You are on page 1of 13

A HISTÓRIA DA GEOMETRIA: DA PLANA A ESPACIAL E SUAS TECNOLOGIAS

Danielle dos Santos Rodrigues1
Dênis Carrard Ledur2
Greyce dos Santos Rodrigues3
Priscila Augusta de Quadros Scoot Hood4
Agostinho Serrano de Andrade Neto5

Resumo: O presente artigo consiste em uma reflexão histórica e tecnológica a respeito de Educação Geométrica,
buscando o desenvolvimento na área da geometria plana e espacial, por meio do ensino e aprendizagem. O
objetivo da pesquisa foi de apresentar uma reflexão da história da Geometria a ser desenvolvida por professores
como forma de subsidiar a aprendizagem geométrica, além facilitar o processo de ensino e aprendizagem.
Considera-se pertinente abordar conceitos geométricos, e suas tecnologias através desta temática, pois além de
contribuir para o ensino da Geometria Plana e Espacial, tendo por base o desenvolvimento da Matemática,
também serve de incentivo para a aprendizagem dos alunos, possibilitando a reflexão no ensino da Geometria
Plana e Espacial e de suas tecnologias.

Palavras-chave: Geometria. História. Tecnologias. Matemática.

INTRODUÇÃO

Esta pesquisa, consiste em uma reflexão histórica e tecnológica acerca da Educação
Geométrica, a qual possibilita evidenciar o desenvolvimento da Geometria Plana e Espacial,
bem como de suas tecnologias. Além, de propiciar condições favoráveis de apropriação e
competências essenciais ao aprendizado da Matemática, sendo que, através das tecnologias
digitais e materiais manipuláveis desenvolva-se as habilidades lógicas por meio da Geometria.
Nesse sentido, a proposta de desenvolver, ao educando uma reflexão sobre a história
da Geometria, denota também a importância do desenvolvimento de ensino e aprendizagem
na prática docente que leve em conta a participação efetiva dos alunos, por meio da
Geometria, na produção do saber escolar. Daí a necessidade do conhecimento Geométrico e
de suas tecnologias, as quase servem de aporte para o conhecimento desta área, pois estamos
1 Mestranda de Ensino de Ciências e Matemática/ULBRA. danielle_santosrodrigues@hotmail.com

2 Mestrando de Ensino de Ciências e Matemática/ULBRA. dendecledur@hotmail.com

3 Mestranda de Ensino de Ciências e Matemática/ULBRA. greyce.s.r@hotmail.com

4 Mestranda de Ensino de Ciências e Matemática/ULBRA. prihood@hotmail.com

5 Doutor em Física quântica, professor do Programa de Pós-Graduação em Ensino de Ciências e Matemática da
Universidade Luterana do Brasil

e atrativa. ou em outras áreas do conhecimento.imersos num mundo repleto de formas onde as ideias geométricas estão presentes seja nas artes. AS PRÁTICAS GEOMÉTRICAS AO LONGO DA HISTÓRIA A geometria está presente em nosso cotidiano desde os mais remotos registros da humanidade. mas sim através de recursos como à utilização de softwares como recursos didáticos que sirva de ferramenta para a criação de figuras geométricas. . buscando a apropriação desta temática por intermédio de recursos que auxiliem no desenvolvimento de conteúdos Geométricos. A reflexão sobre o contexto histórico da Geometria. através de uma reflexão histórica no processo educacional. possibilitando a aprendizagem significativa dos conteúdos geométricos. visto que seus métodos para resolver problemas de medições assemelham-se aos que utilizamos hodiernamente. Devida essa ideia de comparação. muitas vezes deixa-se de lado as práticas de egípcios e babilônicos na resolução de problemas relacionados à ela. os quais possibilitam um estudo centralizado na Geometria Plana Espacial e servem de aporte para outras áreas do conhecimento. como recursos que possibilitem ao educando não utilizar unicamente o uso do lápis e papel. As representações do homem primitivo. o entendimento acerca de seu significado tem se modificado. por meio da área da Geometria Plana Espacial. sabe-se que a utilização de materiais concretos. Roque e Carvalho (2012) nos alertam que temos que tomar cuidado com essa concepção. O uso das inovações tecnológicas auxilia nas diferentes possibilidades de aprendizagem. pois revela ao indivíduo uma vivência e experiência sobre o processo de surgimento da Geometria. o estudo se desenvolveu em torno da história da Geometria e suas tecnologias. na natureza. também auxiliam no processo de aprendizagem em Geometria. pois mesmo em tempos mais recentes. além da reflexão na busca por respostas que sirva de auxílio no processo de ensino e aprendizagem. fazendo assim pouco sentido fazer uma comparação histórica sobre as práticas de cada período na intensão de classificar ou não como geometria. Assim. 1. foram aos poucos evoluindo para registros de formas geométricas. na arquitetura. e assim facilitem o processo de ensino e aprendizagem. possibilita a aprendizagem de uma forma mais agradável. Nesta perspectiva. O surgimento da geometria que conhecemos hoje está associado aos gregos. que antes tratavam-se de figuras naturais as quais ele tinha contato. os quais aproximam o estudante de formas reais.

