You are on page 1of 13

Data do boletim informativo

Di
Volume 1, Edição 1

INFORMATIVO 14/2016

NOVAS ALTERAÇÕES NAS
NORMAS REGULAMENTADORAS 9, 12 e 35
DOU de 22/09/2016

O Ministério do Trabalho, através das Portarias a seguir indicadas, que foram
publicadas no DOU de 22 de setembro de 2016, alterou as Normas
Regulamentadoras 9, 12 e 35 aprovadas pela Portaria MTb nº 3.214/1978.

Norma Regulamentadora nº 9 – Programa de Prevenção de Riscos Ambientais
- PPRA

A Portaria nº 1.109, de 21 de setembro de 2016, aprovou o Anexo 2 – Exposição
Ocupacional ao Benzeno em Postos Revendedores de Combustíveis – PRC da NR
9.

A principal inovação estabeleceu requisitos para o funcionamento das bombas de
combustíveis.
Dentre as exigências, a partir dos prazos estabelecidos na Portaria, passa a haver
controle na exposição ao Benzeno durante o abastecimento e, para isso, obriga a
instalação de sistema de recuperação de vapores.
As novas medidas tornam, ainda, obrigatório o uso de Equipamentos de Proteção
Individual e sinalização nesses locais.
Os prazos para a adequação dos equipamentos variam de 6 a 180 meses e estão
estabelecidos na Portaria nº 1.109, que segue em anexo.

Norma Regulamentadora nº 12 – Segurança no Trabalho em Máquinas e
Equipamentos

As Portarias nº 1.110 e nº 1.111, ambas de 21 de setembro de 2016, não trazem
alterações profundas na estrutura geral da NR 12.

A fim de realizar adequação técnica do texto, o termo “comando bimanuais” foi
substituído por “dispositivo de acionamento bimanual”. Assim, foi alterada a
redação dos itens 12.27, 12.28, 12.29, 12.30, 12.30.2 e 12.30.3.

Também foram alterados os requisitos para escadas de degraus sem espelho.
Agora a norma fixa apenas dimensões mínimas para os degraus e plataformas de
descanso, de largura útil mínima de 60 cm, e comprimento de intervalos de,
máximo, 3 metros de altura para plataformas.

O novo texto exclui a obrigação de se observar cores de sinalização de segurança
diferenciados, de forma que passa a ser observado tão somente o disposto na NR
26 – Sinalização de Segurança.

Também foram alterados os anexos 6 (Panificação e Confeitaria), 7 (Máquinas para
Açougue e Mercearia), 11 (Máquinas e Implementos para Uso Agrícola e Florestal )

posicionamento no trabalho e acesso por cordas. que incorpora um ou mais pontos de ancoragem. que deverá ser: a) adequado à tarefa a ser executada.5. transcrevemos o item 12. Qualidade e Tecnologia e 2 do Ministério do Trabalho. integrante de um Sistema de Proteção Individual contra Quedas. diretamente ou por meio de outro componente e projetado para suportar as forças aplicáveis. o Grupo de Trabalho sera constituído por 2 representantes do Ministério da Indústria. importação ou adequação. até cinco dias após a publicação da Portaria.112. O Sistema de Ancoragem visa atender às seguintes finalidades: retenção de queda. A indicação dos representantes do Grupo de Trabalho deve ser feita ao Secretário de Desenvolvimento e Competitividade Industrial. ofício ou correio eletrônico. de 21 de setembro de 2016 alterou o item 35. publicada pela Portaria 197/2010. Comércio Exterior e Serviços. importação ou adequação das máquinas e equipamentos. e) de acordo com as normas técnicas nacionais e internacionais (se for o caso) aplicáveis e f) todos os elementos compatíveis e submetidos a uma sistemática de inspeção. que dispõe a respeito da observação das novas exigências da NR 12: “Não é obrigatória a observação de novas exigências advindas de normas técnicas publicadas posteriormente à data de fabricação.e 12 (Equipamentos de Guindar para Elevação de Pessoas e Realização de Trabalho em Altura). publicada no DOU de 21 setembro de 2016. instituiu Grupo de Trabalho com o objetivo de avaliar e implementar as ações necessárias para o desenvolvimento de programas para a Certificação de Máquinas. seus anexos e suas alterações posteriores. 2 do Instituto Nacional de Metrologia.111). na NR-35. De acordo com a Portaria.” (grifamos) Norma Regulamentadora nº 35 – Trabalho em Altura A Portaria nº 1. Acessórios e Sistemas de Ancoragem da NR 35. c) selecionado pro profissional qualificado em segurança do trabalho. será obrigatória a utilização de sistema de proteção contra quedas em todo trabalho em altura. Incluído também o Anexo II – Sistema de Ancoragem. por meio de memorando. aos quais podem ser conectados Equipamentos de Proteção Individual contra quedas. desde que atendam a Norma Regulamentadora nº 12. restrição de movimentação.1 (incluído pela Portaria nº 1. d) resistente para suportar a força máxia aplicável prevista em caso de queda. .Equipamentos de Proteção Individual. Por oportuno. Objetivando garantir a conformidade das empresas com a NR 12 – Segurança e Saúde no Trabalho em Máquinas e Equipamentos. bem como às normas técnicas vigentes à época de sua fabricação. definido como um conjunto de componentes. através da Portaria Interministerial nº 235 de 20 de setembro de 2016. INSTITUÍDO GRUPO DE TRABALHO PARA CERTIFICAÇÃO DE MÁQUINAS DOU de 21/09/2016 O Ministério da Indústria.5 . b) selecionado de acordo com análise de risco (de exposição e adicionais). Comércio Exterior e Serviços.

025.502.. Altera a Portaria MP no 292.001095/2004-41. 1º A Portaria MP nº 292.508... consideram-se Postos Revendedores de Combustíveis . resolve: 7. Responsabilidades ER O MINISTRO DE ESTADO DO TRABALHO.....496..12 33.18 5. que regula o processamen.1 12 meses atividades com exposição ocupacional ao benzeno em Postos Revendedores de Combustíveis .88 SPU/RN F 290.. como dos prazos definidos...704.911.036.178. .15 3..83 13.833.929.657.90 470.440. com área de 125. çamentárias das ações do Programa de § 2° A SDI poderá solicitar aos órgãos e entidades outras Aceleração do Crescimento .257....887. 5o Fica revogada a Portaria MP nº 408..990.326...688. 3o A Secretaria de Desenvolvimento da Infraestrutura - "Art..º 9..148.294.03 25.86 2....151.399.61 486. que lhe foi delegada pelo art.650.67 1..824...899...95 SPU/RJ F 9..14 16. feita pela Superintendência do 6.071. Ambientes de Trabalho Anexos 11. Da Comissão Interna de Prevenção de Acidentes .. ..188...113.82 5.613.... 48 ISSN 1677-7042 1 Nº 183.931.....93 16...584..1 Este anexo estabelece os requisitos mínimos de segurança e saúde no trabalho para as 2.. s/nº....... tendo em vista o disposto no art..589..109.279..813... IA de julho de 1999..376.....10 12..149..363.94 2.o processamento do cadastro dos respectivos empreen.459..274..in. 19/12/2023....399.584... 1º Aprovar o Anexo 2 .39 265.13 2.200-2 de 24/08/2001.278... Lei nº 9.. Da Avaliação Ambiental Art.....110...881.128.870.305....PRC ..44 4...05 220.1 6 meses na legislação de Segurança e Saúde no Trabalho .996.479.929...46 4. Anterior a 2014 132 meses após a publicação da presente portaria 2.2 18 meses automotivos e abastece tanque de consumo dos veículos automotores terrestres ou em embalagens 14.56 17..236.2. deverá ocorrer reunião extraordinária da A Comissão Nacional Permanente do Benzeno . aprovada pelo Decreto-Lei n..813..984.58 2..037..263...305..... Responsabilidades 2.. 5º Os órgãos e entidades executores dos empreen- dimentos incluídos no PAC deverão encaminhar eletronicamente à O MINISTRO DE ESTADO DO PLANEJAMENTO..01 3...448..266.481..863... Procedimentos Operacionais Combustíveis .01 PORTARIA Nº 274. "Art. 9. Sinalização referente ao Benzeno Quadro 1 14..2 84 meses 1...360.653....1.... com validade até SDI será responsável pelo processamento do cadastro dos empre.762.11 281.725.645..836.. que entrarão em vigor nos prazos consignados..571.432...249.86 3..038..94 3.06 1...26 422...e DYOGO HENRIQUE DE OLIVEIRA .559.. de nacionalidade italiana...81 3.496.067.220. contados da publicação deste ato: 9.1..80 423.. Interino..94 252. 2...914. portador do CPF nº passa a vigorar com as seguintes alterações: Art.385..756.. 2º Esta Portaria entra em vigor na data de sua publicação.º 9 - Programa de Prevenção de Riscos Ambientais ...518.51 155..04 11.61 10..125.528..763.42 11.. Controle Coletivo de Exposição durante o abastecimento 1.142..951..30 26.99 5..71 10...666..821......371.54 40...043.653. 2º A Secretaria de Desenvolvimento da Infraestrutura ..884.654...71 5....95 5.944....14 198...819.096..14 163... Dos Direitos dos Trabalhadores CE 4.089.. bustível Até 2019 180 meses após a publicação da presente portaria 2.581.481.. Secretaria de Desenvolvimento da Infraestrutura .br/autenticidade...45 631.567.03 15......CIPA IRO 5.011..04 5..597.72 6..65 1. a varejo. de 22 de janeiro de 2007.36 455. Sumário: vendedores de Combustíveis . Uniformes 12.. DE 21 DE SETEMBRO DE 2016 "Art..59 12...SisPAC.038.. Documento assinado digitalmente conforme MP n o.. Objetivo e Campo de Aplicação 2. informações além das prevista no § 1° deste artigo. Anterior a 2007 96 meses após a publicação da presente portaria 2.592...783.57 796....14 818.073. 4º Esta Portaria entra em vigor na data da sua pu- Art....77 16. os dados cadastrais dos empreendimentos sob sua execução por RC SENVOLVIMENTO E GESTÃO..109. DE. Estado da Bahia..º 5.. Interino no uso de suas atribuições ..31 1......828...953.981. de 16 de setembro de 2008... 2º A gestão do Sistema de Monitoramento do Programa Município de Maraú.460.452.73 23....936...88 6. Art..20 2.32 7...... 155 e 200 da Consolidação das 6.164.652. meio do Sistema de Monitoramento do Programa de Aceleração do to do cadastro dos empreendimentos e a Crescimento .1 Para fins deste anexo.90 102..368.92 1..893....52 22..291.369..450.659... Atividades Operacionais 10......11 SPU/PR F 1.304...172..079.SST em vigor no Brasil..Exposição Ocupacional ao Benzeno em Postos Re.PRC.974.139..544.44 480...85 SPU/RS F 469..071....57 3.754.74 2..29 35.88 11. 205 do Decreto.549....107.. SENVOLVIMENTO E GESTÃO.253.88 2..752.41 17.466.760.87 SPU/TO 66.PAC e dá ou.SDI....789.72 31.00 5.. que institui a pelo código 00012016092200048 Infraestrutura de Chaves Públicas Brasileira .SisPAC é de responsabilidade da ÃO Patrimônio da União naquele Estado no ano de 2005 em nome do Sr.1..985.01 126. 87 da Constituição Federal e os arts.......113.212.138. 2º Esta Portaria entra em vigor na data de sua pu...563.....96 3.81 8.527.....57 487..634.05 3.34 ME PORTARIA Nº 275......214..708.16 4. Art. SDI........62 17.248....564.Exposição Ocupacional ao Benzeno em Postos Revendedores de 8...688.847.12 658.865....414.89 SPU/SE F 1..247.52 60.76 88.67 1...283.....746.... DE 20 DE SETEMBRO DE 2016 7. Objetivo e Campo de Aplicação Itens Prazo 1...... inciso IV. de 22 de se- OI blicação.1 Cabe ao empregador: Quadro 2: Prazos aplicáveis ao item 14.636.850.56 5...10 4. 1....61 729.91 13. DE 21 DE SETEMBRO DE 2016 Anexo 2 .955..129.55 2.059.CNPBz para avaliar a implementação deste anexo..1.75 2.020..1 Cumprir e fazer cumprir o presente anexo....gov.011..941.199.44 162.951.....1 Os PRC devem adequar os contratos de prestação de serviços vigentes às disposições Anterior a 2016 144 meses após a publicação da presente portaria desta norma.522..1 2..626. com o objetivo de incorporá-las à gestão do PAC.622. 4º...316..18 10. exceto quanto aos itens abaixo discriminados..44 5....26 71.550..69 116.116..662...803.CLT. PR endimentos do PAC. de 5 de setembro de 1946.642..309..2 Só permitir a contratação de serviços de outras empresas desde que faça constar no Ano de fabricação da bomba de com.442..42 22.22 15..57 25.... combustíveis 10.1 24 meses 8.. DE.. Do Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional ..253..647...919..... Art.847.842.05 68.959. para o monitoramento de empreendimentos do PAC... ...87 5..381.669..548..102.. com a redação constante no Anexo desta Portaria.363.. Art.....007.955...797.80 SPU/RO F 15.029. e de acordo com o que ..27 6....387.....701... 22 de setembro de 2016 SPU/PE F 4...... de 8 de junho de 1978.PPRA.da Norma Regulamentadora n.507.547...514..." (NR) blicação..05 SPU/RR C 0 1 0 0 0 1 1 1 1 1 1 0 7 F 1.39 14.847..1.00m².1.88 1.85 8..1 12 meses contendo essa substância.165.598.161.50 3. GIULIO MATTIAZZI.377.957.. as informações fornecidas previamente ao processamento do cadastro.629.764.573..40 517.. 2.25 SPU/PI F 161.PCMSO Leis do Trabalho ..PRC 5..40 9... 1º Convalidar a inscrição de ocupação do terreno de O MINISTRO DE ESTADO DO PLANEJAMENTO.....35 27..... 3º Um ano após a publicação desta portaria..339..44 11..11 107..795..44 13. resolve: de Aceleração do Crescimento .....4 12 meses contendo benzeno o estabelecimento localizado em terra firme que revende...64 1.ICP-Brasil.73 9.488..2....023..139. I .274......18 46..007.735. AÇ marinha..919....137..40 498. 1º. Equipamentos de Proteção Individual (EPI) S 13.48 2.672..210.498..89 1.738..1.. 6º Após o encaminhamento dos dados.70 1...81 1....51 25.47 14...221.521.. bem ...920.03 2.719..816." (NR) e tendo em vista o disposto nos artigos 5º-A e 5º-B do Decreto nº Art.... na área da instalação em que desenvolvem suas atividades.65 5..894..13 1.3 36 meses certificadas pelo INMETRO.66 13.. a SDI analisará Art..666.." (NR) LIZ tras providências. quinta-feira..510..Exposição Ocupacional ao Benzeno em Postos Revendedores de Combustíveis Aprova o Anexo 2 .24 6..Prazo para instalação do sistema de recuperação de vapor contrato a obrigatoriedade do cumprimento das medidas de SST previstas neste anexo.4 Fornecer às empresas contratadas as informações sobre os riscos potenciais e às medidas Anterior a 2004 72 meses após a publicação da presente portaria preventivas de exposição ao benzeno. SDI poderá estabelecer requisitos.096-94 e do passaporte nº YA5592125.. GABINETE DO MINISTRO PO RONALDO NOGUEIRA DE OLIVEIRA RT ANEXO PORTARIA Nº 1...98 162.653......53 130...10 SPU/SC F 3.79 29. Este documento pode ser verificado no endereço eletrônico http://www...39 9.. consta do Processo nº 04941. no uso da competência tembro de 2008. Da Capacitação dos Trabalhadores inciso II do parágrafo único do art.77 5....383.104...... de 1º de maio de 1943.....508.081...57 11.12 4.....3 Interromper todo e qualquer tipo de atividade que exponha os trabalhadores a condições Anterior a 2011 120 meses após a publicação da presente portaria de risco grave e iminente para a sua segurança ou saúde.. de 29 autorização de empenho das dotações or...999.90 9.. aprovada pela Portaria 3..186. resolve: "Art....06 3. do Decreto nº 3.05 1...html.26 COF 4. de 16 de se.550.....30 147..37 40..339..." (NR) DYOGO HENRIQUE DE OLIVEIRA Ministério do Trabalho BID Art.292.PRC 9.378.52 475..12 SPU/SP C 4 8 8 8 8 8 8 8 8 8 8 15 99 F 8..841.63 993..... critérios e condições diferenciadas 012.93 389....391..791....685.621.282.815.594.. no uso das atribuições que lhe conferem o 3. tembro de 2010.. da Norma Regulamentadora n.03 256..922.2...76 134.. Estes requisitos devem complementar as exigências e orientações já previstas 9.192...405.99 3..77 38.08 9...673. situado na Ilha Velha.565. dimentos por parte da SDI..646.938.

