You are on page 1of 5

Função Cardíaca dor no peito-angina); laboratoriais- avaliação de

enzimas (a lesão da célula cardíaca causa
- Diagnóstico de Infarto Agudo do Miocárdio extravasamento do conteúdo enzimático);
(IAM) ou Síndrome Isquêmico Miocárdico Agudo eletrocardiograma-ECG (alteração do pulso
(SIA) elétrico).

Infarto é o entupimento (obstrução) das OBS: grande porcentagem dos pacientes com
artérias, geralmente, coronarianas, o que leva a IAM não apresentam alterações no ECG, por
redução do aporte de oxigênio às células isso a confirmação é feita pela detecção de
cardíacas. É conhecido como ataque cardíaco, marcadores bioquímicos da injúria miocárdica
sendo a forma mais importante de cardiopatia (CK-MB; troponina I e mioglobina). Esses
isquêmica. marcadores também permitem avaliar a
extensão da lesão.

Características ideais dos marcadores de lesão
miocárdica: devem ter realização simples;
acurados para que se possa diferenciar
precocemente pacientes com ou sem IAM;
permitir avaliação da extensão do dano;
diagnosticar reperfusão após terapia
A obstrução das artérias ocorre pelo trombolítica.
desenvolvimento do processo aterosclerótico,
no qual há acúmulo lipoproteínas, que se OBS: a extensão do dano é correlacionada com
depositam em diferentes camadas. Ocorre a concentração dos biomarcadores, sendo que
então uma reação inflamatória que leva a quanto maior a região com falta de O2, maior a
calcificação dessas camadas, formando-se a probabilidade de infarto fulminante.
placa de ateroma. Nesse estágio as artérias
OBS: se o paciente não for diagnosticado com
perdem a elasticidade e complacência, e,
IAM, mas apresentar placas ateromatosas não
morrem devido a vasoconstrição. Como as
deve-se realizar a terapia trombolítica, evitando
células musculares não se regeneram, são
a exposição do paciente ao risco (dissolução do
substituídas por tecido fibroso. Esse quadro é
trombo).
apenas estabilizado, mas nunca involuído.
Principais Marcadores Bioquímicos: CK-
creatinase; DHL (desidrogenase láctica); TGO
(transaminase glutâmico- oxaloacética);
mioglobinas e troponinas, apenas esta última é
específica para o músculo cardíaco, assim é o
principal parâmetro bioquímico avaliado. Todas
as outras enzimas estão presentes em outros
tecidos.

O tamanho e o local de distribuição celular das
enzimas influencia no tempo que as mesmas
A redução da luz do vaso, devido a obstrução,
levam para serem detectadas: pequenas
diminui o aporte de O2, o que faz com que a
proteínas e enzimas presentes no citoplasma
célula degrade glicose pela via glicolítica (pois
aparecem de forma precoce; quando presentes
não consegue realizar a cadeia fosforilativa).
no núcleo ou na mitocôndria aparecem de
Assim, forma –se ácido lático, que altera o pH
forma mais tardia, e, quando presentes na
sanguíneo, o que é manifestado como dor
matriz são as últimas a elevar-se.
(angina).
Mioglobina: é uma heme proteína pequena,
OBS: em pacientes críticos a condita de
existente em músculo cardíaco e esquelético.
emergência é administrar medicamento
Localiza-se no citoplasma, aonde está presente
vasodilatador (liberador de NO) pela via
em grandes quantidades (2% da proteína
sublingual (região altamente irrigada),
muscular total). Assim, é a primeira a elevar-se
promovendo uma vasodilatação coronariana.
em casos de lise muscular, como IAM (aumenta
O diagnóstico é realizado através da após 1h). Seu pico de concentração é entre 6-9
combinação de evidências clínicas (principal é a horas, retornando ao normal em 24-36 horas.

