02 Campo Largo, 09 de julho de 2010

Opinião

VISÃO DA FOLHA

Uma droga capaz de destruir o Homem
Na década de 80, os traficantes colombianos desenvolveram uma droga muito poderosa, capaz de destruir não só uma meia dúzia de viciados nas periferias das cidades, mas uma grande parte da sociedade. Seu poder de destruição é tão impressionante, que governos de todo o mundo já estão se mobilizando para combater aquele que pode ser o maior flagelo do século XXI, o Crack. Capaz de viciar uma pessoa já na primeira dose, o Crack é a droga atual mais temida, em todo o mundo. Seus usuários morrem, em geral, com um ano ou pouco mais, de uso, quando não pelos seus efeitos maléficos à saúde, pela destruição mental, moral e psíquica, que leva traficantes e usuários a matar seus adversários, como se a vida nada valesse. A mais barata das drogas chega às mãos inocentes de crianças com 10, 12 anos de idade. Há casos de menores de dez anos consumirem a droga, nas periferias dos grandes centros urbanos. O “prazer” que ela proporciona é maior e mais intenso do que outras drogas, porque uma vez inalada a fumaça, em dez segundos o princípio ativo da droga chega ao cérebro. O preço desse “prazer”, entretanto, é a vida do usuário. É como se a pessoa, ao experimentar a droga, pela primeira vez, entregasse sua alma ao Demônio, se é que o Demônio existe. Uma vez viciada, dificilmente a vítima consegue se livrar. Há relatos de pessoas cultas, que tentaram experimentar a droga, pensando ser mais forte do que ela, e viveram o horror de lutar durante anos, sem conseguir se livrar do desgraçado vício. Outros sucumbiram na sarjeta, depois de destruir a família, o patrimônio e a própria vida. Não dá para brincar com o poder desse “Demônio”. A Folha aborda, nesta edição, esse que pode ser considerado um tema de vida ou morte. A família precisa estar atenta, dialogar muito com as crianças desde à mais tenra idade e, mesmo confiando, deve sempre acompanhá-la, 24 horas por dia, para evitar o primeiro contato. A droga, em geral, deve ser sempre evitada, mas o Crack, especificamente, deve não apenas ser evitado, deve ser amaldiçoado como a pior das tragédias que pode se abater sobre uma pessoa, sobre uma família, sobre uma sociedade. Se cada pai ou mãe fizer a sua parte, a família ficará melhor protegida.

O TRE divulga lista oficial com nomes de todos os candidatos às eleições de Outubro
O Paraná terá sete candidatos a governador, sete a vice, 12 candidatos ao Senado, com 24 suplentes, 289 candidatos a deputado federal e 583 a deputado estadual. A lista completa foi divulgada pelo tribunal Regional Eleitoral, nesta quarta-feira e corre, agora o prazo para impugnação dos nomes. Os pedidos de impugnação podem ser feitos até cinco dias, após a publicação oficial, no Diário da Justiça Eleitoral. Os documentos apresentados pelos candidatos serão analisados pelos juízes eleitorais que irão deferir ou negar os registros, até o dia cinco de agosto. Os candidatos irão disputar os votos de sete milhões, 601 mil e 553 eleitores paranaenses. Os cinco maiores colégios eleitorais são Curitiba (1.309.961), Londrina (352.796), Maringá (234.417), Ponta Grossa (210.535) e Cascavel (183.607). De acordo com um relatório do TRE, nos últimos vinte anos, entre os cinco municípios, Cascavel foi o que apresentou o maior crescimento no número de eleitores: 82,43%. Lista Os candidatos a governador e vice-governador são: Amadeu Felipe da Luz Ferreira (PCB), vice: Gilberto Gomes (PCB), Avanilson Araújo (PSTU), vice: Ivan Ramos Bernardo (PSTU), Beto Richa (PSDB), vice: Flávio Arns (PSDB), Luiz Felipe Bergmann (PSOL), vice: José Elias Aiex Neto (PSOL), Osmar Dias (PDT) vice: Rodrigo Rocha Loures (PMDB), Paulo Salamuni (PMDB), vice: Flávia Romagnoli (PV), Robinson Cordeiro de Paulo (PRTB), vice: Celso Carazzai de Matos. Para o Senado, os seguintes candidatos pediram inscrição: Ademir Correa Pedroso (PRTB) e Rivaldir Jansen (PRTB), suplentes: Luiz Armando Brandalise (PRTB) e João Flausino Erailton Bina (PRTB) e Eliel Vieira Aguiar (PRTB); Claudio Roberto Timossi (PSTU), suplentes: Mateus Magalhães (PSTU) e Márcia Farherr (PSTU); Gilberto Carlos de Araùjo (PCB), suplente: Adriana de Oliveira (PCB) e Elísio Eduardo Marques (PCB); Gleisi Hoffmann (PT), suplentes: Sergio Souza (PMDB) e Pedro Tonelli (PT); Gustavo Fruet (PSDB), suplentes: Euclides Scalco (PSDB) e Edson Casagrande (PSDB); Irineu Fritz (PT do B), suplentes: Mauro Del Cuchi (PT do B) e Vicente da Silva (PT do B); Luiz Piva (PSOL) e Valmor Venturini (PSOL), suplentes: Lucimeri Costa (PSOL), Helio de Jesus (PSOL), Paulo Bearzoti (PSOL) e Myriam do Pilar; Ricardo Barros (PP), suplentes: José Richa Filho (PSDB) e Bento Batista da Silva (PTB); Roberto Requião (PMDB), suplentes: Francisco Simeão (PMDB) e Luiz Mussi (PMDB). Candidatos de Campo Largo São os seguintes, os candidatos campo-larguenses a deputado estadual, com os respectivos números: 19.000 - Maurício Roberto Rivabem ( Maurício Rivabem); 15.369 - Nelson Silva De Souza ( Nelsão da Força); 40.444 - Carlos Alberto de Andrade (Carlos Andrade) e candidato a deputado federal, 2.727 - Luiz Adão Marques (Luis Adão).

