You are on page 1of 17

Maria Lúcia

Borges Gomes

0AB/MS 6161

EXCELENTÍSSIMO SENHOR DOUTOR JUIZ DA 2ª. VARA
DO TRABALHO DA COMARCA DE CAMPO GRANDE-MS;

PROCESSO Nº. 0000621-46.2013.5.24.0002
RECLAMANTE: ANDRÉ LUIZ RODRIGUES DE ABREU
RECLAMADA: T & K DISTRIBUIÇÃO DE JORNAIS E
REVISTAS LTDA- EPP.

T & K DISTRIBUIÇÃO DE JORNAIS E
REVISTAS LTDA.- EPP, pessoa jurídica de direito
privado, inscrita no CNPJ nº. 15.299.325/0001-94,
representada por seus sócios THIAGO CÂNEPA AMORIM e
KARLA CÂNEPA COUTO DE AMORIM, ambos qualificados
nos autos, residentes e domiciliados na Rua Santa Bárbara
nº. 446, Bairro: Vila Rica em Campo Grande - MS, por
intermédio de sua advogada e bastante procuradora, que a
esta subscreve, com escritório profissional sito à Rua
Coronel Zózimo, nº522., Bairro Coronel Antonino, Campo

Rua: Coronel Zózimo,nº.522, B. Coronel Antonino- Campo Grande –MS.
Fone: 3356-5142

Campo Grande –MS. sem justa causa.522. vem mui respeitosamente à presença de Vossa Excelência apresentar:. Fone: 3356-5142 . B. onde recebe notificações e intimações. Rua: Coronel Zózimo. Aduz que exerceu concomitantemente a função de fotógrafo com a função de técnico em informática durante todo o vínculo empregatício.000.05.00 (quarenta mil reais). o que faz pelos motivos de fato e de direito a seguir aduzidos: I – DOS FATOS DESCRITOS NA EXORDIAL Consta da inicial que o Reclamante é credor da empresa T & K DISTRIBUIÇÃO DE JORNAIS E REVISTAS da importância de R$ 40.000. sendo o responsável pela manutenção da parte de informática. relativas dividas trabalhistas.nº. não recebendo as verbas rescisórias. Maria Lúcia Borges Gomes 0AB/MS 6161 Grande – MS. Informa que trabalhou até o dia 06/01/2013.2012. em trâmite perante essa douta Vara. Alega o Reclamante que foi admitido em 01. com salário de 1. Coronel Antonino. CONTESTAÇÃO à RECLAMAÇÃO TRABALHISTA que lhe move ANDRÉ LUIZ RODRIGUES DE ABREU. entretanto aduz que somente foi registrado em sua CTPS em 01/08/2012. pois teve seu contrato rescindido.00 (hum mil reais) exercendo a função de fotógrafo.

B. II . Coronel Antonino. indenização do 467.DO DIREITO Partindo da premissa de que aquele que alega arca com o ônus da prova. liberação das guias de saque do FGTS + 40 % e do seguro desemprego ou indenização substitutiva.nº.Campo Grande –MS. Fone: 3356-5142 . o Reclamante terá que fazê-lo em juízo em tudo aquilo que declara ser procedente. Pleiteia a indenização a titulo de danos morais devido a retenção da CTPS no valor de 30 salários mínimos. III . afirmando que por conta das irregularidades acima faz jus a multa do 477. o pagamento do aviso prévio indenizado e ainda a liberação e ao pagamento de indenização a título de seguro-desemprego e indenização por perdas e danos decorrentes da contratação de advogado. além da multa prevista. Maria Lúcia Borges Gomes 0AB/MS 6161 Afirma que teve de fazer uso de seu próprio carro para se deslocar com a finalidade de prestar serviços para a Reclamada e requer o ressarcimento de R$ 500.DA DEFESA DA RECLAMADA Rua: Coronel Zózimo. ambos da CLT.00 (quinhentos reais) mensais da admissão até outubro de 2012.522. férias + 1/3 constitucional. 13° proporcional. Prossegue sua assertiva.

