JESUS-CRISTO - O ANUÚ NCIO DA NOVA TRI-UNIDADE

-
2 abril 2017

Que a Paz esteja com todos voceê s. Dignos Filhos
Ardentes do Sol. Em cada coraçaã o, aqui e em outros
lugares, eu venho lhes entregar os elementos de
minha vinda desde o mais alto dos ceé us.
A genitora de nossa carne lhes anunciou, haé algumas
semanas, um certo nué mero de mecanismos ; esses
estaã o em operaçaã o e vaã o se reforçar. No tempo em
que Miguel, desde alguns meses, ara o ceé u e a terra, no
tempo em que o conjunto da Confederaçaã o
Intergalaé ctica dos Mundos Livres estaé aà vossa porta,
tudo estaé preparado e tudo se finaliza. Como lhes
anunciou nossa Maã e, o mecanismo da Ascensaã o foi
desencadeado, culminando, neste períéodo, nos
eventos enunciados por Joaã o o bem amado. O que
deve se cumprir segundo a vontade do UÚ nico, de
Abba, nosso Pai, se realiza sob vossos olhos de carne.
Quanto a mim, voceê s o sabem, eu retornarei de
maneira efetiva da mesma maneira que eu parti haé
dois mil anos. Naã o me busquem em outros lugares
senaã o em vosso coraçaã o e no ceé u.
Os preparativos foram terminados. Assim o decidiu a
Fonte Una, procedendo entaã o desde 8 de março de
2017. Muitos dos processos concernem ao conjunto
do sistema solar e ao conjunto das conscieê ncias
presentes no interior deste vivem doravante as
primíécias do Apelo de nossa Maã e. Vigiem e orem, pois
nenhum elemento de seu efeê mero deve vir alterar ou
perturbar o impulso de vossa eternidade ao Coraçaã o
do Coraçaã o.

1
Qualquer que seja vossa condiçaã o, qualquer que seja
vossa situaçaã o, o momento chegou de render graças,
de deixar se evanescer tudo o que naã o eé
verdadeiro. Lembrem-se que mais precisamente
nestes tempos, e mais particularmente neste dia que
anuncia a paé scoa, que o momento chegou de ser em
verdade o Caminho e a Vida, de serem viventes aleé m
dos limites de vossa forma, aleé m de qualquer
sentimento, de qualquer ressentimento ou de
qualquer aceitaçaã o. A hora chegou, como eu o fiz haé
dois mil anos, de entregar vosso espíérito entre as
maã os da Fonte.
Dignos irmaã os e irmaã s, filhos do ceé u e da Terra, voceê s
vaã o descobrir que voceê s estaã o sobre este mundo e que
voceê s naã o saã o deste mundo. Aleé m disso, a atualizaçaã o
do Juramento e da Promessa, tal como foi enunciado
pela proé pria Fonte, se concretiza e se densifica sob
vossos olhos, em vossa carne como na superfíécie
deste mundo, onde quer que voceê s levem vossos
olhares. O tempo da Revelaçaã o toca seu auge. A 7ª
Trombeta anunciando o Apelo de Maria vai ressoar
em breve sobre o conjunto da terra. O tempo naã o eé
mais para qualquer mudança do que quer que seja,
mas chegou o tempo de se instalar da maneira a mais
definitiva possíével em vossa eternidade.
A Confederaçaã o Intergalaé ctica dos Mundos Livres lhes
anunciaraé , pela voz de Maria, o desenrolar dos
eventos se produzindo neste momento sobre o
conjunto da terra como em vossa conscieê ncia. A hora
chegou de saldar tudo o que pode lhes parecer ter a
saldar, a resolver, a superar.
Lembrem-se nesses instantes solenes, que voceê s naã o
podem mudar um pingo do que eé , do que foi e do que

