You are on page 1of 10

Utilização de redes sociais na contratação

de profissionais de nível gerencial *
Alexandre Augusto Tayer Gonçalves **
Deisi Domenech ***
Resumo: Este estudo aprofundou o Abstract: This study focused on the un-
entendimento do uso das redes sociais derstanding of the use of social networks
para fins de contratação especialmen- for recruiting purposes, especially at man-
te de nível gerencial. Para isto, foram agement level. To accomplish this, an
estudadas as principais redes sociais initial study of the main social networks
do mercado e o processo de contrata- available in the market as well as the re-
ção em si. Com base neste estudo ini- cruiting process were the basis for for-
cial foi então formulada a pesquisa que mulating the research itself. The research
em análise revelou detalhes significati- revealed important facts on the use of so-
vos sobre o uso das redes. Foram reali- cial networks. During the process, 19 HR
zadas 19 entrevistas com profissionais professionals, headhunters, labor lawyers
de RH, headhunters, advogados traba- and organizational psychologists were in-
lhistas e psicólogos organizacionais. A terviewed. It is important to study social
importância de entender as redes do networks from a scientific point of view
ponto de vista científico é fundamen- in order to understand their full potential
tal para que seu potencial seja alcança- when using them and also to understand
do integralmente. their relation to society.

Palavras-chave: Recrutamento. Redes Keywords: Recruitment. Social Network.
Sociais. Seleção. Contratação. Internet. Selection. Hiring. Internet.

* Este artigo tem por base o Trabalho de Conclusão de Curso intitulado “Uso das redes sociais na contratação de
profissionais em nível gerencial” apresentado ao final do 1º. semestre de 2011 na Faculdade de Administração da
Fundação Armando Alvares Penteado sob a orientação do Prof. Dr. Armando Terribili Filho. Autores do TCC: Ale-
xandre Augusto Tayer Gonçalves; Deisi Domenech; Marcus Fabricius Botelho Fernandes; Rodrigo André Valério;
Silvio Tadeu Agostinho Junior e Stefano Gatti Weigand de Andrade Lima.

** Graduado em Administração de Empresas pela Faculdade de Administração da FAAP e Especialista em Marke-
ting com Enfoque em Planejamento e Marketing Digital. E-mail: buzi.alex@gmail.com.

*** Graduada em Administração de Empresas pela Faculdade de Administração da FAAP e Empreendedora Social.
E-mail: deisidomenech@gmail.com.

Utilização de redes sociais na contratação de profissionais de nível gerencial, Alexandre A. T. Gonçalves e Deisi Domenech, p. 89-98 89

