You are on page 1of 11

PROVA DE PORTUGUÊS

Junho 2008

TEXTO 1
O futuro da economia não pode ser tão verde

O dólar, padrão de referência monetária no mundo durante a segunda metade do


século XX, vem se desvalorizando em relação a moedas dos mais diversos países, desde
que a economia mundial entrou em fase de relativa estabilidade, em 2003.
A principal explicação evocada pelos economistas está no cerne da própria
economia norte-americana: o país está duplamente deficitário. A primeira protagonista
desse cenário é a balança comercial, que apresenta um sólido déficit histórico e
refratário a quaisquer tentativas de diminuí-lo. O país compra muito mais do que vende,
e parece que permanecerá assim no horizonte visível. O segundo ator do elenco central
é o próprio governo, aparentemente incapaz de desfazer o desequilíbrio entre a
capacidade de arrecadar e o volume de despesas com a manutenção da máquina pública,
com a previdência, com os programas sociais e com as freqüentes campanhas militares.
O governo gasta mais do que recebe, e não se vislumbram condições políticas concretas
para mudar esse descompasso.
No final de 2007, o Brasil apresentava condições bem diferentes das norte-
americanas em relação a esses aspectos. O país vem acumulando superávits comerciais
crescentes há algum tempo, o que, somado ao também crescente ingresso de capitais
estrangeiros não-especulativos na economia, vem propiciando um nível confortável no
estoque de divisas, o qual, por sua vez, contribui para a diminuição do chamado risco-
país e atrai investimentos. Quanto ao chamado equilíbrio fiscal do governo, não se pode
dizer que esteja superado, mas uma espécie de "cultura" da responsabilidade fiscal,
apesar do que se viu na mídia em 2007, vem ganhando espaço entre os administradores
públicos. E, em função desse equilíbrio e responsabilidade fiscais, as dívidas externa e
interna, mais a primeira do que a segunda, ganharam um perfil considerado por muitos
como "administrável".O resultado de tudo isso repercute numa persistente valorização
real frente ao dólar, cujo valor esteve próximo de R$ 4,00 no final de 2002 e vem
caindo desde então. No início de 2007, havia uma espécie de consenso prevendo
aproximadamente R$ 2,20 no final do ano, mas constatou-se valor médio abaixo de R$
1,80 nesse período. Alguns especulam que, se as circunstâncias não mudarem, esse
valor poderá chegar a R$ 1,50.
Por parte dos empresários, há duas maneiras de considerar essa situação.
Primeiro, há uma oportunidade ímpar de iniciar, ampliar ou reformar o que industrial
com bens de capital de última tecnologia e a preços convidativos, o que tem importante
potencial de alavancar a competitividade das empresas brasileiras, agora e em fases
futuras menos favoráveis. As matérias-primas importadas baratas também podem
propiciar bons negócios, permitindo acumular recursos para o futuro. Por outro lado,
aqueles que enfrentam a competição de produtos estrangeiros a preços difíceis de
igualar internamente temem pela sobrevivência e buscam pressionar o governo e o
congresso, visando obter apoio político para controlar o câmbio ou proteger setores

CE - Central de Ensino – F.3063 4019


R. Prof. Rubião Meira, n. 31 – São Paulo/SP 05409 020
http://www.centraldeensino.com.br
CNPJ: 07275065/0001-99
ameaçado.Ocorre que não parece existir boa-vontade para uma ou outra
coisa.Resumindo, para esses últimos, só resta fazer como alguns empreendedores mais
ousados, como, por exemplo, os da indústria calçadista, que transformaram a
adversidade em oportunidade,expandindo suas atividades para países onde existem
condições competitivas mais favoráveis, como a China, e estão se dando muito bem.

INSTRUÇÕES: As questões de 1 a 7 dizem respeito ao conteúdo do TEXTO 1. Leia-o


atentamente antes de respondê-las. Escolha a melhor resposta para cada questão e
marque-a em seu Cartão de Respostas.

1. Assinale V (verdadeiro) ou F (falso) quanto ao desenvolvimento do texto.


( ) No primeiro parágrafo, o autor transmite a idéia de que a economia mundial
encontra-se estável, e, em função disso, o dólar está se desvalorizando.
( ) No segundo parágrafo,o autor afirma que a competitividade americana no cenário
mundial está com seus dias contados.
( ) No terceiro parágrafo, o autor compara a realidade americana com a brasileira no
que se refere à competitividade de cada país.

