You are on page 1of 49

ApostiasBrasil.Com Seu futuro é o Nosso Presente!

1 INTRODUÇÃO

Um Estado passa a ter existência a partir do momento em que o povo, consciente de sua
nacionalidade, se organiza politicamente.

O Estado como um instrumento de organização política da comunidade deve ser estudado
como um sistema de funções que disciplinam e coordenam os meios para atingir determinados
objetivos e como um conjunto de órgãos destinados a exercer essas funções.

Para cumprir suas finalidades, o Estado desempenha basicamente as seguintes funções:

 A de instituir e dinamizar uma ordem jurídica (função normativa, ordenadora ou
legislativa);

 A de cumprir e fazer cumprir as normas próprias dessa ordem, resolvendo os conflitos
de interesses (função disciplinadora ou jurisdicional);

 A de cumprir essa ordem, administrando os interesses coletivos, gerindo os bens
públicos e atendendo as necessidades gerais (função executiva ou administradora).

Para isso, torna-se necessário obter os meios indispensáveis para manter sua existência e
cumprir suas múltiplas atividades, quais sejam social, política, administrativa, econômica,
financeira, sendo esta última a que se preocupa em obter, gerir e aplicar recursos necessários
para fazer funcionar a máquina pública.

Em um Estado moderno, as finanças públicas não são somente um meio de assegurar a
cobertura para as despesas do governo, são também, fundamentalmente, um meio de intervir
na economia, de exercer pressão sobre a estrutura produtiva e de modificar as regras da
distribuição de renda.

É neste ambiente que se estuda a contabilidade do Estado, compreendendo a análise da
receita, da despesa, do orçamento e do crédito público, além de executar acompanhamentos
do fluxo financeiro dos recursos indispensáveis à satisfação das necessidades e ao seu
desenvolvimento.

2 CONCEITO DE CONTABILIDADE PÚBLICA

É o ramo da contabilidade que estuda, orienta, controla e demonstra à organização e execução
da Fazenda Pública, o patrimônio e suas variações.

É uma ciência que registra, controla e estuda os atos e fatos administrativos e econômicos
operados no patrimônio público de um órgão ou entidade, possibilitando a geração de
informações, variações e resultados sobre a composição deste.

Pela Lei Federal n.º 4.320/64, em seu art. 83 “a contabilidade evidenciará perante a fazenda
pública a situação de todos quantos, de qualquer modo, arrecadem receitas, efetuem despesas,
administrem ou guardem bens a ela pertencentes ou confiados”.

3

ApostiasBrasil.Com Seu futuro é o Nosso Presente!

O orçamento é a base e o fundamento da contabilidade pública; a principal característica da
contabilidade pública em relação à contabilidade geral é o sistema orçamentário.

A Contabilidade Pública tem, portanto, todas as características da contabilidade geral, só que
ajustadas ao controle do patrimônio público. Segue os mesmos princípios, os mesmos
métodos e critérios de execução contábil; apenas ocorrendo, com o decorrer do tempo, ajustes
técnicos de alguns critérios e termos usuais para os tornarem adequados ao controle do
patrimônio das instituições públicas.

A Contabilidade Aplicada à Administração Pública, seja na esfera Federal, Estadual, no
Distrito Federal ou Municipal, tem como carro chefe a Lei Federal nº 4.320/64, de 17 de
março de 1964, que estatui normas gerais de direito financeiro para elaboração e controle dos
orçamentos e balanços da União, dos Estados, do Distrito Federal, e dos Municípios.

A Lei 4320/64 está para a Contabilidade Pública assim como a Lei das Sociedades por Ações,
Lei Federal 6404/76, está para a Contabilidade aplicada à atividade empresarial.

A Lei 4320/64, estabelece conceitos e normas quanto à:

 Lei do orçamento;
 Proposta orçamentária;
 Elaboração da lei do orçamento;
 Exercício financeiro;
 Créditos adicionais (orçamento);
 Execução do orçamento;
 Fundos especiais;
 Controle da execução orçamentária;
 Da contabilidade;
 Autarquias e outras entidades;
 Disposições finais.

3 CAMPO DE APLICAÇÃO

A Contabilidade Pública constitui uma das subdivisões da Contabilidade Aplicada a diferentes
tipos de atividades. Seu campo de atuação é assim, o das pessoas jurídicas de Direito Público,
União, Estados, Distrito Federal, Municípios e suas Autarquias, bem como o de algumas de
suas entidades vinculadas, fundações públicas e empresas públicas, quando estas utilizam
recursos à conta do Orçamento Público. Trata-se, pois, das aziendas ou entidades públicas
(não apenas de Direito Público), integrantes da estrutura da Administração e sujeitas a seu
controle.

O campo de atuação da Administração Pública, conforme delimitado pela organização da
execução dos seus serviços compreende órgãos da Administração Direta ou Centralizada e
órgãos da Administração Indireta ou Descentralizada.

ADMINISTRAÇÃO DIRETA: constitui-se dos serviços integrados no âmbito da República,
governos estaduais e municipais, com seus respectivos ministérios e/ou secretarias.

Exemplos de instituições da administração direta na União:

4

ApostiasBrasil.Com Seu futuro é o Nosso Presente!

Ministérios: Ministério da Agricultura e do Abastecimento; Ministério da Fazenda;
Ministério da Educação; Ministério da Ciência e Tecnologia.

Órgãos: Presidência da República; Advocacia Geral da União; Departamento de Polícia
Federal; Comando da Aeronáutica; Comando do Exército; Comando da Marinha.

Outros Poderes: Câmara dos Deputados; Senado Federal; Justiça Federal; Tribunal de
Contas da União.

Órgãos da Administração Direta em Minas Gerais:

Secretarias de Estado:

 SEAPA – Secretaria de Estado de Agricultura, Pecuária e Abastecimento.
 SECTES – Secretaria de Estado de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior·.
 SEC – Secretaria de Estado de Cultura

Órgãos Autônomos:

 AGE - Advocacia Geral do Estado
 AUGE – Auditoria Geral do estado
 CBMMG - Corpo de Bombeiros Militar de Minas Gerais
 PCMG - Polícia Civil do Estado de Minas Gerais
 PMMG - Polícia Militar do Estado de Minas Gerais

Outros Poderes:

 TJMG – Tribunal de Justiça do Estado de Minas Gerais
 TJMMG – Tribunal de Justiça Militar do Estado de Minas Gerais
 ALMG – Assembléia Legislativa do Estado de Minas Gerais
 TCEMG – Tribunal de Contas do Estado de Minas Gerais
 PGJ – Procuradoria Geral de Justiça (Ministério Público).

ADMINISTRAÇÃO INDIRETA: são as atividades descentralizadas ou transferidas do
Estado (Administração Direta) para outras entidades por ele criadas ou autorizadas por lei.
São pessoas jurídicas de direito público ou privado que irão proporcionar ao estado a
satisfação de seus fins administrativos.

AUTARQUIA: é o serviço autônomo, criado por lei, com personalidade jurídica, patrimônio e
receita próprios para executar atividades típicas da Administração Pública, mas que requerem,
para um melhor funcionamento, gestão administrativa descentralizada.

Entidades Autárquicas da União: Agência Espacial Brasileira; INMETRO; Departamento
Nacional de Produção Mineral; Departamento Nacional de Estradas de Rodagem.

5

ApostiasBrasil.Com Seu futuro é o Nosso Presente!

FUNDAÇÃO PÚBLICA: É a entidade instituída pelo poder público, que possui patrimônio
próprio e tem por objetivo interesse coletivo, tais como ensino, pesquisa, assistência social,
etc.

Entidades Fundacionais da União: Fundação Nacional do Índio; Fundação Oswaldo Cruz;
Fundação Nacional de Saúde.

Fundações em Minas Gerais:

 HEMOMINAS – Fundação Centro de Hematologia e Hemoterapia do Estado de Minas
Gerais
 CETEC – Fundação Centro Tecnológico de Minas Gerais
 FCS – Fundação Clóvis Salgado
 FUNED – Fundação Ezequiel Dias
 FJP – Fundação João Pinheiro
 RURALMINAS – Fundação Rural Mineira
 TV MINAS – Fundação TV Minas - Cultural e Educativa

EMPRESA PÚBLICA E SOCIEDADE DE ECONOMIA MISTA: São entidades dotadas de
personalidade jurídica de direito privado, com patrimônio próprio e capital exclusivo, criada
por lei para exploração de atividade econômica ou serviço, com participação do poder público
e de particulares no seu capital e na sua administração. Ao buscar a forma de sociedade
anônima, sujeitas à Lei das Sociedades por Ações, o Estado buscou assegurar aos
participantes as quais oferece sociedade, os mesmos direitos e garantias de que dispõe os
acionistas das demais empresas.

Entretanto, no tocante à Contabilidade Pública, estas se tornam obrigadas a observar suas
normas quando se tratarem de empresas subvencionadas ou controladas conforme
estabelecido pela Lei Complementar n. º 101/2000 (LRF).

Empresas Federais: Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária; Cia. Brasileira de Trens
Urbanos; Companhia de Desenvolvimento do Vale do São Francisco.

Empresas Estaduais:

 BDMG - Banco de Desenvolvimento de Minas Gerais S.A
 COPASA - Companhia de Saneamento de Minas Gerais
 PRODEMGE - Companhia de Tecnologia da Informação do Estado de Minas Gerais
 CEMIG - Companhia Energética de Minas Gerais
 EPAMIG - Empresa de Pesquisa Agropecuária de Minas Gerais
 MGS - Minas Gerais Administração e Serviços S.A.
 MGI - Minas Gerais Participações S.A.

6

como pelo Direito Comercial.404/76. todos os recebimentos e pagamentos efetuados no exercício. uma vez terminada a vigência do orçamento. exemplifica- se a escrituração contábil do exercício financeiro.Floresta  Fundo Estadual de Prevenção. de acordo com a data do fato gerador. Portanto. fazendo parte integrante dele. Fundo Nacional Antidrogas. no que se relaciona com as receitas e as despesas. sem personalidade jurídica. continuando. Fundo de Financiamento ao Estudante do Ensino Superior. de forma que o seu uso seja constante e obrigatório. todas as receitas pôr arrecadar.Com Seu futuro é o Nosso Presente! FUNDOS PÚBLICOS: São entidades contábeis. a fim de serem arrecadadas ou pagas. tanto pela manifestação normativa da entidade da respectiva categoria profissional (Conselho Federal de Contabilidade) sendo aplicado integramente nos dispositivos da Lei Federal nº 6. como as despesas contratadas. Fundos Nacionais: Fundo Nacional de Meio Ambiente.ApostiasBrasil. No tocante à contabilidade pública. a receita é reconhecida no período em que é arrecadada e a despesa paga nesse mesmo período. No Brasil. como norma geral. exclusivamente. ainda que lançadas. também denominado regime financeiro. regime de caixa é o que compreende. sem deixar resíduos ativos e ou passivos. e não quando são recebidos ou pagos em dinheiro. criado por lei e constituído pelo produto de receitas específicas e elementos patrimoniais que se vinculam à realização de determinados objetivos e serviços. REGIME DE CAIXA: Podemos dizer que é aquele em que. mais comumente chamado de regime de caixa e pelo regime de competência ou exercício. Pelo regime de caixa. os regimes contábeis de escrituração são considerados úteis pelo consenso profissional. 7 . para melhor compreensão dessa disposição. embora já empenhadas. porém não pagas. O princípio da competência é universalmente adotado pela Contabilidade. a pertencer ao orçamento que lhes deu origem. Fiscalização e Repressão de Entorpecentes  Fundo de Incentivo ao Desenvolvimento 4 REGIMES CONTÁBEIS Regime contábil define-se como um sistema de escrituração contábil. Pelo regime de competência. Portanto. passam para o exercício seguinte. que pode ser elaborada pelo regime de gestão anual. mesmo aqueles relativos a períodos contábeis anteriores. foi expressamente incorporado à legislação contábil. toda receita e toda despesa do exercício pertencem ao próprio exercício. isto é. REGIME DE COMPETÊNCIA: Define-se como aquele em que as receitas e as despesas são atribuídas aos exercícios de acordo com a real incorrência. Fundos Estaduais:  Fundo de Desenvolvimento Minero-Metalurgico  Fundo de Desenvolvimento Regional do Jaiba  Fundo de Incentivo A Industrialização  Fundo Pro . entretanto. devem ser transferidas para o exercício financeiro seguinte.

cujo pagamento (restituição) independe de autorização legislativa (orçamento).Com Seu futuro é o Nosso Presente! REGIME CONTÁBIL ADOTADO NO BRASIL: Procurando analisar os conceitos expedidos em relação aos incisos I e II do art. em relação ao regime contábil de escrituração. para determinar qual é o regime adotado pela administração pública no Brasil. no Brasil. Genericamente. e com a data do fato gerador. dentre outros. a administração pública adota o regime de escrituração misto. que seja efetivado através de numerário ou outros bens representativos de valores. diz o texto que devem pertencer ao exercício financeiro. retenções na fonte. o regime de caixa para a arrecadação das receitas e o regime de competência para a realização das despesas. em termos de regime de escrituração contábil. receita orçamentária e receita extra-orçamentária.ApostiasBrasil. cuja arrecadação lhe pertença ou caso figure como depositário dos valores que não lhe pertencem. deve-se observar:  Devem pertencer ao exercício financeiro. ou seja. uma vez que a despesa é atribuída e apropriada no exercício. ou seja. em sentido amplo. Portanto. de que o Estado é devedor como simples depositário ou como agente passivo da obrigação. contratos ou quaisquer outros títulos de que derivem direitos a favor do estado. trata-se do regime de competência. 5 PROCESSO DE EXECUÇÃO DA RECEITA PÚBLICA Receita pública. as receitas nele arrecadadas. depósitos em garantia. ou seja. o fato gerador é o empenho.320. são todos os recolhimentos efetuados. 35 da Lei 4. fianças. consignações. deveremos utilizar o chamado regime de caixa.” Ressaltam-se claramente dois tipos de receita. caracteriza-se como um ingresso de recursos ao patrimônio público. No caso da despesa. São exemplos: cauções. pode-se dizer que. receita pública classifica-se em dois grupos.  Com relação às despesas. de acordo com sua real incidência. pois só devem ser consideradas as receitas que forem efetivamente arrecadadas no exercício. que constituirão compromissos exigíveis a curto prazo. ou seja. pois é ele que cria para o Estado a obrigação de pagamento. isto quer dizer que. Concluindo. 8 . RECEITA EXTRA-ORÇAMENTÁRIA: refere-se às receitas que não integram o orçamento público. as que devem compreender-se na Lei do Orçamento e dela fazer parte e as que devem constituir-se em simples entradas compensatórias financeiras. razão pela qual são classificadas em contas financeiras (sistema financeiro). define-se receita pública como “todo e qualquer recolhimento feito aos cofres públicos. O ente público figura apenas como depositário dos valores que não lhe pertencem. quer seja oriundo de alguma finalidade específica. as despesas nele legalmente empenhadas. mais especificamente como entrada de recursos financeiros que se reflete no aumento das disponibilidades. que o Governo tem direito de arrecadar em virtude de leis. salários não reclamados.

