You are on page 1of 15

F O T O : PAVA N T R I K U TA M > U N S P L A S H

AÇÃO MIDIÁTICA, n.12. Jul./Dez. 2016. Curitiba. PPGCOM-UFPR. ISSN 2238-0701

en t r e
v i s t a

345

PPGCOM-UFPR./Dez. ISSN 2238-0701 346 . Jul. Curitiba. 2016. n. AÇÃO MIDIÁTICA.12.

n. 2016. Jul. Curitiba.2016n12p345-359 347 .5380/2238-0701. ISSN 2238-0701 DOI 10.12. PPGCOM-UFPR./Dez.FOTO: BERRY CHILD > UNSPLASH AÇÃO MIDIÁTICA.

Interatividade. Pesquisa. ISSN 2238-0701 Mídias. n. 2016. AÇÃO MIDIÁTICA. 348 .12. Jul./Dez. PPGCOM-UFPR. Tecnologias. Curitiba.

the program objectives.12. áreas de conhecimento. Keywords: Laboratory of Media. Abstract: An interview with Cleomar de Sousa Rocha. Pesquisa. 2016. areas of knowledge. ISSN 2238-0701 O futuro é interativo The future is interactive El futuro es interactivo KEILA SIMONE SCHONS 1 Resumo: A entrevista com Cleomar de Sousa Rocha. Interactivity. PPGCOM-UFPR. Tecnologias. E-mail: keila_schons@hotmail. Palavras-chaves: Laboratório de Mídia.com. os objetivos do programa. AÇÃO MIDIÁTICA. pesqui- sador e idealizador do Media Lab/UFG. desenvolvimento e inovação em mídias interativas. Search. Curitiba. challenges and new perspectives for teaching through ODL. research- er and founder of Media Lab / UFG. da linha Comunicação e Formações Socioculturais. desafios e novas perspectivas para o ensino através do EAD./Dez. apresenta a visão do projeto voltado à pesquisa. development and innovation in in- teractive media. Interativi- dade. Jul. n. Rocha discusses the Distance Learning panora- ma. Rocha discorre sobre o panorama do Ensino à Distância. 349 . presents the vision of the project focused on research. Technologies. 1 Mestranda do Programa de Pós-graduação em Comunicação da UFPR.

investi- gador y fundador del Media Lab / UFG. AÇÃO MIDIÁTICA. Rocha habla sobre el panorama de apren- dizaje a distancia. Palabras clave: Media Lab. desarrollo e innovación en medios interactivos. 350 . presenta la visión del proyecto orientado a la investigación. n. ISSN 2238-0701 Resumen: La entrevista con Cleomar de Sousa Rocha. Jul./Dez.12. Tec- nologías. Curitiba. los objetivos. Interactividad. Investigación. PPGCOM-UFPR. retos y nuevos enfoques para la enseñanza a través de la educación a distancia. las áreas de conocimiento. 2016.

FOTO: MEDIA LAB AÇÃO MIDIÁTICA./Dez. ISSN 2238-0701 Cleomar Rocha. Curitiba. PPGCOM-UFPR. Jul. 2016. n. coordenador do Media Lab / UFG 351 .12.

mídias interativas. Nossa conversa abordou diversos assuntos. Arte. ao sabermos das burocracias que te- mos no ensino superior público. AÇÃO MIDIÁTICA. dentre eles o Ensino a Distância. 2016. Ação Midiática – O que é o Media Lab. mas somente se consolidou em 2009. quais seus objetivos e. atualmente é o coordenador do Núcleo de Pesquisa. n. dentre elas as de stricto sensu.12. como foi a jorna- da desde a primeira reunião sobre o projeto até a captação de recursos para a construção do espaço físico e aquisição de equipamentos? 352 . Desenvolvimento e Inovação em Mídias Interativas da UFG – o Media Lab / UFG. da Universidade Federal de Goiás Cleomar de Sousa Rocha é pós-doutor em Estu- dos Culturais (UFRJ). com a aprovação do projeto de construção do prédio. Faculdade de Artes Visuais. Design. Curitiba. ISSN 2238-0701 Pesquisa. PPGCOM-UFPR. pós-doutor em Tecnologias da Inteligência e Design Digital (PUC-SP) e dou- tor em Comunicação e Cultura Contemporâneas (UFBA). Professor do Programa de Pós-gradua- ção em Arte e Cultura Visual. Jul. que tem como objetivo se tornar polo de pesquisas Co- municação. ainda em Sal- vador. começou o projeto do Media Lab em 2005./Dez. interfaces computacionais e arte tecno- lógica. Artista pesquisador com projetos/pesquisas em design de interfaces. na UFG. Universidade Federal de Goiás. tecnologias na educação e multidisciplinaridade. desenvolvimento e inovação em FOTO: MEDIA LAB mídias interativas realizadas pelo laboratório de pesquisa Media Lab. pela FINEP.