mas sim a uma repetição de exercícios sem significado. S=2 πr . que refere-se ao cálculo da área do círculo. de forma diferente da conhecida por nós.2 A GEOMETRIA NA BABILÔNIA E NO EGITO Segundo Roque e Carvalho. preocupando-se com o cálculo de comprimentos. 4π 4π Utilizando π =3 . para eles era a área limitada pela circunferência. Cabe destacar a forma como eles concebiam. S r= 2π . verificamos que o tablete ilustrado na figura abaixo (FIGURA 1). o conceito de círculo. e fazendo as 12 devida conversão à sua simbologia. mesmo quando eles conheciam o diâmetro do mesmo. De acordo com o que foi tratado no parágrafo anterior. =5 . Enquanto para nós o círculo é obtido ao traçarmos uma circunferência com um compasso. áreas e volumes e utilizando para isso. Figura 1 – YBC 7302 . a geometria praticada pelos babilônicos era essencialmente métrica. que não levam ao entendimento. propriedades das figuras planas e de sólidos geométricos.1. Um exemplo que trazemos é o YBC 7302. Assim. representa o cálculo do círculo feito na época. Os autores fazem ainda uma aproximação dos cálculos desenvolvidos na época com o ensino da geometria nas escolas da atualidade: exemplos rasos e artificiais. S2 1 2 A=π x 2 = S . E a área do mesmo era sempre calculada usando o comprimento da circunferência. 12 1 De acordo com o sistema de numeração dos babilônicos. teremos 1 2 A= S . tomando A como a área do círculo de circunferência S e raio r. temos que A=π r 2 .

para alguns autores eles tomavam a medida da base do triângulo multiplicada pela medida de um dos seus lados como a forma de calcular sua área. mas explica que na época. o volume da pirâmide e do tronco de pirâmide. – 546 a. mostrando uma preocupação não apenas em resolver problemas práticos. estando assim aliadas religião e prática. 1. a religião voltava-se para que os seres divinos protegessem os interesses mundanos dos suplicantes. Cita ainda que um aspecto que une as duas civilizações é a ligação da matemática com o misticismo. Um dos primeiros nomes a destacar-se na Matemática Grega foi Tales de Mileto (640 a. Atribui-se a ele a demonstração de vários teoremas. mas há uma divergência no que se refere ao cálculo da área do triângulo. Fonte: Livro Tópicos de História da Matemática A geometria para os egípcios também era voltada para a mensuração prática de figuras planas e espaciais. Ambas acreditavam que os elementos geométricos. é sobre seus conhecimentos relacionados à geometria das pirâmides. a resposta para essa curiosidade é frustrante.C. sofreu uma grande transformação. mas com sua generalização. Uma curiosidade que surge ao se falar sobre a geometria do Egito. Fossa (2012) explica que a matemática pré-grega tinha baixo nível de abstração. Ao que parece. além de ligados à questões da astronomia – que tratava dos corpos celestiais. .2 A MATEMÁTICA GREGA ATÉ EUCLIDES Quando a geometria dos egípcios e babilônicos foi absorvida pelos gregos. uma vez que ao que parece.C. elevando a Matemática à um nível mais teórico. supostos divinos. essa forma só está correta para triângulos retos. voltada à resolução de problemas práticos. Para Fossa (2012) a ligação entre uma geometria voltada tanto para a realidade quanto para o misticismo é um tanto paradoxal. eles só sabiam sobre a inclinação dos lados de uma pirâmide.). O cálculo da área do retângulo era semelhante ao que conhecemos. estavam ainda ligadas à propriedades místicas.

