REINO UNIDO

Anunciado Plano de Emergência
Tal como tínhamos previsto na edição anterior, o Governo britânico anunciou um orçamento de "emergência", que contém medidas como o aumento do IVA, cortes nas despesas do Estado e a introdução de uma taxa bancária.

Nº 87 < Ano 4 < 02 Julho 2010

Director: Daniel Santos

Quinzenal< Gratuito

FÉRIAS EM PORTUGAL

Só de carteira recheada
Pag. 17, 18, 24 e 29

Se pensa ir de férias a Portugal, leve a carteira cheia, porque, a partir do passado dia 1 de Julho, nada escapou, está tudo mais caro. A prestações de casa para mais de 500 euros por ano, os combustíveis mais de 12%, o IVA passou para 21%, o Gás sobe 3,2%, o IRC paga mais 2,5%, os benefícios diminuem, o imposto do selo vai para o dobro, as autarquias recebem menos 100 milhões, os transportes sobem 1,2%. Enfim, quem é que você pensa vai pagar a conta final? E para ajudar à crise, os salários ficam congelados por dois anos. Um cenário que, com certeza, ajudará a crescer a população emigrante. Pag. 10 e 11

Pag. 38

“O Cultural” na Madeira no XXVI Festival Regional de Folclore “48 Horas a Bailar”
Notícias de “O Cultural” Pag.35
PUB.

2

02 Julho 2010

AINDA A TEMPO
Venho por este meio apontar duas falhas vossas na edição N 86 de 19 Junho 2010 . Na pagina 34 na secção de Sabia Que… os senhores dizem que Todos os continentes acabam com a mesma letra com que começam, certo em inglês errado em Português (Ex. Europe/Europa). Outro ponto em que os senhores dizem que é impossível lamber o cotovelo eu posso (mais concretamente o meu filho de 19 anos) provar que isso é falso. Os melhores cumprimentos Jose M. Mourato, Londres NR: Obrigado pela explicação. No meu tempo este tipo de notícias vinha da “cultura de Eciclopédia”, agora temos a “cultura de Internet” e será difícil fugir dela, para mantermos secções como ‘Sabia que...’ Venho por este meio, pedir-vos (.) para ser incrita para receber o vosso jornal (.) sou cidadã portuguesa, detida (.) e gostaria de receber o jornal da minha língua. Maria dos Santos, Surrey NR: Muitas já são as Prisões no Reino Unido para onde enviamos o nosso jornal. Será um prazer incluir a sua na nossa rota de distribuição. Gostaria de vos informar que o jornal tem chegado atrasado aqui a Stockport. Sou reformado e o ‘Notícias’ é uma das poucas companhias que tenho... José Martins. Stockport NR: É possível que as duas últimas edições, tenham chegado um ou dois dias atrasados. Mudámos da TNT para a City Link na distribuição fora de Londres e Norfolk e houve reajustamentos nalgumas rotas. Pelo facto pedimos desculpas. Dou-vos os parabéns pela forma como defenderam as autoridades portuguesas na tentativa de manifestação à frente do Consulado. Uma vergonha! O que faz correr este tipo de gente?... Manuel Cruz, Reading NR: Defendemos porque achámos a manifestação fora de tempo, numa altura em que houve progressos significativos nos serviços consulares em Londres. Mas continuamos atentos à qualidade de serviços prestados.