n. Formamos. especificamente. voltando-se mais para níveis participantes. Universidade de Brasília e Universidade Federal do Sul e Sudeste do Pará) totalmente de- dicada à pesquisa. como mestrado. responsáveis pela captação de recursos tanto para o prédio pró- prio quanto para o parque tecnológico formado pelo Media Lab / UFG.. AM – O Media Lab Brasil é uma rede composta por três universidades (Universidade Federal de Goiás.12. ISSN 2238-0701 Rocha – O Media Lab é um laboratório de pesqui- sa. A excelência do projeto e seu forte impacto social ajudou na apro. Curitiba./Dez. desenvolvimento e inovação em mídias interativas. otimizando setores público e privado. A perspectiva é criar conhecimento e não apenas reproduzi-lo. AÇÃO MIDIÁTICA. doutorado medida da replicação e pós-doutorado. mas atendendo também forma- ção de iniciação científica. vação dos vários projetos e editais. reduzindo custos. desde meados deste ano. que tem por objetivo desenvolver e apoiar projetos inovadores em mídias interativas. culturais e artísticos da rede e. na de formação elevados. de projetos na rede mandas internas e externas da UFG. a rede Media Lab / BR. pelas instituições nares. fomos procurados para replicação do modelo de trabalho pela UNIFESSPA e UnB. Jul. além de incrementar a resultados e s” formação de mestres e doutores.. Quais os impactos sociais. sempre “ [.] o impacto social e cultural é potencializado de modo colaborativo e em equipes multidiscipli. desenvolvimento e inovação em mídias intera- tivas. O projeto responde de. do Media Lab UFG. laboratório-núcleo da rede? Rocha – A partir do êxito do Media Lab / UFG. 2016. atendendo os inteira. PPGCOM-UFPR. assumindo o mesmo espírito colaborativo e inter- 353 .

/Dez. 2016. A maior parte dos bolsistas já concluiu a graduação ou mestrado. Jul. professores e alunos integram o Media Lab UFG? Vocês pri- vilegiam determinadas áreas de conhecimento ou a essência da interação entre diferentes áreas está presente da seleção de equipes e projetos e até na estrutura física do laboratório? Rocha – Contamos hoje com mais de 50 pessoas no Media Lab / UFG. mas todas as demais instituições vinculadas ao Media Lab e às instituições participantes. o impacto social e cultural é potencializado pelas instituições participantes. ISSN 2238-0701 disciplinar que nasceu na UFG.12. todas as nossas ações alcançam um público final ampliado. PPGCOM-UFPR. n. na medida em que a rede tem um alcan- ce maior que os laboratórios isolados. sendo relativamente poucos os que pos- 354 . fica o compromisso de assegurar aos demais laboratórios as diretrizes de colaboração e validação de proje- tos comuns. quantos pesquisadores. Curitiba. Temos desde pós-doutores até bolsistas de iniciação científica de ensino médio. resultando em projetos com a excelência da participação de profissionais de todas as áreas envolvidas pelo projeto e não ape- nas de uma. Esta característica FOTO: MEDIA LAB impacta potencialmente todas as unidades e for- mações acadêmicas. que envolvem não apenas a rede. Por exemplo. Para o laboratório da UFG. Ainda. como sede da rede. das mais variadas formações e níveis. na medida da replicação de projetos na rede inteira. AÇÃO MIDIÁTICA. otimizando resultados e reduzindo custos. AM – Hoje.

