You are on page 1of 9

HORTA CASEIRA

TRATOS E CUIDADOS

SE VOCÊ QUER SER FELIZ POR UM DIA , BEBA BASTANTE.
SE VOCÊ QUISER SER FELIZ POR UM MÊS, CASE-SE.
MAS SE VOCÊ QUIZER SER FELIZ PARA SEMPRE - PLANTE!
(Provérbio Chinês)

Um dos maiores benefícios de cultivar uma horta doméstica é, sem dúvida, a satisfação de estar você
mesmo produzindo o alimento que será consumido pela família. Sem falar no enorme prazer que o
manejo da terra pode proporcionar. Uma horta orgânica, de 100 a 150 m2, é suficiente para suprir 60%
das necessidades de sais e vitaminas de uma família de 7 pessoas (3 adultos e 4 crianças)
Vejamos um resumo dos cuidados necessários para implantação de uma horta caseira e os cuidados que
os vegetais da horta necessitam em relação ao local de plantio:

 As hortaliças precisam de muito sol para produzir plenamente. Em outras palavras, devem ser
plantadas a sol pleno.
 O terreno destinado à horta deve ser dividido em canteiros, que serão feitos à enxada. A altura dos
canteiros depende do solo. Nos solos secos, ele deve ser feito ao nível do chão e nos úmidos com 10cm
de altura. A largura deve ser de 1 metro e 25cm e o comprimento pode variar, não convém ser maior que 8
metros.
 As ruas entre os canteiros devem ter 60cm, mas para economizar terreno podem ter um mínimo de
30cm. As terras dos canteiros devem ser bem revolvidas e sem pedras ou paus podres.
 O terreno após o preparo recebe adubos, que devem ser perfeitamente distribuídos. O melhor adubo
para hortaliças é o esterco de curral bem curtido e os adubos orgânicos, que se encontram no comércio,
como farinhas de sangue, de ossos, de peixe, etc

COMO PREPARAR O LOCAL DE PLANTIO
O local onde será implantada a horta deve estar livre de pedras, cascalho e entulhos. Caso exista a
possibilidade da invasão por animais é interessante prover um pequeno muro.

 Roce o mato e plantas rasteiras de modo que até as raízes sejam arrancadas. Em
seguida, marque as áreas dos canteiros, que não devem ultrapassar a 1 metro de
largura, podendo variar de comprimento.

 Deixe corredores de 40 cm a 50 cm entre os canteiros e a um metro do muro ou cerca
para facilitar a limpeza do canteiro.

 Cave a área demarcada dos canteiros, afofando o terreno em uma profundidade
de 20cm aproximadamente, marcando o solo em partes iguais.
 Tire do solo de uma das partes marcadas e vá fazendo uma rotação, como mostra a
ilustração. Retire pedras e restos de raízes que possam ter ficado na limpeza inicial.
 Misture à terra afofada, 20 litros de esterco de curral curtido ou composto orgânico
por metro quadrado e aplaine o terreno.
 O ideal é que os canteiros fiquem uns 20 cm mais altos que o terreno. Essa
elevação de nível serve para melhorar a drenagem, e evitar a erosão provocada pela
água das chuvas.
 Deixe uma valeta entre um canteiro e o outro, para facilitar o escoamento da água. Em
hortas domésticas, o ideal é que esse espaço seja pavimentado.
 Faça fileiras para acomodar as sementes ou pequenas covas, respeitando
o espaçamento específico para cada planta

