You are on page 1of 31

Capítulo 1

DEFINIÇÕES FUNDAMENTAIS,
NATUREZA DE SINAIS E FORMAS
DE ONDA

DEFINIÇÕES, NATUREZA, SINAIS E FORMAS DE ONDA

1. INTRODUÇÃO

2. CORRENTE, VOLTAGEM E POTÊNCIA

3. NATUREZA DA TENSÃO E DA CORRENTE

4. CARACTERÍSTICAS GERAIS

5. GRANDEZAS CARACTERÍSTICAS

6. FUNÇÕES SINGULARES

7. EXERCÍCIO

2

DEFINIÇÕES, NATUREZA, SINAIS E FORMAS DE ONDA

1. INTRODUÇÃO

Objetivos:

1. Recordar as definições básicas da eletricidade e da
natureza da tensão e da corrente;

2. caracterizar sinais como função de tempo:

Esses sinais traduzem o comportamento no tempo das
grandezas voltagem ou corrente das fontes independentes
de excitação dos circuitos. Uma grande variedade de sinais
pode ser encontrada, nas diversas áreas de engenharia.
Boa parte deles pode ser composta através de uma
combinação de funções básicas do tempo, conhecidas como
“Funções Singulares”. 3

tensão.d E q d Obs.distância = qE. o sentido da corrente é do + para o -. Assim: WAB VA  VB VA VB   E. F=qE é a força necessária para o deslocamento da carga q no campo elétrico E. 4 . positivas ou negativas (corrente real.: como trabalho=força. VOLTAGEM E POTÊNCIA Corrente elétrica: Fluxo de cargas. Unidade: volt  V = 1 J/C.d vem que. 1V é o trabalho realizado para deslocar uma carga de 1C por uma distância “d”. pela distância d. em um campo elétrico “E”. corrente convencional). diferença de potencial (ddp). q t dq i  lim  q   idt unidade: C/s = Ampère  A dt t 0 t t 0 Voltagem. NATUREZA. CORRENTE. Uma vez que a corrente adotada é a convencional (cargas positivas). SINAIS E FORMAS DE ONDA 2. DEFINIÇÕES.

VOLTAGEM E POTÊNCIA O trabalho realizado para mover uma carga q é: f W W  fd .dw  Vdq   p V dt dt assim. Através do conceito de valor médio de uma função. é: p  v. t )   p(t )dt   v (t )i (t )dt t0 t0 5 . CORRENTE. NATUREZA. mas f  qE e V  Ed  d . DEFINIÇÕES.i(t)  potência instantânea. portanto: W (t0 . SINAIS E FORMAS DE ONDA 2.i é fornecida pela fonte e absorvida pela carga p(t) = v(t).i Unidade: J/s = watt  W Convenciona-se: p = + v. a Potência (que é o trabalho realizado na unidade de tempo). q q dw dq vem que : W  Vq. define-se: t 1 Potência Média = P t  t0  p(t )dt t0 t t E a energia cedida à carga é.

NATUREZA DA TENSÃO E DA CORRENTE A corrente (assim como a tensão) pode também ser classificada como contínua e alternada: 6 . DEFINIÇÕES. SINAIS E FORMAS DE ONDA 3. NATUREZA.

NATUREZA. CARACTERÍSTICAS GERAIS DOS SINAIS a) Periodicidade e frequência. b) Simetria. SINAIS E FORMAS DE ONDA 4. c) Continuidade.DEFINIÇÕES. 7 .

Como exemplo de sinais periódicos tem-se xt   sent  . CARACTERÍSTICAS GERAIS DOS SINAIS a) Periodicidade e frequência: Periódicos  s(t )  st  KT  . SINAIS E FORMAS DE ONDA 4... DEFINIÇÕES. ou ainda a onda quadrada da figura abaixo: 8 .2.1. K=0. NATUREZA.. Aperiódicos  não é válido o critério acima onde T é denominado “período”. com período T=2.

número de ciclos por segundos. em radianos por segundo: 2    2   f  rad / s  T 9 . CARACTERÍSTICAS GERAIS DOS SINAIS a) Periodicidade e frequência: A frequência é definida como o inverso do período: f  1 Hz  T É especificada em Hz. É definida ainda a frequência angular. ou. NATUREZA. SINAIS E FORMAS DE ONDA 4. DEFINIÇÕES.