PPGCOM-UFPR. na prática. Hoje temos mais cientistas da objetivo primeiro. até mesmo pela dificul- dade em estabelecer limites entre esses campos. quando há a adequação a perfis de cursos./Dez. ISSN 2238-0701 suem vínculo com a UFG. como. Todos os nossos projetos preservam a pesquisa como objetivo primeiro. O conhecimento adquirido pela pesquisa é repli- cado no ensino. quando há interesse es- pecífico ou quando o conhecimento não se adere plenamente a perfis disciplinares. computação.12. n. 2016. e na extensão. Não há atividades de ensino nem de extensão que não se originem da pesquisa. a extensão como petências diversas é nosso gene primordial. 355 . Não há privilégio por formação. resultados. no sentido geral. pesquisa e extensão. tendo o ensino e a extensão como resultados. artistas. AÇÃO MIDIÁTICA. como objetivos. se resolvem tais “ten- sões” e quais lições o núcleo ensina a pesquisa- dores interessados no desenvolvimento de pro- jetos semelhantes? Rocha – A pesquisa é o carro chefe do Media Lab. A interação entre com. na condição de aluno. Neste ponto não há nenhum tipo de problema. mas te- mos também engenheiros. designers e comunicólogos. Jul. mas os projetos acabam por indicar habilidades e competências específicas. Curitiba. e não como objetivos. micas é a criação de projetos que integrem ensi- no. já que esta acomo- dação se dá organicamente. formando o escopo das “ Todos os nossos projetos preservam a pesquisa como vagas que abrimos. e não ” AM – Um dos maiores desafios das áreas acadê. Já que o Media Lab UFG atende plenamente esse objetivo. psicólogos e tendo o ensino e até economistas na equipe.

gerando experiências singulares em seu uso como medida eficaz de aprendizagem. AM – Se pensarmos nas possibilidades do EAD.12. Estes dois métodos formam a espinha dor- sal do curso. O curso de especiali- zação ofertado pelo lboratório – financiado pela CAPES e oferecido gratuitamente em sete polos em Goiás –. Jul. Quais a vantagens dessa meto- dologia e como ela dialoga com os conteúdos do Ambiente de Gestão de Aprendizagem? Rocha – O In. modelização de ambiente de aprendizagem e sistemas cognitivos. que tem atrás de si uma pesquisa sobre interfaces computacionais. pela abordagem do PBL. O uso de mídias é essencial no processo. PPGCOM-UFPR. O curso. ISSN 2238-0701 AM – Uma das modalidades de ensino que mais FOTO: MEDIA LAB crescem no Brasil é o EAD. e é inova- dor no mundo por implementar o método H (ou AGA . em si. é uma aplicação das instruções da pesquisa que nossos pesquisadores desenvolvem. adota a metodologia PBL (Problem Based Learning)./Dez. n. que coloca o aluno como protagonista do proces- so ensino-aprendizagem. o Media Lab pode contribuir com quais inova- ções em forma. AÇÃO MIDIÁTICA.Ambiente de Gestão da Aprendizagem). e não nos conteúdos programáticos. Curitiba. para um modelo centrado na aprendizagem e no aluno. A perspectiva é de alte- rar o modelo centrado no professor e no ensino. conteúdo e tecnologia? 356 .mídias é um curso inovador den- tro da UFG. 2016. A maior vantagem dos dois métodos é concentrar esforços no desen- volvimento de habilidades e competências dos alunos.