2
seraé . A melhor postura, a melhor atitude, pode estar
apenas no interior, em vossa casa, em vosso templo,
lavado e purificado para acolher o canto da
Ressurreiçaã o consecutivo ao Apelo de Maria. Nenhum
obstaé culo, mesmo que lhes pareceria insuperaé vel,
pode se manter diante dos eventos ligados, como
voceê s o sabem, aà Nova Tri-Unidade, trazendo-lhes a
Nova Eucaristia, o selo de vossa eternidade, o
conjunto das chaves Metatroê nicas e as tribulaçoã es
descritas por Joaã o, o profeta bem amado, sob meu
ditado.
Entaã o sim, eu repito hoje « Vigiem e orem ».
Quaisquer que sejam vossos males, qualquer que seja
vossa cultura, ultrapassem as noçoã es histoé ricas,
ultrapassem as noçoã es inscritas nos livros chamados
a Bíéblia ou qualquer escritura santa. Eu pertenço aà
humanidade e naã o a uma religiaã o constituíéda da qual
Satan fez a sua sede. Eu os convido a partir de hoje,
neste períéodo particular preé -pascal, a deixar emergir
tudo o que ainda pode frear o pleno estabelecimento
de vossa eternidade. Vigiem e orem, vejam o que eé
para ver, vivam o que eé para viver, mas conservem a
alegria de seu coraçaã o, pois o que vem, quaisquer que
sejam as apareê ncias, representa em definitivo apenas
as lutas terminais do que se agoniza e que pertencem
ao reino deste mundo.
Naã o se deixem enganar nem tentar por qualquer
reflexo de fuga de qualquer situaçaã o que seja. Voceê s
saã o a Luz do mundo, voceê s saã o os Filhos Ardentes do
Sol, as Sementes de estrelas, os porta-estandartes da
Luz. Hoje, conveé m viver isso na totalidade de vossa
presença na superfíécie deste mundo, quaisquer que

3
sejam as situaçoã es, os eventos que voceê s tenham a
viver, em voceê s como no exterior de voceê s.
EÚ atraveé s do que se desenrola em cada um de voceê s
que vosso posicionamento e vossa atribuiçaã o se
desvela de maneira cada vez mais precisa e níétida,
mas guardem presente em vosso coraçaã o que
quaisquer que sejam as manifestaçoã es, quaisquer que
sejam as alegrias, quaisquer que sejam as dores, tudo
isso naã o faz senaã o passar a fim de deixar vossa
eternidade aparecer no grande dia, sem que ningueé m
possa se colocar adiante da Verdade em encarnaçaã o e
estabelecida em voceê s.
Maria, Miguel, eu mesmo, e o conjunto das forças da
Confederaçaã o Intergalaé ctica dos Mundos Livres estaã o
doravante a vosso serviço para auxiliar a vossa
ressurreiçaã o. Quaisquer que tenham podido ser
vossas dué vidas, quaisquer que tenham sido vossas
interrogaçoã es, esqueçam tudo isso, pensem a cada
sopro no que voceê s saã o em eternidade, mesmo se ateé
agora naã o lhes foi permitido viver esse
momento. Tenham uma feé total e absoluta nessa
eternidade ; quer voceê s conheçam ou naã o ao que isso
corresponde, pouco importa. Vaã o direto ao objetivo,
direto ao essencial, ao que naã o passaraé jamais – o que
voceê s saã o em verdade, aleé m de qualquer forma, aleé m
de qualquer histoé ria e aleé m de qualquer cenaé rio.
Dignos filhos do UÚ nico, eu venho lhes trazer, onde
quer que voceê s estejam neste dia preciso de 2 de abril
de 2017, se voceê s me acolhem, eu venho revelar, se jaé
naã o foi feito, o que eé vossa eternidade, o que eé vossa
alegria, o que eé vossa divindade que estaé aleé m de
qualquer forma, de qualquer matriz e de qualquer
contingeê ncia.