João de Noronha

ACERTAR O TEMPO
Foi um dia memorável. Agora, depois de bem digerida a inveja e equacionadas as repercussões há que destruir. Falamos da Festa do Dia de Portugal. Pela primeira vez, depois de dezenas de anos, organizada por um grupo de cidadãos, à margem dos chamados líderes da comunidade. Uma ousadia e ainda por cima com sucesso. Uma casa cheia. Uma organização em que os erros passaram ao lado do espectador comum. Uma festa exemplar. Executada por quem até vai publicar as contas e que conta com o apoio declarado da Embaixada e entidades oficiais. Oficialmente constituída como a Comissão da Festa do Dia de Portugal. No entanto, à ‘boca cheia’ crculam rumores sobre as mais diferentes irregularidades. Queixas, processos, insatisfações oficiais e provas contundentes e irrefutáveis. Sobre elas vão haver publicações sobre publicações. Num folhetim já gasto e onde a imaginação não pára. Claro que há muito trabalho na execução de uma festa com volume do Dia dos Portugueses, assim é conhecida na nossa comunidade. No final há sempre que saldar e cumprir uma quantidade de acordos e requisitos. De admitir erros, identificá-los e corrigi-los para o ano. No rol de suspeitas, há uma que o nosso jornal investiga. Tem contornos pouco claros, mas a confirmar-se situa-se à margem da organização. Agora só nos falta esperar pela publicação das contas, a desmistificação e que para o ano haja mais e melhor! Agora gostaria de falar sobre outro tema. Na verdade somos o maior e mais importante veículo de comunicação na comunidade portuguesa. Aceitamos isso. Mas temos de aceitar, também, a responsabilidade que vem em anexo. Nós não podemos publicar qualquer coisa que nos é dita ou transcrita, sem meios de prova. Uma coisa é dizer-se da boca para fora, outra é provar aquilo que se diz. Temos publicado alguns artigos polémicos, mas sempre baseados na verdade factual, em gravações e documentação. Quando nos é pedido omitimos a identidade do informador, mas escrevemos sobre factos comprovados. Por isso, somos um jornal respeitado e reconhecido por todos. Vejamos por exemplo: Em 2007 publicámos o número de 700 mil portugueses no Reino Unido, enquanto em Portugal se falava em “200 mil” e embaixada arriscava uns “300 mil”. Há semanas à BBC o embaixador já admite os “400 mil”. O governo português fala agora em “500 mil”. Documentos oficiais da DGSC, apontam para um em cada 4 portugueses inscritos nos Consulados. Segundo o Cônsul Geral de Portugal em Londres, constam 150 mil portugueses inscritos e cerca de mais 25 mil nos outros postos consulares, isto é 175 mil. Ora se em cada 4 só um está inscrito, somos oficialmente 525 mil. Esta semana numa conferência oficial sobre ensino em Londres, falou-se em 300 mil portugueses a viver fora de Londres. Basta somar os de Londres, para perceber que o nosso número de 2007 está cada vez mais perto. Tudo é uma questão de tempo. Porque todos os temas levantados por este jornal, confrontados, mais tarde, com a realidade, confirmaramse. Por esta razão ganhámos o respeito e a admiração dos portugueses. Incomodamos outros. E criámos muitos e fortes inimigos. Mas continuamos determinados em cumprir o nosso objectivo. Tudo é uma questão de tempo!
Propriedade e Administração Portuguese Link Ltd. Sede: 25A Guildhall Street Thetford – Norfolk IP24 2DT - Tel: 01842 764622 Delegação: 47 South Lambeth Road London, SW8 1RH - Tel: 02075 821155 geral@portuguesemedia.co.uk - sales@portuguesemedia.co.uk Direcção Geral: João de Noronha joaonoronha@asnoticias.co.uk ; Direcção Administrativa e Comercial: Pedro Fernandes pedrofernandes@asnoticias.co.uk ; Direcção Financeira: Susana Forte Vaz susana@asnoticias.co.uk ; Director/Editor: Daniel Santos; Agente no Sul de Inglaterra: Nuno Custódio; Redactora: Filomena Furtado; Colaboradores: Denise Cabral (Comunidades e Movimento Associativo); Alfredo Miranda (Portugal); Marques dos Santos (Desporto); JCD Gomes; Sérgio Silva; J. Bandeira; Miguel Linhares (Informática); Opinião: José Bandeira, F. Gonçalves da Silva, Valdeiza Costa, Carlos Flores (Fotografia), Isa Alexandre (Moda), Mike Silva (Automóvel); Revisão: S. Vaz; Distribuição: Portuguese Link, City Link e EuroMarket ; Tiragem: 20 mil exemplares distribuídos em 264 localidades na Inglaterra, País de Gales, Escócia, Irlanda, ilhas de Jersey e Guernsey; Colaboração: Lusa, Agência de Notícias de Portugal, SA

