You are on page 1of 76

ASPECTOS LEGAIS E AMBIENTAIS E

INSTRUMENTAÇÃO AMBIENTAL EM
PROJETOS DE ENERGIA

Ana Rita Fraga Drummond, Ph.D.

1

AMBIENTE

“envolvente na qual uma organização
opera, incluindo o ar, água, solo, recursos
naturais, flora, seres humanos e as suas
inter-relações”
ISO 14001

NATURAL
ENVOLVENTE
HUMANO

2

Envolventes do Conceito AMBIENTE
Possíveis Danos Causados sobre cada Envolvente
Ambiente Possíveis danos
Destruição, perda de qualidade ou de utilidade
causada ao solo, à água, ao ar ou aos ecossistemas.
Ecossistemas Lesão, deterioração, enfermidade ou morte de
Envolvente Seres vivos animais ou plantas, assim como deterioração ou
natural Animais Plantas destruição dos seus habitats, ou das condições
Habitats necessárias para a sua reprodução

Lesão, deterioração, enfermidade ou morte de
Pessoas
animais ou plantas, assim como deterioração ou
Envolvente individuais
humana Pessoas em destruição dos seus habitats, ou das condições
necessárias para a sua reprodução.
sociedade
Valores Destruição, desgaste, rotura ou perda de valor de
culturais, utilidade das coisas (incluindo o património
Envolvente artístico, histórico e cultural) e lesão ou
artísticos,
socioeconómi enfermidade ou morte causada a animais e plantas
históricos
ca considerados como bens pertencentes a pessoas.
Valores
3
patrimoniais

além de constituir um item fundamental para as empresas que buscam a certificação da série ISO14001 para seu sistema de gestão ambiental. 4 . ASPECTOS LEGAIS A avaliação das consequências ou interações das atividades de determinada empresa ou indústria sobre o meio ambiente é uma forma de evitar que acidentes ambientais ocorram e de se buscar a melhoria do processo de forma a minimizar os impactos sobre o meio ambiente. Para que tal avaliação ocorra é necessário fazer um levantamento do que chamamos de “aspectos” e “impactos” ambientais das atividades da empresa/indústria.

Ex: o consumo de matérias-primas e recursos naturais. as descargas de águas residuais. a produção de resíduos sólidos. 5 . as emissões atmosféricas. o ruído as alterações da paisagem entre outros. produtos ou serviços de uma organização que possa interagir com o Ambiente” (norma ISO 14001). o consumo de energia. as radiações. ASPECTOS AMBIENTAL Aspecto Ambiental “um elemento das atividades.

. produtos e serviços de uma organização que podem interagir com o meio ambiente”. ASPECTO . “aspecto ambiental significativo” àquele aspecto que tem um impacto ambiental significativo.Definição • “. O aspecto tanto pode ser uma máquina ou equipamento como uma atividade executada por ela ou por alguém que produzam (ou possam produzir) algum efeito sobre o meio ambiente.elementos das atividades.. (NBR ISO14001) 6 .

Definição • “qualquer modificação do meio ambiente. impactos ambientais são classificados em: • adversos. que resulte no todo ou em parte. produtos ou serviços de uma organização”. das atividades. incluindo o meio físico. quando trazem alguma alteração negativa para o meio. IMPACTO . adversa ou benéfica. biótico e social 7 . quando trazem alterações positivas para o meio “meio” circunvizinhança da empresa/indústria. • benéficos.

” (Resolução n..a qualidade dos recursos ambientais.a saúde.a biota.as atividades sociais e econômicas. direta ou indiretamente. a segurança e o bem-estar da população. IV .as condições estéticas e sanitárias do meio ambiente. V .º 001/86 do CONAMA) 8 .qualquer alteração das propriedades físicas.Definição • “. químicas e biológicas do meio ambiente. IMPACTO . causada por qualquer forma de matéria ou energia resultante das atividades humanas que.. afetam: I . III . II .

 O segundo efeito é a contribuição para as alterações climáticas através da alteração da temperatura na Terra. é previsível a degradação das condições globais da vida na Terra. Ex: as emissões de CO2 e de outros gases.  O primeiro efeito é a alteração das propriedades de radiação da atmosfera. Sumário: “Alterações Climáticas” 9 . IMPACTO Muitos dos aspectos ambientais provocam efeitos em cadeia. vulgarmente designados como “gases com efeito de estufa”.  E como consequência final.

IMPACTO Os impactos ambientais da geração de eletricidade variam em relevância. mas sobretudo em sua dimensão espacial:  impactos locais: a emissão de material particulado por parte de uma termoelétrica a carvão ou o assoreamento de um rio devido à construção de uma central hidroelétrica  impactos regionais: a chuva ácida  impacto global: das alterações climáticas. Estas diferentes dimensões dos impactos ambientais geram diferentes percepções dos agentes envolvidos em relação aos mesmos. usina termoelétrica locais devido à emissão de material particulado. Ex de impactos: usina hidroelétrica locais e de grande relevância para as populações próximas ao projeto. regional chuva ácida e global efeito estufa 10 .

