Dimensionamento de um armazém e Planeamento de rotas

Logística 2016 / 2017 FASES DO PROJETO Introdução ao Revisão Dimensionamento Planeamento Armazém Síntese trabalho bibliográfica de Rotas 2 .

Logística 2016 / 2017 INTRODUÇÃO AO TRABALHO OBJETIVO Planeamento e dimensionamento de um armazém e a programação das rotas de uma frota de transportes para entregar os produtos aos clientes 3 .

• Selecionar as estratégias operacionais. fotografia de: Mark Pettler É crítico para o sucesso das empresas que os armazéns sejam concebidos segunda uma perspetiva eficiente relativamente aos seus custos operacionais. 4 . • Determinar o layout de cada departamento. • Selecionar o equipamento. Logística 2016 / 2017 REVISÃO BIBLIOGRÁFICA CONFIGURAÇÃO DE UM ARMAZÉM Decisões a tomar para projetar um armazém: • Definir a estrutura conceptual do armazém. • Dimensionar o armazém e os seus departamentos.

Logística 16/17 REVISÃO BIBLIOGRÁFICA Meios de armazenamento: Estantes de prateleiras Semi-automático Automático Estantes de gavetas Fonte: armazém tradeboss Fonte: Fonte: imgur.com armazém amazon Fonte: armazém Ampro Inc 5 .

12] ROTEAMENTO . comopossivelmente demonstrado na revertendo Ilustraçãoum 3. retribuírem soluções ótimas. por exemplo na sequência i-j como ilustrado em 3 (b). uma. Em alternativa. custos e juntando todos eliminando obtida os pontos os trajetos junção de duas pela ligações junção estarem resultantes rotas emde de e duas rotasos juntando conectados. Ilustração Ilustração 43 -. – É então obtida uma rota de veículo resolvendo o TSP para cada cluster.resultantes de uma nova forma. trajeto baixo possível. ou mais. REVISÃO BIBLIOGRÁFICA Existem duas versões deste algoritmo. 11. Sweep algorithm (método de varredura): – Os clusters são determinados através da rotação de um raio centrado no ponto de partida (armazém). gradualmente uma quepodeconstrói solução serconsiderada um ponto mantendo gradualmente arbitrário. de cada apesar de não vez.também constróide –difícil Heurística O ponto inicial geralmente implementação. que diferem no número de rotas construídas Assim. são comumente utilizados métodos heurísticos: [6.aClarkeneighbour resoluçãoWright and do Savings: (vizinho problema Wright TSP é Savings: mais simétricopróximo): (Travelling um algoritmo Salesman heurístico Problem). Logística 16/17 Inicialmente na Ilustração 3 (a) os clientes i e j são visitados em rotas separadas. revertendo um ou mais.Lin-Kernighan: esta é geralmente considerada uma das heurísticas mais eficazes para Nearest Clarke Lin-Kernighan: and . desenvolvido emsendo 1964. estes são visitados com a mesma rota. 9. (Travelling De seguida Salesman o écusto básico é(2-opt) acrescentado desta Problem) aoo mais um caso especial simétrico. em quepróximo em cadaaetapa que se – obtido O conceito Em pretende Oé conceito cada um chegar. etapa básico trajeto básico éeexpressa obtido assim mais curto. o ponto do algoritmo mais λ-opt.Movimento Esquema doprevisto pelo conceito dealgoritmo poupança2-opt 6 11 . uma das mais simultaneamente o uma eficazes custo solução desta o para mais problemas mantendo baixo simultaneamente TSP –O algoritmo possível. a sequencial e paralela. expressa um sucessivamente adepoupança eliminando a poupança trajeto maisde pela ligaçõesobtida custos até curto. possivelmente uma nova apenas forma. emtrajetos apenas uma. 10.

Logística 16/17 DIMENSIONAMENTO DE UM ARMAZÉM 7 .

• 16 clientes espalhados por Portugal continental. • Entregas diárias entre as 8h e as 17h. sendo que dessas horas apenas 4h30 podem ser seguidas com 45 minutos de descanso. o tempo de condução não pode exceder as 9 horas ou 56 horas semanais. • A empresa possui camiões de capacidade útil de 15 e 25 toneladas de 3. • Carregamento dos camiões pode ser efetuado durante a madrugada. ambas as capacidades e um caso final de multiple shifting. 8 . Logística 16/17 PLANEAMENTO DE ROTAS Pressupostos: • Sede da empresa situada em Aveiro. apenas 25 toneladas.4 ou 5 eixos. • Vão ser analisados 4 casos de estudo: Roteamento apenas com camiões de 15 toneladas. • Por lei.