e devem. A relação da empresa com seus colaboradores e sua rede de candidatos a eventu- ais vagas abertas passa por uma fase turbulenta. gerando mão de obra especializada para uma concorrência cada vez mais feroz.Introdução Como afirma Qualman (2010). O mercado. para indicar os serviços a alguém ou até para reclamar e apontar defeitos. A atualização constante dos dados online é outro fator chave a ser destacado so- bre este universo. usuários estão ativamente movimentando um conjunto de recursos tangíveis e intangíveis relacio- nado às empresas. buscam fazer parte de algo maior e deixam seus canais abertos para conviver neste universo dinâmico.11(01). não podendo comprometer sua produ- tividade com profissionais mal contratados e nem investir demais em treinamento. já não existe para empresas a escolha de parti- cipar ou não das redes sociais. junho. Organizações inteligentes e bem sucedidas enxergam no universo das redes so- ciais um conjunto de excelentes oportunidades a serem trabalhadas. Nesta era da informação e globalização. O trabalho do profissional de Recur- sos Humanos é transformado por mudanças comportamentais da nova sociedade. se torna também dinâmico o plano de carreira do profissional. Centrais de Call Center não precisam mais telefonar continuamente para pessoas cadastradas em seu banco de dados para atualizar os contatos. Empresas. portanto. Seja para fazer negócios. têm a difícil tarefa de reter e atrair estes talentos. Este quadro complexo do universo das redes sociais e de sua influência na so- ciedade gera questões a serem discutidas tanto para profissionais quanto para em- presas: é vantajoso o uso de redes sociais para fins de contratação? Existem riscos e medidas que devem ser adotadas no processo? Quem sai ganhando e perdendo com isso no mercado de recursos humanos? Existem aspectos legais e éticos a serem considerados? Existem limites de privacidade a serem respeitados? 90 Estratégica. tomarão propriedade de sua marca e o controle deixará de estar nas mãos da empresa. um levantamento feito pela empresa Proofpoint em 2010 indicou que 7% das empresas já demitiram por causa do mau uso das redes e 20% advertiram seus colaboradores. segundo Dreher (2011). como aponta Terribili Filho (2011). usuários farão isso por ela. Profissionais concorrem em nível global por uma mesma vaga e o tempo para conso- lidarem suas especialidades é curtíssimo. ser atendidos. Mesmo que uma empresa se negue a ser ativa no universo social da Internet. pois as próprias pessoas alteram suas informações diretamente em suas redes sociais. Sabem que de- vem se manter em contato com todos os usuários que de alguma maneira lhe pro- curam. têm menos comprometimento com empresas que não lhe oferecem bons horizontes de crescimento tanto dentro como fora do plano monetário. por sua vez. a escolha está no quão bem irão participar. para defender a bandeira e valores da marca. por sua vez. vol. já está reprimindo o mau comportamento nas redes sociais.2011 . As novas gerações. Usuá- rios querem ser encontrados.

assim como. houve uma fase exploratória. Para tratar de assuntos relativos à contratação de pessoal em um ambiente repleto de novas ferramentas virtuais e tecnológicas. Marconi e Lakatos (20063) tal enfo- que se caracteriza pela possibilidade de o entrevistador seguir um roteiro previamente estabelecido. p. fatos. T. um foi direcionado aos Ge- rentes/Diretores de Recursos Humanos e Headhunter (recrutadores terceirizados) e os outros dois roteiros direcionados aos Advogados Trabalhistas e Psicólogos Organizacio- nais. Na Figura 1. Portanto. se há e como estas variáveis se relacionam. o qual se transfor- mou na formulação do problema de pesquisa. foi adotado o método de Pesquisa Explicativa com base nos guias de Hernández Sampieri. p. 1 Metodologia A metodologia utilizada foi constituída por várias etapas. sequencial e dinâmico para garantir a qualidade na coleta de in- formações em campo. foi necessário realizar uma sondagem de opiniões de especialistas no assunto. com 7 a 14 anos de experiência. aparente- mente. Assim. éticos. o enfoque dominante do processo de pes- quisa foi do tipo qualitativo. 107). de mecânica do processo de recrutamento e seleção. Em sequencia. o qual é efetuado com pessoas selecionadas de acordo com um plano. Vale destacar. seguindo as mesmas metodologias adotadas pelos autores Hernández Sampieri. Alexandre A. Foram elaborados três diferentes roteiros de entrevistas. assim como. No total foram entrevistados 19 profissionais de grandes empresas ou de grande atuação no mercado. e da atuação das empresas e profis- sionais nas redes. psicológicos. Este artigo é baseado em um Trabalho de Conclusão de Curso de graduação que teve por objetivo responder a estas questões pertinentes a utilização das re- des sociais. Gonçalves e Deisi Domenech. Após o desenvolvimento e organização para a geração de ideias. caracterizada pelo apro- fundamento de conceitos e referenciais teóricos. “infinito” campo das redes sociais. fenômenos físicos ou sociais“. os estudos explicativos “vão além da des- crição de conceitos ou fenômenos ou do estabelecimento de relações entre conceitos. a metodologia adotada foi ao encontro do objetivo proposto na busca para entender o crescimento da utilização das redes sociais como forma alter- nativa para a contratação de pessoal. Collado e Lucio (2006. Segundo. tais como nome do profissional e empresa. coletando assim. p. despertar e instigar aos demais pesquisadores e profis- sionais sobre formas inteligentes e produtivas de utilização no amplo e. No início. e a delimitação da amostra foi direcionado a “Amostra de Especialistas”. O objetivo foi cobrir um espectro mais aberto da questão levantada como tema. estão destinados a responder as causas dos acontecimentos. inclusive em altos escalões. Segundos os autores (2006. foram realizados roteiros de entrevista com enfoque de “Entrevista Estruturada”. Collado e Lucio (2006). 272). que foi determi- nado manter o caráter confidencial das informações pessoais obtidas sobre os entre- vistados. as quais foram organizadas de um modo lógico. informações relevantes sobre aspectos legais. é detalhado o total da Utilização de redes sociais na contratação de profissionais de nível gerencial. 89-98 91 .