no orçamento público.4 Receitas Agropecuárias 1. São provenientes de recursos financeiros repassados por outras pessoas de direito público e ou privado. e decorrem de um fato permutativo.  TRIBUTÁRIA: são receitas derivadas de tributos em geral. efetivadas pela Administração. que cria acréscimo ao patrimônio.  RECEITAS DE CAPITAL: são as receitas que se destinam à cobertura de despesas de capital a título de investimentos.1 Receitas Tributárias 1. São transações que. as origens correspondem à receita prevista (estimada ou orçada).3 Amortização de Empréstimos 2.9 Outras Receitas Correntes 2 RECEITAS DE CAPITAL 2. RECEITA ORÇAMENTÁRIA: de acordo com a Lei Federal 4. não resultam em constituição ou majoração de seu patrimônio. de 29 de abril de 2004.2 Alienação de Bens 2. operações de crédito e transferências de outras pessoas de direito público ou privado.4 Transferências de Capital 2. pelo Poder Público.Com Seu futuro é o Nosso Presente! Deve-se observar que.3 Receitas Patrimoniais 1. 9 . amortização de empréstimos concedidos.  CONTRIBUIÇÕES: são arrecadações de receitas destinadas à manutenção dos programas e serviços sociais e de interesse público. os recursos.2 Receitas de Contribuições 1. há o surgimento de um passivo exigível que deverá ser restituído ao depositário em datas definidas ou assim que for demandado.5 Outras Receitas de Capital  RECEITAS CORRENTES: são aquelas destinadas a atender despesas classificadas em despesas correntes.“receitas correntes e receitas de capital”. dos impostos. taxas e contribuição de melhoria. que também são subdivididas conforme a seguir: 1 RECEITAS CORRENTES 1. ou seja. 219.5 Receitas Industriais 1. embora o dinheiro recebido de receitas extra-orçamentárias incorpore- se às disponibilidades financeiras da entidade.6 Receitas de Serviços 1.ApostiasBrasil.º.7 Transferências Correntes 1. ou seja.  PATRIMONIAIS: são provenientes da arrecadação. contribuições sociais e econômicas. destinadas a atender despesas classificadas em despesas de capital. de valores provenientes da exploração comercial e financeira de seu patrimônio mobiliário (títulos) e imobiliário (alugues e arrendamentos) e participação societária. e classifica-se em duas categorias econômicas . São provenientes da realização de recursos financeiros oriundos de eliminações de bens móveis e ou imóveis.320/64 e definições estabelecidas pela Portaria STN n. ou que estejam assim definidas em lei.1 Operações de Créditos 2.

armazenagem.  ARRECADAÇÃO: é o ingresso da receita nos cofres públicos. programas de governo. normas ou regulamentos.  OPERAÇÕES DE CRÉDITOS: são os recursos originários pelo lançamento de títulos da dívida pública e/ou de contratos de constituição de dívida por meio de empréstimos e financiamentos internos ou externos.  ALIENAÇÃO DE BENS: são os recursos obtidos de alienação ou venda de bens patrimoniais móveis ou imóveis. culturais. os estágios da receita são:  PREVISÃO: que indica a expectativa da receita por parte da Fazenda Pública e configura o que se pretende arrecadar no exercício financeiro com o objetivo de custear os serviços públicos programados para o mesmo período através da Lei do Orçamento. o produto das receitas pôr eles arrecadadas.Com Seu futuro é o Nosso Presente!  AGROPECUÁRIAS: Advindas diretamente de atividades agropecuárias (criação animal e produção vegetal).ApostiasBrasil.  RECOLHIMENTO: é a ação pelo qual os agentes arrecadadores transferem para o tesouro. etc. de comunicação. Com isto. etc. ESTAGIOS DA RECEITA PÚBLICA: A receita pública flui para os cofres públicos dentro de uma sistemática evolutiva tendo em vista a seqüência operacional que resulta o seu recebimento.  SERVIÇOS: são as provenientes da prestação de serviços públicos.  INDUSTRIAIS: Advindas diretamente de atividades industriais (produção).  LANÇAMENTO: é o ato da repartição competente de inscrever o crédito fiscal ou o proveniente de outras rendas. nas áreas comerciais. de transportes. educacionais. 10 .  AMORTIZAÇÃO DE EMPRÉSTIMOS: refere-se aos valores recebidos como pagamento por empréstimos efetuados a outras entidades de direito público ou privado. Em geral. previstas em leis.  TRANSFERÊNCIAS DE CAPITAL: são recursos financeiros recebidos de outras entidades de direito público ou privado. saúde. originárias da cobrança de multas. nos prazos fixados pela autoridade competente. através da rede bancária ou de tesourarias regularmente constituídas. destinados a atender gastos classificados em despesas de capital. convênios. financeiras. são transferências definidas pela Constituição Federal. indenizações e restituições.  OUTRAS RECEITAS CORRENTES: receitas não previstas nas demais classificações correntes. juros.  TRANSFERÊNCIAS CORRENTES: recursos financeiros recebidos de outras entidades de direito público ou privado destinadas a atender gastos classificados em despesas correntes.

entre eles custeio e investimentos. pelos agentes pagadores para saldar gastos fixados na Lei do Orçamento. sendo estas categorias identificadas seqüencialmente por “Grupos de Natureza de Despesa. destinados à execução dos serviços públicos. consignações e outros. Grupo de natureza da despesa. com redução de disponibilidades. Categoria econômica. a qualquer título. despesa corrente e despesa de capital. depósitos.º 163/2001. compõe-se de: I. Como se vê. conforme estabelecido pela Portaria Interministerial n. tais como vencimentos e vantagens fixas. além dos aumentos patrimoniais e pagamento de dívidas.A classificação da despesa. e objetiva possibilitar a eliminação da dupla contagem dos recursos transferidos ou descentralizados. criando uma obrigação quando da entrada da receita. com reconhecimento dessa obrigação. § 2º . Elemento de despesa. ou mediata. diárias. equipamentos e material permanente.ApostiasBrasil. também a despesa orçamentária se classifica em duas categorias econômicas. bem como o repasse ou restituição para quem de direito das receitas arrecadadas extra-orçamentariamente. obras e instalações. representado essencialmente por uma saída de recursos financeiros. 3º . a qual tem por finalidade indicar se os recursos são aplicados diretamente por órgão ou entidades no âmbito da mesma esfera de Governo ou por outro ente da Federação e suas respectivas entidades. ou seja. material de consumo. segundo a sua natureza. Tais pagamentos correspondem à restituição ou entrega de valores recebidos como cauções. que estabelecem: Art. § 3º . Modalidades de Aplicação e elementos de Despesa”. § 1º . em seu artigo 3º e parágrafos. A exemplo da receita. a despesa pública também se subdivide em orçamentária e extra-orçamentária. II. juros.O elemento de despesa tem por finalidade identificar os objetivos de gasto. DESPESA EXTRA-ORÇAMENTÁRIA: são os pagamentos realizados pela Administração Pública e que não dependem de autorização legislativa.Entende-se por grupos de natureza de despesa a agregação de elementos de despesa que apresentam as mesmas características quanto ao objeto de gasto. são os gastos efetuados com a manutenção dos serviços públicos obrigatórios e para a gestão do patrimônio governamental.Com Seu futuro é o Nosso Presente! 6 PROCESSO DE EXECUÇÃO DA DESPESA PÚBLICA A Despesa Pública caracteriza um dispêndio de recursos do patrimônio público.A natureza da despesa será complementada pela informação gerencial denominada “modalidade de aplicação”. Para tanto. III. e outros de que a administração pública se serve para consecução de seus fins. DESPESA ORÇAMENTÁRIA: constitui-se de toda saída de recursos ou de todo pagamento efetuado. 11 . imediata.

por modalidade de aplicação e por elemento de despesa. As despesas de capital geram mutações patrimoniais ou fatos permutativos. por grupo de natureza. manutenção e funcionamento de suas atividades. equipamentos e demais materiais permanentes. emprego ou função de confiança no setor público. seja por meio de título ou contratual. Categoria Econômica 3 – Despesas Correntes 4 – Despesas de Capital Grupo de Natureza da Despesa 1 – Pessoal e Encargos Sociais 2 – Juros e Encargos da Dívida 3 – Outras Despesas Correntes 4 – Investimentos 5 – Inversões Financeiras 6 – Amortização da Dívida DESPESA CORRENTE: é o grupo de despesas operacionais realizadas pela administração pública. água. a fim de promover a execução. manutenção básica (energia elétrica.As classificações da despesa por categoria econômica.Com Seu futuro é o Nosso Presente! § 4º . pagamento de diárias. para a formação ou aquisição de um bem de capital. aquisição de bens móveis e imóveis. DESPESA DE CAPITAL: é o grupo de despesas que contribuem para formar um bem de capital ou adicionar um valor a um bem já existente. Juros e Encargos da Dívida.  JUROS E ENCARGOS DA DÍVIDA: são as despesas com o pagamento de juros. comissões e outros encargos de operações de crédito internas e externas contratadas. Aquisição de material de consumo.. 12 . à realização de programas especiais de trabalho. para a formação ou aquisição de um bem de capital. Amortizações da Dívida). constam do Anexo II. diretamente. do pagamento dos proventos de aposentadorias. Essas despesas contribuem.  PESSOAL E ENCARGOS SOCIAIS: são as despesas de natura remuneratórias decorrentes do efetivo exercício de cargo.ApostiasBrasil. Outras Despesas Correntes).  OUTRAS DESPESAS CORRENTES: são despesas básicas de manutenção da máquina pública. diretamente. desta Portaria. postagem.  INVESTIMENTOS: despesas necessárias ao planejamento e à execução de obras públicas. e respectivos conceitos e/ou especificações. comunicações. Essas despesas não contribuem.. Inversões Financeiras. § 5º É facultado o desdobramento suplementar dos elementos de despesa para atendimento das necessidades de escrituração contábil e controle da execução orçamentária. (Pessoal e Encargos Sociais. reformas e pensões.). Contabilmente a despesa corrente apresenta-se como um fato modificativo ou diminutivo. (Investimentos. das obrigações trabalhistas de responsabilidade do empregador.

São os pagamentos do principal de uma dívida pública contraída (interna ou externa). Deságios e Descontos Dívida Mobiliária 24 .ApostiasBrasil.  AMORTIZAÇÃO DA DÍVIDA: São despesas ou extinção gradativa de uma dívida por meio de pagamento parcelado. contratual ou mobiliária (em títulos). ou refinanciamento do principal.Vencimentos e Vantagens Fixas .Outras Despesas Variáveis – Pessoal Militar 18 – Auxílio Financeiro a Estudantes 19 – Auxílio Fardamento 20 – Auxílio Financeiro a Pesquisadores 21 – Juros sobre a Dívida por Contratos 22 – Outros Encargos sobre a Dívida por Contrato 23 – Juros.Pessoal Militar 13 – Obrigações Patronais 14 – Diárias Pessoal Civil 15 – Diárias Pessoal Militar 16 – Outras Despesas Variáveis – Pessoal Civil 17 .Com Seu futuro é o Nosso Presente!  INVERSÕES FINANCEIRAS: Entende-se como uma despesa que não resulta na aquisição ou na formação de um bem novo bem como a constituição ou aumento de capital de entidades ou empresas da qual o Estado detenha participação.Outros Encargos sobre a Dívida Mobiliária 25 – Encargos s/ Operações de Crédito por Antecipação de Receita 26 – Obrigações Decorrentes de Política Monetária 13 . Modalidade de Aplicação 10 – Transferências Intragovernamentais (P.STN/SOF 519/2001 – Exclusivamente 2002) 20 – Transferências à União 30 – Transferências a Estados e ao Distrito Federal 40 – Transferências a Municípios 50 – Transferências a Instituições Privadas sem Fins Lucrativos 60 – Transferências a Instituições Privadas com Fins Lucrativos 70 – Transferências a Instituições Multigovernamentais (Portaria STN/SOF 325/2001) 71 – Transferência a Consórcios Públicos 80 – Transferências ao Exterior 90 – Aplicações Diretas 91 – Aplicação Direta Decorrente de Operações Entre Órgãos. Fundos e Entidades 99 – A Definir Elemento de Despesa 01 – Aposentadorias e Reformas 03 – Pensões 04 – Contratação Tempo Determinado 05 – Outros Benefícios Previdenciários 06 – Benefício Mensal Deficiente/Idoso 07 – Contribuições a Entidades Fechadas Previdência 08 – Outros Benefícios Assistenciais 09 – Salário Família 10 – Outros Benefícios de Natureza Social 11 – Vencimentos e Vantagens Fixas .Pessoal Civil 12 .

tais estágios são a o empenho.Com Seu futuro é o Nosso Presente! 27 – Encargos.ApostiasBrasil. a liquidação e o pagamento. Entretanto. Seguros e Similares 28 – Remuneração de Cotas Fundos Autárquicos 30 – Material de Consumo 31 – Premiações Culturais. a despesa também apresenta diferentes estágios.Principal Corrigido Dívida Contratual Refinanciado 81 – Distribuição de Receitas 91 – Sentenças Judiciais 92 – Despesas de Exercícios Anteriores 93 – Indenizações e Restituições 94 . operações com finalidade específica. que compreendem procedimentos. Garantias. Mobiliária Resgate 75 – Correção Monetária Dívida de Operações de Crédito por Antecipação de Receita 76 – Principal Corrigido Dívida Mobiliária Refinanciado 77 .Principal da Dívida Mobiliária Resgatado 73 – Correção Monetária ou Cambial Dívida Contratual Resgate 74 – Correção Monetária ou Cambial Dívida. De acordo com o Regulamento de contabilidade Pública.Indenizações e Restituições Trabalhistas 95 – Indenizações pela Execução Trabalhos Campo 96 – Ressarcimento de Despesas de Pessoal requisitado 99 – A Classificar ESTAGIOS DA DESPESA ORÇAMENTÁRIA: A exemplo da receita. 14 . Honra de Avais. Artísticas e Científicas (Portaria STN/SOF 325/2001) 32 – Material de Distribuição Gratuita 33 – Passagens e Despesas com Locomoção 34 – Outras Despesas de Pessoal Contrato de Terceirização 35 – Serviços de Consultoria 36 – Outros Serviços de Terceiros 37 – Locação de Mão-de-Obra 38 – Arrendamento Mercantil 39 .Outros Serviços de Terceiros – Pessoa Jurídica 41 – Contribuições 42 – Auxílios 43 – Subvenções Sociais 45 – Equalização de Preços e Taxas 46 – Auxílio Alimentação 47 – Obrigações Tributárias e Contributivas 48 – Outros Auxílios Financeiros a Pessoas Físicas 49 – Auxílio Transporte 51 – Obras e Instalações 52 – Equipamentos e Material Permanente 61 – Aquisição de Imóveis 62 – Aquisição de Produtos para Revenda 63 – Aquisição de Títulos de Crédito 64 – Aquisição Títulos Representativos Capital Integralizado 65 – Constituição ou Aumento Capital Empresas 66 – Concessão Empréstimos e Financiamentos 67 – Depósitos Compulsórios 71 – Principal da Dívida Contratual Resgatado 72 .

resumir e interpretar os fenômenos que afetam as situações orçamentárias. a determinação dos custos dos serviços industriais. que cria a obrigação para a administração pública. (art. em troca da quitação da dívida.ApostiasBrasil. suas respectivas autarquias e fundações. a contabilidade pública utiliza contas escrituradas nos seguintes sistemas:  Sistema Orçamentário  Sistema Financeiro  Sistema Patrimonial  Sistema de Compensação. ou seja. o conhecimento da posição patrimonial. o levantamento dos balanços gerais. cuja emissão do empenho não caracteriza). do montante total a ser registrado como valor máximo orçamentário a ser consumido pela Administração Pública na execução do orçamento. a quem devemos pagar e o quanto vamos pagar para extinguir a dívida.4320/64). de acordo com as especificações constantes da lei do orçamento e dos créditos adicionais. à conta dos mesmos créditos. 85 da Lei Federal n. à vista do seu regular processamento. financeiras e patrimoniais das entidades de Direito Público. SISTEMA ORÇAMENTARIO: Evidencia o registro contábil da receita e da despesa. “Os serviços de contabilidade serão organizados de forma a permitir o acompanhamento da execução orçamentária. a despesa empenhada e a despesa realizada. (implemento de condição são as formalidades a serem cumpridas para se ter uma dívida líquida e certa.é a verificação do direito do credor.é o último estágio da despesa. tendo pôr sua vez os documentos comprobatórios de que o material foi entregue.Considerado por alguns autores o primeiro estágio da despesa.Com Seu futuro é o Nosso Presente! alguns autores também consideram a fixação (elaboração orçamentária) e a licitação (na execução orçamentária) como uma das fases da despesa. 90 e 91). acumular.º 4. Distrito Federal e Municípios. FIXAÇÃO . Constitui-se na determinação. Estados. registrar. através de metodologia especialmente concebida para tal. PAGAMENTO . EMPENHO . União. assim como o montante dos créditos orçamentários vigentes. é o primeiro passo para a execução do orçamento no que tange a despesa. Entrega do numerário ao credor. a análise e interpretação dos resultados econômicos e financeiros”.é o ato emanado pela autoridade competente. 15 . e as dotações disponíveis. (art. ou seja. 7 SISTEMAS DE ESCRITURAÇÃO Tendo por objetivo captar. é o ato de determinação do pagamento da despesa. por meio de estudos e cálculos fundamentados. pendente ou não de implemento de condição. LIQUIDAÇÃO . no final do exercício apresenta os resultados comparativos entre a previsão e a execução orçamentária registrados.