01. DO REGISTRO NA CTPS. . pedido por pedido. ocasião em que a empresa já estava passando por uma situação financeira bastante delicada. diante disso foi Rua: Coronel Zózimo. Coronel Antonino.00 (hum mil e trezentos reais).00 (hum mil reais) exercendo a função de fotógrafo. com remuneração fixa de R$ 1. . B.000. . IV – DO MÉRITO. DEMISSÃO E FUNÇÃO. . conforme documento anexado pelo Reclamante.08.522. Fone: 3356-5142 .2012.2013. com salário de 1. O reclamante foi contratado pela empresa reclamada na data de 01. por mês.300.05. DA REMUNERAÇÃO. Aduz que a data de seu afastamento se deu em 06. Importante esclarecer que a Reclamada.2012. lançou a ultima edição de sua revista em novembro.Campo Grande –MS. DA RELAÇÃO DE EMPREGO.nº. concomitantemente com a função de técnico. Maria Lúcia Borges Gomes 0AB/MS 6161 Quanto a Reclamada pelo princípio da concentração e eventualidade vem contestar o mérito. Alega o Reclamante que foi admitido em 01. para não restar precluso. para exercer a função de jornalista. motivo pelo qual o Reclamante foi demitido. entretanto aduz que somente foi registrado em sua CTPS em 01/08/2012. DA ADMISSÃO. pois não possuía mais condição de prosseguir.

a empresa estava em conjuntura muito difícil. do FGTS + 40% e a multa.Campo Grande –MS.nº. que os referidos salários. B. V . férias proporcionais+ 1/3.PERIODO 05/12 a 30/07 de 2012 Rua: Coronel Zózimo. motivo pelo qual foi obrigada a rescindir o contrato com o Reclamante. Sucede que não tendo verba para efetuar os referidos pagamentos. e com inúmeras tentativas frustradas para sanar o problema. não foi possível ser efetuado o pagamento.522. 13º salário proporcional. por motivos alheios a vontade da Reclamada. porém esta aberta para poder quitar o que realmente seja de direito do Reclamante dentro de suas possibilidades. haja vista a Reclamada encontrar-se em delicada situação financeira. . do seguro desemprego. pois. Maria Lúcia Borges Gomes 0AB/MS 6161 obrigada a encerrar as suas atividades laborais em 20 de dezembro de 2012. a Reclamada se viu impossibilitada de realizar a contento os pagamentos. No que tange ao pagamento de aviso prévio. Insta salientar.DA ALEGAÇÃO DE LABOR SEM ANOTAÇÃO NA CTPS. Fone: 3356-5142 . das verbas rescisórias. assim como as verbas rescisórias não foram pagos. Coronel Antonino. ao depósito do FGTS relativos ao período laborado.

nº. assertiva que de pronto é rechaçada. VI . Quanto a Reclamada pelo princípio da concentração e eventualidade vem contestar o mérito do pedido.522. porém informa que a anotação da CTPS se deu apenas em 01/08/2012. para não restar precluso. Coronel Antonino. tais cargos sempre foram ocupados por pessoas distintas. Maria Lúcia Borges Gomes 0AB/MS 6161 O Reclamante alega que começou a trabalhar na empresa Reclamada no dia 01/05/2012. 01/05/2012. bem como. não havendo labor no período em que alega. Contesta-se. Fone: 3356-5142 . o Reclamante terá que fazê-lo em juízo em tudo aquilo que declara ser procedente. momento em que o contrato de trabalho foi devidamente anotado na CTPS. qual seja. visto que na empresa Reclamada.Campo Grande –MS. razão pela qual não há que se falar em reconhecimento de vínculo empregatício do período de 01/05/2012 até 30/09/2012. todas as Rua: Coronel Zózimo.DO ACÚMULO DE FUNÇÃO O Reclamante afirma que durante o pacto laboral acumulou funções de fotógrafo e de técnico em informática. Excelência. Partindo da premissa de que aquele que alega arca com o ônus da prova. a empresa Reclamada declara que o reclamante foi admitido em 01/08/2012.. B.