dos animais e na continuidade da vida no planeta. a matéria orgânica - principalmente o estrume .Fatores diversos e a necessidade de debelar o cansaço da terra dentre outros fatores. Estimula e equilibra a alimentação das plantas. Como o cheiro de amoníaco é sinal de que está havendo perda de nitrogênio. até há pouco mais de um século. que fosse capaz de produzir os mesmos efeitos. As pilhas. A necessidade de suplementação dos nutrientes do solo no cultivo de hortaliças é obrigatória. quer pelas suas qualidades físicas. As composteiras são indicadas para quem tem problema de espaço ou produz pequena quantidade de resíduos. As leguminosas são plantas mais utilizadas para este fim. nitrogênio. procurou-se substituir o estrume por outra matéria orgânica. plantas e animais mortos. ESTRUME . TIPOS DE ADUBAÇÃO ADUBAÇÃO VERDE . Um bom composto tem cheiro agradável.foi o único fertilizante empregado na horticultura. COMPOSTO . Por esse motivo.Desde os mais remotos tempos. matéria indispensável para a vida biológica e a capacidade nutricional dos solos. Quanto mais aerado o composto. impede o crescimento de fungos ou bactérias que atacam as plantas jovens. O composto pode ser feito em pilhas ao ar livre ou composteiras. Pela heterogeneidade populacional que cria no solo. e a falta dela está diretamente relacionada ao ataque de pragas e doenças. seja ela gramínea ou não. A riqueza mineral final depende da composição do material orgânico inicial. Na época da chuva é conveniente dar ao monte um formato arredondado. desenvolvendo a raiz. estavam indicados para hortejos. é necessário aspergir cinzas e colocar mais material vegetal. zinco e outros) químicos iniciais.Consiste na incorporação ao solo. de qualquer massa verde. . Das várias etapas percorridas pela decomposição.Em muitos casos. Toda matéria orgânica. O húmus aumenta a resistência da planta a fungos e insetos. ou partes cortadas de plantas entre outros. têm a vantagem de não exigir equipamentos especiais. de terra fértil. nos benefícios que ela traz ao terreno. ao final do qual voltam aos elementos (carbono. provocado principalmente por bactérias e fungos. em fermentação. para que não fique excessivamente úmido. mais oxigênio entrará na massa e mais gás carbônico sairá (podemos apressar a fermentação se nas duas primeiras semanas revirarmos o composto a cada dois dias). é essencial na nutrição das plantas. fósforo. e que venha a trazer benefícios para o próprio solo. a mais importante é a formação do húmus. a dificuldade de se conseguir o estrume necessário ao estabelecimento da horta impede a cultura intensiva de muitos terrenos que. FATORES IMPORTANTES NA COMPOSTAGEM A qualidade do composto depende de dois fatores que podemos manipular: aeração e umidade. cromo. oxigênio. quer pela sua localização. facilitou o desenvolvimento dos mais variados métodos de fertilização. sofrem um processo de decomposição lento. ADUBAÇÃO Consiste em corrigir as deficiências naturais do solo em algum nutriente importante para o crescimento das plantas ou para repor os nutrientes removidos pelas colheitas. Este processo. O emprego do estrume ou de matéria orgânica pode não ser a forma mais econômica de restituir ao solo os principais nutrientes que dele retiram as plantas. em função delas serem mais eficientes quando comparadas com as gramíneas. instigando a atividade respiratória e celular. pois o maior valor do estrume reside na matéria orgânica em sí. são indicadas para quem dispõe de muito espaço e também gera grandes volumes de resíduos orgânicos. Material orgânico rico dá origem a minerais em grande número. A velocidade desta decomposição depende da relação entre o carbono e o nitrogênio. mas a sua aplicação dever-se-á manter. ou melhor. Muito carbono e pouco nitrogênio levam a uma decomposição demorada.