O método. 2. axiomático propriamente dito. Entretanto.C. e isso veio a atrapalhar que o grupo chegasse à ideia de infinitude. uma vez que ainda não eram conhecidos os números irracionais. já os postulados referem-se às verdades sobre a disciplina em discussão. – 501 a. baseando-se na reflexão de que “é impossível demonstrar toda proposição verdadeira porque toda demonstração apela a outras preposições (premissas) que encerram a evidência para a proposição ser demonstrada”. sendo o primeiro que se tem notícias à formular axiomas explícitos. comuns à toda a toda disciplina. Dividindo em dois grupos as proposições não demonstráveis: os axiomas e os postulados. 1. como a Prova Brasil e PISA. GEOMETRIA.C. sendo esse um campo favorável ao trabalho de Eudoxo (408 a.C. segundo Fossa (2012). Durante esse período. no caso a geometria.C. foi inventado por Aristóteles (384 a. Aristóteles chama essas preposições de axiomas ou postulados. – 355 a. Fundou uma sociedade que ganhou com o tempo forte expressão política. não há indícios de rigor na matemática desenvolvida pelos gregos. a análise dos resultados obtidos pelos estudantes nas avaliações institucionais e nas externas.3 A MATEMÁTICA GREGA APÓS EUCLIDES Euclides segue a lógica aristotélica ao organizar sua axiomalização geométrica. que propõe-se a explicar a Matemática por meio dos incomensuráveis. Neste contexto surge a figura de Platão. TECNOLOGIAS DIGITAIS E MATERIAIS MANIPULÁVEIS A disciplina de matemática é reconhecida como elemento importante na formação educacional dos indivíduos e essa importância é percebida tanto no contexto escolar como no social e cultural. sendo que tudo poderia ser explicado pelos números e suas razões.C. revela que a maioria dos estudantes apresenta dificuldades na aprendizagem de seus conteúdos e apresentam baixa proficiência nesse campo do conhecimento. Hippasus. cujos estudos (bastante associado à forças cósmicas) convergiam a deduzir que tudo no universo era advindo dos números. Mais tarde um dos membros. os axiomas tratam-se de verdades lógicas.C. Posteriormente. – 322 a. que passa a criticar os geômetras.). Para ele.). e diz ainda que eles devem ser tão evidentes a ponto de que o mundo os aceite sem contestar.). que veio a balançar as convicções do grupo. trouxe a questão da incomensurabilidade. . sobressaiu-se Pitágoras (572 a.

A Matemática. “os conceitos geométricos constituem parte importante do currículo de Matemática [. 1997. pois. Os conhecimentos de Geometria apresentam grande relevância na abordagem do conhecimento matemático. em situações reais.. De acordo com os PCN. encontram-se incorporados em diferentes graus também no sistema educacional. seriam difíceis de serem realizadas.. Esses recursos. Seus resultados. uma possibilidade promissora nas mudanças que se almejam para a reversão desse quadro. presentes nas mais variadas situações da vida moderna. p. o aluno desenvolve um tipo especial de pensamento” (BRASIL. Segundo Nogueira (2009. por consequência. por meio deles. 2001. muitas vezes. “o ensino da geometria deve estar voltado para problemas abertos (com mais de uma resposta e/ou com diferentes formas de resolução). entretanto. apresentam-se mais limitados do que os esperados. com caráter dinâmico. parece ocorrer em um ritmo mais lento do que aquele observado nos demais setores da sociedade. 3). Os pressupostos presentes nos Parâmetros Curriculares Nacionais (PCN) (BRASIL. a escola deveria representar um espaço inovador na formação cognitiva dos cidadãos e. “típico da cultura informática. requer um redimensionamento de sua didática e pedagogia. na prática. em certos casos. Para isso. mas. 55) que favorece a compreensão. a utilização de recursos tecnológicos é incipiente ou mesmo inexistente. disciplina considerada como uma das mais difíceis do currículo escolar e também como responsável por altos índices de reprovação e evasão. do professor e das situações de ensino e aprendizagem” (BORBA e PENTEADO. Vivemos em uma sociedade que tem na informatização e na utilização de recursos tecnológicos uma de suas mais marcantes características.] porque. que propiciem um processo de busca e investigação para resolvê-los. Teoricamente. 1997) enfatizam a utilização das tecnologias da informação para a aprendizagem matemática ao considerar que o surgimento de um conhecimento por simulação. p. p. O desenvolvimento dessas habilidades pode ser potencializado pelo uso de recursos digitais e materiais manipuláveis que despertam a curiosidade. faz com que o computador seja visto como recurso didático indispensável” . abandonar a zona de conforto e aceitar os desafios já que as incertezas e os imprevistos gerados num ambiente informatizado “podem ser vistos como possibilidades para o desenvolvimento do aluno. 64). representação e descrição organizada do mundo em que o estudante vive. tanto em seu aspecto histórico como por suas aplicações práticas em inúmeras situações do cotidiano. onde o uso de tecnologias deveria ocorrer de forma inevitável. As novas tecnologias representam. é necessário. assim. Essa incorporação. estimulam a vontade aprender e possibilitam. a manipulação e simulação de elementos que.

