You are on page 1of 24

DESENHO DE CONSTRUÇÃO CIVIL

A – Técnico Geral – Cotagem

A-VI – COTAGEM

1. INTRODUÇÃO

A maioria dos objectos são representados usando escalas de redução ou ampliação.
Consequentemente surgem dificuldades em conhecer as dimensões reais dos mesmos. São
necessárias réguas de escalas ou cálculos matemáticos para ultrapassar esses obstáculos.

A cotagem de um objecto surge exactamente para suprir essas barreiras.

1.1. NECESSIDADE DA COTAGEM

A cotagem de um desenho torna-se primordial pelo seguinte:

• Falta de rigor no traçado.

• Variadas espessuras de traços no desenho.

• Variações no papel (humidade, temperatura).

• Deformações nas dimensões das cópias (heliográficas, fotocópias).

• Medição morosa e sujeita a erros.

As cotas representam sempre as dimensões reais de um objecto; não dependem da escala
em que o desenho está executado. As cotas devem ser sempre as indispensáveis à execução
da peça ou obra. É importante que o desenhador tenha conhecimento das técnicas
construtivas afim de evitar erros e facilitar o trabalho de quem vai executar a obra.

2. REGRAS DE COTAGEM

Cotar é muito mais que colocar as dimensões nos desenhos. É necessário conhecer as
normas e as regras que lhe estão inerentes para que a informação seja clara e objectiva.

2.1. ELEMENTOS DE COTAGEM

Os elementos que compõem uma cota são os seguintes:

• Linhas de cota: As linhas de cota são rectas ou arcos paralelas (salvo excepções)
ao elemento a cotar. Representam-se com traço contínuo fino.

CICCOPN - Centro de Formação Profissional da Indústria de Construção Civil e Obras Públicas do Norte Pág. 1/24/A-VI
mn046/00 02-07-2004 Acção financiada pelo Fundo Social Europeu e o Estado Português

DESENHO DE CONSTRUÇÃO CIVIL
A – Técnico Geral – Cotagem

• Linhas de chamada: As linhas de chamada são geralmente perpendiculares às
linhas de cota, situando-se nos limites da dimensão do elemento a cotar.
Representam-se com traço contínuo fino.

• Números de cota: Os números de cota devem ficar – regra geral - centrados (ao
eixo) e ligeiramente acima da linha de cota. Contudo, quando o espaço é reduzido
podem-se optar por outras soluções. Representam-se com tamanho sempre igual
(no mesmo desenho) e que garanta a sua legibilidade.

• Reforços: É o símbolo da intersecção da linha de cota com a linha de chamada. Os
reforços podem ser feitos com diferentes simbologias. Sendo contudo adoptados
geralmente da seguinte forma:

a) Desenho Técnico geral e de Construção Mecânica

b) Desenhos em que o espaço entre cotas é pequeno

c) Desenho de Arquitectura e Engenharia Civil

a) b) c)

• Linhas de referência: São linhas normalmente constituídas por dois segmentos de
recta, sendo um deles horizontal e o outro oblíquo, com um ângulo maior ou igual a
30º com a linha a que se refere. A anotação ou número de referência é colocada
sobre o segmento de recta horizontal. São representadas com traço contínuo fino,
terminando com uma seta ou um ponto conforme digam respeito a um contorno ou a
uma superfície.

linhas de referência

b reforço

a
y

linha de chamada

x

linha de cota n.º de cota

Elementos da cotagem

Pág. 2/24/A-VI CICCOPN - Centro de Formação Profissional da Indústria de Construção Civil e Obras Públicas do Norte
mn046/00 02-07-2004 Acção financiada pelo Fundo Social Europeu e pelo Estado Português

