1

3º Unidade

Capítulo XI
Regência Nominal e Regência Verbal _________________________________________________3

Capítulo XII
Crase e Pontuação _______________________________________________________________10

Capítulo XIII
Significado das Palavras ___________________________________________________________17

Capítulo XIV
Denotação, Conotação e Figuras de Linguagem _________________________________________21

Capítulo XV
Figura de Linguagem ______________________________________________________________27

Questões do ENEM e Vestibulares__________________________________________________33

Organização: Apoio:

2

Capítulo XI

Regência
A regência trata das relações existentes entre os termos em uma frase, ou seja, estuda
a dependência entre as palavras. Toda frase apresenta termo regente e termo ou termos
regidos. Na Língua Portuguesa essa relação entre termo regido e termo regente é indicada
pelo uso das preposições.

Regência Nominal - quando termo regente é um nome temos a regência nominal
(substantivo, adjetivo, advérbio).

Horror a Paris.

Natural de Paris.

Um dia em Paris.

Nos casos em que os nomes não apresentam um sentido completo é necessário
complemento, assim o significado do nome transita para o complemento estabelecendo uma
relação entre regente e regido que é medida por uma preposição.

Regência Verbal - refere-se ao estudo dos verbos quanto à necessidade e ao tipo
de complemento exigido, nesse caso o termo regente na oração é um verbo e não um
nome.

Chegamos a Paris.

Estamos em Paris.

Simpatizamos com Paris.

Alguns verbos, por expressarem uma ideia completa, não exigem complemento. São
os verbos Intransitivos (assunto que será tratado logo mais):

Os jovens estudam.

3

A paisagem agrada à vista.estar. admite LHE(s).parecer. 4 . sendo o sujeito nome de pessoa). exigem complemento (objeto direto. Capítulo XI O menino dormiu.etc. Isto não lhe agrada. Há também os verbos de ligação: ser. no segundo caso temos o uso de preposição entre o verbo e o complemento. verbo transitivo direto e objeto direto.permanecer. ou seja. objeto indireto). Observe que no primeiro caso a ligação entre o verbo e seu complemento dá-se diretamente. Transitivo Direto – Fazer carinho (alguém agrada alguém. As crianças brincam. Rege a preposição A.I.Apertar nos braços.D.andar. logo: verbo transitivo indireto e objeto indireto. As crianças gostam de desenhos animados.Satisfazer. verbo O. Regência Verbal Os casos mais importantes são: Abraçar Transitivo Direto . São os verbos transitivos (assunto que será abordado logo mais): Meu pai comprou um sítio. Agradar Transitivo Indireto .ficar. O pai abraçou o filho querido. Outros verbos não têm sentido completo. João agradava a esposa. verbo O.

" Diz-se: "Chegamos a casa ontem. Rege a preposição EM Há quanto tempo assistimos em Recife? Chegar Não se diz. A menina aspirou o aroma da flor. A casa custou trinta mil reais. tragar. sorver.auxiliar.ter valor de. 5 .Morar. Assistiu ao filme calada. "chegar em". Só se emprega na 3ª pessoa do singular e tem como sujeito uma oração reduzida de infinitivo. Transitivo Indireto . pertencer.. rejeita LHE(s).desejar. Transitivo Direto . Os jovens aspiram a grandes conquistas. Rege a preposição A. ajudar." Custar Intransitivo . confortar. Intransitivo . precedida ou não da preposição A. Assim não é culto falar: "Cheguei em casa ontem. aceita LHE(s) Não lhe assiste o direito de intervir. Rege a preposição A.ver.Caber. Transitivo Indireto . O médico assiste o doente. presenciar. Capítulo XI Aspirar Transitivo Direto .inalar. ser difícil. almejar. Custa a um cidadão crer num absurdo desses. Transitivo Indireto . estar presente. na língua culta. rejeita LHE(s). Rege a preposição A. custoso. Assistir Transitivo Indireto .demorar.

Esqueci tudo (VTD) / Esqueci-me de tudo. (TI) Implicar Transitivo Direto – Acarretar Tal atitude não implica desprezo. Namorar Transitivo Direto . Capítulo XI Esquecer/Lembrar Transitivo Direto – Referindo a coisa esquecida Eu esqueci os livros Transitivo Indireto .regem a preposição A.executar alguma coisa O juiz vai proceder ao julgamento. A lei foi obedecida por todos. Os filhos obedecem aos pais. Proceder Transitivo Indireto . (TD) / Não me lembro de nada.Cortejar Sempre namorei a Lua. Pagar/Perdoar Transitivos Diretos e Indiretos . 6 . e objeto indireto da pessoa a quem sem paga ou se perdoa. Obedecer/Desobedecer Transitivos Indiretos .quando usados como verbos pronominais. (VTI) Não lembro nada.pedem objeto direto da coisa que se paga ou se perdoa.

Eu quero o biscoito recheado. Responder Transitivo Indireto .de pessoa ou coisa a que se responde. "preferir mil vezes do que".apontar. O marido respondia a tudo. A ação visava ao restabelecimento da paz 7 . Transitivo Indireto .pretender.Do que se responde Cristina respondera senão termos. Transitivo Indireto . Capítulo XI Perdoemos as ofensas (coisas) aos nossos ofensores (pessoas). mirar. OBS: Devem ser evitados os pleonasmos "preferir mais". Querer Transitivo Direto . O atirador visou o alvo. "preferir antes".Amar. Os filhos querem aos pais. Rege preposição A e rejeita LHE(s). rege preposição A . ter afeto: rege a preposição A..Não aceita reforço. almejar. Prefiro morrer a fugir como covarde. Preferir Transitivo Direto e Indireto . "preferir muito mais". Visar Transitivo Direto . Transitivo Direto . Pagaram as compras (OD) aos comerciantes (OI). rubricar.Desejar..