A seqüência CORRETA é:

A) V V V
B) V F F
C) V F V
D) F F V
E) F F F

2. Na passagem em que analisa os motivos pelos quais a economia norte-americana está


duplamente deficitária, o autor faz uso de:

A) dados estatísticos.
B) dados históricos.
C) linguagem denotativa.
D) linguagem figurada.
E) linguagem jocosa.

3. De acordo com o segundo parágrafo do texto, é possível afirmar que


I. o problema americano pode ser atribuído ao governo, que não sabe administrar os
recursos arrecadados e investe demasiado em campanhas militares.
II. a economia americana encontra-se deficitária devido ao fato de que o saldo da
balança comercial é definido pela diferença entre o que se compra e o que se vende
III. o fato de o governo americano gastar mais do que recebe não mudara enquanto não
houver condições políticas concretas que lhe permitam reverter esse desequilíbrio.

CE - Central de Ensino – F.3063 4019


R. Prof. Rubião Meira, n. 31 – São Paulo/SP 05409 020
http://www.centraldeensino.com.br
CNPJ: 07275065/0001-99
Está (ão) INCORRETA(S)
A) apenas a afirmativa I.
B) apenas a afirmativa II.
C) apenas as afirmativas I e II.
D) apenas as afirmativas I e III.
E) as afirmativas I, II e III.

4. Assinale a alternativa em que NÃO há correspondência entre as frases retiradas do


texto e a idéia apresentada entre parênteses.

A) "A primeira protagonista desse cenário é a balança comercial, que apresenta um


sólido déficit histórico e refratário a quaisquer tentativas de diminuí-lo." (explicação)
B) "No final de 2007, o Brasil apresentava condições bem diferentes das
norte-americanas em relação a esses aspectos." (comparação)
C) "O governo gasta mais do que recebe, e não se vislumbram condições políticas
concretas para mudar esse descompasso." (causa e conseqüência)
D) "O resultado de tudo isso repercute numa persistente valorização do real frente ao
dólar, cujo valor esteve próximo de R$ 4,00"... (conseqüência)
E) "Por parte dos empresários, há duas maneiras de considerar essa situação. Primeiro,
há uma oportunidade ímpar de iniciar"... (oportunidade)

5. Assinale a alternativa em que a expressão entre parênteses oferece uma definição


INADEQUADA para a expressão sublinhada, levando-se em consideração o contexto
em que está inserida.

A) “A principal explicação evocada pelos economistas está no cerne da própria


economia norte-americana o país está duplamente deficitário." [linhas 4 e 5] (próximo)
B) ... "é o próprio governo, aparentemente incapaz de desfazer o desequilíbrio entre a
capacidade de arrecadar e o volume de despesas"... [linhas 7 a 9] (equilibrar)
C) ... "entre a capacidade de arrecadar e o volume de despesas com a manutenção da
máquina pública, com a previdência, com os programas sociais"... [linhas 8 e 9]
(governo)
D) ... "somado ao também crescente ingresso de capitais estrangeiros não-especulativos
na economia, vem propiciando"... [linhas 13 e 14] (produtivos).
E) ... "o que tem importante potencial de alavancar a competitividade das empresas
brasileiras"... [linha 27] (capacidade)

6. Diante do exposto no texto, avalie as afirmativas apresentadas abaixo.

I. À idéia de um futuro que "pode não ser tão verde" associa-se a mudança nas relações
cambiais que envolvem o dólar, em referência à cor esverdeada com que são impressas
as notas dessa moeda.
II. À idéia de um futuro que "pode não ser tão verde" associam-se metaforicamente as
perspectivas de que a economia brasileira passe por dificuldades na adaptação a novos
referenciais.

CE - Central de Ensino – F.3063 4019


R. Prof. Rubião Meira, n. 31 – São Paulo/SP 05409 020
http://www.centraldeensino.com.br
CNPJ: 07275065/0001-99
III. Uma das conseqüências da recuperação da estabilidade fiscal no país é a persistente
desvalorização das moedas estrangeiras frente ao real, a qual já faz parte da "cultura"
econômica brasileira.
IV. Paradoxalmente, a valorização do real diante do dólar pode trazer desdobramentos
indesejáveis para alguns ramos de atividade, cuja sobrevivência está relacionada a uma
orientação para novos mercados.