Mais um grande sucesso

RÁDIO NOTÍCIAS CONQUISTA CORAÇÕES DOS PORTUGUESES
Apesar de ter apenas duas horas de emissão semanais, ao Sábado e Domingo, a Rádio Notícias já conquistou os corações dos portugueses dentro e fora de Londres. A emitir da Spectrum Rádio, uma rádio comunitária, em 558AM, a nossa rádio já tem nova grelha de programas a lançar em Setembro próximo, que passa pelo aumento de horas ao Sábado e Domingo e pela emissão diária de uma hora de Segunda a Sexta-feira. Tal como o jornal, a Rádio Notícias vai crescer de acordo com o mercado e com as condições e recursos técnicos e financeiros, na perspectiva de consolidar-se no mercado, tal como o jornal "As Notícias", hoje a maior publicação em português no Reino Unido. Sabemos que o nosso sucesso incomoda muita gente e a denominação 'Notícias' começa a aparecer um pouco por todo o lado, mas apenas o jornal, a Rádio, a Gala e a Feira Internacional, são acções do grupo 'Notícias'. Tudo o resto são imitações, para nós um estímulo, porque no mercado, seja ele qual for, só se imitam os vencedores… Também nós temos internet e sabemos qual a verdade por detrás das audiências dos jornais e rádios servidas por este meio de comunicação. Assim o nosso jornal teve durante um ano cerca de 15,600 visitantes. Isto é cerca de 1,300 pessoas por mês entraram no nosso site. Mais precisamente cerca 650 leitores por edição. O que faríamos se tivéssemos de vender publicidade, baseada numa audiência de 650 leitores por edição? Não é preciso pensar muito para perceber que a aposta está na edição em papel e nos cerca de 160 mil leitores de Jersey à Escócia. O mesmo se aplica à rádio. Quando é que uma pessoa houve rádio? Dizem os estudos, mais de 70%, quando utilizam a viatura. E que rádio ouvem esta maioria? Rádio analógica. E quantas rádios analógicas emitem em português? Em Londres e num raio de 100 milhas, a única é a Rádio Notícias. Em Milddenhall, a Rádio Galo de Barcelos, também parte de uma rádio comunitária, Zeta 105,3 FM, num raio que cobre o conselho de Forest Heath, ouvindo-se também nalgumas áreas de Thetford, Bury, Ely e Soham. Transmite Domingos das 11 às 13 horas. Com isto queremos dizer que a Rádio Notícias é única rádio que cobre uma área de mais de 400 mil portugueses e, por isso, considerarmos a única em termos nacionais. Isto sem tirar o mérito a todas as outras rádios. Apenas dar relevo a termos sido, mais uma vez, os pioneiros em termos de projecto de comunicação. Fomos primeiro com o jornal "As Notícias" e somos, de novo, com a Rádio Notícias. Isto porque assentamos numa equipa que tem competência e capacidade para consolidar projectos. Tudo o que vier a seguir, vem depois!
PUB

www.portuguesemedia.co.uk/asnoticias

Nota da Direcção: A publicidade publicada neste jornal, cadernos e inserções é da inteira responsabilidade dos anunciantes. Os artigos de opinião são também da inteira responsabilidade de quem os subscreve e podem ou não transmitir a opinião do jornal. A sua publicação insere-se na responsabilidade democrática que temos em aceitar a liberdade de expressão, de opinião e o direito à diferença.