para produzir composto em pequenas áreas: EXEMPLO DE COMPOSTO ORGÂNICO EM ESPAÇO REDUZIDO  O cesto telado deve ter a altura e a largura de 1. mas seja qual for o processo seguido. Em um caixote deposite (em camadas) tudo o que seguir de restos de vegetais e animais. como cascas de frutas. hortaliças. palhas. Pode-se utilizar a tela de galinheiro ou a tela plástica. Usar cavacos de madeira. A composteira mais tradicional é uma caixa de madeira sem fundo nem tampa. tinta. como galhos. acrescentar mais folhas secas ou terra. Se a mistura estiver muito encharcada. aparas de grama ou mesmo água. uma opção muito boa é o cesto telado. largura de até 2 metros e 20 a 30 metros de comprimento  Sobre essa camada da mistura de serragem e capim. desenvolvida nos anos 40 na Nova Zelândia. EXEMPLO DE COMPOSTO QUE UTILIZA SERRAGEM  Misturar a serragem com parte igual. Quando a mistura estiver seca deve-se adicionar restos molhados. óleo ou madeira invernizada ou tratada contra cupins.  Fazer uma camada de 20 centimetros de altura.  Todo material de origem animal ou vegetal poderá ser usado. colocar uma camada de 5 cm de esterco bovino  Alternar camadas de 20 cm da mistura e 5 cm de esterco bovino. gravetos. Pode ser utilizado materiais os mais diversos. Para áreas menores. . para diminuir a compactação durante o processo.  Não usar materiais como vidro. vagens de árvores. plástico.50cm.5 metro. em volume. folhas e aparas de gramas que entram com o carbono. até a altura de 1.  Para evitar altas temperaturas (acima de 60oC. TÉCNICAS DE PREPARAÇÃO As técnicas de preparação do composto são inúmeras. o composto é sempre uma matéria orgânica terrosa perfeitamente curtida. A caixa neozelandeza tem o tamanho padrão: 1 metro por 1 metro na base e 1 metro de altura. podendo dizer-se que variam de local para local.  A pilha deve ter uma proporção maior de material que se desfaz lentamente. sabugo de milho. de capim ou folhas secas. deve ser feito o revolvimento constante ou adição de água.  Revolver o composto 3 a 4 vezes o primeiro mês de compostagem e pelo menos duas vezes depois. couro. Restos de alimentos deverão ser cobertos com terra para evitar ratos ou outros animais.

O mesmo efeito tem a cobertura com telhas transparentes de fibra. que lhe propicie um perfeito desenvolvimento. As primeiras podem ser plantadas diretamente nos canteiros onde serão cultivadas. em geral feita com coberturas.  Repetir esta operação a cada 20 dias. enterrando as extremidades ou calçando-as com pedras. De acordo com as exigências de plantio. Formas de plantio por sementes:  A LANÇO . misturando bem capim.Enterrar as duas pontas dos arames em toda a extensão dos sulcos e em seguida cobri-los com plástico transparente. observando sempre a temperatura e molhando de novo se essa estiver muito alta. por ser pobre em fósforo e outros elementos essenciais.usada para sementes muito pequenas. Estruturas de arames cobertas com plástico transparente ou telhas transparentes de fibra podem ser de grande valia. e as que exigem transplante. molhe bem toda a pilha. Neste caso é só entortar a telha. tornando-se uma massa escura. o composto estará pronto. Antes de semear. quando atingirem 15 a 20 cm de altura. observando a distância estipulada para cada planta. uniforme.Devem ser espaçados de acordo com as indicações para cada hortaliça. Se a temperatura estiver elevada a ponto de não se tolerar o calor. Veja o exemplo abaixo: . serragem e esterco. sem o aspecto do material original Esse composto poderá ser usado em qualquer cultura. para facilitar a germinação. Espalhe-as sobre a superfície do canteiro. em sementeiras.  EM SULCOS E COVAS . Cerca de 90 dias depois. Molhar bem a cada camada da mistura colocada  Verificar todos os dias se a temperatura sobe muito. que deverão ser transplantadas depois da brotação.  Após 15 dias revolver as camadas. . mas não dispensará a aplicação de adubo mineral. SEMEADURA A semeadura pode ser feita diretamente no canteiro. Basta distribuir as sementes em sulcos. De qualquer forma. desde que as mudas fiquem protegidas do sol. organizando nova pilha e molhando bem o conjunto. . começando com da borda para dentro. os sulcos devem ficar com uma distância de 5 a 10 centímetros um do outro. As outras. enfiando a mão na pilha formada. de maneira uniforme. Deve-se ter cuidado com a proteção. as hortaliças podem ser divididas em dois grupos: as hortaliças que podem ser plantadas no local definitivo. as sementes devem ser mergulhadas em água durante 12 horas. cobríndo-as depois com terra peneirada. em se tratando de sementeiras.