.8. N IO hemogramas deve ser entregue ao trabalhador.4 Os conteúdos dos procedimentos citados nos itens 8. vestiários. atingindo pisos. devendo. 9. lo. .33 da NR-5. quidos contendo benzeno devem estar equipadas com bicos auto- 3. análise e armazenamento de amostras. tuitamente. com zenamento.1 O conteúdo da capacitação a que se refere o item 5. A N a) abastecimento de veículos com combustíveis líquidos con- b) limpeza e manutenção operacional de: ponham de sistema de desarme automático. 8. vestimentas de uso comum. à disposição da fisca. bem como cumprir A tórica atualizada devem ser entregues aos trabalhadores. e suas even. a) transferência de combustível líquido contendo benzeno de posição ao benzeno que possam afetar sua segurança e saúde.1 Os sistemas de climatização que captam ar do am- j) limpeza de válvulas.1 As informações a serem levantadas na fase de re- conhecimento devem incluir os procedimentos de operação normal.1 Os PRC devem dispor de área exclusiva para arma- mangotes aos tanques subterrâneos. que informem os riscos da exposição ao tecimentos. c) de emergência em casos de extravazamento de combus- tíveis líquidos contendo benzeno. por escrito. quinta-feira. a seguir.coleta.2 Quando o trabalhador tiver convicção. 9. exposição ao benzeno e as medidas de prevenção necessárias. bem PCMSO armazenamento com viabilidade técnica para instalação de sistemas como as medidas preventivas necessárias. e) comercialização de combustíveis líquidos contendo ben- DA os de manutenção e os de situações de emergência. especialmente. 6.2. de fácil compreensão. Da Comissão Interna de Prevenção de Acidentes .4 Todas as bombas de abastecimento de combustíveis lí- as determinações do empregador sobre o uso adequado.3 Os resultados dos hemogramas devem ser organizados guintes situações: as situações que considerem representar risco grave e iminente para a) para aferição do sistema eletrônico. bem tuais atualizações. especialmente os olhos.3. acordo ou convenção coletiva. vestimentas dos tolhas de papel absorvente. 6.br/autenticidade.reservatório de contenção para bombas (sump de bom- . serão fornecidos. . racionais exigidos pelo item 20. uniforme e calçados de trabalho ade- com a periodicidade de 2 (dois) anos. 10. 4. 8.tanques e tubulações.7 Ao final do contrato de trabalho. presença regular de trabalhadores em quaisquer atividades. observando o conteúdo f) qualquer tipo de acesso pessoal ao interior de tanques do o objetivo de informar sobre os riscos da exposição ao benzeno e as do item 5. 9.caixa separadora de água-óleo (SAO). no que cou- ber. E b) coleta de amostras no caminhão-tanque com amostrador específico. Da Avaliação Ambiental 7.200-2 de 24/08/2001.EPI PCMSO. hemograma completo com contagem de plaquetas possuem boca de visita e que já realizaram obras para adequação aos trabalhadores com o objetivo de informar sobre os riscos da e reticulócitos. 9. bombas e seus compartimentos de b)manutenção preventiva e corretiva de equipamentos. mantidos.1 O conteúdo do treinamento referente ao item 5. benzeno e as medidas de prevenção necessárias. acondicionamento e descarte de líquidos e re. lojas de con- i) análises físico-químicas para o controle de qualidade dos que se seguem: veniência e outros.1 O material referido no item 9. deve conter o reconhecimento de todas as atividades.1 deste anexo. 10. la operação. do local de tomada de refeições e de X descarregamento. de que exista risco grave e imi- nente para a sua segurança e saúde ou para a de terceiros. operem com combustíveis líquidos contendo benzeno. combustíveis líquidos contendo benzeno provenientes daquelas l) limpeza de caixas de passagem e canaletas. 5. samentos nas atividades referidas no item 9.1 Serem informados sobre os riscos potenciais de ex- C Portaria n° 776. cedimentos operacionais. quadas.html.1 Nas situações em que a medição de tanques tiver que las ao médico que o sucederá na função.4 As séries históricas dos hemogramas devem ficar em c) para a verificação da necessidade de drenagem dos tan- contenção de respingos e extravasamentos.1 Os tanques de armazenamento com viabilidade técnica de fácil acesso para consulta. só podem ser utilizados materiais que tenham sido projetados para esta finalidade. referido no item 9.2 da necessárias e com equipamentos intrinsecamente seguros e apropria- rárquico para que sejam tomadas todas as medidas de correção ade. trabalhadores e o corpo dos trabalhadores.5 Ficam vedadas nos PRC as seguintes atividades envol- gislação vigente: 6. ser realizada com o uso de régua. desde que haja previsão em 9.2 podem ser incluídos no documento sobre os procedimentos ope.2. deve enfatizar 8.2 Os PRC devem exigir das empresas contratadas para prestação de serviços de manutenção técnica a apresentação dos pro. lidade do ar em seus ambientes internos anexos às áreas de abas- h) abastecimento de combustíveis em recipientes certifica. 22 de setembro de 2016 1 ISSN 1677-7042 49 2. outras áreas de trabalho. Químico dos combustíveis à disposição dos trabalhadores.1.6.2 devem ser justificados tecnicamente nos PPRA e com troca dos tanques de armazenamento. 10. responsabilizando-se pela 9. N b) transferência de combustível líquido contendo benzeno entre tanques de armazenamento por qualquer meio. na modalidade de ensino a distância.1.2 Os PRC devem adotar medidas para garantir a qua- g) abastecimento de combustível para veículos. de descarregamento e de respiros de tanques de com- dos. p) outras operações e atividades passíveis de exposição ao lização e para consulta dos trabalhadores. m) aferição de bombas de abastecimento.1.8 só pode ser utilizado A g) dispositivos legais sobre o benzeno. forma a evitar a contaminação dos ambientes internos por vapores de k) esgotamento e limpeza de caixas separadoras. dos para áreas classificadas. c) sinais e sintomas de intoxicação ocupacional por ben. 8. até que venha a ser normalizada a referida situação.9 As análises físico-químicas de combustíveis líquidos cadas: E M a) conferência do produto no caminhão-tanque no ato do contemplando minimamente: .2 Os PRC em operação e que já possuem tanques de exposição ao benzeno que possam afetar sua segurança e saúde.7 Cabe ao empregador proibir a utilização de flanela. referido no item 9. deve contemplar os seguintes temas: a) riscos de exposição ao benzeno e vias de absorção. bustíveis líquidos contendo benzeno.1.1. seja pela via respiratória.1.7.2. 9.3 A medição de tanques com régua é admitida nas se- 2.2 Os PRC não enquadrados nos itens 9.1 Os PRC que entrarem em operação após a vigência deste tentes com relação às disposições objeto deste anexo. dos locais de tomada de refeições e de f) desconexão dos mangotes e retirada do conteúdo resi.2 O documento base do PPRA.3 A capacitação referida no item 5. de medição eletrônica devem instalar o sistema eletrônico de medição 2. R . . pelo empregador.9.1. mediante 9. c)sistema de captação e recuperação de vapores. adotar o sistema eletrônico de medição de estoque quando da reforma 2. de exposição ocupacional ao benzeno devem realizar. e)investigação para análise de risco de contaminação de so.1 poderá ser realizada 9. uma única vez.2 Comunicar imediatamente ao seu superior hierárquico 6.5 Ao término de seus serviços. que deve estar identificação das situações de risco de exposição ao benzeno e as combustível líquido contendo benzeno. aterramento e conexão via 10.1 Aplicam-se aos PRC as disposições da NR-7 e adi. 11. Procedimentos Operacionais zeno em recipientes que não sejam certificados para o seu arma- informações sobre os riscos da exposição ocupacional a essa subs.7 deste anexo. .7 Manter as Fichas com Dados de Segurança de Produto cionalmente o que se segue. medidas de prevenção nas atividades de maior risco abaixo elen. do Ministério da Saúde. recibo. para as atividades bustíveis líquidos contendo benzeno.aferição de bombas. além do previsto na le- 6. item devem possuir sistema eletrônico de medição de estoque.1.1 Aplicam-se aos PRC as disposições da NR-9 e adi- A automotor com uso de mangueira por sucção oral.identificação e qualificação do profissional responsável pe- contendo benzeno devem ser realizadas em local ventilado e afastado das outras áreas de trabalho. setores.8 Aplicam-se aos trabalhadores dos PRC as disposições da vendo combustíveis líquidos contendo benzeno: 3.3 Os procedimentos citados nos itens 8.2. de 28/04/2004. 11.6 Informar os trabalhadores sobre os riscos potenciais de 6.1 .2. 6. zenamento de amostras coletadas de combustíveis líquidos contendo e) descarregamento de combustíveis para os tanques sub. em função de características do tanque do veículo. para as atividades que se se- T caminhão ou de tubulações por onde tenham circulado combustíveis líquidos contendo benzeno.caixas de passagem para sistemas eletroeletrônicos.2 Os trabalhadores que exerçam suas atividades com risco 9. de estoque. 9. áreas.1 A capacitação referida no item 5. espe- o) manutenção e reforma do sistema de abastecimento sub.1. operações.1. atividades de risco e pontos de possíveis emissões de benzeno. dotada de ventilação e temperatura adequadas e afastada de terrâneos.equipamentos de proteção coletiva e individual. incluindo as P atividades relacionadas no subitem 5. 3.2.1 e 8.isolamento da área e aterramento.2.canaletas de drenagem. Documento assinado digitalmente conforme MP n o. deve repassá- apenas para a finalidade a que se destinam. com frequência para a instalação de sistemas de medição eletrônica são aqueles que 2.2 devem 2. ser acondicionado para posterior PL 5.3 Não utilizar flanela. Da Capacitação dos Trabalhadores 5. 2. desde que o trabalhador esteja utilizando luvas impermeáveis apropriadas.6 Para a contenção de respingos e extravasamentos de combustíveis líquidos contendo benzeno durante o abastecimento e N 5. facilitar a detecção precoce de alterações hematológicas.1 Zelar pela sua segurança e saúde ou de terceiros que vistos no item 6. Este documento pode ser verificado no endereço eletrônico http://www. bio- S S Ibas). no que se refere à separação entre o uniforme e aquelas terrâneo de combustível (SASC). tuações de emergência após a adoção das medidas de prevenção suspender a tarefa e informar imediatamente ao seu superior hie- S 7. disponível próximo à área de operação. tendo benzeno.8 Para a limpeza de superfícies contaminadas com com- d) medidas de prevenção.CIPA R zeno.1 Aplicam-se aos PRC as disposições da NR-5. .1 Os PRC devem possuir procedimentos operacionais. d)teste de estanqueidade. gra- 5. devendo comunicar ao empregador qual. quer alteração que o torne impróprio para o uso. independentemente de outros exames previstos no ambiental.4 Usar os Equipamentos de Proteção Individual . tância.6 Os resultados dos hemogramas semestrais e a série his. D f) caracterização básica das instalações.1 e quem em exposição ocupacional ao benzeno. responsável pela guarda das séries históricas. 4.1 e 9. é obrigatória a utilização dos EPIs L sua guarda e conservação. produtos comercializados. seja pela via cutânea. Ambientes de Trabalho Anexos d) estacionamento do caminhão. nos PRC que I M 7. c) medição volumétrica de tanque subterrâneo com régua.2.reservatório de contenção para tanques (sump de tanque). 2.2 devem ser cialmente. no local de trabalho.2 Cabe aos trabalhadores: 6. estopa e tecidos similares para a realizada por pane temporária do sistema. E zeno. . PCMSO dos PRC. o superior hierárquico manterá a áreas. f) manuseio.cuidados durante a abertura do tanque. 9.1 Os trabalhadores que exerçam suas atividades com risco guem: E medidas de prevenção necessárias. f)remediações de solo. vestiários. salvo em si- A cionalmente o que se segue.1. procedimentos e equipamentos onde possa haver exposição dos trabalhadores a combustíveis líquidos contendo ben- E N c) armazenamento de amostras coletadas de combustíveis líquidos contendo benzeno em áreas ou recintos fechados onde haja a suspensão da tarefa.2.5 Prestar as informações que se fizerem necessárias. Do Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional . d) enchimento de tanques veiculares após o desarme do sistema automático. . no que tange aos critérios de in. g) abastecimento com a utilização de bicos que não dis- de exposição ocupacional ao benzeno devem receber capacitação com carga horária mínima de 4 (quatro) horas. o Médico Coordenador do d) para fins de testes de estanqueidade. a)troca de tanques e linhas. 7. benzeno. 9. será admitido apenas o uso de e) procedimentos de emergência. sob a forma de séries históricas. .gov.1 deve enfatizar a d) medição de tanques com régua e aferição de bombas de descarte em recipiente apropriado para esta finalidade. a série histórica dos máticos. outras atividades com essa possibilidade. desligamento precoce do bico. assim como as medidas preventivas. Dos Direitos dos Trabalhadores 3. em no máximo 30 dias após a emissão dos resultados. síduos sólidos contaminados com derivados de petróleo contendo benzeno. 6. em local 6.1.1 deste anexo.2. NR-9.8 Dar conhecimento sobre os procedimentos operacionais mínima semestral.1 As análises em ambientes fechados devem ser rea- lizadas sob sistema de exaustão localizada ou em capela com exaus- tão. e) recebimento de combustíveis líquidos contendo benzeno. Uniforme n) manutenção operacional de bombas.ICP-Brasil. referidos no item 12 deste anexo. deve terpretação da série histórica dos hemogramas.2 Aos trabalhadores de PRC com atividades que impli- benzeno.1 deve ser renovada 8.2 A capacitação referida no item 5. dado aos membros da CIPA ou designado. 11. 9. 2.1 Os casos de dispensa de aplicação dos exames pre.4. . possam ser afetados pela exposição ao benzeno. ques. Após avaliar a situação e se constatar a existência da con- dição de risco grave e iminente. conforme previsto no item poder do Médico Coordenador do PCMSO.1. quados aos riscos. biente externo ou outro de igual eficiência devem ser instalados de contenção de vazamentos.in.2. es- topa e tecidos similares para a contenção de respingos e extrava- A lógico e de saúde.descarregamento. 9. com vistas a b) em situações em que a medição eletrônica não puder ser sua segurança e saúde ou para a de terceiros. fundamentada em sua capacitação e experiência. 5. b) conceitos básicos sobre monitoramento ambiental. que institui a pelo código 00012016092200049 Infraestrutura de Chaves Públicas Brasileira . dual. como escritórios. 9.1 São direitos dos trabalhadores.Nº 183. Atividades Operacionais quando solicitadas formalmente pelos órgãos fiscalizadores compe. 8. PCMSO.1 da NR-20. exceto quando ocorrer o 4. veículo a veículo automotor ou de quaisquer recipientes para veículo como as medidas preventivas necessárias.1 Aplicam-se aos PRC as disposições da NR-24.

