You are on page 1of 5

As coisas loucas deste mundo

Lucas 23:39-43 e 1 Cor 1:18 e 27e 28


Pastor Alcenir - 11 de Julho de 2010

O SIGNIFICADO DA CRUZ
Poderiamos dizer que a cruz simboliza o encontro do espiritual e do material, o
encontro do divino e do humano, o encontro do céu e da terra, o encontro do marcro-
cosmo de Deus com o micro-cosmo da humanidade, o encontro do sistema teológico
com o sistema político.
Poderiamos ainda dizer que a cruz simboliza o encontro entre a morte e a vida,
o encontro entre o eterno e o passageiro, o encontro entre as coisas loucas e as sábias
deste mundo.
Entretanto, temos que admitir que na cruz acontece o encontro entre a
humanidade caída, desgarrada, corrupta, mesquinha com a humanidade pura, santa,
verdadeira, incorruptível representada por Jesus Cristo.

COISAS LOUCAS
Poderiamos passar horas e horas aqui falando de coisas loucas desta vida. Há
coisas tão loucas que não admitimos que seja possível serem praticadas por pessoas
humanas. Na terça-feira, em nosso re-dissipulado, falamos sobre a vida no além – o
céu e o inferno -, e na próxima terça-feira vamos continuar; alguns dos irmãos
disseram que é inaceitável saber da possibilidade de pessoas consideradas monstros,
pela qualidade das atrocidades que cometeram contra outros, chegarem ao céu.
Propunham até que no inferno deveria haver uma hierarquia de sofrimento, e estes
estariam no topo.
A coisa mais louca que vemos na bíblia é a morte na cruz. É boba, feia, cruel e
louca. No reino animal há sempre lutas em que semelhantes se matam. Mas em
nenhuma outra há o gráu de requinte que a espécie humana consegue chegar, e um
desses requintados meios foi a cruz.
Em nossa vida cristã passamos por circunstâncias, verdadeiras loucuras, que
consideramos grandes provações e muitas vezes as entedemos como corretivos de
Deus. No futuro vamos entender que Deus estava no controle, e o que para nós
parecia loucura era a divina misericordiosa sabedoria de Deus em ação nas nossas
vidas para nos abençõar.

DEUS ESCOLHE AS COISAS LOUCAS


Ao procurar um bom comentário sobre o que seria coisas loucas hoje para um
cristão encontrei um blogueiro que disse o seguinte:
“As escolhas do Eterno confundem os homens. Afinal, quem gostaria de estar
em meio aos conflitos de Darfur podendo passear calmamente pela ensolarada
Miami? Quem escolheria amparar doentes terminais nas UTIs de países
subdesenvolvidos, podendo passear elegantemente pelos esplendorosos e espelhados
corredores de Versalhes? Quem tomaria sopa com sem-tetos levando a eles o Santo
Evangelho, podendo gastar alguns milhares de dólares em algum jantar no Fasano,
em meio à gargalhadas despropositadas? Quem escolheria cavar poços em meio ao
árido calor do Nordeste para saciar a sede de um povo sofrido, podendo desfrutar
do frescor tropical de uma das praias caribenhas? Quem trocaria a atraente vaidade
das coisas passageiras para ficar ao lado do pobre, do sujo, do discriminado, do
prisioneiro, do oprimido, do doente, enfim, da viúva e do órfão? A resposta: Deus.
Deus é esse amigo de sempre, de todas as situações, de todos os homens e mulheres,
de todos os humanos. Essas são as loucas escolhas de Deus. Escolhas que quebram
protocolos e convenções sociais, buscando alcançar o centro do coração dos
homens, trazendo paz e amor aos seus filhos feridos, peregrinos neste Reino da
Terra”. http://condedegranada.blogspot.com/2010/03/as-loucas-escolhas-de-
deus.html

LOUCURA ATRAVÉS DE OLHOS HUMANOS


Li um relato de um fato que aconteceu há dez anos por uma mulher evangélica,
que foi apresentadora de TV e hoje é chamada de Pastora Scheilla Cristina. Eu não a
conheço, mas o que ela conta é simples e de grande lição para nós. Em um programa
de entrevistas, o apresentador avisou que estava doente em cima da hora e ela foi
indicada para apresentar o programa. A produtora, que sabia que ela era evangélica,
disse que umas das entrevistadas seria uma mãe de santo.
Ela ficou sem saber o que fazer no momento porque jamais aceitou negociar os
princípios da fé, e a ética dos meios de comunicação não permite que apresentadores
deixem aparecer sua orientação religiosa. Teve um momento a sós com Deus e
entregou a questão em suas mãos.
Durante a entrevista, a mãe de santo ficou extremamente nervosa e não
conseguia responder adequadamente nada do que se perguntava e se tornou até
cômica. Ao término do programa, pediu de desculpas porque nenhum santo baixou
para ajudá-la. Scheilla agradeceu a Deus por ter tomado controle.
Para nós é loucura, não o é para Deus.

