O CRISTÃO E A POLÍTICA

O cristão, ao aceitar a Cristo, torna-se cidadão dos céus, com direito a morar na santa cidade, na
Jerusalém celestial. Entretanto, enquanto Jesus não vem, continua vivendo no mundo e, enquanto aqui
está, é um cidadão da terra e, como tal, inevitavelmente, acaba se inserindo no contexto político. Neste
último domingo do trimestre, o último antes de mais uma eleição geral no país, que possamos refletir
sobre o papel que o crente deve ter nas relações de poder, inerentes a todo grupo humano.
INTRODUÇÃO

- Muito se tem falado sobre o crente e a política, havendo desde posições que consideram o
envolvimento do cristão com a política como o próprio desvio espiritual até posições que
imiscuem, sem qualquer cerimônia, as igrejas locais em embates político-partidários. Nem uma
nem outra posição encontram qualquer respaldo bíblico e busquemos ver qual o posicionamento
bíblico a respeito do assunto.

- A política é algo que está presente em qualquer grupo humano. O próprio Deus, quando criou o
homem, afirmou que ele deveria dominar sobre o restante da criação( Gn.1:26), bem como, no
jardim onde o colocou, disse que ele deveria guardá-lo(Gn.2:15), numa clara demonstração que
a natureza humana envolvia o exercício do poder, conseqüência do próprio livre-arbítrio de que
ele era dotado. Ora, toda relação de poder é uma relação política e, neste sentido, certíssimo
estava Aristóteles, o grande filósofo grego, ao afirmar que o homem é um animal político.

- Após o dilúvio, Deus renovou o pacto com o gênero humano e nele foi mantido o papel de
domínio e de poder sobre o restante da criação(Gn.9:2), ainda que bem demonstrada a
limitação da autoridade humana, como vimos na lição sobre a pena de morte( Gn.9:5,6). Não
tardou muito e surgiu o primeiro grande dominador do povo (Ninrode - Gn.10:8,9) e o governo
humano apresentou-se desafiador contra Deus, a ponto de o Senhor ter destruído aquela
comunidade política única por meio do juízo de Babel(Gn.11:7-9). Bem se vê, portanto, que a
existência de governo, de poder, de domínio, de política não é algo contrário à ordenação divina,
mas, sim, seu mau exercício.

- Deus, então, diante do fracasso da comunidade política única, resolve formar uma nação e
Seu projeto inicia-se com a chamada de Abrão( Gn.12:2). Esta nação, que seria Israel, não
deixou de ser uma nação em que existiram governo e relações de poder. Ainda que o projeto
primitivo de Deus tenha sido o de, pessoalmente, reinar sobre osisraelitas( Ex.19:5,6; ISm.8:7),
jamais deixou de existir um governo que fizesse cumprir as leis ( Ex.18:14-26;22:9; Nm.1:4-
16;Jz.2:16-19).

- Quando o povo de Israel quis ter uma estrutura política semelhante aos dos demais povos,
Deus lho concedeu, tendo, então sido criada a monarquia, com o governo sendo dirigido por um
rei, segundo regras que já haviam sido estabelecidas por Moisés( Dt.17:14-20), renovadas por
Samuel (ISm.8:9-22). Até o cativeiro da Babilônia, no reino do sul, os israelitas foram
governados por reis e, depois, estiveram sob domínio estrangeiro até a destruição de Jerusalém
no ano 70, salvo o pequeno intervalo, no período intertestamentário, em que tiveram
independência e foram governados pela dinastia dos Asmoneus.

- Jesus jamais se indispôs contra a instituição do governo e, observemos, nos seus dias, os
judeus estavam sob o impiedoso governo romano. Instigado pelos fariseus, afirmou que
devemos dar a Deus o que é de Deus e a César (que nada mais é que o Estado, que o governo
humano), o que é de César(Mt.22:21), uma afirmação que o historiador francês Fustel de
Coulanges que, em seu livro A Cidade Antiga, entende ser o término da Antigüidade, onde,
sempre, o poder humano fora considerado indissoluvelmente ligado à religião e à divindade. Por
causa disto, os cristãos seriam perseguidos pelo Império Romano, pois, embora reconhecendo
a autoridade das instituições romanas(Rm.13:1-7; IPe.2:13-17), jamais admitiram que ela fosse
divinizada.