. uma vez fechada.... de 17 de dezembro de 2010.....1 Aplicam-se aos PRC as disposições da NR-6.. mas não se nº 10....111 da NR-12.º 3. e adicionalmente o este fim... 13..º 197. Ultrassom e Dielétrico..200-2 de 24/08/2001... mais apropriado às características do processo plados): Distância medida na elevação máxima desde o fundo da CO de trabalho do PRC do que aquele sugerido no item 12. multaneidade entre si. Os locais ou postos de trabalho acima do piso em que tendo benzeno. como abasteci.. com ou sem isolamento elétrico..30. JIB: Lança auxiliar acoplada à extremidade da lança prin- dispositivo de acionamento bimanual... publicada no DOU plataforma...... da publicação deste anexo.. com ou sem isolamento elétrico. Cuba isolante ou Liner: Componente projetado para ser aco- tamento de vapores.214/1978. nas dimensões haja acesso de trabalhadores...1.. 5º O item 6. as partes metálicas e o ele- Equipamentos.214/1978. Comando: Sistema responsável pela execução de uma fun- talado nos bicos de abastecimento das bombas de combustíveis lí- quidos contendo benzeno..... quando aplicados de modo per. RISCO À SAÚDE. e) plataforma de descanso com largura útil mínima de 0.......ICP-Brasil. 12....1... atendimento das alíneas "a" e "b" do subitem 6. devem Chassi (vide figura 1): É a estrutura de todo o conjunto onde 14. como exceção ao previsto na alínea "c". a mudança represente uma proteção maior para o trabalhador..... balho. gera de guindar e a caçamba ou plataforma. de 17 de dezembro de 2010..110 e 12.60 m (sessenta centímetros)...... e blicação...1 Quando o sistema de exaustão previsto no item f) dispositivos de validação: dispositivos suplementares de guindar que atenda os requisitos de segurança deste anexo.......... ajustáveis ou com auto fechamento....... levando em Art. em local visível..... sistema de estabilizadores.....2..2 Os trabalhadores que realizem a atividade de abas.. de 11 de abril de 1994. mais dispositivos de acionamento bimanual.. Para fins deste anexo. um guindaste veicular para elevação de pessoas e execução de tra- "d"........ f) ter sua função disponível e operacional a qualquer tempo... inspeção. Art.... com redação dada pela Portaria n.... Controle: Atuador de interface entre o operador e o co- OI de combustível do próprio PRC ou para um equipamento de tra.. rantir a sua isolação elétrica em Cestas Aéreas Isoladas.5...CLT. aplicáveis de Art. "g" e "h"... S Estabilizadores (vide figura 1): Dispositivos e sistemas uti- lizados para estabilizar a cesta aérea.. articulado. cidade máxima da caçamba.. braços e lanças. após serem submetidos a da Constituição Federal...... namento bimanual simultâneos... 87 nº 12 (NR-12) ....1....... citada nas alíneas "g" e "h" do item 5. 12..... plataforma ou suporte similar..in.......1......... preparação...... Equipamentos de Proteção Individual (EPI) modo a impedir o funcionamento dos dispositivos de acionamento móvel....... . 12.. Incluem. .... CESTA AÉREA: Equipamento veicular destinado à elevação quais seu uniforme venha a ser contaminado por tais produtos...... finições: 12.............. acionamento bimanual simultâneos deve corresponder ao número de Anexo XII .º 197..... quinta-feira. nos PRC....... DE 21 DE SETEMBRO DE 2016 A ..4..214/1978.1 A utilização de proteções intertravadas com coman- do de partida. Portanto. Quando utilizados dois ou mais dispositivos de acio- que se segue. a participação de mais de uma pessoa.. sem a necessidade de comando adicional.1. .58 .29 Os dispositivos de acionamento bimanual móveis ins. de 8 de dezembro de acionamento bimanual.br/autenticidade. inclusive... com redação dada pela esses ensaios.....1...74 .... equipamentos de proteção para a pele.. desde que projetado para trução Normativa n° 1......... 4º Incluir no Anexo IV ..... com filtro para vapores orgânicos e fator de proteção não ção.....da NR-12.. extensível ou misto.....º 5.º 3.. no uso das Art. devem funcionar como antes.......... 3........ . . Manilha: Acessório para movimentação ou fixação de carga..... tais como: dispositivos de reten.... bimanual habilitados pelo seletor enquanto os demais comandos não habilitados não forem desconectados. considera-se como sistema de recuperação de vapores um sistema de captação de vapores.4 O empregador deverá manter à disposição. ME obrigatória e deve obedecer às orientações do fabricante e da IN Caçamba ou plataforma (vide figura 1): Componente des- 01/94 do MTE... 12... quando os parâmetros opera- bimanual e não entre dispositivos diferentes....214/1978.. tervenções habituais nas máquinas e equipamentos. ..º 12 (NR-12) . telescópico ou misto...214/1978...... balho em altura. do de partida.......100 e em outras normas específicas do tipo "c"..... CESTO SUSPENSO: Conjunto formado pelo sistema de sus- inferior a 100...1. que sustenta e movimenta a caçamba ou talados em pedestais devem: da Portaria SIT nº 293.... Pode ser item 14..2 Para fins do presente anexo...4. indicando os riscos dessa substância....da NR-12.. em termos de 20 x 14 cm com os dizeres: "A GASOLINA CONTÉM BEN.... de duas naturezas: 3... sição recolhida......º 3.. aprovados e construídos após três anos modado dentro da caçamba...Se.. aprovada pela Portaria n.. atendendo à especificação manente..... RONALDO NOGUEIRA DE OLIVEIRA corpo e pino.......... passa a vigorar com a redação constante no Anexo I desta de braço móvel articulado. Nas máquinas e equipamentos cuja operação requeira ANEXO I gador com frequência mínima semanal...1.. •Liner/Cuba Isolante: Acessório da caçamba destinado a ga- PORTARIA N o... a) a forma.. preparação........122 da Norma Regulamentadora seus componentes sem alteração das suas características originais. proteção respiratória de forma provisória.º equalização de potencial entre a rede." mento.. mando.. a atuação síncrona é redação: Freio automático: Dispositivo que retarda ou para o mo- requerida somente para cada um dos dispositivos de acionamento 6......... aprovada pela Portaria n... atribuições que lhe conferem o inciso II do parágrafo único do art.1....1 Os trabalhadores que realizem. RC tecimento de veículos...5.... Partícula Magnética/Líquido Penetrante.. 12.. sem atuação do operador...214/1978. possuir plataformas de trabalho estáveis e seguras..2 O empregador pode optar por outro equipamento de 12.. deve haver dispositivo que impeça a ocorrência de acidentes.º 3. a) largura útil mínima de 0. 155 e 200 da Portaria n. acrescida de 1... com redação Dispositivo de tração na subida e descida do moitão: Sistema n.. deve ser Altura nominal de trabalho (para cestas aéreas e cestos aco- proteção respiratória.66. posicionados a uma distância segura da zona de perigo........... empurradores........... cuja entrada em vigor se dará no prazo de 10 anos. e....Glossário da Norma Re- ER limitam a: Inspeção Visual.1..... de peso e número de ocupantes previsto. a) largura útil mínima de 0........1 do Anexo XI ...45........ REALIZAÇÃO DE TRABALHO EM ALTURA . 22 de setembro de 2016 11............. de 12 de maio de 2016..1.28 Os dispositivos de acionamento bimanual devem ser balhador capacitado ou qualificado..... pores. de 28 de maio de 2003. para pelo menos 1/3 (um terço) do operadores expostos aos perigos decorrentes de seu acionamento.....º 3. 1. devem ter instalado o sistema previsto no e) plataforma de descanso com largura útil mínima de 0....º 12 (NR-12) .Segurança no Trabalho em Máquinas e Equipa...... 14. habilitam o dispositivo de acionamento. a ser disponibilizado em situações nas . . CESTO ACOPLADO: Caçamba ou plataforma acoplada a te... podendo também alínea "e". Lança ou braço móvel (vide figura 1): Componente arti- 12.1...... 6º O Anexo XII .1.... modo que o nível de proteção seja o mesmo para cada trabalhador... aprovada pelo Decreto-Lei e Equipamentos...1..1.º 197.... em função das características inerentes à própria atividade. Nas máquinas e equipamentos em que a falta ou a inversão de fases da alimentação elétrica puder ocasionar riscos. um comando para iniciar as funções perigosas da máquina... ção. dotado de braço 12..452.. 12.. separadores..... podendo. inspeção..º 197... de 8 de dezembro de 2011.30........... reparo e limpeza... de 17 de dezembro de 2010.. aprovada pela xo: Eslinga.. exceto quanto ao item 2.. passa a vigorar com as seguintes alterações: pecial de proteção com intertravamento que.. Capacidade nominal da caçamba ou plataforma: A capa- 12.... na ...75 . se monta o mecanismo de giro..1. exceto as alíneas ........ gurança no Trabalho em Máquinas e Equipamentos..gov. 2º O título "Manutenção.... a disposição e o tempo de resposta do dispositivo 3. linga ou lingada: Dispositivo composto de cabos e Portaria n....3 A higienização dos uniformes será feita pelo empre. caçamba até o solo..... de 9/12/2011.. da Ins.. a alínea 'f' do inciso XIX do artigo 27 da Lei mentos..3 A substituição periódica dos filtros das máscaras é ..46..60 m (sessenta centímetros). indique seu funcionamento.. tricista...... re.. As máquinas autopropelidas ficam dispensadas do vimento...00 m (três metros) de altura.1.... respeitadas as especificações do fabricante. de 17 de dezembro de 2010. com redação dada pela Portaria n.. 12. limitadores... definidas em 3 LHO EM ALTURA . assim como. .3..... passa a ser designado Manutenção.. telescópico ou misto destinado a elevar b) o tempo máximo necessário para a paralisação da máquina Portaria.. e os arts. caçamba ou plataforma. devem possuir sinal luminoso que complementar (JIB).. no máximo.. resolve: dada pela Portaria n.. da lança ou braço móvel em torno do eixo vertical.. Art..EQUIPAMENTOS DE GUINDAR PARA ELE- um conjunto extra de uniforme... no caso de atividade de descarga selada... AÇ ZENO... para trabalhos pelo método ao potencial... limpeza e manutenção.... CE gulamentadora n. direta ou indiretamen....MÁQUINAS E IM- de guindar.. TURA quidos contendo benzeno......1 estiver sob manutenção... . ins- ÃO 12... aprovada pela Portaria n........º categorias conforme norma ABNT NBR 16092:2012. ajuste.5 m... inspeção.. As limitações e exigências para sua aplicação estão previstas na norma ABNT NBR ISO 12...... como exceção ao previsto na alínea "c". operações de manutenção e inspeção.1 Os PRC devem instalar sistema de recuperação de va- 14. ajuste... o número de dispositivos de 11... impedindo a queda livre. Altera a Norma Regulamentadora n...27 Nas máquinas e equipamentos operados por dois ou aprovada pela Portaria n.1. para 9.... desde que limitada e aplicada conforme as exigências específicas previstas em normas técnicas.......1 Os PRC devem manter sinalização.. estão dispensados do uso de equipamento de proteção respiratória. Berço: Suporte de apoio da lança do guindaste na sua po- 12. também elevar material por meio de guincho e de lança 12......1.. normas técnicas. de acordo com sua classe de isolamento elétrico....42... Carga nominal (carga bruta): Capacidade estabelecida pelo fabricante ou por Profissional Legalmente Habilitado para determi- IA 13.EQUIPAMENTOS DE GUINDAR Grau de isolamento: Cestas áreas isoladas são classificadas consideração: PARA ELEVAÇÃO DE PESSOAS E REALIZAÇÃO DE TRABA.. que devem manter si. ajustes e acordo com a classe de isolação e método de trabalho.... LIZ altura das bombas de abastecimento de combustíveis líquidos con. cargas.20..9....1. localizado entre os itens 12.. Este documento pode ser verificado no endereço eletrônico http://www... de 17 Proteção intertravada com comando de partida: Forma es... estabelecida pelo fabricante....110..Segurança no Trabalho em Máquinas Consolidação das Leis do Trabalho ..... ou para a remoção do perigo. Controle Coletivo de Exposição durante o abastecimen......5...º 12 ..... Documento assinado digitalmente conforme MP n o..2 do Anexo XII ... inibidores/defletores.. de 1º de maio de 1943..... face inteira... 7º Esta Portaria entra em vigor na data de sua pu.. tráteis. deve ser utilizado o equipamento de controle operados manualmente. com redação dada pela Portaria nº 293......... 12. acessórios destinados a promover a interligação entre o equipamento de dezembro de 2010... 197..... para operação ou quaisquer outras in.. devem utilizar equipamento de proteção respiratória de e) dispositivos mecânicos.... com caçamba ou plataforma... 50 ISSN 1677-7042 1 Nº 183.........60 modificar as propriedades elétricas da caçamba/plataforma. SUBSTÂNCIA CANCERÍGENA. elevar material de apoio indispensável para realização do serviço.... RT Ensaios Não Destrutivos: Exame das Cestas Aéreas ou de O MINISTRO DE ESTADO DO TRABALHO..... Guindaste Veicular: Equipamento hidráulico veicular dotado de 2011.... contados da publicação culado. 12.. •Liner/Cuba condutiva: Acessório da caçamba destinado à PO reparos". no máximo.. que direcione esses vapores para o tanque PR m (sessenta centímetros) e comprimento a intervalos de.. proteção intertravada com comando de partida com a redação abai... após o término do sinal de saída do Art.3 Os PRC novos.... bem como o to . com a redação dada pela Medida Provisória nº 726.......... preparação.2 O circuito de acionamento deve ser projetado de de pessoas para execução de trabalho em altura. Sinalização referente ao Benzeno nada configuração do equipamento de guindar e caçamba ou pla- independentemente do modo de operação.683......00 m (três metros) de altura...... 14.... deve ser limitada e aplicada conforme as exigências específicas previstas em tinado à acomodação e movimentação de pessoas à posição de tra- 12.... com redação dada pela Portaria n......... m (sessenta centímetros) e comprimento a intervalos de.html......2. 1º A Norma Regulamentadora n........ passa a vigorar com a seguinte vimento........ eles (Cesta Aérea e componentes)... 3º Revogar o item 12...4 para acesso em cionais específicos do equipamento são atingidos... de VAÇÃO DE PESSOAS E REALIZAÇÃO DE TRABALHO EM AL- efetivo dos trabalhadores em atividade expostos a combustíveis lí. consideram-se as seguintes de- do item 12. que..... apro- Segurança no Trabalho em Máquinas e vada pela Portaria n.......... as atividades críticas listadas no subitem 5. e taforma. que institui a pelo código 00012016092200050 Infraestrutura de Chaves Públicas Brasileira . capaz de BID .da NR-12. b) possuir altura compatível com o alcance do operador em formado por duas partes facilmente desmontáveis.60 Classificação de capacidade de carga (tabela de carga): Con- junto de cargas nominais para as configurações estipuladas de equi- pamentos de guindar e condições operacionais...... a definição de ou dispositivo que controle o içamento ou descida motorizada da IRO Art...... 12. coluna.. ensaios de Emissão Acústica... cesto acoplado ou equipamento Estabilizar/estabilidade: Condição segura de trabalho prevista pelo fabricante para evitar o tombamento..3. desde que realizadas por tra. Giro (vide figura 1): Movimento rotativo da coluna ou torre... e pensão e a caçamba ou plataforma suspensa por equipamento de 12.....30.1 A utilização de proteções intertravadas com coman.... PLEMENTOS PARA USO AGRÍCOLA E FLORESTAL ....... consistindo em sua posição de trabalho.. utilização em trabalhos em altura.....EQUIPA- MENTOS DE GUINDAR PARA ELEVAÇÃO DE PESSOAS E cipal com objetivo de içar ou sustentar cargas adicionais.. Freio: Dispositivo utilizado para retardar ou parar o mo- 12...

.. ... um guindaste veicular para elevação de pessoas e execução de tra- "d".1. operações de manutenção e inspeção.. as atividades críticas listadas no subitem 5. definidas em 3 LHO EM ALTURA . com redação dada pela Portaria n.. separadores.60 Classificação de capacidade de carga (tabela de carga): Con- junto de cargas nominais para as configurações estipuladas de equi- pamentos de guindar e condições operacionais. equipamentos de proteção para a pele. "g" e "h"... ..... passa a vigorar com a seguinte vimento. com redação dada pela Portaria n. .......º 5.. Pode ser item 14....... apro- Segurança no Trabalho em Máquinas e vada pela Portaria n... 4º Incluir no Anexo IV ........ no uso das Art. habilitam o dispositivo de acionamento....1 Os PRC devem instalar sistema de recuperação de va- 14...2....1. .. de 17 de dezembro de 2010. 13.º 3........ tervenções habituais nas máquinas e equipamentos.. extensível ou misto.. a disposição e o tempo de resposta do dispositivo 3. reparo e limpeza... 87 nº 12 (NR-12) .. nos PRC.. CE gulamentadora n......... PLEMENTOS PARA USO AGRÍCOLA E FLORESTAL .Glossário da Norma Re- ER limitam a: Inspeção Visual. Controle Coletivo de Exposição durante o abastecimen..1.......... gurança no Trabalho em Máquinas e Equipamentos.... publicada no DOU plataforma.... e) plataforma de descanso com largura útil mínima de 0..1 Quando o sistema de exaustão previsto no item f) dispositivos de validação: dispositivos suplementares de guindar que atenda os requisitos de segurança deste anexo... inspeção. inclusive.. Manilha: Acessório para movimentação ou fixação de carga. mando. atendendo à especificação manente... S Estabilizadores (vide figura 1): Dispositivos e sistemas uti- lizados para estabilizar a cesta aérea........... de 8 de dezembro de acionamento bimanual.º 197.. que devem manter si. 12. a) a forma.... impedindo a queda livre. desde que projetado para trução Normativa n° 1..... de 17 de dezembro de 2010.3 A higienização dos uniformes será feita pelo empre.....1 A utilização de proteções intertravadas com coman- do de partida.......122 da Norma Regulamentadora seus componentes sem alteração das suas características originais. Este documento pode ser verificado no endereço eletrônico http://www..45.. com caçamba ou plataforma. com filtro para vapores orgânicos e fator de proteção não ção..gov... deve ser Altura nominal de trabalho (para cestas aéreas e cestos aco- proteção respiratória..... multaneidade entre si.. deve haver dispositivo que impeça a ocorrência de acidentes. sem a necessidade de comando adicional. posicionados a uma distância segura da zona de perigo...74 ............. Documento assinado digitalmente conforme MP n o. ajustáveis ou com auto fechamento. devem Chassi (vide figura 1): É a estrutura de todo o conjunto onde 14... e taforma.. . modo que o nível de proteção seja o mesmo para cada trabalhador..... aprovada pela Portaria n.Segurança no Trabalho em Máquinas e Equipa.. a alínea 'f' do inciso XIX do artigo 27 da Lei mentos. plataforma ou suporte similar........ com a redação dada pela Medida Provisória nº 726... 12. 12..1. no máximo. As máquinas autopropelidas ficam dispensadas do vimento..... direta ou indiretamen........ Carga nominal (carga bruta): Capacidade estabelecida pelo fabricante ou por Profissional Legalmente Habilitado para determi- IA 13..1 A utilização de proteções intertravadas com coman......CLT. da Ins.30...100 e em outras normas específicas do tipo "c"... 12.. como exceção ao previsto na alínea "c".... inspeção...... citada nas alíneas "g" e "h" do item 5. cargas.60 modificar as propriedades elétricas da caçamba/plataforma.4. que direcione esses vapores para o tanque PR m (sessenta centímetros) e comprimento a intervalos de.. da publicação deste anexo.. As limitações e exigências para sua aplicação estão previstas na norma ABNT NBR ISO 12..... CESTO SUSPENSO: Conjunto formado pelo sistema de sus- inferior a 100..º 12 (NR-12) .... aprovada pela xo: Eslinga..º 197.... dotado de braço 12... 3º Revogar o item 12. bimanual habilitados pelo seletor enquanto os demais comandos não habilitados não forem desconectados.. 6º O Anexo XII . a) largura útil mínima de 0.... consideram-se as seguintes de- do item 12....da NR-12.... RC tecimento de veículos.. na . acrescida de 1...58 .....1. indique seu funcionamento.214/1978. face inteira..... resolve: dada pela Portaria n... com redação dada pela esses ensaios.. de 8 de dezembro de 2011. a definição de ou dispositivo que controle o içamento ou descida motorizada da IRO Art... ou para a remoção do perigo. aprovada pelo Decreto-Lei e Equipamentos.........46.. TURA quidos contendo benzeno. RISCO À SAÚDE.. tráteis...º 3....... mas não se nº 10... com redação dada pela Portaria n...683. de 11 de abril de 1994.... Nas máquinas e equipamentos cuja operação requeira ANEXO I gador com frequência mínima semanal..5. limitadores. se monta o mecanismo de giro.. para trabalhos pelo método ao potencial...30.. proteção intertravada com comando de partida com a redação abai. indicando os riscos dessa substância.1..... com ou sem isolamento elétrico.... para 9......110.... que institui a pelo código 00012016092200050 Infraestrutura de Chaves Públicas Brasileira ....da NR-12. para operação ou quaisquer outras in..1 Os PRC devem manter sinalização.. ins- ÃO 12.60 m (sessenta centímetros).. Comando: Sistema responsável pela execução de uma fun- talado nos bicos de abastecimento das bombas de combustíveis lí- quidos contendo benzeno. 155 e 200 da Portaria n.. balho em altura..... ... 50 ISSN 1677-7042 1 Nº 183.. caçamba ou plataforma.. podendo...1 Aplicam-se aos PRC as disposições da NR-6.........00 m (três metros) de altura.... 12.. gera de guindar e a caçamba ou plataforma...........º 3.... a) largura útil mínima de 0....... 2º O título "Manutenção. que sustenta e movimenta a caçamba ou talados em pedestais devem: da Portaria SIT nº 293. coluna. Capacidade nominal da caçamba ou plataforma: A capa- 12......... CESTO ACOPLADO: Caçamba ou plataforma acoplada a te..EQUIPAMENTOS DE GUINDAR Grau de isolamento: Cestas áreas isoladas são classificadas consideração: PARA ELEVAÇÃO DE PESSOAS E REALIZAÇÃO DE TRABA.2..... 12.200-2 de 24/08/2001..2 Para fins do presente anexo... também elevar material por meio de guincho e de lança 12. capaz de BID .. com redação dada pela Portaria nº 293...... um comando para iniciar as funções perigosas da máquina.º 3..... Nas máquinas e equipamentos em que a falta ou a inversão de fases da alimentação elétrica puder ocasionar riscos.2 O circuito de acionamento deve ser projetado de de pessoas para execução de trabalho em altura.1..1...3. braços e lanças. com redação Dispositivo de tração na subida e descida do moitão: Sistema n. linga ou lingada: Dispositivo composto de cabos e Portaria n.. devem utilizar equipamento de proteção respiratória de e) dispositivos mecânicos......... e.. e blicação. de 17 Proteção intertravada com comando de partida: Forma es..... articulado..... desde que realizadas por tra.in..1.1.......... REALIZAÇÃO DE TRABALHO EM ALTURA .... •Liner/Cuba condutiva: Acessório da caçamba destinado à PO reparos". mais apropriado às características do processo plados): Distância medida na elevação máxima desde o fundo da CO de trabalho do PRC do que aquele sugerido no item 12......... aplicáveis de Art. caçamba até o solo.. devem funcionar como antes. assim como.... bem como o to ...42. uma vez fechada... proteção respiratória de forma provisória.... consistindo em sua posição de trabalho.. possuir plataformas de trabalho estáveis e seguras. ajuste......Se... sição recolhida.. Art.." mento. em função das características inerentes à própria atividade.... aprovada pela Portaria n...214/1978. limpeza e manutenção........ contados da publicação culado.... 14.. Partícula Magnética/Líquido Penetrante..1...MÁQUINAS E IM- de guindar. tais como: dispositivos de reten..... quinta-feira.. de acordo com sua classe de isolamento elétrico. em local visível. elevar material de apoio indispensável para realização do serviço.......4 para acesso em cionais específicos do equipamento são atingidos. telescópico ou misto.... AÇ ZENO... finições: 12... inspeção.... 3..5.214/1978......9. a atuação síncrona é redação: Freio automático: Dispositivo que retarda ou para o mo- requerida somente para cada um dos dispositivos de acionamento 6... nas dimensões haja acesso de trabalhadores... atendimento das alíneas "a" e "b" do subitem 6. após o término do sinal de saída do Art.2 do Anexo XII ...... •Liner/Cuba Isolante: Acessório da caçamba destinado a ga- PORTARIA N o.....75 .. empurradores...1.... aprovada pela Portaria n. preparação.. Incluem......EQUIPAMENTOS DE GUINDAR PARA ELE- um conjunto extra de uniforme. as partes metálicas e o ele- Equipamentos.. 5º O item 6.º 12 (NR-12) ... podendo também alínea "e"...... respeitadas as especificações do fabricante.. SUBSTÂNCIA CANCERÍGENA.. eles (Cesta Aérea e componentes).. como abasteci....... a mudança represente uma proteção maior para o trabalhador. Art. Berço: Suporte de apoio da lança do guindaste na sua po- 12. de 17 de dezembro de 2010... no caso de atividade de descarga selada. em termos de 20 x 14 cm com os dizeres: "A GASOLINA CONTÉM BEN.. passa a ser designado Manutenção. DE 21 DE SETEMBRO DE 2016 A .... de 9/12/2011.....3 A substituição periódica dos filtros das máscaras é .. passa a vigorar com as seguintes alterações: pecial de proteção com intertravamento que.br/autenticidade.. a participação de mais de uma pessoa.. após serem submetidos a da Constituição Federal........º categorias conforme norma ABNT NBR 16092:2012.....1.28 Os dispositivos de acionamento bimanual devem ser balhador capacitado ou qualificado. Os locais ou postos de trabalho acima do piso em que tendo benzeno.. RT Ensaios Não Destrutivos: Exame das Cestas Aéreas ou de O MINISTRO DE ESTADO DO TRABALHO..27 Nas máquinas e equipamentos operados por dois ou aprovada pela Portaria n. de 1º de maio de 1943....... m (sessenta centímetros) e comprimento a intervalos de.......... Giro (vide figura 1): Movimento rotativo da coluna ou torre..1. acionamento bimanual simultâneos deve corresponder ao número de Anexo XII . de duas naturezas: 3... CESTA AÉREA: Equipamento veicular destinado à elevação quais seu uniforme venha a ser contaminado por tais produtos..... estão dispensados do uso de equipamento de proteção respiratória. Quando utilizados dois ou mais dispositivos de acio- que se segue.1 do Anexo XI .. 1...... ME obrigatória e deve obedecer às orientações do fabricante e da IN Caçamba ou plataforma (vide figura 1): Componente des- 01/94 do MTE. preparação.4.... 12... e pensão e a caçamba ou plataforma suspensa por equipamento de 12..... de 17 de dezembro de 2010.............1..3 Os PRC novos... do de partida.......214/1978....66.. inibidores/defletores..... de 12 de maio de 2016... 12...5... com ou sem isolamento elétrico.. quando aplicados de modo per. estabelecida pelo fabricante.60 m (sessenta centímetros).. considera-se como sistema de recuperação de vapores um sistema de captação de vapores.º equalização de potencial entre a rede..... localizado entre os itens 12. Altera a Norma Regulamentadora n.EQUIPA- MENTOS DE GUINDAR PARA ELEVAÇÃO DE PESSOAS E cipal com objetivo de içar ou sustentar cargas adicionais.... 197.... ..5 m.1..29 Os dispositivos de acionamento bimanual móveis ins.... ........ Cuba isolante ou Liner: Componente projetado para ser aco- tamento de vapores....... tricista......º 12 .. sem atuação do operador... quando os parâmetros opera- bimanual e não entre dispositivos diferentes........452.... acessórios destinados a promover a interligação entre o equipamento de dezembro de 2010..00 m (três metros) de altura..... deve ser utilizado o equipamento de controle operados manualmente....... Para fins deste anexo.2 Os trabalhadores que realizem a atividade de abas.. no máximo. Sinalização referente ao Benzeno nada configuração do equipamento de guindar e caçamba ou pla- independentemente do modo de operação.... Guindaste Veicular: Equipamento hidráulico veicular dotado de 2011. de VAÇÃO DE PESSOAS E REALIZAÇÃO DE TRABALHO EM AL- efetivo dos trabalhadores em atividade expostos a combustíveis lí.....214/1978... preparação..... exceto quanto ao item 2.1 Os trabalhadores que realizem....º 197. namento bimanual simultâneos.. atribuições que lhe conferem o inciso II do parágrafo único do art... de 28 de maio de 2003.. Freio: Dispositivo utilizado para retardar ou parar o mo- 12.. re............ o número de dispositivos de 11.......da NR-12.. balho. ajustes e acordo com a classe de isolação e método de trabalho.1..1.... 12. e adicionalmente o este fim... Portanto.1 estiver sob manutenção.. Ultrassom e Dielétrico.110 e 12.. a ser disponibilizado em situações nas . ensaios de Emissão Acústica...... ção.. telescópico ou misto destinado a elevar b) o tempo máximo necessário para a paralisação da máquina Portaria. 12. ........ como exceção ao previsto na alínea "c". f) ter sua função disponível e operacional a qualquer tempo. cesto acoplado ou equipamento Estabilizar/estabilidade: Condição segura de trabalho prevista pelo fabricante para evitar o tombamento............ mais dispositivos de acionamento bimanual.4 O empregador deverá manter à disposição. RONALDO NOGUEIRA DE OLIVEIRA corpo e pino... aprovados e construídos após três anos modado dentro da caçamba. devem ter instalado o sistema previsto no e) plataforma de descanso com largura útil mínima de 0.... de peso e número de ocupantes previsto.20. 1º A Norma Regulamentadora n.1.. normas técnicas.30.ICP-Brasil.. passa a vigorar com a redação constante no Anexo I desta de braço móvel articulado. LIZ altura das bombas de abastecimento de combustíveis líquidos con.2 O empregador pode optar por outro equipamento de 12.... utilização em trabalhos em altura.. devem possuir sinal luminoso que complementar (JIB).. Equipamentos de Proteção Individual (EPI) modo a impedir o funcionamento dos dispositivos de acionamento móvel.html...111 da NR-12. 14.. cidade máxima da caçamba... pores. deve ser limitada e aplicada conforme as exigências específicas previstas em tinado à acomodação e movimentação de pessoas à posição de tra- 12...Segurança no Trabalho em Máquinas Consolidação das Leis do Trabalho .1...... desde que limitada e aplicada conforme as exigências específicas previstas em normas técnicas...... Lança ou braço móvel (vide figura 1): Componente arti- 12. para pelo menos 1/3 (um terço) do operadores expostos aos perigos decorrentes de seu acionamento. 22 de setembro de 2016 11. levando em Art. que.... e os arts.. 7º Esta Portaria entra em vigor na data de sua pu....214/1978.... b) possuir altura compatível com o alcance do operador em formado por duas partes facilmente desmontáveis.. Controle: Atuador de interface entre o operador e o co- OI de combustível do próprio PRC ou para um equipamento de tra....º 3. JIB: Lança auxiliar acoplada à extremidade da lança prin- dispositivo de acionamento bimanual.. da lança ou braço móvel em torno do eixo vertical.... exceto as alíneas .... cuja entrada em vigor se dará no prazo de 10 anos. sistema de estabilizadores... rantir a sua isolação elétrica em Cestas Aéreas Isoladas.3.º 197... ajuste........