Conforme conceituado por Piscitelli. com indicação dos elementos necessários para a perfeita caracterização de cada um deles e dos agentes responsáveis pela sua guarda e administração. como também das não compreendidas na execução orçamentária. desdobrar. no final do exercício. o plano de contas deve permitir:  A identificação. (art. direitos e obrigações. representativos de um estado patrimonial e de suas variações. obrigatoriamente. pelo método das partidas dobradas. especificar. 94 e 95) CONTAS DE COMPENSAÇÃO: Registra e movimenta as contas representativas de direitos e obrigações. A utilização do Plano de Contas se dá. e pelos fundos públicos. não só das compreendidas. bem como mantém registro sintético dos bens móveis e imóveis. o resultado da gestão patrimonial.  A evidenciação da situação de todos quantos arrecadem receitas. Deverá apresentar. a exemplo dos bens de caráter permanente. quando forem elaborados os balanços. dos atos e fatos de uma gestão. que operam por meio do SIAFI/MG. tal competência é de responsabilidade da Superintendência Central de Contadoria Geral – SCCG. classificação e a escrituração contábil. tendo em vista a evolução tecnológica e dos serviços. os saldos de suas contas devem ser incluídos no balanço do sistema patrimonial (operacional). eventos e indicadores contábeis. apresentando no final do exercício o resultado financeiro apurado. conforme estabelecido pela IN/STN n. de forma precisa e clara. previamente definidos. 16 . Muito embora seja um sistema escriturado com elaboração de balancetes mensais independentes. As alterações da situação líquida patrimonial que abrangem os resultados da execução e as superveniências e insubsistências ativas e passivas constituirão elementos do sistema patrimonial. e criar.Com Seu futuro é o Nosso Presente! SISTEMA FINANCEIRO: Engloba todas as operações que resultem débitos e créditos de natureza financeira. bem como expedir e manter o Plano de Contas.º 8 de 14/11/1996. detalhar. No nosso Estado.  O conhecimento da composição e situação do patrimônio. de maneira padronizada. simplesmente. efetuem despesas e administrem ou guardem bens pertencentes ou confiados a uma gestão. (art. inclusive pelos órgãos autônomos. a obtenção dos dados relativos ao patrimônio. (art. pelas entidades da Administração Indireta (autarquias e fundações públicas). a Lei Federal 4. codificar contas. no âmbito da Administração Direta. A Coordenação Geral de Contabilidade da Secretaria do Tesouro Nacional é órgão autorizado a baixar normas e instruções complementares sobre o Plano de Contas da Administração Federal. no final do exercício. convênios ou ajustes. organizados e codificados com o objetivo de sistematizar e uniformizar o registro contábil dos atos e fatos de uma gestão.320/64. 105) 8 PLANO DE CONTAS CONCEITO: O Plano de Contas é o conjunto de títulos.ApostiasBrasil. vinculada à Secretaria de Estado da Fazenda – SEF. o considerou. que serão objeto de registro e controle contábil. como contas de compensação e. uniforme e sistematizada. devendo permitir. extinguir.93) SISTEMA PATRIMONIAL: Registra analiticamente todos os bens.  A determinação dos custos dos serviços industriais. geralmente decorrentes de contratos.

RECEITA: inclui contas que representam os ingressos de recursos.01. com a especificação necessária ao controle contábil do direito e da obrigação. Financeiro. e demonstra a aplicação de recursos. realizada e a realizar.03.  O controle contábil dos direitos e obrigações oriundos de ajustes ou contratos de interesse da gestão. realizada e dotações disponíveis. RESULTADO DO EXERCÍCIO: compreende as contas representativas de variações patrimoniais (negativas e positivas). O Plano de Contas compreende sete níveis de desdobramento. bem como a despesa autorizada.  A individualização dos devedores e credores. PASSIVO: compreende as contas representativas de obrigações.Com Seu futuro é o Nosso Presente!  O acompanhamento e o controle da execução orçamentária. lançada. empenhada. ambos a serem computados na apuração do resultado.  A análise e interpretação dos resultados econômicos e financeiros. Patrimonial e da Demonstração das Variações Patrimoniais.  O levantamento dos Balanços Orçamentário. resultantes ou independentes da execução orçamentária. classificados e codificados de acordo com a seguinte estrutura: Exemplo: 112.00 1º NÍVEL – CLASSE: 1 Ativo 2º NÍVEL – GRUPO: 1 Circulante 3º NÍVEL – SUBGRUPO: 2 Créditos em Circulação 4º NÍVEL – ELEMENTO: 01 Créditos e Valores 5º NÍVEL – SUBELEMENTO: 03 Dívida Ativa 6º NÍVEL – ITEM: 01 Principal 7º NÍVEL – SUBITEM: 00 O primeiro nível representa a classificação máxima na agregação das contas nas seguintes “classes”:  ATIVO  PASSIVO  DESPESA  RECEITA  RESULTADO DIMINUTIVO DO EXERCÍCIO  RESULTADO AUMENTATIVO DO EXERCÍCIO ATIVO: compreende as contas relativas aos bens e direitos. As contas de resultado são classificadas nas 17 . DESPESA: compreende as contas representativas dos recursos despendidos na gestão.01.ApostiasBrasil. No tocante à Estrutura. a serem computadas na apuração do resultado. evidenciando a receita prevista. evidenciando a origem dos recursos.

ApostiasBrasil.2 Receita de Contribuição (F) 3.1.4.9 Compensações Ativas Diversas (C) 2.2.9.1 Receita Orçamentária (P) 5.9 Outras Receitas Correntes (F) 3.2 Obrigações Exigíveis a Longo prazo (P) 2.3 Despesas Correntes 4.4 Receita Agropecuária (F) 4.9.1 Resultado Orçamentário 6.3 Resultado Apurado 6.3.2 Realizável a Longo Prazo 2.2 Execução Orçamentária Despesa (O) 1.1 Resultado Orçamentário 5.2.1.1 Disponível (F) 2.3 Acréscimos Patrimoniais (P) 6.1.2 Juros e Encargos da Dívida (F) 4.1.6 Amortização da Dívida (F) 4.3 Créditos Financeiros a Receber 2.3 Diferido (P) 1.9 Compensado 1.1 Investimentos (P) 2.1.5 Deduções do FUNDEB (R) 5 RESULTADO DO EXERCÍCIO (-) 6 RESULTADO DO EXERCÍCIO (+) 5.1 Res. Prazo (P) 2. Patrimonial Superavitário / Deficitário (P) 9 TÓPICOS ESPECIAIS DE CONTABILIZAÇÃO: RESTOS A PAGAR 18 .1.1.1.1.2.Com Seu futuro é o Nosso Presente! classes 5 – Resultado Diminutivo do Exercício (Variação Passiva) e 6 – Resultado Aumentativo do Exercício (Variação Ativa).3 Mutações Passivas (P) 6. Prazo (P) 2.3 Créditos Financeiros a Liberar 1.3.2 Interferências Passivas (P) 6.3 Outras Despesas Correntes (F) 4.2 Alienação de Bens (F) 3. 1 ATIVO 2 PASSIVO 1.7 Transferências Correntes (F) 4.5 Outras Receitas de Capital (F) 4.1.3.4 Patrimônio líquido 1.5 Inversões Financeiras (F) 4.1 Circulante 2.2 Créditos Realizáveis L.9.1 Depósitos Exigíveis a Longo Prazo (P) 1.4.2.1.2.1 Depósitos Realizáveis L.3 Mutações Ativas (P) 5.3.9 Compensado 2.1.1 Depósitos (F) 1.4.1 Despesa Orçamentária (P) 6.2 Interferências Ativas (P) 5.9 Compensações Passivas Diversas (C) 3 DESPESA 4 RECEITA 3.1 Operações Intragovernamentais 2.1.9 Outras Exigibilidades (P) 1.2 Exigível a Longo Prazo 1.1.4.9.1 Circulante 1.3 Bens e Valores em Circulação (P) 2.1 Execução Orçamentária Receita (O) 2.6 Receita de Serviços (F) 4.1.4.4.1 Patrimônio / Capital (P) 1.3.2 Fixação Orçamentária Despesa (O) 2.1.9.4 Investimentos (F) 4.1 Operações de Crédito (F) 3.3.4 Transferências de Capital (F) 4.2.2 Resultado Extra-Orçamentário 5.3 Empréstimos/Financiamentos em Circulação (F) 1.1.2.4.9.2.4 Despesas de Capital 4.1 Receitas Correntes 3.1.1 Pessoal e Encargos Sociais (F) 4.2.1 Receita Tributária (F) 3.5 Receita Industrial (F) 4.2.9.3 Receita Patrimonial (F) 4.1 Previsão Orçamentária Receita (O) 1.4 Permanente 2.2 Imobilizado (P) 2.1 Operações Intragovernamentais 1.3 Decréscimos Patrimoniais (P) 6.9 Deduções da Receita (R) 4.4.1.2.2 Reservas (P) 1.1.2 Receitas de Capital 3.3 Amortização de Empréstimos / Financiamento (F) 4.2 Créditos em Circulação (F) 2.2 Obrigações em Circulação (F) 1.2 Resultado Extra-Orçamentário 6.2.

 EXEMPLIFICAÇÃO DOS REGISTROS CONTÁBEIS: Conforme já destacado na abertura do disposto deste tema. são consideradas como Restos a Pagar Processados.Restos a Pagar (F) 10 TÓPICOS ESPECIAIS: DESPESAS DE EXERCÍCIOS ANTERIORES O orçamento anual consigna dotação específica destinada a fazer face aos pagamentos de despesas resultantes de compromissos gerados em exercício financeiros já encerrados. Restos a Pagar Processados .RPNP são as despesas que concluíram apenas o estágio do empenho. art. II. as despesas que já foram empenhadas e liquidadas e que se encontram pendentes apenas de pagamento. quando do encerramento de um exercício financeiro. assim considerada a despesa cuja inscrição em restos a pagar tenha sido cancelada. devem passar do estágio do “empenho” para “Restos a Pagar Não processado” conforme registros a seguir: Restos a Pagar Não Processado: D – Passivo Compensado / Despesa Empenhada (O) C – Passivo Compensado / Despesa Realizada (O) D – Despesa (F) C – Passivo Circulante / Obrigações a Liquidar de Exercícios Anteriores .RPP são aquelas despesas com completaram o estágio da liquidação. ainda vigendo o direito do credor. para as quais o orçamento respectivo consignava crédito próprio com saldo suficiente para atendê-las. I.  Os compromissos decorrentes de obrigação de pagamento criada em virtude de lei e reconhecidos após o encerramento do exercício. distinguindo-se as despesas processadas das não processadas”. “consideram-se Restos a Pagar as despesas empenhadas e não pagas até 31 de dezembro.320/1964.Com Seu futuro é o Nosso Presente! De acordo com a Lei n.  Os restos a pagar com prescrição interrompida. e que se encontram prontas para pagamento. A Lei Federal 4. enquadra tais compromissos como “despesas de exercícios anteriores”. em termos de registros contábeis.ApostiasBrasil. não são efetuados qualquer tipo de contabilização para evidenciar a situação de Restos a Pagar Processado. que não se tenham processado na época própria. assim entendidas aquelas cujo empenho tenha sido considerado insubsistente e anulado no encerramento do exercício correspondente. mas cuja obrigação tenha sido cumprida pelo credor no prazo estabelecido. 36.320/1964. Restos a Pagar Não Processados . em seu artigo 37. 19 . identificadas no Passivo Circulante por meio das contas contábeis de Obrigações Liquidadas a Pagar.º 4. identificadas no Passivo Circulante por meio das contas contábeis de Obrigações a Liquidar de Exercícios Anteriores. porém ao término do exercício encontram-se pendentes de liquidação e pagamento. que são:  As despesas de exercícios encerrados. Considerando que já se encontram no estágio de Obrigação Liquidada a Pagar. Já as despesas que foram empenhadas. e que se encontram pendentes de liquidação e pagamento.

observados os seguintes limites para cada adiantamento: I . No tocante a legislação mineira.O regime de adiantamento consiste na liberação de numerário para servidor previamente credenciado pelo Ordenador de Despesa.924/1996. quando não for possível a contratação da despesa pelos caminhos formais. Empenho: D – Passivo Compensado / Créditos Disponíveis (O) C – Passivo Compensado / Despesa Empenhada (O) Liquidação: D – Passivo Compensado / Despesa Empenhada (O) C – Passivo Compensado / Despesa Realizada (O) D – Despesa (F) C – Passivo Circulante / Obrigações Liquidadas a Pagar (F) Pagamento: D – Passivo Circulante / Obrigações Liquidadas a Pagar (F) C – Ativo Disponível / Bancos Conta Movimento (F) 11 TÓPICOS ESPECIAIS: REGIME ESPECIAL DE ADIANTAMENTO É a modalidade de realização de despesa por meio de adiantamento concedido a servidor. 24 . para prestação de contas posterior. por meio dos artigos 24 a 31. Art. para a realização de despesas que não possam se submeter ao processo normal de pagamento.ApostiasBrasil.combustíveis e lubrificantes para veículo em viagem: até R$ 150.transporte urbano em viagem: até R$ 150. sempre precedido de empenho estimativo na dotação própria. III . 20 .00. o regime especial de adiantamento encontra-se consubstanciado no Decreto n.Com Seu futuro é o Nosso Presente!  EXEMPLIFICAÇÃO DOS REGISTROS CONTÁBEIS: Apesar da terminologia específica de “Despesas de Exercícios Anteriores” na prática os registros contábeis dos fatos que se enquadrarem nessa natureza são efetuados considerando os mesmos estágios e classificações contábeis utilizadas quando da contratação de qualquer outras despesa corrente ou de capital. II .º 37. 25 .00. A única diferença vem a ser quanto à “classificação econômica” da despesa (nível auxiliar) que neste caso será de Despesas de Exercícios Anteriores – DEA. conforme a seguir: SEÇÃO IV DO REGIME ESPECIAL DE ADIANTAMENTO Art.Somente será permitido o regime de adiantamento para as despesas abaixo mencionadas.00.reparos de veículos em viagem: até R$ 150.

devidamente justificadas. registrando-se a responsabilidade do servidor na conta Diversos Responsáveis. serão autorizados pela Junta de Programação Orçamentária e Financeira . 10.diligências policiais: até os limites fixados pelo Ordenador de Despesa. § 4º .Ao servidor que não recolher o saldo do adiantamento. contados da data do crédito em conta do favorecido. devendo a prestação de contas ser cumprida no prazo máximo de 3 (três) dias úteis. no prazo por ele estabelecido. § 7º . instaurando-se processo administrativo e comunicando o fato ao Tribunal de Contas do Estado. § 5º . caracterizadas e amparadas por documentação comprobatória hábil. V e VI deste artigo. com a redação dada pelo artigo 13 da Lei nº. anulando-se a apropriação da despesa. no prazo máximo de 2 (dois) dias úteis. exceto para as despesas previstas nos incisos I. de 16 de junho de 1993. 26 . § 1º .A aplicação do adiantamento é limitada ao valor concedido.ApostiasBrasil.Com Seu futuro é o Nosso Presente! IV .mediante justificativa circunstanciada do dirigente do órgão ou entidade.despesas miúdas: até R$ 200. reconhecidas e aprovadas pelo Ordenador de Despesa em despacho fundamentado. § 8º .A concessão de adiantamento para as despesas previstas nos incisos I. 27 . § 3º .Caso o responsável pela aplicação do adiantamento não cumpra os prazos estabelecidos nos §§ 1º e 3º deste artigo. poderão ser processadas pelo regime de ressarcimento.363. II e III deste artigo.Ficam estabelecidos os prazos máximos de 30 (trinta) dias corridos para a aplicação dos adiantamentos e de 40 (quarenta) dias corridos para sua comprovação. II e III deste artigo depende da autorização da viagem. Art.Os adiantamentos para a realização de despesas não previstas nos incisos I a IV do artigo 25 deste Decreto. aplica-se o disposto no § 4º do artigo 8º da Lei nº.  EXEMPLIFICAÇÃO DOS REGISTROS CONTÁBEIS: 21 .JPOF . § 9º . sendo vedado o ressarcimento de despesa excedente. VI .As despesas de caráter emergencial. 11. ou que excedam os limites ali estabelecidos. V .00.O servidor que receber adiantamento é obrigado a prestar contas dentro do prazo determinado pelo Ordenador de Despesa.Se o responsável pela aplicação do adiantamento não atender às solicitações do Tomador de Contas. nem a quem já for responsável por dois adiantamentos.Não será concedido adiantamento a servidor em alcance ou em atraso na prestação de contas de adiantamento anterior. para as despesas especificadas nos incisos IV. o adiantamento será considerado alcance. de 27 de dezembro de 1990. § 2º . Art.eventuais de gabinete: até os limites previstos no artigo 30. § 6º .114.Será responsabilizado o Ordenador de Despesa que conceder adiantamento para execução de despesas que possam submeter-se ao processo normal de realização. que determinará a tomada de contas. observada a classificação orçamentária informada na Nota de Empenho. contados da data do retorno à sede. a Superintendência de Finanças ou unidade administrativa equivalente comunicará imediatamente o fato ao Ordenador de Despesa. não utilizado nos prazos estabelecidos nos §§ 1º e 3º deste artigo. observado o disposto nos §§ 1º e 3º deste artigo.