B. posto que sempre desempenhou as funções enumeradas em seus registros junto à Reclamada. isto em horário diverso do contratual. concomitantemente.Campo Grande –MS. Maria Lúcia Borges Gomes 0AB/MS 6161 anotações referentes à vida profissional de cada obreiro lançadas na respectiva ficha de registro.522. não gera ao empregado o direito à diferença de salário. O fato de realizar circunstancialmente outras tarefas. A priori. o que não se vislumbra no caso em tela. O exercício de mais de uma função em decorrência de um único contrato de trabalho e dentro do horário de labor. Fone: 3356-5142 .nº. Ademais. Coronel Antonino. outra função na empresa. razão não assiste ao reclamante. em caráter eventual ou em parte de sua jornada. impende ressaltar que o acúmulo de função é caracterizado quando um trabalhador tem de executar as tarefas do cargo para o qual foi contratado e acumula. o desempenho de mais de uma tarefa pelo empregado encontra-se dentro do poder de atribuir as atividades a serem desempenhadas no emprego do jus variandi. não prevista no contrato de trabalho e que não se relaciona com o cargo para o qual foi contratado. senão vejamos: ACÚMULO DE FUNÇÕES. não constitui motivo para que lhe seja reconhecido um aumento salarial em total afronta ao preceito da Rua: Coronel Zózimo. Apesar de todas as alegações. em face da inexistência de amparo legal.

o Egrégio STF. Desta forma. conforme preceitua o artigo 14. 00503-2008-007-08-00-1. decidiu que a norma não Rua: Coronel Zózimo.906/94.DA REPARAÇÃO PELAS PERDAS E DANOS. B. Coronel Antonino. ALDA MARIA DE PINHO COUTO. RO nº. Relatora: Desembargadora Federal do Trabalho. devem ser rechaçados os pleitos formulados. VII . Maria Lúcia Borges Gomes 0AB/MS 6161 livre pactuação dos salários e do jus variandi. desvio ou acúmulo de função.nº. Ainda nesse diapasão. Antes de tudo necessário se faz deixar claro que. quais sejam: estar assistido por sindicato da categoria. E mais. da mencionada Lei. da Lei nº 8.584/70. o que.Campo Grande –MS. Fone: 3356-5142 . por outro ângulo não merece guarida o pleito de condenação em honorários advocatícios.522. Pleiteia o reclamante a condenação da reclamada ao pagamento de 30% de honorários advocatícios . no atinente à equiparação salarial. por si só torna impossível o deferimento do pedido em discussão. haja vista que o reclamante não atende aos requisitos entalhados na Lei nº 5. e perceber salário igual ou inferior ao dobro do mínimo legal ou encontrar-se em situação econômica de hipossuficiência. com base nos argumentos expostos nessa peça torna-se evidente que não há o que se falar em condenação da reclamada a pagar qualquer valor ao obreiro. manifestando-se a cerca da constitucionalidade do inciso I do artigo 1º. Quarta Turma do Egrégio Tribunal Regional do Trabalho da Oitava Região. caput e § 1º.