PT 16 259. 0.3 Castelo Branco.PT Lisbon.0 0:00 0.1 0:58 80.5 4:42 293.7 3:36 550.0 Guarda.0 0.0 Faro.0 1:46 342.9 278.1 4:52 555.Matriz percorrida e do custo 9 total da via .PT 15 15 4:42 525.2 0.0 382.8 381.0 3:28 382.9 1:18 313.0 Portalegre.2 3:23 363.PT 33 127.0 4:16 231.9 133.9 1:18 313.0 226.PT 44 1:06 97.7 277.6 132.5 .0 526.2 0:00 0.PT 15 525.3 2:53 248.2 4:26 476.5 4:42 293.0 2:25 226.9 3:51 440.8 0:58 80.0 3:42 365.8 3:28 381.6 4:09 426.3 Logística Lisbon.6 289.7 2:57 Oporto.1 3:03 318.6 227.3 Lisbon.1 0.0 1:33 162.3 2:12 224.PT Lisbon.5 164.3 Lisbon.1 132.7 0:00 0.8 .PT 11 11 2:52 290.9 133.0 306.6 1:24 132.7 0. 2:02 203.9 1:26 133. PT 11 141.PT Portalegre.3 226.-Matriz de encomenda Matrizdistâncias tempos seu.9 Viseu.0 0.3 1:31 159.PT 13 221.PT 16/17 12 290.1 1:28 160.1 Évora.PT 16 16 2:36 259.9 3:03 318.0 2:32 Saída.4 4:01 461.8 306.0 289. PT Aveiro Saída.0 5:33 619.PT Santarém.5 227.PT Évora.PT Castelo.PT 13 13 2:11 221.3 2:28 226.3 Lisbon.9 0:00 0.7 0:00 0.8 4:05 456.0 0:00 0.PT Faro.6 1:40 161.PT 14 14 3:31 379.6 224.8 2:39 306.1 80.0 2:38 306.5 Coimbra.8 3:23 363.7 2:32 277.0 0:58 82.7 3:28 355.1 160.6 5:12 600.0 2:56 289.2 3:27 415.9 3:38 384.0 4:45 526.9 2:34 278. 3:38 384.5 4:21 478.5 Santarém.PT 22 127.3 2:53 313.0 3:10 488.7 3:36 550.3 2:53 313.2 383.7 2:36 259.3 2:53 248.5 4:24 663.2 2:42 297.0 0:58 82.1 .PT 14 379.6 2:17 227.0 278.0 2:13 195.9 0.1 3:44 382.0 82.2 102.1 1:24 132.2 1:14 103.7 259.PT 11 290.0 Faro.7 0.PT iseu.PT 99 1:09 91.0 Portalegre.2 1:57 189.6 227.PT 88 0:55 74.2 1:14 102.6 161.6 2:56 289.1 0:00 0.7 2:32 277.0 82.9 1:26 133.PT 17 17 O primeiro método de cálculo daTabela distância total tempos 12 .6 3:44 382.0 0.PT 10 10 0:00 0.PT 77 1:42 170.9 Viseu.7 1:57 172.0 2:34 278.PT 11 11 12 12 13 14 15 16 17 84.5 2:02 203.5 2:19 227.6 3:02 317.3 3:27 343.5 1:21 138.5 3:17 Mirandela.7 5:57 315.6 2:17 227.0 0:57 253.7 277.1 1:30 426.PT 66 1:48 177.5 Santarém.6 2:19 227.1 2:22 252.5 1:06 95.2 103.0 0:00 0.5 1:42 164.PT Lisbon.6 4:09 361.7 2:57 Oporto.7 3:04 289.6 227.6 Braga.2 3:38 383.3 Viana do do Castelo.2 2:45 296.0 2:28 184.PT 12 12 2:52 290.PT 17 PLANEAMENTO DE ROTAS Localização dos clientes Matriz Matriz Tabela e distâncias Tabela tempos 11quantidade 12.4 Vila Real. 2:12 224.0 162.PT Real.1 Évora.0 2:28 253.3 5:27 622.8 80.0 2:12 406.9 2:57 319.PT 55 2:03 199.0 2:12 406.6 2:14 224.

