VESTIBULAR: 2016

PROFESSOR: WALTER TADEU
MATEMÁTICA II

GEOMETRIA ESPACIAL – CONES – QUESTÕES – GABARITO
1. (FATEC) A altura de um cone circular reto mede o triplo da medida do raio da base. Se o comprimento da
circunferência dessa base é 8  cm, então o volume do cone, em centímetros cúbicos, é:
a) 64  b) 48  c) 32  d) 16  e) 8 
Solução. Calculando o raio da base e o volume, temos:

C  2R 8
i)   2R  8  R   4cm
C  8cm 2
i ) h  3R  3(4)  12cm .

.R2.h .(4)2.(12)
i i) Volume (V)    .(16).(4)  64cm3
3 3
2. (UEL) Um cone circular reto tem altura de 8 cm e raio da base medindo 6 cm. Qual é, em centímetros
quadrados, sua área lateral?
a) 20  b) 30  c) 40  d) 50  e) 60 
Solução. A área lateral do cone é dada pela fórmula AL = .R.g, onde g é a geratriz do cone. Calculando a
geratriz pela Relação de Pitágoras, vem:

g2  R2  h2
 2 2  A(lateral)  .(6).(10)  60cm2 .
g  8  6  64  36  100  10cm

3. (UFMG) Nessa figura, a base da pirâmide VBCEF é um quadrado inscrito no círculo da base do cone de
vértice V. A razão entre o volume do cone e o volume da pirâmide, nesta ordem, é:
a)  /4 b)  /2 c)  d) 2  e) 2  /3
Solução. O diâmetro 2r do círculo corresponde à diagonal do quadrado. A altura h e a mesma para a
pirâmide e o cone.

 2

r. 2 .h 2.r 2 .h
V ( pirâmide)  
2 r 2r 2  3 3.
i) 2r  L 2  L   .  r. 2  
2 2 2   .r 2 .h
V (cone)  3

o tempo necessário para que isto ocorra com o reservatório cônico será de: a) 2 h b) 1 h e 30 min c) 1 h d) 50 min e) 30 min Solução. A capacidade do tanque é: a) 2  b) 8  /3 c) 4  d) 6  e) 8  Solução.r 2 . levará a terça parte do tempo para ficar completamente cheio: T = 2. h 36  .00 c) 2.25 d) 3. (UFMG) Um reservatório de água tem forma de um cone circular reto. Quando o nível de água atinge a metade da altura do tanque.00 e) 3. (CESGRANRIO) No desenho a seguir.  . . V (cone)    3 16  3 3 3 7. V (total )  h  V (total ) 2 8   6.25 b) 2. V (total)  h  V (total)  2    5. temos: 3 V (menor)  2  h 3  1       V (total)  8.r . de eixo vertical e vértice para baixo. a fração do volume total que deixou de ser consumida é: a) 3/4 b) 1/2 c) 2/3 d) 3/8 e) 1/8 Solução. ambas de mesma vazão.h 16.25 Solução. Se o reservatório cilíndrico leva 2 horas e meia para ficar completamente cheio. o volume ocupado é igual a  . cuja altura é o dobro do diâmetro. (FAAP) Um copo de chope é um cone (oco). O volume do cone é a terça parte do volume do cilindro.r. estão totalmente vazios e cada um será alimentado por uma torneira. O volume menor é o volume que deixou de ser consumido.h .h 3 2 2.h V (cone) 3  .h 3  ii) Razão :   . temos:   V ( pirâmide)   2 . Comparando os volumes. V ( pirâmide) 2. é: a) 1. Logo. . h   12  h   2. Estabelecendo a razão entre volume e altura.V (total ) . em cm.(4)2 . A razão entre volume e altura independe das medidas do raio e altura.. temos: 3 V (menor)  2  h 3 V (menor)  1  1        V (menor)  . um cilíndrico e outro cônico.12  12 16.5 h ÷ 3 = 150 min ÷ 3 = 50 min.  .25 . . Se uma pessoa bebe desde que o copo está cheio até o nível da bebida fica exatamente na metade da altura do copo.r 2 . A altura do cone.r 2 . dois reservatórios de altura H e raio R. (PUC) Um cone reto de raio r = 4 cm tem volume equivalente ao de um prisma de altura h = 12 cm e de base quadrada de lado L   .h 2 3 4.

