You are on page 1of 3

OBTENÇÃO E REATIVIDADE DO HIDROGÊNIO

JESUS, David Brito de1

RESUMO
O estudo do hidrogênio como o elemento químico mais abundante na crosta terrestre é muito importante para a
compreensão de vários processos naturais e sintéticos que envolvem tal elemento, devido as particuliaridades
desse elemento, o relatório apresentará formas de se obter hidrogênio molecular e atômico, assim como o teste
de suas respectivas reatividades.

Palavras-chave: hidrogênio; reatividade; metais.

INTRODUÇÃO de se oxidar, quanto mais reativo maior sua

A reatividade de metais está diretamente capacidade de oxidar-se, quanto maior sua

relacionada com a capacidade de doar e relatividade maior é sua capacidade de

perder elétrons. Os metais que têm maior liberar gás. A partir dessa escala de

tendência de ceder elétrons são mais reatividade, utilizamos os metais mais

reativos e aparecem no início da fila de reativos e ácido clorídrico para assim obter

reatividade dos metais. Os metais menos o Hidrogênio de maneira mais rápida e

reativos, com menor tendência de ceder, eficaz. (RUSSEL,1994)

aparecem no final da fila. Os metais O hidrogênio atômico possui apenas um
reativos doam elétrons para os menos próton e um elétron. O hidrogênio atômico
reativos espontaneamente, estabelecendo não se encontra livre na natureza, mas sim
assim, as reações espontâneas. Quando combinado em grande número de
ocorre o inverso, ou seja, um metal menos compostos. É um elemento de grande
reativo cede elétrons para um metal mais instabilidade e, consequentemente, muito
reativo, constitui-se uma reação não reativo, que tende a ajustar seu estado
espontânea. Podemos organizar os metais eletrônico de diversas formas. Quando
numa fila de reatividade ou menor nobreza perde um elétron, constitui um cátion H+,
onde os mais reativos aparecem no lado que é na realidade um próton. Em outros
direito e os mais nobres no esquerdo, a casos se produz por meio do ganho de um
série ou fila de reatividade também elétron para formar o ânion hídrico H¯,
organiza os elementos com sua capacidade presente apenas em combinações com
1
Acadêmico do curso de licenciatura em Química, 4º semestre, Química Inorgânica Experimental II, UEAP.

. respectivamente.metais alcalinos e alcalinos-terrosos. O mesmo introduzida no tudo de ensaio que continha experimento foi repetido. 5mL  Comparar a reatividade do desta solução a 2. Na HCL.  03 Beckers de 50mL. NaOH para um Becker de 50ml 1995) devidamente identificado.  Solução de H2SO4 1. respectivamente. (LEE. e foi  Solução de HCL 6.  08 Tubos de Ensaio. H2SO4 1. logo após.0 mols/L. foi agitado e a solução resultante  Solução de KMnO4 0.0 mols/L.05 mol/L foi dividida em 2 tubos de ensaio distintos. PARTE EXPERIMENTAL Em um outro tubo de ensaio. aproximadamente 1cm de fita de alumínio. tubo de ensaio.  Cobre. nas reações de redução utilizar o zinco granulado. com OBJETIVOS uma pipeta graduada. logo após.  Zinco Granulado. Potássio. No tubo de hidrogênio atômico com o ensaio adicionou-se um pedaço de molecular. mas dessa vez H2SO4 e permanganato de potássio. adicionado 6 gotas de Permanganato de  Solução de NaOH 2. O tubo de ensaio foi tampado e foi uma pipeta graduada pipetou-se para 1 adicionado um tubo de vidro para saída dos tubo de ensaio. novamente. 2mL gases produzidos. pipetou-se para 1  Obter gás hidrogênio.  Fita de Alumínio. O mesmo experimento foi repetido prática. Logo após a desta solução. dessa vez ao invés de se geralmente. respectivamente. com uma pipeta graduada.  03 Provetas de 25mL.0 mol/L. utilizando uma solução de 6 mols/L de RESULTADOS E DISCUSSÃO. foi aproximado do tubo de MATERIAIS E REAGENTES ensaio um fósforo.0 mols/L. logo após. 6mL desta solução. no tubo de ensaio adicionou.0 mols/L para um béquer de 50mL clorídrico e adicionados 3 grânulos de devidamente identificado. Transferiu-se do frasco mãe 10ml de  01 Conta gotas.  Solução de HCL 2. foi utilizado o (hidrogênio nascente).0 mols/L. o hidrogênio atômico é empregado. molecular só toma parte em reações que Transferiu-se do frasco mãe 10ml de ocorrem a temperaturas elevadas. Após isso. extremidade restante do tubo foi se 5 grânulos de Zinco. foram Transferiu-se do frasco mãe 10ml de HCL transferidos 3mL de Solução de ácido 2.0 mol/L para um Becker de 50ml. O hidrogênio cobre. pipetou-se para 1 tubo de ensaio. com zinco.

hidrogênio.Na primeira parte do experimento. foi feita utilizando uma base (NaOH) e alumínio metálico e pode ser exemplificada pela seguinte equação: REFRÊNCIAS LEE.D. 4. ed. que na segunda tentativa foi menor metal+ácido. a maior O hidrogênio molecular em forma de gás diferença entre as duas reações feitas foi o pode ser obtido através de reações tempo. e sua combustão é muito do que na primeira. CONSIDERAÇÕES com uma solução de HCl 6mol/L. Química: Um curso ácido sulfúrico + Permanganato de universitário. O experimento foi repetido novamente. devido a maior rápida em contato com oxigênio e fogo. 1999. a grânulos de zinco. e a concentração do HCl. B. São Paulo: Edgard potássio e o tubo com ácido clorídrico e Blucher. Química Inorgânica não tão 2 Al(s) + 2 NaOH(aq) → 2 NaAlO + H 2 concisa. J. Após a união do tubo de ensaio contendo MAHAN. esperava-se obter a obtenção do hidrogênio com grânulos de relação de reatividade entre o hidrogênio zinco e HCL 2.0 mols/L. M.2003. São Paulo: Edgard Blücher Ltda. combustão do hidrogênio atômico tem uma A terceira reação para produção de velocidade menor.. . pode ser molecular produzido pelo permanganato + exemplificada pela seguinte equação: ácido sulfúrico e o hidrogênio atômico produzido pela reação zinco + ácido 2 Zn(S) +2HCl(aq) → 2 ZnCl + H (aq) 2(g) clorídrico.