You are on page 1of 25

2015

Manual De Termos Técnicos Em Inglês Utilizados Na Área Agrícola

Autores
Glaúcia Luciane Menezes Cândido de
Paula-Engenheira Agrônoma
Especialista na área Técnica e Vivien
dos Santos Carneiro Lopes
Especialista em Inglês Instrumental.
10/01/2015

Autoras:
Gláucia Luciane Cham Menezes Cândido de Paula

Engenheira Agrônoma, especialista em manejo integrado de
pragas, Educação Técnica e Superior, docente e Coordenadora do
curso Técnico em Mecanização Agrícola na Escola Técnica
Estadual de Fernandópolis- SP e consultora agrícola.

Vivien dos Santos Carneiro Lopes

Licenciada em Letras: Língua Portuguesa e Língua Inglesa, Língua
Portuguesa e Língua Espanhola; Graduada em Pedagogia; Pós-
Graduada em Gramática e Literatura; Pós-Graduada em Educação
Infantil; professora da rede pública estadual e da Escola Técnica
Estadual de Fernandópolis-SP.

Gláucia Luciane Cham Menezes Candido de Paula A minha filha Victória por compreender a importância do meu trabalho para nossa família. Vivien dos Santos Carneiro Lopes . muitas vezes. em especial ao Meu filho Gabriel e meu marido Guilherme pela compreensão e.DEDICATÓRIA Dedico a minha família. pela minha ausência.

Com projeto intitulado Mecanização Agrícola Sem Fronteiras. É de suma importância o conhecimento da língua inglesa. realizou-se a tradução de alguns termos e palavras neste trabalho e com este intuito.DC. que é imprescindível o conhecimento da língua inglesa na utilização de máquinas agrícolas e. como nossos alunos. hoje. o qual abrange termos técnicos na área de agricultura geral relacionada com termos de máquinas e implementos agrícolas que em sua maioria e. pois sabemos. fomos selecionados e tivemos a oportunidade de nos capacitar para aplica-lo na forma de um Manual de Termos Técnicos aqui no Brasil. Sistemas Tratorizados I. no curso de Mecanização Agrícola. principalmente por parte dos estudantes. sendo assim este trabalho foi elaborado em conjunto com nossos alunos. dificultando o seu entendimento.INTRODUÇÃO O setor agrícola brasileiro participa ativamente do processo de globalização. e III. vem dos Estados Unidos. . especificamente na unidade de Fernandópolis–SP. mais especificamente em Washignton. devido à tecnologia aplicada. A leitura de artigos em Inglês muitas vezes se depara com termos técnicos e específicos. . por meio das aulas teóricas e práticas. o qual atua de forma interdisciplinar a outros componentes como Processos de produção Agrícolas I e II. possuem o Inglês instrumental. além dos componentes aplicados. troca de informações e resultados de trabalhos de pesquisa. vindo ao encontro das necessidades do dia-a-dia do nosso mercado de trabalho. aqui representado pelo acompanhamento da evolução dos projetos de máquinas e equipamentos. II. Eletricidade Básica dentre outros. Para tanto. Automação. A aplicação deste trabalho surgiu da oportunidade do Projeto de Intercâmbio do Centro Paula Souza que tem como finalidade proporcionar aos professores a oportunidade de aprimorar a Língua Inglesa nos Estados Unidos.

.Interpretar documentos. desenhos.Utilizar o inglês como ferramenta para o aluno desenvolver habilidades dentro da área especifica de sua atuação profissional. tanto possível.Internacionalização do ensino na área da mecanização agrícola. literatura técnica dentre outros. na compreensão e nas traduções técnicas de alunos.Preparar o aluno através do conhecimentos do idioma para o mercado de agribusiness. professores e técnicos de campo.OBJETIVOS E RESULTADOS ESPERADOS Objetivos: Este Manual de Termos Técnicos foi elaborado e organizado com a intenção de utilizá-lo principalmente como instrumento de trabalho e fonte de consulta. . . em suas modalidades oral e escrita. Deve-se utilizar este manual para prover uma melhora dos termos técnicos utilizados nas especificações corporativas de produto e processos. para que possa auxiliar. . RESULTADOS ESPERADOS: . manuais em língua inglesa. envolvidos direta ou indiretamente na área agrícola e com a terminologia técnica empregada nas áreas afins.

