You are on page 1of 7

110 GÊNERO, FUNDAMENTALISMO E RELIGIÃO

O parto difícil de uma do ecumênico, eu aludir a situações que exis-
tem em várias religiões, devo, por exigência
profecia erótica: o ética, me restringir ao fundamentalismo reli-
gioso nas igrejas cristãs. Escrevo estas linhas
fundamentalismo religioso e como provocação ao diálogo e, portanto,
a questão de gênero deixarei este texto, propositadamente, incom-
pleto e aberto.
Marcelo Barros* Palavras-chave: Gênero – Fundamentalismo
– Cristianismo.
RESUMO
À primeira vista, assuntos como o funda- The difficult delivery of an
mentalismo religioso e a questão de gênero
se excluem e se ignoram. O primeiro nasceu erotic prophecy: religious
e se desenvolveu como reação a qualquer fundamentalism and the
pretensão de modernidade. É uma atitude de
prevenção e fechamento a qualquer mudança. gender issue
A segunda (a questão de gênero) é justamen-
te uma exigência de paridade social e de re- ABSTRACT
lação humana, em que antes tal questão não At first sight, subjects such as religious fun-
era prevista. damentalism and gender issue mutually ex-
Por sua própria natureza profética, a relação clude and ignore themselves. The former was
de gênero rompe tabus e suscita mudanças born and developed as a reaction to any pre-
sociais, impossíveis de serem alcançadas no tension of modernity. It is an attitude of pre-
passado idealizado pelos fundamentalistas. vention and closing to any change. The latter
Fundamentalismo e questão de gênero se (the gender issue) is precisely a demand of
excluem, seja quando se trata de funda- social parity and of human relation, when
mentalismo político nacionalista ou de funda- such question was not yet foreseen.
mentalismo econômico, ou o mais espalhado Due to its prophetic nature, the gender rela-
de todos: o fundamentalismo religioso. Entre- tion tears down taboos and rouses social
tanto, não basta dizer isso. O assunto é mais changes, something impossible to be accom-
complexo. Embora não me sinta especialista plished in the past idealized by the funda-
nem em um tema nem no outro, proponho- mentalists. Fundamentalism and gender issue
me conversar com vocês sobre as implica- mutually exclude themselves, whether it is
ções de uma questão sobre outra e, se for the nationalist political fundamentalism, the
possível, delinear algumas perspectivas. To- economical fundamentalism, or the most di-
marei aqui como questão o fundamentalismo vulged one: the religious fundamentalism.
religioso e suas implicações para as questões However, it is not enough to say so. The
de gênero. Por questão de ética, não aceito subject is a more complex one. Although I
escrever sobre situações internas de outras am not an expert on either issues, I propose
religiões que não sigo. Mesmo se, por cuida- myself to talk to you about the implications
of one issue over the other, and, if possible,
to draw some perspectives. Here, the issue
* É teólogo, biblista e monge beneditino. É assessor das
will be the religious fundamentalism and its
Comunidades Eclesiais de Base e dos movimentos popu-
lares. Membro da Associação Ecumênica de Teólogos/as implications for the gender issues. Out of
do Terceiro Mundo (Asett). Tem 32 livros publicados em ethics, I do not accept writing about internal
várias línguas e colabora com várias revistas nacionais e situations of religions other than mine. Even
estrangeiras.