em que o trabalhador possa entrar na zona controlada com uma parte R c)controles para movimentação da caçamba na parte superior do seu corpo ou com extensões condutoras.138 desta Norma.11 O peso total dos trabalhadores. emergência ou quando a operação ou atividade assim o exigir. movimentos do braço móvel e independente da atuação da força de gravidade. lo- tro dos limites de inclinação lateral permitidos pelo fabricante. um meio de prevalecer sobre o controle superior de movimentação da operados com trabalhadores na caçamba. d)teste de qualificação e data do ensaio.html.000 V. roceria do caminhão. a) caso o trabalho seja realizado próximo a tensões supe- licas. "b" e "c" desta Posição de transporte: A posição de transporte da plataforma ou caçamba é a posição recomendada pelo fabricante na qual a cesta mite sua operação manual para recolher o braço móvel de um equi- pamento hidráulico no caso de rompimento de mangueira e/ou perda Norma Regulamentadora. possuindo ainda recurso que per.1 As cestas áreas não isoladas com até 10 anos de uso. garantindo assim o A S 2. isoladas e não isoladas. 22 de setembro de 2016 1 ISSN 1677-7042 51 l)válvula seletora.6 Para serviços em proximidade de linhas. exceto o controle das ferramentas hidráu. não pode permitir a abertura para fora e deve ter sistema de tra- aérea ou o cesto acoplado é transportado/deslocado ao local de uti- vamento que impeça a abertura acidental. podendo possuir sistema de nivelamento da ca- Profissional de movimentação de carga (Rigger): responsável I çamba por gravidade. os controles su- tamente acessíveis ao operador. nos termos da NR- 10. atua quando alcançado o limite do momento de carga. em redes elétricas com tensões superiores a 60kV. contados a partir da vigência deste anexo. conforme previsto no d)controles inferior e superior para a operação do guincho e item 2. onde. pos- operação (equipamentos.3 As cestas aéreas. perior e inferior devendo manter-se funcionais em ambos casos. estabilizadoras e válvulas de retenção e contrabalanço ou holding nos 2. que numa posição bloqueie a operação dos estabilizadores e na outra posição.2. o)recurso para operação de emergência que permita a mo- vimentação dos braços e rotação da torre em caso de ruptura de mangueiras hidráulicas. acessórios e outros) para se evitar acidentes sibilitando o trabalho em contato direto com o condutor.2.8 Os controles inferiores da cesta aérea não devem ser Sistema de suspensão: Cabo ou eslingas e outros compo. caso possua este no item 2. 2. a ca- Sistema limitador de momento: Sistema de segurança que lado. m)sistema que impeça a operação das sapatas estabilizadoras sem o prévio recolhimento do braço móvel para uma posição segura de transporte. CESTAS AÉREAS 2. que devem voltar para a posição neutra quando deve possuir o grau de isolamento adequado. as seguintes informações: k)controles dos estabilizadores protegidos contra o uso inad- Superlaço: Olhal feito abrindo-se a ponta do cabo em duas a)marca. exceto as ferramentas. 12. h)dispositivo de parada de emergência nos comandos su. metades. junto ao comando dos estabilizadores. que possua o grau de isolamento.1 e 12. o trabalhador é equalizado no suportar e acomodar o(s) operador(es) e as ferramentas indispensáveis daste móvel ou fixo. nimo. riores a 1. equipa- dotado de cesto acoplado ou cesto suspenso. observando-se que: PL liberados pelo operador. incluindo dispositivos de fixação. Posição de transporte para cesto acoplado: É considerada S A 2. nos termos da NR-10. equipamentos e materiais para a execução da Sistema de suspensão dedicado: É aquele que só pode ser i)válvulas de retenção nos cilindros hidráulicos das sapatas tarefa acondicionados de forma segura. E M válvula de pressão para limitar a carga nas cestas aéreas equipadas b) caso o trabalho seja próximo a tensões igual ou inferiores a 1. mesmo potencial da rede elétrica (mesmo nível de tensão). ação do vento. L Ponto(s) de fixação(ões): Lugar na caçamba ou plataforma c) não deve haver aberturas nem passagens nas caçambas de de eliminar oscilações (pulsos) gerados pela ação dinâmica do im- cestas aéreas isoladas.71. "b". condições do solo e no caso de rompimento de mangueira e/ou perda de pressão hi. devem possuir sistema de nivelamento da(s) caçamba(s) ativo e automático. das máquinas disponíveis. que não possuam sistema de nivelamento da caçamba ativo e au- conforme previsto no item 12. exceto no caso previsto na alínea "o". quinta-feira.4 deste Anexo. Sapatilha: Elemento utilizado na proteção para olhal de cabo 2. conforme previsto X com guincho e "JIB" para levantamento de material.4 Para serviços em linhas.2 Plataformas metálicas (condutivas): N A a) devem possuir sistema de proteção contra quedas com no IO taforma ou caçamba. e devem ser adotadas A N outras medidas de proteção coletivas para a prevenção do risco de choque elétrico. . con- forme projeto e sinalização do fabricante.2 A caçamba ou plataforma deve ser dimensionada para vestimentas e outros meios específicos.br/autenticidade. 2. b)modelo. a outra metade é entrelaçada no espaço vazio da primeira. que retornem à posição neutra quando soltos pelo operador.gov. E acessório. se aplicável. "a". quando dos movimentos de subida e descida do braço móvel de um equipamento hidráulico. Posição de acesso e posição de transporte po. siste no planejamento formalizado de uma movimentação com guin. conforme norma ABNT NBR 16092:2012. de modo que o operador possa c)isolado ou não isolado. através de 2. Este documento pode ser verificado no endereço eletrônico http://www. 2.in.000V. periores devem estar posicionados ao alcance dos operadores. Trabalho pelo método ao potencial: Metodologia de trabalho p) ponto para aterramento. e devem ser adotadas outras medidas de proteção coletivas para a prevenção do risco de choque elétrico.3. 2.70.71. gência do item 2.12 As cestas aéreas devem ter placa de identificação. pode ser cilindros hidráulicos do braço móvel a fim de evitar movimentos conforto aos trabalhadores. impedindo os estabilizadores. e)dispositivo de travamento de segurança de modo a impedir a atuação inadvertida dos controles superiores. xo "C".3. Válvula Holding: Válvula de segurança com funções de con. exceto em situações de nentes.5 Para serviços em linhas. Plano de movimentação de carga (Plano de Rigging): Con. visando à otimização dos recursos aplicados na para realização do serviço. redes e ins- talações energizadas ou com possibilidade de energização acidental. trabalanço e retenção combinadas. para mostrar se o equipamento está posicionado den. grau de isolamento adequado.000V. quais as melhores soluções para fazer um içamento b) a caçamba das cestas aéreas isoladas deve ser dotada de dráulica. deve-se utilizar cesta aérea isolada. e em seguida localizados na base da unidade móvel.200-2 de 24/08/2001.ICP-Brasil. Documento assinado digitalmente conforme MP n o. Quando aten- portados não devem ter dimensões que possam trazer riscos ou des- didos os requisitos de segurança previstos neste anexo. Válvula de Contrabalanço: Válvula de segurança com função cuba isolante (liner). dos acessórios. a cesta aérea deve ser isolada.7 Em cestas aéreas com duas caçambas. na qual constem.9 É proibida a movimentação de carga nas cestas aéreas. que institui a pelo código 00012016092200051 Infraestrutura de Chaves Públicas Brasileira . nos termos da NR-10.5 deste Anexo. exceto para trabalho pelo método ao poten- para conexão ao sistema de suspensão.000 V. 2. equipamentos e materiais a serem trans- utilizado para a operação em conjunto com a caçamba. calizada na parte inferior do equipamento. sem g)controles inferiores prontamente acessíveis e dotados de que haja a necessidade de desengatar seu cinto de segurança.Nº 183. redes e instalações energizadas com tensões inferiores a 1. tornando sua movimentação mais suave e segura para o operador. S I N Figura 1: Exemplo de arranjo com cesto acoplado 2. pamento de guindar à caçamba ou plataforma.2 É proibida a utilização de cestas aéreas não isoladas DA pelo planejamento e elaboração do plano de movimentação de cargas. 12. seguro e eficiente. categorias A. T E com tensões iguais ou superiores a 1. o equipamento também A e na parte inferior. B ou C. a) as caçambas fabricadas em material não condutivo devem vimentos involuntários e indesejáveis de um equipamento hidráulico atender aos requisitos da norma ABNT NBR 16092:2012 e seu Ane- içada. utilizado para ligar o equi. através de sistema mecânico ou hidráulico que funcione integradamente aos N posição de transporte aquela definida pelo fabricante. tomático. lização em vias públicas ou no interior dos canteiros de obras. quando as lan- E ças do guindaste estiverem posicionadas no berço ou sobre a car.3. 2. redes e instalações energizadas de aço. N de pressão hidráulica. a caçamba deve garantir o isolamento. 2. 2. em local que permita a visualização durante a operação dos pacidade de carga nominal da caçamba. os comandos de movimentação da(s) caçamba(s). mentos e materiais não pode exceder. 2. por meio do estudo da carga a ser Válvula de Retenção: Válvula de segurança que evita mo. a caçamba deve possuir isolação própria e ser equipada com cuba isolante (liner). indesejáveis em caso de perda de pressão no sistema hidráulico. exceto para trabalho pelo método ao potencial. A C b) quando o acesso da plataforma for por meio de portão. alíneas "a".73.10 As ferramentas. n)sistema de operação de emergência que permita a mo- vimentação dos braços e rotação da torre em caso de pane. estão dispensadas da exi- M gente.2. D E b) todos os controles claramente identificados quanto a suas funções e protegidos contra uso inadvertido e acidental. em nenhum momento. no mí- movimentos que aumentem o momento de carga. alíneas dem ser idênticas. desde que não ultrapassadas as dimensões de transporte (largura e altura) em conformidade com a legislação vi- P R 2. j)sistema estabilizador. Ele indica. Posição de acesso: Posição que permite o acesso à pla- pulso de saída e do impulso de frenagem. com indicador de inclinação insta. vertido.1 As cestas aéreas devem dispor de: a)ancoragem para cinto de segurança tipo paraquedista. "d" e "e". ver os estabilizadores se movimentando. mínimo 990 mm de altura e demais requisitos dos itens 12.1 Caçambas (não condutivas): e perdas de tempo. Uma metade é curvada para formar um olhal. caçamba. f)controles superiores na caçamba ou ao seu lado e pron- c) devem ser adotadas outras medidas de proteção coletivas para a prevenção do risco de choque elétrico. ferramentas. cial.