Esta ferramenta auxilia também na classificação e determinação de sua significância. • Uma das maneiras de realizar esta identificação pode ser a construção de uma matriz que relacione os aspectos e impactos ambientais. minimizando os impactos sobre o meio ambiente é a avaliação das consequências ou interações das atividades de determinada empresa ou indústria sobre o meio ambiente. • Uma forma de evitar que ocorram acidentes ambientais e de se buscar a melhoria contínua do processo. ASPECTO X IMPACTO • A identificação de aspectos e impactos ambientais de uma organização é umas das etapas mais importantes da implementação do sistema de gestão ambiental. 11 .

ASPECTO X IMPACTO Aspecto ambiental é a causa Impacto ambiental é o efeito Aspecto Ambiental Impacto Ambiental Consumo de água Esgotamento de recursos hídricos Descarte de resíduos sólidos Contaminação do solo Produção de emissões atmosféricas Alteração da qualidade do ar 12 .

..” (BS OHSAS 18001:2007 e NP 4397:2008) Risco Ambiental: “combinação da probabilidade e da severidade do dano causado em consequência da ocorrência de um determinado acontecimento perigoso” (NP 4397:2001) 13 . PERIGO E RISCO Perigo Ambiental: “fonte ou situação com um potencial para o dano.

MMA 14 . essencial à sadia qualidade de vida e sua sustentabilidade (lei 9. de forma articulada.Política Nacional de Educação Ambiental). a educação ambiental é um componente essencial e permanente da educação nacional. em caráter formal e não formal. em todos os níveis e modalidades do processo educativo.795. bem de uso comum do povo. EDUCAÇÃO AMBIENTAL São processos por meio dos quais o indivíduo e a coletividade constroem valores sociais. de 1999 . Segundo a política. devendo estar presente. habilidades. conhecimentos. atitudes e competências voltadas para a conservação do meio ambiente.

Todos são responsáveis pela preservação ambiental: governos. empresas e cada cidadão.RESPONSABILIDADE SOCIO-AMBIENTAL São ações que respeitam o meio ambiente e a políticas que tenham como um dos principais objetivos a sustentabilidade. MMA 15 .

SUSTENTABILIDADE DO MEIO AMBIENTE Desenvolvimento Indústria econômico de Energia Agricultura Desenvolvimento Sustentável Inovação Inclusão Social Ciência e Tecnologia 16 .

Foi usado pela primeira vez em 1987. elaborado pela Comissão Mundial sobre o Meio Ambiente e Desenvolvimento. 17 . DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL É um conceito sistêmico que se traduz num modelo de desenvolvimento global que incorpora os aspectos de desenvolvimento ambiental. no Relatório de Brundtland. criado em 1983 pela Assembléia das Nações Unidas.

significa possibilitar que as pessoas. ao mesmo tempo. DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL Relatório de Brundtland “ O desenvolvimento que procura satisfazer as necessidades da geração atual. sem comprometer a capacidade das gerações futuras de satisfazerem as suas próprias necessidades. “ 18 . atinjam um nível satisfatório de desenvolvimento social e econômico e de realização humana e cultural. um uso razoável dos recursos da terra e preservando as espécies e os habitats naturais. fazendo. agora e no futuro.

SUSTENTABILIDADE DO MEIO AMBIENTE “ o desenvolvimento que satisfaz as necessidades presentes. • A sustentabilidade está relacionada diretamente com o desenvolvimento econômico e material sem agredir o meio ambiente. sem comprometer a capacidade das gerações futuras de suprir suas próprias necessidade” Brundtland • O termo sustentabilidade é utilizado para definir ações e atividades humanas que visam suprir as necessidades atuais dos seres humanos sem que haja um comprometimento com o futuro das próximas gerações. 19 . onde são utilizados os recursos naturais de forma inteligente a fim de que os mesmos se mantenham no futuro.

tendo em conta a habitabilidade. SUSTENTABILIDADE DO MEIO AMBIENTE • A sustentabilidade ambiental consiste na manutenção das funções e componentes do ecossistema. de modo sustentável. podendo igualmente designar-se como a capacidade que o ambiente natural tem de manter as condições de vida para as pessoas e para outras espécies e a qualidade de vida para as pessoas. 20 . a beleza do ambiente e a sua função como fonte de energia renováveis.