logo.. (CYSNEIROS1999. Entretanto. o uso de tecnologias representa uma ferramenta pedagógica de grande potencial inovador para a aprendizagem. p. proporciona um ensino não tradicional. possibilitando um claro protagonismo do aluno na aprendizagem. mais atrativo (BOZZA. Esta perspectiva (.. por processos formais e repetitivos. quais são e como desenvolvê-las de modo que os estudantes utilizem efetivamente as ferramentas inovadoras que se encontram a sua disposição pois A presença da tecnologia na escola. As tecnologias digitais voltadas para a educação favorecem a construção do conhecimento pois Os conteúdos abordados através de atividades que utilizam a tecnologia estimulam a curiosidade do aluno e são melhor compreendidos e aceitos. 137). potencializando o desenvolvimento de habilidades nos alunos. professores e alunos precisam aprender a tirar vantagens de tais artefatos. 47). em contextos apropriados. não basta apenas dispor-se de recursos tecnológicos para que os problemas de aprendizagem sejam superados e alcance-se uma efetiva qualidade de ensino.. p. Como ocorre em outras áreas da atividade humana. a qualidade da aprendizagem está diretamente vinculada à eficiência desses recursos e à forma como eles são utilizados.) pode ser enquadrada numa lógica de trabalho de projeto. 1997. como pode ser reduzida a uma simples aprendizagem. . embora um bom cirurgião possa fazer muito mais se dispuser da melhor tecnologia médica. entre outros recursos. Softwares e aplicativos da Internet. não estimula os professores a repensarem seus modos de ensinar nem os alunos a adotarem novos modos de aprender. mesmo com bons software.. podem favorecer ações didáticas e experimentações matemáticas. Mas esta perspectiva tem igualmente suas limitações (. resultando em aprendizagens significativas. especialmente no campo da Matemática. 73) As novas tecnologias surgem aqui como instrumentos para serem usados livre e criativamente por professores e alunos. de uns tantos softwares e programas utilitários.(BRASIL. aparelhos de telefones celulares. 2015. As ferramentas eletrônicas requerem habilidades específicas e exigem que se reflita sobre elas. p. Um bisturi a laser não transforma um médico em bom cirurgião. Sem dúvida. 18). o uso dessa ferramenta em sala de aula. Tanto em uma sala de aula que disponha de diferentes recursos tecnológicos como naquela que unicamente faça uso de lápis e papel. calculadoras.) a utilização das TIC pode como ferramenta tanto ser perspectivada no quadro de atividades de projeto e como recurso de investigação e comunicação. Na concepção de Ponte (2000. p. As inovações tecnológicas oferecem diferentes possibilidades de utilização no processo de ensino e aprendizagem. na realização das atividades mais diversas.