tendo a concordar com uma de género rompe tabús y suscita cambios so. Es una de várias Igrejas cristãs do Brasil e alguma parti- actitud de prevención y cierre a cualquier cipação de outros países. definição de fundamentalismo dada pelos sociólo- ciales. sas IIgrejas e religiões. adonde antes n. o Fórum Ecumenismo Brasil A primera vista. Em meio a muitos fundamentalismos profecía erótica: el Como dizem que o fundamentalismo é o fenô- fundamentalismo religioso y meno (para não dizer movimento) que mais cres- la cuestión de género ce nas diversas religiões do mundo. Por su propia naturaleza profética. Por una cues. no acepto escribir sobre situaciones do passado a projeção de tais idéias. com participação de estudiosos e militantes cualquiera pretensión de modernidad. por lo tanto. I allude to situa. yo debo. o el más diseminado de todos: el ras institucionais” (SHUPE. El parto difícil de una 1. and. Não aceita yo no sea un especialista en cualquier de los a separação que a modernidade fez entre sagrado e temas. Aunque si. 241/ 1992. out of ecumenical care. La segunda (la cuestión de género) 1992. I write these lines as a provocation iglesias cristianas. Entretanto. Aunque mentalismo parece ser questão de poder. que visa recuperar a autoridade sobre uma tradição cluyen. Nenhum para las cuestiones de género. mas. ha nascido y desarrollado como reacción a Hoje”. me propongo a conversar con vosotros secular e quer. Aquí tomaré como cuestión el passado e querem voltar ao que seria este tempo fundamentalismo religioso y sus implicaciones primeiro de fidelidade e rigidez doutrinal. El tema es más complejo. promovido pela Aste. Palabras clave: Género – Fundamentalismo – Cristianismo. 3) e enfocou o assunto a partir das mais diver- dicha cuestión no estaba prevista. caso sea posible. Escribo estas líneas como to dialog. text incomplete and open. El primero seminário específico sobre “Fundamentalismos. HADDEN. yo tions that exist in several religions. gious fundamentalism in the Christian restringirme al fundamentalismo religioso en las churches. sea cuando se trata de fundamentalismo sagrada que deve ser reintegrada como antídoto político nacionalista o de fundamentalismo contra uma sociedade que se soltou de suas amar- económico. gos norte-americanos Anton Shupe e Jeffrey sado idealizado por los fundamentalistas. mías. Para isso. restrict myself to reli. dejaré este texto incompleto Keywords: Gender – Fundamentalism – y abierto. por exigencia ética. la relación De tudo o que li. fundamentalismo religioso y la cuestión de entidades ecumênicas e de estudos da religião. historiador ou sociólogo encontrará em momentos tión ética. Hadden: “O fundamentalismo é um movimento Fundamentalismo y cuestión de género se ex. temas como el realizou. fundamentalismo religioso. social y de relación humana. imposibles de ser alcanzados en el pa. out aluda a situaciones que existen en varias reli- of an ethical demand. a revista internacional Concilium consagrou es precisamente una exigencia de paridad um número especial a este assunto (n. no basta A partir de uma perspectiva sociológica. por cuidado ecuménico. pouco internas de otras religiones que no son las importa. os fundamentalistas idealizam o perspectivas. Os fundamentalistas apresentam-se como . trazer a religião de sobre las implicaciones de una cuestión sobre volta ao centro do mundo e da preocupação das la otra y. de fato ele está sendo muito discutido. delinear algunas pessoas. o funda- decir eso. de 21 a 22 RESUMEN de agosto de 2008. a todo custo. Christianity. intencionalmente. Cese e Koinonia. No plano teológico. Recentemente. em cambio. 1989:111). giones. I must. 111 if. thus I will purposely leave this provocación al diálogo y. um género se excluyen y se ignoran.