 Quando da desincorporação de um bem ou um direito deve-se efetuar registro a débito de “resultado diminutivo do exercício” podendo este ser de origem orçamentária (alienação ou venda) ou de origem extra orçamentária (doação a terceiros. a crédito do “passivo patrimonial / exigível a longo prazo” correspondente. considerando:  Quando da incorporação de um bem ou um direito deve-se efetuar registro a débito do “ativo” e a crédito de “resultado aumentativo do exercício” podendo este ser de origem orçamentária (aquisição ou contratação) ou de origem extra orçamentária (doação de terceiros. ou seja. a crédito do “ativo” correspondente.  Quando da incorporação de uma obrigação passiva (normalmente operações de crédito contraídas) deve-se efetuar registro a débito de “resultado diminutivo do exercício” podendo este ser de origem orçamentária (contratação / receita) ou de origem extra orçamentária (correção monetária ou juros). doação ou aquisição) bem como a baixa (seja por utilização. adota-se os estágios normais de execução da despesa orçamentária. da liquidação e do pagamento. tais obrigações também devem obedecer aos estágios do empenho. transferências de terceiros ou mesmo correção monetária). os registros irão ocorrer dependendo da forma da operação efetuada. 22 . transferências a terceiros ou mesmo correção monetária negativa). dada a necessidade de se ter um controle complementar deste tipo de transação junto as contas do Sistema de Compensado ou Contas de Compensação. transferência ou alienação) de materiais de consumo e ou permanente.Com Seu futuro é o Nosso Presente! Quando da escrituração de despesa por meio de suprimento de fundos ou regime especial de adiantamento. Entretanto. (trata-se de um adiantamento cujo objeto do gasto é passível de prestação de contas futura):  Empenho (rotina normal)  Liquidação (rotina normal) Pagamento: D – Passivo Circulante / Obrigações Liquidadas a Pagar (F) C – Ativo Disponível / Bancos Conta Movimento (F) D – Compensações Ativas Diversas / Responsáveis por Adiantamentos (C) C – Compensações Passivas Diversas / Contrapartida (C) Baixa (Prestação de Contas): D – Compensações Passivas Diversas / Contrapartida (C) C – Compensações Ativas Diversas / Responsáveis por Adiantamentos (C) 12 TÓPICOS ESPECIAIS: MOVIMENTAÇÕES PATRIMONIAIS As contabilizações de movimentações patrimoniais normalmente encontram-se associadas ao recebimento (seja por transferência.ApostiasBrasil. Pelo exposto.

500.100. Arrebentação.00.02. conforme a natureza de cada conta.100. saldos devedores e saldos credores de todas as contas. 13 BALANCETE DE VERIFICAÇÃO Define-se por “balancete de verificação”. O balancete poderá ser apresentado em duas ou quatro colunas.00 212.00 Pensões Alimentícias 1.00 141.00.00 113.00 212.02.01.00 Ativo Real Líquido 39.01.01. créditos.01.00 142. Posição em 31/01/2007 CÓDIGO DESCRIÇÃO DÉBITO CRÉDITO 111.04.00 TOTAIS 88.900.00 Matéria Prima 3. dados estes extraídos da contabilidade (contas que apresentarem saldos iniciais e movimentações no período).01.01.02.200.00 111.00.02. A técnica utilizada é o “balancete de verificação”.00.01.00.01.00 Operações de Crédito Interna Contrato 27.01.04. o total dos débitos será sempre igual ao total dos créditos.00 212.00 142. Periodicamente.00 88.700.00 Outras Despesas Correntes 2.00 Investimentos (a pagar) 4.00.00 Cauções e Garantias 3.01.200.01.03.M.00 Bcos.00 113.00 211.00 Dívida Ativa .02.00 122. Balancete de Verificação – P.00 Bens Imóveis 22.01.00 IRRF 870.00 211.00 111. troca de nomenclatura das contas não serão detectados.01. ou seja.950.00. a relação de todas as contas com seus respectivos saldos. Posição em 31/01/2007 CÓDIGO DESCRIÇÃO SALDO SALDO 23 .01.01.00.00.800.500.Principal 25.M.01.850.01.330.00. apresentando somente os saldos devedores e credores. Somente é possível detectar por meio do balancete de verificação erros matemáticos ou de lançamento incompleto (débito sem o crédito.02.00. Recursos Diretamente Arrecadados 12. Arrebentação.00. devedores ou credores.400.00 Balancete de Verificação – P. ou seja.700.00 222. os lançamentos contábeis devem ser verificados.00.04.00. crédito sem débito. bem como o movimento dos débitos e créditos realizados nas mesmas.01.500. dois créditos).00 211.01. O balancete de verificação consiste em verificar se os débitos efetuados foram iguais nos créditos e se os saldos devedores foram iguais aos credores.00.00 Bancos Convênios 6.00.Com Seu futuro é o Nosso Presente!  Quando da desincorporação de uma obrigação passiva deve-se efetuar registro a débito do “passivo patrimonial / exigível a longo prazo” a crédito de “resultado aumentativo do exercício” podendo este ser de origem orçamentária (pagamento / amortização da dívida) ou de origem extra orçamentária (cancelamento ou atualização monetária negativa ou mesmo redução de taxas cambiais).850.02.00 Pessoal e Encargos 9.01.00 Participações Societárias Integralizadas 8.450.00.00 241.ApostiasBrasil.00. Erros como inversão de lançamento. ou apresentando os débitos.00 Material de Consumo 2.00 Bens Móveis 6.00 Caixa 500.01. dois débitos.00. Esse tem como base o método das partidas dobradas.

00 Partic.00.01. metodologia e regras consubstanciadas na Contabilidade Pública.800 113.04 Bancos recursos de convênios 2. Rec.000 142.00 142.00 22. a Contabilidade Pública.00 212.000.00 Ativo Real Líquido -39.000.00 212.00 -870.02.500.00 150.01.01. Arrecadados 15.02 Pensões alimentícias 2.00 Bens móveis 25.000 212.01.00 Matéria Prima 2.800.270.00 Caixa 500 211.450.04.500.00 300.00 0.230.00 211.100.00 0.00 Pessoal e encargos sociais 13.100.120.900.00 25.000.00 -39.03.01.01.00 -2.01.300.500.Com Seu futuro é o Nosso Presente! CONTAS DAS CONTAS CONTÁBEIS ANTERIOR DÉBITO CRÉDITO ATUAL 111.01 Bancos recursos da conta única 2.00 Cauções e Garantias -3.000 111.01.00 17.00 Pensões Alimentícias -1.01.00 0.00 870. 24 .00 Patrimônio/capital 2.270.000 111.02.00 -9.01.00 -1.400.700 Especificamente no tocante à Contabilidade Pública.01.04 Estoques matéria prima 400 212.00 0.950.00 1.200.00 Investimentos (a pagar) -4.01.00 1.800.00 122.700.000 211.04.02.03.200 111.450.000.00 Investimentos 7.01. como Orçamentário. Financeiro.01.00 0.02.00 8.00 0.02.00 Operações crédito internas contratos 23.00 Pessoal e Encargos -9.00 6.00 142.00 1.00 Outras despesas correntes 14.00 0.500. 14 BALANÇOS E DEMONSTRAÇÃO DAS VARIAÇÕES PATRIMONIAIS  CONSIDERAÇÕES INICIAIS Os balanços públicos possuem uma característica muito própria de apresentação.00 9.01.00 0.120.00 BALANCETE DE VERIFICAÇÃO – FUNDAÇÃO VAI COM DEUS Posição em 30/11/2006 CÓDIGO CONTAS DEVEDORAS SALDO CÓDIGO CONTAS CREDORAS SALDO 111.900.01.00 0.04 Aplicações recursos de convênios 3.700.01.00 0.00 Bcos.ApostiasBrasil.00 950.00 111.00 0.000 141.000 142.01. está estruturada e organizada em sistemas específicos.02 Bancos RDA 1.00 -4.01.00 113.00 212.00 IRRF -1.01.00 0.01.00 Bens Móveis 6.00 12.00 0.500 212. Patrimonial e Contas de Compensação.00 Bancos Convênios 6.00 9.00 241.00 0.02.00 -3.00 Oper.00 211.000 222.200.00 111.01.600 111.00 300.100.01.00 113.00 Outras Despesas Correntes -3. Por sua vez.000.00 1.700 Total 80.200.01.00.700 Total 80.02.500.000.02.00 0.04.00 Bens imóveis 41.000 241.00 2.01. regulamentares e técnicos.01.03. dada a sua característica de trabalhar com sistemas específicos.00 Material de Consumo 3. ao elaborar um balancete de verificação o mesmo deverá englobar todas as contas que apresentarem saldo ou movimentação independentemente de qual sistema venha pertencer.00 TOTAIS 0.06.400 113.00 222.00 Participação societária 3.00 2.02.250.00 Caixa 1.200.00 0.01.02.01.00 500.330.00 500. para melhor atender aspectos legais.01.04. até porque sua elaboração está baseada na escrituração dos atos e fatos das entidades públicas e obedece às condições.000.00 Bens Imóveis 22.00 1. Societárias Integralizadas 8.00 -27.00 Operações crédito internas títulos 13.330.01.00 141.01.800 212.100.00 211.03 Retenções previdenciárias 1.00 0.00 0.00 Juros e encargos da dívida 1. Diret.00 3.01.500.00 Dívida Ativa .00 2.00 17.00 1.00 6.00 0.500 212.00 Amortização da dívida 2. Crédito Interna Contrato -27.270.230.02.02.270.Principal 23.02 Estoques bens para premiação 1.000 222.700.

ainda. Correntes Créditos Receitas Diversas Especiais Receitas Capital Operações Crédito Créditos Alienação Bens Extraordinários Transf. o previsto e o realizado. que.320/64. uma de "receita" e outra de "despesa". em que se distribuem não só as receitas previstas no orçamento. o balanço orçamentário está estruturado em um quadro com duas seções.º 4. Capital SOMA SOMA DÉFICIT SUPERÁVIT TOTAL TOTAL Conforme se observa no Anexo n.º 12.LEI FEDERAL N.ApostiasBrasil. as despesas fixadas e as realizadas.320/64 instituiu como "demonstrativos e comparativos". podemos conceituar balanço orçamentário como um quadro de contabilidade com duas seções. são apresentadas quatro peças denominadas:  Balanço Orçamentário  Balanço Financeiro  Balanço Patrimonial  Demonstração das Variações Patrimoniais Deve-se considerar. º 4. "demonstrará as receitas e despesas previstas em confronto com as realizadas".320/64. o que é feito por meio de Anexos. e identicamente. cujo balanço. de acordo com o artigo 102 da Lei n. para se conhecer melhor a composição do patrimônio público. conforme a seguir: ANEXO 12 . que a Lei n.º 4. Assim. igualando-se as somas opostas com os resultados. além das quatro peças correspondentes. RECEITA DESPESA Títulos Previsão Execução Diferenças Títulos Fixação Execução Diferenças Receitas Correntes Créditos Tributária Orçamentários e Patrimonial Suplementares Industrial Transf. para refletir os resultados dos atos e fatos praticados pelas entidades públicas. e cada uma delas apresenta três colunas: 25 .320/64. e o déficit ou superávit. Balanço Orçamentário Iniciamos a abordagem da estrutura dos balanços de cada sistema pelo "sistema orçamentário". como também as realizadas.Com Seu futuro é o Nosso Presente! Em razão da organização em que está escriturada a Contabilidade Pública. outros relatórios existem para demonstrar com detalhes as discriminações e especificações necessárias ao atendimento e esclarecimento de seu conteúdo. na qual se apresenta como Anexo 12. O balanço orçamentário deve ser elaborado obedecendo-se a um modelo agregado à Lei n.º 4.

00 Soma 43. segue um padrão de valores consolidados por grandes grupos de contas que envolvem a classificação econômica da receita e ao montante de créditos autorizados na lei do orçamento e respectivas suplementações no que diz respeito à despesa.00 -600.00 Extraordinários 9.000. Ao tomar conhecimento dessa estrutura apresentada pelo balanço orçamentário. Déficit e Total.  A segunda coluna refere-se à execução da receita de um lado.500. identificados como Soma.Com Seu futuro é o Nosso Presente!  Na seção da receita.800.00 -500. que corresponde à diferença entre a receita prevista e a executada.00 16. Superávit e Total.00 Suplementares 35. também. o contador deve atentar-se para o fato de que sua leitura e conseqüente interpretação devem ser feitas considerando-se necessariamente: a) O relacionamento entre as colunas de previsão da receita com a de fixação da despesa.00 Soma 45.00 35.300.000. Soma.900. de outro.000. A apresentação dos dados no balanço orçamentário.00 -100. tanto para a receita quanto para a despesa são apresentados três resultados para cada uma das três colunas.000.  Na terceira coluna verifica-se de um lado a demonstração da diferença existente à receita prevista e a executada.00 300. c) A coluna de diferença da seção da receita. Ao final de cada seção. e a diferença ocorrida entre a despesa fixada e a executada. com relação à coluna de diferença da seção da despesa. a primeira coluna apresenta a despesa fixada.00 -1.900. Exemplo 1: BALANÇO ORÇAMENTÁRIO Receita Previsão Execução Diferença Despesa Fixação Execução Diferença Iniciais e Corrente 27.00 Déficit Superávit Total Total Exemplo 2: BALANÇO ORÇAMENTÁRIO Receita Previsão Execução Diferença Despesa Fixação Execução Diferença 26 .000. na seção da receita. a primeira coluna apresenta a receita prevista e.ApostiasBrasil.00 8. de outro. na seção da despesa.00 Especiais 1.00 44.000.00 0.000. na parte da despesa.200.00 Capital 16. b) O relacionamento entre as colunas de execução da receita com a de execução da despesa.00 41. que corresponde à diferença entre a despesa fixada e a executada.00 1. e. à execução da despesa.00 -1. e.00 25.500.500. como acontece com a maioria dos balanços das entidades públicas.500.