4
Bem amados da Luz, bem amados do Amor, voceê s
mesmos Amor e Luz, naã o se voltem para traé s pois o
que passa se conclui e nada pode reteê -los. Os dias da
Ressurreiçaã o se aproximam a grandes passos, eles
saã o, em vossa líéngua « iminentes », segundo o
calendaé rio da terra. Entaã o estejam leves, estejam em
alegria, estejam em graça, estejam em perdaã o, pois
naã o existe nenhuma falta nem nenhum erro que possa
manchar o que eé o Espíérito que voceê s saã o. Somente o
corpo e as estruturas efeê meras de vossa conscieê ncia
presentes sobre a terra podem ser ainda dolorosas,
mas isso naã o eé nada a partir do instante em que voceê s
vigiam e oram comigo, em seu coraçaã o.
Assim hoje eu venho lhes dizer novamente : « Paz a
voceê s e Paz em voceê s ». A hora eé para o Amor, o que
quer que lhes diga vosso corpo, o que quer que lhes
diga vosso efeê mero. Naã o escutem a voz da ilusaã o, naã o
escutem a voz dos vossos sentidos, mas bem mais, e
mesmo exclusivamente, o que lhes diz vosso coraçaã o
neste instante, nestes dias.
As graças saã o abundantes sobre a terra para aqueles
entre voceê s que aceitam viveê -las, na condiçaã o de se
entregarem aà vossa eternidade. Nenhuma
circunstaê ncia de vosso efeê mero pode lhes afetar a
partir do instante em que voceê s se conscientizam da
verdade de vosso ser, da verdade da Luz e da verdade
do Amor.
O Amor eé simples, ele naã o tem o que fazer das vossas
cogitaçoã es, ele naã o tem o que fazer das vossas
histoé rias limitadas, ele naã o tem o que fazer dos vossos
rancores, ele naã o tem o que fazer dos vossos prazeres,
pois ele eé a proé pria Alegria eterna da Graça, a Alegria

5
eterna do Espíérito, desconhecendo qualquer limite de
forma, de espaço ou de dimensaã o.
Assim, eu lhes digo uma terceira vez : « Paz a voceê s,
Paz em voceê s ». Eu estou com voceê s, naã o somente ateé
o fim dos tempos mas neste fim dos tempos.
Entre este dia, neste instante preciso ateé o períéodo
pascal e ateé a Ascensaã o, e ateé o Pentecostes, nos dias
de vosso calendaé rio do ano de 2017, eu venho lhes
enunciar e lhes anunciar a boa nova : Cristo ressuscita
em voceê s. Assim a Paz eé vossa morada de eternidade.
O que quer que lhes diga este mundo, o que quer que
lhes digam vossos proé ximos, o que quer que lhes
digam vossas leis, o que quer que lhes digam os
sistemas de poder e de controle, voceê s saã o seres livres
de toda eternidade, tendo sido enganados pelas forças
opostas aà Luz. Cuja capitulaçaã o sem condiçaã o deixa
apenas alguns fragmentos ou bolsos de resisteê ncia
que cederaã o no momento do Apelo de nossa Maã e.
Vigiem e orem, olhem vosso coraçaã o, sem falsas
apareê ncias e sem evasivas, sem mentirem a voceê s
mesmos, aliaé s voceê s naã o o poderaã o mais desde este
dia. Somente a franqueza, a verdade, a transpareê ncia,
a eé tica, a integridade e a humildade lhes guardaraã o de
qualquer falta, de qualquer erro pertencente a esta
histoé ria. EÚ em voceê s que se revela o Cristo, eé em voceê s
que se revela o Espíérito do Sol, eé em voceê s que se
revela o Coro dos Anjos, eé em voceê s que se revela a
Verdade.