Proceda da seguinte forma:  Molhe bem a sementeira. pepino. arbustos. pimentão. Outras devem ser semeadas e depois de nascidas transplantadas para o canteiro definitivo. encontrar um apoio no qual possam subir. que precisam de um suporte. Esta última característica as classifica como árvores. herbáceas. berinjela. dê preferência a um fim de tarde ou a um dia nublado. IRRIGAÇÃO A água é essencial para o desenvolvimento das plantas.  Nunca irrigar sob o sol forte.  Folhas de plantas mais sensíveis quando murchas ou caídas indicam necessidade de regar. aquáticas ou trepadeiras. Em baixo. feijões. onde então ficam vegetando até a colheita. pode facilitar o surgimento e rápido desenvolvimento de pragas e doenças. Por isso a rotação de cultura é importante.  Coloque as mudinhas nas covas. Algumas plantas precisam. Para transportar hortaliças que foram semeadas em sementeiras. tomates.  Abra as covas no canteiro definitivo. veja algumas sugestões de tutoramento para a planta. etc.  Cobertura morta com palha de arroz ou serragem faz diminuir a evaporação da água. . ROTAÇÃO DE CULTURA As plantas soltam pelas raízes certas substâncias que são características de sua espécie. principalmente das que possuem crescimento rápido e grande quantidade de massa verde. O plantio consorciado de duas ou mais espécies reduz esse risco. observando o espaçamento para cada planta. para se desenvolverem. juntando terra e apertando um pouco em volta.  Regue com cuidado. Em geral são as vagens. TRANSPLANTE Há espécies de hortaliças cujas sementes são postas na terra dos canteiros e aí nascem e crescem. visto que há uma concorrência pelos mesmos nutrientes. e mesmo depauperar o solo. O que aconteceria se todas as suas sementes se transformassem em árvores? Ocorreria uma competição pelos mesmos nutrientes minerais do solo. Repare que em torno de uma mangueira velha é dificil desenvolver-se uma filha dessa árvore. É o chamado efeito "alelopático" (ação de uma espécie sobre o desenvolvimento da outra). no entanto. TUTORAMENTO As plantas são diferentes quanto à constituição vegetal. Essa modalidade de plantio.  A irrigação por asperção não é indicada para plantas como tomate. Uma grande área com plantas da mesma espécie. preferência de cultivo e hábito de crescimento.  Escolha as plantas mais viçosas retirando-as com um pouco do torrão junto à raiz. não deve ser feita sem que se saiba os efeitos dessa consorciação.

Para pulverizar a planta infectada: Dissolver 10 gramas de fumo de rolo e 100 gramas de sabão de coco em 20 litros de água fervente. FORMIGAS É talvez o mais terrível inimigo da horta. Por exemplo. 100 gramas de pó de arroz e 5 gramas de inseticida DIPEL (biológico). só que bem menores. Depois plante novamente outra raiz. PULGÕES É muito difícil fazer catação manual. brometo de metila e outros que se encontram no comércio e cujas bulas. pragas. recomenda-se a remoção manual ou com uma pinça. da próxima vez plante agrião (folha) e após colher o agrião.: Uma boa dica é não plantar sempre espécies da mesma família no mesmo canteiro. . que nós chamamos inimigos. elas podem ser pegas com uma isca bem fácil de fazer. Calda de fumo com sabão: basta adicionar sabão à calda de fumo comum e pulverisar na folhagem. e começam a aparecer espécies espontâneas de folha larga (que indicam solo bom). Isca: espalhar pedaços de chuchu ou abóbora pela horta. CARAMUJOS. é importante planejar o plantio das folhas. plante tomate (fruto). deve-se ter cuidado redobrado com elas. Calda de fumo: pique 20 gr de fumo de rolo. LAGARTAS Proliferam-se com rapidez e se alimentam das partes aéreas da planta. que garante alimentos saudáveis sem o desgaste do solo. para que toda a produção não fique pronta para a colheita de uma só vez. Isca: misture 100 gramas de açúcar. Para saber se você está no caminho certo. podendo ser enxergados somente com o auxílio de uma lupa. que acompanham o produto. As mais prejudicadas em plantios juntos são as solanáceas (beterraba. LAGARTA-ROSCA Encontradas embaixo do solo a uns 10 cm de profundidade. se você plantou cenoura (raiz) num canteiro.Com relação às hortaliças. fazer a rotação de culturas. em função da quantidade de doenças e pragas que as atacam. Atualmente. a melhor maneira de combatê-los é pulverizando inseticidas naturais. Coe em pano fino e dilua a mistura em 4 litros de água. estas duas formigas cortadeiras são eficientemente combatidas com uma série de formicidas: sulfureto de carbono. observe sempre a horta. etc. basta revolver a terra em volta da planta para que fiquem expostas ao sol. ou seja. Aí é só espalhar a isca em volta da planta atacada.FOLHA. por isso.FRUTO. que indicam solo fraco . Se começar a desaparecer os capins. a formiga saúva e em certos lugares a quemquém. TRATOS CULTURAIS PRAGAS E DOENÇAS As hortaliças. explicam o modo de usar. para atraí-los e depois pegá-los. LESMAS E TATUZINHOS É comum que estes pequenos animais frequentem a horta. além da rotação de culturas. são atacadas por uma série de "apreciadores". Latas de pouca espessura contendo sal e cerveja também são bastante atraentes para estes pequenos insetos. etc). No caso de não conseguir localizá-las. coloque em 1 litro de água e deixe ferver durante meia hora. O ideal é alternar o cultivo seguindo o esquema: RAIZ . Evite replantar seguidamente no mesmo canteiro o mesmo tipo de hortaliça. ÁCAROS São parecidos com carrapatos. Depois é só pulverizar sobre as plantas. mas se houver desequilíbrio podem causar muitos danos à horta. tudo está correndo perfeitamente bem. em especial nas partes afetadas pelos insetos. pimentão. Vá adicionando água até criar flóculos. Deixe descansar por 12 horas e pulverize os locais afetados. como a grande maioria das plantas cultivadas. Para combatê-las.