Se se trata de restituir à re. fundamentalistas contra 29% que declaram que ser mulher é me- evangélicos sustentam a política de Bush. combatem. histórica e do evolucionismo (MARTY. responsáveis pelos erros que os fundamentalistas ligião o poder de julgamento e decisão nas socieda. 48% entre os meninos e 19% entre para que não sejam adaptados nem relativizados. em qualquer caso a taxa de 14% que acham que tanto faz o sexo do e circunstância. Nos Estados Unidos. ropeus!”). por natureza. mesmo este defen. sempre lhor. Para eles. os fundamentalismos ser homem é melhor concentram-se nas vanta- definem-se como uma atitude ou tendência teoló. Os . o homem. As respostas dendo claramente a superioridade da raça branca e mostram que 54% das pessoas entrevistadas (jo- a repressão aos migrantes (“A Europa para os eu. a pesquisa abordou as questões de Páscoa (sob pena de prisão). mesmo o fundamentalismo religioso tem provocaram os desvios históricos ou as heresias forte conotação política. presumivelmente. Entre as meninas a taxa que indica que talismo religioso”. mentos feministas e às questões de gênero. FUNDAMENTALISMO E RELIGIÃO restauradores desse passado idealizado. E mesmo nas últimas eleições. Assim. as meninas). na França. o fundamentalismo religioso começou que consideram que ser homem é melhor são no início do século XX. dados desta pesquisa resumida na internet. Pouco importava se o sexualidade e de gênero. os bispos ciam-se significativamente entre os sexos: do total católicos. bos sentem a mesma ojeriza em relação aos movi- tensões de poder sacral. portanto. Os fundamentalistas apresentam-se como 2. As meninas Entretanto. movimentos muçulmanos ditos fundamentalistas.112 GÊNERO. forma. Reproduzo aqui alguns regime torturava dissidentes e fazia desaparecer re. sustentaram a política do A Fundação Perseu Abramo publicou na internet general Franco. No plano teológico. Ao contrário da liberdade. nas Igrejas protestantes aproximadamente 3 em cada 10 (28%) e 20% norte-americanas e como movimento contra as afirmam que tanto faz ser jovem homem ou mu- tendências de interpretar a Bíblia a partir da crítica lher (Pergunta 13). a valori- Quase todos os movimentos fundamentalistas zação do ser mulher está na idéia de “ter mais res- são. encontra-se tão rigidamente contra o aborto. quando se fala em “fundamen. vens) consideram que é melhor ser um rapaz. Dito dessa voltados contra aqueles que. tude. Mais tarde. que é melhor ser do sexo a que eles pertencem e licos votar em Bush porque o outro candidato de. ticos e partidos defendem propostas de racismo e violência. Aqueles que acreditam que tanto faz o sexo por motivos religiosos. Para viajar por questões de gênero os mais religiosos e mais puros do que os outros. Essas taxas diferen- de sua fé. Am- líticos de extrema direita que se unem às suas pre. Ainda entre os meninos. movimentos agressivamente ponsabilidade (4%) e ser mais madura (3%)”. uma pesquisa feita com jovens de todo o Brasil cos. 2004:762. que é igual tanto para a mulher como para Atualmente. o critério para apoiar o generalíssimo era que sobre como se sentem na vida. os lefevristas Questionou-se sobre o que é melhor na juven- ligaram-se ao partido de Le Pen. apenas 4% consideram que ser mulher é melhor fendia a união estável de homossexuais e não era na juventude. é importante ter o poder político para fazer tes combatem as teorias evolucionistas e os funda- isso. gens do homem: “ter mais liberdade. jovem. os movimentos mentalistas católicos não podem ouvir falar no fundamentalistas tendem a defender partidos e po. volucionários. mesmo quando estes polí. metade das entrevistadas. como expressão somam 17%. ou seja. ser homem ou ser mulher. os fundamentalistas protestan- des. a maioria (82%) acredita do Afeganistão e do Iraque. papa João XXIII e no Concílio Vaticano II. Em todos os países. Entretanto. Entre muitas ou- este exigia que todo militar fizesse anualmente a tras questões. As razões que justificam a percepção de que 763). fundamentalistas católi. (Pergunta 13). mesmo já tendo a experiência da invasão de rapazes entrevistados. na Espanha. propuseram aos cató. muita gente pensa logo nos ser do seu próprio sexo é melhor cai para 52%. poder fazer gica ou espiritual que consiste em se agarrar ao mais coisas que a mulher” (33% do total de en- que acreditam ser os fundamentos da fé e lutar trevistados.