6  . recorta-se. Logo.g  rad   1. temos: . atingindo a altura de 25 mm.rad 1. De acordo com as informações das figuras. um setor circular para a superfície lateral e um círculo para a base. 5 Solução. Esse cálice contém um líquido que ocupa um volume V2. Se AD  2AB . o volume do sólido obtido ao se girar o trapézio em torno da reta por B e C é dado por: 3a 3 .6rad . Calcule o valor do quociente V1/V2. (UNB) Um cálice tem a forma de um cone reto de revolução. e o ângulo interno em D é tal que sua tangente vale 5/6. em cartolina.1. Para isso. (FUVEST) Deseja-se construir um cone circular reto com 4 cm de raio da base e 3 cm de altura. 20a 3 .r 2 (4)   2 . temos: s  2 . os ângulos internos em A e B são retos. Após o giro o volume do sólido formado será a diferença entre os volumes do cilindro de raio de base a e altura 2a e o volume do cone de raio de base a e altura x. (VUNESP) No trapézio ABCD da figura a seguir.r  rad . conforme mostra a figura adiante. a) b) c) d) e) 4 8 5 13 8a 3 . temos: 3 V1  100     4   64 .8.   x º  180º . de altura igual a 100 mm e volume V 1. 3  V2  25  9. Estabelecendo a proporção entre volumes e dimensões. 5a 3 .6   288º . 6a 3 . A geratriz do cone é: g  3 2  4 2  25  5 .g 180º xº 5 10. A medida do ângulo central do setor circular é: a) 144° b) 192° c) 240° d) 288° e) 336° Solução. s  rad . Solução.

3 3 3 3 4. (FUVEST) Um cálice com a forma de cone contém V cm 3 de uma bebida.x 2 .(2a)  2. V (cilindro)  . temos: .a .a 2. Solução. O volume V’ é calculado encontrando o raio “x” do círculo do líquido sobre a cereja. Seja V’ o volume do cálice com a cereja. Isto é: V’ = V + V(cereja). Relacionando os volumes e as alturas.( 4) 4(2) 8   .a2. Para que isso seja possível a altura x atingida pelo primeiro líquido colocado deve ser: a) 8/3 cm b) 6 cm c) 4 cm d) 4 3 cm e) 4 3 cm 4 Solução.(1) 3 4 ii) Vcereja    3 3 3 8 4 4  V  V ' Vcereja    cm 3 3 3 3 12.a   5 5  3 15 5 11. Observando a semelhança dos triângulos.a 23 .a3  2  V (cone)    5 6.  2 4 x 4 x 2 2 2 iii) V '     2 .h .  a t g uˆ   x a 5 6a i)     x  tg uˆ  5 x 6 5  6 . 2 . (FUVEST) Um copo tem a forma de um cone com altura 8 cm e raio da base 3 cm. temos: i) 3 2  12  y 2  y 2  9  1  y  8  2 2 y 1 2 2 1 2 2 2 ii)    x x .a3 i )  . 6a 3 3  V (sólido)  2. O volume do primeiro líquido deve ser metade do volume total. Queremos enchê-lo com quantidades iguais de suco e de água.a3 8. Supondo-se que a cereja repousa apoiada nas laterais do cálice e o líquido recobre exatamente a cereja a uma altura de 4 cm a partir do vértice do cone.r 3 4. Uma cereja de forma esférica com diâmetro de 2 cm é colocada dentro do cálice. determinar o valor de V.

(UERJ) Um sólido com a forma de um cone circular reto. 8 8 7V Volume (submerso ) 7V 1 7 Razão :  8  . constituído de material homogêneo. Após o giro.3 22 3   3  2   x  3  3 . V (cone)   3 3 3  3 3 14.3  29 . 1  1  v  V.(2) .(3. o volume do sólido formado é a soma do volume de um cilindro de raio de base 2 e altura 2.1 4 2  V ( sól i d o)  8     29. lembrando que a relação entre esses volumes é a razão cúbica de suas alturas. Considerando o volume v do cone fora do líquido e V o volume total do cone e. com o volume de um cone de raio de base igual a 2 e altura 1. flutua em um líquido. a razão entre o volume submerso e o volume do sólido será igual a: a) 1/2 b) 3/4 c) 5/6 d) 7/8 Solução.(2)  8  4 28 (28).  4. temos: H3 3 3 v (H / 2) 8  H . Solução.  . V (cilindro)   . (UFPE) O trapézio 0ABC da figura a seguir gira completamente em torno do eixo 0x. conforme a ilustração. 4 12 x x 2 2 3 22 2 13.14)   .(2)2 . 24 83 3 8 8 8 3 22 8. Calcule o inteiro mais próximo do volume do sólido obtido.(3)2 .(8) V (total)   24 V 83 3     3 V V (1º L)   12 v x  2 . Se todas as geratrizes desse sólido forem divididas ao meio pelo nível do líquido.   V (H3 H3 8 H3 8 8 V 7V Volume (submerso )  V  v  V   .  Volume (sólido ) V 8 V 8 .