25 0.65 1.65 1. 3/24/A-VI mn046/00 02-07-2004 Acção financiada pelo Fundo Social Europeu e o Estado Português .Centro de Formação Profissional da Indústria de Construção Civil e Obras Públicas do Norte Pág. 0.As linhas de chamada não devem tocar o contorno da peça desenhada.3 0.25 0.2.25 1.65 0.65 0.25 1. em baixo e à direita do espaço a cotar ou rodá-lo 90º.65 0.65 0. mas há situações de excepção: • Quando o número de cota não cabe no espaço a cotar – neste caso pode optar- se por coloca-lo exteriormente às linhas de chamada. 0.Os números de cota devem ficar centrados em relação à linha de cota. 6 10 6 10 correcto incorrecto .3 • Quando o número de cota sobrepõe traços ou linhas do desenho – neste caso será colocado descentrado de forma a não cruzar elementos do desenho.25 0.65 1. DESENHO DE CONSTRUÇÃO CIVIL A – Técnico Geral – Cotagem 2. REGRAS .65 incorrecto preferível • Quando são vários os números de cota que não cabem nos espaços a cotar – neste caso pode optar-se por colocar uma linha de referência (abaixo da linha de cota) ligada à linha de cota com a indicação do número de cota. 15 15 preferível CICCOPN . devendo ficar pelo menos a cerca de 2mm de distância deste. Desta forma evita-se a confusão entre a cotagem e o contorno da peça.

ª linha de cota). c) O comprimento das linhas de chamada deve ser sempre igual. devemos ter em atenção o seguinte: a) O afastamento entre o desenho e a 1. salvo excepções (de espaço e organização dos desenhos na folha).As linhas de chamada são normalmente perpendiculares ao elemento a cotar. contudo há situações de excepção em que devem ser desenhadas obliquamente (inclinação de 60º ou 75º) para evitar uma leitura confusa.As linhas de cota e as linhas de chamada devem prolongar-se cerca de 2mm no seu cruzamento. quando o reforço é feito com um ponto ou com um traço.ª linha de cota deve ser sempre igual e nunca inferior a 7mm. Quando o reforço é executado com uma seta apenas a linha de chamada deve cruzar. preferível . a linha de cota não ultrapassa a linha de chamada.Para que a leitura de um desenho seja agradável. igual igual igual a) b) c) Pág. DESENHO DE CONSTRUÇÃO CIVIL A – Técnico Geral – Cotagem . 2mm 2mm 2mm 2mm 2mm . b) A distância entre linhas de cota deve ser sempre a mesma (podendo ser inferior ao afastamento do desenho à 1. 4/24/A-VI CICCOPN .Centro de Formação Profissional da Indústria de Construção Civil e Obras Públicas do Norte mn046/00 02-07-2004 Acção financiada pelo Fundo Social Europeu e pelo Estado Português .

As linhas de cota representam-se de formas diferentes consoante se referem a: a) Dimensões rectilíneas b) Comprimentos de arcos c) Ângulos a) b) c) .Centro de Formação Profissional da Indústria de Construção Civil e Obras Públicas do Norte Pág. Se for inevitável então só a linha de chamada o pode fazer. Por vezes apoiam-se em linhas construtivas. 12 12 3 13 correcto 8 12 13 incorrecto CICCOPN . 5/24/A-VI mn046/00 02-07-2004 Acção financiada pelo Fundo Social Europeu e o Estado Português . .As linhas de chamada nem sempre se referem às linhas de contorno do objecto. DESENHO DE CONSTRUÇÃO CIVIL A – Técnico Geral – Cotagem . linhas de eixo) podem servir de linhas de chamada mas nunca podem ser usadas como linhas de cota.As linhas de contorno ou outras (por ex. Estas terão que ser expressamente desenhadas.As linhas de cota e de chamada não devem intersectar-se. a evitar correcto .

