TERMOS TÉCNICOS UTILIZADOS A BORDO DE UMA EMBARCAÇÃO

 Abatimento - alteração do rumo que sofre um veleiro pela ação conjunta da
corrente e do vento, abater;
 Abordagem - táctica de ataque naval;
 Abrir - termo usado para explicar que a vela sobe quando o burro não está caçado;
 Acastelagem - conjunto dos acessórios do convés;
 Acostagem - encostar a embarcação a um cais, por norma com proteções
(defensas);
 Adernamento - inclinação para um dos bordos da embarcação;
 Adriça - cabo para içar e sustentar a(s) vela(s);
 Alargar - quando o vento começa a ser mais favorável;
 Alanta - cabo que faz a amura de uma vela de balão;
 Alboi, Albóio - cobertura envidraçada que cobre as escotilhas
 Alça - serve para rematar um chicote;
 Alijar - largar/lançar objetos do navio ao mar a fim de aliviá-lo do excesso de
carga;
 Alheta - zona do costado de uma embarcação entre a popa e o través;
 Amainamento - acto de colher, amainar, as velas (em oposição a içar);
 Amantilho - cabo que mantém suspenso o pau do Spi;
 Amarração - acto de amarrar uma embarcação a um cais;
 Amura - bordo, ou cabo, do lado que recebe o vento;
 Âncora - peça de ferro terminada por duas unhas e uma argola na extremidade
oposta, para prender as embarcações ao fundo do mar;
 Ancoradouro - local onde uma navio lançava a âncora;
 Anteparas - são "paredes" longitudinais ou transversais cuja função pode ser
delimitar espaços, fortalecer a estrutura ou garantir a estanquidade de um
compartimento.
 Antivegetativo - pintura para evitar o crescimento de seres vivos nas obras vivas do
casco;
 Aparelho - nome dado ao conjunto propulsor dos veleiros: velame, massame e
poleame;
 Aparelho fixo ou morto - conjunto de cabos e peças de poleame
definitivamente ligados a mastros, vergas, etc.;
 Aparelho de labor - parte móvel e que trabalha : retranca, escotas, etc...
 Aplainar - caçar ao máximo uma vela para lhe tirar toda o bojo (volume);
 Aportar - (ver Arribada)
 Aproar - meter a proa em direção de;
 Aprumar (ver Adernamento);
 Aquartelar - aproar uma nave para a fazer parar ou recuar;
 Ardente - barco com tendência a orçar (em oposição a mole);
 Arfada - balanço no sentido popa/proa;
 Arinque - cabo que prende a boia à âncora;
 Armadoria - nome empregue na construção naval à relação entre quilha e mastros;
 Arnez ou Arnês - cinto de segurança;

peça por onde passa o eixo do motor para o exterior do navio.  Arrimar .cada um dos lados do costado de um navio (bom+bordo e esti+bordo).  Cabeço .barco ou marinheiro que passou o Cabo Horn. aproximar-se até tocar.parte da carena.  Boça .  Borda falsa .cabo que impede a retranca de subir.parapeito do navio no convés quando não há balaustrada.  Bússola .estrutura onde parar e amarar uma embarcação.  Bolina .em fibra ou metal servem para manter a mastreação ou manobrar as velas.cabo que serve para fazer variar a tensão da vela grande.  Bochecha .instrumento de navegação.movimento oscilatório de um navio. .  Bicha .  Astrolábio .  Atracação (ver Acostagem).largura transversal de uma embarcação.  Bordo .acto de afastar a proa da direção do vento (em oposição a orçar).parte da embarcação entre a proa e o través.  Bucim .  Baliza .  Buja (ver Vela de estai)  Burro . que indica um norte magnético da região.navegar em zigue-zague para se velejar de contravento (subir ao vento).  Brandal .  Cabrestante .  Cabotagem .ato de atesar.  Bóia .  Arribar .  Bordejar .entrada imprevista. Arribada .  Cabo .  Bigota .cabo que se passa pela escota para a aproximar do bordo.  Cabo Hornier .  Balão ou Vela Balão (ver Spinnaker).  Barbarola (Barber-hauler) . a baixas altitudes.bordo à esquerda do rumo da embarcação (em oposição a boreste ou estibordo).cabo que serve à amarração ou ao reboque. por vezes forçada num porto por razões de força maior.  Barlavento .acostar.acção de bordejar ou tiro de artilharia naval.  Buzina .  Balanço .  Boca . formada pelo fundo do navio e sua parte quase vertical.  Boom Jack (ver Burro)  Bordada .vento próximo da superfície do mar.lado de onde sopra o vento (em oposição a sotavento).mecanismo utilizado nas antigas naus. puxar o necessário uma adriça.cabos para fixar o mastro no sentido transversal  Brisa .  Bordo de fuga (ver Valuma)  Boreste (ver Estibordo)  Bojo .polia chata sem roldana.  Atracadouro .estrutura de ferro que serve para dar as voltas aos cabos de amarração ou às espias.olhal que dá passagem aos cabo.bóias e marcas que servem de referência à navegação.técnica de navegação contra o vento  Bombordo .instrumento de navegação usado para medir o ângulo que o Sol faz com o horizonte.objecto flutuante ou então que permite a um objecto flutuar.  Atesamento .navegação sem perder a costa de vista.

