XIII Semana de Engenharia Mecânica, Mecatrônica e Aeronáutica - 26 a 30/09/2011 - Uberlândia – MG

Paper SEMEC2011-CMXX

Projeto de Construção de um Ornitóptero de Propulsão Elástica

Alexandre Felipe Medina Corrêa, Gabriel Estêvão de Morais Rodrigues e Francisco José de Souza
UFU, Universidade Federal de Uberlândia, Curso de Engenharia Aeronáutica
Campus Santa Mônica - CEP 38400-089 - Uberlândia – Minas Gerais
alexandremedina@yahoo.com.br, gabriel_estmr@hotmail.com, fjsouza@mecanica.ufu.br

Resumo
Este resumo tem por finalidade apresentar as atividades a serem desenvolvidas na execução do
projeto de pesquisa intitulado Projeto e Construção de um Ornitóptero de Propulsão Elástica.
A habilidade e graça do vôo dos pássaros e insetos sempre fascinaram o homem. Tal fascínio deu
início ao desenvolvimento das máquinas voadoras como aviões, helicópteros, balões, e muitas outras. Ao
deparar-se com o desafio de criar uma máquina mais pesada que o ar, o homem teve como principal
inspiração os animais que têm a capacidade de voar, mas devido à falta de conhecimento de engenharia na
época com relação ao cálculo de estruturas e principalmente a interação dos fluidos com um corpo, a criação
de uma máquina voadora se contrapôs à dinâmica do vôo dos pássaros e insetos.
O vôo dos pássaros e insetos envolve uma dinâmica completamente diferente da envolvida nos
aviões com relação à dinâmica de interação do fluido com um corpo sólido. O termo em inglês ‘Flapping
Wings’ pode ser traduzido ‘asas móveis que batem’. No entanto, do ponto de vista da engenharia, o termo
tem significado mais amplo. ’Flapping Wings’ são na verdade estruturas móveis que além da produção de
uma força de sustentação também são capazes de produzir empuxo. Fazendo uma analogia com o avião, é
como uma estrutura que desempenha o papel da asa e do motor ao mesmo tempo.

Introdução
O desenvolvimento de aeronaves como o ornitóptero em pequena escala tem sido estimulado por
entidades privadas, pesquisas em universidades e governos de diversos países. Os chamados MAV (Micro Air
Vehicles) são veículos de no máximo 15 centímetros de envergadura que podem ser ou não autônomos, isto
é, com certo grau de inteligência artificial. Neste trabalho tem-se por objetivo a construção de um ornitóptero
de propulsão elástica e a criação de linhas de pesquisa em MAVs.
O projeto será desenvolvido utilizando métodos teóricos, simulações computacionais e métodos
experimentais. Através dos códigos computacionais Flap Rate e Flap Design será possível prever o
movimento resultante nas formas de animação e gráfica. Também serão analisados os materiais passíveis de
utilização para a construção das asas, algo que é crítico para o projeto em função dos complexos requisitos a
serem cumpridos já que a meta é maximizar a autonomia da aeronave e minimizar o peso, considerando
restrições de integridade estrutural de cada componente e a robustez do conjunto.
Para o projeto detalhado será proposto um planejamento de experimentos contemplando no mínimo
três níveis para cada variável. No projeto as variáveis consideradas serão o posicionamento das asas e do
conjunto e cauda e o modo de transmissão da energia elástica para as asas.

Objetivos
O presente trabalho tem como objetivo permitir o teste de teorias acadêmicas por meio da execução de
um projeto de cunho prático; projetar e construir uma aeronave de pequena dimensão com asas móveis não-
rotativas com propulsão elástica; embasar e estimular desenvolvimentos futuros de aeronaves com asas
móveis rádio-controladas, visando a participação na competição internacional de MAVs (micro air vehicles);
fortalecer o recém-criado curso de Engenharia Aeronáutica na Universidade Federal de Uberlândia através
da criação de linhas de pesquisa em MAVs; promover o estudo em CFD (computacional fluids dinamics) em
regimes turbulentos do fluido em estudo e desenvolver as habilidades dos participantes no uso de
ferramentas computacionais avançadas usadas no ramo de pesquisa e indústria, como o CATIA, Xfoil e
MISES. O projeto se encontra em andamento e está sendo realizado do MFLAB – Laboratório de Mecânica
dos Fluidos – da Faculdade de Engenharia Mecânica da Universidade Federal de Uberlândia.

podendo assim serem dotados de inteligência artificial. Defence Advanced Research Projects Agency TTo Document. 2011. o flutter acaba auxiliando o vôo. Berg M. Anderson.gov/gallery/photo/AAW/index. o vôo de aves e insetos. Active Aeroelastic Wing Project (AAW). Micro Air Vehicles – Toward a New Dimension in Flight. ou seja. 2001. no laboratório de Aerodinâmica Subsônica. Ljungqvist D. que voou brevemente em julho de 1999. Understanding Flight. a unidade de peso por área das asas é diretamente ligada à eficiência do vôo. M. M. Disponível em: <http://www.Justificativa O desenvolvimento de pequenas aeronaves tem sido estimulado por entidades privadas e governos de diversos países para o desenvolvimento de pesquisa em universidades. como o ornitóptero.. and Eberhartd. e consequentemente a perda de sustentação. Flapping and flexible wings for biological and micro air vehicles. Shyy W. Pouco se sabe sobre a dinâmica do vôo de pássaros e insetos quanto à aerodinâmica clássica. S. já que nesse caso a análise mecânica das asas ocorre em um regime semi-instável. DRYDEN FLIGHT RESEARCH CENTER. and Francis.. A presença do flutter em aeronaves de asa fixas é prejudicial ao vôo. pois através disso pode-se conhecer melhor a dinâmica de vôo de asas e explicar um dos fenômenos mais belos presentes na natureza. 2010. O carregamento alar. S.. Os MAVs são veículos de no máximo 150mm de envergadura que podem ou não ser autônomos. J.dfrc. McGraw Hill Professional. O estudo do comportamento do fluído é de fundamental importância. Conclusão Através da revisão bibliográfica pôde ser concluído que no projeto de tal aeronave deve ser considerada a ressonância aeroelástica (flutter) para gerar sustentação durante o vôo. 1996. Referências Bibliográficas McMichael. F.nasa. D. Agradecimentos Agradecemos ao MFLAB – Laboratório de Mecânica dos Fluidos. sua presença gera um descolamento da camada limite do fluido em torno das asas. pela oportunidade e apoio fornecido e à Faculdade de Engenharia Mecânica. 293pag. 35:455–506. coordenado pelo professor James DeLaurier. . logo o desenvolvimento de uma nova dinâmica de vôo em escala reduzida é favorecida. Porém. O fenômeno pode até levar a uma ruptura da estrutura pelo choque induzido pela separação do escoamento do fluido. Baseada na revisão bibliográfica realizada constatamos que o carregamento alar é menos nos corpos capazes com habilidade de vôo que apresentem menor massa. O maior objetivo na construção desse tipo de aeronave é a observação remota de ambientes perigosos inacessíveis para veículos de solo e vigilância. já que a sustentação é gerada pelo movimento vertical das asas e não pelo escoamento dinâmico do fluído em torno da mesma. Prog Aerosp Sci 1999.html> Acesso em: 22 ago. em aeronaves de asas-móveis. A exceção é a aeronave de asas móveis em grande escala projeta pela Universidade de Toronto.