MERCADO DE ATUAÇÃO Ainda de acordo com o Plano de Curso.. bem como na logística de colheita e transporte da produção. executa o planejamento e o uso sistêmico de máquinas (veículos agrícolas). Atua na assistência técnica e comercialização de máquinas e implementos agrícolas. . De acordo com o Plano de Curso. bem como participa da elaboração e da execução de seus planos de manutenção e operação. usinas de açúcar e álcool e destilarias.. empresas concessionárias e de comercialização de acessórios e peças para veículos. Atua na execução dos processos de produção. Elabora documentação técnica. empresas de consultoria na produção agrícola.CONHECENDO O CURSO DE MECANIZAÇÃO AGRICOLA O Curso TÉCNICO EM MECANIZAÇÃO AGRÍCOLA é um curso pioneiro existente no Estado de São Paulo e implantado pelo Centro Paula Souza no município de Fernandópolis. empresas de transporte e logística agroindustrial. implementos. equipamentos e implementos agrícolas. Cumpre normas e procedimentos de segurança no trabalho. fazendas e cooperativas agrícolas. equipamentos e implementos agrícolas. empresas de manutenção de equipamentos agrícolas e oficinas mecânicas. verifica-se que o Profissional Técnico em Mecanização Agrícola poderá atuar nas seguintes áreas: Montadoras de máquinas. ainda. Atua no monitoramento de desempenho operacional e no gerenciamento de operações agrícolas mecanizadas. o profissional formado em nossa escola possui o seguinte perfil: . equipamentos (sistemas de controle) e frota automotiva. de trânsito e movimentação de cargas e preservação ambiental. tornar apto o profissional para que este possa atualizar-se e acompanhar a modernização do seguimento. visando atender à necessidade da economia local e.

Grain Harvester Colheitadeiras de Grãos . GLOSSÁRIO DE EQUIPAMENTOS MAIS UTILIZADOS Inglês Português Farm Equipment Equipamento Agrícola Attachments Implementos Balers Enfardadeiras . Colheitadeiras .Hay Harvester Colhedora de Feno .Corn Harvester . Colheitadeira de Milho . Fertilizante Forage Forragem Forage Wagon Vagão Forrageiro Grain Cart Carreta Graneleira Harvesters Colheitadeira.Cotton Harvester .Big Baler Enfardadeira de Fardos Grandes Chisel Plow Escarificador Combine Colheitadeira Combinada Cultivator Cultivador Drills Perfurador .Planting Drill Perfurador de Plantação Farm Trailer Reboques Agrícolas Fertilizer Adubo.Air Drill Perfurador de Ar .Baler-Square Enfardadeira de Fardos Guadrados .Baler-Round Enfardadeira para Fardos Redondos .Sugarcane Harvester Colhedora de Cana . Colhedora de Algodão .

Disc Chisel Grade Disco .Flex Header Plataforma Flexível Hoe Enxada .Skid Steer Loader Minicarregadeira Moldboard Plow Arado de Aiveca Mowers Segadeiras .Disc Mower Gadanheira de Discos .Disk Harrow Grade Aradora Planter Plantadeira Plow Arado .Rotary Hoe Enxada Rotativa .Rigid Header Plataforma Rígida .Spray Nozzles Bicos Pulverizadores Nutrient Applicator Aplicador de Nutrientes Offset Disk Grade .Flail Mower Segadeira Condicionadora .Rotary Tiller Enxada Rotativa Implements Implementos Loaders Carregadeiras .Mower Conditioner Segadeira Condicionadora Nozzles Bicos .Wheel Type Offset Disk Grade com Pneus .Headers Plataformas .Corn Header Plataforma de Milho .

Narrow Tractor Trator Estreito .Air Seeder Semeadeira Pneumática Self Propelled Autopropelido Shredder Triturador Spray boom Barra de pulverização Sprayers Pulverizadores . Tratores .Water Pump Bomba d’Água Reversible Plow Arado Reversível Ripper Escarificador Scraper Raspadeira Seedbed Sementeira Seeder Semeadeira . Tractors Trator.Self-Propelled Sprayer .. Pulverizador Autopropelido Subsoiler Subsolador Tedder Ancinho Enleirador Telehandler Manipulador Telescópico Thresher Trilhadeira .Stationary Thresher Trilhadeira Estacionaria Tractor.Utility Tractor Trator Utilitario .Plow Levee Arado Subsolador Pull Type De Arrasto Pumps Bombas .Pull Type Sprayer Pulverizador de Arrasto .Tractor Loader Backhoe Trator Retroescavadeira .

