhum dos que nele confiam será condenado".
(Salmo 34:22)

Agradeço a Deus por este tempo presente. Ele
redimiu e continua a redimir. Ele nunca se cansa
da tarefa e da alegria da redenção. Ele vive em
um agora duradouro, e o Seu “agora” sempre
soletra a salvação, o resgate, o descanso, a
pureza, e a força para os filhos dos homens. Foi
assim nos dias distantes dos salmistas
hebraicos. É assim no meu tempo. Será assim
até o fim.
Que tributo deve ser dado à perseverança do
meu Deus! Eu sou tocado com ternura e zelo
através de uma semana; Ele é terno e zeloso por
uma eternidade.
Aceito esquemas de caridade, e os deixo cair;
meu entusiasmo se foi, mas Seu coração não se
cansa. Verão e inverno, em meus breves
segundos de devoção e minhas longas
temporadas de frieza. Ele redime minha alma.
Que esperança, além disso, a palavra desperta
para o mundo! A maioria dos armazéns de bem-
aventurança se desgastam e estão exaustos.
Eles desaparecem como as neves de cem anos
atrás, ou as rosas que floresceram quando eu
era uma criança, mas Sua redenção vem para os
60
homens e mulheres de hoje, em plenitude.
Ainda assim, como na era antiga de Abraão,
Davi, Paulo e João, eles podem ouvir, ver e lidar
com Sua Palavra de Vida.
E que garantia há aqui, para o meu pobre e
necessitado coração! Deus Pai não se cansa de
mim. Cristo meu Salvador não perde Seu
interesse em mim. O Espírito Santo continuará
realizando o bom trabalho que Ele começou.
A misericórdia de meu Senhor para comigo é tão
firme e inamovível como o nascer do sol que
nunca nos falhou. Ele me redime. Ele sempre me
redimirá.
Sim, eu o bendigo pelo tempo presente e
precioso!

61
"Saulo, Saulo, por que me persegues?" (Atos 9:
4)

"Por que me persegues?" Pergunta Jesus.
Deixe-me colocar a ênfase na primeira palavra:
"Por que?"
Por que eu me opus a Ele? Por que o
negligenciei? Por que esqueci dEle?
Ah, não há resposta coerente que eu possa dar.
Estou sem palavras, como o homem na
parábola, como Saulo atingido no chão. É
impossível definir os motivos e os argumentos
que me levaram a isso. É impossível para mim
arrumar uma resposta suficiente e satisfatória
para o que tenho sido. Assim o Espírito de Deus
me ensina sobre a loucura, a perversidade, e a
estupidez do meu pecado.
"Por que me persegues?" Pergunta Jesus.
Agora deixe-me colocar a ênfase na próxima
palavra: "Me!" "O que eu fiz?", o Salvador
pergunta: "O que fiz, para que receba seu ódio?"
Ele é o Pastor que morreu por minha cura. Ele é
o Médico que vem para amarrar meu coração
partido, e eu não quero nada dEle. Eu o lancei
tão baixo, sendo Ele alto demais, e ainda me
atrevo a desprezá-Lo e rejeitá-Lo; Aquele que
merece toda a minha reverência e meu amor.
62
Assim, o Espírito de Deus me mostra a
ingratidão e a criminalidade do meu pecado.
Eu aprenderia as lições que são tão solenes, pois
a aflição do Senhor, vem antes da Sua cura. A
noite de choro é a introdução à manhã de
alegria.
De fato, não posso ter um sentimento muito
profundo de minha própria culpa, porque não é
um alívio temporário que eu preciso, já que é
uma salvação eterna que está em questão, mas
devo compreender a natureza mortal da minha
doença. Posso me enganar de outra forma com
uma paz falsa, e confundir latão com ouro.
"Porque, embora andando na carne, não
militamos segundo a carne, pois as armas da
nossa milícia não são carnais, mas poderosas
em Deus, para demolição de fortalezas;" (2
Coríntios 10: 3,4)
"Embora vivamos no mundo."
Deus não me leva, imediatamente em minha
conversão à segurança perfeita de Sua casa
celestial. Ele me deixa aqui por um tempo, num
mundo cheio de tentação e maldade.
Tampouco me teria escondido dessas
armadilhas e perigos, como alguns fazem em
mosteiros, em total reclusão. No meio das
seduções e dos perigos do mundo, Ele me pede
que dê testemunho dEle, do meu Salvador. Eu
63
me movo através do coração do país do inimigo!
Sim, e dentro de mim, enquanto eu estiver do
lado da herança que Ele preparou para mim, há
mil solicitações para ceder ao inimigo. Meu
perigo é grande e perpétuo!
Mas, nós não guerreamos segundo a carne. Na
verdade, as armas do mundo seriam inúteis em
uma luta como a minha. Preciso de ajuda mais
divina, mais espiritual, mais celestial, e eu as
tenho.
Deus é por mim; Seus anjos, Suas providências,
Seu povo, Sua Palavra, Seu Espírito, Ele mesmo
em Sua sabedoria, santidade, justiça, bondade e
verdade!
Eu ficaria perplexo e desviado antes que
passasse uma hora, se não fosse por Ele, que
pode derrubar fortalezas e toda coisa alta que
se exalte. Sua graça é suficiente. Não há nada
muito difícil para Ele. O Senhor Todo-Poderoso
é minha Bandeira, meu Capitão, minha
Vanguarda e Retaguarda também.
Que toda a minha vida seja de fé nEle. Da pompa
e poder do inimigo, do ofício sutil e da doçura
venenosa do tentador, eu fujo para o Rei, meu
Amigo!