com. de fanático por análogo a favorável a ansioso de. Capítulo XI Regência Nominal Substantivos admiração a. para com fácil de alheio a. por natural de 8 . para. por horror a atentado a. por devoção a. para. para. de indeciso em contíguo a insensível a curioso de.por ávido de hábil em benéfico a habituado a capaz de. com escasso de afável com. em sobre Adjetivos acessível a equivalente a acostumado a. para com. contra impaciência com aversão a. para grato a. de bacharel em obediência a capacidade de. por doutor em proeminência sobre respeito a. por dúvida acerca de. por medo a. para idêntico a compatível com impróprio para contemporâneo a. para ojeriza a. por generoso com apto a. com.

paralelamente a. Capítulo XI descontente com necessário a desejoso de nocivo a diferente de paralelo a entendido em parco em. em por semelhante a prestes a sensível a propício a sito em próximo a. de.de passível de relativo a preferível a prejudicial a satisfeito com. 9 . de suspeito de relacionado com vazio de Advérbios longe de perto de Os advérbios em –mente tendem a seguir o regime dos adjetivos de que são formados:paralela a. relativa a.relativamente a.

voltar. pois Venho de Porto Alegre. pois ajudar não é palavra feminina. (Com crase. ocorrerá crase. pois mim não é palavra feminina.) 10 . aquiloutro. cair.). Na língua portuguesa. aqueloutro. não ocorrerá crase: •Vou a Porto Alegre. Se não houver verbo indicando movimento. portanto nunca use o acento grave indicativo de crase diante de palavras que não sejam femininas: •O sol estava a pino. diante do que indicar procedência. (Sem crase. Para saber se ocorre ou não a crase. diante da masculina. se. se. surgir ao.) 3ª..).) 2ª. voltar. as) ou com os pronomes demonstrativos a. diante da feminina. (Sem crase.. (Com crase. pois pino não é palavra feminina. chegar. mas essa denominação visa a especificar principalmente a contração ou fusão da preposição a com os artigos definidos femininos (a. dirigir-se. surgir da. caso contrário. diante do que indicar destino. ocorrerá crase.) •Vou à Bahia. troca-se a palavra feminina por outra masculina. aquilo. (Sem crase. não ocorrerá crase: •Assisti à peça. Se a preposição a vier de um verbo que indica destino (ir.. aquele.) •Estou disposto a ajudar você. pois Assisti ao filme. (Sem crase. troque este verbo por outro que indique procedência (vir. Só ocorre crase diante de palavras femininas. basta seguir três regras básicas: 1ª. caso contrário. comparecer. chegar. vir..) •Ela recorreu a mim. crase é a fusão de duas vogais idênticas. aquela. as. Capítulo XII Crase A palavra crase provém do grego (krâsis) e significa mistura. pois Venho da Bahia.

ocorre crase: A cena à qual assisti foi chocante.) Casos Especiais • Diante das palavras moda e maneira. Reconheci-o à distância de duzentos metros. à revelia . ou seja. quando for fusão da preposição a com o pronome demonstrativo a. à esquerda. pois Paguei ao cabeleireiro. às tontas. as (= aquela. • Nas locuções prepositivas e conjuntivas femininas ocorre crase: à maneira de. se houver a formação de locução prepositiva. à moda de. Capítulo XII •Paguei à cabeleireira. se não houver a preposição de. às escondidas. pois Respeito os regulamentos.) •Respeito as regras. Sua voz é igual à de um primo meu. à vontade. (Sem crase.. aquelas): Essa roupa é igual à que comprei ontem. as quais. só ocorrerá crase. à medida que. • Nos adjuntos adverbiais de modo. Joãozinho usa cabelos à Príncipe Valente.. à direita. (quem assiste assiste a algo) • Diante de uma palavra no plural. à noite. à procura de. 11 . • Diante da palavra distância. ocorre crase: Fizemos um churrasco à gaúcha. à proporção que. às pressas. quando o verbo da oração subordinada adjetiva exigir a preposição a. (Com crase. não ocorrerá crase: Reconheci-o a distância. às escuras. de lugar e de tempo femininos. à espera de.. • Diante do pronome relativo que ou da preposição de. ocorre crase: à tarde.. às custas de. das expressões adverbiais à moda de e à maneira de. Comemos bife à milanesa . mesmo que as palavras moda e maneira fiquem subentendidas. não ocorre crase: Referi-me a todas as alunas. sem exceção. • Diante dos pronomes relativos a qual.

solo. é facultativo o uso da preposição a.A palavra casa só terá artigo. alguns gramáticos estão admitindo crase diante de adjuntos adverbais de meio. Capítulo XII Não gosto de ir a festas desacompanhado. venci. Pontuação Emprego da Vírgula • Para separar os termos da mesma função. Cheguei à casa de Ronaldo antes de todos. é facultativo o uso do artigo. mesmo não ocorrendo ambiguidade: • Diante de pronomes possessivos femininos. então. pois quem vai. Irei à terra de meus avós. portanto. Os marinheiros voltaram a terra. assindéticos: "Vim. a não ser que cause ambiguidade: Preencheu o formulário a caneta. Nota . portanto só ocorrerá crase diante da palavra casa nesse caso: Cheguei a casa antes de todos. quando houver a preposição a. caso haja substantivo feminino à frente. vai a algum lugar. quando houver a preposição a. consequentemente. Referi-me à sua professora. • Após a preposição até. • A palavra Terra . portanto só nesse caso poderá ocorrer a crase: Os astronautas voltaram à Terra. • Nos adjuntos adverbiais de meio ou instrumento. • A palavra Casa . ocorrerá a crase. significando chão firme. quando esta for necessária ao elemento anterior ao até. é substantivo próprio e tem artigo.Modernamente. quando estiver especificada.Significando planeta." 12 . só tem artigo. vi. a ocorrência de crase será facultativa: Fui até a secretaria ou Fui até à secretaria. será facultativa a ocorrência de crase: Referi-me a sua professora. se estiver especificada. Paguei a vista minhas compras.