A Verdade naã o estaé neste mundo, ela foi viciada,
alterada. Apresentou-me como um salvador, o que
seguramente eu naã o sou, sou simplesmente aquele
que vem cortar os ué ltimos veé us da Ilusaã o pois minha

6
líéngua eé uma espada, assim como a espada de Miguel
que vem lhes trazer a liberdade cortando vossos laços
residuais ou persistentes do efeê mero. Saibam contudo
que o conjunto da Confederaçaã o Intergalaé ctica dos
Mundos Livres respeita e respeitaraé a lei do Amor, a
lei da Liberdade, a lei do UÚ nico.
Breve, a partir do Apelo de nossa Maã e, voceê s teraã o a
oportunidade de ver desfilar o conjunto da histoé ria,
aquela da Terra como aquela de vossa alma em
peregrinaçaã o na Ilusaã o deste mundo. Lembrem-se de
que somente o Amor verdadeiro e incondicionado eé a
garantia de seu estabelecimento na Eternidade, sem
atraso, sem problema e com facilidade.
Onde quer que voceê s estejam sobre esta terra, da
mesma maneira que o 8 de março foi anunciado, pela
santa Tri-Unidade, a realidade do mecanismo
ascensional, pelo aumento do que voceê s chamam a
vibraçaã o coé smica, a resposta da Terra permitiu
efetivamente engrenar o processo ascensional nele
mesmo. O conjunto das preliminares nesses
momentos que voceê s vivem foi realizado tal como lhes
foi anunciado por mué ltiplas vozes.
Em cada um de vossos gestos, em cada um dos vossos
fatos que voceê s tenham a viver, lhes eé lembrada a
vossa eternidade. Qualquer que seja a alegria, eu o
repito, qualquer que seja o sofrimento, isso apenas
passa, somente resta e restaraé o que eé verdadeiro.
Logo naã o existiraé sobre esta terra mais nenhum lugar
onde subtrair-se aà Luz Una, naã o haé nada a fugir.
Lembrem-se tambeé m de que naã o haé nada a salvar
concernente ao efeê mero. Voceê s estaã o aqui sobre esta
terra – qualquer que tenha sido a duraçaã o em meio a
vossas mué ltiplas encarnaçoã es -, de passagem. A Terra

7
naã o eé vossa morada. A Terra podia ser uma morada no
tempo em que nossa Maã e a semeou.

Hoje voceê s vaã o descobrir, e de maneira extremamente
raé pida, a Verdade que naã o tem necessidade de
nenhuma palavra, de nenhuma histoé ria, de nenhuma
questaã o, e que cada um de voceê s soé pode reconhecer,
qualquer que seja o posicionamento anterior de vossa
conscieê ncia. Portanto deixem o Fogo do Amor crescer
em voceê s, deixem o Fogo IÚgneo revelar vosso espíérito
em sua pureza original, em sua pureza original, aleé m
de todo tempo. O tempo, tal como ele eé vivido em
encarnaçaã o sobre esta terra, eé um lugar de desgaste
onde o tempo que passa implica e provoca uma
dissoluçaã o das formas que voceê s chamam a morte. Em
Espíérito e em verdade, voceê s jamais nasceram como
voceê s jamais morreram, somente os veé us da Ilusaã o os
fez aderir e os fez viver as consequeê ncias.
Lembrem-se do que eu disse : « Ningueé m pode
penetrar o Reino dos ceé us se naã o se tornar como uma
criança, inocente e espontaê nea. ». Entaã o voceê s estaã o
convidados, quaisquer que sejam vossas obrigaçoã es
efeê meras, que nada representam no níével da
eternidade, a deixar essa inoceê ncia, essa Alegria, essa
Infaê ncia se expressar atraveé s de voceê s. Naã o limitem
nada, naã o busquem nada, simplesmente estejam aíé, no
Coraçaã o do Coraçaã o, presentes uns com os outros, no
Sileê ncio. Para isso voceê s naã o teê m necessidade de
estar ao lado ou de estar em proximidade,
simplesmente voceê s teê m necessidade de serem
integralmente voceê s mesmos, naã o a pessoa e a
histoé ria que voceê s vivem mas essa Eternidade que