720.000.00 Déficit Superávit Total Total Balanço Financeiro Pode-se dizer que o balanço financeiro é um quadro da contabilidade com duas seções. igualando-se as duas somas com os saldos de caixa (disponível).400.200.600.00 87.00 Extraordinários 13.050. "receitas" e "despesas".00 Soma 57.00 13.00 39.00 Soma 52.800.000.700.200.600.00 Capital 16.00 13.00 -6.00 54.600.000.800.00 Suplementares 73.200.500.100.Com Seu futuro é o Nosso Presente! Iniciais e Corrente 44.00 12.00 Especiais 12. - Soma 103.00 73.800.00 72. A Lei n.º 4.00 14. demonstrando- se as operações de tesouraria e de dívida pública.00 59.950.00 -1.450.00 45.00 Capital 13.120.00 Capital 15.00 -550.00 39.00 Déficit Superávit Total Total Exemplo 3: BALANÇO ORÇAMENTÁRIO Receita Previsão Execução Diferença Despesa Fixação Execução Diferença Iniciais e Corrente 37.200.000.000.00 1.200.000.00 Soma 103.00 -1.00 -100.00 52.00 -800.00 Soma 56.900.000.00 1.000.200.00 Déficit Superávit Total Total Exemplo 4: BALANÇO ORÇAMENTÁRIO Receita Previsão Execução Diferença Despesa Fixação Execução Diferença Iniciais e - Corrente 87.000.000. conforme modelo a seguir: 27 .00 -1.800.500.800.000.00 13.600.00 .00 Especiais 1.00 -2.000.900.720.00 -50.00 Suplementares 40.00 39.000.00 -50.720.000.00 -1.000.400.00 14.00 53.300.000. o inicial e o existente ao final do exercício.00 -1.00 89.320/64 apresenta o Anexo 13 que deverá ser utilizado para constituir o balanço financeiro.200.00 15.00 Extraordinários 15.00 2.00 400. em que se distribuem entradas e saídas de numerário.000.600.ApostiasBrasil.600.000.00 Extraordinários 17.00 950.00 2.600.200.00 -6.00 14.00 Especiais 1.00 Soma 54.00 950.00 Suplementares 39.00 11.400.00 5.

e os que se transferem para o exercício seguinte". Na movimentação dinâmica que. no início do exercício quanto há nele guardado (em caixa/bancos) e disponível. ou seja.º 4.320/64. estruturalmente. na parte da despesa. e não 28 .) Depósitos Diversas Origens Depósitos Diversas Origens SALDO EXERCÍCIO ANTERIOR SALDO EXERCÍCIO SEGUINTE Disponível Disponível Caixa Caixa Bancos Conta Movimento Bancos Conta Movimento Bancos Conta Vinculada Bancos Conta Vinculada TOTAL TOTAL Tal como acontece nas imagens figurativas. e o saldo que passa para o exercício seguinte. quer de origem não orçamentária. que se igualam. Guardadas as devidas proporções.ORÇAMENTÁRIA Restos a Pagar (em aberto) Restos a Pagar (pagos no exerc. também por força dessa movimentação dinâmica. como se observa.LEI FEDERAL N. na parte da receita. RECEITA DESPESA Títulos R$ R$ R$ Títulos R$ R$ R$ ORÇAMENTÁRIA ORÇAMENTÁRIA Receitas Correntes Legislativa Receita Tributária Judiciária Receita Patrimonial Administração Receita Industrial Defesa Nacional Transferências Correntes Segurança Pública Receitas Diversas Educação Saúde Receita de Capital Trabalho Alienação de Bens Cultura Amortização de Empréstimos Direitos a Cidadania Transferência de Capital Gestão Ambiental EXTRA – ORÇAMENTÁRIA EXTRA . teremos a seguinte situação: saldo inicial (exercício anterior) + entradas (receitas) . a somatória das operações de característica financeira realizadas durante o exercício.320/64. computando-se os saldos do exercício anterior. tudo o que for retirado do cofre em numerário ou saque bancário será considerado Despesa e poderá ser de origem orçamentária ou extra-orçamentária. e ser deduzido dos valores existentes no cofre. e será acrescido aos valores já existentes no cofre. isto é. conjugados com os saldos em espécie provenientes do exercício anterior. em caso contrário. º 4. Evidentemente.ApostiasBrasil. quer de origem orçamentária. O balanço financeiro. é um quadro com duas seções.) Serviço da Dívida a Pagar Serviço da Dívida (pagos no exerc.Com Seu futuro é o Nosso Presente! ANEXO 13 . uma de "receita" e outra de "despesa". o balanço financeiro poderia ser representado como um grande cofre. tudo o que entrar em numerário ou depósito bancário será considerado Receita. ocorrerá durante o exercício financeiro. os movimentos ocorridos por meio das operações financeiras. No balanço financeiro devem ser demonstrados os "movimentos do exercício". fatalmente. em seu artigo 103 "o balanço financeiro demonstrará a receita e despesas orçamentárias bem como os recebimentos e os pagamentos de natureza extra- orçamentária. registrando todas essas movimentações.saídas (despesas) = saldo existente (que passa para o exercício seguinte). pois de acordo com a Lei n. o que o balanço financeiro demonstra é exatamente essa equação.

00 Saldo Exercício 8.00 29 .200. Extra- Orçamentárias 7.500.00 Exemplo 2: BALANÇO FINANCEIRO Receitas $ $ $ Despesas (saídas) $ $ $ (entradas) Orçamentárias 66.000. Extra- Orçamentárias 12.000.00 Total 81.000. deve-se considerar a soma total do saldo que passa para o exercício seguinte e subtrair a soma total do saldo do exercício anterior. o que.000. e déficit no caso de ser negativo. se a somatória total das entradas (receitas) for menor do que a somatória total das saídas (despesas).00 Total 71.200.500.000.00 Saldo P/ Exercício 5. e um déficit também do ponto de vista financeiro.000.000. demonstrará se houve acréscimo ou diminuição dos recursos financeiros.00 Orçamentárias 9.200. Exemplo 1: BALANÇO FINANCEIRO Receitas $ $ $ Despesas (saídas) $ $ $ (entradas) Orçamentárias 53.000.00 Orçamentárias 67.000. em termos de superávit ou déficit financeiro.00 Orçamentárias 102. em relação à movimentação financeira ocorrida no exercício. se a somatória total das entradas (receitas) for maior que a somatória total das saídas (despesas). Para identificar o resultado financeiro apresentado por esse balanço.00 Anterior Seguinte Total 81.00 Orçamentárias 5.ApostiasBrasil.00 Saldo Exercício 6. apresentará como resultado um superávit do ponto de vista financeiro. Portanto. em última instância.00 Exemplo 3: BALANÇO FINANCEIRO Receitas $ $ $ Despesas (saídas) $ $ $ (entradas) Orçamentárias 103. Os únicos saldos que são apresentados nesse balanço são os correspondentes às disponibilidades do exercício anterior e as que passam para o exercício seguinte.500.00 Extra.000.00 Anterior Seguinte Total 71. o balanço financeiro.000.00 Saldo P/ Exercício 11.200.00 Extra. o resultado será superávit se o saldo for positivo.Com Seu futuro é o Nosso Presente! somente os saldos das contas.00 Orçamentárias 54.

Mutações Patrimoniais.500. 4. A demonstração das variações patrimoniais evidencia as alterações que ocorreram no patrimônio. pois contribuem para a diminuição do patrimônio público.000. 1.500.000. Essas variações podem decorrer da execução orçamentária ou ser independentes dela.00 Extra. dívida liquidada.ApostiasBrasil. depreciação ou valorização. aquisição. resultantes ou independentes da execução orçamentária. Portanto. 15. e Independentes da Execução Orçamentária.00 Total 117. por isso.00 Orçamentárias 96.Com Seu futuro é o Nosso Presente! Extra. Portanto. e indica o resultado patrimonial do exercício.500. Mutações Patrimoniais. amortização. as variações ativas são classificadas em três grandes grupos: Resultante da Execução Orçamentária.00 Total 100.00 Saldo P/ Exercício 1. em duas seções: Variações Ativas e Variações Passivas. resultante de alterações nos valores de qualquer dos elementos do patrimônio público.00 Exemplo 4: BALANÇO FINANCEIRO Receitas $ $ $ Despesas (saídas) $ $ $ (entradas) Orçamentárias 95.00 Saldo P/ Exercício 0. e Independentes da Execução Orçamentária. Nela são demonstrados os registros do sistema patrimonial. 3. evidenciando a movimentação ocorrida no patrimônio.000. As variações passivas são alterações que ocorrem nos elementos patrimoniais e provocam a diminuição do patrimônio público. além dos efeitos da execução orçamentária da receita e da despesa. 30 .500. apresenta as modificações registradas do ponto de vista contábil. As variações ativas são as alterações que ocorrem nos elementos patrimoniais resultando um aumento no patrimônio público.000.00 Orçamentárias Orçamentárias Saldo Exercício 13. ou seja.00 Anterior Seguinte Total 117. pois contribuem para que o patrimônio seja aumentado.00 Demonstração das Variações Patrimoniais: A demonstração das variações patrimoniais evidencia as alterações verificadas no patrimônio. ou seja.500.500.00 Extra.00 Orçamentárias Orçamentárias Saldo Exercício 1. qualquer aumento de valor dos bens e direitos do ativo permanente.000. daí classificarem-se em três grandes grupos: Resultantes da Execução Orçamentária. ou qualquer diminuição de valor das obrigações do passivo permanente consideram-se variações ativas.00 Extra.500.00 Anterior Seguinte Total 100. ou qualquer diminuição de valor dos elementos dos bens e direitos do ativo permanente consideram-se variações passivas. Essas variações também podem decorrer da execução orçamentária ou ser independentes dela.000. por alienação. qualquer aumento de valor dos elementos das obrigações do passivo permanente. dívida contraída.

00 Interf.200. DEMONSTRAÇÃO DAS VARIAÇÕES PATRIMONIAIS ATIVO PASSIVO TÍTULOS R$ R$ R$ TÍTULOS R$ R$ R$ RESULTANTE EXECUÇÃO RESULTANTE EXECUÇÃO REC. Passivas 600.00 Mutações Passivas 1.00 Decréscimos Patrimoniais 12. Exemplo 1: DEMONSTRAÇÃO DAS VARIAÇÕES PATRIMONIAIS Ativas (Res.200. Orçamentário 38.00 29.000.400.600.00 Total 29.00 Superávit Verificado 1.00 Res.200.200. +) $ $ $ Passivas (Res. ORÇAMENTÁRIA Receitas Correntes Despesas Correntes Receitas Capital Despesas Capital MUTAÇÕES PATRIMONIAIS Construção Bens Imóveis Cobrança Divida Ativa Almoxarifado Aquisição Bens Imóveis INDEPENDENTE EXECUÇÃO INDEPENDENTE EXECUÇÃO Incorporação de Ativos Incorporação de Passivos Incorp / Atualiz Bens Móveis Correção Dívida Fundada Baixa de Passivos Baixa de Ativos Cancelamento Restos Pagar Saída de Almoxarifado Baixa Obras Andamento Baixa Bens Móveis RESULTADO PATRIMONIAL RESULTADO PATRIMONIAL (Déficit Verificado) (Superávit Verificado) TOTAL TOTAL Ao final das variações ativas e passivas.320/64.000.00 Desp. Patrimonial 29.00 Total 29. º 4.000.200.00 Acréscimos Patrimoniais 12. -) $ $ $ Res. Orçamentário 15. Ativas 600. que se lançado para compor o total das variações ativas representará déficit verificado em termos patrimoniais.Com Seu futuro é o Nosso Presente! Essa movimentação deve ser apresentada conforme dispõe o Anexo n.600.00 Exemplo 2: DEMONSTRAÇÃO DAS VARIAÇÕES PATRIMONIAIS Ativas (Res.00 Res.00 Interf.700.00 Res.00 27.600.200. Extra Orçamentário 12.00 Receita. Orçamentária 13. ORÇAMENTÁRIA DESP. -) $ $ $ Res. Orçamentário 17.LEI FEDERAL N. Extra Orçamentário 12.00 31 .000.600.00 Res.00 Res.ApostiasBrasil. Orçamentária 13. encontra-se a indicação sobre o Resultado Patrimonial.400.000.00 Res.200.200.00 29.00 29. Patrimonial 27. º 15 Demonstração das Variações Patrimoniais: ANEXO 15 .00 Mutações Ativas 3. ou se lançado para compor o total das variações passivas representará superávit verificado na apuração do resultado patrimonial.00 0.600.00 1.00 Déficit Verificado 0.600. +) $ $ $ Passivas (Res. Orçamentário 35.

00 Balanço Patrimonial Os registros pelos quais é demonstrada a movimentação escriturada.00 Interf. vamos encontrar três grandes grupos de contas denominadas: ativo financeiro.00 Res. A interpretação real desse conceito leva-nos à seguinte definição prática: o patrimônio é composto pela somatória dos bens mais os direitos (ativo). Como se pode observar. que representa as obrigações que integram o patrimônio.00 Decréscimos Patrimoniais 22. ANEXO 14 . o patrimônio é o objeto da Contabilidade. O patrimônio em seu conceito clássico é considerado como o conjunto de bens. ativo permanente e ativo compensado.00 Total 60. mas que na essência se referem a fatos semelhantes.600. representando os bens e direitos. subtraindo-se as obrigações (passivo).600.00 Mutações Passivas 5.404/76.000.700.Com Seu futuro é o Nosso Presente! Receita. a estrutura do balanço patrimonial guarda estreita conformidade com a apresentada para as empresas e entidades da iniciativa privada.00 57.000.00 Superávit Verificado 0.600. Orçamentária 31. passivo financeiro. º 4.00 Desp.600.000.00 Déficit Verificado 2. cuja estrutura deve obedecer aos dispositivos da Lei n. direitos e obrigações pertencentes a uma pessoa física ou jurídica. pois.600.00 Res. passivo permanente e passivo compensado.00 60. havendo tão somente algumas nomenclaturas de grupos de contas diferentes.00 Res. alcançando-se assim a finalidade informativa da Contabilidade. ATIVO PASSIVO Títulos R$ R$ R$ Títulos R$ R$ R$ ATIVO FINANCEIRO PASSIVO FINANCEIRO Disponível Restos a Pagar Caixa Serviço da Dívida a Pagar Bancos Conta Movimento Depósitos Diversas Origens Bancos Conta Vinculada Débitos de Tesouraria Realizável Curto Prazo 32 . Cabe enfatizar sempre que.00 Acréscimos Patrimoniais 22.º 6.600.00 0. Extra Orçamentário 22. Orçamentária 32. Patrimonial 57.00 Res.00 60. na parte do Ativo.00 60. ou seja.00 Total 60.00 Mutações Ativas 3. Extra Orçamentário 22.100. pois sobre ele se exercem as funções dessa ciência. Patrimonial 60. Passivas 600. A outra parte apresenta a demonstração do Passivo. através das demonstrações contábeis. o balanço patrimonial e o quadro da demonstração das variações patrimoniais. Pela distribuição apresentada no balanço patrimonial.000.00 Interf.400.700. o controla e o demonstra de forma expositiva.LEI FEDERAL N.320/64. que o estuda.600.600.900.00 2.ApostiasBrasil. Ativas 1.900.600. ocorrerão por meio de dois instrumentos. relativos ao sistema patrimonial. fica claro a evidenciação do patrimônio público.