de forma a serem lidas em duas posições perpendiculares entre si (horizontal e vertical) – base e lado direito (preferencialmente). Utiliza-se apenas a linha de cota. Desta forma evita- se uma leitura confusa. DESENHO DE CONSTRUÇÃO CIVIL A – Técnico Geral – Cotagem .Orientação das cotas: As cotas devem ser orientadas em relação à legenda da folha de desenho. 15 10 10 15 preferível . 5 5 10 10 5 5 10 5 10 5 15 15 correcto incorrecto Quando a posição do objecto implica também cotar no lado esquerdo e superior então deve ter-se em conta o seguinte: • Não repetir linhas de cota (A) • A regra da posição dos números de cota não altera (B) Pág. 6/24/A-VI CICCOPN . com uma única seta na extremidade que apoia o arco. C r=4 r=4 r=15 C .Centro de Formação Profissional da Indústria de Construção Civil e Obras Públicas do Norte mn046/00 02-07-2004 Acção financiada pelo Fundo Social Europeu e pelo Estado Português .As cotas devem ser desenhadas preferencialmente no exterior do desenho apesar de não haver nenhum impedimento na colocação de linhas de cota no seu interior.Na cotagem de raios e arcos de circunferência não é necessário considerar a linha de chamada. consoante o raio seja pequeno ou grande. podendo ou não ser definido o centro.

15 5 10 5 10 5 10 5 5 5 5 10 10 10 10 5 5 5 5 15 15 5 10 15 15 A B C correcto incorrecto Quando as linhas de cota são oblíquas os números de cota devem assumir as posições indicadas no esquema a seguir representado. DESENHO DE CONSTRUÇÃO CIVIL A – Técnico Geral – Cotagem • Só se cotam em cima e do lado esquerdo as dimensões que não se podem cotar na base e no lado direito. 7/24/A-VI mn046/00 02-07-2004 Acção financiada pelo Fundo Social Europeu e o Estado Português . Excepcionalmente. 3 0° 20 20 20 20 20 20 20 20 20 20 20 20 Quando as linhas de cota são angulares os números de cota devem assumir as posições indicadas no esquema (A) a seguir representado. A colocação de cotas na zona sombreada é de evitar. se daí resultar mais clareza para o desenho os números de cota podem colocar-se como ilustra o esquema (B). 60° 60° 30° 30 ° 60° ° 60 60° 60° 30° 30° 60 ° 60° ° 60 60° A B CICCOPN . sob pena de tornar confusa e difícil a leitura do desenho (C).Centro de Formação Profissional da Indústria de Construção Civil e Obras Públicas do Norte Pág.

20 +1. +1. UNIDADES DE COTAGEM A unidade a escolher para cotar um desenho deverá ser cómoda em termos de escrita e leitura. definidoras dos diferentes desníveis ou planos numa obra. com uma seta (pintada do lado direito).As cotas de nível.Na cotagem de elementos equidistantes de um desenho pode simplificar-se a cotagem da seguinte forma: 9x0. têm simbologias diferentes na sua representação em planta e em corte. Em planta são inscritas dentro de uma circunferência e no corte são indicadas sobre linhas de referência que terminam.Centro de Formação Profissional da Indústria de Construção Civil e Obras Públicas do Norte mn046/00 02-07-2004 Acção financiada pelo Fundo Social Europeu e pelo Estado Português .85 . Deverá ter-se em conta a escala e o tipo de desenho que se pretende cotar. Está convencionada a utilização das seguintes unidades de medida nos diferentes tipos de desenho que se descriminam: • Arquitectura – metro (com duas casas decimais) (m) • Betão armado – metro (com duas casas decimais) e milímetro (m e mm) • Carpintaria – centímetro (cm) • Estruturas metálicas – milímetro (mm) Quando houver necessidade de usar outra unidade de medida esta deverá ser mencionada na legenda ou noutro local bem visível da folha de desenho. 8/24/A-VI CICCOPN .20 planta corte 2. Pág.65=5.3. por isso os números de cota não convêm ter muitas casas decimais. no elemento a cotar. DESENHO DE CONSTRUÇÃO CIVIL A – Técnico Geral – Cotagem .