o casal disse sim. procuraram a maquiagem. contudo. e as conjunções conclusivas logo. refrigerante. teve alguns problemas. portanto. aliás. • Para separar as orações coordenadas ligadas pela conjunção "e"." Sendo o adjunto adverbial expresso por apenas um simples advérbio." 13 . pode-se dispensar a vírgula. completamos mais um ano de vida". então etc”. loucas. que está florido. tais como “por exemplo. caldo de feijão." • Para isolar as conjunções adversativas porém. "Ao sair do lugar. farinha e beberam suco. toda a equipe comemorou " “Diante de todos os convidados. ainda que venha deslocado: "Hoje. no entanto. conclusivas. quando os sujeitos forem diferentes: "Veio a noite da feijoada. Capítulo XII • Para isolar o vocativo: "João. manteve o hábito de viajar muito. será protegido durante a chuva. 23 de novembro de 2000. além disso. corretivas." "As mulheres." • Para isolar certas palavras ou expressões explicativas. todavia. arroz. pois. e João não havia se preparado. ex-presidente. • Para separar os adjetivos e as orações adjetivas de sentido explicativo: "O jardim." • Nas datas: "Recife. contudo. onde está o feijão?" • Para isolar o aposto explicativo: "FHC. "Hoje completamos mais um ano de vida". • Para marcar a elipse do verbo: "João e Maria comeram feijão. continuativas." • Para assinalar a inversão dos adjuntos adverbiais: "Por impulso instantâneo. isto é.

do Rio de Janeiro. outros folgavam.C .12.Nomeação. • Para separar os diversos itens de uma lei. II . • Para anunciar uma citação: "Aristóteles dizia a seus discípulos: Meus amigos. não há amigos. não pensavam no futuro. Teresópolis. Emprego do Ponto Final • Final de uma frase: A família representa tudo na vida de uma pessoa. esforçavam-se. de um decreto etc. Capítulo XII Emprego do Ponto e Vírgula • Para separar orações independentes que têm certa extensão. exauriam-se. futebol. sobretudo se tais orações possuem partes já divididas por vírgula: "Uns trabalhavam.depois de Cristo Emprego dos Dois Pontos • Para anunciar a fala do personagem: O militar ordenou: . dinheiro. Os cargos públicos são providos por: I . uma boa mulher. descuidavam-se. • Nas abreviaturas: d. Friburgo. Petrópolis." • Para separar as partes principais de uma frase cujas partes subalternas têm de ser separadas por vírgulas: "Recife e Olinda são cidades de Pernambuco. feijão e muita saúde para viver intensamente.Reversão. "Art." 14 .Todos para a flexão! • Para anunciar uma enumeração: Alguns homens preferem as seguintes opções de vida: lazer.

Sou eu.." Travessão É um traço de certa extensão." "Se todas as mulheres fossem iguais.. .Eu quem? 15 .. Capítulo XII Ponto de Interrogação É o sinal que se coloca no fim de uma oração para indicar uma pergunta direta: Quem quer feijão? Ponto de Exclamação Emprega-se depois das interjeições ou depois de orações que designam espanto. admiração: "Quantos gols! Esse time é muito bom! Reticências Indicam interrupção ou suspensão do pensamento ou. Ficariam os homens menos satisfeitos.... ainda. maior do que o hífen. intercaladas no período: "Estava Mário em sua casa (nenhum prazer sentia fora dela). hesitação ou falta de necessidade de exprimi-lo: "Quem conta um conto. que indica a mudança de interlocutor: . quando ouviu baterem...Quem é? ." Parênteses Servem os parênteses para separar palavras ou frases explanatórias..

Capítulo XII Aspas Usam-se as aspas: • No princípio e no fim das citações. 16 . para distingui-las da parte restante do discurso: Um sábio disse:"Agir na paixão é embarcar durante a tempestade." Para distinguir palavras e expressões estranhas ao nosso vocabulário: João vive num verdadeiro "trash". • Para dar ênfase a palavras ou expressões: A palavra "sexo" está presente 24h na mente masculina.

resgatar = recuperar maciço = compacto ratificar = confirmar digno = decente. bom x mau bem x mal condenar x absolver simplificar x complicar 17 . Capítulo XIII Significação das Palavras Sinônimos São palavras que apresentam. entre si. Antônimos São palavras que apresentam. honesto reminiscências = lembranças insipiente = ignorante. entre si. triste = melancólico. o mesmo significado. contrários. sentidos opostos.

com afinidade caçar = abater a caça a fim de = com a finalidade de cassar = anular amoral = indiferente à moral cela = aposento 18 . libertino. existe arriar = abaixar aproximadamente. sobre apressar = acelerar cerca de = aproximadamente arrear = pôr arreios há cerca de = faz aproximadamente. meio (numeral). devasso ascender = subir apreçar = marcar o preço acerca de = a respeito de. acontece bucho = estômago de ruminantes aproximadamente buxo = arbusto ornamental afim = semelhante. seção (repartição) e cessão (ato de ceder). cedo (advérbio) e cedo (verbo ceder). retificar e ratificar.Têm a mesma grafia e o mesmo som. • Homônimos Homógrafos . sede (vontade de beber) e sede (residência). sessão (reunião). Eis uma lista com alguns homônimos e parônimos: acender = atear fogo imoral = contra a moral.Têm a mesma grafia e sons diferentes. Parônimos São palavras de significação diferente. almoço (refeição) e almoço (verbo almoçar). concerto (harmonia) e conserto (remendo). • Homônimos Homófonos . Há três tipos de homônimos: • Homônimos Perfeitos . semelhante. emergir e imergir. meio (adjetivo) e meio (substantivo).Têm o mesmo som e grafias diferentes. Capítulo XIII Homônimos São palavras iguais na forma e diferentes na significação. mas de forma parecida.