00 1.800.600.00 Passivo Descoberto 0.00 23.00 Obrigações Circulação 14.400. por conseguinte.00 Exigível Longo Prazo 18.700.Com Seu futuro é o Nosso Presente! Realizável Longo Prazo ATIVO PERMANENTE PASSIVO PERMANENTE Bens Móveis Dívida Fundada Bens Imóveis Interna em Títulos Créditos e Valores Diversos Interna em Contratos Externa em Títulos Externa em Contratos SOMA DO ATIVO REAL SOMA DO PASSIVO REAL Passivo Real a Descoberto Ativo Real Líquido ATIVO COMPENSADO PASSIVO COMPENSADO TOTAL GERAL TOTAL GERAL Portanto.00 Circulante 15. mediante os saldos das contas do Passivo Real a Descoberto se houver déficit.000.00 Realizável Longo Prazo 7.00 Circulante 4.320/64.00 Depósitos 600.300.300.000.00 0.200.00 Total 24. apresentada pelo saldo de grupo de contas.00 24.00 Total 24.500.600.200.200.º 4.00 24.200.00 Realizável Longo Prazo 6.600.000.00 Créditos Real. e. demonstração das variações patrimoniais.600.00 Ativo Compensado 1.600. objeto de apresentação no próximo tópico.00 1.00 Imobilizado 12.800.00 Ativo Real 23. por valores globais.00 Exigível Longo Prazo 19. O balanço patrimonial apresenta o resultado patrimonial do exercício. verificamos a demonstração da situação patrimonial de um determinado exercício.00 Ativo Real Líquido 1.00 Passivo Compensado 1.600.00 Obrigações Circulação 3.00 Disponível 2.000.00 22.600.00 Passivo Real 22.00 Depósitos 1.00 Permanente 12. Longo Prazo 6.000.800. e Ativo Real Líquido se houver superávit.00 Bens e Valores Circulação 2.00 Bens e Valores Circulação 3. Conseqüentemente toda movimentação das variações que ocorrer no exercício deverá ser apresentada no Anexo 15 da Lei n.000.00 1.00 Obrigações Longo Prazo 18. Exemplo 1: BALANÇO PATRIMONIAL ATIVO $ $ $ PASSIVO $ $ $ Circulante 4. ao se observar o balanço patrimonial.000.600.100.200.000.500.ApostiasBrasil.00 Exemplo 2: BALANÇO PATRIMONIAL ATIVO $ $ $ PASSIVO $ $ $ Circulante 15.00 CURS O DE CONTABILIDA DE P ÚBLICA 33 PROFES SOR EDUA RDO HENRIQUE ALVES DE PAULA .00 Disponível 12.000.800.

750.000.750.200.00 Total 35.750.00 Total 35.00 Ativo Real Líquido 0.00 Ativo Real 33.00 Obrigações Longo Prazo 19.ApostiasBrasil.00 Passivo Descoberto 800.750.00 35.000.00 Ativo Compensado 1.000.750.00 Imobilizado 10.750.750.00 34.00 Passivo Real 34.200.00 Permanente 10.00 35.00 0.00 Passivo Compensado 1.00 1.00 800.00 33.600.000.750.Com Seu futuro é o Nosso Presente! Créditos Real.000.00 34 . Longo Prazo 7.00 1.

200.ApostiasBrasil.350.120.00 Bens Móveis 2.00 Receitas de Capital 1.340.500.00 Outras Despesas Correntes 1.00 3) Pagamento de Pessoal e Encargos Sociais no valor de 7.00 Pede-se: 1) Promover o registro nas contas "T" dos saldos iniciais em 01/01/2007 2) Promover o registro das receitas previstas e despesas fixadas. 3) Promover os lançamentos contábeis de 1 a 10.000.00 Durante o ano de 2007 ocorreram os seguintes fatos: 1) Registro contábil do saldo inicial e do orçamento.00 Imposto Renda Retido Fonte 760.000.00 TOTAL DO PASSIVO 23.00 Investimentos 3.750.00 TOTAL DA RECEITA 10.00 TOTAL DA DESPESA 10.00 Bens Imóveis 4.600.00 4) Recolhimento de IRRF no valor de 760.00 O orçamento para o exercício de 2007 foi aprovado conforme detalhado abaixo: DESPESAS FIXADAS RECEITAS PREVISTAS Despesas Correntes 8.00 Títulos de Crédito 600.00 Receitas Correntes 9.950.Material Consumo 2.000.500.000.000.000.500.00 6) Utilização de Material de Consumo no período totalizando 410.00 TOTAL ATIVO 23.000.150.00 10) Recebimento de mobiliário em doação (mesas) avaliado em R$ 1.500.880. 35 .Com Seu futuro é o Nosso Presente! 15 EXERCÍCIOS DE FIXAÇÃO BALANÇO PATRIMONIAL DA FUNDAÇÃO JÁSEFOI EM 31/12/2006 ATIVO valores PASSIVO valores Bancos C/Movimento 10. 2) Recebimento de Receita de Serviços no valor de 5.00 7) Pagamento de Obras e Serviços de Engenharia (Investimentos) no valor de 3.00 Contribuições e Créditos a Receber 2.00 Patrimônio Líquido 9.00 Pessoal e Encargos Sociais 7.00 5) Empenho para aquisição de material permanente (computador) no valor de 350.340.00 Estoque .00 8) Liquidação de despesa citada no item 5 9) Empréstimo de Veículo à Prefeitura no valor de R$ 1.500.00 Despesas de Capital 1.

00 Receitas de Capital 4.100.600.280.850.230.00 TOTAL DO PASSIVO 67.450.00 Bens Móveis 1.850.990.00 8) Correção de saldo de Operação de Crédito Interna .560.560. no valor de 2.725.00 Outras Despesas Correntes 1.00 10) Liquidação de Folha de Pessoal no valor de R$ 1. mais retenção de IRRF no valor de R$ 100.00 TOTAL DA RECEITA 9.450.000.340.220.500.RDA 1. liquidado em 2006.100.00 7) Alienação de imóvel comercial avaliado por R$ 5.00.00 Bens Imóveis 46.00 Despesas de Capital 2.340.00 Operação Crédito Interna .00 Durante o ano de 2007 ocorreram os seguintes fatos: 1) Recebimento de receitas correntes Agropecuárias no valor de 2.00 O orçamento para o exercício de 2007 foi aprovado conforme detalhado abaixo: DESPESAS FIXADAS valores RECEITAS PREVISTAS valores Despesas correntes 6.840.000.00 Agentes Pagadores .00 Bancos C/Aplic.00 TOTAL DA DESPESA 9.Com Seu futuro é o Nosso Presente! ATIVO valores PASSIVO valores Bancos C/Movimento .315.320. 11) Pagamento de Folha de Pessoal no valor de R$ 1.00 TOTAL ATIVO 67.00 Investimentos 1. 12) Apurar balancete de verificação ao final do Exercício.Judicial 660.00 Receitas Correntes 6.00 Patrimônio Líquido 30.Sent.230.Por Contrato R$ 3.ApostiasBrasil.240.Contrato 31.750.00 2) Pagamento de fornecedores de equipamentos (investimentos) no valor de 1.00 com retenção R$ 30.00 3) Emissão de Empenho para folha de pessoal mês janeiro no valor de 1.00. Financeira .100.Material Consumo 3.00 Juros e Encargos da Dívida 2.RDA 14.00 9) Resgate de Aplicação Financeira no valor de R$ 1.220.00 Estoque .00 a título de Pensão Alimentícia. CURS O DE CONTABILIDA DE P ÚBLICA 36 PROFES SOR EDUA RDO HENRIQUE ALVES DE PAULA .00 5) Liquidação do Empenho para aquisição de material permanente no valor de 250.00 6) Pagtº de Juros e Encargos da Dívida.00 4) Emissão de Empenho para aquisição de material permanente no valor de 250.

1 Resultado Orçamentário 6.3 Mutações Passivas (P) 6.3 Mutações Ativas (P) 5.1 Receitas Correntes 3.3 Acréscimos Patrimoniais (P) 6.1.4.2 Receitas de Capital 3.3 Resultado Apurado 6.1 Res.9.1 Execução Orçamentária Receita (O) 2.2.2.1.2 Imobilizado (P) 2.5 Receita Industrial (F) 4.1.4 Patrimônio líquido 1.9 Compensações Ativas Diversas (C) 2.4.4 Transferências de Capital (F) 4.6 Amortização da Dívida (F) 4.3 Despesas Correntes 4.1.2.1.3 Bens e Valores em Circulação (P) 2.2 Resultado Extra-Orçamentário 6.1.1.2 Execução Orçamentária Despesa (O) 1.4 Despesas de Capital 4. Patrimonial Superavitário / Deficitário (P) 43 .ApostiasBrasil.1.1.1 Circulante 1.1 Operações Intragovernamentais 1.2.9.9 Compensado 2.2 Alienação de Bens (F) 3.1 Patrimônio / Capital (P) 1.9.9 Compensado 1.3.9 Deduções da Receita (R) 4.1 Operações de Crédito (F) 3.5 Deduções do FUNDEB (R) 5 RESULTADO DO EXERCÍCIO (-) 6 RESULTADO DO EXERCÍCIO (+) 5.2 Receita de Contribuição (F) 3.1 Receita Orçamentária (P) 5.1 Receita Tributária (F) 3.3 Empréstimos/Financiamentos em Circulação (F) 1.1 Depósitos (F) 1.9.2.5 Outras Receitas de Capital (F) 4.3 Amortização de Empréstimos / Financiamento (F) 4.Com Seu futuro é o Nosso Presente! Órgãos e Entidades de utilizam o SIAFI/MG 1 ATIVO 2 PASSIVO 1.Prazo (P) 2.9.1 Investimentos (P) 2.4.2 Interferências Passivas (P) 6.9.1 Previsão Orçamentária Receita (O) 1.4.1 Depósitos Exigíveis a Longo Prazo (P) 1.3. Prazo (P) 2.2.1 Depósitos Realizáveis L.3 Outras Despesas Correntes (F) 4.2 Créditos em Circulação (F) 2.1 Circulante 2.3.9 Outras Receitas Correntes (F) 3.7 Transferências Correntes (F) 4.1.2 Exigível a Longo Prazo 1.1.1.2 Resultado Extra-Orçamentário 5.2 Fixação Orçamentária Despesa (O) 2.1.1.1.2.1 Despesa Orçamentária (P) 6.1 Operações Intragovernamentais 2.2 Juros e Encargos da Dívida (F) 4.1.9 Outras Exigibilidades (P) 1.4.1.9.3 Receita Patrimonial (F) 4.3 Decréscimos Patrimoniais (P) 6.1 Resultado Orçamentário 5.3.4.4 Permanente 2.1 Pessoal e Encargos Sociais (F) 4.5 Inversões Financeiras (F) 4.6 Receita de Serviços (F) 4.2 Interferências Ativas (P) 5.2.4 Receita Agropecuária (F) 4.3.2.2 Realizável a Longo Prazo 2.1.3 Créditos Financeiros a Liberar 1.4 Investimentos (F) 4.3.1.9 Compensações Passivas Diversas (C) 3 DESPESA 4 RECEITA 3.3 Créditos Financeiros a Receber 2.1 Disponível (F) 2.2 Reservas (P) 1.2.2.4.1.2.2 Obrigações Exigíveis a Longo prazo (P) 2.2 Créditos Realizáveis L.2 Obrigações em Circulação (F) 1.

ApostiasBrasil.Contas Arrecadadoras M 11199010000 (R) Recursos De Contas Arrecadadoras D F C 11200000000 Créditos Em Circulação M 11201000000 Créditos E Valores M 44 . Entidades E Agentes A F D 11105019900 (R) Cota Financeira Autorizada Unidade Financeira Central M 11105019901 (R) Cota Financeira Autorizada . Orig/Credores.Com Seu futuro é o Nosso Presente! Código Descrição N SC D/C 10000000000 Ativo M 11000000000 Ativo Circulante M 11100000000 Disponível M 11101000000 Caixa D F D 11102000000 Bancos Conta Movimento M 11102010000 Recursos Da Conta Única A F D 11102020000 Recursos Diretamente Arrecadados A F D 11102030000 Recursos/Transferências Vinculadas A F D 11102040000 Recursos De Convênios A F D 11102050000 Recursos De Operações De Créditos A F D 11102060000 Recursos Em Moeda Estrangeira M 11102060100 Caixa D F D 11102060200 Bancos Conta Movimento A F D 11102060300 Bancos Conta Aplicação Financeira A F D 11103000000 Aplicações Financeiras M 11103010000 Recursos Da Conta Única A F D 11103020000 Recursos Diretamente Arrecadados A F D 11103030000 Recursos/Transferências Vinculadas A F D 11103040000 Recursos De Convênios A F D 11103050000 Recursos De Operações De Créditos A F D 11104000000 Recursos De Movimentações Da Unidade Tesouraria M 11104010000 Recursos De Contas Arrecadadoras Bancaria A F D 11104020000 Recursos Contas Arrecadadoras Escritural A F D 11104030000 Contas De Movimentação Interna M 11104030100 Recursos Diretamente Arrecadados A F D 11104030200 Recursos/Transferências Vinculadas A F D 11104030300 Recursos De Convenio A F D 11104030400 Recursos De Operações De Créditos A F D 11105000000 Movimentação Financeira Escritural M 11105010000 Recursos Unidade Financeira Central M 11105010100 Cota Financeira A Utilizar .Dep. Div.Elemento/Item A F D 11105010300 Cota Financeira A Utilizar .Gmifp D F C 11105019902 (R) Cota Financeira Autorizada Elemento/Item D F C 11105019903 (R) Transferência Financeira Escritural D F C 11105019904 (R) Transferência Financeira Bancaria/Cheque D F C 11105019905 (R) Cota Financeira Aprovada .Dep Div. Entidades E Agentes D F C 11199000000 (R) Recursos Centralizados Na Conta Única . Orig/Cred.Gmifp A F D 11105010200 Cota Financeira A Utilizar .

Principal A F D 11201030200 Divida Ativa .Bancarias/Transferência Financeira A Compensar-Recurso Do Tesouro D F D 11300000000 Bens E Valores Em Circulação M 11301000000 Estoques M 11301010000 Material De Consumo D P D 11301020000 Bens Para Premiação D P D 11301030000 Produtos/Bens Para Venda Ou Revenda D P D 11301040000 Matérias Primas D P D 11301050000 Produtos Para Pesquisa E Ensino D P D 11301060000 Medicamentos E Produtos Laboratoriais D P D 11301990000 Bens E Materiais Em Transito D P D 11302000000 Diversos Responsáveis Apurados M 11302010000 Pagamentos Indevidos A P D 11302020000 Saldos Não Recolhidos A P D 11302030000 Desfalques Ou Desvios A P D 11302040000 Responsáveis Por Danos Ou Perdas A P D 11302050000 Pagamento Sem Credito Orçamentário A F D 11302060000 Falta De Licitação A P D 11302070000 Adiantamentos Concedidos Irregularmente A P D 11302080000 Falta Ou Irregularidade De Comprovação A P D 11302090000 Falta Ou Não Aprovação De Prestação De Contas De Convenio A P D 11302990000 Responsabilidades Apuradas A Reclassificar A P D 12000000000 Ativo Realizável A Longo Prazo M 45 . Bancarias / Transf Financeiras / Deposito Bancário A Compensar M 11205010000 O.P.Funfip A F D 11202000000 Agentes Financeiros M 11202010000 Rede Bancaria .Multas E Encargos A F D 11201050000 Agentes Lotéricos A F D 11201060000 Devedores Por Restituição De Custas E Emolumentos A F D 11201070000 Contribuições E Outros Créditos A Receber A F D 11201080000 Contribuições Previdenciárias A Receber .Arrecadação A Recolher A F D 11202020000 Rede Bancaria .P.Instituição Financeira A F D 11204000000 Agentes Pagadores M 11204010000 Sentenças / Depósitos Judiciais A F D 11204020000 Recursos Operações De Credito A F D 11204030000 Recursos Transferidos A Caixas Escolares D F D 11205000000 O.Com Seu futuro é o Nosso Presente! 11201010000 Créditos A Utilizar .Compensação Financeira A F D 11201020000 Títulos E Direitos De Credito A F D 11201030000 Divida Ativa M 11201030100 Divida Ativa .ApostiasBrasil.Arrecadação Em Moeda Estrangeira A F D 11203000000 Créditos E Valores Em Transito M 11203010000 Recursos Bloqueados/Indisponiveis .Demais Recursos A F D 11205020000 Depósitos Bancários A Compensar A F D 11205030000 O.Pendências De Arrecadação A F D 11202030000 Operações De Créditos Externas A Utilizar A F D 11202040000 Rede Bancaria .Bancarias/Transferências Financeiras A Compensar .P.

