You are on page 1of 2

EXMO. SR. DR.

JUIZ DE DIREITO DA 2ª VARA CÍVEL DA COMARCA DE
NILÓPOLIS

Processo 2000.241.022559-9

ANA MARGARIDA CARVALHO, nos autos do Inventário dos bens deixados
por JOSÉ SIMÕES GERALDO, vem, por intermédio da Defensoria Pública, manifestar-
se sobre o pedido de recolhimento de ITD sobre a renúncia de fls. 70, aduzindo o
seguinte:

Na verdade, trata-se de renúncia pura e simples aos demais co-herdeiros, não
importando, pois, consoante a regra do art. 1.582 do Código Civil, em aceitação, razão
pela qual não incide imposto inter vivos a título gratuito, como pretende a Fazenda, já
que dois herdeiros renunciaram a favor dos outros seis que sucederiam igualmente
caso não fossem mencionados seus nomes no termo de cessão.

Nesse sentido, salutar transcrever os ensinamentos dos Professores Sebastião
Amorim e Euclides de Oliveira sobre o tema:

Em caso de renúncia pura e simples à sucessão aberta, não é
devido o imposto inter vivos, pela simples razão de que não se operou a
transmissão dos bens ao renunciante.
A renúncia nada mais é do que a demissão da qualidade de
herdeiro, pelo repúdio à herança. Por isso não produz efeito de transmitir

No último. .Direito das Sucessões . como de direito. Nos dois primeiros casos. por desistência ou retratação da aceitação. e. podem ocorrer três situações diversas: a) renúncia pura e simples. Termos em que. b) renúncia tardia. pois a sucessão dá-se em favor de outros herdeiros sucessíveis. requer o prosseguimento do feito com a homologação da partilha e a expedição do competente formal. 13ª edição. pág. c) renúncia translativa. bens. considerando cumpridas todas as exigências legais não havendo que se falar em pagamento de qualquer imposto. além do imposto causa mortis pela inicial transmissão dos bens ao herdeiro. Nilópolis. 26 de novembro de 2002. pág.Teoria e Prática. 256) Isso posto. equivalente a cessão de direitos hereditários. 13ª edição. ou abdicativa. (in Inventários e Partilhas .Teoria e Prática. incidirá ainda o imposto inter vivos pela subseqüente transmissão do seu direito ao sucesso indicado como beneficiário da renúncia (e que não estivesse na linha sucessória normal). em favor de terceiro.Direito das Sucessões . só incide o imposto causa mortis pela transmissão da herança aos herdeiros remanescentes (excluído o renunciante). (in Inventários e Partilhas . como se o renunciante não existisse ou não tivesse direito à sucessão. pede deferimento. 256) Prosseguem os Autores em suas conclusão sobre a questão tributária: Em suma.