8
alguns entre voceê s perceberam rapidamente ou
viveram. Ningueé m poderaé se manter na tepidez,
ningueé m poderaé ser hesitante, estejam seguros, pois
isso estaé a vossa porta, e voceê s teraã o a oportunidade
de viver por voceê s mesmos e de verificar a verdade.
O reino do Amor e o reino da Eternidade estaã o diante
de voceê s. Lembrem-se tambeé m de que aquele que
quiser salvar sua vida efeê mera a perderaé , a fim de
descobrir ele tambeé m a verdade da Eternidade. Eu
venho cortar o que deve ser cortado, e lembrem-se
que vosso ué nico juiz saã o voceê s mesmos, mas quando
voceê s vivem sua eternidade, qual julgamento poderaé
apresentar provas a esse efeê mero que
desaparece ? Naã o percam tempo, vaã o ao essencial,
diretamente na Verdade, diretamente na Paz. Estejam
seguros de que se voceê s daã o um passo para mim, eu
darei treê s para voceê s e isso, de maneira instantaê nea.
Lembrem-se de que eu naã o fui somente esse
personagem histoé rico, mas eu sou antes de tudo vossa
imagem fiel, tendo assim como voceê s sofrido a
ignomíénia deste mundo, deste mundo de perdiçaã o e
de ilusaã o, qualquer que seja a beleza que voceê s
possam viver quando voceê s estaã o em vida. Hoje eé
indispensaé vel e essencial se reencontrarem em
totalidade, e lembrem-se de que nada, em meio a
histoé ria de vossa pessoa, como nada em meio aà s
experieê ncias vividas em todos esses anos ou desde
seu nascimento, ou desde muitas vidas, pode resistir
diante da Verdade.
Sejam humildes e sejam gentis com cada um.
Lembrem-se do que eu disse : « O que voceê s fazem ao
menor de voceê s, eé a mim que voceê s o fazem, e
portanto a voceê s mesmos ». EÚ isso que descobrem

9
aqueles que teê m exercido a predaçaã o em oposiçaã o a
voceê s em qualquer níével que isso seja.
Lembrem-se de que haé apenas duas leis : a açaã o-
reaçaã o ou a açaã o de Graça. Cabe a voceê s escolher, mas
voceê s naã o podem conservar vosso livre-arbíétrio e
serem livres ao mesmo tempo. A Liberdade naã o tem o
que fazer de vossos conceitos, a Liberdade e a
Verdade naã o teê m o que fazer de vossas experieê ncias, a
Liberdade e a Verdade saã o de toda eternidade o que
voceê s saã o. O resto naã o representa senaã o experieê ncias
felizes ou infelizes em meio a esta terra.
A revelaçaã o de suas linhagens, a revelaçaã o da histoé ria
escondida da Terra foi um suporte fantaé stico
permitindo-lhes se liberarem ateé um certo ponto.
Doravante eé tempo de se liberarem totalmente e de se
reencontrarem aqui mesmo, em sua carne, nestes dias
reduzidos pela vontade da Fonte, a fim de manifestar,
expressar e conscientizar a verdade do Amor. Isso
deve se tornar e ser sua ué nica preocupaçaã o mental,
emocional, afetiva ou social.
Assim, voceê s seraã o impulsionados a falar como nunca,
como foi o caso para os apoé stolos quando do
Pentecostes. Voceê s saã o os sucessores dos doze
apoé stolos originais e voceê s falaraã o em líénguas, e vossa
líéngua falaraé somente o Verbo do Amor. Todo o resto
se apagaraé diante da poteê ncia desse Verbo, na
condiçaã o de viveê -lo em humildade, em simplicidade,
no caminho da Infaê ncia e da Inoceê ncia.
Hoje eu lhes digo, os tempos estaã o consumados. Hoje
eu lhes digo : « Paz a voceê s ». A verdade emerge enfim
em sua simplicidade e em sua gloé ria. Que vossos
olhares, vossas palavras, vossos atos, vossos
pensamentos, vossas ocupaçoã es, vossas atividades,