tanto na escola ou fora dela. Figura 1.geogebra. . No final dos anos 80 os primeiros sistemas de geometria dinâmica começaram a ser produzidos. o Geogebra (Figura 1).org ou utilizado online. Segundo Brandão e Isotani (2003. e oferece uma variedade de recursos para o estudo de conceitos geométricos. incluindo ferramentas que permitem que o usuário manipule formas na tela do computador direta e dinamicamente. e por outro. O aplicativo pode ser baixado a partir da página http://www.Objeto geométrico criado no Geogebra. Pode-se citar.br/igeom. p. trazendo facilidades para um aprendiz adquirir conhecimentos geométricos”. 418). Fonte: https://sites. Esse software foi desenvolvido em 2001 por Markus Hohenwarter na Universidade de Salzburgo.com/site/oficinageogebra/geogebra/atividades-ludicas-1 O software iGeom (Figura 2) foi desenvolvido a partir de projetos de iniciação científica no Instituto de Matemática e Estatística da Universidade de São Paulo (USP). o objetivo da plataforma iGeom é prover recursos para o ensino da Geometria que “auxiliem o professor na produção de material didático e no acompanhamento de seus alunos. Este é um aplicativo eficiente e que pode ser utilizado tanto para construções e atividades de geometria plana como espacial e que também oferece a possibilidade de exploração de objetos algébricos. por exemplo. O aplicativo pode ser baixado diretamente no computador a partir da página https: www.matematica. No ensino de Geometria há uma variedade de softwares disponíveis gratuitamente.google. de modo autodidático.

Figura 3 – Cilindro gerando no SketckUp . o uso de fotografias para criar modelos em três dimensões. O aplicativo possibilita a elaboração e objetos bi e tridimensionais programáveis pelo usuário.pdf Outro recurso para o ensino de Geometria é o software Elica. É possível construir modelos a partir do nada ou fazer o download do que precisar. melhorias 3D nas texturas do terreno.usp. Este software associa cada ferramenta de criação a um tópico de ajuda. sketchup.br/~ddalmon/files/danilo_mjose_VSimposioIME.net/. Figura 2 – Prisma obtido com o iGeom Fonte: http://www. O Google SketchUp (Figura 3) é um software de criação de imagens em 3D que dispõe de uma variedade de recursos que permitem criar.com/pt-BR/download.ime. disponível em http://www.elica. O aplicativo tem integrados os seguintes recursos: geolocalização com Google Maps. desenvolvido por Pavel Boytchev e implementado em linguagem Logo. o building Maker para criar edifícios e o cálculo do volume de objetos. visualizar e alterar imagens em três dimensões. Está disponível para ser baixado em https://www.

br/2013/12/uso-do-sketchup-na-geometria-analitica.html O Poly (Figura 4) é um software gratuito que permite o movimento de rotação dos sólidos. Figura 4 – Prisma gerado no Poly Fonte: http://portaldoprofessor. arquimedianos e platônicos entre outros.com. Fonte: http://panambi-egef. Em sua biblioteca consta um grande número de sólidos.gov.html?aula=1747 .blogspot. Possui comandos de fácil compreensão.br/fichaTecnicaAula.mec. mostra alterações de tamanho e apresenta suas planificações.

a capacidade de visualização e a interpretação das propriedades de cada figura. 3. Esses recursos aproximam o estudante das formas reais. 136). a realização e medidas e simulações. pois a manipulação de construções possibilita a descoberta de novas relações e propriedades. ou de esgotar as possibilidades que pudessem aprofundamento o assunto. CONSIDERAÇÕES FINAIS Buscou-se na investigação uma reflexão entre a história da Geometria e suas Tecnologias. favorecendo a aprendizagem significativa dos conteúdos geométricos. fundamentados em estudos de King e Schattschneider (1997). segundo Bozza (2015). Santos e Martinez (1999). estimula o raciocínio dos alunos. Sua utilização “desenvolve a noção espacial. dos estudantes e proponha atividades em que os estudantes exercitem sua autonomia e utilize sua criatividade na resolução das situações-problema. ou cognitivos. Aprendizagens em Geometria também podem ser favorecidas mediante a utilização de materiais concretos. permitem o estabelecimento de comparações. pois os conceitos podem ser compreendidos pela visualização e redução de construções imprecisas que podem induzir à conclusões errôneas. mas trazer ao pensamento do educando reflexões sobre a história do Ensino de Geometria que sirva de auxilio no . bem como vivenciar experiências geométricas pela exploração interativa ou pela criatividade do estudante. que o pensamento Geométrico denota. apontam aspectos positivos gerados pela utilização desses recursos digitais no processo de ensino e aprendizagem de Geometria: precisão e visualização. para o desenvolvimento do processo de ensino e aprendizagem através da parte histórica e tecnológica. exploração e descoberta. desenvolve suas habilidades e a capacidade em compreender conteúdos geométricos. como a Física por exemplo. através de uma análise da realidade e contexto educacional. Tais características possibilitam a atribuição de significado aos conceitos e propriedades estudados. simulação e micromundos. Cabe salientar que a escolha dos materiais a serem utilizados e as atividades que sejam propostas devem ser realizadas. p. considerando que as simulações podem ilustrar conceitos de outros campos do conhecimento. torna as aulas mais significativas e prazerosas. Dessa forma. que o professor considere os fatores externos e internos. 2015. visando explorar as possibilidades de ensino. além de facilitar a aprendizagem. o presente estudo não teve a intenção de ser fatigante. o material concreto. Desse modo. usando a comparação entre as figuras e os objetos de seu cotidiano para a introdução das figuras espaciais” (BOZZA.