Custo de Subcontratação da entrega de 5 ton "Aveiro . Subcontratação da entrega a Faro Custos Diários Nosso para a empresa = 485 € Custo Subcontratação = 340 a 480 € Ilustração 7 . O custo para satisfazer a encomenda de 5 toneladas a esse cliente é de 483 euros. poupanças a primeira rota ficaria apenas Aveiro – Faro – Aveiro com um tempo de viagem Logística uma de 8he30 minutos o que impede a adição de outro cliente perfazendo 16/17eficácia demasiadamente baixa para consideração.Faro" 27 10 . Em contrapartida o custo de subcontratar o envio da encomenda a este cliente ronda os 450 euros fazendo a simulação através da PLANEAMENTO freightos [12] e os DE plataforma 374 ROTAS euros simulando através da plataforma WorldFreightRates [13] pelo que foi tomada essa opção.

Sweep 11 . Clark & Wright Savings . Logística 16/17 PLANEAMENTO DE ROTAS Vão ser analisadas 3 heurísticas de Roteamento: . Vizinho mais Próximo .

Logística 16/17 PLANEAMENTO DE ROTAS FERRAMENTA Inputs: • Número do cliente correspondente. • Tipo de Camião. • Assinala eventuais não cumprimentos dos pressupostos. • Capacidade preenchida. Outputs: • Valores da distância entre cada localidade assim como o total por rota. • Necessidade de pausa do condutor. • Duração da viagem entre destinos e a duração total. • Distância total e o custo total da combinação de todas as rotas. • Hora de partida e chegada. 12 .

Logística 16/17 PLANEAMENTO DE ROTAS FERRAMENTA (DEMONSTRAÇÃO) Analisando a Rota 1 obtida pela heurística Clark & Wright: Aveiro Évora Portalegre Aveiro 13 .

Viana do Castelo .Braga . Logística 16/17 PLANEAMENTO DE ROTAS FERRAMENTA Rota 1: Aveiro .Aveiro Rota 6: Aveiro .Porto .Lisboa .Aveiro Rota 3: Aveiro .Coimbra .Vila Real .Portalegre .Évora .Lisboa .Aveiro 14 .Mirandela .Guarda .Porto .Santarém .Castelo Branco .Viseu .Aveiro Rota 5: Aveiro .Aveiro Rota 4: Aveiro .Aveiro Rota 2: Aveiro .

despacho. put-away. cross-docking e docas.16/17 Numa terceira e última fase era necessário definir como será expedido o produto. Diário 2 891 km 2 725 km 2 725 € 2 687 km Distâncias Anual 725 646 km 684 068 km 684 068 km 674 468 km Caso 3: Combinação de veículos. o tipo de prateleiras e a principal maquinariaLogística necessária. optou-se por comparar três heurísticas de roteamento. Todos os resultados obtidos encontram-se na Tabela 16. A heurística de Clark PLANEAMENTO DE ROTAS & Wright. a heurística do Vizinho Mais Próximo e a heurística Sweep. RESULTADOS Tabela 16 . Custos Clark & Wright Anual 467 876 € 460 968 € 445 092 € 431 339 € Caso 2: Veículos de 40 toneladas. receção. Foi definido também o tipo de layout. Não existindo uma maneira lógica e definitiva de obter o melhor conjunto de rotas de forma consistente. zonas de picking.Resultados obtidos em todos os casos analisados Caso 1 Caso 2 Caso 3 Caso 4 Diário 1 864 € 1 837 € 1 773 € 1 719 € Caso 1: Veículos de 26 toneladas. Diário 1 912 € 1 370 € 1 370 € 1 322 € Vizinho Mais Caso 4: Multiple Shifting Custos Próximo Anual 479 813 € 343 880 € 343 880 € 331 742 € Diária 3 027 km 2 026 km 2 026 km 2 163 km Distâncias Anual 759 752 km 508 548 km 508 548 km 542 975 km Diário 1 845 € 1 817 € 1 526 € 1 164 € Custos 463 046 € 456 161 € 383 060 € 292 113 € Sweep Anual Diário 2 836 km 2 679 km 2 283 km 2 429 km Distâncias Anual 711 846 km 672 344 km 573 008 km 609 801 km 40 15 .

SÍNTESE O que foi feito? Quais as nossas dificuldades? O que concluímos? 16 .

17 .