Técnicas de Gestão de Bases de Dados

Curso Tecnológico de Informática

Actividade prática 2
UML

GRUPO I 1. Numa ATM o cliente pode fazer depósitos ou levantamentos das suas contas bancárias. Pode também transferir dinheiro entre as suas contas bancárias e consultar os saldos. Para poder ter acesso ao serviço o cliente tem que ter um cartão ATM para cada conta e um código identificador (PIN). A ATM tem um ecrã de interface, um leitor de cartões ,uma ranhura para envelopes, uma saída de dinheiro e uma impressora. A interface tem botões e mensagens. Tem 10 botões numéricos e 4 botões de selecção de transacção, um botão “Continuar”e um “Cancelar”. Cada ATM está ligada ao computador do banco através de uma rede. Cada ATM tem um código identificador. A ATM valida o saldo da conta comunicando com o computador do banco. A ATM requer serviços periódicos que são levados a cabo pelo serviço de manutenção do banco: de reposição de dinheiro e de remoção dos envelopes. Quando a ATM está em manutenção suspende o serviço ao cliente. Supõe que queres elaborar o diagrama de Caso de Uso. Qual das seguintes opções é o melhor conjunto de casos de uso para o sistema descrito? 1.1. Depositar dinheiro, levantar dinheiro, consultar saldo, repor, dinheiro, retirar envelopes. 1.2. Depositar dinheiro, levantar dinheiro, consultar saldo, repor, dinheiro, retirar envelopes, transferir dinheiro, fazer manutenção. 1.3. Depositar dinheiro, levantar dinheiro, consultar saldo, repor, dinheiro, retirar envelopes, transferir dinheiro, inserir cartão. 1.4. Depositar dinheiro, levantar dinheiro, consultar saldo, repor, dinheiro, retirar envelopes, transferir dinheiro, inserir cartão, calcular total de transacções diárias, calcular total diário de dinheiro depositado.

Actividade prática 2

Página 1 de 7

GRUPO II Analisa os seguintes casos para responder a cada uma das questões dos exercícios propostos. Caso 1 -“Gestão de um Clube de Vídeo” A empresa “Software Development” foi contactada para desenvolver um sistema de informação que permita a gestão de um clube de vídeo. A descrição do sistema é a seguinte: Os membros de um clube de vídeo podem alugar filmes. Para alugar um filme o membro do clube apresenta o seu cartão de sócio que é validado pelo empregado de atendimento ao público. Se o cartão for válido e o filme estiver disponível o funcionário dá a saída do filme, registando a data de saída do filme e o sócio recebe um recibo com o nome do filme e a data de devolução. Quando o sócio devolve o filme entrega o recibo que recebeu aquando o empréstimo e o funcionário verifica a data de devolução. Se o prazo de entrega for ultrapassado por um período inferior a vinte dias o funcionário calcula a multa a pagar e regista a multa na ficha do sócio. No caso de o período de entrega for superior a 20 dias o sócio é expulso sendo registada esta informação na ficha do sócio. Sempre que chegam novos filmes ao Clube o gestor procede ao seu registo, indicando o número do novo filme, título, realizador, ano de realização do filme, o sistema em que o filme foi gravado e o tema. O número do novo filme é atribuído sequencialmente. A entrada de novos sócios no clube é feita pelo gestor do clube que regista os dados pessoais do sócio e lhe atribui um número, sendo no mesmo momento entregue ao sócio o cartão de sócio. Para evitar emprestar filmes a sócios que não cumpram as regras todos os meses são analisadas as fichas dos sócios e o funcionário do clube elabora uma listagem com os sócios que têm filmes há mais de vinte dias e entrega-a ao gestor do clube Tanto o sócio como o gestor do clube podem pedir listagens dos filmes existentes no clube. No caso de ser o sócio a efectuar o pedido é necessário proceder à validação do cartão de sócio. Caso 2 – “Empresa de produção de chocolates” A empresa de produção ChocoBom pretende que analise e desenhe uma solução que satisfaça os requisitos que se passam a descrever. O negócio da empresa ChocoBom é a produção de chocolates para o consumo geral (cafés, bares, supermercados, etc.) ou para profissionais (hotéis, restaurantes, pastelarias). A empresa recebe encomendas dos seus clientes através da página Web da ChocoBom ou através de fax ou correio normal. O departamento de Vendas tem uma equipa de 6 pessoas dedicada exclusivamente à recepção e confirmação das encomendas. Em cada encomenda deve constar o código do cliente, o número da encomenda, a data e local de entrega e os respectivos produtos a serem encomendados. A encomenda só pode ser aceite se o cliente estiver registado. Se não estiver, o pedido não será aceite, sendo remetido para o registo de clientes. Ao longo do processo de satisfação de uma encomenda esta passa por vários estados (recebida, em análise, aceite, pendente, executada e facturada). No Departamento Financeiro é necessário extrair uma lista com as encomendas executadas e elaborar as respectivas facturas que serão enviadas aos clientes.
Actividade prática 2 Página 2 de 7