como por exemplo: cronologicamente. no qual o entrevistador seguiu um roteiro pré-determinado para criar com o respondente um ambiente propício para que o máximo de informa- ções fossem reveladas.amostra de especialistas por área de atuação. O processo de realização das entrevistas foi dinâmico. Segundo o Kantar Group/TNS (2010). tendo como prioridade os profissionais da área de Recursos Humanos (Gerentes e Headhunters). dentre as de maior relevância no mercado: o YouTube é uma rede para transmissão de vídeo. Vale citar. “o que começou como uma plataforma conectada a sua lista de amigos para envio e re- cebimento de mensagens se tornou um agregador de serviços: a parada única para qualquer necessidade de serviços online” . portanto. Hoje. As redes. junho. que o termo “nível gerencial” utilizado na pesquisa compreende qualquer posição que tenha outra subordinada a si e com responsabilidade significativa. Estes destaques se tornaram a premissa para todo o desenvolvimento e conclusão sobre a utilização das redes sociais em contratação de nível gerencial.2011 . e contratação. ética e confi- dencialidade. foi importante a or- ganização e classificação do material coletado ordenado em critérios. foram destacados quatro pontos-chave na coleta de informações: utilização de redes sociais. por unidade de análise e perfil de indivíduos parti- cipantes. calendários. Durante a análise dos dados. 2 Redes Sociais As redes sociais estão evoluindo para serem centralizadoras de qualquer necessi- dade de uma pessoa navegando na Internet. o Twit- 92 Estratégica. vol. Ao fim da tarefa analítica. para manter a qualidade. são classificadas por sua funcionalidade principal. GPS. Figura 1 – Quantitativo de participantes especialistas por área Psicólogos Organizacionais 3 Advogados Trabalhistas 3 Headhunters 5 Gerentes e/ou Diretores de Recursos Humanos 8 Fonte: Autores deste artigo. comportamento e produtividade. a tecnologia de redes sociais converge com outras tecnologias e a rede se torna uma plataforma para uma gama muito grande de aplicativos diferentes: jogos. e por tema tratado.11(01). entre muitos outros.