1 As caçambas fabricadas em material não condutivo e capazes de suportar cargas de impacto em caso de queda. com indicador de inclinação insta.br/autenticidade.4 deste anexo. plados para elevação de pessoas devem ser submetidos a ensaios e inspeções periódicas de forma a garantir seu bom funcionamento e mensionados em função do número máximo de ocupantes da caçamba 3. d) elaboração de procedimentos operacionais e de emergên- cia.3 É proibida a movimentação de pessoas simultaneamente c)informações relativas ao uso e à capacidade de carga da 3. devem ser realizados testes operacionais de içamento com a caçamba os estabilizadores movimentando. c) devem ser adotadas outras medidas de proteção coletivas c)controles para movimentação da caçamba na parte superior para a prevenção do risco de choque elétrico. que numa posição bloqueie a operação dos estabilizadores e na outra posição.15 As caçambas devem possuir sinalização. pontos de sustentação. ramentas e material não deve exceder 50% da capacidade de carga 2. emita um alerta visual e b) modelo.10 A operação contará com a presença física de profis- equipamento de guindar ou no chassi do veículo. Cesta Aérea ou Cesto Aco- n)existência de acessórios para manuseio de materiais (guin- m. as seguintes informa. estabilizadoras.14 Os testes de içamento devem ser executados para ava- liar a correta instalação e configuração dos equipamentos de iça- ER de guindar.5 Para serviços em proximidade de linhas. que institui a pelo código 00012016092200052 Infraestrutura de Chaves Públicas Brasileira . d) capacidade nominal de carga.17 O vendedor deve providenciar e entregar o manual da deve possuir o grau de isolamento adequado.3 deste anexo. conjunto de cabos. grau de isolamento adequado. modelo e número de série. 12. 3. conforto aos trabalhadores. junto ao comando dos estabi- lizadores.12 A análise de risco deve considerar possíveis interfe- cilindros hidráulicos do braço móvel. equipamentos e materiais a serem trans- com símbolos e/ou inscrições com a descrição de suas funções. sional capacitado em movimentação de carga desde o planejamento um meio de prevalecer sobre o controle superior de movimentação da OI 3. com tensões inferiores a 1. 3. f) barra fixa no perímetro interno. e proteção das mãos e capaz de resistir aos esforços mencionados na mínimo 990 mm de altura e demais requisitos dos itens 12. e devem ser adotadas outras medidas portados não devem ter dimensões que possam trazer riscos ou des- CO 2.9 A supervisão da operação do cesto suspenso deve ser contato com o solo na execução de serviços em proximidade de realizada por Engenheiro de Segurança do Trabalho ou Técnico de e)controles superiores na caçamba ou ao seu lado e pron. ou cho e JIB). sem j)número de caçambas. 3. cilitar a entrada do operador quando a altura entre o nível de acesso m)empresa instaladora.7 Os equipamentos de guindar que possuam mais de um até a conclusão.17 Para efeitos de dimensionamento. "b" e "c" desta NR. projetados para esta função. bem como bloqueie as funções que a) capacidade mínima de 136 kg. "b" e "c" desta gancho do equipamento de guindar simultaneamente à movimentação g) portão que não permita a abertura para fora e com sistema Norma Regulamentadora. a caçamba e o equi.2. que retornem à posição neutra quando soltos pelo operador. 3.000V. c) possuir o piso com superfície antiderrapante e sistema de zação. tuações: l)razão Social e CNPJ do fabricante ou importador. caçamba. em ambos os lados. tos e materiais não pode exceder. destacando a capacidade de metro de 15 mm. tais como ultrassom e/ou emissão acústica. ções: sustentação. 3. 4. devendo manter-se funcionais em ambos os casos. o)indicação de que o equipamento atende a norma ABNT e) possuir borda com cantos arredondados. 4.200-2 de 24/08/2001. con. alíneas "a". que g) grau de isolação elétrica da caçamba.2. máximo limitado por batentes mecânicos ou cilindros hidráulicos 4. B ou C.1 e 12. os controles seguro em caso de pane do sistema. a caçamba deve possuir isolação execução da tarefa acondicionados de forma segura.PTA.2. contemplando as seguintes etapas: 3. conforme previsto no item 3. CESTOS SUSPENSOS f)data de fabricação (mês e ano). devendo contemplar pamento de guindar devem possuir isolamento. exceto em situações de emer. 3. para fa. a) nas atividades onde tecnicamente for inviável o uso de à plataforma e o piso em que ele se encontra for superior a 0.4 Para serviços em linhas.2 A utilização de cesto suspenso nas hipóteses previstas no também: isolamento. garantindo assim o 4.000 V.13 As cestas aéreas devem ser dotadas de sinalização de com tensões iguais ou superiores a 1.10 Quando o acesso da caçamba for por meio de portão. o número de ocupantes e a tensão máxima de uso.16 Os equipamentos de guindar que receberem cestos aco- suportar e acomodar o(s) operador(es) e as ferramentas indispensáveis tipo paraquedista em qualquer posição de trabalho.18 A caçamba deve dispor de: capacidade máxima do guindaste.1 Desde que não haja possibilidade de contato ou pro- g)capacidade nominal de carga. prejuízo do disposto nas demais Normas Regulamentadoras e normas k)categoria de isolamento da cesta aérea.000V. de movimentação. 3. 4. garantido o grau de 4. mm. atendidos os requisitos desta NR.3 Para serviços em linhas. alíneas 3. inadvertida dos controles superiores. p)ponto para aterramento no equipamento de guindar. registrado em relatório do ensaio. um prazo de 30 dias a partir do recebimento do equipamento. Plataformas metálicas (condutivas): tegridade estrutural. quando utilizadas gruas. os comandos de movimentação do equipamento este não pode permitir a abertura para fora e deve ter sistema de travamento que impeça a abertura acidental. redes e instalações energizadas Aéreo . ximidade com redes energizadas ou com possibilidade de energi- h)altura nominal de trabalho. a 1. a cada turno e após qualquer mudança de local de instalação. forme projeto e sinalização do fabricante. c) cinco para os sistemas de suspensão com dois ou mais cançado o limite do momento de carga.1 e 12. conforme norma ABNT NBR item acima. "d" f) eventuais restrições de uso. Este documento pode ser verificado no endereço eletrônico http://www. o)sistema limitador de momento de carga que. CESTOS ACOPLADOS planejamento formal. 4. "a". nas seguintes si- d) possuir degrau. com projeção interna mínima de 50 mm a partir do limite do 3. Documento assinado digitalmente conforme MP n o. piso e sistema de proteção está acoplado.71. nos termos da Habilitado com respectiva Anotação de Responsabilidade Técnica - b)capacidade de carga da caçamba e dos equipamentos para ART. acompanhadas de ART. 3. se aplicável.gov. AÇ funções e protegidos contra uso inadvertido e acidental. PO vertido. 4. a) realização de análise de risco. movimentação de materiais (guincho e JIB). atendidos os cujas aberturas não permitam a passagem de uma esfera com diâ- que o nível do cesto não oscile além de 5 graus em relação ao plano requisitos desta Norma Regulamentadora. observando-se que: nominal do equipamento de guindar. con- j)válvula ou chave seletora. d) no mínimo. bamento. contendo as especificações construtivas e a vimentação dos braços e rotação da torre em caso de ruptura de jetados para evitar sua abertura involuntária e devem ter o seu curso respectiva memória de cálculo.11 O sistema de estabilização deve ser utilizado conforme RT figuração dos equipamentos de içamento.9 Os controles inferiores do guindaste não devem ser ope. com diâmetro de 15 mm. e) número de ocupantes. pessoas. drenagem cujas aberturas não permitam a passagem de uma esfera guindar. carga e a existência de qualquer interferência perigosa.71. poderá ser utilizado cesto suspenso içado por equipamento de i)pressão do sistema hidráulico. o peso total da carga içada. e válvulas de retenção e contrabalanço ou holding nos 4. enquanto um dos controles estiver realização de operação de emergência com vistas à retirada do tra- BID perior e inferior.16 Nos casos de transferência de propriedade. Segurança do Trabalho.13 Antes de içar os trabalhadores nos cestos suspensos. m) recurso para operação de emergência que permita a mo.5 O peso total dos trabalhadores. a caçamba e o equipamento de guindar devem ser IA 3.16. que impeça a abertura acidental. . b)todos os controles claramente identificados quanto a suas no item 3.1 O posto de trabalho deve ser fixado na parte inferior do f)controles inferiores prontamente acessíveis e dotados de 4. rados a carga nominal com os seguintes coeficientes de segurança: lado junto aos comandos dos estabilizadores. com superfície antiderrapante.70.1 Devem ser realizados ensaios que comprovem a in.15 As cestas aéreas devem ser submetidas a inspeções e de proteção coletivas para a prevenção do risco de choque elétrico. segurança. 12. quando aplicável.6. mostrar se o equipamento está posicionado dentro dos limites de identificação na qual constem.html. cesta aérea para o comprador. mm de altura e demais requisitos dos itens 12. seu em que o trabalhador possa entrar na zona controlada com uma parte 4. sonoro automaticamente e impeça o movimento de cargas acima da c) data de fabricação. de modo que o operador possa ver gência ou quando a operação ou atividade assim o exigir. b) nas atividades em que o uso de Plataforma de Trabalho NBR 16092:2012. de carga nominal da caçamba.15 No içamento de teste. em ME talações energizadas ou com possibilidade de energização acidental. contra quedas confeccionados em material metálico. de pessoas dentro do cesto acoplado. b) caso o trabalho seja próximo a tensões igual ou inferiores LIZ a)ancoragem para cinto de segurança tipo paraquedista. conjunto estrutural. 52 ISSN 1677-7042 1 Nº 183. c) piso com superfície antiderrapante e sistema de drenagem promova o nivelamento do cesto. sem o prévio recolhimento do braço móvel para uma posição segura 3. a capacidade sabilidade do comprador informar ao fabricante da cesta aérea. atendendo aos requisitos mínimos previstos neste anexo. a caçamba deve garantir o isolamento.8 A utilização do cesto suspenso deve estar sob a res- ÃO pelo operador. as capacidades de k)sistema que impeça a operação das sapatas estabilizadoras guindaste/cesto. de travamento que impeça abertura acidental. nos termos da NR. CE com a carga prevista para o içamento dos trabalhadores e deslocada até a posição em que ocorre o momento de carga máximo da ope- IRO vimentação dos braços e rotação da torre em caso de pane. ou do operador. fer- RC dereço do novo proprietário. quando al. a fim de evitar movimentos superiores devem estar posicionados ao alcance dos operadores. "d" e "e". em particular a operação de outros equipamentos indesejáveis em caso de perda de pressão no sistema hidráulico. é respon. no mínimo. caçamba. não deve permitir que o operador tenha ponsabilidade técnica de Profissional Legalmente Habilitado. alíneas "a". 16092:2012. "b". i)controles dos estabilizadores protegidos contra o uso inad- A que haja a necessidade de desengatar seu cinto de segurança. deve ser comprovada por meio de laudo técnico e pre- a)riscos envolvidos na operação do equipamento. Cesta Aérea ou Cesto Acoplado ou outro processo de 2. plado. con. a) razão social e CNPJ do fabricante ou importador. exceto no ração planejada. horizontal durante os movimentos do braço móvel ao qual o cesto carga nominal. travessão superior do sistema de proteção contra quedas para o apoio a) devem possuir sistema de proteção contra quedas com no forme norma ABNT NBR 14768:2015. redes e instalações energizadas com carga. 2. exceto as ferramentas. "b". b) sete para o sistema de suspensão com um único ponto de inclinação permitidos pelo fabricante.71.73. e devem ser adotadas outras medidas de proteção co. 3. o equipamento também incluindo o moitão. 4. b) sistema de proteção contra quedas com no mínimo 990 aumentem o momento de carga. balhador da caçamba ou plataforma ou seu posicionamento em local h) válvulas de retenção nos cilindros hidráulicos das sapatas sendo operado. ferramentas. 22 de setembro de 2016 e)número de série.73. 3. trabalho represente maior risco de acidentes para sua realização. quinta-feira. o funcionamento dos sistemas de segurança. cedida por análise de risco realizada por Profissional Legalmente letivas para a prevenção do risco de choque elétrico.PTA. e "e".5 vezes a capacidade nominal. junto d)dispositivo ou sistema de segurança que impeça a atuação aos comandos inferiores.13 Estabilizadores com extensão lateral devem ser pro. se aplicável. 12. alíneas "a".ICP-Brasil. sem rências no entorno. localizados na base do guindaste. equipamen- 2.71. devem atender às dimensões do Anexo "C" da norma ABNT NBR sua integridade estrutural. devendo nesse caso ser impedida a movimentação simultânea ou adotado sistema anticolisão. 12. rados com trabalhadores na caçamba. redes e ins.6 Para os cestos suspensos. 3. conjunto de controle inferior devem possuir meios para evitar a ope- g)dispositivo de parada de emergência nos comandos su.6 O posto de trabalho do equipamento de guindar. não 4.2. para 3. sinalizados e di- para realização do serviço.12 O conjunto guindaste/cesto acoplado deve ser ensaiado 4.8 Em cestos acoplados com duas caçambas.55 Plataforma de Trabalho Aéreo .16 O cesto suspenso deve ser projetado por Profissional caso previsto na alínea "m".14 As caçambas dos cestos acoplados devem ter placa de a) cinco para os elementos estruturais da caçamba. ativo e automático.7 A utilização de cesto suspenso deverá ser objeto de riores a 1. Legalmente Habilitado. e) emissão de permissão de trabalho para movimentação de e na parte inferior. energia elétrica. conforme previsto c) elaboração de plano de movimentação de pessoas. nos termos da NR-10. b) quando o acesso à plataforma for por meio de portão.17 É proibida a movimentação de cargas suspensas no alínea "g" deste item.000 V. b) especificação dos materiais e ferramentas necessárias.2 A caçamba ou plataforma deve ser dimensionada para e) ponto(s) de fixação para ancoragem de cinto de segurança 3. equipamentos e materiais para a cesta aérea para múltiplas configurações. orientações do fabricante para garantir a estabilidade do conjunto mento. S mangueiras hidráulicas. a caçamba deve ser carregada de transporte.70. evite seu basculamento e assegure 3. ensaios previstos na norma ABNT NBR 16092:2012.4 As ferramentas. na altura mínima de 990 16092:2012. categorias A. 4. do seu corpo ou com extensões condutoras.1 Os cestos acoplados devem dispor de: isolados. q)sistema mecânico e/ou hidráulico. técnicas oficiais vigentes pertinentes à atividade. a ser aplicada no centro da caçamba na sua posição de máximo momento de tom.11 A análise de risco da operação deve prever recurso para ração involuntária dos controles. devem ser conside- n)sistema estabilizador. 4.in. bem como o número do CNPJ e o en. a) caso o trabalho seja realizado próximo a tensões supe. l)sistema de operação de emergência que permita a mo- com carga de 1. em nenhum momento. NR-10. PR tamente acessíveis ao operador. 4. pode permitir a abertura para fora e deve ter sistema de travamento 4.14 Os controles das cestas aéreas devem estar identificados própria e ser equipada com cuba isolante (liner). 4. trabalhadores. que voltem para a posição neutra quando liberados 10.

dental do cabo de aço. tes do cesto e o operador de guindaste. 7. cabos de fibras de vento com velocidade igual ou superior a 35 km/h. 11. (7+ 8(B) (não além de 5(B) acima) do tipo com porca e contrapino.214/1978. i)cabos-guia para fixação do cabo de segurança para acesso à pela Diretoria de Portos e Costas .Observações. g)luz de obstáculo (lâmpada piloto). 4. 3. i) os cabos e suas conexões devem atender aos requisitos da N A d) outros específicos associados com o içamento. potencial devem atender aos requisitos de segurança previstos na NR- 4.º 12 ascensão do mesmo ao atingir a altura previamente ajustada. Toda documentação prevista neste anexo deve permanecer ocupantes. os riscos e as medidas de proteção. visibi- lidade.Extremidades de laços de cabos de aço. de evitar movimentos indesejáveis em caso de perda de pressão no pela equipe e não entrem em conflito com os já estabelecidos pela sistema hidráulico. 4. linhas de transmissão de alta tensão): _________________________________________________ A rador do equipamento de guindar quando for detectada a incidência 4. podendo ser adotado meio eletrônico. resolve: 4.DPC da Marinha do Brasil. d)limitador de altura que permita frenagem segura para o e eletrônica). 4. e da seleção da categoria de cada componente levando b)data de fabricação.35 Os ocupantes do cesto devem portar um rádio comu- c)indicadores de níveis longitudinal e transversal. (NR-12) .40 Dentre os ocupantes do cesto.1 na Norma Regulamen- mínimo: 4. __________________________________________________ trava de segurança. nentes de diferentes tecnologias (ex: mecânica.html. Documento assinado digitalmente conforme MP n o.34 A equipe de trabalho deve portar rádio comunicador Assinatura e data do Autorizador de Içamento de Pessoal X automaticamente e impeçam o movimento de cargas acima da ca. Lista de verificação Nº 1 FORMULÁRIO DE PLANEJAMENTO E AUTORIZAÇÃO A L 4. hidráulica. uma vez por dia. m)limitador de curso de movimentação de gruas sobre tri- lhos. e)alarme sonoro para ser acionado pelo operador em situa. 4. nicador para operação e um rádio adicional no cesto.º 5. _________________________Hora:_______________ b)indicadores do raio e do ângulo de operação da lança. por meio de sistema de segurança monitorado por interface em consideração a tecnologia usada.º 3. lança e contra-lança. distanciamento das redes energizadas.Local ______________________________________Data: IO podendo ser utilizados para outras finalidades.36 Deve haver comunicação permanente entre os ocupan. categoria.CLT. redação: Este documento pode ser verificado no endereço eletrônico http://www.Identificação do cesto: ______________Capacidade nomi- pamento de içamento ou à manilha com porca e contra-pino. 22 de setembro de 2016 1 ISSN 1677-7042 53 4. e satisfazer aos se. soquetes tipo cunha.24 Os sistemas de suspensão devem ser dedicados. no máximo. devem ser envolvidos na operação. 4. 4.da NR-12.21 O içamento do cesto suspenso somente pode ser feito torre.39 Placas ou cartazes contendo a representação dos sinais liberados pelo operador. d)limitador de altura de subida do moitão que interrompa a 4. com a seguinte de segurança. pamentos.452. condições climáticas. trabalho.5. a)reunião de segurança sobre a operação com os envolvidos. dentre outros envolvidos na operação.Peso total de içamento: ____________________________ DA f) manilhas.2. 4. deve ser utilizada a cesta de transferência homologada tificação. h)trava de segurança no gancho do moitão. b) movimento inesperado da plataforma. b)inspeção visual do cesto suspenso. l)dispositivo instalado nas polias que impeça o escape aci.item DE IÇAMENTO DE CESTO SUSPENSO N 1. por meio de sistema de segurança monitorado por interface 4. quando utilizado guindastes. o limitador de carga ou momento estiver atuando.(A) Capacidade nominal no raio de operação: do fabricante.ICP-Brasil. o sistema de suspensão e os pontos de _________________________________________________ 13. h)válvulas hidráulicas em todos os cilindros hidráulicos a fim podendo ser criados sinais adicionais desde que sejam conhecidos cearia .42 Na utilização do cesto suspenso. O MINISTRO DE ESTADO DO TRABALHO. com redação dada b)limitador de carga máxima para bloqueio do dispositivo de balhadores.br/autenticidade. que institui a pelo código 00012016092200053 Infraestrutura de Chaves Públicas Brasileira . 155 e 200 da Consolidação das Leis k)dispositivo limitador de velocidade de deslocamento ver. quinta-feira. e VII . no mínimo. Serviços de manutenção de instalações energizadas de naturais ou sintéticos no içamento e/ou sustentação do cesto sus. de 17 de dezembro de 2010. sendo proibida a utilização de grampos. pelo menos um tra- máximo. esta deve possuir.25 Quando a análise de risco indicar a necessidade de S S Icesto. área livre de convés e condições ambientais.º 12 (NR12) . movimentação do cesto deve ser interrompida até que a comunicação aos Anexos VI Panificação e Confeitaria - f)ganchos com identificação e travas de segurança. 6. seja restabelecida.Finalidade do içamen- a) o sistema de suspensão de cabos com superlaços unidos p) dispositivo de parada de emergência. obrigatório para gruas de lança móvel ou retrátil. maio de 1943. N ________________(B) Carga máxima de içamento: c) todos os sistemas de suspensão de eslinga devem utilizar contemplando as atividades que serão desenvolvidas. aprovada pela Portaria n. c)capacidade de carga da caçamba em peso e número de de segurança. salva-vidas. Altera a Norma Regulamentadora n.º 197.29 A reunião de segurança deve instruir toda a equipe de 10. o processo de E ___________(50% de 5(A)) uma ligação principal para a fixação ao gancho do moitão do equi. 7. c)checagem do funcionamento do rádio.Instrução de pré-içamento _____________________________________[dia e hora] feita: E A estabilização da caçamba por auxiliar externo. conforme análise de R 6. sobre os ________________________________________ e as eslingas do sistema de suspensão. imediatamente antes da movimentação.30 A equipe de trabalho é formada pelo(s) ocupante(s) do 12.31 A caçamba. extremidades.Perigos antecipados (vento. 1º Acrescentar o item 12.1 A equipe de trabalho deve ser capacitada com Curso por meio de cabo de aço. de 16/06/2009. sendo arquivada por um período mínimo de 5 (cinco) pensão). a mo). operando em faixa segura e exclusiva. to:_______________________________________ mecanicamente deve ser projetado com sapatilha em todos os olhais. com 4. de Avaliação da Conformidade para Cabos de Aço de Uso Geral. k)anemômetro que emita alerta visual e sonoro para o ope. C 2. de 1º de tical do cesto suspenso de forma a garantir que se mantenha. quando a grua não dispuser de coletor Básico de Segurança de Plataforma (NORMAM 24) e portar colete identificação e rastreamento previsto pelo INMETRO .Quais são as alternativas para este içamento de pessoal? ________________________ N meiro elemento. 87 j) dispositivo de parada de emergência. 14. no 4. 8. fixação devem ser inspecionados. I d)confirmação de que os sinais são conhecidos de todos os so total (com equipamentos): _______________ 9. sinaleiro designado e supervisor da operação. risco. aprovada pelo Decreto-Lei n.Nº 183. vedado o uso de fibras naturais. suspenso. igual a trinta metros por minuto (30m/min). conforme especificado pelo fabricante. _________________________________________________ h) os ganchos devem ser dotados de sistema distorcedor e c) queda de altura.2 Devem ser realizados procedimentos de adequação da Portaria INMETRO/MDIC nº 176. de mão devem ser afixados de modo visível dentro da caçamba e em atribuições que lhe conferem o inciso II do parágrafo único do art.Segurança no Trabalho em Máquinas e Equi- segurança monitorado por interface de segurança.33 As inspeções devem ser registradas em documentos 16. os indicados pelo fabricante da caçamba e pelo Pro- fissional Legalmente Habilitado responsável técnico pela utilização do cesto. anos.20 Sempre que o cesto suspenso sofrer alterações que im. marítimas. com no mínimo as se. Para operações específicas de transbordo em plataformas pliquem em mudança das informações constantes da placa de iden. do equipamento de guindar e o trabalhador ocupante do cesto. Os sistemas de segurança previstos neste anexo devem identificação indelével de fácil visualização.1. 4. . linhas de transmissão e barramentos energizados para trabalhos ao penso.27 Em caso de utilização de grua. PORTARIA N o. ________(no local da obra) S soquetes com furos deve ser concebido de acordo com as instruções realização de: 5. rador do equipamento de guindar quando for detectada a incidência embarcação. por meio de sistema de segurança monitorado por interface de segurança. do Trabalho . no uso das i)controles que devem voltar para a posição neutra quando 4. consignado num documento a ser arquivado contendo o nome P nal de carga: _______ Capacidade máxima de ocupantes:_______ d) as cargas devem ser distribuídas uniformemente entre os legível e assinatura dos participantes. regra internacional. devem ser corrigidas antes do içamento do pessoal.gov.(A) Nº de ocupantes do cesto: _________________(B) Pe- e) o conjunto de cabos (superlaços) destinado a suspender a caçamba deve ter sua carga nominal identificada.22 É proibida a utilização de correntes.32 Quaisquer condições encontradas que constituam perigo 15. antes do uso. q)dispositivo limitador de velocidade de deslocamento ver- tical do cesto suspenso de forma a garantir que se mantenha. por um trabalhador capacitado para esta inspeção. 8. 4.Fabricante N A dos equipamentos ____________Modelo:_______no: __No de série:________ de 4.Por que elas não _______________________________________ estão sendo usadas? norma ABNT NBR 11900 . esta deve ser feita por meio de elementos de material não condutor.200-2 de 24/08/2001. com fitilho de identificação ou sistema para j)limitador de giro. quaisquer locais de controle e sinalização de movimento do cesto da Constituição Federal e os arts. esta deve ser atualizada. por meio de sistema de segurança monitorado por in.Supervisor de içamento de pessoal: g) deve haver um elemento reserva entre o gancho do moitão trabalho.Máquinas para Açougue e Mer- g)aterramento elétrico. quando dos representantes da Comissão Interna de Prevenção de Acidentes - a rastreabilidade do projeto. deve ser garantido pela Portaria n. outra condição metrológica que possa afetar a segurança dos tra. E limitador de momento de carga) que emitam um alerta visual e sonoro 4. 7.Peso do cesto: __________________________________ M pontos de sustentação do sistema de suspensão. f)placas indicativas de carga admissível ao longo da lança.41 É proibido o trabalho durante tempestades com des- a)limitador de momento máximo. por meio de sistema de cargas elétricas ou em condições climáticas adversas ou qualquer tadora n. Art. moitão.26 O equipamento de guindar utilizado para movimentar a)anemômetro que emita alerta visual e sonoro para o ope- deste anexo. DE 21 DE SETEMBRO DE 2016 E pacidade máxima do guindaste.37 Se houver interrupção da comunicação entre o operador impeça a descida da caçamba ou plataforma em queda livre (ban. _____ guintes requisitos: o)aterramento elétrico.38 Os sinais de mão devem seguir regras internacionais. CIPA e dos representantes das Entidades Sindicais representativas da e)peso do cesto suspenso vazio (caçamba e sistema de sus.in. pneumática a)identificação do fabricante. 7. no mentação de carga.Regulamento elétrico.Raio de operação: _________________________(máxi- içamento: A b) o sistema de suspensão de cabos com conexões finais de 4. balhador deve ser capacitado em código de sinalização de movi. A inspeção deve contemplar no mínimo os itens da Lista de Verificação nº 1 Participantes: ______________________________________________________ __________________________________________________ pessoas no cesto suspenso deve possuir. pelo menos. operador do equipamento de guindar. no estabelecimento à disposição dos Auditores Fiscais do Trabalho. d)modelo e número de identificação de caçamba que permita ções de risco e alerta. bem como de acionamento automático.19 A caçamba deve ter afixada em seu interior placa de c)limitador de fim de curso para o carro da lança nas duas 5. no mínimo: R D 4. igual a trinta metros por minuto (30m/min). não n)limitadores de curso para o movimento da lança . 10. se usadas no sistema de suspensão. ou nós. ______________________________________________________ M dispositivos automáticos de interrupção de movimentos (dispositivo específicos.23 O sistema de suspensão deve minimizar a inclinação devido ao movimento de pessoal na caçamba e não deve permitir inclinação de mais de dez graus fora do plano horizontal. elevação. Data da realização do içamento: PL de vento com velocidade igual ou superior a 35 km/h. a quinas e Equipamentos e dá nova redação guela). atingir a performance de segurança com a combinação de compo- guintes informações: terface de segurança. de forma a garantir a con- tinuidade de sustentação do sistema em caso de rompimento do pri- seguintes perigos: T E a) impacto com estruturas externas à plataforma.28 É obrigatório.111.Segurança no Trabalho em Má- e)dispositivo de tração de subida e descida do moitão que 4.