- Na própria Igreja, foi instituído o governo humano (Rm.12:4-8;Ef.4:11-16; IPe.5:1-4), governo,
igualmente, necessário mas limitado, inteiramente submisso à vontade de Deus.

- Por isso, manifestações como as do anarquismo (doutrina que é contrária a qualquer espécie
de governo ou de poder) são inteiramente contrárias à vontade de Deus e devem ser evitadas e
combatidas pelos sinceros servos do Senhor.

CONCEITO DE POLÍTICA

- Pelo que se verifica, portanto, a política, o poder, as relações de domínio estão presentes em
qualquer grupo social, pois se trata de uma característica do ser humano, que foi criado para
dominar e para estabelecer relações deste tipo pelo próprio Deus. Assim sendo, não se pode
dizer que a atividade política é algo contrário à vontade de Deus, mas, antes, é uma

que a ação política busca conquistar e manter o poder. operar a dissociação entre a ciência política e a filosofia política. Num sentido mais estrito.5:20). Entretanto. sendo facultativos para os maiores de dezesseis anos e menores de dezoito.Jesus. por ser um cidadão dos céus. logicamente as que não ofenderem a cidadania celestial e. Seu livro aponta uma dura e cruel realidade no mundo da política que persiste até hoje. passamos a ser verdadeiros embaixadores deste reino celestial(II Co. portanto.1:14. um reino que é diferente dos deste mundo(Jo. Gl. cidadão nos céus. seu objetivo é aguardar a chamada para habitar na Jerusalém celestial(Fp.Embora passe a ser filho de Deus e. não deixou de cumprir com seus deveres cívicos.5:13-16).13:3. pois cidadão é aquele dotado de direitos e de deveres (mormente na época em que os textos bíblicos foram escritos.5:21.No Brasil. Rm. sendo célebres os trabalhos a respeito dos filósofos gregos Platão e Aristóteles. sem que seja submisso incondicional das autoridades constituídas. passa a ser filho de Deus(Jo. . com sua obra "O Príncipe". Política é.18:38).2:21).3:20). como dizem as Escrituras. deve também ser um cidadão exemplar.18:36). I Pe. tem-se que política é a ciência que estuda as relações de poder e de dominação na sociedade através do seu governo. como vimos.Ora. . É por isso que a Bíblia fala-nos sempre que o verdadeiro cristão é um cidadão exemplar na terra(Sl. . efetivamente.O fato de sermos cidadãos dos céus. quando aceita a Jesus. o cristão continua vivendo no mundo(Jo. todo cristão. qualquer ação social que envolva poder e domínio. .demonstração de que o que Bíblia diz a respeito do homem e da forma como foi criado é uma realidade cristalina. onde nem todo ser humano era cidadão. como afirmam os textos aludidos no item anterior.5:29. num certo sentido. Mt. necessariamente. entre as leis. procurou-se distinguir entre o que seria o ideal e o que. sendo vedado para os estrangeiros