res com defasagem de décadas em relação aos seus alunos. mas de modo geral. estabelecer o centro na preciso que a sala de aprendizagem e no aluno significará não se fixar no espaço-tempo do professor./Dez. PPGCOM-UFPR. desenvolvendo competências para este contexto. É mica do conhecimento. O Media Lab formula e aplica métodos que al- teram o que está aí. com o uso de mídias interativas. É premente que se repensem méto- dos e procedimentos em nossas escolas. como são os cursos ofe- recidos. é quase abismal. O distanciamento que os métodos e conteúdos têm em relação ao mundo “ O distanciamento que os métodos e conteúdos têm em é quase abismal. Curitiba. propondo alternativas mais contemporâneas do processo ensino-aprendiza- gem. O Me- dia Lab tem se posicionado neste sentido. hoje já muito defasadas em relação a sociedade. n. seja de especialização seja de extensão. Se pensarmos aula não seja alheia nas mudanças na aposentadoria. É preciso que a sala de aula não relação ao mundo seja alheia ao mundo e contexto contemporâ- neos. Jul. não apenas a distância. não apenas levantando discussões.12. s” nal maior que o que temos hoje. 357 . em breve teremos professo- contemporâneos. AÇÃO MIDIÁTICA. com a dinâ. Ainda. imperando um problema geracio. Se observarmos o processo de aceleração que a tecnologia nos presenteia. mas apresentan- do propostas práticas. que querem ao mundo e contexto nossos governantes. ISSN 2238-0701 Rocha – Há uma necessidade premente de re- modelarmos o ensino. como querem alguns. Além dis- to temos formado professores para enfrentarem essa nova ordem. 2016. mais e mais acentuadas serão estas diferenças. como querem alguns.

respon- dendo a interesses de formação e também de de- mandas sociais de fato. AM – Publicação de livros e coletâneas. em arte. FOTO: JORNAL DA UFG doutorado e pós-doutorais que estão em anda- mento no Media Lab UFG? Rocha – Os projetos em andamento dizem de pes- quisas sobre tecnologias em museus./Dez. os projetos que envol- vem museus tem o Museu Casa de Cora Coralina e o Museu de Ciências da UFG como espaços de aplicação de resultados. mas que possam ser aplicados em projetos socialmente implantados. cinema de ultra-alta reso- lução. com outros pesquisadores. PPGCOM-UFPR. em processos de aprendizagem colaborativa. n. 2016. aplicativos e o pro- 358 . produção de games. ISSN 2238-0701 AM – Quais os principais projetos de mestrado. Isto quer dizer que todos os projetos possuem uma discussão e uma aplicação. em equipes amplia- das que envolvem vários profissionais e pesquisa- dores . AÇÃO MIDIÁTICA. Curitiba.e não apenas o mestrando ou doutorando. organi- zação de eventos como Encontro Internacional de Arte e Tecnologia – caminhando para sua 16ª edição – a criação e gestão de cursos de especia- lização. Parte das demandas des- tes locais são atendidas e discutidas também pelos projetos de tese e dissertações. de modo a permitir ampliações e aplicações dos resultados.12. Esta lógica é estratégica para que os projetos não se tornem apenas mais um livro ou artigo. em interfaces computacionais. Todas as pesquisas se articulam com projetos ou- tros e. por conseguinte. Jul. realidade aumentada e cidades inteligentes. Por exemplo.

Jul. Outro ponto que merece des- s” taque é a descontinuidade de demandas públicas./Dez. uma característica de equipes em instituições de ensino e pesquisa. Enge- “ [. PPGCOM-UFPR. bus- ca aproximar as áreas de Comunicação. Música. Gestão e Estudos Culturais. sem qualquer tanto já são previstas. e pesquisadores igualmente nos de cronograma e deixam quando seus projetos são finalizados. Nossa perspectiva é fazer a diferença. Rocha – A dificuldade é de manutenção de equipe. embora sejam um desafio a cerimônia ou mais para a gestão.. Qual o maior desafio em coordenar um projeto tão multidisciplinar quanto o laboratório? por vezes. a partir de mudanças de governança: o impacto da mudança de um ministro ou de sua equipe é. n. que vê alteração de cronograma e orçamento alterados sem qualquer cerimônia ou responsabilidade. Para o futuro. Mas orçamento alterados esta dificuldade é. de sua equipe é. ISSN 2238-0701 grama de estágio pós-doutoral. Curitiba. AÇÃO MIDIÁTICA. 2016. n 359 . Design. terrível para a pesquisa. Ciências da Computação. responsabilidade. Educação. O catálogo do Media Lab UFG é amplo e. já que alunos tendem a nos deixar quando finali.] o impacto da mudança de um ministro ou nharia. o que já somos. que vê alteração zam seus cursos. Arte. de fato. principalmente. terrível para a pesquisa. es- peramos ampliar a rede Media Lab Brasil e nos consolidar como o mais importante da América Latina.12. por.. por vezes.