 Carrinho de escota .  Conhecença . por exemplo.estrutura de flutuação de uma embarcação.conjunto das estruturas de madeira ou metal que se ergue sobre o convés e abriga os tripulantes de um navio. se pousa o mastro.é a parte da cobertura superior de um navio.vara com um gancho na extremidade.extremidade de um cabo.inclinação do mastro no sentido proa/popa.representação cartográfica de uma área náutica podendo representar em conjunto as regiões costeiras.parte do forro exterior do casco da embarcação acima da linha de flutuação.  Capotamento . da ponta da popa à ponta da proa.a parte de uma embarcação que fica submersa.entrelaçado de cabos com diversas aplicações. como a casa das máquinas.  Cruzeta (ver Vau.  Cambar ( ver Virar por davante).  Carena .  Croque .ponto conspícuo na costa também marcado nas cartas (mapas náuticos) como faróis.serve para bloquear um cabo.  Claro a virar .permite regular as velas.imobilizar um veleiro com as velas desfraldadas.nome da peça onde.  Chicote .  Código internacional de sinais (CIS) .  Cordame (ver Cabo). . de quilha para cima. Caçar .  Coberta .  Calado .conjunto das traves que formam o esqueleto do casco de um navio.  Caimento .  Cordoalha (ver Cabo). na quilha.local no convés onde se encontra o equipamento para controlar as velas e o mastro.  Carta de marear .sistema de regulação da vela grande  Defensa . ou distância entre a ponta mais baixa da quilha e a linha de água do navio.  Costado .comprimento máximo de uma embarcação. de vela)  Cunho .cabos delgados para firmar os mastaréus.  Contraestais (ver Estais). etc.  Cana do leme .  Cochim .ideia de se ver um barco voltado.cada um dos ramos torcidos que formam um cabo.código usado entre dois navios utilizando fanhões (com o significado de cada letra).  Capa .medida da profundidade a que se encontra a quilha do navio.vedar as frestas do casco.objecto que se coloca ao longo do casco para proteger a embarcação.. ou as máquinas. igrejas.  Cocha .  Carlinga .  Convés .  Casario . mesmo como decoração.comando para início a uma manobra de virar.  Colhedor .  Calafetagem .  Comprimento de fora a fora (LOA) .pau que permite manobrar o leme de uma embarcação ligeira. torres.  Cadernal (ver Polia).  Cunningham .  Colete salva vidas (ver Bóia).alar ou tensar a escota de uma vela (em oposição a folgar).  Caturrar (ver Arfada)  Cavername .  Casco .