e os que estiverem durante o período do serviço militar (artigo 14. sempre serão vistos. § 1º da Constituição da República).11:1. todas as ações do homem que envolvam relações de poder e de domínio são políticas. para os maiores de setenta anos e para os analfabetos (artigo 14.Neste sentido. se o homem é um ser político. isto ficou bem claro(Mt. Já a filosofia política procura estudar quais seriam as formas e condutas ideais de Estado. Maquiavel procura elaborar um roteiro de que como agem os governantes.18). do Estado. seja como indivíduo sob o jugo romano(Jo. não importando quais os métodos que se utilizarão.O cristão. passa a ter uma nova cidadania. O CRISTÃO COMO CIDADÃO NA TERRA . § 2º da Constituição da República). Em razão disto. um testemunho irrepreensível diante dos demais homens. friamente. ou seja.17). ocorre na sociedade humana. da justiça e da retidão.18:17. está a que impõe como dever o de participar da escolha dos governantes: o direito e dever do voto.17:11-18). no século XVI. Deste modo. .15.8:16. a partir de Maquiavel. menos com palavras e muito mais com obras. O CRISTÃO COMO CIDADÃO DOS CÉUS . com nossas ações.17:24-27). porque serão vozes vigorosas. buscavam estabelecer conceitos e idéias sobre qual deveria ser o governo ideal.22. Por termos esta cidadania (Ef. como perturbadores da ordem injusta(I Rs.2:19). está presente em todas as ações sociais. já que os escravos e servos direito algum possuíam). pois somos os anunciadores da vida eterna em Cristo. cumprindo as leis. dizendo.Rm. IPe. faz com que tenhamos direitos e deveres perante Deus. Assim. Deste modo. . seja como israelita(Mt. é um exemplar cidadão na terra. embora fosse o Filho de Deus. pelos governantes ímpios e iníquos. No episódio do pagamento do tributo que cobraram de Jesus mediante questionamento a Pedro. instrumentos da glorificação de Deus no mundo(At. ao contrário do que muitos dizem. o cristão deve participar do dia- a-dia da vida da sociedade onde vive e este cotidiano envolve a atividade política que. o alistamento eleitoral e o voto são obrigatórios para homens e mulheres brasileiros alfabetizados de dezoito a setenta anos de idade.4. pois. até porque é necessário que esteja no mundo para ser embaixador do reino de Deus na terra. Na sua obra "O Príncipe". I. normalmente as grandes obras que tratavam do poder e do domínio nas sociedades humanas. sem qualquer preocupação ética. como imitador de Cristo (ICo. por conseguinte. .Coube ao italiano Nicolau Maquiavel. por isso.Assim. o cristão. temos um propósito primeiro em nossas vidas que é o de obedecermos a Deus e de sermos. II. Deus passa a ser o seu Senhor e.5:17). temos de ter um viver honesto. Até o surgimento da obra de Maquiavel. Aliás.2:13-16). pois. .