21 . veículos e combustíveis. ECOEFICIÊNCIA x SUSTENTABILIDADE Ecoeficiência é uma das grandes atitudes que nos podem levar ao desenvolvimento sustentável. o IBAMA criou um programa chamado Nota Verde – que classifica automóveis novos analisando os níveis de emissão de poluentes. Para contribuir com o consumo sustentável e também para estimular o setor automotivo a buscar tecnologias ambientalmente mais adequadas para o desenvolvimento de motores. Trata-se da característica de produtos que produzem mais e melhor. com menores recursos e resíduos. Exemplos de produtos ecoefiecientes são alguns carros com menor índice de poluentes.

a geração de resíduos e a emissão de poluentes durante todo ciclo de vida do produto ou do serviço. proporcionando uma melhor qualidade de vida. de modo que não se coloque em risco as necessidades das futuras gerações (Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente -PNUMA) MMA 22 . Consumo sustentável Uso de bens e serviços que atendam às necessidades básicas. enquanto minimizam o uso de recursos naturais e materiais tóxicos. das melhores alternativas possíveis para minimizar custos ambientais e sociais. ao longo de todo ciclo de vida de bens e serviços. RESPONSABILIDADE SOCIO-AMBIENTAL Produção Sustentável É a incorporação.

 Varejo e Consumo Sustentável. MMA 23 . PLANO DE AÇÃO PARA A PRODUÇÃO E CONSUMO SUSTENTÁVEIS Objetivo de fomentar políticas. Enfoca em seis áreas principais:  Educação para o Consumo Sustentável. programas e ações que promovam a produção e o consumo sustentáveis no país.  Aumento da reciclagem.  Construções Sustentáveis  Agenda Ambiental na Administração Pública (A3P).  Compras Públicas Sustentáveis.

além das populações mais vulneráveis. MMA 24 .  emergências com produtos perigosos.  prejuízos com tratamento de intoxicações  doenças crônicas. as crianças e as mulheres em idade fértil. sobretudo. Protege. SEGURANÇA QUÍMICA Uma boa gestão dos produtos químicos (segurança química) leva à prevenção de problemas:  formação de áreas contaminadas. que. devido a suas condições socioeconômicas moram ou trabalham em ambientes insalubres ou próximos a instalações que manipulam produtos perigosos.

Essa região se estende por toda a superfície terrestre. cerca de 6 km de profundidade. abaixo desse. atingindo cerca de 10 km acima do nível do mar e. A BIOSFERA é formada por três camadas: LITOSFERA HIDROSFERA ATMOSFERA 25 . ASPECTOS ECOLÓGICOS BIOSFERA = região do Planeta Terra que contém todos os seres vivos e na qual a vida é permanentemente possível.

HIDROSFERA é constituída por rios. O ar atmosférico é a matéria gasosa que circunda a Terra. portanto. 26 . lagos e oceanos e recobre cerca de 2/3 da superfície do Planeta. ASPECTOS ECOLÓGICOS LITOSFERA é a camada superficial de solo e rochas que recobre a Terra. envolve e influencia a vida na LITOSFERA e na HIDROSFERA. É formado por uma mistura de gases que contém matérias sólidas e matérias líquidas na forma de partículas e aerossóis em suspensão. ATMOSFERA é a camada gasosa. o ar que circunda toda a superfície da Terra que.

CONTAMINAÇÃO AMBIENTAL LITOSFERA (solo) HIDROSFERA (água) ATMOSFERA (Ar) 27 .

(ppm) Nitrogênio N2 78.95 Dióxido de carbono CO2 0. 28 . também podem variar. monóxido de carbono. que estão relacionadas com as atividades humanas. As concentrações de ozônio. com exceção do dióxido de carbono e vapor d’água.93 gases nobres Pode-se considerar que a composição química básica do ar atmosférico é invariável. cujas concentrações podem sofrer grandes variações de uma região para outra. dióxido de enxofre. Ne 0. He.03 (variável) Vapor d’água H2O variável Argônio e outros Ar.09 Oxigênio O2 20. CONSTITUINTES DO AR COMPONENTE QUÍMICA CONC. óxidos de nitrogênio.

SO2 .óxidos de nitrogênio. O3.monóxido de carbono. São eles: .dióxido de enxofre. QUALIDADE DO AR A qualidade do ar é determinada através de medidas de concentração de poluentes escolhidos como indicadores da qualidade do ar considerando aqueles poluentes que ocorrem em maior freqüência e que maiores danos causam ao meio ambiente.oxidantes fotoquímicos expressos como ozônio.material particulado . . 29 . CO . NO e NO2.

agravadas pelas condições climáticas. QUALIDADE DO AR • Calcula-se que 60% da poluição atmosférica nas regiões das grandes cidades sejam decorrentes dos veículos automotores. Outras fontes problemáticas são indústrias e queimadas. 30 . das plantas e dos animais que vivem nas cidades e arredores. • A qualidade do ar urbano tem causado sérios problemas às condições de vida das pessoas.