Certamente só existe equilíbrio quando as plantas da horta são maioria. que são as plantas e os animais que morrem e se decompõem. dissolva a pasta em água morna e misture o equivalente a 300 gramas para cada 20 litros de água fria. COCHONILHAS São pontinhos brancos ou avermelhados.areia e argila . que deixam as plantas manchadas de cinza. como as minhocas e os gongolos. deve-se retirar as plantas com sintomas de doenças. chamadas de plantas daninhas. Mas apesar de consideradas invasoras.Solo Solo é um sistema poroso. Emulsão de óleo: leve 1 kg de sabão picado. mentruz. Na hora de pulverizar a emulsão. picão-preto e dente-de-leão. É vida para as plantas. Coar e misturar sabão. que pode ser armazenada para futuras aplicações. marrom. PLANTAS CONCORRENTES As plantas que disputam o canteiro espontaneamente com as hortaliças são. que tem a finalidade de abafar o seu crescimento. sendo que uma das principais tem a coloração verde e amarela. composto de uma parte sólida e outra vazia. TIPOS DE SOLO Fonte: EMBRAPA . animais pequenos. O solo respira e tem sede. A vazia é ocupada por água e ar. transformando restos de vegetação e de animais em adubo para a terra. que sugam as folhas e talos das plantas até acabar com a seiva. pode-se fazer uma cobertura com palha de arroz ou capim seco. deve ser bastante arejado ou com numerosos pequenos canais e dar condições às raízes para que elas penetrem pronfundamente e cresçam abundantes. repelem ou atraem pragas e buscam nutrientes das camadas mais profundas. Extrato de Pimenta: bater 500 gramas de pimenta e dois litros de água no liquidificador até a maceração total. 8 litros de óleo mineral e 2 litros de água ao fogo até levantar fervura. Para evitar que plantas concorrentes se espalhem nos canteiros. branco ou preto. Para que o solo possa proporcionar vida aos animais e às plantas. DOENÇAS As mais comuns são causadas por fungos. Os únicos produtos indicados para a utilização em hortas caseiras são os feitos à base de cobre e enxofre por possuírem pouca toxicidade. A sólida é composta da parte mineral . ajudando a planta a se alimentar. ajudam a manter a vida do solo fazendo túneis para a entrada do ar e da água. Esses animais. Entre as mais comuns destacam-se a erva-de-santa- maria. Mexa até virar uma pasta.VAQUINHAS Semelhantes a um besourinho. CUIDADOS COM A TERRA . quebra-pedra. na maiorida das vezes. e outros maiores. prendendo-se em suas raízes.e da parte orgânica. Mas além da pulverização semanal. acrescentando por fim os 2 litros de água restantes. podem ser indicadoras de solo. como vermes.