64
"Pois tanto o que santifica como os que são
santificados, vêm todos de um só; por esta
causa ele não se envergonha de lhes chamar
irmãos," (Hebreus 2:11)

Meu Senhor Jesus Cristo pertence à mesma casa
espiritual, na qual, por meio de Seu terno amor
e graça imensurável, estou habitando. Ele pode
falar sobre cantar os louvores de Deus no meio
da congregação.

Os interesses da Igreja, dos redimidos pelo Seu
sangue, chamados pelo Seu nome são
inexprimivelmente queridos por Ele, e nenhum
de seus membros; seja o menos inspirador, o
mais decepcionante é por Ele esquecido.

Meu bem-estar, porque sou um cidadão da
comunidade em que Ele é Príncipe, nunca pode
ser esquecido por Ele.

Meu Senhor Jesus Cristo estava, quando no meu
mundo, na mesma posição de dependência em
que estou. Ele estava acostumado a dizer:
"Confio nele". Ele se apoiou em Deus, que nunca
o abandonou. Assim, Ele me encoraja a confiar
no Senhor minha Justiça, e no Senhor a minha
Força. Ele me convida a segui-Lo ao longo do
caminho da fé e do caminho da oração.
65
Uma vez Ele era pobre, clamou a Deus, e a
resposta veio. Apenas assim, se eu clamar, terei
uma resposta agradável e suficiente.
Meu Senhor Jesus Cristo é participante da
mesma natureza com a qual eu mesmo sou
dotado. "Eis-me aqui e os filhos que Deus me
deu"; estas são as suas palavras.
Ele conhece todas as minhas necessidades; Ele
experimentou todas as provações e mudanças
de minha vida mortal, Ele pode me enviar a
ajuda que preciso.
Não faço meu apelo a nenhum estranho, por
mais benevolente e bem-intencionado que seja;
na hora da minha necessidade, é para meu
Irmão Maior que eu me dirijo.
"Eu posso fazer todas as coisas através de Cristo
que me fortalece!" (Filipenses 4:13)

66
"Ele, porém, entrou pelo deserto caminho de um
dia, e foi sentar-se debaixo de um zimbro; e
pediu para si a morte, dizendo: Já basta, ó
Senhor; toma agora a minha vida, pois não sou
melhor do que meus pais." (1 Reis 19: 4)

Por que perco o coração no caminho e na obra
de Deus?
Às vezes, é exaustão física e nervosa. Elias
estava cansado depois da excitação do Carmelo,
e uma causa muito menor pode me levar a um
resultado semelhante. Há momentos, diz Blaise
Pascal, quando não posso suportar a descida de
uma mosca no meu rosto sem irritação. Eu
bendigo o meu Deus que conhece a minha fraca
constituição.
Às vezes, é a falta de um amigo humano. Será
que nem Elias, sendo sereno e resoluto; mas
ainda assim, não teria sido beneficiado pela
comunhão de almas afins?
Lembre-me da velha palavra: um de vocês
perseguirá mil, e dois de vocês colocarão não
dois, mas dez mil para fugir.
Às vezes, é a sensação de fracasso em meu
trabalho. Isso foi o que levou Elias a perda de
coragem, a fraqueza, ao colapso.
É difícil continuar, quando pareço gastar minhas
forças em vão, mas o Calvário do meu Senhor, o
67
monte desagradável e triste floresceu em
fecundidade muito antes de agora; e assim pode
também o meu.

(Nota do tradutor: De fato foi este o motivo do
desânimo de Elias, e não o medo de Jezabel
como alguns afirmam, pois ele ficou desolado
ao ver que o povo que tinha parecido estar ao
lado de Deus no desafio do Monte Carmelo, se
voltou contra ele, e contra o próprio Senhor em
favor de Baal, depois de tudo o que haviam
visto.)

Às vezes é defeito na minha visão de Deus. Elias
pensava nEle, simplesmente como fogo,
severidade, e vingança; e eu também posso cair
em um erro semelhante. Porém, mais do que
qualquer outra coisa, Ele ainda ama falar com
Sua voz suave, do perdão, do convite, da
promessa. Não me deixe tropeçar nas riquezas
de Sua tolerância e perdão.

Eu me regozijo de que, sempre que meu coração
está oprimido, há uma fenda na Rocha para
mim!

68