02 Julho 2010

13

MADEIRA
JOÃO JARDIM DE NOVO AO ATAQUE

Selecção "incompetente" e Governo com "políticas erradas"
presidente do PSD-M, Alberto João Jardim, manifestou-se solidário com Cristiano Ronaldo e Danny e chamou de "incompetente" a Selecção Nacional, que foi eliminada pela Espanha no Mundial de Futebol da África do Sul "Eu quero dizer que estou solidário com um filho desta freguesia que é Cristiano Ronaldo, estou solidário com o Danny, tenho pena que se tivessem metido naquela mediocridade, naquela incompetência que se chama Selecção Nacional", disse Alberto João Jardim no comício do PSD-M realizado no Pico dos Barcelos, por ocasião do Dia da Região e das Comunidades Madeirenses. "É um consolo, neste momento, para o Ruben Micael não se ter metido naquela asneirada", acrescentou o líder dos sociais-democratas madeirenses. Alberto João Jardim manifestou ainda a sua discordância em relação às políticas seguidas pelo Governo do PS, que considerou erradas. "Para uma economia andar para a frente tem que haver dinheiro em circulação e se não houver dinheiro em circulação cada vez é maior o desemprego, está errada a política em Lisboa, está errada a política em Bruxelas do 'aperta-aperta', se eu fosse primeiro-ministro nunca seria esta a minha política". João Jardim lembrou ter sido preciso "fazer dívida" para por a Madeira "a funcionar". "Mas quando foi o 20 de Fevereiro [data do temporal que assolou a região], da minha parte e também da parte de pessoas responsáveis em Lisboa, entendemos que o que lá vai, lá vai, sempre me ensinaram a perdoar e Deus me livre de ir-me deitar com rancor seja para com quem for, faz mal ao coração, faz mal à cabeça", afirmou. "Não se deve ter rancor a ninguém por muitas asneiras que digam, por muitos insultos que nos façam, o perdão é uma coisa muito maior do que estar a guardar rancor seja a quem for", lembrou. "Houve o bom senso de se fazer as pazes com Lisboa, há lá ministros que ainda querem, como é o caso do ministro das Finanças, que ainda quer continuar a fazer sarilhos, Portugal não pode continuar a andar nas mãos de sarilhos, estamos, aqui, para recuperar Portugal, a maneira de recuperar Portugal é continuar a levar a Madeira para a frente", sustentou. Alberto João Jardim considerou ainda que "o povo português anda há muitos anos a ser enganado" e que há quem ponha "nos píncaros da lua os mais imbecis e mais incompetentes". "É altura de Portugal se levantar, é altura dos portugueses protestarem em todo o lado e acabar com a situação em que o País caiu", concluiu.

INVESTIR NA PREVENÇÃO DE CATASTROFES
A deputada do PS no Parlamento Europeu (PE), Edite Estrela, defendeu hoje no Funchal ser necessário investir mais na prevenção de catástrofes. A delegação dos deputados socialistas no PE terminou hoje as suas jornadas parlamentares realizadas no Funchal, tendo reiterado apoio ao processo de reconstrução da Madeira, na sequência do temporal de 20 de Fevereiro.

Polémica com o livro o “Rei da Madeira”

BIOGRAFIA NÃO AUTORIZADA DE JARDIM
"Alberto João Jardim - O Rei da Madeira" é o título da biografia não autorizada do presidente do Governo Regional da autoria da jornalista Maria Henrique Espada que será apresentada a 08 de Julho, em Lisboa, por Pedro Santana Lopes. Em declarações , a jornalista afirmou que o principal objectivo não foi "realçar o melhor ou pior de Jardim, porque as pessoas têm sobre ele uma opinião bem formada e poucos são os que lhe são indiferentes, mas trazer mais informação sobre o seu percurso". Garante que "tentou ser imparcial e a sua preocupação não foi agradar ou desagradar ao dr. Jardim", traçando um retrato politico e pessoal do homem que está no poder há 32 anos. Diz que este projecto surgiu de uma proposta da editora à Esfera das Letras e que apesar das três tentativas com o gabinete da Presidência do Governo Regional da Madeira não conseguiu falar com o líder madeirense. O livro tem por base inúmeros depoimentos de pessoas que lhe são próximas e muita pesquisa, narrando ao longo de 400 páginas "muitos factos, casos e episódios, alguns dos quais surpreendentes". Quanto ao título, menciona que tem por base o facto de Alberto João Jardim "estar no poder há 32 anos, em democracia, o que não é muito normal", uma situação que acontecia apenas nas monarquias. O livro recorda que nos tempos de Coimbra, altura em que Alberto João Jardim tinha a alcunha de "O Barão". Alberto João Jardim critica "a escalada de ataques pessoais, sem precedentes, para o efeito e em termos de tentativas intimidatórias, que envolvem instâncias diversas no Funchal e em Lisboa". "Sem que eu tenha responsabilidades políticas de âmbito nacional e a este nível mereça atenção prioritária, no entanto anda a ser cirúrgica e orquestradamente propagandeada no país, por tudo quanto é comunicação social hostil, uma publicação de alguém pretendendo me biografar.

VINHO DA MADEIRA DUPLICA VENDAS PARA EUA
A exportação de Vinho da Madeira para os Estados Unidos duplicou até maio, recuperando de dois anos sucessivos de quebras, afirmou Paula Cabaço, presidente do Instituto do Vinho da Madeira (IVBAM), que falava à margem de uma prova de vinhos nos EUA, por onde passaram cerca de 100 convidados, sobretudo importadores, distribuidores e alguma imprensa especializada.

