Liderança e experiência com Deus

Atos 9. 1-22

1. Introdução

Na data de 24 de maio, celebraremos, novamente, a experiência do coração aquecido, do
Rev. João Wesley, a qual, neste ano, junta-se, no mês de junho, com a comemoração dos
300 anos de seu nascimento.

Por que os mais de 70 milhões de metodistas, em cerca de 140 países, se unem nestas
celebrações? Será lícito desfocar de Jesus nossa atenção para enfocá-la em João Wesley?

Porque ele é reconhecido como um homem de Deus, que foi usado por Deus para levar
milhares de pessoas aos pés de Jesus. Ele dizia: “Nada saber senão ganhar almas”. Sua
paixão era Cristo Jesus, e as pessoas que ainda não conheceram o Salvador. Seu exemplo
de santidade e de vida abençoada tem sido citado em todas as denominações evangélicas,
em todos os continentes.

Alguns historiadores afirmam que os avivamentos duram uma geração, cerca de 30 anos.
João Wesley rejeitou isso, pois em seu tempo o avivamento metodista já durava 50 anos.

Hoje, podemos dizer que o avivamento metodista segue vivo em várias partes do mundo.
Na última década, os metodistas cresceram de 62 milhões para 72 milhões no mundo todo,
ou seja um milhão de vidas alcançadas para Cristo por ano. Sim, somos partes de um
grande avivamento, que está longe de morrer.

E, neste avivamento metodista, a experiência com Deus foi decisiva para João Wesley e
para seus companheiros. Vejam, segundo João Wesley, uma dessas experiências com Deus:
“A autenticidade da conversão não se comprova pelo ato de derramar lágrimas, cair no
chão, ou por outro tipo de manifestação. Pessoas mudaram radicalmente de vida, de um
momento para o outro. Antes eram malvadas e impiedosas, e tornaram-se santas e justas.
Leões foram transformados em cordeiros, o beberrão agora é exemplo de solidariedade, a
prostituta mudou de vida e converteu-se em mulher virtuosa." Para os céticos e os mais
tradicionalistas que questionavam os acontecimentos em Bristol, argumentando que os
fatos espetaculares podiam ser explicados racionalmente, Wesley apontava os exemplos da
ação de Deus, prontos para serem vistos e compreendidos. Ele retrucava: Preguei ao ar
livre, durante o dia, a um público superior a duas mil pessoas, sobre: “Aquietai-vos e sabei
que eu sou Deus”. (Sl 46. 10). Antes que dissesse qualquer coisa, Deus começou a estender
seu braço poderoso. Em pouco tempo, sete pessoas estavam regozijando-se e cantando.
Com todas as suas forças davam graças a Deus por sua salvação.[1]

Fica claro que para Wesley a manifestação do poder de Deus podia se dar de muitas
formas, mas sempre para salvação dos perdidos, ou para santificação dos salvos (Barbosa,
José Carlos – Adoro a sabedoria de Deus – Itinerário de João Wesley, o Cavaleiro do
Senhor, Ed. UNIMEP, Piracicaba, 2002, p. 244).