no educando uma reflexão histórica por meio da Educação Geométrica. neste estudo foi possível destacar a importância do desenvolvimento tecnológico. Além disso. G.3.. L. P. Informática e Educação Matemática. de O. BRANDÃO. Disponível em <http://www. C. 2012. M. Geometry turned on dynamic software in teaching..pr. BOZZA. SCHATTSCHNEIDER. os quais tem buscado novas formas de conquistar os alunos para a aprendizagem. Acesso em 08 jun 2016. G. . Educação Matemática em Revista–RS.. Acesso em 30 mai 2016. Assim. Novas tecnologias na Sala de Aula: Melhoria do Ensino ou Inovação Conservadora? Disponível em <http://www. n. Pensando o ensino de geometria espacial: estratégias didáticas que utilizam o software Geogebra e materiais concretos.desenvolvimento do pensamento lógico.13. ISOTANI.9-16. Secretaria de Educação Fundamental. S.gov.edu. 134-138. 2001. 2015. 2003. NOGUEIRA. C.br- ie. 2009. o qual facilita a aprendizagem do aluno para que assim. M. REFERÊNCIAS BORBA. serviu de grande valia no processo histórico e tecnológico dos docentes. PENTEADO. Anais do WIE. p. Washington: Mathematical Association of America. BRASIL. acredita-se que a contribuição. 1997. as quais tem grande relevância no desenvolvimento da aprendizagem na prática docente. Brasília: MEC/SEF. P. Em relação.3. Educação Geométrica: Reflexões sobre ensino e aprendizagem em geometria. KING. através da Geometria Plana Espacial. L. estão fortemente presentes no seu cotidiano. M. LEIVAS.br/portals/pde/arquivos/1850-8. learning and research.html> Acesso em 03 jun 2016. deste estudo. CYSNEIROS. Parâmetros Curriculares Nacionais: Matemática. Uma ferramenta para ensino de geometria dinâmica na internet: iGeom. o qual certamente servirá de auxílio na produção do saber escolar. buscando auxiliar os professores no processo de Ensino e Aprendizagem. por meio das tecnologias.co/html/ mediateca/1607/article-106113. Diante o exposto. através do desenvolvimento da Geometria Plana e Espacial. ao pensamento Geométrico percebe-se uma preocupação crescente entre os profissionais da educação. quanto a Geometria. Canoas. Scientia cum Industria.pdf>. Uso da geometria no cotidiano. p. V. compreendam que as formas Geométricas.org/pub/index. v. J. Disponível em <http://www. a proposta foi desenvolver.diaadia educacao. apesar de nem sempre serem percebidos. D. n.php/wie/article/view/808/794>.colombiaaprende. J. 1997. Belo Horizonte: Autêntica Editora.

researchgate.. E. L. M.net/publication/237359480_SOFTWARE_ PARA_ENSINO_DE_GEOMETRIA_E_DESENHO_TECNICO>. Disponível em <https://www. Software para ensino de geometria e desenho técnico. Acesso em 06 jun 2016. 1999.SANTOS. MARTINEZ. . T.