CÉU DE SÃO PAULO EM DIA TÍPICO DE POLUIÇÃO INTENSA 31 .

45%.hidrocarbonetos com 13%. 16%.monóxido de carbono (CO). tais como: . 32 . -dióxido de enxofre (SO2). PRINCIPAIS POLUENTES -Os poluentes mais incidentes na atmosfera. 19%. . em geral nas grandes metrópoles. . estão relacionados à emissão de gases.demais partículas 7%. -dióxido de nitrogênio (NO2).

crise de asma e bronquite crônica e provocar infecção. Atualmente. ou seja. 10 milionésimos de metro. fungos. que é material menor ou igual a 10 micrômetros (μm). pode ser absorvido facilmente e pode chegar à porção final dos brônquios e alvéolos. bactérias.OS POLUENTES E SUAS CARACTERÍSTICAS Material particulado • O que é: mistura de partículas líquidas ou sólidas e partículas líquidas suspensas no ar. chamado de PM2.5 μm. A complexidade de sua composição pode provocar inflamação pulmonar. o mais comum é PM10. • • Efeitos na saúde: devido ao seu tamanho minúsculo. composição e origem. pólens.5. que variam de tamanho. pêlos de animais fazem parte desse grupo de poluentes. pode-se medir material particulado de até 2. 33 . O material particulado pode ser classificado pelo seu tamanho. metais pesados. Poeira.

há comprometimento do coração. em pacientes com coração previamente doente ou em casos de diabetes. Localizada dentro das hemácias. • Efeitos na saúde: tem uma afinidade muito grande com a hemoglobina. 34 . industrias. a hemoglobina transporta o oxigênio para todos os órgãos e tecidos do nosso corpo. Uma vez que o CO se liga à hemoglobina. Dessa forma. dificilmente ela volta a transportar o oxigênio. Para suprir a falta de transporte de oxigênio pelas meta-hemoglobinas. o coração passa a bombear mais rápido o sangue. hipertensão e colesterol alto. à angina e até à arritmia.OS POLUENTES E SUAS CARACTERÍSTICAS Monóxido de carbono (CO) • O que é: produto de combustão incompleta presente em todo processo de combustão que se origina desde o motor de veículos. e os órgãos e tecidos passam a sofrer falta de oxigênio. O composto entre hemoglobina e monóxido de carbono é chamado de meta-hemoglobina. até a queima de um cigarro. numa manobra para suprir com as hemoglobinas não comprometidas o oxigênio para os tecidos e órgãos. levando a infarto.

na presença de luz solar. o ozônio. ela é um poderoso oxidante utilizado como branqueador. Por ser uma molécula muito reativa. • Efeitos na saúde: embora seja o mesmo que compõe a camada de proteção contra raios ultravioletas na estratosfera. quando presente na biosfera e inspirado por pacientes previamente doentes. pois sua molécula possui mais energia. O ozônio reage mais fortemente com outras substancias do que o oxigênio molecular (O2). agente desodorizante e agente esterilizante para ar e água. É bastante presente em dias ensolarados.OS POLUENTES E SUAS CARACTERÍSTICAS Ozônio (O3) • O que é: poluente que se forma a partir de NO (óxido de nitrogênio). por ser irritante nas vias respiratórias. pode levar a crises de asma e bronquite. 35 .

O gás contribui para o agravamento da as mada e da bronquite crônica.OS POLUENTES E SUAS CARACTERÍSTICAS Dióxido de enxofre (SO2) • O que é: é um gás incolor. detectável pelo odor e pelo sabor. • Efeitos na saúde: é absorvido com grande facilidade pelas vias respiratórias. que é produzido na combustão de combustível doméstico e por veículos automotores (principalmente diesel). propiciando a infecção. Essa inflamação pode enfraquecer a defesa do pulmão. sufocação e uma inflamação importante no pulmão. 36 . provocando tosse.

OS POLUENTES E SUAS CARACTERÍSTICAS

Óxido de nitrogênio (NO)

• O que é: precursor do ozônio, provém de motores a combustão
(principalmente derivados de petróleo- diesel, gasolina).

• Efeitos na saúde: provoca irritação e inflamação nas vias
respiratórias, reduz a capacidade do sangue no transporte de
oxigênio, podendo causar enfisema e redução das defesas do
organismo.

37

OS POLUENTES E SUAS CARACTERÍSTICAS

Hidrocarbonetos

• O que é: composto formado por hidrogênio e carbono, que é
liberado pela combustão de motor de veículo (derivados de
petróleo- diesel, gasolina)..

• Efeitos na saúde: não é medido pela rede de monitoramento da
Cetesb (Companhia de Tecnologia de Saneamento Ambiental),
mas tem potencial cancerígeno.