PS-M DEFENDE POLÍTICA COMUM NA AGRICULTURA
O presidente do PS-Madeira, Jacinto Serrão, defendeu que o Governo Regional deve adoptar uma política integrada para a agricultura, um sector com potencialidades acrescidas no anual contexto de crise. O líder socialista madeirense falava no Jardim da Serra, no concelho de Câmara de Lobos, no âmbito de mais uma Festa da Cereja.
PUB.

16

02 Julho 2010

EMBAIXADOR ADERE AOS "AMIGOS DO PEIXE"
O Embaixador de Portugal no Reino Unido, António Santana Carlos, foi o convidado de honra no último jantar dos "Amigos do Peixe", tertúlia de confrades que reúne os mais destacados empresários portugueses na área de Londres e arredores. Saleintamos também a presença do conselheiro das comunidades Augusto Nunes. Num tom divertido e bem disposto, o embaixador pareceu bem inserido permeio toda esta forte representação da comunidade portuguesa e muito interessado em saber das actividades de todos os presentes. Com eles trocou palavras de apreço e, no final, ficou bem patente a consideração e a importância que todos estes empresários têm para o representante da República portuguesa. No seu discurso, Santana Carlos salientou a importância de "ter estado presente neste jantar, que reúne grande parte dos empresários" portugueses em Londres. "Tenho pena, contudo, que só pouco antes de me retirar, ter tido o prazer de conhecer este importante grupo de portugueses", continuou o embaixador. Em tom brincalhão e perante as gargalhadas gerais, sublinhou perceber a importância destas reuniões, que considerou "uma boa desculpa, dos homens, para se reunirem e deixarem as mulheres em casa”. Depois explicou a sua surpresa, "ao constatar que muitos de vós já residem e têm actividades há mais de 30 anos, situação que é de louvar e respeitar." No final, António Santana Carlos diz ter sido conquistado pelo espírito desta tertúlia de confrades e promete que se ainda "estiver por cá na data do próximo jantar, farei o possível para estar, de novo, presente." Com este convite, os "Amigos do Peixe" criaram, com certeza, uma importante e distinta amizade.

Pedro Fernandes
pub

02 Julho 2010

25

COMUNIDADES

A delegação do Banco Espírito Santo em Londres vai mudar de instalações, a partir de 1 de Setembro deste ano, para um espaço mais amplo e funcional, permitindo melhorar os serviços a clientes. Nesse sentido, a pedido da vasta clientela, o BES passará a funcionar por marcação, evitando os constrangimentos e as longas esperas. Para isso os interessados deverão contactar os escritórios do BES, fazer a marcação e serão atendidos na hora. Doutro modo, todos os serviços providenciados por este escritório de representação em Londres, manterse-ão com a mesma qualidade de serviços, prestada por António Ramos e Fernando Matias (na fila da frente da fotografia da esquerda para a direita) e João Pedro Oliveira, Nídia Sousa e José Lima (na fila detrás da fotografia da esquerda para a direita). Eis o novo endereço do Banco Espírito Santo em Londres: 10 Paternoster Square, London EC4M 7AL, mantendo-se os tel. : 0207 332 4349 e o fax : 0207 332 4340 e email: personalbanking@beslondon.co.uk
PUB.

Associação Portuguesa

Precisa de ajuda?
· Interpretes / Traduções · Benefícios / National Insurance Number · Pagamentos de Facturas · Acompanhamento a Serviços · Advogados · Aulas de Inglês · Abertura de Conta Bancária · Marcações Consulares

020 8965 8844
39 Park Parade, Harlesden, NW10 4JE www.whitehousecommunityassociation.co.uk e-mail: whca.hotmail.co.uk