Está(ão) INCORRETA(S) apenas a(s) afirmativa(s)


A) I
B) III
C) I e III
D) II e IV
E) II, III e IV

7. Identifique os objetivos do texto dentre os apresentados a seguir.

I. Analisar a realidade norte-americana e a brasileira a partir da consideração de


aspectos econômicos que as cercam.
II. Atribuir à prática da responsabilidade fiscal o superávit da balança comercial
brasileira, verificado nos últimos períodos.
III. Apresentar uma oportunidade de investimentos e/ou de incremento da atividade
empresarial no Brasil.
IV. Apresentar possíveis cenários para investidores e empresas, criados pela
desvalorização do dólar em relação ao real.

Estão CORRETAS apenas as afirmativas


A) I
B) I e III
C) I e IV
D) II e III
E) II e IV

TEXTO 2
Resgate das origens

A degradação das áreas centrais é resultado previsível na trajetória de


crescimento dos centros urbanos. Entre outros fatores importantes, os núcleos que
deram origem aos povoamentos chegaram à segunda metade do século XX com
edificações que, em sua maioria, não rendem tributos àquele que se tomou um dos
principais ícones da civilização ocidental: o automóvel.Sem garagens, os sonhos de
consumo das famílias mais abastadas exigiam a mudança para imóveis mais afastados
do centro, onde era possível construir garagens e, não raro, havia algum espaço
destinado a quintais ou jardins.
O fato é que o êxodo da classe media constitui o grande marco para um
desvirtuamento do uso espaço público, principalmente no período noturno, após o

CE - Central de Ensino – F.3063 4019


R. Prof. Rubião Meira, n. 31 – São Paulo/SP 05409 020
http://www.centraldeensino.com.br
CNPJ: 07275065/0001-99
fechamento dos escritórios e das lojas. Muitos dos imóveis dos centros urbanos são
ocupados com finalidades econômicas, mas aqueles que restam, especialmente os
menos conservados, são locados para indivíduos ou famílias de baixa renda, geralmente
Com elevada densidade de ocupação por metro quadrado e baixíssima qualidade de
vida. Ao cair da noite, afluem para calçadas e para a proteção das marquises, adultos
sem ocupação definida e menores sem família- ou dispostos a não conviver com elas-,
muitos dos quais se dedicam ao consumo e ao trafico de drogas e a uma série de delitos
correlacionados: furtos, assaltos, arrombamentos etc. A vida noturna toma-se,então,
quase exclusivamente marginal, de modo a distanciar-se das instituições e até da
presença constante do aparato policial.
Há, no entanto, uma tendência a reverter essa situação, e já é possível observar
diversos exemplos disso ao redor do mundo e mesmo no Brasil. Veja-se o processo de
revitalização levado a cabo em Salvador, que permitiu a ocupação da região histórica do
Pelourinho e o resgate da atividade turística de qualidade no local. No Rio de Janeiro, o
foco foi a região portuária. Agora, chegou a vez de São Paulo, cujo processo foi iniciado
com o resgate de prédios históricos, como o do Mercado Municipal, e de praças
importantes, como a Patriarca.
Em uma iniciativa mais recente, a prefeitura da cidade de São Paulo, em parceria
com empresas e com órgãos públicos, elaborou um audacioso projeto de revitalização
que abrange o entorno da Estação da Luz – região que, até recentemente, abrigava a
"cracolândia”, um conjunto de pontos onde se vendia e consumia descaradamente todo
tipo de droga, especialmente a que deu nome à área. Os principais objetivos do projeto
são a recuperação der áreas degradadas, a melhoria da qualidade ambiental, o suporte
ao desenvolvimento econômico da região, o estimulo à inclusão social e o
repovoamento do centro.Prevê-se a recuperação total das Praças da Sé e da República,
do Largo do Arouche, da Casa da Marquesa de Santos, do Beco do Pinto, da Casa
Número 1, da Avenida Nove de Julho e do Corredor Cultural.
Já se percebe alguma mudança - principalmente em termos de vontade política -,
mas há toda uma realidade a ser reconstruída, o que ainda vai levar alguns anos. É
inegável, contudo, que é possível reverter os chamados problemas estruturais que o
"progresso” evidenciou nas grandes aglomerações urbanas.

