Paulo Bidegain da Silveira Primo

Experiência no Planejamento e Gestão de Parques e Áreas Protegidas
1) Sistema Estadual de Áreas Naturais Protegidas (2010)

Criação e Operação do Blog “Parques, Áreas Protegidas e Unidades de Conservação”: http://parquespark.blogspot.com/

com biblioteca eletrônica acoplada armazenando diversos documentos.
Elaboração do Projeto de Lei que cria o Sistema Estadual de Áreas Naturais Protegidas, com 86 artigos organizados em 8 títulos, onde são tratados os seguintes assuntos: Título I- Das Disposições Gerais e Definições; Título II - Dos Princípios e Objetivos; Título III - Das Categorias de Unidades de Conservação; Título IV - Dos Instrumentos de Gestão das Unidades de Conservação; Título V - Dos Direitos das Populações Tradicionais; Título VI - Da Organização do SEANP; Título VII – Dos Espaços com Proteção Especial e Título VIII – Das Disposições Finais e Transitórias. Inclui glossário anexo com 46 termos definidos. Pode ser baixado em http://docs.thinkfree.com/docs/view.php?dsn=874726 Elaboração para o CONEMA, do documento “Diretrizes Estratégicas para Consolidação do Sistema Estadual de Áreas Naturais Protegidas”, estabelecendo diretrizes para orientar o Governo do Estado no planejamento e execução de programas e projetos para consolidação do sistema estadual de áreas naturais protegidas; Pode ser baixado em http://docs.thinkfree.com/docs/view.php?dsn=874641&mode=docs Elaboração do documento “Proposta de Composição Futura do SEANP”, apresentando cenário do futuro SEANP, contendo diretrizes sobre unidades de conservação que devem ser (i) mantidas como hoje se apresentam, ii) recategorizadas, ampliadas, redelimitadas ou municipalizadas, (iii) extintas e incorporadas a outras, (iv) simplesmente extintas ou (iii) criadas (novas), bem como estimativas de custo operacional. Pode ser baixado em: http://docs.thinkfree.com/docs/view.php?dsn=874645&mode=docs

2)

Plano de Manejo do Parque Estadual da Ilha Grande

Concepção e redação integral da proposta de Plano de Manejo, contemplando:
Relatórios do Plano de Manejo Módulos 1 2 3 4 5e6 Anexo Conteúdo Número de Páginas 24 13 15 101 96 67 316

Informações Gerais da Unidade de Conservação Contextualização Análise Regional Análise da UC e sua Zona de Amortecimento Planejamento, Monitoria e Avaliação TOTAL

Relatórios de Apoio Conteúdo 1 2 3 4 Diretrizes para Aproveitamento dos Imóveis Funcionais na Vila do Abraão Concepção Geral do Centro de Informações Turísticas da Ilha Grande (Ex-Galpão SEAP) Instruções para Elaboração do Mapa do Zoneamento Estudo Conceitual para Infraestrutura, Uso Público, Sinalização e Manejo de Ecossistemas do Parque Estadual da Ilha Grande Total Número de Páginas 18 17 26 33 94

1

3) 3.1.
a)

Secretaria de Estado do Ambiente – SEA (2007-maio de 2009) Programa de Fortalecimento do Parque Estadual da Ilha Grande (2007-maio de 2009)
Parque Estadual da Ilha Grande

Planejamento, elaboração e coordenação do Programa de Fortalecimento do Parque Estadual da Ilha Grande, cujos resultados principais são apresentados no quadro abaixo. Comparativo entre 2007 e Maio de 2009
Indicador Orçamento de Investimento Orçamento de Custeio Perfil Ocupacional Equipe do Parque Situação em Janeiro de 2007 R$ 40 mil R$ 150 mil/ano Inexistente 5 Situação em maio de 2009 R$ 14,9 milhões para aplicação em 2009-2013. Aumento de 375 vezes R$ 1,3 milhão/ano até 2013. Adoção do Parque pela Companhia Vale (R$ 5 milhões em 5 anos no apoio ao custeio) Descrição do perfil ocupacional de todos os cargos e funções do PEIG para efeito de contratação e desempenho profissional. 36 profissionais (7 de nível superior). 27 são do INEA e terceirizados enquanto 9 são da Companhia Vale e terceirizados, atuando exclusivamente no projeto de restauração. No total, 11 de nível médio e o restante com primeiro grau completo e incompleto. Implantada, com dimensionamento da equipe Ampliado para 12.052 ha em fevereiro de 2007 (Decreto Estadual n° 40.602/2007). Elaborado estudo para nova ampliação: http://docs.thinkfree.com/docs/view.php?dsn=874601 30.000 ha, compreendendo a Ilha Grande inteira e o mar no entorno. Área maior que 33 municípios do Estado do Rio de Janeiro Em execução no Centro de Visitantes e ao ar livre. Realizada com Painéis Informativos (Banners) no Centro de Visitantes. Visitas guiadas ocasionais 1 Lancha diesel, 2 Botes, 2 Pick-ups, 1 Jeep, 2 Quadriciclos, 1 Moto, 1 Bicicleta.