quer pelo terreno em que estão inseridas. Normalmente é um projecto organizado segundo o tipo de “arte” (por exemplo: pedreiro.Centro de Formação Profissional da Indústria de Construção Civil e Obras Públicas do Norte Pág. etc. É nestas que se conseguem ler as dimensões das divisões (comprimentos e larguras). Os desenhos são realizados em escalas grandes. do pé-direito. DESENHO DE CONSTRUÇÃO CIVIL A – Técnico Geral – Cotagem 3. exigem uma cotagem mais completa. Execução – Neste tipo de projecto (realizado com base no projecto de licenciamento) a cotagem é muito exaustiva. Há muitos elementos secundários que não se cotam tais como floreiras. Dentro dos projectos de arquitectura a cotar podemos distinguir dois tipos: Licenciamento – Neste tipo de projecto a cotagem visa sobretudo as dimensões do terreno. declives acentuados do terreno. ou seja. etc.). definir as cotas principais do edifício – cotas de pronto.). varandas. 9/24/A-VI mn046/00 02-07-2004 Acção financiada pelo Fundo Social Europeu e o Estado Português . visando explicar muitos pormenores construtivos. Nestes aparecem representadas com frequência cotas de tosco.. carpintaria. etc. Porém há outras obras que. ARQUITECTURA Há obras em que a necessidade de uma cotagem extensa é um pouco relativa. 3. COTAGEM EM PROJECTO Grande parte dos projectos não é cotada. Incentivar a cotagem dos desenhos é um dos objectivos deste capítulo. da mancha de construção. serralharia. etc. sendo necessário definir as dimensões de muitíssimos dos elementos que compõem a obra. São elementos que se escusa definir na fase de licenciamento. devido às reduzidas dimensões do terreno ou à dificuldade de execução do projecto (tais como paredes em escorso. trolha. 3. das divisões. dos vãos. A inexistência de normas Portuguesas de cotagem específica em desenho de construção civil leva a que além das regras indicadas anteriormente sobre cotagem em desenho técnico geral. Só as plantas de implantação CICCOPN .1. a localização e largura dos vãos (portas e janelas). se existir projecto de execução deverão ser aí cotados.1. inclinações e espessuras de lajes. etc.1. PLANTAS – LICENCIAMENTO As plantas são os primeiros desenhos do projecto a serem cotados. pequenas escadas de entrada. Contudo. se tenha em conta a prática generalizada neste sector resultante da adopção de normas internacionais (em especial as normas francesas) como complemento para uma cotagem eficaz dos projectos. o que torna a sua leitura mais demorada e sujeita a erros. quer pelo facto do projecto não apresentar grandes pormenores construtivos ou fora do usual. a distribuição das mesmas.

etc. A cotagem de uma planta organiza-se (sempre que possível) da seguinte forma: Cotas exteriores • 1. Cotas interiores • Cotas de nível – É prática comum definir os desníveis da construção (mudanças de nível no terreno. aberturas. • Anotações – A indicação dos nomes das divisões e respectivas áreas são igualmente indicadas no interior do desenho. etc. DESENHO DE CONSTRUÇÃO CIVIL A – Técnico Geral – Cotagem e de pisos são cotadas. janelas.ª Linha de cota (a última) – Nesta cota-se o total da construção.Centro de Formação Profissional da Indústria de Construção Civil e Obras Públicas do Norte mn046/00 02-07-2004 Acção financiada pelo Fundo Social Europeu e pelo Estado Português .ª Linha de cota (a do meio) – Nesta cota-se todas as larguras dos vãos (de portas.ª linha de cota. vitrais. nos pavimentos. PLANTA DE IMPLANTAÇÃO Pág. escadas. 10/24/A-VI CICCOPN . • 3.) através das cotas de nível que são marcadas dentro do desenho. a soma destas parciais será sempre igual à cota total. dada a sua função (mostrar o tipo de cobertura) nunca é cotada. Tal como na 1. a planta de cobertura. rampas. • 2.) bem como os espaços entre eles e o final da construção.ª Linha de cota (a mais próxima do desenho) – Nesta cota-se todas as espessuras de parede que estejam perpendiculares à linha de cota e o espaço entre paredes (que corresponde a uma das dimensões – comprimento ou largura – das divisões.