INSTRUÇÕES: As questões de 8 a 13 dizem respeito ao conteúdo do TEXTO 2. Leia-


o atentamente antes de respondê-las. Escolha a melhor resposta para cada questão e
marque-a em seu Cartão de Respostas.

8. "O fato é que o êxodo da classe média constitui o grande marco"... [linha 7]
Qual das seguintes alternativas pode substituir a expressão sublinhada no trecho acima
sem alterar o seu sentido?
A) a conscientização
B) a imigração
C) a ruralização
D) a saída
E) o empobrecimento

CE - Central de Ensino – F.3063 4019


R. Prof. Rubião Meira, n. 31 – São Paulo/SP 05409 020
http://www.centraldeensino.com.br
CNPJ: 07275065/0001-99
9. Em relação às áreas centrais das cidades, avalie as afirmativas abaixo.

I. A degradação das áreas centrais da cidade de São Paulo motivou a iniciativa de


empresários, que reformaram praças e outros logradouros.
II. Nos centros das cidades, as edificações da segunda metade do século XX não
contemplavam as necessidades relacionadas ao uso do automóvel.

III. Nos núcleos urbanos, as áreas centrais revitalizadas são sempre aquelas que
apresentam características de decadência ou de degradação.

De acordo com o texto, está(ão) INCORRETA(S) apenas a(s) afirmativa(s)

A) I.
B) II.
C) I e 11.
D) I e II.
E) II e III.

10. Assinale a alternativa que evidencia o objetivo comunicativo central do texto.

A) Convencer o leitor de que os problemas estruturais das grandes cidades são


diametralmente diferentes dos encontrados nas menores.
B) Demonstrar a evolução das características arquitetônicas das edificações das áreas
centrais das cidades ao longo do tempo.
C) Evidenciar que os efeitos deletérios do crescimento dos núcleos urbanos não são,
necessariamente, impossíveis de serem revertidos.
D) Expor as realizações da Prefeitura de São Paulo, no sentido de enaltecer a
capacidade administrativa de seus atuais governantes.
E) Mostrar que o sistema econômico vigente privilegia os mais aquinhoados, em
detrimento do restante da população.

11. Assinale a alternativa em que o(s) termo(s) sublinhado(s) representa(m) o sentido


oposto ao apresentado entre parênteses.

A) "A degradação das áreas centrais é resultado previsível na trajetória de crescimento


dos centros urbanos." (deterioração)
B) ... "abrange o entorno da Estação da Luz - região que, até recentemente, abrigava a
“cracolândia"... (a circunvizinhança)
C) ... "com edificações que, em sua maioria, não rendem tributos àquele que se tomou
um dos principais ícones da civilização ocidental"... (homenagens)
D) "Muitos dos imóveis dos centros urbanos são ocupados com finalidades
econômicas"... (liberados)
E) "Veja-se o processo de revitalização levado a cabo em Salvador"... (realizado)

CE - Central de Ensino – F.3063 4019


R. Prof. Rubião Meira, n. 31 – São Paulo/SP 05409 020
http://www.centraldeensino.com.br
CNPJ: 07275065/0001-99
12. Avalie as afirmativas abaixo segundo seu caráter verdadeiro (V) ou falso (F) diante
do exposto no texto.

( ) Há um movimento mundial no sentido de resgatar a qualidade de vida nas áreas


centrais das grandes cidades.
( ) Nas áreas degradadas das cidades, sempre existem pontos como a "cracolândia",
onde se vendem e se consomem drogas descaradamente.
( ) O caminho para a revitalização dos centros urbanos só pode ser bem-sucedido se o
poder público e a iniciativa privada trabalharem juntos.
( ) Se não fosse o automóvel, as fanu1ias de classe média não abandonariam as áreas
centrais das cidades, e não haveria, portanto, degradação urbana.

A seqüência CORRETA é

A) V F V F.
B) F V V V.
C) F V V F
D) F F V F
E) F F F F.

13. Leia o trecho abaixo, extraído do texto.


"A vida noturna torna-se, então, quase exclusivamente marginal, de modo a distanciar-
se das instituições e até da presença constante do aparato policial." [linhas 14 a 16]

Os termos sublinhados no trecho acima NÃO podem ser substituídos pelos termos
apresentados nas alternativas abaixo sem que haja alteração de sentido, EXCETO por

A) existente sem aparecer.


B) restrita ao ilegal.
C) remetente ao lateral
D) totalmente evanescente.
E) transcendente à compreensão.