10
sejam todas decalcadas da mesma verdade, da mesma
beleza e do mesmo amor a fim de que voceê s possam
declamar por vossa presença em meio ao Verbo : « Eu
sou o Caminho, a Verdade e a Vida. Eu sou a
Eternidade. ».
Na ué ltima graça da Confederaçaã o Intergalaé ctica dos
Mundos Livres, nos proé ximos dias, resta-lhes atualizar
isso, aquiescer aà vossa eternidade e aà verdade do
Amor. Nenhuma outra preocupaçaã o encontraraé lugar
de expressaã o em meio aà vossa conscieê ncia, ao vosso
corpo como ao vosso coraçaã o. O Amor
incondicionado e eterno toma todo o espaço, toma
todo o tempo e posse de vosso corpo. Cabe a voceê s
dizerem « sim ». Cabe a voceê s, por um ato de
sacrifíécio, de bravura e de simplicidade, se
entregarem a essa eternidade, quer voceê s a
conheçam, a vivam, ou naã o ainda.
Qualquer que tenha sido vosso caminho durante esta
vida, e mais particularmente no decorrer desses
ué ltimos trinta e treê s anos, hoje eé um novo dia, a
nenhum outro comparaé vel. Os sinais visíéveis, sejam
sobre a terra ou nos ceé us, sejam em meio aos seus
irmaã os e irmaã s presentes em seu ambiente, viraã o
confortar a verdade do Amor. A verdade do Amor
seraé aliaé s a ué nica soluçaã o a tudo o que se produz
doravante sobre esta terra.
O conjunto do que voceê s chamam os povos da
natureza finalizou sua missaã o e a terminou, da mesma
maneira que voceê s terminam vosso efeê mero para dar
lugar aà eternidade do Amor, aà majestade dessa
eternidade.
Entaã o, eu lhes digo uma quarta vez : « Paz a voceê s, Paz
em voceê s ».

11
A Graça os acompanha, a Verdade eé vosso estandarte,
o Amor eé vosso verbo e vosso olhar eé a Luz dos
mundos. Naã o se deixem encobrir por aquilo que naã o
eé o instante presente, naã o se deixem encobrir por
qualquer medo de qualquer futuro, pois naã o haé futuro
em meio aà Eternidade, como voceê s o sabem e o vivem
talvez, existe apenas o instante presente, em sua
beleza, em sua magnificeê ncia e em sua verdade. Voceê s
naã o teê m necessidade de nenhum plano, de nenhuma
estrateé gia, de nenhuma elaboraçaã o de qualquer plano,
simplesmente voceê s teê m necessidade de serem
auteê nticos e de serem o que voceê s saã o, aleé m de
qualquer apareê ncia, de qualquer sofrimento e de
qualquer desejo.
Portanto eu me dirijo a voceê s, aqui e em toda parte
sobre esta terra, como outras vozes se elevaraã o
durante esta semana santa que se aproximam para
expressar a mesma coisa, a saber que os tempos estaã o
consumados e que o tempo da Ressurreiçaã o e da
Ascensaã o se desenrolam neste momento mesmo.
A vida que voceê s vivem em meio ao efeê mero pode
efetivamente lhes propor ultrapassar e viver alguns
obstaé culos. Lembrem-se de que voceê s naã o podem
ultrapassaé -los voceê s mesmos, nem por qualquer
conhecimento, mas unicamente pela verdade do
Amor, do que voceê s saã o em eternidade.
O ué nico julgamento eé aquele do face aà face entre o
efeê mero e a Eternidade de cada um de voceê s,
mostrando a voceê s mesmos, segundo o que voceê s
decidem em vossa alma e conscieê ncia, como reagir,
como aquiescer. O que se desenrola sobre a tela de
sua conscieê ncia pessoal, em vosso corpo como em
vossos pensamentos, naã o eé senaã o a ilustraçaã o