distinguir insipiente = ignorante despensa = compartimento indefesso = incansável 19 . combinar estada = permanência de pessoa consertar = remendar. divisão docente = relativo a professores sessão = reunião emergir = vir à tona chá = bebida imergir = mergulhar xá = título de soberano no Oriente emigrante = o que sai chalé = casa campestre imigrante = o que entra xale = cobertura para os ombros eminente = nobre. alto. Capítulo XIII sela = arreio dispensa = desobrigação censo = recenseamento despercebido = sem atenção. excelente cheque = ordem de pagamento iminente = prestes a acontecer xeque = lance do jogo de xadrez. incluso descriminar = inocentar incipiente = iniciante discriminar = diferençar. esperto = ativo. vivo contratempo experto = perito. inteligente. reparar estadia = permanência de veículo conjetura = suposição. entendido comprimento = extensão espiar = olhar sorrateiramente cumprimento = saudação expiar = sofrer pena ou castigo concertar = harmonizar. circunstância fragrante = aromático coser = costurar fúsil = que se pode fundir cozer = cozinhar fuzil = carabina deferir = conceder fusível = resistência de fusibilidade diferir = adiar calibrada descrição = representação incerto = duvidoso discrição = ato de ser discreto inserto = inserido. desatento senso = juízo desapercebido = desprevenido cessão = ato de doar discente = relativo a alunos seção ou secção = corte. hipótese flagrante = evidente conjuntura = situação.

frouxo vultoso = volumoso ratificar = confirmar vultuoso =atacado de vultuosidade (congestão retificar = corrigir na face) soar = produzir som 20 . notar defeito em laço = laçada taxar = estabelecer o preço lasso = cansado. incorrupto sustar = suspender intimorato = destemido. pequeno prego interse(c)ção = ponto de encontro de duas taxa = tributo linhas tachar = censurar. rogo tacha = brocha. íntegro. valente. violar. desrespeitar surtir = originar intemerato = puro. Capítulo XIII indefeso = sem defesa suar = transpirar infligir = aplicar pena ou castigo sortir = abastecer infringir = transgredir. corajoso suster = sustentar intercessão = súplica.

Capítulo XIV Denotação e Conotação Denotações . conferindo originalidade. depende do contexto. finalidade práticas. Ex. mais amplo e criativo. As figuras de linguagem classificam-se em: 21 . diferente daquele empregado no dia-a-dia. grilhão (dicionário /Aurélio) Conotação (sentido figurado) . traduzindo particularidades estilísticas do autor.: A corrente estava pendurada na porta. não- denotativo.uso gerais. Ex. passa a pertencer a outro campo de significação. figurado. Figuras de Linguagem As figuras de linguagem ou de estilo são empregadas para valorizar o texto.cadeira de metal. tornando a linguagem mais expressiva. corrente. As figuras revelam muito da sensibilidade de quem as produz. objetivas. É um recurso linguístico para expressar experiências comuns de formas diferentes.uso expressivo." (Chico Buarque) Entendemos “corrente” como a “opinião da maioria das pessoas”. utilitárias. comuns. até não poder resistir. A palavra empregada em sentido figurado. emotividade ou poeticidade ao discurso. literal. usuais.:" A gente vai contra a corrente.

que nem . os longos vestidos negros fechados no pescoço." (Machado de Assis) 22 .parecer. como. Soares." (Jorge Amado) • Metáfora .Ocorre comparação quando se estabelece aproximação entre dois elementos que se identificam. • figuras de construção ou sintaxe. "Amou daquela vez como se fosse máquina. a fim de se conseguir um efeito mais expressivo na comunicação. negros xales nos ombros." (Chico Buarque) "As solteironas. tal qual. A metáfora também pode ser entendida como uma comparação abreviada. Sr. qual.Ocorre metáfora quando um termo substitui outro através de uma relação de semelhança resultante da subjetividade de quem a cria. • figuras de pensamento. é ver se posso extrair pérolas. Figuras de Palavras As figuras de palavra consistem no emprego de um termo com sentido diferente daquele convencionalmente empregado. Capítulo XIV • figuras de palavras. "Supondo o espírito humano uma vasta concha. assemelhar-se e outros.feito. o meu fim. tal.. que é a razão. São figuras de palavras: a) comparação e) catacrese b) metáfora f) sinestesia c) metonímia g) antonomásia d) sinédoque • Comparação . mas subentendido. pareciam aves noturnas paradas. ligados por conectivos comparativos explícitos . em que o conectivo não está expresso.. tal como. Beijou sua mulher como se fosse lógico.e alguns verbos . assim como.

a matéria pelo produto e vice-versa: 7 O sino. Lento. 1 o continente pelo conteúdo e vice-versa: O conteúdo de um cálice. a coisa pelo lugar: 8 Ao edifício da Prefeitura. glutão. 4 o autor pela obra: A obra de Jorge Amado Não devemos contar com o seu coração 5.Ocorre metonímia quando há substituição de uma palavra por outra. realizando-se de inúmeros modos: Antes de sair. Tal substituição fundamenta-se numa relação objetiva. o instrumento pela pessoa que o utiliza: 9 Guloso. o abstrato pelo concreto e vice-versa: 5 Sentimento. sensibilidade. Encontramos sinédoque nos seguintes casos: 23 . Capítulo XIV • Metonímia . tomamos um cálice1 de licor. A coroa 6 foi disputada pelos revolucionários. Ela parecia ler Jorge Amado 4. real. Ele é um bom garfo 9. havendo ampliação ou redução do sentido usual da palavra numa relação quantitativa.Ocorre sinédoque quando há substituição de um termo por outro. proximidade de sentido ou implicação mútua. • Sinédoque ." 2 (Vinicius de Moraes) Com trabalho Comprei uma garrafa do legítimo porto . o bronze 7 soa. "E assim o operário ia Com suor e com cimento 2 Erguendo uma casa aqui a causa pelo efeito e vice-versa: Adiante um apartamento. relação. Vou à Prefeitura 8. o lugar de origem ou de produção pelo produto: 3 O vinho da cidade do Porto. havendo entre ambas algum grau de semelhança. o símbolo pela coisa simbolizada: 6 O poder.