TEXTO 3
O futuro chinês

É evidente que existe uma nova configuração mundial, geopolítica e econômica.


O principal protagonista dessa nova ordem é a China que ampliou fortaleceu seu laços
por todos os cantos do planeta, passou a predominar nas análises sobre comércio
internacional e tornou-se objeto de desejo dos investidores globais.
Com relação ao comércio internacional, em 2006, a China negociou com o mundo
valores que alcançaram aproximadamente 60% de seu PIE, o que a coloca em terceiro
lugar em volume de negócios externos, perdendo apenas para os EUA e a Alemanha,
sendo que existem previsões de que irá ultrapassá-los ate 2010. No que se refere a
investimentos estrangeiros, alguns analistas atentos apontam dois aspectos importantes

CE - Central de Ensino – F.3063 4019


R. Prof. Rubião Meira, n. 31 – São Paulo/SP 05409 020
http://www.centraldeensino.com.br
CNPJ: 07275065/0001-99
para o direcionamento do fluxo de"investimentos internacionais para as atividades
produtivas em território chinês: a política de manter o yuan – moeda chinesa –
desvalorizando em relação ao dólar; e a mão-de-obra chinesa, muito farta e
extremamente barata. Somente em 2006, foram investidos cerca de 60 bilhões de
dólares na China. Comparativamente, esse foi o mesmo montante de investimentos
destinados a outros seis países emergentes, considerados como os mais relevantes para
os investidores, incluindo Brasil, Índia e México.
Apesar do forte êxodo rural, mais da metade do total de 1,3 bilhões de chineses
ainda vive no campo, e isso parece garantir, por muito tempo, um estoque de gente
disposta a vender sua força de trabalho nas fábricas e na construção a preços (salários)
que seriam considerados aviltantes em outros países. Uma boa medida da solidez da
posição chinesa na arena da economia mundial é o volume das reservas em dólar
acumuladas ao longo dos anos a taxas sempre crescentes, fruto de robustos e recorrentes
superávits comerciais.
Contudo, em meados de 2007, o governo chinês percebeu a possibilidade do
surgimento de um fantasma que poderia minar as perspectivas de crescimento da China,
a chamada convulsão social. Como o êxodo rural estava em patamares assustadores em
relação às condições de vida nos grandes centros urbanos, o governo criou uma espécie
de abono salarial para o pessoal do campo, com o objetivo de minimizar o êxodo e
diminuir os riscos de um grave problema social. Porém, essa medida trouxe consigo
outro resultado, que pode não ser muito favorável para a competitividade dos produtos
chineses ao longo do tempo o aumento dos preços de seus produtos.
Com a redução do êxodo rural, a mão-de-obra deixou de ser tão farta como era,
fazendo com que as empresas tenham que se esforçar para manter os profissionais mais
qualificados, o que envolve aumento salarial e incremento dos custos empresaria-is. O
aumento salarial acarreta um maior consumo, já que o mercado tem mais poder de
compra, o que faz com que exista certa regulagem de preços em função da lei da oferta
e procura.Essas repercussões podem afetar o desempenho das negociações chinesas com
o mundo e influenciar os negócio internacionais.

INSTRUÇÕES: As questões de 14 a 20 dizem respeito ao conteúdo do TEXTO 3.


Leia-o atentamente antes de respondê-las. Escolha a melhor resposta para cada questão
e marque-a em seu Cartão de Respostas.

14. Em relação ao texto, assinale a alternativa INCORRETA.

A) A China é considerada um país emergente em função do tamanho de sua população,


cerca de 1,3 bilhão de pessoas.
B) A China tem possibilidades de tomar-se a maior potência em volume de negócios do
planeta, ultrapassando a Alemanha e os EUA.
C) A China, um país que chegou a comercializar aproximadamente 60% do seu PIB em
um único ano, pode ser considerada emergente.
D) A China se transformou no objeto de desejo dos investidores globais em função das
oportunidades que o país apresenta.

CE - Central de Ensino – F.3063 4019


R. Prof. Rubião Meira, n. 31 – São Paulo/SP 05409 020
http://www.centraldeensino.com.br
CNPJ: 07275065/0001-99
E) O mercado de mão-de-obra chinês é um dos mais fartos do mundo, fazendo com que
o custo desse insumo seja atrativo para os investidores.