ALÇA DE MIRA

Candidatos de Campo Largo

Três candidatos campo-larguenses vão disputar uma, duas ou quem sabe, três cadeiras na Assembléia Legislativa. São eles: Maurício Rivabem, Nelson Silva de Souza e Carlos Andrade. O candidato a deputado federal é Luiz Adão.

Muito candidato para pouco voto

Talvez não seja possível eleger três deputados estaduais, mas pelo menos dois, os 60 mil e poucos votos de Campo Largo dependendo do partido e da coligação -, pode até eleger. Vai daí que os candidatos precisarão ir em busca de votos, também em outros municípios.

Descentralização do Governo

São José dos Pinhais foi, nesta semana, a Capital Administrativa do Paraná. Lá estiveram o governador Orlando Pessuti e os prefeitos dos municípios da Região Metropolitana, e do Litoral. Edson Basso, de Campo Largo, estava lá, bem como alguns dos secretários municipais.

Tempo quente na Câmara Municipal

Assessor de Basso coordenará campanha de Carlos Andrade
Assessor de gabinete do prefeito Edson Basso, Giovani Marcon, trabalhará no Governo Municipal somente até à próxima segunda-feira (12). A equipe do prefeito Edson Basso, que sempre se mostrou unida, apóia a candidatura de Carlos Andrade para Deputado Estadual, continua unida. Exemplo desta união acontece na próxima semana, quando o assessor de gabinete Giovani Marcon deixa a Prefeitura para se tornar um dos coordenadores da campanha de Carlos Andrade. Marcon pediu sua exoneração do Governo Municipal para participar ativamente da campanha do candidato a Deputado Estadual Carlos Andrade. “Campo Largo precisa ter um representante na Assembléia Legislativa, por isso estou junto com o Carlos nesta luta”, afirmou Marcon.

Editora Folha de Campo Largo CNPJ: 81109399/0001-45 Circulação toda sexta-feira - Fechamento quartas-feiras e-mail: folhacampolargo@uol.com.br Site: folhadecampolargo.com.br Diretor Fundador: Germano José de Oliveira Departamento Jurídico: Kelli Artigas de Oliveira Jornalista responsável: Luis Augusto da Silva Cabral Reg. Prof. 4480/18/120 – DRT-PR Departamento Comercial Josiane da Rosa Fagundes Editoração eletrônica. Editora Folha de Campo Largo Redação. Rua Gonçalves Dias, 1127 Telefax: (41) 3392-1331 / 3032-3838 Campo Largo - Paraná Esta edição 4.000 exemplares Impressão - Editora O Estado do Paraná Rua João Tscharnnel, 800 Jardim Mercês. Fone: 3331-5000 - Curitiba

Na última segunda-feira (05), a sessão ordinária da Câmara Municipal teve momentos “quentes”, de discussão entre o vereador Nelson Souza, o Nelsão, e o presidente da casa, Sergio Schmidt. Quem presenciou o bate-boca garante que foi dos mais sérios...

Requião não deve ser convidado

Se você for dar um almoço, ou jantar político, muito cuidado, Roberto Requião não deve ser convidado, se o governador Orlando Pessuti for. É que os dois estão estremecidos, e a reunião pode dar “chabu”, como deu com o Rubens Bueno, na semana passada.

Pra Pensar na Cama

Já pensou num “arranca-rabo” entre Orlando Pessui e Roberto Requião? Rererêe!...