e ainda. posicionou-se no mesmo sentido a saber: “HONORARIOS ADVOCATICIOS.) Excelência é cediço que não cabe. primeiramente tendo em vista ser impossível pelo todo narrado se falar em sucumbência. em consonância com o entendimento sedimentado pela Corte especializada superior. Mesmo após a promulgação da Constituição da Republica de 1988.Campo Grande –MS.” (TRT 15º Região – 1º Turma – RO nº1704-1997-025-15-00-6- rel. Juiz Eduardo Benedito de Oliveira Zanella – J. sendo neste caso o título de reparação pelas perdas e danos. no caso em tela. Honorários Advocatícios.584/70.522.nº. Coronel Antonino. a condenação da reclamada em honorários advocatícios. e mais. permanece válido o entendimento consubstanciado no Enunciado 219 do tribunal Superior do Trabalho”. Não são devidos os honorários advocatícios na processualística trabalhista quando não cumpridos os requisitos preconizados na Lei nº 75. sob pena de afronta a jurisprudência firmada pelos Rua: Coronel Zózimo. o Colendo Tribunal Regional do Trabalho da 15º.1999. 09. e á Justiça do Trabalho e aos Juizados Especiais. B. Maria Lúcia Borges Gomes 0AB/MS 6161 se aplica aos juizados de pequenas causas. E ainda. o Colendo Tribunal Superior do Trabalho em seu Enunciado 329 asseverou que: “Enunciado 329. Artigo nº133 da Constituição da Republica de 1988.02. considerando o fato do reclamante não preencher as condições para tanto. Fone: 3356-5142 .

Fone: 3356-5142 .Retenção da CTPS Alega o Reclamante fazer jus à indenização por dano moral. é a presente para impugnar as alegações do reclamante no que se refere aos benefícios da gratuidade. sendo esta representatividade condição para a obtenção do referido benefício junto a Justiça do Trabalho.1970. Pleiteia o reclamante. VIII . Rua: Coronel Zózimo. da lei 5. B. Dessa forma. do Egrégio TST.Campo Grande –MS. Contesta-se.584 de 26. os benefícios da assistência judiciária nos termos da Lei nº 1. IX .06. sob o fundamento de que a sua carteira de trabalho foi retida pela Reclamada.DA INDENIZAÇÃO POR DANO MORAL . Coronel Antonino. Entretanto. Verifica-se da exordial que o reclamante está representado por advogado particular.DA GRATUIDADE DA JUSTIÇA. pois deixou de comprovar que está assistida pelo sindicato da categoria a que pertence.060/50.522. Maria Lúcia Borges Gomes 0AB/MS 6161 Tribunais especializados superiores. o reclamante não faz jus a tal beneficio. razão pela qual não faz jus ao beneficio pleiteado. ao texto sumulado no Enunciado 329.nº. conforme previsto no artigo 14. a Segurança Jurídica e ao Ordenamento Jurídico brasileiro.

08.2012. cumprindo as normas descritas na CLT. importante demonstrar a Vossa Excelência que a reclamada não fica de posse de documentos pessoais de seus funcionários. o Reclamante saiu do escritório da empresa com toda a documentação pessoal em mãos. Fone: 3356-5142 .522. que são: conduta. culpa. Tanto é verdade que o Reclamante esta de posse de sua carteira com as devidas anotações conforme documento anexado nos autos. TST . Deste modo não que se falar em dano moral por não estar de posse de sua CTPS e ainda por ficar impossibilitado de comprovar experiências e atividades profissionais. A conduta sob exame é a retenção da Carteira de Trabalho do Reclamante. que recebeu a sua CTPS em mãos. que convém ressaltar. assim como penalizar ao reclamada . Coronel Antonino. Ademais. B. Maria Lúcia Borges Gomes 0AB/MS 6161 Para que se configure o dever de indenizar. dano e nexo causal. Realizada a contratação no dia 01.Campo Grande –MS. necessário se faz a presença dos requisitos da responsabilidade civil. Oportuna nesse sentido a jurisprudência. alega ter sido retida no inicio do mês de maio até o dia que procedeu o registro.AGRAVO DE INSTRUMENTO EM RECURSO DE REVISTA AIRR Rua: Coronel Zózimo.nº. haja vista os fatos narrados não coadunarem com verdade. inclusive a CTPS.