15. Avalie as afirmativas apresentadas abaixo.

I. O deslocamento de parte considerável da população chinesa do campo para as cidades


tem como conseqüência a prática de salários defasados em vários segmentos de
atividade profissional, a exemplo da construção civil.
II. O êxodo rural observado na China pode levar a crises sociais de várias ordens, em
decorrência tanto da escassez de alimentos que são produzidos no campo quanto da
redução dos salários causada pela oferta exacerbada de mão-de-obra nas cidades.
III. Outros países emergentes não podem competir com a China em termos de
atratividade ao capital internacional, pois não dispõem de mão-de-obra tão farta e barata
e nem pretendem desvalorizar suas respectivas moedas diante do dólar.
IV. Apesar das peculiaridades inerentes à economia chinesa e da possibilidade de
acontecer uma forte crise social na China, o país sustenta hoje uma posição sólida no
cenário internacional evidenciada pelas suas reservas em dólar.

De acordo com o texto, está(ão) CORRETA(S) apenas a(s) afirmativa(s)

A)II.
B) IV.
C) I, II e IV.
D) I, III e IV.
E) II, III e IV.

16. Avalie as afirmativas apresentadas abaixo.

I. A recente projeção da China no cenário econômico mundial é resultado da interação


de fatores internos, como a disponibilidade de força de trabalho, e externos, como a
negociação de mais de 50% de seu PIE com outros países.
II. O vigor com que a China vem se destacando na economia mundial coloca o país, em
alguns aspectos, à frente de países desenvolvidos na Europa e na América; em outros,
adiante de países emergentes, como Índia e Brasil.
III. A disponibilidade da mão-de-obra e os baixos custos de produção da indústria
chinesa, associados a desvalorização do yuan em relação ao dólar, podem explicar a
invasão de produtos chineses nos mercados mundiais.
IV.A elevação das reservas cambiais da China tem como desdobramento os reiterados
saldos positivos balança comercial chinesa, fato que tem levado à consolidação de sua
posição no quadro econômico internacional nos últimos anos.

De acordo com o texto, está(ão) CORRETA(S) apenas a(s) afirmativa(s)

A) I
B) I e II.

CE - Central de Ensino – F.3063 4019


R. Prof. Rubião Meira, n. 31 – São Paulo/SP 05409 020
http://www.centraldeensino.com.br
CNPJ: 07275065/0001-99
C) I e III.
D) I e IV.
E) I, II e IV.

17. Para o desenvolvimento do texto, o autor NÃO fez uso dos seguintes recursos,
EXCETO de

A) dados científicos.
B) entrevistas.
C) linguagem figurada.
D) pesquisas.
E) reportagens.

18. Em relação à criação do abono salarial para os chineses do campo, pode-se afirmar
que

I. foi uma medida adequada, porque procurou evitar uma convulsão social que traria
fortes conseqüências negativas para o país.
II. o propósito do aumento dos preços dos produtos chineses era incrementar a
valorização dos mesmos no mercado internacional.
III. o governo chinês errou na concessão do abono, pois a medida implica muito mais
aspectos negativos do que positivos.

Está(ão) INCORRETA(S)

A) apenas a afirmativa I.
B) apenas a afirmativa II.
C) apenas a afirmativa III.
D) apenas as afirmativas II e III.
E) as afirmativas I, II e III.

19. Assinale a alternativa que representa a idéia central do texto.

A) As oportunidades e os riscos do crescimento econômico chinês.


B) A realidade chinesa em seu caráter geopolítico.
C) A forma como o êxodo rural é tratado na China.
D) A análise social e política do governo chinês.
E) Os riscos que se apresentam à sociedade chinesa.

20. Assinale a alternativa que melhor traduz a relação de sentido entre a reação dos
preços dos produtos chineses e as ações empregadas pelo governo para minimizar a
possibilidade de uma convulsão social.

A) Causalidade.
B) Comparação.

CE - Central de Ensino – F.3063 4019


R. Prof. Rubião Meira, n. 31 – São Paulo/SP 05409 020
http://www.centraldeensino.com.br
CNPJ: 07275065/0001-99
C) Conformidade.
D) Conseqüência.
E) Finalidade.

CE - Central de Ensino – F.3063 4019


R. Prof. Rubião Meira, n. 31 – São Paulo/SP 05409 020
http://www.centraldeensino.com.br
CNPJ: 07275065/0001-99