Seja para uso profissional ou pessoal. Este contato direto também é interessante pois o valor de informações trocadas é maior. Muitas são buscadas internacionalmente. usuários podem “seguir” empre- sas que lhe interessam. Alguns dos respondentes destacaram o uso para prospecção de clientes. já que vem direto de sua fonte. fazem uso para diversos fins. 3 Resultados da pesquisa 3. Do lado profissional. Isto acontece. sendo um deles a contratação. o Facebook para relacionamento pessoal e o Linkedin para relacionamento profissional. recebendo notícias e atualizações diretas destas empresas. Gonçalves e Deisi Domenech. Na rede Linkedin. Desta maneira. filtram as informações de seu interesse por sele- cionar suas conexões. porque um usuário está conectado com outro usuário diretamente. usuários.ter para “micro-notícias” (micro-blogging). Na Figura 2. 89-98 93 . Figura 2 – Comparativo entre redes sociais rede TIPO VALOR NÚMEROS RELEVANTES PERFIL Amador e Vídeo Conteúdo Real 36 horas de vídeo por minuto Profissional Mural Integração 600 milhões de usuários Pessoal 25 bilhões de postagens em Pessoal e Microblog Notícias 2010 Profissional Mural Integração 23 milhões de usuários no Brasil Pessoal Pessoal e Multimídia Personalização 300 mil bandas/músicos Profissional Fortune 500 . Um dos aspectos mais relevantes sobre as redes sociais é que seus usuários rece- bem informações de canais escolhidos por eles.Executivos de Mural Comprometimento Profissional todas as empresas são membros Fonte: Adaptada de Melaragno (2009). através das redes. divulgação da empresa. Estas parcerias se estendem ao ponto de serem chamadas de intercâmbio comercial. e esta conexão foi aceita por ambos. e inclusive a busca por parcerias de negócios.1 Quanto à utilização de Redes Sociais A utilização das redes é um fator unânime entre os 19 respondentes. todos os entrevistados fazem uso delas. Alexandre A. T. Utilização de redes sociais na contratação de profissionais de nível gerencial. por exemplo. é possível observar um compa- rativo entre as principais redes sociais e suas instigantes peculiaridades. e vão muito além da troca de contatos. p.

Nenhum dos respondentes tem conhecimento sobre o uso feito por parte dos concorrentes. e inclusive por isso passa mais do que o tempo necessário trabalhando. O artigo 5o da Constituição Federal de 1988 destaca a proibição quanto a violar a privacidade de correspondências. por outro lado. Neste ponto. indicando um potencial criador de problemas. Observar também menções referentes ao trabalho é importante. abordaram a questão com o “bom senso” entre indivíduos como elemento mais importante. A maioria dos respondentes afirmou que o uso é liberado para os colabora- dores de sua empresa. a frequência do uso. Alguns respondentes. uma pessoa que tem o hábito de reclamar constantemente. que pode afetar sua produtividade. Conteúdo de suas postagens. telefone e telégrafo. 3. mas nada que se refira as redes sociais. Observando a ligação do indivíduo com a respectiva família e amigos é pos- sível ter uma ideia de sua sociabilidade profissional. se apresentaram mais cautelosos. vol. por exemplo. Erros graves de es- crita.11(01). afirmando que o uso deve ser restrito a ser inteligente e produtivo ou para assuntos específicos pertinentes às atividades da empresa. Uma pessoa que transparece falsidade. O que se deve observar? De acordo com os entrevistados. um simples “não”. Perceber se a pessoa é verdadeira. as res- postas foram objetivas. e isto afetar sua produtividade profissional.3 Quanto ao Comportamento e Produtividade Os três entrevistados da área de Psicologia comentaram que é impossível traçar um perfil de personalidade e comportamento profissional apenas observando o uso das redes sociais por uma pessoa. não interessa. O que seria possível é ter uma indicação da atuação ou comportamento de uma pessoa. pode ser afetada mais tardiamente por não ter seus momentos pessoais sa- tisfeitos.2011 . Não é proibido colher informações sobre um candidato através das redes sociais. pode ser uma pessoa que tem dificuldades de se engajar positivamente com a empresa em que trabalha. A sua exposição em imagens. que podem ser agressivas. 94 Estratégica. ou geradoras cons- tantes de polêmicas. que requerem o uso das redes sociais virtuais. quando o aspecto legal não oferece regras claras e específicas sobre os limites quanto ao uso e investigação das redes sociais. 3. junho. na maioria dos casos. contudo. Alguém que fala repeti- das vezes sobre seu trabalho ou se vangloria de suas tarefas constantemente.2 Quanto à Ética e Confidencialidade Os três profissionais da área de Direito que foram entrevistados. Para criar um perfil de personalidade são ne- cessárias técnicas específicas. e inclusive incentivado. especialmente quando ligada ao uso exagerado de álcool ou até de drogas.