lança e contra-lança. 155 e 200 da Consolidação das Leis k)dispositivo limitador de velocidade de deslocamento ver. com no mínimo as se.25 Quando a análise de risco indicar a necessidade de S S Icesto. 22 de setembro de 2016 1 ISSN 1677-7042 53 4.111. extremidades.36 Deve haver comunicação permanente entre os ocupan. de Avaliação da Conformidade para Cabos de Aço de Uso Geral. atingir a performance de segurança com a combinação de compo- guintes informações: terface de segurança. b) movimento inesperado da plataforma. 4. Os sistemas de segurança previstos neste anexo devem identificação indelével de fácil visualização. h)válvulas hidráulicas em todos os cilindros hidráulicos a fim podendo ser criados sinais adicionais desde que sejam conhecidos cearia . rador do equipamento de guindar quando for detectada a incidência embarcação. f)placas indicativas de carga admissível ao longo da lança. área livre de convés e condições ambientais. elevação. nicador para operação e um rádio adicional no cesto. vedado o uso de fibras naturais. PORTARIA N o. 4. no mínimo. linhas de transmissão e barramentos energizados para trabalhos ao penso. sobre os ________________________________________ e as eslingas do sistema de suspensão. operando em faixa segura e exclusiva. 7. operador do equipamento de guindar. 4. maio de 1943. ________(no local da obra) S soquetes com furos deve ser concebido de acordo com as instruções realização de: 5. linhas de transmissão de alta tensão): _________________________________________________ A rador do equipamento de guindar quando for detectada a incidência 4. 4.Extremidades de laços de cabos de aço. condições climáticas. Serviços de manutenção de instalações energizadas de naturais ou sintéticos no içamento e/ou sustentação do cesto sus. 4. _________________________________________________ h) os ganchos devem ser dotados de sistema distorcedor e c) queda de altura.19 A caçamba deve ter afixada em seu interior placa de c)limitador de fim de curso para o carro da lança nas duas 5. trabalho. c)checagem do funcionamento do rádio. quando dos representantes da Comissão Interna de Prevenção de Acidentes - a rastreabilidade do projeto. dental do cabo de aço.29 A reunião de segurança deve instruir toda a equipe de 10. 87 j) dispositivo de parada de emergência. quaisquer locais de controle e sinalização de movimento do cesto da Constituição Federal e os arts. _________________________Hora:_______________ b)indicadores do raio e do ângulo de operação da lança. 7. soquetes tipo cunha. Toda documentação prevista neste anexo deve permanecer ocupantes. moitão. salva-vidas.Fabricante N A dos equipamentos ____________Modelo:_______no: __No de série:________ de 4. esta deve ser atualizada. potencial devem atender aos requisitos de segurança previstos na NR- 4. de forma a garantir a con- tinuidade de sustentação do sistema em caso de rompimento do pri- seguintes perigos: T E a) impacto com estruturas externas à plataforma. que institui a pelo código 00012016092200053 Infraestrutura de Chaves Públicas Brasileira . esta deve ser feita por meio de elementos de material não condutor.42 Na utilização do cesto suspenso. pelo menos. 4. deve ser garantido pela Portaria n. pamentos. bem como de acionamento automático. igual a trinta metros por minuto (30m/min).2. d)limitador de altura de subida do moitão que interrompa a 4. e da seleção da categoria de cada componente levando b)data de fabricação.32 Quaisquer condições encontradas que constituam perigo 15.br/autenticidade. aprovada pela Portaria n.da NR-12. A inspeção deve contemplar no mínimo os itens da Lista de Verificação nº 1 Participantes: ______________________________________________________ __________________________________________________ pessoas no cesto suspenso deve possuir.27 Em caso de utilização de grua. d)modelo e número de identificação de caçamba que permita ções de risco e alerta. pneumática a)identificação do fabricante. consignado num documento a ser arquivado contendo o nome P nal de carga: _______ Capacidade máxima de ocupantes:_______ d) as cargas devem ser distribuídas uniformemente entre os legível e assinatura dos participantes. conforme especificado pelo fabricante. Art. ______________________________________________________ M dispositivos automáticos de interrupção de movimentos (dispositivo específicos. nentes de diferentes tecnologias (ex: mecânica. no 4.30 A equipe de trabalho é formada pelo(s) ocupante(s) do 12.33 As inspeções devem ser registradas em documentos 16. de 1º de tical do cesto suspenso de forma a garantir que se mantenha.Observações. o processo de E ___________(50% de 5(A)) uma ligação principal para a fixação ao gancho do moitão do equi.28 É obrigatório.34 A equipe de trabalho deve portar rádio comunicador Assinatura e data do Autorizador de Içamento de Pessoal X automaticamente e impeçam o movimento de cargas acima da ca.º 197. regra internacional. aprovada pelo Decreto-Lei n. por meio de sistema de segurança monitorado por interface em consideração a tecnologia usada. sendo proibida a utilização de grampos. i) os cabos e suas conexões devem atender aos requisitos da N A d) outros específicos associados com o içamento. de 17 de dezembro de 2010.Por que elas não _______________________________________ estão sendo usadas? norma ABNT NBR 11900 .31 A caçamba. O MINISTRO DE ESTADO DO TRABALHO.º 3. h)trava de segurança no gancho do moitão. i)cabos-guia para fixação do cabo de segurança para acesso à pela Diretoria de Portos e Costas . quando a grua não dispuser de coletor Básico de Segurança de Plataforma (NORMAM 24) e portar colete identificação e rastreamento previsto pelo INMETRO . do equipamento de guindar e o trabalhador ocupante do cesto.Finalidade do içamen- a) o sistema de suspensão de cabos com superlaços unidos p) dispositivo de parada de emergência. antes do uso. visibi- lidade. C 2. 8.(A) Capacidade nominal no raio de operação: do fabricante. de 16/06/2009.html. dentre outros envolvidos na operação. 6.1 A equipe de trabalho deve ser capacitada com Curso por meio de cabo de aço.Segurança no Trabalho em Máquinas e Equi- segurança monitorado por interface de segurança. por um trabalhador capacitado para esta inspeção. _____ guintes requisitos: o)aterramento elétrico. de evitar movimentos indesejáveis em caso de perda de pressão no pela equipe e não entrem em conflito com os já estabelecidos pela sistema hidráulico. suspenso.CLT. por meio de sistema de segurança monitorado por in.Identificação do cesto: ______________Capacidade nomi- pamento de içamento ou à manilha com porca e contra-pino.5. anos. e satisfazer aos se.Perigos antecipados (vento. to:_______________________________________ mecanicamente deve ser projetado com sapatilha em todos os olhais. 3. Documento assinado digitalmente conforme MP n o. Data da realização do içamento: PL de vento com velocidade igual ou superior a 35 km/h. e)alarme sonoro para ser acionado pelo operador em situa. os indicados pelo fabricante da caçamba e pelo Pro- fissional Legalmente Habilitado responsável técnico pela utilização do cesto. 7.º 5.Máquinas para Açougue e Mer- g)aterramento elétrico.1. Altera a Norma Regulamentadora n.200-2 de 24/08/2001. l)dispositivo instalado nas polias que impeça o escape aci. q)dispositivo limitador de velocidade de deslocamento ver- tical do cesto suspenso de forma a garantir que se mantenha. por meio de sistema de segurança monitorado por interface 4. com a seguinte de segurança. 8. os riscos e as medidas de proteção. imediatamente antes da movimentação. CIPA e dos representantes das Entidades Sindicais representativas da e)peso do cesto suspenso vazio (caçamba e sistema de sus.22 É proibida a utilização de correntes. balhador deve ser capacitado em código de sinalização de movi.452. Para operações específicas de transbordo em plataformas pliquem em mudança das informações constantes da placa de iden.Segurança no Trabalho em Má- e)dispositivo de tração de subida e descida do moitão que 4. c)capacidade de carga da caçamba em peso e número de de segurança.214/1978.Local ______________________________________Data: IO podendo ser utilizados para outras finalidades.2 Devem ser realizados procedimentos de adequação da Portaria INMETRO/MDIC nº 176. devem ser envolvidos na operação.20 Sempre que o cesto suspenso sofrer alterações que im. uma vez por dia.Peso total de içamento: ____________________________ DA f) manilhas. marítimas. se usadas no sistema de suspensão. quando utilizado guindastes.1 na Norma Regulamen- mínimo: 4. d)limitador de altura que permita frenagem segura para o e eletrônica).º 12 (NR12) . g)luz de obstáculo (lâmpada piloto). ou nós. devem ser corrigidas antes do içamento do pessoal. fixação devem ser inspecionados. outra condição metrológica que possa afetar a segurança dos tra.Regulamento elétrico. conforme análise de R 6. movimentação do cesto deve ser interrompida até que a comunicação aos Anexos VI Panificação e Confeitaria - f)ganchos com identificação e travas de segurança. . por meio de sistema de cargas elétricas ou em condições climáticas adversas ou qualquer tadora n. com 4. quinta-feira. tes do cesto e o operador de guindaste.DPC da Marinha do Brasil. 4. (7+ 8(B) (não além de 5(B) acima) do tipo com porca e contrapino. no máximo.Nº 183.41 É proibido o trabalho durante tempestades com des- a)limitador de momento máximo. DE 21 DE SETEMBRO DE 2016 E pacidade máxima do guindaste. o sistema de suspensão e os pontos de _________________________________________________ 13.21 O içamento do cesto suspenso somente pode ser feito torre. sendo arquivada por um período mínimo de 5 (cinco) pensão). risco. com redação dada b)limitador de carga máxima para bloqueio do dispositivo de balhadores.23 O sistema de suspensão deve minimizar a inclinação devido ao movimento de pessoal na caçamba e não deve permitir inclinação de mais de dez graus fora do plano horizontal. obrigatório para gruas de lança móvel ou retrátil. __________________________________________________ trava de segurança.37 Se houver interrupção da comunicação entre o operador impeça a descida da caçamba ou plataforma em queda livre (ban. Lista de verificação Nº 1 FORMULÁRIO DE PLANEJAMENTO E AUTORIZAÇÃO A L 4. k)anemômetro que emita alerta visual e sonoro para o ope. podendo ser adotado meio eletrônico. 10. com fitilho de identificação ou sistema para j)limitador de giro. 11. 4. N ________________(B) Carga máxima de içamento: c) todos os sistemas de suspensão de eslinga devem utilizar contemplando as atividades que serão desenvolvidas.38 Os sinais de mão devem seguir regras internacionais.Quais são as alternativas para este içamento de pessoal? ________________________ N meiro elemento. no uso das i)controles que devem voltar para a posição neutra quando 4. do Trabalho . distanciamento das redes energizadas. 4. resolve: 4. de mão devem ser afixados de modo visível dentro da caçamba e em atribuições que lhe conferem o inciso II do parágrafo único do art.gov. sinaleiro designado e supervisor da operação.39 Placas ou cartazes contendo a representação dos sinais liberados pelo operador. esta deve possuir. 1º Acrescentar o item 12.(A) Nº de ocupantes do cesto: _________________(B) Pe- e) o conjunto de cabos (superlaços) destinado a suspender a caçamba deve ter sua carga nominal identificada.ICP-Brasil.in.Supervisor de içamento de pessoal: g) deve haver um elemento reserva entre o gancho do moitão trabalho. 7. b)inspeção visual do cesto suspenso. no estabelecimento à disposição dos Auditores Fiscais do Trabalho. no mínimo: R D 4.26 O equipamento de guindar utilizado para movimentar a)anemômetro que emita alerta visual e sonoro para o ope- deste anexo. redação: Este documento pode ser verificado no endereço eletrônico http://www. o limitador de carga ou momento estiver atuando. categoria. (NR-12) . hidráulica.Peso do cesto: __________________________________ M pontos de sustentação do sistema de suspensão. cabos de fibras de vento com velocidade igual ou superior a 35 km/h.40 Dentre os ocupantes do cesto. no mentação de carga. seja restabelecida. por meio de sistema de segurança monitorado por interface de segurança.º 12 ascensão do mesmo ao atingir a altura previamente ajustada. E limitador de momento de carga) que emitam um alerta visual e sonoro 4. e VII .Instrução de pré-içamento _____________________________________[dia e hora] feita: E A estabilização da caçamba por auxiliar externo. a)reunião de segurança sobre a operação com os envolvidos.item DE IÇAMENTO DE CESTO SUSPENSO N 1.Raio de operação: _________________________(máxi- içamento: A b) o sistema de suspensão de cabos com conexões finais de 4. 14.35 Os ocupantes do cesto devem portar um rádio comu- c)indicadores de níveis longitudinal e transversal. m)limitador de curso de movimentação de gruas sobre tri- lhos. I d)confirmação de que os sinais são conhecidos de todos os so total (com equipamentos): _______________ 9. igual a trinta metros por minuto (30m/min). não n)limitadores de curso para o movimento da lança . a mo). pelo menos um tra- máximo. deve ser utilizada a cesta de transferência homologada tificação. a quinas e Equipamentos e dá nova redação guela).24 Os sistemas de suspensão devem ser dedicados.