atrevido. em que já não se sente nenhum vestígio de inovação. já fora do âmbito estilístico. É a metáfora tornada hábito linguístico." (Othon M. o singular pelo plural e vice-versa: 4 Todos os cariocas. o pistoleiro sumir de ladrão. a metonímia engloba a (nome próprio pelo nome comum): sinédoque." (J.A catacrese é um tipo de especial de metáfora. o indivíduo pela espécie Modernamente. • Catacrese . olfato e tato) ou psicológicas (subjetivas): 24 . São exemplos de catacrese: folhas de livro pele de tomate dente de alho montar em burro céu da boca cabeça de prego mão de direção ventre da terra asa da xícara sacar dinheiro no banco • Sinestesia . o carioca 4. Essas sensações podem ser físicas (gustação. 5 Protetor. "é uma espécie de metáfora desgastada. Para os artistas ele foi um mecenas 5. Cândido de Carvalho) o todo pela parte e vice-versa: 1 O povo. visão. de queixo caído. 2 Parte das patas.A sinestesia consiste na fusão de sensações diferentes numa mesma expressão. Garcia). O paulista 3 é tímido. fugindo nos cascos 2 de seu cavalo. de criação individual e pitoresca. audição. Capítulo XIV "A cidade inteira 1 viu assombrada. 3 Todos os paulistas.

fulana. Tinha várias feridas no reboco e veludo de musgo. quase irreal. antonomásia é o mesmo que apelido. bacana Sou Ana de Amsterdam. As figuras de harmonia ou de som são: a) aliteração c) assonância b) paronomásia d) onomatopéia • Aliteração .Ocorre antonomásia quando designamos uma pessoa por uma qualidade. macia [sensações táteis]. no quintal de uma casa indefinível. Milagrosa aquela mancha verde [sensação visual] e úmida. O poeta dos escravos (= Castro Alves) (Raimundo Correia) O Dante Negro (= Cruz e Souza) 1 Cristo O Corso (= Napoleão) Figuras de Harmonia Chamam-se figuras de som ou de harmonia os efeitos produzidos na linguagem quando há repetição de sons ou.Ocorre aliteração quando há repetição da mesma consoante ou de consoantes similares. geralmente em posição inicial da palavra: "Toda gente homenageia Januária na janela.) do nome próprio. ainda." (Augusto Meyer) • Antonomásia . característica ou fato que a distingue. Capítulo XIV "A minha primeira recordação é um muro velho. que a igualdade prega. alcunha ou cognome. quando se procura "imitar"sons produzidos por coisas ou seres. O Cisne de Mântua (= Virgílio) Rasga e enlameia a túnica inconsútil. da cama da cana. cuja origem é um aposto (descritivo.Ocorre assonância quando há repetição da mesma vogal ao longo de um verso ou poema: "Sou Ana. especificativo etc. Na linguagem coloquial." (Chico Buarque) • Assonância . Pelé (= Edson Arantes do Nascimento) "E ao rabi simples 1." (Chico Buarque) 25 .

." (Caetano Veloso) • Onomatopéia . das planícies altas.Ocorre paronomásia quando há reprodução de sons semelhantes em palavras de significados diferentes: "Berro pelo aterro pelo desterro berro por seu berro pelo seu erro quero que você ganhe que você me apanhe sou o seu bezerro gritando mamãe." (Mário de Andrade) "Ó rodas.." (Fernando Pessoa) 26 . Veio de longe. ó engrenagens. Dos cerrados onde o guaxe passe rápido. Capítulo XIV • Paronomásia . Vvvvvvvv.Ocorre quando uma palavra ou conjunto de palavras imita um ruído ou som: "O silêncio fresco despenca das árvores. r-r-r-r-r-r-r eterno. passou...

que pode estar presente ou ausente. real ou imaginário. Corresponde ao vocativo na análise sintática e é utilizada para dar ênfase à expressão: "Deus! ó Deus! onde estás. Capítulo XV Figuras de Pensamento As figuras de pensamento são recursos de linguagem que se referem ao significado das palavras." (Rui Barbosa) • Apóstrofe . Outros nos almejam o bem.Ocorre paradoxo não apenas na aproximação de palavras de sentido oposto. e nos trazem o mal. É uma verdade enunciada com aparência de mentira: "Amor é fogo que arde sem se ver. São figuras de pensamento: a) antítese d) apóstrofe g) paradoxo b) eufemismo e) gradação h) hipérbole c) ironia f) prosopopéia i) perífrase • Antítese . amiúde.Ocorre apóstrofe quando há invocação de uma pessoa ou algo. que não respondes?" (Castro Alves) • Paradoxo . "Amigos ou inimigos estão. É ferida que dói e não se sente. mas também na de ideias que se contradizem referindo-se ao mesmo termo. em posições trocadas. 27 . ao seu aspecto semântico.Ocorre antítese quando há aproximação de palavras ou expressões de sentidos opostos. e fazem-nos bem. Uns nos querem mal.

" (Mário de Quintana) ". 28 ...Ocorre gradação quando há uma seqüência de palavras que intensificam uma mesma ideia: "Aqui. pela entonação. caracteres próprios de seres animados a seres inanimados ou imaginários.. ação.Ocorre eufemismo quando uma palavra ou expressão é empregada para enfraquecer uma verdade tida como penosa. se chorares!" (Olavo Bilac) • Ironia .Ocorre prosopopéia (ou animização ou personificação) quando se atribui movimento. a fim de proporcionar uma imagem emocionante e de impacto: "Rios te correrão dos olhos.." (Mário de Andrade) • Prosopopéia . mais longe por onde eu movo o passo.Ocorre ironia quando.. desagradável ou chocante." (Castro Alves) • Hipérbole . fala. A intenção é depreciativa ou sarcástica: "Moça linda. "E pela paz derradeira1 que enfim vai nos redimir Deus lhe pague".) silencioso e levemente melancólico..Ocorre perífrase quando se cria um torneio de palavras para expressar algum objeto.. burra como uma porta: um amor..) percorria o jardim. Capítulo XV É um contentamento descontente. enfim. além." (Clarice Lispector) • Perífrase ... sentimento. acidente geográfico ou situação que não se quer nomear. sugere-se o contrário do que as palavras ou orações parecem exprimir. pela contradição de termos... pelo contexto.Ocorre hipérbole quando há exagero de uma idéia. bem tratada. Também a atribuição de características humanas a seres animados constitui prosopopéia o que é comum nas fábulas e nos apólogos: "O peixinho (.. É dor que desatina sem doer." (Camões) • Eufemismo . três séculos de família." (Raul Bopp) “ Um frio inteligente (.. os rios vão carregando as queixas do caminho.(Chico Buarque) 1 paz derradeira: morte • Gradação .