A empresa só aceita pagamento por transferência bancária, pelo que, para aumentar a eficiência, o novo sistema deverá estar integrado com o sistema do banco processando diariamente os pagamentos. A empresa possui um registo de todos os seus clientes com os seus dados básicos (nome, morada, código, telefone, fax, Nr. Contribuinte, etc.). Contudo interessa também registar outros contactos existentes no cliente (chefes de departamento e outros) com a seguinte informação: nome da pessoa, função, morada, telefone, telemóvel e e-mail. Na ficha do cliente também será guardado o volume de encomendas médio mensal, desde que foi registando. O responsável pela manutenção do registo de clientes é o sector de Contactos do Departamento de Vendas. O sistema contém um registo de todo o tipo de produtos comercializados. O preço de cada produto varia em função do tipo de cliente (retalhista, grossista, grandes superfícies,...) e da quantidade encomendada (dividida em escalões). A informação a guardar sobre os produtos deverá ser a seguinte: código produto, lote, data fabrico, data validade, tipo embalagem, peso líquido e preço, sendo responsável pela sua disponibilização o Departamento de Logística. Caso 3 – “Federação portuguesa de Futebol” A federação Portuguesa de Futebol (FPF) considerou urgente desenvolver um sistema informático que suportasse algumas das actividades relacionadas com o campeonato nacional de futebol. Apesar do campeonato já ter começado, a FPF quer que este sistema esteja disponível o mais rapidamente possível. Cada campeonato é composto por várias jornadas, compondo-se cada uma destas por vários jogos. Em cada jogo estão em campo dois clubes. Cada clube tem os seus jogadores inscritos; no entanto, num dado jogo podem não jogar todos. Alguns jogadores fazem parte da equipa titular, outros estão no banco e poderão eventualmente estar durante o jogo e há outros jogadores que, por diversas razões, nem sequer são convocados para um determinado jogo. Os campeonatos são identificados pelos anos civis em que começam e acabam. As jornadas, por sua vez, são numeradas sequencialmente identificando o número de jogo para cada uma das equipas do campeonato. Cada jornada compõe-se por um determinado número de jogos. Cada jogo realiza-se entre dois clubes, numa determinada data, com hora início e local definidos. A data de um determinado jogo pode, por vezes, ser alterada. Cada clube tem um nome, local origem, nome de estádio, um treinador e um ou mais treinadores adjuntos e os seus jogadores. Cada jogador tem uma posição determinada (ex. guarda redes, avançado,...). A FPF precisa de registar o nome e idade de cada jogador e o número de golos que marca. Esta informação é necessária pois FPF emite, no fim do campeonato, uma loirassem dos jogadores que marcam mais de 15 golos. Semana lamente a FPF envia para os diferentes jornais e revistas os resultados dos jogos de cada jornada contendo os seguintes elementos: identificação do campeonato, identificação da jornada, nomes dos clubes de cada jogo e respectivo resultado (ex. 2003/2004, 4ª jornada, FCP 3 – 1 U. Leiria, Marítimo 1 – 0 Paços de Ferreira,...) Caso 4 – “Administração Geral de Saúde” A Administração Geral de Saúde (AGS) pretende efectuar um controlo mais eficaz sobre as consultas realizadas a pacientes e respectivos exames receitados nessas consultas. Assim, pretende-se um sistema integrado com os
Actividade prática 2 Página 3 de 7