PLANTA DE IMPLANTAÇÃO CICCOPN . DESENHO DE CONSTRUÇÃO CIVIL A – Técnico Geral – Cotagem PLANTA DO R/CHÃO PLANTA DO 1º ANDAR Nem sempre é possível colocar as cotas no exterior do desenho. 11/24/A-VI mn046/00 02-07-2004 Acção financiada pelo Fundo Social Europeu e o Estado Português . pois as cotas interiores tornam o desenho mais confuso e “pesado”. Quando as paredes do edifício não são paralelas e perpendiculares entre si torna-se inevitável organizar a cotagem colocando algumas linhas de cota no interior do mesmo.Centro de Formação Profissional da Indústria de Construção Civil e Obras Públicas do Norte Pág. Só as indispensáveis para uma correcta definição das dimensões.

inclinações das coberturas.Centro de Formação Profissional da Indústria de Construção Civil e Obras Públicas do Norte mn046/00 02-07-2004 Acção financiada pelo Fundo Social Europeu e pelo Estado Português . peitoris das janelas. As alturas a cotar são as fundamentais para uma boa e rápida execução da obra: pé-direito. DESENHO DE CONSTRUÇÃO CIVIL A – Técnico Geral – Cotagem 3. Estas cotas são vulgarmente designadas por cotas relativas.2. as cotas de nível do terreno e do projecto estão relacionadas directamente com o Pág. piso a piso. lintéis de portas e janelas. É usual considerar a cota de referência (cota de valor zero) a de nível mais baixo – para evitar cotas de nível com valor negativo – ou então considera-se a cota do passeio como cota de referência – e a partir dessa cota soma-se ou subtrai-se o desnível conforme seja para cima ou para baixo. etc. alturas das chaminés. As larguras e comprimentos são cotados exclusivamente nas plantas. Quando existe um levantamento topográfico do terreno ligado à rede geodésica (marcos geodésicos). as cotas de implantação relativas a um nível chamado de referência.1. Assim cota-se todos os níveis (pavimentos) em relação a essa referência devendo também indicar-se a cota do tecto do último piso. Incluem-se as cotas de nível ou seja. por isso. tudo o que se cota nestes desenhos diz respeito às alturas. Normalmente são desenhos mais simples de cotar. CORTES – LICENCIAMENTO Quando se fala em cortes vem logo à ideia a representação das alturas na construção. 12/24/A-VI CICCOPN .

Muitas vezes nestes desenhos as cotas representadas são dos toscos – o que é fundamental na implantação e execução da obra. as cotas são colocadas dentro do desenho para uma melhor leitura. Nos cortes. Nestes são colocadas as referências aos pormenores a representar em escalas maiores (dentro de círculos ou de formas poligonais). contrariamente ao que acontece nas plantas. Por exemplo.Centro de Formação Profissional da Indústria de Construção Civil e Obras Públicas do Norte Pág. evita-se o cruzamento das cotas com elementos do desenho tais como equipamento.3. representando as fases mais significativas da obra. CICCOPN . Por isso. PLANTAS E CORTES – EXECUÇÃO As plantas e cortes no projecto de execução podem ser considerados os desenhos de conjunto. DESENHO DE CONSTRUÇÃO CIVIL A – Técnico Geral – Cotagem nível médio das águas do mar – cotas absolutas. Nestes desenhos são definidos os materiais a aplicar na obra e as suas dimensões. 13/24/A-VI mn046/00 02-07-2004 Acção financiada pelo Fundo Social Europeu e o Estado Português . Contudo. neste caso a cota de referência não será zero. etc. Para isso são colocadas linhas de referência com a inscrição do material a usar ou com a inscrição de números ou letras representativas do material que figurarão numa legenda a colocar na mesma folha. pode haver uma planta e/ou corte só com as cotas da estrutura e das alvenarias e outra planta e/ou corte com as cotas dos acabamentos.1. CORTE C-D CORTE A-B 3. simbologias de azulejo. Num mesmo projecto podem existir várias plantas e cortes construtivos. sempre que possível.

14/24/A-VI CICCOPN .Centro de Formação Profissional da Indústria de Construção Civil e Obras Públicas do Norte mn046/00 02-07-2004 Acção financiada pelo Fundo Social Europeu e pelo Estado Português . DESENHO DE CONSTRUÇÃO CIVIL A – Técnico Geral – Cotagem Pág.