“Se a mulher trair o marido com outro homem. contram a síntese e alguns comentários. 1 nente. a não ser que revissem nero e as relações de gênero como elementos todo o seu aparelho dogmático e institucional constitutivos das relações sociais e que proble. truída a partir da realidade de desigualdade e injus- deram que. Dis. No campo da teologia. os estudos do nião pública da Fundação Perseu Abramo. pensadas para sociedades agrári- Sem dúvida. Enquanto os meninos se dividem quanto à almente para se compreender melhor e de forma concordância com a frase “nas decisões impor. . Em muitas religiões. 66% das entrevistadas e 55% igualdade e de reconquista da dignidade e do dos entrevistados. a relação de gênero a isso 71% dos homens e 82% das mulheres en. e interpretada à luz das relações de gênero 2. Em várias religiões. ministros homens representam a divindade.com> e no site da fundação. Os 12% afirmam concordar totalmente (Pergunta 89). mas com um dado novo: Entre as moças. ainda são desiguais e injustas. 2005). Isso significa desenvolveram em sociedades patriarcais e adota- que ainda se encontra no Brasil 21% dos rapazes ram o próprio modelo do patriarcalismo como lin- que concordam com essa violência. Outros. em uma sociedade do conhecimento. perspectiva feminista. assim como as relações de a maioria das meninas discorda (78%. em um casal. Alguns acre- como as tarefas e papéis que a sociedade prepara ditam que. análise não pode nem deve ser neutra. fazem uma análise mais dialética e 1 Dados do resumo da pesquisa realizada pelo núcleo de opi. 32% concordam com isso. homens e mulhe- metropolitanos concordam que a mulher casada res trabalham a história e a teologia para repensar deve satisfazer o marido sexualmente. 2 Cf. apesar de indicar alguma mudança na sensi- bilidade cultural. assume-se a homem ter mais experiência sexual que a mulher. É cons- Conforme a pesquisa. CEBI em que mulheres interpretam os livros e questões da <http://www. É claro que esta que concordam). giões. 113 que acham que tanto faz ser homem ou mulher matizam e transformam as questões de poder na baseiam-se na idéia de que “ambos se divertem sociedade (SCOTT. Essa também é a opi. nova as relações estabelecidas entre os homens e tantes. Declaram-se contrários diferença. A mim me impressiona o fato de ser um levantamento 3. velhas religiões. não têm mais sentido. uma crise estrutural da maioria das religiões pazes e moças. assume na sociedade. igual. é uma conquista considerar o gê. revela o quanto. Bíblia. as origens e as crenças a partir quando não tem vontade. experimenta-se certa esquizofrenia cultural tica rejeitada por 93% das mulheres entrevistadas e social. Em uma análise de gêneros. as mulheres. sendo que guagem da revelação divina: “Deus é Pai”. empoderamento da mulher. na série POR TRÁS DAS PALAVRAS. é justo que o homem tenha a última pala. é uma categoria de análise indispensável e perma- trevistadas. (CORBÍ. as. as para cada um. No jJudaísmo e nas mais diferentes IIgrejas Analistas de várias áreas estão estudando os cristãs. contra 21% poder estabelecidas entre eles. principalmente os latino- americanos.noolhar. as relações entre homens e mulheres. 45% dos rapazes consi. a própria Bíblia tem sido inteiramente relida resultados da pesquisa. Disponível em:. (Pergunta O termo gênero é um conceito construído soci- 14). mesmo os fundamentos. A fácil tentação de feito com jovens. No próprio site já se en. é mais importante o tiça. e um fundamentalismo light que. (CORBÍ. De um lado. 2002). do imperativo da relação de gêneros: igualdade na nião de 16% das meninas. homens e mulheres se unem a partir da opção de cordam desta idéia. RAMONEDA. quase todas as religiões se e 79% dos rapazes entrevistados. 1990:5). ra. nas mais diversas reli- é justo que o marido bata na mulher” é uma pra. na sociedade Muitos estudiosos têm chamado a atenção para vigente. para analisar os papéis que cada um vra” (49% apóiam. fazem as mesmas coisas” (8%). contra 51% que discordam). majoritariamente de cidades. e assim Aproximadamente três em cada dez rapazes por diante. 2002.