tem-se o pulso centrado na origem. DEFINIÇÕES. SINAIS E FORMAS DE ONDA 4. como mostrado abaixo: 10 . CARACTERÍSTICAS GERAIS DOS SINAIS Como exemplo de sinal aperiódico. NATUREZA.

b) Figura a Figura b 11 . DEFINIÇÕES. NATUREZA. SINAIS E FORMAS DE ONDA 4. a) Impar  S(t)=-S(-t) (fig. CARACTERÍSTICAS GERAIS DOS SINAIS b) Simetria: Par  S(t)=S(-t) (fig.

DEFINIÇÕES. SINAIS E FORMAS DE ONDA 4. NATUREZA. CARACTERÍSTICAS GERAIS DOS SINAIS b) Simetria: Par  S(t)=S(-t) (função cosseno) Impar  S(t)=-S(-t) (função seno) 12 .

DEFINIÇÕES. S(t)=Sp(t)+Si(t) como. NATUREZA. mas qualquer função pode ser representada como a soma de um componente par com um ímpar. CARACTERÍSTICAS GERAIS DOS SINAIS Nem toda função pode ser caracterizada como par ou ímpar. por exemplo: onde: S (t )  S p (t )  Si (t ). SINAIS E FORMAS DE ONDA 4. S (t )  S p (t )  Si (t ) 13 .

DEFINIÇÕES. S (t )  S p (t )  Si (t ) de onde se tira que:  S p (t )  S (t )  Si (t )    Si (t )  S (t )  S p (t )  14 . em: S (t )  S p (t )  Si (t ). SINAIS E FORMAS DE ONDA 4. CARACTERÍSTICAS GERAIS DOS SINAIS ou. NATUREZA.

CARACTERÍSTICAS GERAIS DOS SINAIS c) Continuidade: Se em t=T um sinal f é descontínuo. na figura a: f(T 1 )  f(T 1 ) A  f(T 2  )  f(T 2  )  A E. Definem-se: f (T )  lim f (T  ). 0 0 Figura a Assim. A=0. DEFINIÇÕES. sendo: f(T+)-f(T-)=A amplitude (altura) da descontinuidade. não havendo descontinuidade. … f (T )  lim f (T  ). NATUREZA. 15 . SINAIS E FORMAS DE ONDA 4.

c) Valor médio. SINAIS E FORMAS DE ONDA 5.DEFINIÇÕES. 16 . d) Valor de crista. GRANDEZAS CARACTERÍSTICAS a) Constante de tempo (função exponencial). b) Valor eficaz. NATUREZA.

Considerando- se: t f (t )  Ke TC . SINAIS E FORMAS DE ONDA 5. DEFINIÇÕES. GRANDEZAS CARACTERÍSTICAS a) Constante de tempo (função exponencial) : -Define quão rapidamente decai um sinal.3678794 f(0) Tc constante de tempo 17 .e-1 =K/e =0.p/t=Tc  f(Tc)=K. NATUREZA. p / t  0 .p/ t=0  f(0)=K .

valor eficaz: 1 T 2   vrms    0 v (t )dt T  Exemplo:   1/ 2 1/ 2 1  1   0    T /4   3T / 4     T0 A2dt  A T /4 2 3T / 4 2 T 2 f rms ( A) dt A dt ( A) dt  T T  18 . DEFINIÇÕES. SINAIS E FORMAS DE ONDA 5. NATUREZA. GRANDEZAS CARACTERÍSTICAS b) Valor RMS (root mean square).

GRANDEZAS CARACTERÍSTICAS b) Valor RMS. valor eficaz de sinal senoidal: 1/ 2 1  vrms    T0 v 2 (t )dt  T  Exemplo: st   V pico sent  1/ 2 1 T 2  V pico vrms    0 s (t )dt   T  2 19 . DEFINIÇÕES. SINAIS E FORMAS DE ONDA 5. NATUREZA.

valor médio (valor médio de um sinal periódico. ou. em um período ):  1 T na onda senoidal da figura 1: vdc  0 vd c   0 v(t )dt T na onda senoidal da figura 2: vdc  0 Figura 1 Figura 2 20 . SINAIS E FORMAS DE ONDA 5. DEFINIÇÕES. NATUREZA. GRANDEZAS CARACTERÍSTICAS c) Valor cc (DC).

