TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO

PROCESSO TC 04447/08 Pág. 1/2 CÂMARA MUNICIPAL DE SERTÃOZINHO DENÚNCIA ACERCA DE SUPOSTAS IRREGULARIDADES NA GESTÃO DO PRESIDENTE JOSIVAN CARDOSO DA SILVA – PROCEDENTE – IMPUTAÇÃO DE DÉBITO – APLICAÇÃO DE MULTA - DETERMINAÇÕES. RECURSO DE RECONSIDERAÇÃO – CONHECIMENTO – PROVIMENTO PARCIAL.

ACÓRDÃO APL TC 617 / 2010
RELATÓRIIO RELATÓR O
Esta Corte de Contas, na Sessão Plenária de 03 de março de 2.010, nos autos que tratam de denúncia formulada pelos vereadores Messias do Nascimento Ribeiro e José Dioclécio Oliveira da Silva, do município de Sertãozinho, acerca de supostas irregularidades ocorridas no exercício de 2006, na gestão do então Presidente da CÂMARA MUNICIPAL DE SERTÃOZINHO, Senhor Josivan Cardoso da Silva, através do Acórdão APL TC 148/2010, decidiu (in verbis): 1. CONHECER da denúncia formulada, julgando-a PROCEDENTE; 2. IMPUTAR débito ao gestor, Senhor JOSIVAN CARDOSO DA SILVA, no valor de R$ 2.851,52 (dois mil, oitocentos e cinquenta e um reais e cinquenta e dois centavos), relativo a gastos excessivos com combustíveis no exercício de 2006, assinando-lhe o prazo de 60 (sessenta) dias para recolhimento aos cofres públicos; 3. APLICAR multa pessoal a autoridade antes assinalada, no valor de R$ 2.805,10 (dois mil e oitocentos e cinco reais e dez centavos), em virtude de infração grave a norma legal ou regulamentar e ato de gestão antieconômico que resultou em injustificado dano ao Erário, nos termos do artigo 56, incisos II e III, da LOTCE (Lei Complementar 18/93) e Portaria 39/2006; 4. ASSINAR o prazo de 60 (sessenta) dias para o recolhimento voluntário da multa ora aplicada, aos cofres estaduais, através do FUNDO DE FISCALIZAÇÃO FINANCEIRA E ORÇAMENTÁRIA MUNICIPAL, sob pena de cobrança executiva, desde já recomendada, inclusive com a interveniência da Procuradoria Geral do Estado ou da Procuradoria Geral de Justiça, na inação daquela, nos termos dos parágrafos 3º e 4º, do artigo 71 da Constituição do Estado, devendo a cobrança executiva ser promovida nos 30 (trinta) dias seguintes ao término do prazo para recolhimento voluntário, se este não ocorrer; 5. DETERMINAR A REMESSA AOS DENUNCIANTES E DENUNCIADO da decisão ora proferida. Inconformado, o interessado, Senhor Josivan Cardoso da Silva, interpôs o Recurso de Reconsideração de fls. 165/170, que a Auditoria analisou e concluiu pelo conhecimento do Recurso e, no mérito, pelo provimento parcial, a fim de desconstituir a imputação de débito no tocante à suposta despesa com excesso de combustíveis, ratificando-se os demais termos do Acórdão APL TC 148/2010. Encaminhados estes autos ao Parquet, este opinou, através da ilustre Procuradora Sheyla Barreto Braga de Queiroz pelo conhecimento do recurso interposto pelo Sr. Josivan Cardoso da Silva, por atendidos os pressupostos de admissibilidade e, no mérito, o seu provimento parcial, a fim de: a) retirar-se da Decisão esgrimida (Acórdão APL TC 148/2010) a imputação de débito ao ora insurgente e, bem assim, a pecha de irregularidade da contratação de motorista por prática de nepotismo;

TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO
PROCESSO TC 04447/08 Pág. 2/2

b) reduzir-se a multa do inciso III, do art. 56, da LOTC/PB aplicada ao insurreto; c) dar-se pela procedência parcial da denúncia. Foram realizadas as notificações de praxe. É o Relatório.

PROPOSTA DE DECIISÃO PROPOSTA DE DEC SÃO
Com razão a Auditoria, quanto ao atendimento dos requisitos de admissibilidade do presente Recurso, bem como à irregularidade do Convite nº 01/06 e à desconstituição do débito relativo a excesso de gastos com aquisição de combustível. Ademais, concorda com o Parquet, entendendo que merece ser desconsiderada a irregularidade da contratação de motorista por prática de nepotismo, tendo em vista a anexação da Certidão de Nascimento do Sr. Josivan Cardoso da Silva (fls. 170), pelas razões ali expostas (fls. 176), bem como à redução da multa, face ao afastamento do excesso no consumo de combustível. Isto posto, propõe no sentido de que os integrantes do Tribunal Pleno CONHEÇAM do presente Recurso de Reconsideração e, no mérito, CONCEDAM-LHE PROVIMENTO INTEGRAL, a fim de afastar as falhas referentes à contratação de motorista por prática de nepotismo e excesso de gastos com combustível, inclusive afastar a multa, bem como conhecer a denúncia e julgá-la improcedente. É a Proposta.

DECIISÃO DO TRIIBUNAL DEC SÃO DO TR BUNAL
Vistos, relatados e discutidos os autos do PROCESSO TC 04447/08; e CONSIDERANDO os fatos narrados no Relatório; CONSIDERANDO o mais que dos autos consta; ACORDAM OS INTEGRANTES DO TRIBUNAL DE CONTAS DO ESTADO DA PARAÍBA (TCE-Pb), à unanimidade dos votantes, de acordo com a Proposta de Decisão do Relator, na sessão realizada nesta data, em CONHECER do presente Recurso de Reconsideração e, no mérito, CONCEDER-LHE PROVIMENTO INTEGRAL, a fim de afastar as irregularidades referentes a excesso de gastos com aquisição de combustível e contratação de motorista por prática de nepotismo, inclusive a multa, bem como CONHECER a denúncia e JULGÁ-LA IMPROCEDENTE.
Publique-se, intime-se e registre-se. Sala das Sessões do TCE-Pb - Plenário Ministro João Agripino João Pessoa, 22 de junho de 2.010. ________________________________________ Conselheiro Antônio Nominando Diniz Filho Presidente __________________________________________ Auditor Marcos Antônio da Costa Relator ______________________________________________________ Dr. Marcílio Toscano Franca Filho Procurador Geral do Ministério Público Especial junto ao TCE-Pb mgsr