devendo ser mantida a decisão denegatória do recurso de revista em demanda sujeita ao procedimento sumaríssimo. além da ocorrência do fato alegado. ademais. firmou sua convicção no sentido da inexistência de conduta culposa da empresa na retenção da Carteira de Trabalho da reclamante ou que o fato imputado lhe tenha causado abalo de ordem moral. Se dano moral tivesse Rua: Coronel Zózimo. PROCEDIMENTO SUMARÍSSIMO.522. é indispensável que se prove. Fone: 3356-5142 . na existência de prejuízo e na relação de causa e efeito entre a culpa ou o dolo e o prejuízo: Portanto. provocado pela voluntariedade da ação ou omissão do réu porque.nº. o que levou à confirmação da sentença de improcedência do pedido de indenização por danos morais. 5º . valorando fatos e provas. E é cediço. realmente.5. funda-se. INDENIZAÇÃO POR DANOS MORAIS. V e X . na culpa ou no dolo. da Constituição Federal . o nexo de causalidade entre esse fato e o efeito danoso de que se queixa o autor. na forma prevista no art. nunca é demais que se repita a responsabilidade civil. A moldura fática delineada no acórdão recorrido constitui impedimento processual ao reconhecimento de violação direta do art. A Corte Regional. Agravo de instrumento a que se nega provimento. RETENÇÃO DA CARTEIRA DE TRABALHO - CTPS.2011. Maria Lúcia Borges Gomes 0AB/MS 6161 1741620115090012 174-16. segundo a nossa lei.Campo Grande –MS.0012 (TST) Data de publicação: 16/12/2011 Ementa: AGRAVO DE INSTRUMENTO. impugna-se a pretensão do Reclamante em seu pedido de dano moral.09. da CLT . § 6º . que nas ações de indenização por ato ilícito com fundamento no artigo 186 do Código Civil. 896 . B. NÃO CARACTERIZAÇÃO DE ATO DANOSO DO EMPREGADOR. RECURSO DE REVISTA. Coronel Antonino.

Cumpre ao litigante demonstrar de forma cabal e contundente a lesão. [Acórdão n. conforme entendimento jurisprudencial do Tribunal Regional do Trabalho da 12ª Região/SC: DANO MORAL. Não se reconhece o dano moral se não ficar provada a existência de abalo na reputação do empregado. NÃO-RECONHECIMENTO. B.Publicado no DJ/SC em 08-10-1999] No mesmo sentido a acórdão proferido: DANO MORAL. sob pena de indeferimento do pleito.Juiz Marcus Pina Mugnaini – 03ª Turma . ou sequela moral originada de atos praticados por seu empregador. caso haja o arbitramento dos danos morais. os danos alegados.nº. o que não se admite.º 10436/99 . Embora não caiba a Reclamada julgar quanto vale a moral de seus empregados. o quantum pretendido refoge a qualquer princípio da razoabilidade. Coronel Antonino. não há como proceder a sua pretensão. Maria Lúcia Borges Gomes 0AB/MS 6161 havido. o que se mostra injusta. ensejadores da indenização postulada. Sendo do Reclamante o ônus da prova dos fatos constitutivos de seu direito.Publicado no DJ/SC em 16-03-2000] Não obstante. à luz do artigo 818 da CLT.522. INDENIZAÇÃO.Campo Grande –MS.º 2430/2000 . [Acórdão n. Fone: 3356-5142 . por sua vez não pode pretender o Reclamante utilizar-se do Judiciário para enriquecer ilicitamente como está pretendendo fazê-lo.Juíza Licélia Ribeiro – 01ª Turma . a fixação do quantum não pode causar uma satisfação Rua: Coronel Zózimo. data máxima vênia.