Estrutura Organizacional Superfície do Parque Área coberta pela fiscalização Serviço de Atendimento Orientação ao Visitante Interpretação Logística e

Inexistente 4.330 ha 4.330 ha Inexistente Inexistente

1 Lancha a gasolina, 2 Botes, 1 Jeep, 1 Moto e 2 Quadriciclos Centro de Visitantes Inexistente Centro com recepcionista, balcão de atendimento, exposição com 11 banners informativos, carta imagem da Ilha Grande em tamanho gigante, maquete da Ilha Grande, quadros informativos bilíngües, TV e folheteria. Instalações Administrativas Escritório Sede (Casarão Reforma do Alojamento (Casa de Apoio), Galpão e Casa do Administrador; do IEF), Alojamento, Inclusão de Galpão ao patrimônio do PEIG; Casa do Administrador e Recursos assegurados para implantar Guarita e bases operacionais em Lopes Galpão Mendes, Dois Rios, Parnaioca e Aventureiro Viveiro Inexistente Viveiro para 52 mil mudas/ano. Manual de Operação sendo elaborado Recuperação da Estrada Abraão Inexistente Recursos assegurados pelo PRODETUR. – Dois Rios Recuperação de trilhas Áreas com infra-estrutura de recreação Equipamentos Informática Sinalização Inexistente Inexistente

Insuficientes

Manejo de Ecossistemas

Gestão Patrimonial Telefone e Internet Manutenção Predial Manutenção de Lancha Veículos Suprimentos e Insumos Patrulhamento Fiscalização

1 computador, 1 impressora sem uso. Implantada pela Guarda Padrão internacional de cores, bilíngüe, direcional e interpretativa. Cerca de 30 placas Mirim instaladas Projeto de Restauração Ecossistêmica em parceria com Companhia Vale incluindo coleta de sementes e produção de 51 mil mudas/ano de 80 espécies; 15 ha em Inexistente processo de restauração com eliminação de espécies vegetais invasoras, plantio de espécies nativas de mata atlântica, explosão da pista ilegal de Lopes Mendes com posterior recuperação de restinga; remoção de lixo de praias; recepção e tratamento de animais nativos e visitantes (pingüins); remoção de corais exóticos Caótica Inventário patrimonial realizado. Registro completo organizado em planilhas. Cortado devido a dividas Telefone restabelecido ainda em 2007. Internet implantada em 2008 com apoio do não pagas PRODERJ. Criada conta no Skype para conferencias on-line. Inexistente Em execução. Condições dadas para melhoria do serviço. e Inexistente Provisão mínima, sem qualquer regularidade Inexistente Caótica e sem planejamento Demanda planejada de caráter anual. Suprimento melhorado. Constante ao longo das trilhas em todo Parque, RBPS e APA Tamoios. Efetuado por Guardiões em percursos a pé e por lancha. Resgate do respeito e credibilidade; recorde de autuações, apreensões e embargos em 2007 e 2008. Plano Operativo de Patrulhamento e Fiscalização em fase de elaboração (2009). Fiscalização noturna iniciada (2009).

Iniciada pela área do circuito Abraão. Recursos assegurados para contratar recuperação de trilhas Área de Uso Diário Circuito Abraão instalada: guarita, sinalização, mesas de piquenique, trilhas e acessos recuperados, aqueduto exposto, remoção diária de lixo, segurança. Aquisição de equipamentos e mobiliário, incluindo itens para montagem de carpintaria e pequena oficina. 5 computadores, 2 impressoras e 1 data –show