Pode ocorrer na supressão de 29 . fundindo-se. são figuras de construção ou sintaxe: a) assíndeto e) elipse i) zeugma b) anáfora f) pleonasmo j) polissíndeto c) anástrofe g) hipérbato l) sínquise d) hipálage h) anacoluto m) silepse • Assíndeto . d) ruptura ." (André Filho) Figuras de Sintaxe As figuras de sintaxe ou de construção dizem respeito a desvios em relação à concordância entre os termos da oração. pegando-se. Portanto." (Machado de Assis) •Elipse .anacoluto. elipse e zeugma. hipérbato. e) concordância ideológica . as mãos é que se estenderam pouco a pouco. todas quatro.assíndeto.silepse. sua ordem. c) inversão .Ocorre elipse quando omitimos um termo ou oração que facilmente podemos identificar ou subentender no contexto. sínquise e hipálage.anástrofe. Exigem do leitor atenção maior no exame de cada fato.Ocorre assíndeto quando orações ou palavras deveriam vir ligadas por conjunções coordenativas. possíveis repetições ou omissões. por exigência das pausas rítmicas (vírgulas): "Não nos movemos. pleonasmo e polissíndeto. Elas podem ser construídas por: a) omissão . b) repetição .anáfora. Capítulo XV "Cidade maravilhosa Cheia de encantos mil Cidade maravilhosa Coração do meu Brasil. aparecem justapostas ou separadas por vírgulas. apertando-se.

" • Anáfora .Ocorre anáfora quando há repetição intencional de palavras no início de um período. Usado como um recurso estilístico." 1 Elipse do pronome ela (Ela veio) e da preposição de (de sandálias.É o uso de palavras redundantes para reforçar uma idéia... preposições ou verbos. redundância de significado. dando ênfase à mensagem: "Iam vinte anos desde aquele dia Quando com os olhos eu quis ver de perto Quando em visão com os da saudade via. em vestido leve. É um poderoso recurso de concisão e dinamismo: 1 "Veio sem pinturas. sandálias coloridas." (Castro Alves) • Pleonasmo .. Depois o oceano de pó.." (Camilo Castelo Branco) 1 Zeugma do verbo: "e foram assassinados. e assassinados os partidários dos Felipes.. a) Pleonasmo literário .." (Alberto de Oliveira) "Morrerás morte vil na mão de um forte. frase ou verso: "Depois o areal extenso.. ficando subentendida sua repetição: 1 "Foi saqueada a vida.Ocorre zeugma quando um termo já expresso na frase é suprimido... enriquece a expressão. tanto do ponto de vista semântico quanto do ponto de vista sintático. isto é. Capítulo XV pronomes.. desertos só. Depois no horizonte imenso Desertos.." (Gonçalves Dias) "Ó mar salgado. quando do teu sal São lágrimas de Portugal" (Fernando Pessoa) 30 . conjunções..) • Zeugma .Ocorre pleonasmo quando há repetição da mesma idéia.

• Sínquise .Ocorre anástrofe quando há uma simples inversão de palavras vizinhas (determinante/determinado): "Tão leve estou 1 que nem sombra tenho." (Mário Quintana) 1 Estou tão leve. É um recurso que sugere movimentos ininterruptos ou vertiginosos: "Vão chegando as burguesinhas pobres. Pleonasmos viciosos devem ser evitados.Ocorre hipérbato quando há uma inversão completa de membros da frase: "Passeiam à tarde.É o desdobramento de idéias que já estavam implícitas em palavras anteriormente expressas.Ocorre sínquise quando há uma inversão violenta de distantes partes da frase. " 1 (Camões) 31 . • Hipérbato .." (Manuel Bandeira) • Anástrofe . as belas na Avenida. pois não têm valor de reforço de uma idéia. Capítulo XV b) Pleonasmo vicioso . sendo apenas fruto do descobrimento do sentido real das palavras: subir para cima entrar para dentro repetir de novo ouvir com os ouvidos hemorragia de sangue monopólio exclusivo breve alocução principal protagonista • Polissíndeto . e as criadas das burguesinhas ricas e as mulheres do povo. " 1 (Carlos Drummond de Andrade) 1 As belas passeiam na Avenida à tarde. É um hipérbato exagerado: "A grita se alevanta ao Céu. e as lavadeiras da redondeza.Ocorre polissíndeto quando há repetição enfática de uma conjunção coordenativa mais vezes do que exige a norma gramatical ( geralmente a conjunção e). da gente..