10:38). tenham.Além de fiscalizar as autoridades. a subida ao poder de governantes que farão o que não é agradável a Deus e a história de Israel está repleta de exemplos do que acontece com a nação que é governada por este tipo de gente. apóiam este ou aquele candidato. quatro anos depois. suas palavras. também.O cristão.É através do exercício do voto que são escolhidos os governantes num país democrático.O cristão. em especial. mas. os cristãos têm o dever moral de participar da vida política.840/1997) e um abominação aos olhos do Senhor. porquanto são luzes do mundo e sal da terra e.2:1. pelo povo e para o povo". que se cumpram as promessas realizadas e que haja a melhoria das condições de vida da população. tal observância não se fará necessária.5:21). em 1998. os servos de Deus omitirem-se de votar e escolher os governantes. ministros. pois as pessoas costumam dizer que os políticos somente aparecem na hora da eleição. oferecendo vantagens e presentes. havendo projetos para alterar a Constituição. Se os cristãos se omitirem. Devemos examinar tudo e reter o bem(I Ts. não podendo. está o de participar da escolha de pessoas que. diante da omissão dos cristãos. porquanto tal gesto será fazer sempre triunfar pessoas descompromissadas com a Palavra de Deus. que. Como é triste verificar que muitos crentes e. sempre.Muito se tem discutido sobre esta obrigatoriedade do voto.18:17). A conseqüência será. os cristãos devem sempre buscar cooperar com elas. deve analisar as propostas e as condutas dos candidatos. os eleitores só pensam no assunto na proximidade das eleições. O cristão deve examinar tudo o que se passou na vida do candidato. o que é uma triste realidade. Como luzes do mundo. mas. . É por isso que o sábio diz que o triunfo do justo gera alegria(Pv. que seriam. Neste ponto entendemos que a igreja tem sido extremamente falha. porque não dizer. pela atual legislação brasileira. naturalmente que não se terá o bem do mundo onde vivemos. está havendo compra de votos. ou se somente são manifestações demagógicas e conversas levianas.19:7. como o seu Senhor( At. É precisamente aqui que se encontra a maior falha de nossa democracia. devemos impedir que as autoridades fiquem obscurecidas pelo deus deste século(II Co. IICr. facilmente. assim. estão livres para fazer o que bem entenderem e. deve verificar os candidatos à reeleição e observar o que fizeram pela população. enquanto eleitor. e. Se se tratar de um candidato que seja servo de Deus. Sl. pois. que buscam engodar e enganar o eleitor. sendo rotineiro encontrar pessoas que nem sequer se lembram em quem votaram na eleição anterior(o irmão se lembra em quem votou em 2000 para vereador ? E.No momento de escolha dos governantes. faça um profundo julgamento e exame das atitudes do candidato que elegeu. pelo menos. é apenado com a própria cassação da candidatura ou do mandato conquistado (lei 9. no silêncio de sua observação. aparecerem com suas promessas e engodos. Fujamos disto e jamais votemos nestas pessoas ! . bem como para aconselhamentos e pareceres a respeito de decisões que devem ser tomadas. estar à disposição das autoridades para contribuir nas tarefas de bem- estar e de implementação das políticas e programas que sejam benéficos para o povo. pois. temor a Palavra de Deus ou a seus preceitos. em troca de favores e vantagens pessoais ou para "a obra de Deus". O cristão deve fazer o bem. I Tm.4:4). . Deus não precisa de barganhas de políticos e a Palavra de Deus é dura contra aqueles que se deixam subornar e vender(Ex. esta análise deve ser ainda mais cuidadosa. . neste bem. como se comportaram diante das grandes questões e temas que surgiram durante o seu mandato e se suas atitudes e decisões estão de acordo com a Palavra de Deus(Pv.23:8.28:12).29:7. É dever de todo cristão e dos ministros. aconselhamentos e decisões que devem ser feitos sempre à luz da Palavra de Deus. sem sua participação. bem como verificar se suas promessas têm fundamento e são factíveis. nem sequer cumprindo com o seu dever bíblico de interceder pelas autoridades em suas orações(Ed. Só no fato de ter havido oferta ou pedido de presentes. para deputado estadual e deputado federal ?).6:9. de forma a contribuir para que se atinja o bem comum. uma vez eleitos. Jó 15:34. como deixou claro o presidente norte-americano Abraham Lincoln que definiu a democracia como o "governo do povo. devendo ser destacada a vida espiritual do candidato e o propósito de Deus na sua vida. não são acompanhados nem fiscalizados pela população e. enquanto eleitor. seus gestos e atitudes ao longo de sua história. inclusive "para a obra do Senhor". de modo a verificar se são pessoas comprometidas com a Palavra de Deus ou que demonstram ter respeito e observância por preceitos bíblicos. O resultado disto é que os políticos.2). ao governarem nossa sociedade.26:9-12). Jr. como é o Brasil. independentemente de dispositivos legais humanos. O cristão deve ser pessoa prudente e que. A democracia é isto. desmascarados se houvesse acompanhamento. . o cristão deve repelir e rechaçar veementemente aqueles que buscam comprar seu voto. certamente que os candidatos aos cargos públicos serão sempre pessoas que não farão a mínima questão de apresentarem programas e planos de governo que tenham pontos e premissas concordantes com a doutrina da Palavra de Deus. como fizeram Paulo e Barnabé em relação ao procônsul Sérgio .