DEFINIÇÕES. Exemplo em sinal senoidal: st   V pico sent  1/ 2 1 T 2  V pico vrms    0 s (t )dt   T  2 Logo: V pico  2  vrms 21 . NATUREZA. SINAIS E FORMAS DE ONDA 5. GRANDEZAS CARACTERÍSTICAS d) Valor de crista (ou de pico): valor máximo de um sinal periódico senoidal após excluído o seu valor médio (dc).

SINAIS E FORMAS DE ONDA 6. FUNÇÕES SINGULARES As funções singulares são definidas para aplicações em que os circuitos que ligam fontes ao restante da rede sofrem chaveamentos que alteram as excitações na mesma. 22 . podem ser compostos linearmente para sintetizar sinais mais complexos. DEFINIÇÕES. NATUREZA. Através de funções singulares sinais definidos de forma matematicamente simples.

FUNÇÃO DEGRAU Essa função é chamada de degrau unitário e é caracterizada por: U(t)=0. NATUREZA. SINAIS E FORMAS DE ONDA 6. t ≥ 0 23 . FUNÇÕES SINGULARES 6.1. t< 0 U(t)=1. DEFINIÇÕES.

t-a<0. a função degrau deslocada no tempo de um intervalo a.e. t≥a E. t<0 U(-t) U(t)=0. t-a≥0.. t>0 24 . FUNÇÕES SINGULARES 6. i. para tempo negativo: U(t)=1. NATUREZA.1. é: U(t-a)=0. FUNÇÃO DEGRAU Com base na definição. SINAIS E FORMAS DE ONDA 6. DEFINIÇÕES.. i.e. t<a U(t-a)=1.

DEFINIÇÕES. como.1. FUNÇÃO DEGRAU Usando as propriedades de ampliação e deslocamento no tempo da função degrau. por exemplo: 25 . SINAIS E FORMAS DE ONDA 6. muitas outras funções podem ser construídas. NATUREZA. FUNÇÕES SINGULARES 6.

SINAIS E FORMAS DE ONDA 6. FUNÇÕES SINGULARES 6. FUNÇÃO RAMPA É definida como:  (t )  t . NATUREZA. t  0  (t )  0.2. DEFINIÇÕES. t  0 ou ainda:  (t )  t u(t ) 26 .

FUNÇÕES SINGULARES 6. FUNÇÃO RAMPA Por analogia. t  a 27 . DEFINIÇÕES. NATUREZA.2. SINAIS E FORMAS DE ONDA 6. t  a  (t  a )   ou :  (t  a)  (t  a)u(t  a)} 0. verifica-se que a função rampa deslocada pode ser definida como: t  a.

SINAIS E FORMAS DE ONDA 6. p / t  0 Propriedades:  a)   f (t ) (t )dt  f (0) . NATUREZA. DEFINIÇÕES.3 FUNÇÃO IMPULSO (FUNÇÃO DELTA-UNITÁRIO) Originária da mecânica quântica.  (t )  0. p / t  0 b)  (t )  u´(t )  u(t )  ´(t ) 28 . já que:  (t )  0. É definida através da equação:     (t )dt  1. FUNÇÕES SINGULARES 6.

NATUREZA. a função impulso deslocada. FUNÇÕES SINGULARES 6.3 FUNÇÃO IMPULSO (FUNÇÃO DELTA-UNITÁRIO) Analogamente. SINAIS E FORMAS DE ONDA 6. é: 29 . DEFINIÇÕES.

NATUREZA. a partir de funções singulares 30 . SINAIS E FORMAS DE ONDA 7.DEFINIÇÕES. EXERCÍCIO Compor a função mostrada na figura abaixo.

SINAIS E FORMAS DE ONDA 7. EXERCÍCIO – SOLUÇÃO: Pode-se observar graficamente que a composição das funções abaixo. = S(t)=2(t-1)u(t-1)-2(t-2)u(t-2)-2u(t-2) 31 ------------------------------------------------------ . DEFINIÇÕES. resulta na função pedida. NATUREZA. cuja representação matemática está abaixo.