38

A POLUIÇÃO DO AR EM AMBIENTES INTERNOS

A qualidade do ar dentro de ambientes fechados pode
sofrer alterações por uma série de razões.
As substâncias acumuladas dentro de casa geram a
chamada poluição do ar em ambiente interno, juntamente
com os poluentes do ar externos. São consideradas
substâncias “caseiras” (produzidas ou guardadas):

• material de construção
• tintas
• solventes
• produtos de combustão: fumaça gerada por fogão à
lenha ou a gás, carvão, cigarro e aquecedores que
usam combustíveis como querosene
• materiais biológicos: inseticidas, ácaros, mofo,
alérgenos produzidos por pêlos de animais e aves e
partes de insetos 39

 Os efeitos da poluição atmosférica no corpo humano são nocivos aos pulmões e trato respiratório. e em grandes quantidades câncer no pulmão e no nariz. . causam asfixia.  Além disso. alterando a 40 fotossíntese e destruindo as folhas. também prejudicam a vegetação. POLUIÇÃO DO AR x SAÚDE  A poluição é um dos problemas mais sérios das grandes cidades e um dos que mais atingem os sentidos da visão e do olfato. No ar existe uma série de partículas de gás e poeira que fazem mal à saúde.

. Esses vasos são muito similares aos encontrados no coração. mas são muito mais fáceis de fotografar. A descoberta veio através da observação de uma fotografia digital dos minúsculos vasos sanguíneos localizados na parte de trás dos nossos olhos. porque eles podem ser medidos sem o uso de 41 anestesia ou sondas.POLUIÇÃO DO AR x DOENÇAS CARDIACAS A partir de um olhar mais atento aos vasos sanguíneos no olho. pesquisadores encontraram uma ligação entre a poluição do ar e as doenças do coração.

POLUIÇÃO DO AR x DOENÇAS CARDIACAS 42 .

POLUIÇÃO DO AR x DOENÇAS RESPIRATORIAS 43 .

sem impurezas. POLUIÇÃO DO AR: OS TRÊS VILÕES De todas as poluições que convivemos nos tempos atuais. devido à poluição causada pelos automóveis. Para respirar e viver com qualidade de vida precisamos de um ar limpo. siderurgias ou 44 fábricas. mas não podemos recusar o ar que está ao nosso redor naquele exato momento em que o corpo exige uma nova ventilação pulmonar. Porém nas cidades e no campo estamos diariamente em contacto com ar contaminado. a pior é e será sempre a do ar. indústrias. . A água poluída e a comida contaminada podem ser rapidamente avaliadas e rejeitadas.

A maior parte da fauna Amazônia é composto por animais que ocupam as copas de arvores gigantescas. as quais podem atingir cerca de 50 metros. a Ciência e a Cultura). 45 . pela UNESCO (Organização das Nações Unidas para a Educação. QUEIMADA No ano 2000. a floresta Amazonas foi considerada Patrimônio da Humanidade. Ela abriga milhares de espécies de animais e plantas.

POLUIÇÃO INDUSTRIAL 46 .

SITUAÇÃO NAS METRÓPOLES .MUNDO 47 .

EFEITO ESTUFA 48 .

-Pesquisar técnicas de purificação dos escapamentos dos veículos: utilizar gasolina sem chumbo e adaptar um conversor catalítico. pois ao diminuir o número de carros a quantidade de poluentes também diminui. Reduzir o consumo de energia e utilizar fontes de energia menos poluentes como: energia hidrelétrica. -Reflorestar áreas desmatadas. adicionando as suas águas base. geotérmica. -Utilizar o metrô: por ser elétrico polui menos do que os carros. -Utilizar combustíveis com baixo teor de enxofre. eólica (dos moinhos de vento)e a energia nuclear (embora esta última cause preocupações para as pessoas. COMO EVITAR CHUVA ACIDA Hoje em dia o carvão. o petróleo e o gás natural são utilizados para suprir cerca de 75% dos gastos com energia. das marés. em relação a possíveis acidentes e para onde levar o lixo nuclear). -Neutralizar rios e lagos já acidificados. construir metrôs em cidades que não possuem este meio de transporte. aplicar punições aos veículos desregulados. -Organizar campanhas governamentais para incrementar o uso de transporte público ou solidário. 49 . -Regulamentar e fiscalizar o uso de filtros em chaminés de fábricas.

causando a inundações de cidades litorâneas. a coleta de caranguejos. CONSEQUENCIAS DE POLUIÇÃO DO AR Tsunami no Japão 2011 As conseqüências da poluição são mais visíveis do que pensamos. 50 . acabando com a fonte de renda de pessoas que dependem da pesca. Existem formas que notamos diariamente como o descongelamento das geleiras. cretáceos.

