You are on page 1of 11

UNIVERSIDADE ESTÁCIO DE SÁ

Contabilidade Básica – 3º período

Professor: Ms Adilson Soares
Gomes

Material complementar as
apostilas
Aula da semana 3

Ativo, Passivo e Patrimônio Líquido

- Classificar os grupos do Ativo e Passivo;

- Reconhecer a equação patrimonial e evidenciar o
Patrimônio Líquido;

- Demonstrar as origens e aplicações de recursos.
Contextualização

O artigo 178 da Lei 6.404/76 estabelece que as contas do
Balanço Patrimonial serão classificadas entre os grupos
do Ativo, Passivo e Patrimônio Líquido.

ATIVO: CPC 00 R1 (2016), “O benefício econômico futuro
incorporado a um ativo é o seu potencial em contribuir,
direta ou indiretamente, para o fluxo de caixa ou
equivalentes de caixa para a entidade.” ESTÁCIO (2016.2),
é o conjunto de bens e direitos.
E o § 1º do artº 178 da Lei 6.404/76 determina que as
contas do Ativo “serão dispostas em ordem
decrescente de grau de liquidez dos elementos nelas
registrados, nos seguintes grupos:”

I - Ativo Circulante;

II - Ativo não Circulante, composto por ativo realizável a
longo prazo, investimentos, imobilizado e intangível.
PASSIVO: CPC 00 R1 (2016), ESTÁCIO (2016.2), “é
representado pelas obrigações presentes resultado de
eventos passados do qual se esperam benefícios futuros
após a liquidação dos mesmos.” FERRARI (2013), “deve
ser elaborado observando a ordem decrescente de
exigibilidade.”
E o § 2º do Artº 178 da Lei 6.404/76, determina que as
contas de Passivo serão classificadas nos seguintes grupos:

I – passivo circulante;
II – passivo não circulante; e
III – patrimônio líquido, dividido em capital social, reservas
de capital, ajustes de avaliação patrimonial, reservas de
lucros, ações em tesouraria e prejuízos acumulados.
Origens e aplicações de recursos: RIBEIRO (2013), o
Balanço Patrimonial evidencia o total de recursos que a
empresa obteve e que está a sua disposição.
Origem dos recursos (PASSIVO): Os recursos podem ser
obtidos de duas fontes:
a) Recursos de terceiros: são as obrigações, ou seja, os
recursos de terceiros utilizados no giro da empresa,
dividem-se em:
a.1) Débitos de funcionamento: são as obrigações normais
da empresa em virtude do seu funcionamento. Ex: Salários
a Pagar, Impostos a Pagar, etc...
a.2) Débitos de financiamento: são os recursos oriundos
através de empréstimos. Ex: Empréstimos bancários.
b) Recursos próprios (Patrimônio Líquido): podem
originar-se de duas fontes:

b.1) Proprietários ou sócios: “parcela do capital que foi
investida na empresa pelo titular ou pelos sócios.”
b.2) Giro normal: “acréscimos ocorridos no Patrimônio
Líquido em decorrência da gestão normal da empresa.”

Aplicação de recursos (ATIVO): No lado do ATIVO fica
evidenciado as aplicações, ou seja, os Bens e Direitos. Ex:
Dinheiro no Caixa, Aplicações Financeiras, Veículos, etc...
PARTIDAS DOBRADAS: ESTÁCIO (2016.2), a contabilidade
utiliza o MÉTODO DAS PARTIDAS DOBRADAS para efetuar
os seus registros. Esse método foi exposto oficialmente
por Luca Pacioli em 1494, em sua obra Suma de
Aritmética, Geometria, Proporção e Proporcionalidade.
RIBEIRO (2013), podemos constatar, através do método
das partidas dobradas, que não existe débito sem crédito
de igual valor, ou seja, a soma dos valores debitados tem
de ser igual ao total dos valores creditados.
Terminologias contábeis usuais: (MARION, PADOVEZE
E IUDÍCIBUS)

Capital autorizado: “é um limite já previsto para as
sociedades anônimas para novas subscrições de capital
sem que seja necessário a alteração estatutária, ou
seja, já existe uma autorização prévia do estatuto para
um possível aumento de capital.”

Capital subscrito: “é representado pelo capital que os
sócios deverão integralizar.”
Capital nominal ou declarado: o mesmo que capital
social ou subscrito.

Ativo operacional: representado através dos
componentes do Ativo aplicados nas atividades rotineiras
da entidade.

Capital circulante: “Também conhecido como capital de
giro, é o ativo circulante, ou seja, os bens e direitos de
curto prazo.
Bibliografia/Leitura recomendada:

- RIBEIRO, Osni Moura: Contabilidade Geral Fácil.
Editora Saraiva. 2013
- BORGES, Vanessa Aneli. SILVA, José Marcos da. CIOF,
José Leandro. Contabilidade Básica. UNISEB / Editora
Estácio de Sá – 2015
- PADOVEZE, Clovis Luiz. Manuel de Contabilidade
Básica. 9ª ed. Ed. Atlas 2014
- MARION, José Carlos. Contabilidade Básica. 11ª ed.
Ed. Atlas 2015
- Lei 6.404/76 http://www.planalto.gov.br
- http://www.cpc.org.br
- CPC 00 R1 http://www.cpc.org.br