muitas vezes. A principal rede usada para fins de contratação é o LinkedIN.3.4 Quanto à Contratação O uso das redes para a contratação foi confirmado de forma unânime entre os respondentes. ou seja. Gonçalves e Deisi Domenech. Um segundo caso destaca o acompanhamento em números reais. 89-98 95 . A confirmação da veracidade de informações expostas por candidatos em currículo ou entrevista é também parte desta busca. A frequência de contratações tendo o suporte das redes sociais é muito alta entre os respondentes. que o headhunter atue como um verdadeiro detetive. o que já é normal estar contido no currículo. Apenas um caso apresentou uma taxa de 20% de contra- tações feitas diretamente por redes sociais. p. Alexandre A. Quem pesquisa sobre uma pessoa deve apurar seus resultados e validar a veracidade das informações disponibilizadas nas redes. seu network pessoal. seguida do Twitter e Facebook. O conteúdo que os recrutadores buscam sobre candidatos é principalmente o específico. a questão das referências de cada candidato é fator relevante de análise. mesmo em casos de investi- gações de candidato. Outro elemento destacado foi o número de conta- tos de um candidato na rede. T. O Facebook foi mencionado como uma boa rede para conhecer o lado pessoal de candidatos. um candidato com um grande número de contatos pode acrescentar valor para a empresa. mas deixaram claro que sempre fazem o uso. O uso do LinkedIN se justifica por ser uma rede criada para o uso pro- fissional. afirmou que seus clientes. Utilização de redes sociais na contratação de profissionais de nível gerencial. sem um índice de correlação. Candidatos para cargos de nível gerencial normalmente são encontrados através de indicações. A grande maioria não faz uso de métrica alguma. Um dos aspectos chave foi a questão da indicação ou referencial de um can- didato. mas mesmo estes afirmaram que fazem uso de redes sociais para conhecer maiores detalhes sobre seus candidatos em certos casos. Alguns destacaram que preferem usar a rede de contatos particu- lares. Alguns respondentes reforçaram este aspecto defendendo que usuários devem estabelecer perfis diferenciados para cada rede e que o contexto muda de uma rede para outra. Os demais não deram números espe- cíficos. Um risco apontado no uso das redes foi o de obter informações falsas. querem que seja feito o trabalho de inves- tigação. Quanto à medição dos resultados obtidos com o uso das redes para contrata- ção. Um dos cinco headhunters entrevistados. Mesmo após serem identificados. apenas um dos respondentes utiliza um índice estatístico.

e não mais como um diferencial. Tendo isto em vista. o uso da rede como ferramenta de CRM (Customer Relationship Management). e em destaque o Linke- dIn apresentou uniformidade quanto a seu uso perante os headhunters. promover a inovação e ser “evangelizado- res” do uso como forma de ligação direta entre profissionais e empresas.11(01). Mesmo diante de todas as evidências indicando o uso das redes sociais como pré-requisito. junho. man- tendo o contato vivo entre as partes e os casos de intercâmbio comercial. vol. Figura 3 – Utilização das redes sociais pelos respondentes Respondente Área Facebook Orkut LinkedIn Twitter Demais 1 x x 2 Psicologia x 3 x x 4 x x 5 Direito x x 6 7 x x x x 8 x x x 9 10 Recursos x x x x 11 Humanos x x 12 x x x x 13 x x x x 14 15 x x x x 16 x x 17 Headhunter x x 18 x 19 x x Totais 13 5 12 8 3 % uso 68% 26% 63% 42% 16% Fonte: Autores deste artigo. Facebook e LinkedIn foram apontados como os mais utilizados. tem um índi- ce estatístico para fundamentar sua atuação. assim como. mudando a cultura vigente.2011 .Considerações Finais Evidencia-se a predominância quanto ao uso de redes sociais pelos entrevistados. É importante que se crie a demanda por uma especialização nesta atividade por parte dos profissionais. Observa-se isto quando os dados coletados revelam que poucas empresas acompanham o uso por parte da concorrência e que apenas uma. empresas ainda lidam com esta atividade de maneira experimental e de certa forma insegura. como pode ser observado em maiores detalhes na Figura 3. 96 Estratégica. citada nas entrevistas. observa-se o ânimo nos respondentes ao mencionarem aspectos como a interatividade com seus candidatos via Internet. a oportunidade de fazer uma pré-seleção como apoio ao processo de contratação.