A LOUCURA DA CRUZ
Nenhum intelectual com toda a sua ciência é capaz de entender e aceitar que
Jesus Cristo o filho de Deus seria pendurado numa cruz, quando poderia fazer o
download de uma legião de anjos dos exércitos do Senhor para o defender e lutar por
ele.
Eis aqui a loucura que Paulo descreve no verso 18 de 1 Coríntios.
Alguns teólogos dizem que a teologia da Cruz aceita pela igreja de hoje é
distorcida. Querem dizer que o evento da cruz é visto de maneira espiritualizada em
que a agressão dos representantes do reino deste mundo impetra uma ação trágica,
cruel, impiedosa sobre o cordeiro de Deus, interpretada como um cenário de sangue,
dor, sofrimento, agonia e morte que eleva o grau de santidade, impulsionando pessoas
a se submeter penitências para se santificarem.
Essa teologia descarta o envolvimento com o contexto geral da humanidade da
época confrontado por Jesus Cristo, em que a morte de Jesus Cristo na cruz não
passava de um ato rotineiro aplicado como púnição à rebeldia política.
Essa teologia não se envolve com a política do momento que é representada
pelas autoridades constituídas para controlar e promover a estabildade da sociedade.
Entretanto, o que está em jogo aqui é uma confrontação de uma humanidade
corrupta que se considera religiosamente e politicamente superior e correta. Essa
sociedade que cumpre a lei de Moisés e a lei do império romano é uma sociedade que
acredita que é isso que Deus requer, ou seja, uma vida correta e disciplina sob a
perspectiva das leis em lugar de uma vida transformada, uma vida de caminhada com
Deus, uma vida nova como resultado do nascer de novo.
A mensagem da Cruz não nos ensina que é a penitência e o sacrifício que nos
faz chegar a Deus, através de nossos meios e iniciativas. Mas a mensagem da Cruz é
de que a humanidade criada por Deus e pecadora não tem condições de ver a
diferença entre a ação de Deus e a ação humana.
O caminho da cruz nos leva ao novo nascimento.
Tanto para as autoridades quanto para seus próprios seguidores, aquele que
clama ser o filho de Deus jamais se deixaria castigar com as torturas mais cruéis, ser
exposto como criminoso comum à vergonha pública e ser pendurado em engenhoca
de madeira e ser abandonado para morrer sob os olhos curiosos de uns, zombadores
de outros e horrorizados de outros.
O evento da cruz é um evento de loucura como diz Paulo “Deus escolheu as
coisas loucas para confundir as sábias ...”
John Wesley diz que a mensagem da Cruz é a confrontação daqueles que
acreditam em um caminho largo de virtude, de práticas morais aceitas pela sociedade
e oferecidas pela igreja, que julgam suficientes para os levar ao céu; enquanto que
Jesus Cristo estabelece um princípio simples: a não ser que seja nascida de novo não
entrará no reino dos céus, o que foi o grande dilema de Nicodemos.
Por isso a mensagem da Cruz é loucura, pois ela iguala os que se consideram
mais santos a todos os demais pecadores, tornando necessário deixar-se morrer na
morte de Jesus Cristo e ressurgir com Ele no novo nascimento para alcançar o Reino
de Deus – loucura para os que não crêem.
CONCLUSÃO
Ainda hoje Deus escolhe as coisas loucas deste mundo para confundir as
sábias. Nosso coração se abala quando vemos o incrédulo ou quem leva uma vida
espiritual desleixada, que não está “nem aí” para Deus sendo abençoado ricamente.
Nos sentimos dimuídos quando passamos por vales de escassez, de falta de
trabalho, de doenças na família, de mudanças radicais, de desestabilização da nossa
condição econômica.
Nos sentimos perdidos quando Deus muda o curso de nossa história e nos põe
em caminhos e direções difíceis.
Se buscarmos respostas em médicos, advogados, doutores, professores,
cientístas vamos ficar decepcionados porque esses vêem os fatos através da razão e
dirão que tudo isto é resultado de atos passados. Como disse um grande cientísta
Lavoisier que “na natureza nada se perde, nada se cria, tudo se transforma”, ou
seja, tudo é resultado da ação do homem.
Mas nós, que cremos na mensagem da Cruz, como diz Paulo em I Cor 1:18,
sabemos que Deus escolhe as coisas loucas deste mundo para confundir as sábias.
Portanto, devemos nos confortar no fato de que Deus tem um propósito em
nossas vidas; e quando Deus tem um propósito, ele vai cumpri-lo.
Hoje nós vemos irmãos nossos passando por alteração de suas caminhadas,
mas cremos que Deus na sua soberania está mais uma vez usando as coisas loucas
deste mundo para cumprir o seu propósito.
As coisas loucas estão contidas na mensagem de Paulo “todas as coisas
cooperam para o bem daqueles que amam a Deus”. A palavra de Deus não diz que
apenas as coisas positivas cooperam, mas “todas” as coisas, incluíndo tudo o que
Paulo experimentou: a prisão, a fome, a cobra, o naufrágio, a fuga por sobre o muro,
a cegueira pela luz de Deus, viver acorrentado a um soldado.
Que Deus nos habilite a entender quando as loucuras deste mundo são usadas
para confundir as sábias e cumprir os seus propósitos em nossas vidas.
Amém