27

Por JOSÉ

BANDEIRA

josebandeira@hotmail.co.uk

É PRECISO CONTINUAR O QUE ESTE EMBAIXADOR INICIOU
A recente visita do embaixador português a Thetford inseriu-se na prática de aproximação à comunidade portuguesa com que o mandato deste embaixador ficou caracterizado e apesar de nos encontrarmos no fim de um ciclo o balanço ao trabalho desenvolvido é reconhecidamente positivo e todos esperam que esta tendência continue a ser incrementada pelo sucessor do embaixador cessante. Em termos consulares também o balanço é positivo e a realidade actual contrasta claramente com os tempos em que tudo era contabilizado em meses de espera e em que muitas vezes era preferível ir a Portugal pois ganhava-se em tempo e dinheiro. Felizmente para a comunidade a situação é hoje completamente diferente e apesar de existirem vários aspectos que podem e devem ser melhorados seria de uma enorme injustiça ignorar as melhorias introduzidas de que todos nós beneficiamos. Estes factos só por si são suficientes para dificilmente perceber a alegada manifestação que recentemente um pequeníssimo e não significativo grupo de pessoas fizeram junto às instalações consulares. Que objectivos têm aqueles que não se pronunciaram quando os serviços estavam manifestamente mal e que vêm agora levantar a voz quando os serviços estão claramente melhores? Apesar de estranho o incidente não é nem poderia ser significativo pois não representa o sentir da comunidade que reconhece as mudanças positivas verificadas e em curso. Também na área do ensino do português tem havido alguns progressos com a tentativa de melhorar e aprofundar o trabalho desenvolvido muitas vezes limitado e dificultado por obstáculos criados nas próprias escolas, onde se torna necessário desenvolver também um trabalho de difusão da língua e da cultura portuguesa bem como da inclusão do português no currículo escolar, até porque hoje o português é uma língua internacional falada por vários povos e nações e é, a par com outras, língua oficial de várias organizações internacionais. Nas diversas frentes o balanço é realmente positivo mas mais e melhor é necessário. A comunidade portuguesa continua a crescer e muitos dos que tinham regressado a Portugal vêem-se por força das circunstâncias obrigados a voltar devido às difíceis condições em que o nosso país se encontra. Esta comunidade tem cada vez mais necessidade em se organizar e de se tornar mais participativa como único meio de assim se tornar também mais influente e mais entrosada na sociedade inglesa. Nesse sentido tudo indica que também as autoridades portuguesas têm um papel a desempenhar que passa pelo início de um processo de descentralização e de maior aproximação à comunidade em pontos estratégicos de maior concentração de portugueses. Não cabe no âmbito deste artigo avançar com propostas concretas neste sentido mas entendo que é chegado o momento de começar a equacionar esta problemática com toda a seriedade e de começar a ponderar variáveis diferentes que preencham lacunas inquestionáveis e correspondam à verdadeira dimensão e necessidade da nossa comunidade.

Licenciado em Direito e estudante em Relações Internacionais e Políticas
PUB

38

02 Julho 2010

QUEIROZ AO ATAQUE NÃO ADMITE CULPA
Carlos Queiroz não admitiu ter alguma quota da responsabilidade da derrota de Portugal contra a Espanha. Em declarações à imprensa esteve sempre ao ataque e disse não ter razões para abandonar a selecção. Quanto a algumas criticas dos jogadores à sua táctica de jogo contra a Espanha, Queiroz foi peremptório ao dizer que "enquanto estiver à frente da selecção, se o tamanho da camisola for pequeno demais para algum corpo, então não precisam de estar aqui", considerou o técnico, numa conferência de imprensa que serviu de rescaldo à campanha portuguesa na África do Sul. Apesar de insistir que "Portugal precisa de Cristiano Ronaldo e que Cristiano Ronaldo precisa da selecção", Carlos Queiroz sublinhou também que não precisa de "conquistar amizades fáceis" com o jogador do Real Madrid: "só preciso ter o respeito dele". "Quero fazer dos jogadores melhores jogadores e também melhores pessoas. Se precisar de levar toda a minha vida para fazer perceber e ensinar que as frustrações têm de ser contidas, vou fazê-lo", garantiu o treinador. Carlos Queiroz voltou a lembrar que num Mundial, ou em qualquer outra competição internacional de selecções, ninguém está a representar-se a título pessoal, mas sim um país inteiro. Sobre outro dos temas que deu alguma polémica, a substituição de Hugo Almeida pouco antes da Espanha marcar o golo do triunfo, Carlos Queiroz pediu espeito, negando ter mentido quando justificou a opção pelo cansaço do avançado do Werder Bremen.