12
disso. Naã o vejam aíé nada aleé m, naã o haé nem puniçaã o,
nem castigo, nem coisas a reparar.
Voceê s que vivem uma das Coroas, voceê s que teê m,
mesmo com relutaê ncia, lido nossas intervençoã es
nestes tempos ou em tempos mais antigos, estejam
prontos, o que quer que lhes diga vossa pessoa, o que
quer que lhes diga a sociedade, e o que quer que lhes
diga vossa viveê ncia. A partir do instante em que a
ué ltima graça for revelada aos seus olhos em muito
poucos dias, naã o haveraé mais nenhuma dué vida sobre a
realidade do que voceê s saã o ; quer voceê s o creiam, quer
voceê s o recusem, quer voceê s o vivam ou quer voceê s
naã o o vivam, isso nada mudaraé . Evidentemente, apoé s
o Apelo de nossa Maã e e apoé s os treê s dias de trevas a
viver, cada um estaraé face aà sua liberdade, cada um
estaraé face ao que ele poê de crer ou criar em meio a
esta ilusaã o, podendo representar um peso, ou ao
contraé rio, uma leveza.
A Luz naã o faz nenhuma diferença, como a luz do Sol,
entre aquele que me reconheceu e aquele que me
voltou as costas. O karma pertence aà ilusaã o deste
mundo e ningueé m pode me conhecer se naã o renasce
de novo, a fim de que voceê s tambeé m estejam sobre o
mesmo peé de amor e igualdade. Eu os remeto para
isso aà paraé bola do filho proé digo.
As frases que eu pronunciei quando de minha
passagem sobre esta terra saã o hoje de uma atualidade
que eu qualificaria de gritante, naã o a histoé ria que foi
construíéda pelas religioã es que se serviram de meu
nome e que me traíéram, como eu anunciei e enunciei.
Eu venho reconstruir o templo da Verdade e nada
poderaé se opor, nenhuma histoé ria poderaé se manter
de peé diante da majestade da Eternidade. Estejam

13
seguros e vaã o em paz. Tratem de vossas atividades
quaisquer que elas sejam, mas guardem vosso
coraçaã o, vigiem e orem. Que todos os vossos atos, que
todos os vossos pensamentos neste momento mesmo
e nos dias a vir estejam voltados exclusivamente para
a primazia do Amor, fazendo-os ver no outro o que
voceê s saã o, e nada mais e nada menos.
Chamem-me. Como minha maã e estaé presente para
alguns entre voceê s ao vosso lado, desde este dia eu
tambeé m estou de maneira, eu diria, muito mais
tangíével do que talvez voceê s puderam viver nesses
anos passados, e de maneira muito mais tangíével do
que puderam viver aqueles que me imitaram, que
voceê s chamam os santos. Voceê s tambeé m saã o santos
assim como eles, voceê s saã o o mesmo Amor e a mesma
Verdade. Somente a expressaã o dessa Verdade pode
ser alterada, pela primazia do Amor, deste mundo de
privaçaã o.
Entaã o permitam-me, neste dia da Paixaã o, transmitir-
lhes de maneira coletiva e universal a verdade do
Amor, a verdade da Paz, a verdade de vossa
eternidade. Naã o sejam mais joguetes das veleidades e
dos laços deste mundo, naã o sejam mais joguetes do
medo, sejam verdadeiros, estejam comigo, estejam
com voceê s e sejam iguais para com cada um de voceê s
com a mesma intensidade e a mesma verdade do
Amor. Esqueçam todo o resto que se passa neste
momento mesmo. Naã o mantenham nada que naã o seja
a Verdade, deixem que a vida os faça soltar, sem medo
e sem arrependimentos, pois eu lhes anuncio vossa
Ressurreiçaã o, naã o nos proé ximos tempos, naã o em sua
revoluçaã o solar, mas desde agora. Estejam em paz