" 2 (Eça de Queiros) 2 . e gritavam.Ocorre hipálage quando há inversão da posição do adjetivo: uma qualidade que pertence a uma objeto é atribuída a outro.. alterando-lhe a seqüência lógica.desprendidos dos demais.. • Hipálage . Capítulo XV 1 A grita da gente se alevanta ao Céu. gosta de fazer Ocorre quando há discordância entre os bonito.." envolvendo o número gramatical (singular ou plural): (Mário Barreto) c) Silepse de pessoa "Na noite seguinte estávamos reunidas algumas pessoas. mas com a idéia a elas associada.. as lojas dos barbeiros loquazes. • Anacoluto .que não apresentam função sintática definida ." (Alcântara Machado) • Silepse . geralmente depois de uma pausa sensível.Ocorre silepse quando a concordância não é feita com as palavras." (Guimarães Rosa) gêneros gramaticais (feminino ou masculino): b) Silepse de número Ocorre quando há discordância Corria gente de todos lados." Ocorre quando há discordância entre o sujeito expresso e a pessoa verbal: o (Machado de Assis) sujeito que fala ou escreve se inclui no sujeito enunciado: 32 . não se pode confiar nelas. as lojas loquazes dos barbeiros.Ocorre anacoluto quando há interrupção do plano sintático com que se inicia a frase. a) Silepse de gênero "Quando a gente é novo. "Essas empregadas de hoje. na mesma frase: ". A construção do período deixa um ou mais termos .

mas trabalha na rua Itambé. D) Os defensores de uma literatura regional procuram sempre apresentar explicações e evidências que lhes apóiem os argumentos. lendo-se autores com que se possa aprimorar e fortalecer a experiência pessoal. Questões (UFPE-PE) Assinale a alternativa em que as normas de regência. E) Ele mora na avenida Angélica. 33 .. uma linguagem mais difícil do que a linguagem culta. De acordo com a regência do verbo visar. nem lhes imitavam. não foram inteiramente cumpridas." Nessa frase. uma falha de acentuação gráfica indica erro de: A) regência nominal B) concordância nominal C) concordância verbal D) silepse de grau E) regência verbal (MACKENZIE-SP) Aponte a alternativa em que há erro de regência... o preenchimento adequado das lacunas seria: A) o — ao B) a — ao C) ao — o D) ao — ao E) o — o (FGV-SP) Leia com atenção: "Apesar da insistência dos repórteres. o candidato não respondeu as perguntas. também. objetivo. B) Alguns dos modernistas não repudiavam aos clássicos. C) Este cheque é para mim. E) A aprendizagem de uma língua se faz. cheque e retirou-se. não fui a Santos. visou . C) No Brasil há muitas literaturas regionais que exibem as características da fala local a que procuram ser fiéis. ou só para eu descontar? D) Os números estão exatos. salvo omissão da minha parte... A) O vocabulário e a sintaxe de que se utilizavam muitos autores modernistas constituem. (MACK-SP) Visando . A) Eu fui ao Guarujá. B) Faz dias que não lhe vejo. muitas vezes. mas conseguiam renovar o idioma sob a influência da língua falada. verbal e nominal..

II (ENEM 2009) Leia e responda: Iscute o que tô dizendo. 34 . em seu grupo social. questão nem guerra. prejudicou toda uma família. involuntariamente. preferiu declarar falida a firma a aceitar qualquer ajuda do sogro. embora fosse tímido. II. Visando apenas os seus próprios interesses.Fortaleza: Universidade Federal do Ceará. PATATIVA DO ASSARÉ. Seu dotô. ia dar um passo comparado a um pedido formal de casamento. Como era orgulhoso. é identificado como um falante. ele. embora fosse tão humilde. B) Nessa noite. IV D) I. A ( ) escolarizado proveniente de uma metrópole. embora fosse tímido. III E) I. D ( ) escolarizado que habita uma comunidade do interior do país. essa noite. 2008 (fragmento). IV B) I. Meça desta grande terra Umas tarefa pra eu! Tenha pena do agregado Não me dêxe deserdado Daquilo que Deus me deu. Sem briga. II. nessa noite. Desde criança sempre aspirava a uma posição de destaque. III. A terra é naturá. IV. Aspirando o perfume das centenas de flores que enfeitavam a sala. (UFPB) Quanto à pontuação. ia dar um passo. III. Questões (UFPA) Assinale a alternativa que contém as sentenças corretas com relação à regência. B ( ) sertanejo morador de uma área rural. III. In: Cordéis e outros poemas. E ( ) estrangeiro que imigrou para uma comunidade do sul do país. A) II. embora fosse tímido. C) Álvaro. III C) I. infere-se que o eu liríco revela-se como falante de uma variedade linguística específica. C ( ) idoso que habita uma comunidade urbana. comparado a um pedido formal de casamento. seu coroné: De fome tão padecendo Meus fio e minha muié. Esse falante. Álvaro ia dar um passo comparado a um pedido formal de casamento. I. observa-se desvio da norma culta em: A) Álvaro. A partir da análise da linguagem utilizada no poema. desmaiou.

ia dar um passo comparado.. Assinale a alternativa preenchendo corretamente as lacunas: A) a – à – a B) há – à – a C) há – a – a D) a – à – à E) à –à – à (ENEM 2009) Leia os textos e responda: Texto I No meio do caminho tinha uma pedra tinha uma pedra no meio do caminho tinha uma pedra no meio do caminho tinha uma pedra (. E) Este documento deve ser encaminhado à seu chefe... quero ressaltar seus méritos. 1971 (fragmento). vontade sorrindo.. C) Havia duas moças. Questões D) Embora fosse tímido Álvaro nessa noite. a um pedido formal de casamento. (CESCEA) “Estando . quanto à mim. o homenageado dirigiu-se especialmente àqueles que.. pois chegaram à recusar até mesmo um cafezinho.. Texto II 35 . Álvaro ia dar. B) Todos fizeram severas críticas à redação do texto. D) Sugeri que recorrêssemos à pessoas mais preparadas para tratar do assunto. à direita... C. em passado recente. bela praça.) ANDRADE. sentia-se . E) Nessa noite.. embora fosse tímido. toda jovem presente”... você deu importância à de cá mas não a de lá. C) Em seu discurso. o haviam censurado.. (ITA-SP) Identifique a frase incorreta quanto ao emprego do sinal indicativo de crase. A) Àquelas daria a atenção devida? B) Nem a traças nem a cupins conheço a solução.. meia hora na festa.. (PUCCAMP-SP) A frase em que o acento grave indica corretamente a ocorrência de crase é: A) Eles pareciam aborrecidos. e você estará junto à Machado de Assis. um passo comparado a um pedido formal de casamento. para que ele o assine o mais rápido possível. Reunião. D. Rio de Janeiro: José Olympo. E) Dobre à esquina. D) Àquela prefiro esta.