Operações Intragovernamentais M 13100000000 Créditos Financeiros A Receber . Cauções E Garantias A P D 12103000000 Depósitos Judiciais A P D 12200000000 Créditos Realizáveis A Longo Prazo M 12201000000 Divida Ativa M 12201010000 Principal A P D 12201020000 Multas E Encargos A P D 12202000000 Créditos A Receber M 12202010000 Devedores Por Encargos De Assistência A Saúde .ApostiasBrasil.DDO A F D 13102040000 Credito Financeiro A Receber-Unidade Financeira Central .Com Seu futuro é o Nosso Presente! 12100000000 Depósitos Realizáveis A Longo Prazo M 12101000000 Depósitos Compulsórios D P D 12102000000 Depósitos.Segurados A P D 12202020000 Empréstimos E Financiamentos M 12202020100 Empréstimos E Financiamentos A P D 12202020200 Empréstimos E Financiamentos Habitacionais A P D 12202020300 Empréstimos E Financiamentos-Fundos De Desenvolvimento D P D 12202030000 Títulos E Direito De Credito A P D 12202990000 Outros Créditos A Receber M 12202990100 Outros Créditos A Receber A P D 12202999900 (R)Provisão Para Perda De Créditos A Receber A P C 13000000000 Créditos Financeiros A Receber .Operações Intragovernamentais M 13101000000 Credito Financeiro A Receber-Unidade Financiadora Do Gasto A F D 13102000000 Credito Financeiro A Receber-Unidade Financeira Central M 13102010000 Credito Financeiro A Receber-Unidade Financeira Central A F D 13102020000 Credito Financeiro A Receber-Unidade Financeira Central-Elemento/Item A F D 13102030000 Credito Financeiro A Receber-Unidade Financeira Central .DDO A F D 14000000000 Ativo Permanente M 14100000000 Investimentos M 14101000000 Participações Societárias M 14101010000 Integralizadas A P D 14101020000 A Integralizar A P D 14101990000 (R)Provisão Para Perda De Participação Societária A P C 14102000000 Títulos E Valores M 14102010000 Títulos E Direitos De Créditos D P D 14102020000 Ações Em Carteira A P D 14102990000 (R)Provisão Para Perda De Títulos E Valores A P C 14103000000 Obras E Instalações Em Andamento A P D 14199000000 Outros Investimentos M 14199010000 Outros Investimentos A P D 14199990000 (R) Provisão Para Perda de Outros Investimentos A P C 14200000000 Imobilizado M 14201000000 Bens Patrimoniais M 14201010000 Bens Moveis A P D 14201020000 Bens Imóveis A P D 14201880000 Bens Patrimoniais A Classificar/Incorporar M 46 .

Com Seu futuro é o Nosso Presente! 14201880100 Bens Moveis D P D 14201880200 Bens Imóveis D P D 14299000000 (R)Depreciações.ApostiasBrasil. Amortizações E Exaustões M 14299010000 (R)Bens Moveis A P C 14299020000 (R)Bens Imóveis A P C 19000000000 Ativo Compensado M 19100000000 Execução Orçamentária Da Receita M 19101000000 Receita a Realizar M 19101010000 Receita a Realizar Corrente A O D 19101020000 Receita a Realizar Capital A O D 19102000000 Receita Realizada M 19102010000 Receita Realizada Corrente A O D 19102020000 Receita Realizada Capital A O D 19200000000 Fixação Orçamentária Da Despesa M 19201000000 Créditos Iniciais Do Orçamento Da Despesa A O D 19202000000 Créditos Suplementares Do Orçamento Da Despesa A O D 19203000000 Créditos Especiais Do Orçamento Da Despesa A O D 19204000000 Créditos Extraordinários Do Orçamento Da Despesa A O D 19205000000 Descentralização De Créditos Recebidos Do Orçamento Da Despesa A O D 19206000000 Suplementação Do Orçamento Da Despesa Por Remanejamento A O D 19207000000 Descentralização De Credito Recebido P/Repasse A O D 19208000000 Créditos Suplementares Por Portaria A O D 19209000000 Transposição Do Orçamento Da Despesa A O D 19299000000 Movimentação Orçamentária Escritural M 19299010000 Descentralização De Créditos Orçamentários Recebidos A O D 19299020000 Descentralização De Credito Recebido Por Repasse A O D 19900000000 Compensações Ativas Diversas M 19901000000 Bens E Direitos Do Estado Sob A Responsabilidade De Terceiros M 19901010000 Responsabilidades De Terceiros M 19901010100 Responsáveis Por Títulos Caucionados A C D 19901010200 Responsáveis Por Títulos Em Custodia A C D 19901010300 Responsáveis Por Títulos Em Cobrança A C D 19901010400 Responsáveis Por Consignação De Bilhetes Lotéricos D C D 19901010500 Responsáveis Por Cheques Devolvidos A C D 19901010600 Responsáveis Por Bens Entregues Para Cessão De Uso E/Ou Comodato A C D 19901010700 Responsáveis Por Recursos Entregues Para Pagamento De Pessoal A C D 19901010800 Responsáveis Por Diárias De Viagem A C D 19901010900 Responsáveis Por Adiantamentos A C D 19901011000 Responsáveis Por Suprimentos De Caixa A C D 19901011100 Responsáveis Por Subvenções E Auxílios A C D 19901011200 Controle De Vales Refeição A C D 19901011300 Controle De Vales Transporte A C D 19901011400 Caixa De Valores A Incinerar D C D 19901011500 Controle De Bens Para Premiação D C D 19901011600 Termo De Compromisso Caixa Escolar A C D 47 .

Administrativos A Apropriar D C D 19999000000 Contrapartida Bens E Direitos De Terceiros Sob Responsabilidade Estado D C D 20000000000 Passivo M 21000000000 Passivo Circulante M 21100000000 Depósitos M 21101000000 Consignações/ Retenções/Descontos Em Pagamentos M 21101010000 Imposto Sobre A Renda Retido Na Fonte A F C 21101020000 Pensões Alimentícias A F C 21101030000 Contribuições/Retenções/Descontos A Favor Dos Institutos Previdências A F C 21101040000 Contribuições/Retenções Custeio De Aposentadoria A F C 21101050000 Retenções Custeio Aposentadoria Contratos Administrativos A F C 21101060000 Depósitos Judiciais A F C 21101070000 Contribuições Ao Fundo Financeiro Previdenciario-Funfip A F C 21101990000 Outros Consignatários/Retenções A F C 21102000000 Depósitos De Diversas Origens M 21102010000 Cauções E Garantias Diversas A F C 21102020000 Depósitos Judiciais A F C 21102030000 Encargos De Assistência A Saúde A F C 48 .Contratos De Empréstimos Diferenciados A C D 19901019900 Pagamentos Efetuados P/Cheque Unidade Financ.Com Seu futuro é o Nosso Presente! 19901011700 Cessão De Bens Não Patrimoniaveis Para Execução De Obras A C D 19901011800 Responsáveis Por Ações .ApostiasBrasil.Central A Corresponder D C D 19901020000 Garantias De Valores E Bens M 19901020100 Fianças Bancarias A C D 19901020200 Garantias Por Seguros A C D 19901020300 Contra-Garantias Concedidas Em Operações De Credito A C D 19901030000 Obrigações De Conveniados E De Contratados M 19901030100 Recursos Entregues Para Execução De Convênios A C D 19901030200 Obrigações Contratuais M 19901030201 Contrato De Serviço A C D 19901030202 Contrato De Aluguel A C D 19901030203 Contrato De Fornecimento A C D 19901030204 Contrato De Obras A C D 19901030299 Obrigações Contratuais A Reclassificar D C D 19901040000 Contribuição Custeio Aposentadoria Ativos/Inativos A Apropriar D C D 19901050000 Diversos Responsáveis Em Apuração M 19901050100 Pagamentos Indevidos A C D 19901050200 Saldos Não Recolhidos A C D 19901050300 Desfalques Ou Desvios A C D 19901050400 Responsáveis Por Danos Ou Perdas A C D 19901050500 Pagamento Sem Credito Orçamentário A C D 19901050600 Falta De Licitação A C D 19901050700 Adiantamentos Concedidos Irregularmente A C D 19901050800 Falta Ou Irregularidade De Comprovação A C D 19901050900 Falta Ou Não Aprovação De Prestação De Contas De Convenio A C D 19901059900 Diversos Responsáveis Em Apuração A Reclassificar A C D 19901060000 Contribuição Custeio Aposentadoria Cont.

Operações Intragovernamentais M 49 .Com Seu futuro é o Nosso Presente! 21102040000 Depósitos Para Quem De Direito M 21102040100 Depósitos De Terceiros A F C 21102040200 Vencimentos Não Procurados/Abono-Rendimento PASEP A F C 21102040300 Pagamentos Não Procurados A F C 21102040400 Depósitos Administrativos A F C 21102040500 Receitas A Restituir A F C 21102040600 Recursos De Convênios A Restituir A F C 21102040700 Agentes Lotéricos A F C 21102050000 Custas E Emolumentos A Restituir A F C 21102060000 Multas De Transito A Repassar A F C 21102070000 Fiança .Entidades E Agentes M 21202010000 Despesas Extra-ornamentarias/Orçamentárias A Corresponder A F D 21202020000 Obrigações Passivas Assumidas Pelo Estado A F C 21202030203 Contribuição Previdenciária A Transferir .ApostiasBrasil.Crime A F C 21102990000 Outros Depósitos A F C 21200000000 Obrigações Em Circulação M 21201000000 Obrigações Liquidadas A Pagar M 21201010000 Pessoal E Encargos Sociais A F C 21201020000 Juros E Encargos Da Divida A F C 21201030000 Outras Despesas Correntes A F C 21201040000 Investimentos A F C 21201050000 Inversões Financeiras A F C 21201060000 Amortização Da Divida A F C 21202000000 Credores .Funfip A F C 21202040000 Créditos A Liberar D F C 21202050000 Obrigações Tributarias A Repassar M 21202050100 Obrigações Tributarias A Repassar-Cota Parte Dos Municípios A F C 21202050200 Obrigações Tributarias A Repassar-Cota Parte Do Fundeb A F C 21202060000 Custo De Processamento A Recolher A F C 21203000000 Obrigações A Liquidar De Exercícios Anteriores M 21203010000 Restos A Pagar A F C 21203020000 Serviço Da Divida A Pagar A F C 22000000000 Passivo Exigível A Longo Prazo M 22100000000 Depósitos Exigíveis A Longo Prazo M 22101000000 Depósitos E Cauções A P C 22102000000 Depósitos Judiciais A P C 22103000000 Reserva Técnica Atuarial D P C 22200000000 Obrigações Exigíveis A Longo Prazo M 22201000000 Operações De Credito Internas M 22201010000 Em Títulos A P C 22201020000 Em Contratos A P C 22202000000 Operações De Credito Externas M 22202010000 Em Títulos A P C 22202020000 Em Contratos A P C 23000000000 Créditos Financeiros A Liberar .

Central-Elemento/Item A F C 23102030000 Credito A Liberar Por Órgão/Entidade/Fundos-Unid.Entid.Financ.Financ.Operações Intragovernamentais M 23101000000 Créditos A Repassar-Unidade Financiadora Do Gasto A F C 23102000000 Créditos A Liberar Órgãos.Fun.Financ.Com Seu futuro é o Nosso Presente! 23100000000 Créditos Financeiros A Liberar .Fundos-Unid.ApostiasBrasil.Financeira Central A F C 23102020000 Créditos A Liberar P/Org.Central-DDO A F C 24000000000 Patrimônio M 24100000000 Patrimônio/Capital M 24101000000 Ativo Real Liquido D P C 24102000000 Passivo A Descoberto D P D 24200000000 Reservas M 24201000000 Reservas Técnicas D P C 24202000000 Reservas Especiais D P C 29000000000 Passivo Compensado M 29100000000 Previsão Orçamentária Da Receita M 29101000000 Previsão Inicial da Receita M 29101010000 Previsão Inicial da Receita Corrente A O C 29101020000 Previsão Inicial da Receita Capital A O C 29102010000 Previsão Adicional da Receita Corrente A O C 29102020000 Previsão Adicional da Receita Capital A O C 29200000000 Execução Orçamentária Da Despesa M 29201000000 Créditos Orçamentários Disponíveis A O C 29202000000 Créditos Orçamentários Anulados A O C 29203000000 Descentralização De Créditos Orçamentários Concedidos A O C 29204000000 Despesa Empenhada A Liquidar A O C 29205000000 Despesa Orçamentária Realizada A O C 29206000000 Créditos Orçamentários Disponíveis Bloqueados A O C 29207000000 Anulação Do Orçamento Da Despesa Para Remanejamento A O C 29208000000 Descentralização De Credito Concedido P/Repasse A O C 29209000000 Créditos Anulados Por Portaria A O C 29210000000 Créditos Orçamentários Anulados Para Transposição A O C 29299000000 Movimentação Orçamentária Escritural M 29299010000 Descentralização De Créditos Orçamentários Concedidos A O C 29299020000 Descentralização De Credito Concedido Por Repasse A O C 29900000000 Compensações Passivas Diversas M 29901000000 Bens E Direitos De Terceiros Sob A Responsabilidade Do Estado M 29901010000 Responsabilidades Com Terceiros M 29901010100 Responsáveis Por Títulos Recebidos Em Cauções A C C 29901010200 Responsáveis Por Títulos Recebidos Em Custodia A C C 29901010300 Responsáveis Por Títulos Recebidos Em Cobrança A C C 29901010600 Responsáveis Por Bens Recebidos Para Cessão De Uso E/Ou Comodato A C C 29901020000 Garantias De Valores E Bens M 29901020100 Fianças Bancarias A C C 29901020200 Avais Recebidos A C C 50 .Ent.Central-DDO A F C 23102040000 Credito A Liberar Por Órgão/Entidade/Fundos-Unid.Unid.Entidades e Fundos – Unidade Central M 23102010000 Créditos A Liberar P/Órgãos.

Unidade Financeira Central A C C 29901090000 Contribuições Custeio Do Fundo De Aposentadoria .Lei 64/2002 D C C 29999000000 Contrapartida Bens E Direitos Do Estado Sob Responsabilidade Terceiros D C C 30000000000 Despesa Orçamentária M 33000000000 Despesas Correntes M 33100000000 Pessoal E Encargos Sociais A F D 33200000000 Juros E Encargos Da Divida A F D 33300000000 Outras Despesas Correntes A F D 34000000000 Despesas De Capital M 34400000000 Investimentos A F D 34500000000 Inversões Financeiras A F D 34600000000 Amortização/Refinanciamento Da Divida A F D 40000000000 Receita Orçamentária M 41000000000 Receitas Correntes M 41100000000 Receitas Tributarias A F C 41200000000 Receita De Contribuição A F C 41300000000 Receita Patrimonial A F C 41400000000 Receita Agropecuária A F C 41500000000 Receita Industrial A F C 41600000000 Receita De Serviço A F C 41700000000 Transferências Correntes A F C 41900000000 Outras Receitas Correntes A F C 42000000000 Receitas De Capital M 42100000000 Operações De Credito A F C 42200000000 Alienação De Bens A F C 42300000000 Amortização De Empréstimo/Financiamento A F C 42400000000 Transferência De Capital A F C 51 .Com Seu futuro é o Nosso Presente! 29901020300 Garantias Concedidas Em Operações De Credito A C C 29901020400 Avais Recebidos Em Operações De Credito A C C 29901029900 Outras Garantias A C C 29901030000 Responsáveis Por Convênios E Contratos Assumidos M 29901030100 Recursos Recebidos Para Execução De Convenio/Contratos/Portarias A C C 29901030200 Recursos Recebidos Para Execução De Contratos A C C 29901030300 Convênios/Contratos/Acordos De Mutua Cooperação Técnica A C C 29901040000 Contribuições Custeio Do Fundo De Aposentadoria .Licenciados A C C 29901100000 Outras Contribuições Previdenciárias A C C 29901110000 Dividas De Contribuições Previdenciárias .ApostiasBrasil.Unidade De Tesouraria A C C 29901080200 Recursos Cota Financeira A Utilizar .Ativos/Inativos A C C 29901050000 Depósitos Em Poupanças Vinculados A Terceiros A C C 29901060000 Sentenças Judiciais A C C 29901070000 Obrigações Dos Institutos De Previdência Para Com Os Segurados M 29901070100 Inscrição De Pecúlio D C C 29901070200 Inscrições De Planos De Seguros D C C 29901070300 Inscrições De Fundos De Garantia Hipotecário D C C 29901080000 Programação Pagto Transferência Financeira Contra A Conta Única M 29901080100 Recursos Conta Movimentação Interna .