antidepressivos. Apresenta dias após o evento isquêmico. o que específica. esta última torna-se elevado 4-6 horas da dor Creatino Fosfoquinase (CK): enzima reguladora precordial. a detecção de enzimas é feita pela avaliação da sua atividade enzimática. apenas associado ao CK total. Os rins têm como função: balanço hídrico e Desidrogenase Láctica (LD): enzima responsável salino. principalmente as troponinas T (cTnT) e I (cTnI). (LD-1 também está presentes Formação da Urina ocorre pelos processos de: em músculo cardíaco e hemácias). A CKMB predomina no músculo cardíaco. É usado Função Renal em angina instável. O complexo troponina é formado por três componentes: troponina T. pode expressar resultados anormais OBS: uma vantagem de CK-MB em relação as pois interfere em muitos testes laboratoriais. sendo a LD -2 específica para o músculo cardíaco. quantificando a enzima por peso/massa (detecta a quantidade total). desvantagens como: presença em vários tecidos. troponina I e troponina C. suspeita. secreção tubular e concentração. diferentes situações e instável) pelo fato de ter peso molecular menor medicamentos interferem nos valores de CK. as características desejáveis. e apresentar fração livre no plasma. proporções nos tecidos. Assim. metabolismo ósseo. ou seja. e investiga-se outros marcadores. como: rabdomiólise. de IAM. Além disso. Esse fato permite diagnóstico mais precoce e acurado. a avaliação é feita por anticorpos mono e policlonais. Encontra-se filtração glomerular. Resultado positivo  matem-se a diagnóstico de lesão isquêmica do miocárdio. CK-MB. Como nenhum dos marcadores apresenta todas sedativos. uso de drogas. é troponinas é que esta só se eleva após lesão liberada em processos necróticos e apresenta. Troponinas: são proteínas estruturais (de matriz) envolvidas no processo de contração dos músculos esquelético e cardíaco. injeções intramusculares. preconiza-se o uso de dois marcadores para o diagnóstico de IAM: Apresenta diferentes isoformas (CKMM. No caso da CKMB. mioglobina como marcador precoce e troponina CKBB) que estão presentes em diferentes (T e I) como definitivo. enquanto as troponinas se alterada em casos de doenças associadas ao são liberadas em isquemias reversíveis (angina clearance. presença de NAD. OBS: a avaliação de CK-MB isoladamente não tem função. são consideradas os Resultado é negativo  afasta-se a suspeita de marcadores mais específicos e sensíveis para IAM. permanecendo alterado por 3-10 da produção e utilização de fosfato. excreção de compostos nitrogenados. reabsorção tubular. elevado em casos de IAM entre 5-20 dias. Apresenta diversas atividade eritropoiética e controle da pressão isoformas. O rim é parte fundamental do sistema renina. sepse. assim. tecidos. hipnóticos. que estão presentes em diferentes arterial. pela conversão de piruvato a lactato em regulação ácido-base. entre outros. permite a indentificação e quantificação de cada uma delas.angiotensina- TGO (AST): usada antigamente no diagnóstico aldosterona.Tem alta especificidade (98%) e sensibilidade apresentam diferenças antigênicas daquelas (97%). mede-se a enzima pela formação de seu produto. Geralmente. quando presente em concentração maior do que 5% do CK total é indicativo de IAM. sua grande limitação é o fato de não ser presentes nos músculos esqueléticos. isquêmica irreversível. As proteínas existentes no músculo cardíaco .

nitrofurantoína). como: ácidos (acético. situação na Presença de urobilinogênio: doenças hepáticas qual devem ser armazenadas em geladeira. Pseudomonas ou presença de alguns medicamentos. bactérias e leveduras. hidróxidos). como hemácias. distúrbios que alteram a reabsorção função renal. porfirias). marrom- preto (presença de melanina. reabsorção tubular deficiente eritrócitos e outras anormalidades. bactéria.1. (2) Exame Químico O exame de urina permite o diagnóstico de pH: normal de 5-6. impedindo a análise do centrifugação de 10-15mL de amostra. leucócitos. sondas ou em casa. Aparência: normal (transparente) ou turva (leucócitos. derivados de fenol e medicamentos como metronidazol). presença ou ausência de glicose e cetonas. densidade. exposição a produtos tóxicos ou medicamentos.0 doenças relacionadas ao sistema urinário e alterações metabólicas de outros órgãos. (ambas utilizadas para avaliação de doenças glomerulares. pH. Presença de cetonas: indica incapacidade de Tipos de exame de urina: urina tipo I (primeira metabolizar ou digerir carboidratos da manhã. níveis séricos de proteínas de baixo peso Analisa-se: aspecto da amostra. hemácia. congelamento. urina de 4 ou de 24 horas Presença de sangue: indica cálculos renais. básicos (bicarbonatos. pois em meio básico pode-se forma É realizada no sedimento da urina obtido após hidróxido de cálcio. depuração). além Presença de proteínas indica lesão no de avaliar de forma quali e quantitativa a glomérulo. Coloração: amarelo (diferentes tonalidades). microscopia do Presença de glicose: indica diabetes mellitus ou sedimento para detecção de leucócitos.015. bórico e Presença de leucócitos: infecção nítrico). laranja (presença de bilirrubina . mioglobinas. pielonefrites. vitamina A. verde (infecção por . ou distúrbios hemolíticos Alguns exames específicos necessitam que a Presença de nitritos: infecção bacteriana urina seja armazenada com algum tipo de conservante. Urina Tipo I Neste exame também consegue-se evidenciar os diferentes tipos de cálculos renais que (1) Exame Físico: podem estar presentes na urina. entre outros) Densidade: normal quando 1. O exame é realizado através da tubular das proteínas filtradas e aumento dos avaliação física. rosa- vermelho (presença de hemácias. Pode-se composto. As amostras podem ser colhidas por cânula Presença de bilirrubina: hepatite. encontrar diferentes elementos. cirrose suprapúbica. molecular determinação das proteínas. hemoglobinas. como amitriptilina). enquanto outros são armazenamento  realização das análises  considerados normais até determinadas liberação dos resultados quantidades. Ex: para (3) Exame Microscópico ou citológico avaliação de cálcio é necessário a acidificação do meio. tumores. Etapas do Exame de Urina: requisição  Entretanto a presença de alguns não tem orientação  coleta  entrega de amostra  significado clínico.025 Odor: quando está desagradável é indicativo de alguma infecção. química e microscópica. solventes (tolueno). deprezando-se os primeiros mL  mais utilizada).