14
pois eu os amo, estejam em paz pois voceê s saã o a Paz e
voceê s saã o o Amor.
Naã o esqueçam jamais disto de qualquer maneira,
voceê s naã o poderaã o esquecer o momento vindo.
Permaneçamos em comunhaã o alguns minutos, onde
quer que voceê s estejam sobre esta terra, neste dia
como nos dias posteriores, desde que voceê s tenham
escutado ou lido o que eu lhes anuncio neste dia e
nesta hora.
… Sileê ncio…
Como eu disse haé dois mil anos, voceê s podem dizeê -lo
ao seu redor, voceê s saã o a Luz do mundo, voceê s saã o o
Caminho e a Verdade, a Vida, e voceê s saã o todos Um
com o Pai, como eu o disse. O momento eé para essa
revelaçaã o. Eu naã o lhes peço para acreditarem em
mim, eu naã o lhes peço para aderirem aà s minhas
palavras, mas a me imitarem, em serem voceê s
mesmos o que voceê s saã o, sem fardos nem desvios,
sem questoã es, com feé , com sinceridade. Assim eu me
dirigirei a voceê s antes mesmo da hora em que eu devo
vir cortar de maneira coletiva o que deve ser cortado.
… Sileê ncio…
Eu lhes dou minha Paz e eu acolho vossa Paz. Eu lhes
dou o Perdaã o, como voceê s me daã o o Perdaã o, a fim de
que a Graça e sua majestade embebam cada fibra de
vosso efeê mero como de vossa eternidade.
… Sileê ncio…
Abençoado seja o Eterno, abençoada seja a Verdade,
abençoado seja o Amor. Sejam abençoados, minha
irmaã , meu irmaã o, eu estou com voceê neste fim dos
tempos. Alegre-se, voceê , ressuscitado na gloé ria eterna.
Eu te amo. Venha a mim, venha para voceê .

15
Seja abençoado a cada minuto e a cada sopro na Graça
do Amor e da Verdade.
Em nome da Fonte, em nome do UÚ nico, em nome da
lei do Um, digne-se a receber minhas saudaçoã es e
minhas homenagens, digne-se a me acolher na alegria
do Espíérito ressuscitado.
… Sileê ncio…
Eu os saué do, filhos do UÚ nico, plenos de graça, a Luz
estaé com voceê s.
Voceê s saã o abençoados, cada um da mesma maneira, e
o fruto de vosso coraçaã o eé abençoado.
… Sileê ncio…
Eu sou Um com cada um de voceê s.
Acolham a Luz-Cristo em unidade e em verdade.
Abençoado seja voceê em seu novo nascimento, voceê
que jamais nasceu e que jamais morreu.
Nossa Maã e viraé detalhar, se posso dizer, o cenaé rio
escrito para este fim dos tempos, que meus profetas
anunciaram e que voceê vive neste dia. Eu rendo graças
aà sua escuta, aà sua presença, aà sua leitura.
Abençoado seja voceê , filho do Um, abençoado seja
voceê , Amor encarnado.
… Sileê ncio…
Eu o convido aà minha Paixaã o, eu o convido aà
verdadeira Vida, e sobretudo eu te amo, bem aleé m da
medida com a qual voceê me ama e do mesmo Amor,
no entanto, que noé s portamos todos juntos. EÚ tempo
agora de calar minhas palavras e de deixaé -lo passar aà
açaã o, aà açaã o de Graça, ao estado de Graça a fim de que
voceê se torne, nestes tempos abençoados, a proé pria
Graça.
Eu lhe digo : « Ateé sempre em Eternidade », eu lhe
digo : « Ateé sempre neste instante ».

16
Eu estou com voceê para o fim dos tempos, eu estou
com voceê para a Eternidade ; entaã o alegre-se, eu
venho anunciar-lhe a boa nova. Eu te amo, os tempos
estaã o consumados.
Ateé logo.

17