etc.  Repousar o solo.  Utilizar a adubação verde e disso trataremos a seguir.ACIDEZ Se o solo é fertil. . em época de chuva. batata-doce. Para não deixar que ocorra a erosão. aumentando a colheita.  Rios e córregos. carrapicho-de- carneiro e samambaia.  Utilizar composto que pode ser feito simplesmente através de restos de vegetação. Com essa prática.  Procurar plantar sempre em terraços. Protege a terra contra o impacto da chuva. picando-a. transformando-se em alimento para a terra. Neste caso.  Manter a cultura sempre roçada e nunca capinada. espalhando-o uniformemente e incorporando-o a uns 15 centímetros do solo . se forma poça d´água turva e não transparente. ao vento e à chuva. Nestas condições o solo chega a perder uma camada de 10 cm em sete anos. guandu. Isso pode ser feito com um instrumento fácil de construi que se chama pé-de-galinha. EROSÃO É a perda do solo pela água da chuva ou pelo vento. observe se é constante a presença de plantas como tiririca.  As raízes das nossas culturas não penetram muito fundo.  Nos morros é comum aparecerem voçorocas.  Há o aumento de pragas e doenças. O QUE FAZ A TERRA DEGRADAR OU TER EROSÃO COM MAIS FACILIDADE? A terra mantida no limpo. Quebra o ciclo predatório da monocultura. Se bem escolhida. a consorciação beneficia a cultura principal. a correção do solo. etc. a água desce por caminhos feitos por ela ou por agricultores que não plantaram em curva de nível. Não deixar o solo descoberto. cujas raízes são capazes de arrebentar as camadas duras - compactadas . crotalária e gramíneas forrageiras. exemplo: guandu. que são desmoronamentos de terra que começam em pequenos sulcos e se transformam em grandes rachaduras. capin napier.  Ao chover nos morros. pimentão e nabo. sempre capinada. ou seja. Terra quente produz pouco. ou seja. esterco. é fornecido à terra cobertura morta.  manter a palhada da cultura anterior sempre na terra.  Utilizar o plantio em consórcio. Começa levando as camadas superficiais do solo onde a maior parte das raízes se alimenta e onde existe mais vida.do solo. Sabemos que há erosão quando:  Observamos danos na vegetação. devemos:  Utilizar o cultivo de contorno em terraços com espécies como cana-de-açúcar. com o cultivo alternado de no mínimo 4 culturas sucessivas. é necessária.  Plantar em curvas de nível. Fornece à terra o equilíbrio desejado. Muito cuidado na escolha: os bons resultados dependem da utilização de plantas "companheiras". pois a acidez impede que o nutrientes sejam liberados para as plantas. abóbora. Essa palhada será destruída aos poucos.  Podemos ver falhas na plantação. As plantas mais resistentes à acidez são a berinjela. sempre que for possível.  Evitar plantios de uma mesma cultura no mesmo ano. O campo deve ficar "sujo".  A rotação de culturas é fundamental para manter a produtividade do solo. mantendo-o protegido. têm cor de barro. ou mesmo reduzi-la. mas classificado como ácido. Fazer rotação de cultura é sempre indispensável. parecendo que esquecemos de jogar sementes em alguns lugares.  Utilizar plantas subsoladoras. as adubações são quase sempre em vão.este calcário só terá efeito após 2 ou 3 meses. e cultivar filas bem junto de alguma cultura que sombreie o solo. e se ele é claro. Para reconhecer o solo ácido (veja tabela ). seguindo a inclinação do morro. com o aparecimento de manchas de solo nu e pequenos sulcos. mas isso não impede o plantio imediato no canteiro. A erosão é muito prejudicial ao solo e devemos a todo custo evitar que ela ocorra. CALAGEM Para corrigir a acidez do solo deve-se colocar um copo (a cada 2 anos) de calcário dolomítico por metro quadrado. chamada de calagem. sapé. exposta ao sol. Evita-se ainda o ressecamento do solo. fazendo com que diminuam as ervas invasoras ou daninhas. Assim se evita os riscos da erosão.

como não se deve plantar. FIGURA A .plantio correto em curva de nível Fonte: cuidados com a terra . produzindo de forma racional e equilibrada.IDACO .Combater a erosão é investir na saúde da terra.1994 Última atualização em 06/12/2002 10:26:10 . FIGURA B .plantamos errado morro abaixo FIGURA C .