Para além das linhas de cota são também representadas muitas vezes linhas de referência com variadas anotações para que não surjam dúvidas na execução da obra. DESENHO DE CONSTRUÇÃO CIVIL A – Técnico Geral – Cotagem 3.Centro de Formação Profissional da Indústria de Construção Civil e Obras Públicas do Norte Pág.1. 15/24/A-VI mn046/00 02-07-2004 Acção financiada pelo Fundo Social Europeu e o Estado Português .4. PORMENORES – EXECUÇÃO A cotagem destes desenhos é bastante minuciosa. todas as dimensões dos vários elementos são aqui definidas. CICCOPN .

2. ESTRUTURAS DE BETÃO ARMADO O projecto estrutural de um edifício é composto por desenhos de conjunto (plantas) e de pormenores. Pág. 16/24/A-VI CICCOPN .Centro de Formação Profissional da Indústria de Construção Civil e Obras Públicas do Norte mn046/00 02-07-2004 Acção financiada pelo Fundo Social Europeu e pelo Estado Português . DESENHO DE CONSTRUÇÃO CIVIL A – Técnico Geral – Cotagem 3.

LM2. pois deles depende a correcta implantação da obra no terreno. … muro de suporte • V1. Planta de fundações – Dependendo do tipo de fundação (contínua ou por sapatas isoladas) a cotagem é feita ao eixo do lintel de fundação ou das sapatas e pilares. … sapata • LF1. DESENHO DE CONSTRUÇÃO CIVIL A – Técnico Geral – Cotagem 3. Tal como na planta de fundações. PLANTAS Um edifício compreende plantas de fundações e de tectos. Normalmente empregam-se os seguintes: • S1. … laje • LM1. … laje de cobertura • LE1.Centro de Formação Profissional da Indústria de Construção Civil e Obras Públicas do Norte Pág. L2. vigas. PBA2. … laje de escada • PBA1. os elementos estruturais (lajes. LE2. Plantas de tecto – Nestas a cotagem é feita ao eixo dos pilares e das vigas. … pilar • MS1. Os elementos estruturais tais como lintéis. Por vezes também se cota as sapatas e a distância entre elas. … lintel de fundação • P1. V2. Estes desenhos deverão ser muito bem cotados. … laje de piso • LC1. 17/24/A-VI mn046/00 02-07-2004 Acção financiada pelo Fundo Social Europeu e o Estado Português . Os termos que designam os elementos estruturais são representados por uma letra maiúscula seguida de um número. … viga • L1. P2. LC2. pilares) são nomeados. … parede de betão armado Apresenta-se de seguida exemplos de plantas estruturais: CICCOPN . S2.1. LP2. MS2. tarugos. … laje maciça • LP1. LF2. sapatas e pilares são nomeados de forma a corresponderem aos nomes dos pormenores desenhados em escalas maiores.2.

H. DESENHO DE CONSTRUÇÃO CIVIL A – Técnico Geral – Cotagem PLANTA DE FUNDAÇÕES PLANTA DE TECTO DO R/CHÃO 3.2.Centro de Formação Profissional da Indústria de Construção Civil e Obras Públicas do Norte mn046/00 02-07-2004 Acção financiada pelo Fundo Social Europeu e pelo Estado Português . PORMENORES Nos pormenores são cotadas as dimensões (exteriores) do elemento estrutural (em metros) e o aço (em milímetros). …) referenciada a um quadro de valores para as diferentes dimensões. Observem-se os desenhos exemplificativos: Pág. B. Em algumas situações é desenhado um pormenor tipo com a cotagem (definida com variáveis: A. 18/24/A-VI CICCOPN .2.