muitas Igrejas e religiões voltam e legalista. a humanidade mentalistas são ainda minoritários e não representam se renova pelas conquistas que vêm da igualdade o conjunto. o fato de o papa defesa. há turas e voltando à rigidez da doutrina. niciosa modernidade. rem. cada dia mais espalhado nos meios ecle- no mundo. com a onda conservadora das mulheres. As Igrejas cristãs também. O feminino era o difícil traçar limites nítidos entre os fundamenta. O papa estruturas religiosas das Igrejas. em princípio. Em uma sociedade corporativista. Além disso. Na Igreja Católica. 2003). No islamismo tura ocidental se identifica simbioticamente com a de natureza pré-técnica. Igrejas e religiões. constitui como um verdadeiro fundamentalismo talismo é o movimento religioso que mais cresce papal. as idéias fundamentalistas são te uma crise. tem em comum com mesma forma. rios de coordenação às mulheres. dentro das estruturas das siásticos e clericais católicos” (DALY. infelizmente. tões internas de poder eclesiástico e sua própria como a religiosidade mais livre e espiritualista. Da incoerência. em muitas Igrejas cristãs. Às vezes é existia um sexo: o masculino. um mais rígida e estreita do que quando os mesmos fundamentalismo “leve” é contraditório e revela certa costumes e princípios são vividos no Oriente. Outras mais históricas (a Anglicana e a Luterana) . todo fundamentalismo uma indiferença ao mundo quias procuram sair da crise fortalecendo as estru. teve uma importância tão tra. presente na maioria das religiões e Igre. atual que o faz fechado ao diálogo. se rem muito barulho e dizerem que o fundamen. por mais que a crise não seja assu. os grupos propriamente funda. Está convencido de que a cul- mida. o fato é que. Enquanto na maioria dos países. FUNDAMENTALISMO E RELIGIÃO distinguem mais os elementos da religião que estão agora tende a ficar restrito à administração de ques- em crise de outros que parecem em pleno apogeu. a maioria está de acordo que exis. Entretanto. Apesar de faze. listas e os tradicionalistas ou conservadores mais Muitas religiões incorporaram o patriarcalismo nuançados. assu- orientalismo ocidentalizado relê elementos da cul. hoje. do mesmo modo como talistas que se assumem como tal. grande na luta contra o racismo na África do Sul. como são o exército e a Igreja. Na Igreja princípios rígidos e absolutização da estrutura ecle- Católica. a convicção comum é que “só aspectos da teologia e espiritualidade. em outras décadas. mam um fundamentalismo light de conveniência.114 GÊNERO. tar o magistério eclesiástico. de gêneros. mentalismo uma força política e eclesiástica que Em décadas recentes. ela avança e provoca reações. O tura hindu ou budista de forma necessariamente próprio fato de ser. Conforme um estudioso do mundo e do pensamento não o são. surgiu uma versão light do fundamentalismo. mas os analistas têm razão quando dizem: “tra- Nestas religiões. Mas são fundamen. fala que quer salvar a Igreja do relativismo e da per- percebe que. Para algumas Desde os anos 1990. principalmente nas comunidades islâmicas assumir tal posição faz com que muitos bispos e de migrantes na Europa ou Estados Unidos. confrontado com o mundo cultura cristã. moderno. a primeira reação é de medo e de auto. Esta ambigüidade confere ao funda. do papado Ratzinger. o Conselho Mundial de Igre. existem grupos fundamen. De sobrevivência. masculino desviado e invertido” (COSTA. os protestantes fundamentalistas tratam a Bíblia. como artigo de fé. Quem conhece mais de perto as mais comumente assumidas como oficiais. Igrejas que continuam lendo a Bíblia ao pé da le- jas que. as hierar. tal passo foi de muita coragem e profetismo. atrás e se fecham mais ainda a uma justa relação jas. como também atual não hesita em mostrar claramente ser contra quem tem contato com mosteiros budistas ou com tudo o que vem do Concílio Vaticano II e sempre a hierarquia dos terreiros de candomblé na Bahia. algumas Igrejas evangé- ultrapassa os grupos marginais radicais que o ado. antigo greco-romano. 1986). desde o começo qualquer modo. Podem chamar este fenômeno como quise- “a volta à grande disciplina” (LIBÂNIO. 1985:794). licas e algumas pentecostais abriram seus ministé- tam integralmente. mas. O padres que em outro contexto seriam abertos. até os séculos do Ilumi- talistas quanto à estrutura eclesiástica e a vários nismo na Europa. Todas elas vêm de um mundo no Os que vivem esse tipo de cultura não se assumem qual o patriarcado era o alicerce fundamental da como fundamentalistas e em alguns setores da vida sociedade. é o que João Batista Libânio chamou de siástica.