2. Uma experiência bíblica – Atos 9. 1-22

Sua mensagem não aquece o coração. “Ananias!.. Paulo era um “religioso”. e isso por dirigentes da Igreja Anglicana.Paulo dá testemunho de sua experiência de conversão. pelo próprio Paulo. Quem conhece o Deus da Bíblia não pode abrigar ódio em seu coração! Sim. ele deixa claro que precisava muito de Deus.. mas não o conhecia. O texto diz: “Paulo. mas não o poder dela. mágoas e ressentimentos contra outras criaturas de Deus. Os religiosos correm o risco de transformar a religião do Deus vivo num conjunto de doutrinas. acusou Wesley de impostura e fanatismo. Muitas foram as perseguições. Disse Wesley: “Não tenho medo que o povo chamado metodista deixe de existir na Europa ou na América. as crises pessoais e comunitárias criam espaços de busca da presença de Deus. e isto certamente será o caso se não conservarem a doutrina. João Wesley o contestou com severidade. Somente receio que eles existam como uma seita morta. Discursos mecânicos e sem vida falando de Deus. “Quem és tu Senhor?” (At 9. não transforma vidas. podemos estar perseguindo-O. pensando servir a Deus. pois. Esta frase célebre chama permanentemente a atenção de todos nós. Esta outra intervenção de Deus visava a entregar Paulo aos cuidados da Igreja cristã em Damasco. Dr.” (At 9. 4). algo estava errado. a. 1). em seu coração havia ódio. 5).. Um historiador anglicano. ele mesmo. perante o Sinédrio. mas não tinha paz. Paulo buscava a pureza religiosa do Judaísmo. do destino eterno da vida humana. mas falta-lhes o Deus vivo. e. diz que era zeloso da lei e seus preceitos (cf. algumas violentas. respirando ameaças de morte contra os discípulos do Senhor. provocadas em vilas e cidades pelos párocos anglicanos.. a disciplina e o espírito com que iniciaram a jornada”. escrevendo sobre religião. b. tendo a forma de religião. A experiência com Deus ocorre sempre em momentos de busca. regras e rituais mortos. Esta pergunta de Paulo a Jesus ilustra a tragédia que é pregar e ensinar sobre Deus sem uma experiência pessoal com Ele. têm a aparência da religião. . Entendo que Ananias era o pastor da igreja. reconhecido pelo próprio Senhor. 6). Sim. e perante o Rei Agripa. Paulo estava diante do Filho de Deus. como Paulo. por três vezes. Fp 3. herege e falso religioso. 10) Enquanto Paulo jejuava e orava. em Atos dos Apóstolos. Deus chama Ananias. João Wesley foi chamado de fanático. a grande esperança messiânica de todos os judeus. Deus nos livre de perdermos a sensibilidade e o discernimento do sentir a presença e a direção pessoal de Deus. c. Smollet. No relato. A primeira é relatada por Lucas e as outras duas. não o percebia. Eis-me aqui Senhor!” (At 9. Saulo. nada nega mais a presença de Deus do que o ódio. de salvação. “Saulo. por que me persegues?” (At 9.

Deus quer nos usar para mudar a nossa nação brasileira. nada de fora é bom. a casa de Judas. e Ananias representa a Síria. ou como igrejas. se acerque dele e o chame de irmão. Passa de uma religiosidade formal para uma experiência com o Cristo ressuscitado.” (At 9. construímos barreiras e nos encerramos nelas. 10). países em guerra desde tempos antigos. como a de Ananias.. e prontos a obedecer à voz de Deus. o qual ele conhecia de encontros diários. o Evangelho no seu significado mais profundo. de muitos tenho ouvido a respeito desse homem. como exemplo. sempre presente. O relato que começara com ameaças de morte. A nossa experiência com Deus só cresce em meio aos riscos e desafios. Este é o líder que há pouco tinha dito: “Eis-me aqui. Paulo. especialmente o novo. irmão.. na famosa rua Direita.. 13-14). começa a contestar a Deus: “. Israel. o Senhor me enviou. para prender a todos os que invocam o teu nome”. Acho extremamente significativa esta expressão de Ananias para Paulo. cheios do Espírito. faz com que Ananias. quantos males que tem feito aos teus santos. e torna-se um discípulo de Jesus. a seguir. a quase vítima de Paulo. escolhida por Deus. (At 9. “Saulo. Deus pode contar contigo? . 17). Deus envia Ananias até Paulo. João Wesley confrontou sua nação com o Deus vivo. Ananias.. Senhor!” (At 9. d. a guerra em paz.. 1). como cristãos. O resultado foi um avivamento que mudou a Inglaterra. Especialmente se nós recordarmos que Paulo representa o Judaísmo. pode incorrer. Somente o poder do Evangelho. Freqüentemente. esbarra em vários preconceitos e barreiras: nem sempre estamos dispostos a correr riscos. face a face. Nossa disposição. Aqui estão dois ex-inimigos: Paulo tinha ido para prender e levar a condenação e morte a Ananias e aos demais irmãos e irmãs da igreja em Damasco. tudo nos ameaça. por parte de Paulo (At 9. é curado e batizado. para sabermos discernir o que é de Deus e do que é do homem. e para aqui trouxe autorização. da Síria. Ela expressa o poder do Evangelho. temos os discípulos e o próprio apóstolo Paulo. que é o exercício do amor e da reconciliação. Precisamos estar abertos ao novo de Deus. a experiência com o Deus vivo muda o ódio em amor. pela interferência do poder do Deus vivo. em vez de obedecer de imediato. e ainda hoje em guerra. Graças a um confronto com o Deus vivo.. sim.Aqui vemos a fragilidade em que uma liderança.