fosfato de cálcio. Sua formação depende de várias etapas. V é a dependente da alimentação do indivíduo e taxa de fluxo urinário (mL/ minuto) e P S é a do catabolismo protéico. Apresenta 80% de excreção glomerular do plasma. cetonas (volatilizam). alguns (4-10 reabsorvido nos túbulos. 90% da uréia é por campo). filtração glomerular é a de que ela seja 100% quando comparada a uréia. mas também secretada pelos túbulos renais. respectivamente Cilindro hemático: também pode ser encontrado na urina  Obs: células epiteliais e cristais são classificados quanto sua presença como: É filtrada no glomérulo. concentração plasmática da substância (2) Creatinina: provém da fosforilação da analisada. Substâncias utilizadas glomerular. e os 10% restantes no campo). Compõem 75% dos compostos classificados. não seja reabsorvida. Já o muco e flora bacteriana são TGI e pele. como: é influenciada por diferentes fatores extra aumento de pH (devido a conversão de uréia renais. Sua filtrada. assim. Ds= (Usx V)/ PS. pelos túbulos renais.fosfato de magnésio. que sua concentração no assim. nitrito (devido a ação bacteriana) e turvação (proliferação de bactérias e sedimentação de material amorfo). mas 40% é ausentes. numerosos (acima de 10 por excretada nos rins. bactérias. As amostras de urina não conservadas estão Entretanto a quantidade de uréia excretada sujeitas a diferentes tipos de alteração. Us é a concentração tubular e seu nível sérico é altamente urinária da substância analisada (mg/dL). e consequentemente. sua substância seja usada como marcador da depuração é relativamente constante. seus valores de referência meio interno seja mantida constante. rim. correspondendo a um produto de degradação que contém nitrogênio. sofre reabsorção depuração em mL/minuto. algumas substâncias. creatina do músculo. nem secretada produção depende da massa muscular. alteração de cor (decorrente da oxidação ou redução de alguns compostos). redução de glicose (utilizada pelas bactérias). sua Características indispensáveis para que uma produção. raros (até 3 por campo). nitrogenados não protéicos excretados pelo moderado e aumentado. escasso.fosfato de cálcio. Essa taxa é definida como todavia. Cristais: ácido úrico. não é constante (limitação). quando se destina à (depurado) de uma substância por unidade de avaliação do TFG. (1) Uréia: privem do metabolismo das proteínas. só mudam de acordo com a faixa etária e o variando em função da taxa de filtração sexo. Apesar da taxa de produção para análise da função renal: da creatinina ser relativamente constante. bilirrubina e urobilinogênio (oxidação a urobilina). como: ausente. . sendo que: Ds é a ritmo de produção estável. ela tem como limitante o fato de não ser apenas filtrada. A dosagem da uréia é usada Avaliação da Função Renal: é feita através da tradicionalmente para verificação da função medida do clearance (depuração) renal de renal e é um teste facilmente disponível. uma vez que não tem um tempo. em amônia).cistina. ou seja. é preciso se ter em mente que sua a quantidade de sangue ou plasma limpo precisão é baixa.

Seus níveis não são alterados com a massa muscular. sem sofrer (4) Cistatina C: é uma proteína pequena. que é filtrada pelos glomérulos. Funciona como um marcador que compõem a família das proteínas que é infundido (via endovenosa) e inibidoras de cisteínas proteinases. É um parâmetro novo. É um de ácido úrico (calculo renal). alimentação. estando presentes em diferentes fluidos biológicos. de filtração glomerular. seu balanço final de excreção é de 6-12%. polímero de frutose – frutano. avaliando-se a taxa sendo sintetizadas por várias células. entretanto devido a sua enquanto seu aumento na urina difícil obtenção não PE viável ainda na (hiperuricosúria) favorece a formação de cristais rotina dos laboratórios de análise. e variam muito pouco com Fatores extra renais que influenciam na a idade. reabsorção. é reabsorvida e metabolizada. O aumento de ácido úrico no (5) Inulina: padrão – ouro para determinação plasma está associado a presença de gota. e que quantidade de creatinina: tem sido cada vez mais aceito mundialmente. da função renal. Essa condição é mais comum do que a hipouricemia. e. Depuração corrigida de creatinina: glomérulos. e. no caso dos tumores. depois mensurado. Ela é livremente filtrada nos . Condições de hiperuricemia podem ocorrer devido a retenção renal (insuficiência renal ou uso de diuréticos) ou pela renovação aumentada de ácidos nucléicos. Cistina vs Creatinina: (3) Ácido úrico: originado durante a degradação dos ácidos nucléicos.