madeira ou ferro.marinheiro que vigia e dirige os trabalhos dum mastro de que é encarregado.  Enfrechadura .nome do pau que em diagonal prende a vela trapezoidal ou peça para trabalhar cabos.acções da pressão do vento numa vela.  Forqueta .(ver Enfrechate)  Enfrechate .  Enora .enrolar ou atar com os envergues (cabos que prendem a vela.  Embaçar . geralmente roliços.sistema de localização em emergências. feitos de corda grossa..  Galhardete .  Epirb .  Estais .  Ferro (ver Âncora)  Flâmula (ver Galhardete)  Folgar .aliviar a pressão na escota (em oposição a caçar). Derivar (ver Abatimento)  Derrota .  Esticador .  Equipagem .construção notável num ponto da costa para aviso e prevenção à navegação.período de tempo em que não há corrente de maré.cobrir completamente um cabo com um entrançado de fios.  Entesar ( ver Atesamento)  Envergar .  Esteira .  Espia .  Escota .  Estibordo .caminho seguido numa viagem por mar.cada um dos degraus de uma enxárcia. para servirem na manobra.(ver Boça)  Espicha .  Farol .propositadamente se deixa encalhar uma embarcação.cabos que fixam o mastro no sentido longitudinal.abertura no pavimento por onde passa o mastro.  Escala de Beaufort .  Encalhamento .classifica a intensidade dos ventos.cabo fixo à retranca ou ao punho da escota através da qual se controla a abertura da vela em relação ao vento.  Descair (ver Abatimento)  Descochar ..  Gajeiro .peça aplicada ao chicote de certos cabos para os atearem.cabo do pau de palanque (spi) que o impede de subir.peça em forma de Y onde se apoia o remo.bandeira de forma triangular. cabos que ligam os mastros e os mastaréus às mesas de guarnição. .) às vergas.bordo à direita do rumo da embarcação (em oposição a bombordo.  Estofo da maré .cordoalha de navio.destorcer ou desfazer as cochas de um cabo.tripulação de um navio.  Forras de Rizo (ver Rizadura)  Fundear: imobilizar uma embarcação com recurso a uma âncora unhada no fundo (ver Ancoradouro)  Gaio .(ver Calafetagem)  Embotijar .bordo inferior da vela grande.colher uma vela.  Força vélica .  Enxárcia .  Ferrar .

à vela ou a motor.  Jaibe (ver Virar em roda)  Jusante .caçar ou folgar uma vela ajustando-a à direção do vento.designa as diferentes posições que toma um veleiro em relação à direcção do vento.  Garruncho .vela de estai de maiores dimensões.  Homem ao mar .  Largo .parte suplementar de um mastro ou o mastro central.alterações do nível das águas do mar.arrastar o ferro/âncora por este não segurar bem a embarcação. de onde sopra o vento.desportos náuticos com barcos a remo.centro portuário de recreação. etc  Marina .material para aumentar o peso de uma embarcação.  Matroca .  Linga .Maré baixa .  Garrar .  Iatismo .sinónimo de direcção do vento.  Marcação .  Marés .  Linha de vida .dispositivo de controlo da direcção de embarcações (ou aeronaves).  Altura da maré .cabo que serve para cingir um fardo para ser içado.subir as velas (em oposição a amainar).(layline) é a linha para lá da qual não é necessário navegar para alcançar um destino à bolina.peça que prende a retranca ao mastro.angulo medido pela agulha de marear entre a direção de um objeto e o rumo do barco.  Leme .  Grivar .o bater ao vento das velas quando se navega muito cingido ao vento.  Linha de bolina .linha que separa a parte imersa do casco de um navio (obras vivas) da sua parte emersa (obras mortas).  Marear .  Içar .peça em aço forjado ou Alloy para unir ou fixar cabos. Garlindéu .direcção do vento é entre o través e as alhetas.cabo que se fixa ao arnez e a um ponto da embarcação para se trabalhar em segurança.manobra para recuperar um membro da equipagem.remo usado na popa de uma embarcação ligeira para a fazer avançar e dirigir.embarcação desgovernada devido perda.Maré enchente .  Manobra .  Genoa .regular as velas (caçando ou folgando) ajustando-as à direção do vento.  Linha do vento . É articulada para permitir a mareação da vela de ré.  Lastro .  Linha  Linha de água .  Hélice .  Gávea .  Ginga .  Luzes de navegação .  Manilha .instrumento de propulsão dos barcos a motor. .peça de fixação da vela ao brandal.vazante de mar ou lado da foz de um rio (em oposição a montante).mastro que se projeta da proa para vante. inutilizarão.  Mareação .Maré de quadratura - Preamar .sinalização de uma embarcação.  Hastear (ver Içar).Vazante. ou dano do leme (diz-se "navegação à matroca").  Gurupés .Estofo .