atualmente substituídos por outros compostos. por exemplo. 51 . que quando inalado pelo homem. utilizados na fabricação de geladeiras e plásticos. CAUSAS DE POLUIÇÃO DO AR  O fenômeno de inversão térmica. essencial à manutenção da vida em níveis tolerantes. em virtude do aquecimento e má circulação de correntes de ar. causando asfixia pela não oxigenação dos tecidos orgânicos. com aumento significativo da temperatura e acúmulo de partículas poluentes em suspensão.  Retenção da radiação solar aumentando o efeito estufa. associa-se à hemoglobina (célula do sangue) e forma um composto estável (a carboxiemoglobina).  O monóxido de carbono. mas prejudicial quando excessivo  Precipitações com alto teor de substâncias ácidas (enxofre e nitrogênio) formando a chamada chuva ácida.  Destruição de camada de ozônio decorrente da emissão de gases do grupo dos clorofluorcarbonetos (CFC). é um gás extremamente perigoso.

junto com o monóxido de carbono (CO). formando assim o ozônio (O3). o dióxido de carbono (CO2).  Na troposfera (solo). 52 . O átomo de oxigênio liberado une-se a uma molécula de oxigênio (O2). quebrando-a em dois átomos de oxigênio (O). região denominada Camada de Ozônio. 90% da radiação ultravioleta do tipo B é absorvida pelo ozônio.  Na estratosférica. Sua importância está no fato de ser o único gás que filtra a radiação ultravioleta do tipo B (UV-B). responsável pelo aumento da temperatura da superfície. Proteção da Camada de Ozônio O ozônio (O3) é um dos gases que compõe a atmosfera e cerca de 90% de suas moléculas se concentram entre 20 e 35 km de altitude. Diferentes funções do ozônio na atmosfera:  Na estratosfera. interage com a molécula de oxigênio. o ozônio perde a sua função de protetor e se transforma em um gás poluente. de origem solar. o ozônio é criado quando a radiação ultravioleta. nociva aos seres vivos. o metano (CH4) e o óxido nitroso.

ao subirem até a estratosfera. F ou Br permanecem na atmosfera por vários anos e. Molina e Rowland propuseram que o ozônio estratosférico estava sendo destruído em escala maior do que ocorria naturalmente. quando se desenvolveu os CFCs. que podem permanecer ativos de 80 a 100 anos. a exemplo dos clorofluorcarbonos (CFCs).  A diminuição da concentração de ozônio persiste devido à contínua emissão de substâncias halogenadas e sua longa vida na atmosfera. 53 . liberando radicais livres que destroem de forma catalítica as moléculas de O3. produção barata. fáceis de estocar.  Os gases contendo Cl.  1974. a diminuição da concentração do O3 era devido à presença de substâncias químicas halogenadas contendo átomos de cloro (Cl). Camada de Ozônio: destruição  1928. sofrem a ação da radiação ultravioleta. flúor (F) ou bromo (Br). Thomas Midgley acreditava que tais substâncias seriam inofensivas na atmosfera terrestre por serem quimicamente inertes. estáveis e bastante versáteis.

Camada de Ozônio: destruição 54 .

O processo de diminuição da concentração de ozônio vem sendo acompanhado desde o início da década de 1980. 55 Fonte NASA 1980 (esquerda). em vários pontos do mundo. inclusive no Brasil. 2013 (direita) . A cor azul tendendo para o violeta indica a baixa concentração de ozônio. Buraco da Camada de Ozônio É o fenômeno de queda acentuada na concentração do ozônio sobre a região da Antártica.

Essas reações naturais de destruição e produção de ozônio ocorrem de forma equilibrada. Os raios ultravioletas prejudicam os estágios iniciais do desenvolvimento de peixes. Camada de Ozônio: se destruída O ozônio é naturalmente destruído na estratosfera superior pela radiação ultravioleta do Sol. à supressão do sistema imunológico e ao desenvolvimento do câncer de pele.  Nos seres humanos a exposição à radiação UV-B está associada aos riscos de danos à visão. um átomo de oxigênio e uma molécula de oxigênio são formados. base da cadeia alimentar aquática. 56 . podendo se recombinar para produzir o ozônio novamente. ao envelhecimento precoce. Para cada molécula de ozônio que é destruída. provocando desequilíbrios ambientais.  Os animais também sofrem as consequências do aumento da radiação. camarões. caranguejos e outras formas de vida aquáticas e reduz a produtividade do fitoplâncton.

petróleo.8% dos municípios não têm esgoto. Devido ao aumento da escassez da água por estar contaminada e sem possibilidades de consumo para a grande porcentagem dos consumidores de água potável. com a necessidade de abastecer determinados locais onde a contaminação se encontra mais elevada. As substancias poluente podem ser classificadas de duas maneiras:  Biodegradáveis: contêm substancia que em determinado tempo ela se decompõe. etc. CONTAMINAÇÃO DA ÁGUA A contaminação da água é um problema presente em muitos lugares. industrias e consumos domésticos. por exemplo.  Persistentes: as substancias presentes em sua composição permanecem por um prazo indeterminado (metais pesados). detergentes. fertilizantes. No Brasil. 47. sendo eles os comerciantes. a solução foi pesquisar as causas de tanta poluição e quais são as consequências derivadas dela. 57 . mares e lagoas (IBGE). inseticidas. o que afeta diretamente a qualidade das águas de rios.