médicos e laboratórios convencionados que permita gerar um conjunto de informação para suporte de medidas a tomar nesse sector de Estado. O doente pode ser observado por qualquer médico convencionado, que regista a data da consulta, os dados do paciente, o diagnóstico, o receituário e a data da próxima consulta. Sobre cada médico teremos de saber o seu nome, a especialidade e o ano em que a começou a exercer. Para o paciente é necessário armazenar o nome, morada, telefone, subsistema de saúde (por exemplo SS, ADSE, SAMS, etc.), o seu número nesse subsistema e o nome do médico de família. Quando o doente tiver mais o que um subsistema de saúde deverá, em cada consulta, optar por um deles. Outro aspecto importante do sistema é o registo de exames. Assim, deverá disponibilizar uma lista de exames disponíveis, com a respectiva designação, os laboratórios possíveis e o custo. Sempre que entenda necessário receitar um exame(s) o médico deverá também registá-lo no sistema. No fim da consulta o paciente deverá receber uma folha onde constem os seguintes dados: data, nome do paciente, nome do médico, diagnóstico, data da próxima consulta e respectivas designações dos exames. Quando o doente se desloca a um laboratório, entrega a folha na recepção, sendo imediatamente registando o pedido de exames(s) e calculada a taxa moderadora a pagar. Logo que o exame estiver terminado, o técnico responsável regista o respectivo relatório no sistema, entregando uma cópia ao doente. Caso 5 – “Sistema de gestão de projectos” Uma empresa de desenvolvimento de software pretende desenvolver um sistema que lhe permita gerir eficazmente os seus projectos. Quando um cliente adjudica um projecto, o Director de Projectos regista os dados relevantes desse projecto (nome, data início, data fim, descrição, ...), define as tarefas e recursos disponíveis e nomeia o chefe de projecto. Este poderá, através de interface Web, manipular toda a informação pertencente ao projecto relativa a tarefas e recursos, podendo também criar novas tarefas e fazer a alocação de novos empregados às diferentes tarefas criadas. Cada empregado comunicará, através da Web, as horas de trabalho efectuadas, bem como os quilómetros e valores gastos em deslocações. Será também responsável por actualizar a informação relativa à evolução das tarefas. O Director de Projectos pretende retirar do sistema informação sobre o estado dos projectos em curso assim como da distribuição dos custos imputados a cada projecto. Os custos de cada projecto podem ter vários itens associados, estando classificados como custos de mão-de-obra, de deslocações, de material utilizado e como custos diversos, cada um com atributos diferentes. No final de cada mês são transferidos para o Sistema de Vencimentos os dados referentes às horas trabalhadas pelos empregados nesse mês e para o Sistema de facturação os dados que permitam efectuar facturação ao cliente.

Exercícios propostos 1. Casos de uso
Página 4 de 7

Actividade prática 2

1.1. Na documentação da fase de análise do caso 1 foi encontrado o Caso de Uso apresentado na figura seguinte. Analisa-o e altera-o para que satisfaça todos os requisitos do sistema.

1.2. Com base no caso 2 desenha o diagrama Caso de Uso. 1.3. Com base no caso 3: a) Identifica os Casos de Uso e Actores do sistema acima descrito. b) Elabora o diagrama de Casos de Uso. c) Especifica cada um dos Casos de Uso identificados na alínea anterior. 1.4. Com base no caso 4: a) Identifica os Casos de Uso e Actores do sistema acima descrito. b) Elabora o diagrama de Casos de Uso. c) Especifica cada um dos Casos de Uso identificados em b.

2.

Diagrama de classes

2.1. Na documentação da fase de análise do caso 1 foi encontrado o Diagrama de Classes apresentado na figura seguinte. Analisa-o e altera-o para que satisfaça todos os requisitos do sistema.

Actividade prática 2

Página 5 de 7

2.2. 2.3. 2.4.

Com base no caso 2 elabora o Diagrama de Classes. Com base no caso 3 elabora o Diagrama de Classes. Com base no caso 4 elabora o Diagrama de Classes.

3.

Diagrama de sequência

3.1. Na documentação da fase de análise do caso 1 foi encontrado o Diagrama de Sequência apresentado na figura seguinte. Analisa-o e alterao para que satisfaça todos os requisitos do sistema relativos à Requisição de Filme.

3.2. 3.3. 3.4.

Com base no caso 2 elabora os Diagramas de Sequência. Com base no caso 3 elabora os Diagramas de Sequência. Com base no caso 4 elabora os Diagramas de Sequência.

Actividade prática 2

Página 6 de 7

Actividade prática 2

Página 7 de 7