fundamentalismo bíblico protestante e do funda. Há Igrejas em que elas grupo de Tiago não aceita participar de uma reu- vestem paramentos masculinos para celebrar e nião dirigida por uma mulher (cf. Mas os de. . as mulheres podem ser entre helenistas e hebreus (Atos 6) tenha ocorrido pastoras. Quando o grupo de Paulo se apropria do ter. desafio da desigualdade simbólica e ideológica. mitivo e. mantido por muitos tra o patriarcalismo e pedir às Igrejas e religiões católicos. coordenam paróquias como qualquer padre. 115 tiveram uma evolução mais tranqüila. está indicando um novo tipo de “assem- bléia” e de cidadania que não é mais a da elite das 3 O livro de John Crossan sobre Paulo – mostra que muitos cidades do Império. Não Não é este o lugar de fazer exegese do Novo basta abrir o ministério para vencer condicionamen. Entretanto. mãe de João Marcos. Por celebração da ceia eucarística” (SCHUSSLER outro lado. podemos aprender dos grupos e movimen- nião dos grupos de discípulos de Jesus dentro das tos fundamentalistas a não nos fechar em nós sinagogas. mesmo que o passado não aprovasse. At 12. (At 16. Tabita de Jafa. Muitos padres e bispos negaram-se a mulher nas primeiras Igrejas 3. homens e mulhe. São os que todo o Novo Testamento. nas quais as mulheres tinham de se precaver para não se deixar contaminar pelo vez. dignas. segundo Elizabeth Fiorenza. germe do mal que atacam. gonismo total nos ministérios eclesiais não pode marcaram mais profundamente o cristianismo do depender da aprovação de textos antigos. ção da mulher na comunidade (1 Co 7 e 1 Co 11) teriam sido res. com suas idéias de domínio patriarcal. mas os verdadeiros cargos de por causa do papel e participação de mulheres na poder e supervisão estão nas mãos de homens. que se reúnem nas casas de mulheres. o Antigo Testamento fundamentalistas que dependem. até bispos. número de padres que passaram à Igreja Católica Os Atos dos apóstolos referem-se às filhas de Romana para não terem de conviver com mulheres Filipe como profetizas (At 21. Prisca em Corinto. mas é importante dizer Lídia. uma mais igualitária relação de gênero. Embora. assembléia dos que trabalhamos por relações de gênero justas e cidadãos) e oficializa o termo “Igreja” para a reu. e assim por diante. judaísmo no tempo de Jesus revelam comunidades durante todo o tempo. mas aberta a todas as pessoas dos textos mais fechados de Paulo com relação à participa- não reconhecidas como cidadãos. assim. litúrgicas e disciplinares rigir a assembléia e ser diaconisas. as vítimas do racismo têm mais inclusivas. Do mesmo modo. permanecem nos acolher as novas orientações e não foi pequeno o textos vários indícios. aludem às igrejas pastoras e párocas.17). as mulheres têm de cumprir ministérios FIORENZA. tãos tenham relido textos e reelaborado tradições bates na Comunhão Anglicana quase a dividiram para apagar a memória deste protagonismo da em duas. Quem 1997:369-370). acréscimos posteriores a Paulo. mo eklesia (nas cidades gregas. do passado para viver o presente. nós. legalista. como Não podemos generalizar. O que quero é sali- tos que vêm ainda do velho patriarcalismo. no âmbito das Igrejas. Testamento a partir da mulher. Na “É provável que o conflito ao qual Lucas alude maioria dessas Igrejas. Nos fundamentos. Ao que tudo indica. o previstos para homens. Os fundamentalistas não aceitarão a análise justa Não é difícil provar que em várias Igrejas anti- de companheiras feministas: “Quando estudamos gas as mulheres podiam coordenar eucaristia. alguns anos depois. atualmente. que muitas dessas Igrejas ainda precisam vencer o Maria.8). do próprio Quem acompanha as lutas populares sabe que. entar que. temos de concordar que Aristóteles e mulheres ao direito de plena participação e prota- Cícero. o aprofundamento dos estudos sobre as origens pode favorecer uma 4. estudos do cristianismo pri. de forma e o judaísmo pós-bíblico” (SCHOTTROFF. obrigação ética de lutar con- mentalismo teológico e papal. os próprios cris.4). trabalha por uma justa e atual relação de gênero Concordar com isso destruiria a própria base do sabe que. di- as estruturas doutrinais. 1992:197). teríamos. abertura e diversidade abertura maior para uma cidadania plena de mulhe- res e homens nas assembléias eclesiais de hoje. A conquista das das IIgrejas.