MOURINHO EM DEFESA DOS JOGADORES

“Nas minhas equipas, quando ganhamos, MARADONA SAI EM DEFESA DE PORTUGAL ganhamos todos, quando perdermos, perco eu!”
O técnico do Real Madrid, o português José Mourinho, depois de toda polémica entre Ronaldo e Carlos Queiroz, veio explicar a todos a diferença entre um bom treinador e os outros. Sobre o assunto, falando à imprensa, afirmou que não deixará que coloquem sobre Cristiano Ronaldo "a responsabilidade de uma equipa" e considerou que Simão falhou no encontro do Mundial2010 de futebol frente à Espanha. Em declarações à Agência Lusa, Mourinho disse que da selecção portuguesa só fala "sobre Ronaldo e Pepe", por serem seus jogadores no clube espanhol, e abriu uma excepção a Simão, depois do extremo luso, antes do jogo, ter comparado o PortugalEspanha dos "oitavos" ao Inter-FC Barcelona da Liga dos Campeões da temporada passada. "Por ser meu jogador (Ronaldo), tenho o direito de fazer o que não fiz desde o início do Mundial, um único e simples comentário: Nas minhas equipas, quando ganhamos, ganhamos todos, quando perdermos, perco eu! Por isso Ronaldo pode estar tranquilo e gozar as suas ferias que na próxima época não deixarei que ninguém ponha sobre ele as responsabilidades de uma equipa", disse Mourinho. Para bom entendedor, do mestre meia palavra basta. Carlos Queiroz anteriormente tinha dito à mesma imprensa que “para quem a camisola da selecção fosse muito grande”, não teria de a vestir, reagindo a Ronaldo que, questionado pela imprensa, sobre a incapacidade da selecção, mandou o jornalista falar com o treinador. O selecionador argentino de futebol, Diego Maradona, defendeu hoje que Espanha eliminou Portugal, nos oitavos de final do Mundial África do Sul2010, graças ao árbitro argentino Hector Baldassi, comparando um dos auxiliares ao cantor invisual italiano Andrea Bocelli. "Baldassi não deixou Portugal chegar à área da Espanha porque cada bola dividida era para Espanha. Sou amigo de Baldassi, mas pareceu-me uma arbitragem horrível", afirmou Maradona, cuja equipa defronta amanhã a Alemanha, nos quartos de final da prova. Para o "astro" argentino, a expulsão do português Ricardo Costa, nos minutos finais da partida, foi injusta, além de o golo de David Villa ter sido obtido em fora de jogo. "Dizem que o (golo) de Tevez foi fora de jogo, mas o de Villa foi um fora de jogo tão grande como este Mundial. O árbitro esteve mal,

"Quando digo que um jogador está cansado, está cansado. Ao jogador compete dizer que não está. Não brinquem com a minha honra", pediu o seleccionador, voltando a relativizar a contradição de versões.

mas o juiz de linha era o Andrea Bocelli", continuou o "Pibe d'Oro", referindo-se ao tento inaugural da vitória argentina sobre o México (3-1), nos oitavos de final, e ao árbitro auxiliar do PortugalEspanha, comparando-o com aquele cantor invisual italiano. Diz também que o árbitro não assinalou "dois ou três agarrões a jogadores portugueses" e que, "como tudo isso se vai acumulando, a Espanha agarrou na bola e fez muitos estragos".

David Cameron contesta a Fifa e pede tecnologia no futebol
O primeiro-ministro britânico, David Cameron, afirmou, após assistir à derrota da Inglaterra para a Alemanha por 4 a 1 e a consequente eliminação da equipe de Fabio Capello da Taça do Mundo, que a tecnologia deveria ser usada no futebol. O político afirmou que acredita que a tecnologia no desporto seria um bônus e evitaria erros como o da partida da Inglaterra contra a Alemanha, disse o jornal Times Live. A razão do comentário foi baseado no golo de Frank Lampard não assinalado pelo árbitro da partida, o uruguaio Jorge Larrionda, que não viu que a bola entrou, numa fase do jogo em que empataria o jogo a duas bolas. Cameron, reunido para o encontro do Grupo dos 20 (G20) na cidade de Toronto, no Canadá, acompanhou o segundo tempo do confronto ao lado da chanceler alemã, Angela Merkel. Apesar do erro da arbitragem, o britânico foi de opinião que nem mesmo com validação do gol, por parte do Juíz, a sorte inglesa teria sido diferente. "Profundamente desapontado", o líder do governo do Reino Unido reconheceu a superioridade da Alemanha, dizendo que, com um resultado como esse, não se pode dizer que a equipe foi "roubada", mas sim vencida. Uma realidade que a FIFA não quer ver.