pode gerar impactos sobre as espécies e provocar a escassez desse recurso natural. alumínio e mercúrio) A poluição hídrica. tintas. metais pesados (chumbo. zinco. causada pela atuação indevida das práticas humanas. PRODUTOS QUE MAIS POLUEM A ÁGUA  Detergentes  Óleos de cozinha  Óleos de automóveis  Gasolina  Produtos químicos usados em indústrias. 58 .

POLUIÇÃO DA ÁGUA 59 .

Consiste na presença indevida. causando a deterioração ou perda de uma ou mais das funções do solo. como os resíduos sólidos resíduos sólidos ou efluentes produzidos pelo homem. ORIGEM: Humana Agrícola Industrial 60 . no solo. CONTAMINAÇÃO DO SOLO A contaminação do solo é a ocorrência de poluição deste acima de certos níveis. que prejudiquem as formas de vida e seu desenvolvimento regular. de elementos químicos estranhos.

produtos químicos perigosos ou restos industriais. enterrados em solo sem precaução adequada. os chamados resíduos sólios urbanos. se mal manejados. Resíduos depositados sobre o solo sofrem um processo de lixiviação. Agrícola A contaminação do solo. Restos de cultivo e resíduos orgânicos de origem animal também podem ser poluentes. por depósito ilegal de restos industriais. CONTAMINAÇÃO DO SOLO Humana A contaminação do solo nas grandes cidades se dá principalmente pelo acúmulo de lixo em áreas de descarte. nas áreas rurais. na maioria dos casos. pelo qual metais pesados e outros produtos perigosos são levados para dentro do solo. dá-se sobre tudo pelo uso indevido de agrotóxicos e por adubação incorreta ou excessiva. normalmente associados a metais pesados. 61 . Industrial A contaminação do solo por resíduos industriais ocorre.

CONSEQUENCIAS CONTAMINAÇÃO DO SOLO  Desfertilização do solo  Saturação do solo  Deposição ou infiltração no solo ou no subsolo de substâncias ou produtos poluentes  Contaminação do solo com metano e dióxido de carbono  Perda das funções e qualidades do solo devido à introdução de poluentes  Alteração da tipografia  Perda da fauna  Alteração da densidade e consistência do solo  Alteração da aptidão para drenagem natural  Alteração do solo em profundidade  Alterações da qualidade da água à superfície e em correntes Principais consequência é a infertilização do solo para plantação e a contaminação da água. A terra se torna improdutiva e não se tem como plantar nenhum outro tipo de plantação. 62 .

COMO EVITAR CONTAMINAÇÃO DO SOLO  Tratar lixos e resíduos domésticos e industriais. alumínio e plásticos.  Proteger as florestas. cartão.  Colaborar na reciclagem de vidro. 63 .  Cultivar organicamente. fazendo a separação dos lixos. papel.  Colocar o lixo no local correto.  Utilizar materiais reciclados e preferir produtos ecológicos sempre que possível.

DESCONTAMINAÇÃO DO SOLO A contaminação do solo torna-se um problema quando:  Há uma fonte de contaminação  Há vias de transferência de poluentes que viabilizam o aumento da área contaminada  Há indivíduos e bens ameaçados com essa poluição O problema pode ser resolvido por:  Remoção dos indivíduos ou bens ameaçados  Remoção da fonte de poluição  Bloqueamento das vias de transferência (isolamento da área) 64 .

POLUIÇÃO DO SOLO 65 .

Uma parte dela sempre é perdida para o meio ambiente durante esse processo 66 .  Dentre as diversas formas de energia interessam. a gasolina. EFICIÊNCIA ENERGÉTICA  Qualquer atividade em uma sociedade moderna só é possível com o uso intensivo de mais de uma forma de energia. gás natural.  A energia é usada em aparelhos simples (lâmpadas e motores elétricos) ou em sistemas/equipamentos mais complexos (geladeira. automóvel ou uma fábrica). etc.  Estes equipamentos e sistemas transformam formas de energia. tais como a eletricidade. aquelas que são processadas pela sociedade e colocadas à disposição dos consumidores onde e quando necessárias. óleo diesel. em particular. o álcool.

uma medida da sua eficiência é obtida dividindo a energia da luz pela energia elétrica usada pela lâmpada.  A eficiência de um automóvel pode ser obtida dividindo a quantidade de energia que o veículo proporciona com o seu deslocamento pela que estava contida na gasolina originalmente. EFICIÊNCIA ENERGÉTICA x PERDAS  Uma lâmpada transforma a eletricidade em luz e calor. Como o objetivo da lâmpada é iluminar. 67 .