2

Nova Logomarca muito mais identificada ao PEIG; Palestras e Mini-Cursos; Grupo de Discussão on-line do Conselho do PEIG; Seleção de Animal e Planta Símbolo (Bugio e Comunicação e Marketing Inexistente Guapuruvú); Informativo do PEIG (Jornal), Folheto; Releases e Artigos para mídia regional; website concluído, PEIG incluido na Wikipédia, Mapa bilíngüe da Ilha Grade para venda em fase final de preparação; Termo de referência pronto para artigos e souvenires. Conhecimento científico do Disperso Consolidado, ampliado e disponível (diversos estudos). Em menos de dois anos PEIG e da Ilha Grande formada a maior base de dados de todos os Parques Estaduais. Plano de Manejo Elaborado em 1992 mas Em andamento. não aprovado Parcerias Locais e Regionais Inexistentes Vale, CONSIG, UERJ (Projeto Coral Sol), UFF, UFRRJ, Brigada Mirim, Associação Curupira, CODIG, SAPE, DRM, OrquidaRio, , IBAMA, ICMBio, PMAR Parcerias Internacionais Inexistente Negociações em andamento com a Agencia Ontário Parques (CANADA) e com o Departamento de Meio Ambiente do Estado de Queensland (Austrália), para parceria de parques irmãos. Plano de Manejo da APA Defasado Termo de referência e recursos assegurados para contratar revisão do plano de Tamoios manejo em meados de 2007. Reserva Biológica da Praia do Ver abaixo Sul

b)

Reserva Biológica da Praia do Sul

Designado para coordenar Grupo de Trabalho visando equacionar passivo de 28 anos, configurado pela presença de um povoado no interior da Reserva Biológica da Praia do Sul, que realizou:     Levantamento de informações sócio-econômicas e ambientais; Condução de reuniões com a comunidade, cientistas e atores locais; Estudo para redelimitação da Reserva Biológica da Praia do Sul; Redação do documento-base para acordo Governo–Comunidade, com o objetivo de criar a Reserva de Desenvolvimento Sustentável do Aventureiro a partir de redelimitação da Reserva Biológica da Praia do Sul (negociações em andamento em maio de 2008); Redação dos produtos finais do GT em quatro volumes;
Número de Páginas 100 17 30 11 158

Relatórios sobre a Reserva Biológica da Praia do Sul Conteúdo 1 2 3 4 Situação Geral do Povoado do Aventureiro, da Reserva Biológica da Praia do Sul e do Parque Estadual Marinho do Aventureiro: http://docs.thinkfree.com/docs/view.php?dsn=874605 Relatório Fotográfico: http://docs.thinkfree.com/docs/view.php?dsn=874604 Recomendações para Equacionamento do Conflito e Consolidação da Reserva Biológica da Praia do Sul: http://docs.thinkfree.com/docs/view.php?dsn=874603 Proposta de Criação de Reserva de Desenvolvimento Sustentável do Aventureiro e Normas Aplicáveis http://docs.thinkfree.com/docs/view.php?dsn=874602 Total

3.2

Outras Unidades de Conservação do Estado do Rio de Janeiro (2007-Maio 2009)

Parque Estadual da Serra da Tiririca (PESET)             Orientação técnica no planejamento e operação do Parque; Participação na negociação para aprovação do projeto-de-lei que fixou os limites definitivos, junto a Assembléia Legislativa (Lei Estadual nº 5.079 de 05/09/07); Redação do Estudo Técnico para Ampliação do Parque e condução do processo até setembro de 2007, disponível em: http://docs.thinkfree.com/docs/view.php?dsn=874598 Apoio técnico na preparação do Programa de Fortalecimento do PESET; Dimensionamento do custo operacional do Parque; Concepção básica do Caminho Charles Darwin para comemorar a passagem do cientista pela serra em abril de 1832 e criar um atrativo histórico-cultural e natural; Concepção do sistema de sinalização e redação do conteúdo bilíngüe de placas; Proposta de inclusão de túnel ferroviário e de estação ferroviária histórica ao Parque; Elaboração de Termo de Referência do Plano de Manejo; Concepção básica e estímulo a sociedade para criar a Associação de Amigos do PESET; Apoio para concepção e redação dos conteúdos do website do PESET, primeiro parque do estado com site exclusivo; Elaboração voluntária do Blog do Parque: http://peset-inea.blogspot.com/