Pull-type Rotary Cutter Roçadeira de Arrasto .Hi Crop Tractor Tractor Pernalta. Tractor Cavaleiro .Track Tractor Trator de Esteiras Tractor Rotary Cutter Roçadeira para Trator .Row Crop Tractors Tractor Triciclo .Self Propelled Windrower – Segadeira Condicionadora Autopropelida ..Hydraulic Rotary Cutter Roçadeira Hidráulica Windrower Segadeira Condicionadora .

Bone yard – Local de estocagem para equipamentos ou máquinas velhas. Usada para suspender um lado de uma tora ou toras para reduzir a resistência de deslizamento e/ou transferir o peso de uma carga para o veículo de arraste. movimento morro acima que exige que o caminhão utilize marchas reduzidas. como plantio ou semeadura. . Brush cut – Remoção de vegetação de uma trilha. Brush a road – cobrir ou preencher buracos. Bobtail – Refere-se a caminhões de dois eixos. Backcut – Corte final na derrubada de uma árvore. usadas ou estragadas. GLOSSARIO DE TERMOS TÉCNICOS Accumulating shear – Cabeçote de corte em um feller-buncher. ao invés de horas trabalhadas ou outro método. capaz de acumular e segurar dois ou mais troncos cortados Adverse grade – No transporte rodoviário. Buck – Processar (torar) uma árvore já derrrubada em pedaços menores. Afforestation – Estabelecimento de plantações florestais através de métodos artificiais. picada ou árvore antes do trabalho propriamente dito. Anchor cable – linha de fixação de torre de cabos aéreos para evitar inclinação durante o deslocamento de uma carga pesada. locais alagados e outras depressões em estradas de colheita para torná-la transitável por veículos. Busheling – Sistema de pagamento das equipes de colheita por produção. em terras onde não cresciam florestas. Arch – Peça de suporte puxada atrás ou montada em um veículo de arraste.

Kingpin – Pino da “quinta-roda” utilizado para conectar o caminhão ao reboque. Day rate – Método de pagamento por dia ou hora. Flagging – faixa de plástico colorido amarrado em árvores ou estacas para tornar limites. Crawler – Trator operando com esteiras ao invés de rodas. que circunda um fogo para prevenir que atinja mais material combustível. Multifunction machines (máquinas de múltiplas funções). Machine availability – É expressa como uma percentagem do tempo operacional programado. ao invés por produção. transmitido para o solo e computado por unidade de área de contato entre o rodado (pneus ou esteiras) e o solo. Machine rate – Custo por unidade de tempo referente à propriedade e operação de uma máquina ou equipamento de colheita. Highway truck – Caminhão transportando carga sem exceder o limite legal da rodovia. In-shift repair time – Parte do tempo de pausa mecânica quando a máquina estiver sofrendo reparos mais o tempo durante o qual a máquina esteve esperando para ser reparada. Flotation – Capacidade do dispositivo de transporte de resistir ao afundamento no meio onde esteja trafegando. durante o qual a máquina não está em reparos ou revisão.Cable – Cabos de aço utilizados como linhas em sistemas de transporte por meio de guinchos. Single function machines (máquinas de única função). Drawbar horsepower – Potência na barra de tração. por peças ou por mecânicos. Fire line – Área limpa de vegetação. Dealer – Negociante. postes e outros sinais visíveis. Ground pressure – Peso de um veículo em condições específicas. Mesmo que “repair time. Chain saw – Motosserra. concessionária de máquinas e equipamentos. . estendendo-se até o solo mineral. menos perdas por fricção e patinagem no mecanismo de direção e nas esteiras ou pneus.

