You are on page 1of 17

HISTÓRIA DA LUBRIFICAÇÃO POR NÉVOA

Desenvolvida na Europa em 1930 por um fabricante de rolamentos. Utilizada para rolamentos anti-fricção de alta velocidade. Em 1948 foi introduzida nos Estados Unidos na industria do aço e desde os anos 70 ate hoje tem sido utilizada de forma intensiva nas plantas de refinação e petroquímica de classe mundial.

1

Vantagens que apresenta um sistema de lubrificacao por nevoa Justificativa Economica
Maior disponibilidade. Reduz o coeficiente de fricção 25% e reduz o consumo de energia elétrica em ate 5%. Reduz a temperatura da caixa de rolamentos em media 12° e C diminui o consumo de água de refrigeração. Aumenta a vida útil dos rolamentos. Economia no controle e manuseio dos lubrificantes. Moderniza (automatiza) a lubrificação manual evitando o erro humano aumentando a segurança industrial.

2

Gerador de nevoa VORTEX
AR
AR SECO, FILTRADO E PRE-AQUECIDO

AR

AR AR

NEVOA DE OLEO DEFLETOR NIVEL DE OLEO

CAMARA VORTEX

AR AR

AR

NEVOA DE OLEO

• O principio “vortex”, é o sistema mais confiável para a geração de névoa lubrificante. • Sem partes móveis, livre de manutenção. • Mistura limpa de óleo e ar comprimido. • A velocidade da névoa no vortex é supersônica.
3

CARACTERISTICAS DA NEVOA VORTEX
1 Parte de Oleo para cada 200,000 partes de ar. Mistura limpa Nao inflamavel Pode ser transportada até 180 mts.

NEVOA UMIDA
PARA LUBRIFICAR

3 Micra
NEVOA SECA
PARA SER TRANSPORTADA

LUBRIFICACAO CONVENCIONAL
O nível constante chega no máximo dois terços do diâmetro do rolamento inferior. Alta contaminação, aumenta o coeficiente de fricção e temperatura.

RECLASSIFICADOR

APLICAÇÃO
DE NEVOA PURA EM BOMBAS
COLETOR ECOLOGICO
MANIFOLD

TUBING

Normas
A Norma American Petroleum Institute API610 em sua 7a. e 8a edicao de 1998, marca as diretrizes que os fabricantes de bombas devem tomar em conta na construção de seus equipamentos para poder receber a lubrificação por névoa. A norma API-686 RP recomenda a névoa como preservação de equipamentos.

7

APLICACAO DE NEVOA PURA EM BOMBAS
DISTRIBUIDOR

RECLASSIFICADOR TUBING ACO INOXIDAVEL

SEGUNDO NORMA API 610, 8ª EDICAO

ENTRADA DE NEVOA NEVOA VENT/DRENO COLETOR ECOLÓGICO
8

DERIVACAO DA NEVOA ATE OS EQUIPAMENTOS
• TUBO GALVANIZADO DE 3/4” 3/4” • UMA SÓ DERIVAÇ ÃO SÓ DERIVAÇÃO PARA CADA EQUIP. • TERMINA COM UM DISTRIBUIDOR (MANIFOLD)
CABEZAL DE 2”

TUBO DE 3/4”

RECLASIFICADORES DISTRIBUIDOR (MANIFOLD)

9

RECLASSIFICADORES
SPRAY NEVOA CONDENSADO

Coletor Ecológico

11

Bomba Balanceada

12

Instalação de Reclassificadores Direcionais

13

NEVOA PURGA
(PRESERVACAO)
MANTEM-SE O NIVEL CONSTANTE DE LUBRIFICANTE. A ENTRADA DA NEVOA É NA PARTE SUPERIOR. PRESSURIZA E MANTEM LIVRE DE CONTAMINANTES. REDUZ A TEMPERATURA DE OPERACAO E RESFRIA A CAIXA DE ROLAMENTOS.

14

Visor de Nível

15

Tribosistemas para Lubrificacao por Nevoa LubriMist

TM

MODELO “IVT”

MODELO “SSV”

MODELO “CH-100”
16

TORRES DE RESFRIAMENTO

17