3

Parque Estadual Cunhambebe Elaboração do Termo de Referência para contratação do Estudo Técnico para Criação do Parque Estadual Cunhambebe (38.000 ha, Angra dos Reis, Mangaratiba, Rio Claro e Itaguaí), com posterior acompanhamento e orientações gerais à equipe executora. O Parque foi criado em 2008. Parque Estadual da Pedra Branca Redação da minuta do termo de cooperação técnica entre a Secretaria Estadual do Ambiente, a Secretaria Municipal de Meio Ambiente do Rio de Janeiro e o Instituto Estadual de Florestas – IEF para gestão compartilhada. Parque Estadual da Costa do Sol (planejado) Redação do Estudo Técnico para criação do Parque Estadual da Costa do Sol, incluindo minuta de Decreto, a partir de estudo realizado pelo Consórcio Intermunicipal Lagos - São João. O Parque, com área estimada de 7.000 ha, reúne 3 setores agrupando 20 áreas terrestres com vegetação de mata atlântica e restinga, banhados, manguezais, escarpas, costões rochosos, praias, ilhas e pequenas lagunas, ilhas e praias localizadas em Saquarema, Araruama, Iguaba Grande, São Pedro da Aldeia, Cabo Frio e Arraial do Cabo. O estudo contempla objetivos, público a ser atendido e estimativa de visitação, concepção geral do parque (descrição do formato e das principais áreas e diretrizes para infra-estrutura, uso público e manejo de ecossistemas. Redação da minuta do termo de cooperação técnica entre a Secretaria Estadual do Ambiente e as Prefeituras. Disponível em: http://docs.thinkfree.com/docs/view.php?dsn=874610 Parque Estadual da Restinga de Grussaí (planejado) Redação do Estudo Técnico para criação do Parque Estadual da Restinga de Grussaí, incluindo a minuta de Decreto, para proteção de biodiversidade, recreação, pesquisa, interpretação, educação ambiental e uso turístico das Restingas de Grussaí-Iquipari e da Lagoa Salgada, situadas nos municípios de São João da Barra e Campos dos Goitacazes. O estudo contempla objetivos, público a ser atendido e estimativa de visitação e concepção geral do parque, incluindo descrição do formato e das principais áreas e diretrizes para infra-estrutura, uso público e manejo de ecossistemas. Disponível em: http://docs.thinkfree.com/docs/view.php?dsn=874608 Área de Proteção Ambiental do Ecossistema Marinho da Baía de Sepetiba (planejada) Redação da proposta de criação da APA do Ecossistema Marinho da Baia de Sepetiba englobando a baia e suas margens, manguezais, praias e ilhas. compreendendo minuta de decreto, justificativa, estudo técnico e mapa com limites e da minuta de Decreto para criação da APA de Sepetiba, com justificativa e memorial de limites, baseado no conceito de MPA – Marine Protected Areas da IUCN. Disponível em: http://docs.thinkfree.com/docs/view.php?dsn=874607 Parques Municipais Orientação técnicas às Prefeituras de Teresópolis e Armação dos Búzios na concepção de estudos técnicos e decretos de criação do Parque Natural Municipal Montanha de Teresópolis e do Parque Natural dos Corais de Armação dos Búzios. Parques Fluviais     2.4. a)  Redação de documento descrevendo a concepção básica geral de um Parque Fluvial baseado na experiência nos EUA e Canadá. Disponível em: http://docs.thinkfree.com/docs/view.php?dsn=874592 Redação da minuta de decreto especificando a definição de Parque Fluvial; Orientações técnicas na concepção dos Projetos dos Parques Fluviais do Guandu e do Macacu; Negociações com a CEDAE entre abril e setembro de 2007 para viabilizar recursos de R$ 1,2 milhões para o Parque Macacu; Apoio a Organização do Sistema Estadual de Áreas Naturais Protegidas Geral Elaboração dos relatórios “Fundamentos e Síntese Informativa das Unidades de Conservação do Estado do Rio de Janeiro” (disponível em http://docs.thinkfree.com/docs/view.php?dsn=874590), Plano Decenal do Sistema Estadual de Unidades de Conservação” e do “Programa de Estruturação do SEANP” e “Prioridades por Unidades de Conservação e Proposição de Novas UCs para Ampliação do SEANP;

4

     b)      4)

Planejamento dos Manuais do SEANP baseado em diretrizes da IUCN e FAO para gestão de Sistemas de Áreas Protegidas; Concepção Básica do Sistema de Co-Gestão de Parques com Prefeituras; Concepção Básica do Portal do SEANP; Apoio técnico para concepção do Manual de Operação das APAs; Proposta de estrutura organizacional da Diretoria de Área Protegidas do INEA; Compensação Ambiental Consolidação das informações sobre os investimentos entre 2002-2006. Disponível em http://docs.thinkfree.com/docs/view.php?dsn=874639 Minuta de Resolução sobre a Câmara de Compensação; Orientação técnica para preparação do Manual da Unidade de Controle das Compensações Ambientais; Proposta de norma para investimento de CA em UCs Municipais; Proposta de norma que especifica as atividades elegíveis de receberem recursos de compensação ambiental para implantação de Unidades de Conservação de Proteção Integral; Áreas Protegidas da Região dos Lagos (2004-2005)