Mesmo que os varões superiores e inferiores tenham o mesmo diâmetro não é possível agrupa-los na mesma cota. DESENHO DE CONSTRUÇÃO CIVIL A – Técnico Geral – Cotagem A cotagem das vigas respeita os seguintes critérios: • As armaduras são cotadas nos cortes longitudinais e transversais. o Os estribos devem ser cotados no lado esquerdo ou direito.Centro de Formação Profissional da Indústria de Construção Civil e Obras Públicas do Norte Pág. • Cortes transversais: o A armadura longitudinal superior é cotada na parte de cima e a longitudinal inferior é cotada na parte de baixo. Os estribos tanto podem ser cotados em cima como em baixo. Corte longitudinal Corte transversal CICCOPN . o A viga é cotada no seu comprimento total (vão). o A secção da viga cota-se em baixo e à direita. independentemente de ser representada na totalidade. 19/24/A-VI mn046/00 02-07-2004 Acção financiada pelo Fundo Social Europeu e o Estado Português . • Cortes longitudinais: o A armadura longitudinal superior é cotada na parte de cima e a longitudinal inferior é cotada na parte de baixo. com cortes parciais ou só até ao eixo.

20 0.ø8//0.20 3ø16 Est.ø8//0.00 0.30 Corte 1-1 Corte 2-2 (V1) 2.90 (V2) 1.80 0.20 Est.20 Est.60 3ø12 3ø12+2ø16 1 3ø12 3ø12+2ø16 3ø16 2 0.40 Est.60 2.20 0.80 1.80 Pág.ø8//0. DESENHO DE CONSTRUÇÃO CIVIL A – Técnico Geral – Cotagem V1/V2 0.ø8//0.Centro de Formação Profissional da Indústria de Construção Civil e Obras Públicas do Norte mn046/00 02-07-2004 Acção financiada pelo Fundo Social Europeu e pelo Estado Português .ø8//0.60 0.ø8//0. 20/24/A-VI CICCOPN .20 0.10 Est.60 3ø16 5ø16 2ø16 3ø16 2ø16 1 2 0.10 Est.

3.Centro de Formação Profissional da Indústria de Construção Civil e Obras Públicas do Norte Pág. ESTRUTURAS METÁLICAS Neste tipo de projecto os critérios de cotagem são semelhantes aos do projecto de betão armado. Apresenta-se de seguida alguns exemplos explicativos: Planta cobertura CICCOPN . 21/24/A-VI mn046/00 02-07-2004 Acção financiada pelo Fundo Social Europeu e o Estado Português . Existem os desenhos de conjunto e de pormenores. A unidade utilizada é quase sempre o milímetro. DESENHO DE CONSTRUÇÃO CIVIL A – Técnico Geral – Cotagem 3. embora esporadicamente possa ser usada a polegada na cotagem de tubos.

1/5 Pág.01 Ch. 1/5 Corte AB 09. 10mm Esc. 22/24/A-VI CICCOPN . DESENHO DE CONSTRUÇÃO CIVIL A – Técnico Geral – Cotagem Conj. 06 Conj. 10mm Ch.01=08. 1/5 Esc.01 Peça 10.Centro de Formação Profissional da Indústria de Construção Civil e Obras Públicas do Norte mn046/00 02-07-2004 Acção financiada pelo Fundo Social Europeu e pelo Estado Português . 1/5 Esc. 06 Esc.

gás. De seguida apresentam-se alguns desenhos exemplificativos. Atendendo ao carácter esquemático deste tipo de projecto as cotas definidas nas plantas são sobretudo referentes aos diâmetros e género de material utilizado.). electricidade.4. F CCG planta do r/chão CAIXA DE ABRIGO VALA TIPO CICCOPN . 23/24/A-VI mn046/00 02-07-2004 Acção financiada pelo Fundo Social Europeu e o Estado Português . DESENHO DE CONSTRUÇÃO CIVIL A – Técnico Geral – Cotagem 3. saneamento. etc. REDES Nos projectos de redes (abastecimento de água. a cotagem dos desenhos faz-se principalmente nos pormenores.Centro de Formação Profissional da Indústria de Construção Civil e Obras Públicas do Norte Pág.

DESENHO DE CONSTRUÇÃO CIVIL A – Técnico Geral – Cotagem AFASTAMENTO E VÁLVULA DE CORTE DOS APARELHOS Pág.Centro de Formação Profissional da Indústria de Construção Civil e Obras Públicas do Norte mn046/00 02-07-2004 Acção financiada pelo Fundo Social Europeu e pelo Estado Português . 24/24/A-VI CICCOPN .