68 . O DESPERDÍCIO DERIVA DO USO INADEQUADO DE APARELHOS/SISTEMAS  Uma lâmpada acesa em uma sala sem ninguém é um desperdício. pois a luz não serve ao seu propósito de iluminação. pois quem pagará pelo desperdício será o consumidor.  Um veículo parado em um engarrafamento está usando mais energia do que a necessária por conta do tempo que fica parado no congestionamento.  Um construtor barateia a construção não isolando o "boiler" e os canos de água quente.

 Os cálculos para tomar a decisão acima não são triviais. 69 . Esta é a razão pela qual muitos consumidores usam inadequadamente todas as formas de energia.  Como o preço da “lâmpada eficiente” é entre 10 a 20 vezes mais caro do que a comum. 8% da energia elétrica usada é transformada em luz e o restante aquece o meio ambiente). A eficiência de uma lâmpada fluorescente compacta. é da ordem de 32%. POR QUE SE DESPERDIÇA ENERGIA?  Uma lâmpada incandescente comum tem uma eficiência de 8% (ou seja. que produz a mesma iluminação. a decisão de qual delas comprar dependerá de fatores econômicos que consideram a vida útil de cada uma e a economia proporcionada na conta de luz. Exigem o domínio de ferramentas de matemática financeira desconhecidas pela maioria dos consumidores.  A seleção de equipamentos e sistemas mais complexos pode ser mais difícil ainda.

diminui custos. o fornecimento de bens e serviços sustentáveis a preços competitivos que satisfaçam as necessidades humanas. alcança a conformidade legal. ECOEFICIÊNCIA A ecoeficiência pode ser obtida através da união entre. com menores recursos e menores resíduos. No âmbito da poluição ambiental. evita riscos à saúde dos funcionários e clientes. evita riscos ambientais. promove a redução dos impactos ambientais e de consumo de recursos naturais. reduz a poluição. e assim. 70 . Implantar um sistema de gestão ambiental em uma empresa. garante a manutenção de recursos naturais e motiva as pessoas envolvidas a engajarem nas questões ambientais. acaba com o diferencial competitivo. um sistema ecoeficiente é aquele que consegue produzir mais e melhor.

em 1992. Favorece a reciclabilidade e a durabilidade do produto. 71 . A ecoeficiência permite que as empresas sejam ambientalmente responsáveis e. ECOEFICIÊNCIA O termo foi criado pelo Conselho Mundial de Negócios para o Desenvolvimento Sustentável (World Business Council for Sustainable Development). lucrativas. ao mesmo tempo. Para que uma ação seja considerada ecoeficiente é preciso que tenha um preço competitivo. proporcione qualidade de vida. consuma recursos naturais de forma reduzida e respeite a capacidade de sustentação do planeta. satisfaça as necessidades humanas. no livro Changing Course (Mudando a Direção).

ECOEFICIÊNCIA: Elementos Fundamentais 1) Minimizar a intensidade de materiais dos bens e serviços 2) Minimizar a intensidade energética de bens e serviços 3) Minimizar a dispersão de tóxicos 4) Fomentar a reciclabilidade dos materiais 5) Maximizar a utilização sustentável de recursos renováveis 6) Estender a durabilidade dos produtos 7) Aumentar a intensidade de serviço dos bens e serviços 8) Promover a educação dos consumidores para um uso mais racional dos recursos naturais e energéticos 72 .

se possível. reduzindo. gastos supérfluos de luz  Substituir lâmpadas convencionais por lâmpadas de baixo consumo.  Fazer a compostagem de resíduos orgânico.  Políticas de reflorestamento. expandir os programas à toda a sociedade. reciclados e reutilizados. 73 . ECOEFICIÊNCIA: Exemplos de Medidas  Substituir equipamentos convencionais por produtos com fechamento automático ajuda a amenizar o problema de escassez da água  Optar por formas renováveis de geração de energia  Implantar sistema de iluminação automático.  Desenvolver ações sociais. envolvendo a comunidade local e.  Separar os resíduos  Resíduos devem ser reduzidos.

74 .

podendo igualmente designar-se como a capacidade que o ambiente natural tem de manter as condições de vida para as pessoas e para outras espécies e a qualidade de vida para as pessoas. SUSTENTABILIDADE DO MEIO AMBIENTE • A sustentabilidade ambiental consiste na manutenção das funções e componentes do ecossistema. de modo sustentável. 75 . a beleza do ambiente e a sua função como fonte de energia renováveis. tendo em conta a habitabilidade.

3184. 7502 76 .com 81. Obrigada!!! Ana Rita Drummond anaritadrummond@gmail.