You are on page 1of 29

Crise do Estado-Nação e

Organizações Internacionais

Território e Territorialidade
 Segundo Souza (1995), o território é um
espaço definido e delimitado por e a
partir de relações de poder.
 Eles existem e são construídos e
desconstruídos nas mais diferentes
escalas.
 Podem ser permanentes ou possuir uma
existência periódica.

Metrópoles Mundiais . domínio ou influencia de vários atores (políticos. Organismos Econômicos Grandes Empresas . Organizações Criminosas . A noção de poder. . econômicos e sociais) e a forma como eles moldaram a organização do território no espaço geográfico expressam uma determinada territorialidade.

.

em ‗defesa do território pátrio‘. . em sentimentos patrióticos. em grandes espaços.. um povo e soberania. p. em guerras.. em dominação. 1995.‖  ―A palavra território normalmente evoca o ‗território nacional‘ e faz pensar no Estado –gestor por excelência do território nacional-.O que é um Estado-Nação?  ―O Estado-Nação é essencialmente formado de três elementos: o território. em governo. 81)  O Estado entendido como grande gestor do território nacional.‖ (Souza.

.

Alguns conceitos básicos  Estado  País  Nação  Soberania  Limite  Fronteira .

político.Estado e País  Ambos definem um território social. .  Porém.  Ele pode ser formado por mais de um país. como por exemplo o Reino Unido. o Estado é uma entidade jurídica que exerce soberania sobre um território. cultural e geograficamente delimitado.

.

história). costumes. O Estado-Nação nasce quando essa nação é organizada politicamente e exerce soberania sobre um território. valores. .Nação e Estado-Nação  Naçãoé formada por pessoas que possuem aspectos comuns (idioma. tradições.

.

É o direito exclusivo de uma autoridade suprema sobre um grupo de pessoas — geralmente uma nação.  Relaciona-se à autoridade suprema. na qual o líder é chamado genericamente de soberano. geralmente no âmbito do país. . como na monarquia. Há casos em que esta soberania é atribuída a um indivíduo.Soberania  Refere-se à entidade que não conhece superior na ordem externa nem igual na ordem interna.

.

. que podem ou não ser territórios diferentes.Limite e Fronteira  Limite relaciona-se com a ideia de divisão. o que não é correto.  Já a fronteira é mais dinâmico e designa uma frente de expansão ou uma zona de inter-relações entre os diferentes meios. que muitas pessoas imaginam correlacionar-se à fronteira.

.

mesmo que relativo.Sai de cena o Estado Nacional. O Estado-Nação divide parte de seu poder com outras organizações e instituições: o mercado global. as empresas transnacionais. os mercados regionais. as instituições financeiras. . entram as Organizações Internacionais? A Revolução Técnico-Cientifica- Informacional fez com que o Estado Nacional vivesse um declínio. organizações internacionais e ONGs.

Mas. ou se desaparece.” (Santos. mas como uma ideologia.Globalização  “ A política agora é feita no mercado. Então. 67) . nem finalísticas. p. ou se é cada vez mais individualista. um símbolo. no mundo da competitividade. se o Estado não pode ser solidário e a empresa não pode ser altruísta. a sociedade como um todo não tem quem a valha. Os atores são as empresas globais. que não têm preocupações éticas. a própria logica de sobrevivência sugere que funcione sem nenhum altruísmo. Dir-se-á que. 2010. Só que esse mercado global não existe como ator.

o que temos é um território nacional de economia internacional.‖ (p. ainda que as forças mais ativas do seu dinamismo atual tenham origem externa.― Com a globalização. isto é. 76) . o território continua existindo. as normas públicas que o regem são da alçada nacional.

. . . . FMI. Nações Unidas. . Banco Mundial. Organização Mundial do Comércio.Algumas Organizações Internacionais  Empresas Transnacionais  Instituições Supranacionais . Blocos Regionais.

A fluidez do mundo pela informação A mudança na natureza do Estado O discurso sobre a atuação do Estado  Adaptação do Território aos capitais globalizados. .

pouca intervenção do governo no mercado de . saúde. Os direitos na globalização. seguridade . economia. política de privatização de . sociais conferem serviços de educação. abertura da economia para a e lazer. . O modelo de organização empresas estatais. estatal concede aos indivíduos bens e serviços públicos . . Garantia de Serviços Públicos trabalho. Estado organiza a política e a país. adoção de medidas contra o protecionismo econômico. . Estado de Bem estar Social Estado Neoliberal . entrada de multinacionais. livre circulação de capitais internacionais e ênfase durante toda a vida. e proteção a População . mínima participação estatal nos rumos da economia de um .

Empresas Transnacionais O fluxo continuo do capital e as fronteiras.Nação. .  Suas estratégias são condicionadas por razão de mercado.  Entidadesque transcendem as fronteiras dos Estados.

 UniãoEuropeia. Mercosul. Nafta. .Blocos Regionais  Entidades Supranacionais mais abrangentes que o Estado.  Impõe políticas diversas. entre outros.

Presença nos Conflitos Mundiais Funções exercidas pelas . China. .Guerra do Golfo (1991) Potências Mundiais .Tropas de Paz Conselho de Segurança ( Estados Unidos. Rússia. França e Reino Unido.ONU( Organização das Nações Unidas) Guerra Fria Pós Guerra Fria Papel Tímido da ONU.

custear gastos militares ou econômicos. conceder empréstimos.  BRICS: Países emergentes .Grupos de Países  G-7 e G-8: Investir no Exterior.  G-20: objetivo criar soluções para a economia.

ou econômica do local. politica.  Cooperativas. Clubes.Terceiro Setor  Movimentos ou organizações privadas sem fins lucrativos  Tem por objetivo promover a expansão Cultural. . Associações. ONGs fazem parte desse terceiro Setor  Grande parte do que elas realizam são de competência do Estado.

depois o assedio sexual. depois algum genocídio na África ou alguma crise na Europa Oriental.‖  O poder conquistado através mídia. amanhã o aborto.Mídia Global  Ela influencia as eleições e até mesmo os rumos do governo..  ―Ao abordar hoje a corrupção. .. . a mídia acelera e direciona a vida politica. etc.

afinal. O mesmo pode ser dito das instituições supranacionais. assim. regula o mundo financeiro e constrói infraestruturas. a grandes empresas escolhidas a condição de sua viabilidade.” (p. sua vontade política ou econômica. dentro de cada território. nem as instituições supranacionais dispõem de força normativa para impor. 77) .”  “ É o Estado nacional que.Algumas contradições…  “Ao contrário do que se repete impunemente. cujos editos ou recomendações necessitam de decisões internas a cada país para que tenham eficácia. sozinhas. atribuindo. o Estado continua forte e a prova disso é que nem as empresas transnacionais.

Rio de Janeiro: Bertrand Brasil. 1994 . Milton.  CASTRO. São Pauto: Record. 2000.Referências  SANTOS. Por uma outra globalização . Paulo César da Costa. GOMES. 2° ed.do pensamento único à consciência universal. Roberto Lobato. CORRÊA. Geografia: Conceitos e Temas. Iná Elias de.