14)(5)(13)  204.(r  g )   . O número de chapéus com um corte será o inteiro que representa quantas vezes a área lateral do cone cabe na área do retângulo.r. respectivamente.g  (3. h. Admita que todo o tecido de cada corte poderá ser aproveitado.(4)  h  0  incompatível . cujas dimensões são 67 cm por 50 cm.( g  r)  h 2  (2h).15. serão utilizados cortes retangulares de tecido. h e g. para confeccionar 50 chapéus. Calcule a área total deste cone em m 2. 16. Representando raio. da altura e da geratriz de um cone circular reto formam.(16)  96 m 2 g  8  2  10  .(6  10)   . O número mínimo dos referidos cortes necessários para forrar 50 chapéus é igual a: a) 3 b) 4 c) 5 d) 6 Solução. altura e geratriz do cone pelas letras r. nesta ordem. em metros.(h  8)  0   2 h  8 r  8  2  6  iii) h  8  AT   . Solução. (ITA) As medidas. g    g  r  (h  2)  (h  2)  h  2  h  2  4 i)    g  h  2 razão  2  2 h  r  g ii) Re lação (cone) : h 2  r 2  g 2  h 2  g 2  r 2  h 2  ( g  r).A.  h  8h  0  h.(6).1 Logo.  g 2  12 2   5 2  g  144  25  13cm i)   Alateral (cone)   . temos: r  h  2 P. o mínimo serão 4 cortes (3 x 15 < 50 < 4 x 15) .(6). ii) ACORTE  (67)(50)  3150 cm 2 3150 iii) N (chapéus / corte)   15 204.1 cm 2 . (UERJ) Para revestir externamente chapéus em forma de cones com 12 cm de altura e diâmetro da base medindo 10 cm. do raio da base.r. uma progressão aritmética de razão 2 metros. :  r.

 .(5) 2 . .h   h  5 iii) 5 5 5 25. 3 24  h  h 3 24 h 3 8 h 2 2H         h . O raio da base do cilindro e do cone vale 5 cm.17. h  5  3 . (UFSCAR) A figura representa um galheteiro para a colocação de azeite e vinagre em compartimentos diferentes. temos: . O volume do cone menor permite um consumo por 21 dias.h  25. O mesmo ocorre com a altura do cone. Utilizando as informações. . sendo um cone no interior de um cilindro. 75. .h   V (azeite)  V (cilindro )  V (cone) 3 75. Considerando h como a altura máxima de líquido que o galheteiro comporta e a razão entre a capacidade total de azeite e vinagre igual a 5. h  5 ii)   V (azeite )  25. h  5 3. (UFMG) Um cone é construído de forma que: . . h  5  h  5 3  30  3h  h  5  5h  25  2h  5h  25  5  h   10 3 18. . . . Estabelecendo a relação entre volumes e as alturas. 81  H  H 81 H 27 H 3 3 19. . Dessa maneira. h  5 25. temos:  .h 25. O valor de h é: 2H 2H 8 H 3 H H a) h  b) h  c) h  d) h  e) h  9 3 27 10 2 Solução. h  5 i) V (cone)  V (vinagre )   3 3 V (cilindro )   . o volume do cone é de: a) b) c) d) Solução.h  25. . . Utilizando essas informações. . h  5 3 75. h   25. h  5 25. (UFLA) Um reservatório de forma cônica para armazenamento de água tem capacidade para atender às necessidades de uma comunidade por 81 dias.h  25. O diâmetro da base do círculo possui a mesma medida da aresta do cubo.sua base é um círculo inscrito em uma face de um cubo de lado a. Esse reservatório possui uma marca a uma altura h para indicar que a partir desse nível a quantidade de água é suficiente para abastecer a comunidade por mais 24 dias. o valor de h é: a) 7 cm b) 8 cm c) 10 cm d) 12 cm e) 15 cm Solução. .seu vértice coincide com um dos vértices do cubo localizado na face oposta àquela em que se encontra a sua base.(5) 2 .

    . . O frasco do medicamento é formado por uma parte cilíndrica e uma parte cônica.r 2 . 3 3 3 12 20.r 2 .(9)  (3). temos: V (cilindro )   .5).V (cone)  a   2 a2    .(a) a 3 .(16). Dado que 1 cm 3 = 1 ml. b) 150. e usando a aproximação = 3. c) 160.r 2 . do medicamento restante no frasco após a interrupção da medicação é. 1. (UNESP) Um paciente recebe por via intravenosa um medicamento à taxa constante de 1. em ml. e estava cheio quando se iniciou a medicação. Solução. 2 .hcilindro   . a) 120.(3)  48 cm  48 mL 3 . após 4 horas foi administrado um volume V.(a)  .(9)  432 cm3  432 mL    .5 ml/min. aproximadamente.h  .(4) 2 . Calculando o volume total do frasco. 4 .(240)  360 mL . 4 2 . e) 360.5 mL V O volume restante no frasco é: 480 mL – 360 mL = 120 mL. d) 240.hcone (3). Após 4h de administração contínua.(3)  V (cone)    (16). o volume. 1 min 240 min   V  (1. a medicação foi interrompida.  3 3  V ( frasco)  432 mL  48 mL  480 mL De acordo com a taxa da aplicação. cujas medidas são dadas na figura.