Machine utilization – É expressa como uma percentagem do tempo operacional programado que é tempo produtivo. Preventive maintenance – Medidas de manutenção feitas adiantadamente para evitar a ocorrência de quebras. pausas mecânicas ou operacionais. lubrificação ou reparos.H. Out-of-shift repair time – Parte do tempo não operacional no qual a máquina está sofrendo reparos.Scheduled machine hour. abastecimento ou lubrificação. movendo-se. durante o qual a máquina não pode trabalhar. . Technical life length – Tempo desde quando a máquina entrou em operação até não ser mais utilizada em nenhuma atividade. Mechanical delay time – Parte do tempo operacional programado gasto em reparos ou serviços. Scheduled nonoperating time – Tempo quando nenhuma produção é programada para a máquina. Service time – Tempo normalmente gasto com manutenção. Off-highway truck – Caminhão de manuseio de cargas excendendo o tamanho legal e as restrições de peso das rodovias. expresso em horas. tempo de espera para reparo e tempo gasto com abastecimento. Hora máquina programada.M. exigências de manutenção ou falha de potência. lubrificação ou revisão. . Normalmente. Road – Acesso e rota de transporte para veículos. realizados na máquina enquanto ela estava em reparos.Machine down-time –Tempo durante o qual a máquina não pode produzir ou realizar um trabalho auxiliar por causa de quebra. Repair time – Soma do tempo de reparo efetivo. em reparos. lubrificação e manutenção preventiva. abastecimento. Productive machine hour – Tempo durante as horas operacionais programadas quando a máquina desempenha sua função. abastecimento. Idle time – Tempo não operacional no qual a máquina não está trabalhando. S. Operating time – O tempo durante esse período pode ser tanto produtivo ou tempo de atraso. Exclui o transporte da máquina. a unidade para a duração da vida técnica é “tempo produtivo”.

sementes comerciais contour farming – terraceamento cover crop . fertlizante.galpão.Agricultura agrochemical .rotação de culturas.Waiting repair time – Tempo durante o qual a máquina está esperando por um mecânico.agroquímico. termo de conotação neutra. termo de conotação negativa alternate cropping . mas destinada a render lucro caterpillar – lagarta Chile saltpeter . plantio na resteva aphid. doença que se abate sobre mudas em condições de umidade excessiva. agrotóxico. aphis – pulgão auction – leilão barn . Inclui o tempo gasto com o transporte da máquina para e da oficina. produto químico usado em agricultura. paiol bed – canteiro cash crop .tombamento. TERMOS LIGADOS A AGRICULTURA GERAL Agriculture . defensivo agrícola. . planta de cobertura crop – safra crop rotation . agronomist – agrônomo agrotoxin . pesticida.rotação de culturas.produção agrícola.salitre do Chile.cultivo de cobertura. não para subsistência do agricultor. (33%) de nitrato de sódio NaNO3 e (66%) de nitrato de potássio KNO3 commercial seeds . plantio na resteva damping off . peças de reposição ou equipamentos de reparo.agrotóxico.

estiagem earth – terra earthworm – minhoca environment . campo firewood – lenha float.direct seeding .enchente. cultura hidropônica.fertilizante.fábrica de ração fertilization – fertilização fertilizer . floating .meio-ambiente erosion – erosão farmer . plantação. flood .seca.sementes geradoras frost – geada .cultivo duplo drought .plantio direto dirt road . alagar foliar retention .estrada de terra disease – doença double cropping . adubo field . fazendeiro farmers' union .hidroponia. sistema de produção de mudas em bandejas plásticas.sindicato de plantadores farming – agricultura feedmill .agricultor.lavoura. plantador.retenção foliar forage – forragem foundation seeds . As mudas flutuam numa lâmina de água previamente fertilizada. que dispensa o uso do gás brometo de metila e reduz a necessidade de fungicidas.

tempestade de granizo harrow . a ciência e a arte de cultivar frutas. crescer grower – plantador growth – crescimento hail – granizo hailstorm .sementes híbridas Indian summer .cultivar.veranico de maio insecticide – inseticida intervention stocks .adubação verde.estoques reguladores irrigation – irrigação .safra de grãos green manure .herbicida horticulture . colher herbicide .fruit .colheita.grade. esterco grow . flores e plantas ornamentais husbandry .OGM (organismo geneticamente modificado) grafting – enxerto grain crop .qualquer trabalho decorrente de agricultura hybrid seeds . verduras.horticultura. gradear harvest . rastelo.frutas fungicide – fungicida germination – germinação GMO (genetically modified organism) . ancinho.

peletização.formiga cortadeira leafhopper .equipamento de proteção individual .arado. pé plantation . defensivo agrícola (as called by the chemical industry). lavoura plant science – fitotecnia plow . recobrimento da semente com materiais inertes para formar uma pílula e facilitar o masuneio durante a semeadura pest control . mould – mofo mosaic virus . agrotóxico (as called by the environmentalists) plant .estrada pavimentada pelletizing .pesticida.cobertura morta paper pot .cultivo mínimo minimum tillage .agricultura de baixo carbono manure – esterco minimum cultivation .virus do mosaico mulch .cigarrinha (Empoasca sp.planta.herbicida pós-emergente poultry farming – avicultura PPE (personal protective equipment) . arar post-emergence herbicide .controle de pragas pesticide .cultivo mínimo mold.leaching – lixiviação leaf-cutting ant .plantação.vaso de papel (usado alternativamente no cultivo de mudas) paved road .) lodging – acamamento low-carbon agriculture .