Apoio técnico ao Consórcio Intermunicipal de Região dos Lagos – Rio São João. Redação do Programa de Áreas Protegidas e Revitalização do Patrimônio Histórico, parte integrante do Plano da Bacia, assim como (i) Relatório do Cenário Preliminar Pretendido apresentando uma visão futura da rede regional de Parques e Áreas Protegidas e; (ii) projetos de lei e estudos para criação do Parque Nacional do Cabo Frio, Parque Estadual da Lagoa de Araruama, Refúgio Estadual da Vida Silvestre da Lagoa de Jaconé, Parque Municipal da Lagoa de Saquarema, Parque Municipal das Dunas, Parque Municipal Histórico Natural da Costa do Pau Brasil e Parque Municipal das Lagoas de Búzios. Disponível em: http://issuu.com/parquesbr/docs/cilsj_plano_uc_2006 5) Fundação Companhia Siderúrgica Nacional - FCSN (2000)

Gerenciamento do Projeto Cicuta, compreendendo a implantação e operação de uma Reserva de Mata Atlântica com 500 ha em Volta Redonda e Barra Mansa (RJ), financiado por um fundo de parceria de R$ 2 milhões. Incluiu construção do Centro de Educação Ambiental, da sede e da infra-estrutura de esporte e lazer; planejamento de biofábrica e viveiro; reflorestamento, serviços de segurança e vigilância patrimonial e ambiental; prevenção e combate a incêndios, plano de manejo e cursos de capacitação em educação ambiental para professores da rede pública. 6) Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (2000-1999)

Elaboração de Estudo propondo uma nova Agência Ambiental para o Estado do Rio de Janeiro, a partir da fusão de três entidades ambientais a época em operação: FEEMA, SERLA e IEF. O estudo recomendava uma estrutura organizacional composta por Presidência, Vice-Presidência, 6 Diretorias e 8 Superintendências Regionais para atuar por bacia hidrográfica (Macrorregiões Ambientais). Dentre as Diretorias foi sugerida uma específica de Parques e Reservas, para administrar as unidades de conservação de proteção integral. A idéia foi concretizada apenas em 2007, com a criação do INEA, que entrou em operação em janeiro de 2009. Estudo disponível em: http://issuu.com/paulobidegain/docs/estudo_da_agencia_ambiental_rj_marco2000 7) Cinco Estrelas Agropecuária Ltda (1999)

Planejamento da Reserva Privada de Jauru (2.000ha) na região da Mata de Maia, extremo sul do Bioma da Floresta Amazônica (MT), bacia do rio Paraguai, Chapada dos Parecis. 8) Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro (1998)

Diagnóstico das Unidades de Conservação e Programa para Implantação de Áreas Protegidas, parte integrante do Estudo de Impacto Ambiental do Plano de Recuperação Ambiental da Bacia de Jacarepaguá. 9) Governo do Rio Grande do Sul (1998)

Diagnóstico e Diretrizes para Implantação da Reserva Biológica de São Donato (1.800 ha), parte integrante do Estudo de Impacto Ambiental do Projeto de Irrigação do Butuí). http://www.sema.rs.gov.br/sema/html/bioconh8.htm

5

10)

Estudo das Unidades de Conservação, financiado pela Comunidade Européia (1997-1998)