 Pau de Palanque ou Pau de Spi .técnica de amarramento de cabos.Sing.  Montante .parte inferior do casco das embarcações que fica submerso. cordão decorativo com bandeiras.embarcação com um casco único.  Milha náutica .Trimaran  Nadir .  Pairar .peça em plástico ou em metal que impede um cabo de correr.pau onde amura o balão.unidade de medida de velocidade.conjunto dos cabos utilizados a bordo.cabos que servem para prender (pear) quaisquer objetos de bordo.  Obras vivas .  Mordedor .  Patesca (ver Polia).  Orçar . Plur.  Mastreação .linha mediana e longitudinal da embarcação. Corresponde a uma Milha Náutica (1852 metros) por hora (MN/H).elemento de fixação como um cabo com um orifício. para caçar os cabos.é o termo tradicional para vela (tipos de velas)  Passadiço (ver Ponte).  Patrão .  Obra  Obras mortas .tubo vertical.barco com tendência a arribar (em oposição a ardente).  Monocasco .  Pavês e paveses .embarcação com mais de um casco.navegar muito lentamente.  Meia-nau .unidade de medida de comprimento ou distância.  Nó  Nó .peça metálica de abertura rápida aplicada nos chicotes dos cabos. que apoiado nos brandais e estais suporta as velas.  Panejar (ver Grivar).acto de aproximar a proa do barco da linha do vento (em oposição a arribar).ponto onde a vertical que passa por um lugar na terra encontra a esfera celeste (em oposição a zénite)  Náutica .  Molinete .peça de madeira utilizadas na manobra.conjunto dos mastros. evitando que se desloquem com o balanço.  Peia .  Moitão (ver Polia).  Mastro . as estruturas do convés.mastro que fica mais à popa.  Patilhão .aparelho de força.  Multicasco . é a parte emersa (em oposição a obras vivas). Catamaran .cabo que aguenta a mastreação para um e outro bordo.  Pano . vergas e paus.parte do casco que fica acima da água.parte do rio para o lado da nascente (em oposição a jusante). em madeira ou metal. Massame . girados com manivelas. .  Ovém .peça submersa que estabiliza e impede que uma embarcação derive.  Pau . Anteparo de madeira.chefe de bordo que assume a direção da tripulação. é a parte imersa (em oposição a obras mortas).  Mole .  Nó .  Mezena .  Olhal .  Mosquetão .conjunto das tecnologias de navegação no mar (ou aérea).