análise de solo soil management .precipitação pluviométrica reforestation – reflorestamento ridge – camalhão ripe – maduro root – raiz root knot – nematóide saltpeter – salitre seed – semente seedbed – canteiro seeding plant .chuva. chover rain gage – pluviômetro rainfall . minifundiário smallholding – minifúndio snail – lesma soil – solo soil analysis .planta geradora de sementes seeding rate .adubação de cobertura smallholder .pre-emergence herbicide .densidade de semeadura seedling – muda side dressing .manejo do solo sowing – semeadura .herbicida pré-emergente production input – insumos prune – podar rain .pequeno agricultor.

debulhação.adubação de cobertura tower silo .pulverizar.assistência técnica terracing – terraceamento threshing .verduras.resteva.cultivo em faixas.formiga cortadeira variety . soqueira subsistence farming .silo vertical transplant – transplantar transplantation – transplante truck – caminhão umbrella ant . densidade timetable – cronograma top-dressing .spacing – espaçamento spade – pá spray .lavoura de subsistência stun . pulverizador spray boom . palhada. separação do grão tillage .preparo do solo. hortaliças viral disease – virose .variedade. cultivar vegetables .barra de pulverização spray mix .estado de compactação do solo. plantio em faixas stubble . cultivo tillering – perfilhamento tilth .debulha.calda (para pulverização) strip cropping .insensibilizar (o animal para o abate) technical assistance .

previsão do tempo weed control .controle de ervas daninhas wind storm . render .tempestade de vento.viroid .curso d'água weather .virus causador de doenças em plantas watercourse .tempo (clima) weather forecast .rendimento. vendaval wire worm .verme arame yield . ventania.

3p. Terminology – whole tree chips. 259 p..[. Washington.C. 1977 April 17-19. DUTROW. LaRoe. Washington. L. 130 p. W. REFERÊNCIA BIBLIOGRÁFICA ALLISON. BROMLEY.. Danville. 5 p. Technical Paper nº 80-A-12. Steve. Standard definitions for machine availability and utilization. In: McMillin. MI: American Society of Agricultural Engineers. Eugene. 33 p. Steve. George F. Inc. Pulpwood production. 1979. maintenance. E. D. Machine time. Department of the Interior.. C. Logging practices.W. 5p. American Pulpwood Association. 1968. LA. 1970. 103 p. 1981. Joseph. American Pulpwood Association. DC: U. 1978. Terms of the trade. 750 p. William. Use of bark residues. CA: Miller Freeman Publications. principles of timber harvesting systems. Report nº FWS/OBS- 79/31. American Pulpwood Association.M.S. Technical Release 71-R-13. Fish and Wildlife Service. MI: American Society of Agriculture Engineers. Washington. 416 p. 192 p. Classification of weatland and deepwater habitats of the United States. New Orleans. A handbook for the forest products industry. DC: American Pulpwood Association. Technical Release 81-R-42. 1972. Joseph. American Society of Agricultural Engineers. Washington. 2 p. Complete tree utilization of sothern pines: Proceedings of a symposium. Economic management opportunities to increase timber sup´lies in Southern United States. CARTER. San Francisco. IL: Interstate Printers and Publishers. WI: Forest Products Research Society: 6-14. The forester’s wood energy handbook. Madison. COWARD. Richard C. 1973. Washington. DEAN.T.S. St. F. OR: Random Lengths Publications. and cost-terms and concepts. DC: American Pulpwood Association. DC: American Pulpwood Association. 1976. Timber cutting practices. . Inc. utilization. St. 1980. CA: Miller Freeman Publications. American Pulpwood Association. DC: American Pulpwood Association. 1967. 1979. CONWAY. ed. APA/TAPPI adhoc Committee on Whole Tree Chips.. 1978. EVANS. San Francisco. CONWAY. V.S. Agricultural Engineers Handbook nº 271. GOULET.

Mississippi producers dealers: who drew the short stick? Timber Harvesting. 33(2):31-33. Connie Long. 1985. .ESTES.

ANEXOS .

.Fotos dos alunos durante algumas das atividades realizadas por meio do projeto interdisciplinar.