You are on page 1of 2

Dialética

Vinicius de Moraes
É claro que a vida é boa Tabacaria
E a alegria, a única indizível emoção Fernando Pessoa
É claro que te acho linda Falhei em tudo.
Em ti bendigo o amor das coisas simples Como não fiz propósito nenhum, talvez
É claro que te amo tudo fosse nada.
E tenho tudo para ser feliz A aprendizagem que me deram,
Mas acontece que eu sou triste... Desci dela pela janela das traseiras da
casa.

Todo o teu espaço
Mario Quintana Folhas de Relva
Quero todo o teu espaço Walt Whitman
e todo o teu tempo. Eu me planto no chão para crescer
Quero todas as tuas horas com a relva que eu amo:
e todos os teus beijos. quando vocês de novo me quiserem,
Quero toda a tua noite é só me procurarem
e todo o teu silêncio. debaixo das solas dos seus sapatos.

Alegria que ele quer Todos os Dias Você Joga
João Guimarães Rosa Pablo Neruda
Deus nos dá pessoas e coisas, Sobre ti minhas palavras choveram
para aprendermos a alegria... carícias.
Depois, retoma coisas e pessoas Desde faz tempo amei teu corpo de nácar
para ver se já somos capazes da alegria ensolarado.
sozinhos... Chego a te crer a dona do universo.
Essa... a alegria que ele quer Te trarei das montanhas flores alegres,
copihues, avelãs escuras, e cestas
silvestres de beijos.
Alegria de vive Quero fazer contigo o que a primavera faz
Clarice Lispector com as cerejas.
Só o que está morto não muda!
Repito por pura alegria de viver:
A salvação é pelo risco, Ah, Sim!
Sem o qual a vida não vale a pena! Charles Bukowski
Há coisas piores do que
ficar sozinho
Do sabor das coisas mas isso, frequentemente, leva décadas
Mario Quintana para ser percebido
Por mais raro que seja, e, geralmente,
Ou mais antigo, quando você percebe,
Só um vinho é deveras excelente: é tarde demais
Aquele que tu bebes calmamente e não há nada pior
Com o teu mais velho do que
E silencioso amigo... tarde demais.

A Minha Felicidade

Friedrich Nietzsche
Depois de estar cansado de procurar
Aprendi a encontrar.
Depois de um vento me ter feito frente
Navego com todos os ventos.

96. Rio de canto Janeiro. pág. posto que é encanto chama Dele se encante mais meu Mas que seja infinito enquanto dure. 1960. e com tal zelo. fim de quem ama De tudo ao meu amor serei atento Antes. e Eu possa me dizer do amor (que tanto tive): Que mesmo em face do maior Que não seja imortal. e sempre. angústia de Vinicius de Moraes quem vive Quem sabe a solidão. Quero vivê-lo em cada vão momento Vinicius de Moraes. E rir meu riso e derramar meu pranto Ao seu pesar ou seu contentamento . Soneto de Fidelidade E assim. Editora do Autor. quando mais tarde me procure Quem sabe a morte. pensamento. "Antologia E em seu louvor hei de espalhar meu Poética".