INDEXSOCIAL. assim como respondem a comentários de seus ami- gos. Neste exemplo. Técnicas de pesquisa. Disponível em: <http://indexsocial. 2011.com.catho. Acesso em: 26 mar. MARCONI. rumo à eficácia no uso das redes sociais para identificação e contratação de profissionais para o alto escalão das organizações. HERNÁNDEZ SAMPIERI. Felipe. Portanto.br/>. Referências CATHO. Outra sugestão é a criação de um índice para o monitoramento dos resultados de ações na Internet voltadas à contratação. Disponível em: <http://discoverdigitallife. Information week. tomem decisões sobre um processo interno fictício criado para o jogo. 53. tendo ao alcance um índice que guia a atuação. Discover digital life.br/>. p. Existem na Internet algumas ferramentas que realizam o acompanhamento da performance de marcas atuantes em redes sociais. KANTAR. Alexandre A. 2006. 3. e que com uma simples resposta por dia. Utilização de redes sociais na contratação de profissionais de nível gerencial. Regras de conduta. Metodologia de pesquisa. 2011. e na fase final a empresa entra e atua diretamente com os finalistas. LAKATOS. Disponível em: <http://www. 89-98 97 . ou no mínimo ter mais controle do que es- tão fazendo e dos resultados de empresas terceirizadas que estão contratando. Sua utilização. Pode-se afirmar que se está no caminho certo. São Paulo: McGraw-Hill. Acesso em: 28 dez. responderiam aos questionamentos deste jogo com um simples click por dia. Pilar Baptista. LUCIO. teria aproveitado que seus candidatos estão diariamente nas redes e. dentro de suas redes sociais. por outro lado. Pode-se criar um aplicativo onde os candidatos entrem em um pequeno jogo de decisões. 2010. que utiliza a mesma lógica das bolsas de valores. ed. É importante que o uso seja otimizado para que o mercado profissional de contratação online não fique preso exclusivamente a ferramentas que cobram uma taxa de serviço de candidatos e de empresas. também seria muito maior. Roberto.com>. São Paulo: Atlas. A criação de um índice para contratação talvez não seja tão simples quanto o IndexSocial. Estas respostas levarão os candidatos a passarem por uma seleção natural. DREHER. pelo contrário. ed. Fevereiro de 2011. Eva Maria. empresas podem fazer o trabalho de recrutamento por si mesmas. Portanto. A criação de aplicativos pelos recrutadores pode ser uma estratégia criativa e ino- vadora. mas ainda há a necessidade de quebra de paradigma para que a tecnologia seja aproveitada em todo seu potencial. COLLADO. Acesso em: 26 set. 6. como por exemplo. T. Carlos Fernández. 2006. p.com. como é o caso do IndexSocial (2011). para que sejam utilizadas e aproveitadas de forma eficaz pela sociedade atual e pelas novas gerações. Gonçalves e Deisi Domenech. pois ava- liaria um número maior de variáveis. a Catho (2011). Marina de Andrade. a companhia não teria “reinventado a roda”. é preciso racionalizar o planejamento e análise de resultados no uso das redes.

Janeiro. 98 Estratégica. TERRIBILI FILHO. São Paulo.MELARAGNO. New Jersey. vol. p.2011 . Redes sociais como ferramentas de CRM: estudo comparativo entre São Paulo e Barcelona. junho. Armando. geração X e baby boomers: sinergia ou cisão em projetos? Qualimetria. Faculdade de Administração da FAAP. Erik. Laura. 86-87. Geração Y. 2011. 2009. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação). QUALMAN. Socialnomics: how social media transforms the way we live and do business.11(01). 2010.