Realização do estudo “A Situação Atual dos Espaços Territoriais Protegidos do Estado do Rio de Janeiro: Diagnóstico e Propostas de Desenvolvimento”, com apoio da Comunidade Européia, em dois volumes com 600 páginas. O primeiro volume contempla uma caracterização geoambiental do Estado do Rio de Janeiro, uma descrição dos aspectos institucionais e legais, conceituação dos espaços territoriais protegidos, abordagem das instituições que atuam na gestão, análise da situação dos espaços territoriais protegidos fluminenses, abordando os antecedentes, as unidades de conservação federais e estaduais e as áreas sob regime especial de administração pública e privada, bem como as áreas indicadas para proteção por estudos técnicos. Faz ainda uma avaliação global, com base em critérios de representatividade, capacidade de sustentar biodiversidade, benfeitorias e plano de manejo, base de dados e manejo, situação fundiária e situação dos órgãos. Completando a exposição, apresenta as diretrizes para gestão dos espaços territoriais protegidos, culminando com propostas relacionadas às zonas de gestão ambiental, aos prazos para execução, à estimativa de custos e ao estabelecimento de prioridades. O segundo volume, apresentado como apêndice, abrange um perfil de todas unidades de conservação existentes em 1997 . Para cada uma são descritos: superfície, localização e acessos, histórico e objetivos, situação jurídico-institucional, características naturais e atrativos, características institucionais e operacionais, situação fundiária, principais aspectos do plano de manejo, uso do solo e resumo dos principais problemas e os projetos . Trata-se do estudo mais detalhado feito para as unidades de conservação do Estado do Rio de Janeiro. Disponível em http://docs.thinkfree.com/docs/view.php?dsn=874490 11) Consórcio Intermunicipal para Recuperação das Bacias dos Rios Jucu e Santa Maria da Vitória (1997) Diagnóstico das Unidades de Conservação e Programa para Implantação de Áreas Protegidas, parte integrante do Plano da Bacia Hidrográfica. 12) Secretaria de Estado de Meio Ambiente - SEMA/RJ (1997) Diagnóstico das Unidades de Conservação e Programa para Implantação de Espaços Territoriais Protegidos da Bacia da Baía de Sepetiba, parte integrante do Macroplano de Gerenciamento e Saneamento Ambiental 13) Companhia de Desenvolvimento do Vale do São Francisco – CODEVASF (1996) Elaboração do Projeto de Conservação da Biodiversidade do Plano Diretor da Reserva Florestal Legal do Projeto de Irrigação de Mirorós (BA) e planejamento das unidades de conservação do Plano Diretor do Projeto Jaíba (MG). 14) Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis – IBAMA (1995) Estudo de Aumento da Arrecadação dos Parques Nacionais de Itatiaia, Tijuca, Serra dos Órgãos, Iguaçu e Brasília. Neste estudo foi recomendado ao IBAMA a preparação do Manual de Operação do Sistema de Unidades de Conservação. 15) Empresa de Turismo da Bahia (1995) Diagnóstico e Diretrizes para criação do Parque Municipal Marinho do Recife de Fora, parte do Estudo de Diagnóstico Ambiental da Costa de Porto Seguro e Santa Cruz Cabrália. Parque foi criado em 1997. 16) Ministério de Obras Publicas y Comunicaciones - MOPC, da República do Paraguay (1995) Diagnóstico das Unidades de Conservação e Programa para Implantação de Áreas Protegidas, parte integrante dos Estudos de Proteção ao Meio Ambiente e as Comunidades Indígenas do "Programa Nacional de Caminos Rurales". 17) Secretaria de Meio Ambiente do Pará – SECTAM (1994/1993) Planejamento da APA da Região Metropolitana de Belém e elaboração do plano de manejo do Parque Estadual de Utinga http://www.sectam.pa.gov.br/parqueambiental.htm 18) Ministério da Integração Regional (1994) Diagnóstico das Unidades de Conservação e Programa para Implantação de Áreas Protegidas, parte integrante do Plano Diretor de Recursos Hídricos para os Vales do Jequitinhonha e Pardo.

6

19) Projeto de Lei do Sistema Estadual de Unidades de Conservação – SECON (1993) Projeto de lei submetido pelo então Movimento de Cidadania Ecológica a Assembléia Legislativa em 1993. Não foi votado. Disponível em: http://docs.thinkfree.com/docs/view.php?dsn=874588 20) Greenpeace (1993) Recomendações para transformação da Reserva Florestal de Porto Seguro em uma Reserva Particular do Patrimônio Natural, no âmbito do Relatório de Análise do Processo de Licenciamento e Implantação de um Empreendimento Silvicultural da Veracruz Florestal no Sul da Bahia. 21) ONG Defensores da Terra (1992) Estudo do Parque Estadual do Desengano (RJ) 22) ONG Movimento Cidadania Ecológica (1989-1993) Estudos e projeto de lei para criação do Parque Estadual da Serra da Tiririca (criado), Parque Municipal da Pedra do Cantagalo (criado) e Parque Municipal da Praia do Sossego. Apoio técnico voluntário ao Projeto do Parque Estadual do Maçico Gericinó-Mendanha (ao IEF, voluntariamente )

7