pois para efetuar os serviços prestados. o cálculo da média de gastos. ou seja. o enriquecimento sem causa. e diante disso.SEGURO DESEMPREGO Rua: Coronel Zózimo. 467 da CLT. assim como a multa prevista no art. É importante salientar que a Reclamada enfrenta uma crise financeira. motivo pelo qual não conseguiu saldar com todos seus compromissos.nº. Maria Lúcia Borges Gomes 0AB/MS 6161 econômica para a Reclamante. 477 da CLT. XII . Fone: 3356-5142 . pela média de gastos. B. Coronel Antonino. Em que pese as alegações do Reclamante não devem prosperar. 467 DA CLT Requer o Reclamante a indenização prevista no art. Insta salientar que deveria ser apresentado documentos que comprovem o valor pedido.522.Campo Grande –MS. pois entendesse que para tal tem-se que saber quais os locais onde prestava os serviços e quanto seria o valor que desembolsava para a realização. 477 E ART.DA MULTA PREVISTA NO ART. XIV .DO RESSARCIMENTO DOS GASTOS PRÓPRIOS Alega o Reclamante que fez uso de seu carro para se deslocar aos locais onde prestava serviços para a Reclamada sob ordens da mesma. o mesmo usava seu carro porque ele assim preferia. XIII . impugna-se tal pretensão assim como.

DAS FÉRIAS PROPORCIONAIS + 1/3 . do 13º salário proporcional. fato este que não pode prosperar em relação ao pedido. Cumpre ressaltar que a Reclamada.Campo Grande –MS.DO AVISO PRÉVIO . Nesse diapasão.522.DO 13º SALÁRIO PROPORCIONAL . assim como as verbas rescisórias não foram pagos. haja vista não possuir condições de prosseguir. a empresa estava em conjuntura muito difícil.DO FGTS + 40% Pleiteia o reclamante a condenação da reclamada no pagamento do aviso prévio indenizado. distribuiu a ultima edição de sua revista em novembro. B.DAS VERBAS RESCSISÓRIAS E LABORAS . Impugna-se. sabe-se que o seguro desemprego se recebe com 6 (seis) meses de trabalho. XV . Coronel Antonino. pois. Rua: Coronel Zózimo. Fone: 3356-5142 . Maria Lúcia Borges Gomes 0AB/MS 6161 Requer o Reclamante a condenação da Reclamada ao pagamento de indenização. esclarece a Reclamada que os referidos salários. por motivos alheios a vontade da Reclamada. perante isso viu-se obrigada a parar com as suas atividades laborais em 20 de dezembro de 2012. vez que o Reclamante trabalhou somente tem 5(cinco ) meses como editor de vídeo com a Reclamada. à título de seguro- desemprego. das férias proporcionais + 1/3.nº. Nesse diapasão.

devendo o mesmo ser condenado ao pagamento das custas processuais e demais cominações legais. porém esta aberta para poder quitar o que realmente seja de direito do Reclamante dentro de suas possibilidades. Maria Lúcia Borges Gomes 0AB/MS 6161 Diante do ocorrido. depoimento pessoal do Reclamante.nº. Protesta provar o alegado por todos os meios de prova em direito admitidos. o abatimento dos valores pagos sob o mesmo título. requer. ainda.DOS PEDIDOS Diante do exposto. pericial. 18 de outubro de 2013. Campo Grande. a Reclamada não tinha verba para efetuar os referidos pagamentos.Campo Grande –MS. documental. Coronel Antonino. e pelo que mais ficar provado no curso da instrução processual. Em caso de eventual condenação. testemunhal.522. XVI . Fone: 3356-5142 . pede Deferimento. Nesses termos. requer sejam rejeitados os pedidos do Reclamante. que desde já requer. se viu impossibilitada de realizar a contento os pagamentos. B. sob a cominação legal de confesso quanto a matéria de fato. e com inúmeras tentativas frustradas para sanar o problema. Rua: Coronel Zózimo.

pedido por pedido.522.DO DIREITO Partindo da premissa de que aquele que alega arca com o ônus da prova. Rua: Coronel Zózimo. Coronel Antonino. Quanto a Reclamada pelo princípio da concentração e eventualidade vem contestar o mérito. Fone: 3356-5142 .nº. o Reclamante terá que fazê-lo em juízo em tudo aquilo que declara ser procedente. B.Campo Grande –MS. Maria Lúcia Borges Gomes 0AB/MS 6161 MARIA LÚCIA GOMES BORGES OAB-6161/MS 3 . para não restar precluso.