 Poleame .  Pinha .  Popa .a área junto aos ângulos do pano da vela.estrutura que corre da proa à popa da nave como uma espinha dorsal da embarcação.instrumento de navegação para medir o ângulo entre uma reta que passa pelo observador e um astro.peça para reforçar a alça de um cabo.  Porto .inclinar-se para fora da embarcação.  Singradura . Perpendicular .reduzir a superfície de uma vela quando o vento se levanta. Quadrante .  Querena (ver Carena)  Quilha . volante para manobrar o leme uma embarcação.  Rota .  Rosa dos ventos . .figura que representa as quatro direções fundamentais e suas intermediárias.  Saia da vela (ver Esteira)  Sapatilho .  Serviola .  Proa .  Sextante .uma área abrigada destinada ao atracamento de barcos.  Roda de leme . um trajeto.  Retranca . utilizando os rizes.  Rizar .  Ré .  Rumo . e a linha horizontal.  Roldana (ver Polia).  Socar .  Refrega .ângulo entre uma dada direção e uma direção de referência.braço que serve para afastar do bordo as peças a içar ou descer.caminho percorrido num único rumo.  Prancha .peça para transferir força e movimento.parte mais baixa no interior de um navio onde se dispõe a carga.rajada de vento fraca quase sempre acompanhada de mudança na direcção do vento.conjunto das peças destinadas à passagem ou ao retorno de cabos.compartimento ou passarela de um navio a partir do qual o mesmo é comandado.  Poço .  Porão .espécie de cabeça de cordões entrelaçados nos chicotes para decoração ou fazer peso e é então usada como arremesso.  Polia .quando o barco deslizar na crista da onda.local onde se encontra a tripulação e de onde se comanda a embarcação.uma direção.  Piano ( ver Cunho).apertar com força um nó ou uma volta de cabo.  Popa  Popa .sinal de emergência.linha vertical que passa pela intersecção do casco de um navio com a linha de flutuação na proa e na popa.  Punho .uma mareação quando a direção do vento vem pela popa.  Planar .instrumento de navegação.a parte da frente de uma embarcação (em oposição a popa).(ver Popa).roda.haste horizontal com uma das extremidades presa ao mastro e outra voltada para a popa do barco.  SOS .  Ponte de comando ou Ponte .a parte de trás de uma embarcação (em oposição a proa).

vela de grandes dimensões que se utiliza quando a embarcação navega na mesma direção do vento.Punho  Vela de estai .  Vela náutica ou Pano .o bordo da VG que encosta ao mastro.pau simplesmente apoiado ao mastro do navio e ao qual se prende uma vela.  Veleiro ardente (ver Ardente)  Veleiro mole (ver Mole)  Vento .  Tensar(ver Caçar)  Testa .  Virar de bordo .réguas que direcionam a saída do ar na vela para o lado oposto ao mastro. .  Veleiro .conjunto de velas de um veleiro.Testa . no estai e frente ao mastro.vigas horizontais num mastro.vela situada à proa.  Vau  Vau (náutica) .  Timoneiro .  Vau (vela) .soma dos ventos real e induzido.aquele que sentimos quando estamos parados.  Timão (ver Roda de leme).  Vela de genoa .  Verga . Sotavento . para unhar a âncora no fundo da vasa.  Unha .a que enverga no mastro da mezena.a parte de trás da VG.cada um dos lados (bordos) de uma embarcação.Vela latina .vigas transversais destinadas a suportar o pavimentos dos navios.  Través .  Tipos de velas : Vela quadrada ou redonda .  Skipper (ver Patrão)  Superfície vélica .acessório para fazer contrapeso nos veleiros ligeiros.  Vento induzido .  Vigia .estrutura de propulsão das embarcações que usam a força do vento.  Vela de mezena .  Vela de Spi/Balão (ver Spinnaker) .  Vante (ver Proa).  Valuma .embarcação movida pela força do vento nas velas.  Vento real .deslocação do ar provocada pelas diferenças de pressão ou de temperatura.Vela aúrica.  Spinnaker ou Spi .  Velame .tripulante de que ocupa do leme.  Trapézio .   Esteira .  Turco (ver Serviola).extremo da pata da âncora.vela de estai de maiores dimensões.relação entre a força vélica e a superfície da vela' ]  Tala .janela redonda utilizada nas embarcações.  Vento aparente .aquele gerado quando nos deslocamos.fazer passar as velas de um bordo ao outro.vela situada atrás do mastro de forma triangular e mantida entre o mastro e a retranca.Valuma .lado para onde sopra o vento (em oposição a barlavento).  Vela grande (VG) .

 Virar por davante .vento ou brisa do mar brando que sopra periodicamente do mar para a terra.virar de bordo com o vento pela proa.levantar âncora para partir ou com o sentido de deixar o porto.zona dos rumos onde um barco não é capaz de velejar.  Zona não véliza .virar de bordo com o vento pela popa.  Zarpar .  Zénite ou Zênite .ponto exatamente acima do lugar geométrico do observador (em oposição a nadir).  Virar em roda . .  Viração .