Recebida Unidade Financ.Central-Elemento/Item A F D 51201030300 Restituição Cota Financeira Recebida Unidade Financeira Órgão D F D 51201030400 Restituição Cota Financeira Recebida Unidade Financ Central-DDO D F D 51201030500 Restituição Cota Financeira Recebida Unidade Financiadora Gasto A F D 51201030600 Restituição Cota Financeira Recebida P/Pagto Inativo-Funfip A F D 51201040000 Devolução De Repasses Recebidos M 51201040100 Devolução De Repasses Recebidos Unidade Financeira Central-Gmifp D F D 51201040200 Devolução Repasses Recebidos Unidade Financeira Central-Elemento/Item D F D 51201040300 Devolução De Repasses Recebidos Unidade Financeira Órgão D F D 51201040400 Devolução De Repasses Recebidos Unidade Financiadora Do Gasto D F D 51201040500 Devolução De Repasses Recebidos Unidade Financ Central .Com Seu futuro é o Nosso Presente! 42500000000 Outras Receitas De Capital A F C 50000000000 Resultado Diminutivo Do Exercício M 51000000000 Resultado Orçamentário M 51100000000 Despesa Orçamentária M 51101000000 Despesa Corrente D P D 51102000000 Despesa De Capital D P D 51200000000 Interferências Passivas M 51201000000 Movimentação Financeira Escritural M 51201010000 Cota Financeira Concedida M 51201010100 Cota Financeira Concedida Unidade Financeira Central-Gmifp A F D 51201010200 Cota Financeira Concedida Unidade Financeira Central-Elemento/Item A F D 51201010300 Cota Financeira Concedida Unidade Financeira Órgão D F D 51201010400 Cota Financeira Concedida Unidade Financiadora Do Gasto A F D 51201010500 Cota Financeira Concedida Unidade Financeira Central-DDO A F D 51201010600 Cota Financeira Concedida Para Pagamento Inativo-Funfip A F D 51201019900 Cota Financ.Contábil Próprio A R D 51201020000 Repasses Concedidos M 51201020100 Repasses Concedidos Unidade Financeira Central-Gmifp D F D 51201020200 Repasses Concedidos Unidade Financeira Central-Elemento/Item D F D 51201020300 Repasses Concedidos Unidade Financeira Órgão D F D 51201020400 Repasses Concedidos Unidade Financiadora Do Gasto D F D 51201020500 Repasses Concedidos Unidade Financeira Central-DDO D F D 51201030000 Restituição Cota Financeira Recebida M 51201030100 Restituição Cota Financeira Recebida Unidade Financeira Central-Gmifp A F D 51201030200 Restituição Cota Financ.ApostiasBrasil. Concedida P/ Órgãos Sist.DDO D F D 51201050000 Transferência Financeira M 51201050100 Transferência Financeira Bancaria D F D 51201050200 Transferência Financeira Escritural D F D 51201050300 Transferência Financeira Constitucional D F D 51201060000 Transferência De Recurso Para Quitação De Sentença Judicial A F D 51201070000 Recursos Recebidos P/Quitação Restos A Pagar M 51201070100 Recursos Recebidos P/Quitação Restos A Pagar .Gmifp A F D 51201070200 Recursos Recebido P/Quitação Restos Pagar Elemento/Item A F D 51202000000 Operações Financeiras Passivas M 51202010000 Créditos A Transferir-Restos A Pagar-Unidade Financeira Central D F D 52 .

Operações Intragovernamentais M 53 .Operações Intragovernamentais M 52302120000 Cancel.Longo Prazo D R D 52302060000 Participações Societárias D R D 52302070000 Títulos E Valores D R D 52302080000 Obras E Instalações Em Andamento D R D 52302090000 Outros Investimentos D R D 52302100000 Bens E Valores Em Circulação D R D 52302110000 Créditos Financeiros A Receber .ApostiasBrasil.Com Seu futuro é o Nosso Presente! 51202020000 Créditos A Transferir-Restos A Pagar-Unidade Financiadora Do Gasto D F D 51202030000 Aplicações Financeiras Investimentos D F D 51202990000 Operações Financeiras Passivas Entre Unidades Setoriais D R D 51203000000 Baixa De Despesa A Apropriar D F D 51204000000 Transferência Da Execução Orçamentária Da Despesa D R D 51300000000 Mutações Passivas M 51301000000 Alienação De Bens M 51301010000 Estoques Em Geral D R D 51301020000 Bens Moveis D R D 51301030000 Bens Imóveis D R D 51302000000 Recebimento De Créditos E Direitos M 51302010000 Divida Ativa D R D 51302020000 Créditos A Receber D R D 51302030000 Participações Societárias D R D 51302040000 Títulos E Valores D R D 51302050000 Outros Investimentos D R D 51303000000 Constituição Obrigações Exigíveis A Longo Prazo M 51303010000 Operações De Créditos Internas D R D 51303020000 Operações De Créditos Externas D R D 51303030000 Outras Exigibilidades D R D 51399000000 Títulos E Valores .Fundos De Investimentos D R D 52000000000 Resultado Extra Orçamentário M 52300000000 Decréscimos Patrimoniais M 52301000000 Desincorporarão De Ativos/Bens M 52301010000 Baixa De Bens M 52301010100 Estoques Em Geral D R D 52301010200 Bens Moveis D R D 52301010300 Bens Imóveis D R D 52301010400 Bens Patrimoniais A Classificar/Incorporar D R D 52301019900 Depreciação/Amortização/Exaustão E Reavaliação De Bens M 52301019901 Reavaliação D R D 52301019902 Depreciação/Amortização/Exaustão D R D 52302000000 Baixa De Direitos M 52302010000 Créditos Em Circulação D R D 52302020000 Depósitos Realizáveis A Longo Prazo D R D 52302030000 Recursos Vinculados D R D 52302040000 Divida Ativa D R D 52302050000 Créditos A Receber . Credito Financeiro Receber .

Central-DDO A F D 52302990000 Amortização E Provisão De Perdas De Direitos D R D 52303000000 Incorporação De Passivo M 52303010000 Restabelecimento De Dividas Passivas M 52303010100 Consignações E Retenções Em Pagamento D R D 52303010200 Depósitos De Diversas Origens D R D 52303010300 Obrigações Liquidadas A Pagar De Exerc.Financeira Central-Gmifp A R D 52303010803 Credito A Liberar P/Org.RP Processado D R D 52303010400 Credores. Anteriores.Gmifp A R D 52302120300 Credito Financeiro A Receber Unidade Financeira Central-Elemento/Item A R D 52302120400 Créditos Financeiros A Receber-Unid Financ. Recebida Unid.DDO D F C 61201010600 Cota Financeira Recebida Para Pagamento De Inativo . Anteriores . Intragovernamentais M 52303010801 Credito A Repassar Unidade Financiadora Gasto A R D 52303010802 Credito A Liberar P/Órgãos.Serviço Da Divida D R D 52303010700 Valores Pendentes A Curto Prazo D R D 52303010800 Restabelecimento Cred Financeiro Liberar Oper.Financeira Central A R C 54 .Entid.ApostiasBrasil.Central-Elemento/Item A R D 52303020000 Exigibilidades A Longo Prazo M 52303020100 Correção / Atualização de Exigíveis A Longo Prazo D R D 52303020200 Correção / Atualização de Operações de Créditos Internas D R D 52303020300 Correção / Atualização de Operações de Créditos Externas D R D 52303029900 Correção / Atualização de Outras Exigibilidades D R D 52399000000 Ajustes Financeiros De Exercícios Anteriores M 52399010000 Ajustes Do Ativo Disponível D F D 52399020000 Ajustes Recursos Depositados Conta Arrecadadora Tesouro D R D 52399030000 Restituição Cota Financ.Fundos Unid.Gasto Exercício Anterior A R D 60000000000 Resultado Aumentativo Do Exercício M 61000000000 Resultado Orçamento M 61100000000 Receita Orçamentária M 61101000000 Receita Corrente D P C 61102000000 Receita De Capital D P C 61199000000 Deduções Do Fundeb D R D 61200000000 Interferências Ativas M 61201000000 Movimentação Financeira Escritural M 61201010000 Cota Financeira Recebida M 61201010100 Cota Financeira Recebida Unidade Financeira Central-Gmifp A F C 61201010200 Cota Financeira Recebida Unidade Financeira Central-Elemento/Item A F C 61201010300 Cota Financeira Recebida Unidade Financeira Órgão D F C 61201010400 Cota Financeira Recebida Unidade Financiadora Do Gasto A F C 61201010500 Cota Financeira Recebida Unidade Financeira Central .Com Seu futuro é o Nosso Presente! 52302120100 Credito Financeiro A Receber Unidade Financiadora Gasto A R D 52302120200 Credito Financeiro A Receber Unidade Financeira Central .Fundos Unid. Entidades E Agentes D R D 52303010500 Obrigações A Liquidar De Exercícios Anteriores M 52303010501 Restos A Pagar D R D 52303010502 Serviço Da Divida A Pagar D R D 52303010600 Obrigações Liquidadas A Pagar Exerc.Funfip A F C 61201019900 Cota Financeira Recebida Resto A Pagar Unid.Financ.Financ.Ent.

Unidade Financiadora Do Gasto A F C 61202030000 Descontos Obtidos S/ Pagamentos A F C 61202040000 Resgate De Aplicação Financeira Investimentos D F C 61202990000 Operações Financeiras Ativas Entre Unidades Setoriais D R C 61203000000 Inscrições De Despesas A Apropriar D F C 61204000000 Transferência De Execução Orçamentária Da Despesa D R C 61300000000 Mutações Ativas M 61301000000 Aquisição De Bens M 61301010000 Estoques Em Geral D R C 61301020000 Bens Moveis D R C 61301030000 Bens Imóveis D R C 61302000000 Aquisição De Direitos M 61302010000 Divida Ativa D R C 61302020000 Créditos A Receber D R C 61302030000 Participações Societárias D R C 61302040000 Títulos E Valores D R C 61302050000 Outros Investimentos D R C 61302060000 Obras E Instalações Em Andamento D R C 55 .Restos A Pagar .Com Seu futuro é o Nosso Presente! 61201020000 Repasses Recebidos M 61201020100 Repasses Recebidos Unidade Financeira Central-Gmifp D F C 61201020200 Repasses Recebidos Unidade Financeira Central-Elemento/Item D F C 61201020300 Repasses Recebidos Unidade Financeira Órgão D F C 61201020400 Repasses Recebidos Unidade Financiadora Do Gasto D F C 61201020500 Repasses Recebidos Unidade Financeira Central .DDO D F C 61201050000 Transferência Financeira M 61201050100 Transferência Financeira Bancaria D F C 61201050200 Transferência Financeira Escritural D F C 61201050300 Transferência Financeira Constitucional D F C 61201060000 Recursos Recebidos Para Quitação De Sentença Judicial D F C 61201070000 Quitação Restos A Pagar Escritural A F C 61202000000 Operações Financeiras Ativas M 61202010000 Créditos A Receber .Restos A Pagar .Unidade Financeira Central D F C 61202020000 Créditos A Receber .Central-Elemento/Item D F C 61201040300 Restituição Repasses Concedidos Unidade Financeira Órgão D F C 61201040400 Restituição Repasses Recebidos Unidade Financiadora Do Gasto D F C 61201040500 Restituição De Repasse Unidade Financeira Central .DDO D F C 61201030000 Cancelamento De Cota Financeira M 61201030100 Cancelamento De Cota Financeira Unidade Financeira Central-Gmifp A F C 61201030200 Cancelamento Cota Financeira Unidade Financeira Central-Elemento/Item A F C 61201030300 Cancelamento De Cota Financeira Unidade Financeira Órgão D F C 61201030400 Cancelamento De Cota Financeira Unidade Financeira Central-DDO A F C 61201030500 Cancelamento Cota Financeira Unidade Financiadora Do Gasto A F C 61201030600 Cancelamento Cota Financeira Recebida P/Pagto Inativo-Funfip A F C 61201040000 Restituição Repasses Concedidos M 61201040100 Restituição Repasses Concedidos Unidade Financeira Central-Gmifp D F C 61201040200 Restituição Repasses Concedidos Unidade Financ.ApostiasBrasil.

ApostiasBrasil.Longo Prazo D R C 62302060000 Participações Societárias D R C 62302070000 Títulos E Valores D R C 62302080000 Obras E Instalações Em Andamento D R C 62302090000 Outros Investimentos D R C 62302100000 Bens E Valores Em Circulação D R C 62302110000 Créditos Financeiros A Receber .Financeira Central-Gmifp A R C 56 . Receber Op. Entidades E Agentes D R C 62303010500 Obrigações De Exercícios Anteriores M 62303010501 Restos a Pagar D R C 62303010502 Serviço da Divida A Pagar D R C 62303010600 Obrigações Liquidadas A Pagar Exerc.Serviço Da Divida D R C 62303010700 Valores Pendentes A Curto Prazo D R C 62303010800 Cancelamento Cred Financ A Liberar-Operações Intragovernamentais M 62303010801 Credito A Repassar-Unidade Financiadora Do Gasto A R C 62303010802 Credito A Liberar P/Órgãos.Com Seu futuro é o Nosso Presente! 61303000000 Amortização/Resgate De Obrigações Exigíveis A Longo Prazo M 61303010000 Operações De Créditos Internas D R C 61303020000 Operações De Créditos Externas D R C 61303030000 Outras Exigibilidades D R C 62000000000 Resultado Extra Orçamentário M 62300000000 Acréscimos Patrimoniais M 62301000000 Incorporação De Ativos/Bens M 62301010000 Incorporação De Bens M 62301010100 Estoques Em Geral D R C 62301010200 Bens Moveis D R C 62301010300 Bens Imóveis D R C 62301019900 Reversão De Depreciação/Amortização/Exaustão E Reavaliação De Bens M 62301019901 Reavaliação D R C 62301019902 Depreciação/Amortização/Exaustão D R C 62302000000 Inscrição De Direitos M 62302010000 Créditos Em Circulação D R C 62302020000 Depósitos Realizáveis A Longo Prazo D R C 62302030000 Recursos Vinculados D R C 62302040000 Divida Ativa D R C 62302050000 Créditos A Receber . Intragovernamentais M 62302120100 Credito Financeiro A Receber Unidade Financiadora Gasto A R C 62302120200 Credito Financeiro A Receber Unidade Financeira Central-Gmifp A R C 62302120300 Credito Financeiro A Receber Unidade Financeira Central-Elemento/Item A R C 62302990000 Reversão De Amortização E Provisão De Perdas De Direitos D R C 62303000000 Desincorporarão De Passivo M 62303010000 Cancelamento De Dividas Passivas M 62303010100 Consignações E Retenções Em Pagamentos D R C 62303010200 Depósitos de Diversas Origens D R C 62303010300 Obrigações Liquidadas A Pagar De Exerc.RP Processado D R C 62303010400 Credores. Anteriores . Anteriores .Fundos Unid. Financ.Operações Intragovernamentais M 62302120000 Restabelecimento Cred.Entid.

ApostiasBrasil.Com Seu futuro é o Nosso Presente! 62303010803 Créditos A Liberar P/Org.Central-Elemento/Item A R C 62303010804 Créditos A Liberar P/Órgãos/Ent.Ent.Fundos.Anterior A R C 63000000000 Resultado Apurado M 63100000000 Resultado Patrimonial Superavitário/Deficitário M 63101000000 Resultado Patrimonial do Exercício D P C 57 .Gasto Exerc.Unid./Fundos-Unid Central-DDO A F C 62303010900 Valores Em Transito Exigíveis D R C 62303020000 Exigibilidade A Longo Prazo M 62303020100 Correção / Atualização de Depósitos Exigíveis A Longo Prazo D R C 62303020200 Correção / Atualização de Operações de Créditos Internas D R C 62303020300 Correção / Atualização de Operações de Créditos Externas D R C 62303029900 Correção / Atualização de Outras Exigibilidades D R C 62399000000 Ajustes Financeiros De Exercícios Anteriores M 62399010000 Ajustes Ativo Disponível D F C 62399030000 Devolução Cota Financeira Concedida Unid.Financ.Financ.