Como temos agido. A igreja prega a todos os homens( Mc. a igreja.16:15). é incompatível que o cristão esteja filiado a partidos que defendem pontos-de-vista contrários à Palavra de Deus ou que esteja. também. . § 3º.13:8-14) e Uzias (II Cr.. quer que todos os homens cheguem ao conhecimento da verdade(I Tm.12). cooperadores. É interessante notar que. como se pode observar nas vidas de Samuel( I Sm.O cristão. a cada eleição. orientado pelo Espírito de Deus..9:19-22). o que deve. justiça e retidão. inciso V da Constituição da República). pois todos que os procuravam queriam tão somente vantagens para si ou mesmo para suas igrejas locais. todos eles honestos no início de seus mandatos.13:6-12). Com efeito. quer ser aceita por todos os homens(I Co. de Daniel (o único estadista da história humana a ter servido a três impérios distintos) e do procônsul Sérgio Paulo(At. pois. também.5:20). há prosperidade para a nação.26:16-21).15. é sempre importante observar a que interesse pessoal ou de grupo estará o cristão se envolvendo ao se filiar a um partido político. sempre que há um governante temente a Deus. § 7º) ou magistrados (artigo 95. tiveram más conseqüências em suas vidas. diante da natureza de suas funções. Não há comunhão entre a luz e as trevas e não pode o servo de Deus andar segundo o conselho dos ímpios. confundir as duas atividades. enquanto instituição.4). com relação aos representantes das chamadas "bancadas evangélicas" nos Legislativos do país afora ? . Aliás. como a história de Israel mostra-nos. . . para o aperfeiçoamento dos santos. precisamente porque não é este o seu dom. De qualquer modo. que o cristão deve observar o programa e a doutrina política do partido a que vai se filiar. etc. a fim de evitar ingressar em partidos que. como diz o próprio nome "partido". que busca prevalecer sobre outros. não pode jamais a igreja se envolver na atividade político-partidária. na organização de Israel. levantamento que revelou que estes legisladores reclamavam que a maior carência que tinham era de alguém que fosse a seus gabinetes para fazer com eles uma oração. em pesquisa feita a todos os parlamentares evangélicos de todos os níveis daquela época naquele Estado. de lhes dar um conselho fundado na Bíblia. dirigentes de segmentos da igreja) não podem ser candidatos a qualquer cargo eletivo. se bem que. se estas pessoas exercem estas funções por chamado de Cristo. a um levantamento feito por um instituto teológico do Rio de Janeiro que constatou.Paulo(At. jamais permitindo que houvesse confusão neste particular. por aqueles que a presidem.Embora todos sejamos cidadãos. por isso. Assim. enquanto cidadãos dos céus devem obedecer mais a Deus do que aos homens e. como crentes.6:14. que é uma atividade de parte. que visam à defesa e aplicação da justiça. . em termos de Brasil.13:7.A Bíblia diz que nós devemos ser mais justos do que os que não são comprometidos com Deus(Mt. como é o caso de Davi. como qualquer cidadão. os políticos cristãos. ser candidato a cargo eletivo. Saul (ISm. inciso III) possam exercer atividade político- partidária. Todos os exemplos de pessoas que procuraram. por chamado de Cristo. se a Constituição brasileira não permite que militares alistáveis em exercício (artigo 14. age com sabedoria. ideológica e doutrinariamente. impossível que alguém possa ser eleito se não estiver filiado a um partido político (artigo 14. ser objeto de apreciação por parte do eleitor na hora do voto. de materiais de construção para templos etc. até porque.2:3.1:1). sendo até desejável que os governantes sejam sinceros e fiéis servos do Senhor. por entender que tais ações são incompatíveis com tal atividade. a menos que renunciem à função que exerça. Dentro da realidade político-partidária brasileira. de alguma forma. pois o governante. por que os servos de Deus hão de . Deus deixou bem distintas as atividades dos governantes e dos sacerdotes. povo de Deus) é incompatível com a atividade político-partidária. filiado a um partido político diferente. acabam sendo envolvidos pelos corruptores e isto em troca de conduções para transporte de irmãos para festividades em igrejas próximas. para atender a tantos pedidos de vantagens. Ora. deter-se no caminho dos pecadores nem se assentar na roda dos escarnecedores(II Co. que defende o interesse de alguns. este artigo chegou à triste conclusão de que os crentes são os primeiros a lançar seus irmãos que se elegem nas garras da corrupção. etc. pode.8:1-4). Esta é uma atividade totalmente contrária ao propósito da igreja e a igreja é representada. pois. defendam pontos contrários à Palavra de Deus. entendemos que os ministros e os que cooperam ativamente na casa e na obra do Senhor (oficiais. enquanto instituição humana (igreja local) e divina (igreja. os partidos são indefinidos e não passam de siglas que se congregam em torno de interesses pessoais e de certos segmentos da sociedade.Ora. devem se abster de exercer qualquer atividade político-partidária. aos olhos da sociedade.. nesta sua função totalizante.É com tristeza que tivemos acesso.Naturalmente. que trabalham. A Bíblia está repleta de exemplos de homens fiéis que foram usados por Deus exatamente no governo de povos e nações. segundo a lei brasileira. Não tem respaldo bíblico a conduta de certas denominações evangélicas que proíbem a seus membros a atividade político-partidária.Sl. . no início da década de 1990.