definidas no su- como às normas técnicas vigentes à época de sua fabricação. uma chave de se. dois segundos quando a proteção móvel for acionada com a bacia espessura da massa. 2.38 a 12. dependendo do S a) mesa baixa: prancha na posição horizontal. quando uma única interface de segurança classificada. posicionado sobre o cilindro superior para evitar o b) amassadeira classe 2: amassadeiras cujas bacias têm vo. 12. operação (circuito de comando) em extra-baixa tensão.MÁQUINAS PARA PANIFICAÇÃO E CON. 2. 3º Esta Portaria entra em vigor na data de sua pu. Documento assinado digitalmente conforme MP n o.7. Tipo de máquina Microempresa e Empresa de Pequeno Porte superior.55 e seus subitens desta Norma 3.9 A temperatura máxima das superfícies acessíveis aos quação das máquinas já em uso. requisitos técnicos estavam indicados na Nota Técnica SIT nº 2. mento do dispositivo de parada de emergência.56 a 12.º 3214/1978. sendo gurança responsável pelo monitoramento de proteção móvel. Este anexo estabelece requisitos específicos de segurança vel e dos dispositivos de parada de emergência pode ser realizado por dos rolos cilíndricos. a tegoria 3 ou superior. g) batedor: dispositivo destinado a. no caso de amassadeiras. .6 da parte geral da NR12 que trata do arranjo físico das instalações. no mínimo. parada de emergência.11 As batedeiras de classe 2. como ta Portaria para os Anexos VI e VII representam os requisitos téc. vel e do dispositivo de parada de emergência pode ser realizado por Parágrafo único: As obrigações específicas apresentadas nes. 2. gurança com duplo canal. subitens e Anexo I desta Norma Regulamentadora. com atuador mecânico.4 As microempresas e empresas de pequeno porte do setor 4. monitorada por interface de segurança pode causar danos pessoais. alínea "b" i) proteção lateral: proteção fixa nas laterais ou conjugada medido em litros.1. utilizada como apoio para o operador manusear a massa. como A para máquinas de panificação e confeitaria.html. aprovada pela Portaria n. as seguintes denominações: tacho ou cuba. atendendo: tizados devem dispor de comando de ação continuada para o seu RONALDO NOGUEIRA DE OLIVEIRA acionamento. conforme os itens 12.2 Os dispositivos de movimentação vertical automa- PR parada de emergência. Batedeiras técnicos de construção relacionados à segurança da máquina. monitorada por interface de segurança classificada como ca. 3. no intertravamento das pro- c) as amassadeiras cujas bacias têm volume menor do que g) chapa de fechamento do vão entre cilindros: proteção que teções móveis. ou deverá ser atendido o disposto no item 12.38 a 12. b) prancha de extensão traseira: prancha inclinada em relação à base. usualmente vazia.MÁQUINAS PARA AÇOUGUE. 2. os sistemas de segurança aqui descritos para trabalho a ser realizado. alínea "b" deste anexo. ou na NR12 com redação dada pela Portaria 197/2010 e apresentem riscos de acidentes.gov. e) movimento de risco: movimento de partes da máquina que a) amassadeira classe 1: amassadeiras cujas bacias têm vo. dois 4.Máquinas para Panificação e Con.2. desde que não ultrapasse 2. devem ser instaladas duas por proteção. lume maior ou igual a 13l (treze litros) e menor do que 70l (setenta classificada como categoria 3 ou superior.5.44.2 Os conceitos e definições aqui empregados levam em 3.da Norma sionamento ou de esmagamento. ou alças.55 e seus subitens e Anexo I desta Norma Regulamentadora.56 a 12.38 a 3. fatiadoras para pães e categoria 3. h) zona perigosa do batedor: região na qual o movimento do manuseio do tipo carrinho manual ou similar para seu deslocamento.1 Não é obrigatória a observação de novas exigências f) zonas perigosas da bacia: zona de contato entre a bacia e 3. desta Norma Regulamentadora. por movimento de ro- tação.3 Caso sejam utilizadas chaves de segurança eletrome- lume maior ou igual a 70l (setenta litros). 2. versa.1. deve IRO cessar no máximo em dois segundos quando a proteção móvel for 1. d) distância de segurança: distância mínima necessária para 2. 2º Os Anexos VI .e VII .2. Situados entre a ao disposto no item 12.6. no mínimo. nados que giram em sentido de rotação inversa e comprimem a motor elétrico das máquinas especificadas neste anexo deve atender g) zona perigosa do batedor: região na qual o movimento do massa.2.2 O acesso à zona do batedor deve ser impedido por meio 3. trabalhadores deve atender ao disposto no item 12. devem possuir dispositivo do tipo carrinho fabricação. motor e polias. Tipo de máquina Serra de Fita Moedor de Carne Microempresa e Empresa de Pequeno Porte 3 meses 12 meses AÇ dora. independente da capacidade. com atuador mecânico.1 O cilindro sovador consiste principalmente de dois batedeiras. monitoradas Regulamentadora e aos requisitos das normas técnicas oficiais vi- TARIA por uma interface de segurança classificada como categoria 3 ou gentes na data da fabricação da máquina ou equipamento. se necessário. que institui a pelo código 00012016092200054 Infraestrutura de Chaves Públicas Brasileira . pamento. uma chave de se.3 As modeladoras. ou seja.37 e subitem 12. ÃO movimentos perigosos em tempo diferente. no mínimo. mesa baixa e a prancha de extensão traseira. globo ou c) cilindros superior e inferior: cilindros paralelos tracio- 1. 3.br/autenticidade.55 e seus subitens sidade de uma interface de segurança específica para o monitora- saber: na NR12 com redação dada pela Portaria nº 12/1983. conforme os itens 12. quando houver. desde que atendam aos requisitos técnicos de canal. de 3. previsto no subitem 6. a saber: amassadeiras.1 Em função do desgaste natural de operação dos com- ponentes. prancha de extensão traseira.11. bitem 3. sem a neces- segurança até então vigentes em um dos seguintes normativos. definidas no subitem 3. conforme itens 12.ICP-Brasil.8 As batedeiras dotadas de sistema de aquecimento por 94/2009. teções móveis. 3. OI b) amassadeiras classe 2 devem possuir.38 a 12. com a prancha de extensão traseira. superior. esforço físico do operador. por movimento de ro.7. panificação. modeladoras. seus anexos e suas alterações posteriores. leque ou paleta. ou o dispositivo de parada de emergência pode ser ligado nicos mínimos de segurança. importação ou adequação das máquinas e equipamentos. batedor oferece risco ao trabalhador. BARES E RESTAURANTES o disposto no item 12. uma chave de segurança 12.38 a 12. 3. garfo ou braço.108 desta Norma Regulamentadora e aos requisitos das normas Anexo ora aprovado.MÁQUINAS PARA PANIFICAÇÃO E CONFEI. cânicas. conforme os itens 12. 12. misturar os ingredientes e produzir a massa.5 As batedeiras de classe 2. desta Norma Regulamenta. tornando-a uniforme e na espessura desejada.1 O monitoramento do intertravamento da proteção mó.11. po. de mo- litros). corporais dos trabalhadores durante seu acionamento e movimentação ANEXO VII . e) volume da bacia: volume máximo da bacia.1 Para aplicação deste anexo consideram-se: 1. devem ser instaladas duas por proteção. também. e) volume da bacia: volume máximo da bacia.4 Os movimentos perigosos devem cessar no máximo em dica a distância entre os cilindros superior e inferior e determina a também ser denominado tacho ou cuba.2 deste anexo. lindros. c) as batedeiras cujas bacias têm volume menor ou igual a 5l (cinco litros) e sejam certificadas pelo INMETRO ficam excluídas da CE as mesmas das modeladoras de pães. a) amassadeiras classe 1 devem possuir um botão de parada ANEXO I de emergência. maior do que 18l (dezoito litros). laminadoras.5 Caso sejam utilizadas chaves de segurança eletrome. ou deverá ser atendido o disposto no item 12.2 O acesso à zona do batedor deve ser impedido por meio dificultar o acesso à zona de perigo.1 Deve haver garantia de que o batedor se movimente apenas com a bacia na posição de trabalho. Portaria 197/2010. acesso do operador à zona de perigo. no mínimo. Norma Regulamentadora. ser resistente para suportar os esforços solicitados e não deve gerar Batedeira 12 meses 2. ou seja. alínea "b".3 As zonas perigosas entre a bacia e os roletes. laminadoras. 4. nitoramento dos dispositivos de parada de emergência. se transformarão na massa após misturados pelo batedor.63 e seus subitens desta Norma Regulamentadora.7 As batedeiras classe 1 e 2 devem possuir um botão de Regulamentadora n. cujos e Anexo I desta Norma Regulamentadora. responsável pelo monitoramento de proteção móvel. conforme os itens 12. 1. namento ou esmagamento. a máquina de utilização industrial concebida para sovar massas de FEITARIA 2. advindas de normas técnicas publicadas posteriormente à data de os roletes de apoio.37. cada máquina são resultado da apreciação de risco. alínea "a". botões de parada de emergência. alínea "b" d) bacia: recipiente destinado a receber os ingredientes que desta Norma Regulamentadora.6 O circuito elétrico do comando da partida e parada do arame. 4. devem ser dotadas de proteções fixas ou proteções móveis categoria 3. monitorada por interface de segurança classificada como categoria 3 ou superior. alimentação 3. uma única interface de segurança classificada. as amassadeiras existentes e já instaladas poderão cessar os alínea "b" deste anexo. conforme os itens 12. ou deverá ser atendido da bacia. entendendo-se que o movimento perigoso dos rolos.44.1 Para aplicação deste anexo considera-se cilindro sovador BID ANEXO VI . comprimento e diâmetro 1. uma chave de segurança com duplo de modo a cortar a alimentação elétrica da interface de segurança blicação desta Portaria. monitorada por interface de segurança desta Norma Regulamentadora. conforme os itens 12. RT da aplicação desta Norma Regulamentadora quanto aos requisitos 4. nhos para farinha de rosca estão dispensadas de ter a interface de acionada. Art. gurança com duplo canal. deve ser dotada de proteção fixa ou meio de queima de combustível devem atender ao disposto no item CO modificações posteriores. ou seja. podendo o risco ser de apri- devem possuir pega. 2. Amassadeira Espiral 3. devem possuir dispositivo de movimentação vertical manual ou automatizado para retirada da ba- Amaciador de bife 18 meses Parágrafo único: Os prazos acima indicados não se aplicam aos fabricantes ou importadores de máquinas. sendo concedidos os prazos abaixo indicados para ade.1.6.200-2 de 24/08/2001. manual.5 segundos. Cilindro Sovador 4. estabelecidos pelo programa de avaliação da conformidade específico para estas máquinas. misturar os ingredientes e produzir a massa. classificada como categoria 3 ou superior.2 As máquinas de panificação e confeitaria não especi. podendo ter di.1.55 e seus subitens e Anexo I desta Norma Regulamentadora. h) indicador visual: mostrador com régua graduada que in- se transformam em massa após misturados pelo batedor. deste Anexo. no intertravamento das pro- RC ANEXO VI . publicada pela tação. no mínimo. serão consideradas em conformidade com o proteção móvel intertravada por.109 desta Norma cânicas. no mínimo. As máquinas fabricadas antes da pu. com duplo canal. 22 de setembro de 2016 12.1 O monitoramento do intertravamento da proteção mó- taria. no mínimo.55 e seus subitens desta Norma dros. ME blicação. bem versas geometrias e ser denominado. 3.6 As bacias das batedeiras de classe 1.10 O dispositivo para movimentação vertical da bacia deve IA Amassadeira 12 meses Regulamentadora. houver.2 Para cilindros dotados de esteira que conduz a massa de programa de avaliação da conformidade no âmbito do INMETRO b) batedeira classe 2: batedeiras cujas bacias têm volume para a zona de cilindragem. im.7 As amassadeiras devem ser dotadas de dispositivo de cia. intertravadas por. Este documento pode ser verificado no endereço eletrônico http://www.º 12 (NR12) .1 Para aplicação deste anexo consideram-se: de proteção móvel intertravada por. f) batedor: dispositivo destinado a. sem a 1. passam a vigorar com a redação constante no Anexo I desta Por. conforme itens 12. definidas no subitem 3.Máquinas para Açougue e Mercearia . com redação dada pela Portaria n. MERCEARIA. feitaria . homogeneizando os gases de necessidade de uma interface de segurança específica para o mo- ficadas por este anexo e certificadas pelo INMETRO estão excluídas fermentação e a textura. ou os dispositivos de parada de emergência podem ser cilindros paralelos tracionados que giram em sentido de rotação in- ligados de modo a cortar a alimentação elétrica da interface de se- PO moinho para farinha de rosca. teção móvel for acionada com a bacia vazia. podendo 3. usualmente medido em litros. As amassadeiras deverão ser projetadas para cessar os quaisquer riscos de aprisionamento ou compressão dos seguimentos LIZ Modeladoras 12 meses Demais máquinas 18 meses movimentos perigosos em no máximo dois segundos quando a pro. dendo também ser denominado gancho.1.38 a f) rolete obstrutivo: rolo cilíndrico não tracionado. as definições e proteções necessárias são devem atender aos requisitos técnicos de segurança relativos à pro- teção das zonas perigosas. mesa baixa. pode apresentar diversas geometrias. 54 ISSN 1677-7042 1 Nº 183. conta a atual tecnologia empregada no segmento. podendo 1.55 e seus técnicas oficiais vigentes na data da fabricação da máquina ou equi- Art. fatiadoras de pães e moi. manual ou similar para deslocamento da bacia a fim de reduzir o desde que atendam a Norma Regulamentadora nº 12.5 Para fins de aplicação deste anexo e das Normas Téc- receber. de 17 de dezembro de 2010.Segurança no Trabalho em Má- de proteção móvel intertravada por.63 e seus subitens quinas e Equipamentos.1. a) batedeira classe 1: batedeiras cujas bacias têm volume ER cificadas ou excluídas por este anexo e fabricadas antes da existência maior do que 5l (cinco litros) e menor ou igual 18l (dezoito litros).44. utilizado para dar ponto de massa.1 da parte geral desta batedor oferece risco ao usuário.º 197.1 As máquinas de panificação e confeitaria não espe. d) bacia: recipiente destinado a receber os ingredientes que Regulamentadora.2 Definições aplicáveis a Cilindros Sovadores de panificação e confeitaria ficam dispensadas do atendimento do item 12. podendo o risco ser de aprisio. monitoradas 13l (treze litros) e sejam certificadas pelo INMETRO ficam excluídas por uma interface de segurança classificada como categoria 3 ou impede o acesso do operador à zona de convergência entre cilin- da aplicação desta Norma Regulamentadora. que não possuam dispositivo para portação ou adequação. vimento livre. aplicação desta Norma Regulamentadora.4 Quando a bacia tiver elementos de fixação salientes que 3. cilindros.in. Utilizada para suportar e encaminhar a massa até os ci- nicas oficiais vigentes. quinta-feira.

retirando os re. Laminadora eixo dos cilindros e com mesmo comprimento. E segurança conforme figura 2. esta deve ser dotada. sem a neces.1 O acesso à zona perigosa dos rolos pela correia trans- desta Norma Regulamentadora.2 Na região da descarga dos pães. Fatiadora de Pães N T e por terem velocidades diferentes. perigo. com atuador mecânico.56 a 12. que a seguir será enrolada e alongada. bem como aos ou ser um dispositivo operado manualmente. posto nos itens 12. de modo móvel intertravada por.3 O cilindro sovador deve possuir distâncias mínimas de ficultar que as mãos e dedos dos trabalhadores alcancem as zonas de correia transportadora. 7. no intertravamento das para a entrada dos pães.55 e seus subitens e N 7. rotação sobre seu eixo de simetria.5º. enrola a massa já achatada pela passagem no conjunto de rolos. mantidas tensionadas gurança do cilindro sovador. exceto a entrada e giro dos cilindros tracionados deve ser impedida por sistema de se. conforme itens 12. con- nitoramento dos dispositivos de parada de emergência. por pres- E ficadas como categoria 3 ou superior.55 e seus subitens desta Norma Regulamentadora. conforme os itens 12.gov.38 a 12. bem como aos alínea "b". A 6.55 e Anexo I desta Norma X Regulamentadora. canal.55 e seus subitens desta 6.38 a 12.1 O monitoramento do intertravamento da proteção mó.4. Norma Regulamentadora. conforme os itens 12.38 a 12. gurança responsável pelo monitoramento de proteção móvel. d) dispositivo de alimentação: dispositivo que recebe os pro- dutos a serem fatiados e os guia para o local de corte.2.1. 7.2 O acesso ao dispositivo de corte deve ser impedido por todos os lados por meio de proteções. uma chave de segurança com duplo a ser comandado pelo operador e que se estende desde a mesa dian- limpeza de resíduos do cilindro inferior.38 a 12.200-2 de 24/08/2001.2. como a 12.1.2 O acesso à zona perigosa dos rolos. 7. sem a necessidade de uma interface de segurança específica para o mo- N devem ser instaladas duas por proteção. ou seja. deve ser im. uma chave de segurança com duplo vel e dos dispositivos de parada de emergência pode ser realizado por canal.2 O acesso à área entre o rolete obstrutivo e o cilindro alterando a distância entre seus eixos. o monitoramento do intertravamento das proteções móveis.25mm. utilizando.1. desta Norma Regulamentadora. por pres.. ou superior. e) dispositivo de descarga: dispositivo que recebe os pro- pedido por meio de proteções. podendo o risco ser de aprisionamento e Anexo I desta Norma Regulamentadora. sidade de uma interface de segurança específica para o monitora.63 e seus subitens INMETRO. bem como o Anexo I desta Norma 6. ou seja. que cortam por movimento oscilatório. uma chave de segurança com a impedir que as mãos e dedos dos trabalhadores alcancem as zonas duplo canal. bem como para impressão e corte da massa. que cortam pelo movimento em um único S I N alonga ou modela a massa já enrolada. na qual são recolhidos manual ou automaticamente os produtos S quando em operação. monitoradas por uma in- terface de segurança classificada como categoria 3 ou superior. que é retirado Tolerância nas dimensões lineares das proteções +/.1 Para aplicação deste anexo consideram-se: a) dispositivo de corte: conjunto de facas serrilhadas retas A c) correia transportadora alongadora: correia que.38 a 12. 22 de setembro de 2016 1 ISSN 1677-7042 55 j) lâminas de limpeza para os cilindros: lâminas paralelas ao Figura 2: Desenho Esquemático com as distâncias de se.38 C uma única interface de segurança classificada. teira.2. inclusive de panificação. 4. devem ser instaladas duas por proteção. com atuador mecânico. que se devem respeitar as distâncias de segurança. devem ser instaladas duas por proteção. sentido. 12. cânicas. Cilindro Laminador 5. podendo variar suas posições.4. exceto a entrada e saída dos por meio da correia modeladora transportadora deve possuir proteção pães. somente deve ser permitido quando o movimento do cilindro e) zona perigosa dos rolos: região na qual o movimento dos tracionado superior tenha cessado totalmente por meio de sistema de rolos oferece risco de aprisionamento ou esmagamento ao trabalha- frenagem. 7. ou deverá ser atendido o disposto no item 12.44.1 Caso sejam utilizadas chaves de segurança eletro. ou deverá ser atendido o disposto no item responsável pelo monitoramento de proteção móvel.2. ou por uma ou mais sionar a porção de massa contra a correia transportadora modeladora. colocada no início do processo. exceto a entrada e saída da massa. oferece risco ao trabalhador.1 O monitoramento do intertravamento da proteção mó. moni. devendo atender à regulamentação do desta Norma Regulamentadora.3 A fatiadora de pães não necessita de botão de parada de mento do dispositivo de parada de emergência. conforme os itens 12. na qual são depositados manual ou automaticamente os pro- dutos a serem fatiados. conforme os de perigo.in. classi- b) correia transportadora enroladora: correia que. no mínimo. alínea "b" P R 5.2.2. sionar a porção de massa contra a correia transportadora modeladora 8. podendo ter operação automática. manualmente.5 Quando a ligação for trifásica. 8. Documento assinado digitalmente conforme MP n o. intertravada por.55 e seus subitens desta Norma Regulamentadora.1 Para aplicação deste anexo consideram-se: para obter contato com a superfície dos cilindros. E A deles podem ser mudadas alterando-se a distância entre seus eixos de rotação. Modeladoras I desta Norma Regulamentadora. d) conjunto de rolos: conjunto de corpos cilíndricos que. conforme itens 12.1 O acesso à zona perigosa dos rolos para alimentação 8. ou deverá ser atendido o disposto no item 12. categoria 3. em que se devem respeitar as distâncias de segurança. passando pela zona dos rolos rotativos tracionados. não se aplica o dis- desta Norma Regulamentadora. no mínimo. quinta-feira. conforme itens 12.1 Para aplicação deste anexo considera-se cilindro lami- S lamentadora. os movimentos categoria 3. conforme os itens 12.2. b) mesa dianteira: correia transportadora na qual a massa é ou de esmagamento. por uma interface de segurança classificada como categoria 3 ou d) conjunto de rolos rotativos tracionados: conjunto de cor- superior. ou ser apenas um suporte fixo que recebe o produto. de forma a mudar a espessura tracionado superior. chave de segurança com duplo canal.38 a 12.2.55 e seus subitens desta Norma Regulamentadora. conforme os itens 12. 5.1.38 a 12. paralelas.44.55 e seus subitens pela conformação da massa. de uma proteções móveis. de forma a alterar a espessura da massa achatada pela pas- sagem entre eles. auxiliando a entre cilindros . no mínimo.Nº 183. no mínimo. responsáveis l) zona perigosa: região na qual o movimento do cilindro tegoria 3 ou superior. monitorada por uma interface de segurança.6 Os cilindros sovadores devem possuir dois botões de parada de emergência.55 e seus subitens desta Norma pos cilíndricos que. apresentam movimento de Regulamentadora.1 Caso sejam utilizadas chaves de segurança eletrome. ou seja. . com atuador mecânico.2 Nas laminadoras. devem ser instaladas duas por proteção. 4. deve haver proteção móvel intertravada .1 Os cilindros laminadores (de Pastelaria) certificados pelo INMETRO ficam dispensados dos requisitos estabelecidos neste anexo para o cilindro sovador. monitorada por interface de segurança.3 Quando utilizadas proteções móveis. conforme itens 12. no intertravamento das proteções móveis. deve ser im- 4.38 a 12. alínea toradas por uma interface de segurança classificada como categoria 3 "b" desta Norma Regulamentadora. conforme os itens 12. que garanta a parada imediata quando aberta a proteção dor. que institui a pelo código 00012016092200055 Infraestrutura de Chaves Públicas Brasileira .6. conforme o item 12.3. no mínimo. com atuador mecânico.2. dutivo. Tolerância nas dimensões angulares das proteções +/. 4. podendo ter operação automática. emergência. 4. possuindo sentido de vai e vem k) chapa de fechamento da lâmina: proteção fixa que impede o acesso ao vão entre o cilindro inferior e a mesa baixa. no intertravamento das pro. e Anexo I desta Norma Regulamentadora. correia transportadora.38 a 12.2.55. ou os dispositivos de parada de emergência podem ser A 7. ou se- ligados de modo a cortar a alimentação elétrica da interface de se. por exemplo. acionada. serras contínuas paralelas. PL elementos de transmissão das correias transportadoras. Regulamentadora.44. no intertravamento das devem cessar no máximo em dois segundos quando a proteção móvel proteções móveis.38 a 12.4 Entre o rolete obstrutivo e o cilindro tracionado superior a) correia transportadora: correia que transporta a porção de síduos de massa. 8. por exemplo.56 a 12. e c) região de carga: região localizada antes do dispositivo de corte.2. A L as zonas de perigo. apresentam movimento de rotação sobre seu eixo de simetria. ou o dispositivo de parada de emergência pode ser ligado perigosos devem cessar no máximo em dois segundos quando a de modo a cortar a alimentação elétrica da interface de segurança proteção for acionada. b) região de descarga: região localizada após o dispositivo de corte. E 6.55 e seus subitens desta Norma Regu- N 7. ou deve ser atendido o disposto no item 12.1 Para aplicação deste anexo consideram-se: gência deve ser realizado por interface de segurança específica ou a) correia transportadora modeladora: correia que transporta pode ser realizado por uma das interfaces de segurança utilizadas para a porção de massa em processo de enrolamento. moni- for acionada.por. utilizando. quando em operação. monitoradas sofreu conformação nos rolos rotativos tracionados. 7. no mínimo. em dutos já fatiados e os disponibiliza para o restante do processo pro- Figura 1: Representação esquemática do cilindro sovador. Este documento pode ser verificado no endereço eletrônico http://www. de modo a impedir que as mãos e dedos dos trabalhadores alcancem gurança mecânico.chapa de fechamento do vão massa em processo de conformação.56 a 12. R D e) zona perigosa dos rolos: região na qual o movimento dos rolos oferece risco de aprisionamento ou esmagamento ao trabalha- dor. no mínimo.1 Quando for utilizada a proteção móvel intertravada mecânicas. quando a distância entre as lâminas for inferior ou vel e do dispositivo de parada de emergência pode ser realizado por igual 12 mm. no mínimo.55 e seus subitens e Anexo I itens 12. um botão de M parada de emergência. A forme os itens 12. monitorada por interface de segurança classificada com ca. saída da massa. M 4. monitorada por interface de toradas por uma interface de segurança classificada como categoria 3 segurança.63 e seus subitens 8.html. c) mesa traseira: correia transportadora na qual a massa já teções móveis. observando-se que as posições relativas de alguns já fatiados. de modo a di.3 As laminadoras devem possuir. concebida para laminar mas- E cessar no máximo em dois segundos quando a proteção móvel for sas. um botão de Norma Regulamentadora. 6. os movimentos perigosos devem nador a máquina de uso não doméstico.44. portadora nas mesas dianteira e traseira deve possuir proteção móvel IO 4.38 a 12. protegido pela chapa de fechamento do vão entre da massa.1 Caso sejam utilizadas chaves eletromecânicas.55 e seus subitens desta ou superior. os movimentos perigosos dos rolos mecânicas.63 e seus subitens Anexo I desta Norma Regulamentadora.ICP-Brasil. alínea "b" desta Norma Regulamentadora. ja.1 Caso sejam utilizadas chaves de segurança eletro- 6. 8. elementos de transmissão da correia transportadora.3 As modeladoras devem possuir.2. elétrico ou eletromecânico que dificulte a burla.1. cilindro. 6.2 O acesso à zona perigosa dos rolos. 8.1. móvel intertravada. até a mesa traseira. a inversão do sentido de pedido por todos os lados por meio de proteções. conforme os itens 12. parada de emergência. em que se devem respeitar as distâncias de segurança. como 8.4 O monitoramento do dispositivo de parada de emer- DA 6.2 Nas modeladoras. ou ser um dispositivo operado manualmente. uma única interface de segurança classificada.br/autenticidade.