D. as palavras destacadas significam. seco. C.. como vão passando as águas no tempo (. C) a personificação de “pedra” que. em ambos os textos. D) o predomínio. E) a utilização. sem finalidade. um vaso sem flor. inabitável. (FEI-SP) Em “A sina dele era correr mundo”. Rio de Janeiro: Jornal do Brasil. percebe-se que nova pedra a acompanha em surdina. já que nos dois textos. o termo que melhor expressaria a ideia contida em “sina” seria: A) cotidiano B) busca C) objetivo D) história E) destino (UFV-MG) Assinale a alternativa em que a mudança de posição entre o substantivo e o adjetivo não pode acarretar alteração semântica: A) O grande traficante assusta a polícia. / O amigo velho é que socorreu o viciado. / O traficante grande assusta a polícia. inabitável. 36 . um chão vazo. Contos sem propósito. em ambos os textos. cada uma tem sua pedra no rio: cada pedra é herança de família. B) a identidade de significação. e uma ave de rapina”. respectivamente: A) radiante. Nos versos de Carlos Drummond de Andrade. (. inerme. Caderno B. no primeiro texto. o cru. C) incondicional. B) O pobre viciado sofre muito! / O viciado pobre sofre muito! C) O alto traficante assusta a polícia. é possível estabelecer uma relação entre forma e conteúdo da palavra “pedra”. e a rua vista em sonho. E) incondicional. “pedra” significa empecilho. por meio da qual se observa A) o emprego. 17/7/1979 (fragmento) Com base na leitura dos textos. D) que espera. do sentido denotativo de “pedra” como matéria mineral sólida e dura... do significado de “pedra” como dificuldade materializada por um objeto. / O filho bom à casa torna. e o peito inerte. Se a mulher entoa uma canção. / O traficante alto assusta a polícia..) ANDRADE. o que é entrega ou adoração expectante e amar o inóspito. de filha a neta. (FUVEST-SP) “Amar solenemente as palmas do deserto.. E) O velho amigo é que socorreu o viciado.. passando de mãe a filha. do sentido conotativo da palavra “pedra”. Questões As lavadeiras de Mossoró. sem atividade. que se divide e se reúne ao sabor do trabalho. no segundo texto. sem atividade.) A lavadeira e a pedra formam um ente especial. sem forças. B) que espera. adquire características animadas. D) O bom filho à casa torna. sem forças. seco.

E) flexão verbal rica e substituição de dígrafos consonantais por consoantes simples (“qu” por “k”)..) Pedro diz: tenho q sair agora.. como “na paz e vc”. abc Para que a comunicação. D) O mau é que entendo mal tudo isto. como o MSN Messenger. segundo alguns linguistas. Esse tipo de conversa. B) frases curtas e simples (como “tudo trank”) com abreviaturas padronizadas pelo uso (como “vc” – você – “vlw – valeu!). como no MSN Messenger. se dê em tempo real. C) O mal lutador luta mau. João diz: flw Pedro diz: vlw. (ENEM 2009) Leia e responda: O texto a seguir é um trecho de uma conversa por meio de um programa de computador que permite comunicação direta pela internet em tempo real. por meio de suas respostas e dos famosos emoticons (que podem ser definidos como “ícones que demonstram emoção”). escritas cuidadosamente com acentos e letras maiúsculas (como “oq vc ta fazendo?”). D) estruturas coordenadas. C) uso de reticências no final da frase. Mas quando o poeta diz: “Lata” Pode estar querendo dizer o incontível Uma meta existe para ser um alvo. 37 . lutei contra o mal elemento. embora escrita. é necessário que a escrita das informações seja rápida. Questões (FMU/FIAM-SP) Aponte a alternativa em que mal e mau estão corretamente empregados.. João diz: oi Pedro diz: blz? João diz: na paz e vc? Pedro diz: tudo trank João diz: oq vc ta fazendo? (.. A) O mau lutador acha que as dificuldades estão mal colocadas B) O mal esforço não elimina o mal que as dificuldades trazem. (ENEM) Leia e responda: Metáfora Gilberto Gil Uma lata existe para conter algo. E) Mal o percebi. o que é feito por meio de A) frases completas. para que não se tenha que escrever o resto da informação. Uma delas é a interação ao vivo e imediata. que permite ao interlocutor conhecer. apresenta muitas características da linguagem falada. quase instantaneamente. a reação do outro.

38 . Questões Mas quando o poeta diz: “Meta” Pode estar querendo dizer o inatingível Por isso não se meta a exigir do poeta Que determine o conteúdo em sua lata Na lata do poeta tudonada cabe. ficou claro que sua maldade tem proporções oceânicas”. C) “Uma meta existe para ser um alvo”. A metáfora é a figura de linguagem identificada pela comparação subjetiva. D) “Por isso não se meta a exigir do poeta”. E) “Que determine o conteúdo em sua lata”. (UNIFESP)Em “Quanto a Laura.letras. mas ficam pressupostos outros sentidos. B) “Mas quando o poeta diz: ‘Lata’”. Pois ao poeta cabe fazer Com que na lata venha caber O incabível Deixe a meta do poeta não discuta. 2009. C) um eufemismo. pois expressa a idéia de uma maldade exagerada. D) uma ironia. já que não afirma diretamente o quanto há de maldade. a figura de linguagem presente é: A) uma metáfora. pela semelhança ou analogia entre elementos. O trecho em que se identifica a metáfora é: A) “Uma lata existe para conter algo”. E) um pleonasmo.br. O texto de Gilberto Gil brinca com a linguagem remetendo-nos a essa conhecida figura. lata absoluta Deixe-a simplesmente metáfora.com.terra. Disponível em: http://www. já que entre maldade e oceânicas há uma repetição de sentido. B) uma hipérbole. Deixe a sua meta fora da disputa Meta dentro e fora. Acesso em: 5 fev. já que compara a maldade com o oceano. pois se reconhece a maldade.