504/1997. OBS: ". aliás. hoje.10:22).. em alto e bom som. sindicatos.A história da igreja. constituem-se em graves violações da legislação eleitoral.13:8-11). seja pelo aproveitamento de reuniões para divulgação de idéias e de plataformas. É esta a atuação política que deve ter a Igreja. sendo exemplos claros disto a Igreja Romana e a Igreja Anglicana. além de serem moral e biblicamente inaceitáveis. At. 44-7).. segmentos que se encontram.Claro que está que as igrejas e os cultos religiosos não podem. Ao mesmo tempo. Meu Brasil.O Brasil é um país que ainda carece de aprimoramento político.Não se pode.24. como nos dá conta o art. mas uma política totalizante. Com respeito e obediência. Igualmente. que nada tem a ver com partidos políticos ou com interesses pessoais ou de segmentos da sociedade. que o Estado Democrático de Direito instalado no Brasil é laico. igrejas ou associações de benemerência vinculadas a igrejas. Os desmandos e a corrupção generalizada. com nossas atitudes de cidadãos dos céus e da terra conscientes..A igreja deve atuar politicamente na sociedade. Meu Brasil. p.40:1-5. símbolos.. além de ser um eleitor consciente. denominações evangélicas serem assediadas por políticos inescrupulosos.. mas sobretudo. programas e idéias que surgirem. neste últimos tempos. de forma alguma. de aliança entre eles e/ou seus representantes com determinado partido ou candidato. a utilização de sinais. mortos espiritualmente e tudo começou com o lugar que suas cúpulas deram à política temporal em seu interior. a fim de que. para se utilizar de expressão cunhada pelo grande Ruy Barboza (um dos homens mais inteligentes do país e que as elites jamais deixaram que fosse Presidente da República). tem demonstrado que. da Constituição da República. o que é expressamente proibido pelo art. trazer esta consciência da dupla cidadania a cada cristão que. o que tem servido apenas para aumentar os escândalos e trazer o descrédito da politicalha para a pregação do Evangelho. bem como algumas até efetuando projetos de dominação de siglas partidárias e mercadejando.permitir que os que defendem as almas da ignorância e da infantilidade espiritual na igreja e os que julgam as ações dos homens à luz da Palavra de Deus possam exercer uma tal atividade ? .. . Ser uma voz que clama no deserto e que procure aplainar o caminho do Senhor no meio de uma geração perversa e iluminar os governantes para que cheguem ao conhecimento da verdade( Is. .(Caramuru Afonso FRANCISCO. o Evangelho de Jesus te quer salvar ! ".5º.19 da Constituição da República. acabam afastando os servos de Deus sinceros e verdadeiros da atividade político- partidária. segundo os preceitos do Evangelho.Deve-se lembrar ..24 da Lei nº 9. sempre que a cúpula da igreja se envolve com o poder político. em todas as ações. um outro prisma de sua pregação evangélica. do que é ser um verdadeiro ser político. pois isto representa a existência de uma relação de dependência. quietude e sossego no meio de nova brava gente brasileira. fiscalizador e sábio. seja pelo aproveitamento de espaços para fixação de cartazes ou distribuição de propaganda. pois só a bênção de Deus enriquece e não acrescenta dores(Pv. VI. que busque defender a justiça e a retidão. se não estiver envolvido com a liderança da igreja. são indisfarçáveis formas de contribuição para candidatos e partidos. participarem do processo eleitoral. ou. seguindo a Palavra de Deus. Que. Meu Brasil. É com preocupação que temos visto. acabam por envolver as igrejas locais nos embates político-partidários. de forma vigorosa. pois.. enquanto tais. possamos dizer. poderá até ser. um candidato e um governante exemplares. a observância da Palavra de Deus e denunciar toda e qualquer medida que contrarie a vontade de Deus. possa a sociedade melhorar e ter condições de vida cada vez melhores.Devemos.. que fazem com que se tenha não a política mas a politicalha. com vigor. A igreja deve defender. apoio político a este ou aquele candidato. em primeiro lugar. contribuição esta que é vedada e proibida pelo art. pois. sem sermos repreendidos : " Meu Brasil.A utilização de tais entidades para fins de publicidade de candidaturas ou de partidos políticos. tão somente. sempre. não aprovamos que as reuniões da igreja se tornem comícios nem que os púlpitos se transformem em palanques. .. há enorme prejuízo espiritual. Dos abusos nas eleições. admitir que venham a participar do processo eleitoral desta maneira quaisquer entidades das mencionadas no art. o predomínio ainda maior dos ímpios para desgraça maior do país. Tais medidas. logotipos. teremos igrejas que contribuirão com os governantes para que haja paz. quando menos. a Igreja deve. o que gera. pois ainda não há uma consciência por parte dos brasileiros do que é ser cidadão. . discaradamente.2:40. havendo estrita separação entre Igreja e Estado. mostrar aos governantes onde está a verdade e o que Deus deles requer. então. abre o largo seio e deixa a luz raiar.. alguns bem intencionados e cientes da necessidade de haver uma participação de servos de Deus na condução dos destinos do Brasil. como centrais sindicais.