de 1º de mecânicas.º 34 (Condições e Meio possam vir a ser aplicadas.devem de superfícies. bares e restau- gência. mente habilitado destinado exclusivamente para tratamento e pintura a) dispositivo de moagem: conjunto de aletas que reduzem 2.1 . impacto transmitida ao trabalhador seja de no máximo 6kN quando ponsável pelo cumprimento desta Norma..5.. deformações ou sofrerem impactos de queda devem ser 2.38 a 12. mercearia. 4. que serve para guiar e b) emitir PT em conformidade com a atividade a ser de.. classi..38 a 12.4 Para fins de aplicação deste anexo e das Normas Téc.2 Quando forem utilizadas proteções móveis. no intertravamento das maio de 1943.. desta Norma Regulamentadora. (NR) com movimento pendular em relação à serra.9 Os movimentos perigosos devem cessar no máximo em Altera o item 35. no intertravamento das pro.1 O fabricante e/ou o fornecedor de EPI deve dis- ao disposto no item 12.. b) periódicas e rotineiras quando os elementos do SPIQ 2... b) adequados para a utilização pretendida.2.2 A mesa móvel deve ter guia que permita o apoio da Cabine de pintura: Local projetado por profissional legal- 9.. duplo canal. o sistema curso para que a proteção para as mãos não toque a fita..5... Anexo I desta Norma Regulamentadora.55 e seus subitens e Anexo I cordas.1. resolve: proteções móveis.. subitens e Anexo I desta Norma Regulamentadora.5. conforme Anexo I desta Norma Regulamentadora. (NR) gue... em normas técnicas nacionais ou. Art.CLT.3.5. 87 da Constituição Federal e os arts. 3. (NR) feriores de explosividade e de exposição estabelecidos na APR. de modo a não permitir defor. Norma Regulamentadora.SPIQ. a área somente deve ser liberada após autorização do profissional de ternacionais e de acordo com as recomendações do fabricante....38 a 12.Trabalho em Altura. atuando como proteção teções móveis. (NR) pensados de ter a interface de operação (circuito de comando) em 35. não podendo apresentar folga lateral que com.5... a) certificados.4 A abertura da zona de descarga deve impedir o alcance dos membros superiores na zona de convergência dos cilindros den- tados. (NR) motor elétrico das máquinas especificadas neste anexo deve atender Naval.. monitorada 35. considera-se amaciador de bifes a Art. . filtragem e con- b) região de descarga: região do dispositivo de moagem na 2. (NR) alterações: a) na aquisição.9...5 O circuito elétrico do comando da partida e parada do na Indústria da Construção e Reparação d) ajustados ao peso e à altura do trabalhador.. bros superiores à área dos cilindros dentados. 35. RONALDO NOGUEIRA DE OLIVEIRA por todos os lados por meio de proteções fixas ou móveis inter. 1º O item 35..3 Os elementos do SPIQ que apresentarem defeitos.. (NR) 1.3) para atender situações de emergência.6 A mesa móvel e o braço articulado . conforme os itens pode ser realizado por uma das interfaces de segurança utilizadas para o monitoramento do intertravamento das proteções móveis. (NR) PO programa de avaliação da conformidade específico para estas má. 35. Acessórios e Sistemas de Ancoragem da Norma Regulamentadora nº 35 (NR35) . constituído de materiais incombustíveis ou resistentes mecanicamente o pão torrado até a granulação de farinha de rosca. bares e restau- rantes não especificadas ou excluídas por este anexo e fabricadas antes da existência de programa de avaliação da conformidade no BID devem ser enclausurados por proteções fixas ou proteções móveis intertravadas.3 O bocal de alimentação deve impedir o acesso dos mem. 3º Esta Portaria entra em vigor na data de sua pu- c) região de carga: região do dispositivo de moagem na qual blicação. (NR) AÇ 3. BARES E RESTAURANTES 1.. MERCEARIA. devem ser instaladas duas por proteção.1 Antes do início dos trabalhos deve ser efetuada Ambiente de Trabalho na Indústria da Construção e Reparação Na- subitens desta Norma Regulamentadora... os riscos LIZ por uma interface de segurança classificada como categoria 3 ou superior.4 O SPIQ pode ser de restrição de movimentação.. de quinas.. 1.1 Caso sejam utilizadas chaves de segurança eletrome.55 e seus subitens desta Norma conforme os itens 12. .5 O SPIQ é constituído dos seguintes elementos: (NR) a) sistema de ancoragem. de 21/1/2011. A serra de fita deve possuir. (NR) ER 1.. novas..37. Ambiente de Trabalho na Indústria da Construção e Reparação Na. RC subitens desta Norma Regulamentadora.9. onde uma canaleta regulável publicada no D... a não inserção de mãos e dedos dos lamentadora.5. passa a vigorar com a seguinte redação: ME 9. 3.1) na impossibilidade de adoção do SPCQ.38 a 12. b) de sistema de proteção individual contra quedas .. c) ser selecionado por profissional qualificado em segurança 9. conforme os itens 12.5 O amaciador de bifes não necessita de parada de emer- tência às normas internacionais aplicáveis.Equipamentos de Pro- 9. de uma eventual queda.. mercearia.55 e seus subitens desta Norma Regulamentadora...200-2 de 24/08/2001.. para o corte de peças pequenas ou para finalização do 9. monitorada por interface de segurança. atuando como proteção fixa ou como pro.17 movimentação devem ser dimensionados para resistir às forças que camento da carne.1 O braço articulado deve ser firmemente fixado à es. a saber: serra de fita.1 Exceto em serviços realizados em cabine de pintura. (NR) mações ou flexões. atribuições que lhe conferem o inciso II do parágrafo único do art..2 O acesso ao dispositivo de moagem deve ser impedido corte da carne. no mínimo. Este anexo estabelece requisitos específicos de segurança para máquinas de açougue.1. conforme os itens 12...113. (NR) Este documento pode ser verificado no endereço eletrônico http://www. e) atender às normas técnicas nacionais ou na sua inexis- MÁQUINAS PARA AÇOUGUE..5.2) sempre que o SPCQ não ofereça completa proteção contra os riscos de queda.. no uso das os limites de uso. 35. de posicionamento no trabalho ou de acesso por 1. estas de.. em galmente habilitado. deve ser intertravado com a base por. OI rantes não especificadas por este anexo e certificadas pelo INMETRO 4.Glossário da Norma Regulamentadora n. (NR) A 4. Sistema de Ancoragem na Norma Regu- trabalhadores nas zonas de perigo. Documento assinado digitalmente conforme MP n o.1 Para fins deste anexo considera-se moedor de carne a (NR) estão excluídas da aplicação desta Norma Regulamentadora quanto máquina que utiliza rosca sem fim para moer carne. bares e restaurantes ficam dispensadas do atendi- mento do item 12.... moni.ICP-Brasil.5. aos requisitos técnicos de construção relacionados à segurança da 4. dotado de sistema de ventilação/exaustão. deve enclausurar o perímetro da fita ser.punhos .10 O monitoramento do dispositivo de parada de emer.1 Quando os cilindros dentados forem removidos jun- de parada de emergência..5. 2.2. (NR) deste anexo.1 O acesso ao dispositivo de moagem pela região de dois segundos quando a proteção móvel for acionada. do Trabalho . 9.. exceto para as serras com altura de corte não . Ancoragem e inclui o Anexo o Anexo II - e/ou geometria construtiva.2. (NR) 9. segurança.º 5. 155 e 200 da Consolidação das Leis 9. (NR) âmbito do INMETRO devem atender aos requisitos técnicos de se..5.CLT.. recusando-se os elementos que apresentem de- partes perigosas. bares e restaurantes. uma chave de segurança com O MINISTRO DE ESTADO DO TRABALHO.. de 1º de 35. por meio de distanciamento atendido o disposto no item 12. ou outra forma. 35.Equipamentos de Proteção Individual. 1º A Norma Regulamentadora n.. Serra de fita para corte de carnes em varejo (trabalhador e equipamentos) e os demais aspectos previstos no item 2. mercearia. aprovada pela Portaria SIT nº 200. (NR) superior a 250 mm.5.5. em conformidade com a análise de risco. de 20 de janeiro de 2011. 35.38 a 12..5 Sistemas de Proteção contra quedas (NR) canismos devem ser enclausurados por proteções fixas ou proteções 35. pelo res.. um botão de travadas.55 e seus subitens tra quedas sempre que não for possível evitar o trabalho em altura. gência deve ser realizado por interface de segurança específica ou vem ser intertravadas por.º 5. liberando apenas a área mínima de fita serrilhada para operação...Trabalho em Altura.º 34 (Condições e Meio feitos ou deformações.5.4 O moinho para farinha de rosca não necessita de botão do trabalho. 2º Inserir a definição de cabine de pintura no item 34. conforme itens 12. inspeção rotineira de todos os elementos do SPIQ.. .38 a 12.56 a 12.55 e seus subitens desta Norma Regulamentadora. 34... segurança e saúde no trabalho ou.. (NR) teções móveis intertravadas.. desta Norma Regulamentadora. ou seja. senvolvida... resolve: inspeções do SPIQ. carne lateralmente contra a guia regulável.... e ser rígido.11. ou seja. além dos riscos a que o trabalhador está exposto. de modo a impedir que as mãos e dedos dos trabalhadores parada de emergência. com atuador mecânico.... 35.37 e subitem 12. principalmente com osso.U.html.6. (NR) b... que institui a pelo código 00012016092200056 Infraestrutura de Chaves Públicas Brasileira . devem ser instaladas duas por proteção.Picador considerar a utilização: (NR) a) de sistema de proteção coletiva contra quedas . com a seguinte redação: deve ser dimensionado como de retenção de queda. impedindo o movimento das aletas com a máquina desmontada. exceto em serviços realizados em cabines de pintura. Acessórios e Sistemas de carga pode possuir proteção que garanta.7 O SPIQ deve ser selecionado de forma que a força de 2. aprovada pela Portaria nº 313. observados os limites in- utilizada para limitar a espessura do corte da carne.. com atuador mecânico.5.1 O SPCQ deve ser projetado por profissional le- gurança relativos à proteção das zonas perigosas.. diferença de nível.2.. 35..112.6 desta Norma Regulamentadora que trata do ar- ranjo físico das instalações.. no mínimo. O MINISTRO DE ESTADO DO TRABALHO.. teção móvel dotada de intertravamento..2. alínea "b" desta Norma Regu. os sistemas de segurança aqui descritos para Altera a Norma Regulamentadora n.1 Para fins deste anexo.. 3. degradação.4 A mesa fixa deve ter guia regulável paralela à serra fita.com anteparos para proteção das mãos.. na sua inexistência. conforme os itens 12...1 Os equipamentos de proteção individual devem ser: extra-baixa tensão..6 Na aquisição e periodicamente devem ser efetuadas 2. (NR) nicas oficiais vigentes.SPCQ.O.4 A abertura da zona de descarga deve impedir o alcance dos membros superiores na zona perigosa da rosca sem fim... DE 21 DE SETEMBRO DE 2016 CE (NR) 1..5.. 35. conforme os itens 12.5 As mesas de corte das máquinas fabricadas a partir de 24/6/2011 devem possuir uma parte móvel para facilitar o deslo. tamente com a proteção.3.. DE 21 DE SETEMBRO DE 2016 alcancem as zonas de perigo.... serra de fita... 2.3. PORTARIA Nº 1.. quinta-feira. passa a vigorar com as seguintes deslizante.3 d) ter resistência para suportar a força máxima aplicável ANEXO VII prevista quando de uma queda.1 Caso sejam utilizadas chaves de segurança eletro.2 O sistema de proteção contra quedas deve: (NR) a) ser adequado à tarefa a ser executada.3 O bocal..5.3. usadas e importadas. (NR) f) ter todos os seus elementos compatíveis e submetidos a uma sistemática de inspeção.452..2 As microempresas e empresas de pequeno porte de açou..1 Para fins deste anexo considera-se serra de fita a má. à exceção da área opera. (NR) IA cânicas.5.empurrador. (NR) b) elemento de ligação.55 e seus subitens desta Norma Regulamentadora. (NR) IRO cada máquina são resultado da apreciação de risco.. atribuições que lhe conferem o inciso II do parágrafo único do art..38 a 12.1 Para aplicação deste anexo consideram-se: carne na mesa e seu movimento de corte.1 da parte geral desta ponibilizar informações quanto ao desempenho dos equipamentos e S Norma Regulamentadora. aprovada pelo Decreto-Lei n....º 34 ... Condições e Meio Ambiente de Trabalho c) utilizados considerando os limites de uso..1 A mesa móvel deve ter dispositivo limitador do seu val). devem ser protegidos com proteções fixas ou pro. 35.63 e seus subitens PORTARIA Nº 1.1 É obrigatória a utilização de sistema de proteção con- por interface de segurança. ter manípulos .55 e seus desta Norma Regulamentadora. ao fogo. conforme itens 12. (NR) val).1 Havendo possibilidade de ocorrência de queda com 2. lamentadora n.38 a 12.6. 2. uma chave de segurança b) ser selecionado de acordo com Análise de Risco.5.in. Moedor de carne .3 O bocal de alimentação ou a bandeja devem impedir o b. da Constituição Federal e os arts... considerando a massa total aplicada ao sistema 2. (NR) 35. ou deverá ser teção Individual. ficadas como categoria 3 ou superior. conforme RT 35. 1.2 Devem-se registrar os resultados das inspeções: cional necessária para o corte da carne.. (NR) quina utilizada para corte de carnes em varejo.gov.38 a 12..8.6.. amaciador de bife e ÃO 3.br/autenticidade.2 Os movimentos dos cilindros dentados e de seus me- no mínimo. em normas in- prometa a segurança.5 . empurrar a carne e impedir o acesso da mão à área de corte. 22 de setembro de 2016 9.452..38 a 12.2.. no mínimo. 56 ISSN 1677-7042 1 Nº 183.55 e seus móveis intertravadas. no uso das duplo canal.5. 3. inutilizados e descartados.. exceto quando sua restauração for prevista trutura da máquina. c) equipamento de proteção individual.1 As máquinas para açougue..º 35 .1 As máquinas de açougue.5 . Art. máquina com dois ou mais cilindros dentados paralelos tracionados que giram em sentido de rotação inversa por onde são passadas peças de bife pré-cortadas.empurrador . CO toradas por uma interface de segurança classificada como categoria 3 ou superior.. forem recusados. conforme os itens 12. (NR) rilhada na região de corte. de 20 de janeiro de 2011.. PR 4. con- com duplo canal.8 Os sistemas de ancoragem destinados à restrição de 2. conforme o item 12.. uma chave de segurança com duplo canal. Moinho para Farinha de Rosca 2.. mercearia. na sua ausência. fica dispensada a aplicação do subitem 3. 155 e 200 da Consolidação das Leis 35.7 Deve ser utilizado dispositivo manual para empurrar a troles ambientais. o pão torrado é depositado manual ou automaticamente.3 O amaciador de bife e o moedor de carne estão dis. 34. qual é recolhida manual ou automaticamente a farinha de rosca. monitorada por interface de segurança..8.55 e seus 35.. monitoradas móvel intertravada dotada de. 3.. de 23 de março de 2012. se móvel.3 A seleção do sistema de proteção contra quedas deve moedor de carne. Os movimentos da fita no entorno das polias e demais maio de 1943.. (NR) Regulamentadora.3 Deve ser adotado braço articulado vertical . b. estabelecidos pelo ingresso dos membros superiores na zona da rosca sem fim..5. 87 12. Amaciador de bife do Trabalho .55 e seus subitens e Anexo I desta adicionais.44. conforme os itens 12... monitorada por interface de retenção de queda. siderando. e perpendicularmente à Art. aprovada pelo Decreto-Lei n....2 Os movimentos da rosca sem fim e de seus mecanismos nas seguintes situações: (NR) máquina.5. função de sua geometria.. aprovada pela Portaria SIT nº 200.