v. 1997. Dec. Jeffrey. pedir que as Igrejas vivam verdadeiramente o que SHUPE. não adianta nos isolarmos no círculo RAMONEDA. Barcelona: CER. a todo custo. Se fizermos isso.370. In: LACOSTE. 1985. não nos demos conta de que avançamos para um 2002. Porto Alegre. Isso não ajudará em DALY. 1990. João Batista. triarcal. n. 2003. A volta à grande disciplina. Elizabeth. a paciência. p. 1986. Joan W. Dicionário de teologia feminista. Gabriel.27-28). criar Referências capelas sectárias e com jargão tão especializado que acabemos falando de nós para nós mesmos e CORBÍ. SCHUSSLER FIORENZA. Gênero. In: Pasajes. homens e mulheres.noolhar. Paulo. sempre caminharão Yves. Por mais que tudo isso canse e nos fira Loyola. Educação e realidade. São Paulo: Paulinas. 1992. 18. Religión sin religión. mundo ideal sozinhos/as e que o mundo ao redor Folha de S.763. Luise. propunha: “Judeus e gregos. Jean- listas e alguns fundamentalistas. reinventaremos em nossos Elizabeth (org. Patriarcado. Martin. São alguns passos à frente e outros nem tanto. São Paulo. O lado escuro do Iluminismo. MARTY. III. FUNDAMENTALISMO E RELIGIÃO mesmos. 762. Exigir uma SCOTT. jul. 16. As origens cristãs a talismo e não ajuda em nada. Tiene futuro la religión? La crisis dos bem-pensantes que não estão mais “nessa de la religión y del laicismo.com e no site da fundação>. é a única forma de exercer a profecia. Precisamos evitar. nem à causa comum. nem a nós mesmos/as. . todos são iguais em Jesus Cristo” (Gl 3. encantadas com seus grupos tradiciona. LIBÂNIO. FUNDAÇÃO PERSEU ABRAMO Disponível em:- munhão e contato com a humanidade que caminha. São Paulo: Paulinas/ mais atrás. p. Religion. Mariano. Fundamentalismo. In: GOSSMANN. 11 mai. 369. v. New York: Paragon House. fundamentalismo light que é sempre fundamen. 2005. que ideologicamente vivemos. fundamentalism reconsidered. Dicionário crítico de teologia. Joseph. fase”. 2004. SCHOTTROFF. COSTA. às vezes contraditório e de cultura tão pa. Anton & HADDEN. círculos tão abertos e simpáticos um Petrópolis: Vozes. Jurandir Freire. uma categoria útil de análise his- correta e digna relação de gênero é a forma de tórica. escravos e 1989. Caderno não nos acompanha e nem imagina o planeta em MAIS. Custe o que custar. IIgrejas. temos de nos manter em co. In: Journal the American Academy of nada.-dez. <http://www. livres. As Paulo: Loyola.116 GÊNERO. Secularization and Paulo.). Manter-se na relação partir da mulher.